Ir para conteúdo

Mais curtidos da Semana


Conteúdo Popular

Exibindo conteúdo com a maior reputação em 05-06-2018 em todas áreas

  1. 2 pontos
    Primeiramente gostaria de agradecer ao altíssimo arquiteto do universo pelas oportunidades e tornar o ser humano melhor para si e para o mundo!!! Agradeço também a parceria dos meus irmãos @darlyn, @beatrizz e Reges por terem decolado junto para mais essa aventura, dando assim inicio ao meu relato do majestoso PICO PARANÁ: Saímos de Chapecó-SC no dia 31/05/18, não lembro exatamente a hora pois a ansiedade de deixar a civilização era grande. Viajamos a noite toda com a nossa motora faca na bota Beatriz, chegamos em Campo Grande onde fica a fazenda do PP e descansamos até amanhecer ali mesmo dentro do carro, ao clarear o dia sai do carro para contemplar o amanhecer onde já dava pra ver os primeiros raios de sol nos morros em volta do Camping, foi onde conheci o Luan, filho do casal que cuida da fazenda a mais de 20 anos, pessoal super gente fina, onde nos deu algumas instruções e nos ofereceu café e pães de queijo (deliciosos), depois de tomar nosso café, fizemos nosso cadastro e demos inicio a trilha por volta das 9:00h do dia 01/06/18, logo de inicio já mostrou que não seria fácil, subida ingrime e com o peso da cargueira dificultava um pouco mais, minha primeira experiência em montanha. Chegamos ao morro Getúlio onde ali paramos para apreciar o visual e dar uma recuperada nas energias, seguimos então a trilha e chegamos no primeiro ponto de água, a "bica", e que água meus amigos!! Reabastecemos nossas garrafas e demos sequencia até chegarmos na bifurcação que vai pro Morro Caratuva ou Pico Paraná. Durante a trilha encontrávamos algumas pessoas voltando do PP falando que o amanhecer tinha sido coisa de outro mundo, isso só aumentava nossa vontade de continuar, depois de passar o segundo ponto de água a trilha começa a ficar mais difícil com muitas raízes, pedras e alguns pontos com cordas e grampos, isso faz com que o ritmo diminui e o esforço aumenta gradativamente. Depois de 4 horas e meia caminhando na maioria das partes de mata fechada chegamos ao A1(Primeiro ponto onde é possível acampar) e se deparar com a grandiosa montanha do PP, essas horas vc esquece de todas as dores, do peso que vc esta carregando, de qualquer outro pensamento e a emoção toma conta, realmente é de encher os olhos e o coração, ficamos ali um tempo sem saber se aquilo era verdade ou um sonho, o silencio tomou conta. Depois de nos recuperar emocionalmente paramos para almoçar o nosso precioso miojão com vista para o PP, ow coisa boa, melhor miojo da vida!! Recuperamos as energias e seguimos a diante, onde encontramos um pessoal falando que ainda o pior estava por vir, e realmente estava, a parede de grampo do PP, vento forte, o visual em volta lindo demais, a adrenalina a flor da pele, passamos pelos grampos com um pouco de dificuldade e com muito cuidado até chegarmos finalmente ao A2(Segundo ponto onde é possível acampar), largamos as cargueiras de lado e ficamos apreciando tudo aquilo que nos cercava, montamos nossas barracas pois já estava anoitecendo e o frio aumentando junto com as rajadas de vento que eram fortes demais, ficamos com medo de que nossas barracas voassem morro a baixo, encaminhamos tudo e fizemos nossa janta, daale miojo dnvo hahaha essas horas vc não se importa com nada, só agradece por estar vivendo ali aquele momento. Bebemos um vinhote do Seu Armelindo Biazus (meu nono) e fomos descansar pois estávamos precisando depois de quase 7 horas de trilha. A noite não foi tão fácil assim também, as rajadas de vento era de assustar e fazia com que a gente acordasse de tempo em tempo. No dia seguinte a intenção era de chegar ao cume do PP, levantamos fizemos nosso café e contemplamos um nascer do sol magnifico, de um lado a neblina cercando as montanhas, os raios de sol dando vida e iluminando o dia, até q a chuva deu as caras, tivemos que voltar para as barracas e esperar a chuva diminuir, assim que ela acalmou desmontamos o acampamento e achamos melhor não subir no cume, pois o vento estava realmente forte e a neblina tinha tapado toda a montanha, já não conseguíamos ver o horizonte. No caminho de volta pegamos chuva quase o tempo todo, a vegetação molhada fazia com que a gente se molhasse ainda mais, a trilha mudou completamente sua forma, precisávamos ter mais atenção onde pisávamos pois as pedras eram escorregadias. Fui me distanciando dos meus colegas pois cada um tinha seu ritmo e não podíamos parar pois se não o corpo quente esfriava e a sensação era de estar congelando. Paço a paço voltamos para o ponto de inicio na fazenda do PP, não paramos para almoçar, descemos direto num ritmo um pouco mais rápido pois já não parávamos para apreciar os lugares. Cheguei ao ponto de partida por volta de 12:30 exausto, com os pés, joelhos e quase todas as juntas doloridas, mas com o coração transbordando felicidade e a alma renovada por saber que tinha completado a missão. Larguei a cargueira no chão e deitei ao lado dela com os olhos lacrimejando de tanta emoção, não conseguia falar nada apenas refletir. Fui me recuperando até que o Darlyn também chegou e na sequência a Bea e o Reges, já estava preocupado com eles pois estavam demorando um pouco. Após todos se recuperarem almoçamos na base, comemos tanto e mesmo assim a fome parece que não passava kkkkk. Subir uma montanha exige mais que força física, é força psicológica, pode parecer loucura, talvez seja, mas é assim que a gente consegue realmente dar valor para as coisas mais simples da vida, nos superarmos, saímos da zona de conforto, buscamos aquele algo a mais, nosso universo é lindo e vc não precisa ir mto longe para perceber isso, a beleza das coisas está no espirito de quem as contempla, se desapegue do bem material e você enxergará a vida com outros olhos. Vida longa pra todos nós!!!! Thanks god. Surprised me again!! XXVP1850.mp4
  2. 2 pontos
    Duração: 7 dias, passando a primeira e a última noite em Palmas. Veículos: Duster 1.6 (Movida), Renegade 1.8 (Unidas). 09 pessoas. Acesso aos atrativos sem carro 4x4: Ao fim do texto há uma lista dos atrativos visitados e especificações sobre o acesso. Época do Ano: Fim da estação chuvosa, início da estação seca. Caíram apenas algumas gotas de chuva durante a semana. Roteiro básico: Palmas – Ponte Alta – Mateiros – cidade de Rio da Conceição – Pindorama do Tocantins – Palmas. Foram percorridos cerca de 1200 km. Custo por pessoa: cerca de 800 reais + passagem aérea. O valor total da viagem foi contabilizado e dividido entre as 09 pessoas do grupo pelo aplicativo Tricount. Nesses 800 reais considera-se quase tudo o que foi gasto, inclusive passeios, camping, hostel, almoços, aluguel de carro e combustível. Domingo, 29/04. Palmas, Praça dos Girassóis, Praia da Graciosa, Hostel Aconchego. Aluguel de Veículos Alugamos a Duster pela Movida. Foi pago 926 reais pelos 7 dias; a Movida não oferece franquia reduzida, sendo que o valor é de 1800 reais e caso o dado ao veículo seja menor do que esse, paga-se o valor do concerto. Me ofereceram seguro contra terceiros, seguro contra pneu furado e vidros, porém não achei nenhum deles vantajoso. O outro veículo foi alugado na Unidas, lá eles oferecem o Renegade. Há uma vantagem: a franquia reduzida, que aumenta o valor do aluguel, porém a franquia fica por 500 reais. O valor total pago pelos 7 dias foi de 1400 reais. Mas porquê a busca pela franquia reduzida? Já prevíamos que as estradas de terra, pedra e areia fossem danificar esses veículos, especialmente o Renegade, que é mais baixo e que não possui um local feito pra que se amarre a corda ou cinta pra viabilizar o reboque. A Duster possui um ferro com um furo no meio, tanto na dianteira como na traseira que facilita muito o reboque. Porquê não alugar uma 4x4? É simples, em Palmas o valor da 4x4 era quase 5 vezes maior que o da Duster e do Renegade, por volta de 4.500 reais durante o mesmo período de uma semana. Conhecendo Palmas Cheguei em Palmas cerca de 06 horas antes do resto do grupo, aproveitei pra conhecer a cidade, apesar de não achar muita coisa pra se fazer por lá. Conheci o Palácio do Araguaia, de fato bem bonito. Próximo a ele ficam dois monumentos em homenagem a Luis Carlos Prestes e à Coluna Prestes. Após o passeio cultural, achei legal ir conhecer as praias que margeiam o Rio Tocantins. Elas em geral são cercadas por uma rede que impede a entrada das Piranhas (ainda bem hahaha). Conheci a Praia da Graciosa, é simpática, mas não é grande coisa; pude me refrescar enquanto esperava o resto do pessoal. A cidade de Palmas parece uma USP gigante, pra quem conhece a Cidade Universitária... São inúmeras rotatórias e avenidas. As avenidas se estendem por muitos quilômetros, não há trânsito, é uma cidade planejada. Hospedagem Ao fim da tarde, fui atrás de um lugar pra ficarmos a primeira noite em Palmas. O primeiro lugar que fui, adorei! É o Hostel Aconchego (foto 1). Fiz o percurso entre o Aeroporto e o Hostel em cerca de 25 a 30 minutos. O lugar é bem bonito e aconchegante (hahaha é verdade), há uma rede do lado de fora, cadeiras e mesinhas. Do lado de dentro é muito limpo e organizado. Pagamos por volta de 40 reais por pessoas, com direito a um ótimo café da manhã – com uma série de ingredientes locais, um suco de Cajá maravilhoso, goiabada... meu deus hahahaha – e as ótimas dicas e conversas com a Ariela, moça que nos recepcionou no Hostel. Gostamos tanto do local que passamos nossa última noite lá, novamente Foto 1: Em frente ao Hostel Aconchego, com a Ariela (a esquerda). Feira Local A nossa janta foi numa feira local, pra mim o melhor lugar de Palmas. Pudemos encontrar muita comida boa e barata, além de artesanato feito com o capim dourado – num preço muito mais em conta do que se encontra no Jalapão. Na feira há muitos tipos de caldos, um que é muito bom e local é o Caldo de Chambari (R$ 7,50) (foto 2). Nós gostamos também de um prato que chama Jantinha, onde vem MUITA carne picada, arroz e feijão tropeiro (R$ 10,00). Foto 2 Vale lembrar que passamos em um supermercado e garantimos mantimentos pra quase toda a viagem... muita água, miojo e pão! Hahahahah 30/04 Ponte Alta – Dunas do Jalapão (Antes de Mateiros), via TO-255. Passeios do Dia: Cachoeira do Lajeado. O café da manhã no Hostel começava as 07. Saímos um pouco tarde, por volta das 09 horas de Palmas, uma vez que paramos numa loja de pesca pra comprar fogareiro. Fomos em direção a Ponte Alta, lá abastecemos o carro e seguimos sentido Mateiros pela TO-255. Quando falo o nome das estradas, não é porque está indicado, mas só pra vocês acharem elas no Google haahha A ideia inicial era ir para a Cachoeira da Velha, a 30 km da estrada principal, e terminar o dia nas Dunas, a 6 km da estrada principal. Não sabemos se carro sem ser 4x4 chega a Cachoeira da Velha, por ser muito longe deixamos de ir. Em relação as dunas, os 6 km seriam feitos a pé, não fosse a pick up que nos ofereceu carona na caçamba. Há um camping em frente à entrada das Dunas, cuja diária é 25 reais por pessoa. Passamos a noite por lá. Eles servem almoço, deve ser em torno de 30 a 35 reais, porém ficamos com o nosso miojo... o moço disse que seria complicado fazer a janta, pois não havíamos avisado que iríamos jantar lá, e então ele teria que matar a galinha ainda... ok né De fato, o que fizemos foi ir a Cachoeira do Lajeado (Foto 3), chegamos lá com certa tranquilidade sem carro traçado, além do fato do caminho até ela ser curto. A cachoeira é mais legal do que as fotos que vimos pela internet, talvez as pessoas tenham ficado apenas nas primeiras quedas.... Há uma pequena trilha, que qualquer pessoa com básico preparo físico consegue fazer e chegar no poço da cachoeira, onde há a maior queda. Foto 3 Terminamos o dia na frente das dunas, porém chegamos após o anoitecer. Atolamos algumas vezes, a maioria delas bastava alguém empurrar pra desatolar. Em um dos casos, um guia que passou com turistas numa caminhonete 4x4 nos salvou! 