Relatos de Viagens por 2 ou mais países da América do Sul
#1194897 por Paulo Neves
12 Jun 2016, 17:17
E aí galera das viagens e mochilões!!!

DSC01956.JPG
DSC01956.JPG (2.3 MiB) Exibido 1650 vezes


Tive momentos mais do que bons em minha última viagem pela Bolívia e Peru e como tive diversas contribuições de outras pessoas neste site nada mais justo do que contribuir com algumas informações e dicas!!!!

Como disse, tive várias contribuições e não posso esquecer de agradecer a todos que me ajudaram a definir este roteiro, em especial Bárbara Fabris, rodrigovix, Adeilsonn, paulineaguiar2, entre tantas outras pessoas...

Juro que tentarei adicionar os relatos o mais rápido possível, but please be patient ::otemo::
Acredito que o relato não irá diferir muito desses e de tantos outros postados no Michileiros.com, mas acredito que os principais pontos que podem ajudar os próximos viajantes são: dicas e preços mais atualizados, a rota de chegada e saída aos países ter sido diferente da usual (via Acre) e por passeios diferentes daqueles que costumamos ver (Rainbow Mountain - que foi o último dia e um dos mais incríveis)...

Sobre os gastos da viagem, não me sinto muito confortável e descrever todos pois tenho uma irmã que queria muitas coisas de lá e desse forma eu gastei muito para ser reembolsado depois (claro pois não estou nem perto de ser rico ::mmm: ). Assim eu me perdi um poucos nos gastos totais, mas tudo que gastei com passeios e ingressos eu me lembro direitinho e vou passar a vocês...

Bora começar!!!!!!!!

O ROTEIRO E OS TÓPICOS

Sem título.png
Sem título.png (256.53 KiB) Exibido 1650 vezes


23/05 - Saída do Brasil e La Paz
24/05 - Monte Chalcataya, Valle de la Luna e partida Uyuni
25/05 - Chegada Uyuni e início do tour pelo deserto
26/05 - Lagunas Uyuni
27/05 - Mais Lagunas, retorno Uyuni e La Paz
28/05 - Seguindo para Copacabana
29/05 - A Isla del Sol e o Lago Tititcaca; partiu Peru
30/05 - Chegada em Cusco e conhecendo a lindíssima cidade
31/05 - Salinas de Maras, sítio arqueológico de Moray e City Tour
01/06 - Vale Sagrado dos Incas
02/06 - O 'curto' trajeto até Aguas Calientes
03/06 - O grande dia: Machu Picchu
04/06 - Voltando para Cusco
05/06 - Rainbow Mountain e bora voltar pro Brasil
06/06 - Peru - Brasil by bus e van
07/06 - Finalmente cheguei

O seguimento da viagem foi um pouco diferente do que li na maioria dos relatos, a começar pela saída do Brasil...
Primeiramente vou explicar o motivo de ter ido via Acre. Atualmente estou morando na cidade de Cruzeiro do Sul, extremo ocidente do Brasil bem na floresta amazônica (lindo d++, fiz um relato de um passeio pelo Parque Nacional da Serra do Divisor a quem interessar...). O município faz fronteira com Peru mas não pensem que é fácil ir até lá, pois apesar de ser vizinho existe uma enorme floresta no meio do caminho que dificulta o trajeto. Então é preciso dar uma "pequena" volta pelo Acre até chegar nas fronteiras com a Bolívia e Peru (nada impossível).

Como nesta parte do Brasil literalmente não faz frio (sou de uma parte bem fria de MG e digo que aqui é muito quente) comprar trajes de frio aqui é um pouco complicado. Além disso, confiar no SEDEX pode ser perigoso... Aqui é muito longe e os correios demoram a entregar as coisas. Exponho isso pois pensei em comprar roupas da Decathlon pela internet, mas desisti. Tinha trazido algumas roupas de MG e esperava resolver o problema... Inocência ::Cold:: ::Cold:: ::Cold:: ::Cold:: ::Cold:: ::Cold:: Fui em uma época do ano muito fria (e segundo as pessoas que encontrei ainda faz mais frio em junho e julho)... Então brasileiros se preparem pois o frio de lá não é nada semelhante ao daqui. Quando cheguei na Bolívia tive de comprar mais algumas coisas pois estava com muuuuito medo do Salar de Uyuni :shock: .

