Relatos de viagens pelos países do Sudeste Asiático: Tailândia, Vietnã, Timor-Leste, Singapura, Mianmar, Malásia, Laos, Indonésia, Filipinas, Brunei e Camboja
#1205662 por Tanaguchi
25 Jul 2016, 20:58
Dia 5 – Mercado Flutuante e Wat Pho
Na noite anterior enquanto estávamos na Khaosan Road aproveitamos pra fechar o passeio para o Mercado Flutuante de Damnernsaduak. Na região da Khaosan tem várias pequenas agencias de viagem, todas oferecem pacotes do tipo, é bem tranquilo encontrar.

Existem vários mercados flutuantes em Bangkok, esse é o maior e o mais famoso.
A ideia inicial era visitar o Mercado Flutuante de Tailling Chan, porem ele só funciona aos finais de semana. O Tailling Chan não tem a presença tão intensa de turistas, é mais frequentado por locais. A principio não a como visita-los através de tours, apenas por conta própria. Já o Damnernsaduak é totalmente voltado pra turistas.

Nessas agencias da Khaosan Road eles não te perguntam: ”Qual Mercado Flutuante vc quer visitar?”. Se vc vai procurar um passeio desses automaticamente eles te direcionam pro Damnernsaduak.

Imagem
Damnernsaduak


Ele não fica próximo do centro, o deslocamento até lá leva entre 1h a 1:30h... A saídas pro passeio se iniciam as 08:00 da manhã.
Pelo menos esse era o horário marcado, mais só foram passar pra nos buscar no hostel umas 8:40. Ficamos meio apreensivos com esse atraso, mais a funcionaria da recepção do hostel nos acalmou. Mais tarde descobrimos que isso é meio padrão nesse tipo de passeio, nunca sai no horário, então se a van da agencia demorar pra buscar não se aflijam, é assim mesmo rs

Um dos motivos do atraso é que normalmente as 08:00 as vans começam a ir buscar turista por turista em sua respectiva hospedagem. Então se vc estiver entre os últimos da lista, a van demora pra chegar. Se a van passar no seu hostel no horário marcado pode ter certeza que vc vai ficar bastante tempo rodando enquanto buscam os demais turistas.

Calor logo cedo, mais todos os veículos lá tem ar condicionado, então a viagem até Damnernsaduak é confortável.

Nessa trip o passeio de barco não é incluso. Então vc chega no Mercado Flutuante e escolhe o barco/barqueiro que mais te agrada. O pagamento é feito em um guichê... nada é pago diretamente ao barqueiro. No final do passeio vc pode dar uma caixinha se achar que o cara foi bacana. O valor que se paga nos guichês pro barco é baixo, então não é algo que faz muita diferença não estar incluso no passeio.

Tem trocentos barqueiros, mais vc escolhe ali os que estão disponíveis no momento, e como chegam e saem vários vc não tem muita opção, coisa de 3 a 5 barquinhos.
Alguns com motor, outros só na base do tradicional remo, alguns com cobertura, outros não... nós fomos no primeiro que tava parado, nem nos ligamos nisso, mais aconselho vcs a pegarem um barquinho com cobertura. Em vários momentos ele fica parado debaixo do sol enquanto faz o trajeto, e como estava aquele calorzão do caraio a cobertura do barco fez falta.

Imagem
Imagem
Damnernsaduak


É muito comum ler nos relatos que esse tipo de passeio é uma armadilha pra turistas e etc. Eu por mais que quebre a cara prefiro tirar minhas próprias conclusões, me incomoda deixar de fazer algo que me aguça por esse tipo de rotulo.
O povo tailandes não frequenta o Damnernsaduak como clientes, eles não vão até lá pra comprar suas coisas. Todo o Mercado Flutuante é feito para atender aos interesses dos turistas, basicamente lembrancinhas da Tailândia made-in-China.
Apesar desse aspecto negativo eu sinceramente gostei muito, não sei se pelo fato de ter bem poucas expectativas sobre o passeio, se eu estava em um dia de luz onde acabava achando tudo legal ou pq ele foi bom mesmo. Só sei que eu gostei bastate.
Imagem
Em Damnernsaduak fomos apresentados ao sorvete natural de coco servido no proprio coco, MUITO BOM!!! Comemos vários outros no decorrer da viagem, mais esse foi o melhor de todos


Se vc procura uma experiência mais autentica o Tailling Chan me parece ser uma melhor opção. Se assim como eu vc NÃO tiver disponibilidade de um fds pra visita e faz questão de conhecer um Mercado Flutuante eu acho valido a visita ao Damnernsaduak SIM!!!!

Se vc tiver poucos dias em Bangkok e tiver que tirar alguma coisa do seu roteiro, ai abrir mão do Mercado Flutuante pode ser valido, pq apesar de legal não chega a ser algo imperdível.


Visita ao Wat Pho

Retornamos pra região da Khaosan Road por volta das 12:00.
Na sequencia fomos visitar o Wat Pho , que também fica bem próximo da Khaosan.
Pra ganhar tempo e fugir do calor o plano era ir de Tuk-tuk, mais como comentei anteriormente todos os que abordamos vieram com aquele papo de “o templo vai fechar, vamos visitar outro lugar”... até que o cumulo foi um que disse que nos levaria porem teríamos que “passar primeiro pra visitar um outro lugar”... esse "outro lugar" seria tipo uma loja de artesanato... que mané artesanato o caralho, fiquei nervoso e fomos a pé mesmo.

De onde estávamos até lá são aproximadamente uns 3 km. No sol foi uma bela caminhada, parecia que a distancia era o dobro hehehe
Mais no caminho fomos comprando água e refri, e aproveitando tudo.

Ficamos com medo de ter pouco tempo pra conhecer o templo como aconteceu no dia anterior, então comemos algo rápido no McDonald´s e seguimos.
Interessante que por ser um pais budista e litorâneo a carne vermelha não é muito popular, tanto é que o carro-chefe no McDonalds é o "double fish"
Imagem
Olha que pão bonito rs

Outro templo belíssimo, incrível mesmo!!
As mesmas regras de vestimenta do Wat Phra Kaew, a diferença é que adquirindo o ticket de entrada vc ganha um voucher pra uma garrafa de água mineral de graça!! Naquele calor vcs não sabem o valor que isso tem hehehe

O povo tailandês é muito fmz, mesmo depois de termos retirados nossas garrafinhas de água eles nos ofereciam mais, acho que pela nossa cara de desidratados rs

Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem


A única coisa chata da visita a esses dois templos são as excursões de chineses (ou seriam eles de Singapura? Enfim, falavam mandarim).
Não querendo generalizar, mais eles são muito sem noção... tipo se tem aviso de não entre aqui eles entram, se tem aviso de não encoste nisso eles encostam... não suba em cima dessa estatua, eles sobem... eu não sei como não presenciamos eles quebrando alguma coisa, toda hora eles faziam algo sem noção que vc logo pensa: “vai dar merda”.

