Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Todas Atividades

Atualizada automaticamente     

  1. Recentemente
  2. Ei pessoal, vou estar em BA nesses dias ficando em hostel, mas queria companhia para não me perder sozinho turistando pela cidade kkkkk Primeira vez numa viagem internacional e primeira vez viajando sozinho, vocês podem imaginar a ansiedade.
  3. Tô querendo ir tb. Chego em mad dia 16 e depois parto para ath
  4. Olá pessoal, estou planejando uma viagem pra Europa em janeiro de 2020. Alguém tem alguma sugestão de roteiro começando ou terminando em Portugal"? Vou passar em média uns 25 dias. Obrigado.
  5. Estarei lá do dia 22 ao dia 3, vou visitar BA pela primeira vez sozinho
  6. Suécia é um destino que estou considerando também para 2020... mas é como o amigo acima mencionou, não estou com a percepção de que seja mais barato que a zona do euro não.. Pretendo fazer Dinamarca, Suécia e Noruega, tudo de carro... as cotações não estão baratas...
  7. Hoje
  8. Me adicionem 11 974110253, estarei por lá do dia 11 a 25 de novembro
  9. Em novembro 2019, estarei em bangkok , será minha segunda visita ao país pretendo também ir ao Vietnã, estarei lá do dia 11 até 25 de novembro , se alguém estiver por lá, da um toque
  10. Este roteiro é uma viagem para uns 2 meses pelo menos, especialmente pq Indonésia e Filipinas o transporte pode ser um problema. Reparou que tem um monte de ilha não é mesmo. Fiquei 6 meses pela região e recomendo para 1 Mês escolher Tailândia que é bem interessante
  11. Vou dia 11 e volto dia 25, pretendo ir até hanoi, já é a segunda vez q visito o pais
  12. Suécia é bem mais caro que qualquer lugar com Euro, se acha que vai gastar pouco sinto muito. Para quem ganha em real pode calcular uns 400 reais no mínimo por dia, entre comer, dormir e andar de busão.
  13. @Silviasdac qual teu roteiro?
  14. Olá pessoal! Vou para Praga 17/9 e depois sigo para Polonia, Hungria, Eslovenia, Austria e Eslovaquia. Podemos combinar de se encontrar!
  15. @Marcio.Jr como foi a viagem? Vou fazer esse roteiro em Setembro, se puder me passar dicas te agradeço!
  16. @Filipe Duarte chego em Praga 17/9, das cidades que tu vai vou fazer tb Budapeste e Viena!
  17. Eu to querendo ir pro Chile mas com data pra voltar kk seria dia 24 de julho no máximo, saindo 8 de julho também estilo mochilao economizando mt
  18. Estou indo para Praga dia 17/9... Depois sigo para Polonia, Hungria, Eslovenia, Austria, Eslovaquia... Alguém mais por esses países?
  19. Estou indo em julho dia 7 ou 8 vcs ficam quantos dias?
  20. Também seria o meu primeiro, já comprou as passagens? Só entro de férias em julho dia 8
  21. @Juliana Champi que massa hein poder ir de carro deve ser irado quem sabe nos próximos anos eu também me jogo de carro com amigos ... Por enquanto quero me desaviar e adquirir experiência nesse mochilão vamos que vamos ahahahh...
  22. Quinta, 18 de abril de 2019 – Ciudad de México O dia já tava pensado pra compras há muito tempo...Adoro comprar quinquilharias e durante a viagem não tinha comprado nada, primeiro pra não ter que carregar por aí de uma cidade pra outra, segundo que no final da viagem já saberia o que tava sobrando de dinheiro e o que dava pra gastar. Queria comprar mezcal em Oaxaca mas como ia ser uma logística meio complicada pra carregar essas garrafas pelo México afora, perguntei em Oaxaca onde seria bom e barato comprar mezcal na Cidade do México e me indicaram ir na região que apelidei de 25 de março da CDMX 😜 De frente pra catedral, à esquerda está a calle Madero, a torre Latinoamericana e as lojas mais chiques e pro outro lado, à direita, o comércio popular, a 25 de março mexicana 😆 é a Cidade do México raiz, tinha até uma Santa Muerte no meio da rua E lá no meio desse furdunço encontrei umas 3 lojas de produtos regionais de Oaxaca. Em uma delas o dono me apresentou o irmão dele que estava chegando de Oaxaca carregado de mezcal. Aproveitei pra comprar ali por um preço bem mais barato que o normal na Cidade do México, bem próximo dos preços que tinha visto em Oaxaca. Alguns mezcais vem com uma larva dentro da garrafa, o chamado gusano, que cresce na própria planta do agave. Ele dá um sabor tipo meio defumado pro mezcal, é interessante 😅, mas dá pra achar alguns sem gusano também. Inclusive, se você ver sal de gusano em algum lugar...