Troca de informações e relatos de trilhas e travessias na região sudeste do Brasil. Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.
#887232 por Vgn Vagner
10 Out 2013, 20:21
Intro:


Na primeira quinzena do mês de setembro, pouco depois de ter realizado a travessia mais fantástica e satisfatória da minha vida (até então). Já marcavamos para o dia 06/10/2013 uma investida nas cachoeiras Paraíso e Lago Azul, que se encontram na gigantesca parede verde que circunda Cubatão.
Encheriamos dois carros pra esse feito com os mesmos (nove) trilheiros de costume das últimas vezes. A observação nesse seria que, nenhum desses membros conheciam ou já se quer trilharam por essas bandas. Mais tudo bem, isso era o de menos, sendo que tinhamos infos o suficiente pra se arriscar na exploratória. O que não contavamos, era que fizesse sol durante quase o mês todo e na semana do evento chuvesse diariamente parando apenas no sábado pra trazer aquela frente fria que espanta a coragem dos que pensam em ir pro meio do mato passar frio. Brrruuuuuhhhh... Só que a gente não é assim!! hehe
Cancelamos o evento pra Cubatão por causa do tempo chuvoso que ainda estaria por lá no domingo, então transferimos o evento à Paranapiacaba e começamos a discutir sobre qual seria o roteiro. Mais a essa hora, dos nove participantes restaram apenas três pra manter o assunto e fechamos a conversa com essa confirmação.

Na manhã seguinte, antes de pegar a condução fiz o velho ritual de mandar SMS e fazer uma ligação aos envolvidos pra que eu não dê viagem perdida. Um respondendo já está de bom tamanho.E assim foi.


relato:

Era 07:40h quando desci na estação de Rio Grande da Serra, e pra minha surpresa meu brother Diego estava no mesmo trem que eu. Bom que não gerou esperas. Fomos até a padoca comprar uns pãozinho, tomar um pingado e ir pro ponto pegar o bus. Foi alí no coletivo mesmo é definimos nosso roteiro: Subir o Morro do Careca, seguir por trilha + rio até a Cachoeira dos grampos e finalizar na Cachoeira da Fumaça. E como sempre, o melhor é não seguir script, fizemos diferente.

Saltamos do buzão 08:15h bem na entrada da lamacenta trilha que leva até o Rio das areias (cach da fumaça), onde sairiamos mais tarde. Anossa jornada começou mesmo na vizinha trilha dos tênis, uma larga estrada e pantanoza devido as valas cavadas pelos pneus dos jeeps 4x4 que passam se aventurando por alí, e pra vencer essas cavidades é preciso pular várias vezes na esperança de manter os pés secos. Num pulo desses alguém deve ter deixado cair os $9,00 que achei ainda úmidos perto de uma poça.
O dia surpreendeu, pois eu fui preparado pra frio e chuva, mais o tempo abriu com sol e fez render nosso dia.
O "pula pula" acabou quando tomamos a esquerda sentido Lago Cristal. Quando chemamos no rio que forma o mesmo, tocamos pra trilha das torres, onde noutrora tentamos sem sucesso subir o Morro do Careca. Mais dessa vez foi diferente, estavamos mais concentrados e determinados. Logo depois do primeiro desmoronamento ficamos atento a direção desejada, porém já sabiamos que seria tarefa árdua, e foi. Escolhemos a parte menos fechada da mata e começamos a rasgar na raça o emaranhado de cipós e galhos espinhentos que tinham pela frente. Tinhamaos apenas o bom senso voltado pra direção do nosso objetivo, algumas vezes a mata fechava um pouco nos forçando a desviar, e isso nos deixava meio confuzos a ponto de pensar: vamos conseguir ou não vamos!? vamos desistir ou não vamos!?. Mais nós somos "madeira dilei" poha, sabiamos que estavamos ali pra passar por qualquer sofrimento... tipo > missão dada é missão cumprida. E numa segunda tentativa, não conseguir achar o caminnho não tão difícil assim seria como uma nova derrota.
Continuamos descendo forte, pois sabiamos que no vale passaria um rio, o rio que forma a Cachoeira Escondida e que a partir dali teriamos que ficar atentos pra subir. Chegamos num afluente e decidimos descer em seu fluxo, se não achessemos a trilha pelo menos sairiamos no topo da cachu. Fomos até a junção com o rio principal, e nessa junção paramos pra tomar um cafezinho reforçado, com aquele Ovomaltine quentinho e um "misto selvagem" que só o Diego sabe fazer... kkk. Pra nossa supresa, depois de umas meia hora de pausa, avistei um pouco a frente uma mini cachoeira com a trilha que procuravamos bem ao lado...uol, poxa vida hein. É uma subida bem curta, porém puxada (sem bifurcações).

Já no alto do morro todo o esforço foi recompensado. De lá temos uma visão quase completa dos atrativos locais: Cach Encantada, Cach dos Grampos, Cach da Fumaça em destaque, com a sequência das demais cachus descendo sentido ao Vale da Morte, as pontes da linha férrea desativada do antigo sistema funicular paralelo a linha ativa dos trens da MRS LOGÍSTICA e também uma visão parcial da cidade de Cubatão.
Por causa do tempo que perdemos varando mato antes de subir, achavamos que essa seria a única tarefa realizada do dia. Só que lá de cima as cachoeiras instigavam nossa vontade de visita-las, e ainda era 12:30h quando pegamos a trilha pra voltar, cedo demais. Então vamos explorar caminhos que não conhecemos.

