Relatos de Viagens por 2 ou mais países da América do Sul
#743169 por Rutkah
31 Jul 2012, 13:52
Colaborando, vou deixar o roteiro resumido aqui:

Sta Cruz, Sucre, Potosí, Uyuni (Bolívia), San Pedro do Atacama, Arica (Chile), Tacna, Arequipa, Nazca, Paracas, Ica, Cuzco, Puno (Peru), Copacabana, La Paz, Cochabamba, Sta Cruz (Bolívia).

ps: Deixei tudo pq eu posso comentar nas cidades que vc pulou, pra ficar beem completo e servir de guia pra galera, ok Sorrents?? ::otemo::

#743224 por Sorrent
31 Jul 2012, 16:11
Ótimo. Só pro povo entender, no começo eu disse que conheci o Fernando e a Beatriz que estavam no outro grupo, bem, o Adriano também estava nesse outro grupo e nós nos encontramos no meio da viagem e seguimos boa parte juntos(estragou a surpresa hahahaha) e houve algumas diferenças de passeios então o Rutka vai colaborar.
Alias Adriano se tiver algum dia que você quiser mostrar o seu ponto de vista, fique à vontade, seria até interessante hehehe, relato em conjunto.
#744610 por Sorrent
03 Ago 2012, 21:04
miroel.sp escreveu:Sorrent, o melhor relato ja postado no mochileiros.......surpreendente, empolgante.....meus parabéns cara.....essa sua aventura com certeza trará inspirações para muitos mochileiros...... mais uma vez, parabéns.....


LuizChianca escreveu:Sorrent, o video ficou muito show!! seu relato vai ser um dos melhores do mochileiros, estou curtindo muito e esperamos a continuação....sei que tem muita coisa boa por vir!! Grande Abraço!!


Valeu ae pessoal, infelizmente estou sem internet em casa e o trabalho nesses ultimos dias nao me deu nem tempo de respirar por isso não continuei mas se tudo correr como previsto, segunda feira já estará tudo resolvido e poderei continuar. Tem muito mais ainda e estou empolgado pra continuar hehehe!

Abraços
#745956 por Sorrent
08 Ago 2012, 00:07
Finalmente retornei, rsss.

6º Dia Salar de Uyuni X San Pedro de Atacama

Nesse dia acordamos às 4:00 da manhã pois sairíamos as 4:30 para veros geiseres. Se por um lado o frio dificultava o processo de sair da cama, por outro a ansiedade fez com que eu acordasse antes mesmo do despertador. Tomamos café, todos com aquela cara de felicidade por acordar tão cedo e nos preparamos pra sair. Nesse dia posso dizer que descobri o que é frio de verdade! Você já sentiu frio? multiplique por 3 e saberá :D
O casal de suiços que estava conosco disse que a temperatura estava entre -15 e -20 tranquilamente ::Cold:: e de frio eles entendem, hehehe. Apesar de tudo minha roupa foi suficiente, o que poderia ser melhor era a luva, essa sim não aguentou o tranco mas era melhor que nada.
Carro pronto, saímos rumo aos geiseres, como naquele horário ainda estava tudo escuro, não dava pra aproveitar muito então demos uma cochilada no carro.
Algum tempo depois chegamos no local e já havia outros grupos lá, alguns pulando entre a fumaça, outros atolando o pé na areia fofa que fica próxima ao geiser, hehehe nao vou negar que era engraçado ver alguns reclamando que afundaram o pé. Nessa hora somente Carl e eu saímos do carro, só que ventava muito ali então a sensação de frio era ainda pior, estava muito difícil ficar por ali, nem tirei muitas fotos, ficamos olhando mais de dentro do carro mesmo hehe
Imagem

Eu nunca tinha visto nada parecido antes então era legal mas o frio nao deixava a gente aproveitar muito.
Imagem

Ficamos entre 15 e 20 minutos por ali e como todos estavam preferindo ficar no carro, o guia resolveu seguir. Nessa hora o dia já estava clareando e o frio diminuindo(diminuindo mas ainda eram temperaturas negativas heheheh). Agora estávamos indo para os banhos termais, que eu estava esperando ansiosamente. Depois de rodar um pouco, agora já podendo curtir as montanhas, chegamos no local. o guia estaciona, fala um pouco sobre o lugar e deixa a gente conhecer, mas antes de entrarmos na água fomos tomar o café da manhã.

