Relatos de Viagens por 2 ou mais países da América do Sul
#1184797 por andersonbatistadesouza
02 Mai 2016, 23:02
Caros,

Há algum tempo planejávamos conhecer o extremo sul do continente, no final do ano conseguimos conciliar as datas e resolvemos embarcar nessa viagem ao fim do mundo.

Aproveito este espaço para compartilhar a nossa experiência e reforçar que cada centavo gasto na viagem valeu muito a pena, o lugar é deslumbrante.

Nos próximos posts vou colocar informações, dicas, custos etc da viagem, mas com certeza vou deixar escapar alguma coisa, fiquem a vontade para perguntar que estarei disponível para responder com o maior prazer.

Abraços

#1184820 por andersonbatistadesouza
02 Mai 2016, 23:33
Melhor

A melhor parte da viagem são as recordações que ficam na memória e registradas nas fotos, como não tenho a memória muito boa tirei muitas fotos :)

Concentrei as fotos em https://flic.kr/s/aHskxjsZ3V

Pior

A pior parte é lembrar da viagem até 2017, parcelei algumas coisas em 12X no cartão :( A planilha em anexo tem os custos de hospedagem, passeios + taxas, transfers, passagens aéreas, passagens de ônibus etc.

Coloquei 80 reais por dia por pessoa para alimentação, até tenho as algumas anotações dia a dia, mas não verifiquei se o valor foi superior ou inferior ao estimado, eu chuto que o valor foi superestimado.

As diferentes cotações de peso argentino ocorrem porque fiz trocas em datas e locais diferentes e também paguei algumas coisas no cartão que tem uma cotação bem ruim, posteriormente vou falar sobre dicas de câmbio.

Não anotei o total gasto com táxi, futuramente vou consolidar os valores para colocar na planilha.
Anexos
(39.43 KiB) Baixado 251 vezes
#1185126 por andersonbatistadesouza
03 Mai 2016, 23:04
02/03 - 1º dia
    09:30 - Embarque GIG
    19:30 - Chegada em Ushuaia
03/03 - 2º dia
    08:15 às 14:00 - Caminhada pelo Parque Nacional Tierra del Fuego, Trêm do fim do mundo e carteiro do fim do mundo (Brasileiros em Ushuaia)
    À tarde aproveitamos para dar uma volta pelo centro da cidade
04/03 - 3º dia
    08:30 - Lagos Off-Road (CANAL FUN)
05/03 - 4º dia
    10:00 - Canal de Beagle (Brasileiros em Ushuaia)
    15:00 Laguna Esmeralda & Encuentro con Castores (CANAL FUN)
06/03 - 5º dia
    08:00 - Pinguinera pela manhã (PIRATOUR)
    15:00 - Trilha até o Glaciar Martial
07/03 - 6º dia
    Manhã - Visita pela cidade + Museu Marítimo + Presídio de Ushuaia
    16:10 - Embarque para El Calafate
    17:35 - Chegada em El Calafate
08/03 - 7º dia
    08:00 às 17:00 - Perito Moreno com Mini Trekking
09/03 - 8º dia
    08:00 às 14:00 - Ida para Puerto Natales - Empresa COOTRA
    tarde livre para andar no centro de puerto natales
10/03 - 9º dia
    07:30 às 19:00 - Full Day Torres del paine
11/03 - 10º dia
    08:00 às 14:00 - retorno para El Calafate (sexta) - Empressa COOTRA
12/03 - 11º dia
    08:30 às 15:00 - Rio de Hielo Express (SOLO PATAGONIA)
    17:00 - Glaciarium museu e bar de gelo
13/03 - 12º dia
    Manhã livre
    15:30 - Cerro Frias (CERRO FRIAS)
14/03 - 13º dia
    15:15 - Voo para GRU
    22:20 - Chegada em GRU
15/03 - 14º dia
    15:15 - Embarque SDU
Editado pela última vez por andersonbatistadesouza em 04 Mai 2016, 22:48, em um total de 1 vez.
#1185406 por andersonbatistadesouza
04 Mai 2016, 22:47
Adoramos a viagem como um todo, mas alguns passeios considero que podem ser adaptados e até mesmo dispensáveis. Vou começar a falar deles pois pode ser útil para quem está organizando a viagem.

Torres Del Paine (TDP)

O parque é muito bonito e olha que não conseguimos ver toda a sua beleza; o tempo estava nublado, chuvoso e ventando. O formato do passeio que escolhemos, o Full Day, é muito corrido. Entra na van, desce da van tira foto, entra na van, desce da van.... Mas se assim como eu, você não se aventura no trekking, resta apenas esta opção.

