Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Conteúdo Novo

Mostrando todo conteúdo postado nos últimos 365 dias.

Atualizada automaticamente     

  1. Recentemente
  2. Ola, meu nome e Fabiano, eu estou na estrada a uns 7 meses sem grana e com muita animação. To na vibe de encontrar alguém pra seguir viagem comigo a ideia e conhecer a América latina. Vamos conversar?
  3. Cristiano Costa

    Bolívia # Chile # Peru 30 dias JUNHO 2019

    Também pretendo fazer em agosto este mesmo roteiro! (primeiro mochilão tbm! eheh) Se vocês criaram algum grupo?
  4. Data: 09-01-19 > 20-01-2019 Pessoal, fiz um mochilão com minha namorada este ano pelo Ceará. Decidi deixar o relato aqui pra ajudar quem estiver pensando em fazer o mesmo. Nossa intenção era viajar conhecendo vários lugares de ônibus e economizando o máximo de dinheiro que pudéssemos (mas sem ficar em campings, pois não levamos barraca). A única viagem de avião que fizemos foi a de BH pra Fortaleza, pois encontramos uma promoção muito boa ($630 reais por pessoa ida e volta). Já fizemos outros dois mochilões juntos, um no Sul de Santa Catarina e outro no sul da Bahia, na península de Barra Grande. Apesar disso, este é nosso primeiro relato. - Itinerário: Fortaleza (chegada) > Canoa Quebrada > Morro Branco (Beberibe) > Canto Verde > Flecheiras (Trairi) > Mundaú > Icaraí de Amontada > Jericoacoara > Fortaleza - Notas Gerais: A estadia no ceará não é tão cara. Chegamos a pagar menos de $50 por pessoa por noite em alguns lugares. Mas o preço varia muito, é preciso pesquisar e dar uma chorada. O preço dos petiscos nos restaurantes da praia varia bem, mas em geral são baratos comparados com o preço das cidades do sudeste. Uma porção de camarão alho e óleo varia de $15 e $45 reais. Bolinhos de camarão vão de $12 a $25. O côco vai de $2 a $5. Nós não comíamos muito na praia, comprávamos no supermercado e levávamos na mochila térmica. o Preço do supermercado é barato, considerando que são cidades de praia (gelo de $5 a $7, cerveja de $2 a $3, comida a preço normal). O preço dos passeios é que não é tão barato. Em praticamente todos os lugares havia opção de buggy, kitesurf, parapente, etc. Mas como queríamos visitar vários lugares e não tínhamos muita grana, acabamos deixando de fazer a maioria. Mas dá pra aproveitar sem isso também, com certeza. Uma coisa que notamos em praticamente todas as praias do Ceará, é que quase todas possuem muitas turbinas eólicas perto das praias. Isso infelizmente tira muito da beleza natural do lugar. Jericoacoara foi a única parada onde não víamos usinas eólicas ao redor da praia. - Relato: Chegamos em Fortaleza na madrugada do dia 09. Pegamos um Uber e fomos para a rodoviária de João Thomé (lá tem duas, mas disseram que esta é a maior e a mais usada). De lá pegamos um ônibus (empresa São Benedito) logo de manhãzinha para Canoa Quebrada. Canoa é conhecida por suas falésias, dunas, e esportes como kitesurf e parapente. Há várias barracas na praia que oferecem mesas, cadeiras e guarda sóis "de graça", com o cliente pagando apenas o consumo. As comidas não são tão baratas quanto em outros lugares do Ceará, mas não são caras comparadas ao sudeste. Nós não costumávamos comprar cerveja nas barracas, mas sim no supermercado, e levávamos na nossa mochila térmica. Dormimos dois dias em Canoa Quebrada. De lá pegamos outro ônibus da São Benedito. O ônibus da São Benedito vai para Beberibe, mas para na entrada que dá na vila de Canto Verde (são 6 km até a praia, mas há motoboys frequentemente que cobram R$ 6 por pessoa). Canto Verde é uma praia linda e bem mais preservada que Canoa Quebrada. Lugar de areia branca bem fininha com um mar muito bonito. Lá fizemos um passeio de charrete para conhecermos a reserva extrativista (com o francisco, $ 100 por 2 horas), e valeu muito a pena. O por do sol lá também é bastante bonito. Ficamos uma noite na casa de uma das lideranças comunitárias de lá, o seu Roberto. Canto Verde vive hoje uma disputa entre dois projetos, um baseado no turismo comunitário, e outro que tenta implantar o turismo comercial. É um lugar muito interessante por tudo, pela paisagem, pela história, e pelo momento que vive. De Canto Verde é possível pedir aos motoboys para te deixar novamente na BR, e de lá pegar um ônibus para Beberibe. Lá queríamos visitar Morro Branco, onde fica o labirinto das falésias. Descobrimos que, ao chegar na rodoviária de Beberibe, é possível pegar um taxi até a praia (cerca de 6 km). Nós demos sorte e fomos com um dos amigos do seu Roberto de Canto Verde. Descemos já em morro branco. Lá há vários guias locais que oferecem um passeio pelo labirinto das falésias (eles não têm um preço fixo, apenas pedem para contribuirmos de acordo com o que pudermos. pagamos $ 20 por duas pessoas). O labirinto não é tão grnade, mas é maravilhoso. Dá pra imaginar que se está em outro