Relatos de viagem no Peru


#1154276 por maurobrandao
15 Jan 2016, 15:20
Caraaaaa !
Esqueci de escrever !!! HAHAHAHAHAHAHAHH!!!
Guenta ai que faço esse final de semana !!! lol
::tchann:: ::tchann:: ::tchann:: ::tchann:: ::tchann::

#1169924 por carlos.oliveira
07 Mar 2016, 19:04
-Mauro, sou "marinheiro de 1a viagem" (ou "mochileiro de 1a viagem") e estou tentando encontrar amigos que passem por Corumbá. Vc tem alguma dica pra me dar a respeito? -abraço e parabéns pelas fotos, que ficaram simplesmente espetaculares.
maurobrandao escreveu:DIA 3 - Caminhando e cantando e procurando o Mirante

Acordei cedo com sempre, fui na geladeira ver a viabilidade de comer algo que tinha sobrado, e por sorte, tudo estava lá. E olha, uma coisa que muita gente tem medo é ficar em hostel, robarem suas coisas e bla bla. Pra mim, nunca aconteceu nada. Nunca sumiu uma meia sequer !
Bom, nesse dia tinha prometido pra mim mesmo ficar de boa, sem fazer nada, e me recuperar bem para o trekking santa cruz, pois eu tinha sofrido, e muito, subindo a laguna 69.
Estava eu sentado na parte de cima do hostel, no solar, ou como se diz aqui no Brasil, tomando sol na lage, então conheci um francês.
O cara era simples, roupas gastas e veio me pedir um cigarro(na época fumava), então começamos a conversar com aquelas velhas perguntas: Nome, Da onde é, quanto tempo viaja, blá e blá blá.
O cara estava viajando a 11 meses, só!! SSÓÓÓÓÓÓ !!!
Ai começou a contar umas coisas aqui e ali. Ai perguntei, quanto que ele tinha separado pra viajar todo esse tempo? Ele responde que mais ou menos uns 10.000 Euros, ou seja, uns 30 mil, na época. Caramba, que loco meu.
Bom, os caras( O americano e o irlandes que não lembro o nome agora) chegaram falando pra gente ir pro mirante, que ficava ali perto (SEMPRE É ALI PERTO, SEMPRE ::lol4:: ).
Bom, eu não tava com planos mesmo, partiu.
Saímos na rua, estava havendo umas comemorações pois era época de feriado pátrio, acho, e havia uma parada com banda, desfila e tudo mais que tu só encontra no Peru, Bolivia e/ou Similares.
Seguimos em frente, subindo em direção a parte mais alta da cidade.
Andamos, andamos e andamos. E cada vez que nos afastávamos mais do centro, o preço do almuerzo abaixava. Encontrei uns lugares com menu do dia ( sopa de entrada, comida e tal) de 3 a 4 soles. ::tchann::
(Foto menu do dia)
Ai tu vai andando e percebendo como é a vida local né ? É uma das coisas que mais gosto, quando viajo. Andar, conhecer, ver, sentir o cheiro das coisas. Em uma parte já alta, havia um muro pintado com orientações de evacuação em caso de inundação ou aumento do volume do rio, que passava naquela parte.
FOTO MURO
Mais a frente estavamos passando quando escuto um:

- Look !! A Monkey!!