Nos dois templos que visitamos tinham excursões gigantes deles, vários ônibus de turismo parados no lado de fora.
Mais o templo é muito grande, muito mesmo, então é só procurar não fazer a mesma rota que eles XD



Rambuttri alley e seus restaurantes


A noite voltamos a Khaosan Road. Eu realmente gostei muito da Khaosan ^^
Voltamos na mesma agencia e fechamos o passeio no dia seguinte pra Ayutthaya. Conseguimos um bom desconto pois na trip pra Ayutthaya não iriamos regressar pra Bangkok no final do dia, e sim seguir para Chiang Mai pelo trem noturno (mais detalhes sobre o trem noturno no próximo post).

Paralela a Khaosan Road fica a Rambuttri alley (ou simplesmente viela/beco Rambuttri), uma espécie de extensão da Khaosan, porem bem mais tranquila e com mais restaurantes. Alias os restaurantes da Rambuttri são sensacionais!! Vc olha eles por fora, super estilosos e logo pensa:”vixi deve ser mo caro comer ai”... pelo contrario!! Ótimos preços, e comida muuuuito boa!! Comemos umas 3x em restaurantes diferentes da Rambuttri e foi só alegria em todos. Altamente recomendado.
Um dos melhores pratos que comi foi o kao pad sapparot, um arroz frito servido dentro de um abaxi com camarões e outras coisas... perfeito!!
Imagem
Restaurante na Rambuttri alley
Editado pela última vez por Tanaguchi em 07 Dez 2016, 23:14, em um total de 2 vezes.

#1206304 por aldair87
27 Jul 2016, 20:28
Cara,
Seu relato está ficando bem legal! Obrigado por compartilhar.
Me tira uma dúvida sobre o visto em Dubai. Meu voo para Bangkok tem uma conexão de 12h. Na teoria eu teria o direito ao Dubai Connect, porém pelo que li, a tarifa minima tem que ser US$1.000,00 e como comprei numa promoção só paguei 700,00.

Considerando que o Dubai Connect não role, se eu quiser dormir no Holliday In que fica na cara do aeroporto, só para descansar e seguir viagem no outro dia pela manhã, além da diária no hotel, ainda tenho que pagar o valor do visto?

Porque se for assim fica totalmente inviável. Uma diária no hotel está em torno de 300,00 + 300,00 do visto, 600,00 conto. Melhor dormir no chão do aeroporto mesmo haha
#1206576 por Tanaguchi
28 Jul 2016, 19:08
aldair87 escreveu:Cara,
Seu relato está ficando bem legal! Obrigado por compartilhar.
Me tira uma dúvida sobre o visto em Dubai. Meu voo para Bangkok tem uma conexão de 12h. Na teoria eu teria o direito ao Dubai Connect, porém pelo que li, a tarifa minima tem que ser US$1.000,00 e como comprei numa promoção só paguei 700,00.

Considerando que o Dubai Connect não role, se eu quiser dormir no Holliday In que fica na cara do aeroporto, só para descansar e seguir viagem no outro dia pela manhã, além da diária no hotel, ainda tenho que pagar o valor do visto?

Porque se for assim fica totalmente inviável. Uma diária no hotel está em torno de 300,00 + 300,00 do visto, 600,00 conto. Melhor dormir no chão do aeroporto mesmo haha


Valeu amigo, que bom que está gostando ^^V

Então sobre o Dubai Connect eu aconselho vc a ligar no atendimento da Emirates, pq até onde eu sei essa informações dos mil dolares não procede. A principio se passar de 8h a Emirates oferece hospedagem, visto e translado de graça.

Ano passado com a Qatar eu tive uma conexão com mais de 8h, e no atendimento por telefone eles disseram que hospedagem, translado e etc não estaria incluso no meu caso por se tratar de uma passagem promocional (realmente eu paguei um valor muito baixo). Tentei 3x no atendimento da Qatar e ouvi isso. Nesse aspecto a Qatar foi tão ruim que antes de fechar a compra da passagem eu queria fazer um stopover em Doha, e eles não ofereciam essa opção alegando que aquelas passagens promocionais não dariam a opção de stopover -_-

Vc está certo, se não rolar o Dubai Connect vc teria SIM que tirar o visto, só pra passar algumas horas no hotel. Pra sair do aeroporto tu precisa do visto, nem adianta... no seu lugar eu não pagaria 600 conto nem fudendo kkkkk

Ainda sobre essa conexão anterior em Doha, não conseguimos hospedagem nem porra nenhuma, tivemos que aguardar a conexão no aerporto, ficamos 8h lá morcegando.
Se serve de consolo, tanto o aeroporto de Doha quanto o de Dubai são bem confortaveis, tipo se vc quiser ficar lá dormindo tem umas áreas com umas cadeiras que são tipo camas, tudo de graça ^^

Só é foda que nesses aeroportos de madrugada é bem frio, se eu tivesse um cobertor teria sido lindo kkkkk
A grande maioria dos restaurantes e lojas funciona 24h tbm... ah ultima dica, se tu não conseguir nenhum esquema e for ficar esse tempo no aeroporto eles dão um voucher com um valor em dolares pra vc fazer uma refeição, mais se vc não solicita isso eles não te dão, não é automatico, vc precisa cobra-los.
#1207187 por Tanaguchi
31 Jul 2016, 23:33
DIA 6 -Ayutthaya e trem noturno para Chiang Mai

Ayutthaya é uma cidade cheia de historia, sua fundação data do ano de 1350!!! Culturalmente riquíssima, já foi a antiga capital da Tailandia, que na época fazia parte do Reino de Sião; por volta de 1700 chegou a ser a maior cidade do mundo!! Anos mais tarde, em 1767 foi totalmente destruída pelo exército birmanês ( atual Birmânia ou Myanmar).

Muitas construções, templos e ruinas desse período permanecem de pé até hoje, tudo aberto a visitação. Eu adoro esse lance de visitar ruinas, vc se sente o Drake do Uncharted kkkkkk
Na moral, apenas de ler eu já fiquei fascinado com o lugar e ele retribuiu toda minha expectativa, superou muito. Pra mim foi um dos pontos altos da viagem, realmente gostei.
Outro motivo que me deixou instigado pra conhecer o lugar foi que: apesar da Tailandia possuir vários Budas reclinados, em Ayutthaya, exatamente em Ayutthaya está o Buda que inspirou um dos cenários mais emblemáticos dos jogos de luta: A tela do Sagat de Street Fighter 2.

