Relatos de viagem no Peru


#1146372 por emiliomiguel
19 Dez 2015, 10:59
A ideia aqui é postar o caminho que eu fiz para chegar a machu picchu em um tempo razoavelmente curto - moro em Londrina-PR e desde o dia que saí da minha cidade até o dia que cheguei de volta, levou 7 dias (2 dias fiquei hospedado em guarulhos, conforme vcs vão ver). Então fiz uma viagem ao Peru de no total 5 dias, partindo de SP. Também coloco algumas dicas que para mim foram bastante úteis...

Obviamente tem muito mais coisas para fazer no Perú, como conhecer vários pontos em Lima, Nazca, etc, então vamos lá

Voo internacional
05. Novembro LDB-CGH
06. Novembro GRU-LIM (Tam) e LIM-CUS (StarPeru)
09. Novembro CUS-LIM (StarPeru)
10. Novembro LIM-GRU (Tam)
11. Novembro (CGH-LDB)

Clima: de 15 a 28 graus em toda a viagem
Moeda: Novo Sol Peruano, R$1,41 reais na casa de câmbio do banco Safra em GRU.

Itinerário em 7 dias
Londrina - São Paulo - Lima - Cusco (avião)
Cusco - Ollantaytambo (van, tour Valle Sagrado)
Ollantaytambo - Aguas Calientes (PeruRail trem)
Aguas Calientes - Poroy (PeruRail trem)
Poroy - Cusco (carona)
Cusco - Lima - São Paulo – Londrina (avião)

Dia 1
Saindo do aeroporto de Londrina (20:00), com destino a Congonhas (21:15). Ao chegar, peguei o ônibus que faz o transfer gratuito de Congonhas a Guarulhos da Tam. Esse transfer entre os aeroportos está disponível desde bem cedo até umas 23h, é só dar uma olhada no site da TAM para ver os horários. Passei uma noite no Slaviero fast sleep dentro de Guarulhos. Fica bem próximo a onde o ônibus do transfer pára, ao lado do quiosque de informações. Reservei com bastante antecedência (uns 30 dias), e chegando lá haviam pessoas que queriam dormir porém estava lotado. É extremamente pequeno, um quarto o qual uma beliche ocupa mais da metade do espaço do quarto. Há um banheiro próprio, tudo estava em excelentes condições de limpeza. Custou 230 reais aproximadamente. Neste mesmo dia resolvi comprar no próprio aeroporto mais Nuevos Soles peruanos, e constatei que o banco Safra que fica lá (subindo a primeira escada rolante) era um dos poucos que operava 24horas e que tinha essa moeda. Câmbio foi de 1.41 reais para 1 nuevo sol, igual ao shopping catuaí de Londrina. Depois disso fui dormir.

Dia 2
Acordei 4.30 da manhã fiz checkout e fui ao terminal 3, aproximadamente 7 minutos caminhando. Já havia feito checkin e fui despachar a mochila (tipo de mochilão). A moça da Tam me orientou a ir a uma outra sala despachá-la, onde se despacha itens frágeis. Ela explicou que para esse tipo de mochila eles costumam despachar como item frágil. Então fui à sala de embarque, meu voo partiu às 08.45 e chegou às 11.30 horário local de Lima. Com o horário de verão no Brasil, a diferença de hora entre os dois países era de 3 horas mais tarde no Brasil. Quando cheguei, fui buscar alguma loja de telefonia para comprar um chip para usar Internet no celular. Tem 2 lojas da Claro, uma no primeiro andar e outra no segundo andar, porém naquele momento nenhuma aceitava cartão de crédito então deixei para comprar depois em Cusco. Comi um lanche na praça de alimentação do aeroporto no segundo andar e fiz checkin lá mesmo pois tinha um voo às 15h para Cusco (StarPeru). Importante: comprei passagens de trem para Aguas Calientes pela Peru Rail, é bom aproveitar para imprimir seu ticket de ida e volta do trem já no aeroporto de Lima (tem um quiosque da Peru Rail no aeroporto, onde o cara te dá vários detalhes da sua passagem e a impressão do ticket grátis). O avião era bem pequeno e velho e o voo não teve nenhum tipo de problema. Ao chegar no aeroporto de Cusco (bem pequeno e precário) tem uns estandes de agências de turismo antes de pegar a bagagem, e lá mesmo comprei um tour de 1 dia para o Valle Sagrado (70 soles para a agência em dinheiro e no dia do tour mais 70 soles para entrada no parque. Não me lembro em que outro lugar eu vi o preço no centro da cidade, que custava 80 soles). Eles me buscariam no hostel para o tour, que seria no dia seguinte. Em seguida tentei comprar mais soles pagando em cartão de crédito, sem sucesso. Peguei um táxi (35 soles, dá para negociar) para a plaza de armas, pertinho do hostel. O hostel (Feel at Home) fica dentro de uma galeria de artesanatos, segundo andar. É pequeno, mas o suficiente para quem quer só dormir, fui muito bem tratado. O banheiro sempre estava muito limpo. 43 soles por noite e 5 soles por uma toalha, sendo que eles dão um sabonete simples. A galeria de artesanatos não estava cara, mas achei uma outra loja no quarteirão de cima que tinha itens mais baratos (gorros, camisetas, etc).

