Ir para conteúdo

Todas Atividades

Atualizada automaticamente     

  1. Recentemente
  2. 📷 Clique aqui para ler o texto original com fotos. O Marrocos foi o destino mais diferente que já visitei até hoje! Apesar de ter sido pouco tempo, conseguimos conhecer bastante coisa em 7 dias. Estar de carro nos deu mais liberdade para explorar do nosso jeito esse maravilhoso país de paisagens, costumes e sabores tão diferentes! É importante entender que a cultura marroquina é muito diferente da ocidental e, assim como em qualquer outro país, é preciso respeitar suas regras e tradições, concordando ou não com elas. Como passar uma noite no Deserto do Saara? Informações básicas Capital: Rabat Moeda: Dirham Marroquino (1€ = 10DH aproximadamente) Língua: A língua oficial é o árabe, mas o francês também é muito falado. Há também o berbere, que é a língua do povo do deserto. Dá pra se virar bem com inglês e em alguns casos espanhol. Religião: O islamismo é a religião predominante. Cerca de 99% da população é muçulmana. Fuso horário: O Marrocos está 4 horas adiantado em relação ao Brasil (horário de Brasília) e é o mesmo horário de Portugal continental. Glossário Medina: Parte mais antiga da cidade, geralmente composta por uma praça central e um labirinto de ruas e becos cercados por uma muralha. Souks: Mercados de rua onde se vende de tudo: Temperos, roupas, artesanato, itens de decoração etc. Eles ficam sempre dentro da medina. Riad: Casa típica marroquina transformada em alojamento para hóspedes. Geralmente há um pátio central e os quartos são dispostos ao redor dele, espalhados pelos andares do pequeno prédio. Há desde opções mais simples, como hostels, até os riads de luxo. Mesquita: Local de culto religioso dos muçulmanos. Sukran: Obrigado Salaam Aleikum: Expressão usada para cumprimentar ao chegar em um lugar. Literalmente traduzido como “que a paz esteja convosco”. Como se vestir no Marrocos? Tanto mulheres quanto homens marroquinos usam muito o djellaba, uma espécie de túnica longa de manga comprida, com ou sem capuz, geralmente usada com calças por baixo. As mulheres geralmente usam o véu na cabeça e os homens costumam usar o babouche, uma sandália de bico pontudo aberta no calcanhar. As cores e estampas são as mais diversas possíveis. As mulheres de uma das vertentes do islã usam a burca, peça única que cobre todo o corpo, deixando só os olhos descobertos (as vezes cobertos com uma rede). As mãos ficam cobertas por luvas. Essa vestimenta é mais comum nas pequenas vilas do interior do país do que nas cidades maiores como Casablanca e Marraquexe. Para os turistas não há muitas regras. É recomendável usar roupas mais discretas como calças, saias ou vestidos longos, preferir blusas sem decotes ou alças e evitar peças muito justas. O lenço não é obrigatório para as mulheres, mas é um bom item para cobrir ombros ou pernas caso esteja se sentindo desconfortável com os olhares. É só usar o bom senso e respeitar a cultura deles que estará tudo certo! Quando viajar para o Marrocos? O clima no Marrocos é bem variado, até porque é um país que tem uma geografia que vai da praia ao deserto, da cidade à montanha. A minha experiência foi no começo de Junho, quase Verão. Já estava bem quente, pelos 30º, mas nada impossível de lidar. Tanto nas cidades quanto no deserto fazia muito calor durante o dia e uma brisa bem leve à noite. Nos meses de inverno a temperatura cai um pouco, há mais umidade e até neve nas montanhas do Médio e Alto Atlas. De modo geral as épocas mais recomendadas para visitar o Marrocos são a Primavera e o Outono, quando o clima está mais equilibrado. Se o destino for de praia, o Verão pode ser uma boa opção, assim como o Inverno, caso queira esquiar na neve. Como dirigir no Marrocos? Para dirigir no Marrocos não é preciso carteira de habilitação internacional. Tanto a brasileira quanto a europeia são válidas. É muito recomendado reservar o carro com antecedência. Há muitas blitz nas estradas, especialmente nas entradas e saídas das cidades, por isso esteja sempre atento à velocidade, cinto de segurança na frente e atrás e documentos em dia, claro! Caso leve multa, o pagamento é feito na hora. A maioria dos policiais foram simpáticos, mas eles claramente buscam algo de errado para poderem aplicar uma multa. As estradas são boas e tem sinalização em árabe e (geralmente) francês, mas nas cidades o trânsito é completamente caótico! Em muitos lugares há “flanelinhas” para estacionar na rua, se for o caso, negocie o preço. Os trajetos costumam ser longos e as vezes muito sinuosos, então o ideal é ter mais de uma pessoa para