Relatos de viagem no Peru
#1130174 por felipe.araujo
14 Out 2015, 09:45
Olá companheiros de viagem, tentei fazer esse breve relato de minha viagem ao Peru, ainda estou editando e colocando aos fotos, espero que tenha ajudado no planejamento de vocês.

Peguei o vôo da Avianca/TACA partindo de Guarulhos as 05:35, vôo super tranquilo e com muitas cadeiras sobrando, deu para ir domindo, ao acordar me deparei com o avião sobrevoando o lago Titikaka, foi a primeira das inúmeras lindas imagens que veria.
008.JPG
Vista do lago Titikaka
008.JPG (1.37 MiB) Exibido 6789 vezes


• Observações pré-viagem:
- Ter dinheiro local no bolso, para pelo menos pagar o táxi até seu hotel, como o aeroporto de Cusco é pequeno as coisas fecham cedo, então é recomendado trocar em Lima.
- Para fugir do assédio dos taxistas, ande para fora do aeroporto, à sua esquerda, vai vir um monte de taxis não oficiais falar com você, dentro do aeroporto pedem até S/. 50,00. O preço correto do táxi é em torno de S./ 15,00.
- Quem tem alergia a ácido acetilsalicílico (meu caso infelizmente) e a dipirona, não pode tomar o Sorojchi Pills. Recomenda-se para substituir esse medicamento, tomar um Tylenol 750 mg + Nisulid ou tomar muito chá, só não abuse muito pois todo excesso...
- As malas quando você sai do hostel para ir a Aguas Calientes ou Puno por exemplo ficam num armário trancado com cadeado (seu cadeado, então tenha um para isso), geralmente não cobraram a mais por esse serviço, mas alguns hotéis cobram, é bom se informar.
-A diferença de fuso horário para o Peru (2h a menos), então vale a pena conferir os horários. As passagens sempre são nos horários locais, exemplo: Sai de Guarulhos as 05:35 e cheguei em Lima às 08:50 (10:50 no Brasil) com 5:15 de voo.
-Na sua chegada no aeroporto de lima terá que preencher um formulário de imigração, não perca este formulário pois você deve entregar o mesmo na hora de voltar ao Brasil, e há multa para quem perde.
- Para facilitar um pouco coloquei no mapa abaixo os principais pontos que cito em meu relato, sendo as linas azuis as ruas para compras baratas (você vai achar lojas vendendo roupas em toda Cusco), os pontos vermelhos são os locais de compras de ingresos de trem e boletos, os marcadores verdes são os restaurantes que mais gostei, ainda há os marcadores dos caixas eletrônicos caso queiram sacar dinheiro e das agências que fechei passeios.
Mapa Felipe.png
Mapa com os principais pontos
Mapa Felipe.png (509.52 KiB) Exibido 6790 vezes


• Câmbio
- Para a troca de dinheiro, você vai ver que tem um monte de casas de câmbio, uma do lado da outra, muitos viajantes relataram que fizeram câmbio apenas na a LAC DOLLAR, bem na Avenida del Sol. As notas vêm todas carimbadas e eles não te dão notas rasuradas ou rasgadas, que podem não ser aceitas, porém o câmbio lá não estava muito convidativo. Então acabei trocando nas casas de câmbio ali pelo Plaza de armas mesmo.
- Há muitos relatos de que o cartão internacional algumas vezes não funcionou, então creio ser de grande importância deixar uma procuração com alguém aqui no Brasil para resolver essas pendencias com o banco caso aconteça. Há em caso extremo a possibilidade de enviar dinheiro via a WESTERN UNION.
-Você consegue sacar dinheiro tranquilamente, em meu caso saiu quase a mesma coisa do câmbio,só evita sacar varias vezes pois você paga taxa por saque e não pelo valor.


• Alimentação (Onde comer)
Me impressionei com a quantidade de variedade de bons restaurantes em Cusco, todos com o preço bastante acessível. Em geral a maioria dos pratos envolve Lomo (Carne) e Pollo (Frango), não deixe de experimentar alguns pratos típicos locais como o Lomo Saltado, assim como beber uma famosa Cusquenha (cerveja) e pisco sour (bebida típica a base de pisco)

-Como em toda viagem que faço, sempre me oriento sobre onde comer pelos comentários na internet, dificilmente arrisco sem ter uma indicação. Uso sempre as avaliações do TripAdvisor:
http://www.tripadvisor.com.br/Restauran ... egion.html
-Seguindo o Trip Advisor encontrei o restaurante Número 01 em recomendações : Morena Peruvan Kitchen, excelente restaurante e o Qucharitas ( o melhor sorvete que já tomei em minha vida).
Morena e Qucharitas.jpg
Morena e Qucharitas
Morena e Qucharitas.jpg (2.24 MiB) Exibido 6790 vezes