planeta. São falésias de várias cores, de onde os artesãos da cidade tiram sua areia colorida para produzir objetos muito bonitos (e não muito caros. Um vasinho custava cerca de $20. Um pacote com dez chaveirinhos, $10). A praia de Morro Branco em si não é tão bonita, e não ficamos por lá muito tempo. Vimos que é possível fazer passeios de buggy para conhecer os quatro ponto turísticos da cidade (morro branco, praia das fontes, Uruaú e um outro que não me lembro. não tínhamos tempo nem grana, então não fomos, mas ouvimos dizer que as praias são mais comerciais e não tão preservadas, então não nos preocupamos tanto). Precisávamos pegar um ônibus (empresa Fretcar) para nossa próxima parada, Flecheiras (na cidade de Trairi). Pegamos o ônibus pra Trairi, que desce pertinho da praia de flecheiras. Lá procuramos a pousada da Zena, que segundo ouvimos é a mais barata de lá (a diária mínima acho que fica em $70). Como lá estava lotado, fomos para a casa de uma amiga dela. A praia de Flecheiras é conhecida pelos esportes, principalmente o kitesurf, e também por suas pedras e piscinas, que se formam ao longo do dia na maré baixa (a partir das 13h). Infelizmente, quando fomos lá não conseguimos ver a maré muito baixa. Tirando isso, a praia de lá não é tão especial, e está bem tomada pelo turismo comercial. Tivemos uma noite muito legal em Flecheiras, onde há sempre música ao vivo nos bares da praçinha. Não me lembro como se chamava a banda de lá (acho que era chega de manha, ou chega na manha, mas era muito animada, melhor que todas as que escutamos em jericoacoara, por exemplo). A noite é meio família, e não muito badalada, mas essa banda fez com que a gente ficasse até de madrugada na rua, mesmo cansados de tanto andar de ônibus. Ficamos em flecheiras duas noites. De lá, pegamos o ônibus no mesmo ponto onde descemos (mas do outro lado da rua) e fomos pra Mundaú (ônibus Fretcar). Gostamos muito de Mundaú! Lá a praia é mais preservada que flecheiras e vimos muito mais nativos que turistas (talvez por ser dia de semana). A praia é bem bonita, com muitos coqueiros, e relativamente bem preservada. O ponto mais bonito que vimos é no encontro do rio com o mar. Vale muito a pena! Lá é possível fazer passeios de barco para ver outras partes do rio e passar pelo mangue (mas nós não fizemos). De Mundaú íamos pra Icaraí de Amontada. Pra chegar em Icaraí, é preciso pegar uma Topic pra Itapipoca ($15 por pessoa, sai às 14:45h, há poucas então é preciso ficar esperto). De itapipoca é possível pegar um ônibus da Fretcar para Icaraí de Amontada (cerca de $12,50 por pessoa, não me lembro). ATENÇÃO: pegue o ônibus para Icaraí, e não para Amontada, que é a cidade onde a vila fica localizada. Icaraí é bem bonita, e um lugar muito organizado. Apesar de não ser tão grande, tem uma infra-estrutura bem desenvolvida. Lá nós ficamos no restaurante Brisa do mar, com a Socorro, por um preço bem baratinho. Da praia de Icaraí, é possível visitar também a praia de Caetanos e a de Moitas. O passeio pelas praias pode ser feito de buggy, mas nós não tínhamos grana, então não fomos. Apesar disso, também é possível pegar uma Topic para a praia de moitas (por $3 ou $4). Fomos pra lá e ficamos realmente impressionados! A praia de moitas pra mim é maravilhosa. Lá também tem encontro de mar com rio, e é simplesmente lindo! Tirando Jericoacoara, foi a praia mais bonita que vimos. Ficamos o dia por lá e depois voltamos pra Icaraí (a última topic sai 12:20h, é preciso ficar esperto. Nós voltamos de carona depois com uma família que estava almoçando no restaurante e nos ajudou). No dia seguinte, íamos pra jericoacoara. Para sair de Icaraí de Amontada e chegar em Jericoacoara, é preciso pegar um ônibus da Fretcar para Amontada (sai às 5:50h), e de lá pegar outro ônibus para Jijoca de Jericoacoara (às 8:45h). Chegando em Jijoca, pega-se uma caminhonete, que saem em vários horários para Jericoacoara ($25 por pessoa). De tanto ouvir falar de Jericoacoara, e por saber que lá é um lugar bastante comercial, ficamos um pouco ressabiados a princípio. Mas lá realmente é um lugar paradisíaco. A primeira surpresa é nas dunas por onde se chega na vila. São simplesmente maravilhosas. Lá tem uma mistura de paisagens que nunca vimos em outras praias. É fenomenal. Em Jericoacoara, há basicamente 3 passeios a se fazer, e todos tomam um tempo razoável, então é bom separar um dia pra cada. O primeiro que fizemos foi o passeio do lado leste, que termina na Lagoa do Paraíso. São várias paradas e a paisagem é maravilhosa, apesar de ser bem cheio por conta do número de turistas. Na lagoa é possível fazer mergulho com cilindro ($150 por casal, 1:30h), deitar nas redes dentro da água, ou brincar num dos brinquedos que ficam na água (ao que parece de graça). São várias barracas ao longo da lagoa e a caminhonete para numa delas, mas pode te deixar em outra se preferir (a barraca que fomos é de graça, mas sabemos que se paga $20 pra ficar na alchemyst. Professores, estudantes, militares e idosos pagam meia). A lagoa é muito bonita e bem gostosa de se passar o dia. O segundo passeio que fizemos foi para o lado oeste (de 9:30h da manhã até 14:30h), que termina na lagoa de Tatajuba. Pagamos $60 pra ir numa caminhonete compartilhada (o buggy custa entre $350 e $400 e leva até quatro pessoas, mas você é quem tem que achar as 4. Além disso, eles não costumam dividir no cartão, e alguns nem aceitam cartão, então fomos de caminhonete). O passeio é simplesmente maravilhoso! Numa das paradas, é possível fazer um passeio de barco em camocim para ver o mangue e os cavalos marinhos ($15 por pessoa, achei que vale a pena, apesar de serem apenas 15min). Em outra, é possível descer de tobogã em um dos lagos($15 por pessoa para descer 3 vezes. E são 3, alguns tentam falar que são apenas 2, mas é preciso ficar esperto). Também é possível descer de tirolesa ($15 por pessoa, mas apenas uma vez). Os dois valem a pena, mas se for pra escolher, é melhor descer de tobogã. Por fim, no último dia fizemos o passeio da pedra furada de manhã. São cerca de 1,8 km a pé a partir da vila. O sol castiga muito e não há sombra, então é preciso levar bastante protetor. É possível ir de charrete até o topo do morro de onde se desce pra ver a pedra (são $20 por pessoa). A paisagem é muito bonita, há vários cactos e pedras no caminho e do topo do morro a vista é linda. Há uma fila gigante na pedra pra tirar foto, o que tira um pouco do encanto do lugar, mas o passeio vale muito a pena. Falta falar da praia de Jericoacoara e da noite de lá. A praia é bonita, mas nada comparada aos passeios, e de lá dá pra subir uma duna pertinho para ver o pôr do sol (lá o sol se põe muito cedo, 17:45h, e lá não tem horário de verão). Nós demos azar e não pegamos um dia com céu limpo, mas mesmo assim foi bem bonito. Imagino que deve ser realmente fantástico. A praia em si é bem cheia, e bastante comercializada. É preciso pagar $30 para sentar nas mesas próximas ao mar. Ficamos na sombra de uma árvore perto da calçada e tomamos nossa cervejinha de supermercado mesmo. A noite de Jericoacoara é bem movimentada. Há várias opções para se fazer alguma coisa. Há música ao vivo nos bares perto da praça. Tem um esquenta na praia com música eletrônica de 22 às 02h, e também há lugares que tocam forró, samba, etc. Vale a pena sair pelo menos uma noite pra conhecer. No nosso último dia, depois de conhecer a pedra furada, pegamos a caminhonete da Fretcar até Jijoca (14:45h), e de lá o ônibus da Fretcar até fortaleza (chegamos no aeroporto às 22:20h mais ou menos). Descobrimos que é possível pegar um outro transporte que vai direto pra lagoa do paraíso de manhã, e de lá vai pra Jijoca, de onde é possível pegar um transporte pra fortaleza. É até mais barato que a fretcar (pagamos quase $90 por pessoa pra ir até Fortaleza, e esse ficava cerca de $75), e é uma opção legar pra aproveitar o último dia, caso já se tenha feito todos os passeios completos. Sobre o preço em Jericoacoara: Todo mundo falou que Jericoacoara era absurdamente caro, mas a verdade é que dá pra fazer as coisas lá saírem relativamente em conta. Os custos fixos são $50 de transporte ($25 na ida e $25 na volta pra Jijoca), mais a taxa de $5 por pessoa por dia para permanecer na ilha, fora a estadia. Os passeios são no mínimo $60 para o lado leste e $60 para o oeste de caminhonete, fora $20 opcionais pra ir de charrete pra pedra furada. Somando isso dá $195 por pessoa para fazer os passeios em 3 dias. Fora isso, os passeios duram praticamente o dia inteiro, e, levando isso em conta, não é tão caro. Em relação a outras coisas, é possível encontrar almoço por $12, ou até $10. O supermercado não é caro comparado aos outros lugares do ceará (gelo a $5, cerveja lata brahma a $2,75, por exemplo). É preciso ficar esperto pra achar um lugar pra ficar, pois os preços variam absurdamente. Nós ficamos na Pousada do Véio. Quem cuida de lá são Pussá e Iara, um casal de pessoas muito amáveis e muito gente boa. A suíte onde ficamos por três noites era originalmente $180 por noite, mas explicamos nossa situação e eles fizeram por um preço bem mais em conta (um hostel barato ficaria por $140 para duas pessoas em quarto compartilhado). O quarto tinha ar condicionado liberado (em alguns lugares ele fica ligado em horários pré-determinados, por exemplo das 22h às 10h) e uma geladeirinha onde guardamos as coisas. O café da manhã era ótimo, e no último dia eles ainda nos ofereceram almoço com churrasco! Fora isso, a pousada é super bonitinha, com muito verde e bem aconchegante. Em relação a alguns dos Hostels que vimos, o preço não era quase o mesmo, e o conforto imensamente maior.Recomendamos muito. É isso pessoal, espero que nosso relato ajude. Abs
  5. Luiza castro

