Troca de informações sobre prevenção de doenças infecciosas em viajantes e outros temas relacionados. Guias e tutoriais.


#492791 por Pedro ( Padrinho)
10 Ago 2010, 15:19
Olá pessoal...
então como eu consigo o Cartão internacional de Febre Amarela?

Antes de me responderem quero deixar claro algumas coisas:

* Seu sei que é junto à anvisa que que consigo, Certo? (pesquisei mas, não achei claramente o que fazer)

* Muito importante: Não Faço a minima idéia de onde deixei o meu comprovante de vacina que recebi no posto de saúde ao me vacinar, terei que tomar de novo se não achar (se tiver que tomar de novo, não tem problema visto que já me vacinei?)

Enfim, se puderem me dar uma ajudinha ficarei grato...

Estarei indo pra Argentina e Chile em Janeiro

#492800 por samanthavasques
10 Ago 2010, 15:46
Oi Pedro

Argentina e Chile não exigem o certificado de vacinação internacional, então você não precisa se preocupar com isso.

Mas se no futuro for viajar para algum país que exija você terá que tomar outra vez a vacina, pois somente com o comprovante de vacinação dado no posto de saúde é que você consegue trocar pelo certificado internacional de vacinação na ANVISA. Não tem problema tomar outra vez a vacina.

Para fazer o certificado internacional você tem que ver onde tem posto da ANVISA na sua cidade, geralmente fica nos aeroportos internacionais.
Aqui você encontra mais informações: http://www.anvisa.gov.br/paf/viajantes/ ... anvisa.htm
E aqui a localização dos postos da ANVISA: http://www.anvisa.gov.br/paf/mapa/index.htm
#508038 por samanthavasques
28 Set 2010, 13:12
Peru e México não exigem.
Já na América Central a maioria dos países exige sim o certificado de vacinação.
Isso é o que consta no site da Organização Mundial da Saúde.

Para ver quais são os países que exigem, entre nesse link:
http://apps.who.int/tools/geoserver/www/ith/index.html

No mapa, basta clicar em cima do país que vai abrir um balão com as informações, por exemplo, no Peru aparece:

"Yellow fever requirement Country requirement: no"

Já na Guatemala aparece:

"Yellow fever requirement Country requirement: a yellow fever vaccination certificate is required from travellers over 1 year of age coming from countries with risk of yellow fever transmission. "

Ou seja, a Guatemala exige o certificado para todos com mais de 1 ano de idade que venham de países onde há febre amarela (no Brasil há). Portanto todos nós para entrar na Guatemala temos que ter o certificado de vacinação (se eles vão pedir pra ver ou não é outra história...)
#523400 por marco_mp
15 Nov 2010, 14:13
Vou a MP em 03/2011. Sobre o certificado da anvisa, não tem anvisa na minha cidade...mas pelo que entendi, tomo a vacina aqui e solicito o certificado no aeroporto de Porto Alegre (no meu caso) antes de ir para bolivia?? Emitem na hora??
#557775 por marco_mp
22 Fev 2011, 18:40
Fiz hoje! Super rápido e fui muito bem atendido pelo pessoal da anvisa!!

Recebi um email deles agora com informações...segue:


´´Para que você realize sua viagem com maior segurança para sua saúde, a ANVISA recomenda os seguintes cuidados em cada país:

Áreas afetadas por:
BOLÍVIA:
- INFLUENZA A(H1N1) 2009
- ORIENTAÇÕES GERAIS
- RISCO DE TRANSMISSÃO DE DENGUE
- RISCO DE TRANSMISSÃO DE FEBRE AMARELA
- RISCO DE TRANSMISSÃO DE MALÁRIA.
- RISCO DE TRANSMISSÃO DE RAIVA