Imagem

Aqui há um local onde todos os grupos de todas as agencias se juntam para comer, fica meio tumultuado mas no final das contas é legal. Imagine um refeitório lotado de gente, é mais ou menos assim e gente conversando em tudo quanto é idioma. Sucos, chás, panquecas e algumas piadas sobre problemas intestinais depois, todos foram para a água, alguns para entrar, outros somente para coloca o pé, outros para ver as meninas de biquini, enfim tinha de tudo.
Aqui eu gostaria de deixar uma dica extremamente importante, vença seu medos, suas paranóias, esqueça o frio, sei lá, façao que for mas entre nessa água. Quando estava saindo do café e indo pra água, encontrei Beto novamente, conversamos um pouco, ele contou como havia sido seu passeio na Death Road e combinamos de nos encontrar na água.

Imagem

No começo eu assumo que é difícil, você olha um pouco, cria coragem, mas depois de alguns minutos começa a tirar a roupa e vai. Eu estava ali me arrumando e na minha sunga tem a bandeira do Brasil e pouco antes de entrar na água só ouvi alguem dizendo "ae, essa sunga representou ein", olhei pro lado e quem encontro? Sergio e Cesar novamente mas dessa vez agasalhados se protegendo do frio e dizendo que não iam entrar na água. Fizemos algumas piadas da situação e fui pra água.

Imagem

Imagem

Aqui não tem banheiro pra se trocar, não tem nada, então ja venha com roupa de banho por baixo. A água é realmente quente e fora é muito friomas depois que você entra a primeira vez é tranquilo. mesmo quando vc sai da água seu corpo está tão quente que você aguenta do lado de fora por alguns minutos sem passar frio, o suficiente pra se trocar quando sair.
Na água encontrei Beto, o carioca e seu amigo novamente e ficamos por ali conversando, foi aí que eles me apresentaram a Vanessa, outra brasileira que estava com eles e ficamos todos ali conversando. Nesse momento é só curtir a água, relaxar e aproveitar a vista.

Imagem

Nesse momento aconteceu uma cena inusitada. Havia um gringo que saiu da água e foi se trocar, até ai tudo bem, o problema e que ele saiu, ficou bem na beirada da água de costas pra galera que estava na água, e começou a tirar a roupa naturalmente, ok ok, até aí nao vejo muitos problemas afinal nascemos pelados mesmo e em muitos lugares se vê o nudismo com muita naturalidade e não dessa forma pornográfica que o brasileiro vê. A questão foi que a performance do nosso amigo gringo não parou por aí ::lol4:: , enquanto alguns ja riam da situação ele teve a incrível idéia de se inclinar pra frente pra secar as pernas e ficou ali um tempão "filmando" o pessoal hhahahahah ::ahhhh:: Aquela cena com certeza me tirou o sono por alguns dias. ::lol4::

Imagem
Foto roubada da minha amiga Vanessa que sem querer captou o momento descrito acima. Na foto, Vanessa, eu à esquerda, Ian à direita e a bunda do gringo ao fundo

Ficamos cerca de uma hora na água e como tudo na vida, aquele momento também tinha que ter um fim. O guia começou a chamar e então todos começaram a se arrumar, me despedi de beto, sergio, cesar, vanessa, me reuni com meu grupo e seguimos em frente.

Imagem

No caminhos já podíamos ver o Vulcão Licancabur, e depois de seguir um pouco chegamos aos pés dele onde paramos para mais fotos. Gostaria de fazer uma correção, pelo que vi, essa lagoa próxima do vulcão é que é a Laguna Verde e não a que eu mencionei no dia anterior, mas enfim, não importa muito, ambas são bonitas, você vai ver, gostar tirar varias fotos e provavelmente não vai lembrar depois qual é qual, assim como eu hahaha ::otemo::

Paramos proximos à laguna e ao vulcão e ficamos ali tirando varias fotos, mais uma vez encontramos os outros brasileiros.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Aqui era praticamente nossa despedida do salar, depois dali seguimos para o local onde pegariamos o transfer para San Pedro, rodamos mais um pouco e ao chegar lá percebi que havia perdido uma das minhas luvas, até agora nao consigo entender como pois eu lembro que 5 min antes estava com elas dentro do carro. Revirei o carro e nada. Mistérios do Salar
Chegamos no local, arrumamos nossas coisas, o guia acertou a questão do transfer com o motorista e eu esperei um pouco enquano alguns iam carimbar o passaporte com a saída da bolívia, esqueci de perguntar se eles tiveram que pagar alguma taxa.
Quando todos voltaram nos reunimos juntamos alguns trocados e demos uma propina para o guia, nos despedimos e entramos no onibus.
Fiquei maravilhado com a delicadeza com o motorista "coloca" nossas mochilas la dentro hehehe ::bad::