Dia 3
Pelo hostel eu tinha um café da manhã grátis para cada noite hospedado em um restaurante (imperceptível sem perguntar para alguém) no quarteirão de cima a partir das 7 da manhã com uma parte dos itens que eles tinham no cardápio. Comprei algumas coisas, deixei a mala grande no hostel e fui par o tour com alguns itens básicos em uma pequena mochila. O tour era um ônibus com guia que passava em algumas cidades próximas que tinham ruínas e um almoço (excelente) incluído em um restaurante no meio do caminho. Percebi que diferentes pessoas contrataram o mesmo tour no mesmo ônibus com diferentes agências, e por isso o almoço de cada uma delas era em um restaurante diferente. O tour começava e terminava em Cusco, mas parei em Ollantaytambo (fiz uns 80% do tour) para pegar um trem para Aguas Calientes pela PeruRail. Antes disso comprei água pois as coisas em Águas Calientes em geral são mais caras. O trem é bem confortável, só que vc fica em uma mesa para 2 ou 4 pessoas e de Ollantaytambo para Aguas Calientes levou 2 horas. Na PeruRail, são 3 tipos de trem, Expedition – mais barato, o que eu usei – Vistadome e Bingham – estes 2 são mais caros e sinceramente não compensa). Cheguei em Aguas Calientes no final do dia, comi um lanche por 15 soles em um restaurante, e fui dormir para no dia seguinte bem cedo ir a machu picchu.

Dia 4
Machu picchu - para entrar
Para ir a machu picchu é necessário comprar a entrada no parque (comprei pela internet, o que só é possível se vc tiver um cartão visa com a tecnologia ‘verified by visa’; com esse cartão vc reserva e paga pelo site do governo). A segunda coisa necessária é definir se você irá de águas calientes até o parque (que fica no topo de uma montanha) a pé (gratuito, 1h de ida) ou de ônibus. O ônibus leva uns 30 minutos e me custou 80 soles (24 dólares) ida e volta. O preço atualizado pode ser visto no site da Consettur. Não é possível comprar pela internet, mas não é necessário comprar com muita antecedência, recomendo 1 dia antes. Não há reserva de lugares nem nada, é apenas um monte de micro ônibus que partem a cada 15 minutos da rua principal da cidade, começando as 5 a.m.. A venda de tickets é nessa mesma rua. O que eu fiz foi comprar no dia anterior (umas 22h da noite) o ticket apenas de ida para voltar a pé, mas fiquei muito cansado e comprei a volta lá em cima no parque mesmo na hora de ir embora. Vale lembrar que é possível fazer o caminho de salkantay que parte de Cusco até machu picchu caminhando, e leva alguns dias mas isso é para quem já tem bastante experiência em trilhas. É preciso reservar com alguma agência mas eu não conheço muito como funciona...

Machu picchu - o passeio
O que eu sei que dá para fazer no santuário é: 1) passear pelas ruínas sozinho 2) contratar um guia para conhecer as ruínas 3) subir a montanha de huayna picchu 4) subir a montanha de machu picchu. 1) não faz muito sentido fazer sozinho pois tudo ali tem um significado interessante e o guia em grupo não é caro. 2) guía sozinho pode sair entre 150 a 120 soles quando eu fui. Em grupo de até umas 6 pessoas pode ficar a 20 soles cada. 3) huayna picchu é uma montanha que fica ao lado de machu picchu 2.700m de altitude. Para poder subir, no momento em que for comprar a entrada para machu picchu tem que comprar junto o ingresso para huayna picchu em horario especifico. É preciso preparo físico razoável. No site quando comprei dizia que tem 1h para ficar na montanha, porém na prática há um caminho de 45 min ida e volta que vai até próximo à montanha; outro que vai até o topo da montanha 2h ida e volta; e outro que passa pela montanha e vai para uma grande caverna que os incas usavam para sacrifícios, 4h ida e volta. Não há na prática nada que controle o tempo ou lugar que vc vai, uma vez que vc já entrou nessa parte do parque. Fui até huayna picchu e fiquei la por 3 horas. Dá para ver a cidade de machu picchu inteira do topo. São uns 500m de subida. 4) não sei muito sobre subir a montanha de machu picchu, apenas pq conheci pessoas que contrataram toda sua viagem a machu picchu com alguma agencia do brasil, que incluía essa montanha, que tem 3mil m de altitude. Em geral no parque vc pode ficar quanto tempo quiser. Sugiro entrar no parque as 5 da manhã (sem muitos turistas, um silêncio incrível), pegar um guia o mais cedo possível (pode reservar um no seu hostel ou lá em cima na hora mesmo há guias oferecendo tours, que duram 2h), e ir a huayna picchu as 10 da manhã, quando há menos chance de ter neblina. Dá para entrar no parque com o mesmo ticket por 3x, então dá para ir ao banheiro (1 novo sol) e ir comer, por exemplo. Obs., levar repelente, protetor solar e capa de chuva.

