Ir para conteúdo

Líderes

Conteúdo Popular

Exibindo conteúdo com a maior reputação em 05-02-2018 em todas áreas

  1. Um semana depois de voltar de viagem sigo encontrando pessoas, revendo amigos e conhecidos que me perguntam sobre essa experiência. Encontros e conversas em que ouço perguntas e comentários que podem ser divididos em duas ou três categorias. As quais poderiam ser nomeadas como: os que me acham maluca; os que me acham corajosa e/ou admiram o feito; os que não estão nem aí, nem pensam nada sobre. E isso tudo que tenho ouvido está me fazendo pensar sobre 'o porquê viajo sozinha'. Até porque eu não sei em qual categoria destas eu me colocaria, ou qual delas eu penso ser a mais justa para o que aconteceu. Por que viajo sozinha? Sempre fui (e ainda sou) bastante insegura. Não naquilo que sou, nos meus valores, convicções e caráter. Sempre tive muito claro o que é certo, o que eu quero para mim e como quero ser lembrada pelas pessoas. Mas sou insegura naquilo que faço, naquilo que sei, naquilo que quero dizer. A primeira viagem que fiz sozinha foi quando finalizei a faculdade. Vivia um momento de 'e agora?', de passagem de uma vida de estudante e estagiária para profissional. Foi a primeira vez que me vi longe de casa, em um lugar que as pessoas não falavam a minha língua e que eu precisei me virar. Com uma mochila nas costas, uma passagem de ônibus e pouquíssimo dinheiro, organizei meu tempo, fiz escolhas, somei amigos e vivências. Voltei feliz e confiante que sendo capaz disso, seria capaz de outras coisas também, principalmente as quais mais despertavam medo em mim. Fiz a seleção para o mestrado mais ou menos confiante, sabia das minhas limitações teóricas e de currículo. Fui aprovada. Vivi quase três anos de idas e vindas entre a minha cidade e Porto Alegre em que, com poucas exceções, viajava pensando 'guria, tu tá fazendo mestrado em uma das melhores universidades do país, tu conseguiu'. Mesmo assim as dúvidas quanto a minha capacidade e merecimento do que estava vivendo, me acompanharam durante todo o processo. Defendi minha pesquisa frente a uma banca que a aprovou praticamente sem sugestões de correção. Após a conclusão do mestrado, um retorno do terrível 'e agora?'. Senti que era hora de me testar novamente. Uma viagem mais longa, com trocas de cidades e voos com conexão. Um medo imenso, misturado com uma vontade quase necessidade de me arriscar. Fiquei dez dias longe de casa, sozinha com minha mochila, de hostel em hostel. Um planejamento que me acalmava, mas que dava espaço ao inesperado. O que no fundo era o que eu mais queria. Queria me arriscar, me testar, sentir na pele a intensidade da solidão. Voltei feliz, energizada e gritando pra mim mesma que viagens são o que eu quero acumular nesta vida. Então, respondendo: eu viajo sozinha porque me faz bem! Uma forma um tanto egoísta de me abastecer de segurança, uma forma um tanto intensa de sentir que sim, as coisas vão dar certo. Não penso em viajar sozinha sempre, não quero pensar nada a respeito. O que sei é que estar imersa em outra cultura me ensina, me ajuda a ver como somos pequenos em nossa rotina, e que tudo aquilo que pode me deixar triste ou insegura é pequeno demais em um mundo tão grande. O Peru, país escolhido para essa viagem, se mostrou acolhedor a todas essas minhas inseguranças. Pessoas alegres e dispostas a ajudar, lugares bem sinalizados e já bastante povoados por turistas (apesar de estarem em baixa temporada agora). Vivi as ruas bonitas de Lima, a praia em Miraflores e o centro histórico em dias sol. Já em Cusco, a sensação de não estar em 2018, despertada pela arquitetura. Ruas estreitas e cheias de história e cultura, pessoas caminhando para todos os lados, disputando lugar entre as ofertas de tudo que se pode imaginar. A viagem de trem até Águas Calientes, a energia de uma cidadezinha ao pé daquilo que eu mais esperava. Minha subida até Machu Picchu foi pela trilha: eu recomendo! Uma paisagem que motivava degrau por degrau e que foi compensada pela beleza de uma cidade lindíssima. Arrepio e choro ao entrar, saudade e muitas fotos ao sair. Viajo sozinha não porque não tenho amigos ou pessoas para me acompanhar, mas porque vejo nessas experiências a oportunidade de conversar somente com a Fernanda, levar ela para o mundo e deixar que ela veja que há muito mais lá fora. Muitas vezes senti minha mão sendo pega por mim mesma, como se houvesse outra Fernanda, bem mais segura, que garantia 'é por aqui'. Por isso não me sinti sozinha. Não fui nem sou triste comigo mesma, pelo contrário. Viajo sozinha para provar para mim mesma que eu sou o que tenho de mais importante. Que minha família e as pessoas que sinto saudade são as que quero sempre por perto.A intensidade de estar só e longe de casa possibilita outro ângulo de olhar, faz ver o que realmente importa. Um deslocamento que sacode e faz ver a pequenez de tanta coisa que, de perto, parece grande. E, por fim, viajo sozinha também porque sou, como dizia Frida Kahlo "o assunto que conheço melhor", minha melhor companhia, a pessoa que quero mais bem e feliz. O que entendo ser uma construção primeira, algo que fará que eu seja uma boa companhia para quem for comigo nas próximas viagens, ou quem permanecerá perto por aqui mesmo. Viajem sozinhos. É o que desejo.
    3 pontos
  2. Oi Pessoal! Gosto de destinos mais vazios, e de viajar sozinho. Fazer amizades em viagens é uma das coisas que mais curto, porém ainda sim fico com o pé atrás em viajar com pessoas que não conheço, antes de pelo menos escolher se quero dividir o dia com elas ou não. Como em 2018 resolvi que faria muitas coisas das quais não me sinto confortável, entrei em um grupo que iria de van para Eldorado - SP, e testei. Em geral as pessoas que foram tinha pouca ou nenhum experiência com trilhas, mas estavam dispostas a experimentar. Todas tinham um motivo para estar ali, fim de relacionamentos, incerteza com o futuro, ou até algumas poucas que amavam fazer trilhas. Gasto total: 290 reais. Levei lanche, água e demais comidas de casa. Encontrei o pessoal no metrô vergueiro as 6 da manhã do domingo, e partimos em uma viagem de 4 horas para Eldorado. Na chegada, visitamos a Caverna do Diabo. Ela possui quase 7km de tamanho, várias salas enormes, algumas com até 70 metros de altura. Estar ali é viver o passado e o presente ao mesmo tempo, pois você vê formações que são muito antigas, mas também vê algumas começando a se formar. O chão é escorregadio, mas possui corrimão, é bem adaptada ao turismo de massa. O visual é lindo, o rio passa dentro da caverna (o mesmo rio que a formou), e forma paisagens incríveis. Depois de um rápido tour pela caverna, pegamos a van novamente e fomos até o início da trilha do Vale das Ostras. Quase 7km de trilhas, passando por 12 cachoeiras incríveis, algumas pequenas, mas outras são grande, e finalizando na Cachoeira de Meu Deus, com 53 metros de altura. Uma cachoeira que gostei muito, no caminho da trilha, é a Cachoeira do Pulo, onde de uma altura de quase 8 metros, é possível pular na água, caindo em um poço com 4 metros de profundidade. A trilha é feita metade na terra, e metade por dentro do rio, por isso ela é feita de tênis, e fica muito escorregadia em alguns pontos, pois a terra é molhada o tempo todo por quem sai do rio. De nível médio, a trilha tem alguns momentos difíceis para sedentários ou pessoas com dificuldade de movimento precisos, como um momento que enfrentamos uma subida forte, no sol, e em outro que você precisa descer de corda uma parte vertical, somente se apoiando em pedras, e segurando o peso do corpo nos braços. Depois de algum tempo, chegamos a Cachoeira de Meu Deus, a atração principal da trilha do Vale das Ostras. Ela é incrível, e mesmo que quando chegamos, começou a chover, eu estava muito feliz. Logo a chuva parou, e tive uma das experiências mais incríveis da vida: Chegar perto da queda, e literalmente sentir a força da cachoeira. Foi uma viagem e uma trilha que lavaram a alma, e colocaram de novo a minha cabeça no lugar. Em meio a um dia a dia tão corrido, e desgastante, eu preciso disso para voltar a acreditar que o mundo é muito bom.
    2 pontos
  3. Fala Galera, segue meu breve relato sobre a viagem que fizemos, eu, a esposa e o filho de 7 anos. Não tenho tempo de colocar fotos ou muitas dicas, então vou me ater somente ao que considero mais relevante: Proposta da Viagem: Ter uma visão geral e conhecer o básico de 7 cidades escolhidas: Madri: 2,5 dias inteiros + Bate e volta em Toledo Porto: 2 dias inteiros Lisboa: 2, 5 dias inteiros + 2 Bate e voltas: Sintra (imperdível) e Obidos/Batalha Sevilha: 2 dias inteiros Cordoba, 1 dia Granada: 2 dias inteiros + bate e volta a Sierra Nevada Barcelona: 5, 5 dias Ida: 03/Jan/2018 - Guarulhos/Madrid Volta: 27/Jan/2018 - Madrid/Guarulhos. Fui e voltei de Latam, e por Madrid, onde encontrei a passagem menos cara. Vinha monitorando os valores desde setembro/2017, mas nada de baixar muito o preço. Em Outubro teve uma leve melhora no valor e ai comprei. Não foi barato, mas até lá pelo dia 20 de Dez, que foi até quando eu monitorei, não houve melhora alguma no valor, em nenhuma outra empresa. Só conseguiria preço melhor se eu alterasse as datas, tipo indo na segunda quinzena de janeiro e voltando em fevereiro. Como isso eu não queria fazer, tive de encarar o preço alto mesmo. A Imigração em Madrid foi muito tranquila - zero estress. Eu tinha todos os documentos/comprovantes comigo e....não pediram nada, é claro. Já no saguão do T4 do aeroporto de Madrid, na Crystal Shop, comprei um chip da Orange com 6GB de dados por 35 euros. Coloquei no meu aparelho S5 (que é desbloqueado, isso é importante) e usei por toda a viagem para Googlemaps (FUNDAMENTAL!!!) e consultas a sites. Funcionou muito bem. Nosso filho curte viajar conosco e nós com ele. Mas, mesmo ele não sendo um bebe, pois tem 7 anos, ele não aguentaria nosso ritmo de caminhada: na viagem toda nossa média foi de 10 a 12 Km por dia andando, ou seja, mais de 200Km andados....por isso levamos um carrinho tipo "guarda-chuva". Ajudou bastante. Em lugares mais acidentados, com muitas escadas, tipo Sintra e La Alhambra, não levamos o carrinho, mas nos dias de caminhada mais pesada, ele ajudou bastante....a criança né, pq para os pais, empurrar aquela m... cansa kkk. Mas faz parte... Europa com criança é assim mesmo. Primeiro destino: MADRID: 3 Noites em um AIRBNB no bairro La Latina. Gostamos do bairro e do apartamento. Somos fã de Airbnb, por que andamos o dia todo, passamos num mercado, compramos queijos, Jamon, pão e vinho, e vamos ser felizes e relaxar no apartamento a noite. E com criança isso faz diferença, pois eles ficam bem casados de andar durante o dia. Tomamos café da manhã no apartamento também. O almoço era na rua: algumas poucas vezes em restaurante (menu del dia), mas a maior parte do tempo era sanduba de baguete, Burguer King ou seja lá o que aparecesse de bom e barato. Adoramos Madrid (bem mais do que Barcelona, que vou falar depois). Cidade gostosa de andar, bonita, limpa, organizada, pessoal local mais simpático, etc. Na Espanha usei uns roteirinhos comprados no site EspanhaTotal. Ajudaram bastante a organizar nossa agenda, mas se vc não quiser gastar, tem o site Visitacity que não é tão completo em termos de roteiros e dicas, mas ajuda bastante, e é gratuito, e serve para o mundo todo. Estava frio em Madrid, mas nada de outro mundo, o problema era quando chovia. O Palacio real de Madrid é show, e depois das 16hs (confirmem no site deles) é gratuito para diversas nacionalidade, incluindo BRASILEIROS!!! Já vai ai uma economia de 11 euros por pessoa que pode virar Jamon e Vinho kkk. o Museu Del Prado tem um horário gratuito também. Por falar em JAMON, o presunto curado espanhol que é uma iguaria. Eu já conhecia, pois vende no Brasil, mas não da mesma qualidade que encontramos na Espanha ( e em Portugal). O melhor de todos é o Jamon (pata traseira ou pernil) do porco da raça 100% Ibérica, alimentado com 100% de Bellota, que são umas castanhas que dão todo um sabor especial no Jamon. Essa belezura custa, na Espanha, entre 16 a 26 euros a porção de 100 gramas . Mas vale provar! O ideal seria comprar em um lugar onde ele é cortado na faca, por um profissional treinado. Tem muitos lugares que oferecem isso. 100g rende umas 35 fatias fininhas, para se degustar. É muito bom mesmo. Dica para economizar no Jamon: dica 1: a paleta (pata da frente do porco) é muito saborosa também, e se aproxima muito bem do sabor do Jamon, mas é um 30% mais barata. Então vá numa loja especializada ou num mercado como o El Corte Inglês, e compre uma porção da paleta 100% ibérica ou como costuma aparecer: Paleta de bellota 100% Dica 2: existem muita variações de porco (cerdo): tem o que é de raça 50% iberica, tem o que não é iberico (ou seja, é de porco comum), tem o que não é alimentado com bellota, ai aparece Jamon de cebo, que é o porco alimentado com outros vegetais e rações mais baratas que a bellota. Tudo isso altera o sabor e o preço final, mas todos são bons. Eu costumava passar no mercado, comprar uns vinhos, uma baguete, queijos, 300g de um jamon mais barato ( tipo 2,5 a 4 euros cada 100g), e umas 80g de um jamon de melhor qualidade, só para degustar mesmo. A combinação de queijo Brie (ou Camembert) e Jamon, com azeite numa baguete, acompanhado de um vinho, é divina. A conclusão que cheguei é: quer uma jamon de qualidade e sabor melhor? Então o bicho tem de ter sido alimentado, nem que seja 50%, com Bellota. Elas fazem toda a diferença no sabor. Outra dica: Azeitona O El Corte Ingles, rede de mercados e loja de departamento que tem em todas as grande cidades da Espanha, vende umas azeitonas a granel que são de outro mundo. Sério, nunca comi azeitonas tão saborosas como aquelas. As enlatadas deles são boas, mas não se comparam às vendidas à quilo. Recomendo a "machacada' (ou algo desse tipo). Tem uns 20 tipos diferente, então pede pra provar e escolhe. Não são caras. TOLEDO: bate e volta de trem da renfe comprado com antecedência. Muito legal essa cidade. Para quem curte vilarejos medievais, espadas, histórias, etc esse é o lugar. Veja bem: estávamos eu, a mulher e uma criança de 7 anos, embaixo de chuva ( boa parte do dia) e com vento e uma temperatura de uns 6°C (que parecia -6°c com o vento e a chuva ) e, ainda assim, adoramos Toledo. Em termos de vilarejo medieval, Toledo nos agradou muito mais que Óbidos (bate e volta a partir de Lisboa). Adoramos Madri. Vimos muita coisa, andamos muito mas a cidade merece mais. No dia 7, à noite, fomos de Low Cost ( Ryanair) para Porto em Portugal. r. PORTO: Chegamos as 20hs em Porto e pegamos um transfer para o apto Airbnb alugado no centro de Porto. Preço bom e localização excelente. Pesquisei em hotéis também, mas nenhum batia os preços dos aptos alugados. Porto nos surpreendeu muito! Que cidade bonita, agradável e relativamente barata. O Cais da Ribeira, numa tarde de sol (pegamos tempo bom em Porto ) é lindo e muito gostoso de se ficar andando a toa. Almoçamos num restaurante chamado A Grade ( lugar simples na aparência e bem recomendado no Tripadvisor), que ficava numa das vielas de acesso ao Cais da Ribeira. Não nos decepcionamos. Fomos bem recebidos e atendidos. Entrada da casa (pão, queijo e patê), um prato de bacalhau assado (excelente), um robalo na brasa (excelente), uma garrafa de vinho, aguá, e coca-cola para o filho. Pratos bem servidos e muito saborosos. Tudo por 42 euros. Não é baratinhos, ainda mais com o euro a 4 reias, mas foi justo pela qualidade e quantidade de comida servida, junto com 1 garrafa de vinho. As vezes eu informo o valor apenas para dar uma idéia a quem está planejando sua viagem, de como dimensionar gastos e do que espera Ficamos 2 dias inteiros em Porto e....foi pouco. Porto merece mais: Cidade linda, organizada, gostosa de andar (apesar das subidas e descidas). É o tipo de cidade que, tudo bem, dá para "ver tudo em 2 dias" mas que é uma delícia de se ficar andando a toa e curtindo suas vistas, principalmente na região do Cais da Ribeira. Eu recomendaria 3 dias inteiros em Porto. Sacrifique 1 dia de Lisboa se for o caso (e se vc puder fazer isso), mas curta Porto. Foi uma das cidades que nos deixou com muita vontade de voltar. No dia 10, bem cedo, pegamos um trem para Lisboa. continua....