revezar na direção. Se for no verão ou mesmo um pouco antes, certifique-se de que o carro tem ar condicionado! Segurança no Marrocos No geral, eu me senti bastante segura no Marrocos, mas estávamos em um grupo de dois homens e duas mulheres. Talvez para uma mulher sozinha seja preciso um pouco mais de cuidado. Por ter lido muitos relatos preocupantes em relação à isso, estávamos atentos à possibilidade de golpes, mas com o tempo relaxamos e percebemos que apesar de existir esse tipo de perigo, a maioria dos marroquinos está realmente só querendo ajudar e ser atencioso. O tempo todo há pessoas oferecendo insistentemente de tudo: produtos das suas lojas nos souks, passeios, restaurantes e até drogas! Mas se não der atenção por algum tempo eles param, não há violência. O que existe de fato, assim como no Brasil e na Europa, são batedores de carteira. Mas é só ter atenção com seus pertences, especialmente nas Medinas, que estará tudo bem. Casablanca foi o lugar onde me senti mais intimidada, tanto com os olhares quanto com a dinâmica da cidade, caótica e muito suja. Mas ainda assim não houve nenhum perigo real. Uma coisa a ter atenção para não criar problemas é com o registro em fotos e vídeos. Se você pedir autorização prévia, eles geralmente aceitam aparecer ou deixam que fotografe seus produtos, caso contrário eles podem pedir que apague e muito provavelmente vão te dar uma bronca! Alimentação no Marrocos A gastronomia marroquina é muito rica em sabores! Ao andar pelas medinas a fome é constante, já que é impossível não se embriagar com o aroma dos temperos das mais variadas cores e paladares, sempre empilhados em formato de pirâmide. Os pratos mais famosos são o tajine e o cuzcuz. O primeiro é como um cozido, preparado em um recipiente que também se chama tajine e é geralmente feito de barro. A receita pode variar muito, geralmente as opções são carne, frango ou vegetariano. O cuzcuz marroquino também tem opções carnívoras e vegetarianas, sendo que a “mistura” fica por cima de uma base de cuzcuz. Outros itens na lista de iguarias maroquinas são o shoarma, espécie de sanduíche de carnes variadas enroladas no pão pita, entradinhas como o baba ganoush e o hummus, e ingredientes como azeitonas, tâmaras e frutos secos. Pela manhã é comum ter uma espécie de panqueca, sempre acompanhada de geléias e mel. No Marrocos praticamente não há bebida alcoolica. Em geral só é possível encontrar vinho, cerveja ou qualquer outra bebida em mercados grandes e afastados do centro ou em hóteis e restaurantes internacionais. O que se bebe frequentemente no país é chá de menta, faça frio ou calor! Não tivemos nenhum problema em relação à alimentação, mas é importante ficar atento pois nas barracas de rua não há muita higiene. Também não é recomendado consumir água da torneira. Roteiro 7 dias no Marrocos Nosso roteiro foi de 7 dias, ida e volta de Lisboa para Casablanca em Junho de 2019. Todo o trajeto foi feito de carro. Dia 1 – Lisboa -> Casablanca -> Marraquexe Chegada em Marraquexe no fim da tarde. Janta e passeio pela Medina. Hospedagem: Oasis Hostel Tempo aproximado dirigindo: 03:00 Dia 2 – Marraquexe Dia inteiro em Marraquexe. Passeio pela Medina, compras no souk, visita ao Palais Bahia. Hospedagem: Oasis Hostel Tempo aproximado dirigindo: 00:00 Dia 3 – Marraquexe -> Aït-Ben-Haddou -> Ouarzazate -> Garganta de Dades Saída de Marraquexe de manhã, parada para almoço em Ouarzazate, passeio pela Garganta de Dadès e pernoite em Boumalne. Hospedagem: Dar Outeba Tempo aproximado dirigindo: 06:00 Dia 4 – Garganta de Dades -> Garganta de Todra -> Merzouga (noite no deserto) Saída de Boumalne de manhã, passagem pela Garganta de Todra, chegada em Merzouga no meio da tarde e saída para a noite no deserto pelas 17:00. Leia aqui como é passar uma noite no Deserto do Saara! Hospedagem: Tenda no Deserto Tempo aproximado dirigindo: 04:00 Dia 5 – Merzouga -> Casablanca Saída de Merzouga de manhã e chegada à Casablanca no final da tarde. Hospedagem: Airbnb Tempo aproximado dirigindo: 09:00 Dia 6 – Casablanca Visita à Mesquita Hassam II, passeio pela Medina e o Souk, caminhada na beira do mar. Hospedagem: Airbnb Tempo aproximado dirigindo: 00:00 Dia 7 – Casablanca -> Lisboa Entrega do apartamento e saída para o aeroporto. Hospedagem: – Tempo aproximado dirigindo: 00:30 A única coisa que eu mudaria desse roteiro seria o trecho de Casablanca. Só há uma atração que realmente vale a pena na cidade, a Mesquita Hassan II, então meio dia é suficiente. Acho que teria sido mais interessante conhecer Fez ou Chefchaouen. 📷 Clique aqui para ler o texto original com fotos.