    Companhia para viajar

    Isso mesmo.. estou já indo atrás.. Pq é muito necessário
  6. Synaha Almeida

    Companhia para Eurotrip (26/01 à 16/02 de 2019)

    Oi galera! Saio nesse sábado para uma viagem para alguns países da Europa! Vou deixar o roteiro aqui, se coincidir com algum de vocês, entrem em contato pelo whats (5592994531272) ou insta (synaha_)! Porto (26/01 à 30/01) Lisboa (30/01 à 04/02) Madrid (04/02 à 07/02) Barcelona (08/02 à 12/02) Roma (12/02 à 16/02) bjos
  7. Plínio Fernandes

    Chapada dos Veadeiros fevereiro 2019

    @Carla Brasil Tudo bem Carla?! Moro em Brasília, conheço um pouco a Chapada, já fui umas 5 vezes, vale a pena, lugar lindo. Geralmente fico em quartos/pousadas pelo Airbnb, preço bom.Tenho interesse de ir, dividir despesas, etc. Entre em contato pra combinarmos (61) [email protected] Brasil
  8. Hoje
  9. Márcio62

    Fins de semana em Portugal em 2019

    Olá. Ainda procura companhia para pequenas viagens por Portugal? Estarei em Lisboa de 23/3 a 23/4. Aposentei-me recentemente, tenho 57 anos e muita energia.
  10. LF Brasilia

