Roteiros de Viagem na América do Sul
#1156081 por fabricionn
20 Jan 2016, 15:12
Relato de viagem: Colombia 22 días: San Andrés, Caños Cristales,

Fala pessoal! Mais um relato que espero ajudar aos futuros viajantes a Colômbia, pais interessantíssimo! O período de viagem começou dia 11/10 a 1°/11/2015.

Compramos na Lan/Tam as passagens Rio x San Andrés x Bogotá x Rio por 1400 reais com taxas incluídas. Promoção divulgada no site melhores destinos. :)

Fomos construindo o roteiro ao longo do caminho, então só tínhamos essas passagens compradas.

1o - Rio x Bogotá

Hospedagem no hotel fontibon por 113,00 reais comprado no decolar.com. Taxi aeroporto hotel por 15mil pesos.
Café da manhã restrito, porém saboroso. Surpreendeu porque achei que seria pão, geléia e café com leite. Rsrsrs

Cambio aeroporto
1 real = 650 pesos colombianos
1 dólar = 3.95 reais!!!
1 dólar = 2.650 pesos
1 real = 743 pesos colombianos no site do bacen (Brasil e uma pequena diferença pro bacen colombiano)

Moral da historia: Valeu trazer reais e trocar no aeroporto mesmo por pesos, porque a variação pro dólar era muito pequena pra nossa viagem. Além disso, fugimos do preço surreal do dólar no período.

2o día - Bogota x San Andres (feriado da raça 12/10)

Taxi hotel aeroporto por 15mil pesos.
Para entrar na ilha se paga taxa de 50mil pesos/pessoa.
Procuramos hotel na ilha mesmo. A central de informações do aeroporto sugeriu o bairro sarie bay como mais econômico. Mas não foi tão bom assim. Encontramos um cara na rua que nos indicou o apart hotel ocean paradise (com mini cozinha e utensílios) espaçoso e com vaga até 4 pessoas.

Apart Hotel Ocean Paradise - reservas@aparthoteloceanparadise.com
Calle 4, carrera 14 - Barrio Sarie Bay
Cel: (57) 8 512-4192

O bairro tem mercado próximo (da pra ir a pé, uns 8min).
Do hotel até o centro já é mais distante, da uns 2km.

No centro encontramos umas pousadas legais, porém preferimos ficar nessa com cozinha, já que, tirando a Mary May Inn (70mil por pessoa), nenhuma das outras oferecia café da manhã e eram o mesmo preço (60mil/pessoa).

Aí vão os dados das pousadas que fazem reserva por email:
1. Mary May Inn
phone: 512-5669 / 512-7654 / 512-7688
Email: marymayinn@gmail.com / http://www.marymayinn.com
Calle: July 20 Avenue 3-74
2. Hotel Red Cay (do lado da Mary May Inn )
Tel: 512-4349 / 314-207-7893 / 310-500-6478
Email: imaxreservas@hotmail.com / yoliredcay@hotmail.com
3. Posada Villa Sol (ruazinha quase do lado da May May) - Esta pousada tem opção com ventilador por 40mil/pessoa. Opção mais barata que vimos por onde passamos.
512-3268 / 316-231-8234 - não tem email http://www.posadavillasol.com
(Informações obtidas nos cartões de visita dessas pousadas, mas acho q não possuem site porque eu procurei e não achei hehehe)
Não fizemos nada. Rodamos de ônibus na ilha e procuramos alguns passeios.
Impressões da ilha: eu tenho preferência por algo mais rústico e vazio. A partir daí é depois de ir a Los Roques (Venezuela), não achei San Andres o máximo. Providencia sería mais próximo do que gosto, mas não havia voos ou catamaran pra ir no período que estava na Ilha. Então, infelizmente, teve que ser cortado do roteiro.

