Relatos de viagem no Peru


#1122225 por saracdp
13 Set 2015, 01:29
image.jpeg
image.jpeg (1.11 MiB) Exibido 899 vezes
Amigos, tem menos de 1 semana que voltei da minha viagem para o Peru, abaixo está tudo descrito com informações que NAO ENCONTREI EM LUGAR NENHUM mesmo tempo lido muito, e que se eu tivesse lido antes, teriam me poupado muuuito trabalho!

Viagem Brusque-Florianópolis-Porto Alegre-Lima-Cusco-Puno-Juliaca

Começando pelo planejamento da viagem, é claro que o que você precisa definir primeiro é a data da viagem, eu por exemplo comecei a planejar com 6 meses de antecedência. Como minha vida é muito corrida, sobrava pouco tempo durante a semana para pesquisar como eu faria meu roteiro, e por isso também acabei deixando algumas coisas para cima da hora e acabei pagando mais caro, por isso sugiro que você não deixe para comprar nada em cima da hora.
Depois que eu tinha definido a data de saída da minha viagem, de forma que no dia do meu aniversário, dia 31/8/2015, eu estivesse em Machu Picchu, fiquei caçando preços das passagens aéreas, que é a primeira coisa a se comprar. Quando comecei a pesquisar, o dólar ainda estava a R$ 3.20, e cheguei a ver passagens de São Paulo a Cusco, ou Rio-Cusco, por R$ 1000 ida e volta por pessoa, boiei e não comprei, achando que podia aparecer uma promoção daquelas milagrosas. O dólar foi subindo, subindo, e perdi essa chance, quando fui comprar faltava menos de 1 mês para a viagem e paguei R$ 1250 ida e volta por pessoa,com dólar a R$ 2,60 já, por aí, direto no site da Avianca (não compre pelo Submarino/Decolar e outros porque sai mais caro, com raras exceções).
Comprei com saída de Porto Alegre, porque de SP e RJ já estava um preço absurdo. Como estou em Santa Catarina, meu aeroporto de saída mais fácil seria Navegantes, mas o preço da passagem de NVGT para POA estava muito alto (cerca de R$ 600 por pessoa), então tirei 2 passagens com milhas de Florianópolis para POA, foram 18 mil milhas para 2 pessoas, ida e volta, paguei então somente a taxa de embarque de cerca de R$ 50,00. Então o custo com passagens aéreas no meu caso foi de aproximadamente R$ 2600 ida e volta, 2 pessoas.
Havia outra alternativa que iria baratear um monte o custo da viagem, se você tiver milhas suficientes para tirar uma passagem por exemplo de SP a Lima, você viaja nesse trecho só com suas milhas, como se fosse “de graça” , e compra somente o trecho interno Lima-Cusco, pela Peruvian Airlines, LCP Peru ou Star Peru, que sai muito barato. Se eu tivesse conseguido essa alternativa, o custo total da minha viagem de 11 dias para 2, teria caído de R$ 8500 para R$ 5500, por ai. Dá para comprar direto no site dessas companhias.
Como ia sair de Florianópolis muito cedo, tive ainda que contratar o serviço de estacionamento coberto para deixar meu carro, por 12 dias, no estacionamento Mar Park a 300 m do aeroporto de Floripa, sem ter que deixar minha chave, e com serviço de leva e trás gratuitos, paguei R$ 160,00.
Falando ainda da parte de preparativos para a viagem, eu e meu marido fomos um dia na Decathlon de Florianópolis, uma das maiores do país, e fizemos algumas comprinhas de roupas. Você precisa ser prático, nada de levar calça jeans, que pesa e é desconfortável, compramos 1 calça com forração térmica para cada um, uma calça cargo leve, eu comprei uma calça térmica tipo segunda pele, um casaco polar para cada um, do tipo 2x1, que você pode separar e usar só a parte de fora (corta vento) ou só a parte de baixo, mais quente. Compramos também camisetas de microfibra, aquelas bem levinhas e casacos de fleece que esquentam bastante.
Desse modo você consegue levar até bastante coisa, mas com pouco peso. Compramos também aqueles sacos organizadores de bagagem, que você tira o ar de dentro, enrolando o saco, a roupa fica super compactada ali dentro. Dessa forma conseguimos viajar cada um com uma mala pequena, de 10 a 12 kg.
Nós levamos roupa suficiente para 5 dias, porque lavávamos a roupa no chuveiro ou na pia mesmo. Para as meninas, sugiro comprar aquelas calcinhas sem costura da trifil, por exemplo, porque além de serem bem confortáveis, elas secam rápido, penduradas em qualquer canto dentro do quarto do hotel.

Na parte da documentação, nossos passaportes brasileiros estavam dentro da validade de 6 meses e levamos, embora parece que não seja obrigatório brasileiro entrar em com passaporte no Peru, no aeroporto me pediram várias vezes, no controle da Aduana,nos hotéis, nos passeios, enfim, me pediram várias vezes, acho bom levar. Levei também carteira internacional de vacinação, essa ninguém pediu.

No dia 26/8, fui cedo para Porto Alegre porque iria resolver alguns problemas pessoais lá que não deram certo, mas se fosse somente para pegar a conexão, poderia ter saído no último vôo do dia para Porto Alegre, ter ficado umas 6 horas esperando no aeroporto ou pagar um hotelzinho para dormir em Porto Alegre. No meu caso paguei R$ 115,00 numa diária no Umbu Hotel em Porto Alegre, que foi bem confortável, e gastei mais uns R$ 60 de táxi.

Outra coisa importante, eu nunca viajo sem Seguro Viagem, é melhor estar prevenido do que um dia precisar e ficar na mão num pais estranho. Meu marido é cliente do Bradesco, só pelo fato de ser cliente Bradesco e ter um cartão de crédito MasterCard Gold Internacional (não é preciso ter comprado as passagens com esse cartão,basta ser cliente), ele tinha direito ao seguro de saúde para a viagem , com uma excelente cobertura que serviria até para viajar para a Europa. Se for seu caso, ligue no 0800 dos cartões Bradesco e se informe que eles informam o site onde vc deve entrar para ter acesso a esse benefício , é simples.
O benefício não se estende ao cônjuge, então para mim eu tirei pela Mondial Travel com uma cobertura razoável e paguei R$ 125,00. Não tivemos de acionar nenhum dos seguros, então não posso dar opinião quanto à isso.

Outra compra que você precisa fazer antes de sair, é comprar as entradas para Machu Picchu, é altamente recomendável comprar com antecedência, porque há um numero limitado de pessoas que podem entrar em Machu Picchu por dia, é um lugar procurado por pessoas do mundo inteiro, você houve todos os idiomas lá e aquilo não para nunca, todos os dias está lotado, pelo que eu pude observar, então se você deixar para chegar em Cusco, para daí comprar sua entrada lá no escritório oficial, além de pegar uma baita de uma fila, que eu vi lá quando cheguei, corre o risco de ficar sem. Especialmente se você quiser subir a Montanha de MP ou WaynaPicchu, pelo menos 1 mês antes tem que comprar, eu diria até mais, se não já era.