Imagem
Wat Lokaya sutha


Na noite anterior fechamos o passeio para Ayutthaya e pela manha partimos pra lá. Tudo com o mesmo atraso do passeio anterior, o atraso clássico dos passeios da Tailandia (como se no Brasil fosse muito diferente)

A viagem até Ayutthaya dura entre 1h a 1:30h
Pouco tempo depois do inicio do deslocamento a van faz uma parada numa Seven Eleven bem grande pra podermos tomar café da manhã, comprar água etc.

Nessa Seven Eleven foi o primeiro lugar onde encontramos outros brasileiros, até então só tínhamos trombado gringos. Os brasileiros estavam em outra van, mais no decorrer do passeio sempre cruzávamos com eles. Fica aqui meus agradecimentos caso eles estejam lendo o relato por tirar essa foto hehehehe
Imagem
Hadooooouken!!!


Vale lembrar que vc pode optar a visitar Ayutthaya de forma independente. Você pode ir de trem, e chegando lá fechar um valor pra um tuk-tuk ou carro fechado, logo na saída da estação vários deles ficam oferecendo esse tipo de serviço.
Minha ideia inicial era ir de trem até lá e conhecer a cidade de bicicleta, com total liberdade. POREM depois de conhecer o calor da Tailandia eu desisti totalmente do plano. Em meses mais frescos deve ser uma boa ^^

De van chegando em Ayutthaya vamos aos principais pontos de interesse da cidade. Para ingressar em cada um desses lugares vc deve adquirir um ingresso, no nosso caso já estava incluso no valor do passeio.
Junto com o motorista da van vai um guia, chegando a cada ponto ele explica sobre o lugar, sobre a historia e etc... acabada a explicação dispomos de tempo para conhecer o local. Algumas pessoas nem aguardavam o tiozinho terminar as explicações e já saiam... totalmente compreensível pois o inglês dele era bem difícil de entender por causa do sotaque >_<

No nosso passeio a sequencia das visitas foi:
 Wat Yai Chaya Mongkol
 Wat Mahathat
 Wat Lokaya sutha
 Wat Phu Khao Thong
 Wat Ratchaburana
 Wat Phra se Sanphet

Tanto pelos tours vindos de Bangkok quanto os que você fecha com algum motorista local o roteiro acaba sempre sendo esse, normalmente o que muda é a substituição do Wat Phu Khao Thong por Viharn Phra Mongkol Bophit.

Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Wat Yai Chaya Mongkol


Imagem
Wat Mahathat


Imagem
Wat Phu Khao Thong


Imagem
Wat Ratchaburana


Imagem
Wat Phra se Sanphet


Os nomes são impossíveis de serem decorados. Pronuncia-los também é outra luta rs
Uma coisa muito interessante em relação ao Wat Mahathat (aquela cabeça do buda no meio das raízes) é que não se pode tirar fotos junto a ela de pé, vc nunca pode estar numa posição "acima" do Buda, é uma grande falta de respeito, então deve-se abaixar pra bater a foto. Alguns desavisados vão e ficam de pé, logo quando fazem isso surge alguém e não muito educadamente mandam abaixar.

O exercito birmanes quando destruiu a cidade decapitou todas as cabeças do Buda, mesmo tambem sendo uma nação budista essa ação era uma forma de demonstrar seu poder. Seculos mais tardes as cabeças passaram a ser levadas por saqueadores e vendidas para colecionadores de antiguidades e etc.

Quando se chega nos dois últimos pontos pra visitação é oferecida a opção de substituir a visita por um passeio montado em elefantes.

Por favor não façam isso. Os elefantes lá além de carregarem seu mahout (tratador) carregam umas “cadeirinhas” onde vão até duas pessoas.
Três pessoas mais o tréco no lombo do elefante, péssima ideia!!
O ideal pro bem estar do animal é apenas uma pessoa por elefante, sem nenhum tipo de cadeira ou sela... qualquer coisa diferente disso pode acarretar danos a longo prazo no elefante... na verdade mesmo o ideal seria que a interação se desse sem montaria... anyway

Antes da viagem eu li MUITO a respeito dos elefantes na Tailandia. Eu queria muito poder interagir com eles, mais de uma forma mais consciente, sem contribuir com a exploração e maus tratos. Vou relatar mais sobre isso adiante, mais garanto que não foi uma tarefa das mais simples.


TREM NOTURNO PARA CHIANG MAI
O tour terminou por volta das 15:30, ao invés de regressarmos a Bangkok o motorista nos deixou na estação de trem como combinado.
Aqui fica o grande erro desse dia: Nosso trem só iria partir as 19:45...até a partida nós não programamos nada pra fazer e nas proximidades da estação não tem porra nenhuma... então nós deixamos nossas mochilas na estação e fomos fazer massagem, comer tranqueiras, tomas uns 15 sucos... pensando agora o ideal seria ter ficado em uma região mais central e só no inicio da noite ir pra estação.
As mochilas podem ser deixadas na estação mediante o pagamento de uma taxa, não me lembro o valor agora mais é bem baratinho. O lugar onde ficam as mochilas é uma sala anexa a sala da administração.

Depois de enrolar até não querer mais, voltamos pra estação. E ai vivemos momentos tensão. A estação tem umas 4 plataformas (pra ir de uma a outra vc anda sobre os trilhos, elas não tem fosso) e quando a gente perguntava onde deveria aguardar não ficava claro, e pra ajudar não víamos outros mochileiros que poderiam fazer o mesmo trajeto, só locais.

O trem atrasou bastante, eu ficava perguntando pros guardinhas e eles avisavam: ”não é mais 19:45, agora é 20:30”.... dai vai chegando trem, vai saindo trem... e nada... dai pergunta dinovo e escuta a resposta:”não é mais 20:30, agora é 21:20”... e porai vai... e trens chegando e saindo... dai aquela apreensão tipo:”Sera que não era aquele trem? Sera que eu entendi certo oq o tiozinho falou?”

E esse trem noturno é assim: perdeu já era, não tem dessas de pegar o próximo. Por isso a tensão. O guardinha nos indicava pra esperar bem na ponta da plataforma... e a plataforma é gigantesca, e bem na lá ponta tinha uns noias, a noite uma escuridão da porra lá... então nós ficamos bem de boa onde tinha mais gente rs

Tinha um pessoal muito fmz trabalhando na estação, foram bem atenciosos mesmo eu indo lá perguntar toda hora rs
Conforme foi ficando tarde foi trocando os funcionários, e um do guardinhas da noite foi extremamente mal educado em duas ocasiões... na viagem toda foi o único tailandês mal educado -_-

Imagem
Imagem
Estação de Ayutthaya


Lá pelas tantas da noite, chega o trem. Vc deve embarcar na área especifica da sua classe. O trem é dividido em primeira, segunda e terceira classe... por isso insistiam pra irmos pra ponta da plataforma, primeira e segunda classe é bem lá na frente.

