Ir para conteúdo

Todas Atividades

Atualizada automaticamente     

  1. Recentemente
  2. Olá! Meu nome é Eduardo e esta é minha primeira postagem nesse fórum. Vou relatar a vocês minha experiência de bate-voltas pelo interior de São Paulo, através das linhas suburbanas da ARTESP. Desculpe pela ausência de fotos, pois minha câmera é bem beeeem ruim, e não colabora quando preciso rsrs O que são as linhas suburbanas? Para quem não conhece, as linhas suburbanas da ARTESP são linhas de ônibus intermunicipais que interligam regiões que não fazem parte de região metropolitana ou conectam uma região metropolitana a outra. Posso citar exemplos como a linha Itapevi x São Roque, conectando a região metropolitana de São Paulo com a região metropolitana de Sorocaba ou então na região de Jundiaí. Como esta não faz parte de uma região metropolitana, as linhas intermunicipais são gerenciadas pela ARTESP. E assim por diante. Como é impossível encontrar informações de quantas linhas suburbanas existem [não é tão prático assim como na EMTU por exemplo], tive, através da lei de acesso a informação, solicitar ao orgão quantas dessas linhas existem e seus itinerários. Não consegui todos os itinerários, mas com uma base na mão, parti para ver se era isso mesmo. Primeiro bate-volta - São Paulo até Bragança Paulista (Total gasto: R$45) Eu estava querendo muito viajar, porém, estava desempregado e sem grana. Pensei em algumas formas para driblar isso, desde conversando com amigos, pensando em carona (não tive essa coragem até agora) e vendo passagens pela internet. Como o preço das passagens dos ônibus rodoviários estão bem caras, fiquei pensando se tinha alguma outra forma de viajar. Então soube dessas linhas suburbanas e vi que poderia fazer umas viagens ao interior sem gastar 20, 30 reais numa única passagem de um ônibus rodoviário. Numa manhã de sábado, aproximadamente as 6 horas, juntei minhas economias, peguei minha mochila com uns lanches e a garrafa de água e então fui até o Metrô Parada Inglesa, gastando R$4,30 no Metrô (pois moro no extremo da Zona Leste). Próximo daquela estação, sai uma linha intermunicipal até Mairiporã, custando R$6,45, ainda usando o cartão BOM. Para minha sorte, ele já estava encostado no ponto final. Depois da bela paisagem da Serra da Cantareira pela Fernão Dias, chego ao terminal de Mairiporã, por volta das 10 da manhã. Vejo o ônibus suburbano para Atibaia, pela Viação Atibaia, com uma singela passagem de R$4,65, mais barato que o ônibus anterior. Mesmo com uma grande fila, todos os passageiros foram sentados. A primeira imagem é já na viagem pelo suburbano, na Fernão Dias ainda em Mairiporã. Após aproximadamente 50min de viagem, chego ao centro de Atibaia, na rodoviária local. Dali é possível ver que desembocam diversas linhas intermunicipais (e rodoviárias), para destinos como: Piracaia (R$4,65) | Campo Limpo Paulista (R$4,05 - tratarei dessa mais a frente) | Nazaré Paulista (R$4,25) | Jarinu (R$4,25) | E a qual escolhi, Bragança Paulista, com a passagem custando R$4,80. A frequência da linha até Bragança é boa, então é tranquilo ir aos fins de semana e feriados. Mais uma vez, fiquei curtindo a paisagem e também o centro de Bragança, que é um charme só, até a chegada ao terminal rodoviário, por volta da meio dia e meia. Mais uma vez, ali é ponto de conexão para outras linhas suburbanas e até uma semiurbana [intermunicipal que cruza um estado a outro], são elas: Águas de Lindoia | Tuiuti | Jundiaí | Itatiba | Amparo | Socorro | Pinhalzinho | Extrema (MG). Há também uma linha para Vargem, porém sai num outro terminal urbano no centro da cidade. No entanto temos um problema, muitos desses destinos em Bragança tem horários bem limitados, chegando ao ponto de apenas um horário no dia (Amparo). As mais frequentes são para Atibaia, Extrema, Jundiaí, Itatiba e Tuiuti. Enfim, a fome bateu na rodoviária e aproveitei meus lanches. Há uma lanchonete no local com produtos vindos de Minas Gerais e um X-Salada com massa caseira que também recomendo (experimentei na minha segunda ida pra lá). Já satisfeito por ter conseguido chegar um pouco mais longe gastando apenas R$20 reais, comprei uma passagem direto para São Paulo (R$25) e dei por encerrado esse bate-volta. Segundo bate-volta - São Paulo até Indaiatuba (Total gasto: R$22,60) Essa aqui me impressionou pelo fato de que gastei menos do que indo para Bragança. Antes de partir, fui me informar mais sobre estas linhas suburbanas. Para meu espanto, há muito pouca informação sobre elas. No máximo, a região de Jundiaí é a que possui mais coisas e depois só de São Carlos pra frente até o limite do Estado de SP com