- Em geral Cusco oferece excelentes opções de alimentação e com preços muito acessíveis, com S. 20,00 você almoça bem, seguem descritos alguns lugares que comi.
- Jantei uma pizza deliciosa na Pizzaria Trattoria (esquina da Avenida del Sol), pertinho do Plaza de Armas e na Pizza Point (Calle Plateros) esta última custava S. 28,00 servia bem duas pessoas e com bebida inclusa.
- Para Almoçar quando estava em Cusco sempre ia ao Pacha Mama (Calle Plateros), pratos a partir de S. 15,90 com bebida inclusa e buffet de saladas livre, a comida típica italiana e ainda havia várias opções da culinária local.
- Final de tarde sempre que estava pelo Plaza de Armas passava pelo Starbucks, a entrada é por um beco lateral a catedral e de lá você tem uma vista linda de toda praça.
Restaurantes e Pizzas.jpg
Restaurantes e Pizzarias
Restaurantes e Pizzas.jpg (1.95 MiB) Exibido 6789 vezes

-No aeroporto de Lima a dica é, almoçar/jantar na praça de alimentação, que apesar de meio caro, ainda é muito mais barato que na área de embarque. Nessa área do aeroporto mal tem onde sentar, difícil achar mesa tanto na ida quanto na volta. Na área de embarque há algumas lanchonetes cobrando preços absurdos, porém no outro lado, para a área de embarque nacional ainda há uma lanchonete cobrando em soles.

• Hospedagem:
Há muitos hostels bons em Cusco, porém o que me chamou a atenção e que vi bons comentários foi o Mama Simona e o Loki. A diferença maior entre os dois é que o Loki é bastante agitado, com festas internas e bar funcionando o tempo inteiro, já o Mama Simona é mais tranquilo e organizado, recomendo para quem preza uma boa noite de sono e quer chegar no hostel e ter tranquilidade. Em geral deve-se procurar ficar hospedado próximo ao Plaza de Armas, tome muito cuidado que apesar de alguns hotéis ficarem próximos, há muitas ladeiras enormes em Cusco. Ficando próximo à Plaza de Armas, você estará a uma pequena distância curta de diversas atrações, evitando, assim, depender de táxi para se locomover. Peguei essa dica no SundayCooks explicando com o esboço do que são as ruas e ladeiras próximas à Plaza de Armas. Verde é tranquilo, amarelo é ladeira leve, laranja é ladeira moderada e vermelho é um morrão.
Hospedagem.png
Cuidado com as ladeiras
Hospedagem.png (837.54 KiB) Exibido 6789 vezes


• Vestuário:
Outro ponto que não tinha prestado atenção até então foi em relação ao vestuário, principalmente para quem for mudar muito de hotel ou dormir em Aguas Calientes e de lá passar uma noite em Ollantaytambo não deixe de considerar que você passará o dia em MP com sua mochila nas costas, então carregar calça jeans e jaquetas pesadas pode ser um transtorno. Recomendo então alguns dos sites que olhei:
http://www.decathlon.com.br
(Início Montanha e Aventura > Aventura > Homem Roupas de Frio: Camada 2)
http://www.arcoeflecha.com.br
http://trilhaserumos.com.br/produtos/

Há muitos relatos de quem deixa para comprar lá, mas em geral compensa principalmente se você for passar antes por Santa Cuz de La Sierra (Bolívia). Sugiro também que leia um pouco sobre o sistema de camadas antes de sair comprando. Em geral comprei um casaco de segunda pele e um de terceira camada, os dois muito leves e confortáveis e serviram bem para a viagem. Usava uma camisa normal com um casaco de segunda camada por cima, quando ventava muito ou o frio apertava usava ainda a terceira camada.
Como perdi minha mala e tive que sair comprando roupas em Cusco e em Lima, achei algumas ruas com coisas baratas para comprar, seguem marcadas no mapa. Mas por toda Cusco você verá uma infinidade de lojinhas vendendo desde roupas muito caras (marcas como The North Face e Columbia por exemplo ) até mesmo lojas mais em contas (localizadas na Calle Marquez) e se preferir ainda há o comércio mais popular (ruas Tecte - Pera - Trinitarias), estas ruas estão representadas pelas linhas azuis no mapa.