Sobre o que levar acho que nos vários posts que mencionei tem uma lista detalhadíssima de coisas que não podem faltar.
Somente alguns reforços para NÃO ESQUECER:
- Lenço umedecido (extremamente importante para Uyuni e me ajudou muito pra limpar o sapato [ tem muita poeira, não faz ideia] ::otemo::) ;
- Carregador de pilhas para máquina e carregador portátil para celular (pode salvar sua vida quando não terá tempo de carregar o telefone). DICA :idea: : Como seu celular não irá funcionar, a menos que você compre um chip do outro país, deixe ele no MODO AVIÃO na maior parte do tempo pois salva muita bateria. Deixe para usar apenas quando estiver perto de WiFi...
- Duas mochilas (mochilão e de ataque): Meu mochilão é uma Curtlo de 70 L ::otemo::
- Medicamentos de uso pessoal.

MAL DA ALTITUDE OU SOROCHE

Pessoal não subestime o mal da altitude, mesmo estando em boa forma física, malhando, correndo, nadando, etc etc. Os locais que vão passar são muito altos, acima de 4000 na maioria dos locais e todos estamos sujeitos a passar mal por não estarmos acostumados com tudo isso. Eu só tive dores da cabeça e essas aconteceram quando estava subindo o monte Chalcataya em La Paz, o Calvário em Copacabana (foi o pior de todos pois além da dor de cabeça tive outras coisas que explicarei nos próximo tópicos) e a Rainbow Mountain em Cusco, todos entre 4000 e 5000 m acima do mar. Nenhum deles foi incapacitante mas você sente um forte aperto em sua cabeça que te obriga a parar e respirar fundo para seguir. Para se ter uma ideia, Machu Picchu fica aproximadamente 2500 m acima do mar. Então se prepare. O melhor é se aclimatar alguns dias em algumas das cidades antes de fazer passeios que irão exigir muito do corpo.
Para tentar aliviar o mal de atitude existem as folhas de coca, o chá de coca, as soroche pills e um medicamento que esqueci o nome, mas não tomei pois não sabia quais seriam os efeitos em meu corpo. Um fato importante é que eu ODEIO CHÁ :evil: :evil: :evil: nem com muito açúcar eu gosto de chá e com as folhas de coca não foi diferente. Eu masquei as folhas para tentar ajudar na Rainbow Mountain mas o que senti foi pior pois quase vomitei. Também tentei o chá mas não desce... (IMPORTANTE: Nem todos tem o mesmo gosto que eu e encontrei com muitas pessoas dizendo que se sentiram melhor mascando as folhas e que realmente gostaram. Então acho que o melhor é experimentar...). Também tentei as soroche pills, as quais são possíveis de serem compradas em qualquer farmácia por lá. A recomendação do cara que me vendeu era tomar de 8 em 8 horas e iniciar uns 2 dias antes de ir ao local de grande altitude. De boa... achei que não melhorou nada pra mim, pois as mesmas coisas que senti no Chalcataya eu senti nos outros lugares. Mas tentem, pode ser que funcione...

DOCUMENTOS

É possível entrar nesses países apenas com a carteira de identidade ( ::cool:: obs: não leve carteira profissional e nem a de motorista pois não são aceitas). Mas acho que o mais legal e seguro é ter e levar um passaporte. No passaporte é possível comprovar por meio dos carimbos a entrada e saída dos países (a Polícia Rodoviária me pediu o passaporte e foi bem fácil de comprovar a entrada no Brasil pelo Peru) e ainda ser muito legal ter os carimbos ( :idea: :idea: Não deixe de carimbar seu passaporte em Machu Picchu com a estampa deles - fica logo após você entrar no santuário em uma mesa de madeira no canto).
Não deixe de levar a carteira de vacinação contra febre amarela fornecida pela ANVISA. Ninguém me pediu mas para evitar qualquer tipo de problema sempre a tenha em mãos. É possível consegui-la em qualquer posto da ANVISA, inclusive nos maiores aeroportos do país e é de graça...
Seguindo a recomendação do rodrigovix guarde todos, mas todos os papeis que lhe forem entregues durante a viagem, especialmente os papeis que você pega na imigração dos países pois eles são necessários para sair do país (caso não os tenha você tem que pagar entre 10 a 30 dólares de multa). Além disso, os vouchers das agências de turismo são importantes para provar que o serviço foi contratado, caso te peçam.
Eu cheguei a fazer a carteira ISIC de estudante achando que ia conseguir vários descontos, mas não foi bem assim... Para conseguir o desconto para o ingresso de Machu Picchu é preciso comprar pessoalmente. Como comprei o ingresso Huayna Picchu e tive de fazer pela internet não consegui o desconto, pois pela internet eles não oferecem o desconto :( :( :( ... Para o Boleto Turístico de Cusco que lhe dá o direito de entrar em vários locais também não consegui, pois o desconto é só para estudantes de até 25 anos de idade (lei peruana que não sei qual o sentido, mas enfim...) e como já passei disso, rodei...
Sempre tenha seu passaporte junto de você (não desgrude dele)...