  3. Bom dia Pessoal!! Estou afim de ir para o Reiveillon do Rio de Janeiro 2019/2020, Apenas na vespera(31) e feriado do dia (1ª) Até então não conheço muito a cidade, pretendo ficar em algum hostel. Se alguém tive interesse, dá um salve aí!! Obrigado.
  4. Boa tarde, estou pretendendo está la no dia 14/11. qual a data que vc vai?
  5. Pretendo ir pra chapada diamantina no dia 14/11, irei sozinha. Alguem vai está la nessa data? fico ate dia 17
  6. Ensino a Distância no exterior

    Quem acha que para estudar numa universidade estrangeira é preciso sair do país está redondamente enganado. As universidades do exterior também oferecem cursos a distância para brasileiros. A principal vantagem desta opção é ter um diploma internacional com um gasto infinitamente menor do que se você tivesse que viajar para a sede da faculdade.

    Leia  a matéria completa no meu blog Supletivo a distância

  7. Quando você não está de férias mas quer viajar e não tem muito tempo, Pirenópolis é uma boa opção! Fica bem pertinho de Brasília (2h mais ou menos) e em 2 dias você consegue ter um gostinho de tudo que dá para fazer na cidade. Para organizar a nossa viagem queríamos aproveitar: as cachoeiras, a vida noturna da cidade e subir os morros da região. Os lugares que escolhemos para fazer isso foram: Cachoeiras dos Dragões; Rua dos Restaurantes; e Parque dos Pirineus. Cachoeiras dos Dragões Para começar, saímos de Brasília 7h da manhã, o caminho de ida foi pela BR 060, estrada muito boa com boa parte do caminho com via duplicada. O plano era ir direto para as cachoeiras dos dragões que fica num mosteiro budista mais ou menos a uns 45 minutos de Pirenópolis e funciona de 9h - 17h. Para chegar lá você terá que passar por uma estrada de terra de mais ou menos uns 15km, de carro comum você consegue chegar lá, porém pode sofrer um pouco pois é uma subida e tem muita terra fina. Mas é uma estrada bem sinalizada e não acho que vai precisar de um guia. Chegando no mosteiro você passa por uma orientação rápida sobre as regras do local e já pode ir para a trilha. No local você pode usar os banheiros e encher as garrafinhas de água. Na trilha você vai ter duas opções uma mais leve e outra um pouco mais pesada, as trilhas têm uma boa manutenção e são bem sinalizadas, acho que tem um nível de dificuldade baixa, mesmo sendo 4,5 Km no total você consegue fazer ela toda sem muita dificuldade. Eu fui em outubro lá, época que as chuvas ainda estão voltando então tinha 3 cachoeiras que estavam secas, por isso eles dão um desconto na entrada, mas ainda assim acho que vale a pena, você consegue chegar em lugares da rocha que não seria possível na época da cheia. Rua dos Restaurantes A cidade é bem charmosa e preparada para receber os turistas, ficar a noite apenas andando nas ruas e olhando a cidade já bem interessante. Muita coisa só funciona a noite, uma rua em especial fica cheia de gente e tem vários restaurantes para você escolher. Descobrimos por acaso essa rua apenas caminhando pela cidade, mas é muito interessante para ir jantar e aproveitar a noite, porque nessa rua também funciona algumas casas de festa. Ficamos hospedados no "camping do theo" que nos foi indicado pelas pessoas da cidade mesmo, é um local muito tranquilo fica perto do centro da cidade, então você pode passar pela cidade e voltar a pé mesmo, pode entrar com o carro no quintal e montar a sua barraca do lado. Ele disponibiliza os banheiros e é um senhor muito simpático, conversando com ele você pode usar a geladeira e fogão também. Parque dos Pirineus O parque fica bem próximo a Pirenópolis, porém você tem que pegar uma estrada de chão de mais ou menos 12km para chegar lá, que para ir de carro comum você vai gastar um tempo a mais, devido as imperfeições que a estrada fica por conta do vento. Se você for voltar para Brasília, deixar o parque como última atração é muito bom, porque você já tem uma saída para a direção de Brasília que corta uma grande caminho da estrada convencional. Você sai na BR 070 dessa vez, que não é duplicada, mas