Travessia da Serra dos Poncianos. São Francisco Xavier a Monte Verde. SL's trips.

Troca de informações e relatos de trilhas e travessias na região sudeste do Brasil. Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.


Travessia da Serra dos Poncianos. São Francisco Xavier a Monte Verde. SL's trips.

Mensagem não lidapor Fábio Borges » 26 Jul 2011, 14:00

Este relato será um pouco diferente dos que eu fazia, pois não discorrerei sobre bifurcações, ponto de referências e todas essas coisas que transformam o relato em um guia de trilha, contudo quem quiser o tracklog, basta entrar em contato.
fotos: http://www.facebook.com/media/set/?set= ... 2275186328

Fazia mais de um mês que tínhamos programado a subida do Pico do Paraná para o ultimo final de semana, porém mais uma vez uma frente fria acabou com nossas expectativas e tivemos que alterar nosso roteiro. Dentre as muitas opções, escolhemos a travessia da Serra do Poncianos, que liga o distrito de São Francisco Xavier à Monte Verde pela crista da serra.
Dos que estavam confirmados para o Pico do Paraná mais da metade não foi, então seguimos eu, a minha companheira para tudo Vivi, Leo, André, Carol, Diana e o Brunão, que já tinha realizado essa travessia a poucos finais de semana atrás.

Eu e a Vivi despertamos no sábado às 05h30min e logo ligamos para o Leo para saber se alguma Carol, ops..., se alguém se atrasou. Como desta vez ninguém perdeu a hora, tomamos o nosso café da manhã e partimos para São José onde encontraríamos o Brunão. A viagem foi tranqüila e pouco depois das 07h30min já estávamos na casa do Brunão. Estacionei o meu carro e partimos para São Francisco no carro do nosso amigo joseense.
Ao chegar a São Chico, fomos logo à padaria para um café da manhã mais reforçado, já alguns não tinham comido nada antes de sair de casa. Todos alimentados e seguimos para a fazenda Monte Verde de onde iniciava nossa pernada.
Ao chegar ao ponto inicial, uma ultima ajustada em nossas cargueiras e “bora” caminhar. Eram 10h40. A trilha, na verdade a antiga estrada, que leva até a Pedra da Onça não tem erro basta atravessar a porteira e tocar para cima.
Esse primeiro trecho é o mais chato. Estradinha longa e sem visual até o topo do Morro, ou seja, nosso maior desafio era vencer o considerável desnível de mais de 800 metros até a Pedra da Onça.
A subida, apesar de chata, foi tranqüila. Devido ao grupo estar praticamente andando no mesmo ritmo, não demorou muito para chegar à bifurcação da trilha do Jorge. Fazia uma hora e quarenta minutos que tínhamos iniciado a caminhada. Ao olhar esse tempo, fiquei espantado como demoramos a chegar neste local da outra vez que estive por essas bandas.
Mais meia hora de pernada e chegamos ao cume da Pedra da Onça. Lá encontramos um grupo de conhecidos que também pretendiam realizar essa travessia, porém fomos surpreendidos com a notícia que estavam desistindo.
Como já passava do meio-dia resolvemos almoçar por aqui. Ficamos parados por uma hora e neste tempo além das trocas de informações com o outro grupo, tentamos sem sucesso convencê-los a seguir conosco.
Todos de barriga cheia e chegou hora da parte divertida. Seguimos a picada nítida que sai a direita da clareira. Não tardou muito para ela se fechar, finalmente começou a ralação.
Apesar de contarmos com o tracklog fornecido pelo nosso amigo Mamute, não sei o que eu e o Brunão fizemos de errado ao transformar o arquivo do trackmaker para o compatível com o Garmin, pois não constava a trilha, mas somente os pontos de referência.
A fina garoa e a neblina não davam trégua. Não tínhamos visibilidade alguma e só contávamos com o GPS e nosso senso de direção. Dentre as muitas vezes que perdemos a trilha, resolvemos fazer o nosso próprio caminho.
Até a pedra partida fizemos poucas paradas, mais para reagrupar do que para descansar. Finalmente depois de 3 horas de árduo vara-mato chegamos à Pedra Partida. Para chegar ao seu cume escalamos um pequeno trecho e lá estávamos no seu topo a 2000 metros de altura. O frio e a baixa visibilidade impediram que ficássemos mais tempo e logo procuramos um abrigo para descansar e seguir a caminhada até o StarBars.
Após uma pequena parada, iniciamos a descida até o Starbars. Devido ao horário e o cansaço do grupo, decidimos que acamparíamos no platô ou em qualquer clareira que encontrássemos pelo caminho.
Não demoramos meia hora e já estávamos sentados no bar. O Brunão pediu uma caipirinha e o Leo um suco de limão. A noite não demorou a cair e teríamos que andar a noite até o platô, porém o Brunão perguntou para a dona do starbars se ela não conhecia um lugar próximo que poderíamos armar nossas barracas.
Sorte! Sorte e Sorte! Essa palavra estaria conosco a noite toda. A conversa com a dona do starbars rendeu muito mais que o esperado, pois ela tem uma área de camping, ou seja, era tudo o que queríamos. Preços e informações tratar diretamente através do email starbarinn@hotmail.com ou procurar o perfil no facebook.
Dormimos em um galpão que já tinha duas barracas montadas, porém decidimos esticar apenas nossos isolantes. Acampamento montado, quer dizer, isolantes esticados e era hora de fazer nossos respectivos jantares.
O meu jantar e da Vivi foi capeletti de presunto e queijo (cozinha em 2 minutos) ao molho de tomate com ervas finas. Prato simples, barato e muito mais gostoso que miojo e aquela ração para cachorro chamada liofoods.
O Brunão mandou um arroz com peito de frango desfiado da vapza temperado com cebola e, se não me falhe o paladar, orégano. As meninas foram de arroz, purê de batatas e lingüiça frita com cebola.
Após o jantar tomamos nossos vinhos e aos poucos a roda foi diminuindo.
Nem bem o dia clareou e já comecei a dar muita risada. O Brunão me contou que no meio da noite a Diana e a Carol o acordaram jurando que tinham dois homens altos rondando a casa com um facão na mão. Ele me disse que saiu e não tinha nada.
Ao vê-las encolhidas em uma das barracas que já estavam montadas perguntei se era por isso que estavam dormindo ali. Elas responderam que sim. Como tirador de sarro que sou já logo falei: “vixe manuuu barraca a prova de balas, quero uma dessas” rs. Essas meninas só me dão alegria.
Ao sair do galpão, tive uma ótima visão. O tempo tinha mudado completamente e fazia sol. Aproveitei para colocar minhas coisas molhadas para secar, já que sabia que cedo não sairíamos dali.
Depois das maravilhosas tapiocas preparadas pela Carol, seguimos para o pico do Selado, eram pouco mais que 10 da manhã.
A trilha, ou melhor, avenida, que leva ao Selado não trás maiores dificuldades sendo impossível de ser perder devido ao grande fluxo de turistas. Creio que em uma hora e meia estávamos no selado.
O André foi o primeiro a dar um pulo do gato para alcançar o cume final do selado, o resto da galera ficou na pedra antes da fenda. Quando cheguei ali, fiquei analisando, olhando, olhando e me bateu uma insegurança de pular aquela fenda e decidi por bem não arriscar. Mas não pense que pular essa fenda seja uma coisa do outro mundo, mas como fiquei com medo, melhor não arriscar e agüentar as brincadeiras da galera. Nossa como fui aloprado, mas faz parte.
Ficamos contemplando a paisagem por meia hora e voltamos em 40 minutos até o starbars. Fizemos um rápido almoço e seguimos pelas entediantes ruas de Monte Verde até o início da trilha do Jorge.
Como estávamos com o tempo apertado tocamos direto até o carro, fazendo somente uma pausa no segundo ponto d’água. Saímos da trilha do Jorge exatamente às 17h e mais uma hora de descida estávamos em nossos carros. O trecho da descida foi um festival de tombos proporcionado pelo André e pela Diana.
A diferença fundamental entre o homem comum e o guerreiro, é que o guerreiro encara tudo como desafio, enquanto o homem comum encara tudo como bênção ou maldição. (Carlos Castañeda)

http://www.orkut.com.br/Main#Profile?rl ... 2207667306
Avatar do usuário
Fábio Borges
 
Mensagens: 251
Desde: 12 Mar 2009, 11:43
Localização: Cantareira, o pulmão de São Paulo

Re: Travessia da Serra dos Poncianos. São Francisco Xavier a Monte Verde. SL's trips.