• Baladas
Cusco reúne muita de todas as partes do mundo (se exagero). São muitos inúmeros hostels espalhados por toda parte como tudo em cusco fica tudo ali nos arredores da Plaza de Armas não seria diferente com as baladas. Ao caminhar durante a noite sempre haverá promoters distribuindo pulseiras de acesso liberado. A partir da meia noite os locais já estão cheios, porém, muitos hostels fazem festas (como o: Loki Hostel) e o pessoal só parte para as baladas depois delas.
Mama África Club: Está localizada na Plaza de Armas. Basta chegar na entrada, dizer que é brasileiro e subir sem pagar nada. A música sempre agitada varia entre coisas atuais e coisas muito velhas, ainda há músicas locais tocando que animam muito. Ainda é possível guardar seu caso logo na entrada (pagando uma gorjeta).
Mushroom Lounge Bar: Localizado no andar logo abaixo do Mama Africa é um bar totalmente diferente do primeiro. Aqui o ambiente é mais confortável e agradável. É um lugar mais para sentar e conversar, jogar uma sinuca com os amigos e curtir o DJ. Tem uma bela vista para o Plaza de Armas e fica cheio de gente jovem e de toda parte do mundo, assim como no primeiro não custou nada para entrar.


• Dia 01

No aeroporto de Lima, comprei meu chip diretamente na loja da Claro que fica no andar superior do aeroporto entre a praça de alimentação e o portão de embarque. Depois de fazer a recarga dos créditos, você também pode habilitar o plano de Internet por conta própria apenas enviando um SMS para o número 779 com o código correspondente ao pacote desejado: 10d Para o plano de 700MB por 10 dias 15d Para o plano de 1,5GB por 15 dias 30d Para o plano de 3GB por 30 dias.
Comprei o plano de 1,5 GB pagando 75 soles, a própria atendente habilitou e já sai de lá com ele funcionando.
Como minha mala foi extraviada e a previsão de chegada era para a noite do próximo dia, aproveitei o tempo em Lima para comprar algumas roupas. Logo na saída do aeroporto de Lima indo para a sua esquerda você encontrará um outlet (INOUTLET), consegui comprar algumas roupas para aguentar até o próximo dia. Vale lembrar que apesar de fazer seguro de viagem (Assistcard) este não me deu nenhum suporte pois informam que só após 36 sem a mala você tem direito ao seguro. E ao contrário do que informam, eles não dão um valor fixo, apenas reembolsam até um valor limite, então caso aconteça peguem nota fiscal de tudo.
Chegada a Cusco e deslocamento até o Hostel ( Taxi S/. 15,00), realmente vale a pena sair um pouco daquela multidão de taxistas que ficam na saído do desembarque, em geral o preço correto é em torno de S./ 15,00.
Após chegar no hotel e fazer check-in resolvi que iria no Plaza de Armas olhar alguns passeios e conhecer um pouco Cusco (me arrependo até hoje). Vi muitos relatos falando do mal de altitude, porém achava que era exagero dos viajantes, mas infelizmente não é. Recomendo por experiência própria ir com calma e andar pouco, quase não conseguia voltar até o hotel e passei a primeira noite em claro com uma dor de cabeça terrível.

• Dia 02

Como fiquei muito mal no primeiro dia, meu segundo dia resolvi ir com mais calma, acordei e tomei muito chá de coca (realmente funciona), então depois resolvi passear pelo Mercado San Pedro e Plaza de Armas, aproveitei também para fechar meus passeios e comprar meu boleto turístico.
O boleto turístico de Cusco pode ser comprado na Avenida el Sol no escritório da COSITUC (Av. El Sol, 103) bem pertinho de uma agência do BCP,o boleto completo custa S/. 130, há também para os circuitos específicos, então caso não vá fazer o City Tour e Vale Sagrado pode até compensar comprar o que não seja o boleto completo.
Com o Boleto Turístico em mãos, fui até a sede da Inca Rail e Peru Rail (Todas no Plaza de Armas), como iria fazer a conexão com o Vale Sagrado (fazer o passeio e de lá tomar o trem em Ollantaytambo até Águas Calientes) o melhor horário para mim foi o trem das 16:36hs pois assim poderia visitar Ollantaytambo, note que muitas pessoas por comprar o trem da Peru Rail das 15:37 não conseguem tempo para visitar Ollantaytambo, o que considero uma pena pois é o mais bonito do Vale Sagrado. Além disso deixe para comparar a ida e volta juntas e pela mesma companhia (há desconto) em resumo paguei 119 dólares pela minha passagem completa.
Outro ponto que considero importante, não compre o trem de volta muito cedo, e considere que você deve sair de Machu Picchu duas horas antes da hora da viagem, há uma fila enorme que só fica pequena depois das 16:00 hs. Como havia comprado minha volta para a noite não tive esse problema e ainda pude ficar muito tempo em Machu Picchu.
Após comprar o Boleto Turístico e os ingressos de trem, fui comprar também o Boleto para Machu Picchu, fica ao lado do Museu Histórico regional (entre Plaza de Armas e Plaza San Francisco) na imagem abaixo vemos o tarifário para cada tipo de ingresso.
Com tudo em mãos fui até a Qorianka Tours (Calle Suécia próximo ao Mc Donalds), lá fechei meu City Tour (geralmente varia de S.20 a S.30) há ainda de fazer visita a Catedral (dez soles e mais) mas não acho vantagem pois pode-se ir a catedral em um horário de missa e assistir de graça e ainda apreciar a beleza, todos os tours são igual, as agências juntam e você vai acabar indo com o guia de outra agência, ainda tem que pagar a entrada em Qoricancha (S.10,00) que não está inclusa nos boletos. No geral achei o tour bastante corrido, tanto que recomendo depois com calma voltar aos locais, pois todos os tours são no mesmo horário e chegam ao mesmo tempo, sendo assim sempre vai estar cheio de turistas os locais.
353.JPG
Plaza de Armas
353.JPG (1.8 MiB) Exibido 6789 vezes