é uma estrada em boas condições e chega em Brasília em 1:15h apenas. O parque tem várias trilhas pela "cidade de pedras" porém são trilhas sem muita manutenção e nenhuma sinalização, então é importante ir com um guia se quiser fazer as outras trilhas do parque. Porém você pode ir para a atração mais visitada que é subir os morros, aí você não precisa de guia, pois o caminho é bem simples e você vai ter uma vista linda de toda a região, já que você vai está a 1385m de altura em relação ao nível do mar. O morro que tem a capelinha tem uma subida simples, mas se você quiser subir os outros a trilha não é tão simples e terá que subir por trilhas sem sinalização e com uma dificuldade um pouco maior. Mas se você gosta de paisagens vai gostar da vista que os morros têm.
  8. @Daavi Rathge encontrei na decatlhon por 299,00, modelo com capacidade para 3 pessoas, a para 2 pessoas está saindo por 179,99
  9. Hoje
  10. @Pri Mendonça, tbm animo reunir mochileiros. 😎 Já estou com passagem comprada 2020. Embarque 29/01, e retorno 12/03. Farei Tailândia (15-20 dias), Indonésia (7-10 dias) e Vietnã. Se puder me add ao grupo, por favor: (43) 99821-4978. Uhuuuuu
  11. De Caxias do Sul para Marcelino Ramos, passando por Passo Fundo/RS https://rotasetrips.blogspot.com/ Destino da vez: Marcelino Ramos, cidade no extremo norte do Rio Grande do Sul, na divisa com Santa Catarina. Saímos de Passo Fundo/RS as 8 horas da matina, e "se fomos", estrada boa. No caminho belas paisagens rurais, pradarias, campos e vales, cruzando alguns pequenos como Viadutos e Gaurama. Paramos para um "pit stop" em Gaurama. E Curioso encontrarmos uma placa R$ 1,00 o para usar o banheiro. Ok. Fui pagar e o dono do estabelecimento, com um sotaque arrastado, disse: Não Precisa pagar! E ficamos ali conversando. Acabou contando que era chileno, e que aquele cartaz era para espantar os ciganos que estavam usando e abusando do banheiro. Um chileno residindo nesses rincões longínquos do RS. Figura simpaticíssima! E foi falando que o Chile é lindo, e que quer organizar excurões do pessoal de Gaurama para lá. O papo renderia horas mas tínhamos que seguir viagem. Chegamos a Marcelino Ramos, e descendo o morro já nos deslumbramos, com as belas paisagens formadas pelas encostas e pelo Rio Uruguai. Pagamos R$ 20,00 por cabeça, e adentramos ao complexo Termal. Com uma ótima estrutura, muitas piscinas, algumas cobertas, outras ao ar livre. A desejar só achei a falta de armários com chaves para deixar os objetos, fora isso, tudo uma maravilha. Ficamos ali nos escaldando por um bom tempo, curtindo aquelas águas mornas deliciosas, refazendo o corpo e a alma. Depois do almoço partimos para pegar o Trem. A estação de Marcelino, fica no centro da cidade, que é bem bonitinho com algumas construções antigas. O ingresso é comprado com antecedência pela internet a R$ 25,00 por pessoa. A estação estava lotada, e pelo que vi, algumas pessoas que deixaram para comprar o ingresso na horá, acabaram perdendo o passeio, que saí as 14 e 30 da estação. Tem outro passeio que vem da cidade de Piratuba/SC, deixa as pessoas na estação, dai o pessoal de Marcelino saí. O passeio em si, é bem nostálgico, dentro de uma Maria Fumaça antiga, que vai a passos lentos, percorrendo os trilhos as margens do Rio Uruguai, nos apresentando belas paisagens. De ruim é que se vê as paisagens apenas de um lado do trem, então como ficamos do lado direito, da janela víamos apenas um paredão de pedras e mato. Mas as quando chega na estação uruguai, no interior de Piratuba/SC, trocamos de lado, e conseguimos nos deleitas com as vistas do Rio. Cruzando por Alto Bela Vista/SC, cruzando uma ponte férrea, até voltar a estação. Então fica a dica desse baita lugar, chamado Marcelino Ramos, que rende, ótimos passeios, e muita diversão. Rota: Outras Fotos:
  12. https://rotasetrips.blogspot.com/ Destino da vez: Marcelino Ramos, cidade no extremo norte do Rio Grande do Sul, na divisa com Santa Catarina. Saímos de Passo Fundo/RS as 8 horas da matina, e "se fomos", estrada boa. No caminho belas paisagens rurais, pradarias, campos e vales, cruzando alguns pequenos como Viadutos e Gaurama. Paramos para um "pit stop" em Gaurama. E Curioso encontrarmos uma placa R$ 1,00 o para usar o banheiro. Ok. Fui pagar e o dono do estabelecimento, com um sotaque arrastado, disse: Não Precisa pagar! E ficamos ali conversando. Acabou contando que era chileno, e que aquele cartaz era para espantar os ciganos que estavam usando e abusando do banheiro. Um chileno residindo nesses rincões longínquos do RS. Figura simpaticíssima! E foi falando que o Chile é lindo, e que quer organizar excurões do pessoal de Gaurama para lá. O papo renderia horas mas tínhamos que seguir viagem. Chegamos a Marcelino Ramos, e descendo o morro já nos deslumbramos, com as belas paisagens formadas pelas encostas e pelo Rio Uruguai. Pagamos R$ 20,00 por cabeça, e adentramos ao complexo Termal. Com uma ótima estrutura, muitas piscinas, algumas cobertas, outras ao ar livre. A desejar só achei a falta de armários com chaves para deixar os objetos, fora isso, tudo uma maravilha. Ficamos ali nos escaldando por um bom tempo, curtindo aquelas águas mornas deliciosas, refazendo o corpo e a alma. Depois do almoço partimos para pegar o Trem. A estação de Marcelino, fica no centro da cidade, que é bem bonitinho com algumas construções antigas. O ingresso é comprado com antecedência pela internet a R$ 25,00 por pessoa. A estação estava lotada, e pelo que vi, algumas pessoas que deixaram para comprar o ingresso na horá, acabaram perdendo o passeio, que saí as 14 e 30 da estação. Tem outro passeio que vem da cidade de Piratuba/SC, deixa as pessoas na estação, dai o pessoal de Marcelino saí. O passeio em si, é bem nostálgico, dentro de uma Maria Fumaça antiga, que vai a passos lentos, percorrendo os trilhos as margens do Rio Uruguai, nos apresentando belas paisagens. De ruim é que se vê as paisagens apenas de um lado do trem, então como ficamos do lado direito, da janela víamos apenas um paredão de pedras e mato. Mas as quando chega na estação uruguai, no interior de Piratuba/SC, trocamos de lado, e conseguimos nos deleitas com as vistas do Rio. Cruzando por Alto Bela Vista/SC, cruzando uma ponte férrea, até voltar a estação. Então fica a dica desse baita lugar, chamado Marcelino Ramos, que rende, ótimos passeios, e muita diversão. Rota: Outras Fotos:
  13. De Caxias do Sul para Marcelino Ramos, passando por Passo Fundo/RS https://rotasetrips.blogspot.com/ Destino da vez: Marcelino Ramos, cidade no extremo norte do Rio Grande do Sul, na divisa com Santa Catarina. Saímos de Passo Fundo/RS as 8 horas da matina, e "se fomos", estrada boa. No caminho belas paisagens rurais, pradarias, campos e vales, cruzando alguns pequenos como Viadutos e Gaurama. Paramos para um "pit stop" em Gaurama. E Curioso encontrarmos uma placa R$ 1,00 o para usar o banheiro. Ok. Fui pagar e o dono do estabelecimento, com um sotaque arrastado, disse: Não Precisa pagar! E ficamos ali conversando. Acabou contando que era chileno, e que aquele cartaz era para espantar os ciganos que estavam usando e abusando do banheiro. Um chileno residindo nesses rincões longínquos do RS. Figura simpaticíssima! E foi falando que o Chile é lindo, e que quer organizar excurões do pessoal de Gaurama para lá. O papo renderia horas mas tínhamos que seguir viagem. Chegamos a Marcelino Ramos, e descendo o morro já nos deslumbramos, com as belas paisagens formadas pelas encostas e pelo Rio Uruguai. Pagamos R$ 20,00 por cabeça, e adentramos ao complexo Termal. Com uma ótima estrutura, muitas piscinas, algumas cobertas, outras ao ar livre. A desejar só achei a falta de armários com chaves para deixar os objetos, fora isso, tudo uma maravilha. Ficamos ali nos escaldando por um bom tempo, curtindo aquelas águas mornas deliciosas, refazendo o corpo e a alma. Depois do almoço partimos para pegar o Trem. A estação de Marcelino, fica no centro da cidade, que é bem bonitinho com algumas construções antigas. O ingresso é comprado com antecedência pela internet a R$ 25,00 por pessoa. A