Entrar na Argentina: documentos e requisitos

Se preparando pra viajar nos próximos dias para a Argentina? A data é ótima. Fevereiro é o último mês da alta temporada de verão no país. Você ainda encontrará temperaturas amenas e dias perfeitos para tirar muitas fotos na Patagônia. Buenos Aires estará a todo vapor, lotada com viajantes de todo o mundo.

As informações sobre os requisitos e recomendações de Entrada na Argentina contidas neste post, são atualizadas constantemente pela redação do Mochileiros.com: A ultima atualização foi em 30/01/2023 as 9h:47 .

Seguem abaixo dicas, recomendações e documentos necessários para viajar para a Argentina.

Documentos para Entrar na Argentina

Brasileiros à turismo não precisam de visto para entrar na Argentina, pois o país é um Estado Membro do Mercosul. Portanto, qualquer cidadão brasileiro pode entrar no país portando somente o RG. Porém, o RG deve estar em boas condições de conservação e com foto atual (pois caso o documento gere dúvidas, o agente de migração poderá solicitar passaporte, que precisa estar dentro do prazo de validade).

Desde de 1º de Setembro de 2022 não há mais restrições ou requisitos relacionados à pandemia de COVID-19. Portanto, vá na tranquilidade sem medo de nenhuma restrição relacionada a pandemia.

Recomendações para Viajar para a Argentina

  • Troque seu dinheiro no “cambio blue”: “Blue” é como é chamado o cambio paralelo na Argentina. Com ele você consegue o dobro do valor do oficial. Basta enviar seus reais online através da Western Union (ou qualquer serviço similar) e sacar os pesos argentinos em qualquer agencia da empresa em Buenos Aires. Mesmo com a nova taxa de cambio para turistas, implementada recentemente pelo governo argentino, o “cambio blue” segue sendo o mais vantajoso.
  • Não vá sem um Seguro Viagem
    A assistência médica na Argentina não é gratuita para turistas e os hospitais públicos que atendem casos de emergência não vivem seus melhores dias por conta da crise. Portanto, contratar um seguro viagem é altamente recomendado. Além do mais, o seguro é muito barato e uma cobertura de 15 dias de viagem por exemplo, custa a partir de R$ 120. Muito mais barato que uma consulta ou um procedimento simples em qualquer hospital ou clinica particular no país.

Como contratar um Seguro Viagem com desconto?

O ideal é usar um comparador de planos de seguro viagem, pois em um mesmo lugar você irá encontrar informações de diversas seguradoras simultaneamente.

Fizemos uma pesquisa em todos as plataformas disponíveis no mercado brasileiro e encontramos preços mais baixos e mais opções de planos e seguradoras no comparador Seguros Promo, portanto iremos usá-lo como exemplo.

Entre no site deles (aqui) e logo após abrir a janela, clique no botão “Aplicar Cupom de Desconto” para garantir o menor preço. Depois escolha o destino (no caso, América do Sul), as datas de embarque e desembarque no Brasil; preencha os campos com seu nome, e-mail e número de telefone celular e depois clique no botão “pesquisar seguro viagem”.

Assim que abrir a lista com os planos disponíveis, você irá encontrar 2 filtros selecionáveis. Selecione apenas o segundo (à direita) a opção “Menor Preço” como mostra a imagem abaixo:

Abaixo seguem os seguros mais contratados de 2023 por viajantes brasileiros com destino à Argentina, segundo dados fornecidos gentilmente pelo comparador Seguros Promo.:

Seguro Viagem Argentina mais barato

Affinity 15 , da seguradora Affinity é o seguro de viagem mais barato para quem está seguindo rumo à Argentina. Se você está procurando um seguro baratinho, esta é a melhor opção. Sai por R$ 6,90 por dia de viagem.

Affinity 15

Custo de R$ 6,90 por dia de viagem (aplicando Cupom de Desconto)

Oferece cobertura total de US$ 15.000 para Despesas Médicas Hospitalares e US$ 1.000 para casos de extravio de bagagem. Também inclui cobertura de US$ 15.000 para regresso sanitário (para outras doenças) e até US$ 400 para convalescença em hotel.