Mensagem não lidapor Cris*Negrabela » 26 Jul 2011, 15:10

Ai que orgulho dos meus amigos SemLimites.
E que orgulho do Fabio, que admitiu que ainda continua sendo um ser humano passível de cagaço aheiaheuiehuehiuea
Editora São Paulo,Orçamento x Destino : Quanto Tenho x Para onde ir?
"Eu já estou com o pé na estrada, qualquer dia a gente se vê..."
Relato:Pantufando na Patagônia - 23 dias - Nov/Dez 2011
Avatar do usuário
Cris*Negrabela
Membro de Honra
Membro de Honra
 
Mensagens: 1201
Desde: 05 Abr 2009, 15:35
Localização: Sao Paulo

Re: Travessia da Serra dos Poncianos. São Francisco Xavier a Monte Verde. SL's trips.

Mensagem não lidapor lowpower » 26 Jul 2011, 15:14

Foda desistir, mais o clima não nos deixou nem uma gota de animo para continuar.
Com certeza vou querer o tracklog pois em breve faremos uma nova tentativa. Isso se o clima colaborar.
Mais show de bola o relato!! E puta sorte dormir no bar hein! Nem molharam as barracas! hahah
::cool::
Avatar do usuário
lowpower
Colaborador
Colaborador
 
Mensagens: 482
Desde: 25 Mar 2010, 12:04
Localização: São Paulo - Sp

Re: Travessia da Serra dos Poncianos. São Francisco Xavier a Monte Verde. SL's trips.

Mensagem não lidapor ROTA da AVENTURA » 26 Jul 2011, 16:24

uowww !!
foi bem legal mesmo uma super trip de fim de semana !!
a galera todos na mesma "vibe " isso é o sucesso de uma trip !!
ainda bem que arriscamos !!! ia me arrepender profundamente de ter que ficar em casa hehehe!!!
foi demais valeu a cia os rangos e a "vibe " da galera !!!

"O sofrimento é passageiro !! desistir é pra sempre !!!

abço
Avatar do usuário
ROTA da AVENTURA
Colaborador
Colaborador
 
Mensagens: 623
Desde: 16 Dez 2008, 10:05
Localização: são jose dos campos

Re: Travessia da Serra dos Poncianos. São Francisco Xavier a Monte Verde. SL's trips.

Mensagem não lidapor Fábio Borges » 26 Jul 2011, 16:27

Fala Lowpower!!!

viu como teria sido melhor ter prosseguido rsrsrsr

abraços
A diferença fundamental entre o homem comum e o guerreiro, é que o guerreiro encara tudo como desafio, enquanto o homem comum encara tudo como bênção ou maldição. (Carlos Castañeda)

http://www.orkut.com.br/Main#Profile?rl ... 2207667306
Avatar do usuário
Fábio Borges
 
Mensagens: 251
Desde: 12 Mar 2009, 11:43
Localização: Cantareira, o pulmão de São Paulo

Re: Travessia da Serra dos Poncianos. São Francisco Xavier a

Mensagem não lidapor Iluska » 19 Abr 2013, 17:53

Oi, boa tarde! Podes, por favor, me enviar o tracklog da travessia!? Estou com vontade de fazê-la num desses fds e o tracklog é uma super mão na roda! Obrigada!
Iluska, SJC-SP
(iluska@gmail.com)
Iluska
 
Mensagens: 1
Desde: 19 Abr 2013, 17:21

Re: Travessia da Serra dos Poncianos. São Francisco Xavier a

Mensagem não lidapor Fabricio Reis » 02 Mai 2013, 18:37

Olá poderia me enviar o arquivo track? "bri.fa@ig.com.br".

Abrss
Fabricio Reis
 
Mensagens: 4
Desde: 05 Mai 2010, 21:31


Voltar para Trilhas & Travessias na Região Sudeste do Brasil



Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Google Adsense [Bot] e 0 visitantes