LI em vários blogs que era difícil comprar as entradas para MP, várias pessoas tendo problema porque o cartão não passava. Do Brasil, pela internet, tem o site http://ingressomachupicchu.com, todos falam que é confiável, acontece que já que eles oferecem várias formas de pagamento, facilitando o processo, ganham em cima, e sai bem mais caro comprar por ai.

Sai mais barato comprar no site oficial do governo do Peru que é o http://www.machupicchu.gob.pe, nesse site que todo mundo reclama que é difícil comprar. O site mostra em tempo real quantas vagas tem para MP na data que você deseja.

Tem bastante blogs na internet que explicam certinho como se faz para comprar nesse site, porque é um pouquinho diferente de uma compra normal, por isso não vou explicar aqui, só quero falar da parte da compra mesmo, do cartão. Nunca fiquei tanto tempo pendurada em 0800 na minha vida, por isso vou facilitar para vocês. Nesse site só aceita cartão VISA INTERNACIONAL.

Eu e meu marido solicitamos um, pela Caixa Econômica, que chegou bem a tempo. Ligamos para o 0800 para fazer o “aviso de viagem” para que o cartão fosse liberado para uso no exterior. A atendente falou que estava liberado, mas aí faltava a parte do “Verified by Visa”. Esse site não aceita a compra se seu cartão não tiver esse sistema de segurança. Não vem isso escrito no cartão. Liguei para o 0800 dos cartões Caixa, e depois de falar com várias atendentes topeiras que nem sequer sabiam o que era isso, finalmente peguei um rapaz que me explicou que isso é um sistema de segurança a mais no cartão, e que é só pedir a liberação do Verified by Visa para o seu cartão e pronto, simples assim. Então primeiro você libera seu cartão para uso no exterior, depois pede o sistema Verified By Visa, e já pode comprar os ingressos. Assim que falamos com um atendente competente, que realmente fez o que eu estava pedindo, 5 minutos depois fomos fazer nova tentativa de compra e pronto! liberado! deu tudo certo, parecia milagre, depois de tanta dor de cabeça.
Essa foi uma informação que não li em lugar nenhum, por isso acho importante compartilhar. Pensei em pegar o cartão de crédito do meu pai emprestado, mas diz no site que ao chegar na entrada de MP eles pedem o cartão da compra para verificar, se você ou seu acompanhante não for o titular do cartão eles podem barrar a entrada, Resolvi não arriscar. Quando eu estava na fila para entrar em MP não me pediram o cartão para conferir, mas na minha frente tinha uma rapaz que eu vi que pediram. Melhor não arriscar.
Foi 142 soles por pessoa, porque comprei com direito a subir Machu Picchu Montanha. Quando comprei estava 1 real = 0,85 soles, por ai. Se fosse somente a entrada para MP seria 128 soles.
Você precisa comprar também o ônibus que leva da cidade base (Águas Calientes) até a entrada de MP. É quase meia hora de ônibus, numa subida tipo Serra do Rio do Rastro (quem conhece sabe), então eu diria que ou você está treinando para o Iron Men e está afim de subir a pé, ou você é mais normal e deve SIM comprar os tickets de ônibus para subir e descer. U$D 24 por pessoa. Isso não tem como comprar pela internet. Tem um monte de micro ônibus que saem a cada 10 minutos. Eu comprei as 21 hrs quando desembarquei do trem em Águas Calientes, direto no guichê dos bus, para não deixar para o dia seguinte porque ia subir cedo.
Me informaram que também é possível comprar no escritório próprio deles em Cusco, os taxistas me disseram que é um pouco fora de mão, eu não fui até lá, deixei para comprar em Águas Calientes mesmo.
Para a compra do trem que sai de Cusco ou Ollantaytambo (o que for melhor dentro da programação da sua viagem), comprei direto no site da Peru Rail, lá já aceita Master Internacional, também você precisa liberar para uso no exterior antes de comprar, ou compre através do Pay Pal, mas nesse caso tem taxas. Eu recomendaria pelo menos 1 vez, ou na ida ou na volta, você viajar de dia, senão vai perder paisagens incríveis. Na ida eu viajei de noite, não deu para ver nada, foi bem chatinho. Na volta era de manhã bem cedo, quando amanheceu o dia vi paisagens lindas.

Saí dia 27/8/2015 de Porto Alegre para Lima, no vôo das 5:35 hrs. Neste ponto atenção, na fila para entrar na sala de embarque, no momento de passar as bagagens de mão pela esteira, os policiais estavam alertando que não estava permitido levar liquidos/pastas/cremes, com mais de 100 ml, e sem estar dentro de um saquinho/necessaires plástica. Quem estava carregando xampus, cremes, ou outros, sem estar dentro de uma embalagem plástica, ou em maior quantidade que 100 ml, estava tendo que jogar fora, ou sair da fila, voltar para dentro do saguão do aeroporto para comprar alguma embalagem. Por sorte eu tinha minhas necessaires em PVC transparente só com meu filtro solar e alguns remédios, aí não tive problemas. Minha garrafinha de água fizeram jogar fora.
O voô para Lima foi de quase 5 horas, num avião super simples da Avianca, serviram uma refeição somente. Chegando em Lima, tivemos que retirar nossas malas, voltar no saguão e despachar de novo. Almoçamos no aeroporto de Lima, gastamos 35 soles para 2, preferimos pagar no cartão porque o câmbio estava muito ruim (0,70 centavos para 1 real). Logo pegamos a conexão para Cusco. O pouso em Cusco é meio tenso e todos bateram palmas para o piloto ao pousar, rsrsrs.
Chegamos em Cusco no dia 27/8/15, perto das 16:30 hrs, o aeroporto é bem pequeno e já estava tudo fechado. Por isso recomendo você já ter dinheiro local no bolso, para pelo menos pagar o taxi até seu hotel, porque eu deixei para trocar lá e o cara da casa de câmbio estava fechando, quase que fico sem.
Você nem tirou suas malas da esteira de bagagem e já vem um monte de taxistas urubuzando em cima, o assédio lá é tenso.
Eu já sabia que do aeroporto até o hotel em que eu deveria ficar (Mama Simona Hostal), seria em torno de 15 soles o táxi, os caras queriam me cobrar 50, eu dizia que não, eles insistiam dizendo que era o preço, que se eu pegasse os taxis não oficiais iriam me assaltar e bla bla bla, tudo mentira. Ande para fora do aeroporto, à sua esquerda, vai vir um monte de taxis não oficiais falar com você. Eu dei a sorte de encontrar o senhor Jose Luiz, que foi o único táxi que usamos em Cusco, um senhor extremamente educado, preocupado, discreto, tinha um carro bom e é confiável.
Recomendo muito, quem quiser entre em contato com ele já do Brasil e combine tudo. Jose Luiz Malpartida Mendoza - 984239951 / 984698145 (telefone local, se for ligar do brasil tem que acrescentar código do pais + código de cusco), RPM - 076568, telefone fixo 084 310850, joselo63_01@hotmail.es.
Então esse anjo de pessoa me levou do aeroporto até meu hotel por somente 15 soles, que é o preço certo.
Sobre o hotel, fiquei no Mama Simona, é um albergue, mas tem quarto casal com banheiro individual, foi esse que peguei, fiz a reserva direto com eles por email, porque sai mais barato que fazer pelo Booking, Expedia ou outros, paguei U$D 34 por dia. A conversão de soles para dolares no dia estava 3,25, deu mais ou menos R$ 125 por dia.
Nesse ponto atenção, existem vários hotéis no Peru que querem te cobrar o valor da diária + 18% de IGV, fui pesquisar o que é o tal do IGV e parece que é uma lei que entrou em vigor não faz muito tempo, onde SOMENTE os turistas que ficarem MAIS DE 60 DIAS no Peru, precisam pagar esses 18% nos hotéis. Você tem como comprovar que está menos tempo que isso, com a Tarjeta de Imigração Andina, que você preenche dentro do avião e fica dentro do seu passaporte (cuidado para não perder isso).
Então nesse Mama Simona mesmo que eu fiquei, nos e-mails trocados antes da minha chegada eu questionei os 18% e aí elas vieram me pedir desculpas dizendo que realmente eu tinha razão, que não era devido. Então sugiro que em todos os hotéis você confira o extrato do que está pagando, ou vai pagar quase 20% a mais à toa.
O quarto e banheiro nesse hotel são bem simples, mas a cama é confortável, quente, estava tudo limpinho, tirando umas teias de aranha no teto e muito fungo/bolor nas paredes do banheiro rsrsrs.

