Relatos de viagens pelos países do Sudeste Asiático: Tailândia, Vietnã, Timor-Leste, Singapura, Mianmar, Malásia, Laos, Indonésia, Filipinas, Brunei e Camboja

#1169212 por Fabiano Gauss
04 Mar 2016, 19:23
DIA 4 – CHEGADA EM CHIANG MAI E SUNDAY MARKET.

Depois de mais um café da manhã no Seven Eleven, perdemos algum tempo arrumando as malas pois nosso voo estava marcado para o meio dia com destino à Chiang Mai. Combinamos com o mesmo taxista que nos levou no dia anterior para o Floating Market de nos levar para o aeroporto Don Mueang, de onde saia nosso voo. Apesar de estar um pouco magoado com esse camarada, aceitei ir com ele, pois prometeu fazer a viagem com o taxímetro ligado.
Check-out feito com rapidez no hotel, e o taxista já nos esperava sorridente pontual às 10hs da manhã, horário combinado. Taximetro ligado, partiu aeroporto. Depois de aproximadamente 30 minutos, chegamos ao nosso destino e pagamos os 220 Baht que o taxímetro marcou. Curiosidade quanto aos taxis: a “bandeirada” dos táxis Taillandeses é de 35 Baht, e todos sempre estão com ar condicionado ligado.
O aeroporto Don Mueang, os Tailandeses falam Dan Muan, é o “segundo” aeroporto de Bangkok, menor que o Suvarnabhumi. É do Don Mueang que saem os voos das companhias Low Cost. O aeroporto é organizadinho. Chegamos 1h30 adiantados, não há necessidade de tanta antecedência para voos domésticos. Logo identificamos os guichês da Nok Air, entramos na fila de quem já tinha feito o chekin online (fizemos o mesmo pelo celular) e rapidinho despachamos as malas e fomos liberados.

Em relação a franquia de bagagem da Nok Air:

É permitido 7 kg de bagagem de mão para cada passageiro além de 15 kg para despachar, isso era o básico. Já tinha ouvido falar que essas Low Cost eram baratas mas que por outro lado você não tinha direito a despachar nada. Na Nok Air podíamos despachar sim, sem valor adicional, tanto que despachamos nossas malas, pois já estavam com mais de 7 kg cada. Futuramente viajaríamos com a Thai Lion e Air Asia. A Thai Lion Air, tem a mesma franquia de bagagem que a Nok Air, já a Air Asia...uma porcaria viu, só era permitido os 7 kg de bagagem de mão.

O Voo foi tranquilo e rápido, menos de 1 hora. Eles serviram um saquinho com um pãozinho de feijão doce e uma água. No aeroporto de Chiang Mai, o translado de táxi para a cidade era tabelado, 150 Baht, não por pessoa, o carro. Ainda saímos do aeroporto para ver se tinha van, ou ônibus, mas não vimos nada. Acabamos pegando um táxi mesmo que nos deixou na porta do nosso hotel. Estava desconfiado com o Thana Hotel pois foi muito barato, 4 noites 220 reais. Mas não tenho o que reclamar, tivemos o que queríamos. Quarto com banheiro privado, ar condicionado, tudo funcionando. O quarto foi limpo diariamente, toalhas de banho trocadas diariamente, funcionários atenciosos. Só um porém em relação a estrutura do quarto, a pia que em uma casa normal é dentro do banheiro, ficava na varanda do quarto. O Hotel tem uma piscina bonitinha, mas que nem usamos. Não foi cobrado nenhum valor de caução. A localização do hotel também é boa, em uma ruazinha super calma, e apesar de não ficar dentro do quadrado murado da cidade, que muita gente diz que é uma boa região para ficar, ele ficava à 4 minutos de caminhada do Tha Phae gate, uma das entradas desse quadrado murado. E ficava também a uns 7 minutos do Night Baazar, mercado noturno em Chiang Mai. Eu falei no início do relato sobre onde ficar em Chiang Mai, tem um mapa inclusive. Mas resumindo, creio que se você se hospedar dentro do quadrado, ou na região dos gates, você estará bem localizado. O clima em Chiang Mai é bem mais fresco do que em Bangkok. A cidade tem uma vibe totalmente diferente que a metrópole Bangkok, o clima por aqui é mais de interior.
Era domingo, e já sabendo disso, programamos para este dia apenas a visita ao Sunday Market, feira de rua que acontece apenas aos domingos em Chiang Mai, das 15hs até tarde da noite.
Caminhando em direção ao Sunday Market começamos a perceber que os preços em Chiang Mai eram melhores que em Bangkok: 1 kg de roupa na lavanderia, em Bangkok 40 Baht, em Chiang Mai 30 Baht. O câmbio em Chiang Mai estava com melhor cotação. Agora atenção!!! Meia hora de Foot Massage por 80 Baht, 1 hora por 150 Baht, na rua do Sunday Market. Foi o melhor preço de massagem que vi em toda a Tailândia. O Sunday Market começa no Tha Phae gate e termina no Templo Wat Phra Singh, ou vice e versa. Cara, que feira animal, gigante, muitas coisas baratas e diferentes. Vende de tudo. Muitos artistas de rua. Muuuuita gente, muita, muita gente. Você anda trombando o tempo todo, principalmente conforme vai anoitecendo. Havia muito turista por lá, mas o negócio é que tinha muitos locais também. Vi muitos casais tailandeses passeando na feira por exemplo. Por lá você encontra uma porção de comidas diferentes que você não terá idéia do que é. Essa rua onde acontece o Sunday Market me impressionou pela quantidade de bares e restaurantes com decoração arrojada e moderna, dava vontade de sentar e comer em todos. Na verdade nesta rua a oferta de opções para comer é imensa, e acaba sendo triplicada no domingo com as opções das barraquinhas do Sunday Market. Esta rua também me impressionou pela quantidade de templos, pequenos, como se fossem igrejas de bairro sabe, mas bonitos. Nem me lembro exatamente o que comemos, sei que experimentei um pouquinho de muitas besteirinhas alimentícias que vendia por lá. Dei uma moeda de doação para uns ceguinhos que cantavam e tocavam músicas locais e no meio da rua. Tinha também uma Tailandesa ousada cantando Celine Dion. Comprei algumas camisetas regatas com estampas divertidas, já me preparando para as ilhas, por 90 Baht cada. Fiz meia hora de foot massage por +- 8 reais.
Foi uma tarde/noite incrível. Voltamos destruídos para o hotel de tanto andar para lá e para cá no meio de tanta gente. A primeira impressão da cidade foi maravilhosa, e já posso adiantar que fiquei apaixonado por Chiang Mai. Paixão daquelas de querer morar por lá, pelo menos por uns meses.