Aproveitei o final de tarde no Plaza de Armas (amei ficar nese lugar, observando todo movimento de Cusco)
Todos estes pontos estão marcados no mapa no começo do relato.

• Dia 03
Com tudo resolvido, aproveitei a manhã do terceiro dia para ir mais uma vez ao mercado de San Pedro, almocei em um dos restaurantes que citei acima e esperei o horário do City Tour (geralmente todos começam das 13 às 14 horas). Só lembrando que todo primeiro domingo do mês há um desfile muito lindo de hasteamento da bandeira no Plaza de Armas, vale a pena conferir.

O City tour seguiu a sequência:
Qorikancha (Templo do Sol): Todas as paredes desse templo eram cobertas de ouro e pedras preciosas, que foram todas tomadas pelos conquistadores espanhóis que construíram sobre os templos incas seu templo, representando a conquista sobre o povo inca. A parte de fora é muito linda, recomendo um dia que estiver de bobeira pela Avenida el Sol retornar lá.
Sacsayhuaman (sexy woman): Sacsayhuaman é um dos maiores templos incas de Cusco representa a cabeça do puma (é que Cusco foi projetada como uma forma de puma pelos incas, sendo que Sacsayhuaman representa a cabeça e seus muros dentados, as presas do animal). Sacsayhuaman é um dos maiores templos incas de Cusco e o guia nos explicou que Cusco foi projetada como uma forma de puma pelos incas, sendo que Sacsayhuaman representa a cabeça e seus muros dentados, as presas do animal. A construção desse templo se deu para servir como guarda e, em caso de emergência de abrigo. Também era lá onde se realizava a maior festividade ao deus sol Inti Raymi (em quéchua, "Festa do Sol") comemorado no solstício de inverno do hemisfério sul nos Andes, no dia 24 de junho de cada ano.
Q’enqo: Era um conjunto santuários muito importantes para os incas. Apesar da destruição que este complexo sofreu pelos espanhóis, o pouco que restou ainda é muito impressionante, era um templo espiritual cravado numa caverna utilizado como um importante sítio de cerimônias e rituais (inclusive mumificação).
Puca Pucara: Construção militar para a defesa de Cusco, também comentam quando o Inca se preparava para visitar os banhos de Tambomachay, a formidável comitiva de soldados, dançarinos e outros se hospedavam em Pukapukara que era um quartel e tambo(hospedagem).
Tambomachay: Tambomachay em espanhol ou Tampumachay (quíchua: tanpu mach'ay, lugar de descanso, é um sítio arqueológico que foi destinado ao culto à água e para que o chefe do Império Inca pudesse descansar. Este lugar também é denominado "Banhos do Inca".
City tour.JPG
City Tour e Desfile da Bandeira
City tour.JPG (2 MiB) Exibido 6789 vezes


Na volta do passeio paramos para conhecer o processo de fabricação de lã de alpaca e como reconhecer uma original, mas já estava cansado só imaginando chegar no hotel. Ainda passei na Qorianka para fechar meu passeio para o Vale Sagrado, é importante lembrar que quem for pegar o trem ao final do passeio deve informar que fará conexão. Paguei S. 90 no passeio com almoço incluso (almoço típico muito bom, recomendo), e saímos uma hora mais cedo que os outros passeios, assim deu tempo visitar Ollanta com calma.

Obs: Considerando o preço pago nas passagens e com o boleto para Machu Picchu, Hotel em Aguas Calientes e Guia, não compensou fechar com agência, a diferença de preço foi enorme.