Seguro viagem Argentina mais barato com cobertura COVID-19

MTA 15 Am. Latina+COVID-19, da seguradora My Travel Assist é o plano de seguro viagem Argentina com cobertura COVID-19 mais barato.

MTA 15 Am. Latina +COVID-19

Custo de R$ 7,40 por dia de viagem (aplicando Cupom de Desconto)

Oferece cobertura total de US$ 15.000 para Despesas Médicas Hospitalares; cobertura de US$ 10.000 para COVID-19 e US$ 400 para casos de extravio de bagagem. Também inclui cobertura de US$ 15.000 para regresso sanitário (para outras doenças) e até US$ 400 para convalescença em hotel (para outras doenças).

Seguro Viagem Argentina mais barato da Assist Card

AC 35 Mundo

AC 35 MUNDO é a opção mais barata da Assist Card, seguradora bastante utilizada por viajantes brasileiros e com reputação “Ótimo” no site Reclame Aqui.

Custo de R$ 19,32 por dia de viagem (aplicando Cupom de Desconto

Oferece cobertura de US$ 35.000 para Despesas Médicas Hospitalares e US$ 1.200 para casos de extravio de bagagem e outras coberturas para diversas situações.

Notas:  Os preço citados podem variar para mais ou para menos dependendo da cotação do dólar .

Como aplicar o Cupom de Desconto

Primeiro clique aqui para ativar o cupom e espere abrir o site da Seguros Promo em uma nova janela. Assim que carregar o site, clique no botão “Pegar Cupom de Desconto” que você já irá garantir 15% de desconto. (Muita gente faz a cotação e esquece de aplicar o cupom e assim acaba pagando 15% a mais no seguro.) Preencha o formulário: No campo “destinos” escolha América do Sul, coloque as datas de início e fim de sua viagem, seu nome, e-mail e telefone. Escolha um dos planos sugeridos acima ou outro de sua preferência. Pague com boleto ou pix e garanta mais 5% de desconto. Fazendo isso você garante no mínimo 20% de desconto.

Documentos para viajar de carro pela Argentina

Além dos documentos exigidos mencionados neste post, se você fará uma viagem de carro pela Argentina, ou em outro veículo particular como motorhome ou moto deverá carregar com você também:

  • CNH (Carteira Nacional de Habilitação) dentro da validade, emitida no Brasil.
  • O original do Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV). Se o veículo não estiver no nome de quem vai dirigir, o proprietário precisa assinar uma autorização e registrá-la em cartório.
  • Seguro Carta Verde. Seguro automotivo obrigatório para rodar na Argentina, Uruguai e Paraguai (e também no Brasil, para estrangeiros).

Neste link você encontra a lista de fronteiras/vias de entrada e saída em funcionamento na Argentina.

Entrar na Argentina: Perguntas Frequentes

Brasileiros já podem entrar na Argentina?

Sim. Desde 1º de novembro de 2021 viajantes brasileiros já podem novamente entrar na Argentina.

O que preciso para entrar na Argentina?

RG em boas condições ou passaporte válido.

Precisa de passaporte para entrar na Argentina?

Não. Você pode entrar na Argentina apenas com seu RG, porém ele precisa estar em boas condições e a foto não pode gerar dúvidas nos agentes de migração, caso contrário será solicitado o passaporte (que deve estar válido).

Preciso apresentar o certificado de vacinação para entrar na Argentina?

Não. Desde o dia 07/04/2022 o certificado de vacinação para COVID-19 não é mais uma exigência para entrar na Argentina

Preciso de visto para entrar na Argentina?

Não. A Argentina é um Estado Membro do Mercosul e por este motivo, brasileiros à turismo não precisam de visto e podem entrar no país portando somente o RG.

Preciso fazer exame PCR para entrar na argentina?

Não. Desde o dia 07/04/2022 não é mais necessário fazer o exame PCR para entrar no país vizinho.

Precisa de declaração jurada para entrar na Argentina?

Não. Desde o dia 26/08/2022, todas as exigências relacionadas à pandemia de COVID-19 deixaram de ser requisito, incluindo a declaração jurada.

Vai viajar por outros países da América do Sul? Então confira como entrar no Chile, Bolívia e Uruguai.