Atingido um dos nossos objetivos, seguimos o fluxo novamente até chegar no topo da Cachoeira escondida (visão linda), onde logo de cara já nos preocupava de que jeito desceriamos os paredões laterais. Lá embaixo na base tinham um grupo de +ou- 10 pessoas aproveitando a queda dàgua e quebra assistindo nossa desescalaminhada. Dois deles (Carlos Jr. e ....esqueci o nome, rs), se prontificaram a ajudar quando estavamos na metade, auxiliando o melhor caminho por onde descer e nos livrando das mochilas, (coisa que não adiantou muito), joguei a minha e ela passou direto rolando chão abaixo.
•um deles: tem alguma coisa de quebrar?
•eu: não, só um tablet, um Notebook e a câmera fotográfica. kkkk
*brincadeirinha, não teria lógica em levar tantos aparatos tecnológicos pro mato, né?

Paramos pra conversar um pouco, agradecemos, clicamos umas fotos e fomos passando pela cach encantada, lago cristal e rio vermelho, onde também a acompanhamos o fluxo da água num trajeto bem sinuoso, que no primeiro contato parece ser fácil de vencer, cobre apenas os tornozelos, ora se represa em fundas piscinas naturais com a parte mais rasa na altura da cintura e é nessa hora que exige cada vez mais força das pernas, isso me rendeu algumas cãibras na parte posterior das coxas. "Pensamos que seria mais suave, mais quanto pior é, melhor fica". Cerca de 1h depois já alcançamos por cima a cach dos grampos e como um guardião da serra local o Morro do Careca se faz gigante neste ângulo. Fiz uma breve descida pelo quanto esquerdo até onde se vê que é seguro, porque teimar em descer sem nenhuma corda ou qualquer equipo de segurança poderia causar no mínimo descuido, um acidente fatal. Me contive.

A única intensão a partir dalí era trilhar até a cach da fumaça, e o caminho que pensavamos dar diretamente lá, ainda passou pela cach das tartaruguinhas, que particularmente achei muito bonita.

Mais uma vez seguimos as águas até encontrar com o rio das areias e vê-lo despencando serra abaixo em mais um topo de cachoeira (Fumaça), dando o prazer de estar alí e avistar de seu mirante, um cenário que se enquadra perfeito à situação.
Como se trata de um lugar que "batemos cartão", a parada não durou mais do que 15 minutos (o vento gelado foi um dos motivos da pausa ser tão breve rsrs), e também por não ter muito tempo pra ficar na mata sem lanternas, já que escurece rápido e a neblina é rotineira no lugar.
O rítmo foi suave na hora da partida, com direito até a "show pirotecnico" (kkk...) no café da tarde num descampando perto da Cach Pequena da Fumaça. Essa última parada foi fundamental pra recuperar as energias e eliminar alguns pesos da mochila.

Meu brinde do dia, além dos $9,00 que achei na ida, ooohhh sorte rsrs, foi também uma camiseta novinha que achei caida no chão quando voltavamos já na reta final da trilha. Não pensei duas vezes... é minha hehe.

Às 17:30h saímos no acostamento do asfalto que nos serviu de vestiário, pois sabendo que grande parte dessa jornada seria dentre as águas, levei uma calça, um par de meias e um par de tênis reserva pra ir embora sequinho. hehehe. Enfrentar 3h de condução e cansados como estávamos, até em casa com roupas molhadas ninguém merece.

fim.

Bom, essa por enquanto foi uma das voltas mais completas que já dei pela região. Foram 8 cachoeiras e 1 topo de morro alcansados com vista panorâmica de todo esse percurso que nos aventuramos, e Graças a Deus correu tudo bem.

abraços.
Anexos
SAM_0634 - Copia.JPG
início da jornada na alagada trilha dos tênis
SAM_0644 - Copia.JPG
no caminho que vai rumo ao Lago Cristal
SAM_0654 - Copia.JPG
pequena cachoeira ao lado da trilha que sobe ao Morro do Careca
SAM_0668.JPG
cachoeira encantada (do vale)
SAM_0681 - Copia.JPG
...
SAM_0683 - Copia.JPG
cachoeira dos grampos à esquerda e cachoeira da fumaça à direita, vista do Morro do Careca.
SAM_0688 - Copia.JPG
visão panorâmica no Morro
SAM_0693 - Copia.JPG
ornamentos no Morro do Careca
SAM_0701 - Copia.JPG
ornamentos no caminho
SAM_0712 - Copia.JPG
bem na beira da Cachu Escondida e o pessoal lá embaixo, bem pequenininhos...rs.
SAM_0720 - Copia.JPG
primeira cachoeira logo acima e antes de despencar a Cachoeira Escondida
SAM_0731 - Copia.JPG
o lindo Lago Cristal
SAM_0737 - Copia.JPG
uma das partes mais fundas do rio vermelho
SAM_0756.JPG
trecho do rio vermelho
SAM_0762.JPG
topo da Cachoeira dos Grampos e ao fundo o Morro do Careca
SAM_0784.JPG
Cachoeira das Tartaruguinhas
SAM_0791.JPG
Cachoeira das Tartaruguinhas
SAM_0796.JPG
mirante do topo da Cachoeira da fumaça, com vista parcial de Cubatão
SAM_0800.JPG
Cachoeira pequena da fumaça
SAM_0807.JPG


Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 2 visitantes