BOLÍVIA:
- UTILIZE ROUPAS QUE PROTEJAM CONTRA PICADAS DE INSETOS: COMO MANGAS COMPRIDAS, CALÇAS E SAPATOS FECHADOS. APLIQUE REPELENTE À BASE DE DEET (DIETILTOLUAMIDA) NAS ÁREAS EXPOSTAS DA PELE SEGUINDO A ORIENTAÇÃO DO FABRICANTE. PARA MENORES DE 2 ANOS DE IDADE NÃO É RECOMENDADO O USO DE REPELENTE SEM ORIENTAÇÃO MÉDICA E ENTRE 2 E 12 ANOS USAR CONCENTRAÇÕES ATÉ 10% NO MÁXIMO TRÊS VEZES AO DIA. HOSPEDE-SE EM LOCAIS QUE DISPONHAM DE AR-CONDICIONADO OU TELAS DE PROTEÇÃO NAS PORTAS E JANELAS E USE MOSQUITEIRO
- VACINE-SE CONTRA A FEBRE AMARELA 10 DIAS ANTES DA DATA MARCADA PARA A VIAGEM
- MALÁRIA É UMA DOENÇA TRANSMITIDA PELA PICADA DE MOSQUITOS QUE CAUSA FEBRE ALTA ACOMPANHADA POR CALAFRIOS, SUOR E DOR DE CABEÇA. SE VOCÊ APRESENTAR ESSES SINTOMAS ATÉ SEIS MESES APÓS O RETORNO, MESMO QUE TENHA REALIZADO QUIMIOPROFILAXIA, INFORME O PROFISSIONAL DE SAÚDE ACERCA DO ROTEIRO DE SUA VIAGEM.
- SE FAZ PARTE DO GRUPO DE RISCO PARA FORMAS GRAVES DA DOENÇA, OU SEJA, NÃO RESIDE EM ÁREA COM TRANSMISSÃO DE MALÁRIA, CRIANÇA MENOR DE CINCO ANOS DE IDADE, GESTANTE, IDOSO, ESPLENECTOMIZADO OU PORTADORAS DE HIV/AIDS, NEOPLASIA OU TRANSPLANTADO;
- SE SUA PERMANÊNCIA NO LOCAL FOR SUPERIOR A SETE DIAS E INFERIOR A SEIS MESES; SE O LOCAL ESTIVER SITUADO EM ALTITUDE INFERIOR A 1000M; SE A VIAGEM OCORRER PRÓXIMA AO TÉRMINO OU AO FINAL DA ESTAÇÃO CHUVOSA; SE FOR DORMIR AO AR LIVRE, EM ACAMPAMENTOS BARCOS OU EM HABITAÇÕES PRECÁRIAS SEM PROTEÇÃO CONTRA O MOSQUITO; SE NO LOCAL NÃO TIVER ACESSO A SERVIÇOS DE SAÚDE EM MENOS DE 24 HORAS;
- SE VOCÊ ATENDER UMA OU MAIS DAS SITUAÇÕES DE RISCO ACIMA PROCURE UM PROFISSIONAL DE SAÚDE PARA AVALIAR A INDICAÇÃO DE QUIMIOPROFILAXIA.
- UTILIZE HABITAÇÕES COM PROTEÇÃO CONTRA O MOSQUITO, COMO AR-CONDICIONADO E TELAS DE PROTEÇÃO NAS PORTAS E JANELAS, E USE MOSQUITEIRO.
- UTILIZE ROUPAS QUE PROTEJAM CONTRA PICADAS DE INSETOS: COMO MANGAS COMPRIDAS, CALÇAS E SAPATOS FECHADOS. APLIQUE REPELENTE À BASE DE DEET (N-N-DIETILMETATOLUAMIDA) NAS ÁREAS EXPOSTAS DA PELE SEGUINDO A ORIENTAÇÃO DO FABRICANTE. EM CRIANÇAS MENORES DE 2 ANOS DE IDADE NÃO É RECOMENDADO O USO DE REPELENTE SEM ORIENTAÇÃO MÉDICA E ENTRE 2 E 12 ANOS USAR CONCENTRAÇÕES ATÉ 10% DE DEET, NO MÁXIMO TRÊS VEZES AO DIA.
