Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Mais curtidos da Semana


Conteúdo Popular

Exibindo conteúdo com a maior reputação em 30-07-2018 em todas áreas

  1. 2 pontos
    25/07- Acordamos cedo para o café, que abria às 8:00, e logo saímos (a pé) para o arvorismo que decidimos fazer. Andamos alguns quilômetros até o Bosque do Silêncio onde fizemos um percurso de duas horas e meia com um grupo bem grandinho, que fez trânsito em cima das árvores. Aproveitamos a oportunidade para conversar com os instrutores e entender como funcionavam as linhas de ônibus e pegar dicas de restaurantes mais baratos. Mais uma vez me surpreendi com a simpatia, todos tão abertos a conversar e a contar sobre a cidade. Fiquei muito feliz, não costumo ver isso em São Paulo. O arvorismo completo com diversas travessias e duas tirolesas custou R$110,00. Foi tão longo que até nos cansamos perto do final, eu só queria o chão e meu almoço, mas foi muito divertido, era uma atividade que queríamos muito fazer em Campos. Quando finalmente descemos pela tirolesa de 250 metros, já eram quase 13:00 e nos sentamos nas redes em frente à sede para comer nossos lanches e aguentar um pouco mais até o almoço (que acabou nunca acontecendo). Estômago falsamente preenchido com club social e frutas, demos algumas voltas pelo Bosque, que não tem muito para se ver ou fazer além das atividades pagas. As trilhas nem podem ser chamadas de trilhas, têm no máximo 400 metros. Saímos, então, para a Ducha de Prata, que fica bem perto do Bosque do Silêncio, caminhando em uma estrada estreita que muitas vezes não tinha calçada. Embora muito artificial, o lugar é bonito e, descendo um pouco mais, pode-se ver o rio em seu curso natural. Aproveitamos as lojas para comer mais e pagamos R$10,00 por crepes de chocolate. No caminho para o hotel, passamos por vários restaurantes e calculamos qual seria o melhor para comermos o tão esperado fondue, à noite. Escolhemos o Restaurante do Sino, na Av. Sen. Roberto Simonsen, onde pagaríamos (não me recordo exatamente) R$85,00 pelo de carne e R$75,00 pelo de queijo e chocolate. Seguindo a rua do Restaurante do Sino, passamos em frente à Casa do Strudel que anunciava fornadas às 16:00 todos os dias. Olhamos as horas, era exatamente 16:08 e não pude passar reto, entramos e pagamos R$16,00 por um pedaço generoso que dividimos em três. Depois retornamos ao hotel, onde jogamos baralho, cansadas, e nos arrumamos para sair. Fizemos mais uma caminhada até o restaurante, dessa vez no escuro, mas não sentimos medo. Embora a rua estivesse deserta e mal iluminada e homens de moto passassem esporadicamente, estávamos tranquilas e não pude deixar de pensar em como seria incrível ter essa liberdade e segurança fora da porta de casa todos os dias. Foram coisas como essa que me deixaram muito feliz em Campos do Jordão, experiências que eu nunca havia vivido em São Paulo: cumprimentar estranhos, se sentir segura nas ruas à noite, sorrir para os motociclistas simpáticos, ser recebida por alguém desconhecido com sopa <3. No restaurante, pedimos um fondue de cada e uma água para economizar. Fizemos muitas contas para dividir o preço de forma justa entre nós cinco aproveitando para acertar os gastos de umas e outras que havia sido maior ou menor no último dia. Acho que nossa economia tocou os garçons, que nos ofereceram uma repetição cortesia do fondue de chocolate. Adoro ganhar coisinhas de graça e essa gentileza, em especial, fez nosso dia. Voltamos muito felizes para o hotel. (Pagamos um total de R$53,00 por pessoa no Restaurante do Sino) Sede do Bosque do Silêncio Parte de baixo da Ducha de Prata Ducha de Prata Comércio na Ducha de Prata Strudel da Casa do Strudel Fondue de queijo do Restaurante do Sino (acompanha batatas deliciosas que chegaram depois) Fondue de chocolate do Restaurante do Sino
  2. 1 ponto
    A la orden mochileiros!!! Vamos pra Colômbia? Eu fui, se vc quiser viajar na leitura chega aee Fui sozinho, mas sempre tive boas companhias. A vida mochileira te permite conhecer lugares, paisagens, culturas, mas principalmente pessoas bacanas, que marcaram aqueles momentos e quero levar pra vida toda. Gosto de colocar o nome das pessoas que conheci, pois foram importantes pra mim. Alguns deles podem talvez até ler esse relato e se seu nome estiver aqui, meu caro, saiba que eu curti demais os momentos com você e espero te rever pelo mundo, para aquele abraço, aquela cerveja, enfim...quando eu me lembrar de você vou lembrar da Colombia, quando me lembrar da Colômbia me lembrarei de você!! Geralmente escrevo as coisas que fiz, costumam ser o que a maioria faz, então serve como dica pra quem vai. Coloco preços das coisas, digamos, mais obrigatórias, como passeios, taxas, hospedagens. Comida e quinquilharias varia muito de cada pessoa, então não acho relevante colocar como gastos, mas no geral a Colômbia é barata. Quanto a dinheiro, usei todas as formas possíveis. Levei dólar, a cotação lá variava entre 2760 e 2810. Real sempre na casa de 700 a 740. Só levei real pra caso de emergência, não usei. Compensa muito mais levar dólar. Real é prejuízo certo. Fiz um saque que com taxas ao final saiu na cotação de 763 pra real, então compensa mais o saque do que o real físico. Mas a melhor opção é o cartão de crédito. Minhas compras no crédito saíram na cotação de 825 pra real, compensa mais que o dólar físico, pois troquei dolar aqui a 3,43 e trocando lá os dolares me davam uma cotação de real próxima a 805 pesos. Resumindo, pra não parecer tão confuso: 1 real trocado na Colombia – 740 pesos 1 real sacado na Colômbia – 763 pesos 1 real trocado aqui em dólar e lá por pesos – 805 pesos 1 real no crédito – 825 pesos. Consegui explicar? Então minha dica pra grana é: Leve dólar, porque nem tudo dá pra passar no crédito, mas o que der, vai no crédito. Vou colocar os preços em COP, pra converter em real só dividir por 800 pra facilitar. Ou só tirar o mil e pensar que é um pouco mais q isso em real, porque você não vai sair andando na rua e olhando preços com uma calculadora né 18 de novembro de 2017, sábado Cheguei em Bogotá 11 da manhã, vindo pela Copa de BH via Panamá. Imigração OK, só perguntaram em qual lugar eu ia ficar Fui atrás de câmbio. Na parte do desembarque o câmbio é pior, tava entre 2700 e 2740 pro dólar. O melhor era no 2º andar, no setor de embarque nacional, lá tinha uma casa de câmbio, Aerocambiar, que tava 