Pontos mochileiros em ‘Amor à vida’ acabaram antes de começar (Ufa!)

Pontos mochileiros em ‘Amor à vida’ acabaram antes de começar (Ufa!)


Opinião
Cenários conhecidos dos viajantes e o discurso de liberdade que ronda o universo mochileiro fizeram parte do primeiro capítulo da novela ‘Amor à Vida’, exibido ontem (20) pela Rede Globo de Televisão.
Quem assistiu ao primeiro bloco pôde conferir imagens de um dos destinos mais belos e visitados da América do Sul: Machu Picchu. Estradas, caronas, o povo andino, um pouquinho de Cusco e Bolívia e os conhecidos ônibus que circulam nos Andes renderam belíssimas imagens à novela que neste primeiro momento mostrou uma das melhores fotografias já vistas em teledramaturgia.
Antes da estreia alguns veículos noticiaram que a novela contaria com um personagem mochileiro, Ninho, interpretado pelo ator Juliano Cazarré. Peru e Bolívia, sem dúvida destinos autenticamente mochileiros (80% do turismo boliviano por exemplo, é de mochileiros de acordo com dados do governo local) também fariam parte da trama.
Pois é, tudo isso apareceu, mas ao que tudo indica, o ‘tom mochileiro’ fez parte somente do começo do primeiro bloco do episódio, servindo apenas de ponta pé inicial para a história que se passará toda em São Paulo. Mais uma vez bom trabalho de fotografia.

Bem, pouquíssimos momentos de algo mochileiro na novela. Agradecemos o bom senso do autor Walcyr Carrasco, que não levou a diante mais uns sem número de estereótipos equivocados – com o episódio ele já contribuiu com um dos estereótipos que associam mochileiros a hippies modernos.

Ok, não é tão fácil contar uma história e novela é ficção. Equivocado está aquele que espera proximidade com o ‘real’ numa obra para televisão.

Quem não assistiu ou quer mais informações sobre ‘Amor à vida’ pode acessar o site oficial da trama http://tvg.globo.com/novelas/amor-a-vida/index.html

A abertura

A abertura da novela (no ‘mute’ – risos) merece parabéns: os bailarinhos traçados na animação de Ryan Woodward hipnotizam.

Confira um dos vídeos do artista.

No http://ryanwoodwardart.com/ outros trabalhos incríveis.

Na foto que abre o post, o ator Juliano Cazarré já caracterizado como Ninho, caminha pelas ruínas de Machu Picchu | Foto: TVG/Divulgação.

Confira algumas imagens gravadas no Peru e na Bolívia divulgadas pela TVG:

[justified_image_grid preset=3 link_title_field=title img_alt_field=caption title_field=title caption_field=caption lightbox=prettyphoto]

E você, o que achou dos pontos ‘mochileiros’ de Amor à vida?


15 comentários sobre “Pontos mochileiros em ‘Amor à vida’ acabaram antes de começar (Ufa!)

  1. Tirando o cenário que é lindo, ontem postei minha opinião em minha página compartilho aqui também:

    Total repúdio a Rede Globo, que mais uma vez cospe na cara the população, com mais uma novela idiota! A novela começa trazendo ódio, rancor, interesses, conflitos familiares, preconceito, etc… até aí nada de novo, o que me causa revolta e a suposta imagem de um viajante mochileiro que foi apresentado como "Ninho", induzindo a população a associar um mochileiro ao tráfico de drogas, bebedeiras, agressividade, "sujeira" (como foi dito), etc e também associar países lindos e maravilhosos como Peru e Bolívia a produção de drogas (isso me cheira politicagem)… A única coisa que posso fazer é repudiar esta rede de Tv e sua novela imbecil e sugerir a todos, desliguem isso e vão ler um livro…

  2. Somente mais do mesmo…
    Personagens de novelas se constroem sobre estereótipos para fácil identificação e assimilação do público que consome este tipo de dramaturgia.
    Isto também depende do nível de conhecimento que o autor tem sobre o universo do personagem, the empatia, ou interesses. E aqui cabe dois tipos de interesses, a falta de interesse em elaborar um personagem autentico e profundo ou atender o interesse de alguém ou um grupo elaborando uma caricatura de comportamento que destoe do que os interessados julgam como padrão adequado de conduta.
    Mesmo obras literárias quando transpostas para tele-novelas personagens complexos perdem parte de sua densidade para se adaptarem a uma linguagem que busca dialogar com “o grande público”.

  3. Eu vi! Fiz questão de assistir ontem (apesar de não continuar acompanhando por causa do trabalho). Achei a fotografia lindíssima! Belas imagens que me fizeram suspirar de saudades! Acho que só quem esteve nesses lugares consegue sentir isso! Quanto à novela em si: nem quero entrar no mérito the "imagem" que o autor construiu sobre os mochileiros, que na minha opinião ficou mais parecido com hippies e até com traficante (ao final do capítulo). Fui só eu que tive esse sensação ou parecia que o Ninho e seus amigos estavam fazendo um verdadeiro "acampamento" em Machu Picchu? Com direito a mochilas, cangas pelo chão, etc… Se eu bem me lembro, nem com as mochilas podíamos entrar na área do parque…. Bem, de resto não tenho como comentar porque não vou assistir mais…

Deixe um comentário

Log in

Esqueceu a senha?

Forgot your password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

Fechar
de

Enviando Arquivo…