😃 O camping em questão era o da Dona Benita (Foto 4). Senhora muito simpática, com uma ótima cachaça 51 com Jalapa, uma batata da região. Foto 4: A cachaça fez efeito Tempo de Viagem Palmas-Ponte Alta-Dunas Não consigo lembrar exatamente quanto tempo demoramos no percurso Palmas-Ponte Alta-Dunas, o que é certo é que curtimos uma cachoeira ótima (por cerca de 2 horas) no meio do caminho, e que saímos de Palmas as 09 horas da manhã e chegamos nas dunas por volta das 19 horas da noite. Condição das estradas A estrada de asfalto que liga Palmas a Ponte Alta é ruim. Por vezes é um tapete, do nada há tantos buracos que você tem que escolher o menor e passar por cima. Tem que ir de vagar. A estrada que liga Ponte Alta a Mateiros passa pelo acesso a Cachoeira da Velha, pela Cachoeira do Lajeado, e pelas dunas é a pior do Jalapão, complicadíssimo para carros não traçados. Apenas pra explicar o que torna essa estrada (TO-255) complicadíssima: Os carros atolam quando passam pela Areia (foto X), pelo menos na época seca o problema não é lama. Além disso há inúmeras pedras e verdadeiros blocos na pista. Em um dos trechos, há um morro, onde passar por ele é tão complicado que colocaram um pouco de asfalto nesse trecho; o problema é que há tantos blocos antes do asfalto, e um degrau tão grande entre o asfalto e a pista de “terra” que tivemos que fazer uma força tarefa pra melhorar a pista e os carros passarem (fotos 5 e 6). Foto 5 Foto 6: Haviam blocos de pedra muitos grandes logo antes de um pequeno trecho asfaltado, exatamente pelo relevo ser íngreme nessa porção da rodovia que liga Ponte Alta a Mateiros. 01/05 Ponte Alta – Mateiros, via TO-255. Passeios do dia: Mirante do Espírito Santo, Cachoeira do Formiga. Para ver o nascer do sol no Mirante do Espírito Santo, saindo das dunas, acordamos 03:30, desmontamos as barracas, e saímos do Camping as 04:00.. 04:20. Atolamos algumas vezes logo após a saída do camping hahahaha, chegamos rapidamente ao acesso da trilha. Sem carro 4x4 não vale a pena pegar essa acesso, mas sim estacionar na própria estrada principal e percorrê-lo a pé, é muito curto. Não sabíamos disso, fomos de carro e a Duster atolou (foto 7); o Renegade conseguiu voltar e ficou pela rodovia. Foto 7: Duster atolada no acesso à partir da estrada principal para a Trilha do Mirante do Espírito Santo. Abandonamos o carro (Foto 8 ) no acesso. A trilha é bem pesada, porém curta. É pesada pois é muito íngreme. Foto 8: O carro acima, na rodovia principal é o Renegade. No meio do caminho é a Duster, atolada. Na parte inferior da imagem, estão os carros das agências de turismo. Um moço nos salvou ao nos desatolar! 😃 Suponho que a tenha subido em cerca de 30 minutos, parei pra descansar algumas vezes. É importante levar lanterna. É possível demorar muito mais do que 30 minutos pra fazer essa subida, é necessário estar em boa forma. Foto 9: O nascer do sol é mais bonito pra quem tá atolado ahahahha não nos rendemos à mafia da 4x4 Foto 10: descida do Mirante do Espírito Santo Foto 11: Outra vista da mesma trilha... parece que a descida da Serra do Espírito Santo é mais bonita do que a vista do mirante em si... Lá em cima há a possibilidade de fazer uma outra trilha, de mais 3 km, onde se tem acesso a outra vista – das dunas e a erosão que dá origem às dunas. Não sabemos se é legal ou não, descemos rapidinho pra pedir ajuda a alguma caminhonete 4x4! Após desatolar, fomos rapidinho pra Mateiros, reabastecemos o tanque (gasolina por R$ 5,60, em Palmas é R$ 4,60). Fizemos breves reparos no parachoque, com enforca gato... pois descobrimos que alguns parafusos caíram, e um pedaço quebrou – isso nos custou ao fim da viagem R$ 500,00. Em Mateiros achamos uma Padaria, lá comemos demais, e gastamos de menos! O pão na chapa era 1 real, café 1 real... coisa assim... tinha suco de laranja, bolo, tudo muito ótimo! Partimos pra Cachoeira do Formiga, sentido São Felix, que fica mais a norte. A estrada (TO-247) que liga Mateiros a São Felix é, como quase todas, de terra. Seu estado é incomparavelmente melhor do que a que liga Mateiros a Ponte Alta. Na Cachoeira do Formiga o esquema é R$ 30,00 camping + cachoeira. Só a cachoeira fica por R$20,00. Acampamos por lá mesmo. Curtimos a Cachoeira o resto do dia... almoçamos por lá, mas isso não vale a pena: R$ 35 reais por pessoa, não veio tanta comida assim. O legal dessa cachoeira é que não há limite de tempo, nem de pessoas. Boa parte do tempo ficamos lá sem ninguém mais. Pudemos inclusive aproveita-la de noite, pois há uma luz no local! O camping é meio precário, mas foi tranquilo. Não tivemos coragem de usar o chuveiro com shampoo e sabonete, pois isso iria diretamente para um córrego. O som da cachoeira durante a noite é ótimo. Foto 12: Cachoeira do Formiga Foto 13: Cachoeira do Formiga Foto 14: Cachoeira do Formiga 02/05 Nascente(“fervedouro”) Buritizinho, Ceiça e Dunas. Acordamos ainda na Cachoeira do Formiga, desmontamos nossas barracas e partimos pro Buritizinho, posteriormente para o Ceiça e terminaríamos o dia nas dunas. O acesso aos dois fervedouros é tranquilo sem carro 4x4. O fervedouro do buritizinho é pequeno, a água é muito transparente. Vê-se ao fundo a água “ferver”. Paga-se R$ 15 ou 20,00... pudemos ficar lá um bom tempo, só tinha um casal fora o nosso grupo. Tem um rio bem legal lá também, a água é bem límpida. Minha opinião pessoal em relação aos “fervedouros” é que eles na verdade são nascentes, muitas vezes devem cavar pra que se faça essas piscinas – apenar de chamarem por fervedouros, na verdade a água não é quente, é apenas uma nascente. O do buritizinho é pequeno, mas dá pra nadar um pouco e rende boas fotos. Partimos pra nascente do Ceiça, é mais legal que o Buritizinho, porém bem mais cheia. R$ 20 reais, 15 minutos... Parte do grupo nadou lá, parte do grupo nadou no riozinho do lado de grátis ahahhaha Acho que vale muito a pena quando vazio! Almoçamos em Mateiros, num restaurante logo ao lado de um mercadinho! Foi bem barato... algo em torno de 15 reais, foi ótimo. Partimos pras dunas umas 15:00, chegamos ao final da tarde, nenhum atolamento no caminho ahahha. Fomos começar nossa jornada de 6 km pra ir a pé, 6 km pra voltar. Parte do nosso grupo conseguiu uma carona numa caminhonete de um guia muito simpático, o passeio na caçamba foi muito melhor do que dentro de qualquer carro... que visual (foto 15). Foto 15: Eunuco e Juru divando da caçamba... nem precisou descer pra tirar foto Pra voltar das dunas, os guardas do parque deram carona pra todo mundo! As dunas (foto 16) devem ser visitadas mais cedo, desde o começo da tarde até o final da tarde. Há uma série de lagoas ao fundo que podem ser visitadas, não tivemos tempo. Além do que, as próprias dunas já são muito impressionantes! Foto 16: Pinga divando nas dunas. Serra do Espírito Santo ao fundo. Descemos das dunas e pensamos se íamos dormir novamente no camping em frente. Decidimos ir pra Mateiros e acampar na pousada e camping Toinha. O preço foi R$ 20,00 por pessoa. 03/05 Serras Gerais: Viagem para Dianópolis e Rio da Conceição. Passeios: Lagoa da Serra Partindo de Mateiros, saímos pela TO-247 sentido Pedra da Baliza, já na fronteira com a Bahia. Ao chegar lá viramos a direita na BA-458 sentido Panambi. Passamos por um infinito latifúndio, monocultura: soja. Uma estrada não assinalada no mapa do Google, perfeitamente asfaltada, nos levou diretamente para Dianópolis. Em Dianópolis deve-se abastecer o carro, pois não há posto de gasolina em Rio da Conceição. Entre Dianópolis e Rio da Conceição é cerca de 30 minutos. De Rio da Conceição a Lagoa da Serra, mais 1 hora. Apesar de termos saído cerca de 08:00 da manhã de Mateiros, só chegamos na Lagoa da Serra 15:00. Uma grande confusão foi criada na internet, em vários lugares a Lagoa da Serra foi citada como sendo a mesma que a Lagoa Bonita. Deixo claro que são lugares diferentes. Vale-se ressaltar que a Lagoa Bonita está fechada. A Lagoa da Serra (Foto 17) fica na cidade de Rio da Conceição, seu acesso é possível sem carro 4x4, e em seu estacionamento vimos vários carros de passeio comuns. O lugar é muito bonito. A água é bem transparente, e a visão da serra é impressionante. Foto 17: Galerinha na Lagoa da Serra. O Stand-Up foi emprestado por uma moça muito legal, dona do Restaurante Quintal da Serra e de uma agência de turismo em Rio da Conceição. Ela aluga Stand Up, e acho que vale muito a pena! Foto 18: Capa de disco Por fim, apesar de não haver nenhuma placa em nenhum lugar, tivemos que pagar 20 reais por pessoa por ficar na Lagoa da Serra. Achamos um PF de 12 reais em Rio da Conceição, ótimo. Ao lado dele ficamos na Pousada Brandão, o dono chama Márcio e me deu várias dicas. Negociamos o valor por estarmos em 9... queríamos acampar exatamente pra abaixar o valor, ele nos fez um desconto e pagamos 35 reais ao invés de 40! 04/05 Viagem pra Pindorama do Tocantins, Passeios: Cachoeira da Fumaça e Lagoa do Japonês Partimos de Rio da Conceição por volta das 09 da manhã. Tomamos café da manhã numa padaria onde tudo era muito barato... café 1 real, pão na chapa 1,50... Após uma hora de viagem em estrada de chão, chegamos à Cachoeira da Fumaça (foto 19); pra achar o local exato perguntamos numa casa, antes de uma ponte. Não há placas. Foto 19: A cachoeira da Fumaça tem uma queda bem alta, muito forte. Não é possível nadar nela, apenas em partes do rio um pouco mais acima. É bem bonita, tem um arco-íris permanente. É uma parada rápida durante a viagem. Voltamos à estrada em direção a Pindorama, numa única bifurcação pegamos a esquerda, não há placa. Chegamos lá por volta das 14:30. Comemos um PF barato de 12 reais, partimos pra Lagoa do Japonês. O caminho entre Pindorama do Tocantins e a Lagoa do Japonês é relativamente bem sinalizado e simples. Todo mundo conhece, basta perguntar caso seja necessário. É um caminho de 30 km entre a cidade e a lagoa. A partir de certo momento a estrada passa por uma pequena serra, muito íngreme. Alguns córregos são cortados no meio do caminho, tanto a Duster quanto o Renegade desceram sem maiores dificuldades. Durante a descida me questionei se os carros subiriam, mas subiram tranquilamente. Inclusive no estacionamento da Lagoa do Japonês havia: HB-20, Civic, uma Mercedez esportiva. Não me perguntem como esses carros chegaram lá, eu não sei... ahahhaha Foto 20: Lagoa do Japonês Foto 21: Lagoa do Japonês Foto 22: Lagoa do Japonês Foto 23: Há uma caverna na Lagoa do Japonês Foto 24: Júlio dentro da Caverna; é possível entrar em partes que não estão submersas. Atrativos e Acessos sem 4x4 (não traçados): A ordem é de acordo com o nosso roteiro; Estrada Ponte Alta-Mateiros: Cachoeira do Lajeado Chegamos sem maiores problemas até a cachoeira, é um acesso a partir da rodovia principal. É sinalizado. Há um córrego que passa em terreno bem arenoso, fui andando antes do veículo para saber se afundava; não afundava. Na época das chuvas as condições de acesso podem mudar. Estrada Ponte Alta-Mateiros: Serra do Espírito Santo Não entre na estradinha de acesso à trilha sem veículo 4x4. Estacione na estrada principal que liga Ponte Alta a Mateiros e ande até o início da trilha, deve ser cerca de 300 metros. Estrada Mateiros São Felix: Cachoeira do Formiga Chega sem veículo 4x4 pois há uma parte da estrada mais recente, onde os veículos passam com tranquilidade. Não vá pelas partes onde há areia, é possível evita-las com tranquilidade. Estrada Mateiros São Felix: “Fervedouro” Buritizinho Veículos não traçados chegam tranquilamente. Estrada Mateiros São Felix: “Fervedouro” Ceiça Veículos não traçados chegam tranquilamente. Estrada Ponte Alta-Mateiros: Dunas Estacione na entrada da rodovia de acesso. Só chegam até as dunas veículos 4x4. Você pode dar a sorte de pegar carona em algum veículo 4x4 que passe pelo caminho. São cerca de 4 km para ir, 4 km para voltar. Na volta é quase certeza que os guardas do parque forneçam carona. Cidade Rio da Conceição: Lagoa da Serra Veículos não traçados chegam com tranquilidade, ao menos na época seca. Cidade Pindorama do Tocantins: Lagoa do Japonês Veículos não traçados chegam com tranquilidade. Porém é ideal que o veículo seja alto, é necessário cruzar alguns córregos no caminho. Vi um HB 20, um civic, e uma Mercedez esportiva no estacionamento do local, eu não sei como eles chegaram, mas sei que é possível. Estrada entre Pindorama do Tocantins e Ponte Alta: Pedra Furada Há uma estrada de acesso, sinalizada, para a pedra furada. Tem bastante areia e é preciso tomar cuidado para não atolar.