3o dia - San Andres

Alugamos uma moto por 60mil até às 18h. A moto deu mobilidade e mapeamos a ilha toda. A parte de fora da ilha quase não tem areia e é mar aberto direto. Mergulhando ali já tem corais em sua costa. Bem bonito e pouco povoado. Rsrsrs

Fomos a Cueva de Morgan que é um "museu" sobre o pirata Morgan. Bem interessante por 15mil/pessoa. Depois, mais pra cima tem um lago que tem jacaré (tem uns caras que guiam no lugar pra ganhar um trocado). Bem interessante e bonito, porque a água estava parada e deu pra fazer umas fotos legais com o céu refletido (no celular). Os jacarés eram de contrabando e acabaram virando mascote do pessoal que morava ali perto. Hehehe

Devolvemos a moto e comemos próximo à pousada, além de passar no mercado e comprar as coisas do café da manhã. Rsrsrs

4o dia - San Andres

Não demos sorte e acordamos com chuva forte que durou a manhã. Não fizemos nada pela manhã.
À tarde, demos uma volta no litoral e andamos de Jet sky por 140mil pesos e 45min. Bem divertido, pena que o percurso é curto.

É possível fazer boas compras de cosméticos e perfumes na ilha.

Fechamos também passeios pra cayo bolívar e aquário Johnny Cay y mantarrayas.

5o día - Cayó Bolivar

Consiste num passeio de dia todo com almoço e lanche na manhã (sanduíche com refrigerante ou agua). Rsrsrs
O local não é habitado, bem bonito. Os barcos chegam com até 50 pessoas, dando uma lotada na ilha.
Fechamos por 160mil, mas depois descobrimos que poderíamos ter fechado por 145mil com um vendedor na peatonal mesmo.

Depois do passeio fomos destruidos pro hotel. Hehehe Recomendo este passeio. A parte alta do passeio, fora a praia em si, são os tubarões que ficam ali. Praticamente inofensivos. Irado!

6o día - Mergulho com cilindro, Aquário e Mantarrayas

Fechamos o mergulho com a empresa Ocean Explorer que foi o melhor preço que encontramos por 143.100 pesos em dinheiro. Irado!! Detalhe que os mergulhos em San Andrés são quase todos da costa, ou seja, você vai de carro até uma parte da ilha e vai batendo perna até o ponto de mergulho. Há diversas profundidades na costa que fica pro oceano (sem areia e com pouca gente, prefiro!!). Se for fazer mais de um dia de mergulho, eles dão descontos nos mergulhos seguintes!

Agencia de mergulho Ocean Explorer - http://www.oceanexplorer.com.co
Edificio Hansa Coral Local no. 9
Tel: (57) 8 513-3908 / movil: 315-578-4262 / 321-476-2374 / 317-690-2000
Email: info@oceanexplorer.com.co

O passeio do aquário e mantarrayas é bem legal e valeu a pena. Engraçado que eles vendem só mantarrayas, mas fica exatamente no mesmo local do aquário. Rsrsrs nada mais é que umas arraias "domesticadas" que ficam lá pra tirar fotos. :)

Depois, cansaço bateu e fomos pro hotel. Rsrsrs

7o día - Johnny Cay e muita chuva

Fomos à ilha que fica em frente à San Andrés. La tem uma parte pequena de areia e muita rocha ao seu redor. Achei muito lotado! Não gostei e não dava pra fazer uma flutuação legal lá. Ficamos até 13h30 (primeiro horário de saída) e tentamos fazer o flyboard, mas já não tinha condição de mar para fazer (muito mexido). Fomos para o hotel e a chuva caiu.

8o día - San Andrés x Bogotá x Villavicencio

Já tínhamos comprado as passagens pra Bogotá na compra de 3 trechos e a remarcação pra tentar ir à Providência era surreal de cara. Logo continuamos a viagem até a próxima etapa.
Do aeroporto até o Terminal de transporte (rodoviária) foi 18mil de táxi. De Bogota até Villavicencio custou 22mil/pessoa e sai de 15min em 15min.
Ficamos hospedados no hotel Carmentea por 18mil/pessoa (comecei a gostar dos preços hehehehe).

9o día - Villavicencio x La Macarena (Caños Cristales)

Depois de buscar muita informação na internet, descobrimos que era possível SIM ir sem agência e fechar os passeios lá. Esta situação só é praticamente impossível em feriados enforcados, quando as agências reservam todas as vagas disponíveis para visitação, ou em alta temporada que pode ser mais arriscado.
De Villavicencio a La Macarena são 35min no avião que custou 400mil pesos/pessoa ida e volta na agência de turismo Sierra de La Macarena. Esta agencia também faz transporte aéreo. Também há saídas de Bogotá na empresa Satena, mas não saem todos os dias e os preços oscilam. De Villavicencio tem voos todos os dias e não sofrem variações (táxi aéreo).