SEGURO SAÚDE

Por favor, não deixem de viajar sem um seguro saúde. Você estará em um país estrangeiro, com coisas desconhecidas e sem SUS (ou seja, você terá que pagar pelos serviços de saúde se forem necessários e podem ser caros). Eu estava pesquisando bastante sobre algumas seguradoras sugeridas como MondialTravel e a Allianz. Os preços estavam bons, cerca de 120 reais, mas no dia em que resolvi fechar o negócio houve um reajuste de preços e os valores simplesmente triplicaram, para quase 360 reais... Sem chance, meu dinheiro estava todo certo!!! Pesquisei mais e consegui encontrar a Porto Seguro Seguros que não tinha subido os preços. Paguei 140 reais pelo plano América Latina e que era a mesma coisas que os outros. Felizmente não precisei usar, mas não é bom brincar com a sorte...

O QUE COMPREI E RESERVEI COM ANTECEDÊNCIA

Quase nada... a maioria das coisas resolvi na hora mesmo. As poucas coisas que resolvi antes foram a compra do ingresso para Machu Picchu + Huayna Picchu (vou explicar daqui a pouco), o hostel em Cusco pois temis que não houvessem vagas para o quarto que queria e o ônibus de Copacabana para Puno (esses dois últimos não tem a menor necessidade pois dá pra resolver na hora mesmo...).
Para fazer qualquer compra por antecedência é preciso ter um cartão de crédito habilitado para compras internacionais, no meu caso o famoso VERIFIED BY VISA.

Verified by Visa: Quando tentei comprar pela primeira vez o ingresso para Machu Picchu não foi permitido pois o cartão não estava liberado para tais compras. Eis o que fiz e pode ser útil para a alguns.
- Fui ao Banco do Brasil e pedi para ativarem a função internacional de meu cartão e o fizeram;
- Isso ainda não permite que você faça compras pois é preciso cadastrar um número de celular para receber mensagens sobre as compras (eu tinha tentado comprar novamente, mas o site lhe comunica sobre essa necessidade do celular);
- Fui ao caixa eletrônico do BB para cadastrar me número de telefone celular. Os passos são: MENU SEGURANÇA e depois ATIVAÇÃO DE CELULAR.
- Assim você consegue resolver o problema do Verified by Visa que é mais uma medida de segurança para tais compras.

A SAGA DE COMPRAR O INGRESSO PARA MACHU PICCHU: Três opções são disponíveis: 1- Comprar pelo site; 2- comprar pessoalmente e 3- comprar por agência. Para essa última eu já tinha lido vários posts que diziam que o preço é bem mais salgado. Eu quase comprei pelo site http://www.ticket-machupicchu.com/ pois estava tentando várias vezes e não conseguia pelo site do governo peruano. Mas resolvi tentar mais algumas vezes e deu tudo certo... Caso não esteja conseguindo essa é um boa opção caso queira ir para Huayna Picchu. Comecei a pesquisar os ingressos no final de fevereiro e a princípio estava pensando na Trilha Inca, mas não tinham mais vagas para junho que era quando eu estaria lá. Daí cheguei a olhar por agência mas era um absurdo (750 dólares só a trilha Inca)... Claro que desisti na hora, mas queria fazer mais alguma coisa legal em Machu Picchu e foi aí que resolvi o Huayna Picchu. Para quem não sabe a montanha Huayna Picchu é aquela ao fundo de Machu Picchu que é possível escalar, mas o número de pessoas é reduzido.
Para entrar em Machu Picchu são permitidas 2500 pessoas por dia (se não me engano) e para Huayna apenas 400, sendo 200 entre 08 e 09 da manhã e as outras 200 entre 10 e 11 da manhã. Os ingressos se esgotam rapidamente e é preciso comprar com antecedência. Quando pesquisei no final de fevereiro para ir na primeira semana de junho tinham cerca de 40 ingressos em média por dia, sendo que os de maio já haviam se esgotado. E como estava tendo problemas com o cartão fiquei muito preocupado (foi por isso que quase comprei pelo site acima que mencionei).
Tentei umas 6 vezes antes de conseguir (você tem 5 chances dentro de 6 horas para confirmar o pagamento, antes que a reserva seja cancelada e tenha de começar tudo novamente) e finalmente quando o cartão foi habilitado eu consegui ::otemo:: ::otemo:: ::otemo:: .
Resolvi ir dia 03/06 (nesta altura já não tinham ingressos para Huayna Picchu nos dias 01 e 02/06) e para o dia escolhido só tinham 28 ::ahhhh:: ::ahhhh:: ... Mas deu tudo certo!! ::cool:: .
Assim que preenche os dados no site e seguindo as instruções, o mecanismo Verified by Visa lhe enviará um código para o número cadastrado e esse deve ser digitado no local específico. Feito isso o pagamento é comprovado. Imprima ou tire uma foto da tela para segurança.
Por fim, no site do governo peruano (esqueci de mencionar que é o Ministério da Cultura Peruano) vá até a aba CHECK-IN, insira o código que foi fornecido anteriormente (a tela que tirou a foto) e imprima e guarde o ticket de entrada para Machu Picchu + Huayna Picchu (isso é sagrado!!!!!!). Leia atentamente as instruções que constam no ticket... Eu resolvi ir no horário de 10 às 11 h pois a probabilidade de se ter névoa que cobre toa da montanha é bem menor...