  3. 2 pontos
    VID-20180603-WA0046.mp4 Saudações mochileiros/aventureiros! Fico sempre muito feliz quando começo um novo relato. Porque é o registro e uma forma de reviver cada momento de uma trip. E graças a Deus, todas as que tenho feito, me trazem as melhores lembranças e vivências possíveis. A bastante tempo eu tinha o anseio de fazer a trilha do PP. A maior montanha do Sul do Brasil. A primeira pessoa (de acordo com relatos) a conquistar o pico Paraná foi o Reinhard Maack, em julho de 1946, o que dá a trilha (de grosso modo) seus 72 aninhos. Fico imaginando quantas pessoas já tiveram o privilégio de passar pela trilha do PP e agradecendo aos que facilitaram o caminho. Enfim, nossa missão começou na quinta, dia 31 de Maio, quando saímos de carro de Chapecó /SC, e fomos até Campina Grande do Sul, na Fazenda Pico Paraná. Chegamos na fazenda perto das 7 da manhã do dia 01, e começamos a trilha perto das 09. Logo no começo já deu pra entender o desafio, pois nunca antes tinha feito uma montanha com cargueira. E o peso mostrou sua presença. Fomos parando nos vários pontos, apreciando a vista e pegando fôlego. Tivemos muita sorte com o tempo, o céu estava azul e o sol brilhando. Paramos no primeiro pico, o Morro do Getúlio, onde a vista já mostra uma pontinha do que viria pela frente. Depois de passar pela bifurcação que separa a trilha do Caratuva (que já fiz um relato aqui no final do ano) seguimos rumo ao PP. Ali a trilha começa a ficar um pouco mais difícil com muitas raízes, pedras e alguns pontos com cordas e grampos. Seguimos até chegar no A1, que é um ponto onde é possível acampar. Ali foi nosso primeiro contato com a vista do PP, e a emoção nos chegou. Todos ficaram abismados com a majestade da montanha e nos deu um up pra continuar o caminho. Que como os colegas que encontramos no caminho nos disseram, o pior estava a frente. Decidimos que iríamos acampar no A2. Depois do A1, a trilha desce e chega a parte que pra mim foi a mais desafiante, as paredes de grampos! Com a mochila então, foi bem tenso, que bom que estava com companheiros tão legais que içaram minha mochila com cordas até lá em cima haha. Isso foi decisivo pra que eu tivesse coragem pra subir. Depois dessa parte mais o cansaço físico mesmo.. Chegamos finalmente ao A2, querendo jogar as mochilas de lado e apenas contemplar. Arrumamos nossa casinha e fizemos o merecido miojo. Nesse ponto o vento já estava forte e o frio chegando. Quando estávamos de boa já era noite e o céu nublado. Infelizmente não pegamos o por do sol, mas a vista tava linda mesmo assim. A noite ficamos com medo de voar por causa do vento forte que vinha da montanha. As rajadas! No outro dia iríamos subir até o cume as 6 da manhã, pra ver o sol nascendo, mas logo cedo veio a chuva e o vento, e não conseguimos. Ali do A2 mesmo deu pra curtir um nascer do sol pra lá de especial! Tivemos que voltar pras barracas porque a chuva chegou com tudo, e esperamos acalmar. Colocamos as capas na preparação pra descida. E depois de organizar tudo, começou a missão da volta. Pegamos quase todo o caminho com chuva, a trilha estava escorregadia e alguns pontos alagando. Mesmo assim encontramos muitas pessoas indo e voltando. Que bom! Isso mostra que por mais desafiante que sejam as condições, a vontade de estar em contato com a Montanha é sempre maior. Chegamos de volta cerca de 14 horas, super cansados, com as costas, joelhos, braços e pés doendo haha. Mas com o coração ♥ leve e a alma revitalizada. Estar na Fazenda do PP já te leva pra outro mundo. Ou seria o mundo real? Começar uma trilha, mexe com o psicológico, tira da zona de conforto, traz mil aprendizados, desapegos, te conecta com algo maior. Não tem explicação nem preço. Vocês sabem do que eu estou falando né?! Logo estaremos de volta, com a esperança de um dia cheio de sol, pra conseguirmos ficar mais tempo no PP e estar no cume. Quando a gente sai, já da vontade de voltar. Video relato feito pelo nosso querido @darlyn Montains are calling! @darlyn @Dionathan Biazus VID-20180603-WA0046.mp4
  4. 1 ponto
    Uma das coisas mais emocionantes sobre viagens é planejar o roteiro, imaginarmos o lugar, ansiar o dia da viagem, e outra mais ainda, é viajar, é vivenciar tudo que você colocou no roteiro, é se surpreender com costumes, se maravilhar com novos sabores, é ser livre! O Peru é o lugar mais versátil que já pesquisei para viajar, tem para todos os gostos, e para os mochileiros de plantão, a dificuldade está em encontrar mais dias para planejar um roteiro completo, que faça com que conhecemos tudo, além do usual. Foi bem trabalhoso planejar meu roteiro, tinha muitas hipóteses e variáveis. Mas saiba que é possível fazer uma viagem sem comprar pacotes moldados e com tempo limitado. Para isso você só precisa de Paciência e gostar de ler! Para começar: - Comecei a pesquisar tudo com 1 ano de antecedência(desde passagens, agências de Passeios, mal de altitude, pontos turísticos, etc.). - Com a pesquisa, percebi que embora trabalhoso, seria mais vantajoso comprar tudo lá (com algumas exceções que explicarei posteriormente), cotando do Brasil tudo fica mais caro. Eles tem o costume de receber muitos Americanos, Franceses, Russos, etc., qualquer estrangeiro que tem uma moeda mais forte que a nossa! Os poucos brasileiros que encontrei foi em Cusco. (Isso não quer dizer que não haja Brasileiros nos outros lugares, somente que é mais difícil encontrá-los), assim tudo fica mais caro para nós mesmo. Mas eles costumam oferecer maiores descontos para o MERCOSUL. Planejamento: Decidi comprar com antecedência: - As Passagens de Avião - Ingresso do Parque Machu Picchu (pois ia subir a Huayna Picchu) - As Passagens de Trem - Por consequência (como já tinha os dias que ia visitar o parque) já reservei o hotel também em Águas Calientes. - Como estava em promoção também já comprei as passagens de ônibus para Huaraz. - Seguro Viagem (preços no decorrer do relato) Altitude Cidade que necessitam de aclimatação 3 050 m (Com 6768 m huascaran) Huaraz 3 399 m Cusco 3 819 m Puno 3 825 m Juliaca 2 335 m Arequipa Não subestime a Altitude e os efeitos que ela pode trazer, seja você sedentário, atleta, fumante, homem ou mulher! Sou sedentária, e fico feliz em dizer que não sofri o mal de altitude nos dias em que estive lá. Nem quando andei umas 6 ou 7 horas para conhecer o Cânion de Colca! Pesquisei e li muito sobre o assunto (até artigos científicos), tem vários remédios que ajudam, mas decidi que seria arriscado, pois vários deles tem uma lista enorme de advertências, interações, reações adversas, etc. E não queria tomar um remédio que nunca havia tomado, estando em viagem. Segue link para quem quiser ler a bula do DIAMOX, por exemplo, http://http://www.medicinanet.com.br/bula/1880/diamox.htm O que eu decidi fazer foi: 15 dias antes da viagem: Tomar 1 comprimido de ferro (vitamina) por dia, até o dia da viagem 7 dias antes: Tomar 1 comprimido de vitamina C por dia até o dia da viagem. (esporadicamente em viagem continuei com a vitamina c, por causa da troca de clima e por causa da rinite. 15 dias antes da viagem: triturei alho, isso mesmo, ALHO e comi uma colher por dia (puro). Sem contar o que usamos na comida. Em viagem: Muita água, pouca comida, e excesso de respiração profunda, somente pelo nariz! Nota: Comprei o OXISHOT (oxigênio) por vias da dúvida, e quando usei fiquei um pouco ruim, dinheiro jogado fora. Mas para quem realmente precisa deve fazer um bom efeito. -Para quem tem interesse, também tem a Saúde do viajante, no Instituto Emilio Ribas. Qualquer pessoa pode utilizar esse serviço, não precisa ser paciente do hospital. http://http://www.emilioribas.sp.gov.br/pacientes-e-acompanhantes/medicina-do-viajante/ - Masque sempre folhas de coca durante as caminhadas Sintomas do mal de altitude: Leve: Dor de cabeça - Náuseas ou perda de apetite – Insônia -Vertigem Moderado: Cefaleia resistente a aspirina – Vômitos Grave: Falta de ar em repouso - Fadiga anormal - Oligúria (falta de urina) Clima Outra coisa que me preocupava era o clima, pois ia do inverno das Cordilheiras para o Deserto de Ica. Conseguimos levar uma mochila de 90 litros para duas pessoas e fomos usando as lavanderias pelo caminho. Foi maravilhoso levar pouca coisa, o que eu nunca imaginei, pois sempre levei muitas coisas em minhas viagens. Sabendo escolher bem os tecidos, não é necessário levar muitas blusas e calças. Os Lugares mais frios: Lagunas no parque em Huaraz (pode nevar), Puno (O lugar mais frioooo) e Cusco (menos frio que o restante, mas é frio também) O que levei e não deixaria faltar: 1. Blusa Segunda Pele (térmica que esquenta ainda mais) 2. Segunda camada (fleece e cacharrel) 3. Última camada (Jaqueta impermeável, corta vento, com forro de fleece e Balaclava acoplada, foi o que me salvou no vento gelado que doía o nariz) 4. Calça Segunda Pele ( meia calça, a mais grossa) 5. Calça (Fleece) 6. Meia (térmica e normal) 7. Luva (de lã e de Fleece touch) 8. Capa de chuva 9. Tênis impermeável e antiderrapante para trilhas 10. Bota impermeável com forro de lã acrílico, antiderrapante 11. Papel Higiênico e Lenços Umedecidos para usos diversos 12. remédios (diversos) 13. Protetor solar (Use e Abuse) 14. Hidratante corporal e labial ( O frio e a desidratação por conta da altitude judiam) 15. Óculos 16. Shampoo a seco( porque lavar os cabelos no frio do Brasil ninguém merece, imagina na cordilheiras !) e 17. Umidificador de nariz (no deserto o nariz fica muito seco, você respira poeira!) Nota: Não deixe de levar uma boa jaqueta impermeável e um bom calçado, é caro, mas invista, a falta de um desses itens podem te dar uma baita dor de cabeça, e não é de altitude! Em alguns passeios várias pessoas caíram ou escorregaram por não terem o calçado adequado, e outras tiveram que comprar aquela capa de chuva zuada por um preço abusivo, que nem duram. Como estava com a minha impermeável, nem sofri, as chuvas nesse período são passageiras, elas vão embora muito rápido, mas chega a molhar se não tiver com capa. E se nevar,o gelo escorrega que nem molha. *Esqueça roupas com tecido de algodão, no final você vai ficar molhado, porque esse tecido não exterioriza o suor. Prefira: lã, Fleece, Acrílico, veludo, etc. *Leve pouca roupa e lave numa lavanderia, em Arequipa pagamos 3 soles por kilo de roupa e em Cusco 2,50 soles! Link de lojas que vendem artigos diferenciados: http://http://www.arcoeflecha.com.br/meias-s10000226/ http://http://www.orientista.com.br/ http://http://lojasmundoterra.blogspot.com.br/2010/08/check-lists.html http://http://www.conquistamontanhismo.com.br/onde-comprar http://http://www.decathlon.com.br/ http://http://www.oficinadeinverno.com.br/ CÂMBIO Cada um tem sua preferência, assim não vou entrar no mérito da questão apenas vou falar o que eu preferi fazer de acordo com a realidade da minha viagem. Trocar aqui estava fora de cogitação, pois a cotação do novo sol estava ruim, assim como o dólar. Comprar aqui e vender mais barato lá não compensa. Mas precisava de algum dinheiro para sobreviver o primeiro dia em Lima, como ia chegar no domingo tudo estava fechado. Não queria ficar me preocupando com câmbio também e não queria andar com muita quantia no bolso. Assim troquei alguns dólares aqui, levei reais e cartões para emergência (lembre-se de desbloqueá-lo). E a maior parte enviei via Western Union. Para não ficar com muito dinheiro dividimos em duas partes. Abaixo demonstração de uma das transação que fizemos: http://economia.uol.com.br/cotacoes/">http://economia.uol.com.br/cotacoes/ Guia da Cotação http://www.guiadacotacao.com.br/ Cotação https://www.cotacao.com.br/ Melhor Cambio https://www.melhorcambio.com/ Western Union http://www.corretorawesternunion.com.br VET https://www.bcb.gov.br/rex/vet/index.asp Spmundi https://www.spmundi.com.br/ Treviso http://www.trevisocc.com.br/ SEGURANÇA Essa foi a questão que mais me preocupou, se eu ia voltar viva dessa viagem! Primeiro por causa das viagens de ônibus, as vias beiram o precipício, imaginem viajar a noite? Segundo por causa de roubo nas estradas e nas cidades em geral, porque né, não dá para esconder nossa cara de turista! Sempre procuro passar despercebida, mas é só hablar que ya, já sabem que somos Brasileiros. Li em algum lugar que os nativos de todo o mundo sabe quem é turista, fácil: são aqueles que estão de óculos ou com garrafa de água na mão. Prestei atenção, e não é que a pessoa tem razão! Fica a dica! Pesquisei sobre isso e não encontrei NADA. Realmente as estradas beiram o precipício, mas é mais tranquilo que andar de moto em SP, os motoristas andam devagar e tem um painel mostrando os KM/h. Os motoristas fazem teste de bafômetro, filmam as pessoas dentro do ônibus, não transportam pessoas embriagadas nem drogadas e em percursos longos há revezamento de motoristas. Há acidentes com turistas que alugam carros e não conhece os macetes para andar nas curvas e precipícios e ainda mais na altitude. E o transito é tão bagunçado lá que é melhor não arriscar. Ficamos com medo de andar com dinheiro, e eis que vimos muitas pessoas com bolos de dinheiro na rua do banco fazendo cambio, outras saiam do banco livremente contado o dinheiro que acabaram de sacar, enrolavam e colocavam no bolso e saiam livremente pela rua! Ri demais dessa cena, onde que podemos fazer isso aqui sem ficarmos desconfiados? As crianças brincando livremente na rua também, aqui se bobearmos roubam nossas crianças e vendem para outros Países... Somente duas cidades fiquei receosa, não aconteceu nada para isso, é só porque eram feinhas: ICA e PUNO. Parece que casas terminadas pagam mais impostos, por isso eles deixam inacabadas. Enfim, só posso dizer que me surpreendi com os peruanos, digo até que eles são mais evoluídos, dando mais valor a terra do que ao dinheiro (basicamente). SEGURO VIAGEM Contratei o da Porto Seguro, pois possuo o cartão e pagaria mais barato. Valor: 108,50 reais