Para um dia de passeio gastamos mais dois com o transporte, ida e volta à Puerto Natales. Isso acaba deixando a viagem mais longa/cara sem agregar pois em Puerto Natales não tem muito o que fazer.
Vi que algumas agências de El Calafate oferecem o passeio Full Day a partir de lá. Não tenho maiores informações sobre esta alternativa, sugiro consultar aqui no mochileiros se alguma outra pessoa fez este passeio a partir de El Calafate.

4x4 Cerro Frias

Esse foi o passeio mais sem graça da viagem, não teve muita emoção e o 4X4 era muito velho o que gerou até uma certa insegurança. Tínhamos feito o 4x4 Lagos Off-Road da Canal Fun em Ushuaia que foi muito bom, então a nossa expectativa estava muito alta, talvez por isso que ficamos decepcionados.

No cerro Frias eles também oferecem cavalgada e tirolesa, acho que devem ser mais emocionantes.
Editado pela última vez por andersonbatistadesouza em 20 Mai 2016, 22:45, em um total de 1 vez.
#1185419 por andersonbatistadesouza
04 Mai 2016, 23:52
Pesquisando na internet decidi trocar apenas 800 pesos argentinos aqui no Brasil(1 real X 2,70 ARS na Renova) e levar reais para trocar lá. Considero que fiz uma ótima opção e vou passar algumas dicas abaixo.

Pesos Argentinos (ARS)

Sai do Brasil pensando em trocar dinheiro preferencialmente em Bancos Argentinos (Banco de la Nacion (BNA), Banco da Patagônia) e como opção secundária o Hotel Antartida em Ushuaia. A cotação no site do BNA e no hotel Antartida era 1 real = 3,70 ARS .

Meu voo tinha como destino o Aeroparque, o aeroporto de voos nacionais e internacionais de curta distância. Na internet obtive informações que existia BNA apenas no Ezeiza, então a alternativa era trocar nos bancos em Ushuaia e El Calafate; vi que existiam agências e fiquei tranquilo. Caso não tivesse sucesso nos bancos iria comprar no Hotel Antartida em Ushuaia, que era bem recomendado na internet e algumas pessoas comentavam até que tinha uma cotação melhor que a dos bancos.

Pousei no Aeroparque e para minha surpresa existia uma agência do BNA para câmbio. Minha dúvida era se realmente faziam a cotação do site e se não havia alguma taxa surpresa. Não teve taxa e usaram a cotação do site, porém existe um limite de troca de 2000 reais por passaporte. Minha esposa tinha ido ao banheiro e acabei ficando limitado à esse valor.

Em Ushuaia fui ao Banco da Patagônia e perguntei ao atendente qual era a cotação do câmbio e ele me disse que não trocavam moeda. Questionei se conseguiria fazer no BNA e para minha surpresa fui informado que os bancos de Ushuaia não fazem câmbio. Então me restou o Hotel Antartida, que felizmente pagava 3,80 ARS por real, um pouco melhor que no BNA.

Eu também consegui converter 1 real = 4 ARS ao pagar o passeio da Pinguineira na Piratour, fato muito curioso que me ligou o alerta para sempre perguntar se aceitavam reais e qual era a cotação. Consegui uma cotação melhor em outros dois lugares do que a do hotel, mas para pequenos valores que não impactavam muito. No caso desse passeio que era caro deu pra fazer uma economia.

Em El Calafate eu não precisei trocar dinheiro então não sei se os bancos fazem. Percebi que pouquíssimos estabelecimentos aceitam reais, gostam apenas de euros e dólares. Vi apenas um restaurante que funcionava também como casa de câmbio e a cotação era 1 real = 3,50 ARS. Sugiro fazer um planejamento para trocar a grande parte do dinheiro em Ushuaia.

Pesos Chilenos (CLP)

Não me preocupei muito pois precisava de poucos CLPs, então decidi que iria levar reais e trocar em alguma loja de câmbio. No hotel Hallef, onde fiquei hospedado, nos recomendaram a casa de câmbio La Hermandad (Rua Manuel Bulnes, 692) que fica próximo ao supermercado Unimarc. De todas as casas esta foi que ofereceu a melhor cotação, 1 real = 160 CLP
Assim como em El Calafate, os estabelecimentos não aceitam reais.
Editado pela última vez por andersonbatistadesouza em 02 Out 2016, 21:24, em um total de 2 vezes.
#1187160 por andersonbatistadesouza
11 Mai 2016, 21:40
Decidimos fazer a viagem em dezembro, no mesmo dia dei sequência ao meu protocolo de compra de passagens aéreas, consulto no decolar.com para comparar as opções de preço e horários e compro no site da cia aérea, evitando assim pagar a taxa do decolar e ter uma pessoa que não presta/agrega valor ao serviço que estou adquirindo.