Sunday Market 1.jpg
Sunday Market 1.jpg (768.38 KiB) Exibido 1116 vezes


Sunday Market 2.jpg
Sunday Market 2.jpg (1.07 MiB) Exibido 1116 vezes


Sunday Market 3.jpg
Sunday Market 3.jpg (621.55 KiB) Exibido 1116 vezes


Sunday Market 4.jpg
Sunday Market 4.jpg (656.49 KiB) Exibido 1116 vezes


Sunday Market 5.jpg
Sunday Market 5.jpg (789.6 KiB) Exibido 1116 vezes


Sunday Market 6.jpg
Sunday Market 6.jpg (890.65 KiB) Exibido 1116 vezes


Sunday Market 7.jpg
Sunday Market 7.jpg (644.97 KiB) Exibido 1116 vezes


Sunday Market 8.jpg
Sunday Market 8.jpg (1.16 MiB) Exibido 1116 vezes


Sunday Market 9.jpg
Sunday Market 9.jpg (799.45 KiB) Exibido 1116 vezes


Sunday Market 10.jpg
Sunday Market 10.jpg (1.06 MiB) Exibido 1116 vezes


Sunday Market 11.jpg
Sunday Market 11.jpg (911.55 KiB) Exibido 1116 vezes


Sunday Market 12.jpg
Sunday Market 12.jpg (838.5 KiB) Exibido 1116 vezes


Sunday Market 13.jpg
Sunday Market 13.jpg (936.79 KiB) Exibido 1116 vezes
#1169892 por Fabiano Gauss
07 Mar 2016, 17:19
DIA 5 – TIGER KINGDOM, WAT DOI SUTHEP E ZOO CHIANG MAI

Neste dia acordamos por volta das 8hs, tomamos o café da manhã no Seven Eleven, mais uma vez tinha um perto do nosso hotel, na verdade difícil será você se hospedar em um hotel que não fique perto de um. Depois nos arrumamos e fomos para frente do Tha Phae gate onde passam vários Red Cars, táxis e tuk tuks, com propósito de achar um transporte para o Tiger Kingdom, e depois Doi Suthep e Zoo.

Se você, assim como eu, desejar fazer esses 3 passeios, saiba que o Tiger Kingdom fica para um lado e o Templo Doi Suthep e Zoo ficam para o outro. Esses dois últimos são próximos. Dá para você fazer esses 3 em um mesmo dia tranquilamente. Você pode fazer como eu fiz, fui no Tiger Kingdom, voltei, peguei outro transporte e fui para o Templo e Zoo.