Abaixo o link para conhecer as avaliações dos seguros. Lembre-se que só tem avaliações de quem não ficou satisfeito com o atendimento, mas a resposta e a maneira que a empresa resolveu a questão é o que nos interessa. https://www.reclameaqui.com.br/categoria/seguro-de-viagens/ Nota: Verifique se o seu cartão já possui seguro viagem gratuito. ROTEIRO Idioma Espanhol Moeda Novo Sol Fuso horário Duas horas a menos que o horário de Brasília. Aeroporto mais próximo Aeroporto Internacional Jorge Chávez - Lima Voltagem 220 volts | Tomadas tipo A, B e C – 20 Amp. Vacina O Peru não exige Certificado Internacional de Vacinação Documentação Passaporte válido ou Carteira de Identidade original com foto recente que identifique o portador Consulado Avenida Jose Pardo, 850 | Miraflores Passagens de avião: Gosto de pesquisar em vários sites, mas basicamente, o que sempre dá certo é pesquisar na Decolar ( Clico em: ainda não defini datas, para ver o dia mais barato no mês que pretendo viajar, as vezes indo em um dia anterior ou posterior ao dia escolhido fica mais barato), e depois vejo no site da empresa correspondente, se está o mesmo preço ou ainda mais barato. Pretendia ir dia 13/05 mas o dia 14 estava muito mais barato e ainda era Avianca que eu gosto muito. O site Avianca internacional é um pouco confuso, mas se prestar atenção é possível comprar sem problemas. Assim comprei as passagens multidestino: SP>LIMA – CUSCO>SP (como ainda não tem aeroporto internacional em Cusco paramos novamente em Lima para vir a SP.) Valor da Passagem de avião por pessoa (Avianca): R$ 1157,40 NOTAS: Já há projetos para construção do Aeroporto internacional em Cusco (Chinchero), quando estávamos lá houve inclusive greve porque Lima é contra. Use uma aba anônima no seu navegador pressionando os comandos no seu teclado ctrl + shift + n para fazer pesquisas relacionadas a preço, às vezes fica mais barato! Abaixo disponibilizo os links de sites que uso normalmente para pesquisa e compra de passagens para qualquer destino: Nome Site Tipo Skyscanner https://www.skyscanner.com.br/ Comparar CVC http://www.cvc.com.br/index.aspx Comparar e comprar Decolar http://www.decolar.com/ Comparar e comprar Submarino http://www.submarinoviagens.com.br/index.aspx Comparar e comprar Tam/Latam https://www.latam.com/en_un/ Comprar Gol https://www.voegol.com.br/pt-br/paginas/default.aspx Comprar Azul http://www.voeazul.com.br/ Comprar Avianca Br http://www.avianca.com/pt-br/ Comprar Avianca In http://www.avianca.com.br/destinos/destinos_internacionais Comprar Copa https://www.copaair.com/pt/web/br Comprar Peruvian http://www.peruvian.pe/pe/ Comprar Viva Colombia https://www.vivacolombia.co/co Comprar Star Peru http://www.starperu.com/br/ Comprar Taca / Avianca http://brasil.taca.com/pt/ Comprar ViajaNet http://www.viajanet.com.br/ Comparar Tripadivisor https://www.tripadvisor.com.br/ Comparar Melhores Destinos http://www.melhoresdestinos.com.br/ Comparar Aerolineas Argentinas http://www.aerolineas.com.ar/pt-br Comprar Links para ajuda no roteiro: ROTEIRO Mochileiros http://www.mochileiros.com/ Informações sobre tudo Tripadivisor https://www.tripadvisor.com.br/ Informações e comparação Viaje aqui http://viajeaqui.abril.com.br/vt Informações sobre tudo Sunday Cooks http://sundaycooks.com/ Informações sobre tudo Viaje na Viagem http://www.viajenaviagem.com/ Informações sobre tudo Melhores destinos http://www.melhoresdestinos.com.br/ Informações sobre tudo O Melhor mês do ano http://www.omelhormesdoano.com/ Informações sobre tudo 4Pies http://www.4pies.com.br/ Informações sobre tudo Links para ajuda na escolha do hotel: HOTÉIS CVC http://www.cvc.com.br/index.aspx Comparar e comprar Decolar http://www.decolar.com/ Comparar e comprar Submarino http://www.submarinoviagens.com.br/index.aspx Comparar e comprar Skyscanner https://www.skyscanner.com.br/ Comparar Trivago http://www.trivago.com.br/ Comparar Rome2rio https://www.rome2rio.com/pt/ Comparar Hotéis.com https://www.hoteis.com/ Comprar Booking Booking.com - Hotéis no Brasil‎ Comprar Tripadivisor https://www.tripadvisor.com.br/ Comparar Melhores destinos http://www.melhoresdestinos.com.br/ Comparar 1. LIMA 14/05/17 ÀS 08:50 – Chegamos em Lima Lima é uma cidade (ponto), é interessante para quem viaja com foco em gastronomia, como em todo o Peru a comida é maravilhosa, bem pelo menos para quem gosta de tempero, batatas fritas e frango que tem em excesso, é o que eles mais comem (mas tem outras coisas, claro). Como o foco das minhas viagens é a natureza, planejei ficar só essas horas e deu para fazer tudo que planejei, assim, um dia foi mais que suficiente. Ao chegar na porta choveu taxistas, o que irrita bastante, conseguimos pagar em reais. Os táxis são baratos e o Uber funciona, para quem está sozinho, pode compensar pegar ônibus, achei bem organizado. Segue link: http://www.metropolitano.com.pe/ Fomos direto para Cruz del Sur, na Av. Javier Prado Este # 1109 Urb. El Pal. (guardar as mochilas, gratuitamente, pois iríamos para Huaraz á noite). Depois disso fomos ao Parque do Amor (Malecon de la Reserva | Miraflores, Lima 18, Peru ) e ao restaurante La mar (Av. Mariscal la mar, 770 – miraflores –lima), pois queria provar o verdadeiro Ceviche e Pisco Sour. Carooo ! Mas Valeu a Pena! Em seguida fomos a Huaca Puclana (Calle General Borgoño Cuadra, 8 | Miraflores, Lima, Peru) e ao Parque da Reserva (vale a pena conhecer e ver o Circuito mágico das Àguas na Madre de Dios, 15046) e partimos da Cruz del Sur para Huaraz. Outros lugares para Comer: Alfresco - Malecon Balta 790, Miraflores, Lima, Peru Costa zul Seafood - Jr. Berlin 899 | Miraflores, Lima Lima 18, Peru El mercado - Hipólito Unanue 203,Miraflores, Lima. Rafael - San Martín 300 Miraflores / Lima 18, Perú Tanta - Pancho Fierro 115 (próximo ao Parque El Olivar) Tanta Miraflores - Av. 28 de julio 888 Café - Enrique Palacios 329, Lima 15074, Peru Juan Valdez - Avenida Malecon de la Reserva, 610, Lima 15074, Peru Burguer king - Av Jose Larco 201, Miraflores - La Rambla, Av. Javier Prado Este 2050, San Borja Mc Donalds - Av. Javier Prado Este 130 Redes de supermercados Metro - Av. Benavides Nro. 620, Miraflores - Lunes a domingo de 7:00am - 11:30pm - Calle Shell Nro. 250, Miraflores - Lunes a domingos 24 Horas - Av. Canadá Nro. 654 (110) esq. con Av. Nicolás Arriola, La Victoria (perto da cruz del sur) Wong - Av. Santa Cruz 771 Urb. Los Sirius - Esq. Av. Benavides y Av. Republica de Panamá - Calle Arias schereiber 270 C.C. Aurora Ucello 162, San Borja 15036, Peru ( Perto da Cruz del Sur) Plaza Vea - Avenida Arequipa, Miraflores, Lima, Perú (perto de huaca puclana) Tottus - Calle Las Begonias 785, San Isidro 15046, Peru Links úteis: http://parquedelareserva.com.pe/ http://huacapucllanamiraflores.pe/horariosytarifas/ »Guia do bairro Miraflores em Lima http://www.tottus.com.pe/tottus/ (mercado) Gastos (para duas Pessoas): R$ 40,00 Taxi (até Javier Prado) S.16,00 Taxi (até parque do Amor) S/.12,00 Taxi S/. 220,00 Almoço na La Mar S/.16,00 Mercado (Água custa em torno de 3 soles) S/.8,00 Entrada do Parque S/.22,00 taxi S/. 16,00 Lanche 2. HUARAZ 15/05/17 ÀS 07:00 – Chegamos em Huaraz • As Passagens de Ônibus para Huaraz Comprei a Ida pela Cruz del Sur – Total por pessoa R$ 48,31 com IOF, pois comprei com antecedência do Brasil. Volta pela Oltursa – Total por pessoa R$31,08 com IOF. Abaixo disponibilizo os links de sites que uso normalmente para pesquisa e compra de passagens no Peru: (Alguns é possível comprar e ver horários) Empresas de Ônibus https://www.busbud.com/pt http://www.cruzdelsur.com.pe/ ormeno »Inka Express »Turismo Mer »Huayruro Tours »Soyuz »Civa http://www.oltursa.com.pe/ »Tepsa »Expresosocial »Linea »Emtrafesa »Moviltours »Chiclayo »Expreso Wari »Flores »Perubus »Transmar »Turdias http://www.4m-express.com/pasajes_es.htm Chegamos a Huaraz e fomos andando para o hotel, era perto da Plaza de Armas. (Em qualquer lugar que vá para o Peru, fique em hotéis próximo a Plaza de Armas, assim pode-se fazer tudo andando e encontrar tudo que precisa nos arredores: mercado, farmácia, etc.) A dona do Hotel nos ofereceu os passeios e acabei fazendo pelo intermédio dela mesmo. Resolvemos algumas coisas e ficamos aclimatando. 16/05/17 – Passeio ao Nevado Pastoruri a 5000m de altitude Todos os passeios são distantes de Huaraz, assim que demoram mais ou menos 2 horas só a ida. Para conhecer o Nevado você anda pouco, 45 minutos ida, o problema é a altitude e o frio, chegou a nevar um pouco quando fui, assim, vá preparado para o frio, leve e beba bastante água, não senti nada de dor, mas parecia que estava carregando um guindaste, chega até ser engraçado, você não conseguir correr, só andar e, lentamente.... também senti que respirei mais nesses 45 minutos do que meus 30 anos de vida! Sempre levei um rolo de papel higiênico, fiquei com coriza (rinite) por causa do vento gelado, só nos passeios. Dica: Quando pensar que não pode mais, beba água, e respire profundamente, somente pelo nariz! E ande um passo de cada vez, passos curtos e lentos, mas sem parar! E Não sente! 17/05/17 – Passeio a Laguna Llanguanuco e 69 Apesar de andar mais, muito mais, achei mais fácil que o Nevado, mas cansa muito e sou sedentária, as subidas são de matar, mas aqui consegui carregar meu peso mais fácil! E olha que era em torno de 4200m. Dica: A mesma de cima e vá com roupa de frio e impermeável, aqui neva mais e pode chover (quando fui não choveu, mas nevou na laguna) o percurso é mais longo, o sapato também (impermeável), além de ser antiderrapante. Não há banheiros! Antes, na ida, aproveite as paradas para usar, por que depois que começa a trilha só o matinho.... 18/05/17 – Passeio a Laguna Querococha e Chavin de Huantar Esse passeio é bem tranquilo, não há caminhada, tudo feito no ônibus. Mas é bem longe, e tem muita história, para quem não gosta de museu, esse pode ficar de fora. ÀS 22 voltamos para Lima Huaraz tem muito a oferecer para quem tem tempo. Eu gostaria de ter feito Parón e Churup, entre outras coisas.... Acredito que 5 dias, são suficientes para conhecer o básico.... Nota: comprei um chip da Claro, para usar internet durante a viagem pois ia fazer reservas e comprar passagens pelo celular, a internet é ótima, 4G. Gastos (para duas Pessoas): S/ 54,00 Mercado S.34,00 Jantar S/.44,00 Almoço S/. 33,00 Mercado S/.5,00 Balas de Coca/folhas de coca,etc S/.20,00 Entrada do Parque S/.70,00 Passeio Pastoruri S/. 37,00 Farmácia (oxi Shot) S/.30,00 Chip claro +crédito S/.37,00 Mercado S/. 100,00 Entrada parque e passeio 69 S/.72,00 Jantar S/.10,00 mercado S/.80,00 Passeio Chavin S/. 53,00 Almoço S/. 240,00 Hotel S/. 6,00 Taxi até a rodoviária 19/05/17 – Lima- Ica Chegamos em Lima cedo, íamos descer na Javier Prado para pegar o ônibus com destino a Ica mas não sabíamos se ia dar tempo. Então descemos na Plaza norte para Seguir a Ica. Como o Plaza norte é terminal do governo tivemos que pagar uma taxa de embarque que não possui na Cruz del Sur da Javier Prado, visto que o terminal é próprio da Empresa. Chegamos em Ica, e já reservamos o Passeio de Buggy, enquanto esperávamos passeamos pelo Oasis de Huacachina. À tarde fizemos o Passeio de Buggy e vimos o por do sol das Dunas, lindíssimo, e ainda fizemos o Sandboard, incluso no passeio. 20/05/10 Ica- Paracas Reservamos com a mesma agencia o passeio a Reserva Nacional de Paracas, não foi possível ir as Islas Ballestas, estava fechado há dias por causa da instabilidade do Mar. Venta muito na Reserva.... Gastos (para duas Pessoas): s/. 7,00 Táxi até o hotel s/. 4,00 àgua s/. 46,00 Almoço s/. 88,00 Passagem de ônibus s/. 90,00 Passagem de ônibus Nasca s/. 7,20 Entrada para Dunas s/. 218,00 Passeio Buggy e Reserva Paracas s/.20,00 Entrada Paracas s/. 25,00 Doces s/. 36,00 Café da Manhã s/. 63,00 Almoço s/. 59,00 Diária no Hotel 21/05/2017 – Ica – Nasca Chegamos á noite em Nasca e já reservamos via Whats o Sobrevoo as linhas de Nasca. Fantástico, super recomendo! Os horários dos ônibus são ruins para Arequipa,(cruz del Sur) assim, ficamos esperando até de noite para seguirmos para lá. Dica: Tome remédio para Enjoo se for fazer o Sobrevoo Empresas que fazem o Passeio: Linhas de Nazca »AeroParacas »Alas Peruanas »Aerodiana Gastos (para duas Pessoas): s/. 5,00 Táxi até o hotel s/. 3,00 àgua s/. 10,00 Camiseta de Nasca s/. 460 Passeio as linhas de Nasca (Voo) (com taxa de embarque) s/. 130,00 Passagem de ônibus Arequipa s/. 32,50 Lanche s/.39,30 Almoço ? Diária no Hotel 22/05/2017 – Arequipa Muitas opções de passeio para quem tem tempo, no nosso caso só estávamos interessados em conhecer o Cânion que parte de Arequipa e vai até Chivay. Não recomendo bate e volta! Escolhemos o Passeio de 2D1N com caminhada de 6 a 7 horas para descida do Cânion!!!! 23/05/17 – Chivay A van nos leva para tomamos café depois O primeiro ponto do tour é o Mirador Cruz de los Condores, depois começamos a caminhada. 97% descida,2% plano,1 %subida, há muito degraus, pedras, precipício e terras pelo caminho. Como tem muita descida o joelho e os dedos dos pés pode doer. Após 2:30 a 3 horas chegamos na parada para almoço, descansamos uns 40 minutos (aqui que é o problema, pois o corpo esfria e aí já sabe, a coragem vai embora e as dores começam a aparecer Junto com o cansaço) e seguimos caminhando.... Depois de muita descida, chegamos no final. Não espere muito conforto nos quartos, mas dão para o gasto... 24/05/17 – Chivay- Arequipa Acordamos de madrugada para começar a caminhada que começaria á noite, tivemos que levar lanternas (já levei do Brasil), foram 3 horas só subindo “degraus”, parecia que não acabava mais, algumas pessoas desistiram e contrataram mula, eu prefiro morrer de caminhar do que cair de cima de um desses. O caminho beira o precipício o que já dá medo de caminhar imagine em cima de um bicho desses. Há casos de pessoas que caíram do cavalo, literalmente. Cuidado! https://oglobo.globo.com/brasil/-5567253 Eu fiz muito esforço e consegui!!!! Um passo de cada vez, bem devagar e cheguei... E eu nem fui a última! Assim, tomamos café e seguimos para conhecer o Valle del Colca. Dica: Casaco corta vento, bota ou tênis para Trekking, Papel, muita água, protetor solar, manteiga de cacau,não fez muito frio, ainda mais porque caminhamos... Gastos (para duas Pessoas): s/. 