Das duas cias que oferecem a rota, a aerolineas era a que oferecia os melhores horários, a TAM/LAM tinha voos com 28 horas e duas conexões. Em ambas cias os preços eram parecidos. Fiz algumas simulações pelo Galeão(GIG) e pelo Santos Dumont(SDU), descobri que indo/voltando pelo Santos Dumont era mais barato e o retorno pelo Galeão era ruim porque tinha uma troca de aeroporto em Buenos Aires. A opção pelo SDU era um voo da Azul no trecho SDU X Garulhos(GRU) e vice-versa, os demais trechos eram pela Aerolineas. Entrei no site da Aerolineas para adquirir a passagem e para minha surpresa não era possível comprar o bilhete, eles vendiam apenas saídas do Galeão. Decidi então ir no site da Azul e confirmei que eles também não vendiam este bilhete. Coisa de maluco né, liguei para o decolar.com e eles falaram que o responsável pelo bilhete era a Aerolíneas. Liguei para a Aerolineas e eles disseram que pelo site deles não era possível emitir o bilhete pelo Santos Dumont. Diante da situação, excepcionalmente, fiz a compra pelo site do decolar.

Optei por não retornar para o SDU, comprei a passagem até GRU, as opções para voltar para o Rio incluíam uma conexão de 8 horas em Guarulhos. Achei que seria muito cansativo, por isso decidimos voltar no dia seguinte em um voo a parte comprado na Gol. Pagamos 100, com taxa de embarque, que era mais ou menos o valor a ser pago a maior se voltássemos diretamente para o Rio. Também precisei reservar um hotel em GRU, 130 para duas pessoas com transfer gratuito de ida e volta para o aeroporto.

Duas semanas antes da viagem recebi um e-mail do decolar informando que o voo SDU -> GRU havia sido cancelado e eles me ofereceram um voo alternativo pela Gol, antes tinha 3 horas de espera em GRU e com a nova conexão seria reduzido para 2 horas, maravilha, íamos ficar menos tempo esperando, mas eu não achei assim tão bom. É comum o SDU fechar pela manhã devido ao nevoeiro, logo a minha margem de manobra tinha sido reduzida. Resolvi consultar no decolar se estava disponível a opção de ir direto do GIG para Buenos Aires(BUE), sem conexão em GRU, vi que ainda tinham assentos e resolvi ligar pro decolar e propus a seguinte alteração: Troca do voo SDU ==> GRU e GRU ==> BUE por GIG ==> BUE. Normalmente as cias aéreas são inflexíveis, mas basta eles alterarem o horário do voo em mais de 15 minutos que a coisa muda de figura. Passado alguns dias da minha solicitação o decolar não dava prosseguimento no meu atendimento, liguei para cobrar e eles disseram que esse procedimento levava uns 10 dias, disse que meu caso tinha uma certa urgência e depois de cobrar umas três vezes eles repassaram a solicitação para a Aerolíneas, que em uma manhã resolveu a questão.

Isso só faz reforçar a afirmação do primeiro parágrafo: adicionar um intermediador, o cara que não executa o serviço, é sempre mais caro e geralmente dá dor de cabeça.

Superada essa questão do decolar, chegou o dia da nossa viagem. Estava com a expectativa bem baixa em relação a Aerolíneas, pois vários amigos tiveram problemas. Hoje posso dizer que recomendaria a todos voar por esta cia, foram pontuais, a comida era adequada ao tempo de voo e o estado de conservação das aeronaves, em uma única perna fomos em um avião mais velho, nas outras 4 pernas foram aviões com menos de dois anos de uso, sei dessa informação pois verifiquei na internet pelo prefixo do avião. Só deixaram furo em vender uma passagem no decolar.com que não é oferecida no site deles.
Editado pela última vez por andersonbatistadesouza em 02 Out 2016, 21:28, em um total de 1 vez.
#1187360 por andersonbatistadesouza
13 Mai 2016, 00:18
Durante a nossa viagem ficamos em 4 hotéis, em El calafate ficamos dois períodos e repetimos o mesmo hotel.

