Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Relatos de Viagem

Mostrando tópicos com tag 'Relato' e postado nos últimos 365 dias.

Atualizada automaticamente     

  1. Hoje
  2. mcm

    Feriado em Canoa Quebrada

    Feriado de 7 de Setembro + promoção para Fortaleza = não recusar. Eram 3 dias, e algumas áreas ainda estavam por explorar. Ubajara era uma delas, Canoa Quebrada era outra. Desde que fomos a Jericoacoara pelo litoral que fiquei na memória que voltaria a Mundaú. No fim das contas, elegemos Canoa Quebrada para o feriado relax de 3 dias. Chegamos em Fortaleza na quinta de noite, apenas para dormir num hotel econômico e partir logo cedo na manhã seguinte. A estrada para Canoa Quebrada está muito boa para os padrões nacionais. E com muitos radares, dentro dos padrões nacionais. Pegamos algum trânsito no caminho (saída de feriado!), mas fomos numa boa. No planejamento eu identifiquei um lugar um pouco antes de Canoa que era encontro de rio com mar. Adoro locais com foz de rio, e esse parecia valer a pena conhecer. Trata-se de Fortim. Foi nossa primeira parada. Chegamos com a maré ainda baixa, mas já crescendo. Curtimos o resto da manhã e o começo da tarde naquele cantinho bacana. Fomos caminhando até perto da foz, passamos por uma pousada isolada à beira-rio, perto do mar, dedicada a esportes de vento. Bem bacana. Local ótimo para quem pratica. Antes de seguirmos para Canoa, ainda entramos mais na cidade para conhecer o Pontal de Maceió, onde já é praia de mar. Apenas conferimos, não era ideia ficar lá. Chegamos em Canoa, largamos o carro na pousada (e só pegamos para ir embora) e fomos conhecer... as falésias! Descemos para a praia, vimos as várias e sucessivas barracas de praia instaladas num patamar mais elevado para “sobreviver” à maré alta. A maré estava alta. Vimos no alto uma passarela que, presumo, enseja um belo visual da área. Mas... está interditada. Visivelmente deteriorada. Enfim, aquele Brasil de sempre. Curtimos o logo de Canoa Quebrada na falésia (tem outro num ponto mais distante) praticamente sozinhos (um raro momento naquele feriado!) e fomos curtir o pôr do sol no Restaurante O Nain, que foi nosso ponto de fim de tarde, em todas as tardes. Das melhores lembranças que tenho desse feriado é o visual do gramado e o mar ao fundo com cervejinha ou água de côco no Restaurante O Nain. Voltamos, piscinamos um pouco, e fomos jantar e bater perna no centrinho, a famosa Broadway. É bem bacana, com diversas opções de restaurantes, lojinhas, bares, showzinhos, etc. Dia seguinte foi dia do tradicional passeio de buggy. Fomos andando até o centrinho, pouco antes da Broadway tem o ponto dos buggys. Preço e roteiro são tabelados, então nos descolamos de ficar pesquisando. Passeio para Ponta Grossa custa 350 por buggy. Eu queria esticar até a Praia Redonda, mas não rolava por causa da maré. Ok, então. O passeio dura pouco, umas 3 ou 4 horas, e proporciona belíssimos visuais. Extraordinários mesmo. Pelo caminho vc vê falésias (claro!), para na Garganta do Diabo (onde tem uma fonte de água, mas o que mais curti lá foi o visual), apenas passa pela Lagoa do Mato, passa num mirante estonteante, e segue até Ponta Grossa. Lá há uma parada geral dos buggys, e é onde vc pode curtir o mar (rola um snorkel), ou tentar subir as dunas. Depois de um tempo lá, é hora de voltar. De tarde ficamos de relax na praia, vendo a maré engolir a areia e a área dos banhistas. Tinha a dica da barraca Lazy, mas tava lotada. Ficamos onde havia lugar, até que o mar chegou e acabou com a festa. Galera sobe para as barracas, que ficam lotadas (era feriado!) com a maré alta. Nós fomos para o nosso O Nain, novamente curtir aquela vibe de fim de tarde com visual, paz e cerveja. Nesse dia ainda fomos curtir um voo de parapente (270 para 2 pessoas), que curtimos demais. Eu não voava em algo parecido havia 20 anos (tinha voado de asa delta algumas vezes). Maior paz, maior tranquilidade. E maior visual. Recomendo muito. É outra coisa que levarei na memória durante muito tempo, espero. Ainda deu tempo de curtir o por do sol na duna, delicioso programa tradicional de fim de tarde por lá (vá a pé!). De resto, seguimos o roteiro Broadway, piscina, Broadway de novo. Tava mais cheio nesse dia. No último dia, fomos fazer uma caminhada pela praia seguindo para leste. Passamos pelo outro logo de Canoa Quebrada. Ainda fui até a praia seguinte, Majorlândia, depois voltei. É um longo trajeto, acho que de 1h, entre uma praia habitada e outra. Galera voltou antes e estacionou numa barraca de praia mais tranquila, um pouco distante do burburinho. Curtimos a praia na maré baixa e novamente ficamos curtindo a maré crescendo e tomando a areia. Galera de kyte, de surf. De tarde batemos nosso ponto no O Nain (lembrei-me do Bar Utopia, de Luang Prabang, achei a vibe semelhante). Só no relax com o mar à frente. E o gramado mega aconchegante de lá. Voltamos para Fortaleza de noite. Pernoitaríamos perto do aeroporto para embarcar de madrugada de volta ao Rio – dia seguinte já era novamente dia de trabalho! E assim foi mais um feriado desbravando algum canto do Brasil. [Todas as fotos são do Instagram da Katia]
  3. Anteriormente
  4. Marcus Martins