Bom, a idéia era usar os Red Cars para ir aos 3 locais, abordei dois motoristas e me deram o preço de 120 Baht por pessoa, mas se o carro enchesse ficaria por 100 Baht. Como funcionam esses Red Cars? Eles tem capacidade máxima de 10 pessoas, pelo que vi. Eles esperam um pouco para ver se enche de gente o carro, não enchendo, vão do jeito que está, quanto mais gente no carro, mais barato você paga.

Red Car.jpg
Red Car.jpg (1.24 MiB) Exibido 1038 vezes


Como eu disse, já havia abordado 2 motoristas, vi que a faixa de preço seria essa mesmo, já estava prestes a fechar com o próximo Red Car que aparecesse, e eis que um Tuk Tuk surge pedindo 300 Baht para levar eu e minha esposa no Tiger Kingdom. Eu disse 200, ele disse 250, eu disse 200 de novo, ele aceitou e lá fomos nós de tuk tuk mesmo.

O trajeto é rápido, não me lembro exatamente, mas chutaria uns 20 minutos. Chegamos por volta das 9 hs, o local tinha aberto à pouco.

O Tiger Kingdom é um lugar super organizado, bem estruturado e com funcionários simpáticos e uniformizados. Na recepção fomos informados dos preços:

Ticket simples

-Big Tiger – 800 Baht por pessoa.
-Medium Tiger – 800 Baht por pessoa.
-Small Tiger – 900 Baht por pessoa.
-Smallest Tiger – 1000 Baht por pessoa.
-New born - 1000 Baht por pessoa.

Pacotes

Big ou Medium + Small ou Smallest – 1400 Baht por pessoa.
Big ou Medium + Small + Smallest – 2300 Baht por pessoa.
Big + Medium + Small + Smallest – 2800 Baht por pessoa.
Big + Medium + Small + Smallest + New born – 3500 Baht por pessoa.

Eu e minha esposa fechamos o pacote Big ou Medium + Small ou Smallest – 1400 Baht por pessoa. Fomos ver os Big Cats e os Smallest que tinham cerca de 3 meses. Ficamos tentados a ir nesse New born. É um tigrezinho recém nascido, se não me engano menos de 1 mês. Vi uma pessoa que foi visitar esse New born, e vi que fiz o melhor em não ir, pois, como ele é muito jovem, você não pode nem tocá-lo, para não correr risco do bichinho pegar doença e tal. Você só poderá tirar foto ao lado dele.

Dentro do Tiger Kingdom os tigres são separados por Big, Medium, Small, Smallest e New born, cada qual na sua jaula. Você entra na jaula que escolheu pagar e fica cerca de 15 minutos em cada. Sempre há um domador que te dá algumas orientações como: não pegar na cabeça do animal, não passar na frente dele, não falar alto, nada de movimentos bruscos. Ele é quem te dá as dicas de poses pra fotos. Esses domadores são bacanas, eles mesmos tiram fotos pra você com sua máquina. Não achei que os Tigres estavam dopados, muito menos mal tratados, mas como já disse no início do relato, só acho, certeza não tenho. Eles dormiam, mas até aí, sei que são animais noturnos então é normal eles estarem dormindo de dia. Quanto aos Big cats, por vezes tive a sensação que queriam me devorar. Alguns momentos se incomodavam com o fato de eu estar na traseira deles e despertavam com certa cara de raiva, mas logo o domador vinha com uma varinha acalmando a fera. Enfim, eu achei uma experiência maravilhosa estar ali tocando aqueles animais, até então intocáveis.

Tiger Kingdom 1.jpg
Tiger Kingdom 1.jpg (914.87 KiB) Exibido 1038 vezes


Tiger Kingdom 2.jpg
Tiger Kingdom 2.jpg (866.84 KiB) Exibido 1038 vezes


Finalizada a visita, retornamos com o tuk tuk ao Tha Phae gate. Era por volta de 10h30. Fizemos um lanchinho no Mc Donalds que tem em frente o gate e depois fomos atrás de um Red Car para nos levar ao Doi Suthep e Zoo. Foi meio difícil achar um bom preço, os Red cars estavam todos vazios. Os tuk tuks não vão até o Doi Suthep que fica no alto de um morro, só os Red Cars e táxis sobem lá. Acabamos fechando com um Red Car por 250 Bath eu e a esposa. Ele nos levaria no Doi Suthep, nos esperaria por 1h20, depois nos levaria ao Zoo e só. Teríamos que nos virar para ir embora do Zoo.