Logo ao sair do salar e pegar a rodovia com destino San Pedro você já sente a diferença, parece um tapete, foram 50km aproximadamente até lá, sempre com o Licancabur imponente ao fundo. muito bonito.
A viagem é rápida e do meu lado sentou Vanessa, fomos conversando durante o caminho e já aproveitamos pra combinar de fazer algo em SPA pois ela também estava sozinha.
Ao chegar em SPA primeiro você passa na imigração logo na entrada da cidade, o ônibus para, todos descem e entram numa fila, ali aproveitamos pra trocar contatos com Ian e Izabel pois iríamos nos separar em SPA. Na imigração não tem nada demais, o cidadão lá faz o cara-crachá, vê se vc tem cara de traficante internacional de balas jujuba e te libera. depois disse, você passa sua mochila no raio-x e só. Acho que tudo leva entre 30 e 40 min.
Todos liberados, voltamos pro ônibus e seguimos por mais algumas quadras até o centro de San Pedro de Atacama. Descemos do ônibus, eram mais ou menos 12:30 e aqui começava umas minhas partes preferidas da viagem!!! CHILE!!!

Quando você desce do ônibus algumas pessoas já vem te oferecer hostel, peguei informação de 3, comparei preço e faciliades e decidi pelo mais barato, oferecido pelo Elias Maluco por 8 dólares a diária ::hãã2:: . Hostel Juriques, fica na Calle Toconao, no final dela. Não tem como dizer que algo é perto ou longe em SPA pois a cidade é bem pequena e mesmo que algo seja longe, ainda será perto heheheh. Aliás algo que você tem que ter em mente é que tudo é muito caro aqui, se você não se cuidar, pode torrar uma boa quantia pois é tudo muito convidativo.
Após decidir sobre o hostel, me despedi de Carl que iria pra outro hostel e de Matt que iria acompanhar alguns amigos até Santiago. enfim, estava sozinho novamente mas ainda havia Vanessa, Sergio e Cesar que tb iram ficar um dia em spa, ou seja mesmo sozinho havia conhecidos por perto além de todas as "facilidades" que SPA nos proporciona 8)

Havia mais um casal de chineses/japoneses/coreanos/tudoigual que iria para o Juriques então o carro do hostel veio nos buscar. Rodamos umas 4 quadras e chegamos. O hostel é bem simples, com ducha caliente, Wi-fi e baños compartidos. pagamos 4000 pesos chilenos a diária, o mais barato que vi por lá mas eu recomendo. Simples mas muito bom.
1000 pesos = 2 dólares= 4 reais

Cheguei no Hostel, deixei minhas coisas no quarto, que era para 11 pessoas, me troquei e fui conhecer a cidade.

Imagem
O Hostel Juriques fica no final dessa rua, da pra ver a entrada nesta foto

Imagem
San Pedro é uma cidade turística bem pequena mas muito boa apesar de cara. Não deixe de passar por ela.

Dei uma volta pela Calle Caracoles que é a principal e é onde você encontra a maioria das agências e como ainda era cedo queria fazer algum passeio naquela tarde pois quase todos os passeios do período da tarde saem as 15:00. Você vai notar que SPA é lotada de cachorros e eles são bem grandes e por incrível que pareça, limpos (para os padrões de cãoes de rua)