- EVITAR EXPOSIÇÃO A ANIMAIS. CASO SOFRA ALGUMA AGRESSÃO (MORDEDURA OU ARRANHADURA) OU EXPOSIÇÃO ACIDENTAL, LAVAR BEM O LOCAL COM ÁGUA E SABÃO E PROCURAR ASSISTÊNCIA A SAÚDE O MAIS BREVE POSSÍVEL PARA AVALIAR INDICAÇÃO DE VACINA E SORO ANTI-RÁBICO.
- EVITE TOCAR OLHOS, NARIZ OU BOCA; LAVE AS MÃOS FREQÜENTEMENTE COM ÁGUA E SABÃO, ESPECIALMENTE DEPOIS DE TOSSIR OU ESPIRRAR; EM CASO DE ADOECIMENTO, PROCURE ASSISTÊNCIA MÉDICA E INFORME HISTÓRIA DE CONTATO COM DOENTES E ROTEIRO DE VIAGENS RECENTES A ESSES PAÍSES; NÃO USE MEDICAMENTOS SEM ORIENTAÇÃO MÉDICA.
- SE VOCÊ ESTIVER COM FEBRE E TOSSE, ACOMPANHADAS OU NÃO DE ALGUM OUTRO SINTOMA, COMO DOR DE CABEÇA, DORES NO CORPO, DIARRÉIA E VÔMITOS, PROCURE O SEU MÉDICO OU A UNIDADE DE SAÚDE MAIS PRÓXIMA. EVITE VIAJAR ENQUANTO ESTIVER COM ESSES SINTOMAS E SIGA AS DEMAIS ORIENTAÇÕES DE SEU PROFISSIONAL DE SAÚDE.
- SIGA RIGOROSAMENTE AS RECOMENDAÇÕES DAS AUTORIDADES SANITÁRIAS LOCAIS; AO TOSSIR OU ESPIRRAR, CUBRA O NARIZ E A BOCA COM UM LENÇO, PREFERENCIALMENTE DESCARTÁVEL; EVITE O CONTATO DIRETO COM PESSOAS DOENTES; NÃO COMPARTILHE ALIMENTOS, COPOS, TOALHAS E OBJETOS DE USO PESSOAL;
- A ENTRADA DE MEDICAMENTOS DE USO PESSOAL EM OUTROS PAÍSES PODERÁ SOFRER FISCALIZAÇÃO SANITÁRIA, PARA TANTO RECOMENDAMOS PROCURAR INFORMAÇÕES JUNTO À EMBAIXADA OU CONSULADO DO PAÍS DE DESTINO. EM GERAL, OS PAÍSES EXIGEM PRESCRIÇÃO MÉDICA, ATESTANDO A NECESSIDADE E QUANTIDADE DA MEDICAÇÃO DE USO CONTÍNUO OU CONTROLADO. É IMPORTANTE QUE O MEDICAMENTO ESTEJA ACONDICIONADO DE ACORDO COM AS NORMAS DO FABRICANTE E ACOMPANHADO DA CAIXA E BULA ORIGINAL.
- APÓS O RETORNO DA VIAGEM, CASO APRESENTE FEBRE OU OUTROS SINTOMAS COMO DIARRÉIA, PROBLEMAS DE PELE OU RESPIRATÓRIOS PROCURE IMEDIATAMENTE O SERVIÇO MÉDICO E INFORME O LOCAL DE SUA VIAGEM.
- AS MUDANÇAS FÍSICAS E AMBIENTAIS DECORRENTES DE UMA VIAGEM PODEM ALTERAR O SEU ESTADO DE SAÚDE. PORTANTO, CONHEÇA AS CARACTERÍSTICAS DO PAÍS DE DESTINO: CLIMA, ALTITUDE, DIFERENÇA DE FUSO-HORÁRIO, INFRA-ESTRUTURA URBANA, ALIMENTAÇÃO, COSTUMES, NORMAS, CULTURA; DOENÇAS QUE AFETAM O LOCAL E SUSCEPTIBILIDADE A DESASTRES NATURAIS;