O caminho para o Templo é uma subida, com muitas curvas, de um morro. Creio que esse percurso deve ter levado uns 35 minutos. Ao chegar no topo do morro, você deverá subir ainda mais para acessar o Templo. Você escolhe: uma escada com 300 degraus ou pagar um troco para subir em um tipo de elevador. O calor era infernal, o preço do elevador era barato, não pensamos duas vezes. A entrada do Doi Suthep custou 40 Baht por pessoa e o elevador mais 30 Baht por pessoa. Tinha uma filinha para o elevador, mas foi rápida. A subida mais rápida ainda, dele ter levado 3 minutos. Chegando, você deve tirar o calçado para entrar no templo. Esse é mais um lindo templo Tailandês. Tem o dourado como sua cor predominante. Vi por lá vários Tailandeses que rezavam e faziam oferendas, além de monges fazendo o mesmo. Uma hora é tempo suficiente para você ver o templo e tirar umas fotos. Descemos mais uma vez de elevador e lá embaixo estava nosso motorista nos esperando.

Doi Suthep 1.jpg
Doi Suthep 1.jpg (1.52 MiB) Exibido 1038 vezes


Doi Suthep 2.jpg
Doi Suthep 2.jpg (952.97 KiB) Exibido 1038 vezes


Doi Suthep 3.jpg
Doi Suthep 3.jpg (919.18 KiB) Exibido 1038 vezes


Doi Suthep 4.jpg
Doi Suthep 4.jpg (1.17 MiB) Exibido 1038 vezes


Doi Suthep 5.jpg
Doi Suthep 5.jpg (799.02 KiB) Exibido 1038 vezes


Doi Suthep 6.jpg
Doi Suthep 6.jpg (606.95 KiB) Exibido 1038 vezes


Doi Suthep 7.jpg
Doi Suthep 7.jpg (691.38 KiB) Exibido 1038 vezes


Doi Suthep 8.jpg
Doi Suthep 8.jpg (1.54 MiB) Exibido 1038 vezes


Doi Suthep 9.jpg
Doi Suthep 9.jpg (1.3 MiB) Exibido 1038 vezes


Descendo o morro chegamos ao Zoo Chiang Mai. Ele fica no pé do Morro do Doi Suthep. A entrada para este Zoológico custou 150 Baht por pessoa, pagamos mais 100 Baht por pessoa para poder ver os Pandas, além de mais 40 Baht por pessoa para ter acesso ao ônibus que circula dentro do Zoo e te leva aos pontos de interesse. Para você que vai no Zoo, penso que esse ticket para o ônibus é bem necessário. O Zoo é grande, além de ter subidas e descidas. Andar aquele Zoo todo a pé é embaçado. Pagando essa taxa do ônibus, você pode andar nele de forma ilimitada. Ele para em 8 diferentes pontos, esses são os pontos que você pode embarcar ou desembarcar. Você pode ver todas as atrações do Zoo no site deles http://www.chiangmaizoo.com . Lá tem também os horários dos shows com os animais, eu não fui em nenhum.

Esse Zoológico é disparado o melhor que já fui na minha vida. Lá você interage de verdade com alguns animais. Você pode alimentar hipopótamos. Abusado que sou, cheguei a passar a mão no focinho do bicho. Alimentamos também Girafas, Veados, Ovelhas. Você também pode alimentar os Tigres colocando um pedaço de carne em uma vara e dando na boca dele. Vi um Coala realmente de perto. Esse Zoológico também tem um aquário bem grandinho, daqueles tipo túnel, sabe. Para ir neste aquário paga-se um valor à parte. Eu não fui, pois já pretendia ir ao aquário de Dubai que é no mesmo estilo. E claro, a principal atração do Zoológico, os Pandas. Que animais realmente bonitos! Ficamos por lá até o fechamento, 17hs. Na saída do Zoo, havia um Red Car juntando passageiros. Pagamos 100 Baht por pessoa e em 15 minutos estávamos no Tha Phae gate.

Zoo Chiang Mai 1.jpg
Zoo Chiang Mai 1.jpg (1015.96 KiB) Exibido 1038 vezes


Zoo Chiang Mai 2.jpg
Zoo Chiang Mai 2.jpg (971.09 KiB) Exibido 1038 vezes


Zoo Chiang Mai 3.jpg
Zoo Chiang Mai 3.jpg (949.84 KiB) Exibido 1038 vezes


Zoo Chiang Mai 4.jpg
Zoo Chiang Mai 4.jpg (851.11 KiB) Exibido 1038 vezes


Zoo Chiang Mai 5.jpg
Zoo Chiang Mai 5.jpg (859.14 KiB) Exibido 1038 vezes


Fomos para o Hotel, tomamos um banho, descansamos e saímos para jantar. Escolhemos um Italiano na rua do Sunday Market. Eu comi uma pizza de Marguerita, que na verdade é de mussarela. Ela é de tamanho individual, vende bastante por lá essas pizzas e o preço é meio que tabelado, 150 Baht. Minha esposa comeu um Espaguete à Bolonhesa também por 150 Baht, a carne bovina parecia bovina mesmo, falo isso porque carne bovina é algo difícil de se encontrar por lá. Devemos ter tomado um refri cada um que normalmente em restaurantes custavam 20 Baht cada. Nesta mesma noite, achamos um hotel chamado Sixth House, ficava na rua do nosso hotel, mas esse tinha lan house. Esvaziamos nossas máquinas fotográficas para um HD que levamos. Por acaso vimos um folheto de passeios que esse hotel oferecia e acabamos fechando nossa visita à uma fazenda de elefantes para o próximo dia.