Chegando no hotel, segui a recomendação geral para não passar mal, fui direto dormir, descansar, até então não tinha sentido nada, acordei umas 3 horas depois com uma dor de cabeça fortíssima, fui tomar logo o Sorojchi Pills que é o remédio que é indicado para isso, tem para vender lá, mas como meu pai tinha ido uns anos antes para o Peru, tinha sobrando lá em casa e eu já levei comigo, por isso não sei quando custa uma caixa.
Acho que foi um misto de altitude, com fome, com cansaço da viagem, começou a ficar mais forte a dor de cabeça, nunca tinha sentido tal coisa, ai comecei a vomitar, vomitei o remédio, o chá de coca que meu marido trouxe, passei mal mesmo, depois de vomitar um monte foi passando, nem sai do hotel para comer, comi só umas castanhas que tinha levado do Brasil e fui dormir, acordei zerada no outro dia e na viagem toda não senti mais nada.

Meu marido tem alergia a ácido acetilsalicílico e a dipirona, por isso ele não podia tomar o Sorojchi Pills. Meu pai é médico e recomendou , para substituir esse medicamento, tomar um Tylenol 750 mg + Nisulid, funcionou bem para meu marido quando ele começou a ter dor de cabeça por causa da altitude.

No dia 28/8, acordamos cedo e fomos andar pela cidade de Cusco. O assédio dos vendedores ambulantes irrita, a cada 2 minutos você tem que falar “No Gracias” de tanto que te oferecem coisas, querem vender até a mãe, tem hora que irrita.
Outra coisa extremamente importante que descobri só lá, toda hora vem umas mulheres vestidas tipicamente, querendo que você faça fotos com elas, obviamente tem que pagar por isso. Algumas vem com filhotes de cabrito nos braços, para ficar legal na foto. Vi uma policial de Cusco dando a maior bronca numa dessas mulheres. Para que o cabrito não faça cocô na roupa delas, elas não dão comida para eles, eles chegam a ficar 3 dias sem comer, por isso você vai ver que estão fracos, magrelos, os bichinhos não aguentam e morrem, aí elas jogam na sarjeta numas ruas lá atrás de Cusco e pegam outro para continuar pegando os trouxe dos turistas . ABSURDOOOOOOOOO!!! Não vamos contribuir com isso, não faça fotos com essas mulheres! Depois que eu descobri isso, recusei todas. E aliás elas são muito chatas, eu não tinha trocado dinheiro ainda e estava boiando, não sabia disso, aceitei tirar a foto achando que poderia dar umas moedas de dólar que eu tinha comigo, elas não aceitaram, fiquei na maior encrenca, elas queriam que apagasse a foto, fiquei numa situação bem chata mesmo.

Também cuidado se alguém se aproxima e começa a dar explicações sobre algum monumento, vá embora, senão vc vai ter que pagar também e eles são bem caras de pau - Donde esta la propina por la explicacion??

Andamos um monte pela cidade no primeiro dia, subimos até o Bairro de San Blas, fomos no mercado municipal desse bairro e tomamos um suco de frutas (S.4,50 cada), almoçamos num restaurante na Avenida del Sol, a principal de Cusco (S.65 para os dois, Tratoria Adriano).

Como o café da manha do nosso hotel era bem pobre (só pao, manteiga e chá de coca), fomos ao mercado comprar queijo e sucos para ter para o outro dia, os mercados lá são meio caros, tipo S.8 uma bandejinha de queijo fatiado.

Para a troca de dinheiro, você vai ver que tem um monte de casas de câmbio, uma do lado da outra, mas confiável mesmo, para não dar azar de pegar nota falsa, só a LAC DOLLAR, bem na Avenida del Sol, só trocamos dinheiro aí, o câmbio estava bom (81 centavos), e as notas vem todas carimbadas, e eles não te dão notas rasuradas ou rasgadas, que podem não ser aceitas.

No dia 29/8, fomos até a prefeitura da cidade, também na Avenida do Sol, para comprar os boleto turísticos de Cusco, que você tem que ter para entrar nos locais (exceto igrejas) e para ir ao Valle Sagrado. Comprei o completo com validade de 10 dias ( S. 130 cada, cerca de R$ 158), depois fomos visitar o Templo do Sol/ Qoricancha, que estava perto, tem que pagar a entrada de S.10 por pessoa. É lindo, vale a pena! Para ir para lá e para cá na cidade não utilizamos táxi em nenhum momento, andamos muito por todo lado. Para economizar e também para conhecer tudo. Na maioria das vezes não almoçávamos, só jantávamos. Também se você andar pelas ruas menos turísticas encontra opções muito baratas de comida. Nós estávamos indo muito no Peru Juice, pero do Arco de Santa Clara, pedimos suco (1 suco dá para dois porque vem uma jarrinha, normalmente), e um prato de frango com batata frita, por exemplo), saia S.27 para os dois, mais ou menos 32 reais.
Nesse dia compramos um City Tour com a agência Mystic Lands Peru (http://www.mysticlandsperu.com), estava na praza de Armas, paguei S.20 por pessoa. Cuidado ao comprar isso porque todos oferecem exatamente o mesmo serviço, vão te enfiar no mesmo ônibus (porque lá é tudo sacaneado e é a terceirização da terceirização), mas um cobra S.40 enquanto o outro cobra S.20, pelo mesmo serviço, tem que bater perna, entrar em cada agência e perguntar mesmo. Tem centenas de agências, uma ao lado da outra lá, e ficamos bem perdidos sem saber qual era confiável ou não, lá não tem nada oficial e notamos que é tudo muito zoado, você fica meio perdido mesmo. Mas fechei com essa agência que citei e deu tudo certo, o ônibus deles atrasou um pouco mas deu certo no final. Só que city tour é aquela coisa, super corrido, era 20 min em cada lugar e deu, não conseguimos aproveitar muito, talvez fosse melhor combinar com um taxista um preço fechado. Nesse city tour te levam ao Templo do Sol, (eu já tinha ido nao fui de novo), Sacsayhuaman (que é lindo, maravilhoso, queria ter ficado mais tempo lá), depois Qenqo e Pukapukara que são de menor interesse, se eu pudesse escolher não teria ido, e por último Tambomachay, que é legal também. Não sao muito distantes da cidade (máx. 8 km), mas para ir a pé não recomendo, é só morro!. Te levam também numa loja onde a mulher explica como reconhecer uma lã de alpaca verdadeira. É interessante, mas as coisas na loja são bem caras. Chegamos já de noite em Cusco.

