Relatos de Viagens por 2 ou mais países da América do Sul
#464293 por Victorcolonna
20 Abr 2010, 15:54
Saudações a todos os amigos mochileiros!!! Decidi fazer este relato com o objetivo de ajudar vocês, que assim como eu, tiveram muitas dúvidas ao programar uma viagem como esta, como o fórum foi de uma grande ajuda pra mim é mais que a minha obrigação colaborar com as minhas experiências também. O objetivo é mostrar os meus gastos e programação, me apegando mais a nomes e endereços de albergues, preços e horários de passagens e dicas em geral, sem grandes detalhes, até porque sou um pouco detalhista demais e creio que ia ficar muito extenso se assim o fizesse, mas então vamos lá, o meu percurso foi em forma de circulo começando e terminando em Santa Cruz de La Sierra (economia na passagem aérea), teve a duração de 29 dias passando por três paises e quinze cidades e foi mais ou menos assim:

Vitória/ES
Santa Cruz de La Sierra
Sucre
Potosi
Uyuni
São Pedro do Atacama
Arica
Tacna
Arequipa
Nazca
Ica
Cuzco
Aguas Calientes (Machu Picchu)
Puno
Copacabana
La Paz
Santa Cruz de La Sierra
Vitória/ES

Segue abaixo alguns links que talvez sejam úteis:

- Apostila de viagem que fiz para me auxiliar na trip, usem sem moderação e bom planejamento para todos

http://www.4shared.com/file/Aw4qAo8E/Ap ... iagem.html" onclick="window.open(this.href);return false;


Documentário em vídeo, com dicas e imagens de albergues, transportes, lugares, com uma edição bem legal que postamos aki no mochileiros.com neste link, vale a pena dar uma conferida


1-relato-em-video-bolivia-chile-peru-imagens-e-dicas-sobre-albergues-transportes-e-muita-diversao-t49910.html" onclick="window.open(this.href);return false;

- Video clip com um pouco de cada lugar q passamos

https://www.youtube.com/watch?v=UdDqoNrS364


Então vamos começar...


1º Dia – Santa Cruz de La Sierra

Pegamos um vôo de Vitória/ES para São Paulo capital pela empresa aérea Gol, e de São Paulo para Santa Cruz de La Sierra também pela Gol, fizemos a baldeação por nossa conta pois ficou mais barato. Não existem muitos horários de vôo do Brasil para Santa Cruz por isso provavelmente se você for de avião você vai chegar em Santa Cruz no aeroporto internacional Viru Viru por volta das 1:00 da manhã horário local (lembrando que aqui já é uma hora a mais por conta do fuso horário) aqui é a primeira decisão que vc tem que tomar, se você quer começar economizando tudo o lance é ficar pelo aeroporto mesmo dormir por ali e no outro dia de manhã tentar pegar um táxi fora do aeroporto até o centro, são uns 40 minutos de carro, agora se você preferir ir para um hotel descansar e no outro dia acordar inteiro você terá que pagar um táxi que vai te cobrar 50 bolivianos o que significa quase 8 dólares, eu optei pela segunda opção já que estávamos em quatro ai saiu baratinho para todos. O Hostel indicado é o Jodanga fica na Calle El Fuerte 1380, próximo ao parque urbano, foi um dos melhores que fiquei em toda a viagem com café da manha incluso, piscina e tudo mais por 65 bolivianos, o preço ta um pouco acima para Bolívia, mas Santa Cruz é um pouco mais caro mesmo e o hostel vale a pena. Obs: se for chegar de madrugada é bom fazer reserva antes pois vive lotado.


GASTOS:

• Passagem ida e volta Vitória/Santa Cruz – R$ 1.260,00 (caro mais não teve jeito hehehe)
• Táxi Aeroporto/Hostal – 50 bol
• Hospedagem Jodanga – 65 bol


2º Dia – Santa Cruz / Sucre

Santa Cruz não é muito turístico mais ainda assim vale muito a pena sair pra dar um role e conhecer a praça principal e sua imensa e bela catedral. Andamos para conhecer a cidade e fomos até o terminal Bimodal para comprar a passagem para Sucre. Geralmente os albergues tem o seu check out antes das 12:00h mas é super normal você deixar suas coisas lá e ficar vagando pela cidade até a hora do busão, mas é sempre bom conversar antes de fechar.
O terminal Bimodal é o mesmo em que chega o famoso “trem da morte”, é uma loucura, todo mundo gritando os destinos e tentando conseguir a sua confiança para q você compre passagem com eles, existem muitas empresas que vão para Sucre, conversamos e negociamos bastante e chegamos a conclusão que a estrada é realmente perigosa e mal cuidada e que as empresas não disponibilizam ônibus bons para a rota por este motivo. A viagem é longa pode variar de 15 à 20 horas dependendo de quantas vezes o pneu do ônibus furar ou o motor bater essas coisas q podem acontecer hehehe, a minha durou 17 horas e foi tudo tranqüilo ao contrario do esperado, a estrada é bem sinistra porem dormimos a maior parte da madrugada. Obs: ônibus na Bolívia não tem banheiro nem lanchinho então se prepare, ande sempre com papel higiênico na bolsa e algumas glossemas para degustar.
Empresa indicada é a Mopar, foi a que eu fui pagando 80 bol, na verdade não considerem como uma indicação e sim como uma experiência q deu certo rsrsrs. Outra empresa é a Trans Copacabana negociando consegue-se o mesmo preço parece ser um pouco melhor que a Mopar mas um amigo meu que foi por ela demorou 23h pra chegar em Sucre o busão quebrou duas vezes, ouvi falar muito mal da empresa Expresso Santa Cruz então se puderem evitar... Os ônibus tem saída no final da tarde de 16:00 pra frente até 18:00 e chegam em Sucre pela manhã.
O cambio pode ser feito nas casas de cambio nas ruas René Moreno e Junin, ou se preferir em frente ao terminal bimodal tem uns tiozão sentado e trocando a grana, no começo eu desconfiei mas quem me indicou foi um policial e o tiozão carimbou todas as notas, acabou que deu certo, fiz cambio no dólar a 7 bolivianos por cada dólar, e em toda Bolívia não achei muito variação no máximo 7,06.

GASTOS:

• Táxi terminal/Hostel – 10 bol
• Água pequena – 4 bol
• Almoço (Shopping Bolívar restaurante Snack Emanuel) 10 bol
• Coca Cola 600ml – 6 bol
• Passagem para Sucre (Mopar) – 80 bol
• Direito de uso no terminal (acostumem-se com isso) – 3 bol



Imagem
Plaza das Armas em Santa Cruz de la Sierra.

3º dia – Sucre / Potosi

Sucre é uma cidade de grande importância na Bolívia, afinal é a capital, existem vários casarões coloniais, museus e igrejas etc. é uma cidade para quem gosta de um roteiro bem histórico-cultural. De busão agente chega no terminal rodoviário que é o mesmo lugar de onde se pega o ônibus para Potosi, nosso próximo destino, então se quiser adiantar já compra sua passagem logo e depois aproveita a cidade até a hora do busão. Não há muita coisa para fazer em Sucre, nós deixamos nossas mochilas no próprio terminal em um guarda-equipajes pagando 3 bol, e fomos conhecer o centro histórico que inclui a praça das armas, a catedral entre outros, o mercado também vale muito a pena, para quem gosta de museus destaque para o Casa de la liberdad que fica em frente a própria praça 25 de Mayo (plaza das armas) e do mais ficamos andando pela cidade para sentir o povo.
Existe em Sucre uma espécie de Parque dos dinossauros (Cal Orcko) onde se pode ver pegadas dos dinos, fica próximo a uma fabrica de cimento a + ou - uns 7 km do centro, dá para ir por conta própria ou contratar um tour que não sai por mais de 30 bol.
Outra opção é a feira de Tarabuco que é uma cidadezinha próxima a Sucre (+ou- 60 km) onde se vende muitos artigos baratos como malhas, gorros, chompas, calças e essas coisas todas para frio, porém só da pra ir se você tiver com tempo pois gasta em media 1 hora e meia para chegar até lá e mais 1 e meia pra voltar, as opções são alugar um táxi, ir de busão local ou pegar carona em um caminhão cheio de peão em cima que ta indo pra lá hehehe. Eu optaria pela terceira, mas como tava sem tempo não fui.
Para Potosi tem ônibus quase o dia todo, o ultimo sai as 18:00 e a viagem é curta são somente 3 horinhas eu fui pela empresa Trans Imperador, empresa boa, passou até um filme do Wolwerine que nem tinha saído no cinema ainda hehehe, pagamos 17 bol.
Chegamos em Potosi e aqui temos duas preocupações: altitude e o frio. Procuramos um hotel nos alocamos primeiro, tomamos um banho e fomos comer uma pizza, voltamos para o hostal fechamos o passeio das minas para o outro dia de manhã e fomos dormir.

