Espanhol para Viagem: Vocabulário, Frases e palavras úteis
#542425 por AnaliceF
13 Jan 2011, 15:46
Essas situações são frequentes não? hahaha
É muito embaraçoso estar falando com alguém e dizer algo como: estou com vergonha e depois descobrir que na Argentina, isso signica ter pênis.
Descobri esse dias que "chanchas" também na Argentina, são palavras pervertidas. Tirar la goma, por exemplo, é fazer boque**. É sempre importante ficar por dentro dessas expressões que acabam ás vezes nos deixando numa fria! :oops:

Qualquer outra expressão, vou avisando.
Orbigada!

#568971 por mmClarissa
26 Mar 2011, 20:38
Tentando descobrir o significado de uma bobagem que ouvi, descobri um blog sobre a Argentina ( http://blogs.estadao.com.br/ariel-palacios/ ) que tem esse pequeno e útil "glossário sexual".


COJER: Verbo que indica o ato sexual completo. O verbo, na Espanha e outros países de idioma castelhano o verbo é primordialmente utilizado para “pegar” ou “colher” (como “colher algo do chão”). Isto é, uma pessoa poder referir-se a “cojer el autobús (ônibus)”, para explicar que poder “pegar o ônibus”. Na Argentina, equivaleria a dizer que teria um coito com o veiculo de transporte coletivo (e não dentro de tal veículo). No entanto, não é uma forma polida de referir-se ao ato sexual.

COJIDA: “Uma cojida”. O coito.

GARCHAR: Verbo que designa o ato de copular. No entanto, é uma forma chula. “Coger”, perto de “garchar”, acaba parecendo uma forma elegante…

GARCHE: A cópula, expressada sem elegância

EMPOMAR: Verbo que refere-se a “pomo”, isto é, o equivalente a “bisnaga” Ergo, indica o membro viril. Desta forma, “empomar” é o verbo utilizado para referir-se à penetração.

TRANSAR: O verbo foi recolhido pelos turistas argentinos que foram ao Brasil nos anos 80. Mas, em vez de referir-se ao coito em si, na Argentina, esta gíria utiliza-se de forma adulterada. Neste contexto de readaptação do verbo, transar aqui refere-se aos beijos e carícias. Preliminares sexuais com abundante produção hormonal mas sem a cópula em si.

FRANELEO: Uma versão local da “transa” (isto é, a “transa” em sua versão adaptada). “Franela” é “flanela”, produto utilizado para passar – e esfregar – sobre um automóvel ou um móvel. No contexto sexual, uma “franela” seria o ato intenso de fricção de epidermes de duas pessoas.

VACUNAR: Vacinar. Neste caso não se refere ao ato de inocular alguém com anti-corpos para provocar uma resposta de defesa, mas sim, refere-se ao ato de penetrar alguém.

ACABAR: Cuidado ao utilizar esse verbo na Argentina, já que é um sinônimo frequente de “ejacular”. Ou, no caso das mulheres, de chegar ao orgasmo. Para indicar o “acabar” nosso é mais adequado a utilização de “terminar”. Ou “concluir”.

TUJE: Proveniente do antigo yiddish “tuches”, utilizado com frequência na Argentina para indicar os glúteos. Traseiro. Bumbum.

VERSO: Galanteio semi-picareta. Afirmação – ou conjunto de afirmações – geralmente sem base concreta (“se você quiser conhecer meu iate…”) destinados a conseguir a conquista-sedução de alguém.

VERSERO/A: O praticante do ‘verso’.

TRAMPA: Literalmente, “trapaça”. Quando uma pessoa está “de trampa” é que está casada mas está tendo (ou tentando) ter um encontro sexual com outra pessoa que não é a cônjuge.

PIRATA: Aquele que pratica a ‘trampa’.

CABARULO: Refere-se aos cabarés, palavra em Buenos Aires aplicado para casas de strip-tease e também, ocasionalmente, para bordéis.

PRIVADO: Prostíbulo instalado em um apartamento.

CAFISHIO: O gigolô.

TRAVIESSA: Literalmente, “travessa”. Mas refere-se ao ‘travesti’.

“Que panettone!”. Expressão apologética dos glúteos femeninos.