    Casamento e expulsão

    Scheu, outra coisa: a comprovação de descender de nacionais é um dos requisitos para você obter a cidadania originária do país dos seus antepassados, e vai depender das regras desse país. Uma vez sendo cidadã, você cumpriria os requisitos para viver no país em questão, votar, etc. Ex: a pessoa recebeu registros de "overstay" em seu passaporte brasileiro, mas aí obtém cidadania italiana e quer morar na Itália. Ele é italiano. Como o governo vai impedir um cidadão seu de viver lá? Mas como o Luka escreveu: essa solução (obter cidadania, se for o caso) não anula o problema do overstay como brasileiro. É uma solução que "passa por cima", digamos.
  11. Larissa Speranza Zamboni

    Bonito -MS / Março 2019

    @Sarah Do Nascimento Você já fechou a data? Tinha pensado em ir também, mas estava querendo no carnaval!!
  12. CeBoLaRk

    Viajar sem dominar o idioma?

    Estou na mesma... Poderíamos procurar um grupo de conversação ou criar um em algum App para treinar.
  13. @Elder Walker boas escolhas! Sim, até onde sei o único modo de fazer os passeios fora do horário é se hospedando no Kruger mesmo (ou talvez nos privados, aí não sei de nada) Sobre as passagens, compramos com a Kulula também. JNB <> CPT ida e volta. Comprei pelo site da Kulula mesmo, cartão Master internacional, sem problema nenhum. A Kulula é uma empresa moderninha, o vídeo de segurança é todo engraçadinho e ela é low cost. Nada a reclamar (e nem elogiar)
  14. Ótimo relato Marcos, obrigada! Você fez as trilhas com gps? Por exemplo a do cerro Martial pareceu mais inóspita como vocês se orientaram?
  15. Muitíssimo obrigado @vcircelli Muito esclarecedora a resposta. Neste meio tempo, já compramos as passagens com a Latam, aproveitando a promoção que está rolando, e fiz a reserva no Kruger, mesmo sem ter lido sua resposta! haha! Peguei o bangalô BE2 e saiu na faixa de 1300 Rands mesmo. Já inclui os 2 passeios e os 3 dias de taxa de conservação. Deu tudo certinho. Apesar de relativamente caro pela "qualidade" da hospedagem, é o preço mais barato que se paga para conseguir uma experiência mais pura dentro do parque, pois só assim conseguimos as atividades fora do horário do parque, não é mesmo? A opção dos lodges privados ficaria muito fora do nosso orçamento, mesmo os mais baratos (ou menos caros) que oferecem os games nas suas reservas privadas. Ah, e falando nelas, as que cogitei são localizadas no que chama de "grande Kruger", ou seja, anexas ao Kruger, sem separação física, então os animais circulam livremente entre elas e o parque, com a vantagem de poder se deslocar fora das estradas e tudo o mais. Também já tínhamos decidido cortar Joanesburgo do roteiro. Não duvido nada que tenha passeios interessantes e culturais, mas dado o nosso tempo e orçamento limitado, preferimos priorizar a natureza. Vamos chegar 9h da manhã, comprar Rands, chip de internet, pegar o carro e partir até alguma cidade próxima a Panorama Route (provavelmente Graskop), tudo no primeiro dia. Depois o segundo dia fica inteiro para percorrer as paisagens de lá e aí sim pernoitamos já próximo ao gate do Kruger. Já vi algumas estradas bem bonitas próximas a Cape Town, incluindo essa Chapmans Peak Drive. Certamente estão em nosso roteiro. Queremos dedicar um dia inteiro (ou 2, já que ganhamos o dia de Joanesburgo) às vinícolas e cidades bacaninhas ali próximo também. Só então que partiremos para a garden route. Não tenho muito interesse específico nela, seria mais pra passear meio que sem muita definição, percorrendo as cidadezinhas litorâneas e curtindo o passeio de forma geral. Os únicos pontos que realmente vi e gostaria de passar são o parque tsitsikamma e a Bloukrans Bridge do bungee jump. Mas, dado o seu relato e o de outros aqui do forum, vou tentar ver mais imagens e opiniões pra ver se realmente compensa "gastar" esses dias lá ou se ficamos mais em Cape Town e/ou vinícolas! haha Ah, estou tendo dificuldades na compra de passagens com a Kulula, nem chega a processar meu cartão (não aparece nenhum bloqueio na central do cartão, como se eu não tivesse tentado a compra). Fiz aviso viagem e tudo, fiz a reserva do Kruger em Rands tranquilo... só o site deles que não está indo. Você fez os vôos internos com qual companhia lá? Abraço e obrigado mais uma vez!
  16. camialmeidaa