GASTOS:

• Guarda bagagem – 3 bol
• Passagem Potosi (Trans Imperador) 17 bol
• Almoço – 15 bol
• Internet – 3 bol a hora
• Água pequena – 2,50 bol
• Soroche Pills – 2,50 bol cada uma

Imagem
Centro histórico de Sucre.


4º dia – Potosi / Uyuni

Bom, chegamos em Potosi pela noite, aqui começamos a sentir os efeitos da altitude, dor de cabeça, aperto no peito, fadiga e alguns casos até vomito é muito chato o tal do soroche, compramos as pílulas para evitar esse mal, mas no nosso caso não adiantou muito elas só serviram para deixar agente ressecado, até água da torneira nós bebemos de tão feio que tava a coisa, a noite foi péssima não dormimos bem, mas faz parte.
Ficamos no Hostal San Antonio que fica na Calle Oruro 136, nesta mesma rua tem mais uns 3 hoteis que você pode escolher, nós optamos por este, quartos dobles ou triples, com banho privado, tv a cabo, e lá mesmo vc pode contratar os passeios para as minas e outros mais que vc queira além de ter também um restaurante onde serve almoço e café da manhã, não inclusos no valor da hospedagem.
Acordamos cedo fomos ao passeio das minas, a empresa que nos levou foi a Maskara Tours muito simpáticos e o guia Erick sabe tudo sobre as minas, foi um passeio muito interessante e a historia do local é de arrepiar, pagamos 50 bol pela excursão, porem preferimos não entrar nas minas, não curto muito ver pessoas trabalhando como animais, fizemos o passeio por toda a parte de fora e chegamos ao topo do Cerro Rico onde se consegue ver a cidade de Potosi inteira é bem legal sobretudo pelo passado deste lugar vale muito a pena, o passeio completo sai em torno de 65 bol talvez menos se der uma chorada, ai vc veste uma roupa especial, assina um termo de responsabilidade e entra nas minas nada muito perigoso, para se ter idéia vende-se dinamite igual se vende bala em barraquinhas no meio da rua e para os mineiros as minas são de domínio de um tal de “El Tio” que é mais conhecido pela gente como capeta, diabo, belzebu, cão chupando manga essas coisas hehehe não gostei da idéia, mas brincadeiras a parte, foi uma opção minha para quem gosta deve ser bem interessante.
Depois do passeio das minas que dura metade de um dia, andamos pela cidade para conhecer os principais pontos até dá a hora do ônibus para Uyuni.
Os horários dos ônibus para Uyuni são 11:00, 12:00, 18:00 e 19:00, você indo nos dois mais cedo vai pegar uma paisagem fantástica durante a viagem mas aproveita pouco Potosi, pode ficar um pouco corrido, mas dá tempo de chegar em Uyuni procurar um albergue fechar o passeio do Salar e dormir mais cedo, é uma vantagem. Eu peguei o ônibus das 19:00 são umas 6 horas de viagem até Uyuni fomos pela empresa Trans Imperador por 35 bol. Chegamos em Uyuni lá pelas 1:30 da madruga um frio glacial, chegou machucar rsrs e fomos para o Hostal Avenida, Av. Ferroviária, quase ao lado da praça, muito conhecido em Uyuni ficamos lá por 30 bol cada um.
Em frente ao local onde chega os ônibus de Potosi existe o Hotel Salvador, se não me engano ele sai a 25 bol, mas o Hostal Avenida é melhor, mesmo sendo o pior albergue q ficamos durante a viagem, fica por sua conta decidir como é apenas uma noite talvez a opção mais rápida e barata prevaleça, o negócio é correr do frio.

GASTOS:

• Táxi terminal / hostal – 20 bol (para 6 pessoas)
• Hostal San Antonio - 60 bol
• Pizza e Refri – 15 bol
• Excursão Minas de Prata – 50 bol (meio dia)
• Almoço no hotel – 10 bol
• Passagem para Uyuni – 35 bol (Trans Imperador)
• Hamburguesa – 6 bol
• Toca de lã de alpaca – 20 bol
• Hostal Avenida (Uyuni) – 30 bol

Legenda da Foto
Chola trabalhadora das minas e ao fundo o Cerro Rico.


5º 6º e 7º dias – Uyuni

Acordamos bem cedo pois ainda não tinha fechado o pacote para o salar de Uyuni, embora exista um milhão de empresas que façam o passeio com saídas diárias às 10:30 da manhã, se você quiser fechar o pacote antes por e-mail ou algo do tipo é bom q você evita qualquer imprevisto. Uyuni não é um local que vale ficar um dia inteiro por lá, na própria manhã q vc sair já da pra conhecer a cidade. Aqui a grande dúvida é: Qual empresa contratar??? Não sei para vocês mas, para mim depois de Machu Picchu este é o ponto mais importante da viagem, então não podemos errar pois senão os próximos 3 dias vão ser tensos. Li bastante sobre qual a melhor empresa em relatos de mochileiros e em fóruns fui para lá com as seguintes empresas indicadas: Colque Turs, Cordilheira Tours, Andrea’s Tours. Optei pela Colque Turs, que fica na Av. Potosi, próximo ao mercado, existe uma polêmica nos fóruns sobre esta empresa e realmente tenho pontos positivos e negativos a destacar, a minha experiência foi boa e eu indico a empresa masssss... é uma empresa antiga que já tem o seu lugar no mercado, tem uma frota grande de carros e o que eu achei um ponto super positivo é que tem um abrigo próprio e muito confortável para o 1º dia, com banho quente e energia para recarregar as baterias das cameras, também não precisa ir cozinheira junto pois já tem uma localizada nos pontos chaves. Isso é positivo. Pensando por outro lado, por ser uma empresa que já tem um tempo, os carros não são lá grande coisa comparado com os outros que eu vi, pra ser sincero eu via os carrões de outras empresas chegando e fui achando o máximo ai quando chegou o nosso eu me perguntei se ele ia agüentar o regaço hehehe mas apesar de estar bem surrado ele não quebrou nenhuma vez, o guia também já tava meio acabado 8 anos como guia o cara parecia cansado e preocupado sempre, na verdade ele não foi guia, foi motorista, a frase que o definia era “Trabalha muito, fala pouco” ainda bem que tinha levado uns livros ia lendo sobre as explicações e sobre os locais que estávamos passando. Acredito que este tenha sido o lado ruim da viagem, mas o lance é que estávamos em 6 caras muito doidos que não ligavam pra nada, agente fez a viagem ser fantástica independente do guia, no final ele tava até conversando rsrsrs quando se esta assim não tem tanto problema.
Preço. Conseguimos fazer por U$ 75,00 depois de chorar um pouco, a Colque aceita cartão de credito, mas cobra 8% a mais.
Depois de contratado o passeio e pago as 75 doletas não teremos que nos preocupar com gastos até o final do 3º dia, as únicas coisas que não estão inclusas são bebidas, entrada na Ilha do Pescado que custa 15 bol e entrada na Reserva Eduardo Alvaroa que custa 30 bol.

Então aqui vai algumas dicas para o passeio: compre bastante água em Uyuni e levem muita, levem também papel higiênico é importante hehehe biscoitos e porcarias para comer durante a viagem, o que esta incluso é só o básico café da manha, almoço e janta, leve muita roupa de frio porque a noite a temperatura geralmente é abaixo de zero, chegamos pegar -15°, principalmente quem vai de junho a agosto que é o período de inverno eu recomendo até levar sacos de dormir, ou se não quiser levar em Uyuni tem para alugar, óculos de sol é indispensável, protetor labial e solar.
O carro cabe 6 pessoas 7 com o motorista, não deixe a empresa colocar mais que isso senão já fica desconfortável, e antes de sair procure saber qual a programação e cobre o guia para passar em todos os lugares. No final do 3º dia você tem 2 opções, ou segue para o Chile até São Pedro do Atacama ou retorna a Uyuni, no meu caso eu fui para o Chile então eles nos deixam na aduana que mais parece um buteco, agente faz todo o procedimento paga U$ 4,00 que eu ainda não descobri para que e nem o porque mas paguei para evitar qualquer problema, porem se você é daqueles que gosta de fazer valer o direito e não perde a oportunidade de discutir com uma autoridade vá em frente hehehe eu não tive que pagar nada pela van até São Pedro pois ela era da Colque, não sei se as outras pessoas de outras agencias tem que pagar, acho que não, enfim são 40 minutos de viagem em uma estrada muito bonita por sinal, até chegar em São Pedro lá vc gasta mais um tempo com procedimentos de entrada no país que é um pouco rígido com direito até a cão farejador e pronto estamos no Chile.
Estas são as dicas para o Salar, não tenho como contar como foi lá e tentar descrever as paisagens porque senão iria ficar muito tempo escrevendo, só digo que foi um dos 3 dias mais fantásticos da minha vida e valeu muito a pena aproveite ao máximo esta experiência e tire muitas fotos.

