Troca de informações e relatos de trilhas e travessias na região sudeste do Brasil. Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.
#263338 por gugaverticchio
10 Mar 2006, 01:29
Com um grupo de 5 pessoas, subí no dia 30/07/2005 à Pedra do Sino, ponto mais alto da Serra dos Órgãos, com 2263 metros de altitude...

A trilha foi muito subestimada por mim... Achei ela é bem pesada (pra quem nunca tinha feito nada parecido), cheia de pedras no começo e muita lama do meio pra cima...

Nossa "aventura" começou Muito tarde, pq saí­mos de Rocha Miranda umas 9h, ainda passamos num mercado pra comprar o que faltava (Magrão e Alan não estavam levando nada de casa pra comer), ainda passamos na minha casa em Guapimirim pra organizar as mochilas, pegar as barracas, esqueci minha máquina digital quando já tinhamos subido uns 5 km da serra (e é lógico que voltei pra pega-la), e começamos a subir a trilha às 13:45...

Chegamos no Véu da Noiva aproximadamente 1:20 depois de iniciarmos nossa caminhada... Subida difícil, pois tem muita pedra (que na descida, virou um exercício de paciência pra descer)... Os sedentários da expedição (eu e Renato) ficaram pra trás, mas os outros 3 chegaram lá uns 5 minutos antes da gente...

A partir daí, o bicho começou a pegar... Quando fiquei sabendo que até alí havíamos feito aproximadamente 1/4 da trilha, me bateu um medo de não conseguir chegar lá em cima a tempo (como realmente aconteceu)...

A nossa falta de planejamento, logística e esperteza foi um ponto mito importante, pra transformar uma simples trilha em uma aventura... Enquanto eu e Renato ficavamos pra trás por sermos os mais sedentário da "expedição", os outros 3 foram subindo, literalmente cagando nas nossas cabeças... Sabe como é homem, né... Viram uns rabos de saia mais a frente, e sairam seguindo... Só que num determinado momento, Magrão, nosso burrinho de carga (ele levava a mochila mais confortável, e consequentemente a mais pesada) começou a passarmal de fome... Na arrumação das mochilas, a comida de todo mundo ficou na mochila que o Renato carregava, por ser a mochila mais leve e ele ter uma porrada de problemas no ombro... como eles estavam a dias na nossa frente, eles comeram uns pedaços de bolo de banana que a mãe do Renato colocou na nossa mochila, e ele por sorte carregava na mochila...

Perto das 17:30, quando o sol já tinha sumido, e começavamos a ficar na penumbra, bateu o desespero... Eu tinha certeza que na mochila que o Alan levava estavam 2 lanternas com pilhas novas, e a essa altura, ele já deveria ter chegado no abrigo 4... Eu e Renato acabávamos de deixar pra trás o abrigo 3, e subí correndo pra ver se encontrava alguém... As 2 lanternas estavam comigo o tempo todo, assim como uma lanterna daquelas que tem lâmpada fria, lanterna e sirene, mas as pilhas dessa lanterna estavam na mochila do Magrão (planejamento excelente)... Só quando chegamos no abrigo 4 fui lembrar que as 2 lanternas que eu jurava que estavam com o Alan, estavam na mochila que o Renato levava...

Acabamos encontrando Alessandro e Magrão (que já havia parado milhares de vezes pra comer bolo) quase no escuro... coloquei as pilhas na lanterna da lâmpada fria e continuamos subindo, precariamente... Foi até bom encontrar Magrão e Alessandro no caminho, pq já tava todo mundo cansado e desanimado, e um foi dando apoio moral pro outro no resto do caminho... Acabou que um trecho que deveríamos ter feito normalmente em uns 30 minutos, fizemos em 1 hora, no escuro, terminando a trilha 5 horas e meia depois de adentrarmos no caminho de pedras no começo da trilha...