CONTINUA...UM DIA COM ELEFANTES!
#1171219 por rodrigo.2014
11 Mar 2016, 18:01
Excelente relato!
#1171413 por Fabiano Gauss
12 Mar 2016, 18:11
DIA 6 – UM DIA COM ELEFANTES EM CHIANG MAI

Este foi mais um dia incrível em Chiang Mai. Passamos o dia no ChangYim Elephant Farm. Uma fazenda com 8 elefantes, se não me engano, parte deles recuperados de maus tratos. Fechamos esse passeio na noite anterior. O preço inicial era de 2800 Baht por pessoa. Ofereci 2200 Baht por pessoa. A mocinha Tailandesa pensou, pegou uma calculadora para fazer alguns cálculos, possivelmente de quanto ela lucraria aceitando minha oferta, pensou, pensou e no fim aceitou.

O cronograma da fazenda que visitei, foi resumidamente o seguinte:

8hs - Uma van te busca no hotel. No caminho vocês compram comida para alimentar os elefantes.
9hs - Chegando na fazenda você alimenta os elefantes e em seguida aprende os primeiros comandos. Sobe no Elefante e da uma volta pela fazenda
12hs - Almoço (incluído no valor que você pagou)
13h30 - Você sobe no elefante e vai com ele até um rio e dá banho nele.
15:30 - Hora de ir embora.


Esse foi o programa do ChangYim Elephant. E boa parte dos “one day tour” com elefantes segue essa mesma linha. Se você optar por fazer o passeio de meio dia, será isso aí de forma mais resumida. Ou você pode optar por aquelas visitas à fazendas de elefantes onde eles fazem show, pintam quadros, usam cadeirinhas nas costas, enfim, não foi esse o tipo de interação que queríamos com os elefantes.

Pontualmente o motorista nos buscou em frente ao Hotel e seguimos rumo à fazenda. No caminho, houve uma parada em uma tal de “Orquídea Farm”, 15 minutos. Provavelmente os motoristas ganham um bônus do local para dar uma paradinha com os turistas por ali. Não tinha nada demais no local, somente muitas orquídeas. Seguindo viagem, alguns minutos depois o motorista, que era super simpático e fluente no inglês, parou em uma barraca de frutas e comprou um cacho gigante de banana. Arriscaria que tinha aproximadamente uns 10 kilos de bananas. Após uma viagem de mais ou menos 45 minutos, chegamos na fazenda. Já podíamos avistar os elefantes, nenhum deles acorrentado, eles estavam totalmente soltos. O local é bem bonito, passava uma paz incrível. Era um espaço meio que num vale, com várias cabanas onde vivem algumas daquelas “Mulheres Girafas” ou “Long Neck Womans”. Só um detalhe, nesse dia estávamos só nós na fazenda. Isso mesmo, não tinham fechado com mais ninguém naquele dia, ou seja, a fazenda estava privativa para nós haha. Tanto que esse valor que paguei normalmente é para um elefante por casal. Mas devido a pouca demanda no dia podemos em alguns momentos ficar cada um com seu elefante. Uma família toma conta do lugar. Dois dos filhos tiram fotos sua o dia inteiro, caso queira, pelo valor de 300 Baht. Achei o valor bem em conta até porque eles tinham câmeras e lentes de boa qualidade o que resultaram em lindas fotos. As fotos são entregues em um CD. Eu pedi para passarem as fotos para o cartão de memória da minha câmera porque ainda tinha muita viagem pela frente, e já pensou se esse Cd me quebra e eu perco as fotos desse dia?! Ao chegar, nos entregaram roupas especiais para este dia. Estavam lavadinhas e se fez necessário usar essas vestimentas para você não sujar ou estragar suas roupas, e também porque eles já estão familiarizados com o cheiro dessas vestimentas. Alimentamos dois elefantes, eles amam essa hora. Depois aprendemos alguns comandos, como por exemplo: Bon-Bon, que serve para o elefante abrir a boca para você alimentá-lo, entre tantos outros comandos que você aprende. Depois subimos no elefante e demos a primeira volta sobre eles. Que experiência sensacional. Depois nosso almoço foi servido pela própria família que mora por lá. Foi um Pad Thai que veio envolto em uma folha de bananeira. Super rústico o negócio. Eles vendiam sucos e refri por lá. Comprei uma coca por 20 Baht. Nos serviram abacaxi de sobremesa, servido todo cortadinho e decorado. Eles adoram decorar as frutas na Tailândia. Depois do almoço subimos nos elefantes novamente e dessa vez seguimos rumo a um rio que fica próximo. Chegando lá é aquela festa. Acredite, eles se jogam no rio, levantam e se jogam de novo. Eles adoram banho, adoravam que nós os esfregássemos. Foi uma bagunça. E é mais ou menos isso, nos despedimos dos elefantes, nos trocamos e pé na estrada. Na volta, o motorista parou em um local que faz papel à partir do côco do Elefante, a parada é rápida, enche um pouco o saco pois já estava cansado e não tava nem aí para o fato do côco do bicho virar papel. Chegando lá o cara te explica como funciona o processo e depois te guia até a lojinha que é cheia de produtos feitos de papel de côco. Fiquei meio que sem graça de não comprar nada e levei um cartão de Natal que custou 20 Baht. Creio que perdemos uns 15 minutos nesse local. Chegamos de volta ao nosso hotel era umas 16hs e pouco.
Quem se interessar em ir nessa fazenda especificamente, pode tratar pelo face deles https://www.facebook.com/changyim.tour.7?fref=ts . Eu indico!!