estação estava lotada, e pelo que vi, algumas pessoas que deixaram para comprar o ingresso na horá, acabaram perdendo o passeio, que saí as 14 e 30 da estação. Tem outro passeio que vem da cidade de Piratuba/SC, deixa as pessoas na estação, dai o pessoal de Marcelino saí. O passeio em si, é bem nostálgico, dentro de uma Maria Fumaça antiga, que vai a passos lentos, percorrendo os trilhos as margens do Rio Uruguai, nos apresentando belas paisagens. De ruim é que se vê as paisagens apenas de um lado do trem, então como ficamos do lado direito, da janela víamos apenas um paredão de pedras e mato. Mas as quando chega na estação uruguai, no interior de Piratuba/SC, trocamos de lado, e conseguimos nos deleitas com as vistas do Rio. Cruzando por Alto Bela Vista/SC, cruzando uma ponte férrea, até voltar a estação. Então fica a dica desse baita lugar, chamado Marcelino Ramos, que rende, ótimos passeios, e muita diversão. Rota: Outras Fotos:
  14. Olha, eu não duvido nada de poder ter sido má-fé... eu tive uma péssima experiencia com o staff da KLM no Aeroporto de GRU que, no ato de entrada no avião, uma funcionária muito mal educada, não me deixou embarcar no voo por que disse que eu não tinha visto para entrada na Turquia! Eu informei a ela que no ato do check in, tendo passaporte português, ninguém me informou que eu precisava de visto para entrar na Turquia e fizeram meu check in normalmente. Ela, muito indelicadamente, disse que não podia fazer nada, que eu tinha que ter o visto e etc e não ia me deixar embarcar por que a klm seria multada e etc. Resultado: perdi meu voo e fiquei sem saber qual seria o procedimento para embarcar num outro voo. Eles fecharam o check in e desapareceram (os funcionários). Liguei para a agencia de turismo, que, graças a Deus ainda, estava aberta, (eram umas 19.30hrs) e a gerente me disse que na Turquia eles nem olham esse tipo de visto, e que eu podia embarcar sem ele e chegando lá, no aeroporto de Istambul, se eles me cobrassem o tal visto eu poderia pagar uma taxa de 20 dolares para obtê-lo e entrar, sem problemas OU que eu podia tirá-lo, eletronicamente, no site do e-visa da Turquia. Ou seja, se essa pessoa do staff da KLM sabia que eu precisava de visto, ela também sabia COMO RETIRÁ-LO ONLINE (em menos de 10 minutos!!!) ou saberia desse procedimento no aeroporto de Istambul. Mas infelizmente por pura maldade mesmo, não me informou. Enfim, estou relatando minha historia para que outros não caiam nessa "sacanagem" feita por essa funcionária da klm que parecia ser a supervisora ou algo do tipo, naquele dia e horário. Mas não deixarei quieto. KLM que espere meu processo contra os danos morais e materiais advindos desse comportamento desta funcionaria.
  15. Estive em Cusco nos dias de 11/20 de Setembro de 2019, Cusco fica numa altitude de 4.500 metros, a minha intenção foi ver as montanhas coloridas Vinicunca também chamada de de Montaña de Colores ou Rainbow Mountain, montanha que tem "5.200" metros de altitude, pois o oxigênio se torna rarefeito à partir de 3.500 metros de altitude. Em Cusco já se faz sentir o cansaço e em muitas vezes taquicardia provocado pela baixa oxigenação, enquanto nas montanhas isto tende a se agravar para algumas pessoas, ocasionando em muitos; dor de cabeça, vômito, taquicardia e falta de ar, mas estes sintomas de depende do estado e preparo físico de cada pessoa. Recomendo o mínimo de 3 dias ou mais de aclimatação em Cusco antes de subir a montanha, mas não é recomendado para pessoas obesas ou sedentárias. Com meus 65 anos eu apenas senti leve taquicardia e não sentindo os demais efeitos citados, pois sempre fiz e faço longas caminhadas para acampar em serras e matas. Só para comparação Macchu Picchu fica à 2.400 metros de altitude, e o maior pico do Brasil é o Pico da Neblina que tem 2.995 metros de altitude em comparação com os 5.200 metros de Vinicunca. Sempre viajo e acampo sozinho pela América Latina, pois meus amigos preferem ver a natureza pelo National Geographic Channel, sentados em seus confortáveis sofás.