    PERU MARÇO/2019

    @Tiago Mariano escolhi deixar o chile pra fazer separado depois, ou fazer bolivia e chile juntos. Meu foco agora é machu picchu.. você já sabe o que vai visitar no peru? vou pra lima e depois pra cusco. vc tbm?
  17. camialmeidaa

    PERU MARÇO/2019

    @Bruno Gutierres entao, meu condicionamento nao é dos melhores para trekking haha .. vai ser uma trip mais ligada ao lado espiritual e cultural mesmo, por isso vou guardar as energias para machu picchu e laguna humantay .. já pesquisei muitos roteiro, mas vc consegue me dizer quantos dias no mínimo você acha que devo ficar em cusco? cusco será minha sede pra sair pros outros roles. estou incluindo Arequipa, Ollantaytambo, Puka Pukara, Huacachina ... algum lugar em especial que não posso deixar de ir? Obrigada
  18. Outra forma de deslocamento é ônibus. Lembro que entre Bruxelas e Amsterdã paguei 2 euros com a Megabus, comprado com antecedência. É um pouco mais demorado, mas pelo valor compensa.
  19. Oi @Elder Walker Achei muito bom o roteiro, e bem parecido com o meu até. Nenhum furo, só alguns comentários mesmo. Não se anime muito com a Garden Route, eu não achei tudo aquilo que o pessoal fala. Eu particularmente achei a Panorama Route muito mais bonita e com mais atrativos, mas isso pode ter relação com o fato de que o tempo na Garden Route estava péssimo, frio e chuva/garoa então nem tinha como aproveitar muito. Gostamos bastante do Tsitsikamma, apesar de ter passado fim da manhã e uma tarde por lá e ser uma parte relativamente pequena do parque (pelo menos o que conseguimos conhecer nessa tarde) - fizemos as trilhas Loerie/Lourie (metade subida e metade descida, com uma bela vista pro mar no topo) e a clássica Mouth Trail, que é a que vai até as Suspension Bridge, muito bonita também (dê um Google se precisar, ou veja minhas fotos ) 1) Do jeito que vc falou, e somos iguais nisso (preferir paisagens a museus) sem dúvida se eu fosse você, cortaria sim JNB e iria direto para Panorama Route. Fica um pouco pesado sair de JNB de manhã dirigindo, passar por alguns pontos da Panorama Route e ainda sim chegar até próximo ao Kruger. Se você conseguir dormir em algum lugar perto da Panorama mesmo, até melhor. Não sei dizer onde e nem o que mais fazer, já que com o tempo apertado acabei nem dando atenção à essas outras coisas, mas sei que tem bastante coisa natural pra ver sim (vista, cachoeira etc). Sobre JNB, apesar de termos ficado três dias lá (1 na chegada do Brasil até a ida pro Kruger no dia seguinte, 1 na chegada do Kruger até a ida p/ Cape Town no dia seguinte e 1 na vinda de Cape Town e ida pro Brasil no dia seguinte) quase não fizemos nada lá. Parte pela insegurança, parte pela falta de interesse e parte pelo lugar onde nos hospedamos (decidimos pegar um hotel próximo ao aeroporto para facilitar os deslocamentos) Fomos no museu do Cradle of Humankind, que é até interessante mas muito longe de JNB (não sei a distância, mas com o trânsito pesado da cidade deu 1h30 ida) e em outro dia fomos no Shopping Sandton (não lembro o nome exato) onde tem a Nelson Mandela Square e a estátua dele. A região da cidade é muito bonita, desenvolvida, central, mas o caminho (usando Waze ou Here Maps) passou por lugares bem feios. Eu não diria perigosos (mesmo pq não aconteceu nada) mas regiões bem pobres, sem calçadas, enfim, coisas que estamos acostumados a ver nas periferias de grandes cidades brasileiras também. 2) Não, não pesquisei nada sobre isso. Achei tudo muito complicado, não dá pra entender direito se esses lodges ficam dentro do Kruger ou se eles tem uma reserva privada (e aí pode ser menor/menos interessante). Estando dentro do Kruger na região de Skukuza vi várias placas indicando a entrada de lodges privados, dentro do Kruger mas não sei se todos ficam lá. De fato as acomodações dentro do Kruger tem um péssimo custo benefício e são bem simples 3) Não lembro o código e quando faço login no site do SANParks a minha reserva não aparece mais lá, mas com toda a certeza foi o mais baratinho depois do camping, se não me engano a diária era uns 1200 rand. Alguns com utensílios de cozinha, outros sem, alguns com três camas e outros com duas. Realmente são camas de solteiro mesmo. Dá pra juntar, digo, encostar uma na outra. Vai ficar a divisão entre elas mas não incomoda muito, não fica abrindo/separando durante a noite. Todos eles tinham ar condicionado, frigobar/geladeira, banheiro com shampoo e papel higiênico, roupas de cama e toalhas. 4) Pra ser muito sincero... acho que nenhum. Como falei, o tempo estava feio e já tínhamos passado pela Panorama Route então acabamos nem dando muita atenção pra Garden. Nature's Valley é um pequeno bairro (umas 5 ruas talvez?) com casas bonitas e acesso à praia, mas nem chegamos a ver a praia por causa do tempo, talvez seja bonita. Achei muito bonito também o trecho entre Cape Town e Hout Bay, e depois a Chapman's Peak Drive saindo de Hout Bay. Não sei se isso é considerado Garden Route mas é uma estrada muito bonita, beirando um precipício à beira mar a todo momento. Pesquise antes o funcionamento da estrada porque me lembro de ver algumas placas falando sobre a estrada fechada, não sei se ela fecha em dias específicos, clima específico, algo assim Abraço! E qualquer dúvida é só dizer.
  20. @gabrielfp Destes lugares, não conheço a Espanha, mas me parece pouco tempo. Acho poucos dias para Paris, recomendaria, no mínimo, uns 5 dias completos. Bélgica e Amsterdã, para mim, esses dias são suficientes. O deslocamento é em trem mesmo, talvez só Barcelona-Paris que pode ser vantajoso pegar um voo low cost. É recomendado comprar as passagens de trem com uns 2 meses de antecedência.
  21. Dion Cunha