    IBITIPOCA - set2018

    Já a algum tempo Ibitipoca, distrito do município de Lima Duarte, estava entre os destinos que eu tinha como prioridade para fazer uma visita, ou melhor, para conhecer o lugar e ver se era tudo aquilo que falavam em relação as belezas naturais do lugar. Estava focado nas trilhas do Parque Estadual do Ibitipoca. Após fazer uma pesquisa sobre as pousadas, resolvi ficar na Pousada das Bromélias (R$150 com bom café da manhã), que é a que fica mais próxima da entrada do parque, cerca de 10min caminhando. Então no dia 28set18 saí de casa, do bairro de Realengo RJ, às 06:00h, após tomar um farto café da manhã, pois pretendia chegar a pousada e de imediato seguir para o parque para fazer dois dos três circuitos.Eu faria o Circuito das Águas e o Pico do Pião, que eram os menores, e no dia seguinte faria a Janela do Céu, que é uma trilha maior que as outras duas. Eu disse que faria e fiz, mas, alguns contratempos atrapalharam e dificultaram um pouco. Como disse anteriormente, saí de casa às 06:00h e peguei a BR 040 (RJ/BH), paguei três pedágios de R$12:40, segui até a placa que indica "Lima Duarte, Caxambu,São Lourenço", cerca de 200km de onde saí. Como indicado na placa dobra-se a esquerda pegando a mesma BR voltando, mas logo a uns 200m a frente vira a direita na BR 267, que apesar de ser uma rodovia de mão dupla, é muito bem conservada e sem pagamento de pedágio. Cerca de 50km depois cheguei na cidade de Lima Duarte. Cidade pequena e com várias placas indicando o caminho para Ibitipoca. A estradinha de 27km estava em boas condições, tendo uma parte sem asfalto e outro trecho com lajotas. Cheguei ao centro da Vila de Ibitipoca, que resume-se a uma rua com cerca de 200m onde fica todo o comércio do local, ou seja, barzinhos, restaurantes, padaria, mercado, etc. Três km a frente fica a entrada do parque. Cheguei pouco antes de 11:00h, fiz o check-in e pretendia fazer um lanche na própria pousada e partir de imediato para o parque. O primeiro problema: a pousada não serve refeições e nem lanches. Sem problemas. Lembrei que no interior do parque tem um restaurante e resolvi que lancharia lá. Este foi o segundo problema. Ao comprar o ingresso (R$20,00) o porteiro informou que o restaurante estava sem funcionar a algum tempo com problemas de licitação. Outro fato que me chamou a atenção foi quando pedi um mapa no Centro de Visitantes, com o roteiro das trilhas, e o atendente falou que não tinha, que tinha acabado e não foi reposto. Este atendente foi muito solícito comigo, tentando me explicar em um mapa na parede o roteiro que eu faria. Cheguei a conclusão que o parque, assim como outras coisas públicas, encontra-se sem recursos para manutenção. Resumo: estava sem lanches e somente com o café da manhã. Mas, como gosto de desafios, resolvi fazer o Circuito das Águas e ver minhas condições físicas para fazer o Pico do Pião, que é uma trilha bem mais puxada em subidas e mais longa. Estava levando somente uma garrafa de 1,5l de água. Como as atrações do Circuito das Águas são bem próximas umas das outras, ainda eram 13:00h, e eu estava empolgado, falei; "_ Nada como um bom desafio, vou subir o Pico do Pião." Subi. Não me arrependi, mas também não é tão legal como eu imaginava. É um local sem muitos atrativos, com muitas subidas bem íngremes, sendo os principais atrativos a ruína de uma capela e a visão 360º. Quando estava chegando lá, comecei a sentir os efeitos da falta de alimentação e fiz a última subida na raça. Fiquei no cume uns 15min tirando fotos e descansando. Como para descer dizem que "todo santo ajuda", pode até ajudar mas meus joelhos dizem que não, rsrsrs, cheguei a portaria sem maiores problemas por volta das 16:30h. Como a pousada fica bem próximo ao parque, cheguei rapidamente, assim como rapidamente tomei um banho, peguei