  16. Ola, estou procurando companhia p/ o msm roteiro porem, para Março...caso tenha interesse,responde aqui!
  17. Pesquisa cientifica costuma ser uma coisa que costuma consumir muito tempo, na época do meu mestrado/doutorado, eu lembro que gastava umas 6 horas por dia durante 3 anos em função da pesquisa, então tirando os finais de semanas que eu tirava de folga, não me sobrava tempo para quase nada alem da pesquisa cientifica. Em relação aos métodos de pesquisa, cara, não tenho a menor ideia do que você estaria pesquisando e quais métodos seriam aplicáveis ao tema da sua pesquisa, dependendo do tema, nem todos os métodos serão aplicáveis.
  18. @victorprado Fala meu caro. Olha essa informação me foi passada pela equipe do Morgado, mas não verifiquei! Como a diferença entres os valores não era tão grande, preferi não arriscar.
  19. Eu acho que na prática não serão 4 horas livres, mas sim 3 horas no máximo! Até você desembarcar, a econômica fica no fundão do avião, tem que esperar todo mundo descer antes, e passar na imigração, facilmente você gasta 30 ou 45 minutos. Ai você tem achar e ir até a estação de trem do aeroporto, comprar a passagem de trem, esperar o próximo trem chegar, vai uns 15 a 20 minutos nisto. A viagem até a estação Centraal leva uns 20 mintunos. E na volta, você tem que chegar no aeroporto pelos menos 1h30 antes do seu próximo voo, para ter tempo de passar no raio-x com calma e folga para imprevistos, no horário de pico do aeroporto, você pode levar até 30 minutos só para passar no raio-x, e como o portão de embarque fecha 30 minutos antes, se você chegar 1 minuto atrasado, perde o voo e todos os trechos restantes, tendo que pagar uma multa bem pesada para reativar a viagem. A viagem de trem até o aeroporto leva uns 20 minutos, mais uns 30 minutos para você voltar a estação Centraal e esperar o seu trem chegar. Ou seja, somando tempo de desembarque, imigração, e logística de ir e voltar até o centro, facilmente você gasta pelo menos 3 horas só em função de ir até o centro e voltar ao aeroporto, e na prática terá menos de 3 horas livres em Amsterdam. Isto se o voo não atrasar na chegada, se o voo de vocês atrasar, 45 minutos, já não vale mais a pena ir ao centro, é muito risco de algo dar errado e vocês perderem a conexão.
  20. Oiee!! Tudo certo sim! Chego dia 16. Já fechou hospedagem? Depois me chama no whats q marcamos algo por lá... 21 98771-2622.