Elefantes 1-2.jpg
Elefantes 1-2.jpg (735.97 KiB) Exibido 877 vezes


Elefantes 2-2.jpg
Elefantes 2-2.jpg (1.46 MiB) Exibido 877 vezes


Elefantes 3-2.jpg
Elefantes 3-2.jpg (998.16 KiB) Exibido 877 vezes


Elefantes 4-2.jpg
Elefantes 4-2.jpg (1.2 MiB) Exibido 877 vezes


Elefantes 5-2.jpg
Elefantes 5-2.jpg (1.68 MiB) Exibido 877 vezes


Elefantes 6-2.jpg
Elefantes 6-2.jpg (1.21 MiB) Exibido 877 vezes


Nesse dia minha esposa ainda queria muito passar em uma grande loja de cosméticos que ela tinha visto na rua do Sunday Market, próximo à um templo chamado Wat Phra Singh. Era uma loja enorme de cosméticos e produtos de beleza, como essas muitas que temos pelo Brasil. Lá na Tailândia, na verdade na Ásia, existem muitas lojas de cosméticos e também centros de tratamento de beleza e derivados. A mulherada por lá piram nessas coisas.
Você homem, que tem sua namorada, noiva, esposa, provavelmente vai se identificar comigo. A minha mulher quando entra em uma dessas lojas de cosméticos, de coisas de beleza, se perde. Ficamos por volta de 1 hora por lá, para mim pareceu 1 semana. Centenas de produtos Asiáticos e coisas que minha mulher nunca tinha visto, na verdade muitos ela nem sabia pra que servia.
Moral da história, ela disse que por motivo de consumo investigativo, teve que comprar algumas coisas. Algumas coisas???? Olhem a foto abaixo!!! A conta foi de 2000 e poucos Baht. Até que não achei tanto pra porrada de coisas que ela comprou.

Cosméticos-2.jpg
Cosméticos-2.jpg (196.31 KiB) Exibido 877 vezes


Nesta noite comemos em uma esquina em frente o Tha Phae gate, não me lembro o nome do local, comemos hamburguers com fritas, 180 Baht cada lanche. Voltando para o hotel, passamos no Sixty Hotel onde tínhamos fechado o passeio dos elefantes e fechamos o passeio para o White Temple, que fica na cidade de Chiang Rai, quase 3 horas de Chiang Mai. Voltamos para o Hotel e antes de dormirmos assistimos um pouco de novela Tailandesa. Tem muuuitas novelas na tv por lá. Não entendíamos nada, mas eram muito engraçada, com efeitos especiais toscos, proposital pra fazer humor mesmo. E ahhh, nada de safadeza nas novelas, no máximo beijinho na boca haha.


CONTINUA...WHITE TEMPLE E BLACK TEMPLE EM CHIANG RAI.
#1171907 por Fabiano Gauss
14 Mar 2016, 19:03
DIA 7 – WHITE TEMPLE E BLACK TEMPLE EM CHIANG RAI.

Na noite passada fechamos o passeio ao White Temple. Queríamos muito conhecer esse templo. As fotos que víamos de lá eram sensacionais. Este é mais um dos principais passeios vendidos em Chiang Mai. As agências não fazem somente a visita a esse templo, ele sempre vem acompanhado de outros pontos de visita. Os dois passeios vendidos para o White Temple tem os seguintes cronogramas (pelo que sondei nas agências em que fui):

Tour 1 (Das 08 às 19hs)

-Hot Spring (tipo um gêiser que lança água pro alto)
-White Temple
-Triângulo Dourado ( Divisa da Tailândia, Birmânia e Laos)
- Aldeia das Mulheres Girafas.