o carro e fui para o centro (3km) para almoçar, estava morrendo de fome. Tem algumas opções, mas escolhi o lugar onde você se serve a quantidade desejada, com direito a dois pedaços de carnes (frango, peixe, carré), ao preço de R$18,00. Comi como se fosse um rei. Boa comida com preço honesto. Passei no mercadinho e comprei uns petiscos para comer a noite na pousada, bem como água para a trilha do dia seguinte. Não consegui dormir muito bem como de costume, apesar do conforto da cama, mas deu para descansar bastante. Acordei cedo, tomei um bom café da manhã na pousada, com bastante variedades, e segui para o parque, que abre as 07:00h. Minha missão era fazer a trilha da Janela do Céu, cerca de 15km ida e volta. A temperatura estava agradável, levei meu 1,5l de água, e o sol sumia constantemente entre as nuvens. Na primeira metade do percurso é só subida, com alguns atrativos (cruzeiro, grutas), depois tem uma descida acentuada constante, que logicamente vai se transformar em subida na volta. Fiz esta trilha calmamente e antes das 10:00h já estava na Janela do Céu. Lugar lindo. Transmite uma paz inimaginável. Deve ser porque eu estava lá sozinho, só escutando o barulho das águas e o canto dos pássaros. Deu para refletir muito sobre como faz bem você estar num lugar desses, curtindo a simplicidade e beleza da natureza em contraponto as pessoas, que cada vez mais, e por mais tempo, se colocam na frente de um computador, sem nem pensar em interagir com a natureza. Após a Janela do Céu você não pode deixar de seguir um pouco mais a frente e encontrar a Cachoeirinha. Vale muito a pena. Passei um tempo na cachoeira e depois dei início a volta. Agora o sol estava inclemente. Como abasteci minha garrafa de água na cachoeira, a volta foi tranquila. Na volta foi que encontrei alguns casais que estavam indo para lá. Cheguei na pousada perto das 13:00h. A tarde fui ao centro para almoçar, comprei o tradicional pão de canela da região, que várias residências vendem e voltei para pousada. No dia seguinte após o café da manhã, fiz meu check-out e segui rumo a Teresópolis onde faria as trilhas baixas do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, mas isso é outra história...
  5. Visitei Foz do Iguaçu e sinto saudades da cidade. Você consegue conhecer muita coisa andando de ônibus mesmo e qualquer dúvida um morador da cidade está disposto a te ajudar, eu adorei. Me hospedei no Tarobá Hotel (https://hoteltarobafoz.com.br/) quando fui e aprovo os serviços ofertados. Quando visitei a Argentina optei pelo transfer de uma agência que fica dentro do próprio hotel, a Combo Iguassu (http://comboiguassu.com.br).
  6. Muito bom seu relato! E para ficar tranquilo, passei exatamente a mesma coisa que vc na imigração quando fui de El Al. Com direito a salinha antes e depois. Finalizando com enjoy! KKK Fiquei até mais tranquila agora, pois na época achei que era pessoal! Deus abençoe!
  7. Relato bombante, parabéns, Zervelis! Vou fazer um roteiro parecido em novembro-dezembro/2018, só que invertido: Auckland, Rotorua, Sydney, Gold Coast e Melbourne. Ainda terei alguns dias de sobra. Talvez eu coloque Perth no roteiro. Dúvidas: _Quantos dias ficar em Rotorua? _3 dias inteiros em Sydney são suficientes? _Gostou de Auckland? Um dia inteiro é suficiente? Obrigada!
  8. Obrigada pelas informações! Ja li e pesquisei muito. Queria voltar por uma estrada diferente. Até pensei em ir de Uyuni a San Pedro de Atacama, mas como nós já conhecemos, então desisti. Depois de ler o seu relato, quanto ao retorno de Uyuni, desisti de voltar por ai. Acredito que em dois anos não devem ter melhorado a estrada. Vou no que é mais certo, apesar de ficar com um pé atras e não ter tanta confiança de andar pela Bolivia, vou encarar a ida e volta por ela. Abraços e obrigada!
  9. mamarialmeida