2760. Troquei um pouco lá. Dali desci pra comprar o cartão do Transmilenio. Vende numa tenda verde na saída do desembarque internacional. Ele sai com seu nome, bacaninha. O cartão é 3000 pesos e coloquei carga pra 3 viagens, ao todo 9900 pesos. Tranquilo ir de Transmilenio. Fiquei no Hostel Fátima, na Candelária e se você vai pra Candelária geralmente é tudo perto e o percurso é o mesmo. Na saída do aeroporto pega um onibus vermelho, linha M86 até a estação Portal El Dorado. Lá é integração, dali você pega a linha 1 – Universidades e vai até o final. A estação Universidades é integrada com a estação Las Aguas a pé mesmo, por um tunel, pertinho. Saindo da estação Las Aguas só andei umas 4 quadras e cheguei no hostel. O Fátima hostel é tranquilo, tem umas atividades de noite, bar, aula de salsa, cuba libre de boas vindas, essas coisas...O ambiente é bom, o café da manhã é só café, frutas e pão de forma. Tem café e chá disponível o dia todo. Problema era o caimento de agua do banheiro porque o box não fechava direito, a agua do banho ia pro resto do banheiro e dali pro corredor e fazia uma poça na porta do quarto. Locker não cabe mochilão, só mochilas menores. Diária 27000 Virei a noite viajando, então…fui dormir? Não, já fui bater perna Só reconhecer o território mesmo. Fui procurar câmbio pensando que ia achar muito melhor que o aeroporto, mas não. Vi alguns igual onde troquei e outros a 2770. Troquei mais um pouco de dólar e fui pra Plaza Bolivar. Fui pela Carrera 7, muito movimentada, animada, muitos artistas de rua. Na praça tava tendo uma missa, tinha muita polícia lá, mais de 50 sem duvida, quase 1 pra cada fui entrando pra praça atrás de umas senhoras distintas...elas passaram e eu, cara de terrorista já fui parado pra revista por um policial. Lá eles são bem bitolados com essa parada de segurança. Ainda bem A praça não tava muito cheia. Digo de gente. Porque pombos……. Fui procurar comida Nas minhas ultimas viagens, Patagônia, Uruguai, tudo tão caro que passei a base de lanche… Colombia? Almoço e janta ué Ali perto da Plaza Bolivar, Calle 12 Bis, uma travessinha sem saída, tinhas uns restaurantezinhos, tudo com preço e cardápio bem igual. Sopão de entrada, que só esse sopão já te enche, arroz, salada, patacones, abacate e pechuga a la plancha (filé de frango) e limonada, por 9000 pesos Voltei pro hostel e enfim descansar um pouquinho. Aos fins de semana tem um tour pro Andres Carnes de Res em Chia e eu tava afim de ir. Reservei uma vaga e 22h passaram pra me pegar. O tour é 80mil pesos. É bastante mas compensa pois é transporte ida e volta e Chia fica longe pra [email protected]#, inclui a entrada lá no restaurante e as biritas na van, rum com coca. Foram poucas pessoas mas foram animadas. Três peruanas, Jhessenia, Maria e Adriana, uma argentina e 2 canadenses. O restaurante lá é bem bacana mesmo, decoração foda, balada animada, salsa, reggaeton, pop, show de bola. Termina 3 da manhã. Mais uma hora animada na van com birita pra voltar pra Bogotá. Cheguei no hostel 4 da manhã, completando 45 horas acordado. Dormir pra caramba agora né? Nada! 7 da manhã já tava pronto a desbravar a cidade. 19 de novembro de 2017, domingo Acordei ligeiramente de ressaca, com aquele gosto de cabo de guarda chuva na boca como dizem por aqui Toma um café que passa! Tava afim de fazer o free walking tour. Tô num grupo de zap de viagens pra Colombia e lá uma menina do grupo, a Luciana, me disse que tava em Bogotá e meio em dúvida do que fazer, então convidei ela pra ir pra lá fazer o free walking. O free walking é da Gran Colômbia Tours e sai da praça do Chorro de Quevedo as 10 da manhã. Tinha outra brasileira lá, Luciana também, uns canadenses, alemães, por fim o tour acabou sendo em inglês. Mais uma vez um tapa na minha cara pra ver se eu tomo vergonha e melhoro meu inglês very basic hahaha O free walking começa ali nos grafites e depois é mais degustativo que turistico. Primeiro paramos num restaurante onde provamos a chicha, uma bebida fermentada de milho, azedinha, pra quem gosta de sabores exóticos e fortes, como eu, é boa…Fomos pra uma feirinha onde provamos umas frutas lá, lulo, guanabana...Depois uma loja de coca, chá de coca, mascar folha de coca, bala de coca, tudo de coca e tal…Passamos pela Plaza Bolivar e terminamos numa cafeteria pra provar os cafés da Colômbia. Eu achei os cafés de lá mais fracos e adocicados. Eu prefiro sabores mais fortes, mas o café de lá não é ruim. O tour levou umas duas horas e fomos almoçar no mesmo lugar que paramos pra tomar a chicha. Almoço padrão com sopa, prato principal e suco por 10mil pesos. Galera do Free Walking Grafites de Bogotá Segui andando com a Luciana, queria ir no museu do Ouro que domingo é grátis, porém, pra meu azar, tava tendo eleições na Colombia esse dia. Não exatamente eleições, tipo uma prévia de partidos ou coisa assim, e por isso quase todos museus estavam fechados . Só achamos dois museus abertos, o Colonial e o da Independencia. Segui andando até a Igreja de Nossa Senhora del Carmen, muito bonita com aquele estilo árabe, me despedi da Luciana e fui pro Monserrate. A subida ao Monserrate é mais barata no domingo, 11mil pesos ida e volta, contra 18mil nos outros dias. O preço tanto faz se de teleférico ou funicular. Subi de teleférico e desci no funicular. O tempo não tava abertão (coisa rara em Bogotá), mas também não tava fechadão. Dava pra ter uma panorâmica boa. Aí fui fazer o meu tour gastronomico, Café Juan Valdez, Crepes&Waffles, Bogotá Beer Company...tudo muito bom Fui pro hostel tomar minha Cuba Libre de boas vindas e descansar um pouquinho afinal nas ultimas 60 e poucas horas só tinha dormido pouco mais de 3. Bora dormir, certo? Errado! O hostel tava lotado de um colégio de adolescentes do interior da Colombia que vieram pra algum congresso e elas tavam super animadas. Tinham se acabado na aula de salsa e fizeram algazarra a noite inteira o australiano no meu quarto esbravejava a cada 5 minutos ahhhh fucking girls durma-se com um barulho desses… hostel lifestyle… 20 de novembro de 2017, segunda Assim que o batalhão de adolescentes desocupou a cozinha, desci pro café, fiz o checkout, deixei o mochilão no comodo de bagagem e fui pra Zipaquirá. O roteiro pra chegar de bus é o mesmo q outros relatos aqui já tinham me contado: saindo da Candelária, vai de Transmilenio na estação Universidades, pega a linha B74 pro Portal Norte, dá uma hora de