• Dia 04

Acordei cedo neste dia, ás 08:15 o transfer chegou e lá fomos nós para o tour do vale Sagrado, em geral compreende as cidades de Pisac, Urubamba, Ollantaytambo e Chinchero. A maioria dos passeios é em grupo não havendo diferenças de uma agência para outra a não ser o local de almoço e guia em inglês.
Antes de chegarmos a Pisac, que seria a nossa primeira parada, o guia parou 20 ou 30 minutos numa feirinha (mais uma), vá se acostumando pois é comum em todos os passeios pararem nessas feirinhas. Este é um ponto negativo nos passeios, perdemos trinta minutos em uma feirinha e ficamos o mesmo tempo em Pisac, que é enorme leva muito tempo para chegar até o topo e voltar para a entrada, uma coisa muito curiosa sobre Pisca é a forma como eram enterrados os mortos, em tumbas escavadas na montanha.
Após isso o ônibus para em uma feirinha onde há explicação sobre a produção de prata, fica uns trinta minutos, dá tempo passear pelo mercado de Pisac.
Após isso fomos almoçar em Urubamba, adorei o restaurante que a agência ofereceu, um buffet enorme de comidas típicas e o lugar muito bonito. Logo após o almoço seguimos para Ollantaytambo (para mim a ruina mais bonita, então compre um horário de trem que dê para aproveitar ou fique por lá no retorno de Águas Calientes. Há também uma feirinha de artesanatos (normal todo lugar por lá ter), de lá pegamos uma moto (tuc tuc) até o terminal de trem.
Vale Sagrado 1.JPG
Vale Sagrado 01
Vale Sagrado 1.JPG (2.62 MiB) Exibido 6789 vezes


Obs.: Recomendo muito que pegue o trem durante o dia para aproveitar a beleza do caminho, dá só uma olhada e se convença que não pode perder essas paisagens:
238.JPG
Trem para Aguas Calientes
238.JPG (2.91 MiB) Exibido 6789 vezes


Chegando a Aguas Calientes fiz check-in e fui comprar as passagens de ônibus (Obs: O guichê fica aberto até 21:30 hrs) para o outro dia, logo após fui jantar (há muitas opções e todas com preço bastante acessível), a vila de Águas Calientes é muito pequena e achei um charme, a rua principal onde ficam a maioria dos restaurantes é muito linda.
Neste dia dormi cedo pois é recomendável pegar a fila do ônibus antes das cinco da manhã, alguns hotéis deixam seu café pronto em uma sacolinha para que possa sair cedo e comer.
vale sagrado 2.JPG
Vale Sagrado 02
vale sagrado 2.JPG (2.21 MiB) Exibido 6789 vezes


• Dia 05

Enfim, a parte mais fantástica da viagem. Depois de Machu Picchu, tudo perde a graça, então faça todos os passeios que tem que fazer antes e vá com tempo, calma e o espírito aberto para contemplar essa maravilha.
Acordei às quatro da manhã e fui para a fila que já estava cheia, cheguei antes das seis em Machu Pichu e já havia fila para entrar, entramos assim que abriu e fomos direto a Porta do Sol, no retorno já estava cansado dos últimos dias e sabia que ainda teria mas quatro horas da trilha da montanha pela frente, e então decidi não subir e gastar tempo andando por Machu Pichu, foi uma decisão sábia pois aproveitei cada pedaço deste patrimônio da humanidade.
Obs: Aquela velha foto clássica é tirada do Recinto do Guardião.
292.JPG
Machu Picchu
292.JPG (2.97 MiB) Exibido 6789 vezes


Depois de rodar por tudo, tirar belas fotos, sentar a admirar a beleza decidi ir até a entrada (sim, você pode sair até três vezes) e contratar um guia. Eles cobram S. 120,00 por grupo, fechamos um grupo de seis pessoas com o Guia Ernesto, falando sério, alguns amigos que fiz lá reclamaram que os guias que pegaram foram superficiais e rápidos; dei sorte com o Ernesto pois foi um guia incrível, deixo o WhatsApp dele para quem quiser marcar +51984381686.
Achei uma reportagem da Turomania sobre o que fazer em Machu Picchu e me baseei por ela um pouco:
http://turomaquia.com/o-que-fazer-em-machu-picchu/

Rodei muito e então chegou uma hora que minha agua tinha acabado e estava com muita fome, desci então até o restaurante na entrada (uma água custava S.10,00), mas estava com tanta fome que acabei pagando U$$ 16,00 (mais ou menos S. 48,00) em um hambúrguer e uma coca, é um valor um pouco caro, mas compensa. Quando terminei de almoçar estava com a bateria recarregada e então aproveitei e subi novamente, desta vez como estava já no finalzinho da tarde não tinha mais tantos turistas, então foi uma ótima experiência.
Machu Pichu - Filas.JPG
Lanche em Macchu Pichu e Filas
Machu Pichu - Filas.JPG (1.73 MiB) Exibido 6789 vezes


Já falei sobre a enorme fila para pegar o ônibus na volta, então sempre sai com duas horas no mínimo uma hora e meia de antecedência. Depois das 16:00 a fila diminui bastante, quase que imediatamente você pega o ônibus.
Chegando de volta em Águas Calientes, fui até o hotel buscar minhas coisas, descansei, carreguei o celular e depois fui à estação de trem. Um ponto que me arrependo foi não ter deixado o transfer de volta (Ollantaytambo x Cusco) reservado, foi um pouco difícil encontrar transporte e estava exausto, mas nada de mais, dá para achar sem problemas.