De uma forma geral a hospedagem é bem cara, mas abrindo mão de quarto de casal para quartos quádruplos conseguimos ter uma média de preço por pessoa/noite de 117,00 reais

Fomos com todos os hotéis reservados, geralmente reservo pelo booking.com, mas desta vez consegui alguns bons preços no hoteis.com e decolar.com, em ambos os sites consegui parcelar em 6x/12X, além de segurar uma taxa conversão que estava bem volátil com todas as incertezas políticas. A diferença de preço era tão boa que valeu a pena colocar um intermediário.

Ushuaia - Hosteria Y Restaurante America - Quarto quádruplo

Quarto: Bem espaçoso e com uma cama de casal e duas de solteiro. A calefação funcionou muito bem a noite. As roupas de cama e banho estavam impecáveis.
Localização: Fica a 1 km do centro e 450 metros do mercado La Anónima.
Café da manhã: Bem variado, tinha até salada de frutas. Um dia tivemos que sair antes do café da manhã estar servido a mesa, pedi ao recepcionista se poderiam adiantar um pouco pelo menos uma parte do café e eles prontamente atenderam.
Staff: Sempre muito solícitos, nada a reclamar.

El Calafate - Cabanas Dom Pepe - Quarto de casal - 1ª estádia
Quarto: Os quartos ficam na parte mais nova do hotel, o estado de conservação era bem melhor que das cabanas que descrevo mais abaixo. Ficamos no 2ª andar e o hotel não tem elevador. Contamos com a ajuda do Alejandro para levar as malas.
Localização: Fica a 1 km do centro, tem um mercado a 100 metros.
Café da manhã: Bom, tinha algumas frutas e não ofereciam frios.
Staff: O onipresente Alejandro nos deixou muito a vontade e sempre nos ajudou quando solicitamos.

Puerto Natales - Hotel Hallef - Quarto de casal
Quarto: Ficamos no 2ª andar e o hotel não tem elevador.
Localização: Fica a 1 km da rodoviária e tem um mercado a 500 metros.
Café da manhã: Muito bom, tinha algumas frutas e até ovos mexidos.
Staff: Alejandra é a recepcionista da parte da tarde, aqui do Brasil antes da viagem troquei vários e-mails com ela que sempre foi muito gentil e respondeu tempestivamente. Ela nos indicou restaurantes, a agência do passeio do Torres del paine(TDP) e a casa de câmbio, todas as indicações foram aprovadas. O atendente da manhã, o qual não me recordo o nome, também nos deus várias dicas e foi paciente para nos explicar como era o passeio do TDP.

El Calafate - Cabanas Dom Pepe - Cabana para 4 pessoas - 2ª estádia
Quarto: As cabanas são mais antigas e acabamos vivenciando alguns problemas. Não conseguimos controlar a calefação e uma noite acabamos desligando a calefação, nossa que falta fez, mas a culpa foi nossa porque não queríamos incomodar o Alejandro. O chuveiro não estava esquentando e o box era minúsculo, foi bem ruim o banho. No quarto tinha uma cama de casal e uma beliche, menos confortável que do quarto duplo. Havia fogão e uma geladeira, então conseguimos economizar um pouco na refeição, preparamos omeletes, piazza e até um bife de chorizo (mais ou menos - parecia um t-bone)
Localização: Fica a 1 km do centro, tem um mercado a 100 metros.
Café da manhã: Esse café é um subconjuntos das coisas servidas para o quarto duplo, não tem frutas. Ele é fornecido no dia anterior e deve ser consumido no quarto, o que deixa o hóspede mais a vontade para tomar o café no horário de sua preferência.
Staff: Alejandro dispensa comentários, nota 10.

Guarulhos - Hotel Monreale - Quarto de casal
Quarto: Hotel simples com ótimo custo benefício, 130 o quarto de casal. O hotel tem um padrão parecido com a rede Accor econômica, eu considero eles melhor que o Ibis Budget e bem próximo do Ibis.
Café da manhã: Muito bom, ovos mexidos, frutas, sucos, frios, pão de queijo e etc...
Staff: Padrão de atendimento muito bom, os funcionários receberam um ótimo treinamento.
Serviços: O hotel oferece transfer ida e volta para o aeroporto de Guarulhos.
Editado pela última vez por andersonbatistadesouza em 02 Out 2016, 21:34, em um total de 1 vez.
#1189171 por andersonbatistadesouza
19 Mai 2016, 22:17
Falei um pouco de alguns tópicos que achei interessante falar de forma isolada, no próximos dias vou falar como foi o nosso dia a dia na viagem.