Esse lance de onde aguardar o trem lá é foda, não tem nenhuma indicação, só perguntando mesmo. E é bom mesmo vc perguntar, pq o trem sai depressa, ele parou bem onde estávamos aguardando, entregamos os tickets e na sequencia ele seguiu, tudo bem rápido.

Quando entramos o vagão já estava com as camas prontas, encontramos as nossas, ficamos conversando um pouco e fomos dormir sem muita demora.

Ainda a noite uma funcionaria passa e pergunta se vc deseja escolher alguma das opções de café da manha para o dia seguinte. O valor não está incluso na passagem, mais como tudo na Tailandia era bem barato e nós achamos que vale a pena, estava gostoso ^^
Imagem
Imagem
Trem noturno


Como comprar seu ticket para o trem noturno
Compramos através do site: http://www.thailandtrainticket.com/index.html

Logo na página inicial vc escolhe a cidade de origem / destino a classe (primeira ou segunda) e se vai ser cama superior ou baixa.
Dai é só seguir os passos, é bem simples.

Nós fomos realizar a compra dos passes dois meses antes da viagem, e todas as passagens pra minha data na primeira classe já estavam esgotadas e para segunda classe só haviam camas superiores!!!!

A ideia era ir de primeira classe, pois os valores não são tão destoantes. Na primeira classe vc tem uma cabine privada, já na segunda classe vc tá lá com a galera no vagão e quando chega a noite as poltronas são desmontadas e se transformam em beliches. Por isso o lance da cama baixa ou superior.
A grande desvantagem da cama superior é que não tem janela, então se vc está sem sono e quer ficar lá olhando a paisagem se deu mal.
Imagem
Trem noturno


Após comprado pedimos para que os tickets fossem entregues no nosso hostel em Bangkok. Pedimos para entregarem no dia 05/04 (três dias antes da nossa chegada na Tailandia). Ficamos com medo de pedir pra entregar com muita antecedência e os caras do hostel perderem o ticket, ou ainda de entregarem já na nossa chegada e eles atrasarem... os 3 dias funcionaram bem.

Caso vc não queria que o ticket seja enviado a nenhum lugar vc pode retirar em uns pontos de atendimento, mais não tem muitas opções, se não me engano 2 ou 3 pontos. Achei mais pratico entregarem no hostel mesmo.

Eles respondem prontamente os e-mails, o atendimento dessa empresa foi muito bom. Já o hostel foi meio chato programar esse lance da entrega, pois eles não respondiam os e-mails... mais depois de tudo alinhado por e-mail assim que fizemos o check in no hostel lá estavam nossos tickets bem bonitinhos rs
Imagem
ticket do trem noturno


Com os tickets em mãos é só apresentar pro funcionário no momento do embarque e abraço. Apesar de ter rolado aquele atraso e a tensão pré embarque eu gostei bastante da experiência, bem legal ^^
Editado pela última vez por Tanaguchi em 17 Nov 2016, 17:07, em um total de 5 vezes.
#1208389 por janaina.araldi
05 Ago 2016, 22:31
Aguardando as próximas cenas! Fiquei abismada com a quantidade de coisa que vocês conseguiram fazer no stopover, que disposição!!!! ::otemo::

Estou planejando uma viagem pelo sudeste asiático em março/2017 e esses relatos só estão me deixando mais ansiosa para ir! Obrigada por compartilhar!!!
#1208583 por Tanaguchi
07 Ago 2016, 14:01
carinacortielha escreveu:Tô adorando o relato!!
Muito obrigada por dividir a experiência! Não vejo a hora de ver o restante... ::otemo:: ::otemo:: ::otemo::


Valeu mesmo por comentar!! É sempre animador entrar aqui e saber que tem gente lendo e gostando ^^
#1208894 por Tanaguchi
08 Ago 2016, 20:08
janaina.araldi escreveu:Aguardando as próximas cenas! Fiquei abismada com a quantidade de coisa que vocês conseguiram fazer no stopover, que disposição!!!! ::otemo::

Estou planejando uma viagem pelo sudeste asiático em março/2017 e esses relatos só estão me deixando mais ansiosa para ir! Obrigada por compartilhar!!!


Valeu por comentar!! Minha meta é postar pelo menos uma parte do relato por semana, vamos ver se o Pokemon Go vai deixar kkkk

Sobre o stopover o carro ajuda bastante em otimizar o tempo, sem ele não sei se ia rolar tudo.

2017 se Deus quiser eu volto pro Sudeste Asiatico pra visitar alguns paises que ficaram de fora. Lá é tão animal que vc fica louco pra voltar hehehe
Minha ideia é tbm voltar em Março... espero que não seja tão quente como Abril -_-
E obrigado novamente!! ^^V
#1210203 por Tanaguchi
14 Ago 2016, 22:07
Dia 7 - Chiang Mai - Wat Doi Suthep, Tiger Kingdom, Kalare Nigth Market e lutas de Muay Thai

O trem chegou em Chiang Mai bem cedo e logo pela manhâ aquele calor de deus... nesse ponto nós estávamos começando a nos acostumar com o calor, nos dois primeiros dias foi bem tenso aclimatar.
Saindo da estação diversos taxis e tuk-tuks, aquela choradeira de sempre pra fechar o valor até o hostel. Tem hora que bate aquela preguiça e dá vontade de pagar oq eles pedem... POREM eu sou muito mão de vaca, fui negociando com meia dúzia de nego até chegar no menor valor... não é pelo fator “valor alto”, é pela teimosia mesmo, me irrita malandro tentando tirar vantagem.
Gostei bastante do hostel de Chiang Mai (The Royal Guest House), boa localização, bom preço, pessoal da recepção era gente boa e aquela piscina marota. Recomendo a todos.
Imagem
Imagem
The Royal Guest House


Fechamos o passeio para Chiang Rai + Triângulo Dourado para o dia seguinte com o próprio pessoal da recepção do hostel e saímos pra conhecer a cidade.
Eu queria muito conhecer o Wat Doi Suthep, um templo que fica no topo da maior montanha de Chiang Mai (a montanha mais alta da Tailândia). Havia visto dezenas de fotos antes da viagem e tinha ficado encantado pelo lugar.
Negociando com os motoristas descobrimos que os tuk-tuk não vão até o Wat Doi Suthep, a subida até lá exige bastante do veículo e os tuks não aguentam, além disso parece também existir algum tipo de proibição pra esse tipo de veiculo na montanha, mais quanto a isso não estou certo (se eu estiver errado alguém me corrija por favor).
Fechamos então um taxi pra nos levar ao templo. Ele iria nos levar e nos trazer de volta, e por cortesia ele disse que poderíamos escolher outro lugar pra visitar que ele nos levaria.
O valor realmente ficou muito bom. Ele perguntou se tinha algum problema se o filhinho dele fosse junto (obvio que não) e então partimos.