Pra piorar toda a minha situação, além da dor nas costas (meu trapézio estava me matando) por causa da péssima mochila e de estar morto de tanto andar, quando estávamos quase chegando enfiei o pé numa poça de lama eterna, conhecido por quem frequenta a trilha como Poço das Antas (serviu bem o nome à minha pessoa), ou tbm "cemitério maldito"... Mas enfiei o pé com gosto... Até quase o joelho...

Chegamos no abrigo 4 exatamente às 19:15, cansados, morrendo de frio, mortos de fome, com luz de lanterna e ainda tinhamos que montar a barraca, que NINGUÉM HAVIA MONTADO NA VIDA... Eu peguei emprestada no dia anterior, uma de 4 e uma de 2 lugares, achando que a de 4 caberiam nós 5 lá dentro... Nem é complicada de montar, mas eu nem sabia o que fazer pra começar a montar... O Alan disse que quando me viu lendo as instruções de montagem da barraca, ele ficou desesperado, achando que agora sim estávamos f...didos... Sorte nossa que um casal que estava acampando lá nos ajudou a montar, pois ele tinha um lampião, o que ajudava muito...

Acabavamos de montar a barraca de 4 lugares, tudo pronto pros 5 dormirem lá dentro. e o Alessandro começa a passar mal e vomitar (fora da barraca, graças a Deus)... Foi a nossa "sorte", pq se tivessemos que ficar mais 10 minutos montando a outra barraca de 2 lugares, hj eu não teria mais 10 dedos nos pés, que estavam encharcados pela lama do "cemitério maldito" e gelados... Falamos com os guardas do abrigo 4 pra deixar nosso amigo ficar lá, pq ele tava passando muito mal, e eles liberaram de o Alessandro cair por lá... Ainda conseguimos uns 3 sacos de dormir no abrigo (eles alugam cada saco de dormir por R$ 5,00) pro resto da galera que só tinham a roupa do corpo pra dormir)... Ou seja, eu tinha levado 2 sacos de dormir, nenhum isolante térmico, pouquíssimo jornal pra forrar o chão da barraca (acreditando ser um ótimo isolante), eramos 5 pessoas pra dormir numa barraca de 4 (era o que dizia o fabricante da barraca... cabiam 3 mais as mochilas, e um pouco apertado mesmo assim)... excelente planejamento... Iniciante é uma b....osta mesmo...

Ainda ficamos conversado, comendo, zoando, cantado, até umas 23h, quando todo o acampamento estava calado, e resolvemos "tentar" dormir, pra encarar o dia seguinte... Algum tempo depois, todos os 4 acordam, achando que deveria ser umas 4:30, 5:00 da manhã... AINDA ERAM 2:00... A NOITE NÃO ACABA NESSE LUGAR...

Mais ou menos umas 5:30, o Alessandro, todo garotão depois de ter dormido numa cama do alojamento com aquecimento, chega na barraca dizendo que o pessoal do acampamento começa a se arrumar pra subir para a Pedra do Sino, pra assistir o nascer do sol, nos recrutando pra ir tbm...

Eu e o Renato, os que estavam em pior estado depois da subida, não aguentamos e ficamos na barraca dormindo o resto do que a gente não conseguiu dormir... Além do sono, minhas costas estavam doendo muito por causa da mochila e da posição que dormí na barraca, e meu tênis estava encharcado e GELADO (ainda por causa da lama do Cemitério Maldito)... Se eu tivesse um outro par de tenis e pelo menos mais um par de meias, acho que até encarava... Mas acordei na m....erda, e quando pensei no tênis, desistí de ir... AZAR O MEU, pq quando ví as fotos que eles haviam tirado com minha câmera em casa, me deu vontade de subir tudo de novo...

Balanço de tudo até então: os dois manés que tinham planejado essa subida a 4 anos, e sempre acontecia algo que os impediam de ir, quando foram perderam o ponto alto da aventura e ficaram dormindo... Conversando com meu primo Diego (quando cheguei em casa), que já tinha subido, ele disse que a trilha até o pico (no bom sentido) era fácil, curta e que ele quando foi subiu e desceu de lá no mínimo umas 3 vezes a noite, e umas 2 de manhã... Se eu tivesse falado com ele ANTES de subir, eu teria tido ânimo de ia com dor nas costas e tudo... Mas achei que ainda tinha uns 3 Km de trilha do acampamento até lá... Alessandro, Magrão e Alan subiram, tiraram foto com a bandeira brasileira, como se tivessem subido o Aconcagua ou o K-2 e morreram de frio lá em cima... Se tivessemos tempo pra ficar mais um pouco lá, até teria ido na Pedra do Sino depois que acordei, mas o Alessandro ainda ia trabalhar naquele dia lá pras 18 h, e teríamos uma trilha de 4 horas de descida no mínimo (levamos 4 horas e meia) e ainda tinhamos que voltar pra Rocha Miranda...

O caminho de volta parece pior do que o de ida, mesmo sendo pelo mesmo caminho... as pedras do começo da trilha são insuportáveis quando vc está descendo... Meu pé ainda molhado, com 2 sacos de plástico no lugar das meias e 11 km de descida... Adeus joelhos...

2 fatos fizeram com que eu me sentisse mal no final:

1- Ainda lá em cima, quando estávamos desarrumando tudo pra descer, ví umas 5 crianças de uns 5 ou 6 anos, numa boa, brincando no acampamento... enquanto eu e os outros estávamos arrazados, cheios de sono e dores pelo corpo...

2- Durante a subida e a descida, vimos algumas pessoas que passavam por nós correndo... Pensei comigo mesmo: é o pessoal que faz enduro, isso deve ser só um treino... Já fiquei mal de saber que enquanto eu me peidava todo pra subir, tinha gente subindo e descendo correndo... Mas quando estávamos chegando na parte final da trilha, um dos guardas do Abrigo 4 desceu correndo por nós, com uma mochila e UM BUJÃO DE GÁS DE 13 LITRO... vazio, mas é um bujão de gás de 13 litros... Já me sentia um m...erda por isso, e me sentí ainda mais quando lembrei que se ele leva o bujão vazio, ele sobe com ele CHEIO!!! Tipo, "vou lá comprar um bujão de gás e já volto"...

Crianças, não façam o mesmo que fizemos... Procure saber direitinho onde vc vai, a temperatura que costuma fazer lá, o equipamento mínimo apropriado pra ir, andem sempre juntos, e arrumem suas mochilas com sabedoria... nada de deixar um levar a comida, outro levar a lanterna, um terceiro levar as pilhas da lanterna, etc...

Enfim, COMO NÃO SUBIR A TRILHA DA PEDRA DO SINO é assim... Boas trilhas e bons acampamentos para todos...

#253746 por .Mariana.
14 Mar 2006, 13:35
hahahahaha!!!
Que comédia gente! Pelo menos valeu a história, que eu li (ufa) toda, e ri muito aqui!
Já fiz muita besteira, e espero fazer muito mais pra ter histórias assim.
Alias Serra dos órgãos.. aqui tão pertinho e eu nunca fui... ta ai, tenho que ir!
Mas já ouvi dizer que pra fazer a travessia petropolis-teresopolis só com guia.... será?
#253759 por Nilton
14 Mar 2006, 14:13
Putz que roubada !
Eu fiz essa travessia em 3 dias com guia e um grupo de 20 pessoas mas a logistica foi impecavel,todos devidamente equipados .O unico problema foi trombar com dezenas de montanhistas e farofeiros entupindo as areas de camping.
#253853 por gugaverticchio
14 Mar 2006, 18:10
Ae, pessoal, coloquei algumas fotos dessa "aventura"... é só clicarem em MINHAS FOTOS, no album da Pedra do Sino...

Obrigado pelos comentários... A falta de preparo foi total, subestimamos demais a trilha e o acampamento, o material era todo emprestado e nos atrasamos muito pra subir... se vc vai preparado pra pegar a trilha de noite, beleza... se não, vai ficar no desespero, como ficamos...