Galera acho que por enquanto é isso!!!!!

Sigo nos próximos post... 23/05 - Saída do Brasil e La Paz

#1195489 por Paulo Neves
14 Jun 2016, 17:53
23/05 - Saindo do Brasil e La Paz

Então pessoal, bora continuar o relato sobre como sair do Brasil pelo Acre e chegar na Bolívia...

Para sair daqui de Cruzeiro do Sul e ir até a Bolívia é necessário passar pela capital Rio Branco. Até lá existem duas opções: avião pela Gol ou de via terrestre (carro/ônibus). É bem longe e a estrada é horrorosa de péssima... São 700 Km e a maior parte do trecho é só buraco. Dessa forma a melhor opção, mas não a mais barata, é ir de avião.
Comprei minha passagem por agência de turismo e com antecedência de 2 meses, conseguindo assim um desconto. A ida e volta eu paguei 370 reais... Pelo site da Gol estava 560 reais ida e volta... Nem pensei muito e comprei.

O avião saiu de madrugada, às 01:05 e o tempo de voo até Rio Branco é de cerca de 1h. Eu precisava estar em La Paz no mesmo dia para não perder muito tempo, pois tinha apenas 15 dias e queria aproveitá-los ao máximo... O avião saiu pontualmente e chegou à capital às 02:10. O aeroporto de Rio Branco fica bem distante do centro e da rodoviária da cidade e nesse horário não existem ônibus coletivos até o centro. As opções são: esperar até o dia amanhecer no aeroporto (não dá, né!!!), ter alguma boa alma para te buscar, pagar um táxi (OBS: prepare o bolso, pois os táxis em Rio Branco não possuem taxímetro e o preço é fixo... uma facada... são 100 reais em média até o centro da cidade. Muuuuuuuuito caro ::ahhhh:: ::ahhhh:: ::ahhhh:: . O que se pode fazer é rachar o táxi com outras pessoas) ou ainda arrumar uma super carona que foi o que consegui ::otemo:: ::otemo:: . Alguns conhecidos estavam no mesmo voo e peguei carona com eles até o centro.

COMO CHEGAR À FRONTEIRA COM A BOLÍVIA

::prestessao:: ::prestessao:: ::prestessao:: ::prestessao::
Bom, no meu roteiro eu havia planejado chegar à La Paz por Cobija, pois existe um aeroporto lá com voos para La Paz. Então para se chegar à Cobija você pode pegar um ônibus saindo da rodoviária até a cidade de Brasileia que fica bem na fronteira ou pegar um táxi até lá (existem vários táxis na rodoviária que fazem esse tipo de transporte).
O ônibus é claro é bem mais barato, o problema é que demoram 4h 30 min de Rio Branco até Brasileia (sem contar atrasos) e o primeiro ônibus saia às 06:00. Pra mim não ia funcionar, pois o voo na Bolívia era às 11h no horário deles (a Bolívia tem 1h a mais que o Acre e o Acre tem 2h a menos que Brasília e o mesmo horário que o Peru)... Não ia conseguir nunca, considerando ainda que tem que passar na alfândega Brasil-Bolívia e na Polícia Federal antes de entrar no país. Não pude utilizar essa opção. Fui obrigado a usar os táxis. Até Brasileia o preço médio é de 90 reais se o carro estiver cheio. O taxista que me levou foi bem legal e eu implorei para ele me levar até a Policia Federal, alfandega e aeroporto de Cobija sem me cobrar nada e consegui :P :P - geralmente eles cobram mais por isso). O taxista já tinha outros passageiros marcados então saímos bem cedo, às 05:00 sendo que ele me buscou no ponto em que estava (abaixo conto o que fiquei fazendo desde o aeroporto até ele me buscar). A viagem até Brasileia de carro dura cerca de 3h a 3h 30 min. Chegamos às 09h 15 min, isso é, às 10h 15min no horário boliviano (tinha que me apressar)... Após deixar todas as pessoas o taxista me levou até a Polícia Federal onde tive meu carimbo de saída do Brasil, depois até a alfandega e dei entrada no país (guarde o papel que lhe entregam).