• Dia 06

Cansado da viagem inteira e principalmente de Machu Picchu, neste dia meu passeio seria apenas às 09:00, faltava conhecer Maras, Moray e Salineras. Lembra quando disse que depois de Machu Picchu tudo perde a graça? Então, foi isso que aconteceu, com exceção de Salineras. Fechei o passeio com a Qorianka (S. 30,00). O visual até estes locais é lindo (tirando a estrada de chão e o balanço dentro do ônibus).
Ruínas de Moray: Ainda em suas explicações acerca da sua finalidade, em grande maioria creem que era um lugar destinado a experimentos científicos com alimentos, estima-se que só em Moray foram desenvolvidas cerca de 2.400 variedades de batatas, cada nível de Moray possuía seu próprio microclima, com diferenças de mais de 1 grau de temperatura entre elas, desta forma era possível produzir experimentos e determinar as melhores variedades para os vários microclimas do domínio Inca.
361.JPG
Moray
361.JPG (3.56 MiB) Exibido 6789 vezes

333.JPG
Salineras
333.JPG (2.99 MiB) Exibido 6789 vezes

Salineras de Maras: As salineras de Maras me impressionou por fugir do padrão que vinha vendo nos últimos dias, não se trata de nenhuma ruína inca e sim da engenhosidade do povo que conseguiu produzir sal de qualidade mesmo a dezenas de quilômetros de distância do mar. O sistema funciona bloqueando a passagem da água, são mais de quatro mil piscinas, fazendo-a percorrer umas piscinas rasas antes de deixá-la desaguar no rio permitindo a produção de sal (é só deixar a água dos tanques evaporar). Me empolguei e trouxe muito sal para o Brasil (cuidado com o excesso de peso).
O passeio retona a Cusco às 15:00 hs, leve lanche pois não há parada para o almoço durante o passeio.

• Dia 07
Como sempre gosto de viajar com alguns dias de folga, deixei esse dia livre para passear por Cusco, dormir um pouco mais e descansar. Aproveitei e lavei toda a minha roupa suja em uma lavanderia próxima ao hotel, paguei S. 4,00 por quilo e voltei para casa com a mala toda organizada e limpa, um lado bom de Cusco é que sempre que chegava ao Plaza de Armas estava acontecendo alguma festividade, são muito religiosos e tem muito orgulho da cultura local.
341.JPG
Festa Religiosa
341.JPG (2.1 MiB) Exibido 6789 vezes


Durante a tarde fui fechar meu pacote para visitar Puno (Los Uros e Tequile), houve uma diferença absurda nos preços. Na Qorianka me cobraram 320 soles e na agência do Mama Simona 140 soles. Na dúvida resolvi procurar em outras até que achei a PROMOTUR’S (Plaza de Armas), eles tem e-mail : promocusco@hotmail.com.
A diferença de preço em geral se dá devido ao ônibus, todos falam do Cruz del Sur, mas não vi diferença alguma para o Mer ou a Transzela, todos são iguais, as poltronas reclinam e viram cama, confortáveis e saem ao mesmo horário (22:00 hs). Resolvi ir de Transzela, excelente companhia, passagens custam S. 40,00