Andando por lá, encontrei a Vanessa novamente que também procurava passeio, já nos juntamos e entramos numa agência na esquina da Calle Caracoles com a rua que é o ponto final do busão, o nome da agência é Esquina Expediciones ::hãã2:: . Combinamos de fazer o Valle de la Muerte e o Valle de la Luna por 6000 pesos cada um (cada pessoa e não cada passeio).
Como ainda era 1:30 da tarde combinamos de organizar nossas coisas e nos encontrar as 14:50 em frente a agência, então voltei para o hostel.
Ao chegar no hostel fui para o quarto arrumar as coisas. Apesar de o quarto ser para 11 pessoas apenas umas 4 camas estavam desarrumadas. Quando eu estava la separando meias sujas de outras meias mais sujas ainda, entrou uma simpática loirinha ai o radar já apitou né. Não me contive e fui puxar conversa, Era Noni, uma australiana que havia largado o emprego (ou foi demitida, nao lembro) e estava viajando pela South America. Conversamos um pouco, cumprimos aquele protocolo básico de viajantes se conhecendo e do nada no meio da conversa ela começa a se trocar na minha frente. Ok, não é nenhuma novidade, nada que eu nunca tenha visto mas a espontaneidade e falta de vergonha(no bom sentido) é que me impressionaram. Nessa hora a única coisa que pensei foi "estou no lugar certo" :twisted: .
Noni foi bastante receptiva (já vestida hahaha ::lol4:: ) e participava da conversa, vc percebe esses detalhes, então vi que seria uma boa companhia e perguntei se ela faria algo a tarde. Depois da resposta negativa convidei para ela se juntar a Vanessa e a mim no passeio que faríamos, o que ela topou sem hesitar. Tínhamos algum tempo ainda então ela foi comer algo e combinamos de nos encontrar antes de ir pra agência. Nesse momento fiquei um pouco só curtindo o lugar, deitado na rede esperando passar o tempo.
Quando deu a hora, Noni chegou e fomos pra agência porém a Vanessa não havia chegado, enquanto isso, Noni foi pagar. Deu 15:00 e nada. Fomos esperar a Van e aos 45 do 2º tempo eis que surge a dita cuja heheheh. Nessa hora descobrimos que a agência havia nos transferido para outra agência, talvez por não completar o grupo. Ficamos conversando um pouco aguardando a van e Noni comentou "I´ve never met someone from Brazil from somewhere else than São Paulo or Rio" foi então que de algum lugar surgiu a seguinte resposta "I´m someone else from somewhere else" heheheheh. Olhamos pro lado e foi então que conhecemos Igor de fortaleza que já se juntou a nós. Galera animada, papo fluindo, seguimos para o Vale

Não vou contar a história do Valle de la Muerte pra não estragar a surpresa, deixo apenas as fotos

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem
Noni, Igor, eu e Vanessa

Imagem

Antes de seguir para o Valle de la Luna passamos por uma caverna de sal, o guia explica bastante coisa, e demos sorte que o nosso era bom. Maximiliano, engraçado e xavecava todas as turistas do grupo, cuidado ao levar sua namorada na agência dele. heheheh

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem
O guia Maximiliano explicando a formação das cavernas de sal

Depois de andar um pouco, voltamos para a Van e seguimos para o valle de la Luna onde iríamos ver o pôr do sol.
Esse passeio é bem tranquilo, tem pouca caminhada, qualquer pessoa pode fazer.
Descemos da van e aqui há uma pequena subida mas nada preocupante. O vale é bonito e eu gostei do pôr do sol aqui. É um passeio bem light mas vale a pena. Algumas pessoas nao gostam muito, acham fraco, eu achei válido. Mesmo sabendo como foi eu faria de novo.
Conhecemos outros brasileiros no passeio, alias você vai ouvir muito português em San Pedro.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Terminamos o passeio e quando voltamos a SPA às 19:00, o guia, que xavecou a Noni boa parte do passeio hehehehe :D sugeriu a nós quatro que nos encontrássemos à noite para beber e comer algo, como o pessoal estava animado, topamos na hora e combinamos as 21:00 na praça. Igor não deu certeza pois tinha que resolver algum problema com uma passagem não sei pra onde. Voltamos pro hostel, tomamos um merecido banho e conversando com Elias Maluco (o mesmo que me ofereceu o hostel quando cheguei em SPA) fiquei sabendo que haveria um "churrasco" a noite no hostel para comemorar o aniversário de um colega, bastava trazer algo para beber ou comer, Noni e eu já topamos participar.
Mais tarde seguimos para a praça. ficamos um pouco por lá até que surgiu Maximiliano com um cheiro de uma tal erva proibida por ai hehehehe ::lol4:: ficamos por lá conversando, na verdade eu estava conversando pq ele estava xavecando a Noni descaradamente, tava quase querendo sair dali hehehehe. Aproveitamos para pegar informações sobre a agência que ele trabalha pois queríamos fazer outros passeios no dia seguinte.
Depois de um tempo percebemos que a Vanessa não iria aparecer então resolvemos caçar algum lugar para ir. Andamos um pouco e o guia Max recomendou o Café Export que fica na Calle Caracoles, um bar/restaurante. Quando chegamos na porta Max disse que não iria conosco que iria nos deixar "a sós" insistimos para que ele ficasse (ele era gente boa) mas ele disse que não, dissemos então para pelo menos ir ao churrasco mais tarde. Ele disse que iria. Max então se foi e nós fomos para o tal lugar comer algo. Depois da viagem descobri que a Vanessa foi para a praça naquele dia também mas não entendi como conseguimos nos perder na minúscula San Pedro, provavelmente andamos em círculos num sincronismo perfeito, hehehe, um de cada lado.
Esse Café export é um restaurante aparentemente bem comportado, comida boa, preço nos padrões de SPA. Passei 1 hora e meia ali com Noni e um cachorro vira latas deitado sobre meus pés enquanto comíamos e foi bem legal, ambiente mto bom. Recomendadíssimo.
Essa noite foi bem light, ficamos conversando, comendo, bem tranquilos, mas eu viria a descobrir muito mais sobre esse Café Export, aguardem o próximo dia.
Comemos um troço lá que não lembro o nome mas era algo gigante, literalmente. Saímos parecendo dois porcos prontos para o abate, ainda eram umas 23:00 então passamos numa vendinha pra comprar algo para beber para levar pro "Churrasco". Chegamos lá e vimos que o pessoal havia feito uma comida que estava com cara ótima, bateu um certo arrependimento de ter comido no café, mas não podia reclamar, o restaurante e a companhia da minha nova amiga australiana tinham sido mto bons.