  21. Quanto que você vai gastar, depende muito das suas escolhas no dia-a-dia, mas só para lhe dar uma ideia do que eu lembro ter gasto. Eu quase não tenho restrições a comida, tem muitas poucas coisas que eu não como, então na hora de almoçar eu costumo pedir o prato do dia nos restaurante, na Europa praticamente não existem restaurantes buffet, quase todos são a la-carte, e a maioria tem prato do dia, que costuma ser mais barato. Em Paris, se sair das vizinhanças das atrações famosas, você consegue achar locais com certa facilidade onde o prato do dia, ou Formule em francês, incluindo uma entrada e um prato principal custa uns 15 ou 16 Euros, ai se for pedir uma bebida para ajudar a comida a descer, vai mais uns 2 ou 3 euros, e com a gorjeta, a conta do almoço fecha em uns 17 a 20 euros por pessoa. Em Amsterdam eu sempre achei tudo bem mais caro, prato do dia, composto de uma entrada e prato principal mais uma bebida dificilmente fica por menos de 20 ou 23 Euros. Em Londres, o "segredo" para comer bem e barato é ir comer nos pubs e não em restaurantes, restaurantes são caros, mas nos pubs a comida costuma ser mais barata, e novamente eles trabalham com prato do dia, saindo um pouco das proximidades das atrações famosas, eu sempre consegui achar pubs onde um almoço composto por entrada mais prato principal mais um pint de cerveja custava umas 12 ou 13 libras. Eu morei muito tempo na Alemanha, e peguei o costume alemão de não jantar a noite, os alemães fazem somente um lanche a noite, composto por pão, presunto, queijo, etc e um chá... Então quando eu viajo, eu costumo passar no supermercado no começo da noite e comprar algumas coisas para jantar, eu gasto em média de uns 3 ou 5 euros para jantar. Se você ficar hospedado num local que tenha geladeira, dá para comprar alimentos em embalagens maiores e mais baratas, não precisa comprar todo dia pequenas quantidades, e isto pode baixar a conta do jantar em 1 ou 2 euros. Se você faz quentão de comer comida cozida no jantar, janatar num restaurante ou pub costuma ser uns 20% mais caro do que no almoço, mas se você ficar num hostel com cozinha completa, e tiver o mínimo de habilidades culinárias, dá para ir comprar alguma coisa no supermercado e preparar o seu jantar no hostel, mas o conta também fica em uns 3 ou 5 euros por noite. Café da manhã, quando não está incluso na hospedagem, você tem que tomar na rua, e nesta hora novamente apelar para o supermercado pode lhe render uma boa economia, a maioria dos supermercados tem itens de panificação frescos a venda e ai é só comprar um café para acompanhar numa starbucks, mac donalds ou outro quiosque qualquer que venda café, e você consegue tomar café da manhã com uns 3 a 5 euros. Se for numa padaria, sentar e tomar café da manhã bom e reforçado, facilmente vai 10 ou 15 Euros. Então só com comida, a minha média de gastos é 25 a 30 euros por dia para café da manhã, almoço e jantar. Mas você pode gastar mais ou menos do que isto, dependendo dos locais onde for se alimentar e do que for pedir. Eu também não costumo ficar lá passando vontade do lado de fora das atrações, se eu achar que vale a entrar, eu pago o ingresso e entro, pessoalmente eu separo 15 Euros para passeios e ingressos. Tem dias onde não faço nenhum passeio pago, mas tem dias onde faço 2 passeios pagos, então uns 15 euros por dia é uma boa média. Em Londres e Paris você vai ter que usar metrô, não tem jeito, em Bruxelas e Amsterdam, eventualmente você também terá que usar metrô/ônibus, então eu separo uns 5 euros/libras para metrô por dia. Então alimentação + passeios e ingressos + metrô, na minha média de gastos dá uns 50 euros por dia nestas cidades caras. Ainda falta a hospedagem, você pode escolher uma cama num hostel num quarto coletivo de 20 pessoas e pagar 15 euros por noite, pegar um hostel um pouco melhor e pagar 25 euros por noite, ou então pegar um quarto privativo que custa entre 50 e 1.200 Euros por noite... Então 45 ou 50 Euros de alimentação + passeios + metrô + 25 euros de hostel, daria algo próximo de 70 euros por dia. Hospedagem é uma coisa que você reserva antecipadamente, então esta parte você já consegue saber com certeza quanto vai pagar de hospedagem. O problema mesmo são os gastos com alimentação e passeios, estes vão depender das suas escolhas lá na hora. Em resumo, no meu perfil, eu gasto algo próximo de 70 Euros por dia, você até pode gastar um pouco menos, mas dificilmente a conta fica por menos de 60 euros por dia. Então já faz a conta logo com 70 ou 75 euros, para você ter 5 ou 10 euros livres para tomar uma cerveja num final de tarde, ou no barzinho do hostel....
  22. fala galera, fizeram a trip? to pensando em fazer o litoral saindo do ceara rumo ao sul no começo de 2020, podem dar dicas, relatos ou indicar uns picos bons?
  23. # PATAGÔNIA ARGENTINA E CHILENA Dicas para organizar uma viagem pela Patagônia >>> Onde ficar em El Chaltén? >>> Onde ficar em El Calafate? >>> Onde ficar em Ushuaia? >>> Onde ficar em Torres del Paine? >>> Seguro viagem para a Argentina >>> Roteiro pela Patagônia >>> Dicas de viagem pela Patagônia >>> Viagem para Ushuaia >>> Hotéis baratos em El Chaltén >>> Hotéis baratos em Ushuaia >>> Hotéis baratos em El Calafate
  1. Mais Resultados


×
×
  • Criar Novo...