IMG_20160523_081624792.jpg
IMG_20160523_081624792.jpg (900.13 KiB) Exibido 1498 vezes


Bem próximo desse ponto na divisa entre os países existem 2 casas de câmbio e fiz a primeira troca de reais para bolivianos. Troquei a maior parte do dinheiro aqui, mas deveria ter trocado TODO pois foi a melhor cotação que tive no país: 1 REAL = 1,98 BOLIVIANOS (Nos próximos posts conto que o real desvalorizou durante a viagem). Feito isso, o taxista me deixou no aeroporto para seguir viagem...

O QUE FIZ ATÉ O TAXISTA ME BUSCAR: Cara, mochileiro como eu sou não tinha dinheiro para gastar... Ficar em um hotel por algumas horas estava fora de cogitação; ficar na casa de alguém também pois não conhecia uma alma viva que morasse em Rio Branco para me ajudar. A solução foi buscar algum lugar público e que fosse seguro para esperar o horário. Primeiramente pensei em ficar em algum posto de gasolina 24h, mas como a minha carona estava indo para bem no centro da capital, resolvi ficar no único local que conhecia nas proximidades que era a maternidade pública de Rio Branco. Cheguei eram quase 3h da manhã e lá fiquei até às 5h. Não tive problemas, o pessoal liberou e economizei... ::hãã2:: ::hãã2:: ::hãã2:: ... Cara, faz parte tudo isso!!! Sem preconceitos... Caso não tenha tanta pressa como eu tinha, vá com calma, fique em um hotel e espere o ônibus para dormir em Brasileia.

Seguindo a viagem... No aeroporto fui comprar a passagem para o voo das 11h. OBS :!: :!: :!: : Existam duas companhias aéreas que oferecem o serviço de Cobija até La Paz, são a TAM Militar (não é a nossa TAM) e BoA - Boliviano Airlines. A BoA tem um voo às 11h 30 min e é possível comprar pela internet, mas a passagem é mais cara (estava 600 bolivianos com antecedência pela internet). Já a TAM Militar é mais barata se comprar com antecedência, estava 400 bolivianos (entrei em contato com eles pelo Facebook). A questão é que o pessoal da TAM Militar me disse que o preço não mudava... ::quilpish:: ::quilpish:: ::quilpish:: ::quilpish:: Quando cheguei ao guichê da TAM Militar a passagem estava 600 bolivianos e pela BoA 750 bolivianos. Meu dinheiro estava certo para passagem de 400 bolivianos, mas não tive opção... Paguei 600 bolivianos e embarquei...

:!: :!: :!: PONTO IMPORTANTE: A Bolívia é um dos países mais pobres das Américas, mas nem por isso é um lugar que não mereça respeito. Acredito que alguns brasileiros poderão achar o país um caos, mas é importante ir de mente aberta e sem querer muitas coisas por lá como as que existem no Brasil... O aeroporto de Cobija é pequeno e muito diferente dos aeroportos brasileiros que conheço, mesmo os pequenos... Mas funciona.
O voo saiu pontualmente às 11h e foi tudo bem... Preparem a câmera pois a vista quando se chega à La Paz é linda, muitas montanhas e picos nevados (pra quem nunca tinha visto neve como eu, foi super legal :D :D )

DSC00320.JPG
DSC00320.JPG (2.33 MiB) Exibido 1498 vezes

DSC00318.JPG
DSC00318.JPG (2.35 MiB) Exibido 1498 vezes


O avião chegou por volta de meio dia e o aeroporto internacional de La Paz fica na cidade de El Alto (pelo nome se tem uma ideia do quanto a cidade é alta ::Cold:: ). Ao descer do avião se sente o frio (quem estava na Amazônia e chega nos Andes 'quase não percebe a diferença de temperatura' ::hãã:: ::hãã:: ) e a diferença na questão do ar e da altitude...
O aeroporto fica bem distante do centro de La Paz... a melhor opção é por táxi. O serviço de transporte público é muito confuso e não se tem ônibus como nós conhecemos, são vans...
:!: :!: :!: ESTEJA ESPERTO: Na Bolívia não existe taxímetro. Então defina o preço antes de iniciar a corrida para não ter uma bela surpresa no final... O primeiro táxi ao sair do aeroporto queria me cobrar 80 bolivianos. Pelos relatos de outras pessoas vi que era um preço alto e não quis. O taxista ao lado me cobrava 50 bol, mas queria ainda mais barato. Todos os outros taxistas estavam cobrando 40 bol (cerca de 21 reais), então aceitei.
Essa é a primeira aventura no trânsito caótico de La Paz... sério, a buzina é mais importante que o sinal de trânsito; o uso dela é contínuo e são muito altas. Não existe muita organização no trânsito. É tipo, o primeiro que entrar tem a preferência após muitas, mas muitas buzinadas...Pra quem está acostumado com trânsito de cidade grande no Brasil (já morei em algumas grandes cidades) vai achar que o Brasil é o paraíso no trânsito... É muito louco, fora que a maioria dos carros são bem antigos :roll: .
Você desce por ruas com muitas curvas e acha que um acidente vai ocorrer a qualquer momento...
Por ser bem alta, de El Alto é possível se ter uma linda vista de La Paz! Cerca de 30 min depois cheguei ao hotel.