A noite então foi de Cantoria e bebedeira até quase 2 da manhã, o pessoal do hostel estava reunido, umas 10 pessoas. Foi uma noite muito agradável, aos poucos um a um ia dormir..........
Editado pela última vez por Sorrent em 05 Fev 2015, 14:41, em um total de 8 vezes.
#745963 por Sorrent
08 Ago 2012, 00:31
Lucil escreveu:Ótimo relato, cheio de informações essenciais... Sendo assim, vale a espera... Pergunta: Os "capitulos" do Peru aparecerão antes de Dezembro??... Só para saber :lol:


Valeu Lu. Espero que até dezembro esteja terminado, assim vai poder ajudar na sua viagem ::cool::
#748097 por Sorrent
14 Ago 2012, 16:30
7º Dia - San Pedro de Atacama

Logo pela manhã, encontrei Noni e saímos para comprar coisas para o café da manhã.
Imagem

Demos uma volta, passamos em uma vendinha e compramos algumas coisas simples mas que mesmo assim são caras por lá, um iogurte, uma maça e dois paes sairam por uns 15 reais. Aproveitamos para passar na Agência do guia Maximiliano para fechar o passeio da Laguna Cejar que iríamos fazer à tarde, o nome da Agência é ANDES EXPEDICIONES, fica na Calle Caracoles, recomendo.

Imagem
Agência Andes Expediciones

Imagem

Imagem

Voltamos para o Hostel, comemos e conversamos com Pedro e Louise, dois brasileiros que já havíamos conhecido na noite anterior que estavam fazendo uma volta ao mundo. Eles nos deram uma dica de uma feira que estava acontecendo na cidade com coisas mais baratas que o comum, combinei com Noni de irmos lá. Enquanto eu esperava Noni arrumar suas coisas, cruzei com uma figura conhecida no hostel, era o Fernando com quem eu já havia conversado via Facebook antes da viagem, coincidentemente ele e os outros brasileiros com quem estava viajando ficaram no mesmo hostel que eu. :D . Foi então que conheci Saulo e Adriano (Dri.Rutka), conversamos rapidamente pois eu já estava de saída com Noni. Rodamos um pouco, perguntamos, aqui e ali e finalmente chegamos à tal feira. Pelo que descobrimos, tem um pessoal das cidades vizinhas que vêm uma vez por mês receber um benefício do governo então elesaproveitam e montam essa feira. Tem de tudo, roupa comida, bebida...... só não sei o nome da feira e nem qual dia acontece.

Rodamos um pouco por lá e não compramos nada. na volta, fomos buscar as roupas da Noni na lavanderia e sem querer encontrei o restante do grupo que estava com Fernando. Eram Beatriz e Anália. Conversamos um pouco mas logo seguimos cada um para o seu lado. Elas ainda não estavam no hostel Juriques, decidiram ficar a primeira noite num hostel um pouco melhor para se "curar" do Salar hehehe.
Voltamos pro hostel e ficamos passando o tempo até dar a hora de ir para a Laguna Cejar(todos os passeios saem as 15:00). Aqui conheci o Quimba, mascote do hostel, uma filhote de gato que ficava por lá pedindo comida e colo para todos.