Tour 2 (Das 08 às 16hs)

- Hot Spring
-White Temple
-Black Temple


Na agência em que fechei o passeio, os preços eram os mesmos, 2300 Bahts por pessoa para qualquer um dos tours citados acima. Como não tinha interesse de ir nas Mulheres Girafas, pois na fazenda de elefantes que fui já tinha visto algumas dessas mulheres, além disso a visita ao triângulo dourado não me chamou muita atenção quando li em outros relatos. Por esses motivos fiquei com o Tour 2. Joguei sobre a mesa da mulherzinha 4000 Baht para eu e esposa irmos no Tour 2. Ela hesitou, mas acabou aceitando. Economizei 600 Baht em relação ao preço original.

Às 8 da manhã, após café da manhã no Seven Eleven, já estavamos em frente ao hotel esperando a van que nos buscaria. Deu 8h30 e nada dessa van aparecer. Haviam esquecido da gente, acreditam?! Quando fechamos o passeio, a atendente nos deixou o número de celular dela e disse que caso o motorista não aparecesse até às 08h30 era pra ligar pra ela. Esse procedimento é meio padrão das agências por lá. Às 08h31 ligamos para a mulher, ela disse que ia ligar para o motorista e retornava. Cinco minutos depois ela retorna e nos conta que realmente o motorista cometeu um engano e esqueceu-se da gente, mas, que um outro fulano nos buscaria de carro e alcançaria a van. E foi isso que aconteceu, por volta das 08h55 um cara com um carro nos busca e a idéia é o cara correr que nem louco para alcançar a van. Meu Deus que medo!! Resumindo, a van estava bem adiantada em relação a nós, mesmo o motorista tendo corrido como se não houvesse amanhã, não alcançamos a van e ele teve que nos levar até o White Temple. Chegamos quase junto da van que havia chegado fazia 5 minutos. Perdemos 5 minutos de visita ao White Temple e perdemos também a visita à Hot Springs, pois essa visita pelo que fiquei sabendo era só uma parada para ir ao banheiro no caminho e durava 15 minutos. Falaram que era bem bobinha essa Hot Spring, tipo um gêiser espirrando água. A viagem até Chiang Rai dura cerca de 3 horas, longinho mesmo. Mas é uma viagem bonita, passamos por regiões bem de interior Tailândes, com templos bem bonitos.

O Wat Rong Khun, ou simplesmente White Temple, é muito lindo mas também bizarro. Imagine que tem a cabeça do Batman por lá, até o Hellraiser eu vi. Ele tem toda a representação budista normal, mas tem também símbolos hindus e inúmeras referências pop. Que louco!! Nós tínhamos 1 hora para ficar por lá. Quando estivemos por lá, o templo estava com muitas reformas e não podemos entrar, somente vê-lo por fora. A entrada deste templo é gratuita e apesar dele ser um templo todo moderninho as regras de vestimenta continuam as mesmas: ombros e joelhos cobertos.

White Temple 1.jpg
White Temple 1.jpg (1.37 MiB) Exibido 825 vezes


White Temple 2.jpg
White Temple 2.jpg (1.13 MiB) Exibido 825 vezes


White Temple 3.jpg
White Temple 3.jpg (820.34 KiB) Exibido 825 vezes


White Temple 4.jpg
White Temple 4.jpg (852.13 KiB) Exibido 825 vezes


White Temple 5.jpg
White Temple 5.jpg (427.56 KiB) Exibido 825 vezes


White Temple 6.jpg
White Temple 6.jpg (517.1 KiB) Exibido 825 vezes


White Temple 7.jpg
White Temple 7.jpg (354.93 KiB) Exibido 825 vezes


White Temple 8.jpg
White Temple 8.jpg (1.03 MiB) Exibido 825 vezes


White Temple 9.jpg
White Temple 9.jpg (751.17 KiB) Exibido 825 vezes


White Temple 10.jpg
White Temple 10.jpg (1.2 MiB) Exibido 825 vezes


Após o tempo estipulado no White Temple, encontramos o guia que deu um voucher para cada pessoa do grupo. Ele tinha 80 Baht de créditos para serem gastos no restaurante em frente ao White Temple. Todas as opções por lá eram bem Tailandesas: arroz com frango, macarrão com frango, ou ao invés de frango carne de porco, além de legumes. Os pratos custavam em torno de 50 Baht, sobrando assim um troco pro refri ou suco. Ficamos por ali cerca de 45 minutos. Após o almoço, agora sim na van com o resto do grupo, dirigíamos para o tal de Black Temple, que pra mim era quase que totalmente desconhecido. Lembro de já ter lido algo à respeito em algum relato, mas não lembrava nada. Quinze minutos depois, chegamos a um parque com muitas árvores, um local em meio a natureza e cheia de templos e casas no estilo asiáticas, todas negras. Estávamos no Black Temple. Ficamos por ali mais 1 hora. O local é bonito, não tem como falar o contrário, mas não tem visita indispensável. O calor era grande, por isso aproveitamos para tirar algumas fotos e depois sentar em uma sombra de árvore, beber uma água de coco por 40 Baht e descansar. Após a 1 hora estipulada, voltamos para a van e seguimos viagem de volta para Chiang Mai. Chegamos por volta das 16hs no nosso hotel.