- CASO ESTEJA COM ALGUMA DOENÇA INFECCIOSA AGUDA NÃO CONTAGIOSA E A VIAGEM PERMITIA ADIAMENTO, AGUARDE ATÉ A MELHORA DOS SINTOMAS, SEGUINDO ORIENTAÇÕES DE UM PROFISSIONAL DE SAÚDE HABILITADO. JÁ NO CASO DA DOENÇA SER CONTAGIOSA A VIAGEM DEVERÁ SER POSTERGADA, POIS ALÉM DE ESTAR MAIS SUSCEPTÍVEL A OUTRAS DOENÇAS, VOCÊ PODERÁ EXPOR OUTRAS PESSOAS;
- COM RELAÇÃO A SEGUROS DE SAÚDE, VOCÊ PODERÁ: OBTER JUNTO À EMBAIXADA, INFORMAÇÕES SOBRE POSSÍVEIS CONVENÇÕES ACERCA DE CUIDADOS DE SAÚDE RECÍPROCOS ENTRE PAÍS DE ORIGEM E DESTINO; OBTER UM SEGURO QUE CUBRA OS EVENTUAIS CUIDADOS DE SAÚDE NUM DESTINO, MESMO QUE SEJAM CUIDADOS MÉDICOS DISPENDIOSOS OU DE DIFÍCIL ACESSO;
- EVITE CONSUMIR ALIMENTOS CRUS OU MAL COZIDOS, EXCETO FRUTOS E VEGETAIS (DESDE QUE ESTEJAM ÍNTEGROS) QUE POSSAM SER DESCASCADOS OU LAVADOS. DÊ PREFERÊNCIA A ALIMENTOS E BEBIDAS (COM EMBALAGEM NÃO VIOLADA) DE PROCEDÊNCIA CONHECIDA E QUE TENHAM NA EMBALAGEM INFORMAÇÕES NUTRICIONAIS, DATA DE FABRICAÇÃO E PRAZO DE VALIDADE.
- EVITE EXPOSIÇÃO INDEVIDA AO SOL, APLICANDO PROTETOR SOLAR NO MÍNIMO 30 MINUTOS ANTES DA EXPOSIÇÃO (FPS MÍNIMO 15) NAS ÁREAS DO CORPO NÃO PROTEGIDAS POR VESTUÁRIO, REAPLICANDO CONFORME ORIENTAÇÃO DO FABRICANTE. UTILIZE TAMBÉM ÓCULOS DE SOL COM FILTRO UV E CHAPÉU DE ABA LARGA;
- PROCURE LAVAR AS MÃOS COM REGULARIDADE, PRINCIPALMENTE APÓS USO DE SANITÁRIOS E ANTES DAS REFEIÇÕES;
- REALIZE UMA AVALIAÇÃO DE SAÚDE, INCLUINDO ODONTOLÓGICA, COM PROFISSIONAIS HABILITADOS, DE 4 A 6 SEMANAS ANTES DA DATA PREVISTA DE VIAGEM. DEVERÃO SER AVALIADOS FATORES COMO: SITUAÇÃO VACINAL E A NECESSIDADE DE IMUNIZAÇÕES COMPLEMENTARES; O ROTEIRO, OBJETIVO E DURAÇÃO DA VIAGEM; DOENÇAS CRÔNICAS; SITUAÇÕES DE IMUNOSSUPRESSÃO; GESTAÇÃO; IDADE (CRIANÇAS E IDOSOS) E O USO DE MEDICAÇÃO CONTÍNUA E/OU CONTROLADA;
- SE FOR PRATICAR ALGUM ESPORTE RADICAL OU SE DESLOCAR A ÁREAS REMOTAS E DE DIFÍCIL ACESSO, REALIZE PLANEJAMENTO PRÉVIO, PREPARAÇÃO FÍSICA ADEQUADA, LEMBRANDO SEMPRE DE CONSULTAR PESSOAL ESPECIALIZADO E UTILIZAR TODOS OS EQUIPAMENTOS RECOMENDADOS.