    2 pontos
  4. Estou em Cidad del Lest, sem sinal, igual india. Doiderada pura
    2 pontos
  5. Oi, já tinha frequentado o fórum em tempos anteriores mas nunca me registrei. Eis que decido fazer parte dessa comunidade e vou me apresentar com uma experiência de 2016! Não sei exatamente a data e pra dizer a verdade nem o mês do ocorrido (eu estava viajando de carona trocando trabalho por hospedagem e alimentação e datas na época não tinham menor importância). Achei esse lugar conhecendo o pai de uma mulher que tinha uma terra lá. Monte Café era o nome do distrito de Trajano de Morais. 400 à 500 habitantes aproximadamente, uma pena eu não ter tirado foto da vila pra mostrar pra vocês. (algum lugar por aí ela estava, não tenho tempo de localizá-la certinho... lembro da altitude: 1600 metros e uns quebrados) No dia que cheguei, com instruções de seguir a estrada de terra depois do ponto de ônibus, lá pelas 23:00, lembro muito bem de ter percorrido os cinco ou seis quilômetros com os pelos eriçados pela quantidade de estrelas e a luminosidade da lua. Havia uma grande silhueta de uma montanha no fundo e de alguma forma eu encarei aquele desenho como um desafio. Depois de duas semanas ambientado no lugar, decidi que era a hora. Tinha 19 anos na época e meu único contato com altitudes elevadas ou mata foi na pedra do camelo, na entrada do parque nacional do Itatiaia. Meu anfitrião já tinha tentado subir mas sem sucesso. Prometeu que iria comigo mas nunca chegava esse dia então fui sozinho, oito da manhã, depois de ter ido um dia antes fazer o reconhecimento da rota (onde tirei a foto abaixo), peguei um litro e meio de água e dois punhados de comida, um de amendoim e outro de sementes de abóbora. Nesse dia não estava destinado a chegar ao cume mas apenas testar se era possível andar pelo o lugar que tinha proposto (linha vermelha). Exalei o cúmulo da idiotice. Fui sem facão, com manga curta explorar aquela mata fechada, na companhia de dois cachorros e uma bússola de chaveiro. Não tirei fotos durante a subida (estranhamente a sensação de estar sob aquele silêncio absoluto/sob a indiferença mortal da natureza com os humanos me fez querer guardar apenas na memória a experiência.. pelo menos visualmente ). Subi por um escoamento de água e quando senti que estava perto do lugar que eu iria tentar subir mudei de direção (e deu certo!). Chegando no final dessa "rampa" lembro de ter ficado meio que paralisado pela altura (visual muito legal) além de um medo irracional de brotar aranhas do chão (havia umas sete árvores COBERTAS de teia de aranha). Vi meus recursos e mesmo chegando à conclusão que eram poucos, decidi continuar. Felizmente foi só caminhar um pouco e a quantidade brutal de formigas caminhando ao lado da pedra (parte laranja depois da vermelha) me fez repensar o perigo em que estava me metendo. Eu estava cansado de dar peixinhos no mato pra abrir espaço e repetir diversas vezes pra caminhar dez metros... sem falar nas vezes que eu empurrava a mata de costas quando a primeira técnica não funcionava. Quando comecei a descer perdi a trilha, na minha cabeça o espaço aberto no capim gordura (que soltava um "pó" tão grande que até os cachorros estavam tossindo e que me obrigou colocar a camiseta tampando o nariz) ficaria visivelmente marcado. Não foi o que aconteceu. Fui andando no mato e acabei caindo um metro e meio pra baixo num instante. Caí do lado de uma árvore onde tinha uma colmeia e o zumbido era tão alto que achei que iria morrer ali mesmo. Deu tempo de olhar pra direita (e concluir que eu iria cair mais seguindo por lá) e pra esquerda (onde tinha minha salvação). Corri muito rápido, achei que as abelhas iam me picar por ter chego de maneira tão brusca perto da sua base. Quando percebi que elas não foram atrás, sentei pra tomar água e vi que tinha caído na minha trilha de subida. Fiquei feliz pra burro. Não foram nem dez minutos andando nela e senti que estava perdido quando entrei na mata. Tive longas conversas com os cachorros explicando que eles teriam que me mostrar o caminho de volta (sem sucesso). O ponto de referência dentro da mata era uma grande pedra onde tive que passar me arrastando por um de seus buracos (foi o máximo na ida). Depois de um tempo procurando, vi que eu nem sabia onde eu estava e decidi seguir descendo afinal de contas hora ou outra eu ia cair no pasto onde comecei. Depois de um tempo andando e me machucando nos espinhos caí num bananal que no mínimo estava uns 500 metros pra esquerda do ponto onde tinha começado. Detalhe que pra chegar lá a mata tava tão fechada que estava me jogando e as plantas freavam a minha descida. Então depois de um pouco de sufoco no bananal (eu não achava a saída pro pasto) finalmente encontrei a cerca que separava a plantação do pasto. Comi o Psilocybe cubensis que tinha achado no caminho e tive o enorme prazer de ver os cachorros capturando um coelho e disputando a caça, cada um puxando para seu respectivo lado. Andei mais alguns quilômetros pra voltar à escola abandonada que eu estava hospedado. Tudo isso foi uma grande lição. É só. (foto da montanha que não tem nome) (os cachorros momentos antes de acharem o coelho) (expressão artística da tentativa falha de subi-la) Dois dias depois eu fui embora do lugar... mas com certeza eu vou voltar!
    2 pontos
  6. 5° dia - 02/01/2018 - La Paz. Após uma noite muito mal dormida, pois tive que ficar no oxigênio uma a cada duas horas. Dormi até umas 9h, tomei meu desayuno e parti pra agência negociar... Como tinha passeio para Tiwanaco pela manhã e já tinha pago. Tentei conversar com a agência para tentar remarcar, pois havia pago 200 bols. Sem sucesso!!! Mesmo apresentando a carta do médico, o horário do atendimento médico, a agência alegou que tinha reservado a van e que não tinha como devolver a grana. Como havia pagado 200 bols. Eu conclui que metade ou quase isso havia sido pago para van, e fiz a proposta de trocar por um outro passeio. A agência me ofereceu o city tour por La Paz, que custa 100 bols direto no próprio bus. Mas para o prejuízo não ser maior, aceitei e marquei para as 14h30. Foi bacana. Eu estava mal ainda pela altitude e tive oportunidade de ir ao: *Valle de la luna; *Mirador Killi killi E conhecer a La Paz de 3000 m de altitude a El Alto 4100 m... Nesse dia almocei no Mercado Lanza. Vai a minha indicação para quem vai a La Paz e com pouca grana. Comi macarrão com pollo (metade do menu que consiste com uma sopa de entrada, prato principal e sobremesa) e gastei 5 bols. Comida simples, mas gostosa e visivelmente feita com higiene.. As 14h30 fui para o local de saída: Calle Illampu, próxima do hostal. E bora.. O rolê é bacana, inicialmente parece ser chato, mas conforme vai passando pela cidade, vc acaba se encantando com as ladeiras estreitas, as pessoas no seu cotidiano pra lá e pra cá, as montanhas ao fundo completando a paisagem que é sem dúvida impressionante!!! O tour para uns 15 a 20 minutos no Mirador Killi Killi... Pouco tempo.. mas.. A vista do Mirador é fenomenal.. La Paz é fenômeno!!! hahaha Apesar de me derrubar, me deixar sem ar, La Paz me conquistou com facilidade!!! Após sair do Mirador, o tour segue para o relevo mais baixo da cidade, onde estão as Universidades, a população "branca" os famosos criollos (descendentes de espanhóis nascidos na América), é uma cidade que particularmente não me atrai, pois possui arquitetura moderna, prédios e condomínios.. tipo São Paulo (numa proporção mega reduzida é claro rsrs).. É o caminho para o Valle de la Luna. Para um Geógrafo essas erosões são fantásticas.. rsrsrs e eu gostei demais... E fiquei anestesiado... Tudo que eu imaginava sobre o lugar, atendeu minhas expectativas.. vale de la luna.mp4 Pra quem não estava nem respirando, foi um ótimo passeio.. rsrsrs.. tomei 100 bols de prejú.. mas serviu de aprendizado para uma próxima vez.. Mas eu ainda queria muito ir a Tiwanaco. Pois tem muita representatividade nos conceitos latino-americanos.. Eu tenho uma identidade muito forte com a cultura e estava disposto a fazer mesmo que custasse outros passeios (como Uyuni), talvez qualquer outro que estivesse no meu lugar não faria o que eu fiz... hahaha.. Mas meu objetivo era ir a fundo na cultura boliviana e indígena.. e Tiwanaco era uma sociedade antecessora aos Incas.. O que na minha concepção e numa lista de desejos, era mais importante que Salar de Uyuni. Na volta do tour.. no prédio do hostal tinha uma agência, fechei com eles Tiwanaco - 65 bols a van ida e volta - almoço 35 bol - 100 bols a entrada em Tiwanaco. Ahhh.. antes de sair para o tour.. fui até o terminal de buses e consegui trocar o dia da viagem para Uyuni para o dia 04/01 as 20h. Lembrando que o médico me recomendou ir depois de 3 dias.. Como psicológico tava abalado.. rsrsrrs..
    2 pontos
  7. Olá Rafaela, Embu fica praticamente dentro de SP, não é um destino propriamente turístico, para a galera de SP, é uma opçãod e passeio para os fds, quando rola feira de artesanato, móveis rústicos e restaurantes, aliás bem carinhos...Está no meio de caminho entre ser considerado um distrito urbanizado e rural, mas existem muitos sítios e chácaras, apesar que muita gente mora lá graças ao crescimento desenfreado da cidade no rumo das regióes que a cercam.
    2 pontos
  8. Olá Daiana, Estou pensando em ir ao Peru, só que em junho... No fórum há vários posts de mulheres que foram sozinhas ao Peru e não tiveram maiores problemas. Por exemplo, veja este:
    2 pontos
  9. Agradeço a todos a sinergia e a troca de conhecimento... proporcionados através do fórum que vem me ajudando e muito, obrigado! Compartilho a experiência que vou ter ao realizar um sonho de explorar Ushuaia de Carro Roteiro de Ida Curitiba, PR / Porto Alegre, RS / Punta Del Este, UY / Montevidéu, UY / Colônia, UY / Buenos Aires, AR / Bahía Blanca, AR / Comodoro Rivadavi, AR / Río Gallegos AR / Ushuaia, AR. Roteiro de Volta Ushuaia, AR / Punta Arenas, CL / El Calafate, AR / Perito Moreno, AR / Bariloche, AR / Puerto Montt, CL / Pucón, CL / Santiago, CL / Valparaíso, CL / Santiago, CL / Mendoza, AR / Córdova, AR / Resistência, AR / Assunção, PY / Foz do Iguaçu, PR / Curitiba PR. Projeção de mais de 12mil kms rodados, travessia de 2 balsas, estradas de rípio, 5 países no período de 34 dias corridos, partida no dia 30 de março de 2018 com previsão de chegada 02 de maio de 2018. No decorrer exponho mais informações e vou utilizar o Instagram para relatar a viagem @max_ruckes me seguem lá! Ou melhor meus caríssimos se animem serão bem-vindos a partilhar essa experiência! PS: cada um em seu veiculo hahaha!! Obrigado!