• Dia 08

Chegando em Puno (05:00) o guia nos esperava e levou para o Hostel (Qoni Wasi), eles tem e-mail (hostalqwasi@hotmail.com); o bom deste hostel apesar de ser simples tinha uma ducha forte e quente, e isso para mim depois de um longo dia de caminhada fazia diferença, o dono também super simpático e a localização que fica ao lado do ‘’Shopping´´ de Puno, há cinema e praça de alimentação, uma boa pedida até o horário do próximo ônibus.
Obs.: como os passeios são misturados de várias agências recomendo que sempre guarde o nome do hotel em que está, pois em Puno no retorno ao hotel esqueci o nome e o guia era outro e também não sabia, quase ficava perdido.
O guia então nos buscou no hostel e nos levou até o porto de Puno o tour engloba as Ilhas Uros e Ilhas Taquile, com 2 opções de barcos: o tradicional, mais lento, por 90 soles, e o rápido, por 130 soles. A diferença até que é significativa, porém, a volta de Taquile a Puno pode levar umas 2 horas no barco lento, logo depois do almoço, chegando em Puno somente às 17:00 hs. Após vinte minutos de barco chegamos a Isla de Uros, que são ilhas artificiais e feitas de totora, uma planta encontrada com certa abundância pelo Lago (serve para construir a Ilha, comer, fazer barco, fazer a casa, forrar a ilha, fazer lenha) é a salvação para a humanidade!!! Há uma explicação de como as ilhas são feitas e é possível ainda andar nesses barquinhos tradicionais, as famílias usam as roupas típicas e as crianças (como todas no Peru são pura fofura).
462.JPG
Bochehcas mais fofas do mundo
462.JPG (1.98 MiB) Exibido 6789 vezes

469.JPG
Isla Uros
469.JPG (2.5 MiB) Exibido 6788 vezes


Seguindo viagem depois de duas horas chegamos a Ilha Taquile, o caminho de barco é muito lindo, e é impressionante a grandiosidade do lago Titikaka, lá a altitude chega a mais de 3800 metros então é comum falta de fôlego e cansaço. A subida é íngreme e leva cerca de trinta minutos até o centro da cidade, algumas turmas fizeram almoço logo antes do centro, dei azar e nossa turma almoçou só depois da praça já na descida para o porto (os passeios atracam de um lado e desatracam de outro, você atravessa a ilha andando). Fato curioso que os restaurantes são casas locais e servem todos os mesmos pratos: omeletes, truchas (parece salmão) ou misto dos dois; de entrada uma sopa de quinua (custa S. 20 por pessoa e alguns passeios já estão incluso).
O sol estava quente e estava sentindo muito o efeito da altitude – parei em vários momentos, ofegante.
428.JPG
Isla Taquile
428.JPG (2.51 MiB) Exibido 6789 vezes


Obs.: os banheiros são bem precários, na verdade em quase toda viagem, então se você for mulher é sempre bom andar prevenida e levar seu próprio papel.
Após o almoço voltamos ao barco para retornarmos a Puno, chegando as 17:00 horas, fui direto ao hotel (depois da confusão que ninguém sabia onde estava, fui salvo por uma foto que mandei para minha família via WhatsApp, reconheceram a rua).
Chegando no hostel, a ducha forte e quente foi uma maravilha, como o hostel ficava perto do ‘’shopping’’ fui até a praça de alimentação esperar a hora do ônibus, peguei um taxi até o terminal rodoviário (S. 4,00). A viagem pela Transzela foi muito confortável, cheguei em cusco às 05:00.

• Dia 09
Ultimo dia pela manhã reservei para comprar algumas lembranças da viagem e me despedir de Cusco, é uma cidade encantadora, seja por sua arquitetura, restaurantes, baladas, mas o que acho que faz de Cusco um lugar especial é o espírito mochileiro em todos os seus viajantes, gente do mundo todo e de todas as idades. Infelizmente era hora de voltar ao Brasil.

Caso você faça uma longa conexão em lima (descontando cerca de uma hora e meia de trajeto para ir e voltar) tenha tempo para aproveitar sugiro que leia alguns dos tópicos abaixo:
http://cupofthings.com/2015/07/03/conexao-em-lima/
http://cupofthings.com/2012/04/13/um-di ... que-fazer/
http://cupofthings.com/2013/10/04/city-tour-lima/

Se tenho uma dica para essa viagem? Além de usar muito protetor, sempre carregar água e alguns lanches, de usar repelente e ter cuidado com os mosquitos em Machu Pichu (isso é sério), ter cuidado com os trocos errados, pechinchar sempre, ir com calma nos primeiros dias recomendo mais do que tudo: vá de coração aberto, releve os imprevistos e curta essa experiência única.
E tenha em mente que nenhuma foto, nenhuma descrição, chega próximo a vivenciar todos estes lugares, são paisagens lindas, uma cultura fantástica e muito rica, não há como se arrepender desta viagem!

Qualquer dúvida ou se precisarem de ajuda com o roteiro de vocês é so falar, grande abraço a todos!
Editado pela última vez por felipe.araujo em 14 Out 2015, 15:51, em um total de 6 vezes.

#1131232 por felipe.araujo
18 Out 2015, 20:12
rafaelbozzetti escreveu:Legal Felipe, muito bom o seu relato.. Bastante informação útil..
Estou planejando a mesma trip, mas não tinha incluído puno, mas pelo valor vale muito.
Quando você foi? E como foi perder a mala? Rsrsrsr

Abraço!