Mato Grosso do Sul. Nem mesmo informação sobre itinerário (como vou saber onde o busão passa) e preço. No caso da região de Jundiaí, os aplicativos Moovit e Cittamobi ainda quebram um galho, mas não é como na capital. Iniciando mais uma vez a aventura, com a mochila "véia de guerra", e mais uma vez numa manhã de sábado, gastando R$4,30, vou até a estação Jundiaí da CPTM. No entanto, as linhas intermunicipais da região não atendem a estação ferroviária, o que peca nessa integração entre os modais de transporte. Então caminhei 40 minutos, numa subida bem chatinha até o centro de Jundiaí, próximo ao Terminal Central. Sei que há o terminal Vila Arenas próxima a estação da CPTM, porém a intenção é economizar. Na região central, há o viaduto da Avenida Jundiaí onde é ponto final para linhas suburbanas como: Franco da Rocha | Cajamar | Bragança Paulista | Jarinu | Itupeva | Cabreúva | Indaiatuba. OBS: Na rodoviária também sai linhas para Vinhedo, Louveira e Viracopos. O meu objetivo era essa linha para Indaiatuba, pois é a ligação entre duas regiões diferentes [Jundiaí e Campinas]. O preço da passagem é R$7,00. Mal imaginava eu, que, o caminho da linha, cruzando Jundiaí e depois por dentro de Itupeva, numa estrada local, passa por fazendas históricas desde os tempos do Império. Além do mais, no caminho há diversos condomínios residenciais de luxo e, para meu interesse, muitos sítios e plantações a beira da estrada e inclusive rochas metamórficas que vão até a região do Parque do Varvito em Itu. A viagem até a nova rodoviária de Indaiatuba, o ponto final desta linha suburbana, dura aproximadamente 2 horas. Da rodoviária há linhas da EMTU e da ARTESP, além das rodoviárias. Se eu tivesse com um pouco mais de grana dava para ir na linha 611 para Americana (R$8,55) ou a suburbana para Salto. Futuramente, estarei fazendo estes caminhos. Depois de conhecer a rodoviária, dei uma caminhada pelo centro de Indaiatuba e visitei também o museu local. Então retornei a rodoviária e refiz todo o caminho da ida. Terceiro bate-volta - São Paulo até Atibaia (por Campo Limpo Paulista e Jarinu) (Total gasto: R$16,70) Este bate-volta teve poucas intenções. Só foi para conhecer esta linha para Atibaia que sai da estação da CPTM de Campo Limpo Paulista. Para quem curte estrada de terra, experimente andar de ônibus rsrsrs. O caminho da linha pega, em parte, o antigo traçado da E.F. Bragantina. Depois o ônibus vai pela Estrada da Cooperativa e atende uma pequena parte de Jarinu, e então vai até a Rodoviária de Atibaia. No entanto, esta linha tem apenas 3 horários diários. Então assim que cheguei em Atibaia, retornei pelo mesmo caminho. Vale pelo baixo custo da passagem: R$4,05. Minhas costas doeram por 2 dias depois disso rsrs. Quarto bate-volta - São Paulo até Miracatu (Serra do Cafezal) (Total gasto: R$36,60) Infelizmente, não há uma linha suburbana que liga até a região central de Miracatu, nem mesmo a provavelmente para não estragar os interesses da Valle Sul. Pois quando tentei fazer esse roteiro, fui de ônibus intermunicipal até Juquitiba, vindo do Tietê (R$12,05). E de lá do terminal rodoviário de Juquitiba, há uma linha suburbana operada pela Soamin até a Serra do Cafezal, especificamente até o Graal Japonês, no KM 348 da Regis Bittencourt. Esse ônibus só possui dois horários diários, um da manhã as 6 e pouco e outro as 15:20. O itinerário da linha é circular, chegando ao Graal ele segue até o próximo retorno a Juquitiba e depois volta a rodoviária. Para não perder a viagem, voltando em Juquitiba vi o encontro do Rio São Lourenço com o Rio Juquiá e visitei a biblioteca local, atrás da Igreja Matriz. Mas deixo avisado, é uma subida e tanto para chegar lá. E num mercadinho próximo a rodoviária, há um pacote com dois pães de mel a mero 1 real, recomendadíssimo. Planos futuros Há muitas rotas ainda para conhecer, como Cotia x Piedade [dali é possível ir a Tapiraí], Itapevi x São Roque [e depois ir para Sorocaba], Mogi das Cruzes x Jacareí [ou SJC], região do Vale do Ribeira, São Carlos, Araraquara até Marília/Presidente Prudente, sem contar outras que ainda não citei. Quem sabe, num futuro próximo, eu conheça boa parte do estado de São Paulo só nessas brincadeiras. Agradeço por ler até aqui.
  3. Obrigado pela dica, galera. Racionalmente pensando eu sei que é absurdo trocar um voo de 9 horas por outro de 33 horas (contada a conexão), Portugal é um país que nunca me chamou atenção, apesar de nunca tê-lo visitado. Sei lá, deve ser preconceito meu mesmo. Vou seguir a dica de vocês e pegar um voo direto e tentar explorar esse país ao máximo. turqui fica para uma próxima
  4. rodrigo-whisky