onibus até lá. Lá desce e pega o onibus pra Zipaquirá do outro lado da roleta, geralmente tá escrito só Zipa no onibus. Paga dentro do onibus mesmo 5100 pesos. Ida e volta 10200. Mais uns 40 minutos até Zipaquirá. Geralmente o motorista dá um grito Catedral de Sal quando chega no ponto. Dali vai andando umas 6 quadras até a entrada. A entrada é 50mil pesos, mas eu comprei com a rota do mineiro que dá 56mil pesos e recomendo. Como o tour é guiado, a gente fica na entrada esperando dar a hora do guia juntar aquele grupo e entrar. Do meu lado tinha um casal gente fina de Santa Catarina, Glauciano e Elaine, ficamos trocando ideias la enquanto esperamos. O tour segue pela via crucis, descendo pela galeria até o salão da catedral e depois um show de luzes no final. O lugar é incrível, superou minha expectativa. O efeito das luzes nas fotos é muito maneiro, você olha pra parede e tá uma cor, mas na foto sai de outra cor, é espetacular. Depois do tour fomos pra rota do mineiro. Aí é outra história, sai a parte turistica e entra uma parada mais de aventura. Te colocam aquele capacete de mineiro com lanterna, mas a lanterna vai apagada e você entra numa galeria escura, coloca a mão no ombro de quem tá na frente e a outra na parede e não vê absolutamente nada!!! bate a cabeça algumas vezes, porque o negócio vai ficando mais baixo e é muito bacana. Recomendo muito fazer isso, 6mil pesos a mais e bem divertido. O Glauciano e a Elaine também compraram a entrada pro museu da salmoura e com isso o deles deu 59mil, eu não sou muito adepto de museus então não fui mas depois eles me falaram q também não era lá isso tudo. Rota do mineiro Fui almoçar e parei num restaurante não muito longe da saída da catedral. O almoço mais barato da viagem. 7000 pesos o sopão, o prato com pechuga a la plancha e limonada. Fiquei circulando ali pelo centro. A praça de Zipaquirá é linda, lembra um pouco as plazas de armas do Peru. Depois segui circulando e perguntando onde era o terminal de buses. Lá voltei pra Bogotá, pegando já um pouco do transito do fim de tarde. Uma hora pro terminal Norte depois mais uma hora de Transmilenio até a Candelária. Ia trocar dinheiro mas já era umas 19h e as casas de cambio já tinham fechado, daí tive que fazer o saque que falei no início. Cheguei no hostel, tomei um banho, peguei o mochilão e pedi um táxi pro terminal de buses. Não tava muito certo sobre como fazia pra ir de Transmilenio pra rodoviária e já era umas 21h, preferi o táxi. A corrida até a rodoviaria, que fica em Salitre, tipo um pouco depois da metade do caminho até o aeroporto, deu 22mil pesos. Na rodoviária, várias empresas fazem o trecho a Medellin: Rápido Ochoa, Bolivariano, Magdalena...optei pela Rapido Ochoa por ser mais recomendada nos relatos. A passagem comprada na hora, no guichê, era 55mil pesos, mais barata que o preço no site que era 65mil. Só aceita dinheiro, não passa crédito, ainda bem que eu tinha sacado mais grana… Saindo do guichê, andando aleatório pela rodoviária, dou de cara com a Luciana. Essa garota tá me seguindo fomos comer alguma coisa, tomar uma cerveja...a cerveja nas lanchonetes da rodoviária não ficam expostas na geladeira, é na surdina A Luciana comprou passagem pela empresa Magdalena por 50mil pesos. Saí de Bogotá as 22:30. Onibus de 2 andares, wifi mais ou menos, não fez nenhuma parada pra lanche mas tem um “rodomoço” que faz um serviço de bordo se você quiser comprar alguma coisa. TV individual em cada poltrona e ar condicionado no talo prepare-se Tomei um Dramin e capotei
  3. 1 ponto
  4. 1 ponto
    @milamguerra Passou antes de mim e disse tudo,sem nada a acrescentar,apenas que Puerto Montt não tem nada.
  5. 1 ponto
    Pessoal, fugindo um pouco do tema viagens, porém totalmente dentro do universo mochileiro... Conheci recentemente um blog muito interessante. Na verdade existem vários cursos pela internet prometendo uma técnica infalível para prender idiomas, mas resolvi divulgar este aqui porque não cobra nada. http://blogdafluencia.com/ Muitos já devem conhecer, a linguagem do Frank é clara e o método bem simples e até divertido. Acho que quem não conhece ainda vale à pena dar uma espiada. Ele afirma que em 4 meses é possível aprender qualquer idioma, pois o aprendizado se baseia em aprender palavras novas diariamente (vocabulário) e à forma como juntamos as palavras para formar frases (gramática). É o estudo em pequenos pedaços... com 30 m ou 1 hora por dia.
  6. 1 ponto
    @emmanuel_oliveira Nunca fiz o Cruce Andino, mas dizem que é lindo. Se você tiver oportunidade de fazer, acho que vale a pena. Vai passar por Mendoza e não reservou nenhum dia inteiro pra ficar na cidade? Que pecado! 😩 Estive em Bariloche, Santiago, Pucón e Puerto Varas sempre em início de setembro. Pude esquiar em todas essas cidades nessa época. Em Mendoza estive na segunda quinzena de maio e Penitentes estava fechada por falta de neve. Já o Parque do Aconcágua (um pouquinho pra cima de Penitentes) estava fechado porque tinha neve demais. Não sei como fica em setembro, mas neve é um troço imprevisível. []'s, Camila
  7. 1 ponto
    Olá, Mixellett. Estive em Santiago e Atacama em Março/2015. Posso falar da minha experiência. No Atacama além do frio tem a questão dos ventos que são gelados, só por isso a temperatura já é menor. Em março é verão em Santiago, mas no Atacama andou dando umas chuvas no período que fui. Você pode comprar os casacos vendidos em San Pedro de Atacama, são até baratos e próprios para o frio do Atacama. Comprei as minhas lá. Fiz o passeio do Salar de Uyuni e comprei um casaco fleece, gorro, meias e luvas de lã de alparca, comprei uma jaqueta cortavento na Decathlon da Queshua e meia pra trekking. Com isso, segurou o frio no Atacama. Pra viagem do Salar de Uyuni, tive que pegar emprestado com a agência que contratei um casaco mais grosso pra segurar o frio que era maior. O passeio mais frio do Atacama é para os Gêiseres del Tatio, em que você sai às 4:30 da manhã de SPA, onde a temperatura chegou em torno de -10°C no período que fui, mas é só no início da manhã, depois fica menos frio. Quanto às agências, fui em quase todas lá e vi que o preço era mais ou menos tabelado, tem que pechinchar um pouco. E sobre ser confiável, é um pouco relativo. Li várias relatos aqui falando mal de algumas agências, aí você tem que analisar o tipo de reclamação pra decidir se é confiável ou não. Espero ter ajudado!!!