Black Temple 1.jpg
Black Temple 1.jpg (974.79 KiB) Exibido 825 vezes


Black Temple 2.jpg
Black Temple 2.jpg (462.86 KiB) Exibido 825 vezes


Black Temple 3.jpg
Black Temple 3.jpg (478.11 KiB) Exibido 825 vezes


Black Temple 4.JPG
Black Temple 4.JPG (2.45 MiB) Exibido 825 vezes


Black Temple 5.jpg
Black Temple 5.jpg (627.94 KiB) Exibido 825 vezes


Black Temple 6.jpg
Black Temple 6.jpg (1.01 MiB) Exibido 825 vezes


Black Temple 7.jpg
Black Temple 7.jpg (447.5 KiB) Exibido 825 vezes


Depois de um banho e uma descansada no hotel, voltamos a falar com a mesma mulherzinha que fechamos os passeios para ver se ela nos achava um taxista que nos levasse ao aeroporto no dia seguinte bem cedinho. Nosso voo saia as 6 da manhã, queríamos um táxi que nos buscasse as 4h30 da manhã. Essa hora não tem táxi nas ruas. Ela achou um taxista disposto, mas como já imaginava, tudo tem seu preço. Normalmente essa viagem custaria 150 Baht, mas como o cara ia ter que madrugar para nos levar até o aeroporto, nos cobrou 300 Baht. Fazer o que né! Depois disso era hora de curtir nossa última noite em Chiang Mai. A tristeza começava a surgir viu. Cidadezinha tão gostosa! Na recepção do nosso Hotel, vi um folder de um lugar lá em Chiang Mai chamado The Castle. A atendente nos explicou que era uma casa de terror ao estilo parque de diversão de Orlando, e que era muuuito legal, tudo super bem produzido, tipo Hollywood. Mas o preço da entrada, 450 Baht, mais tuk tuk até lá, me desencorajou. Acabamos indo conhecer o Night Baazar, como já era programado. Após caminhada de 6 minutos estávamos no Night Baazar que nada mais é que um mercado noturno que abre todas às noites, exceto domingo. Na verdade a rua do Night Baazar já é uma feira, a região toda é cheia de barracas que vendem de tudo. Muitas lojinhas, barraquinhas, muitas bugigangas que você vai se acostumar por lá, tudo com bons preços.

À caminho do Night Baazar.jpg
À caminho do Night Baazar.jpg (900.72 KiB) Exibido 825 vezes


Night Baazar 1.jpg
Night Baazar 1.jpg (1.07 MiB) Exibido 825 vezes


Night Baazar 2.jpg
Night Baazar 2.jpg (1007.63 KiB) Exibido 825 vezes


Paramos em um tipo de praça de alimentação dentro do Night Baazar para jantar algo. Kebabs, Pad Thais e lanches, eram algumas das opções para comermos por lá. Resolvi comer um Pad Thai, pedi também uma coca mas me informaram que havia acabado. Fui na barraca da frente pedir uma coca. Nessa barraca uma criança dormia em um colchãozinho no chão. Enquanto o dono da barraca pegava minha coca, avistei uma enoooorme, uma big ratazana comendo algo no chão. Me assustei e apontei a bichona para o atendente: HEEEY, RAT, RAT!!! O cara deu uma espantada no rato que foi diretamente para a criança que estava no chão, deu umas duas rodadas em cima da criança e depois sumiu atrás de uns engradados. A criança continuou dormindo e o cara sorridente me deu a coca. Aí já sabe né, eu pensando duas vezes se comia o Pad Thai, pensando na limpeza dos alimentos, se haviam pelos de ratos no macarrão, e por aí vai.
Dormimos essa noite com o coração apertado de estarmos partindo, mas pensando que logo mais estaríamos na PRAAAIA!!!!

CONTINUA...VOO NA AIR ASIA. KRABI E RAYLAY BEACH.
#1171960 por dilbert.rj
14 Mar 2016, 22:00
Estou pensando em ir para Tailândia ano que vem e estou lendo todos os seus posts com bastante atenção.... Obrigado por compartilhar conosco.

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 2 visitantes