No dia 30/8, eu já tinha combinado com meu “taxista anjo” senhor Jose Luiz, o passeio privado para o Valle Sagrado. Fechei com ele 2 dias de passeio privado por 350 soles, e paguei o almoço dele no dia 30, sendo que saiu mais ou menos 420 reais, para nós dois, 2 dias de passeio. Se eu fosse pagar o passei de grupo, com agência, estavam cobrando 30 dolares por pessoa, considerando a nossa atual cotação do dolar, eram quase 240 reais, para somente 1 DIA, então eu considero que saiu barato e valeu suuuuper a pena ter pago 420 por dois dias e fazer tudo com calma, no nosso tempo.
Dica, se você quer usar telefone público, os orelhões de Cusco me comeram várias moedas de 1 soles sem nem eu ter feito ligação, então se precisar ligar para seu taxista, por exemplo, procure aqueles locutórios com cabines e pague na hora, sai o mesmo preço e pelo menos não come suas moedinhas! Eu perdi algumas!

Saimos no dia 30 só com uma mochila pequena com muda de roupa de 2 dias e higiene pessoal, para pegar o trem para MP desde Ollantaytambo. As malas ficaram num armário trancado com cadeado (seu cadeado, então tenha um para isso), no hotel em Cusco, e não me cobraram a mais por esse serviço, mas alguns hotéis cobram, é bom se informar.
Saímos as 7 hrs da manhã e fomos para as ruínas de Pisaq, chegamos lá antes dos turistas, estava vazio, um espetáculo de lugar, não imaginava que fosse tão lindo, é uma área muito grande. Leve água (bastante), lanches, chapéu e filtro solar. Caminhamos por quase 3 horas, é uma maravilha de lugar, recomendo. Quando saimos perto das 11 havia congestionamento, nao dava nem para sair do estacionamento, de tanta gente. e nosso motorista lá pacientemente esperando, deixamos ate notebook no carro dele, super confiável.
Saímos das ruinas de Pisaq e nao fomos ao mercado de Pisaq, como todos vão, para economizar tempo. Seguimos direto para almoçar em Urubamba, nosso motorista nos levou a um restaurante super bacana, era bem caro, mas bom, deu S.142 para 3 pessoas, era buffet. Na estrada de Urubamba ele nos mostrou o hotel suspenso na montanha, onde tem que escalar para chegar em 3 cápsulas que são quarto e banheiro para se hospedar, eu tinha visto pela internet e achei o máximo ver ao vivo.
Chegamos cedo às ruínas de Ollantaytambo, não são tão grandes como as de Pisaq, mas tem um jardim com fontes lindas, um visual maravilhoso de uma montanha na frente onde também tem construções, é tudo lindo e imponente. Nós estávamos sem guia, mas eu tinha um livrinho de Cusco com algumas explicações que quebrou o galho. Também você consegue “roubar “ a explicação dos guias dos outros, de vez em quando rsrsrs.
Ficamos bastante tempo ai, bem tranquilos, aí voltamos para o carro e fomos para estação de Trem que está bem pertinho.
Paguei metade do que tinha combinado com o motorista, torcendo para ele aparecer depois para me buscar ne rsrsrsr.
Saímos da estação de Ollantaytambo as 19 horas no trem Expedition e chegamos em Águas Calientes as 20:45, esse trem ida e volta para 2, considerando o dolar atual, deu quase R$ 700,00.

Fui direto comprar o ticket de onibus para subir a Machu Picchu cedo no dia seguinte, parece que o guichê fica aberto ate 21:30 hrs. Paguei U$D 24 cada, convertendo para soles deu 156.
Eu tinha reservado o Machu Picchu Royal B&B pelo booking.com, para ficar em Águas Calientes, U$D 35 por dia, uma facada pelo que oferece, mas era um dos mais baratos que tinha. Pela descrição do booking dizia que tinha transfer ida e volta para estação de trem. Cheguei lá uma muvuca, mal dava para andar no desembarque do trem, um monte de gente com plaquinhas e nenhuma com meu nome. Fui a pé até o hotel, não era longe mas ninguém sabia me dizer onde era, e nós super cansados. Cheguei no hotel fui logo reclamar, e a topeira da garota do hotel veio me mostrou uma placa para “comprovar" que tinha ido me buscar, onde dizia “SANPA”, ou seja as iniciais de Sanches e Parente, que são nossos sobrenomes, onde que eu ia adivinhar que isso era para mim???? Olha só batendo nesse povo rsrsrsr, eles são muito enrolados, não dá para crer. Vi outras pessoas reclamando da mesma situação, no booking, ou seja, não conte com eles para te buscar.
O hotel/ o quarto bem pequenos super simples mesmo, banheiro minúsculo, mas até que dormirmos bem. O café da manha também super simples, mas pelo menos tinha iogurte e queijo dessa vez.

Dia 31/8/2015, dia do meu aniversário de 30 anos, acordamos as 4 hrs da manhã, tomamos café, e chegamos na fila do ônibus as 10 para as 5 da manhã, já tinha gente na fila! Pegamos os primeiros ônibus, as 5:30, chegamos em MP as 6, uma chuvinha bem chata. Chegamos a conclusão de que não era preciso ter ido tão cedo, porque você fica muito tempo só esperando a névoa sair para conseguir ver a cidade sagrada de MP, e esperando a chuva parar. Se tivéssemos chegado as 7 ou 7:30 estava bom também. Queríamos ver o sol nascer lá, mas no meio da selva é difícil o tempo limpinho sem névoa e céu aberto. O horário das melhores fotos foi quando estava quase fechando, 16:30, por ai.
Leve bastante água, pode sim levar um lanche, não vi nenhum guarda reprimindo pessoas por estarem comendo, também é só ser discreto. Nós ficamos lá quase 12 horas, só com uma garrafa de 1 litro de gatorade, duas garrafas de água , barra de cereal, chocolate e castanhas, deveriamos ter levado sanduíche. Também nao tem onde fazer xixi, nao tem banheiro, só la embaixo na entrada, antes das catracas. Mas na trilha do Portal do Sol, se vc for rápida e discreta dá para fazer um xixizinho no meio do mato rsrsrsr. Leve seu PH e não deixei vestígios, respeite o lugar.
Com certeza leve repelente, meu marido ficou com o braço forrado de picadas, lá na parte debaixo das ruínas é uma mosquitada do inferno.