O templo não fica perto do hostel, é um bom rolezinho. Passamos por uma região de Chiang Mai mais cosmopolita com shopping e lojas famosas, tinha bastante transito nessa área.
Eu observei que vários carros tinham o escudo do que parecia ser um time de futebol, o Buriram United.
Conversando com o motorista descobrimos que atualmente esse é o time mais forte e mais popular da Tailândia. Apesar de representarem a cidade de mesmo nome (Buriram) que fica no outro extremo do pais são o time mais popular em Chiang Mai e no pais todo.
Nessa região central que passamos tinha uma loja gigantesca do Buriram e também vários outdoors do time. Sempre que viajo um dos souvenirs que eu gosto de trazer é a camiseta de algum time local, dai eu fiquei bem instigado hehehe
O taxista disse que quando o Buriram joga o estádio sempre lota. A média de publico do Buriram é de 20 mil pessoas, muito mais que vários clubes grandes do Brasil. Eu desconhecia totalmente essa popularidade do futebol na Tailandia, mais deu pra perceber que esse lance é mais evidente em algumas partes do pais como Chiang Mai e Chiang Rai.
Imagem
Buriram United




Wat Doi Suthep

Depois de passar pela região central chegamos numa região mais afastada e logo começou a subida. É realmente uma baita subida, não sei se pelo fato do desempenho ou da proibição, mais realmente não tem tuk-tuks fazendo a subida e nem lá em cima. Se vc estiver pensando em alugar aquelas motos pra fazer esse passeio é bom avaliar se elas aguentam, eu não arriscaria, a subida exige bem do veiculo.

Não levamos em conta que nos dias seguintes iriam se iniciar as comemorações do Songkran (o ano novo tailandês), o templo estava MUITO, MUITO cheio. O templo é bacana e etc, mais o fato de estar tão cheio realmente prejudicou bastante. Os outros templos que vimos em Bangkok são bem movimentados, mais nada comparado com o que rolou ali. Então a dica é: se vc estiver visitado a cidade no período do Songkran fique ciente que vai encontrar o templo bem cheio e isso vai tirar bastante do tesão da visita.

Pra se visitar algumas partes do templo é necessário tirar os calçados, até ai OK, já estávamos acostumados com isso, porem o sol estava torrando e o chão lá em algumas partes era de um piso que ficava bem quente, era até difícil ter que andar... dai o pé queimando e aquela muvuca... que blz -_-

Imagem
Não se enganem com minhas fotos, está muito mais cheio do que parece


Imagem
Parece vazio, mais demoramos pra fazer essa foto XD


Imagem
Imagem
Imagem

Outra coisa curiosa que acabou não contribuindo pra visita foi que: em todo nosso tempo por Chiang Mai tivemos a companhia do calor habitual, porem no céu havia um tipo de nevoa... parecia poluição, umidade, sei lá. Ai lá do topo da montanha no templo era impossível ver o horizonte ou curtir a vista.

Resumindo: o templo é legal, nós particularmente gostamos muito mais dos de Bangkok, e caso vc vá visita-lo próximo de alguma data especial ou religiosa é bom reconsiderar a visita. Principalmente no período do Songkran.


TIGER KINGDOM
Comemos algo e iniciamos a decida com o motorista que ficou nos aguardando.
Quando ele nos ofereceu inicialmente pra visitar um segundo lugar eu não tinha nada em mente, para aquele dia eu tinha planejado apenas o templo, curtir a piscina a tarde e sair pro Nigth Market a noite... um segundo ponto de visita não estava nos planos... pensei nas lutas de Muay Thai, mais aquele horário não estava rolando nenhuma. Então pedimos pra ele nos levar no Tiger Kingdom.

Inicialmente eu não queria visitar esse lugar, nos já havíamos visitado o Zoo de Lujan na Argentina (aquele famoso onde as pessoas tiram selfies com tigres e leões).
Esse tipo de visita é extremamente polemica, tem quem defenda, tem quem acuse os tratadores de doparem os animais... porem eu gosto de tirar minhas próprias conclusões, então lá fomos nós.

Como muita gente aqui do Brasil conhece ou já ouviu falar do Lujan, eu vou usar ele como comparativo.
O espaço total do Tiger Kingdom é bem inferior ao Lujan, a área não é muito grande, porem é muito melhor estruturado, tudo informatizado, organizadinho, loja de souvenirs etc... o Lujan é meio bagunçado, mo zona as filas... já no TK tem monitores lcds mostrando qual o momento e pra qual área vc deve se dirigir pra interagir com os bichos, cada visitante tem um tempo pré-determinado pra interagir com o bicho etc... resumindo as vantagens: organização.

O valor dos ingressos é de acordo com o que vc decidir visitar. As opções são tigres adultos, tigres jovens, tigres pequenos e tigres filhotes. O valor pra visitar tudo é bem caro. Nós decidimos ver apenas o tigre bebe, e mesmo assim o valor é salgado.

Como é tudo informatizado nós sabíamos que ainda tínhamos um bom tempo até nossa vez, então demos uma volta lá dentro. O espaço como eu disse é bem inferior ao Lujan, a área pra cada tigre tbm não é muito grande, mais ao contrario do Lujan eles pareciam bem menos sonolentos. Do que eu vi o mais triste é a postura dos próprios turistas. Tipo, em determinada jaula tinha um tigre que não estava interagindo com as pessoas, tava ali separado dormindo... ai vai o imbecil do turista chinês (ou de Singapura, sei lá) e fica enfiando o pau de selfie na jaula e cutucando o bicho... pqp que raiva deu... chamamos a atenção dele e ainda achou ruim... fomos lá e deduramos pros funcionários que foram lá dar uma bronca nele XD

Ou em outro momento, outro idiota desses fez o seguinte: tava lá outro tigre dormindo e a jaula dele era uma parede de acrílico transparente... ai o tonto fica lá batendo com toda força nessa parede e gritando pra acordar o tigre -_-

Essa chinesada vou te falar, na moral... durante toda a viagem vc sempre vai presenciar eles dando uma de sem noção

Quando chegou nossa vez fomos pro local indicado, é tipo uma sala toda fechada em acrílico transparente, então vc pode ver os outros visitantes interagindo antes da sua vez. A sala parece um berçário, com musica ambiente de ninar hehehe
Lá dentro vc deve vestir um jaleco igual aos de medico e esterilizar as mãos, colocando luvas em seguida.