Hahah!! Exatamente, um pequeno macaquinho perto de um monte de palha, pelo que parecia, dentro de uma casa, loja, sei lá. Quando chegamos perto, uma mulher chegou e o macaco subiu em cima dela. Tipo, era o animal de estimação dela cara. !!!! E ficava grudado no pescoço dela, e ela trabalhando não lembro fazendo o que. Hahahh!! E é claro que saquei umas fotos.
FOTO MACACO
E continuamos nossa subida.
Ah, não cheguei a comentar, mas subir, naquela altura, já era desgantante pra kct, mas nesse dia estava BEMMM melhor. Acredito até que me ajudou.
E fomos perguntando e subindo, subindo. Entramos em umas vielas, cortamos uns caminhos, passamos por um campo de futebil, umas ruas ingrimes e começaram a falar que estavámos perto. "Cerquita" eles diziam. Cerquita... ::lol3:: Ta bom.
E subimos, até que chegamos em um lugar bem afastado e alto. Não era um mirante, era só a beira de uma rua mesmo. Pelo lugar, achamos que não era lá e seguimos em frente até que paramos em um condomínio fechado, lá nos cafundé !!! hahahah!! Eu sabia que não era lá hahah ! Perguntamos aos guardas da guarita, e o "mirante era onde haviámos parado, lá atrás, tipo a uns 2 km atrás !!! hahaha ! E o que fizemos ? Voltamos, claro.
Chegamos no mirante, e sentamos. INteressante olhar a cidade de cima. Ela é meio que em um vale, rodeado pelas montanhas. As construções são concetradas na área plana, mas existem também construções nas montanhas. Ficamos lá um bom tempo só observando, calados, toda aquela paisagem.
Tah, não era grande coisa, eu sei disso. Mas levamos quase 2 horas pra chegar lá, e foi algo gostoso de ver. Teve um significado particular para cada um. Interessante notar isso. Pra cada um, tem um valor diferente. Pra mim, fiquei viajando em pensamentos, e boa parte do tempo fiquei simplesmente vendo a sombra das nuvens e as coisas. Fiquei pensando coisas do tipo:

- Imagina morar ali em cima ? Que trabalho que deve ser sair ou trabalhar! Vish!(Falo em relação a dificuldade de sair de casa, subir ou descer um morro e voltar, haha)

E não pensava em nada mesmo.
Bom, se tu ja fez isso, sabe do que estou falando. Por isso que digo, não fale para alguém que aquele lugar é péssimo, ou é ruim, só porque você, eu digo VOCÊ não gostou. Explique, mas saiba que pra cada um, os lugares tem sifnificados diferentes.
Bom, seguindo, iámos pegar um colectivo pra voltar, mas decidimos voltar a pé mesmo.
Na volta, passei no mercado, comprei uns doces, umas bolachas pra levar e fui arrumar minhas coisas, e no caminho de volta fiquei vendo um pouco do desfile. Lá também, no centro, existe muitos locais bacanas, mercados e padarias, e comércio. Comprei umas cuecas lá também. E várias casas de câmbio.
Voltei pro hostel, depois de noite saímos para comer um frango assado e fomos dormir.
Claro que não fui só isso, conheci um pessoal no hostel, conversei com um italiano que estava viajando a uns 3 anos, e falava umas 6 línguas, inclusivo pt, e a noite chegou, quando foi mais de noite, o Scheler passou lá, eu acertei o restante do que devia com ele, e ele ficou de me pegar cedo no outro dia para pegar a van rumo ao trekking Sta. Cruz ::hahaha:: ::hahaha:: ::hahaha:: ::hahaha:: ::hahaha::
#1170058 por maurobrandao
08 Mar 2016, 07:12
Bicho, chega de manha na Receita Federal na fronteira de Corumbá, que lá tu vai conhecer bastante gente que esta indo fazer mochilão. Das duas vezes que fui, foi assim que comecei !
#1186564 por leandrogod
09 Mai 2016, 21:15
Poxa, Mauro.... deixou mesmo o Santa Cruz de fora do relato, rapaz! ::toma::
Tô indo pra lá mês que vem e queria muito fazer um trekking, além de visitar as lagoas... Se animar retomar com o fôlego do relato, agradecemos! :wink:
#1186673 por maurobrandao
10 Mai 2016, 08:59
Ledo engano daquele que pensa que vai acordar tarde, quando esta em um mochilão. E nesse dia, com certeza não foi diferente.

