Troca de informações e relatos de trilhas e travessias na região sudeste do Brasil. Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.
#556763 por avimeney
20 Fev 2011, 01:15
Estive em Paraty nos dias 4, 5 e 6 de fevereiro de 2011. Nos dias 4 e 6 fiquei apenas na cidade de Paraty. No dia 5 saí da cidade para conhecer algumas das trilhas que compõem a travessia da Juatinga.

PARATY

A cidade de Paraty é bem bonita e agradável. Oferece várias opções de bares e restaurantes, além de inúmeras pousadas. Tive a impressão de que a maioria das pousadas são simples, embora existam opções com piscina e aparência bastante aconchegante. A cidade é bem pequena. Acho que 1 dia e 1 noite é suficiente para quem quer apenas conhecer os pontos principais e ter uma boa noção de como a cidade funciona.

Centro Histórico
Durante o dia é possível bater algumas bonitas fotos nas vielas estreitas e com calçamento de pedras irregulares do Centro Histórico, conhecer algumas igrejas e caminhar até o Forte. No final da tarde é interessante um passeio pelo cais e pelas margens do rio Perequê-Açú. À noite é interessante um jantar em algum dos restaurantes que ficam no Centro Histórico e uma volta na Praça da Matriz.

Ficar mais do que 1 dia e 1 noite seria recomendado apenas para quem quer alguns dias de tranquilidade e descanso numa cidade simples ao lado da namorada(o). Ou então, para quem está disposto a sair da cidade e conhecer os arredores. Aí sim, existem opções de cavalgada, cachoeiras, trilhas e praias maravilhosas. Neste caso, é bastante recomendável um carro para facilitar os deslocamentos.

SONO, ANTIGOS, GALHETAS

Cheguei na rodoviária de Paraty pouco depois de 9 da manhã. Uma senhora me informou que o ônibus para Laranjeiras (ponto de partida para a trilha) havia acabado de sair. Tive que esperar o próximo, que partiu da rodoviária só depois das 10 horas. Por incrível que pareça, no começo da subida da serra para Laranjeiras o ônibus ficou sem combustível. Tive que ficar esperando o próximo no meio da estrada. Com isso, só comecei a trilha para a Praia do Sono ao meio-dia.

Eu sabia que estava muito tarde para começar a trilha e, ao mesmo tempo, queria conhecer o máximo de praias possível antes de escurecer. Tentei manter um ritmo puxado, me aproveitando do fato de estar apenas com uma mochila de ataque. Queria parar para tirar algumas fotos mas não poderia gastar muito tempo curtindo as praias e a caminhada.

Praia do Sono
Cheguei na areia da Praia do Sono às 12:45. A praia é maravilhosa. O céu estava limpo, o sol forte e temperatura elevada. O mar estava tranquilo e a água em diversos tons de azul e verde. É uma praia tão bonita quanto as encontradas na Ilha Grande. Porém, ao contrário do que eu tinha ouvido falar sobre ela há alguns anos, ela não tem nada de deserta. Junto à toda faixa de areia, sob as amendoeiras, existem campings e construções simples, provavelmente casas de moradores. Uma senhora me informou inclusive que serviam refeições, pratos com peixe por R$ 15,00. Encontrei algumas pessoas acampadas, algumas no mar e um clima de muita paz e sossego.

Praia dos Antigos
Caminhei por toda a areia da Praia do Sono, atravessei o córrego ao final da faixa de areia, subi um morro bastante íngreme de onde se pode bater a "clássica foto da Praia do Sono" e continuei a trilha para a Praia dos Antigos. Cheguei na areia da Praia dos Antigos às 13:45. Achei esta praia ainda mas bonita do que a do Sono. Várias pedras encravadas na areia, córregos de água doce e fresca correndo para o mar. Um pedaço do paraíso.

Atravessei a Praia dos Antigos e segui para a praia de Antiguinhos. No início da trilha para Antiguinhos uns pescadores me informaram que eu alcançaria esta praia em cerca de 15 minutos. Caminhei um pouco, parei num córrego delicioso no meio da trilha para fazer um lanche. Continuei caminhando e notei que já haviam passado os 15 minutos previstos e eu não havia alcançado nenhuma praia. Ou eu havia passado direto da praia ou haviam me dado uma informação muito errada. Continuei andando pra descobrir.

Praia das Galhetas
Às 14:40 então fui surpreendido por uma ponte rudimentar, suspensa sobre um rio. Atravessei a ponte e cheguei numa praia tão bonita ou mais do que as duas anteriores. Praticamente sem areia, toda coberta por pedras de todos os tamanhos, formando piscinas naturais de água variando em diversos tons de azul e verde. Um dos lugares mais bonitos que já estive. Tirei várias fotos, ainda sem saber qual o nome do lugar em que eu estava.

Caminhei um pouco mais em direção a próxima praia e vi que eram 15:30. Se eu voltasse naquele momento, e levasse o mesmo tempo de percurso, chegaria de volta em Laranjeiras às 19:00. Ou seja, com 1 hora de folga para a noite, já que estava no horário de verão. Eu estava sozinho, não conhecia a trilha e se continuasse, não sabia quanto tempo precisaria para alcançar a próxima praia. Achei prudente retornar.

Estava de volta no ponto de ônibus de Laranjeiras às 18:10. Esperei o ônibus por cerca de 10 minutos e às 19 horas estava de volta em Paraty. Pesquisando mais tarde, descobri que a última praia que visitei foi a Praia das Galhetas. Ou seja, passei direto por Antiguinhos e se tivesse caminhado mais alguns minutos teria alcançado a Praia de Ponta Negra. :-(

De qualquer forma, para quem não teve como se planejar com antecedência, foi uma ótima oportunidade para explorar a região e conhecer 3 praias que, com certeza, entraram na lista dos lugares mais lindos em que eu já estive. Um verdadeiro presente de Deus poder ter alcançado estes lugares. O Costa Verde deve estar entre os lugares mais bonitos do mundo.

Em resumo:

Tempo: 6 horas e 10 minutos de trilha
Percurso: Laranjeiras -> Sono -> Antigos -> Galhetas -> Antigos -> Sono -> Laranjeiras
Combustível: 3 barras de cereal, 1 geleia de mocotó e 2 litros de água (levei 1 litro e recarreguei 1 litro nos córregos)

Não existe nenhuma sinalização (placas, setas, etc.) ao longo do percurso, no entanto, a trilha é bem batida e razoavelmente larga. Não tive nenhuma dificuldade de localização, em nenhum momento achei que pudesse estar perdido. Existem alguns pontos de água doce ao longo do caminho para encher o cantil e a maioria do percurso é bem protegida do sol pela vegetação.

O trecho Laranjeiras -> Sono é o mais "urbanizado" existindo, inclusive, alguns pontos onde construíram escadas de cimento para facilitar a transposição de alguns obstáculos. Talvez a parte mais difícil seja a subida e descida do morro logo após a Praia do Sono em direção a Antigos. Não é nada complicado, mas exige maior atenção e disposição para aguentar o sol na cabeça.

Uma dica é que o riacho no fim da Praia do Sono (sentido Antigos) precisa ser atravessado por dentro d'água (passei com água pelo joelho). Isso significa que você precisa estar preparado para tirar a bota e secar bem os pés antes de recolocá-la e encarar a subida do barranco que vem logo em seguida. ;-)
Editado pela última vez por avimeney em 23 Mar 2014, 16:12, em um total de 1 vez.

#785331 por Loh_Cris
06 Dez 2012, 21:53
Mto showww! ::otemo::

Sds. Loh

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 2 visitantes