- SE OCORRER QUALQUER ALTERAÇÃO NO SEU ESTADO DE SAÚDE AINDA NO MEIO DE TRANSPORTE, COMUNIQUE AO RESPONSÁVEL PELO MESMO QUE ACIONARÁ OS SERVIÇOS DE CONTROLE SANITÁRIO NOS PONTOS DE ENTRADA. CASO ALGUM SINTOMA DE DOENÇA OCORRA JÁ NO DESTINO, BUSQUE ATENDIMENTO MÉDICO E NÃO PRATIQUE A AUTO-MEDICAÇÃO;
- USE ROUPAS QUE PROTEJAM CONTRA PICADAS DE INSETOS: COMO MANGAS COMPRIDAS, CALÇAS E SAPATOS FECHADOS. APLIQUE REPELENTE À BASE DE DEET (DIETILTOLUAMIDA) NAS ÁREAS EXPOSTAS DA PELE SEGUINDO A ORIENTAÇÃO DO FABRICANTE. PARA MENORES DE 2 ANOS DE IDADE NÃO É RECOMENDADO O USO DE REPELENTE SEM ORIENTAÇÃO MÉDICA E ENTRE 2 E 12 ANOS USAR CONCENTRAÇÕES ATÉ 10% NO MÁXIMO TRÊS VEZES AO DIA. HOSPEDE-SE EM LOCAIS QUE DISPONHAM DE AR-CONDICIONADO OU TELAS DE PROTEÇÃO NAS PORTAS E JANELAS E USE MOSQUITEIRO
- USE REPELENTES, DÊ PREFERÊNCIA AOS QUE CONTENHAM DEET OU IR3535; REAPLIQUE O REPELENTE A CADA 3 OU 4 HORAS, ESPECIALMENTE SE O CLIMA FOR QUENTE E ÚMIDO; USE INSETICIDAS OU MOSQUITEIROS NO QUARTO DE DORMIR; UTILIZE ROUPAS QUE PROTEJAM CONTRA AS PICADAS DOS MOSQUITOS/INSETOS (MANGAS COMPRIDAS, CALÇAS E SAPATOS FECHADOS).
Exigências Sanitárias
BRASIL:
Partida - País não possui nenhuma Exigência Sanitária.
BOLÍVIA:
- CONFORME PUBLICAÇÃO INTERNACIONAL TRAVEL AND HEALTH 2009 DA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE, EXIGE APRESENTAÇÃO DO CERTIFICADO INTERNACIONAL DE VACINAÇÃO OU PROFILAXIA CONTRA A FEBRE AMARELA PARA VIAJANTES PROCEDENTES DE ÁREA COM RISCO DE TRANSMISSÃO DA DOENÇA´´
#631046 por indirafirmino
08 Set 2011, 17:17
Boa tarde Pessoal,

Alguem que ja viajou para o Peru, grávida, ou com uma gestante? Estou de 3 meses, quando ligo em postos de vacinação, alguns dizem que posso e ou dizem que não posso tomar a vacina contra febre amarela...

Outra dúvida, é a questão de ser ou não arriscado viajar pra la, devido a altitude, e etc...

Viajo pra la no dia 04 de outubro, ficarei 14 dias...

Se alguem puder me ajudar e me dar algumas dicas com relação a locais para se hospedar, alimentação e passeios mais indicados ( que sejam menos cansativos), eu agradeço.

um abraço a todos.


Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 6 visitantes