    1 ponto
  10. Esse é mais um dos inúmeros relatos que aparecem aqui todos os dias... Mas, para mim, tem um significado especial. É a primeira vez desde 2010 que viajo com meus pais de carro (desde que comecei a trabalhar de verdade não consegui mais conciliar minhas férias e meus destinos com os deles). A princípio iriam apenas meus pais, eu e meu namorado, mas minha mãe bateu o pé e disse que meu irmão iria junto. Agora sim, viajaríamos bem apertados lá atrás, mas fazer o quê?! Em 2013 meu namorado foi a Santiago com os pais e eu fui depois com meu irmão. Mostrei as fotos do Atacama para meu pai e ele ficou maravilhado. Mas, ele sempre teve medo de viajar para o “estrangeiro”. Em 2014 consegui convencê-lo a ir com a gente (eu e meu namorado) fazer compras em Ciudad del Este. Minha mãe animou e ele topou. Depois que ele aprendeu o caminho e viu que não era o fim do mundo, voltou lá mais duas vezes! Em 2014 resolvemos que iríamos todos para a Disney, mas a empresa que eu trabalhava faliu e com isso perdi minhas férias, consegui apenas 9 dias de folga, mas que ficaria inviável viajar com eles para os Estados Unidos, então fui com meu namorado para Machu Picchu (http://www.mochileiros.com/cusco-aguas-calientes-machu-picchu-lima-paracas-ica-nazca-30-08-a-07-09-2014-muitas-fotos-t101509.html) e eles partiram para a Disney. Adoraram! Esse ano eu tinha pensado em voltar à Disney (acabei indo em 2016), depois pensei em visitar a “família” do meu namorado no México, aí cogitei San Andrés e então resolvi passear pelo mochileiros.com e me deparei com o relato do Flavius: https://www.mochileiros.com/topic/58848-viagem-de-carro-para-san-pedro-de-atacama-passando-por-salta-tilcara-e-antofagasta-mar%C3%A7o2017/?tab=comments#comment-644684 e pensei: “por que não?!” Li o relato de cabo a rabo e fui atrás de mais e mais relatos, mostrei para o meu namorado que comprou a ideia e começamos a pesquisar mais. Um belo dia virei para o meu pai e disse: “pai, teve um cara lá no fórum que foi de Caldas Novas até o Atacama de carro. Acredita?!” E ele respondeu: “Hmmm”, virou e continuou fazendo as coisas dele. Passado algum tempo ele me chamou e disse: “quanto ficaria para fazer essa viagem? ”, eu disse que não sabia, mas que podia pesquisar. E ficou combinado que depois que eu apresentasse os custos da viagem ele iria decidir se ia ou não. Eu já tinha meu plano B que era comprar a primeira passagem barata para o exterior kkkkkkkkk Fiz o que ele pediu e depois de 1 mês de pesquisas, entreguei o orçamento da viagem. Ele pensou por mais duas semanas, me encheu de perguntas (muitas perguntas) e falou que queria ir. Achei que ele ia dar para trás depois de algum tempo, tanto que nem confirmei com meu namorado que iríamos. O tempo foi passando e eu me toquei que era verdade. Então ficamos 1 mês ensaiando como contar para minha sogra que iríamos viajar de carro para outro país. Contamos morrendo de medo, mas no final tudo deu certo (foi muito melhor do que imaginamos). Agora oficialmente iríamos para o Atacama de carro! Roteiro Nosso roteiro ficou assim: 1. Brasília – São José do Rio Preto (733km) 2. São José do Rio Preto – Foz do Iguaçu (858km) 3. Foz do Iguaçu – Posadas (318km) 4. Posadas – Santa Fé (793km) 5. Santa Fé – Mendoza (908km) 6. Mendoza – Santiago (364km) 7. Santiago 8. Santiago – Embalse el Yeso – Santiago (224km) 9. Santiago – Valparaiso – Viña del Mar – Santiago 10. Santiago – Copiapó (806km) 11. Copiapó – San Pedro (859km) 12. San Pedro 13. San Pedro 14. San Pedro 15. San Pedro 16. Uyuni 17. Uyuni 18. Uyuni 19. Uyuni 20. San Pedro 21. San Pedro – Salta (597km) 22. Salta – Resistencia (824km) 23. Resistencia – Assunção (329km) 24. Assunção – Foz do Iguaçu (334km) 25. Foz do Iguaçu 26. Foz do Iguaçu 27. Foz do Iguaçu – São José do Rio Preto (864km) 28. São José do Rio Preto – Brasília (733km) Seguros Fizemos seguro viagem pela Porto Seguro (única seguradora que cobria viagem feita com veículo próprio), plano Mundo 120 Bronze, no valor de R$ 326,58 por pessoa. O Seguro CARTA VERDE foi feito também pela Porto Seguro, no valor de R$252 Contratamos o seguro SOAPEX pela internet no valor de 11 dólares = R$ 40,23 (com iof e conversão). E por fim, a extensão do seguro do carro para América do Sul, no valor de R$397,30. PID Eu e meu namorado tivemos que tirar a Permissão Internacional para Dirigir, pois a embaixada do Chile nos informou que era obrigatório possuir. O custo foi de R$290 cada. Meu pai já tinha a dele e ainda estava na validade. Adesivos Mandamos fazer uns adesivos para colocar nas portas do carro e na traseira, nos custou R$90 Conect Car Compramos a TAG do Conect Car pra evitar filas e acreditem, isso ajuda muito! Nos custou R$ 220 na primeira leva da viagem e na volta colocamos mais R$ 30. Hotéis Fizemos todas as reservas pelo Booking.com. Fora do Brasil, pagamos todas as diárias em dólares (já tínhamos nos programado para isso) São José do Rio Preto: Hotel Plaza Inn Foz do Iguaçu: Hotel Baviera Iguassu Posadas: La Mision Posadas Santa Fé: Hostal Santa Fe De La Veracruz Mendoza: Hotel Ibis Mendoza Santiago: Bellavista Apartments Copiapó: Hotel Chagall San Pedro: Hotel Dunas Salta: Hotel del Antiguo Convento Resistência: Gala Hotel & Convenciones Assunção: La Casa Arthaus Foz do Iguaçu: Hotel Baviera Iguassu São José do Rio Preto: Hotel Plaza Inn Os custos da viagem foram divididos por 5 pessoas, mas para facilitar as contas aqui vou separar entre "pai" e "eu", onde pai corresponde a 3 pessoas e eu a duas pessoas. Nem todos os lugares terão os custos do meu pai porque ele jogava as notinhas foras ante de me passar o valor... só no final da viagem que ele entendeu que precisava delas para colocar nas minhas planilhas. Ah, também ganhei o apelido da "louca das planilhas", mas eu prefiro ficar organizada durante a viagem toda do que ficar devendo dinheiro porque não me organizei direito. Alimentação Calculei alimentação da seguinte maneira: R$ 25 para o café da manhã por pessoa R$ 50 para o almoço por pessoa R$ 50 para o jantar por pessoa Vale ressaltar que apenas eu e meu namorado seguimos a risca essa parte, meus pais e meu irmão sempre extrapolavam o limite estabelecido. Sem mais delongas, vamos ao relato! 24/12/17 - Domingo - Brasília / São José do Rio Preto Abastecemos o carro na noite anterior. Encontrei com meus pais por volta das 07:00 da manhã, colocamos todas as coisas na caçamba da camionete e às 08:03 saímos de casa. Preferimos ir pela estrada de Goiânia que é duplicada mesmo pagando pedágio. Às 09:20 chegamos no Jerivá e tomamos café da manhã. Animação na estrada Nesse dia passamos por 7 assaltinhos, quer dizer, pedágios: Alexânia GO: R$ 4,90 às 9:04 Anápolis Go: R$ 3,60 às 10:11 Professor Jamil GO: R$ 5,20 às 11:19 Itumbiara GO: R$ 6,30 às 12:24 Prata MG: R$ 5,60 às 14:36 Fronteira MG: R$ 3,30 às 15:49 Onda Verde SP: R$ 5,20 às 16:24 Paramos para almoçar no Trevão em Minas Gerais às 13:40 e de lá seguimos para Frutal, onde eu queria tomar um suco de abacaxi que minha chefe havia recomendado. Procuramos pela tal barraquinha na beira da estrada, mas era 24 de dezembro à tarde e ninguém estava mais trabalhando. Paramos para abastecer, o diesel S10 custava R$ 3,379, colocamos 65,86 litros, o que nos custou R$ 222,54 e consumo ficou na casa de 8,8km/l. Chegamos em São José do Rio Preto às 17:00. Dava pra ter andado mais, dava. Mas como somente meu pai e meu namorado estavam dirigindo achei melhor andarmos apenas 733km nesse dia, já que teríamos muitos dias ainda pela frente. Fizemos o check-in no hotel, tomamos um banho, descansamos e depois fomos jantar. Ceia de natal Gastos do dia: Abastecimento do dia 23/12: R$ 183,23 Conect Car: R$ 220 Café da manhã: pai: R$ 17,50 Café da manhã eu: R$ 12,00 Almoço pai: R$47,54 Almoço eu: R$ 47,53 Abastecimento em Frutal: R$ 222,54 Hotel pai: R$ 199,52 Hotel eu: R$ 165,12 Jantar pai: R$ 89 Jantar eu: R$ 64 Total do dia: R$ 1.267,98 Total Pai: R$ 666,44 Total Eu: R$ 601,53 25/12/17 - Segunda - São José do Rio Preto / Foz do Iguaçu Acordamos e fomos tomar café da manhã às 07:20. Fizemos check-out no hotel e pegamos a estrada. Nesse dia passamos por 6 assaltinhos: José Bonifácio SP: R$ 5,20 às 8:48 Floresta PR: R$ 13,40 às 14:09 Campo Mourão PR: R$ 13,40 às 15:01 Corbélia PR: R$ 13,40 às 16:11 Céu Azul PR: R$ 11,70 às 17:03 São Miguel do Iguaçu PR: R$ 15,30 às 17:55 Paramos para almoçar em Maringá e já aproveitamos para abastecer, o diesel S10 custava R$ 3,31, colocamos 66,10 litros, o que nos custou R$ 204,91 e consumo ficou na casa de 8,9km/l. Chegamos no hotel em Foz do Iguaçu às 18:20 debaixo de chuva. Fizemos o check-in e descansamos um pouco. Saímos para jantar numa churrascaria chamada Jardim da Cerveja que ficava do outro lado da rua, indicação do funcionário do hotel. A comida estava boa, mas o atendimento foi péssimo. Parecia que os garçons não queriam estar trabalhando no feriado e descontavam sua raiva nos clientes. Não recomendo. Gastos do dia: Abastecimento em Maringá: R$ 204,91 Almoço pai: R$ 78,95 Almoço eu: R$ 43,65 Hotel pai: R$ 300 Hotel eu: R$ 240 Jantar pai: R$ 150 Total do dia: R$ 1.017,51 Total Pai: R$ 631,40 Total Eu: R$ 488,56 26/12/17 - Terça - Foz do Iguaçu / Posadas Tomamos café às 06:30 e saímos às 07:00 para Ciudad del Este, precisávamos trocar dinheiro e comprar meu drone. Vinha acompanhando a cotação pela internet há 3 semanas e vi que era mais jogo trocar pesos argentinos, guaranis e bolivianos lá em CDE mesmo. Se me lembro bem, nosso cambio ficou assim: 5,56 reais = 1 peso argentino 1 dólar = 19 pesos argentinos 1 real = 1.601 guaranis Comprei meu drone na Mega Eletrônicos, loja lotada, fila pra pagar, pra tirar o produto, pra testar, mais de duas horas na loja... Pegamos um ônibus até a ponte, desci com meu namorado e meus pais foram para o hotel arrumar as malas. Desci na ponte para declarar, pois não queria ter problemas na volta para o Brasil e nem em viagens futuras. Bom, chegando la na receita federal fiz a declaração de bens, o drone foi levado para análise (para saber se o valor que declarei batia com o valor real da mercadoria) e depois fui pagar no caixa eletrônico do banco do Brasil pagar a GRU que foi gerada... Problema 1: o caixa não tinha leitura biométrica Problema 2: eu não sabia (e não sei até hoje) a minha senha de letras Problema 3: a senha estava anotada na minha carteira que tinha ficado no Brasil Problema 4: eu não consegui transferir o dinheiro (tentei aumentar o limite antes de viajar, mas não tinha dado certo) para meu pai fazer o pagamento Já estava preocupada quando o fiscal da receita disse: "Olha, você só pode retirar a mercadoria daqui quando efetuar o pagamento e comprovar. Enquanto não fizer isso, a mercadoria fica retida aqui". Aí desesperei de vez! Meu pai me ligou e disse que tinha dinheiro na conta. Ele efetuou o pagamento, me mandou o comprovante e enviei para o e-mail da receita federal. Depois que o fiscal conferiu no sistema ele me entregou o drone e a declaração de importação, com ela posso sair do Brasil e retornar sem problemas. Retornamos para Foz, paramos no Mcdonalds para comer algo (na verdade eu não posso comer pão, sou celíaca, então comi apenas batata frita e meu namorado comeu o sanduíche) e depois fomos para o hotel e terminamos de colocar as coisas no carro, fizemos o check-out e fomos abastecer, o diesel S10 custava R$ 3,597, colocamos 43,03 litros, o que nos custou R$ 154,78 e consumo ficou na casa de 9km/l. Perguntamos se eles vendiam o adesivo de velocidade para colocar no carro, mas ele disseram que só encontraríamos na Argentina mesmo. (Há uma lei na argentina que diz que veículos como camionetes devem ter um adesivo de velocidade de 110km/h refletivo colado na traseira do veículo, se você não tiver pode ser multado ou pior, ser parado pela caminera e ter que pagar uma bela grana para ser liberado). Seguimos em direção a Puerto Iguazu na Argentina. E para nossa surpresa a Aduana Argentina estava lotada, ficamos mais ou menos 1 hora e meia na fila. Olharam nossos documentos, carimbaram os passaportes, conferiram a carta verde e documento do veículo, perguntaram onde a dona estava (o carro está no nome da minha mãe), olharam a caçamba do carro e perguntaram também qual era o nosso destino final e respondemos: Santiago. Seguimos na estrada de pista dupla, asfalto bom, sem acostamento e com a sinalização um pouco confusa (os avisos de fim da terceira faixa apareciam somente depois que a faixa já tinha terminado, avisos de retorno e saída da pista só apareciam depois que você tinha perdido a saída, depois de uns dias acostumamos com a sinalização caótica deles). Paramos no primeiro posto de gasolina e compramos o adesivo refletivo. Importante ressaltar: somente nesse trecho de Puerto Iguazu até Misiones fomos parados 5 vezes pela polícia caminera 1 vez pela Gendarmeria. Em todas as vezes eles pediram o documento do carro, CNH, carta verde, abaixamos os vidros, colocaram a cabeça dentro do carro para olhar todo mundo, perguntaram de onde estávamos vindo e para onde iríamos e só! Não fomos multados, não tivemos que pagar propina, fomos tratados com educação, nenhum policial foi grosso conosco em todo território argentino. Adesivo de 110km/h exigido na Argentina para camionetes Nesse dia passamos por apenas 2 assaltinhos: Colonia Victoria ARG: AR$ 20 às 14:00 Santa Ana ARG: AR$ 20 às 17:50 Paramos em San Ignácio em Misiones para visitarmos as ruínas jesuíticas. Como