DSC00328.JPG
DSC00328.JPG (2.31 MiB) Exibido 1498 vezes


Escolhi ficar no Hotel Sarganaga que fica na rua (calle em espanhol) de mesmo nome. A localização é muito boa pois fica na principal rua das agências de turismo, tem muito movimento de pessoas e carros, próximo à rodoviária (terminal de buses em espanhol, não existe a palavra 'rodoviária' na outra língua) e vários restaurantes.
Escolhi ficar neste hotel pois já havia lido sobre ele e pela comparação de preços com alguns hostels estava bem parecido, mas com a vantagem de se ter menos pessoas. Não entendi muito bem, mas acho que o quarto era dividido, mas não tinha ninguém comigo ::cool:: ::cool:: ...
Me ajeitei no quarto, vi que tinha torneira de água quente na pia, mas não tinha experimentado o chuveiro ainda... Sai para comer algo e resolvi fazer um lanche pois queria conhecer La Paz e o centro histórico (creio que o lanche ficou em torno de 25 bol com salgado e refrigerante - só para forrar o estômago).
A primeira coisa que fiz foi fechar o passeio para o monte Chalcataya para o próximo dia. Pesquisando pela agências vi que o preço era igual para todas. Como no saguão do hotel tinha uma agência resolvi fechar o passeio com eles, o problema é que esqueci o nome da agência, mas era alguma coisa S, tipo Saranay ou etc... sei lá...
O preço do passeio é de 120 bol = 90 bol pela van e guia + 15 bol de entrada para o Chalcataya (na entrada da montanha não vi ninguém cobrando a entrada, mas todas as agências cobravam esse valor) + 15 bol para o Valle de la Luna (é opcional e explico um pouco do local mais abaixo). Fechei o passeio para o próximo dia às 08 h 30 min.
Feito isso, o próximo passo era comprar as passagens para Uyuni.
Neste ponto eu agradeço muitíssimo a paulineaguiar2 pelas excelentes dicas sobre a ida de La Paz para Uyuni...
Como já disse, a Bolívia é bem fria ::Cold:: ::Cold:: ::Cold:: e de madrugada, é claro, é congelante. A maioria dos ônibus de La Paz para Uyuni são a noite e faz muito frio na estrada. Li algumas pessoas que disseram que passaram algum tipo de 'aperto' no caminho até Uyuni e/ou volta para La Paz: frio congelante e falta de banheiro no busão foram os principais. É preciso considerar que são cerca de 10 h de viagem e a melhor opção para não perder muito tempo é viajar durante a noite. Mas como contornar esse problema com o frio e conforto na Bolívia, onde é difícil achar uma boa empresa com bons serviços de ônibus. Foi aí que li o relato que citei pouco mais acima e sugeria a empresa TODO TURISMO. Esta empresa oferece viagens de La Paz - Uyuni - La Paz em ônibus com aquecimento, cobertores, WiFi, filme, jantar, café da manhã, funcionários que falam espanhol/inglês, além de banheiro dentro do ônibus (muito mas muito importante)... Claro que isso custa mais e a viagem de La Paz para Uyuni custa 270 bol. Mas por ser tão longe e visto as possíveis dificuldades comprei a ida e volta por 540 bol. No relato sobre a ida a Uyuni detalho mais o serviço que foi muito, mas muito bom!!! ::otemo:: ::otemo:: ::otemo::
Para comprar a passagem você pode fazer pela internet ou diretamente na empresa. Como o ônibus sai de frente à empresa resolvi ir pessoalmente para saber onde ficava. A localização da empresa fica bem próximo da rodoviária de La Paz (PRESTE BEM ATENÇÃO, NÃO É DENTRO DA RODOVIÁRIA, É PRÓXIMO... Algumas pessoas não acharam por acharem que era dentro da rodoviária).
O endereço é: Avenida Uruguay. Prédio Paola num 102. 1o andar. http://www.todoturismo.bo
Não é muito fácil de achar, pois a entrada do prédio fica em um bequinho escondido. Mas se perguntar às pessoas na rua todos que trabalham na área saberão te informar. Ao encontrar, toque o interfone, suba e compre suas passagens.