Neste mesmo dia peguei o trem (peru rail) para ir direto a poroy (cidade próxima a cusco), mas antes fui comer em um restaurante de frutos do mar que fica de frente com a trilha do trem, EXCELENTE, por um preço bom. Chegando de trem a Poroy vc deve pegar um taxi ou onibus ou carona para cusco, 30 minutos, podendo girar em torno de 35 soles. Cheguei no final do dia então só deu tempo de tomar banho comer e arrumar a mochila para a volta.

Dia 5
Logo cedo eu tinha o voo de cusco a Lima porém pelo"mau tempo" (tinha chovido um pouco) o aeroporto estava fechado e demorou um tempão para decolar. A única que estava operando era a LAN, e a pior e mais desorganizada era a Avianca. Cheguei cansado, no meio da tarde então acabei não fazendo nada neste dia. Lima é uma cidade um pouco perigosa e as pessoas recomendam que você não saia na rua andando sozinho, mesmo de dia. Táxis desde o aeroporto podem variar bastante de preço mas CERTIFIQUE-SE de estar pegando um táxi autorizado do aeroporto. Peguei um ‘genérico’ para tentar economizar, mas quando vi era um carro normal no estacionamento e o cara ficava me perguntando quanto custou meu hotel e minha viagem.

Dia 6: Peguei o voo de Lima a Guarulhos
Dia 7: CGH-LDB

Observações:
Sugiro FORTEMENTE ficar em Lima por 1 ou 2 dias na volta antes de partir para o Brasil, pois o aeroporto de Cusco é muito precário: uma chuva fraca levantou neblina e o fez fechar por várias horas. Teve gente que perdeu o voo de Lima para o Brasil por conta do atraso em Cusco, e era bilhete de outra companhia, então teve que pagar para remarcar.
Internet: tem lojas da Claro no aeroporto de lima e nas cidades que visitei tem Claro e Movistar (a qual eu usei. Achei meio ruim o sinal mas funcionava até em algumas partes da cidade de machu picchu.
Vacinas: nenhuma
Visto: não é necessário contanto que vc fique até 6 meses se não me engano
Celular: isso é algo que eu sempre faço, em vez de deixar só no modo ‘Economia de energia’, deixar em modo avião, economiza muito mais bateria.
Compras: águas calientes foi o lugar mais caro que encontrei, o restante era similar em preços
Pesquisa na internet: tente buscar dicas em sites do país a que está indo, não apenas sites em inglês. É possível achar dicas diferentes e às vezes pode economizar bastante...

Sites interesantes

Itinerários do transfer TAM CGH <> GRU
http://www.tam.com.br/b2c/vgn/v/index.j ... 08020aRCRD
Consettur
http://www.consettur.com/
Site oficial de compra do ticket ao parque de machu picchu
http://www.machupicchu.gob.pe/


:D

#1153997 por douglas.cabral
14 Jan 2016, 17:03
Gostei da sua viagem, pois pelo que vi, fez td por conta que é o que também pretendo fazer por questões de economia ::mmm:

Gostaria de saber se lá existem guias para Machu Picchu que falam português?

Vale sagrado e outros locais famosos ali perto de cusco você não chegou a ir?

Abçs ::otemo::
#1163546 por emiliomiguel
15 Fev 2016, 05:51
opa desculpa a demora :D

sim foi bem econômico, considerando que a viagem internacional eu paguei com milhas, na ponta do lápis minha viagem ficou por 3mil reais mais as milhas.

Existem vários guias que falam português, não são todos mas existem

fui no valle sagrado sim e é bem legal, vale a pena. está descrito no post no dia 2

abraço

Emilio


Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 2 visitantes