O pouso em Ushuaia é bem bonito, o avião foi descendo e as montanhas cobertas com neve foram aparecendo, junto com o balanço ocasionado pelo vento patagônico que foi aumentando com a proximidade do solo, mas nada excessivo que estragasse a beleza da paisagem. Estava bem receoso com a famosa turbulência do vento patagônico, mas tivemos sorte em todas as pernas de voo, o tempo foi nosso amigo :)

Chegamos no aeroporto e o transfer estava a nossa espera. Ganhamos este transfer do Brasileiros em Ushuaia, contratamos dois passeios com eles e ganhamos essa benesse. O táxi não deve ser muito caro, porque o aeroporto é bem próximo ao centro, de qualquer forma economizamos alguns pesos. Pela primeira vez havia alguém com uma plaquinha nos esperando, foi aquela badalação, minha esposa pediu pra tirar a foto, aí notamos que nome dela estava errado ehhehehe Trocaram Gabriela por Graciela ::lol4::

O transfer nos levou até a agência do Brasileiros em Ushuaia, pegamos os nossos tickets e em seguida nos levariam ao nosso hotel. Perguntei onde era a agência piratour, havíamos combinado de pagar o passeio da pinguinera no primeiro dia e se não fosse naquele horário não pegaria a agência aberta na hora do jantar, ele disse que era perto, então perguntei se eles poderiam esperar um pouco que ia até a agência fazer o pagamento e depois voltava para eles nos levaram para o hotel. Eles se ofereceram para nos levar na piratour e ficaram esperando. Achei muito gentil da parte deles.

Junto com os tickets nos deram um cupom de desconto de 10% no Restaurante Andino, guardamos na mochila para usar em algum dos cinco dias.

Chegamos no hotel e decidimos sair pra comer alguma coisa. O nosso hotel também era restaurante, mas resolvemos percorrer o centro da cidade e escolher um restaurante. Acabamos esbarrando com o Andino e resolvemos entrar para ver, eles ofereciam uma opção executiva com pratos mais baratos, em torno de 100...120 pesos e outra mais sofisticada entre 170...200 pesos, achamos boa a opção do executivo. Resolvemos pedir um prato para cada casal, geralmente os pratos argentinos são bem servidos, o prato não era de pedreiro, mas deu bem pra duas pessoas que comem pouco. Nessa noite gastamos 125 pesos por casal, usando o desconto do brasileiros em ushuaia.

Outro objetivo era comprar lanche e água para o passeio do Parque Nacional no dia seguinte, o mercado já estava fechado então acabamos comprando uma loja de conveniência 24h que fica na rua principal.

Assim terminou o primeiro dia....
#1192111 por andersonbatistadesouza
31 Mai 2016, 22:42
O segundo dia começou cedo, a van passou para nos pegar por volta de 8h. Iniciado o percorrido a guia perguntou quem desejava fazer o passeio do trem do fim do mundo, esta parte é opcional e paga a parte, nós decidimos fazer. Chegamos na estação e ela providenciou a compra dos tickets, ficamos aguardando o nosso trem e ela seguiu com a van para o fim da linha do trem para nos encontrar.

Para quem não desejar fazer o passeio do trem, que custa 600 pesos, é oferecido uma opção de caminhada.

Ao fim do passeio do trem fomos procurar a nossa guia com a van, entre as diversas vans e ônibus esperando pelos turistas, nada de encontrarmos a nossa van. As pessoas começaram a ir embora e eis que fica uma última van parada, fomos conferir e o nosso motorista e a guia estavam dormindo ehehhe Ninguém da nossa van quis fazer a caminhada, então eles acabaram aproveitando o tempo vago para tirar uma soneca.

Embarcamos na van e fomos para o correio do fim do mundo. Estava ventando bastante, os únicos lugares agradáveis eram a van e o casa do correio, que é bem pequena, acho que cabe mais gente na van do que dentro do correio. Sorte que a nossa van estava bem vazia e não haviam outras vans ao mesmo tempo que a gente. Entramos lá, carimbamos o passaporte, pousamos para fotos com o carteiro do fim do mundo e enviamos postais para a nossa residência. O carimbo e os postais são pagos, achei o valor bem razoável, de brinde você pode tirar fotos com o bigodudo simpático. Alguns dias depois do nosso retorno os postais chegaram :)

Seguimos para o fim da Ruta 3 ou Panamericana, ela tem 17000 km e vai de Ushuaia até o Alaska. Os nativos me contaram que várias pessoas fazem essa travessia de bicicleta, eu acho que é o caminho de Santiago de Compostela dos ciclistas. Nos dias seguintes vi algumas pessoas com bicicletas carregadas na Ruta 03, notadamente aquelas pessoas estavam viajando há algum tempo. Não é possível afirmar que estavam vindo do Alaska, mas também não vinham de Buenos Aires.