10,00 Táxi até o hotel s/. 8,00 àgua s/. 26,50 Lavanderia s/. 46,88 Mercado s/. 7,50 pilha s/. 10,00 Crédito claro s/.45,20 Almoço Burguer King s/. 70,00 Diária no Hotel s/.200,00 Passeio ao Cânion (comida inclusa: 2 café,2 almoços e 1 janta para cada) s/. 80,00 Entrada parque para sudamericano s/.60,00 Passagem Puno s/.16,00 café s/.60,00 Almoço s/.20,00 Propina s/.6,00 Bastão de caminhada (cabo) s/. 20,00 Banho extra s/. 3,00 Toalha extra 25/05/17 – Arequipa- Puno Fizemos a besteira de viajar com a Econociva, não recomendo! Algumas pessoas vão para Puno de Chivay com a empresa 4M, 50 dólares a passagem, uma extorsão, preferi voltar para Arequipa e seguir para Puno. (também não tive que me preocupar, pois as malas tinha deixado em Arequipa. Com a empresa 4m, parece que você despacha sua bagagem em Arequipa, vai para o Cânion e depois pega o ônibus em chivay seguindo para Puno. Chegamos em Puno de Madrugada, e já tinha um monte de taxistas te oferecendo passeios e corridas. Fomos conhecer Uros e Taquile (Taquile não compensa, não tem nada de mais) e no mesmo dia seguimos para Cusco. Gastos (para duas Pessoas): s/. 6,00 Táxi até o hotel s/. 14,00 Café da manhã s/. 35,00 Móbile feito de Totora s/. 100,00 Passeio Uros e Taquile s/.140,00 Passagem Cusco s/.1,50 banheiro s/.40,00 Almoço s/.3,00 Embarque s/.5,00 Táxi 26/05/17 – Cusco Chegamos em Cusco muito em cima da hora e quase que não conseguimos fazer o passeio que tinha no roteiro, entrei em contato com uma agência mas já tinha completado a quantidade de pessoas no passeio, mas o rapaz foi legal e arrumou uma outra em cima da hora, e conseguimos fazer! Fizemos Maras e Moray e depois fomos na agencia do rapaz que nos arrumou o passeio para reservar o vale sagrado, claro que enfiou a faca! Nota: Precisa de um boleto turístico que dá direito a entrada, maiores informações em: »Bilhete Turistico Geral em Cusco 27/05/17 – Ollantaytambo e Aguas calientes Fizemos todo o passeio. Depois conhecemos ollanta, e assim nos deixaram na estação de trem rumo a Aguas calientes. • Ingressos Machu Picchu: Fiquei acompanhando a quantidade de ingressos que havia disponível no site, de repente tinha só 17! Para subir a Huayna, assim tive que comprar. - Comprei com cartão VISA International - Optei pelo horário das 10, pois teria menos risco de ter névoa (segundo relatos) e deu certo! http://www.machupicchu.gob.pe/ Valor do ingresso por pessoa: R$228,40 já com IOF 6,38% e taxa da Visa 8,06 soles Notas: Agora o parque não pode ser visitado o dia inteiro, eles dividiram em 2 turnos de 4 horas cada. Informações no próprio site. Se quer subir a Huayna, compre com meses de antecedência!!! • As Passagens de Trem Como já tinha comprado os ingressos comprei também as passagens de trem, para não correr o risco de não ter o horário que eu queria. Abaixo disponibilizo os links para pesquisa e compra das passagens de trem: Trens »PeruRail »IncaRail Valor das passagens de trem por pessoa: R$391,76 + IOF de 23,66 Notas: tem a opção de ir de van e caminhando, mas como iria perder muito tempo, preferi o trem. Chegamos em Águas Calientes (Machu Picchu Pueblo) e depois de nos instalarmos no hotel, fomos comprar a passagem(outra) até o parque de Machu. (compre no dia que antecede sua visita), pois a bilheteria só abre as 5 e as 3:30 já tem gente fazendo fila para pegar as vans que começam a rodar acho que 5 também. A fila é imensa e você acha que não vai conseguir entrar no parque de tão grande, segue praticamente o povoado inteiro (ele é pequeno), então: Acorde Cedo! Tem pessoas que vão caminhando. Como ia fazer todas as trilhas que desse no parque, preferi ir de van. Dica: Leve casaco impermeável, use repelente e protetor solar. Não pode comer dentro do parque. Pode sair e entrar (3x contando com a primeira ida) depois. 28/05/17 – Machu Picchu Finalmente!!! Bom, não vou falar muito sobre como é Machu Picchu pois já tem milhares de relatos por aí. Mas sigam essa dica: deixem Machu Picchu pro final! Porque se não os outros lugares perderão a graça. Verdade! Como quase em todos lugares no Peru, aqui também paga-se para utilizar o banheiro (1 sol), a cada entrada carimbam seu ingresso, o limite são 3. Nota: Perto do banheiro você pode carimbar seu passaporte! Huaynna Picchu Estava com muito medo de subir, por causa dos relatos dizendo que é perigoso. Bom, se você tomar cuidado e usar o calçado adequado, é difícil acontecer alguma coisa, algumas partes beiram mesmo o precipício, portanto toda atenção é pouca! Cuidado com as Selfies! Dica: compre lembranças em Cusco, em Aguas Calientes é o dobro ou triplo, fique de olho.... As comidas também, peça desconto.... 29/05/17 – Ollantaytambo Pegamos o trem de volta até ollantaytambo, e pegamos uma van pública, no final da rua ao invés de pagar o transfer, até Urumbamba e mais outra (pega no mesmo local que desce) para Cusco.(muito mais barato) 30/05/17 – Humantay Façam esse passeio, apesar da altitude, vale o esforço, a lagoa é lindíssima. Dica: Faz muito frio nessa época, chegou a nevar, se protejam. 31/05/2017 – Montanha Colorida Quando estava pesquisando esse passeio, vi que é amado por uns e odiado por outros, de minha parte só saberia se ia valer a pena se eu fosse, e não me arrependi, a paisagem é incrível, neve por toda parte (nessa época), isso é claro, aumentou a experiência, mas ia gostar mesmo se não tivesse, pois é diferente do que eu já tinha visto. È muito mais frio que os outros lugares, a caminhada é longa, você fica com calor, mas se tira a blusa percebe que começa a congelar, então mesmo que sinta calor, não tire a blusa. È preciso tomar muito mais água e não se pode ficar muito tempo lá em cima, muitas pessoas passam mal e não é por menos, estamos a 5000m de altitude! ãã2::'> Há mulas para serem alugadas e banheiro químico ou um buraco no chão cercado por madeira para necessidades fisiológicas. Dica: Deixe esse passeio para o último dia, quando já estará totalmente aclimatado. 01/06/2017 – Cusco Não poderia ir embora sem antes, visitar um único museu: Machu Picchu – Casa Concha Recomendo mesmo para quem não gosta de museu, e foi no Parque Machu Picchu. Para completar Machu Picchu “The Experience”, veja as 360 peças que foram devolvidas pela Universidade de Yale. http://www.museomachupicchu.com/ E assim voltamos para SP... Dica: não leve, caso compre, o oxigênio na sua bagagem, nem folhas de coca. Lembrando que Lima via SP não pode embarcar com liquido também (nem água), apesar de deixarem em Cusco via Lima. Gastos (para duas Pessoas): Cusco s/. 8,00 Taxi s/. 66,00 Starbucks s/.90,00 Maras y Moray s/.20,00 Entrada s/. 140,00 Boletos Turísticos s/.47,00 Mc Donalds s/.120,00 Passeio Vale Sagrado s/.78,00 Almoço s/. 11,80 Mercado s/. 70,00 Gargantilha de prata Tumi s/. 200,00 hotel Machu Picchu s/.158,00 Van de águas calientes até parque Machu s/.8,00 Água s/.35,00 Lanche s/.85,00 Lembrancinhas s/.15,00 Van pública de ollanta até Cusco s/.5,00 água s/.380,00 hotel Cusco s/.90,00 Almoço s/. 300,60 Hotel s/.360,00 Passeio a humantay e Montanha Colorida (com refeições inclusas) s/. 20,00 Entrada montanha s/.50,00 Pizza s/.6,00 Água s/.40,00 Entrada museu s/.1,00 banheiro s/. 5,00 Aluguel bastão para caminhada (recomendo) s/.8,00 Agua s/. 54,00 Mc Donalds s/.36,00 Starbucks s/.47,50 Lembrancinhas s/.63,00 presentes s/. 35,00 Mc Donalds s/. 60,00 2 sueteres s/. 47,00 Mercado s/. 55,00 Presente s/. 15,00 taxi s/. 10,90 Mc Donalds s/. 3,50 Chicha Morada   Links de Agências/roteiros: http://www.go2peru.travel/spa/guia_turismo_peru.htm http://www.inkalandtreks.com/joing-a-group.html http://www.oscacadoresdecachoeiras.com.br/2012/11/cordillera-blanca-ancash-peru-huaraz.html http://turismoi.pe/ http://www.fabulousperutours.com/ http://www.colcaperu.gob.pe/ http://www.colcatrek.com.pe/ http://www.pacotesperu.com/pacote14.php Agência Madre Tierra – Whats 51 997 871 713 (Passeios Cusco) Alas peruanas – 51 956 640 619 (Nasca) First Class Huaraz – 51 945 337 550 (Huaraz) Scheler – 51 943 397 706 (Huaraz) Viajes Ica/Paracas – 51 994 307 771
  5. 1 ponto
    Comecei minha viagem no dia 14/05/18 pegando o voo no aeroporto de guarulhos. Voo marcado as 9:45 pela latam com a chegado prevista no aeroporto de Recife as 12:45. A latam estava com mudanças de sistema e mudaram o portão de embarque e não comunicaram a ninguem, mais de 12 pessoas perderam o voo e quando foram remarcar para o proximo horário, queriam cobrar uma taxa de R$175,00 por pessoa, um absurdo, ja que foram erro deles. Então, juntamos algumas pessoas e fomos reclamar para o supervisor que com muito custo não cobraram as taxas e conseguimos seguir no voo seguinte. Mas algumas pessoas pagaram injustamente por essa taxa por não quererem reclamar. Gente, venhamos e convenhamos, devemos sempre lutar pelo nossos direitos e mesmo que uma viagem comece com problemas nunca devemos se apegar a isso, então lutem e reclamem!!! Bom, então embarquei no voo seguinte e acabei chegando em Recife às 14:20. Atravessei a pista para pegar o onibus da linha 195, ele chama de opcional, por causa do ar condicionado e cobram a passagem R$15,70, tem outra linha a 191 que custa R$ 10,70 e vai sem ar condicionado, mas ao esperar no ponto, vários ubers vieram oferecer o serviço por R$25,00 por pessoa, já que eu estava com minha esposa e meu filho de 2 anos, preferi ir por R$50,00 e ele deixou na porta da pousada. Pessoal, uma dica, nao usem o aplicativo da uber para chamar por viagens, eles sao credenciados pela uber mas cobram bem mais barato que o valor que aparece no aplicativo, pechinchem pois teve um casal que foi junto no carro e ele cobrou R$35,00 cada, então chorem o preço. 😁 (O Onibus demora 1:20 e o uber 40 minutos) Chegando às 16:00 em Porto de Galinhas, morto de fome, deixamos as coisas na pousada Veleiro de Porto onde comprei a hospedagem pelo hotel urbano pagando 114,00 o casal com filho ate 5 anos, ótima pousada, simples mas aconchegante, com ar condicionado e frigobar, aí saimos para comer e conhecer um pouco do centrinho que é lindo. Na caminhada pelo centro, várias agências de viagens abordam oferecendo passeios, pesquisem e chorem preços, mas o mais em conta que achamos foi R$ 150,00 passeio de buggy (vai de ponto a ponta, conhecendo praia de muro alto, praia do cupe, maracaípe e pontal de maracaípe), R$ 50,00 por pessoa (praia dos carneiros com 4 paradas inclusa catamarã e R$ 100,00 por pessoa (conhecer maragogi com catamarã e van ate Alagoas). Após fazer nos três passeios fui conhecer a famosa praia de porto de galinhas com suas piscinas naturais, a mais bela de todos esses passeios. Pessoas te abordam ao longo da praia oferencendo cadeiras e guarda-sol por 10,00 cada ou consumir uma porção que custa em torno de 70,00 bem caprichadas, nao adianta gastar 500,00 de bebidas que eles mesmo assim cobram o guarda-sol, agora se consumir apenas uma porção o guarda-sol sai na faixa. Achamos um lugar chamado PORTO GUEDES, fica ao lado direito pra quem sai da rua das piscinas naturais, lá eles cobram R$15,00 o guarda-sol e três cadeiras ou consumir uma porção também não paga os 15,00, mas com esse valor pode ficar o dia todo e almoçar mais barato no centrinho. No centro tem preços para todos os bolsos, desde R$9,99, 12,99 e 16,00 (esses comem à vontade, não pode repetir e escolhe 2 misturas); R$ 20,00, 23,90, 29,90 (comem à vontade podendo repetir mil vezes se quiser com direito a churrasco e peixe cozido e fritos e salada). Agora tem também uns que variam de R$50,00 a R$ 120,00 pratos para 2 pessoas. O que eu achei engraçado é que lá eles não trabalham com centavos, por exemplo, se a conta de 70,60 e vc der 72,00 eles cobram 70,00, agora se der 71,40 eles cobram 72,00, mas isso deve ser normal por lá rsrsrsrs. E por fim, otimo lugar, pessoas maravilhosas, vale muito a pena o passeio, curtam e se divirtam. Pisicinas Naturais: Essa meia porção de peixe e meia de camarão, incluso salada, fritas e mandioca, muito caprichada: PORTO GUEDES lado direito das piscinas
  6. 1 ponto
    Fala galera! Estou programando com um amigo de viajar para o Peru em setembro ou outubro 2018. Ainda estamos definindo o roteiro da viagem. Caso alguém queira participar do mochilão ... vamos começar a montar o roteiro e programar a viagem. Abraço
  7. 1 ponto
    Ola Pessoal! Estou por rodar algum tempo pela nova Kundalini de Maya que saiu do Tibet e agora esta entre o Peru e Chile. Incialmente estava indo só, porem apos conhecer a pagina http://www.mochileiros.com, resolvi deixar a conectividade e quem sabe a sincronicidade se manifestar. Caso alguem esteja disposto a trocar ideias ou mesmo participar, por favor envie um OLÁ! Abraço a todos com muita Luz, Modee
  8. 1 ponto
    @kely.alves Floripa é uma cidade pequena, nessa época é muito difícil achar algo interessante.Sempre Vou lá no final do ano,aí sim,tem muita coisa interessante.
  9. 1 ponto
    Só para te inspirar, Kely, quando for na Lagoinha do Leste não deixe de visitar esta pedra, no Morro da Coroa, que fica no canto da praia:
  10. 1 ponto
    Vou falar da trilha da Lagoinha do Leste, que eu conheço. É super tranquila, 2,4 km com algumas subidas e descidas ingremes, mas considero de nível fácil a moderado. Ela é bem demarcada, impossível se perder, e mais ou menos no meio dela tem uma bica com uma água geladinha, deliciosa. Sempre tem movimento de pessoas nesta trilha, já fiz três vezes e achei a galera que frequenta muito da paz, inclusive muitas famílias fazem a trilha. No centro da cidade o que acho interessante é o Mercado Público, que tem uns barzinhos legais.