GASTOS:

• Café da manha Uyuni (reforçado) – 14 bol
• Água grande – 6 bol
• Passeio salar de Uyuni – 75 dólares
• Entrada na Isla del Pescado – 15 bol
• Entrada na reserva Eduardo Avaroa – 30 bol
• Coca cola 600 ml na ilha do pescado – 8 bol
• Aduana Bolívia/Chile – 4 dólares
• Três dias dentro de um 4x4 com os amigos pelo salar de Uyuni – não tem preço ::otemo::




Imagem
Isla del Pescado, Salar de Uyuni


Imagem
Vulcão Licancabur e a Laguna Verde, umas das muitas paisagens inesqueciveis do passeio.


Imagem
Arbol de Pedras, em meio ao deserto de Silolli


Por enquanto é isso galera, espero que ajude em alguma coisa, qualquer dúvidas que forem tendo podem perguntar que na medida do possível vou tentar responder... Continuo a postagem em breve abraço a todos
Editado pela última vez por Victorcolonna em 16 Mai 2015, 17:49, em um total de 9 vezes.

#464444 por Victorcolonna
21 Abr 2010, 10:05
Fala Bruninha tudo bom!!!
Então minha viagem foi em maio/2009, o frio estava começando a chegar e mesmo assim teve uma noite no salar de Uyuni que pegamos -15°super punk, mas sobrevivemos hehehe, os meses mais gelados são de junho a agosto, como vc vai em setembro talves pegue o finalzinho mas tranquilo...

Fiz uma apostila bem bacana que eu utilizei para viajar, com quase 70 paginas e bastante informação se quiser depois te passo por email para vc ver se aproveita algo, essa fase de juntar informações é essencial para a viagem, além de ser, na minha opinião, o inicio da viagem. Aproveite! Abraço
#464452 por Victorcolonna
21 Abr 2010, 11:32
Continuando...

7° e 8º dias – São Pedro do Atacama

Chegamos em São Pedro umas 11:00 da manha, lembre-se que aqui agente ganha mais uma hora pois o fuso é diferente, portanto atrase o seu relógio em 1h. Como estávamos com a Colque Tur eles nos deixaram em frente à oficina da própria Colque em São Pedro, já aproveitamos para fechar todos os passeios que iríamos fazer e com um desconto especial pois já tínhamos feito o salar de Uyuni com eles, foi uma economia boa, aconselho. São Pedro é uma cidade interessante e extremamente turística difícil é ver chileno por lá rsrs só se encontra estrangeiro, a cidadezinha é tipo faroeste com as ruas todas de terra batida e a maioria das casas feitas de adobe, que parece barro vermelho, cachorros por todo canto da cidade, inclusive dentro de restaurantes e albergues (o que rendeu um apelide de "San Perro do Atacama" rsrs, uma grande variedade de passeios para se fazer, é bem diferente e bem cara também, aliás tomem cuidado, para quem chega da Bolívia acostumado com uma cotação super favorável, sofre um pouco para entender o dinheiro do Chile, encontramos uma cotação à 565 pesos para cada dólar em uma das muitas casas de cambio espalhadas pela cidade, aqui eles são bem chatos com questão das notas de dólar, elas não podem ter um rasgadinho sequer tem que ser quase perfeitas portanto notas velhas, amassadas e riscadas nem sonhando e nem de 1 dólar também eles não pegam. Com cambio feito e passeios contratados agora é hora de procurar um albergue, tínhamos algumas indicações como por exemplo o Hostal El Monte, ele fica um pouco pra cima do cemitério e diríamos que é um pouco afastado do centro (mas é até sacanagem falar isso pois a cidade é um ovo é tudo pertinho) todos os brasileiros que encontramos estavam nesse hostal e fizeram comentários muito bons de lá, o preço inicial estava em 8000 pesos por cabeça, sendo q se vc estiver em um grupo grande pode cair, um lugar bem bacaninha também é o Residencial Florida que fica na Calle Tocopilla 406, ele é bem localizado tem tudo q você precisa e o preço é de 5000 pesos por pessoa, eu fiquei no Hostal Alana que fica na Licancabur 294, é um lugar bem simples mais bem familiar, só tem 4 quartos, tem uma cafeteria do lado que serve almoço e café da manha, valeu super a pena ter ficado aqui pois foi um lugar barato, tranqüilo o que fez com que agente não gastasse muita grana com bebida e coisas do gênero, caso tivessemos ficado em um mais movimentado, e sobretudo pela atenção das pessoas que são proprietárias lá eu recomendo a todos. Observação: na oficina de turismo que fica perto da praça principal existe um tarifário de alojamentos turísticos que diz todos os albergues com preços e o que tem neles é muito bom eu até tenho ele aqui comigo quem quiser é só falar que passo por email.
Neste dia que chegamos ficamos por conta fomos andar a toa pela cidade, entramos na net, compramos presentes, e aproveitamos e já compramos a passagem para Arica que é a próxima cidade, esta passagem pode ser comprada no terminal Tur Bus que é o único que faz a rota, o horário para Arica é 20:30h, este terminal também é na calle Licancabur quase do lado do Hostal Alana em que fiquei, o preço da passagem um pouco salgado 15.000 pesos, mas a viagem é longa e o busão é bom, e eles ainda aceitam cartão de crédito, vale a pena. Na nossa programação só vamos fazer um passeio que é o vale da lua e o vale da morte, então tivemos este primeiro dia livre porém, este tempo da pra ser melhor aproveitado caso tenham mais passeios. Pagamos pelo passeio do vale da lua com o vale da morte 8 dólares, o equivalente a 4500 pesos, mas na entrada do vale da lua você tem que pagar mais 2000 pesos, então lembre-se quando você fechar o pacote pergunte se isto esta incluso ou não, o outro passeio clássico é o Geyser del Tattio, optamos por não fazer pois já tínhamos visto geysers em Uyuni e também achamos um pouco caro, mas todos que foram não se arrependeram, se for encarar prepare-se para acordar muito cedo e pegar muito frio. Dá também para você alugar uma bike e uma prancha de sandboarding e se aventurar nas dunas do vale da morte você não consegue fazer isso por menos de 5000 pesos e tem que ter disposição para andar de bike até as dunas (uns 5 km) (de subida) (rsrs) existe também excursões só pra te levar até as dunas não lembro o preço mais é super fácil de achar.
Dicas: comida em São Pedro é caro então se vc quiser economizar compre umas coisas em uma mercearia qualquer, agente tinha levado cup noddles (miojo no copo hehehe) e foi a hora de usá-lo. A rua principal é a Caracoles lá vc encontra tudo o que o turista precisa, os restaurantes são muito estilosos por dentro vale a pena conferir.