Agência de turismo Sierra de La Macarena - http://www.ecoturismomacarena.com
Tel: (057) 8 664-8400 / cel: 311-202-0044 / 314-325-3522

Chegando ao aeroporto de La Macarena, paga - se uma taxa de 21.500 pesos e já há guias que te passam informações e se encarregam de fazer as reservas no parque. Esta reserva pode ser feita com antecedência (por isso os problemas em feriados prolongados). Como não havia muitos turistas na segunda - feira, fechamos o passeio com mais 1 casal no mesmo dia que chegamos.

O passeio é um valor fechado para o carro, ou seja, de 1 a 4 pessoas fica a mesma coisa para o carro, o que conseguimos foi dividir este preço para 4 pessoas! :) O valor por dia incluindo os guias, carro e barco é de 280mil que, pra 4 pessoas ficou 72.500 pesos/pessoa e por dia.

Os hotéis ficam próximos e cobram praticamente o mesmo preço pra estrangeiros: 30mil/pessoa. Talvez seja possível negociar, mas nem tivemos tempo para isso. Ficamos no hotel em frente ao aeroporto Hotel Marin. Tem outras opções que parecem melhores, mas deu preguiça de mudar. Hehehe

Hotel Marín (Hotelmarin4@hotmail.com) - celular: 320-836-6615 / 314-382-1500 - facebook: Hotel Marin
O Hotel La Cascada (hotellacascada193353@gmaik.com) me pareceu mais amigável que o que fiquei, pelo mesmo preço. Então, deixo os dados aqui para eventual contato.
Tel: +57 314-467-5256 - endereço: Calle 5, n 7-35. Pelo que perguntei, é possível fazer reserva por email.

Talvez possam organizar as permissões pra visitação de Caños.

A alimentação custa 10mil/pessoa e foi boa. Levamos o almoço (quentinha ou pra viagem) ao passeio. :)

Canos cristales é coberto por planta aquática (não são algas) e o visual irado que se vê em fotos só é visível em dia de muito sol. Não demos sorte e não vimos o rio de tirar o fôlego como gostaríamos neste dia... droga! Hehehe

10o día - La Macarena

Uhuu día de sol!! Continuamos o passeio e fomos à outra parte do rio. Neste dia, tem mais pontos de banho de rio e o visual é irado! O Rio impressiona com o sol batendo. Estava vendo minhas fotos e vi que não ficaram tão boas quanto o visual presencial... Relato com foto vai ficar pra outra oportunidade. hehehehe
Este dia compensou o anterior, com sobra! Hehehe
Uma parte ruim para as fotos é que não se pode entrar na água onde se tem as plantas ou onde elas estão se recuperando... Então, terão momentos de sol forte e vontade de molhar, mas não vai dar. Hehehe
O início do passeio começou às 7h30 e retornamos à cidade às 14h30.
Depois do passeio não fizemos nada. Arghhh

11o día - La Macarena x Villavicencio x Armenia

Este dia foi praticamente perdido, porque o vôo saiu às 11h e não daria tempo de fazer nenhum passeio pela manhã (só o mirante que não nos empolgou).

Depois do vôo, fomos pra rodoviária de Villavicencio rumo a Bogotá para depois chegar a Armenia (não tinha direto). Chegamos 4h da manhã do dia seguinte.

Chegamos a pesquisar o aéreo, mas fazia uma conexão gigante e demorava o mesmo tempo, fora que estava 4x o valor dos ônibus que custaram 50mil (no total até Armenia, 20mil até Bogotá e os 30mil até Armenia).