    Troca de aero: Guarulhos - Viracopos

    Poxa, Luka, sou viajante nível 0 kkk. Será meu primeiro vôo Internacional(imagina a pilha kkkk) e até pra usar o aplicativo dos mochileiros tô me atrapalhando. Mas estou realmente impressionado com a rapidez com que as postagens são respondidas e úteis, acima de tudo. Muuuuuito obrigado. Eu vou pra Israel pela Latam. Comprei pela decolar.com ja tentei mudar as datas e não consigo fazer isso nem pelo site e nem pelo número de telefone que eles disponibilizam no site. Eu queria saber com eles se eles se responsabilizam pelo transfer mas acho que nem isso eles vão me dizer. Eu fui respondido na minha dúvida, muito obrigado. Ao que tudo indica não vai dar tempo[emoji31][emoji31][emoji31] Meu vôo de ida é dia 3/2.
  22. andre.jacoia

    Monte Roraima - Março 2019

    Blz Galera, Vou fazer o monte Roraima no carnaval! Qualquer coisa... me chamem no watts 11 99566-5610. Estou buscando agencia. Não sei se é melhor buscar na Venezuela ou acertar por agencia brasileira mesmo.
  23. andre.jacoia

    Monte Roraima Janeiro 2019

    Blz Galera, Vou fazer o monte Roraima no carnaval! Qualquer coisa... me chamem no watts 11 99566-5610. Estou buscando agencia. Não sei se é melhor buscar na Venezuela ou acertar por agencia brasileira mesmo.
  24. Dion Cunha

    Troca de aero: Guarulhos - Viracopos

    f0soare, muito obrigado pela ajuda. Eu realmente precisava ouvir os mochileiros mais experientes( essa é a minha primeira mochila) e espacialmente os moram em São Paulo onde vai se dar esse transtorno. Eu ja liguei 3 vezes e não consigo falar com ninguém da decolar.com. Me venderam o vôo da Latam. Muito obrigado por sua postagem.
  25. Soraya Souza Renfro

    Costa Rica Fevereiro/Março 2019

    Oii, tudo certo? Ah, que pena... O meu tá fechado já, né? Eu vou agora em fevereiro.
  26. brandao.debora

    Qualquer lugar de Minas

    Olá tenho interesse se puder ser pós dia 15/03. Vamos fazer um roteiro legal!
  1. Mais Resultados
×