  11. 1 ponto
    Já me hospedei em quarto feminino e em quarto misto e por sorte nunca tive problemas. Também não consigo dormir se tiver alguém roncando então levo sempre um protetor auricular para abafar o som. Em Bonito eu reservei quarto misto porém ele acabou virando feminino e em Amsterdã fiquei em um quarto misto de 6 camas que só tinha eu de mulher e correu tudo bem. O importante é você se sentir segura, confiante e confortável.
  12. 1 ponto
    Rafael, não gosto de falar muito se da tempo ou não porque depende de como cada um faz o programa mas acho que sábado você terá uma certa dificuldade de realizar toda a programação. Aconselho prestar atenção nos dias de fechamento de cada museu, se não me engano Versailles fica fechado as segundas. Pra você conseguir aproveitar um pouco mais a cidade você pode se organizar para ir aos museus na parte da noite, o Louvre fica aberto quartas e sextas até às 22h e Orsay as quintas fica aberto até às 21:45.
  13. 1 ponto
    Acho que tem, mas pelo que lembro, sempre é meio vazio, acho que relativamente poucas pessoas realmente acabam subindo no Arco do Triunfo... Você vai estar vindo do Brasil neste dia? Será você vai ter pique para encarrar a Torre tarde da noite? Mas em todo caso, eu deixaria a torre como prioridade, e o resto, fazer o que der... Sempre tive azar com o D'Órsay, sempre que eu estive em Paris o D'Órsay estava em reforma e várias alas fechadas... Mas acho que finalmente terminaram as reformas.
  14. 1 ponto
    O palácio é visita obrigatória, e os jardins entram por tabela no pacote, os outros são meio dispensáveis se não for muito a sua praia... Mas pessoalmente eu passei mais tempo nos jardins, pois naquela ocasião acho que cheguei em Versailles com uma overdose de museus e palácios, no dia anterior tinha ido ao Louvre e antes disto estava em Londres, e como era no inverno, e com o frio e chuva típica de Londres, acabei fazendo muito museu e palácio em Londres...
  15. 1 ponto
    O primeiro dia você terão ele todo livre? Por que a principio o único compromisso que vocês tem neste dia é a Torre Eiffel, os demais locais acho que vocês não planejam entrar, é isto mesmo? conforme se desenrolar este dia, dá para você pensar em incluir a visita a La Madeleine neste dia, por que fica literalmente colado na Place de la Concorde, fica a 2 quarteirões de distância da Place de la Concorde, e a Opéra Garnier fica pertinho também... Se talvez conseguir incluir um ou outro destes locais no dia da chegada, quando você geralmente está bem animado, já libera um tempinho nos outros dias...
  16. 1 ponto
    @fefa.esp não sei o melhor, mas acho que se dividir por bairros mesmo ja fica melhor!
  17. 1 ponto
    Realmente amigo não é mto agradável não, mas o aprendizado é o q importa não é mesmo? hahahha abraço!
  18. 1 ponto
    Pena que pegaram mau tempo, fica impossível prosseguir na trilha...
  19. 1 ponto
    O PP com chuva, vento e neblina é o inferno na terra....
  20. 1 ponto
    Considerando os últimos 180 dias a partir da tua nova entrada lá (27/06), temos o seguinte período: 30/12/17 a 27/06/18. Desses, tu ficaste 74 dias (de 30/12/17 a 12/03/18 e mais o próprio dia 27/06). A cada novo dia lá, o período de 180 dias vai sendo empurrado para a frente: no dia 28/06 vai contar a partir de 31/12, e assim por diante, então o período de permanência nos últimos 180 dias vai se manter em 74 dias. Ou seja, está dentro dos 90 dias de permanência permitidos.
  21. 1 ponto
  22. 1 ponto
    Eu comprei o museum pass e foi muito util, super recomendo. Só pra dar um exemplo, quando fui ao Louvre cheguei por volta das 09h e ja estava lotado. Acabei saindo de lá as 16h, pq cada hr uma coisa te chama a atenção. No dia de Versales saimos cedo e tambem tinha fila enorme pra passar no rx, chegamos em Paris no fim da tarde.
  23. 1 ponto
    Olá Rafael, eu acho que ta muito apertado esse roteiro. Leve em consideração que tudo tem fila, revista ou rx e muitas das atrações que vc colocou são enormes e leva tempo andando por elas. Alem disso tem os deslocamentos.
  24. 1 ponto
    Eu costumo dizer que depois que vc se hospeda num hostel não para mais. Viajar sozinho não significa viajar só, você fica muito mais aberto a novas atividades, mudança de rotina, etc. Claro que problemas com ronco e roubo podem existir, não deixe seus bens mais valiosos jogados. Mas se a gente começa a pensar demais a gente não viaja, é muita chance de muita coisa dar errado. Particularmente eu já dormi com um trator no quarto de chegar a ir lá acordar o camarada, mas faz parte da convivência. Eu sempre busco hosteis que mesclem boa localização, bom preço, boas avaliações e que ofereçam atividades de integração dos hóspedes.
  25. 1 ponto
    Olá @Rejane Deloyse Já fiquei em inúmeros quartos compartilhados (4, 6, 8, 12 camas) e nunca tive nenhum problema com minhas coisas. De certa forma todo mundo que está ali está como você. Claro que nao dá pra afirmar com 100% de certeza que todos são pessoas de boa índole e alguns hábitos evitam qualquer tipo de aborrecimento como: não deixar suas coisas esparramadas na cama, nao deixar as coisas de valor jogadas, ao sair do quarto fechar a mochila, etc.. Em muitos locais existem lockers, entao já leve um cadeado (nem muito grande e nem muito pequeno) pois isso já ajudará bastante. Sobre o ronco é um tipo de coisa que todo mundo estará sujeito. Já fiquei em quarto em que um cara roncava igual a um porco kkk e uma outra pessoa balançava a cama do infeliz e era a mesma coisa q nada, entao esteja preparada para possíveis inconvenientes. É aquela coisa, se nao quer passar por isso, fique num quarto privado. Acho que toda experiência é válida, então leia os reviews e veja o melhor local pra ficar. Se tiver um quarto feminino com melhor preço fique nele, se nao fique no misto. Se nao curtir, da próxima vez já saberá o que melhor lhe convém. Mas lembre-se que existem lugares e lugares.
  26. 1 ponto
    Depende muito dos seus interesses pessoais em cada um deste locais, mas se fosse minha viagem, pessoalmente eu já acharia que com 5 dias, já teria tempo sobrando em Praga. Cracóvia com 4 dias já ficaria com um ótimo tempo, daria para fazer tudo com bastante calma, e a mesma coisa com Budapeste. Ou seja, se fosse minha viagem, já estariam com tempo suficiente para fazer tudo com calma, nenhuma delas precisaria de mais tempo, colocar mais tempo nelas poderia acabar deixando você com muito tempo "ocioso", sem muita coisa para ver e fazer em algumas delas. Então neste caso especifico, eu não veria muito ganho em cortar Varsóvia e redistribuir entre as outras por que já teria até tempo demais em algumas delas. Pesquise a respeito das atrações turísticas e do que fazer em Varsóvia, dizem que tem umas baladas animadas, se você não se animar muito, não corte completamente, veja a possibilidade de deixar com somente 2 dias, adicionando um pit-stop ou bate-volta de 1 dia em Bratilasva ou Wroklaw por exemplo... Mas claro que isto só minha opinião pessoal, baseada nos meus gostos e preferências, não sou do tipo que fica até 3 ou 4 da manhã nas baladas, meu negócio é mais um pub, tomar umas cervejas, ouvindo uma boa música e ir dormir antes da meia-noite para acordar cedo no dia seguinte. Mas se por exemplo a sua intenção é sair toda noite, e chegar das baladas as 5:00 da manhã depois de ter tomado algumas, acordar as 2 ou 3 da tarde de ressaca, não sobra tempo para quase nada do dia alem de currar a ressaca e comer algo, e 5 dias não seria exagerado para você ver algo das baladas e quarto do hotel...
  27. 1 ponto
    Não deixe de fazer a trilha para a Lagoinha do Leste e subir no Morro da Coroa, que fica neste praia. A vista é sensacional! Particularmente como sou bicho do mato, não gosto de me hospedar no Centro, gosto de ficar em Jurerê Tradicional ou Cachoeira do Bom Jesus, mais perto da praia de verdade, não o aterro com pedras do Centro da cidade.
  28. 1 ponto
    Essa parte do país já tive tempo de conhecer, Guadalajara até estava no roteiro, queria ir à Tequila, mas não rolou. Mas o sul é animal demais cara, vale a pena conhecer.
  29. 1 ponto
    Olá Lusmel, tudo bem? Sinceramente não sei por onde começar, tem muita coisa bonita pra se ver, tem um brother meu que foi pra lá quinta e deixei ele louco com tanta dica, ele nem sabe o que fazer kkk Eu diria que lugares como o Cânion de Sumidero e o vilarejo de San Juan Chamula; Cozumel, isla Mujeres (próximo a Cancún, ainda falarei sobre lá); os centros históricos de San Cristobal e Oaxaca; as ruínas de Palenque, Tulum e de Teohtihuacan são lugares obrigatórios pra se conhecer, fora outros tantos. Adorei conhecer o México, garanto que sentirá o mesmo. Qualquer dúvida pode ir perguntando.
  30. 1 ponto
    Frio e a cidade sem argentino não tem graça. Prefiro o centro sempre,mas sobretudo nesta época, em que a Lagoa além de deserta, venta muito e o vento é gelado.
  31. 1 ponto
    Olá, pessoal! Mais uma vez aqui contribuindo com os relatos! Dessa vez a postagem está loooonga e será sobre Chile e Bolívia, embora aqui no site tenhamos inúmeros relatos e que me auxiliaram bastante na organização dessa trip. Então deixo aqui também essa contribuição. Fui com um grupo de mais 3 pessoas sendo duas do Recife - Juliana e Camila que chegaram primeiro em Santiago e a Sandra de SP que só encontrou conosco a partir do Atacama. Nos conhecemos por meio deste site através de uma postagem que criei no tópico Companhia para Viajar. Pessoas maravilhosas dos quais agradeço muito, pois foram fundamentais para que essa viagem fosse maravilhosa! Foram 11 dias - 01/05/2018 a 11/05/2018 em que passamos por Santiago, Cajon del Maipo, Embalse el Yeso, Termas de Colinas, Atacama e Bolívia - Salar de Uyuni (tour de 3 dias e 4 noites). Uma viagem que valeu muuuuito e super recomendada!!!! Os lugares são belíssimos e alguns surreais como por exemplo os Desetos de Dali e Siloli. Além, claro, de ver o nascer do sol no Salar de Uyuni que é algo extremamente marcante! PASSAGENS - Viajei pela Latam e no Chile pela Sky Airlines. Levei uma mochila de 50L e não despachei no da Sky, Contudo no retorno do Atacama para o Chile por pouco pagaríamos por despacho. Lá eles são bem criteriosos com bagagens e medem já no check in. Tivemos que reduzir um pouco nossas mochilas porque não passavam naquela caixa. A sorte que a diferença foi pouca. Então vale o ponto de atenção. Rio x Santiago (ida e volta) R$ 1.099,02 Santiago x Calama (ida e volta) USD 70.00 SEGURO VIAGEM - Depois de muita pesquisa e vários minutos de negociação fechei com a Travel Ace Assistance. Antes de fechar com eles fiz uma busca das principais cotações que ajudou na hora do pedido de desconto. Paguei R$ 120,78 e graças a Deus não precisei usar! CÂMBIO - Com exceção do dólar que comprei no Brasil e do peso boliviano comprado em outra data, essa foi a cotação que consegui em 02/05/2018 numa casa de câmbio em Santiago na Calle Agustinas. No Chile é bom pagar as hospedagens com o dólar a fim de obter as isenções do IVA (19%). Não é vantajoso fazer câmbio no aeroporto tão pouco em Calama ou no Atacama. Para o deslocamento do aeroporto saiba que as empresas de transfers costumam aceitar cartão de crédito e foi o que optei para uso desses serviços. 1 Dólar = R$ 3,65. 1 Dolar - 612 Pesos 1 Real - 165 Pesos 1 Bolíviano - 89,00 Pesos LOCOMOÇÃO - Usei como meio de transporte os serviços abaixo. Como cheguei em Santiago num feriado nacional e estava muito cansada para procurar ônibus, então preferir pegar um transfer até o hostel. Mas depois pude conferir que é muito fácil se deslocar de ônibus até o metrô e seguir viagem. Já em Calama devido a distância até São Pedro não há como fugir. Transfer: Transvip - Usamos para nos deslocarmos entre o aeroporto de Santigo até o hostel - Custo: CLP 7.000 (ida) / Calama ao Atacama CLP 18.000 (ida e volta - barganhamos desconto rsrsrs...). Metrô - Para sair do aeroporto, o mais econômico é pegar o Centrobus - CLP 1.800 e de lá pegar o metrô que para ter acesso basta adquirir o cartão de acesso chamado BIP. É super fácil e rápido. Uber - Usamos o serviço tranquilamente sem maiores problemas quando precisamos. HOSPEDAGENS Santiago - Che Lagarto - USD 40.00/três dias. Já conhecia a rede e por isso não tive dúvidas nessa escolha. A localização é perfeita; quartos espaçosos e local limpo. Eles costumam servir café da manhã e incluí esse item na reserva, porém devido a manutenção na cozinha nesse período não foi disponibilizado. Então eles devolveram o valor em dólar. O hostel fica na rua San Antonio, 60. Atacama - Covartsch - USD 95.00/três dias num quarto individual - Trata-se de um hostel que também funciona como hotel. Possui apenas quartos duplos, triplos e individuais. As acomodações são boas, porém pequenas; os quartos possuem comodas para guardar os pertences e alguns com nichos também. Considerei bons o atendimento, a organização e a localização. Não há café da manhã. Aceitam cartão, dólar e pesos chilenos. Lembre-se de que pagando em dólar há a isenção do imposto chileno e pagando no cartão incide em taxa. O hostel fica na Calle Tocopilla, s/n. www.corvatschchile.cl Bolívia A contratação do passeio já inclui as hospedagens e alimentação. Maiores detalhes estão abaixo nos comentários sobre a viagem ao Salar. SANTIAGO - 01/05 a 04/05 e 10/05 Fizemos o City tour à pé e com um guia e passamos pelos principais pontos da cidade como Plaza de Armas, Palácio La Moneda, Teatro Municipal, Tribunal de Justiça, Bolsa de Valores, Cerro Sta. Lucía, Pátio Bela Vista, dentre outros. Terminamos na La Chascona (casa fundação Pablo Neruda). O tour é ótimo, pois muitos conhecimentos são explorados como arquitetura, urbanismo, história, literatura, costumes... As informações foram passadas nas áreas externas dos locais visitados, ou seja, não entramos para conhecer o interior de lugares como Palácio La Moneda, teatro municipal e museus. Obs.: Embora tenhamos a informação de que o tour é gratuito, o guia antes de iniciar a caminhada, explica como ocorre o tour, e sugere uma contribuição - propina como eles costumam chamar - no valor de CLP 5.000 caso o turista goste do serviço. Acho válida a contribuição porque considerei o serviço bom, mas não paguei