Ae, Mariana, vale a pena dar uma passada lá nesse inverno, hein... e a travessia, tem gente que faz sem guia, mas acho que só os mais cascudos mesmo... Vou primeiro fazer um pernoite no Sino, dessa vez bem preparado, pra ganhar confiança, e quem sabe ano que vem to fazendo a travessia tbm...

Meu único problema é que os mêses de Junho e Julho, férias pra muita gente, pra mim são sempre uma incognita... As greves das faculdades públicas nunca me deixaram ter férias em Janeiro e em Julho... e pra ir nessa travessia, tenho que dispor no mínimo de 3 dias...
#253923 por Batata
14 Mar 2006, 22:20
Muito bom o seu relato. Os trapalhões teriam ficado com inveja. Mas como diz o ditado "a males que vem para o bem". Tem uma coisa que sempre falo: não gosto de gambiarra, sou sistemático e gosto de tudo certinho.
#256592 por Alberto Monte
28 Mar 2006, 09:04
Lalaaa Guga.
Estou lendo o seu relato no laboratório de informática da faculdade e o pessoal aqui deve estar pensando que eu sou louco, porque não consigo parar de gargalhar. Quase caí da cadeira.
Muito bom esse relato. Como vc sabe, eu também ví o cara do botijão de gás e não teria acreditado se alguém me contasse.
Eu pensei exatamente o que vc pensou quando ele passou correndo pedindo licença com aquele botijão amarrado tipo mocuila nas costa.
"Vou logo alí comprar o gás e já volto" hauhauhauhauhau.
Abraço.
#256595 por Alberto Monte
28 Mar 2006, 09:10
Aí Guga. Esqueci de dizer;
Acabei de ver as fotos e quando ví o seu colega levantando a bandeira do Brasil, reconheci o meu grupo logo atráz dele. Eu sou aquele maluco de toca ninja e salopet vermelho com suspensório.
Outra coisa. Eu sou quase seu visinho. A gente mora na Penha.
Aí não dá pra negar aquela frase; "suburbano é tudo uma m...erda" kekekeke.
#258051 por gugaverticchio
03 Abr 2006, 12:32
Bom, Alberto, nós saímos de Rocha Miranda, mas eu sou o único da tijuca... mas como pra mim, tijuca é um subúrbio metido a besta, a frase serve tbm...

Uhaihaiuahiuahuiahuiahiahuai!!!!!!!!!!!



<blockquote id="quote"><font size="1" face="Arial, Verdana, Helvetica" id="quote">quote:<hr height="1" noshade id="quote"><i>Originally posted by Alberto Monte</i>
<br />Aí Guga. Esqueci de dizer;
Acabei de ver as fotos e quando ví o seu colega levantando a bandeira do Brasil, reconheci o meu grupo logo atráz dele. Eu sou aquele maluco de toca ninja e salopet vermelho com suspensório.
Outra coisa. Eu sou quase seu visinho. A gente mora na Penha.
Aí não dá pra negar aquela frase; "suburbano é tudo uma m...erda" kekekeke.
<hr height="1" noshade id="quote"></font id="quote"></blockquote id="quote">
#367131 por Cacius
11 Mai 2009, 14:34
Caraca!
É impossível não rir dos perrengues e despreparo. Que sirva de lição!
Pra nós, fica a reflexão da necessidade de preparar a coisa antes, saber para onde se vai e o que precisa levar. Pode dar errado com qualquer um.
#367166 por piacitelli
11 Mai 2009, 16:35
Boa Guga!!!!!!!!!!!!!!

Mostrar aqui aquilo que a gente não acertou é muito nobre.

É muito fácil vir aqui..falar que fez a trilha isso e aquilo... Mas tua atitude serve para alertar muitos novatos que vêm até o Mochileiros.com em busca de informações.

Parabéns
#375957 por AGermano
18 Jun 2009, 17:40
Adorei! Muito bom! Ri muito com o relato!!!!!! E me deu vontade de subir de novo! Alguém se anima de ir no fds 27/28 de junho????? Saindo do Rio, p/ ficar no abrigo, sem barraca, p/ subir leve!

Vamos?????

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 3 visitantes