GASTOS:

• Passeio dos Vales da Lua e da Morte – 4500 pesos
• Entrada no Vale da lua – 2000 pesos
• Hospedagem Hostal Alana – 5000 pesos
• Café da manha e almoço no hostal – 3000 pesos (muito bom)
• Coca Cola lata – 1000 pesos
• Internet – 1000 pesos a hora
• Ligação para Brasil – 350 pesos minuto
• Passagem para Arica – 15.000 pesos
• Presentes – 3000 pesos
• Almoço Oba Oba em restaurante bonzão – 5000 pesos
• Back up das fotos gravadas em DVD – 2000 pesos

Lembrem 1 dólar = 565 pesos, ou seja gastei quase 80 dólares em 1 dia e meio e economizando, tomem cuidado hehehe.



sanpedro1
Valle de la Muerte - Deserto do Atacama.



sanpedro2
Valle de la Luna, prepare-se para um pôr do sol inesquecível



9º dia – Arica / Tacna / Arequipa

Chegamos em Arica ainda de madrugada, tipo 5:00 da manhã a viagem durou 10 horas e o busão foi muito bom, deu até biscoitinho pra gente. Em Arica o objetivo era ficar meio dia, conhecer o que tinha pra conhecer e já ir embora para Tacna e então começar nossa aventura pelo Peru, e foi o que fizemos, deixamos as bagagens no próprio terminal por 700 pesos cada e partimos. A cidade tem algumas coisas interessantes para se ver e é muito bonitinha nós ficamos perambulando das 6 da manha até mais ou menos meio dia, (detalhe a cidade só funciona depois das 10:30, depois falam q baiano é q nao trabalha) inventamos de subir a pedra do mirante, q foi meio trash pois fomos a pé, mas valeu super a pena também pois lá de cima da pra ter uma vista boa da cidade banhada pelo oceano pacífico. Uma coisa interessante que eu não tinha visto em nenhum roteiro é que existe um trem de Arica para Tacna, esse trem é mais barato do que vc ir de busão ou mesmo de taxi, não conseguimos pegar por causa dos horários mas se programar talvez valha a pena, segue a foto com os horários e valores.

arica1
Valores e horários do trem de Arica(Chile) - Tacna(Peru)[picturethis=]


O terminal internacional fica próximo ao terminal aonde agente chega em Arica, é só sair dele e caminhar para direita e lá estamos, lá agente foi atrás de um taxi para irmos para o nosso próximo destino que seria Tacna já no Peru, o terminal é uma zona, aparece uns 10 motoristas de taxi querendo te levar pra tudo quanto é lugar e os caras vem na empolgação e disputam você, é uma coisa de louco, bom a minha dica é “ignorá-los” entrar no terminal para você ter tempo de analisar e pechinchar, não tem um preço definido o que conta é o seu poder de convencimento, nós conseguimos pagar 2200 pesos por cabeça, fomos os 5 mais o motorista, a viagem é curta e no caminho só deserto, para esquerda e para direita a única coisa que se vê é deserto. Chegamos a aduana Peruana e nos surpreendemos com a organização, carimbamos o passaporte e pronto, estamos no Peru. A melhor opção sem dúvidas é ir de taxi, o preço é um pouco a mais do que ir de busão, mas as vantagens são enormes. De taxi o cara arranja mais 3 pessoas para enche-lo e te leva mais rápido do que o onibus que tem capacidade para 40 pessoas. Com o taxi quando você para na aduana do Peru para carimbar o passaporte tem que esperar somente os outros 3 que estão com você para seguir viagem novamente visto que se for de busao tem que esperar todo mundo.
Já chegamos em Tacna direto no terminal onde compramos a passagem pra Arequipa, não tínhamos intenção de permanecer na cidade, o que vimos de interessante é uma zona de comercio muito grande onde as coisas são bem baratas tipo um Paraguai da vida. No próprio terminal você consegue fazer o cambio, comprar os seus soles e acabar com os traumáticos pesos chilenos rsrs, tem um monte de tiozinho e tiazinha que funcionam como cambio e apesar de suspeito é bem seguro, fizemos o cambio inicial a 2,94.
A melhor empresa para se viajar pelo Peru é a [b]Cruz Del Sul, consequentemente é a mais cara também, existem varias empresas boas e com os preços mais em conta (Flores, por exemplo), fomos para Arequipa pela empresa Moquegua’s Tur pagamos 30 soles em um bus cama totalmente confortável com cadeiras reclináveis 180° hehehe nem parece que somos mochileiros, mas o preço colaborou. Existe ônibus com certa freqüência então não precisa se preocupar com horários, nos pegamos o busao das 14:30 e chegamos em Arequipa já pela noite, a viagem demora um pouco pois o busao para muito, então no final são quase 8 horas de viagem. Em Arequipa só chegamos procuramos uma hospedagem que fosse próximo a Plaza das Armas, tomamos um super banho relaxante e fomos descansar, estávamos quebrados, ficamos no Baviera Hostal (Calle Palacio Viejo 319-D – http://www.hotelbavierasrl.com) fizemos um acordo com o recepcionista de colocar 5 camas em um quarto só, e o preço da hospedagem saiu a 20,00 soles por pessoa, foi um bom negócio pois o hotel é bem localizado e bem bacaninha tem um terraço onde podemos ter uma vista dos vulcões, enfim valeu a pena, a não ser pelo motivo de ter um desentendimento na hora de pagar o que acabou virando minha primeira discussão em espanhol (foi bom para o currículo rsrs).

GASTOS:

Arica
• Guarda bagagens no terminal – 700 pesos
• Taxi para Tacna – 2200 pesos + 200 direito de uso do terminal

Tacna
• Passagem para Arequipa (Moquenguas Tur) – 30 soles
• Almoço – 10 soles
• Inka Cola 2,25 litros – 6 soles


arica2
Pedra do Mirante em Arica, nosso 1º contato com o oceano pacífico.
Editado pela última vez por Victorcolonna em 22 Abr 2010, 11:16, em um total de 1 vez.
#464457 por Victorcolonna
21 Abr 2010, 11:48
10º e 11º dias - Arequipa

Acordamos cedo e fomos desvendar as belezas de Arequipa, eu estava com muitas expectativas para essa cidade, tinha lido bastante sobre ela e estava ansioso para conhecê-la, e as expectativas foram atendidas...
Primeira parada como sempre Plaza das Armas e em frente à praça adivinha o que tem? A catedral rsrsrs porém, essas aqui são diferentes, não é uma praça comum é talvez a mais bonita de toda América do Sul talvez eu esteja exagerando mas é bem bacana mesmo, era um domingo e a praça estava lotada tinha muita gente, crianças, adultos, velhos, que ficavam ali conversando, dando comida para as centenas de pombos, brincando, tirando foto com o chafariz é muito legal o clima que estava no ar, em volta da praça de um lado a imensa catedral e nos outros três lados construções padronizadas em colunas onde ficam as lojinhas de bujingangas, as agencias de turismo, restaurantes e essas coisas pra turista, ali ficam uns dos melhores restaurantes para se comer e com a vantagem de ter a vista da praça que seja dia ou seja noite é linda. Como era domingo fomos a catedral estava tendo missa, ficamos um tempo por lá, tiramos foto e saímos, atrás da catedral tem uma rua, quase um beco, bem agradável onde tem uns barzinhos com musica e as tiazinhas vem vender pinturas feitas a mão pelos maridos delas e bonequinhas de pano caracterizando a cultura quechua. Ficamos rodando pela cidade toda, pelas principais ruas e igrejas, fomos até em um cassino jogamos e perdemos tudo hehe, a cidade é bem bonita e bem agradável. Na hora do almoço procuramos por um restaurante que havia passado no globo repórter para podermos comer comidas típicas do Peru, foi aquele dia pra esbanjar, mas valeu muito a pena o nome do restaurante é Sol de Mayo, não peguei o endereço mais é bem famoso todos os taxistas conhecem, pedimos 5 tipos de pratos diferentes todos típicos e cada um beliscava o do outro, foi aqui que conhecemos o famoso CUY que é um tipo de porquinho da índia que eles comem lá, comemos também ceviche, chincharon, e uma pimenta recheada com carne, todos muito bons até o cuy hehe. No final até ganhamos uma musica em nossa homenagem pois havia uma banda tocando lá, e como brasileiro sempre faz bagunça a banda tocou Amigo do rei Roberto Carlos, e nós fomos a loucura...
Saindo do restaurante próxima parada Mirador Yanahuara fomos a pé mesmo é relativamente perto, de lá do mirador é possível ter uma vista do vulcão El misti entre arcos feitos de rocha vulcânica e um tapete de flores vermelhas, vale a pena e é de graça. Voltamos andando para o hostel, saímos a noite fomos em alguns bares e restaurantes próximos a praça, no outro dia acordamos cedo e fomos até a feira de Arequipa que é bem bacana também e um pouco perigosa, pelo menos todo mundo falava com agente para ter cuidado, tomamos alguns sucos estranhos lá e quem quiser comprar porcarias lá tem de monte, tiramos a manhã pra conhecer pessoas então fomos nessa feira e depois sentamos lá na praça ficamos de papo com alguns moradores na escadaria da catedral, foi um tempo muito bom e enriquecedor. A tarde outra parada obrigatória em Arequipa o Monastério de Santa Catalina que está aberto a visitação geralmente de 9:00 da manhã até as 5:00 da tarde e tem guias em português, o valor da entrada é um pouco caro 30 soles, mas vale a pena o passeio é bem interessante e o lugar é lindo. Para o fim de tarde fomos até um restaurante que fica na praça principal o nome dele é Terrace, ele fica a direita da catedral é o local mais alto onde tem umas sombrinhas de guarda sol, fácil de achar, e é super recomendado a vista do por do sol lá de cima com o fundo dos vulcões e uma musica típica sendo tocada foi sem dúvida muito especial, o tratamento também é especial logo q vc chega eles põem um poncho em você para proteger do frio e eu até consegui tocar uma musica com os camaradas que estavam fazendo um som andino hehehe ah e outra coisa, os preços são normais, foi bem bacana despedida perfeita da cidade, afinal pegaríamos o ônibus para Nazca daqui a algumas horas.
Bom, resumindo, Arequipa é fantástica, bonita, romântica, cheio de atrações vale muito a pena, lógico que tem muitas outras coisas para fazer por lá como, por exemplo, visitar a múmia Juanita, menina encontrada congelada nas montanhas, que está localizada no Museo de Los Santuarios Andinos de La Universidad Santa Maria, e o mais famoso de todos que é o Canyon Del Colca. A minha opção por não fazer estes dois passeios foi exclusivamente para economizar, a entrada no museu se não me engano era 50 soles, e o passeio do vale do Colca não saia por menos de 110 soles, então optamos por ficar na cidade e aproveitar tudo o que ela tinha para nos oferecer. O passeio do Colca vale muito a pena a maioria das pessoas só vai para Arequipa para fazer este passeio, então se programe para 2 dias de passeio, existe também a opção do passeio em um dia, mas não vale a pena pois fica muito cansativo pois são 5 horas pra ir e mais 5 pra voltar e o preço não cai tanto. As empresas em geral vão oferecer pacotes de 60 a 70 soles por pessoa, porém tem outros valores que não estão inclusos no pacote que totalizam 45 soles, fora os seus gastos normais, eu estava esperando algo mais barato por isso não pude ir, mas se vc se programar acho que vale a pena, mas não perca a cidade de Arequipa também pois é muito bacana.
O albergue que indico é o Arequipa Suites Plaza Hostal (Portal de Flores 102, Plaza de Armas- http://www.asuitesplaza.com) 30 soles, localização perfeita e ambiente perfeito também, em cima deste hostal está o restaurante Terrace que comentei acima.
Passagem para Nazca se compra no próprio terminal de Arequipa (o mesmo onde vc chega) e nós compramos por 35 soles na empresa Romeliza Tour, o busão saiu às 21:30 e tinha previsão de chegar em Nazca às 7 da manhã.