é a larva torrada e moída e misturada com sal e pimenta. Tomei michelada com esse sal, já tava todo adaptado no estilo mexicano 😃 Comprei mais mezcal pois curti mais a bebida mas claro que tinha que trazer umas tequilas também Passei no hostel pra deixar as garrafas e fui de metrô pro Mercado de Artesanias La Ciudadela que fica perto da estação Balderas. Comprei todo tipo de quinquilharia e lembrancinha, gastei algumas horas (e pesos) nessa brincadeira O mercado é o lugar mais famoso pra artesanatos na cidade. Voltei a pé pro hostel, observando a cidade e passando pela agitadíssima Calle Madero. Subi no bar do terraço do hostel pra curtir a vista do por do sol 🔝🌇 Depois fui pra cozinha procurar viajantes, pois o esquema do bar já era manjado… Lá encontrei a Daniela conversando com duas mexicanas, Jasmin e Juliette que eram de alguma cidade do interior. Ficamos num bom papo até certa hora e subimos pro bar pra tomar umas tequilas. Encontramos com Abraham, um americano que tava no meu quarto e curtimos até o bar fechar meia-noite. Como a gente tava animadaço, as mexicanas indicaram pra gente ir numa balada em Condesa que chama Salón Pata Negra. Chamamos um Uber e mesmo com protestos do motorista entramos os 5 no carro e fomos Na entrada da balada, pedindo documentos, eu sem passaporte, tentei abrir a foto dele que eu tinha no arquivo do celular mas como tava sem internet não abria. A que abria era a foto do papel da imigração e o segurança aceitou 😜 Grátis pra entrar, balada lotada, animada, música boa, todo mundo achou seus pares 👩‍❤️‍💋‍👨, curtimos muito até 4 da manhã quando chamamos outro Uber que, dessa vez sem protestos, levou todos nós de volta ao hostel😎 Eu, Juliette, Daniela, Jasmin e Abraham - Salón Pata Negra, Condesa, Ciudad de México Sexta, 19 de abril de 2019 – Ciudad de México Tive uma situação chata com outro cara do quarto. O café da manhã nesse dia não foi no terraço, foi no restaurante do hall e tava bem confuso. A diária do hostel tinha aumentado pra 300 pesos por causa do feriado. Tava meio decepcionado com aquele monte de gente aleatória que frequentava o bar...A Daniela, a Jasmin e a Juliette estavam indo embora...Com tudo isso decidi que trocaria de hostel. Fui pro México City que fica bem pertinho, dava pra contar os passos (60 no caso 😆) e a diária era 200 pesos. É um hostel com menos tomadas, um casarão antigo, mais simples, sem bar, mas eu tava com vontade de trocar. Como são muito próximos, não mudaria nada na logística da viagem. Fiz minha mudança, o checkin já começa cedo, às 10 da manhã, já fui pro meu novo quarto, o décimo e último hostel da viagem 😅 Saí a pé até o Parque Chapultepec passando pela avenida Paseo de la Reforma e El Angel de la Independencia. É uma caminhada de 6km mas pra mim que gosto de andar foi muito sossegado. A cidade tava muito tranquila, era manhã de feriado, parei num Starbucks pra tomar café (ostentando 🤑 fim de viagem a gente se permite essas coisas) segui pela avenida observando o metrobus, aquele ônibus vermelho de 2 andares no estilo Londres e cheguei no parque por volta de meio-dia. Fui primeiro ao Castelo de Chapultepec, entrada 75 pesos e uma baita fila pra entrar mas que foi até rápida. O cara da minha frente na fila era um australiano e andamos juntos até nos perdermos. No castelo tem algumas exposições e uma bela vista da cidade Depois fui pro Museu de Antropologia, também 75 pesos e outra fila gigante mas rápida (coisas de ir num feriado 😏) É um museu muito interessante, creio que o mais interessante que já visitei. Começa lá bem nos primórdios do universo mas fica legal mais pra frente quando entra na parte da povoação do México e começam a aparecer as peças arquelógicas. Antes de viajar tinha até pensado em ir à Tula ver os Atlantis mas acabei desistindo porque ia gastar um dia todo só com isso e pra minha alegriaaa tinham esculturas originais de Tula no Museu de Antropologia 👍👍👍 Existem algumas réplicas mas a maioria é tudo original e com plaquinha de procedência 🔝 Depois de umas horas bem gastas naquele fantástico museu, resolvi em embora. Tinha também o Museu de Arte Moderna e o zoológico mas não fui neles, tinha muita gente no parque, o letreiro da cidade e o monumento com asas de anjo que a galera gosta de tirar foto estavam muito cheios, difícil fugir de gente numa metrópole daquelas 😅 Fui pro metrô e com falta do que fazer fui até os Viveiros de Coyoacan, que não é imperdível, mas tinha pouca gente, esquilos, sossego… ali é perto do bairro onde está a Casa da Frida mas não quis ir na lá. Peguei o metrô de novo e desci na estação Bellas Artes. Aproveitei