eram as ruínas antigamente O ingresso que você paga te dá o direito de visitar as outras 3 missões jesuíticas na Argentina (por 15 dias), como não sabíamos disso não nos programamos para visitá-las. Seguimos para o nosso hotel em Posadas. Chegamos por volta das 18:30, estava sol e fazendo bastante calor. O Hotel era 3 estrelas, bem novo, quarto amplo, muito bom! Arruamos nossas coisas e descemos para jantar às 20:00. Experimentamos a especialidade do hotel: wok de vegetables. Excelente pedida!! Gastos do dia: Ônibus Foz/CDE: R$ 26,25 (5 pessoas) Ônibus CDE/Foz: R$ 26,25 (5 pessoas) Ônibus CDE/Foz: R$ 10,50 (2 pessoas) Drone: U$ 1.113 Bateria drone e cartão de memória: U$ 143 Declaração drone: R$ 1.343,28 Almoço eu: R$ 22,50 Abastecimento em Foz: R$ 154,78 Pedágios: AR$ 40 Ruínas Jesuíticas pai: AR$ 510 Ruínas Jesuíticas eu: AR$ 340 Águas: AR$ 40 Adesivo 110 km/h: AR$ 85 Hotel pai: U$ 100 Hotel eu: U$ 80 Jantar pai: AR$ 800 Jantar eu: AR$ 510 Total do dia: R$ 1.583,56 AR$: 2.325 U$: 1.436 Total Pai: R$ 129,89 AR$: 1.392,50 U$: 100 Total Eu: R$ 1.453,67 AR$: 932,50 U$: 1.336 27/12/17 - Quarta - Posadas / Santa Fé Tomamos café às 07:00 da manhã, fizemos check-out do hotel e seguimos em direção a Santa Fé. Paramos para abastecer em Fachinal, o diesel S10 custava AR$ 25,62, colocamos 39,81 litros, o que nos custou AR$ 1020 e consumo ficou na casa de 9km/l. Fizemos um pequeno desvio do roteiro original, meu pai queria ir até Uruguaiana, na verdade atravessar a ponte de Paso de los Libres até Uruguaiana e voltar, mas consegui convencê-lo de que iríamos perder muito tempo na imigração, então fomos apenas até a margem do rio Uruguai do lado de Paso de los Libres. Na outra margem do rio está a cidade de Uruguaiana/BR Aproveitamos já almoçamos (pedimos uma parrillada familiar) e abastecemos em Paso de los Libres, o diesel S10 custava AR$ 26,48, colocamos 34 litros, o que nos custou AR$ 902 e consumo ficou na casa de 9km/l. Nesse dia pegamos estradas em dois extremos: mão dupla, cheia de buraco, nenhum posto de gasolina por quase 200km de estrada, 3 postos de polícia caminera (fomos parados em todos), nada em volta da estrada e depois pegamos pista duplicada por uns 100km só de reta, asfalto bom e com acostamento (aí deu para tirar o atraso da pista ruim.) Passamos por 2 assaltinhos: Fachinal ARG: AR$ 8 às 09:20 Paraná ARG: AR$ 35 às 19:11 Chegamos em Santa Fé às 19:45, lembra que falei lá em cima da sinalização argentina ser muito doida? Pois é, a saída vem antes da placa e nós passamos obviamente. Tivemos que dar uma volta enorme na cidade até conseguirmos achar um retorno e o GPS parar de mandar a gente ficar dando voltas aleatórias na cidade. Fizemos o check-in no hotel, aí veio a primeira surpresa da viagem: o prédio era muito bonito, bem no centro da cidade, a rua da frente era fechada e cheia de lojas, porém os quartos... ah, os quartos... velhos, cama horrível, você afundava nela (eu particularmente detesto colchão mole, mas tava ruim até pro meu namorado que é adepto), o banheiro tinha um cheiro ruim, mas fazer o que?! Tá no inferno, abraça o capeta! O jantar no hotel era muito caro, então fomos até o McDonalds que ficava umas 3 quadras do hotel. A cidade estava bem movimentada, não ficamos com medo de andar nesse trecho. O McDonalds parecia que tinha sido tomado por todas as crianças de Santa Fé, tava uma bagunça, criança correndo, pai gritando, gente te empurrando, o caos Voltamos para o hotel e tentamos descansar, mas foi difícil... Gastos do dia: Abastecimento em Fachinal: AR$ 1.020 Pedágios: AR$ 43 Almoço pai: R$ 78,00 Almoço eu: R$ 53 Águas: AR$ 52 Abastecimento em Paso de los Libres: AR$ 902 2 pacotes de gelo: AR$ 55 Mercado: AR$ 70,05 Hotel pai: U$ 100 Hotel eu: U$ 82,28 Estacionamento hotel: U$ 7 Jantar pai: AR$ 525 Jantar eu: AR$ 165 Total do dia: R$ 131 AR$: 2.832,05 U$: 189,28 Total Pai: R$ 78 AR$: 1.596,02 U$: 103,50 Total Eu: R$ 54 AR$: 1.236,03 U$: 85,78 Continua...
    1 ponto
  11. Casal de jovens alemães percorre a América do Norte num ônibus adaptado para viagem: https://www.netflix.com/br/title/80224476
    1 ponto
  12. Olá Mochileiros, com muito prazer venho compartilhar minha viagem com vocês, e pedir agradecidamente ajudar. Estaremos saindo do ES, dia 03/08 às 15h00 de Cachoeiro de Itapemirim, destino será São Paulo, chegando às 03h00. Vou ver se consigo comprar alguma coisa na 25 de Março, roupas, lanterna, até Fogareiro Nautika com Refil, pra cozinhar no Camping e vou tentar ver se o Brás vai abrir o que é difícil nessa época. Vou postar todo roteiro do Mapas, se alguém puder indicar pontos turisticos com preço bacana, ou até de graça, agradeço. Vamos tentar ficar o máximo em Camping, pesquisando, em Perito Moreno na madrugada, faz 3° Graus. Se alguém, tiver dicas de Camping, agradecemos muito, vai ser nosso primeiro Camping. Se alguém tiver dicas de estradas ruim e boas nos percursos citados abaixo, agradecemos muito, porque já vi alguns relatos aqui, que tiveram que trocar buchas de amortecedor, porque estourou tudo. Queremos evitar o máximo estrada de chão. Só queremos pegar estrada de chão, se realmente for lugar que vale a pena ir. Estaremos saindo dia 04/02 às 07h00 de São Paulo, destino será Londrina, chegando às 13h00. Estaremos saindo dia 05/02 às 01h00 de Londrina, destino Foz do Iguaçu, chegando ás 07h00 pra comprar mais coisas pra viagem. Estaremos saindo dia 05/02 às 15h00 de Foz do Iguaçu, destino Neuquén (Argentina), chegando no dia 06/02 às 19h00. Estaremos saindo dia 07/02 ás 11h00 de Neuquén, destino Bariloche, chegando às 16h00, Nesse mesmo dia 07/02 Vamos ver se vale a pena ficar o dia inteiro, no dia seguinte em Bariloche ou seguir viagem logo cedo pra El Bolson. No dia 08/02, sem hora prevista, se iremos cedo para El Bolson ou ficamos para curtir Bariloche até a noite, depois estaremos saindo de Bariloche e indo pra Bolson, também, não sabemos como vai ser em El Bolson. Sobre se vale a pena ficar em Bariloche 1 dia, 2 dias, etc. Não vamos com objetivo de fazer trilhas muitos longas e cansativas. Aproximadamente dia 10/02, estaremos saindo de El Bolson, destino Perito Moreno sem horário definido, porque talvez podemos curtir ou não em El Bolson. Aproximadamente dia 12/02, estaremos saindo de Perito Moreno, destino El Chalten sem horário definido. Aproximadamente dia 13/02, estaremos saindo de El Chalten, destino El Calafate sem horário definido. Aproximadamente dia 14/02, estaremos saindo de El Calafate, destino Ushuaia sem horário definido. Dia 17/02, estaremos saindo de Ushuaia, destino Punta Tombo sem horário definido. Para passear no local, visitar os Pinguins etcNo dia 18/02, estaremos saindo de Punta Tombo, destino Neuquén. Dia 19/02, estaremos saindo de Neuquén, destino Buenos Aires. Dia 20/02, saindo de Buenos Aires, destino Pelotas, vamos passar por Uruguai e passar em Montevideo, mas, não vamos de Buenos x Uruguai pelo barco, vamos passar por Gualeguaychú, Montevideo e depois Pelotas, meu medo é pegar estrada de chão ou asfalto muito ruim. Abaixo estamos colocando detalhes de Buenos Aires. Dia 21/02, saindo de Pelotas, destino São Paulo. Dia 23/02, saindo de São Paulo, destino Cachoeiro.
    1 ponto
  13. Olá! Vou para a Bolívia fim desse mês e se tudo der certo fico de vez rs Gostaria que me recomendassem um guia de viagem sobre a Bolívia, que seja em português. Um bom livro com dicas, preços, hotéis, mapa, roteiros de passeios...
    1 ponto
  14. fala pessoal, sou do mochileiros há mais de 15 anos! muito tempo rodando por aqui....afastado a bastante tempo, mas to de volta! em 3 meses embarco com minha esposa e dois filhos (de dois anos e meio e 5 anos de idade) para um mega mochilão! eles tem pouco tempo de vida mas já rodaram um bocado...mas nada comparado a essa viagem! na verdade acho que vai ser a mais desafiadora da minha vida. Viajar com filhos pequenos é mais aventura que escalar o k2!!!!!!!!!!! kkkkkkkkkkkk enfim, vais ser mais ou menos isso aqui: 28 de ABRIL – VÔO RIO LIMA 29 DE ABRIL – LIMA – Manhã – praça de armas (catedral com catacumbas, casa do arcebispo, etc) – almoço – tarde huaca pucllana – janta huaca puclla – parque das águas pra fechar o dia Relax, pracinha, descansar, parque das águas pela noite 30 de abril – LIMA - PARACAS em onibus DIA 1º DE MAIO – PARACAS Passeio deserto costa cliffs e ilhas balestas DIA 2 DE MAIO – PARACAS – ICA – DESIERTO DE HUACACHINA DIA 3 DE MAIO – PARACAS – LIma DIA 4 DE MAIO – LIMA CUSCO DIA 05 DE MAIO – CUSCO Descansar, passeio pela cidade, não se movimentar muito, ver citie tour DIA 06 DE MAIO – CUSCO City tour, mercado central , comer, relax, descansar... DIA 07 DE MAIO – Maras e Moray (salineira) DIA 08 – ir para Ollantaytambo – ir cedo, contratar guia local volta pelas ruinas, passeios, curtir DIA 09 – Ollantaytambo – relaxar na cidade DIA 10 - OLLANTAYTAMBO – AGUAS CALIENTES EM TREM DIA 11 – MACHUPICCHU E RETORNO A CUZCO – domir em CUSCO posada del viajero DIA 12 – CUZCO – PUNO – 8 da manhã DIA 13 – PUNO - ILHA DE URUS URUMA ONDE VAMOS DORMIR DIA 14 – PUNO – COPACABANA DIA 15 – COPACABANA – DORMIR NA ILHA DO SOL DIA 16 – COPACABANA - LA PAZ DIA 17 – LA PAZ DIA 18 – VOO LA PAZ IQUIQUE DIA 19 - IQUIQUE DIA 19 – IQUIQUE – SAN PEDRO DE ATACAMA DIA 20 – ATACAMA DIA 21 – ATACAMA DIA 22- ATACAMA DIA 23 – ATACAMA DIA 24 – ATACAMA DIA 25 atacama jujuy - DIA 30 - VOO SALTA - RIO. ENFIM, ESSE é o roteiro, quero pegar dicas específicas dos lugares que vamos. A maioria dos hoteis já estão reservados...com dois pirralhos não da pra arriscar muito.
    1 ponto
  15. Deixo aqui o link do video que fizemos de nossa viagem a ushuaia durante 20 dias, em Nov/Dez de 2016, passando pelo brasil, Argentina e Chile... Abraços a todos os viajantes...
    1 ponto
  16. Dia 13 – 07/01/2018 Cusco – 0 Km Reservamos este dia só para conhecer Cusco. Como já estávamos aclimatados a altitude não tivemos problema algum em passear a pé pela cidade. Tomamos café da manhã e lá pelas 9 estavamos na rua. Fomos a até a praça central pois estávamos a apenas 10 minutos do centro. Muito bom para ir conhecendo a dinâmica da cidade e turistando nas ruas estreitas e pitorescas da cidade. Fomos direto na catedral que é belíssima, só que estava havendo uma missa lá. Mesmo assim, respeitosamente nós entramos e demos uma volta para ver. É simplesmente linda, tanto quanto a catedral de Arequipa e como sempre adornada de muito ouro e prata. Em seguida fomos para a praça tirar fotos e depois fomos até as igrejas que podíamos ver ao longe. Uma mais bonita que a outra. A praça central tbm é muito bonita e como estávamos nas férias tudo estava lotado. Mochileiros, turistas normais, japoneses, chineses, americanos e europeus por todo lado. Uma babel de línguas. Passeamos bastante e como já passava do meio dia seguimos para o mercado municipal de Cusco para encher o estomago. O mercado é muito grande, centenas de barracas de artesanato, hortifrutis, carnes e restaurantes baratos no meio de muita confusão como toda a cidade de Cusco. Nós 6 nos dividimos e cada um tratou de escolher seu prato. Eu escolhi comer o tão falado ceviche. A mulher do balcão me serviu e fiquei bem em frente de onde ela servia os outros. O que vi faria muitas pessoas pararem de comer. A mulher pegava os pratos de quem terminou, tirava os restos fora, passava o prato numa grande bacia com água de outros pratos (meio suja), passava um pano e depois colocava o prato na pilha de pratos que iam servir os próximos clientes... Não tive um infecção intestinal graças a Deus... Depois disso continuamos a desbravar o centro histórico e passamos em uma loja chamada Asunta que fica na pasaje Inka Roca onde tem umas construções que foram feitas sobre a base de umas ruínas incas que tem imagens de um puma e de uma serpente. Começamos a compra ali e fomos enchendo sacolas. A loja estava aceitando 1 real por 0,92 soles. Todos do grupo compraram muito ali. Ao final da compra as vendedoras falaram que tínhamos de fazer ums foto vestidos como incas e nos encheram de roupas típicas. Continuamos nosso passeio e fomos a um Museu de Arte Pré-colombiano. Fui eu, a Isabel e o Edmar. Os outros preferiram ficar descansando na praça a frente do museu. Foi uma viagem no tempo porque o museu traçou com suas salas de exposição uma linha do tempo desde os primeiros povos pré incaicos até o domínio deste povo no seu apogeu e posterior queda. Peças de arte maravilhosas e ricas em detalhes. Algumas tão perfeitas que poderiam ter sido confeccionadas neste ano. Um beleza para os olhos e o melhor é que o museu deixa tiram quantas fotos vc quiser sem flash é claro. Batemos perna a tarde toda admirando aquelas vielas e casas pitorescas e belas. Voltamos para o hotel para guardar as compras de taxi. Foi bem barato, 3 soles para as 4 pessoas. Alias o Peru deve ter a maior frota de táxis das Américas. Nunca vi tanto táxi na minha vida ao ponto de parecer que tem mais táxi que carros individuais. Um taxi que se mostrava onipresente nas cidades que fomos era um pequeno carro 4 portas da Daewoo que se chama Tico. Gente eram milhares desses carrinhos rodando nas cidades, uma loucura. Após tomar um banho voltamos ao centro a noite para jantar. Achamos um restaurante em frente a Plaza Regocijo que, se eu não me engano, se chamava Restaurante Emperador com um menu turístico a 20 soles. Depois disso fomos dormir pq no outro dia iríamos passear pelo vale sagrada e ir até Ollantaytambo e depois a Águas Calientes.
    1 ponto
  17. Dia 12 – 06/01/2018 Chivay a Cusco – 401 Km Acordamos cedo, tomamos o café, colocamos as coisas nos carros e saímos. Pegamos a estrada que vai para os distritos de Tuti, Sibayo e Callali. Rodamos 40 km em asfalto com muitos buracos, mas trafegável. De Callali em diante a estrada é de terra, mais ou menos 160 a 180 km de terra. Até alguns kms depois de Callali vamos seguindo pelo vale do Colca. Lindos visuais, cascatas e montanhas para se fotografar e filmar. Daí em diante começamos a subir montanhas novamente. De 3600 chegamos a 4800 m de altitude. Foi ai que notamos que a chuva começou a mudar. Paramos o carro e vimos primeiro uma espécie de gotas congeladas para logo a seguir começar a nevar de verdade. Ficamos uns 5 minutos admirando a neve, porém tínhamos que seguir em frente. Mais ou menos no meio da viagem pegamos um trecho curto de asfalto no sentido de Yaury/Espinar. Tivemos que esperar na estrada um pouco pois estava com operação pare/siga para construção em um trecho. Em seguida a estrada piora bastante e o movimento aumenta muito. Principalmente no sentido contrário de onde vinham filas e mais filas de caminhões que neste trecho onde não tinha chovido, levantavam nuvens imensas de poeira. Até Espinar tivemos muita, mas muita poeira. Entrando na cidade nossos GPS ficaram meu loucos e nos perdemos um pouco. Após sairmos da cidade ainda encontramos trechos de terra para finalmente pegarmos o asfalto em que seguiríamos até Cusco. Em Sicuani saímos finalmente na Ruta 3s que seguiria a Cusco sem mais paradas. Ou era o que pensávamos. Mais adiante nas cidades de San Pablo e San Pedro notamos uma grande movimentação na beira da estrada com centenas de carros estacionados e as pessoas olhando para o campo. Era uma espécie de corrida e uma festa dos Reis Magos pelo jeito. Tivemos que passar devagarinho por estes lugares, pois era até perigoso pelo número de carros e pessoas que passavam a rua. A seguir passamos por uma cidade que se dizia a Capital do Cuy do Peru a cidade de Choquepata. Nesta cidade havia dezenas de restaurantes lado a lado cujo prato principal era o cuy, um roedor semelhante ao porquinho da índia que era oferecido por mulheres na beira da estrada com os mesmos assados e empalados em um espeto e sendo mostrados para os carros que passavam. Bem bizarro. Passamos antes pela capital do pão, a cidade de Oropesa, no mesmo esquema do cuy (mas sem espetos), haviam dezenas de panificadoras dos dois lados da estrada e mais banquinhas oferecendo pães. Estranho, mas menos bizarro que o cuy. Finalmente, em pleno horário do rush, entramos em Cusco e seu trânsito caótico. Um stress só. Vi até uma batida de carro quase na minha frente. Uma batida leve e sem danos físicos, porém de deixar a gente tenso no volante. Quem vai para o Peru sugiro dirigir como vovô, devagar, olhando para todos os lados, dando espaço para os carros passarem se estiverem com pressa. Tem que dirigir muito zen para não ter problemas. Fomos direto a um hotel indicado pelo booking e apesar de errar um pouco, chegamos ao Hostal Killaqente, o melhor custo benefício da viagem. Pagamos uns R$ 20,00 por noite mais ou menos. Recomendo muito este hostal só que ele só tenha garagem para 3 carros no máximo. O Edmar, a Renata e a Isabel ainda ficaram num quarto que tinha banheira... Depois de arrumarmos fomos comer 1/8 de frango com fritas a 8 soles e depois voltamos para o hotel. (1/8 de frango é uma coxa ou um peito).
    1 ponto
  18. Dia 11 – 05/01/2018 Chivay – Vale do Colca – 0 Km Como acertado na noite anterior lá pelas 9:30 h fomos para a praça para fretarmos uma van ou um tuc-tuc para irmos às termas. Achamos uma van que cobrou 5 soles cada para nos levar até lá. Chegando lá pagamos mais 15 soles para entrar e nos foi dito que teríamos 3 das 5 piletas (piscinas) que poderíamos entrar: a 1, a 2 e a 5. A 3 e 4 eram para idosos e para moradores da região. Fomos direto na piscina 1 que era a mais quente: 45° graus... Coloquei os pés e não quis entrar, mas ai a Renata entrou e eu não quis ficar para trás. PELAMORDEDEUS que troço quente. Só dava vontade de ficar parado pois ao se movimentar a sensação térmica parece que aumentava. Fiquei alguns minutinhos ali e já sai para ir para a piscina 5. Lá sim o calor era agradável e suportável uns 30 e poucos graus apenas. Não tem muito a relatar deste dia a não ser que ficamos lagarteando e nadando por ali até umas 16 h mais ou menos. Um aviso a quem for nesta piscinas térmicas: cuidado ao sair delas depois de ficar muito tempo dentro, parece que a pressão baixa. Eu quase cai no chão ao sair rapidamente. Não sei se só pelo calor ou isso associado ao fato de que estávamos a 3.600 m de altitude. Voltamos na mesma van, jantamos e dormimos pois o dia seguinte seria longo até Cusco.
    1 ponto
  19. @Fernanda Nicaretta Olá Fernanda! Acabei de ler seu relato e muito me identifiquei, também me sinto uma pessoa insegura, mas estou tendo a oportunidade de viver uma nova fase da minha vida, sozinha. Sempre gostei de conhecer lugares e pessoas.Só que sempre fiz isso acompanhada. Agora quero fazer sozinha. Preciso ultrapassar alguns obstáculos, e entender que nossa própria companhia é muito boa! Gostaria de viajar para o Peru. E gostaria de uma ajuda para montar trajeto e também saber sobre hospedagem e gastos. Você poderia me ajudar? Hoje é a minha primeira vez aqui nos mochileiros, nem sei se estou enviando a mensagem pela maneira correta. Espero que você receba. Aguardo! Bjs! Vanessa
    1 ponto
  20. Warnes vc pode tirar do roteiro kkkkkkkk só vou passar aqui pois meu pai esta morando ai. Mas nem vou ficar um dia direito para aproveitar os outros lugares. Tudo super econômico então viaje com um estoque considerável que dá tudo certo e estará confortável a viagem toda. Em la paz tem muita mas muita coisa a fazer aproveite a viagem [emoji16]
    1 ponto
  21. @Daiana Dahm , eu devo ir dia 17/03 e voltar dia 08/04. Lima, Huaraz, Paracas, Huacachina, Arequipa, Puno e Cusco. Se precisar de alguma informação é só avisar.
    1 ponto
  22. @Daiana Dahm Peru é um país mágico. Não estava sozinha, mas se estivesse, teria me sentido bastante tranquila o tempo todo. Quanto a dicas de roteiro, depende muito do que vc está procurando... eu teria passado 18 dias em Cusco feliz da vida! ahahaha Mas falando sério: vc já tem algo em mente?
    1 ponto
  23. @Matheusss_, @Laryssa Lira Porto sugiro que deem uma lida no http://mochilabrasil.uol.com.br/blog/mochilao-10-dicas-de-como-montar-um-roteiro-de-viagem e no http://mochilabrasil.uol.com.br/blog/20-dicas-matadoras-pra-voce-organizar-um-mochilao e uma boa pesquisada no: - certamente irá ajudá-los na elaboração do roteiro. Aí vocês podem publicá-lo aqui para o pessoal eventualmente opinar sobre
    1 ponto
  24. acho que ninguem respondeu porque isso seria resposta para um especialista...Eu só posso aconselhar o que já testei e uso...Vai na Decathlon, compra uma Mochila da Quechua, tem vários tamanhos, todoas com excelente custo-benefício e 10 anos de garantia
    1 ponto
  25. @Sarah Sasahara Não precisa de passaporte pra Colômbia, basta um RG em bom estado e o certificado internacional de vacinação (contra febre amarela). A não ser que você esteja indo de Copa Airlines e tiver que fazer conexão em Panamá City, aí vai precisar de passaporte.
    1 ponto
  26. @Sarah Sasahara : a partir de que cidade você vai viajar? Quanto tempo tem disponível? E o que gostaria de fazer durante as férias? [Praia? Cidades históricas? Mergulho? Etc] Pesquisando voos em maio saindo de São Paulo, as opções de praia com passagens mais em conta são: - San Andrés, em torno de R$1600; - Mérida (México), a partir de R$2000; - Havana, a partir de R$2200. Se você não fizer questão de praia, a Bolívia é o país mais barato para mochileiros. Mas é outro estilo de viagem, com muito frio e alguns perrengues. Sem falar nos outros países do continente. No momento os mais caros são a Argentina, o Uruguai e o Chile... mas a passagem para esses países é mais barata. Dependendo da duração da viagem, talvez compense.
    1 ponto
  27. Gostei do seu planejamento Tássila, pelo jeito vc está bolando uma viagem com bastante variedade. Ano passado eu pesquisei um pouco sobre Bélgica e Holanda, antes de viajar com uma amiga. Descobri que perto da Bruxelas tem um parque de tulipas, não tão famoso como Keukenhof, mas parece ser bem bonito também, são os jardim de um castelo particular (?!). O castelo não está aberto a visitas, mas durante a primavera os jardins são abertos para visitantes: http://www.floralia-brussels.be/en/ seria uma outra opção (dependendo das datas) Perto de Bruxelas outro um lugar que me pareceu muito legal para visitar é a cidade de Ghent, sendo que seu castelo talvez fosse uma atração interessante para seus filhos, mas também não sei. Na região de Rotterdam minha amiga e eu ficamos muito a fim de visitar duas atrações: Madurodam, que é um parque de miniaturas, e os moinhos de Kinderdijk: https://www.kinderdijk.com/ No fim das contas não fizemos nada disso e fomos para Haarlem! Estou devendo um relato aqui para o fórum, mas gostei muito de visitar Keukenhof e principalmente pedalar ao longo dos campos de tulipas. Ficamos em Haarlem por ser bem mais barato que Amsterdam. A partir de Haarlem deu pra visitar Amsterdam e Keukenhof, numa boa. Provavelmente teria dado pra visitar os moinhos em Zaanse S. também, mas no fim não tivemos tempo. Não sei se vc já fechou acomodação em Amsterdam, mas Haarlem é uma alternativa mais barata e muito simpática, sendo que caminhando no sul da cidade vimos algums moinhos também. Boa viagem pra vcs!
    1 ponto
  28. Fui ao Peru em Junho de 2017, sozinho. Conversei com duas meninas que estavam no mesmo quarto que eu, num hostel em Cusco, uma francesa e uma sueca, ambas foram sozinhas, e me disseram que não tiveram problema nenhum por lá, que se sentiram muito seguras, até mais do que previam.
    1 ponto
  29. Valeu galera pela dica, acabri de chegar em Foz do Iguaçu, sem problema nenhum no carro. Não fui parado em nenhuma blitz.
    1 ponto
  30. 1 ponto
  31. Acho que não há postos GNV em Foz do Iguaçu, acho que o posto GNV mais próximo de Foz do Iguaçu fica em Passo Fundo ou Ponta Grossa / Londrina. O abastecimento GNV é muito restrito no Brasil inteiro, está disponível basicamente nas capitas e duas ou três grandes cidades do interior de cada estado, ou seja, um carro com GNV não serve para muita coisa fora da capital, você vai ter que abastecer com gasolina mesmo.
    1 ponto
  32. Gente, passei o ano novo em Arraial do cabo. Fiz vários vídeos da viagem para meu canal do youtube, vou deixar os links aqui e quem quiser se inscrever agradeço, já vem vídeos de outras viagens la também. Tenho um blog onde posto dicas das viagens. www.osfeix.blogspot.com.br Viagem para Arraial do cabo Nadando com muitas tartarugas em Arraial do Cabo Imagens de drone em Arraial do Cabo
    1 ponto
  33. Não tire Siem Reap! O complexo de templos é muito mais do que só o Angkor Wat (embora ele seja a cereja do bolo) e cada cantinho tem seu charme. Para conhecer os templos mais legas do complexo você vai gastar 2 dias inteiros (ou 1 dia inteiro mais 2 metades dos dias da sua chegada/partida, dependendo do horário dos voos). A cidade em si não tem nada pra fazer mesmo, embora a feirinha noturna seja bacana. O link abaixo pode te ajudar no planejamento e a decidir: https://umcasaleumamochila.wordpress.com/2016/05/26/cambodia-siem-reap/
    1 ponto
  34. Vc está dentro do melhor guia da internet, aqui vc acha TUDO, e se não achar é só perguntar. Ainda tem Booking, Tripadvisor e os blogs de viagens para pesquisar hospedagem e roteiros. Livros muitas vezes não estão atualizados e é mais um peso pra carregar. Compre um chip com acesso a internet lá na Bolivia e seja feliz.
    1 ponto
  35. Nas regiões com praia os hostels em que fiquei estavam bem vazios, creio que você não terá problema em conseguir vaga viajando em Junho, que também é baixa temporada. O chip funcionou muito bem em todos os lugares que passei, com exceção de Cabo Polonio. Pelo que me lembro eu comprei o Chip mais um bom pacote de dados que durasse a viagem inteira e realmente durou, se não me engano convertendo custou uns 40 reais.