Depois disso os tratadores passam algumas instruções do que não é permitido fazer e talz, nisso vc tem algo entre 10 a 15 minutos pra ficar lá com o bichinho, sempre com monitoração. Um fotógrafo fica lá tirando várias fotos, ao término da visita vc pode escolher uma por pessoa para ser revelada na hora. Essas fotos acompanham um porta retrato personalizado bem simpático, tudo incluso no valor da visita.

Imagem
Imagem
Tigre filhote


Resumindo a visita ao Tiger Kingdom: Não estava nos planos, acabamos indo por osmose. É sempre estranho visitar esse tipo de lugar, vc sente aquela coisa:”Sera que estou fazendo a coisa certa?”. Você nunca sabe ao certo se está ajudando a financiar algo que não é positivo pros animais. Quando fomos ao Lujan nós realmente gostamos, mais dois fatores foram determinantes: nunca ter interagido com esses animais que tanto admiramos e a total falta de consciência a respeito do assunto. Nessa ocasião do TK sai com aquela sensação pesada. Se você sonha em ter contato com esse tipo de felinos realmente é uma experiência incrível, se vc já teve um contanto anterior ou simplesmente não gosta desses passeios que envolvam animais em cativeiro vc não vai gostar. Como hoje eu me encaixo nesse segundo perfil eu não gostei da visita.


Kalare Night Market e lutas de Muay Thai
Voltamos pro hostel, descansamos um pouco e a noite fomos pro Kalare Night Market.
Chiang Mai possui diversos Night Markets. Um deles é o melhor, mais popular e mais famoso. Nós não fomos nesse fodão, nós optamos por visitar o Kalare Night Market, pois no meio dele fica uma arena de Muay Thai, adquirindo ingressos pra arena é possível assistir diversas lutas da tão famosa luta tailandesa.

Não conhecemos o Night Market clássico, então não temos como comparar com o kalare, mais eu gostei muito dele, trocentas barriquinhas vendendo de tudo, principalmente as de comida, uma oferecendo algo melhor que a outra, muito bom mesmo ^^

As lutas se iniciam a partir das 21:00, ao todo foram 7 lutas na noite, duas delas com desafiantes internacionais (Singapura e Finlandia).
Teve duas lutas femininas, em uma delas tinha uma menina de 13 anos lutando!!! Eles começam bem cedo por lá!!
Imagem

Eu queria muito assistir as lutas e fiquei bem satisfeito, me diverti muito. A maioria absoluta do publico era composto por gringos. Meu desejo era assistir as lutas em um estádio com os locais e fazendo apostas, ai eu ia me divertir ainda mais. Porem esse era o dia que dispúnhamos. No próximo íamos voltar muito tarde da day trip para Chiang Rai e depois disso já seria o ápice do ano novo tailandês. Ou assistia hoje ou corria o risco de ficar sem assistir nada.

Eu tinha ficado meio brochado tanto com o Wat Doi Suthep quanto com o Tiger Kingdom. E realmente o Kalare salvou o dia, foi uma noite bem agradável ^^

Imagem
Kalare Night Market


Imagem
Kalare Muay Thai Arena em boa companhia ^^


Imagem
Tiger Knee
Editado pela última vez por Tanaguchi em 08 Set 2016, 17:26, em um total de 1 vez.
#1212530 por Tanaguchi
23 Ago 2016, 23:33
maria-eduarda.reis-da-cunha escreveu:Adorando o relato!!!
Programando minha ida pra comemorar um ano de casamento e salvando suas dicas. Stopover Dubai já é certo!!!
Continue!!!
Aguardando ansiosa!


Muito obrigado pelo feedback ^^
Peço um pouquinho de paciencia pois o processo aqui tá bem lento kkkk... mais eu prometo continuar
To pesquisando pra trip do ano que vem, dai bate mo preguiça de continuar esse. Dai eu entro e vejo esse tipo de mensagem, dá mo gás kkkkk

Vcs vão adorar Dubai, muito foda!!
Abraço
#1212962 por Tanaguchi
25 Ago 2016, 19:37
DIA 8 - Day trip para Chiang Rai / as fronteiras de Laos e Myanmar e inicio do Ano Novo tailândes (songkran)

Wat Rong Khun - O Templo Branco

O passeio é iniciado bem cedo, o deslocamento até Chiang Rai é longo, leva aproximadamente 3h.
Como a viagem é longa o motorista faz uma parada em posto com Seven Eleven pro café da manhã, comprar água, banheiro, etc.

Nessa área tem vários postos de gasolina próximos, todos muito grandes que recebem essas vans e micro ônibus. Em todos esses postos tem uma fonte de águas termais, que chegam a temperaturas bem altas. Junto a elas ficam umas tiazinhas vendendo ovos em uma cestinha que podem ser cozidos em instantes nessa fonte.

Li em trocentos relatos que isso era “um dos pontos turisticos do passeio”. Não cara, isso é só uma parada que o cara faz pra abastecer, em nenhum momento eles querem que vc acredite que esse é um ponto de interesse. Lembro de um relato do cara reclamando da parada, que era chato e etc, mais é obvio que é, pois NÂO SE TRATA DE UMA ATRAÇÂO, é apenas uma parada que o cara faz pra abastecer e outras coisinhas mais, é jogo rápido, 10 a 15 minutos.