O sol ainda estava longe, já no caminho ao trabalho quando acordei. Tudo estava arrumado, mochila, lanche, desayuno. Era em torno de 6 da manhã.
Tranquilamente, tomei meu café da manha, e fui aguardar o SCheler pra me buscar. Em torno das 7, ele apareceu. Seguimos para a van, mas no caminho, passamos na farmácia. Eu estava me recuperando de um começo de pneumonia que tive depois do Salar de Uyuni, e fui comprar uns analgésicos.
Quando cheguei na van, tudo estava sendo arrumado, e fui apresentado ao grupo.

Era uma galera de lima, todos, de um grupo de montanhismo. Em torno de umas 12 pessoas. Falei aquele Hola Tímido e entrei na van. Scheler me passou a manta térmica e o saco de dormir, e deixamos as bagagens em cima da van. Seguimos então para a entrada do parque, o mesmo que o da Laguna 69.
No caminho, paramos pra tomar um café em uma casa, tipo um restaurante. Estava bem frio, algo em tornod e uns 10 graus, mais ou menos, ou menos.

Pedi um ovo mexido e um capuccino (café com leite né ? haha) e comemos. Nesse momento, fiz amizade com o Erinson, um peruano que morava mais ao norte do Peru. Cara super parceiro. E também conheci o restante da galera. Era o único brasileiro do grupo, hahahaha ::tchann:: .
É legal isso, sabia ? Poxa, em todos os lugares que fui, sempre tinha um Brasileiro junto, e dessa vez, não. Nenhumzinho !! Era o único.
Ai o papo começou a rolar, e a galera a se conhecer. Depois de tomar chá de Coca, seguimos por mais 1 hora e meia subindo, subindo e subindo.

O caminho é bem bonito, e como estava bem cedo, deu pra ver, nos vale e montanhas ao redor, o sol, vagarosamente, iluminando as casas, plantações e vegetação. Legal notar no caminho a rotina da população. Via gente andando pelas plantações, crianças, velhos carpindo e tal. E uma das coisas que lembro bem foi o tipo de construção de muros dos Peruanos. Sempre aquelas pedras empilhadas. Imgaina só o trampo que aquilo devia dar pra fazer? Juntar as pedras, ir montando uma a uma. Não é dificil de imaginar que asqueles muros tem décadas ou até mesmo centenas de anos de existência.

Antes de chegar no parque, passando por vários vilarejos, paramos em um ultimo, onde haviam muleiros nos esperando. Lá colocamos todas as mochilas que levamos, as cargueiras, e lá também conhecemos nosso cozinheiro e o muleiro da nossa viagem. Agora não vou lembrar o nome, mas deu pra conversar um pouco.
Então, partimos pra entrada do parque só com as mochilas de mão, água e os snacks que havíamos comprado.

Bom, chegamos finalmente na entrada do parque, o pessoal que não tinha comprado o ticket, foi comprar, e como eu já havia comprado quando fui pra laguna 69, nem precisei.
Entramos no parque, descemos em um ponto e caminhamos até o posto de controle. Lá apresentamos os tickets, colocamos o nosso nome e informações em um livro. Esse processo demorou um pouco, e no posto, haviam umas crianças ranhentas ali em volta!! Sem preconceitos, eu larguei a mochila e dei uma zuada com elas, e ja vieram pedir grana, obviamente.
Saquei umas bolachas pra eles, e ja foram logo comendo. Ai, uma mola, chamada Kelly, veio me dizer pra não dar comida nem grana pra eles, pois isso incetiva cada vez mais eles tomarem esse tipo de atitude.
Faz sentido.

Bom, começamos então a caminhada, de acordo com a Cristina, iríamos andar cerca de umas 5 ou 6 horas.