  8. 1 ponto
    Olá, pessoal! Estou pensando em visitar o Santiago e Atacama entre outubro e novembro deste ano. Fiquei com algumas dúvidas quanto ao Atacama e gostaria de uma ajuda, rs Primeiro, este é um bom período para visitar estes destinos? Segundo, vi vários posts de pessoas falando que é muito frio em alguns passeios no Atacama... eu precisaria levar uma roupa de frio mais potente? Tipo segunda pele, etc (ou uma jaqueta mais pesada daria conta, seria melhor aproveitar comprar alguma vestimento em Santiago)? Terceiro, alguém poderia recomendar alguma agência que não fosse tão cara e confiável? Muito obrigada!
  9. 1 ponto
    Teoricamente a volta pela Bolívia pode ser mais em conta devido à distância mas tudo depende de dia/hora e destino aqui e no Brasil. Realmente tem que fazer muita pesquisa e simulação para encontrar o melhor preço. Sobre o itinerário da viagem na minha opinião é muito pouco tempo para tantos locais. Com esse tempo disponível voce poderia encaixar até 2 países para poder viajar de forma mais tranquila. Com toda a certeza, 30 dias para 4 países voce irá fazer tudo correndo (cerca de 7 dias para cada PAÍS), visitar uma ou duas cidades principais de cada lugar e gastar grana deslocando de um canto para outro. Analise melhor o seu roteiro, cada país que voce citou tem muitas coisas pra se ver, fazer e merecem mais do que apenas 7 dias. Viajar correndo voce nao descansa, volta pra casa com a sensação de que nao viu tudo que queria (e realmente nao tem como) e caso ocorra alguma imprevisto sua viagem estará toda comprometida pelo fato de ter um roteiro extremamente cronometrado.
  10. 1 ponto
    O Uruguai nunca esteve no topo da minha lista de lugares para conhecer, mas recentemente todas as pessoas que foram para lá que eu conheço, voltaram falando muito bem do país e dando dicas de o que fazer no Uruguai, e isso instiga a tua curiosidade, não instiga? Pois bem, era hora de conhecer esse lugar tão pertinho do Brasil, e ainda assim, pouco conhecido pelos brasileiros. Dessa vez levei mais 3 amigas comigo, duas delas era a primeira viagem internacional, o que torna a viagem ainda mais mágica, pois poder experienciar isso com elas torna tudo mais especial. Nesse artigo você vai ler: Dia 01 – O que fazer no Uruguai: Plaza Independencia e Puerta de la Cuidadela em Montevideo Dia 02 – O que fazer no Uruguai: Letreiro Montevideo, Cervejaria Artesanal Mastra e Jantar com Show de tango no El Milongon em Montevideo Dia 03 – O que fazer no Uruguai: Monumento Los Dedos, Museu Casapueplo e Puerto em Punta del Este Dia 04 – O que fazer no Uruguai: Bar Facal com show de tango e degustação de vinho no My Suites Hotel & Wine bar em Montevideo Dia 05 – O que fazer no Uruguai: Compras em Montevideo e viagem de volta ao Brasil Quanto custa viajar para o Uruguai? Onde de hospedar em Montevideo no Uruguai? Onde comprar os passeios do Uruguai? Dia 01 – O que fazer no Uruguai: Plaza Independencia e Puerta de la Cuidadela em Montevideo Saímos do aeroporto de Curitiba e a viagem foi rápida e tranquila, uma hora de voo até o aeroporto de Porto Alegre, onde fizemos uma conexão rápida, e depois mais uma hora até o aeroporto de Montevideo, chegamos as 14h. No aeroporto de Montevideo chamamos um UBER para ir até o hotel, não trocamos dinheiro no aeroporto já que não precisaríamos para o táxi e a cotação estava muito ruim, gastamos 15 reais cada uma no UBER. Em Montevideo ficamos no My Suites Hotel & Wine Bar e foi a melhor coisa que fizemos, a localização é perfeita, o hotel é lindo e moderno e a equipe do hotel é excepcional. Assim que chegamos no hotel, nos informamos onde poderíamos trocar dinheiro, e ganhamos um cupom para trocar em uma casa de cambio ali perto, pois por estarmos hospedadas no hotel conseguiríamos um preço melhor. Fomos para o quarto deixar a malas, o quarto era enorme e as camas muito confortáveis, depois saímos para explorar Montevideo, primeiro fomos a casa de cambio trocar dinheiro, antes fomos em mais duas para ver a cotação e realmente a casa de cambio recomendada pelo hotel era a melhor cotação, o nome da casa de cambio é La Favorita. Dinheiro trocado, almoçamos em uma padaria ali perto do hotel chamada Café Martinez e fomos para a Plaza Independencia, que é um dos pontos turísticos de Montevideo, a praça é linda e muito bem cuidada, vimos também a Puerta de la Cuidadela e assistimos o pôr-do-sol na orla próximo a praça, depois de jantar retornamos para o hotel para descansar e recuperar as energias para o dia seguinte. O que fazer no Uruguai: Plaza Independencia O que fazer no Uruguai: Plaza Independencia O que fazer no Uruguai: Plaza Independencia O que fazer no Uruguai: Plaza Independencia O que fazer no Uruguai: Puerta de la Ciudadela O que fazer no Uruguai: Pôr-do-sol na orla O que fazer no Uruguai: Pôr-do-sol na orla Dia 02 – O que fazer no Uruguai: Letreiro Montevideo, Cervejaria Artesanal Mastra e Jantar com Show de tango no El Milongon em Montevideo Acordamos cedo, tomamos café no hotel e saímos para ver o Letreiro de Montevideo, fomos a pé pela orla e encontramos muitas pessoas pelo caminho fazendo exercícios, o letreiro é próximo ao hotel e bem fácil de encontrar, é só seguir a beira-mar, você também pode jogar no Maps por Letrero Montevideo que ele vai encontrar, ou mesmo pedindo informações para as pessoas, foi o que fizemos e funciona muito bem. Como fomos de manhã o letreiro estava um pouco escuro, pois os prédios cobriam o sol, mesmo assim as fotos ficaram lindas, mas fica a dica, o melhor horário é a tarde. Eu consegui uma foto ótima pulando no letreiro, mas não recomendo que o façam, pois custou