Pronto!!! Agora poderia passear um pouco pela cidade... detalhe: o trajeto do hotel até a Todo Turismo eu fiz a pé. Foi super tranquilo, seguro (rua estava bem lotada de pessoas) e gastei cerca de 20 min ida e 20 min volta... Foi ótimo para andar um pouco.
No centro histórico fui à Calle de las Brujas (Rua das Bruxas) - existem diversas lojinhas com lembrancinhas por lá e os bebês de lhamas mumificados.

DSC00354.JPG
DSC00354.JPG (2.44 MiB) Exibido 1498 vezes

DSC00357.JPG
DSC00357.JPG (2.4 MiB) Exibido 1498 vezes


Andei pelas rua do centro histórico, são bem legais.
Já no final do dia queria ir até o teleférico de La Paz para ter a visão da vista que se tem da estação mais alta que fica em El Alto. Com um mapa em mãos e algumas perguntas fui seguindo a pé para a estação da Linha Vermelha (Roja) do teleférico que faz o trajeto até El Alto. Como queria ver o anoitecer, tive de ir mais cedo que o pôr do sol. Foi tranquilo chegar até lá, acredito que o mais difícil foi conseguir atravessar as ruas da cidade com todo aquele trânsito... O bilhete custou 6 bol ida e voltae levou cerca de 20 min para percorrer toda a linha té o ponto final.
Na última estação em El Alto existe um mirante que permite ver a cidade de La Paz e a montanha característica da cidade.

DSC00357.JPG
DSC00357.JPG (2.4 MiB) Exibido 1498 vezes


Depois de admirar bastante a vista da cidade, resolvi descer. Cheguei até a estação inicial por volta de 19h e segui andando até a região onde estava hospedado. Como já estava na rua, resolvi parar em algum lugar para comer (sanduíche de frango e cerveja Paceña e paguei cerca da 30 bol - estav ok, nada muito delicioso, mas nada ruim).
Voltei para o hotel e fui tomar banho... estava muito frio... o chuveiro tinha quente, mas saia tão pouca água que foi uma luta tomar banho... depois da briga com o chuveiro e de me trocar, fui rapidamente para a cama para me esquentar e dormir para o próximo dia!!!
Anexos
DSC00397.JPG
DSC00397.JPG (2.33 MiB) Exibido 1498 vezes
#1199403 por hoffhoff
01 Jul 2016, 19:22
Olá Isabella!
Estivemos no Cerro Colorado estes dias, fizemos um pequeno relato de como chegar lá. Se quiser dar uma olhada :)
http://mundosemfim.com/conhecendo-o-cer ... uase-nada/
#1209041 por Paulo Neves
09 Ago 2016, 13:28
Pessoal me desculpem a demora em reponder. Estive muito mas muito ocupado com trabalho e estudos e não tive tempo para continuar com o relato após a minha chegada. Tentarei adiantar o relato sobre a Rainbow Mountain e depois sigo com o restante da viagem... Tentarei fazer isso ainda hoje... Abs
#1209073 por Paulo Neves
09 Ago 2016, 15:02
ADIANTAMENTO: Resolvi adiantar um pouco o relato e vou falar sobre a minha ida até a Rainbow Mountain que fica na área de Cusco, Peru, seguindo o pedido da isabella.marques. Depois seguirei com o relato normal... ::cool::

DIA 05/06 - Rainbow Mountain

Bom galera essa parte da viagem foi incrível, sensacional, mas bem cansativa... Mas o que posso dizer, realmente vale a pena!!!!
Eu já estava com todo o roteiro fechado da viagem. Mas um amigo peruano me enviou uma foto dessa montanha cerca de 1 mês antes do mochilão. Ei fiquei desesperado pois queria muito ver aquilo e decidi que eu ia de qualquer jeito.
Comecei uma busca pela internet para saber mais informações a respeito. Nessa busca encontrei algumas agências que faziam o trajeto e você podia fechar o passeio pela internet mesmo. Mas quando vi os preços eu realmente quase desisti, pois a mais barata estava cobrando algo como 600 reais ::dãã2:: ... Era muito caro pra mim e na web haviam poucas informações sobre esse passeio.
O que decidi fazer foi arriscar e tentar algum passeio quando eu estivesse em Cusco e deu certo... ::otemo:: ::otemo:: ::otemo:: ::otemo::
Vou falar mais adianta, já que estou adiantando o relato, mas em Cusco (como em qualquer cidade turística) existem diversas agências de turismo. Andando pelas ruas do centro histórico pude encontrar algumas agências que faziam o passeio que eu tanto queria e por um preço bem mais em conta :P :P . O que esqueci de anotar foi o nome da agência que me levou, mas a maioria daquelas que ofereciam esse tipo de passseio tinham as mesmas coisas incluídas no pacote (transporte, refeição e guia). Eu fechei o passeio para meu último dia de viagem já que as outras coisas já estavam todas acertadas.