    relato FOZ DO IGUAÇU (Viagem rapidinha - trip de mochilão....)

    Foz do iguaçu é uma cidade incrível né? Eu sinto saudades. Quando fui pra lá fiz alguns passeios por conta própria de ônibus que tem um ótimo acesso na cidade e outro fiz por uma agência de turismo, a Combo Iguassu (http://www.comboiguassu.com.br/) que tem um ótimo serviço e a forma de pagamento é bacana! Por questão de comodidade escolhi ficar hospedada em um hotel, escolhi um bem no centro da cidade o que possibilitava conhecer tudo em todos os lados da cidade e não ficava presa na Av. das Cataratas, eu fiquei hospedada no Tarobá Hotel (https://www.hoteltarobafoz.com.br/).
  10. kely.alves

    relato 3 Dias no Recife

    Muito obrigada pelo seu relato. Infelizmente aqui há muito pouco sobre o centro históricos e museus da região. Já ajuda a ter bastante ideia, já que irei em Outubro.
  11. @sergiofoz, Sensacional a sua viagem e o seu relato! Parabéns e obrigado por compartilhar, especialmente com tantos detalhes das condições das estradas e dicas úteis. Eu sou de Medianeira, quase vizinho seu aí em Foz, mas hoje estou morando no interior de SP. Não sou motociclista mas sempre viajei muito de carro. Já fui para o Acre saindo aí do oeste do Paraná e recentemente fiz minha primeira viagem longa fora do país, passando pelo Atacama, costa chilena, Santiago e Mendoza (pode ver meu relato conforme link da assinatura, se tiver curiosidade). Da mesma que você, já voltei dessa viagem pensando na próxima, e foi aí que me deparei com seu relato, pois sonho em percorrer uma parte da Carretera Austral e exatamente as mesmas atrações que você: El Chalten, El Calafate e Ushuaia, com o adicional ainda de querer parar ainda na Peninsula Valdez, região de Puerto Madryn (que você passou reto, de acordo com o relato). Aliás, a única parte que não entendi muito bem foi quando você diz que desistiu e decidiu voltar. OK, acabou ficando pouco em Ushuaia, mas ainda aproveitou bastante o caminho de volta, parando em El Chalten e El Calafate, etc... poderia comentar melhor sobre isso? Do que exatamente você desistiu ou abriu mão além do TDP que estava com as queimadas? Parabéns mais uma vez e um abraço!
  12. Flaviosorocaba603