a unha do dedão do pé dessa blogueira maluquinha aqui, cai de mal jeito, na hora não vi que tinha machucado tanto, só vi ao chegar no hotel quando tirei o tênis e a meia estava cheia de sangue e o dedo preto, mas por sorte a unha só começou a cair já no Brasil e já está nascendo novamente. Depois de ver o letreiro e andar pelos arredores, fomos na COT comprar as passagens para Punta Del Este para o dia seguinte, fomos almoçar no Mercado Agrícola no El Horno de Juan que tem a melhor pizza de Montevideo e aproveitamos para tomar um chopp da Cervejaria Mastra que tinha bem em frente ao restaurante. Próximo ao Mercado Agrícola fica o Palácio Legislativo, a construção é estilo neoclássico grego e as colunas e fachadas são de mármore provindo da Grécia, é um dos edifícios mais imponentes do país, fomos conferir e realmente é incrível! Voltamos para o hotel para tomar um banho e nos arrumar para o tour da tarde pela fábrica da Cervejaria Artesanal Mastra, quando nosso transporte chegou, ficamos encantadas, carro novo e muito confortável, logo estávamos na cervejaria. Foi meu primeiro tour por uma cervejaria, nunca tinha visto uma por dentro e adorei como a cerveja é fabricada, eles explicam direitinho e nos mostram cada detalhe do processamento, desde como a cerveja é feita, até o engarrafamento. Depois do tour tem a degustação das cervejas artesanais, provamos umas 8, uma mais gostosa que a outra, foi muito difícil escolher a minha preferida. Não é difícil imaginar como saímos alegres de lá, certo? Contratamos esse tour pela Daytours4u, no Uruguai é a Uruguai4u, é possível comprar o passeio ainda aqui do Brasil e pagar no cartão de crédito, rápido e fácil. Muito bom já sair aqui do Brasil com os passeios comprados, assim ao chegar lá a única preocupação que eu tinha era me divertir. Clique aqui para comprar esse passeio na Uruguai4u. Depois do tour pela Cervejaria Mastra, nosso chofer nos deixou no hotel, onde relaxamos um pouco e fomos nos arrumar para o Jantar com Show de tango no El Milongon. Esse passeio também foi adquirido pela Daytours4u ainda aqui do Brasil e com certeza foi um dos passeios que eu mais gostei no Uruguai. O El Milongon é enorme e muito bonito, a decoração é elegante e as mesas são postas com muito requinte. Começamos a noite com um médio y medio, uma bebida típica do Uruguai, doce demais para o meu gosto, em seguida pedimos um vinho delicioso. As bebidas estavam inclusas no passeio e eram liberadas a noite toda, junto com o jantar. Logo nos pediram quais as preferências para a entrada, fomos de sopa para abrir o apetite, depois o prato principal, me perdoem pois não me recordo o nome em espanhol, mas era delicioso, parecido com um rocambole com carne moída, as meninas foram de filé e legumes. Eram 8 opções de prato e todos davam água na boca. Assim que acabamos de jantar começou o show e foi emocionante. Mesmo a casa não estando cheia, pois fomos na baixa temporada, os artistas se apresentaram com o coração, os trajes e coreografias foram impecáveis, se apresentaram como se estivem na frente de uma multidão de pessoas e com o mesmo entusiasmo. Eu adorei cada uma das apresentações, nunca tinha ido em um show de tango antes e foi incrível, além do tango também tinha candomblé e dança folclórica. Enquanto assistimos ao show nos foi servida a sobremesa, e enquanto terminamos nossa segunda garrafa de vinho o show ia terminando, foi uma experiência incrível e uma noite cheia de cultura no Uruguai! Para comprar o tour no El Milongon pela Daytours4u, clique aqui. Depois do jantar com show, pegamos um táxi e fomos para o Bar Fun Fun, mas perdemos a viagem, pois já estava fechando, infelizmente na baixa temporada não tem muita vida noturna em Montevideo durante a semana, ouvimos dizer que a agitação começa na sexta, mas infelizmente não ficamos até a sexta para comprovar. O que fazer no Uruguai: Letreiro Montevideo O que fazer no Uruguai: Letreiro Montevideo O que fazer no Uruguai: Palácio Legislativo O que fazer no Uruguai: Palácio Legislativo O que fazer no Uruguai: Montevideo O que fazer no Uruguai: Montevideo O que fazer no Uruguai: El Milongon O que fazer no Uruguai: El Milongon O que fazer no Uruguai: El Milongon O que fazer no Uruguai: El Milongon O que fazer no Uruguai: El Milongon O que fazer no Uruguai: Cerveza Mastra O que fazer no Uruguai: Montevideo Dia 03 – O que fazer no Uruguai: Monumento Los Dedos, Museu Casapueplo e Puerto em Punta del Este Acordamos cedo e fomos tomar café, o dia seria em Punta del Este, não contratamos o tour de um dia por agências, resolvemos ir por conta própria, tem um ônibus que sai de hora em hora pela COT. Chamamos um UBER, como estávamos em 4 para dividir, o UBER acabava sendo mais barato que o transporte publico em Montevideo, mas caso você esteja sozinho fomos conferir o transporte público, é barato e funciona bem. Para continuar lendo o artigo inteiro clique aqui ou acesse o blog em: https://oquefazer.blog.br/o-que-fazer-no-uruguai-relato-de-viagem-com-gastos-dicas-de-passeios-restaurantes-hoteis-locomocao-e-cultura/
  11. 1 ponto
    @TMRocha Amigo, muito obrigado pelas dicas até aqui. Eu pretendo traças os trajetos para o mais próximo das cidade ou lugares onde carimbam o passaporte, pois meu intuito é basicamente carimbos e tempo de estadia, entende. Mas de qualquer forma já me deu uma luz enorme. Hoje ainda vou postar qual o roteiro que eu programei.
  12. 1 ponto
    @Lucas Rossetto Poderia fazer a Panamericana Sul,obterá os carimbos de Chile,Peru,Ecuador,Colombia e Venezuela, tomando cuidados na fronteira,se estiver aberto,pois ali é complicado falar algo nos dias de hoje.