Tinha lá gente do mundo inteiro, você ouve todos os idiomas e vê todas as caras, é muito interessante. Fomos primeiro subir a trilha do Portal do Sol, bastante subida, embaixo do sol cansa bastante, leve chapéu e óculos escuros. Roupa leve, porque dá calor. Não subimos a trilha até o final porque até as 11 hrs deveríamos entrar na trilha da Montanha de Machu Picchu. Por falta de informação, achei que não era muita coisa essa trilha, acontece que é coisa para gente insana rsrsrs, é só subida (escada de pedra), é trilha pesada, e a gente com mochila pesada nas costas, meu marido ficou no meio do caminho, e eu continuei subindo mais um pouco, pegando informação com que estava descendo, quando eu não aguentava mais, já tinha subido uma hora e pouco, já estava vendo MP pequenina lá embaixo, olhei para cima e descobri que o final da trilha era lá numa bandeira lá no alto que você mal enxerga, ou seja, são duas horas só para subir, subida pesada, é bem insano. Deveria ter ido primeiro lá antes de ter ido na trilha do portal do Sol. Desisti de subir para não deixar meu marido lá embaixo sozinho. Mas sinceramente, a vista de lá é legal, mas se eu soubesse da trilha do portal do Sol, onde tem vista semelhante, não teria pago mais caro para subir a Montanha, meio que foi dinheiro jogado fora, a não ser claro que você faça questão do desafio e curta subida de montanha, mas se for só em busca da melhor foto,não teria necessidade, na nossa opinião. E é preciso preparo físico dos bons (mesmo).
Depois fizemos a trilha da Ponte Inca (mais ou menos 25 min), andamos o dia inteiro, quase 12 horas ficamos em MP, só fomos embora porque o guardinha começou a mandar todo mundo embora, umas 16:45 hrs. Realmente foi fantástico, só estando lá para saber porque todo mundo fala tanto de MP, é surreal.
Chegamos de volta em Águas Calientes mortos, fomos comer , tem pizza média com limonada por S.25, foi isso mesmo que atacamos, depois de tomar uns 2 litros de gatorade e água cada um rsrsrs. Ficamos praticamente o dia todo se fazer xixi, de tanto que suamos.
Recomendo considerar um gasto de pelo menos S.15 por dia com garrafas de água,Gatorade.. a garganta fica muito seca lá.

No dia 1/9, saímos muito cedo para ir pegar o trem e quase perdemos o trem. Pensamos que era para embarcar no mesmo lugar onde desembarcamos, MAS NÃO É! Começamos a achar estranho que estava muito vazio na linha do trem e fui perguntar num hotel, aí o rapaz me mostrou um mapa e apontou lá para cima, tem que subir uma escada, passar no meio de uma feira fechada, no meio das barracas de lona, tipo um labirinto, até achar a estação do trem. Subidos correndo, quase que perdemos o trem por falta de informação.
A volta foi mais legal porque deu para ver a paisagem, Chegamos antes das 8 hrs de volta a Ollanta, nisso o nosso motorista já estava lá nos esperando (eu disse que ele era confiável), e partimos para mais um passeio. Dessa vez ele nos levou para o Povoado de Maras, super pitoresco, e então para o sítio arqueológico de Moray, onde tem andares agrícolas incas, circulares. Além do lugar ser um espetáculo à parte, a paisagem para chegar lá também mata a pau, você vê até picos nevados, é lindo. Em Moray você entra com seu boleto turístico. Depois de conhecer esse lugar, nos deslocamentos até as Salineras, que é perto, achamos bastante interessante, apesar de não ter tanto impacto quando as coisas que vimos antes. Mas vale a visita, e aí tem que pagar S.10 por pessoa. Dá para comprar pacotinhos de sal produzidos lá por eles também (2 por S.5).
Saindo das Salineras, nosso motorista/guia, quis nos levar até as ruínas de Chinchero. A feira famosa que tem aí só acontece nos domingos, então como era uma terça feira, estava tudo fechado.
Esse povoado está a quase 4 000 m de altitude, eu e meu marido olhamos aquela escadaria toda, olhamos as fotos das ruínas e não nos animamos a subir por tão pouca coisa, aí desistimos. Fomos para a Associação dos Artesãos que tem lá nesse povoado, é bem interessante porque uma menina te serve um chá e te explica todo processo de tingimento artesanal. Mas é óbvio que de graça de graça não é, você se sente meio que na “obrigação “ de comprar alguma coisa, para retribuir a atenção que recebeu. Nós compramos uma manta para nosso sofá que achamos linda de morrer, paguei S.110, depois fui descobrir que lá em Cusco tinha exatamente igual pela metade do preço :/, mas fazer o que ne? Só cuidado, no Peru o preço começa em 80, aí você diz: OK, obrigado, ai eles dizem : mas para você faço por 50, aí daqui a pouco eles te perguntam: mas quanto você quer pagar? É bem assim a coisa, então, NEGOCIE! Nada tem etiqueta de preço, eles fazem o preço de acordo com a sua cara e a ocasião
Voltamos para Cusco para comprar as passagens de ônibus para Puno, deveríamos sair no dia seguinte, achei que era tranquilo comprar um dia antes, QUASE FIQUEI SEM. Então dica, compre com antecedência!
Nós até tínhamos cogitado alugar carro para ir de Cusco a Puno, tínhamos até feito CNH internacional, mas desistimos porque o mais barato que encontrei foi 55 dólares por dia + combustível. Além do que tinha 3 pedágios de 8 soles cada um no caminho e o combustível estava mais caro que no Brasil, além disso o trânsito é realmente horrível, eles não respeitam nada, e também queriam me cobrar 280 dólares para devolver o carro em outra cidade. Ou seja, sem condições, desistimos. Até de avião de Cusco a Juliaca saia mais barato, cerca de 90 dolares por cabeça.
Tem 3 empresas que fazem o ônibus turístico até Puno, Turismomer, Wonder e Inka Express, eu só consegui vaga na Inka Express, paguei 40 dólares por pessoa, com almoço mas sem as entradas. Recomendaria fazer isso, porque as entradas cobrem alguns lugares bem sem graça, por exemplo a primeira parada na igreja de Andahuillas, achei que não valia a pena entrar lá, e onde achei que valia, as ruínas de Raqchi, paguei a parte, 15 soles por pessoa e entrei, pronto. O trajeto leva 10 horas mas não é pesado porque o ônibus para muito, você desce em vários lugares, aí não cansa tanto. O bus é confortável, não servem comida, mas servem bebidas.
Chegamos em Puno as 17 horas, na rodoviária já vem o assédio dos taxistas de novo, eu paguei o justo, S.15 para ir até meu hotel que estava um pouco fora da área central (Eco Inn Puno). No Brasil nós decidimos pegar pelo menos 1 hotel bom, então pagamos um pouco caro (quase R$ 200 por dia) mas o hotel era muito bom mesmo e com aquele café da manhã. Na entrada do hotel tinha uma placa com as tarifas normais, o valor normal é quase R$ 600 por dia! Então considero que peguei uma suuuper promoção pelo Booking. Paguei ao hotel mesmo, em soles. Como ele é mais afastado da cidade, não valia a pena pagar pelo menos S.20 de táxi para ir e voltar então jantamos 3 dias no hotel mesmo, o preço é mais ou menos, gastávamos em média 70 soles para os dois. Ha e compre água para ter no quarto, num mercado, porque no hotel é quase R$ 7,00 uma garrafinha de 500 ml :p.