12o día - Armenia

Ficamos hospedados numa indicação do taxista HC Confortel Hotel (http://www.hotelconfortelarmenia.com)

Calle 22 no. 17-30 tel: 741-4852 / cels: 311-777-7133 320-683-5906 - email: confortel-armenia@hotmail.com

Neste dia fomos ao café Recuca (http://www.recuca.com). Mostra o processo produtivo do café e também algumas degustações, com direito à História do café. Bem interessante! Infelizmente, perdemos a parte da tarde porque nosso almoço demorou e não fizemos nada. O passeio custou 19mil e o almoço 15mil. Para chegar fomos de bus mesmo.

13o día – Salento

Tomamos café da manhã no hotel e pegamos um ônibus para Salento (fica a uns 30km de Armenia). A cidade é muito aconchegante e agradável! Pena que não fomos antes. É possível fazer Trekking de 1 a 5 días na região, conhecer o Vale Cocora, as maiores Palmas do mundo além de visitar algumas cahoeiras e águas termais (por meio de agências).

Mais embaixo tem o Vale Boquia que tem uma cachoeira (Santa Rita) que fica numa propriedade privada, com o custo de 3mil pra entrar. É de fácil acesso e sinalizada. Achei dispensável. As fotos na internet são melhores. Hehehehehe

Depois, pegamos as bagagens no hotel e partimos pra rodoviária rumo a Medellin por 30mil pesos.

14o día – (Medelin) x Guatape

Em Medellin só passamos pela rodoviária. Rsrs pra ir à Guatape, tivemos que mudar de rodoviária (ir pra norte) e de lá rumo a Guatape por 12.500 pesos. Fomos pra lá pra visitar um casal que conhecemos em Caños Cristales, fora que falaram muito da cidade e, depois que vimos fotos, resolvemos passar por lá. Ficamos na casa deles mesmo e gastamos só com a comida. :)

A cidade é bem charmosa com seus zócalos (decorações na fachada de cada casa representando a história de cada família), fora a represa que foi feita na região que formou diversas ilhas. A rocha com seus 740 degraus permitem contemplar tal visual. Muito maneiro! A cidade também tem esportes de aventura. A catapulta (que não dei nada) proporcionou fortes emoções. Hehehe

Ficamos na cidade até o dia seguinte quando fomos a Cartagena. Outubro é período de chuva no país. Sorte que não atrapalhou nossa programação até agora. :)

15o día - Guatape x Cartagena

Compramos as passagens com 4 dias de antecedência por 180mil pesos/pessoa saindo do aeroporto de Medellin. Não foi tão barato, mas não foi um absurdo como no Brasil. Rsrsrs

Demos mais uma volta nos arredores da cidade e conhecemos a réplica da cidade que foi inundada pra construir a represa Peñol. Era bem bonitinha. Rsrsrs

Depois rumo ao aeroporto. No aeroporto de Medellin foi onde encontramos a melhor cotação pra câmbio de reais 1 real = 680 pesos. Trocamos uma parte pequena e depois fomos a Cartagena achando que encontraria melhor cotação... e nada! Estava 660 a melhor delas.

16o día - Cartagena

Chegamos à noite à cidade e estava bem quente. Procuramos hospedagens no centro e arredores. O melhor preço que encontramos foi no bairro Getsemaní. Este bairro fica bem perto do centro histórico e tem muitas pousadas ("hotéis"). Ficamos na Luna Nueva Calle Medialuna 10-36, Cartagena 222, Colombia. Tinha outras no mesmo valor de 35mil/pessoa com ar condicionado. Achei o preço bem razoável, ainda mais ao comparar com La Macarena. Rsrsrs

Tem opções boas e acessíveis de alimentação na rua ao lado sentido Centro. Cartagena é uma cidade realmente linda, ainda mais à noite.

Acordamos cedo e conseguimos fazer o passeio pela Isla del Rosario e Playa Blanca por 45mil/pessoa com almoço incluído, contratado na própria pousada mesmo pela manhã. A taxa portuária de 13.500 pesos é à parte.

O dia não estava tão bom, mas deu pra ver a beleza do local. Ficamos realmente frustrados com o serviço deles. Demos azar... saiu atrasado do porto. O mais surreal do passeio foi o cara querer cobrar 15mil/pessoa pra gente q levava snorkel e máscara pra fazer uma flutuação sem graça com o "guia" deles. Vida marinha pouco variada e muito mal guiada. Quem não tinha a máscara pagava 30mil pesos! Não gostamos desta exploração absurda e partimos no dia seguinte pra Santa Marta.