GASTOS:

• Baviera Hostal – 20,00 soles (x2 noites)
• Taxi em geral – 5,00 soles por corrida
• Almoço Típico – 30,00 soles
• Presentes – 30,00 soles
• Outros gastos com alimentação – 35,00 soles
• Passagem para Nazca (Romeliza Tour) – 35,00 soles
• Ligação 1 min. – 0,50 soles
• Entrada no Monasterio S. Catalina – 30,00 soles


arequipa1
Plaza das Armas em Arequipa.



arequipa2
Comidas típicas peruanas



12º dia – Tentando chegar em Nazca ::mmm:

A idéia inicial era sair de Arequipa de noite para chegar em Nazca de manha bem cedinho, fazer o sobrevôo sobre as linhas de Nazca e na parte da tarde já ir para Ica. Essa era a idéia inicial... O que aconteceu foi que por volta das 3h da manhã o busu parou e ficou, quando amanheceu nos demos conta do que estava havendo. Os mineiros de todo o pais entraram em greve e fecharam todas as estradas, um engarrafamento incrível que estava bloqueando todas as rodovias principais do país, então usamos aquela velha e boa tática, se não pode vencê-los, junte-se a eles, e fomos conversar com os mineiros, pra nossa sorte, mesmo sem querer, acabamos conhecendo um dos cabeças do bando que gentilmente já nos recebeu com uma lata de Cusqueña na mão, o cara sabe fazer amizade, daí nós entramos no meio dos mineiros com o cara, Pedro o nome dele, e entre uma latinha e outra atravessamos o bloqueio, dai fomos ver a real situação que estávamos nos metendo, centenas de homem com pedras e pedaços de pau nas mãos aguardando a policia, mas nada com a gente, os meninos que nessa altura do campeonato já estavam bêbados, compraram logo um garrafa de rum e ofereceram para todos, ai falávamos que éramos brasileiros e que apoiávamos o movimento deles e tudo estava em casa, bom, a greve durou até umas 16:00 da tarde, mais de 12h parados tomando cerveja por conta do sindicado dos mineiros peruanos, afinal Sr. Pedro, um cara muito modesto fez questão de pagar tudo.
Apesar do atraso, foi um excelente momento para se fazer amizades, conhecer o povo no seu cotidiano, conversar e saber como eles vivem quais seus costumes etc, conheci muita gente, mineiros revolucionários, mulheres aymaras, viajantes q estavam na mesma onda q agente, fomos também andando até um vilarejo próximo e ficamos conversando com as pessoas das casas inclusive achamos um menino chamado Edmundo Romário, ai foi uma festa a parte, foi muito bom. Enfim chegamos a Nazca 24 horas depois do previsto, sujos sem comidas cansados, mais sobretudo felizes com a experiência, ah detalhe viemos assistindo no busao um filme mexicano de 1973 o nome do filme diz tudo: "Mama yo soy paquito" muito ruim mas... A estrada até Nazca é um espetáculo a parte de um lado deserto muito deserto com dunas gigantescas e do outro o oceano pacifico foi de tirar o fôlego, trata-se da rodovia Panamericana, e ai vai uma dica, compre passagens do lado esquerdo do ônibus e de preferência as primeiras, você não vai se arrepender. Chegamos a Nazca por volta das 21h, cidade pequena e feia, mas é onde vamos fazer o sobrevôo das famosas linhas amanha pela manha. A hospedagem aki em Nazca não estava prevista mais devido a situação, não tivemos escolha então ficamos no Hostel Mirador, em frente a praça principal, muito bacaninha e barato também 25,00 soles por cabeça, e tem até TV.


nazca
Greve dos mineiros que nos deixou 12h parados na estrada... faz parte


13º dia – Nazca

Acordamos bem cedo fomos fechar o sobrevôo pelas linhas de Nazca, aparentemente não importa em qual empresa você feche o passeio todas elas são apenas intermediárias, os aviões serão os mesmos e os percursos também, por isso vá a empresa mais próxima ou até mesmo no hostel já aparece alguém te oferecendo e ai vai do seu poder de negociação, nós conseguimos fechar por 55,00 dólares, o avião cabe 5 pessoas e é bem seguro, o passeio dura em torno de 30 min. Outro passeio que fizemos foi para o cemitério de Chauchilla onde podemos ver várias múmias do período Nazca, é legal pois tem muita parte histórica, levando em conta que a cultura Nazca é mais antiga que os incas, é interessante ver a influencia e o legado que este povo deixou. Neste passeio também está incluso visita a fabricas de cerâmicas nazca e mais história... Nós pagamos 40 soles com um carro só pra gente e guia particular, sei lá... foi legal mas acredito que nem todo mundo vai curtir esse passeio. Em Nazca existem outras opções de passeios como os aquedutos e outros para ver as linhas de perto, eu não perderia muito tempo, o que fizemos foi pegar um busão do terminal de Nazca até um mirador que fica na rodovia já a caminho de Ica, lá é possível ver dois desenhos das linhas de Nazca, (as mãos e a árvore) é super válido pois você consegue ver as linhas de perto e saber como elas foram feitas e além do mais vc paga 2 soles de transporte pela empresa de ônibus Flores, e mais 2 soles para subir no mirador, empresas de turismo iriam cobrar caro para te levar a este mirador portanto vá por conta própria, não tem erro. De lá mesmo, você pega o ônibus da empresa Flores para Ica, vai lhe custar mais 8,00 soles, e o busão para no meio da estrada é só dar o sinal, a viagem até Ica é tranqüila e dura no máximo 2 horas.