    1 ponto
  36. 1 ponto
  37. A ideia do couchsurfing é esta mesmo que o pessoal falou, mas você nunca deve planejar a sua viagem contando com o couchsurfing para fechar o orçamento da sua viagem. Pois couchsurfing não é algo garantido, não tem nenhuma garantia que você vai conseguir couchsurfing nos dias e cidades que você precisa, e mesmo que consiga, sempre pode acontecer de o seu anfitrião ter que cancelar faltando uma semana por que surgiu um compromisso inadiável. Ou ainda, você pode ter azar e chegar lá na casa do seu host, e ele ser um pé-no-saco, mal caráter, ou colocar vocês para dormir num lugar insalubre, ele ser uma "maria-fumaça" e você não suportar o cheiro de "fumo", etc, etc... E onde que você vai arranjar um novo local lá na hora? Vai dormir na rua se não achar um couchsurfing e se não tiver dinheiro para pagar um hostel? Ou seja, mesmo que a intenção seja usar couchsurfing, sempre faça o orçamento da sua viagem como se você tivesse que pagar hospedagem, alimentação, etc. E o que você conseguir de couchsurfing é lucro, fazendo com que sobre dinheiro no final da viagem para alguma "extravagância" qualquer que normalmente você não faria, para compras, etc, ou melhor ainda, trazer o dinheiro de volta para casa ele ser o começo da poupança para a próxima viagem.
    1 ponto
  38. Fala amigos mochileiros!! Já percorri 3150 km, saindo de SP, passando por Foz do Iguaçu, Rosário e Mendoza. Amanha parto para a subida do Aconcágua. Fiz um vídeo mostrando um pouco do meu equipamento para compartilhar com vocês! Abraço e acompanhem minha posição pelo SPOT no meu face.
    1 ponto
  39. Kiko, bom dia. Estou afastado da empresa e, antes de lhe dar uma posiçao, vou tentar me inteirar do seu assunto. Agora, se a Vento for resolver seu problema, é porque respeitamos os nossos clientes e consumidores. E porque procuramos ser éticos e justos. E nao porque temos medo de ameaças, ok? Fraternal Abraço, Fábio
    1 ponto
  40. 14/12 - 1° dia do Uyuni Olá Mochileiros! Desculpa a demora, mas não tive muito tempo esses últimos dias, me perdoem se as edições ficarem um pouco estranhas, mas assim, eu definitivamente não sei mexer nesse site. Parei em Sucre né... Entramos no ônibus, eu tinha lido em vários relatos que o ônibus que levava para o Uyuni era horrível, não tinha banheiro e tals, realmente não tem banheiro, mas não é um ônibus ruim. Dá pra você ter uma viagem ok, sem nenhum problema, então fiquem em paz gente. Só indico que vá ao banheiro antes haha Beleza né, embarcamos 18h, foram 11h de viagem mais ou menos. Chegamos por volta de 4h da matina, assim que descemos do ônibus, fomos abordados por um monte de gente, me senti bem famosa Sério gente, é uma loucura, todo mundo te chamando pra agencia deles, como já tinhamos algumas agencias em mente, então nem demos muita bola. Uma mulher de uma das agencias que nos queríamos nos chamou para tomar um cafe na agencia dela "sem compromisso", estava tão frio (estava REALMENTE FRIO!!), acabamos indo. Dica: Vão agasalhados, porque é um frio do caralho. Coloquem todas as camadas de vocês, sem dó. Entramos na agencia, que estava maravilhosamente quente e perguntamos por um banheiro. Encontramos um banheiro bem duvidoso do outro lado da rua, mas como estávamos com muita vontade, só fomos. Tomamos um café e conversamos um pouco sobre o tours que eles ofereciam, ficamos bem satisfeitas com o que ouvimos e lá eles tinham um diferencial que poucas agencia fazem, eles te levam pra ver as estrelas a noite, achei bem interessante, amanheceu e fomos pesquisar um pouco mais, mas fechamos com aquela mesmo, o nome é Thiago Tours, senão me engano é uma agência brasileira. Choramos um pouco por um desconto e conseguimos Depois fomos procurar um restaurante pra tomar o café da manhã, a essa altura eu já estava morrendo de fome. Eu já tinha um lugar em mente pra ir quando chegássemos lá, se chama Breakfast Nonis. Lá abre 05h então se vocês chegarem esse horário e quiserem um lugar pra ir, vá nesse lugar, gostei bastante. O ruim é que ele é um pouco longe da parada de ônibus, mas o restaurante fica no centro da pequena cidade/pueblo. Depois de uns 5 minutos andando, chegamos no lugar, pedi um café basicão mesmo, pão com manteiga e geleia e um chá, com opção para um café. Tomei primeiro o café, o que foi um erro, porque o café da Bolívia é simplesmente horrível. Comi metade do pão, porque começou a bater o piriri (ninguém tá livre disso) , gente é serio, eu tive que caçar um banheiro urgente, porque eu não estava mais aguentando de dor e de vontade hahaha pior que lá no restaurante tava sem água, BEM NAQUELE MOMENTO- a vida é incrível né. Por sorte, tinha um banheiro publico na frente do restaurante que tinha um grande armazém de água, então pude aliviar meu sofrimento. Pior que as meninas também ficaram como eu. Eu queria falar pra vocês "cuidado com o que vocês comem na Bolívia", mas se for assim, o negocio é nem comer pessoal, tudo lá é meio duvidoso. Todas as pessoas que eu conheci tiveram o mesmo problema que a gente. Voltei bem plena e livre para terminar meu café da manhã. Conhecemos um francesa chamada Lala, muito simpática. Chamamos ela para tomar cafe com a gente, conversamos bastante, ela disse que ia fechar o passeio com Salt Desert, é bem famosa essa agencia e ouvi boas indicações sobre ela também. Deu o nosso horario e nos despedimos da Lala. DICA MUITO PRECIOSA: Vocês sabem que quando atravessa a fronteira Bolívia/Chile tem que pagar propina né? Pois então, descobrimos como não pagar e não é burlando a lei haha quando fechamos com a nossa agencia, ele nos disse que tem como pegar o carimbo ainda naquele pueblo, eu não lembro o nome da rua, mas é bem movimentada, perguntem na rua por um posto de imigração onde você pode conseguir o carimbo. Se você perguntar na agencia que vai fechar eles te respondem também. Lá eles te dão o carimbo, você não paga nada e de quebra não tem que pegar aquela fila enorme da imigração. Poucas pessoas sabem disso, mas se você perguntar eles respondem (na rua). Depois de pegar o carimbo, fomos comprar uma água. Chegamos na agencia e as portas estavam fechadas, daí deu aquele gelo "será que passaram a perna em nós?". Tranquilo, depois de alguns minutos eles aparecem, conhecemos então as pessoas que passaríamos os próximos dias juntos. Conhecemos o Benjamin (Alemanha), Marcos (Espanha), um casal de Espanhóis, cujo nome não lembro, Érika (Peru) e dois brasileiroooos chamados Matheus e Jonathan. E foram chegando mais outras pessoas. Sairíamos em dois carros. Ficamos com os dois brasileiros e a Erika, eles iriam fazer só um dia e depois iriam voltar para a cidade base do uyuni. Conhecemos o nosso simpático guia e começamos nossa jornada rumo ao maior deserto de sal do mundo! O legal era que os dois carros sempre iam juntos, pra dar suporte um pro outro caso precise. Então em todas as paradas nós interagíamos tanto com o nosso grupo, quanto com o outro. Conhecemos primeiro o cemitério de trens, bem perto do pueblo. Um lugar com uma paisagem linda. Essa é a cidade. Depois fomos a um lugar- cujo nome não lembro de novo haha- que tinham águas que eram geladas, mas que ferviam, bem surreal! O guia explicou que é por causa do vulcão, que está bem perto, mas não sei explicar em detalhes. Não da pra ver na foto, mas era bem surreal!! Depois conhecemos o famoso Dakar! E logo após isso, tem aquele lugar com várias bandeiras dos países. PS.: Estava ventando muito!! O Benjamin estava um pouco triste porque a bandeira do país dele não estava lá (Alemanha). Foi muito engraçado a cara dele, mas foi um pouco triste também. Porque eu fico pensando, que até hoje os alemães sofrem devido as coisas que aconteceram no passado, é uma pena né. Enfim, fizemos uma parada para baño e era um lugar com uns morros, dava pra tirar uma fotos bem legais lá. O Benjamin, o Marcos e nós. Naquele calor desgraçado misturado com vento forte haha Eu estava olhando a paisagem pela janela do carro e quando eu percebi tudo estava começando a ficar branco, estávamos chegando ao Uyuni!!! Gente, é surreal, como aquele lugar é incrível e único. Foi ficando cada vez mais branco, quando o carro finalmente parou e pudemos descer. Eu não sei explicar o que eu senti estando ali, onde eu sempre sonhei. Nem vou perder tempo tentando explicar, porque é uma coisa que precisa ser vivida pra saber. Eu estava tão feliz e emocionada que nem acreditava que estava ali, toquei no chão e peguei uma pedra de sal. Sim, eu estava no Uyuni! Não tirei tantas fotos como eu poderia, eu queria ter tirado mais, mas fazer oq né. Nosso guia não sabia tirar foto direito, então uma das poucas que temos, também não é a melhor haha E umas das melhores fotos que tirei, não posso mostrar. E vocês vão saber mais tarde porquê haha Depois que tiramos as fotos e contemplamos aquele imenso deserto, era hora de seguir viagem... O que eu gostei nesse tour é que ele é bem completo, você não vê só o Salar, mas vê varias outras coisas, acho isso bem legal. Se eu não me engano, fomos a um lugar que vendia muitas coisas, como roupas, chaveiros, tocas, enfim varias coisas. Os preços lá eram ok. Já peço que me perdoem, porque eu não lembro da sequencia dos passeios, foram muitoooos, então eu nem vou lembrar de relatar todos aqui. Paramos para ver mais algumas montanhas. Depois nós paramos em um restaurante bem simples e almoçamos, foi servido um arroz estranho, batatas, carne de llama (não me julguem), banana e refrigerante. Foi uma boa refeição. Depois fomos para a Isla del Pescado, é como uma "ilha" com uns cactos, tem que pagar para entrar (custa Bs.30 se eu não me engano). Mas não pagamos, porque achamos que não valia muito a pena, dá pra você ver igualmente estando de fora. Nesse momento nós nos separamos do nosso grupo (os brasileiros e a peruana), porque nós continuaríamos a viagem e eles iam voltar para a cidade base do Uyuni, foi triste nos despedir, porque gostamos muito deles Trocamos de carro e de grupo. Infelizmente pegamos um grupo muitoooo chato de tchecos, gente por favor, não sejam como eles! Tipo, eles não faziam questão nenhuma de interagir com a gente, só falavam na língua deles (sendo que todos falavam inglês e espanhol), quando a gente falava com eles, eles davam meia palavra e pronto! Foi muito chato estar com eles, quando você viaja tem que se abrir para as pessoa sabe, você vive experiencias muito mais incríveis quando conhece outras culturas, não se prendam somente as pessoas que são da sua nacionalidade . Por sorte, sempre que tinha uma parada, nós falávamos com o grupo do outro carro, então basicamente, eles foram nosso grupo hahaha Mas assim, enquanto o grupo era um porre, o nosso guia era um amor <3 sério, amei aquele guia, topzão. Ele explicava as coisas direitinho e dava bastante tempo pra gente ver os lugares. Enfim, depois de ir pro novo grupo chato, fomos para uma especie de gruta, que era bem interessante, poucas agencias vão pra lá, vale super a pena. Reencontramos nosso outro grupo de brasileiros e queríamos arrastar eles de volta pro nosso carro hahaa Já era uma 17h30 +/- e fomos ver o por do sol, com aquela paisagem branca incrível, eu não tenho fotos, mas garanto a vocês que a visão era surreal, o céu fica com umas cores maravilhosas que eu vou guardar pra sempre em minhas lembranças. Já digo que esse horário venta ainda mais, é um vento gelado que corta a alma. Já estava anoitecendo e fomos para o hotel. Li em vários relatos que o hotel era horrível e tals. Eu amei o hotel que fiquei, era aconchegante, bem espaçoso, o quarto era ótimo e não tinha muitas pessoas (eu acho que só tinha o nosso grupo). Dá pra tomar banho (custa Bs.10), mas assim, minha grana estava curta, então não pude me dar esse previlegio, e eu já estava preparada com meus lenços umedecidos, logo tomei meu banho de gato. Depois de "tomar banho", tomamos café, mas eu não cometi o mesmo erro e logo tratei de tomar o chá, a essa altura já tinha me convencido que eu tomaria café tão cedo. Jogamos um pouco de Uno e logo já veio a janta. Foi servido arroz e uma comida tipica boliviana que não sei o nome, mas que era MARAVILHOSA, era algo como linguiça com carne e batata frita embaixo, mano, aquele negocio era bom demais! Vou até tentar fazer em casa. Depois fomos ver as estrelas, o nosso grupo chato não quis ir ver, porque já tinham visto, se eu fosse eles teria ido pra ver mesmo se tivesse visto umas 300 vezes. Estava muito frio, nosso guia colocou um reggaeton pra tocar, quando do nada ele para o carro, e quando nós descemos nós deparamos com aquele céu magnifico, eu nunca tinha visto um céu naqueles, estava muito iluminado. Segundo o nosso guia, nós tivemos sorte, porque não é sempre que o céu está daquele jeito, estava muitoooo iluminado, tinha muitas estrelas. O outro grupo também estava lá, então todos nós ficamos contemplando aquele céu juntos. Depois de uns 30 minutos, nós voltamos e finalmente fomos dormir, eu estava morta de cansaço, no outro dia nós acordaríamos bem cedo. Esse dia foi sem duvidas, um dos melhores dias da viagem. GASTOS: Baño (assim que chegamos na cidade): Bs.1 Tour Salar de Uyuni (com transfer pro Atacama): Bs.700 Água: Bs.6 Café no Breakfast Nonis: Bs.15 Baño (na parada): Bs.1 Baño (de novo): Bs.2
    1 ponto
  41. Realmente silnei... Mas vamos devagar que chegamos lá.. Qlqer coisa eh so conta comigo
    1 ponto
  42. @Dan Wollker , A ideia é muito boa, mas primeiro a prioridade é organizar o fórum que ainda tem muita coisa pra melhorar e depois disso vamos implementar novos recursos, mas como disse a @LF Brasilia isso tem custos e quando o assunto é desenvolvimento de aplicativos, estes custos são bem altos. Mas devagar nós seguimos avançando.
    1 ponto
  43. Oiiii Peoples !! Sou a Jocastaa, eu moro aqui, caso queiram dicas e companhia para turistar +56931144094
    1 ponto
  44. Adren-Aline! Continue o relato, please! E quero o contato do Omar tb, irei para a África do Sul em abril. Aguardando ansiosa, hehe!