No dia seguinte da chegada em Puno, dia 3/9 decidimos tirar o dia para descansar. Acordamos um pouco tarde, fomos ao centro da cidade trocar dinheiro. Em puno, os arredores são bem feios, e não há tantos turistas circulando pelas ruas como você vê em Cusco. Fomos à rua principal ,Jr.Lima, para achar uma casa de câmbio, há poucas, e todas “não oficiais” todas em bequinhos e com uma cara meio estranha, então o negócio é procurar onde tem a melhor cotação. Consegui R$ 0,82 e troquei o dinheiro que precisava, não tive problemas com notas falsas. Andamos muito pela cidade, fomos a pé até um mercado de artesanato que tem na beira do porto. Apesar de ter lido algumas coisas na internet, achei bem tranquila a cidade, não vi nada de “suspeito”. Comprei alguns souvenirs nas barraquinhas de artesanato, aqui não existe aquele assédio chato que tem em Cusco, você pode perguntar os preços das coisas com mais tranquilidade, e também negociar. Voltamos cedo para o hotel, depois de ter comprado algumas coisas em supermercado e ficamos o resto do dia descansando.

No outro dia 4/9 saímos cedo para o passeio da Ilha dos Uros e Taquiles. Quando ainda estava no Brasil, entrei em contato com várias agências e até mesmo com o hotel, para pesquisar preços desse passeio. Todos oferecem a mesma coisa, o mesmo esquema de passeio, mas os preços variam demais, o mais em conta que achei foi U$D 24 por pessoa, mas haviam agências oferecendo por U$D 80. Estava trocando e-mails com a agência em Puno, Peruvian Dream, quando eu cheguei no hotel em Puno, o telefone tocou e era uma ligação do dono dessa agência querendo combinar para ir me pegar para o passeio no outro dia. Acabei fechando com eles, mas se tivesse esperado chegar em Puno para negociar, com certeza teria pago menos, vi ofertas com preços menores, na rua Jr.Lima. Bom, mas assim fizemos, o dia amanheceu chuvoso, mas fomos mesmo assim. Na hora marcada o dono da agência apareceu no hotel com uma van para nos buscar. Só nós dois na Van. Ele nos levou para o porto, pediu para esperar dentro da Van e aí ficamos observando o que ele foi fazer e chegamos à conclusão de que todo mundo faz isso por lá, só ao chegar no porto ele foi tentar negociar algum barco para colocar a gente, viu onde tinha vaga e encaixou a gente. Ou seja o cara serviu só para levar a gente ao porto e ganhou em cima, de novo a terceirização da terceirização. Sempre deu tudo certo no final, mas gera uma certa insegurança e desconforto. O cara acabou nos colocando numa lancha rápida, que chega bem mais rápido nos lugares, é mais vantajoso porque você consegue disfrutar mais do passeio e menos do trajeto. A parte fechada do barco é como um ônibus, tem bancos de ônibus e até banheiro.
Mas para quem quer economizar mesmo, é só chegar lá no porto e comprar somente a “passagem” para as ilhas, para a dos Uros tinha um cartaz dizendo que era S.10 por pessoa e tinha barcos a cada 10 minutos, aí você vai lá e volta, sem a parte turística, para quem quiser...
Chegamos primeiro na Ilha do Uros, pensamos que era bem maior, a ilha era pequeninha, mas bastante interessante o modo de vida desse povo, vale mesmo a pena conhecer. Estava chovendo e fazia muito frio (4C), mas ouvimos a explicação breve, depois aquele frenesi das mulheres para tentar te vender alguma coisa, e eles ao final oferecem passeio no barco de totora, até a próxima ilha (S.10 por pessoa).
Depois você fica mais de uma hora no barco, até chegar a Ilha Taquiles, essa é uma ilha normal (não flutuante), é lindíssimo o lugar, fizemos uma caminhada até chegar ao restaurante onde seria servido o almoço. No local, ouvimos explicações quanto à cultura local, tecelagem, danças, costumes, eu amei tudo. O almoço era simples mas estava extremamente saboroso e temperado por uma paisagem única. Depois do almoço subimos ainda mais, para a Praça de Armas. No dia em que fomos toda comunidade estava lá reunida para refazer o calçamento da praça, foi super interessante observar aquela movimentação, de repente parece que você voltou no tempo, de tão primitivo que parece aquilo tudo, como se tivessem parado há uns 300 anos..
A viagem de volta leva quase 2 horas (no barco rápido), o dia estava lindo e fomos no teto do barco, curtindo o vento gelado no rosto e a paisagem.
Quando desembarcamos o guia pediu que nós o acompanhassemos, aí de novo aquela terceirização, saiu catando um táxi para nos levar de volta ao hotel, pegou qualquer um lá e pagou o cara na hora mesmo.
Voltamos para o hotel bem cansados.
No dia seguinte, 5/9, era dia de ir embora. Tinha pesquisado com alguns taxistas e o menor valor para sair do meu hotel e ir ao aeroporto de Juliaca seria S.70. Com o cara dessa agência que fechei o passeio das ilhas, seria S.52 para os dois. Como ele veio nos buscar com uma Van, perguntei se ele fazia o transfer para o aeroporto, ele disse que SIM, então pensei que ele vinha com a Van dele nos buscar, pegaria mais pessoas em outros hotéis e pronto, iríamos ao aeroporto, mas NÃO! Ele nos levou até o centro da cidade, chovia pra caramba, o trânsito que já é um caos estava pior ainda. Parou na frente de uma agência de transfer (de novo a terceirização), e ficou caçando outra Van para nos enfiar (sem ter me avisado que seria assim). Ai voltou falando que “os dois primeiros lugares estavam reservados para a gente”, isso resumindo: Eu e meu marido fomos do lado do motorista, com a cara do para-brisa, sem cinto de segurança, com uma pilha de malas na nossa cabeça, mala no teto, mala embaixo do banco, e outra pilha de peruanos atrás. O para brisas do negócio tava quebrado, coisa bem precária mesmo! E fora que atrasou tudo! Se eu soubesse que era essa porcaria preferia ter pago os S.70, sem dúvida, por isso NÃO RECOMENDO!
Chegamos correndo no aeroporto, que é super pequeno, estava com uma fila razoável para o despacho de bagagem. Aí vi uma mesa com policiais que estavam abrindo a mala de TODO MUNDO sem exceção! Deve ser pela proximidade com a Bolívia e tráfico de drogas, que eles tem esse cuidado. Minha mala já estava toda plastificada, eu estava atrasada, expliquei para o policial que era só roupa mesmo e tal, ele me deixou passar, mas o rapaz do balcão da Avianca foi falar com não sei quem e não sei mais quem e eu nervosa porque o tempo estava passando. Mandou eu assinar um termo que se tivesse alguma coisa de errado na minha mala ela seria confiscada e não me devolveriam. Olhei os itens proibidos e lembrei que tinha bateria da câmera do meu marido dentro da minha mala! Pedi um estilete para o policial, tive que dar um jeito de abrir a mala, tirei a droga da bateria, o policial me emprestou fita adesiva para eu conseguir fechar meu “embrulho” de novo e pronto! Conseguimos despachar as malas! A do meu marido não abrimos, era pequena e eles passariam pelo raio x, mas a minha (17 kg) não quiseram fazer isso. Eu nunca viajo com a mala desprotegida, porque sempre acaba destruída, eu sempre faço um embrulho com plástico que compro em casa de embalagens, porque sai só uns R$ 5,00, bem diferente dos R$ 40/R$ 50 que cobram nos aeroportos.
Bom mas depois dessa confusão, a fila para entrar na sala de embarque estava gigante, só 1 policial para conferir passaporte na entrada, quando conseguimos finalmente passar por isso tudo, estava quase encerrando o embarque! Uma correria! Concluindo, pague um taxi! Rsrsrs.
Chegamos em Lima antes das 14 hrs, nosso vôo só sairia as 23 hrs, pensamos em sair para dar uma volta em Lima, mas ao pedir informação descobrimos que seria 1 hora de táxi para chegar ao centro e mais 1 para voltar, então devido ao tempo de deslocamento e gastos, decidimos ficar no aeroporto mesmo. A dica aqui é, almoçar/jantar na praça de alimentação, que apesar de meio caro, ainda é muuuuito mais barato que na área de embarque. Almoçamos no Pardo’s Chicken. Pagamos S.59 para os dois um bom prato de comida. Nessa área do aeroporto mal tem onde sentar, então entramos logo na área de embarque. Nessa área há algumas lanchonetes cobrando preços absurdos, tipo U$D 7 um sanduíche. Só muito mais tarde, quase na hora de embarcar, fomos descobrir que era só andar para o outro lado, para a área de embarque nacional, que havia uma lanchonete ainda cobrando em soles, aí consegui um lanchinho para os dois com suco, por S.23, para acabar com todos os soles e não voltar com nada para o Brasil ::Ksimno::
E assim, depois de mais um vôo de 5 horas, desembarcamos em Porto Alegre, esperamos mais 4 horas para embarcar para Floripa e depois de mais de 24 hrs, chegamos de volta em casa! Muito cansados mas extremamente felizes com nossa aventura, apesar de alguns perrengues deu tudo certo e voltamos com 6 mil fotos e muita história para contar!
Quanto aos gastos, foram aproximadamente R$ 8.000 para todos os dias, contando já a parte que fiquei 1 dia em Porto Alegre, contando alimentação, R$ 800 de souvenirs (rsrsr) enfim, isso já inclui tudo tudo, dá para economizar em alguns pontos e você consegue fazer sair por muito menos!
De alimentação gastamos R$ 1.100
Editado pela última vez por saracdp em 24 Abr 2016, 23:36, em um total de 2 vezes.