ENTERRAR LA BATATA: A ‘batata’ desta frase refere-se à ‘batata-doce’. A nossa batata em português é “la papa”. Mas, em ‘lunfardo’ a batata indica o membro viril. Logo, neste contexto, com alusões à atividade da lavoura, ‘enterrar la batata’ (enterrar a batata-doce) significa, em tradução figurativa, penetrar alguém. Não se usa “enterrar la papa” (isto é, nossa batata, em português). Talvez porque até poderia causar confusão com o termo ‘papa’, isto é, o Sumo Pontífice (e, já que estamos aqui, Pontífice vem do latim ‘Pontifex’, o “construtor de pontes”).

MOJAR LA CHAUCHA: Molhar a vagem. Similar para ‘enterrar la batata’.

MOJAR LA VAINILLA: Molhar a baunilha, isto é, o biscoito champagne. Na Argentina, um dos hits do lanche da tarde, décadas atrás, era o do café com leite (ou chá) com as ‘vainillas’ (biscoito-champange). No fim das contas, a expressão é similar a “enterrar la batata”.

ES UN BOMBÓN: É um bombom. Elogio que indica que alguém é bonito/a. Majoritariamente usado por mulheres (ou homens) para referir-se a homens.

ES UN CHURRO: É um churro. Igual ao bombón. Mas, a expressão é um pouco mais antiga.

QUE LOMO!: “Que lombo!”. Elogio carnívoro ao físico de alguém. Usado tanto por mulheres como por homens. Lomazo: Um corpaço. Usado para homens e mulheres.

QUE PAN DULCE: “Que panettone!”. Elogio aos glúteos femeninos.
#597246 por Heineken
07 Jun 2011, 13:07
Vou tentar ajudar com a viagem para a Argentina que fiz e pude reparar pequenas coisas:

É bom dar uma ênfase diferenciada no "ll" que é bem diferente daquele da Espanha.

Não fale calle como "calhe", mas sim "cádjé", assim como "parilla" e outras palavras. é aquele som que conhecemos dos times de futebol, hehe. Espero que tenham entendido essse detalhe fonético, pois ele é muito importante, quando fala-se no som de "lh" eles simplesmente não entende e pedem para repetir e isso já causa aquela ansiedade.

Outras coisa é o menor e maior: fui usar "más pequeño" para escolher um cadeado para o albergue e o velho vendedor disse "ah, como eso, más CHIQUITO?" E assim continuaram a usar esse "más chiquito" para coisas menores. O "más grande" fica para coisas maiores e "mayor" é para quando você quer "mais". Aproveitando o gancho vamos lembrar que o "mas" vira "pero".

Eu acho bacana conversar com o pessoal, quem também quer tentar, dou a dica de quando não entenderem alguma frase ou palavra, pedirem o sinônimo, a contextualização ou, em último caso, a palavra em inglês. Sempre dá certo. Para não ficar robótico ou tornar o papo ainda mais complicado falando "um sinônimo para essa palavra X, por favor", eu usava bastante nas conversas a expressão "X como..." ou "X? como que?" O papo flui mais e não muda o foco.

Espero ter sido claro e não tenha é complicado ainda mais. Hhahaha.
#609466 por Bruno1986
05 Jul 2011, 19:18
Sobre o sotaque, fica aqui a dica. Tenho vários amigos portenhos e com eles desenvolvi totalmente meu espanhol que estava há mais de 10 anos apagado hehehe

Argentina e Uruguai: O som do LL, (la doble l, para eles) tem som de J. Por exemplo: Ello = Ejo; Llamar = Jamar. Na Espanha se falar como nosso lh.

Chile e México: O som do LL é diferente. Por exemplo: Ello = Eio; Llamar = iamar

Colômbia, Equeador e Venezuela: O som também é diferente. Por exemplo: Ello = Edio; Llamar = Diamar

Outra coisa a se prestar atenção é com o som do J, tem som de R em espanhol, mas na Argentina ele é "carregado"; Por exemplo: Velho = Viejo (Bierrrro)
#663371 por ajlmoraes
14 Dez 2011, 15:47
Conversando sobre a famosa cachaça brasileira, eu disse a um grupo de argentinos que em Minas Gerais também se chama "pinga". Após muitas risadas, eles explicaram que "pinga" é uma gíria para "pênis" na Argentina e em outros países onde se fala espanhol. Logo, não vá dizer a eles que gosta de tomar pinga.

A propósito, a Wikipédia anglófona tem um artigo sobre palavrões em espanhol: http://en.wikipedia.org/wiki/Spanish_profanity

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante