Relatos de viagens pelos países do Sudeste Asiático: Tailândia, Vietnã, Timor-Leste, Singapura, Mianmar, Malásia, Laos, Indonésia, Filipinas, Brunei e Camboja
#1164686 por deiafranzoi
18 Fev 2016, 09:09
Essa viagem começou no Mianmar, se quiser ler o relato o link é esse:
mianmar-dezembro-2015-t123769.html

Vou dividir o relato em duas partes, primeiro coloco os custos e informações mais importantes e depois vem o relato em si.

VISTO:
Brasileiros não precisam de visto para ficar até 90 dias no país.

VACINAS:
É obrigatório comprovar que você foi vacinado contra febre amarela.

CAMBIO
A moeda nacional é o ringgit. O cambio no aeroporto é pior do que na cidade, troque apenas o necessário. Em dezembro/2015 o cambio estava assim:
No aeroporto: U$1,00 = $4,00
Na cidade: U$1,00 = $4,14 a $4,20
Importante: em muitos lugares eles não aceitam mais notas com impressão depois do ano 2000. Quando for comprar dólar ou euro observe isso nas notas recebidas.

CUSTO POR DIA
Fiquei 6 dias na Malásia e gastei exatamente U$195,00 dólares. Media de U$32,00 por dia.
Para planejar sua viagem pode usar essa media. Dá pra fazer com menos, mas não muito menos, economizei bastante na Malásia. Onde mais gastei foi em Langkawi. As outras cidades são mais baratas.


AEROPORTO
Kuala Lumpur tem dois aeroportos: Subang Airport / Skypark Terminal, e o KLIA (Kuala Lumpur International Airport) que é o aeroporto principal. A grande maioria dos voos de turismo chega no KLIA, que possui dois terminais. KLIA1 é usado mais pela Malaysia Airlines e outras cias internacionais, o KLIA 2 é o terminal da Air Asia. Tenha em mente que se trata do mesmo aeroporto, apenas dois terminais diferentes. Já o Subang é usado mais para voos domésticos e voos de curta duração. O tempo de transito entre os dois aeroportos é de 45 minutos caso você precise trocar de aeroporto.

Saindo do aeroporto:
De ônibus: vários ônibus fazem a ligação com a estação Central (KL Sentral). Pegue o bus até KL Sentral e se não estiver hospedado por ali, consegue pegar o trem para qualquer parte de Kuala Lumpur e até outra cidades. A passagem de bus custa $11,00. Para pegar o ônibus vá até o 1º piso e na saída da escada rolante só seguir as placas para comprar o ticket no guichê 3. O ticket tem que ser comprado antes. O ônibus fica na saída do 1º piso. Tempo de viagem +/- 1 hora. A 01:30 hs, depende do transito.
De trem: KLIA Ekspres faz em 28 minutos o percurso até a KL Sentral. O preço por trecho é de RM 35.00, o que dá aproximadamente US$ 10.
KLIA Transit: é um trem que liga KL Sentral aos terminais do KLIA, com a diferença de que faz algumas paradas no percurso. A cada 15 minutos durante o horário de pico e a cada 30 minutos depois da meia noite. - See more at: http://www.aeroportosdomundo.com/asia/m ... aFXVl.dpuf
TÁXI: Ao lado dos balcões do SkyBus ficam os de táxis. Você pode solicitar um com taxímetro (que sai por volta de RM90 até a região central de Kuala Lumpur) ou opções mais confortáveis que começam nos RM110 e são pré-pagos.

HOSPEDAGEM
Kuala Lumpur: Submarine Ghesthouse – nº 206(1st floor) Jalan tun HS Lee – China Town
Custou 25 rings por noite em quarto duplo sem café da manha. Não é o melhor nem o pior que já fiquei, se voltasse iria procurar outro lugar. Mas foi o mais barato que achamos que tinha vaga. Eles tem café e chá a vontade, o chuveiro é muito bom, o quarto é ok, só a limpeza deixou a desejar.

Ipoh: aqui eu recomendo ficar no Bed & Bike Backpackers Studio. Endereço: nº 2A-1 (1st floor) Jalan Sultan Yusuff – Little India. Não posso comentar pois estava em reforma, mas a localização é a melhor com certeza. Fica uma quadra da rodoviária, que é tudo que você vai precisar em Ipoh.
Como o hostel estava em reforma, acabei ficando no hotel que fica em frente, um amarelo que só atravessa a rua e já está no terminal de ônibus. Paguei 55 rings a diária em quarto individual com banheiro coletivo. Só que o banheiro era estilo indiano, aqueles que são um buraco no chão, como muitos na Ásia.

Langkawi: Cenang Rest House: fica em Pantai Cenang, na beira da praia. Paguei 35 rings para ficar sozinha no dormitório e foi o lugar mais barato que achei por lá. Só o único problema é que não tem pia no banheiro... mas tinha uma no bar ao lado que quebrou o galho, hehehe!! Localizaçao excelente. Saia do quarto e já estava na praia!

TRANSPORTES (custos em rings):

Do aeroporto de KL para o centro fui de ônibus até a KL Sentral ($11,00 rings) + taxi da KL Sentral até hostel ($30,00 rings, que rachei com mais uma pessoa, ficou $15,00 cada)
Kuala Lumpur p/ Malaca: passagem de trem p/ terminal de bus $3,20 + bus $10,00 para ir e $18,00 para voltar pois não tinha mais bus, conto no relato
Ônibus em Malaca: $2,00 do terminal para o centro
Ipoh: de KL p/ Ipoh bus a cada 30 minutos, $27,00
Bus do terminal de Ipoh p/ centro $2,30 (bus 116, pega na plataforma 3 demora 40 minutos)
De Ipoh p/ Langkawi: não anotei os custos, foi mal. Mas tem que pegar um bus p/ Alor Setar (03hs de viagem) depois um taxi p/ Kuala Kedah (30 min) e o ferry p/ Langkawi (01:45hs).


#1166977 por deiafranzoi
25 Fev 2016, 14:39
Cheguei em Kuala Lumpur por volta das 2 da madrugada, devido ao atraso no voo de Yangon. Do aeroporto peguei um ônibus que nos deixou na estação KL Sentral, e como já era tarde, eu não tinha hospedagem reservada e nem um mapa da cidade, eu e mais um guri que estava no ônibus pegamos um taxi e fomos pra região de China Town tentar achar uma hospedagem entre os nomes que eu tinha pesquisado. Depois de batermos em algumas portas conseguimos lugar para as 3 noites que iriamos passar em KL. Em quarto duplo pagando pelo valor de dormitório! No hostel não tinha café mas bem na esquina um aloja da 7 Eleven, perfeito.

Li sobre vários bairros diferentes para se hospedar em KL, mas pelo que percebi o principal é você ficar localizado perto de uma estação de trem, independente do bairro que escolher se hospedar. Você vai depender do trem para a maioria dos deslocamentos, além disso é um sistema eficiente e com muitas opções de horários. Entre os principais bairros pesquisados são: Bukit Bintang, Central Market, Chinatown, Triangulo de Ouro.

No meu 1º dia na Malásia decidi conhecer a capital mesmo. Arranjei um mapa e segui para os principais pontos turísticos. Eu estava já hospedada em um dos pontos turísticos, que é o próprio bairro de Chinatown, com vários templos, comercio, ruas enfeitadas com lamparinas... e a três quadras do hostel ficava o Central Market e várias estações do metro! Achei a localização muito boa. No 2º andar do Central Market tem uma praça de alimentação muito boa e com preços bons.

A maioria dos pontos estão localizados na mesma região, e fica próximo do Central Market então dá pra fazer tudo a pé mesmo. Merdeka Square, National Museum, Lake Gardens, Islamic Art Museum, City Galery, Masjid Jamek. Os pontos mais afastados são a Petrona Towers, KL Tower e o Sky Bar, sendo que os três ficam próximos um do outro. Dá pra visitar tudo no mesmo dia, se começar bem cedo e se preparar para caminhar muito, mas muito mesmo. Se quiser entrar nos museus recomendo reservar um dia e meio para visitar KL, até dois se gosta de fazer tudo com calma. Isso considerando apenas a capital mesmo, sem contar com Batu Caves e atrações próximas de Kuala Lumpur.

Para ir da Merdeka Square até a Petrona Towers, KL Tower, peguei um bus da Go KL, que é de graça e desci próximo das torres. Ainda tive que caminhar uns 15 minutos até chegar lá. Não subi na Petrona, ao invés disso fui no Sky Bar, que fica no Traders Hotel, em frente das torres. Do Sky Bar você tem a vista da cidade com as torres! E é de graça, enquanto que para subir na Petrona tinha que pagar uns U$20,00 se não me engano. Para voltar a China Town peguei o metro na frente da Petronas e desci na estação do Central Market.

Segue os principais pontos turísticos com breve explicação:


GO KL
Ônibus totalmente grátis, que percorre vários pontos da cidade. Tem duas rotas: the Green line and the Purple line. run every 5 minutes in peak hours and every 15 minutes in the other hours. A circle with green or purple line takes 35-36 minutes. Purple takes 38 minutes.
PETRONA TOWERS
O KLCC, ou Petrona Towers, é o cartão postal mais importante e marcante de Kuala Lumpur. Em baixo das Petronas tem o shopping Suria KLCC e em frente a ele tem um jardim lindo que é de onde tem os melhores ângulos para tirar as melhores fotos da torre. Para subir na torre não precisa marcar com antecedência. Fui lá me informar e tinha vários horários no dia. Eu não subi na Petronas, por quê? É caro e você perde a visão da obra arquitetônica mais importante da cidade que é ela mesmo. Siga a dica de cima e vá de Sky Bar!
SKY BAR
Vale muito mais a pena você subir de graça no SkyBar. É um bar que fica no topo do Traders Hotel. Você tem acesso ao hotel com uma curta caminhada pelo KLCC park e tem a vista da cidade com as Petronas, detalhe não precisa pedir bebida, se for ficar pouco tempo, se quiser curtir a vista.

KL TOWER
É a sétima torre de televisão mais alta do mundo com 421 metros. Pode subir até o deck de observação que fica a mais de 270 metros de altura. Tem várias atrações na torre como: Aquário de coral, sala de cinema e uma vista incrível da cidade e bem mais barata que a Petronas Tower. Eu não fui, mas para quem curte, fica a dica. a torre mais alta de lá que tem um restaurante 360 graus em seu topo. Quem não quiser ir no restaurante pode só tomar um drink depois das 9 da noite, quando abre o bar. Para quem não quer beber nada nem comer nada, pode comprar só o ingresso de subida mesmo. Custa 48 RM.

MERDEKA SQUARE
A praça já foi um campo de críquete, mas entrou para a história quando se tornou o ponto em que a Malásia declarou sua independência da Inglaterra em 1957. Um dos mastros de bandeira mais altos do mundo foi erguido ali. A parte gramada é cercada por prédios históricos muito bonitos. Em frente a Merdeka Square fica o Sultan Abdul Samad. Prédio construído na época da dominação britânica para servir de departamentos administrativos. Hoje em dia o prédio é um museu que conta um pouco da história da Malásia. a entrada é gratuita.

CENTRAL MARKET
Um mercado com opções de comida e artesanato interessantes. Ali é possível fazer a famosa massagem de peixe. Você paga apenas 5 rinngit por 10 minutos. O interior é dividido em áreas temáticas que representam a população diversificada do país. que incluem Lorong Melaya, lojas vendem artesanato Malaio; uma réplica de Jonkers Street de Malacca; e Little India. É o melhor lugar para comprar artesanato local. São muitas lojas. E tem uma praça de alimentação só com restaurantes malaio ou comida asiática. Do lado de fora do mercado tem o Kasturi walk, que são várias barraquinhas e restaurantes.
CHINATOWN
A região tem tudo o que se espera de uma Chinatown: lamparinas chinesas, um mar de falsificações e ainda ótimas barraquinhas com opções de vários tipos de frutas, peixes, noodles, arroz, espetinhos, etc. Tem vários prédios com lindas arquiteturas no caminho entre o mercado central e a China Town e muitos templos budistas.
NATIONAL MUSEUM
Conta a história da Malásia desde a pré-história até hoje. O prédio do museu tem arquitetura típica malaia e as galerias valem a pena. Custa 5 rinngit. Não entrei, logo não posso dizer se vale a pena ou não.

LAKE GARDENS
De lá, existe um atalho para os Lake Gardens, ou jardins dos lagos. Trata-se de um enorme espaço com diferentes tipos de jardins e parques com bônsais e orquídeas e outros tipos de plantas. O local é muito agradável e ali dentro encontram-se três atrações importantes: o National Planetarium, um planetário que exibe filmes científicos e tem modelos de antigas construções astronômicas (como o Stonehenge); o National Monument, que homenageia os mortos na luta pela independência do país; e o Bird Park, um dos destaques do Lake Gardens e o maior parque de pássaros do mundo, com centenas de espécies diferentes.
ISLAMIC ART MUSEUM
Museu que exibe diferentes coleções de artefatos islâmicos pelo mundo. Arquitetura, peças têxteis, jóias, carpetes, livros, entre outros tipos de arte antiga são exibidos no lugar. Seguindo a rua, está a Mesquita Nacional. A entrada para visitantes está delimitada aos horários em que não ocorrem uma das cinco orações diárias. A mesquita fornece roupas muçulmanas para cobrir os turistas e guias voluntários para explicar mais sobre o prédio e a religião. Uma atração definida como “must see” pelos guias internacionais que resenham a Malásia. Maior museu do tipo fora do mundo árabe, o complexo de 30 mil metros quadrados reúne uma pequena mesquita e vários prédios de arquitetura mourisca em pleno sudeste asiático.
CITY GALERY
Ela é o ponto de promoção histórica e cultura da cidade. Um lugar onde os turistas podem pegar mapa e todas as informações sobre o que está acontecendo na cidade e passeios turísticos na capital como por cidades vizinhas. E é lá que fica o famoso “I Love KL”.
MASJID JAMEK
A mesquita mais antiga da capital. A construção foi finalizada em 1909. Pelo arquiteto inglês Arthur Benison Hubbock, que foi inspirada nas mesquitas mongóis construídas na Índia. A visita acontece todos os dias fora do horário de orações. Porém para entrar precisa está com vestido adequadamente. A entrada em gratuita. Quando eu fui estava em reforma, não pude visitar.
#1166984 por deiafranzoi
25 Fev 2016, 15:03
Meu segundo dia na Malásia decidi fazer uma day trip para Malaca. Acordei bem cedo e as 8 já estava na estação Masjid Jamek, que fica atrás do Central Market para pegar o trem em direção a Bandak Tasik Selatan, que é a estação que tem que descer para ir ao terminal de ônibus de KL. A passagem de trem custou $3,20. O trem demora uns 35 minutos para chegar e você vai caminhar mais uns 10 minutos até o terminal. O ônibus para Malaca custou $10,00 para ir e $18,00 para voltar.

ATENCAO: chegando em Malaca, já compre sua passagem de ônibus de volta para KL. Eu não sabia e deixei para comprar na hora da volta e não tinha mais passagem para KL. Tive que pegar um bus até um lugar chamado Seremban e de lá o trem para KL, só que isso demorou horrores e me custou quase o dobro.

O ônibus de KL até Malaca demora quase 3 horas, com pouco transito. Na volta demoramos todo esse tempo só pra chegar na tal de Seremban que fica bem ates de KL, por causa do transito horrível. Por isso, se você tiver tempo, não faça a day trip, passe a noite em Malaca, que é uma cidade super charmosa e agradável!

Chegando no terminal de Malaca tem que pegar um bus para ir até o centro de Malaca, que custa $2,00 e demorou 01:20 para fazer o trajeto, tanto na ida como na volta. O transito lá é horrível também. Mas chegando no centro de Malaca, quando o ônibus para na Torre do Relógio já dá pra perceber que a viagem vale a pena!

Malaca é considerada Patrimônio Mundial pela UNESCO e a Cidade da Cultura e Herança Colonial da Malásia, tanto da era portuguesa, quanto da holandesa.
O passeio por Malaca começa na praça da Torre do Relógio, onde os holandeses deixaram sua marca com prédios de cor avermelhada. Dali, você pode seguir a pé para todos os pontos de interesse da cidade. O Centro Histórico tem um número inacreditável de museus, incluindo um Museu Islâmico ($3,00) e outro focado na arquitetura das casas de lá. A não ser que você tenha muito tempo, você vai ter que selecionar os que te interessam mais. Tem o Maritime and Naval Museum, no formato de um navio, que narra a importância de Malaca como cidade portuária e a influência disso na economia e na cultura local.

Dali pode seguir para a St. Paul Church, uma igreja em ruínas, construída pelos portugueses em 1521 e de onde se pode ter a melhor vista da cidade. A Porta de Santiago, o que restou do famoso forte “A Formosa”, é outra atração importante deixada pelos portugueses. O único museu que visitei foi o Sultanate Palace ($5,00), uma réplica de um palácio de Sultão do século 15, construído às margens de um lindo jardim, mas apesar da construção ser lindo por fora o museu não é tao interessante assim. Ah, entrei também no museu Islâmico só porque começou a chover muito forte, mas não recomendo tambem.

Termine seu dia em Chinatown. Ali você encontra alguns templos chineses, os melhores bares e restaurantes da região, além de lojas encantadoras com todos os tipos de souvenirs e presentes que você pode imaginar. Pena que esse dia choveu, não chegou a atrapalahr muito a visita, consegui fazer todos os pontos, mas na hora de Chinatown tive que fazer meio correndo pra fugir da chuva!
#1169869 por deiafranzoi
07 Mar 2016, 16:18
BATU CAVES

Meu ultimo dia em KL, fui visitar Batu Caves pela manha. Para chegar lá é muito simples e o passeio todo não vai demorar mais do que 4 horas entre sair do seu hostel, pegar o trem, visitar e voltar para o hostel. Para chegar até lá, você deve ir até a estação KL Sentral e pegar um trem para Batu Caves, que fica na última estação. Tem trem a cada 30 minutos, a passagem custa RM 5,00 ida e volta e são aproximadamente 20 minutos de viagem.

Batu Caves: um templo hindu construído dentro de uma caverna. Na entrada do templo, antes de subir as escadarias fica uma estátua gigante dourada do deus Muragan, de 42 metros de altura. Ainda existem um zoológico, outra caverna e outro templo para serem visitados no entorno. As cavernas estão a 13km de Kuala Lumpur, e são 262 degraus para chegar no topo. Além da caverna principal, uma caverna escura que serve de moradia para morcegos, incontáveis baratas e raríssimas aranhas também está aberta ao público, mas para essa atração imperdível é necessário pagar pela entrada. A terceira caverna que completa as Batu Caves é a Villa, que também cobra entrada, mas não tem morcegos e nem exige que o visitante suba todos os 262 degraus. Ao lado da Batu Caves fica a caverna de Ramayana. Vale a pena já que você está lá, custa apenas uns 5 reais.

Para voltar, só caminhar de volta para a estação que fica ao lado dos templos e pegar o próximo trem para Kl. De volta a KL, almocei no central Market, voltei para o hostel pegar a mochila para ir rumo a Ipoh.

IPOH

Ipoh fica no caminho entre Kuala Lumpur e a ilha de Langkawi. Fica 3 horas de bus de Kuala Lumpur, ônibus a cada 30 minutos, passagem $27,00. Para chegar no terminal a partir de China Town, ir até a estação Masjid Jamek, que fica atrás do Central Market e descer em Bandar Tasik Selatan, cruzar a passarela para o terminal de ônibus. Compre sua passagem nos guichês e dirija-se ao portão de embarque indicado. Chegando em Ipoh, vai precisar pegar um bus do terminal para a cidade. Custa $2,30, bus 116 na plataforma 03, demora uns 40 minutos pra chegar no terminal de Ipoh, cujo nome é Amanjaya.

Assim que cheguei na cidade e saí do terminal para procurar pelo hostel o céu resolveu desabar em chuva... caminhei uns 10 minutos procurando o hostel que tinha anotado e quando finalmente achei ele estava fechado para reformas. Na frente tinha um hotel e foi pra lá que fui, não ia ficar procurando lugar com toda aquela chuva. E a localização era perfeita, era só atravessar a rua e estava na rodoviária, de onde eu teria que pegar todos os transportes tanto para visitar os templos como para seguir para Langkawi. Nesse caso não me importei de pagar um pouco a mais pela hospedagem pois economizei com os taxis que teria que pegar.

O que fazer em Ipoh: tem dois templos mais famosos e alguns outros que pesquisei mas não visitei. Em uma manha dá pra fazer os dois templos abaixo.
PERAK TONG
Há quase 100 anos é usada como templo budista. Quase 40 estátuas de Buda tomam conta do lugar, incluindo a maior do país, um Buda sentado com 12 metros de altura. Pinturas decoram as paredes da caverna. Do alto de Perak Tong é possível ter uma vista panorâmica de toda a região de Ipoh, mas para chegar até lá é preciso superar os quase 500 degraus que cortam a caverna.
Pegar o bus 35 (rota Kuala Kangsar) no terminal da cidade de Ipoh , custa $1,50, demora uns 15 minutos pra chegar no templo. Aberto a partir das 09:00 hs.
Para voltar fique de frente para o templo, e a sua esquerda tem uma arvore na frente de uma revenda de carros, ali é a parada de onibus. Desca no terminal de Ipoh novamente.
SAM POH TONG
Esse templo budista fica na entrada de Ipoh. A caverna foi descoberta por um chinês, que então resolveu morar lá e, é claro, transformar o local em templo. Aberto a partir das 09:00
Pegar o bus 66 (rota Kampar). Custa $1,50, demora uns 20 minutos. Para voltar atravesse a rodovia e tem uma parada bem na frente do templo. Pode pegar qualquer ônibus que passar, todos eles estarão indo para Ipoh.
Terminada as visitas, voltei para o hotel, peguei a mochila e fui para o terminal de ônibus pois meu próximo destino era Langkawi.

Para ir de Ipoh a Langkawi:
Pegue o bus 116 no terminal de Ipoh, mas pergunte para o motorista se vai para o terminal de ônibus pois tem um deles que não vai. Chegando lá compre sua passagem para Alor Setar. Custa $29,00 e são 3 horas de viagem. Ônibus sai as 13:30. Chegando em Alor Setar vários taxis estarão esperando pra levar até Kuala Kedah, que é onde se pega o ferry para Langkawi. O taxi custa $20,00 mas fique esperando chegar pessoas para compartilhar o taxi. Em 4 pessoas dá $5,00. Demora uns 25 minutos. Após isso o ferry até Langkawi custa $23,00, demora 01:45 hs e sai de hora em hora.

LANGKAWI
Cheguei em Langkawi já de noite. O taxi para ir do ferry até Pantai Cenang custa $30,00. Na ilha não existe transporte publico, então ou aluga moto / scooter ou vai depender de taxi. Consegui pessoas ara dividir o taxi e paguei $15,00.

Langkawi é um arquipélago com 99 ilhas no norte da Malásia, quase na fronteira com a Tailândia. O que você pensar vai encontrar por lá, além das aguas transparentes e areia branquinha, dá pra ficar uns 10 dias por lá que vai ter o que fazer todos os dias. Desde andar de banana, jet sky, passeio de barco, aquário, teleférico, Sky Bridge, Underwater World Langkawi, mergulho, saltar de paraquedas... enfim, o que você quiser vai encontrar por lá, é só ter dinheiro, hehehehe!

Onde ficar:
São cinco áreas principais (na maior das ilhas): Datai Bay, Pantai Kok, Padang Matsirat, Kuah, Pantai Tengah e Pantai Cenang.
Pandang Matsirat é onde fica o aeroporto.
Kuah é onde fica o porto e a maior cidade da ilha
Datai Bay fica numa area mais isolada, se for na Sky bridge passa por lá. São mansoes e resorts nessa area da ilha.
Pantai Tengah e Pantai Cenang, ficam do ladinho uma da outra – dá para conhecer as duas praias caminhando.
Eu fiquei em Pantai Cenang e achei ótimo, infra estrutura excelente e a praia é linda.

No primeiro dia fui fazer o Island Hoping . O passeio de barco leva às ilhas , praias e por uma ilha com uma lagoa de água doce, Pregnant Maiden Island e para ver as águias. Custa $30,00 + $6,00 p/ entrar em Pregnant Lake.

Segundo dia visitei a montanha Gunung Mat Chinchang, onde fica o teleférico mais alto e a ponte mais elevada da Malásia, a Sky Bridge, com 700 metros de altura. A subida permite vistas incríveis da ilha e do mar bem do alto. A entrada custa $35 + $5,00 para ir na Sky Bridge. Para chegar lá o taxi custou $30,00 (desde Pantai Cenang) + $30,00 volta... demora uns 20 minutos pra chegar.

O parque abre das 09:30 as 18:00, mas CHEGUE CEDO e vá logo comprar seu ingresso, deixe pra visitar o lugar e bater as fotos depois. Eu fiquei rateando e quando resolvi comprar o ingresso a fila estava imensa. E meu horário para subir no teleférico era só pra meia hora mais tarde, isso que recém tinha aberto.
Chegando lá em cima tem a opção de ir na Skybridge. Para chegar lá você pode pagar $10,00 e ir num “carrinho” ou pergunte onde fica a trilha pra chegar lá. A caminhada é de 10 minutos e super tranquila, e de graça. Vale muito a pena. Quando voltar para baixo aí sim visite o restante do parque que é lindo! Ah, lá em cima tem uma cachoeira também mas eu li que não era imperdível e não valia a pena então não fui. Voltei antes do meio dia e fiquei curtindo praia o resto do tempo.

Se tiver mais tempo acho que uns 4 ou 5 dias seriam legais para conhecer o resto da ilha e curtir mesmo o lugar, porque eu só consegui fazer os dois passeios acima em dois dias e tem muita coisa pra fazer por lá. Mais uma informação: muitos muçulmanos na ilha, vai ver muita gente na praia de roupa, mas tem bastante turista de biquíni. No começo fiquei meio constrangida mas depois vi que eles já estão acostumados!

Transfer de Langkawi para Krabi:
Custa $125,00 por agencia, mas da pra ir por conta própria e vai gastar menos. Taxi até ferry $30,00 se não achar ninguém pra dividir. Depois vai pegar o ferry até Satun (2 horas de viagem, $30,00) e em Satun pega van p/ Krabi já na saída do ferry $37,00. A imigração é super tranquila, faz já na saída do ferry. Fomos por conta própria e pegamos a mesma van do pessoal que comprou o transfer. Vão oferecer o serviço na própria fila da imigração, não compre. Deixe para negociar lá fora e pague mais barato.
Ou seja, paguei $97,00 em vez de $125,00 isso que estava sozinha. Se tivesse alguém pra rachar o taxi em Langkawi ficava mais barato ainda. E é super tranquilo, você não vai fazer nenhum esforço a mais do que quem comprou o transfer.

DICA: na fila da imigração vai vir um cara com um crachá de “voluntário” oferecendo transporte. Não caia nessa, vimos o cara na agência de turismo que era dele mesmo lá fora...

Tem transporte de Langkawi para outras partes da Tailandia tambem. Eu me lembro de ter visto para Pucket e Koh Lipe.
#1243146 por Rodrigo mafra silveira
28 Dez 2016, 00:10
Bom dia! Estou em phiphi e e preciso ir pra langkawi! A única opção que surgiu aqui foi uma balsa saindo de ko lanta, passando por ko lipe, ao custo de 3100 bath, R$ 310 reais. Sabe sobre o ônibus disponível? Aqui está a 900 bath, sabe se compensa?

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 0 visitantes