#1122384 por saracdp
13 Set 2015, 21:33
Obrigada :) ainda estamos selecionando e tratando as imagens, afinal, 6 mil fotos rsrsrs, depois coloco alguma. Muito cuidado mesmo ao ir de carro para lá, ninguém respeita rótula, faixa de pedestres.. até em rodovias vi gente vindo pela contra mão na maior cara de pau, meu pai foi de carro em 2012 e apesar disso não teve problemas, só ter cuidado e atenção redobradas :)
#1122788 por felipe.araujo
14 Set 2015, 23:39
Sara,

Muito bom seu roteiro,adorei que colocou os custos de tudo,bem detalhado. Graças a seu roteiro complementei o meu, inclusive copiei várias dicas. Quando voltar farei mei relato seguindo suas dicas, obrigado por avisar do Soroche, sou alérgico também e entraria em uma roubada se não fosse por você.
#1122803 por saracdp
15 Set 2015, 00:54
felipe.araujo escreveu:Sara,

Muito bom seu roteiro,adorei que colocou os custos de tudo,bem detalhado. Graças a seu roteiro complementei o meu, inclusive copiei várias dicas. Quando voltar farei mei relato seguindo suas dicas, obrigado por avisar do Soroche, sou alérgico também e entraria em uma roubada se não fosse por você.


Oi Felipe :), fico feliz que tenha gostado, como eu disse, sou bem metódica, li exaustivamente vários blogs, mas algumas dessas informações não encontrei em nenhum lugar por isso quis comparilhar. Vai de mente aberta porque o Peru é meio confuso mas vale muuuuito a pena, nós nos surpreendemos com paisagens e história tão rica, é só ter um pouco de paciência e bastante Nisulid + Tylenol no bolso que vai dar tudo certo rsrsrs ::lol3::
#1124521 por micafurg
21 Set 2015, 22:18
Que rico relato!! Estamos indo no dia 02/10/15 e ficaremos 10 dias por lá. Adorei a sugestão foi motorista, mas somos um grupo de 5 adultos. Tu lembras de ter carros maiores, "tipo" doblô lá?
O custo médio de vcs foi 333,00/pessoa, certo? Essa é nossa grande preocupação agora, quanto e como levar! Vcs levaram o dinheiro em reais? Foi fácil cambiar
Só temos as passagens e as reservas de hotéis, então, toda a dica é bem vinda!
Obrigada!! Abração!
#1124522 por hlirajunior
21 Set 2015, 22:27
saracdp escreveu:Obrigada :) ainda estamos selecionando e tratando as imagens, afinal, 6 mil fotos rsrsrs, depois coloco alguma. Muito cuidado mesmo ao ir de carro para lá, ninguém respeita rótula, faixa de pedestres.. até em rodovias vi gente vindo pela contra mão na maior cara de pau, meu pai foi de carro em 2012 e apesar disso não teve problemas, só ter cuidado e atenção redobradas :)

O trânsito deve ser uma bagunça mesmo, vamos encarar rsrs :)
#1124802 por saracdp
22 Set 2015, 21:33
micafurg escreveu:Que rico relato!! Estamos indo no dia 02/10/15 e ficaremos 10 dias por lá. Adorei a sugestão foi motorista, mas somos um grupo de 5 adultos. Tu lembras de ter carros maiores, "tipo" doblô lá?
O custo médio de vcs foi 333,00/pessoa, certo? Essa é nossa grande preocupação agora, quanto e como levar! Vcs levaram o dinheiro em reais? Foi fácil cambiar
Só temos as passagens e as reservas de hotéis, então, toda a dica é bem vinda!
Obrigada!! Abração!