Imagem

Imagem

Quando deu o horário fomos para a frente da agência, no caminho encontrei Carl novamente, ele estava indo para o valle de la luna, conversamos um pouco e ele se foi correndo pois havia esquecido a maquina fotografica no hostel ::putz:: . Aqui em frente a agência tinha uma grande concentração de pessoas, todos esperando o inicios de seus passeios e pude notar vários conversando em português, parecia que estava no Brasil, mas de certa forma eu queria fugir daquilo então fiquei conversando com Noni e Carl que depois voltou com a máquina hehe. Se não me engano o preço do passeio da laguna foi de 8000 pesos + uma taxa na entrada que acho que era de 2000 pesos

No caminho o Guia (Max novamente) vai explicando um monte de coisas e fazendo as tradicionais gracinhas com o pessoal. Pudemos ver tb de longe o ALMA o maior observatório astronônico.
http://www.almaobservatory.org/
Chegando na Laguna todos descem para pagar a tal taxa e usar o banheiro, coisa rápida. Nessa parada conhecmos Aishleen e Katie, duas irlandesas de Dublin, bem legais. Voltamos para o ônibus e seguimos por mais 30 segundos até a beirada da laguna e até hoje não entendo por que não fomos andando, hehehe.
Nessa laguna há tanto sal que você não consegue afundar, é uma experiência interessante, a única coisa que não curti foi o fato de a água ser quente embaixo e gelada em cima (o guia explica por que isso acontece mas eu não me lembro hehehe).

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Quando você sai da água o guia usa uma bomba para jogar água doce em você e tirar um pouco do sal mas nao vai ajudar muito não. Há uma outra lagoa de água doce por ali onde o pessoal pula para tirar o sal, mas quando eu fui o guia disse que estava fechada não sei por quê.
Depois disso demos uma volta por ali e o guia vai explicando varias coisas, algas, bichos, cores, quem come quem(to falando dos bichos hehehe) etc etc.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem
Noni, Katie e Aishleen

Imagem


Quando a tarde vai caindo, rola um Happy Hour com salgadinhos, e Pisco Sour da agência ai todo mundo ja fica bem alegre, todo mundo conversa com todo mundo, risadas pra cá, piadas pra lá. Tinham outros brasileiros lá também então era zona na certa. Esse happy hour fez o passeio valer muito mais a pena. Acho q já deu pra perceber que eu gosto dessa parte de interação com os outros né hehehe. :twisted:

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem
Culpa do Pisco

Quase 7 da noite e voltamos. Ao chegar em SPA deixamos Aishleen e Katie em um restaurante proximos do nosso hostel, nos despedimos e fomos embora. O engraçado é que as duas irlandesas achavam estranho esse negócio de se despedir com abraço e beijo, falei que isso é normal no brasil e pra elas se acostumarem. ::otemo::
Na saída do restaurante ainda encontramos Ian e Izabel novamente, conversamos alguns minutos, desejamos boa viagem uns aos outros e seguimos. Era legal estar num lugar estranho mas mesmo assim encontrar pessoas conhecidas o dia todo.

Voltamos para o hostel, e ficamos por lá e por falar em pessoas conhecidas, mais tarde quem aparece por lá? Sergio e Cesar. Havia cruzado com eles na rua e dei o nome do hostel que estava, coincidentemente eles estavam na mesma rua. Aí ficamos conversando um bom tempo e eles que já estavam no final da viagem, me contaram várias histórias do que já havia acontecido, tinha desde as paisagens até mulheres de traficantes heheheheh ::lol4:: e eu ali só imaginando quando seria a minha hora.
Noni passou por lá e eu apresentei pra eles ai rolou o tradicional "ahhhhh ta pegando a australiana né". Perdi a conta de quantas vezes ou vi isso sobre a Noni hehehe.
Combinamos de nos encontrar mais tarde para beber algo pois era a última noite deles em SPA mas acabou nem rolando e nem lembro o porquê. Enrolei um pouco e dormi.
#748562 por Sorrent
15 Ago 2012, 21:17
8º dia - San Pedro de Atacama


Ahhhh SPA, como eu gostei dessa cidade. Nessa manhã não estava afim de fazer muita coisa então fiquei de bobeira mesmo, passeando, relaxando no hostel, nada de mais. Fui trocar um pouco de dinheiro e depois de pesquisar um pouco encontrei por 1U$ = 502 pesos. Existem várias casas de câmbio por lá e alguma trocam Real também. na caracoles também há uma loja da North Face mas eu não achei os preços muito convidativos.