Imagem
Hotspring

Enquanto estávamos na fila da Seven Eleven comprando lanches nesse posto conhecemos um rapaz e uma guria, ambos brasileiros. Eles estavam fazendo mochilão pela Tailandia assim como nós, e no dia anterior tinham visitado o Patara Elephant Farm (provavelmente o melhor centro de preservação de elefantes da Tailandia). Eles estavam realmente alucinados com a visita, muito empolgados mesmo.
Eu tentei, tentei MUITO programar a minha visita ao Patara mais não consegui. No lugar visitamos outro centro de Elefantes. Vou descrever em detalhes no próximo post, porem já quero adiantar pra vcs: VÃO AO PATARA. Deem um jeito, sério, se virem!!! Se vc está lendo isso e está planejando sua viagem, já trate de fazer sua reserva AGORA!! Eu tentei com meses e meses de antecedência e já estava tudo esgotado

Posteriormente nós encontramos essa mesma dupla indo pro litoral, se por um acaso eles venham a ler o relato deixo aqui um abraço a ambos ^^

*voltando ao passeio*

Depois de rodar bastante chegamos a cidade de Chiang Rai. A mesma surpresa ao ver vários carros com adesivos do time local de futebol, o Chiang Rai FC

Chegamos a principal atração do dia, o famoso White Temple.
Que templo incrível!!! Eu amei!!! Muito foda!!!
Tudo nele é estilizado, desde os cones do estacionamento até os avisos de proibido fumar, tudo muito dahora.
Imagem
Imagem

Imagem
"Proibido fumar"


Para chegar até ele temos que atravessar a ponte que representa o abismo do inferno. Esculturas de criaturas grotescas, mãos e cabeças decepadas representam os que não conseguiram ainda vencer os desejos mundanos. Dentro do templo existe uma pintura onde ícones pop e personagens de filmes se misturam a imagens apocalípticas e tragédias, em crítica à falta de paz do estilo de vida ocidental. A arte se refere ao “assassinato da inocência” e quer nos dizer que nenhum super herói é capaz de nos salvar do julgamento final. O ar sombrio se desfaz à medida que o mural mostra pessoas embarcando em direção à Buda.

Não é permitido fotografar ou filmar o interior do templo onde estão essas imagens do apocalipse. Você vai encontrar muitas, muuuuitas referencias: Sailor Moon, Goku, Neo de Matrix, Darth Vader, Homem Aranha, etc etc etc... é divertido ficar encontrando os personagens lá hehehehe

Se vc for pentelho consegue sim fazer alguma imagem/filmagem do interior. Eu acho que vale a surpresa e acabei respeitando as regras.

Imagem
White Temple


Imagem
Imagem


Outra curiosidade sobre o Templo branco é outro prédio próximo dentro do mesmo complexo. Todo revestido de dourado representando o ouro e toda a prosperidade que ele transmite, encontra-se dentro dessa construção nada mais que um banheiro bem simples: com pias e "privadas". A ideia é justamente essa, dar mais um tapa na cara da sociedade que julga as coisas/pessoas pela aparência. Dinheiro, vaidade e posses são insignificantes... *Para refletir*

Imagem

Imagem
Banheiro de “ouro”


Eu gostei muito desse templo, o único ponto negativo é que no horário que chegamos pra visita é o mesmo que todos os demais tours chegam, então o templo fica abarrotado de pessoas, e pra quem gosta de fazer boas fotos fica bem difícil, ainda mais com o pouco tempo que o tour disponibiliza pra visita. Acaba ficando meio corrido.

Porem se não estiver em um tour e conseguir visitar o templo fora dos horários de pico vc vai conseguir aproveitar bem, pois quase todo fluxo de visitantes vem com esses tours, fora do horário das vans parece bem tranquilo.

O templo é mais uma atração arquitetônica do que religiosa, pois vc quase não ve ninguém em oração como nos demais, a maioria absoluta de visitantes é composta por turistas. O templo é bem novo, data de 1997 e ainda tem alguns pontos em expansão/construção.

Aqui vai uma dica de IMENSA importância:
Eu e minha esposa colecionamos carimbos de países e de atrações turísticas no passaporte (lugares como Machu Picchu e Torre de Tóquio possuem carimbos muito legais!!). E no White Templo tem uns carimbos num ponto próximo ao banheiro,e obvio que eu e a esposa não passamos vontade rs
Alguns gringos nos abordaram perguntando o que estávamos fazendo, e quando explicamos e mostramos o passaporte eles ficaram incrédulos kkkkkkk
Me senti um retardado mental XD


Triangulo Dourado e Laos

Do Templo Branco seguimos para o Triângulo Dourado. A área ficou famosa por ser uma das principais produtoras de ópio da Ásia. Essa região se encontra na confluência dos rios Ruak e Mekong, onde está a tríplice fronteira que divide a Tailândia, Laos e Myanmar (Burma).

Hoje em dia esse lance do ópio não “existe” mais, então pode ir tranquilo ^^

Essa parte do passeio consiste em pegar um barco e fazer a travessia do Rio Mekong até Donsao, que já é território de Laos.
Durante a travessia a guia vai explicando toda essa historia do ópio e contando diversas outras curiosidades bem interessantes.
Apesar de estarmos em território de Laos não é necessário visto, é uma área “neutra” de economia especial. O tempo que temos disponível em Donsao só é sufuciente pra visitar a feirinha que já fica bem próximo no desembarque do barco.

Imagem
Rio Mekong


Li relatos de pessoas que nem se davam ao trabalho de fazer essa travessia e ficavam do lado tailandês esperando o regresso do grupo. Eu gostei de ter ido pois na feirinha foi onde encontrei alguns dos melhores souvenirs de toda a viagem.
Eu coleciono imãs de geladeira dos países que visito,( na verdade eu fixo eles em um quadro metálico do mapa mundi), e lá tinham ótimos imãs do Laos e de Myanmar. Eles também vendiam notas do Laos e eu também curto colecionar notas e moedas, então fiquei bem entretido na feirinha ^^

Todas essas lembrancinhas eu só encontrei lá. Por sorte não deixei de comprar.

Pra quem gosta de tomar uma cerveja é possível tomar as brejas do Laos em Donsao. Lá também vendiam umas bebidas bem curiosas com cobras e animas exóticos dentro. Se não desse tanto trabalho pra trazer eu acho que teria comprado, tinha umas muito estilosas.

Só fiquei triste por não ter vindo nenhum carimbo no passaporte nessa travessia. Mais de tanto chorar sobre isso a guia carimbou pra gente o voucher de travessia do Mekong.

Imagem



Long Neck Tribe -- Mulheres Girafas

O almoço estava incluso no passeio, e sem duvida foi o melhor rango desses que vem inclusos no tour. Comida a vontade, bastante variedade e tudo muito gostoso, comida tailandesa é muito amor S2

De lá a guia perguntou se gostaríamos de conhecer a fronteria de Myanmar. Não iriamos atravessa-la nem nada, era só pra dar aquela sapiada mesmo. Todos concordaram e fomos. Nesse intervalo entre almoço e deslocamento pra fronteira fizemos amizade com um casal de velhinhos de Singapura, quando dissemos que iriamos passar alguns dias em Singapura eles se empolgaram e falavam freneticamente. Conversa vai, conversa vem e eles perguntaram onde iriamos ficar hospedados lá. Ao mostrarmos onde, ele fez mo cara de bunda e falou que o lugar era perigoso e talz, dai acho que ele viu que não foi um comentário legal e começou a tentar contornar... deu aquela leve preocupada na gente, mais isso também vai ficar pros posts de Singapura.