17o día - Cartagena x Santa Marta

Saímos da pousada umas 10h rumo à rodoviária por 15mil pesos de táxi. La, infelizmente, contratamos a passagem com a Empresa Flamingo, que é um LIXO! FUJAM DELA! O trajeto que demora 4h demorou 7h. Essa empresa vai catando todo mundo pelo meio do caminho e tem um cara que fica descendo quase todo ponto pra fazer isso... pelo que vimos, parecia uma prática normal de todas as empresas de ônibus que pegamos, mas essa aí abusou do descaso com os clientes.

Depois, na central de informação turística, fomos saber que a empresa Brasilia não fazia isso, mas aí já era tarde. Rsrsrs custou do transtorno: 20mil/pessoa.

A Eunice, informante da central de turismo, foi bem atenciosa e nos deu dicas da cidade e passeios possíveis. A casa onde morreu Simon Bolívar custa 20mil/pessoa estrangeira enquanto pro colombiano custa 8mil.

Ficamos hospedados no "Hotel" El Êxito por 25mil/pessoa com ar condicionado e sem café da manhã. Hotel funcional e bem localizado. Há outros no centro, mas não pesquisamos.

18o día - Santa Marta

Fizemos o mergulho pela empresa que fica no centro mesmo e tem contato na agência de turismo (esqueci de anotar o nome...) que sai de Tanganga e o mergulho é na ilha da agulha. Apesar de não ter a visibilidade de San Andrés, a vida marinha aparentou ser muito mais rica, com peixes que até então não conhecia. Achei bem interessante os dois mergulhos. O custo foi 140mil/pessoa.

Depois do mergulho, dia livre pra fazer nada. Rsrsrs

Vimos lugares a preços interessantes pra almoço / jantar na orla do centro - 10mil/pessoa.

19o día - Parque Nacional Tayrona (Santa Marta)

Resolvemos fazer essa trilha e depois acampar no Cabo San Juan por um dia. O Trekking é razoavelmente fácil, com exceção do calor que fazia. Ficamos numa barraca e colchonete já incluídos no valor de 25mil/pessoa pro camping (Bem caro!). O visual é legal e ficar perto da praia também foi agradável, com exceção do calor e do ócio que ficou até o dia seguinte.

O lugar tem muita mosca e mosquito. O repelente ajuda bastante a evitar umas picaduras. Hehehe
Hehehehe tem opções de dormir em rede por 20mil/pessoa, que aparentou ser mais fresco, ainda mais depois que choveu. Rsrsrs Fica a dica de avaliação. Hehehehe

Jantamos frango a la plancha por 18mil/pessoa.

20o día - Parque Nacional Tayrona (Santa Marta)

Acordamos com os passarinhos às 6h30 e tomamos o café que tínhamos levado mesmo, mas seria possível comer por 8mil/pessoa, pelo menos. O Trekking voltando foi mais tranquilo, viemos parando nas diversas praias possíveis de banho. O lugar é belíssimo, pena que não estava como nas fotos da Internet. Hehehe
Há pessoas vendendo suco e lanches no meio do caminho pra quem não quiser carregar peso e não ligar de gastar. Hehehe

Almoçamos na saída do parque por 10mil/pessoa (completo). Depois fomos conhecer Buritaca, encontro do rio e mar com um visual de mangue bem legal. O bus foi 2mil e a moto táxi até a praia foi mais 2mil por trecho. Local bonito e pra um descanso após a trilha. :)

Voltamos pra pousada El Êxito, onde estavam nossas bagagens e pra finalmente descansar bem num ar condicionado. Hehehehe

21o día - Minca (Santa Marta)

Fomos a Minca num carro 4x4 que faz o transporte bem perto do local onde sai os ônibus para Tayrona. A cidade é bem agradável e mais fresca que Santa Marta. Fizemos um passeio de moto como se fosse uma volta aos atrativos da cidade por 50mil/pessoa com duração de 3h. Achei bem interessante e divertido, ainda mais que normalmente não ando de moto na garupa. Hehehe Almoçamos num restaurante que o rapaz da moto indicou por 10mil/pessoa completo. Bem saboroso.