Imagem

De volta ao hostel, conversei com fernando sobre minha idéia de fazer sandboard à tarde mas ele e os outros já tinham outros planos então eu iria somente com a Noni mesmo. Enrolei pra bastante e uma hora estava no quarto novamente arrumando as coisas depois do banho e na cama ao lado da minha estava uma chilena que eu não lembro o nome, ela estava em SPA pra trabalhar e pelo que entendi estava morando no hostel, papo vai, papo vem e ela começou a se trocar tranquilamente na minha frente também. Não era assim uma Brastemp mas dava pro gasto. Uma vez poderia ser sorte, mas duas vezes em dois dias? Naquele exato momento me apaixonei............ pela chilena??? não!!!! Por hostels!!!! ::lol4:: Alias nessa viagem me apaixonei umas 77 vezes, conheci diversas mães dos meus filhos. Depois dessa viagem, tenho um carinho todo especial pela Europa hehehehhe :twisted: mas isso é conversa pra mais pra frente.

Voltando ao que (também) interessa, no hostel Pedro e Louise deram algumas dicas de como sobreviver ao Sandboard pois eles haviam feito um dia antes. Alias vou deixar o link para o blog do Pedro sobre sua volta ao mundo
http://alopedropeter.wordpress.com
Para fazer o sandboard em SPA há duas opções:
1º fechar o passeio com alguma agência eles te levam ao vale da morte de van, poem uma musiquinha e ficam filmando enquando você cai...........digo...........se diverte a valer nas dunas.
2º alugar uma bicicleta e a prancha e pedalar até o vale da morte, ficar la ouvindo as mesmas musicas que o pessoal que foi com a agencia(sempre tem alguem por lá) e ficar a tarde toda caindo........digo.......se divertindo nas dunas

Eu a a Noni escolhemos alugar a bike assim poderíamos ir e voltar a hora que quisesemos além de que pedalar por SPA seria um passeio a parte.
2 e pouco da tarde fomos procurar algum lugar pra alugar as bikes. Existem varias agencias por lá e quando paramos na K2, na mesma rua do hostel encontramos o Saulo que havia fechado com eles mas para ir de van, porém como a agencia não fechou o número mínimo de pessoas (na verdade só havia o Saulo :D ) chamamos ele pra ir conosco e ele topou. ainda perguntamos o preço do aluguel em outras duas agências próximas mas ficamos com a K2 mesmo.
Bike + prancha = 6000 pesos (o tour onde a agencia te leva até as dunas custa 11000 pesos)
Recomendo fortemente que você alugue a prancha e vá por conta, se estiver sozinho ache alguem no hostel pra ir junto.
Lembrando que você tem que ter uma mochila para prender a prancha nas alças.
Tudo pronto, estávamos apenas esperando cidadão da agência trazer o mapa e nos explicar o caminho, demorou um pouco e achamos que ele tinha ido desenhar o mapa. Quando ele voltou depois de uns 5 minutos descobrimos sabe oque???? Que ele havia ido realmente desenhar o mapa. ::lol4::
Depois de algumas explicações saímos com destino ao Vale da Morte.

Imagem
O pior é que o mapa está certo, mas só fomos perceber isso depois de conhecer o caminho heheh

O caminho não é difícil, tem um pouco de subida mas não é nada de outro mundo. tentamos nos guiar pelo mapa e é claro que nos perdemos, primeiro na saida da rodovia e entrando no vale da morte e depois já no vale, ficamos em dúvida sobre a localização da duna, mas encontramos uma brasileira voltando e ela nos disse que estávamos no lugar certo. Saulo estava mal nesse dia pois estava se recuperando de problemas estomacais hehehehhe (também vou falar mais sobre isso mais pra frente) mas mesmo assim conseguiu chegar inteiro.
Largamos as bikes no caminho um pouco antes de chgar à duna (prendemos ela com uma corrente fornecida pela agência) e chegamos finalmente. Confesso que a primeira sensação ao ver a duna foi: "pqp tem que subir tudo isso mesmo?" :D . Não tem teleférico nem Huskys siberianos te puxando em trenós lá pra cima, tem que ir andando e em areia fofa que é pior. Quando você chega lá em cima dá até dó de descer. heheheh