    1 ponto
  45. Ontem fechei a mochila, tudo pronto para partir!! Tem uma leva de equipamento que pegarei lá em Mendoza daqui algumas semanas. Abraço!!
    1 ponto
  46. Olá Walter! Tudo bem? Vou te oferecer meus pitacos ok? Ficam aqui como sugestão, apenas. 1 - o seu plano de ir praticamente direto à Uyuni e já começar o tour do salar é arriscado por causa da altitude. Cada pessoa reage de uma forma, claro, mas a não ser que vc já tenha tido experiência com o mal de altitude, recomendo que reserve alguns dias pro seu corpo se habituar e vc não correr o risco de "perder" o passeio. Tb perceba que no seu roteiro haverá grandes variações de altitude, então não se esqueça de se precaver. 2 - o seu roteiro está mais pra maratona do que viagem vc acaba correndo o risco de qualquer imprevisto acabar com ele. A tentação de tentar ver tudo em uma única viagem é grande, mas vc vai ficar poucos dias, então recomendo que passe mais tempo em cada local e assim aproveite melhor o que cada um tem a oferecer. 3 - Também vai ficar muito cansativo. Como vc pretende fazer os deslocamentos? Avião ou bus? Por exemplo, chegar do trekking do Colca e já encarar um busão é dose viu? kkk 4 - A grande maioria dos hostels tem um depósito de bagagens e quase sempre não se cobra nada e não precisa pagar a diária. MAS confirme com seu hostel antes, pois as políticas podem ter mudado. Único hostel em que fiquei e que cobrou pra usar o depósito foi o la casona de jerusalem, em Arequipa. Alguns te deixam até utilizar as dependências comuns mesmo que já tenha feito o check-out, como o Wild Rover e o Kokopelli Que a vida lhe traga muitas viagens!
    1 ponto
  47. Milane, Veja: "Os cidadãos brasileiros estão isentos da exigência de visto para a França em viagem turística: estadas de até 90 dias. (...) Esta medida aplica-se exclusivamente para permanências com duração máxima de 90 dias para todos os territórios franceses (França Metropolitana, Departamentos, Regiões, Coletividades e Territórios Ultramarinos: Guadalupe, Martinica, Reunião, Saint-Martin, Saint-Barthélemy, Saint-Pierre-et-Miquelon, Nova Caledônia, Polinésia Francesa, Wallis et Futuna e Mayotte) exceto para a Guiana Francesa. Ou seja, o visto para a Guiana Francesa é obrigatório para cidadãos brasileiros." https://saopaulo.consulfrance.org/Bem-vindo-ao-setor-de-vistos No entanto... "Exceções - A ISENÇÃO DE VISTO É PREVISTA EM APENAS 3 CASOS: clicar aqui para acesso ao artigo 1) Os cidadãos brasileiros em missão e titular de um passaporte diplomático ou oficial com a validade em curso se beneficiam da dispensa completa de visto 2) Isenção de visto para estadias que não ultrapassem três dias, durante uma escala aérea partindo do Brasil, cujo destino aéreo seja para o território europeu da França ou outro território ultramarino francês. Além dos documentos previstos no artigo R. 211-2 do Código de entrada e de permanência e do direito de asilo, a passagem aérea necessária para o prosseguimento da viagem para o destino final deve ser apresentada. 3) Isenção de visto para estadias de duração inferior a quinze dias para os brasileiros cuja viagem e alojamento forem organizados por um operador de viagens que esteja estabelecido na Guiana Francesa e inscrito no registro dos operadores de viagem ou por um operador que possua um acordo de parceria com uma agência desse tipo. Veja abaixo a lista dos operadores de viagens guianenses qualificados (...)" https://br.ambafrance.org/Casos-particulares-da-Guiana-Francesa-e-do-transito-aereo-por-Caiena Nem sabia dessa última possibilidade!
    1 ponto
  48. Olá viajantes, bora pra Dubai?! Nunca sonhei em ir para Dubai, eu e a esposa estávamos indo para a Tailândia. Ao ver as passagens pela Emirates, vi que haveria uma parada em Dubai e que havia a possibilidade de ficar uns dias por lá, na ida ou volta da Tailândia, o chamado Stopover. Não pensei duas vezes, comprei os voos e seja o que Deus quiser. Depois pensei, meu Deus, ir pra Dubai = falir, será? Que nada, vou compartilhar com vocês meus dias econômicos em Dubai, mas conhecendo praticamente tudo o que tem de mais legal por lá. Quando eu digo econômico, veja bem, não chega a ser no estilo mochileiro. Mas onde deu para economizar, eu o fiz. NOSSO ROTEIRO DIA A DIA. 09/12/15 - SÃO PAULO À DUBAI(Embarque no Aeroporto de Guarulhos às 1h15/Emirates) Chegamos no mesmo dia 9 em Dubai. Optamos propositalmente fazer uma conexão longa de 13hs em Dubai. Ao optar por isso, ganhamos da Emirates direito ao chamado Dubai Connect, explico melhor abaixo. No dia 10, pela manhã, partimos para a Tailândia. 10/12/15 ATÉ 30/12/15 – TAILÂNDIA. Relato completo aqui: so-tailandia-21-dias-com-fotos-dez-2015-dia-a-dia-custos-relato-de-viagem-t125222.html 30/12/15 – IDA DA TAILÂNDIA PARA DUBAI. (Ida do aeroporto para nosso hotel. Nessa noite fizemos apenas um reconhecimento da região onde estávamos hospedados. 31/12/15 – IDA À PUBLIC BEACH AO LADO DO BURJ AL ARAB/ MADINAT JUMEIRAH/ DUBAI MARINA/ MALL OF THE EMIRATES/ RÉVEILLON 2016 NO BURJ KHALIFA. 01/01/16 – PARQUE AQUÁTICO WILD WADI. 02/01/16 – DUBAI MALL/ AT THE TOP BURJ KHALIFA 03/01/2016 – DUBAI MUSEU/ GOLD SOUQ/ SAFARI NO DESERTO 04/01/16 – ABU DHABI - MESQUITA SHEIKH ZAYED E FERRARI WORLD. CÂMBIO No comecinho de 2016 estava assim: 1 Real = 1 Dirham 1 dólar = +- 3,75 Dirham GASTOS DA VIAGEM PREÇO DAS PASSAGENS AÉREAS. Nós pagamos 3600 reais ida e volta por pessoa para a Tailândia, com a parada em Dubai. Possivelmente você pagará menos caso queira ir somente em Dubai. Mas fica aqui a dica: uma boa de visitar Dubai é em uma conexão ou stopover para uma viagem para a Ásia por exemplo, já que Dubai fica no meio do caminho. HOSPEDAGEM - Sun City international Hotel – 1100 Reais por 6 diárias (fomos na virada do ano, em outras épocas você encontra melhores preços). Link no Booking - http://migre.me/tWYRF Link no Hotel Travel - http://migre.me/tWYTz Nunca tinha ouvido falar deste HotelTravel, mas reservei o Sun City por ele, paguei antecipadamente pelo cartão de crédito e correu tudo bem. O valor foi descontado integralmente no momento da reserva. METRÔ DE DUBAI E VALORES. Se você quiser fazer uma viagem econômica em Dubai, prepare-se para usar bastante o metrô. Mas é cheio viu, ainda falam de São Paulo haha. Para comprar seu acesso ao metrô você pode se dirigir ás máquinas ou guichê. Use a máquina, é fácil. Você pode inserir notas ou moedas nela. Os valores do metrô são por zona, mas todos os trechos que andei paguei o mesmo, 6 EAD por viagem. Na primeira vez que comprar uma passagem de metrô, lhe será cobrado 2 EAD a mais pelo Nol Card, esse é o cartão que você usará para passar as catracas do metrô. Você pode ir enchendo esse cartão de créditos para ficar usando na sua viagem. Existem vagões no metrô de Dubai vips, custam o dobro do normal mas não vão tão cheios e tem cadeiras mais confortáveis. Não usei esse serviço. No metrô de Dubai os homens ficam separados das mulheres. A uma linha no chão que separa a parte de cada um. É normal ver os turistas em casal na parte dos homens. Eu com minha esposa algumas vezes ficamos juntos na parte dos homens e as vezes ficamos na linha limite que separa homens e mulheres. Você pode ir para várias das principais atrações de Dubai de metrô, mas nem todas. Abaixo falo quais estações de metrô são as mais próximas de cada uma das principais atrações de Dubai. AS ATRAÇÕES DE DUBAI, COM PREÇOS E COMO CHEGAR DA FORMA MAIS BARATA. ATRAÇÕES QUE VISITAMOS -SKI DUBAI PREÇO: Tem vários pacotes, nós fizemos apenas o “Encontro com Pinguins” por 170 EAD por pessoa (Preço de outros pacotes http://www.theplaymania.com/skidubai/pricing). O preço no site era o mesmo preço da bilheteria. COMO CHEGAR: O SkiDubai fica dentro do Shopping Mal of the Emirates. Para chegar no Shopping basta ir de metrô até a estação Mall of the Emirates. Essa estação tem saída dentro do Shopping. -WILD WADI PARQUE AQUÁTICO PREÇO: 255 EAD entrada por pessoa + 20 EAD do guarda volume para dois + 50 EAD lanche com hambúrguer, batatas e refri 700ml, comemos os dois, é grande. (Foi mais barato comprando na hora. Pelo site sairia 275 EAD a entrada). Veja preço atualizado da entrada aqui http://www.jumeirah.com/en/hotels-resorts/dubai/wild-wadi/rates/general-admission--rates/ COMO CHEGAR: Não tem metrô direto para este parque aquático. Vá de metrô até a estação FGB Metro Station, e pegue um táxi por cerca de 12 Dirham até o Wild Wadi. -AT THE TOP, BURJ KHALIFA (o prédio mais alto do mundo) PREÇO: Pagamos 125 EAD por pessoa para subir no Burj Khalifa. Para fazer a visita em horário de pôr do sol, custa mais caro, 200 EAD. Esses preços são comprando antecipadamente pelo site, comprando na hora fica mais caro. Site: https://tickets.atthetop.ae/atthetop/Step0_BookingInfo.aspx COMO CHEGAR: O Burj Khalifa fica ao lado do Dubai Mall, mas para fazer a visita, o passeio chamado At the Top, você acessa o prédio pelo próprio Dubai Mall, siga as placas de indicação no Shopping. Para chegar ao Dubai Mall, pegue o metrô para a estação Burj Khalifa/Dubai Mall. Essa estação tem saída dentro do Shopping. -DUBAI AQUARIUM AND UNDERWATER ZOO PREÇO: 100 AED por pessoa. Na verdade há outros pacotes mais caros, fomos no mais básico que nos deu direito a passar pelo túnel submerso entre outras coisas que falo a seguir no relato. COMO CHEGAR: Ele fica dentro do Dubai Mall. Para chegar ao Dubai Mall, pegue o metrô para a estação Burj Khalifa/Dubai Mall. Essa estação tem saída dentro do Shopping. -SAFARI NO DESERTO PREÇO: Pagamos 79 EAD por pessoa comprando pelo Groupon dos Emirados Árabes https://www.groupon.ae/deals/al-rehlat-al-saeedah-tours. COMO CHEGAR: Neste passeio o transfer está incluso. Uma van te buscará no seu hotel, ou em algum ponto de encontro. No meu caso eles enviaram três opções de pontos de encontro, eu deveria escolher um desses, o que ficasse mais acessível para mim. -FERRARI WORLD EM ABU DHABI PREÇO: 250 EAD por pessoa, mesmo preço do site estava na bilheteria https://tickets.ferrariworldabudhabi.com/ferrariworld/b2c/index.cfm/calendar COMO CHEGAR: Vá de metrô até a estação Al Ghubaiba em Dubai. Depois faça uma caminhada de 3 minutos até a rodoviária de mesmo nome, Al Ghubaiba. Nesta Rodoviária pegue o ônibus E100 por 65 dirhams ida e volta para Abu Dhabi, tem com bastante frequência, falam que de 20 em 20 minutos. Em cerca de 2hs você chegará à Rodoviária de Abu Dhabi chamada Al Whada. Dessa rodoviária, você pode ir de táxi até o Ferrari World, custará cerca de 35 Dirhams. Não sei se tem ônibus da rodoviária de Abu Dhabi até o Ferrari World, eu fui de ônibus até a Mesquita, e de lá peguei um táxi até o Ferrari World. Para voltar, faça o esquema inverso. - DUBAI MALL (o maior Shopping do mundo) PREÇO: Entrada gratuita. COMO CHEGAR: Para chegar ao Dubai Mall, pegue o metrô para a estação Burj Khalifa/Dubai Mall. Essa estação tem saída dentro do Shopping. -MALL OF THE EMIRATES PREÇO: Entrada gratuita. COMO CHEGAR: Para chegar ao Shopping basta ir de metrô até a estação Mall of the Emirates. Essa estação tem saída dentro do Shopping. -PRAIA PÚBLICA AO LADO DO BURJ AL ARAB, O ÚNICO HOTEL 7 ESTRELAS DO MUNDO. PREÇO: Entrada gratuita. COMO CHEGAR: Não tem metrô direto para esta praia. Vá de metrô até a estação FGB Metro Station, saindo, pegue um táxi por cerca de 10 Dirhams que te levará a praia em 10 minutos. Essa praia é bem legal porque suas fotos sairão com o lindo Burj Al Arab de fundo. Quando entrar no táxi, peça para o taxista te levar na praia pública ao lado do Burj al Arab. -MADINAT JUMEIRAH. PREÇO: Entrada gratuita COMO CHEGAR: Não tem metrô direto para o Madinat. Vá de metrô até a estação Mall of the Emirates, saindo, pegue um táxi por cerca de 10 Dirhams que te levará ao Madinat Jumeirah em 10 minutos. Shopping bem legal, típico Oriente Médio, com um rio artificial por onde andam barcos charmosos. Vale a pena a visita. -DUBAI MARINA PREÇO: Gratuito. COMO CHEGAR: Vá de metrô até a estação Dubai Marina/Damac Properties (você pode encontrar com esses dois nomes, em alguns lugares vi como Dubai Marina, outros como Damac Properties, mas é a mesma estação) ou Jumeirah Lake Towers metrô Station. Essas duas estações de metrô fazem conexão com o Dubai Tram, que é como uma linha de metrô, diferenciada, que circula em certa área na região de Dubai Marina. Pegue o Dubai Tram, por 8 dirhams por pessoa, até a estação Marina Towers. Essa estação é onde ficam muitos Iates parados, tem alguns prédios gigantes e o Marina Walk, mas há outras regiões em Dubai Marina que você pode explorar com o Dubai Tram, como por exemplo descer nas estações Jumeirah Lakes Tower Tram Station e Dubai Marina Mall Tram Station. -THE DUBAI FOUNTAIN PREÇO: Gratuito. COMO CHEGAR: Esse show das águas e luzes dançantes acontece todos os dias das 18h às 22hs, de meia em meia hora e dura cerca de 8 minutos. Essas fontes ficam em frente