Começando a caminhada.
O primeiro trecho tem umas 2 ou 3 horas (eu acho, é que já fazem 2 anos né?), com muitas subidas e descidas, e nesse momento é que a aclimatação faz a diferença. É meus amigos, eu já estava em Huaraz a uns 3 dias, 4 com o da trilha, e mesmo estando gripado e ter feito a laguna 69 com febre, consegui me aclimatar bem. Já, havia uma moça, a tal de Kelly, que não havia se aclimatado, e ela sofreu demais. Ela começou a ficar pra tras, tendo muita dificuldade de caminhar, com o coração batendo forte e se sentindo com ânsia. Estávamos a 3.800 metros acima do nível do mar, e como ela era de Lima, que fica no nível do mar, sofreu bastante. Então, conselho meu, façama aclimatação de uns 3 dias, vão aproveitar bem mais, eu garanto.

Sobre a trilha, o lugar é incrível. Tu entra em uma especie de canion, onde tem montanhas de um lado e do outro. A vegetação é bem diferente, digna da Europa (nunca fui, mas vejo filmes ::tchann:: ). A trilha que andamos é batida, e acredito eu que qualquer consegue fazer a trilha sem guia, pois muitas pessoas cruzaram com a gente no caminho esse dia e nos outros também.
Vou publicar algumas fotos de lá, pra vocês verem.

Bom, depois das 3 horas de subidas e descidas, o terreno ficou meio plano e a caminhada mais fácil. Antes de anoitecer, chegamos no primeiro acampamento, onde já estava tudo montando. E não éramos os unicos, pois existem várias empresas que fazer o trajeto, e o santa cruz também faz parte do circuito HuayHuash, por isso, devia haver umas 100 pessoas lá, umas 50 barracas no mínimo, espalhadas no vale.

A frente, uma cordilheira de montanhas, onde lá no fundo dava pra ver um pico nevado, e nas lateiras também, picos nevados. Eu digo que lá na frente dava pra ver, pq lá longe vi a montanha, e me lembrou muito "The Lord of The Rings", a montanha de Mordor. hahahahaha
Bobagem minha.

O Cozinheiro fez o rango, não lembro qual foi esse dia, mas antes da ceña sair, tomamos chá. Tinha de todos os sabores, incluse o de coca. E ai sim, começamos a conversar. Eu como sou muito da zoeira, já comecei a contar as histórias e aa ouvir também, sempre falando pra galera falar mais devagar e eu tentando aprender o máximo possível novas palavras em espanhol.
A gente ia se comunicando, capengando, e eles estavam super dispostos a me ensinar.
Hahah!! O Clima estava ótimo, a noite fantástica, e perto das 22, dormimos. E lá se foi o Primeiro dia do trekking Sta. Cruz !
(LOGO LOGO COLOCO AS FOTOS)
#1210956 por ROGERIO BUTTNER
17 Ago 2016, 17:19
maurobrandao escreveu:Fala Jaque, Beleza?

Olha, eu gastei:

Hostel: 15 Soles
Lavanderia: 6 Soles
Média Refeição: 6 - 12 Soles
Transporte na Cidade: Fiz quase tudo a Pé

Trekking Sta. Cruz: U$ 150 ( Ficou barato pois levei sorte de ter um grupo grande vindo de lima pra fazer, e o Scheler me colocou no Meio, mas o valor que ele me passou foi U$ 240.
Laguna 69: 40 Soles sem a entrada no parque. Para entrar no parque existem 2 bilhetes. O do dia é 10 Soles, e o que vale 22 Dias são 60 soles.
Esse de 22 dias é pra quem vai fazer trekkings grande como o Sta. Cruz, Circuito Huayhuash e afins, não daytrips.

Mais ou menos isso !
A temporada começa mem Julho, e a melhor época é agosto. Eu cheguei lá no final de Julho, dia 27 ou 26 , não lembro direito.
Mas é bom sim, fazer em julho.



Laguna 69: 40 Soles sem a entrada no parque. Para entrar no parque existem 2 bilhetes. O do dia é 10 Soles,?? Posso chegar em Huaraz na boa e só vão me cobrar esse valor para fazer a LAGUNA 69??

Valeuzão!!


Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 4 visitantes