Olá! Tem sim, tem várias empresas de "transfer" tem taxistas com carros maiores, tem esquema de Van, aí você pode entrar em contato de repente até com aquela agência de Cusco que eu recomendo no relato, e ver qual esquema de transfer privado eles tem, para mais pessoas, pode ser que saia mais em conta rachando em mais gente. Recomendo mesmo fazer os passeios no esquema privado porque senão você não aproveita bem o lugar, e já que é um lugar mais lindo que o outro você ficaria frustrada de ter que sair correndo dos lugares. Nós gastamos R$ 8.000 para fazer tudo tudo que relatei aí, isso inclui até R$ 800,00 de souvenirs rsrsrs. Nós só levamos reais e trocamos lá na casa de câmbio LAC DOLLAR que é a mais confiável de Cusco, as notas vem carimbadas, tudo bem certinho e o câmbio estava legal, eu não arrisquei ir nas outras casas de câmbio que tinha em tudo quanto era lojinha ou beco, tem muitas mesmo, mas não quis arriscar e fui só nessa que é bem na Avenida do Sol, fácil de achar. Ha e por favor lembre de NAO TIRAR FOTOS COM AS MULHERES COM FILHOTES DE CABRITO, se você leu ai no meu relato, os bichinhos sofrem maus tratos, não vamos alimentar esse tipo de coisa. Qualquer coisa mais que puder ajudar, estou à disposição! Boa Viagem :)
#1124820 por isabel13
22 Set 2015, 22:28
saracdp escreveu: Nós só levamos reais e trocamos lá na casa de câmbio LAC DOLLAR que é a mais confiável de Cusco, as notas vem carimbadas, tudo bem certinho e o câmbio estava legal, eu não arrisquei ir nas outras casas de câmbio que tinha em tudo quanto era lojinha ou beco, tem muitas mesmo, mas não quis arriscar e fui só nessa que é bem na Avenida do Sol, fácil de achar.


Oi Sara,
Você lembra quanto estava a cotação do real pra soles? E por acaso você viu a cotação de dólares pra soles?

Obrigada!
#1124821 por Andre_Alves
22 Set 2015, 22:34
Belo (e engraçado) relato hahahahahahaha

Também comprei Machu Picchu Montaña, geralmente o pessoal compra Waynapicchu, acho que é o primeiro relato detalhado assim. Faltatam só as fotos, quando for colocar aqui, posta na Montaña que vai ser uma outra visão de Machu Picchu..

Queria umas dicas...

Vc recomenda pegar o minibus que horas para chegar em Machu Picchu às 7h?

E vc acha que devo subir primeiro a Montaña e depois conhecer Machu Picchu ou deixo a Montaña pra subir 11h?

Provavelmente eu voltarei pra Cusco no dia que fizer Machu Picchu e ainda volto de van pela hidroelétrica, tendo que estar lá 15h (não comprei trem pq achei muito caro e quero fazer a trilha da hidroelétrica até Águas Calientes). Então eu teria que estar no trem até a hidroelétrica umas 14h...
#1124830 por saracdp
22 Set 2015, 23:14
isabel13 escreveu:
saracdp escreveu: Nós só levamos reais e trocamos lá na casa de câmbio LAC DOLLAR que é a mais confiável de Cusco, as notas vem carimbadas, tudo bem certinho e o câmbio estava legal, eu não arrisquei ir nas outras casas de câmbio que tinha em tudo quanto era lojinha ou beco, tem muitas mesmo, mas não quis arriscar e fui só nessa que é bem na Avenida do Sol, fácil de achar.


Oi Sara,
Você lembra quanto estava a cotação do real pra soles? E por acaso você viu a cotação de dólares pra soles?

Obrigada!


Olá! Sim, nessa casa de câmbio (LAC DOLLAR), um dia estava 1 real = 85 centavos de soles, no outro dia já tinha caído para 82 centavos, mas é essa média. agora como o dólar esta um absurdo capaz da nossa moeda ter desvalorizado mais ainda perante o Soles.. Eu cheguei a trocar uns dólares que tinha comigo, estava 1 dólar = 3,25 soles aproximadamente
#1124833 por saracdp
22 Set 2015, 23:21
Andre_Alves escreveu:Belo (e engraçado) relato hahahahahahaha

Também comprei Machu Picchu Montaña, geralmente o pessoal compra Waynapicchu, acho que é o primeiro relato detalhado assim. Faltatam só as fotos, quando for colocar aqui, posta na Montaña que vai ser uma outra visão de Machu Picchu..

Queria umas dicas...

Vc recomenda pegar o minibus que horas para chegar em Machu Picchu às 7h?

E vc acha que devo subir primeiro a Montaña e depois conhecer Machu Picchu ou deixo a Montaña pra subir 11h?

Provavelmente eu voltarei pra Cusco no dia que fizer Machu Picchu e ainda volto de van pela hidroelétrica, tendo que estar lá 15h (não comprei trem pq achei muito caro e quero fazer a trilha da hidroelétrica até Águas Calientes). Então eu teria que estar no trem até a hidroelétrica umas 14h...


Oi André! A cada 10 minutos se não me engano sai o minibus para subir para MP, mas tem fila, e grande, então se você quer estar lá em cima as 7 hrs, é meia hora de subida, você tem que estar dentro do ônibus as 6:30, chegue na fila umas 5:30.
Sobre a Montaña, não sei qual seu preparo físico, mas a subida é pesadona meeeesmo. Eu sempre fiz muita trilha, tentei pegar pesado na academia antes de ir, mas meu marido ficou no meio do caminho e eu não aguentei subir tudo, mesmo o pessoal que estava acostumado , que encontrei por lá, estava levando duas horas para subir + 1,5 hrs para descer. Então você tem que ir primeiro lá, com todo gás. E vá o mais cedo possível, senão nao vai sobrar muito tempo para explorar MP, já que vc tem que ir embora as 14 hrs. MP é bem grande, muita coisa para explorar, eu fiquei lá das 6 às 16 hrs e achei poucos rsrsr. Abraços!
#1124844 por saracdp
23 Set 2015, 00:24
Andre_Alves escreveu:Belo (e engraçado) relato hahahahahahaha

Também comprei Machu Picchu Montaña, geralmente o pessoal compra Waynapicchu, acho que é o primeiro relato detalhado assim. Faltatam só as fotos, quando for colocar aqui, posta na Montaña que vai ser uma outra visão de Machu Picchu..

Queria umas dicas...

Vc recomenda pegar o minibus que horas para chegar em Machu Picchu às 7h?

E vc acha que devo subir primeiro a Montaña e depois conhecer Machu Picchu ou deixo a Montaña pra subir 11h?

Provavelmente eu voltarei pra Cusco no dia que fizer Machu Picchu e ainda volto de van pela hidroelétrica, tendo que estar lá 15h (não comprei trem pq achei muito caro e quero fazer a trilha da hidroelétrica até Águas Calientes). Então eu teria que estar no trem até a hidroelétrica umas 14h...


André, tem um pequeno vídeo aqui
https://www.youtube.com/watch?v=HfD06Z-Rows


Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 0 visitantes