Troca de informações e relatos de trilhas e travessias na região sudeste do Brasil. Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.
#502436 por gms
11 Set 2010, 16:12
Eis que venho para relatar mais uma aventura de um dia.
Novamente deixo explícito que infelizmente não há fotos pois não possuo máquina fotográfica e meu celular tira fotos de qualidade deplorável, mas nesse andatrilhos não houve muitas coisas para se ver então a máquina não fez tanta falta assim.

Vamos ao relato.

Essa aventura de um dia era para ter um destino diferente. Na verdade a idéia inicial era ir de Cascata (distrito de Poços de Caldas que fica na divisa entre SP e MG) e seguir a linha do trem sentido sul até cair em Águas da Prata e, dependendo da possibilidade, continuar até S.J. da Boa Vista, mas no fim das contas acabamos caindo em Poços de Caldas. Bacana não?

Vamos lá.

Saímos de Campinas em direção a Águas da Prata no ônibus das 6:20 mas não sem antes conversar com o motorista e confirmar que era possível ir de Águas da Prata até Cascata pagando um extra de R$2. Assim chegamos em Águas perto das 9:00 e depois de uns 10 minutos chegamos em Cascata onde começou a nossa jornada. Esse distrito é realmente um ovo e o ônibus nos deixou num posto de gasolina onde, ao norte, era possível ver o portal de entrada de Poços de Caldas (creio que a divisa passava perto desse posto).
De lá, pedindo informações sobre a antiga estação ferroviária fomos em sua busca que foi facilmente concluída. Caso não queiram pedir informações, faça o seguinte: com o posto de gasolina a sua esquerda é possível ver duas ruas à direita que vão para sul, uma mais à direita do que a outra. Siga essa rua mais distante até voltar para uma área mais urbanizada (depois de sair de uma área bem arborizada) onde você encontrará um cruzamento. Continue seguindo reto até cair num ponto onde só é possível virar para a direita e pronto, encontrará a estação de trem.

Chegamos na estação do trem e bateu a dúvida. Para que lado fica Águas? Uma dúvida pertinente, principalmente porque não há placas sinalizando então resolvemos apelar para o nosso próprio senso de direção que nos dizia que Águas da Prata ficava seguindo a linha para a esquerda. Decidimos e fomos para frente e avante. Pena que esse lado levava para Poços de Caldas, mas tudo bem, só fomos descofiar disso depois de uns bons 9km andados e confirmar depois de uns 10km, até então a caminhada foi feita debaixo de um sol infernal e a ilusão de que chegaríamos em Águas da Prata.

O dia estava completamente ensolarado, praticamente sem nuvens e o caminho era praticamente todo descoberto. Para piorar a situação haviam muitos pontos onde houveram queimadas então o cenário estava meio desolador (tanto que encontramos um sapo morto e completamente desidratado no caminho, muito legal né?). Assim, se não fosse o sol de rachar a caminhada teria sido bem mais sossegado já que não há grandes desniveis perceptíveis.

Bom, confirmamos que estavamos indo na direção errada em uma estação de trem de carga onde aparentemente estavam extraindo terra ou algum outro mineral, não sei bem ao certo.
Lá perguntamos e descobrimos que a linha após aquela estação estava desativada há um tempo devido aos contantes roubos que a linha sofria e que graças a isso o mato estava alto, fato que poderia dificultar a caminhada. Balela, o mato não estava tão alto assim e é possível seguir em frente tranquilamente.

Continuando a caminhada a linha do trem termina mas o caminho para pedestres continua e seguindo se chega num local com várias torres de alta tensão onde é possível ficar ouvindo os estalos por causa da tensão, bem interessante. Da próxima vez vou levar uma lâmpada de filamento para ver se acende.

Depois de passar por uma ponte existem duas possibilidade, continuar seguindo a trilha ou virar a esquerda logo após a ponte e passar por uma brecha que tem na cerca de arames. Por ambos os caminhos é possível chegar em Poços, mas se resolver seguir em frente, vai chegar no lado leste da cidade, perto do aeroporto, que fica beeeeeem longe da rodoviária.

Ah sim, a brecha na cerca não é visível da trilha, tanto que quando chegamos nessa ponte ficamos na dúvida sobre o que fazer pois a estrada estava indo para leste sendo que o nosos destino ficava a norte. Andamos mais um pouco depois da ponte, vimos que a trilha realmente seguiria para leste, procuramos uma entrada pela cerca mas a única que encontramos não era muito inspirador (era para mim, não para os que me acompanhavam, infelizmente) então resolvemos deixá-la e voltar até a estação de trem anterior e, de lá, pegar uma rua que daria para a estrada que leva até Poços. Por sorte quando estávamos passando pela ponte para voltar um ciclista passou por nós vindo de Poços! Grande sorte! Graças a ele que ficamos sabendo dessa abertura na cerca (que é realmente uma porta), fato que facilitou bastante a vida.

Depois de passar pela cerca, basta ir seguindo até chegar numa porteira (nada como entrar na fazenda dos outros) e cair numa estrada de terra. Aqui também há duas opções, ir para a esquerda e cair num ponto de Poços ou ir seguindo um pouco para a direita e encontrar uma entrada que dá para subir até o pico de um morro de onde é possível ter uma bela vista de Poços. Já que estava ali fui em direção ao pico, lógico, e a vista é bem bonita mesmo, dá para ver boa parte de Poços e é possível descer pela face norte do pico para chegar em um outro bairro de Poços.

Assim, depois de sete horas de caminhada (chegamos na estação ferroviária de Cascata praticamente as 9:30 e chegamos em Poços as 16:30) ainda faltava achar a rodoviária para voltar para casa. Depois dessa longa caminhada eu pensei em pegar um ônibus mas, ah, já estou andando a tanto tempo, vamos conhecer um pouco da cidade né? E lá fui eu em busca da rodoviária da cidade, que encontrei depois de mais uma hora de caminhada. No fim, andei por oito horas para chegar na rodoviária de uma cidade que não era o destino planejado.


Bom, agora vamos aos dados financeiros.
Ônibus de Campinas para Cascata:
Viação Cometa as 6:20 por R$24,06 mais R$2 direto para o motorista para ele levar até Cascata (não precisa nem trocar de ônibus)
Ônibus de Poços de Caldas até Campinas:
Viação Cometa as 19:00 por R$30.

Agora preciso voltar para fazer o caminho "certo" que o Capis relatou há um tempo.


Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 0 visitantes