Na fronteira de Myanmar o tempo de parada foi bem breve, só o tempo de fazer umas fotos na fronteira e pra que eu pudesse comprar minhas moedas e notas de Myanmar hehehe

Imagem
Ponte da fronteira entre Myanmar e Tailandia

De lá seguimos pra vila das mulheres girafas
Assim como o triangulo dourado esse era um passeio que eu não tava botando muita fé pelos relatos, você nunca acaba lendo nada de legal a respeito, muito mais criticas do que pontos positivos. E novamente eu fui surpreendido.

Eu achei bem interessante e divertida a visita. Como sempre é bem diferente vc ler sobre algo e vivencia-lo. A guia conta a historia delas, nos mostra o peso das argolas e como elas são colocadas e diversos outros detalhes.

Depois disso ficamos livres pra passear por lá.
É muito surpreendente o tamanho que o pescoço delas alcançam. Porem eu não tenho a moral de tirar foto das pessoas como se fosse num zoológico, ficava mo constrangido. Então pra superar o bloqueio eu chegava nelas, comprava algum dos artesanatos baratinhos que elas vendiam e só ai pedia pra tirar foto e dai tentar algum dialogo.
Não reparei nas outras pessoas, mais notei que pelo menos fazendo isso elas ficavam muito mais acessíveis. Todas foram muito simpáticas e agradáveis com a gente.

Imagem
Mulheres Girafa


Essa e outras tribos de mulheres girafas são refugiados de Myanmar, esse povo sai de lá fugindo de conflitos étnicos.
Na Tailandia eles vivem em uma área demarcada e recebem ajuda de custo do governo. Porem dizem que essas mulheres são proibidas de sair dessa área e por isso esse tipo de turismo é rejeitado por muitos.
Eu concordo que é bem controverso, ainda mais pra nós de uma cultura tão distante. É bem difícil entender. Mais uma coisa é certa, elas não são proibidas de deixar sua vila, seus bens e suas vidas. O grande X da questão é que a garantia de sua casa na aldeia, ajuda do governo e o dinheiro do turismo faz com que elas permaneçam ali e preservem o costume para as futuras gerações justamente para que não venham a passar necessidades


Songkran - Ano Novo Tailandês

O motorista fez o trajeto de volta de Chiang Rai numa velocidade bem insana, O melhor é vc tentar dormir, pq se vc ficar acordado vai ficar bem tenso, a estrada é escura, com bastante curvas e ele descendo a lenha no acelerador *medo*

O passeio regressa tarde pois o trajeto entre as cidades é bem longo. Quando voltamos mesmo cansados decidimos sair pra jantar e dai veio a surpresa maravilhosa!
Mesmo o ano novo só começando no dia seguinte, as ruas já estavam cheias de pessoas com suas armas de água!! A festa já tinha começado!!!

O ano novo Tailandes (Songkran) dura 3 dias, sendo o ultimo deles o mais intenso.
Chiang Mai é famosa por ter o maior e melhor ano novo tailandês do pais.
Foi em Chiang Mai onde a tradição começou e a cidade recebe visitantes de todo o pais, não só os estrangeiros, mais principalmente os locais que vem pra Chiang Mai celebrar a melhor festa do pais.

Pra mim o Songkran foi o ápice da viagem, foi muuuuuuuuuuuito divertido.
Todo mundo vai as ruas munidos de armas de agua, baldes, mangueiras, qualquer coisa pra molhar uns aos outros, e ai começa o caos. NINGUEM escapa, todo mundo vai te molhar e vc vai molhar todo mundo... quando eu digo todo mundo é todo mundo mesmo, independente da situação.

Você está dirigindo uma moto? Vai receber agua na cara
Você está dentro de um tuk-tuk chegando na cidade com toda sua bagagem? Vai receber água e suas malas vão ficar encharcadas.

Não existe dó nem piedade.
Eu não sou o cara mais adepto de bagunça do mundo, mais o Songkran é divertidíssimo, superou minhas expectativas em anos luz.
Se vc realmente não gosta desse tipo de brincadeira recomendo fortemente que passe o ano novo em outra cidade... durante o Songkran todos participam, porem na maioria das cidades a brincadeira de um molhar o outro só ocorre em pontos específicos da cidade e não por toda parte. Já em Chiang Mai no ultimo dia por exemplo a cidade TODA se mobiliza pra brincar, realmente não tem pra onde fugir.

Um dos pontos fortes é que mesmo a noite é muito quente na Tailandia, então é até agradável ser molhado, não incomoda nem um pouco ficar molhado tamanho o calor que faz em Abril.

Nas barracas de camelo vc encontra armas de agua de todos (T O D O S) os tipos, tem uma infinidade de modelos, tamanhos e tipos.
Eu como nerd pirei em uma arma do Doraemon. Alem de achar o personagem ótimo a arminha com a mochila era muito engraçada, não resisti hehehehe

Obs: nada a ver com o relato, mais uma curiosidade da Tailandia é o Doraemon. Ele é um personagem de animação japonesa de mesmo nome (até chegou a passar no Brasil anos atrás), na Tailandia ele é muito popular. Vc acha coisas do Doraemon por toda parte, tudo é Doraemon... tranquilamente ele pode ser considerando o personagem mais querido do pais.

Eu pirei nessa pequena amostra do Songkran, subia nos tuk-tuk que passavam, invadia eles e molhava todo mundo, molhava toda a chinesada, como uma criança pentelha fiz o diabo... mal sabia eu que aquela era só uma prévia, nos dias seguintes a coisa fica muito mais louca.

Imagem
Imagem
Imagem

Fiz mais videos do que fotos no Songkran, é muita água, ficamos com medo de estregar os equipamentos, então só levei a camera que tem proteção estilo go-pro.
Nós compramos um saquinhos especial com cordão pra guardar os celulares, se não já era tbm. Esses "saquinhos" são bons pra levar os celulares no litoral tbm, todo mundo acaba usando e realmente é bem util, pode guardar o celular tranquilamente, não vai entrar água
Editado pela última vez por Tanaguchi em 08 Set 2016, 17:26, em um total de 2 vezes.
#1213881 por leonardo.lopes1
30 Ago 2016, 01:55
Continuo acompanhando seu relato e aguardando os próximos capítulos. To pensando seriamente em fazer a viagem de trem para chiang mai depois da sua experiência.
Sobre cingapura, estou pretendendo passar dois dias com um deles sendo no Marina Bay sands, preciso saber que área ruim é essa pra fugir haha
Abraço!

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 2 visitantes