Minca tem cachoeiras e uma produção de café, que é bem diferente da que vimos em Salento. O tour guiado pela Finca La Vitória é 10mil/pessoa que também gostamos, já que é mais mecanizado.

Se fosse possível, ficaria uma noite em Minca para aproveitar o frio da serra que faz. A cidade é bem aconchegante. Além disso, o passeio bem cedo permitiria ver os picos nevados, pois na hora que passamos já estavam encobertos.

É interessante porque é uma das cidades do antigo tráfico lá, então, é bem curiosa. Hehehe

Voltamos para buscar nossas coisas e partimos pra Bogotá.

Pegamos o vôo pela avianca por 135mil pesos/pessoa comprado com 5 dias de antecedência. Ficamos em um hotel bem econômico no bairro Chapinero , Hotel Brisa del Oasis Bogotá, por 25mil/pessoa, pois ficava próximo ao passeio de trem. Procuramos na internet na hora que chegamos ao aeroporto e ligamos pra uns “hotéis”. rsrs

22o día - Zipaquira (Bogotá)

Acordamos e fomos pra estação esperar o trem para ir a Zipaquira. O trem é bonito e razoavelmente confortável. É divertido, pois tem vários cantores ao longo do trajeto, que faz o tempo passar rápido. A única coisa que não gostei foi que a Catedral de sal tem vários atrativos e não deu pra visitar todos para não perder o horário do trem.

Então, se soubesse disso, teria ido por conta própria e não iria de trem. Além da catedral também tem um museu de sal na cidade, porém não deu tempo de visitar.

À noite, chegou a hora de partir pro RJ. Fizemos tudo de bus normal mesmo.

Observações importantes

1. Sugiro ler o jornal el tiempo para ter uma idéia das condições das cidades por onde for passar.

2. Se for a Providência, verificar com certa antecedência, porque não conseguimos ir pra lá :( . Chegamos dia 12 (feriado) e não conseguimos voos 175mil/pessoa e por trecho (20min) nem catamaran (barco que leva 3h que custa 81mil/pessoa e por trecho). Apesar de ser "baixa temporada", não casamos com o período de permanência em San Andres. Pensamos em remarcar as passagens ou comprar outra, mas sairia por 450mil pesos e achamos que não valeria o custo adicional.

3. Segundo falaram na ilha, o período normal de chuva é de novembro a fevereiro. Atentar ou se programar pra levar guarda-chuva. Hehehehe

4. Na hora de vender os passeios pra Johnny Cay, aquário e mantarrayas eles falam que a taxa pra Johnny Cay já está incluída, mas na maior parte das vezes é mentira. Várias pessoas reclamando (vários países). Atenção na hora de negociar. A taxa é paga a parte, na hora de embarcar. Se fechar com a taxa incluída, desconte do adiantamento ou pagamento do passeio.

5. Atentar para os feriados e eleições locais. Rsrsrs

6. Levar blusa de manga longa para a caminhada em Caños Cristales. Não tive essa idéia por ser "moreno"... Me ferrei! Hehehehe Achei a calça dispensável. Costumo ter uns machucados de recordação nos joelhos e não queria que fosse diferente nesta viagem. Hehehe

7. Se desejam ir a Caños Cristales, sugiro ver com esta empresa que fui o vôo e as reservas dos passeios em alta temporada. (Eles podem cobrar algo por isso, não tenho certeza). As agências cobram pelo menos o dobro do que gastei com tudo sem incluir a passagem aérea. Assim, fica impraticável visitar. Por conta própria, é outra realidade. A título de exemplo, esta empresa me cobrou 1.126 mil para os passeios com todas as refeições incluídas, sem o aéreo. Muito surreal de caro!!

8. Para quem for sozinho a Caños Cristales, vi uma placa e um turista fazendo o transfer da cidade até o início da trilha de moto! Pode ser uma boa opção. Hehehe Recomendo fortalecer a coluna, porque o percurso é bem acidentado. Hehehe não vi o nome do guia, só o telefone escrito num papel: 310-334-7702.


Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 2 visitantes