O valor do passeio ficou em torno de 160 reais, já convertido de Novo Sol para Real (esse valor pode mudar dependendo da cotação da moeda).

Seguem algumas fotos antes de continuar...

DSC01911.JPG
DSC01911.JPG (2.44 MiB) Exibido 862 vezes

DSC01932.JPG
DSC01932.JPG (1.99 MiB) Exibido 862 vezes

DSC01966.JPG
DSC01966.JPG (2.33 MiB) Exibido 862 vezes

DSC01979.JPG
DSC01979.JPG (2.38 MiB) Exibido 862 vezes


Antes de falar sobre o relato em si, vou falar um pouco sobre o local (pelo menos foi o que me contaram e acreditei ser verdade) ::lol3::
Essa rota turística de Cusco é relativamente nova, pois parece que essas montanhas coloridas eram cobertas por neve e só depois do descongelamento elas puderam ser exploradas como potencial turístico para o povo da região. A Rainbow Mountain fica na região de Ausangate (a trilha de 5 dias até Machu Picchu), porém acho que a visita até essa montanha não é incluída na trilha de 5 dias. Existem pessoas residindo na região e as visitas até o local incrementam a fonte de renda dessas famílias. É uma região bem elevada e fria.

O passeio começa quando uma van te busca no local que você está hospedado. Eles te pegam muito cedo. Às 02:30 da manhã eles foram me buscar, mas só partimos às 03:30 pois a van foi buscar as outras pessoas. Essa viagem dura cerca de 3h até o início da caminhada (isso mesmo, é uma caminhada e vai exigir bastante de você)... Na van tinha 8 pessoas sendo todas dos EUA e eu único diferente...
Chegamos às 06:30 e estava congelante (altitude de aproximadamente 4000 m) e o nosso guia nos levou para o local onde seria servido o café da manhã (que é em uma das casinhas do pessoal local). No meu café tinha pão, geleia, ovos mexidos, banana frita, salada de frutas, chá (de coca sempre presente), café e chocolate.
Após o café (o qual recomendo comer bem, pois a próxima refeição iria demorar) iniciamos a caminhada.
Essa jornada a pé dura cerca de 3h dependendo do seu ritmo, condição física e adaptação à altitude. Você deve estar aclimatado, pois senão será uma tarefa quase impossível.
No início é bem tranquilo pois é quase tudo plano. Mas à medida que avança começam as subidas e daí complica, devido ao frio e ao ar rarefeito. Existe a opção de seguir à cavalo, mas você tem que pagar um valor a mais que não me lembro bem, mas acredito ser algo entre 50 a 70 reais... Então eu segui bravamente a pé... Quando o trecho foi ficando mais difícil, a cada 20/30 passos eu tinha que parar e respirar...
Uma dica, sempre respeite seu corpo e não faça nada além de suas capacidades, pois essa região é distante e tratamento de saúde pode ser difícil. Os guias sempre andam com um kit primeiros socorros, que inclui oxigênio. Mas não foi necessário... ::otemo::
Quando você começa a ver as cores da montanha é que vem a pior parte pois a subida fica maior e mais difícil. Nessa parte os cavalos não vão... então é na garra mesmo... Até tentei mascar as folhas de coca para ver se ajudavam, mas quase vomitei (odeio chá e tals)... Nesse ponto você já está a 5000 m, venta muito e faz muito frio... Já eram 11:00 quando cheguei até o ponto da vista que é deslumbrante e dá pra ver outras montanhas da região, como a Ausangate...
Ficamos no local até 12:30 esperando todo o nosso grupo chegar e tirar fotos. A volta é bem mais tranquila e dá para perceber o quanto você andou.
Cheguei ao local onde o almoço seria servido às 14:15 (também em uma casinha dos locais) e tinha muita coisa para comer: salada, frutas, arroz, quinoa, frango grelhado, mandioca frita, carne de alpaca (deliciosa), suco de milho roxo (delicioso).
Às 15:30 seguimos de volta para Cusco e mais 3h de viagem. Me deixaram em meu hostel (só para adiantar, fiquei no Kokopelli Hostel)... Nesse mesmo dia eu iniciei o caminho de volta para casa por ônibus, mas isso é para os próximos posts...

Até galera!!!
#1210102 por juliana.teixeira2
14 Ago 2016, 13:02
Nossa! Seu relato foi ótimo mesmo pois aqui tem pouca coisa sobre Rainbow Mountain, inclusive informação sobre o principal: o valor!! $$$$$
Eu também estou na mesma situação pois descobri o passeio bem próximo da data, pesquisei na on-line preço absurdos e já decidi fazê-lo um dia antes de voltar também pra estar bem aclimatada, só não tinha ideia do preço e como vou com o marido, temos que reservar grana pros dois...
Valeu mesmo!
Abraço!

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 2 visitantes