GATOS:

• Hospedagem (Hostal Mirador) – 25,00 soles
• Presentes – 12,00 soles
• Sobrevoo Linhas – U$ 55,00 dolares
• Passeio cemitério Chauchilla – 50,00 soles
• Passagem para o mirador – 2,00 soles (+ 2,00 entrada)
• Passagem para Ica (Flores) – 8,00 soles
• Agua grande – 3,00 soles
• Almoço – 10,00 soles


nasca2
As famosas linhas de Nazca, figura do colibri.
Editado pela última vez por Victorcolonna em 22 Abr 2010, 11:18, em um total de 1 vez.
#464511 por bruninhajipa
21 Abr 2010, 16:19
Oi Victor
então, eu vou querer a apostila sim... se vc não se importar de me mandar, é claro.
(bruninha_cap@hotmail.com)

Vai postando, que eu vou lendo, ok... rsrs

As fotos estão ótimas! Aquela do pôr do sol então... maravilhosa! A do Vulcão Licancabur tb!
Só não gostei muito daquela das comidas típicas peruana... deu nojinho! rs

abraço
#464547 por Daniela Sobral
21 Abr 2010, 19:50
Nossa, tá super legal seu relato!!!! ::otemo::

Adorei as fotos, pretendo fazer um roteiro parecido em agosto (sem o Peru, que pretendo fazer numa segunda viagem); as fotos do valle de la muerte estão lindíssimas!!!!

Sem querer abusar da sua boa vontade, gostaria que vc me mandasse a já famosa apostila, se possível.... ::cool::

Meu e-mail é: dani020976@yahoo.com.br

Gracias!!!! :D
#464662 por Victorcolonna
22 Abr 2010, 10:38
Continuando...

14º dia – ICA

Chegamos em Ica pela parte da noite, diferente do que eu imaginava a cidade é bem grande e bem movimentada, lembra um pouco o transito da India com aquele monte de carrinhos pequenos e mototaxis buzinando adoidados e numa confusão de ruas que só eles entendem, mas não foi isso que viemos buscar em Ica. Do terminal pegamos um taxi direto para Huacachina, um oásis no meio do deserto, fomos com indicação de um albergue que a maioria dos mochileiros fica que é o La Casa de Arena II, existem dois albergues Casa de Arena passamos no primeiro e é um lance mais reservado mais tranqüilo, o segundo é tudo de bom, tem piscina, restaurante estilizado, e fica encostado nas dunas muito bacana, recomendo. Fechamos os passeios todos no próprio albergue, a vantagem é que você consegue um desconto na hospedagem que passa a ser 15 soles por pessoa(muito barato) e contratando mais de um passeio você consegue também uma boa pechincha nós fechamos por 60,00 soles o passeio para as ilhas Ballestas, e 35,00 soles o passeio de buggy pelo deserto com sandboarding, todos dois absolutamente imperdíveis. :mrgreen:
Para as Ilhas Ballestas agente sai bem cedinho, vem uma van nos buscar no albergue e agente vai para a cidadezinha de Paracas, acho que é mais ou menos 1 h de viagem, chegando no ponto de onde saem os barcos, da para aproveitar um pouco e quem quiser tomar um café tem um calçadão bem bacana repleto de bares e restaurantes, mas não coma muito afinal você está indo para o mar... Paga-se uma taxa de 2 soles por pessoa para o uso do “terminal aquático” e depois embarcamos, tente ficar do lado esquerdo do barco pois é o lado onde tem o candelabro e da pra ver melhor as coisas por onde passamos. O passeio é fantástico e tem duração de toda a manhã, leve chapéu para se proteger dos tiros dos passarinhos que estarão voando em cima de suas cabeças, protetor solar e óculos q nunca pode faltar, neste passeio você irá ter contato com golfinhos, pingüins, leões marinhos, milhares de pássaros de todas as espécies é muito legal fora a beleza do lugar q impressiona sempre.
Acabado o passeio você fica um tempo ainda livre para poder comprar coisas nas barraquinhas que ficam no calçadão, e para almoçar se for o caso, nós preferimos almoçar em Ica mesmo para economizar.
Nosso passeio de buggy estava marcado para as 14:30 então foi o tempo que tivemos para comer e pegar uma piscina no albergue. Vá com roupas leves e sujas hehehe pois você além de suar, vai voltar com areia em todas as partes do corpo.
No buggy cabem 8 pessoas, e os motoristas são insanos, acho q foi a coisa mais radical q já fiz na minha vida, (e olha que já fiz rafting, rapel, parapaint entre outros) o motorista, carinhosamente apelidado por nós de "Sergião" era um fanático o cara botava mais de 130 km/h no buggy descendo dunas q chegavam a ter 60 metros de altura e quase a 90 graus (exagerei um pouco né) putz foi muito doido, o passeio dura 3h e a paisagem é sem noção de tão bonita, nas dunas mais altas ele parava o buggy para q agente pudesse fazer o sandbording, na primeira vez deu um medo do caramba pois é muito alto, mais depois de algumas quedas já estava valente e ia encarando tudo, descemos de bunda, de frente, de costa de tudo quanto é jeito foi algo muito marcante, adrenalina total e no fim da tarde paramos em uma duna em cima do oásis para ter a vista do sol se pondo e o oásis no fundo, este foi um dos dias mais divertidos da viagem.
Em Ica dá pra curtir bastante só em Huacachina, eu ficaria uma semana lá aproveitando se pudesse, como agente já tinha perdido um dia parado na estrada por conta da greve, decidimos ir embora no mesmo dia para Cuzco, mas se você esta querendo um lugar na sua viagem para gastar um dia a mais e “descansar” um pouco escolha Huacachina e não vai se arrepender.
Os ônibus para Cuzco saem do terminal e tem bastante disponibilidade, começam a sair às 13:00 e o ultimo é às 23:00, agente optou pelo busao das 21:30 que atrasou e saímos quase as 23:00 rsrs acontece, a viagem para Cuzco é longa e cansativa, por isso prepare-se, são 14 horas de viagem e a estrada é bem sinuosa, mas também é bem bonita, compramos a passagem pela empresa Palomino, por 110,00 soles, não temos o q reclamar do busão é muito bom a não ser pelos clipes musicais peruanos que eles ficam passando nas televisões que chegam ser mais bregas que Amado Batista em inicio de carreira kkk. Então é isso, finalmente CUZCO!

GASTOS:

• Hospedagem (La Casa de Arena II) – 15,00 soles
• Taxi até Huacachina – 10,00 soles
• Pizza e refri – 14,00 soles
• Passeio Ilhas Ballestas – 60,00 soles
• Passeio Buggy e Sandboarding – 35,00 soles
• Almoço – 10,00 soles
• Passagem para Cuzco (Palomino Turs) – 110,00 soles



Legenda da Foto
Os milhares de passaros nas Ilhas Balestas.



Legenda da Foto
Oásis Huacachina, lugar fascinante!!!.