esse valor. Também não havia pesquisado tanto sobre a história de Santiago então ainda que fizesse o tour por conta própria não teria tanta informação como as que foram prestadas durante a caminhada. Há também outros tours que podem ser realizados (bike ou bus de 2 andares). As saídas ocorrem diariamente a partir da Plaza de Armas. Palácio La Moneda - Foi cenário de um golpe de estado que resultou na morte de presidente Salvador Allende após um bombardeiro neste local. As bandeiras entorno do palácio representam as regiões do Chile. Monumento instalado na Plaza de Armas e representa o povo Maputche. Fonte dos quatro ninhos - Representando os países Bolívia, Chile, Peru e Argentina. O que chama a atenção na cidade são as intervenções lúdicas por meio de grafites que não só ocupam as paredes, mas as calçadas também. Cerro Santa Lucía – Fica na região central próximo ao metrô da Universidade Católica e Sta. Lucia. Um local tranquilo que oferece uma bela vista da cidade e da Cordilheira quase imperceptível ao fundo. Isso porque devido a poluição do ar não é possível ter uma visão tão nítida da Cordilheira dos Andes. Esse foi um dos locais visitados logo após o termino do City tour. Entrada: Gratuita, exceto o uso do banheiro Vista através do Mirante Mirador que possui 65 m de altura e permite uma visão da cidade de Santiago. É preciso ter fôlego para subir as escadas e ladeiras que levam a este local. Museu De Arte Pré Colombiano – Deixei para visitar este lugar no dia do retorno ao Brasil devido ao tempinho que ainda me restava. O museu possui uma vasta coleção que remete a origens de alguns povos latino americanos. As peças estão distribuídas ao longos dos três ambientes em 12 salas: Chile antes do Chile; exposições temporárias e América pré colombiana e artes. No primeiro, por exemplo, encontrei peças pertencentes a grupos bem antigos de pescadores como os da cultura Chinchorro. Esse povos são conhecidos principalmente pelos seus rituais de mumificação. Há relatos de que muitas dessas múmias são as das mais antigas do mundo devido a esse processo, aliado as condições climáticas da região. No segundo temos salas com exposições temporais e o terceiro são as peças da América no período pré-colombiano que vai desde as primeiras cerâmicas até peças têxteis. Através do site é possível ter uma prévia de tudo que o museu disponibiliza com catálogos em PDF das peças, áudios (inclusive em Português) e muito mais. O tempo médio de visita no museu é de 1h30 a 2h aproximadamente. Endereço: Calle Banderas, 361 – Metrô: Plaza de Armas, Linha 5 Verde Horários: ter a Sex de 10h às 18h, Sábados e Domingos de 10h às 18 h, Segunda: Fechado Valores: Adultos: $ 6.000 / Estudantes estrangeiros não residentes $ 3.000 - Domingos: Entrada liberada no primeiro domingo de cada mês Maiores informações: http://www.precolombino.cl/ Chemamüll: Esculturas masculinas y feminina de madeira - Localizada na sala 12 - Chile antes do Chile Múmias Chinchorro - Esta prática de mumificação começou a 6.000 a 2.000 a.C. quase 3.000 anos antes que o Egito - Localizada na sala 12 - Chile antes do Chile Museu De La Memoria e Los Derechos humanos – É difícil não se sensibilizar estando num lugar tão repleto de histórias cruéis ocorridas durante o regime ditatorial. Assim é o Museu dos direitos Humanos que aborda assuntos relacionados a violação dos direitos humanos durante a ditatura que ocorreu no Chile entre 1973 a 1990. O objetivo é estimular a reflexão sobre a importância do respeito e da tolerância para que tais ações cruéis não mais ocorram. Logo na entrada observa-se um grande mapa mundi que mostra como este evento ocorrido no Chile teve relação com outros países. Abaixo desse mapa, os quadros com as ações das Comissões da Verdade de cada país envolvido e os resultados obtidos a fim de solucionar os conflitos internos e criar políticas de reparação. O local possui três andares com vasto acervo físico e digital. Há cartas, documentários, fotos e até objetos confeccionados pelos presos durante esse período. A visitação ao museu leva em média 2 a 3h. O museu é de fácil acesso, onde é possível visitá-lo utilizando o metrô – linha 5 (verde) e descer na estação Quinta Normal*. A visitação é gratuita Endereço: Matucana 501, Santiago do Chile - CEP: 8350392 Telefone: +56 2 2597 9600 Maiores informações: http://www.museodelamemoria.cl Horário: Ter–Dom: 10:00–20:00 É proibido fotografar no interior do museu *Obs.: A estação Quinta Normal é o nome de um Parque próximo e confesso no ter visitado, pois estava com minha agenda apertada já que era o dia do retorno ao Brasil. Lá também é possível ter acesso não somente ao parque, mas a outros museus como o Nacional de História Natural, o Ferroviário, o Artequein caracterizado por suas cores fortes, dentre outros. Não vou detalhar sobre esses últimos porque não tive tempo de visitá-los. EMBALSE EL YESO / CAJON DEL MAIPO / TERMAS VALLE DE COLINAS No segundo dia em Santiago realizamos este passeio bem agradável onde foi possível conhecer um pouco destes lugares, apreciar belas paisagens, tomar banho nas águas termais e desfrutar um vinho chileno com aperitivos. Conhecemos Cajon del Maipo que é um vilarejo composto por montanhas e rios que chama atenção pela beleza. O Rio Maipo, por exemplo, que corta a região, abastece a maior parte da capital chilena. Embalse el Yeso é um reservatório de águas formadas pelo represamento do rio Yeso. Uma das suas características é a cor da água, pois dependendo da luz do dia, a água pode ter uma tonalidade verde ou azul turquesa. O local fica a 2.500 m de altitude e, dependendo do período, as montanhas podem estar nevadas o que garante fotos bem bacanas! Já Termas Valle de Colinas são piscinas termais oriundas das atividades vulcânicas. Cada uma com temperaturas específicas que variam entre 30 a 60 °C. O difícil mesmo é a troca de roupas, mas depois disso o corpo se adapta facilmente e quase não se sente mais frio. Para conhecer esses lugares levamos quase um dia inteiro, pois durante o trajeto tivemos algumas paradas para informações sobre as localidades e alimentação. Durante essas paradas conhecemos outros lugares como o Túnel Tinoco que foi construído para fazer parte de um sistema ferroviário, porém se encontra desativado . Este local abriga muito mais que uma construção. Há relatos de que um jovem chamado chamado Willy cometeu suicídio no interior do túnel devido a um grave problema de depressão. Após isso o local virou um santuário, e alí muitos visitantes levam oferendas em homenagem ao rapaz como cata-ventos, pois acreditam que tiveram as preces atendidas e que ele se comunica por meio do vento que sai do túnel. Entramos lá e o que se sabe é que tem uma extensão de 600m de profundidade e ao final dele há um santuário de cata-vento. Soube disso depois porque a medida que avançávamos só víamos um imenso breu e o vento frio como companhia até que resolvemos recuar . Embalse El Yeso que também funciona como a principal fonte de abastecimento de água potável a toda capital chilena. Aqui há um ponto de atenção porque algumas agências exploram mais este local fazendo inclusive piqueniques onde é possível ver aquelas fotos tradicionais com a lagoa azul e a montanha ao fundo. Outras (como a que contratamos) não fizeram isso e deixaram os aperitivos e vinhos para serem consumidos após o banho de piscina no Valle de Colinas. Portanto informe-se antes sobre a logística do passeio. Túnel Tinoco - O local virou um santuário onde muitos visitantes levam oferendas como cata-ventos em homenagem ao rapaz que faleceu no túnel. Las Cascaras - acampamento criado para a construção de uma represa e atualmente encontra-se abandonado. Valle de Colinas - Piscinas termais cada uma com temperaturas que variam entre 30 a 60 °C. Ao fundo o local onde foram servidos os nossos aperitivos próximo aos carros. Agência Chile Premium tours - Ave. Americo Vespucio 107, Santiago Custo – CLP 40.000 – Pegamos esse preço por meio de uma promoção do dia. É sempre bom negociar se estiver em grupo. Adicionais - Vinho + aperitivos Tempo médio – 1 dia Aceita dólar e real. Paguei o restante do valor durante o tour em real. ATACAMA - 04/05 e 08/05 Chegada 04/05 - Para chegar ao Atacama pegamos um voo da Sky Airlines com duração de 2h10min entre Santiago e Calama. Este voo compramos com antecedência no Brasil a fim de obtermos um bom preço. Chegando a Calama foi necessário contratar um transfer até São Pedro do Atacama; e lá se foram mais 1h20min aproximadamente de viagem. Utilizamos a mesma empresa Transvip. Neste caso como estávamos em três pessoas negociamos, pois logo na entrada fomos abordadas por duas empresas. Conseguimos o valor de CLP 18.000/pessoa ida e volta. Deixamos agendado a volta para evitarmos problemas. Depois foi só ligar para eles que nos buscaram no hostel e chegamos sem estresse ao aeroporto. Obs.: Os carros possuem Wi fi, porém fica sem sinal quando entra na estrada do deserto. Cejar / Ojos del Salar / Laguna Tebinquiche Logo que chegamos fomos visitar algumas agências para tentarmos um tour naquele mesmo dia. Conseguimos fechar na Whipala que sairia por volta das 16h. Considerei o ponto alto deste tour a Laguna Cejar que devido a elevada concentração salina o corpo não afunda. Sim! É o Mar Morto da América Latina, porém com muito mais sal. O local conta com ambiente bem básico para troca de roupa e retirada do excesso de sal. Embora o tempo estivesse ensolarado, a temperatura não estava alta e a água muito fria. Então foi um pouco difícil entrar, mas rapidamente nos ajustamos ao ambiente. A concentração de sal é tão grande que provocou uma enorme ardência nos meus lábios que já estavam rachados devido ao frio, pois deixei pingar água no rosto. Foi o momento que precisei sair rapidamente. Ficamos lá por mais ou menos uns 20 minutos e depois retornamos para visitarmos um outro ponto chamado Ojos del Salar. É um local com duas represas onde as pessoas podem se banhar. São locais fundos onde os turistas costumam entrar no estilo “mergulho”, ou seja, indicado para quem sabe nadar - como não sei fiquei na minha aproveitando outras paisagens. Finalizamos o nosso tour na Luguna Tebinquiche com o pôr do sol. A agência ofereceu aperitivos e Pisco Sour, uma bebida típica chilena. Abaixo as principais informações sobre este passeio. Tour - Laguna Cejar Agência - Whipala Custo – CLP 18.000 Taxa adm. - CLP 17.000 para entrar na Laguna Cejar + CLP 2.000 para entrar na Laguna Tebinquiche Visitamos - Lagunas Cejar, Ojos del Salar e Lagunas Tebenquiche Oferecem snacks ao final do passeio O que levar: Roupa de banho, casaco corta vento, protetor solar, água, não esqueça o chinelo porque andar naquelas pedrinhas descalço até a lagoa não é nada agradável! Laguna Cejar - Devido a alta incidência de sal o corpo não afunda Laguna Tebinquiche - Finalzinho de tarde Mountain bike por Catarpe [Rally dos sertões mesmo!] Fizemos esse passeio no retorno da Bolívia, pois tínhamos um dia de sobra no Atacama. Catarpe é um conjunto de formações rochosas, a praticamente 2.000 m de altitude e, embora seja uma aventura bacana onde passamos por locais muitos interessantes, este não é um tour de nível fácil - pelo menos para quem não está em forma! Não foi comunicado na contratação e também não buscamos maiores informações, queríamos era curtir!!! Eu estava há meses sem praticar atividades físicas e tive dificuldades durante as diversas subidas do percurso devido as condições do terreno. Diferentemente das meninas que inclusive foram muito pacientes com as minhas várias paradas. Foram muitas subidas e descidas dificultosas num terreno bastante arenoso. Tipo rally dos sertões - essa é a realidade! Passamos por lugares onde a sensação era de que estávamos pedalando na areia da praia! Num dado momento em que já estava no meu limite, o guia parou e logo pensei: Ufa! Glórias! Vou descansar! Mas, não! Ele aponta para um morrão e diz: - vamos deixar nossas bicicletas aqui e subiremos esse morro para conhecer a capela de San Isidro. Logo pensei: Tá doido!!! Nem minha alma chegará até lá! Depois disso ainda tivemos mais uma parada para conhecer umas ruínas que já não lembro o nome. Nesse caso como estava um pouco recuperada consegui subir o morro e ver do alto a beleza local. Por fim retornamos ao Atacama somente o caco, mas sobreviventes! Custo: CLP 20.000 para três pessoas com guia (depois de muita pesquisa!) Duração do percurso: 6h O que levar? Protetor solar, água, barra de cereal e usar roupa bem leve. BOLÍVIA - SALAR DE UYUNI - 05/05 a 08/05 Enfim chegou o grande dia! Nesse passeio fui psicologicamente preparada para enfrentar todo tipo de treta possível (acomodações precárias, motorista problemático, frio, comida ruim, altitude e até bloqueios de estrada. Isso porque faltando poucos dias para o embarque vi uma postagem aqui no site sobre relatos de bloqueios realizados pelos índios da região. Maaaaassss graças a Deus tudo deu certo (é né...tirando a altitude e a friaca!). Foi uma das minhas melhores experiências de viagem. Eu não gosto de ir a um lugar mais de uma vez, mas sabe aquele lugar que você quer voltar, pois as fotos, filmagens e relatos não expressam a beleza de tudo o que foi visto? Principais gastos na Bolívia Entrada para o Parque Nacional de Fauna Andina Eduardo Varoa - Bs 150.00 Entrada para a comunidade Incahuasi – Bs 30.00 Saco de dormir no primeiro hostel – Bs 20.00 - Usei somente no 1º dia, pois o frio foi muito intenso. Se puder leve um! Banho – (valor médio cobrado em cada hospedagem) – Bs 10.00 Sim! Eles cobram banho nas hospedagens. Obs.: Os valores podem ser alterados dependendo do período da viagem. Uma atenção é sobre a suposta taxa de cobrança de imigração entre Bolívia e Chile no valor de Bs 15.00, porém não pagamos nada referente a esse tipo de taxa tanto na ida quanto na volta embora tenhamos ouvido tais informações por lá. >> Diário do trajeto até o Salar Realizamos esse passeio com a agência Cordillera Traveller que conhecemos através de alguns relatos em blogs de viagens. Formalizamos a contratação através do site e efetuamos o pagamento da entrada no valor de USD 55.00 e o restante na própria agência. Sobre o serviço tivemos um bom atendimento assim que chegamos à agência para efetuar o pagamento. O responsável pelo atendimento foi bem receptivo, explicou o trajeto da viagem e esclareceu todas as dúvidas existentes. No dia marcado para a viagem eles chegaram pontualmente num micro ônibus que foi trocado por um 4x4 na fronteira com a Bolívia. Nosso motorista que nos conduziu até o Salar foi muito gente boa conosco o que contribuiu para uma viagem tranquila porque li muitos relatos de problemas com motoristas. Apenas no retorno ao Atacama que deu problemas no carro logo que saímos do hostel. Sobre as acomodações em que ficamos são bem simples, organizadas e o atendimento é bom. Confesso que esperava algo pior em se tratando de hostels no deserto. Agência - Cordillera Travelle Valor do tour - USD 220 tempo - 4 dias e 4 noite Inclui: hospedagens e alimentação http://www.cordilleratraveller.com Obs.: A agência sugere que sejam levados no mínimo Bs 300 para as despesas durante a viagem. 