Na sequência visitamos algumas lagoas bem bonitas e foi possível observar o lado argentino e chileno de extremo sul do continente sulamericano, contamos com o apoio da nossa guia.

Por volta de 14h estávamos de volta no centro e fomo almoçar no centro. Escolhemos o Trattoria Martina, tinha preços razoáveis, mas a comida deixou a desejar. O que salvou foi a cerveja Beagle com rótulo vermelho(não lembro o nome) que tomamos, muito boa!!!

Como o almoço foi fraco, resolvemos tomar um cafézinho com chocolates. Acabamos esbarrando na Ovejitas Patagonia, que sorte a nossa. O atendimento foi muito bom, café expresso de qualidade e chocolocates bem saborosos. A única coisa que decepcionou foi o "submarino", que é uma rama de cholocate derretida no leite quente. Minha sogra ficou doida quando viu um vizinho de mesa tomando, mas fomos traídos pela aparência, achamos que não valeu a pena, acabou ficando sem doce.

Esqueci de comentar um fato importante, esse dia foi meu aniversário. Tínhamos combinado de sair a noite pra jantar em algum restaurante mais elaborado, optamos pelo Kaupe. O restaurante é bem aconchegante, algumas mesas tem vista para a cidade e o canal Beagle. A comida estava muito boa, eu e minha sogra escolhemos a merlusa negra, com pequena diferença no preparo, e a minha esposa e o meu sogro a centolla. Aproveitamos para pedir aqueles pratos que dificilmente comeríamos novamente na viagem, pois esses pratos eram caros até nos botecos da esquina, por volta de 300 pesos. O atendimento que deixou um pouco a desejar, acho que eu não estou acostumado com restaurante fino. Eles trouxeram o couvert, cestinha de pães e manteiga, pedimos os pratos e assim que ficaram prontos o garçom foi retirando o couvert, não deu tempo nem pra comer aquele último pedacinho do pão. Terminamos de comer e em seguida o garçom nos ofereceu as opções de sobremesa, dissemos que não queríamos. Trouxeram a conta sem pedirmos, esperamos alguns minutos e pagamos. Passados dois minutos o cara perguntou se estávamos de carro, disse que não e ele falou que ia solicitar um táxi. Eu pensei que ele ia pedir quando nós falássemos com ele, não foi bem assim, daqui a pouco ele falou: "O táxi está esperando vocês lá fora". Acho que eles tentam adivinhar o que você está pensando, tudo no automático, eu não gosto desse tipo de atendimento. Prefiro fazer as coisas no meu tempo.
#1193268 por andersonbatistadesouza
05 Jun 2016, 22:35
Este passeio é muito bacana, foi um dos melhores da viagem. O motorista passou bem cedo para nos pegar no hotel, já com o 4x4 do passeio. O 4X4 era um Agrale (produto brasileiro) antigo em ótimo estado de conservação.

Pegamos a rota 3 sentindo alaska e o primeiro ponto de parada é um mirante que dá pra ver uma lagoa e tirar algumas fotos. Logo depois já começou a aventura, pegamos uma estrada de barro que era um descida esburacada e o carrinho aguentou bem. Estava divertido, mais algo me dizia que essa parte era café com leite. Voltamos a pegar a rota 3 novamente, andamos mais um pouco e voltamos para a estrada de barro. Paramos em uma área devastada por castores, mas nada de ver castores, eles costumar dar as caras mais a noite. Seguimos viagem, quando de repente o chuck, nosso motorista , para o carro e avisa que iria começar o 4x4 de verdade, desceu do carro e mexeu em alguma coisa na frente do veículo, próximo a roda. Os 4x4 mais antigos precisam desse ajuste para ativar 4X4. Então começamos a aventura de verdade, algumas vezes eu pensava: "Agora vamos ficar agarrados", "Vamos virar", "Não vai conseguir subir" hhehehe Meu sogro fez alguns vídeos bem legais, assim que ele terminar a edição vou colocar na rede para vocês terem uma ideia melhor do que estou falando. Passada essa parte mais emocionante, depois ainda costeamos uma lagoa e em alguns momentos as 4 rodas ficavam submersas. Perguntei ao nosso motorista se tínhamos que levantar o pé e ele disse pra ficar tranquilo heheh

No fim do passeio foi servido um almoço muito bom, com direito a churrasco e vinho, ambos de ótima qualidade. Ainda tivemos a sorte de ver um bando de raposas, elas devem ir ali sempre na esperança de sobrar alguma coisa, aparentemente os funcionários da Canal Fun tomam o maior cuidado para levar todos os resíduos embora e também falam para não darmos comida aos animais.