ao Dubai Mall e Burj Khalifa. Vá de metrô para a estação Burj Khalifa/Dubai Mall. Essa estação tem saída dentro do Shopping. No Shopping, informe-se ou siga as placas. -MESQUITA SHEIKH ZAYED PREÇO: Entrada gratuita. COMO CHEGAR: Vá de metrô até a estação Al Ghubaiba em Dubai. Depois faça uma caminhada de 3 minutos até a rodoviária de mesmo nome, Al Ghubaiba. Nesta Rodoviária pegue o ônibus E100 por 65 dirhams ida e volta para Abu Dhabi, tem com bastante frequência, falam que de 20 em 20 minutos. Em cerca de 2hs você chegará à Rodoviária de Abu Dhabi chamada Al Whada. Dessa rodoviária, você pode ir de táxi até a Mesquita por aproximadamente 25 Dirhams, dá uns 20 minutos. Ou pode ir com o ônibus 54, direção Instituto de Petróleo Naar, se pega fora da rodoviária e custa 3 Dirhams por pessoa, a viagem dura uns 30 minutos. Esse ônibus te deixa em frente a Mesquita. Para voltar, faça o esquema inverso. Essa atração imperdível em Abu Dhabi. -DUBAI MUSEUM PREÇO: 3 EAD por pessoa. COMO CHEGAR: Vá de metrô até a estação Al Fahidi. Faça uma caminhada de cerca de 9 minutos, informe-se com algum local para saber o caminho correto, é fácil. No caminho vá curtindo a região de Bur Dubai, caso já não esteja hospedado por aqui. - GOLD SOUQ (Mercado de ouro) PREÇO: Entrada gratuita. COMO CHEGAR: Vá de metrô até a estação Baniyas Square, já vai estar pertinho do Gold Souq, cinco minutos andando. ATRAÇÕES QUE NÓS NÃO FOMOS, MAS QUE PARECEM VALER A PENA. -GLOBAL VILLAGE PREÇO: 15 EAD a entrada por pessoa. COMO CHEGAR: Essa feira das nações funciona somente de Novembro à Abril. Para chegar lá você pode ir de táxi, 40 minutos (é longe, custará uns 60 EAD), ou ônibus, 1h30, que você pode pegar nas rodoviárias de Dubai, Al Ghubaiba ou Union Bus Station, não sei o preço do ônibus, chutaria uns 20 EAD . -YAS WATERWORLD, PARQUE AQUÁTICO EM ABU DHABI PREÇO: 240 EAD a entrada por pessoa. COMO CHEGAR: Vá de metrô até a estação Al Ghubaiba em Dubai. Depois faça uma caminhada de 3 minutos até a rodoviária de mesmo nome, Al Ghubaiba. Nesta Rodoviária pegue o ônibus E100 por 65 dirhams ida e volta para Abu Dhabi, tem com bastante frequência, falam que de 20 em 20 minutos. Em cerca de 2hs você chegará à Rodoviária de Abu Dhabi chamada Al Whada. Dessa rodoviária, você pode ir de táxi até o Yas WaterWorld, custará cerca de 35 EAD. Não sei se tem ônibus da rodoviária de Abu Dhabi até o Yas WaterWorld, eu fui de ônibus até a Mesquita, e de lá peguei um táxi até o Ferrari World, que fica próximo ao Yas WaterWorld. Para voltar, faça o esquema inverso. Nesse parque tem uma atração chamada Dawwama, que foi eleito o melhor brinquedo de todos os parques aquáticos do mundo. -AQUAVENTURE WATERPARK PREÇO: 260 EAD a entrada por pessoa. Veja preço atualizado aqui https://www.atlantisthepalm.com/pt/marine-water-park/aquaventure-waterpark COMO CHEGAR: Não tem metrô direto para o Aquaventure Waterpark. Vá de metrô até a estação Dubai Internet City e na saída da estação pegue um táxi até o Aquaventure. Levará uns 12 minutos e custará uns 12 EAD. -COMER EM ALGUM RESTAURANTE NO BURJ AL ARAB. PREÇO: cerca de 300 AED por pessoa. COMO CHEGAR: Não tem metrô direto para O Burj Al Arab. Vá de metrô até a estação FGB Metro Station, e pegue um táxi por cerca de 10 Dirham que te levará até o Burj Al Arab em 10 minutos. Reservar um dos restaurantes do Burj Al Arab é uma das formas de você entrar neste hotel, o único 7 estrelas do mundo. A outra forma, é ficando hospedado nele. Custa cerca de 5 mil reais a diária. Com certeza existem muitas outras atrações em Dubai, citamos acima algumas delas, quem sabe as principais. DICAS DE COMO OTIMIZAR SEU TEMPO CASO TENHA POUCO TEMPO EM DUBAI. DICA 1 – Saindo cedo, vá de metrô até Dubai Marina, depois pegue um táxi até o Madinat Jumeirah e depois outro táxi até a praia ao lado do Burj Al Arab. Depois caminhe cerca de 15 minutos até o Wild Wadi, ou tome outro táxi. São trechos curtos, você gastará uns 12 EAD em cada trecho de táxi. Encerre a visita ao Dubai Marina, Madinat Jumeirah e praia até 12h30. Fique no parque das 13hs até seu horário de fechamento, 18h ou 19hs, dependendo da época do ano o horário de fechamento muda. O Wild Wadi não é muito grande, então, meio período é tempo suficiente para você ir em todos os brinquedos e ainda ficar relaxando. Claro que o melhor é ficar um dia todo no parque, mas se o tempo em Dubai estiver apertado, creio que meio período te satisfaça. Caso opte ir para o Aquaventure ao invés do Wild Wadi, mantenha a mesma idéia, mas ao contrário. Praia, Madinat, Dubai Marina e depois vá para o Aquaventure que fica mais próximo de Dubai Marina. Só atente para o Madinat Jumeirah que abre diariamente às 10hs da manhã. Tenho a informação de que abre inclusive às sextas, mas acredito que as lojas estejam fechadas. DICA 2 – Combine a visita ao Dubai Mall, Dubai Aquarium, Burj Khaliffa e Dubai Fountain no mesmo dia. Esse é bem óbvio, aliás, ficam todos juntos. A fonte fica em frente ao Burj Khalifa e Dubai Mall. O aquário dentro do Dubai Mall. E o Burj Khalifa e Dubai Mall interligados. O Dubai Mall é gigante, dizem que você leva cerca de dois dias para conhece-lo inteiramente.O tempo para ficar em um shopping é muito pessoal. Eu diria que para esta região, um pedaço da tarde e a noite seriam suficientes. Só lembrando que o Dubai Fountain começa à partir das 18hs. DICA 3 - Combine a visita ao Dubai Museu com o Gold Souq. Vá de metrô até o Dubai Museum, depois vá para o píer passando por Bastakiya e conhecendo Bur Dubai. Pegue uma Abra e atravesse o Creek. Passe pelos vários Souqs chegando até o Mercado de Ouro. Uma manhã é o suficiente para isso tudo. VISTO Brasileiros precisam de visto para entrar nos Emirados Árabes. Independente da maneira, a entrada no processo de visto só pode ser feito de 60 a 15 dias antes do embarque. Tipos de visto: Visto de turista – Você pode ficar em Dubai por 30 dias. Única entrada. Visto de trânsito – Você pode ficar em Dubai por 96hs. Única entrada. Existem outros tipos de visto que não vou comentar aqui porque desconheço como funciona, mas são eles: visto de trabalho, longa permanência e múltiplas entradas. Algumas formas de conseguir o visto: -Comprando com alguma empresa especializada em vistos – em 2015 cheguei a ver o preço do visto com duas dessas empresas. Os valores que me informaram eram os mesmos, 150 dólares por visto, mais a obrigatoriedade de comprar um passeio com eles, sendo que o mais barato era o Safari no Deserto por 75 dólares. O procedimento seria todo online, você enviaria alguns documentos pessoais e cerca de 4 dias úteis o visto lhe era enviado por email. Não é a opção mais barata mas é prática. Caso opte por fazer com essas agências, pesquise bem a procedência da empresa. Esse valor é para visto de turista, visto de trânsito não sei quanto custa pela agência, mas de certo um pouco mais barato. - Reservando algum hotel que ofereça esse serviço – Não sei quais, mas existem hotéis em Dubai que oferecem o serviço de visto caso você hospede-se nele. O que é certo, é que com certeza são os hotéis mais caros. - Voando com a Emirates ou Etihad – essa foi a maneira que eu obtive meu visto. Super simples, se você voar com uma dessas empresas para os Emirados Árabes, eles vá te providenciar o visto por uma taxa. Visto de turismo 96 dólares e visto de trânsito por 58 dólares. Quando você compra uma passagem aérea com uma dessas empresas, você faz um cadastro que te dá acesso a uma área com as informações do seu voo. Nessa área existe um espaço só para pedido, envio online de documentos e acompanhamento do seu visto. Tudo super simples. Você paga a taxa e depois envia o comprovante com os documentos exigidos, que são: cópia do passaporte, foto, bilhete de voo, comprovante da taxa de visto paga, um formulário preenchido e documentos adicionais. O que seriam esses documentos adicionais? São aqueles documentos que de alguma forma mostre que você não tá afim de ficar no país deles ilegalmente. Eu enviei documento do meu carro no meu nome, cartão de crédito, holerith, comprovante do irpf e extrato bancário. Você não precisa enviar e nem ter tudo isso, envie o que tiver. Acredito que voando pela Emirates ou Etihad você dificilmente terá seu visto negado. Em 4 dias nosso visto de turismo estava no nosso email, imprimimos e levamos conosco. No caso da Emirates que foi por onde voamos, ainda tínhamos um telefone do escritório da Emirates em São Paulo para tirar dúvidas. Não esqueça que esse visto é para entrada única no país. Eu usei esse visto na volta da Tailândia quando fiquei 6 dias no país. Na ida usei do Dubai Connect para dormir uma noite em Dubai antes de ir na Tailândia. DUBAI CONNECT. Esse é um serviço de cortesia que é oferecido pela Emirates em determinadas ocasiões. Uma dessas ocasiões é a “conexão longa”, acima de 8 horas e menos de 24hs. O Dubai Connect dá direito a visto de trânsito, hotel e alimentação, tudo por conta da Emirates, que maravilha! Nós propositalmente compramos nossas passagens com uma conexão de 13 horas em Dubai na ida para a Tailândia. Nós achamos ótimo, pois não ficou tão cansativa a ida para a Tailândia com uma noite de sono em Dubai. Falo mais sobre esse serviço e como foi nossa experiência mais pra frente no relato. QUAL REGIÃO ME HOSPEDAR EM DUBAI DE FORMA ECONÔMICA? A grande dica é você se hospedar em Bur Dubai e próximo a uma estação de metrô. A região fica a 10 minutos de metrô das atrações mais tops de Dubai, e a região com hotéis mais econômicos. E o legal de se hospedar por aqui, além do preço é que você acaba sentindo um pouco mais da Dubai com cara realmente de Oriente Médio, sabe?! Claro, óbvio que se puder fique em um vários hotéis tops de Dubai, na verdade se puder investir em hotel, Dubai é um ótimo lugar para isso, mas, deixo a dica de Bur Dubai para os viajantes econômicos como eu. Você pode considerar também a região chamada Deira, um pouco mais afastada que Bur Dubai, mas com estações de metrô que vão te levar por todo Emirado também. Vou indicar alguns hotéis em Bur Dubai que vi nas minhas pesquisas que ficam próximos a estações de metrô, com no máximo 8 minutos de caminhada, e tem preços econômicos(de 100 à 200 reais, dependendo da época): -Sun City International Hotel, President Hotel, Regal Plaza, London Crown Hotel, London Crown Hotel 2, Regent Palace Hotel, Moon Valley Hotel, Rainbow Hotel, New Penninsula Hotel, York International Hotel, Dubai Nova Hotel, Raviz Center Point Hotel, entre outros. COMO SÃO AS PESSOAS EM DUBAI. Não achei dos mais educados a maioria dos nativos de Dubai. Na sua grande maioria falam inglês, mas são daqueles que dão a informação com cara fechada. Não todos ok, mas a maioria que nos relacionamos. Os homens olham mais que o normal para as mulheres. Minha esposa em nenhum momento usou roupas muito curtas que chamassem a atenção, mas mesmo assim os homens olhavam mais que o normal do que estamos acostumados por aí. Não que seja arriscado, por exemplo, uma mulher ir sozinha para lá, inclusive acho que é de boa. Mas esteja preparada para alguns caras que vão te secar. POSSO ANDAR DE MÃOS DADAS COM MINHA MULHER? E AS ROUPAS? Andei de mãos dadas com minha esposa o tempo todo, os turistas agem dessa forma normalmente por lá, não me pareceu ser problema. Só não abuse nos beijos e qualquer outro tipo de afeto em público kk. Na praia e parques aquáticos, vocês verão nas fotos, como tem muitos turistas, as pessoas usam biquínis, sungas, normalmente como em qualquer outra praia no mundo. Em Shoppings também, nada de anormal, bermudas para homens e mulheres, nada de mais gente. A SEXTA – FEIRA. Atente-se ao seu roteiro para a sexta-feira, pois lá esse dia é como o domingo para nós, muitos estabelecimentos fecham. As lojas nos Shoppings fecham, abrem mais tarde. Metrôs e táxis funcionam normalmente, pelo menos vi vários taxistas trabalhando. Fui com a informação de que o metrô só funcionaria a partir das 12hs, mas não, funcionou normalmente desde cedo. A dica que eu dou, é que caso você tenha uma sexta – feira no seu roteiro, use-a para ir ao Parque Aquático, esse funciona normalmente na sexta. À partir do próximo post vou estar começando o relato dia a dia com fotos. Qualquer dúvida perguntem à vontade, mesmo que eu não tenha escrito ainda. Usem à vontade meu instagram e facebook se preferirem.
    1 ponto
  49. Eu não sei se os contos vem deste país ou este país vem dos contos. Séculos e séculos de história descansam sob os pés de milhões de turistas! fazem desta nação um dos destinos mais populares do mundo! Bem-vindos à Inglaterra! Está no ar o primeiro capítulo da temporada The World by Fon na Inglaterra! Fique ligado, acompanhe semanalmente! Inscreva-se através do link: https://goo.gl/95qFDE . Uma abraço maior que o Atlântico, Fon
    1 ponto
Líderes está configurado para São Paulo/GMT-03:00
×
×
  • Criar Novo...