  13. 1 ponto
    Esta viagem foi a última parte da viagem que fiz pela Ásia, então claro não tem preços dos voos do Brasil, isto vai depender de cada um. Vamos aos números que muita gente gosta de saber. O Roteiro TURQUIA - IRÃ - VIETNÃ - LAOS - TAILÂNDIA - MALÁSIA - SINGAPURA - FILIPINAS - COREIA DO SUL - RÚSSIA A Rota dentro da Rússia Vladivostok – Khabarovsk (13h48 de viagem – R$ 84,68) Khabarovsk – Chita (42h10 de viagem – R$ 211,76) Chita – Ulan-Ude (10h27 de viagem – R$ 50,66) Ulan-Ude – Irkutsk (06h43 de viagem – R$ 46,14) Irkutsk – Novosibirsk (32h11 de viagem – R$ 103,81) Novosibirsk – Omsk (08h36 de viagem – R$ 52,94) Omsk – Tyumen (07h48 de viagem – R$ 49,78) Tyumen – Yekaterinburg (05h27 de viagem – R$ 36,31) Yekaterinburg – Vladimir (25h31 de viagem – R$ 94,65) Vladimir – Moscou (01h42 de viagem – R$ 12,91) Moscou – St. Petersburgo (11h35 de viagem – R$ 52,04) St. Petersburgo – Kaliningrado (01h35 de viagem (avião) – R$ 180,77) Quando: Março e Abril de 2018 Dias: 58 Noites em Hostel: 1 Viagens Noturnas: 6 Couchsurfing: 51 Valor Gasto em Real: R$2162,94 ($675,92) Média Diária em Real: R$37,29 ($11,65) Planilha com todos os gastos: https://goo.gl/JtTho9 Meus Vídeos no Youtube: LINK AQUI O Trailer VLADIVOSTOK (3 DIAS) Como eu cheguei até a Rússia é outro assunto, hoje você vai assistir um relato de como foi viagem durante 58 dias no maior do país do mundo. Voo da Coreia do Sul direto para Vladivostok, pousei em um dia com sol e temperatura por volta de 1 grau, inesperado para 4 de março. Para sair do aeroporto nada de táxi pois isto é coisa para turista, um mini bus me levou direto para a estação de trem onde meu primeiro anfitrião estava me esperando, Vladivostok fiquei 3 noites e foi o suficiente para ver o que a cidade tinha para oferecer e claro conhecer pessoas, a Rússia ficou marcada por isto, dúvida? Meu anfitrião não é a pessoa mais simpática do mundo, mas logo no primeiro dia conheci Ana que falava espanhol, japonês e russo é claro, nada de inglês. Ela trabalha em uma multinacional japonesa e dá aulas de espanhol, a explicação é meio lógica, Vladivostok fica do lado do Japão e existem muitas empresas e carros japoneses circulando em toda a Sibéria inclusive até Irkutsk, falo isso pois a direção dos carros fica na direita. Ana me levou a uma fortaleza antiga que defendia a cidade até 1991, não tenho imagens pois praticamente congelei naquela noite com temperaturas próximas dos -20 e um vento assustador. No outro dia começou muito bem com Elena, uma pessoa divertida demais que fomos andar sobre o mar congelado, lembrando que fui viajar no final do inverno, o que não significa calor na Rússia. Foi um dia muito especial praticamente me avisando do que seria esta viagem, teve comida mexicana, restaurante fino, chocolate com sal e claro mais uma amizade do mundo. Uma das novas pontes da cidade, Vladivostok estava fechada ao turismo até 1991 Elena foi uma das novas amigas da Rússia, mais uma que ama o Brasil O mar congelado junto com o inverno Russo A estação de trem de Vladivostok tem a icônica placa com o número 9288, significa a distância de trem até Moscou, mas eu não segui exatamente a rota da transiberiana, antes do momento do embarque fui com o Leo ver o farol do mar congelado e aquele local parece cena de filme. A placa com 9288 km até Moscou O farol que serve para guiar embarcações Primeiro destino definido, Khabarovsk fica a 14h48 de Vladivostok e as por volta das 5 da tarde embarquei com neve para a minha primeira jornada na Rússia, foi curta se comparar com o que vinha pela frente. Logo do inicio da viagem presenciei uma das cenas mais bonitas da minha vida, uma senhora de dentro do trem despedindo-se de seus parentes e assim começou a vida nos trens russos. Vagão novo e foi bem vazio, mas esta maravilha não seria frequente depois de algumas viagens. Submarino S-56 utilizado em guerra, hoje é um museu O vagão da terceira classe, a platzkart Ainda na estação uma das placas mais esperadas da minha vida, hora de embarcar Na praça central tem o Monumento aos combatentes pelo poder soviético
  14. 1 ponto
    SÃO PETERSBURGO (5 DIAS) Mais algumas boas horas no meu último trem, cheio de militares dentro no meu vagão foi uma viagem inspiradora que terminou com o dever mais que cumprido, o plano era terminar em Moscou. As lembranças de 2014 ainda estavam na minha memória, só que agora tudo foi muito mais fácil, tanto para utilizar o metro ou chegar em casa, uma menina de 20 anos meio louca e super divertida. Último trem da longa viagem pela Transiberiana, dever cumprido A minha louca anfitriã em São Petersburgo Gastamos meu primeiro dia conversando pois o clima não era bom em São Petersburgo. Já no outro dia segui para o centro conferir a cidade com um clima melhor, fazia frio de zero grau em pleno mês de Abril, isto não tirou minha empolgação de novas fotos com sol, diferente da neve de 2014. São Petersburgo é a cidade mais popular entre os turistas, desde o enorme Museu Hermitage que novamente não fiz questão de visitar, lindas igrejas, parques e uma infinidade de atrações históricas. Catedral de Santo Isaac Praça do Palácio O Museu do Hermitage São Petersburgo e o Rio Neva Museu do Cruzador Aurora Catedral do Sangue Derramado estava em reformas Praticamente não tinha nada de novo para mim, então foi mesmo para cumprir tabela e passar alguns dias antes de seguir para Kalinigrado, a minha primeira anfitriã foi uma das mais simpática de toda a Rússia, mas os próximos 2 dias fiquei na casa de um casal queridos e estranhos ao mesmo tempo, eles são veganos e pela manhã a mulher me ofereceu uma cenoura crua para comer, entendo que é preciso respeitar, será que um pão não seria uma ideia. Fora isto também fora muito simpáticos e me leveram para uma rolé noturno onde consegui fotos incríveis, a noite aquela verdinha deixam os dois bem “zen”, eles realmente são bem naturais. Estação Avtovo Estação Kirovsky Zavod Fiquei um total de 5 dias na cidade e tomei um avião depois de 166 horas nos trens Russos, a razão além do preço barato, questão de tempo pois de avião 1h20, já de trem 25 horas de viagem, fora duas imigrações no caminho para atrapalhar, sem problema pois o desafio estava realizado. Cidade a noite com Catedral de Santo Isaac ao fundo Catedral de Nossa Senhora de Cazã Casal gente fina apesar de adorar uma cenoura Fortaleza de São Pedro e São Paulo
  15. 1 ponto
    Uma boa ideia pra você seria começar pelo Uruguai então. Acho que de 5 a 7 dias pra lá são o suficiente pra você conhecer os lugares mais interessantes que os estrangeiros costumam visitar. Você pode conhecer Montevideo [capital], Punta del Este e Colonia del Sacramento e quem sabe até Cabo Polonio ou algum lugar similar que esteja próximo. Na minha assinatura tem um tanto de dicas de roteiro de lugares que você pode conhecer por lá. Não deixe de pedir um "Chibito" em um dos dias, esse é um dos pratos mais típicos do país. Quando estiver no Uruguai deixe Colonia del Sacramento por último, porque dali é possível pegar um barco até Buenos Aires, na Argentina. O resto do roteiro era melhor você pesquisar um pouco mais com o pessoal daqui ou pela internet.