    Fleece

    @aruaei qual vai ser o uso. Fleece de gramatura muito alta não tão quente e e muito volumoso e pesado. No geral uma blusa tipo puff seja de pluma como sintética vai esquentar mais. A decathlon tem uma de pluma 800 que custa uns 350 reais e da pau em 99% das blusas de 1000 reais a venda no Brasil.
  5. A TAP da possibilidade de stopover... Ilha da Madeira e algumas cidades de Portugal. confira: https://www.flytap.com/pt-br/stopover/como-reservar
  6. Se fosse no meio do caminho, até valeria, mas tem que ir lá pro outro lado da Europa pra voltar, meio complicado.
  7. @D FABIANO respondeu perfeitamente. Quanto as distâncias parecem muito maiores por conta do transito. À partir do fim de março a temperatura das águas baixa demais, ficando muito difícil para banhos em maio já faz frio fora da água. Então é para contemplar, fotografar, caminhar, o que não é pouco.
  8. Hoje
  9. @Márcia de Oliveira 1982 Estamos indo pra um rolê diferenciado a partir de 02/03, pegar uma coisa mais rootz. Se animar da um toque e fale com meu nobre amigo @Vander G. que esta organizando a trip. Estou chegando na Chapada dia 01/03.
  10. Olá Micheleq tudo beleza Bem, o Peru tem distritos tranquilos e seguros, mas também tem distritos perigosos; aqueles eu não recomendo visitar. Os distritos que você deve visitar são Miraflores, Barranco, Centro de Lima e San Isidro. Eles estão perto um do outro. Existem pacotes turisticos que incluem esses quatro distritos que você pode visitar em um dia inteiro ou se você quiser, pode fazê-lo por conta própria 😁. Você pode aproveitar seus dias para viajar para Ica (4 horas de ônibus), onde fará turismo de aventura, visitará a reserva natural de Paracas, experimentará vinhos e piscos e conhecerá a Huacachina (oásis). Como dica, marque sua viagem com uma agência confiável, que esteja em contato com você o dia todo, e acima de tudo, que oferece um excelente serviço e preço acessível. Eu e meus amigos viajamos para Ica no ano passado. A agência Calypso Peru nos ajudou muito na organização do nosso roteiro. A equipe foi muito paciente e nos deram as melhores tarifas. Eu uso essa agência em algumas viagens que faço nas minhas férias. http://www.calypsoperu.com/es/
  11. aruaei

    Fleece

    Boa tarde, to atrás de um fleece o mais quente (gramatura 300 pra cima) e comprimível (que ocupe o menor espaço na mala) possível, indicações?
  12. Uns dias dias são dois dias inteiros? Considere quantas horas efetivas você vai ter na cidade..conheço Istambul e com 02 dias você tem uma noção da cidade, mas vai ficar com a impressão que ainda faltam coisas. Eu iria direto pra Lisboa e aproveitaria mais tempo lá! Abs.
  13. Boa tarde, pessoal, em maio irei para um casamento em lisboa. Estou olhando passagem e existe a possibilidade de pegar um voo em campinas direto para lisboa ( 9 horas de voo) ou pegar um voo pela turkish e passar uns 2 dias em Istambul. Vocês acham que vale a pena fazer esse voo mais longo apenas para passar 2 dias em istambul?
  14. @[email protected] essa data me interessa! Já fechou as pessoas pra dividir a estadia?
  15. Patheli

    Vendo Osprey Aether 70

    Vendo minha Osprey Aether 70 na cor vermelha, apenas uma temporada de trilhas pelo Brasil (mantiqueira, serra fina, itatiaia e caparaó). Motivo: Comprei uma Osprey Aether AG 70 (evolução kkkk) É isso, meu contato (11) 93476-2907 caso tenham interesse. Osprey Aether 70
  16. @Welerson Santos Não existe aplicativos ou site de passagens exclusivamente baratas o que tem são buscadores de passagens que compara o preço entre várias cias e agências por citar alguns: googleflights.com kayak.com skyscanner.com A easyjet e a eurowings que são cias de baixo custo voam entre as 2 cidades Alem disso a british airways também Então vale a pena entrar no site delas e dar uma olhada
  17. Patheli