Imagem

Eu sou supeito para falar pois adoro esportes mas curti muito fazer o sandboard aqui, no começo você só cai, alias todo mundo só cai o tempo todo hehehe a não ser que já tenha alguma experiência. Se não tivesse que ficar subindo andando eu ficaria ali o dia todo. Cair naquela areia é até que legal desde que você não esteja muito rápido (só iria descobrir isso no dia seguinte). Só um detalhe, você vai voltar com areia em partes do seu corpo que nem sabia que existia, prepare-se. :D
Depois de viver altas aventuras e entrar em grandes enrascadas, essa turminha do barulho resolveu ir embora (momento locutor da Globo).
A volta de bike é bem mais tranquila porque parte dela é em descida.

Chegamos em SPA no final da tarde, devolvemos as bikes e fomos pro hostel. Conversando com o pessoal lá, combinamos todos de ir comer algo à noite então fomos nos arrumar e tirar os quilos de areia do corpo.
Depois de um tempo juntamos todos e saímos, Saulo, Fernando, Adriano, Noni, Anália, Beatriz e eu. demos uma volta, vimos as opções de lugares então sugeri o tal Café Export onde eu tinha ido com a Noni na noite anterior. Passamos em frente, o pessoal olhou, gostou e entramos.
Pedimos umas pizzas, cervejas, etc etc e ficamos lá jogando conversa fora.
Nessa noite a Noni ia embora pra algum lugar no Chile que não lembro onde era mas ela também iria para o Peru então combinamos de nos encontrar posteriormente. eram umas 21:00 e ela tinha que ir, já estava com a passagem de busão comprada, então fui levar ela até o ônibus ai todo mundo já olhou com aquela cara de "ahhhh ta pegando a australiana" hahahah enfim, levei ela lá, nos depedimos e voltei para o Café com os outros ai a noite era uma criança, o alcóol descia e a alegria subia

Imagem
Eu, Noni, Adriano, Fernando, Beatriz, Anália e Saulo

Depois de muito comer e beber , as meninas decidiram voltar para o hostel. Nessa hora eu já estava mais "alegre" do que criança em loja de brinquedos e só sei que do nada o garçom colocou uma galera sentada à mesa com a gente, aí descobri que entre eles estava um gringo que estava no mesmo quarto que eu no hostel mas que não era de muito papo. Só que lá no Café ele e seus amigos conversaram bastante com a gente. Pra vc ver o que um ambiente devidamente alcolizado faz com as pessoas. Nem lembro quem eram aqueles outros com ele mas na hora eramos todos amigos e quem falava era o alcool.
Já era tarde e o ambiente ao meu redor não parecia do mesmo restaurante comportado da noite anterior, pessoas bebendo, conversando, dançando até o chão, tinha uma gringa lá que estava pegando geral e depois eu fui descobrir que ela era guia de um outro grupo, enfim, tava uma bagunça generalizada. Essa mesma guia que estava mais bêbada que o batman, veio à nossa mesa e cismou que queria que eu ficasse com um amigo gay dela, e ainda sugeriu que nós fizessemos um threesome, hahaha foi engraçado mas eu tô fora, meu negócio é mulher.
Nessa hora só tenho flashes na memória do que houve hahahaha mas nem ligo, sou solteiro, maior de idade, vacinado, pago minhas contas e não devo nada pra ninguem ::hãã2:: queria mais era zueira mesmo. Só lembro que do nada eu estava em outra mesa praticando a arte do xaveco em inglês e do nada vi o Adriano vindo até mim e cobrando nosso consumo da outra mesa pois eles estava indo embora!! embora???? não façam isso!!! Mas enfim eles foram e eu fiquei, nem sei quanto eu paguei, hahahaha.
Só sei que deu duas horas da manhã e o Café Export fechou e fomos colocados na rua, todos. tudo bem, só que meu albergue trancava a porta à 1 da manhã, todos já haviam ido dormir, só fiquei eu do grupo, e agora????

Bom, foi aí que...................... Censurado
Editado pela última vez por Sorrent em 15 Mai 2013, 14:44, em um total de 5 vezes.

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 8 visitantes