Rafael, recomendo conhecer Puno, você gastará apenas um dia fazendo o esquema de sair à noite e retornar na outra noite. Gasta tá apenas S./ 80,00 das passagens (ida e volta), S./ 20 do almoço. Os valores da passagem de barco lá não são caras, veja só o tarifário.
371.JPG
Tarifário - Puno.
371.JPG (1.54 MiB) Exibido 6555 vezes


(Como fechei por agência não sei quanto cobrariam pelo passeio, achei barato dez soles até Uros, muito barato na verdade).
#1132796 por Simoni Teruko
25 Out 2015, 12:32
Parabéns pelo relato, Felipe!! Ficou ótimo!!

Só uma ressalva: se for em grupo, dá pra pechinchar bem mais. Pagamos 13 soles pro city tour, 25 pro vale sagrado (sem almoço) e 20 pra maras e moray.

Qm sabe na próxima viagem a gente se tromba! :)
#1133324 por felipe.araujo
27 Out 2015, 10:24
DaianeVieira escreveu:Oi Felipe,queria saber a respeito de hospedagem,vi na tabela que vc gastou S./ 360 em Cusco,esse valor é da diaria??Queria saber o total gasto com hospedagem??


Daniel,

Esse foi o valor total gasto. Em geral a hospedagem não é cara, e lá você encontra para todo tipo de gosto e bolso. mas fiz minha reserva pelo Booking (www.booiking.com)
#1133328 por felipe.araujo
27 Out 2015, 10:28
flavinha silva escreveu:Bom dia!

Felipe, adorei seu relato, estou pensando em ir para la, mas tive uma duvida, vc subiu o machu picch de trem?


Oi Flávia,

Não não, a ida de trem é até Aguas Calientes, fica "na base" de Machu Pichu. De lá comprei a passagem de ônibus para subir até Machu Pichu, mas há também trilha para subir do povoado até la porém você leva em torno de uma hora e vinte de caminhada e é uma subida íngreme. Recomendo subir até a entrada de Machu Pichu de ônibus e guardar energia para gastar lá.
#1133331 por felipe.araujo
27 Out 2015, 10:31
Si japinha escreveu:Parabéns pelo relato, Felipe!! Ficou ótimo!!

Só uma ressalva: se for em grupo, dá pra pechinchar bem mais. Pagamos 13 soles pro city tour, 25 pro vale sagrado (sem almoço) e 20 pra maras e moray.

Qm sabe na próxima viagem a gente se tromba! :)


Oi Simoni, conseguiram uns preços bons! Mas realmente, sempre dá pra pechinchar mais e mais lá. Ainda tem muito lugar pra conhecer por lá, nos veremos na próxima!
=*
#1136277 por fernanda.siqueira
08 Nov 2015, 17:03
Boa tarde felipe,

parabens pela descrição da viagem! só não consegui entender o gasto total da sua viagem para machu pichu.

voce diz que em Cusco no 2º dia comprou ida e volta pelo vale sagrado de cuzco x ollanta ollanta x cuzco por 119$, certo?

Porém voce mesmo cita que na volta voce se arrependeu de nao ter deixado o transfer reservado, que foi dificil mas conseguiu transporte.


ou seja: transporte pra onde? de ollanta para cusco? se sim, você já nao havia comprado essa viagem ida e volta por 119$ como vc mesmo disse?



obrigado
#1136463 por felipe.araujo
09 Nov 2015, 10:05
Oi Fernanda,

A passagem comprei de Ollanta x Aguas Calientes (tanto ida quanto volta). Em geral sai mais barato se você comprar a ida e a volta juntas.

A ida de Cusco até Ollanta aproveitei o tour do vale sagrado e fiquei por lá mesmo no final.
O transfer que me refiro é na volta de Ollanta até Cusco, como peguei o trem no final do dia de Machu Pichu, cheguei tarde em Ollanta, não consegui mais ônibus para Cusco e foi difícil achar uma van pois todas já estavam fechadas com as agências.
Os $119 são as passagens de Ollanta até Aguas Calientes, a ida de Cusco até Ollanta não teve custo pois aproveitei o tour e a volta peguei uma van, saiu 15 por soles.
#1137855 por felipe.araujo
14 Nov 2015, 18:39
Muito bom receber a mensagem de vocês, recebi muitas mensagens inbox também,então complementando vou falar sobre a questão dos valores das passagens de trem até Machu Pichu

Segue abaixo o tarifário da Peru Rail e Inca Rail:

061.JPG
Tarifário da Peru Rail
061.JPG (2.62 MiB) Exibido 5082 vezes



062.JPG
Tarifário da Inca Rail
062.JPG (2.28 MiB) Exibido 5082 vezes

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 4 visitantes