    Venda

    Vendo minha Osprey Aether 70 na cor vermelha, apenas uma temporada de trilhas pelo Brasil (mantiqueira, serra fina, itatiaia e caparaó). Motivo: Comprei uma Osprey Aether AG 70 (evolução kkkk) É isso, meu contato (11) 93476-2907 caso tenham interesse.
  18. oi

    pretendo viajar no primeiro semestre para algum lugar da américa do sul, se tiver interesse me chama no watts

    66 9 9615 9550

  19. 13º dia - Puerto Natales a El Calafate - 351 Km Acordamos tarde pois a pernada era curta. Saímos do hostel umas 10 h. Seguimos em direção a paso Dorotea onde fizemos os tramites de saída do Chile e entrada na Argentina. Tudo muito simples e rápido. Seguimos até a cidade de Rio Turbio e logo desembocamos na mítica Ruta 40, uma estrada de mais de 5 mil km que corta a argentina o norte até o sul. Neste caminho até El Calafate a estada tem muitos trechos cheios de buracos que se podia ver de longe pois geralmente estavam assinalados por grandes marcas de freiada antes deles. Mas alguns buracos não haviam marcas, portanto tínhamos que ficar atentos. Neste trecho a Ranger voltou a esquentar e eu estava atento. Assim que a temperatura começou a subir e antes de entrar no vermelho eu já parei o carro. Achei estranho pois pela manhã eu sempre estava completando água do reservatório. Depois do susto decidi que iria procurar um mecânico em El Calafate para consertar esse problema. Depois de completar a água seguimos viagem e achamos uma hospedagem de bom preço, o hostel de las Manos. Depois de nos instalarmos saímos para comprar o pacote de passeio de barco pelas geleiras. Haviam 2 passeios, o Rios de Hielo e o Todos Glaciares. O primeiro tinha dia sim dia não, já o segundo era diário e bem mais caro. Este incluía uma parada perto do glaciar Spegazzini numa estrutura que tinha um grande restaurante com vista panorâmica. Optamos por este passeio só que para o dia seguinte estava cheio, só tinha para o outro dia. Reservamos para esse outro dia e tivemos que ficar um dia a mais em El Calafate. De qualquer maneira teríamos que ficar mesmo. Como eu relatei, tinha de achar um mecânico. Busquei informações em um grupo de viagens do whats que eu frequento e me passaram a dica de um mecânico na cidade que era muito bem conceituado no app IOverlander. Mais tarde publico o endereço e o nome. Ficou combinado de eu deixar o carro no dia seguinte e biscá-lo no próximo dia as 10 h. Depois de conseguir resolver essa parada com o mecânico fomos jantar e depois dormir.
  20. oi michele também pretendo ir ao Peru, me chama no watts! 66 99615 9550
  21. Hoje em dia não precita investir tanto pra deixar o peso base abaixo de 5kg galera. No aliexpress já tem tudo com excelente preço e boa qualidade. Se quiserem alguma dica, peçam lá nos comentários do canal do youtube do Graxaim Congelado. Abçs.
  22. Oiii gente, eu estou tirando a minha cidadania e é bem provável que em menos de 6 meses eu esteja na Itália. Se alguém estiver também ficarei feliz em fazer amizade. Vou sozinha e nunca fui pra lá então seria legal ter companhia. vou deixar meu telefone aqui 11966150612
  23. @Márcio/Sp Realmente há trechos que são mais difíceis, como no entorno do Xingu e no interior do Jalapão. Mas se você pegar só as vias principais, saindo de Brasília, passando pela Chapada dos Veadeiros, Alto Paraíso e seguindo o ramal principal do Tocantins, até que o transporte não é complicado. No Pará também não é, desde que você siga as rodovias principais, sem entrar muito nas áreas mais remotas. Só te recomendo cautela, pois em termos de segurança aquela área já era complicada e agora deve estar bem mais. Se precisar de algo estou à disposição. Abraços!
  24. @appriim que relato incrível o seu! Agora em Maio estou indo para Ushuaia, El Calafate, El Chalten e também Puerto Natales para fazer o trekking até a base de Torres Del Paine. Gostaria de tirar uma única dúvida com você. Em Ushuaia, El Calafate e Puerto Natales, os estabelecimentos, principalmente Supermercados, aceitam pagamento com cartão? Porque tenho um cartão do N26 em que não pago nenhuma taxa para usar ele como débito no exterior, então seria bem mais vantajoso do que andar somente com dinheiro vivo.
  25. Olá, Alguém tem interesse em ir para Santiago, Atacama e Salar Uyuni? Chegando dia 28/03 em Santiago e retornando dia 07/04.
  26. Que viagem alucinante, pena que é uma dificuldade imensa de transporte regular, tem que estar com a mente aberta.
  1. Mais Resultados


×
×
  • Criar Novo...