minha ultima passagem pela Madero (achei que fosse 😆) e vi muitas lojas abertas na sexta-feira santa, a rua estava lotada, nem parecia feriado e olha que eu pensava que feriado religioso no México fosse tudo fechado 😮 Aliás, notei que até nos domingos o comércio funciona no México, vi lojas de ferramentas abertas inclusive de tarde, não é como no Brasil que os centros comerciais das cidades ficam desérticos nas tardes de domingos, no México parece que eles não param 😲 De noite teve procissão chegando no zócalo, fiquei de cara com a procissão de lá, tinha até carro alegórico!! Assisti as celebrações na praça comendo esquites de um ambulante, que são milho de canjica com pimenta, sal, limão e algum creme...já pensava como iria sobreviver sem os sabores do México… Sábado, 20 de abril de 2019 – Ciudad de México Acordei e vi um email da LATAM informando que meu voo foi alterado de 18h pra 2h da manhã. Teria 8 horas a mais no México, mais uma tarde inteira e nada pra fazer... No café da manhã identifiquei um brasileiro na mesa ao lado conversando com um argentino. O portunhol arranhado denunciava Ele era mineiro também, já estava há um mês no México fazendo intercambio. Ultimo dia de viagem...já tava na hora de voltar a conversar com brasileiros 😜 Fiz o checkout, deixei as mochilas na recepção, poderia tomar banho à noite e fiquei sem rumo. Vai pra lá e pra cá na rua, senta na praça, volta no hostel, vai na 25 de março, volta, vai na Madero, volta… Numa dessas andanças pela 25 de março fui seguindo em direção ao temido bairro de Tepito. Tinha milhares de recomendações de não ir no "el barrio bravo", olhei no mapa e vi que mais 4 quadras e eu já estaria no coração de Tepito. O comércio de rua era fortíssimo, as pessoas todas já aparentavam serem locais, arreguei e não continuei...😶 Voltei pro zócalo e subi num daqueles restaurantes no terraço com vista pra praça, pra comer o mesmo pagando mais pela vista Mas tava naquele momento da viagem que me permitia dar alguns presentes e gastar os pesos finais. Seguindo sem ter o que fazer vi uma plaquinha do Museu da Inquisição e Tortura na Calle Tacuba, entrada 50 pesos com audioguia de uns 50 minutos. Um pouco pesado pela história mas bem interessante. Ainda andando sem rumo vi o Museu do Estanquillo numa rua transversal da Madero, grátis, com alguma exposição sobre comédia, uma doninha dando pala vendo um filme, não era lá uma coisa impressionante mas serviu pra passar o tempo. Comprei uma chimoyada (granizada) de limão numa padaria e sentei na praça (de novo ) olhando a vida passar... No início da noite fui numa igreja onde teria a Vigilia Pascal e assisti a cerimônia. Aproveitei pra rezar agradecendo a viagem… voltei pro hostel, tomei um banho e saí às 22:30. As entradas do metrô perto da igreja já estavam fechadas, entrei por uma outra do outro lado do zócalo. Relutando em descer as escadas ainda fiquei um tempo olhando aquela catedral iluminada pela última vez...😥...Peguei o metrô às 22:45, tranquilo, fiz as 3 baldeações e levei 50 minutos até o aeroporto vazio, que perto da meia-noite já estava bem vazio, assim como o voo de volta também. E assim encerro meu relato sobre essa incrível viagem ao México, um país que me cativou, que deixou um gostinho de quero mais e eu sei que merece mais afinal tem o norte do país ainda pra conhecer, Guadalajara, Los Cabos, tantos outros lugares, um replay em Isla Mujeres, enfim, um país que tem tanto a oferecer e que pra mim que encontrei tão poucos brasileiros, ficou aquela sensação que é um país que o brasileiro não conhece, ou se conhece vai só em Cancun 😝 Perto da quantidade de argentinos que vi lá sempre pensava: onde estão os brasileiros? Se vivemos na mesma parte do mundo, porque só os argentinos estão aqui? Pelo interior do México sempre me diziam que era raridade aparecer um brasileiro...espero que vocês leiam esse relato e se animem a conhecer o México, o México real, não apenas aquela Cancun fabricada, que possam ver tudo de bonito e saboroso que esse país tem… E aguardo comentários, críticas, perguntas, qualquer coisa que queiram sobre o inesquecível México!!!🇲🇽 Hasta luego muchachos!!!
  23. @Dri123 quando fiz meu primeiro mochilão foi pra essas bandas de lá, na época eu reservei a trilha inca com a agencia Peru Info Cusco e tinha um brasileiro que trabalhava nessa agencia. Eu precisei sim fazer parte do pagamento antecipado e ao chegar em Cusco fiz o restaste.
  1. Mais Resultados


×
×
  • Criar Novo...