15º e 16º dias – Cuzco

Como o ônibus atrasou na saída só conseguimos chegar a Cuzco por volta das 15:00, já a tarde, a galera tava meio cansada pois a viagem é punk, alguns passaram mal e também como estamos na metade da viagem acho que bateu um certo cansaço, então fomos procurar um albergue e descansar.
Chegando a Cuzco, várias pessoas vão te oferecer panfletos de albergues/hotéis, pegue-os, mas não confie (pode ser golpe); pegue um táxi e vá direto para a Plaza de Armas, de lá, ande pelas ruas mais próximas e comece a pechinchar os preços dos albergues/hostel; Tudo acontece na Plaza, procure se hospedar o mais próximo possível. (do Terminal até a Plaza de Armas, o valor da corrida é S/5,00, não pague mais, ande até a rua fora da rodoviária para pegar o táxi; a noite o preço pode subir até s/8,00).
Em Cuzco existem muitas opções de hospedagem, o importante é você ficar próximo a Plaza das Armas, eu fiquei em dois albergues durante minha estadia em Cuzco, o primeiro foi Hostal Rojas que fica na Calle 7 Cuartones atrás da praça principal, lugazinho simples mais deu pra ficar tranqüilo pagando 20 soles, curiosidade é que lá é quase uma base do pessoal de Israel, só tem israelense hospedado rsrs. O segundo que eu fiquei foi o Hotel Qorikancha que fica na Calle Matara 261, este já era um hotel mesmo muito bom por sinal, e nos custou apenas 25 soles, não tem aquele clima de albergue mais é muito confortável e tranqüilo.
Cuzco é uma cidade fantástica, tem muitas opções de bares, restaurantes, baladas, museus, sítios históricos, enfim é um lugar recheado de atividades, porém, prepare os bolsos pois é um pouco caro. Uma dica bem legal é procurar a Polícia Turística para receber qualquer tipo de informações que necessitar. Eles são prestativos e bem informados, nos ajudaram muito, acompanhando-nos ao hotel, negociaram preços com agência de tour, nos levaram à estação de trem para comprar os bilhetes para viagem até Águas Calientes, enfim foram ótimos!
Bem, em Cuzco vc tem que reservar (além do dia em Machu Picchu) outros 02 dias para os tours básicos!!! É melhor fazer esses tours antes de ir pra Machu Picchu, para não perder a graça rsrs.
Um deles é o Tour pelo Vale Sagrado (Pisaq, Ollantaytambo, Chinchero), que leva 01 dia inteiro e é imperdível!! O valor é de 20 soles – os passeios saem todos os dias por volta das 8:30 da manhã.
O outro é o tour pelas ruínas próximas a Cusco (Qenqo, Puca Pucara, Tambomachay, Sacsayhuaman, Qoricancha, etc), que leva 01 manhâ ou 01 tarde, o valor também é de 20 soles.
Lembrando que 20 soles é o que as empresas cobram para te levar até estes lugares, para você conseguir entrar neles você tem que comprar o Boleto turístico que custa 130,00 soles (muito caro!!!) e não tem como chorar é este valor mesmo, este boleto te dá direito de entrar em 16 pontos de Cuzco, uns imperdíveis e outros nem tanto, esse boleto pode se comprado no Instituto Nacional de Cultura, na Av. El Sol, principal avenida de Cuzco.
Fora isso, você tem que reservar no mínimo 01 ou 02 dias pra curtir a cidade de Cuzco em si, que é demais!!! No tempo livre em Cuzco você vai poder visitar alguns museus que estão incluídos no Boleto turístico, tem também a Pedra dos 12 ângulos que você pode ver em uma ruazinha perto da Plaza de Armas no bairro de San Blas. Tem que curtir também a Plaza de Armas e a ruas próximas, que são muito bacana, e a noite tem a parada obrigatória no Mamma África e nos outros barzinhos da Plaza. De resto é só caminhar sem rumo pelas ruas e curtir a arquitetura e as pessoas locais e do mundo todo que vc vai encontrar!!!!!!

Essa é uma introdução a cidade de Cuzco, não tem muito segredo visto que a maioria das coisas você vai ter que contratar passeios para chegar lá, então aproveite! A minha dica é ficar 7 dias em Cuzco incluindo a ida e volta para Machu Picchu a serem aproveitados de tal maneira:

- 1º dia – Chegada, reconhecimento da cidade, fechar todos os passeios
- 2º dia – City Tur, nas ruínas de Saqsaywaman, Q’enqo, Puca-Pucara e Tambomachay. Eu fiz este tur a cavalo e foi uma experiência bem legal acho que vale a pena. O restante do dia é livre pois este passeio dura só meio dia.
- 3º dia – Vale Sagrado, as ruínas de Pisaq, Ollantaytambo, Chinchero, além da cidade de Urubamba. (Obs: De acordo com a sua opção para ir para Machu Picchu, compensa ficar em Ollantayambo neste dia e já ir direto para Águas Calientes daki mesmo).
- 4º dia – Viagem para Águas Calientes e hospedagem lá mesmo, acordar de madrugada para ir para MP.
- 5º dia – MACHU PICCHU!!!
- 6º dia – Volta para Cuzco
- 7º dia – aproveitar para fazer tudo o que ainda não fez em Cuzco e preparar para ir embora.

É lógico que nem todo mundo vai ter 7 dias para ficar em Cuzco, mas é uma forma de aproveitar tudo o que a cidade tem a nos oferecer, inclusive Machu Picchu, que é o objetivo principal da viagem, o qual ficaremos um dia todo no parque das 6 da manha até as 5 da tarde.

GASTOS:

• Hospedagem (Hostal Rojas) 20,00 soles
• Café da manhã – 6,00 soles
• Almoço – 12,00 soles
• Ligação – 1,00 por minuto
• Taxi em geral – 5,00 soles
• Boleto Turistico – 130,00 soles


Legenda da Foto
Cuzco, a capital do império Inca.


17°, 18º, 19º e 20º dias – Cuzco/Águas Calientes/Machu Picchu

Programar é sempre bom, mas nem sempre vai acontecer conforme planejado, e foi o q aconteceu no meu caso rsrs. Eu tinha programado fazer exatamente conforme descrito acima mas quando cheguei em Cuzco pra minha surpresa existia uma previsão de paralisação pelos camponeses em todas as estradas e transportes turísticos por 3 dias, então os turistas estavam loucos, as passagens de trem já tinham acabado, e eles tinham parado de vender para os próximos 3 dias, pensei que tudo tava acabado, e então começamos a procurar alternativas para ir para MP, a idéia inicial era fazer o caminho alternativo via Santa Tereza e depois fazer a caminhada da hidrelétrica até Águas Calientes, mas por causa da paralisação não sabíamos se os carros que fazem estes percursos iam estar transitando normalmente, a opção que encontramos foi contratar uma empresa que faz o passeio até MP de carro, basicamente é o caminho alternativo só que organizado, com guia e você não precisa ficar trocando de carro, neste pacote já esta incluso, alimentação, hospedagem em Águas Calientes, o transporte de ida e volta, e a entrada em MP, foi um pouco caro mais não teve jeito tivemos que desembolsar 110 dólares nesta brincadeira, mas levando em conta que só a entrada em MP custa algo em torno de 45 dólares, não ficou tão caro assim.
Como minha aventura foi algo atípico, não vou nem me arriscar a contar o tamanho perrengue em que me enfiei hehehe apesar de ter sido muito legal e ter muita história pra contar depois do ocorrido, entre elas caminhar durante 9 horas pelo trilho do trem no escuro, se enfiar em 19 pessoas em uma minivan que mal cabiam 11, sair de um hotel sem pagar hospedagem, entre outras kkkk; Mas o intuito do relato é ajudar, então colhi alguns dados sobre a ida para MP e vou descrevê-los para que vc possa optar pela melhor forma para se chegar na maravilha de Machu Picchu.

1ª opção – Trilha Inca: 4 dias e 3 noites, geralmente feita com reserva, custa por volta de US$ 280,00. A trilha é repleta de ruínas incas nos seus 40 km de extensão, variando de 2400 até 4200 mts de altitude.

DICA:
Agencia: Mystic Lands Adventures
Contato: julio cesar chacon carreño - "conhecico como Coco" é o dono da agencia
e-mail: mysticlandsadventures@hotmail.com

2ª – Trilha Alternativa (Salkantay): mais barata, porém não é a trilha tradicional, mas também possui belas paisagens; geralmente não precisa de reservas, mas assim como a Trilha Inca, deve ser feita com agência autorizada. Dura 5 dias e 4 noites. O seu preço chega ao máximo de US$ 200,00.

3ª – Trem PeruRail: É o jeito mais utilizado para quem tem pouco tempo; você não precisa de agência; pode comprar o ticket do trem em uma das Estações, com um dia de antecedência (no mínimo). O trem demora 4 horas para chegar em Águas Calientes e mais 4 horas para voltar para Cuzco, nesse caso, você terá apenas 4 horas para ficar em Machu Picchu. Nessa opção o valor total é de +ou- US$170,00, incluindo ingresso para Machu Picchu (US$ 45,00), o Trem (US$ 48,00 x2 ida e volta) e Ônibus (US$16,00 ida e volta) Águas Calientes/Machu Picchu/Águas Calientes.

4ª – Bus/ Trem: É a opção mais complexa, mas ao mesmo tempo é a mais indicada para mochileiros de orçamento apertado que queiram aproveitar Machu Picchu o dia todo. Essa opção pode ser feita por conta e também por agência, mas ambas ficam no mesmo valor, devido aos benefícios das agências perante o INC. O lance é pegar um ônibus até Ollantaytambo e de lá pegar o trem (PeruRail) para Águas Calientes (no horário em que o trem está vazio, indo buscar os turistas, por isso preço mais barato US$ 31,00). Dormir em Águas Calientes, visitar Machu Picchu, dormir de novo em Águas Calientes e só no outro dia, pela manhã, voltar a Cuzco, pegando o trem até Ollantaytambo (quando o trem esta retornando vazio, pois acabara de deixar turistas em Águas Calientes). Nesse caso, o preço sairá por volta de US$140,00, incluindo tudo, até a hospedagem em Águas Calientes, entrada p/ MP, trem, ônibus e/ou van, etc. A grande vantagem nessa opção é que você poderá acordar cedo em Águas Calientes, aproveitar o dia inteiro em MP, e retornar a Águas Calientes só no final da tarde.