A Canal Fun é um boa agência, os funcionários são muito educados, prestativos. Os passeios são pontuais e a comida oferecida é muito boa.
O ponto negativo é a parte de pagamentos. Consultei quais eram as possibilidades de pagamento, eles me disseram que as opções eram pagar 100% no cartão de crédito ou 10% no cartão e o restante na agência. Colocaram a maior pressão dizendo que poderia haver um aumento e mesmo pagando os 10% eu não garantia o preço atual. Mandei um e-mail pra eles dizendo que não tinham o mínimo de planejamento, faltando menos de um mês para a viagem, eles não sabiam se realmente o preço seria ajustado e caso existisse qual o percentual seria. Todo esse imbróglio é por conta dos 6% que cobram no cartão de crédito aqui no Brasil e as conversões cambiais malucas que os bancos brasileiros fazem. Parte desse problema é culpa minha, do Brasil, mas eles poderiam ter um planejamento melhor e oferecer outras formas de pagamento, por exemplo o Western Union.

Na parte da tarde decidimos visitar o Shopping Paseo Del Fuego e aproveitar para conhecer o supermercado La Anónima. Shoppings não me atraem muito, então não vi nada de interessante, mas tem bastantes lojas, praça de alimentação e eu acho que até um cinema. Em compensação adoro um mercado, o objetivo principal era comprar vinhos e algumas coisas para fazer um lanche no hotel a noite. Os vinhos têm preço bons e olha que dizem que Ushuaia é um dos lugares mais caros da Argentina.
Editado pela última vez por andersonbatistadesouza em 03 Out 2016, 21:03, em um total de 2 vezes.
#1196882 por andersonbatistadesouza
20 Jun 2016, 21:21
Pela manhã saímos do hotel e pegamos um táxi até o porto. Trocamos os vouchers da Brasileiros em Ushuaia e entramos no porto para o embarque. Mofamos bastante, se não me engano o barco saiu 30 minutos depois do programado.

Conseguimos avistar a ilhas com os Cormoranes (Pássaro que parece pinguin) e dos lobos marinhos, além do farol do fim do mundo. Esse passeio é um clássico, mas passaria se o dinheiro ou tempo estivessem curtos.

A tarde fomos para a agência Canal Fun para o passeio da Laguna Esmeralda com direito a encontro com os castores. Pegamos uma van até o início da caminhada, descemos e levamos a nossa janta até um abrigo da agência. O guia Santiago disse que poderíamos deixar as coisas que não fossemos usar na caminhada, voltaríamos para a janta em umas três horas e meia a quatro horas.

A caminhada é tranquila, são 2 horas para ir e 1,5 horas para voltar. A volta normalmente é mais curta, pois as pessoas param menos para tirar fotos. A nossa volta demorou mais, ficamos pacientemente esperando os castores aparecem, e não é que eles deram a cara. Eu sou bem cético, tinha certeza que não seria possível ver esses destruidores de florestas, pensava que no final do passeio o guia iria dizer que hoje excepcionalmente os castores resolveram ir dormir mais cedo ou alguma outra desculpa tosca. Queimei minha língua, tivemos que ter paciência, mas no fim valeu muito a pena, conseguimos ver dois.

O nosso guia fez com que o passeio fosse muito agradável para todos no grupo, segurou o passo para os mais lentos acompanharem, teve paciência para esperar os castores e deu explicações detalhadas quando solicitado.

Ao fim do passeio serviram um delicioso guisado (cozido) de lentilha com vinho Postales del fin del mundo, mais uma vez a Canal Fun surpreendeu com uma bela refeição. O abrigo tinha uma lareira e o ambiente ficou muito agradável, ficamos jogando conversa fora com as outras pessoas do grupo por algum tempo.

Esse passeio pode ser feito por conta própria. Quando chegamos ao início da caminhada, percebi que havia um estacionamento com vários veículos parados, eram pessoas que resolveram fazer o passeio sem a agência. A trilha estava bem demarcada e movimentada, o que encoraja a fazer a trilha sozinho. Provavelmente para chegar no início da trilha será preciso alugar um carro ou usar um táxi, pois não existe uma linha de ônibus que leva até o local. É uma questão de avaliar o custo benefício, indo sozinho não vai ter guisado de lentilha no final, mas também não será preciso pagar R$ 380,00 pelo passeio.
#1200400 por andersonbatistadesouza
05 Jul 2016, 22:09
Um dos dias mais esperados da viagem, saímos cedo e caminhamos até o porto. Seguimos de van até a Estância Harberton, numa viagem de aproximadamente uma hora.