    relato Kotor: A encantadora cidade medieval de Montenegro

    Amei o relato. Estou em Kotor e a muralha eu fiz ontem no final da tarde pois está muito quente aqui. E as fotos ficam incríveis no verão. Valeu pela dica de Budva e Sveti Stefan. Top !!!!
  13. Naomi, mesmo que seu relato seja antigo as informações atuais ainda não desatualizaram tanto assim quanto ao que você postou há alguns anos atrás. Estou aqui para agradecer sua imensa ajuda nessa publicação com conteúdo bem sucinto de informações com dicas objetivas e simples. Com suas informações já elaborei Guarda do Embaú e Garopaba e agora só falta a Praia do Rosa para terminar e passar meu Reveillón nessa belíssima região regada a muita praia e verde de todos os lados. Obrigado por compartilhar conosco, foi de extrema ajuda tudo o que escreveu e relatou.
  14. Danilo De Barros Fonseca

    relato DE SÃO PAULO A SANTIAGO DE CARRO. JULHO 2017

    Quero fazer essa viagem em Outubro... não chegou a cogitar uma para em BELLA union, no uruguai ?
  15. yuri oliveira durant

    relato Chapada dos Veadeiros - 7 dias

    no caso eu vou sair sexta de madrugada pra chegar la umas 5 ou 6 da manha. ponto que pra mim é indispensável é o mirante da janela , depois disso o resto ainda preciso escolher bem. tenho 3 dias completos pra explorar o máximo. mas agradeço a boa sugestão ...
  16. Stephanie Siqueira

    relato Porto Seguro - Bahia - com fotos - Abril 2014

    @Fla_Fla Oi, seu relato foi 10!!! Voce poderia me informar em qual agencia de viajem voce fechou os passeio???
  17. Por favor, eu quero fazer essa trilha com meus filhos (7 e 9 anos). Fizemos esse ano o pico da onça em S F Xavier e eles foram super bem. Dá pra fazer eu sozinha com eles, se levar água, um lanche, etc? Outra pergunta, tem camping estruturado pra acampar por ali ou na cidade? Queria fazer o pico em um dia e a cachoeira no outro. Obrigada.
  18. alexandresfcpg

    Tailandia + Frankfurt + Xangai 18 dias. (fotos)

    Ah tá, entendi errado. Na ida serão 1h15 em Frankfurt e em Shenzhen (e não Pequim) será de 3h.
  19. Sandra Regina m. Bittar

    relato Minha Viagem a Israel

    Pretendo voltar em israel, só que agora sozinha,o que vc aconselha que devo fazer.
  20. Olá Bruna, bom dia! Adorei o seu relato! Vai ajudar muito, estou indo para Salvador na próxima semana! Em que local você pegou o ônibus na Praia do Forte de volta para Salvador? Você sabe quais são os horários de volta? Obrigado!
  21. Realmente viajar fora do turismo convencional é muito melhor. Muito bacana teu relato, faz o leitor viajar junto com vc, parabéns.
  22. Jucelio Paez Landim

    São José do Rio Preto-SP para Bolívia e Peru...(Junho-2018)

    Obrigado valeu.
  23. Letícia, você é minha heroina!! Obrigada por compartilhar sua viagem!!
  24. Paula Yassuda

    relato 9 dias no Peru (Cusco / Puno / Machu Picchu)

    Oi Millena, tenho sim! Envia um e-mail no [email protected] que eu te encaminho ela.
  25. Quem me dera ter amigos assim. Me empresta elas kkkk Parabéns pela viagem. [emoji1376]
  26. tecmonroe

    relato Belém e Lençóis - Julho 2018 - Fotos

    @Adeilsonn Quanto saiu o passeio para AtiNS?
  1. Mais Resultados
×