1º dia – Esperamos o guia no hostel que chegou por volta das 5h e prosseguimos rumo à fronteira entre Chile e Bolívia. No ônibus estava um casal muito gente fina que ficou conosco durante todo o trajeto fechando, assim, o grupo de 6 pessoas que comportava o nosso carro. Chegando à fronteira começamos a sentir o poder do frio (acredito que estava uns 4°C) e da altitude (4.400 m). Lá já tinha um café da manhã preparado com pão, bolo, leite, café, chá...logo após o café fomos para a imigração (depois do preenchimento de alguns formulários) trocamos de veículo e passamos para um 4X4; pagamos os Bs 150.00 para a entrada no parque e pronto! Partimos para contemplar as maravilhas do deserto! Passamos por Lagunas que ficam próximo ao vulcão Licancabur; logo seguimos para o Deserto de Dali e à piscina de águas termais. Seguimos, também, para os Geysers de la Mañana - um local geotérmico oriundo das atividades vulcânicas. Após isso partimos para o local em que ficamos hospedados para deixarmos nossas coisas e em seguida almoçarmos. Na parte da tarde fomos para a última visitação: Laguna Colorada. Um local lindíssimo onde se pode apreciar três tipos de flamingos (Andino, Chileno e James) e outras belezas da região. Pena que já estava me sentido muito mal devido a altitude (4.500) e não consegui aproveitar este último local. Deserto de Dalí Laguna Colorada Piscina de águas termais - Os mais corajoso arriscaram um banho... Geysers de la Mañana 2º dia - Após o café da manhã e já recuperada do mal de altitude saímos em direção ao Deserto de Siloli - outro lugar muito maravilho que abriga um conjunto de rochas vulcânicas em diferentes formatos (resultados das ações eólicas) e que lembra figuras animalescas, Dentre essas formações rochosas destaca-se o famoso Árbol de Piedra. A ação dos ventos e as condições climáticas foram responsáveis por essa formação corrosiva que dá o nome a rocha com seus 5m de altura, e considerada patrimônio natural. O próximo ponto foi visitar as Lagunas Altiplânicas: uma sequência de lagunas em que só mudam as variações de cores e habitações de flamingos: Honda, Hedionda, Chiarkota e Cañapa e paramos para o almoço. Na parte da tarde seguimos para o Salar de Chiguana um local cortado por uma ferrovia que por sinal conseguimos ver o trem cargueiro passar. Por fim seguimos para San Juan onde fica o hotel de sal. Local limpo, organizado, bem decorado e agradável. Jantamos (tinha vinho no jantar) e fomos descansar, pois no outro dia teríamos de acordar às 4h para ver o nascer do sol no tão esperado Salar. Arbol de Piedra - Turma maravilhosa muitas diversões! Deserto de Siloli Laguna Hedionda Laguna Honda Laguna Honda - Beleza do céu à terra Nesse dia o frio estava tão intenso que parte do lago congelou! Salar de Chiguana - Chegamos minutos antes da passagem do trem Uma Viscacha quietinha e alegrando os turistas com sua pose... Raposa do deserto também conhecida como Zorro 3º dia – Saímos às 5h em direção ao deserto de sal num frio que já não era tão intenso quanto foi o primeiro dia. Chegando ao Uyuni fiquei simplesmente maravilhada! Pegamos um ponto em que o Salar estava molhado. Particularmente não contava com isso - uma surpresa! Felicidade é uma palavra que não resume este momento porque não há palavras para classificar a sensação de estar neste lugar! Algo que ficará para o resto de minha vida. É uma bela oportunidade para tirar aquelas fotos mara? Sim! Mas é a oportunidade também para contemplar o momento, o silêncio e refletir. Ver o sol surgindo em meio ao horizonte multicor – um ato tão simples e quotidiano, mas que naquele lugar tem um tom especial: o de transmitir a mensagem de que está nascendo uma nova oportunidade para viver e ser feliz! Sei que cada um daqueles que foram comigo tiveram a sua experiência, porém acredito que todos foram unânimes quanto a beleza e a formosura daquele lugar. Vale muuuuito viver essa experiência. Passado o momento mágico seguimos para um local onde se encontram os cactos gigantes. Tomamos um café da manhã e seguimos para o Salar (lado seco) para tirarmos aquelas fotos de efeito e curtir o que de melhor este lugar nos proporciona! pós aproveitarmos muito o Salar de Uyuni partimos para um pequeno povoado chamado Colchani. Durante o trajeto conhecermos alguns outros locais como o museu de sal, o cemitério de trens (conseguiram fazer um monte de trem velho virar atração turística) e uma feirinha de artesanato. Nosso passeio finalizou em Villamar para almoçarmos e trocarmos de carro para o retorno ao hostel e nos prepararmos para a volta ao Atacama. Isla Incahuasi "Casa dos Incas" - Um parque de cactos gigantes com várias espécies. Museu de trens ao ar livre! A hora do retorno... Aquele momento que mistura saudades, alegria por tão bons momentos e a certeza de que as energias foram renovadas. Aqui fica a gratidão a Deus por conhecer lugares, pessoas, culturas e tantas coisas boas! Se recomendo? Se vale a pena? Claro! Junte sei dindim, pegue sua mochila, conheça as maravilhas destes lugares e seja feliz! ALGUMAS CONSIDERAÇÕES Retorno da Bolívia para o Chile - A imigração é bem rigorosa então certifique-se sobre o que é proibido conduzir na bagagem. Dinheiro - Na agência nos pedem que levemos no mínimo Bs 300 contudo Bs 250 são mais que suficientes para quem não gasta tanto, contudo o objetivo pelo que pude observar é para também girar a economia local, principalmente a dos artesãos que vivem do setor turístico. Então é bom considerar isso também. Não tivemos problemas com o uso de cartão de crédito em Santiago e algumas agências e hostels aceitam o pagamento em cartão, mas verifique se não cobram taxas. Na cidade de São Pedro do Atacama possuem caixas eletrônicos. Atenção também ao pagamento na fronteira quando ingressar na Bolívia porque eles só aceitam pesos bolivianos para pagamento de acesso ao Parque. Altitude - Hidrate-se bastante e descanse (se possível) um dia antes de seguir viagem para a Bolívia. Algumas pessoas sente-se muito mal no primeiro dia em virtude da altitude, outras apenas sentem dores de cabeça. Os nativos recomenda tomar um chá de "chachacoma" para aliviar esses efeitos. Passagens aérea - Atenção com algumas companhias aéreas que mudam o seu voo nas vésperas da viagem e disponibilizam apenas uma opção de escolha de voo quando na venda existem várias. Isso aconteceu comigo em relação a LATAM que alterou meu voo para a madrugada e quando consultei o site deles vi que o horário que comprei estava lá sendo vendido normalmente. Roupas - Comprei vários casacos segunda pele daqueles bem baratinho mesmo; levei várias blusas; legs, dois casacos um pouco mais pesados, mas o que foi fundamental nessa friaca que enfrentei foi o casaco corta vento. Invista nele porque faz uma boa diferença. Meias!!! Mesmo com três meias no pé em alguns lugares tive a sensação de congelamento nos dedos. Isso é horrível porque gera uma dificuldade até para andar. Gorro, cachecol e luvas devem ser um dos primeiros itens da sua bagagem! Roubos - Tenha muito cuidado ao caminhar pelas ruas de santiago com mochilas nas costas. graças a Deus não acontece nada conosco, porém tivemos muitos alertas de pessoas que roubam sem percebermos. Produtos - É muito importante não faltar na sua bolsa Bepantol; protetor para o corpo e lábios, hidratante, material de primeiros socorros, remédios para enjoo e dores de cabeça. É isso aí galera! Chile e Bolívia sempre rende muitas coisas para contar!
  32. 1 ponto
    Se voce fizer uma busca rapida no google encontrará várias empresas e todas terão pessoas falando bem e mal. Procure saber qual seguro se encaixa melhor no seu perfil, faça uma simulaçao no site e entre em contato por telefone que talvez consiga um preço melhor. Veja a questao do atendimento, tem seguradora que nao tem atendimento em portugues. Procure saber a questao do ressarcimento caso precise de algum atendimento médico e nao consiga contato com o seguro. Outros cobram uma taxa como "franquia". Entao por ai ja viu que tem diversos "porém" e cabe a voce decidir qual o melhor pra voce. Já contratei a Mondial, como nao precisei acionar o seguro nao tenho como falar se deixou algo a desejar ou nao. Procure na net sobre cupons de descontos, sempre existem cupuns com 10%, 20%, 30%. E
  33. 1 ponto
    Pretendo ir para o Chile e algumas cidades do sul aqui do Brasil em agosto. Alguém pretendendo a mesma viagem nessa época?
  34. 1 ponto
    @nathan_mg muito obrigada pelos esclarecimentos.
  35. 1 ponto
    Olá Meninas! Eu não sei se a ideia de vcs é criar um grupo voltado só pras mulheres, mas imagino que tanto as mulheres qnto os rapazes podem criar esses laços juntos (porquê não?), desde que hajam respeito mútuo. Bom, eu tenho um grupo de Mochileiros no whats, é bem diversificado, e com pessoas divertidas de todos os cantos, se alguém se interessar e quiser entrar e fazer boas e novas amizades, fiquem a vontade! https://chat.whatsapp.com/B9xWOdB87bRI66Ex6RNFCx
  36. 1 ponto
    Ei galerinha! Como ficou a viagem? Fizeste? Estou planejando ir em outubro!
  37. 1 ponto
    Passei 3 semanas no Peru há 5 anos atrás. Fui sozinha e foi uma das melhores viagens que eu fiz. O Peru é um país lindo, muito diverso em paisagens, com deserto, montanha, neve, floresta, praia, e muito rico culturalmente. Visitei Lima, Paracas, Nazca, Arequipa, Valle del Colca, Cuzco, Valle Sagrado, Macchu Picchu, Puno e as islas do Titicaca (Flotantes, Taquile e Amantani). Essa ordem é boa, pois vc vai subindo aos poucos e vai se aclimatando com a altitude. Acho que o imperdível do Peru é Cuzco e região (separe uns 5 dias). Arequipa é uma cidade bacana, a segunda maior cidade peruana e muito mais agradável do que Lima. Um lugar que eu gostei muito e poucas pessoas visitam é Amantani. É um passeio que vc faz pelo Titicaca e dorme nesta ilha na casa dos locais. Fiquei em uma casa muito simples, com uma família super querida. Recomendo muito Amantani. Para o transporte entre as cidades, use os ônibus da Cruz del Sur, são excelentes. A comida peruana é muito boa, especialmente das regiões andinas: muita batata, milho, sopa de quinoa, carne de alpaca e cuy. Eu comia sempre em locais simples, onde os peruanos comiam. Uma refeição com sopa, prato principal e refresco era uns 4 soles (na época 1 sol = 1real). Um dia eu volto para o Peru para visitar o norte: Huaraz, Trujillo, Chan Chan. Não desista da viagem! Será inesquecível! E viajar só não é ruim... Uma vez que vc começar, não para mais!
  38. 1 ponto
    Pretendo ficar 4 dias qual camping vc indica no kruger com preço acessivel?
  39. 1 ponto
    Algumas considerações sobre a civilização inca: O predomínio do império inca durou menos de 100 anos, de 1438 a 1532, embora a civilização inca tenha existido por vários séculos. O ápice do império iniciou-se com Inka Pachacutec, que construiu Machu Picchu, e terminou com Inka Atahualpa. Era uma civilização que respeitava profundamente a natureza. Os excrementos, por exemplo, não eram atirados na água pois ela era sagrada. Eles eram secos e utilizados como fertilizantes. A Pachamama, mãe terra, tinha um importante papel nas festas e rituais. As pedras também eram consideradas sagradas. Tinham avançado conhecimento de Astronomia, Medicina, Arquitetura e Agricultura. O nome Inca quer dizer governante e não era assim que seu povo se auto-denominava. O nome correto é Tahuantisuyo que quer dizer quatro divisões, que era como o império era dividido a partir de Cusco, que quer dizer o umbigo do mundo. Este umbigo fica localizado em um dos vértices da Plaza das Armas. No chão de Cusco você pode encontrar placas indicando a divisão das regiões. O Puma representado no quadro é a cidade de Cusco. O Império estendia-se desde o Equador até a Argentina, com mais de 15 mil quilômetros de trilhas, grande parte pavimentada. O trabalho era considerado entre eles uma coisa natural e necessária e todos trabalhavam, inclusive os nobres. Parte do tempo de cada um era dedicado ao Império. Com isso eles criaram uma sociedade que não tinha pobres nem ociosos. Muitos dos mistérios da cultura inca são devidos à falta de escrita que impediu os registros históricos. A comunicação era feita por uma corda com vários outros pedaços amarrados nela que detinham um código ainda não totalmente decifrado. Mas há historiadores que sustentam que existiu uma escrita mas em determinada época ela foi considerada por um sacerdote como a causa de uma peste que dizimou boa parte da população. O imperador ordenou então que a escrita fosse proibida e todos os escritos fossem destruídos. A derrocada Inca não deveu-se unicamente a Pizarro. Havia outros povos dominados que enxergaram nos espanhóis, aliados para se libertarem do jugo inca e assim se juntaram a eles. Para quem quiser se aprofundar na cultura Inca e Machu Picchu, uma boa referência é o livro de Cosme Cuba Gutiérrez, que o Pedro, nosso parceiro de viagem junto com a Thais, comprou quando se juntou a nós em Cusco. Infelizmente só fui lê-lo quando cheguei de volta ao Brasil. Em breve continuarei o relato.
  40. 1 ponto
    Acompanhando suas dicas e hiper ansiosa para minha vez chegar! Muito obrigada pelo relato!
  41. 1 ponto
    Olá!! Também quero fazer, algumas dicas? PAZ
Líderes está configurado para São Paulo/GMT-03:00


×
×
  • Criar Novo...