O primeiro ponto de parada é no museu de animais da região patagônica. Tem fósseis de várias espécies expostas e a apresentação da bióloga responsável pelo museu torna o passeio alto nível.

Em seguida fomos para o porto da estância, lá pegamos um barco e fomos até a ilha com os Pinguins. O guia deu várias orientações ao descer do barco pra que a nossa presença incomodasse o mínimo possível os nossos amigos. Não tem como dizer que a nossa presença é imperceptível, mas seguindo as recomendações do guia eu percebi que não geramos muito estresse. Uma hora ficamos paradinhos e um deles cruzou a nossa frente, como se fossemos um tronco de árvore. Numa dessas eu tirei uma bela foto :)

Algumas agências oferecem passeios que você passa de barco em frente a ilha, mas eles não estão autorizados a descer. Eu acho que a caminhada é exclusividade da Piratour, então fiquem atentos. Esse passeio vale muito a pena, mas como eu gosto de ressaltar, ele é um pouco salgado.

A tarde fomos ao Cerro Martial. Pegamos um táxi no porto até a base do cerro que custou 140 pesos. Iniciamos a subida em ritmo normal, dado o nosso sedentarismo, e com uma hora de caminhada conseguimos tocar na neve. Algumas pessoas se arriscavam a subir um pouco mais por algumas trilhas, nós já estávamos satisfeitos. Apesar de ser uma subida, eu considero a caminhada com nível de dificuldade baixo. Para voltar é só aguardar um pouco na base que daqui a pouco aparece um táxi, eu fiquei preocupado de não conseguir com facilidade e queria marcar o retorno com o taxista, mas ele me disse para não me preocupar. Outro ponto alto deste passeio é a vista de Ushuaia, dá pra ver toda a cidade.
#1202518 por andersonbatistadesouza
13 Jul 2016, 23:18
Era o último dia em Ushuaia e tínhamos um voo para El Calafate na parte da tarde às 16:10, só dava pra aproveitar a parte da manhã.

Saímos do hotel e caminhamos até o Museu Marítimo que fica em frente ao porto, a visita foi curta e sem muitos atrativos. Sugiro não reservar um horário específico para visitar esse museu, almoçou perto ou foi no porto passe lá rapidinho.

Em seguida fomos ao Museu do Presídio, esse foi bem mais interessante. As histórias contadas em cada cela são bem legais, tivemos até que correr um pouco no final.

Em resumo, se não tiver muito tempo sobrando na viagem eu sugiro que visite apenas o museu do presídio.

Na correria paramos para almoçar o Andino, esse almoço valeu um destaque para o bifão de chorizo, foi o melhor que comi durante a viagem.

Pegamos um táxi para o hotel e fechamos a mala, 5 minutos depois o Brasileiros em Ushuaia estava nos esperando na porta do hotel para nos levar até o aeroporto. Conforme havia dito anteriormente, eles dão essa cortesia para as pessoas que compram passeios com eles.

No voo nada de surpresas, só a mala que demorou muito a sair porque o voo estava muito cheio e havia um grupo grande de Europeus que estavam viajando com muitas malas.

Pegamos as nossas malas e fomos até o guichê da VES Patagônia para pagar o transfer até o hote, efetuamos a reserva pela internet. Nos indicaram a van que nos levaria e aguardamos alguns minutos até que enchesse. Eles cobram 200 pesos se forem contratados ida e volta. Achei a qualidade do serviço muito boa, motorista conduziu em boa velocidade e ajudou a guardar as malas. Recomendo!

Chegamos ao hotel e fizemos um reconhecimento rápido dos quartos, partimos para conhecer o centro da cidade. Ficamos uns 800 mts da parte mais nobre do centro, onde se concentram a maioria dos restaurantes, agências de turismo e o principal mercado, La Anónima. Tínhamos três obrigações, pegar os tickets do mini trekking da Solo Patagônia, pagar o 4X4 do Cerro Frias e jantar :)

Olhei rapidamente no tripadvisor e me interessei pelo Isabel "Cocina Al Disco". Os pratos não eram baratos, mas diziam que dava pra dividir, então resolvemos encarar. Chegamos no restaurante e a fila de espera estava imensa, o atendente nos sugeriu um restaurante ao lado e resolvemos arriscar. Fomos recebidos calorosamente por uma garçonete muito educada que nos convenceu a ficar, mas a comida não agradou muito. Uma pena não lembrar o nome do restaurante para deixar anotado aqui.

Até o 7º dia....

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 10 visitantes