  16. 1 ponto
    Boa noite, @fefa.esp Sim, viável. Quanto a opinar, difícil. Depende de seus gostos pessoais. Não se preocupe. Você vai achar muita coisa boa para fazer neste intervalo. Acredite, não dará tempo. 😀 Perdi as contas de quantas vezes fui a Paris. E ainda não conheço tudo. O Louvre é imenso. Mesmo que você fique o dia inteiro lá, não verá tudo. Para os amantes de museu, é o paraíso. Concordo. Andar pelas ruas, ir à feira, comer num restaurante não turístico (sabendo o protocolo e o básico de francês) e admirar a beleza da cidade à pé ou de ônibus é excelente. Experimente, por exemplo, andar pela rua Saint Honoré e se perder nas lojas de perfume, pegar um ônibus urbano que segue às margens do Sena para ver a paisagem passando por você, ver os livreiros a beira do Sena ou apenas caminhar por suas margens e pontes (tomando um sorvete). Vá a um supermercado ver a quantidade de vinhos, queijos, o preço da nutela (já vi um frasco de 5 kg), etc. Vê, não dará tempo para tudo (e olha que não mencionei os bate-voltas). Dica: Adquira o passe de transporte "Navigo Découvert" ao chegar no CDG (leve foto 3X4). Agora, que ele está "dezonado", ficou muito barato. Possuo-o desde o tempo em que se chamava "Carte Orange" e era cobrado por "zonas". Bon voyage! PS: Talvez esteja em Paris no mesmo período que você.
  17. 1 ponto
    Um tripé destes acho que não viaja como bagagem de mão em nenhuma companhia aérea do mundo, ou você já conseguiu embarcar com ele alguma vez no Brasil? Compre bagagem despachada e despache ele no porão do avião, melhor não arriscar perder um tripé que custa mais de 500 Reais por causa de uma taxa de bagagem de 100 reais, ou ter que pagar 500 reais lá na hora para despachar se ele for barrado. Se você comprar bagagem despachada antecipadamente, não é caro, custa entre 15 e 20 Euros na maioria dos casos, e vai ser muito mais barato do que pagar 80 ou 100 Euros lá na hora caso seja barrado ou ter que jogar ele fora. E mesmo que você consiga embarcar com ele, ele já vai contar uma um volume e você não poderá levar a sua mochila/bagagem com as outras coisas.
  18. 1 ponto
    O airbnb está praticamente impedido de operar em New York, pois eles promovem um tipo de hospedagem predatória, que acaba forçando a expulsão dos moradores locais, para colocar no lugar turistas, e por causa disto o airbnb está sendo restringido em vários países, e se você tiver alguma consciência social, não reserve pelo airbnb, eles só prejudicam a cidade e os seus moradores. Isto é comum nos EUA, lá eles anunciam os preços sem impostos, e somente em letras minusculas os impostos obrigatórios que são cobrados a parte, então tem que ter muita atenção na hora de comprar qualquer coisa, pois quase sempre é muito mais caro do que o preço anunciado. Isto acontece até mesmo em alguns restaurantes, onde o preço anunciado em letras grandes no cardápio é sem impostos, e os impostos estão em letras minusculas, ai quando você vai pagar a conta, leva um susto! Esta "taxa de serviço" é uma grande pilantragem dos hotéis nos EUA, praticamente todos os hotéis nos EUA a cobram. Na maioria dos outros países do mundo isto é proibido, você tem que anunciar o preço real final com todas as taxas e impostos já inclusos no anuncio principal. Nos EUA eles anunciam uma taxa menor, mas alem de os impostos obrigatórios já não estarem inclusos no preço anunciado, ainda inventaram esta tal "taxa de serviço", tudo para que enganar o hospede mais distraído, que só o olha o preço anunciado sem prestar atenção nos detalhes, e quando você vê o preço final é quase o dobro do anunciado. Não tem muito o que fazer em relação a isto, a não ser prestar atenção nos detalhes e sempre ver o preço final, com todos os impostos e taxas. New York é uma cidade cara, e sendo sincero e realista, 1900 dólares num hotel nesta localização e com este nível de qualidade, para 4 pessoas e 8 diária, está até barato para os padrões de New York. Se você quer algo mais barato, tem que baixar as suas exigências e escolher hotéis um pouco inferiores e talvez numa outra localização. Pegar quartos quádruplos limita um pouco o leque de opções disponíveis, muitos hotéis nem tem quartos quádruplos, então dê uma olhada também em quartos duplos, que tem bem mais oferta, as vezes pegar 2 quartos duplos acaba sendo mais barato que um único quádruplo, pois como tem bem mais oferta, as chances de se conseguir uma promoção ou preço melhor aumentam. Fique atenta que em muitos hotéis os quartos quádruplos são com 2 camas de casal, e os quartos duplos com uma cama de casal, fique atenta para escolher a opção correta para vocês.
  19. 1 ponto
    Ótimo relato, a S.A é incrível..pena que vc pegou um tempo chuvoso em Cape Town. No verão é muito melhor...rodando esse mundo ainda não encontrei um lugar mais incrível e apaixonante .. AMO Cape Town !
  20. 1 ponto
    Meu amigo, muito obrigado! Acompanhei todos seus relatos aqui, do início ao fim e foram bem inspiradores para nós, rsrs. Mais alguma viagem em mente?rsrs
  21. 1 ponto
    Tome cuidado com os tubarões, se for nadar para além dos arrecifes.
  22. 1 ponto
    relatos, imagens e histórias de alguns destinos mundo afora e Brasil adentro http://viagensdaleticia.tumblr.com http://facebook.com/viagensdaleticia instagram: @viagensdaleticia
  23. 1 ponto
    Caro Thiago, Duas coisas me chamam atenção no seu roteiro. Atenas Responder sobre tempo em cada lugar é difícil porque tem uma parte objetiva, que é simples, e outra subjetiva, que só você pode responder -- ou nos ajudar a responder melhor. Sobre Atenas, objetivamente, pode ser que dois dias sejam pouco para a cidade. Há museus, ruínas e os passeios principais. Há ainda os passeios livres, pessoais: andar pelas ruas, tomar um café, descobrir um restaurante. A parte subjetiva é: se dois dias é pouco, quantos dias é o suficiente? Depende de você. É sua primeira vez lá? O que você procura em Atenas -- história, comida, fotografia, um caso amoroso...? Um museu ou restaurante específico? Seu interesse são mesmo as ilhas e você só quer dar uma espiada geral na capital, já que estará na Grécia? Veja que, a depender de como você responder a perguntas como essas, pode ser que dois dias sejam suficientes! E até tempo demais! Grécia e Suíça Você vai combinar praia e montanha nevada. Uma escolha ousada. Pessoalmente, sou entusiasta de combinações arbitrárias. Porém, leve em conta o tipo de bagagem que você vai levar. Talvez as roupas e acessórios que você vai utilizar em Zermatt sejam inúteis em Mykonos. Ainda que você possa alugar equipamento para atividades na neve, nem tudo a gente consegue no local. Sugiro um planejamento ferrenho de sua bagagem, para que você possa viajar o mais leve possível. Acredite, 200 gramas a menos (um par de tênis fechado para um lugar frio, que ficará na mala nas praias gregas) podem significar espaço para um souvenir que você nem planejou comprar, mas acabou comprando. Ou ainda: podem significar o peso que faltava para você poder viajar com a mala na cabine, sem despachar. Boa viagem.