A foto que ilustra o post é de autoria do fotógrafo Andrea Leopardi / Unsplash

6 comentários em “Entrar na Argentina: documentos e requisitos”

  1. Olá,

    Excelente conteúdo!

    Em relação ao CRLV do veículo que você cita ser necessário o original, tenho apenas a versão digital disponibilizada pelos aplicativos de celulares, que pode ser impresso, mas não é aquela impressão em papel padrão que já não é mais fornecida (ou que eu não recebi). A apresentação deste documento por celular (ou a versão impressa em papel comum) pode gerar algum problema ou tem sido aceito sem problemas na Argentina?

    Obrigado

    Responder
    • Oi Edson!
      Se for um documento emitido por um instituto de identificação de uma unidade da federação e que você digitaliza através de algum aplicativo de órgão oficial, acredito que pode.
      Se você está falando do “novo RG”, cujos institutos de identificação têm até março de 2023 para se adequar e iniciar a emissão? Apesar de novíssimo é um documento oficial também emitido por uma unidade da federação (brasileira), portanto aceito; agora se for uma versão digitalizada do “atual RG” (um arquivo .pdf, por exemplo) não pode; tem que ser o original.

      Na página 4 deste link e também neste, você confere os documentos considerados “documentos de viagem” por cada país do Mercosul e estados associados.

      Abraço e boa viagem!
      Claudia.

      OBS: Caso você se sinta mais tranquilo sobre a aceitação do documento digital, sugiro que contate a migração argentina para tirar essa dúvida. A página de contato deles é a https://www.migraciones.gov.ar/contacto/

      Responder
    • Olá Vinicius, pra rodar somente na região de fronteira, Puerto Iguazú por exemplo, é possível entrar com a CNH ou CNH digital, mas para dar entrada e viajar pelo país você precisa do RG (em bom estado de conservação) ou passaporte, pois são estes os documentos que foram considerados “Documentos de Viagem” no acordo do Mercosul. Nós sempre recomendamos aqui que caso você não tenha uma RG em bom estado de conservação, que leve também o passaporte (válido) pra evitar problemas com os agentes de imigração.

      No site do Portal Consular há um texto citando estes problemas. Vou replicar o texto abaixo:

      Acordo do MERCOSUL sobre documentos de viagem

      Como membro do MERCOSUL, a Argentina permite a entrada de cidadãos brasileiros em seu território portando documento de identidade civil, sem necessidade de passaporte. A questão da entrada em território argentino com RG emitido há mais de dez anos é objeto de múltiplas consultas ao Consulado. A exigência de RG emitido há menos de dez anos não consta do Acordo do MERCOSUL sobre documentos de viagem. Nos termos do Acordo, o RG brasileiro expedido pelas instituições competentes não tem prazo de validade e é documento hábil para entrada na Argentina. É necessário, no entanto, que o RG esteja 1) em bom estado de conservação e 2) com foto que permita identificar claramente o titular.

      Ainda nos termos do Acordo do MERCOSUL sobre documentos de viagem, se houver alguma dúvida sobre a identificação do portador (RG com foto antiga), o agente da imigração poderá solicitar outro documento com foto para esclarecer a identidade (art. 1º – “Caso a fotografia gere dúvidas sobre a identidade do portador do documento, poderá ser solicitado outro documento efetivo para sanar tal circunstância.”) É possível, caso o RG esteja com foto desatualizada mas em bom estado de conservação, argumentar que o procedimento previsto no Acordo do MERCOSUL sobre Documentos de Viagem autoriza o esclarecimento da identidade do viajante com base em outro documento com foto. Mas tal possibilidade será aplicada ou não a critério do agente migratório. Assim sendo, caso o RG conte com foto muito desatualizada, recomenda-se que cidadãos brasileiros solicitem novo documento de viagem (RG ou passaporte) a fim de evitar dissabores.

      Não são aceitos como documento de viagem : Certidão de Nascimento (mesmo para recém nascidos ou para menores de idade) e qualquer outro documento, mesmo aqueles que tenham aceitação como documento de identidade no Brasil, como Carteira Nacional de Habilitação, carteira de identidade de associações profissionais, de Ministérios, inclusive militares, ou emitidos pelos poderes Executivo, Legislativo ou Judiciário da União e dos Estados.

      Responder

Deixe um comentário