5º - Trilha alternativa até Machu Picchu Via Santa Teresa: é a maneira mais econômica de você chegar a MP, você vai fazendo baldeação em algumas cidadezinhas saindo de Cuzco até chegar em uma hidrelétrica e de lá vai caminhando para Águas Calientes. O esquema é o seguinte, você pega um taxi da Plaza das Armas até o terminal Santiago (em Cuzco) que custa 6,00 soles, do terminal existem duas opções para se chegar a hidrelétrica, a primeira é uma van que só sai com o mínimo de 8 pessoas e custa 30,00 soles, e a segunda é ônibus até Santa Maria que vai te custar 15,00 soles, e de Santa Maria até a hidrelétrica uma van que custa 10,00 soles. Chegando na hidrelétrica vc tem também 2 opções para chegar em Águas Calientes, para os mais aventureiros pode-se ir caminhando pelos trilhos do trem e em 3 horas de caminhada sem parar você chegará à AC e de graça!! E tem também um trem local que faz este percurso mas cobra 8,00 dólares para turista e você vai em pé.
Você se hospeda em AC e no outro dia acorda bem cedinho para ir para Machu Picchu, novamente 2 opções, primeira vai caminhando, o percurso vc faz em 1 hora até 1h e meia, tudo em escadas preparem os joelhos pois é punk, segunda opção vai de ônibus, custa US$7,00 e vc tem que chegar bem cedinho no local onde compra as passagens, tipo umas 5:00 da manhã, pois a fila é grande. Aproveita o dia todo em MP e volta de ônibus ou a pé no finalzinho da tarde, o último sai as 17:30h, dorme em AC de novo e no outro dia vai embora no mesmo caminho que vc fez para chegar. O máximo que você vai gastar nessa opção é US$ 100,00, mas o valor pode chegar a US$ 70,00 se você optar por ir a pé nos caminhos onde for possível.

Bom, estas são as opções, agora é ver qual que melhor se encaixa em sua programação e curtir Machu Picchu que é legal de mais!!!

Algumas dicas para Machu Picchu:

Todo mundo sempre falava que AC não tinha nada e que era um lugarzinho sem graça e tal, mas não foi o que eu achei, gostei do povoado, tem muito restaurante bacana por lá e tem também os banhos de águas termais que mais parece um piscinão de ramos hehehe mais é bem legal também se não me engano paga-se 10 soles pra tomar banho e se você não tiver levado roupa de banho não se preocupe ele alugam por lá, existem feirinhas vendendo artigos relacionados a MP, lógico que vai ser mais caro do que em Cuzco por exemplo, mas enfim dá pra curtir por lá também.
As hospedagens giram em torno de 25,00 soles por pessoa quase todas mas vc consegue chorar um desconto como bom brasileiro. Eu fiquei na Apuausangate Hospedage, não peguei o endereço, mas foi muito bom, inclusive tem um restaurante em baixo do albergue que vc pode almoçar por lá mesmo.

Se você vai caminhar de AC até MP acorde cedo tipo 4 da manhã e comece sua caminhada no máximo 4:30h, para quem tem condicionamento físico é tranqüilo, para quem é sedentário nem tanto, são muitas escadas e vc chega lá em cima morto com os joelhos regaçados. Dica: se você pretende subir Wayna Picchu, vá de ônibus para o parque para economizar os joelhos hehehe, mas pegue o primeiro ônibus pois só as primeiras 400 pessoas conseguem a senha para subir a montanha.

Se você pretende subir a Wayna Pichu, logo que entrar no parque aperte o passo, atravesse o parque todo e vá para o local onde eles distribuem as senhas, fica no pé da montanha, tem uma galera que desespera e vai até correndo, não precisa tanto mas se vc quiser garantir é melhor não perder tempo, eu peguei a senha nº 325, as subidas são às 7:00 da manha e às 10:00. A subida vale super a pena, mas é íngreme total!!!! Prepare-se. Vc gasta de 2 horas até 3 horas para subir e descer e consegue tirar boas fotos lá de cima.

Faça o tur por MP com guia, se vc foi por conta própria contrate um lá no parque vc não vai pagar mais do que 20 soles e é muito interessante você vai olhar com outros olhos aquelas ruínas, mesmo que não seja tudo verdade é muito legal vc ouvir sobre a historia daquele povo tão misterioso que habitou ali há séculos atrás.

Leve bastante água com você pois as coisas por lá são caras ao extremo, só pra ter uma idéia uma garrafinha de 300ml de água custa 8,00 soles.

Basicamente é isso, eu curti muito MP fui em todos os cantos possíveis daquela cidade, realizei um sonho e estou muito feliz por ter dado tudo certo, apesar dos imprevistos descemos no ônibus das 17:00, dormimos mais uma noite em AC e no outro dia partimos para Cuzco, mal sabíamos que só iríamos chegar 2 dias depois mas foi divertido.

Vou colocar alguns preços para que vcs possam ter uma idéia:


• Taxi do Plaza de Armas ate Terminal Santiago: s/ 6,00
• Van para Hidreletrica direto: s/ 30,00 com 8 pessoas...
• Onibus p/ Sta Maria: s/ 15,00
• Van de Sta Maria ate Hidreletrica direto: s/ 10,00
• Hospedagem em AC: a maioria s/ 25,00
• Alimentaçao em torno de s/ 7,00 a s/ 10,00.
• Internet aqui: s/ 3,00
• Entrada em Machu Picchu: s/ 124,00
• Onibus para subir: US$ 7,00
• Onibus para subir/descer: US$ 14,00
• Agua de 300 ml em Machu Picchu: s/ 8,00!!!! isso mesmo q vcs leram...
• Coca-cola de 500 ml em Machu Picchu: s/ 13,00
• Passar um dia inteiro em uma das 7 maravilhas do mundo: NÃO TEM PREÇO ::otemo::


Legenda da Foto
A clássica.


Legenda da Foto
Vista de cima da Wayna Picchu da cidade perdida dos incas.


21º dia – saída de Cuzco

Esse foi o dia que tiramos para “descansar” em Cuzco, não tínhamos nada programado a não ser perambular pela cidade, comprar alguns presentes e porque não fazer uma massagem rsrs, quem for a Cuzco vai perceber o tamanho assédio nas ruas em volta da Plaza das Armas é toda hora alguém oferecendo alguma coisa, é restaurante, hotéis, massagens, lembranças, etc. No primeiro dia tudo é festa mas depois vai enchendo o saco. Fizemos check out no hotel e fomos aproveitar os outros lugares da cidade onde não tínhamos visitado, foi um dia bem tranqüilo, o nosso ônibus só saia de noite então tivemos que ficar enrolando na cidade até o horário da saída para Puno. Almoçamos no Bembos é tipo um McDonalds peruano, e o hambúrguer é muito bom vale a pena experimentar fica de frente para a Plaza das Armas, fomos ao Qoricancha, fizemos a tão desejada massagem, que no começo pareceu estranho, mas no final tinha gente roncando hehehe e mais tarde encontramos com alguns amigos feitos em MP para comemorar a nossa partida de Cuzco. Nosso ônibus para Puno saiu as 21:00 do mesmo terminal rodoviário em que chegamos, nós compramos a passagem pela empresa Tur Peru e o valor da passagem é 20,00 soles, a viagem dura em média 7 horas, e foi tudo bem tranqüilo o ônibus é muito bom, recomendo. Agora vamos para o TITICACA!!!

GASTOS:

• Hospedagem (hotel Qoricancha) - 25,00 soles
• Hamburguer BEMBOS – 10,00 soles
• Presentes – 20,00 soles
• Massagem – 15,00 soles (aproveitei)
• Passagem para Puno (Tur Peru) – 20,00 soles

Por enquanto é isso em breve continuo...

Abraço a todos
#464678 por Junior-BA
22 Abr 2010, 12:02
Muito bom o seu relato, Victor! Irei em julho e já estou pegando algumas informações a partir do seu relato, principalmente a parte de Machu Picchu. Nâo demore muito em postar a continuação, pois tb vou a Puno! rsrsrs
Abraço.
#464900 por deniscf
23 Abr 2010, 04:06
Falal Vitor, blz?
Tô curtindo muito seu relato. Vou viajar em agosto/setembro e algumas cidades que vou visitar, estão incluídas no teu percurso.
Se puder, queria que me enviasse a apostila tbm. Acho que vai ser bem útil. (deniscf@gmail.com). Obrigado

Abraço!

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 9 visitantes