  24. 1 ponto
    MOSCOU (4 DIAS) Para chegar em Moscou fui com o trem de alta velocidade, como estava em Vladimir que fica a 1h30 de viagem, existem vários horários e até mais barato que o trem lento. Cheguei final da tarde da capital Russa com aquela sensação, já sei me virar, ou quase isto. Comprei meu cartão transporte conhecido com Troika, ajuda para economizar em tempo e dinheiro. Fui encontrar minha host na cidade e durante a noite ficamos conversando, já adianto que ela estava passando por dias ruins, conversamos mais somente na primeira noite. Fiquei apenas 4 dias inteiros, como foi minha segunda visita estava tranquilo, mesmo o clima totalmente diferente, em alguns momentos usei até camiseta durante o dia. Logo fui tratar do voltar ao básico e essencial de Moscou, a Praça Vermelha que é considerada o ponto zero do país, lá um rolé sem entrar em nada, somente por fora era suficiente para mim. Catedral de São Basílio, não entrei mas custava 500 Rublos Shopping GUM Catedral de São Basílio lindo como sempre, o Kremlin que é a sede do governo, Shopping Gum nem entrei pois agora tinha raio-x, Mausoléu de Lenin com a tradicional fila. Fui conferir mesmo um parque novo que havia sido aberto meses antes, o Zaryadye é bem bonito e fica nos fundos da Praça Vermelha, tem uma passarela em cima do Rio Moscou com uma visão interessante da cidade. Fui também visitar por fora a Catedral de Cristo Salvador e terminei meu dia com um rolé na Rua Arbat, famosa por ser o principal lugar para comprar lembranças do país, fui cerca de 2 meses antes da Copa do Mundo e achei estranho mas a cidade não parecia se importar muito com o evento. r Um pedaço do Parque Zaryadye Uma das "Sete Irmãs" os Arranha-Céus de Stalin Rua Arbat O clima que estava bom no primeiro dia, ficou horrível no segundo, então o que fiz? Passeio dentro do metrô pagando uma passagem e vendo muita coisa bonita, se liga só em algumas estações do enorme sistema, com a Copa do Mundo ficou tudo mais fácil com indicações em inglês, quando fui em 2014 estava tudo em Russo. Belorusskaya Novoslobodskaya Komsomolskaya Elektrozavodskaya Kievskaya Mayakovskaya Não é muito fácil conseguir boas fotos, pois são 9 milhões de pessoas que usam o metro. A dica é esperar a composição sair, logo o pessoal vai embora também e você tem menos de um minuto até a chegada da próxima. No outro dia fui visitar um monastério e depois um lugar chamado Krutitskoe Podvorye, considerado a antiga Moscou com uma igreja, que estava fechada, e um ambiente em reformas que realmente lembrava a parte antiga da cidade. Também fui no Parque Gorky é que um dos mais famosos entre os locais, uma pena que estava frio e fiz poucas coisas neste dia, a melhor foi encontrar uma menina com um monte de coelhinhos, resultado fiquei brincando sem conseguir me comunicar com ela no caso. Já que o clima não ajudou durante o dia fiz minhas fotos noturnas ao menos. Krutitskoe Podvorye Parque Gorky Parque Gorky Pouca coisa para o último dia além do parque da Vitória, Arco do Triunfo Russo e casa para arrumar a mala para a última viagem de trem, o destino foi São Petersburgo por R$52, no pior horário possível só para economizar, 2h20 da manhã. Parque da Vitória Parque da Vitória Arco do Triunfo em homenagem a Napoleão Bonaparte Catedral de Cristo Salvador Teatro Teatro Boishoi Praça Vermelha
  25. 1 ponto
    que relato rico... tbm vou com meus filhos e fiquei feliz em ver que vc se virou bem por lá... obrigada
  26. 1 ponto
    @JonJonnys , muito obrigado, pelas dicas gostei muito.
  27. 1 ponto
    É assim, eu passei 13 dias na Califórnia, foi bem corrido! Iria pegar mais 7 dias em NYC, porém tive que voltar com urgência, as meninas do grupo seguiram em frente. Eu passaria os 20 dias na Califa, acabou sendo bem corrido, pois conhecemos muita coisa, porém lugares que gostaria de ter ficado mesmo, não pude. Quero voltar lá o quanto antes, eu indicaria assim: Yosemite National Park - 3 dias São Francisco - Fiz em 2 dias e achei suficiente Monterey - Apenas passei e pernoitei, mas tiraria pelo menos um dia todo para conhecer lá. Carmel - Acho que não tem muita coisa, mas o pôr do sol lá é indispensável. Algumas horas de viagem para conhecer o BIG SUR Santa Bárbara - Passaria uns 2 dias, é bem legal! Venice - Apenas passei, poucas horas, mas ficaria uns 2 dias lá tranquilo! Lugar sensacional! Santa Mônica - Sem palavras, gostaria de ter ficado 3 dias lá ou mais. Foi o melhor momento da viagem na minha opinião, é bem pessoal, pois sonho com isso desde criança então... Los Angeles - 2 dias (suficiente para ir em todos os pontos turísticos). San Diego - Só fiquei 1 dia, mas ficaria uns 2. Las Vegas - Tendo dinheiro quanto mais dias melhor, sem dinheiro uns 2 dias, para entrar em tudo que é hotel e conhecer. Grand Canyon - ficaria uns 2 dias. Tenho um roteiro de basicamente isso ai que disse, mas compactado em 13 dias pela Califa.
  28. 1 ponto
    Quinta, 22 de março de 2018 Fui ao centro, passei no Mercado Central pra ver se tinha alguma lojinha de artesanato pra comprar umas lembrancinhas mas só tinha uma, a maioria era restaurantes e as redondezas ali não eram muito interessantes. Tem o La Piojera ali perto, onde foi criado o drink Terremoto mas ainda era muito cedo pra beber haha. Pedi um suco de chirimoya numa lanchonete e fui andando até o Museu de Bellas Artes. Bonito, de graça, gostei. Fui pro Cerro Santa Lucia mas tava começando um festival gastronomico até o fim de semana e o cerro tava fechado pro evento, tinha pagar 2500 pesos pra entrar e ainda não ia dar pra ir até o ponto mais alto. Desisti. Ali perto tem o centro de artesanato e esse sim tem bastante opção, o melhor que eu vi. Comprei minhas quinquilharias lá apesar de ter comprado pouco coisa em comparação a outras viagens por causa dos preços altos do Chile. Assim como no Uruguai, não pude comprar muito Passei no hostel, encontrei o Vitor e chamei ele pra subir o Cerro San Cristóbal. Subimos de funicular e descemos de teleférico. Preço total 4510 pesos por pessoa. A melhor vista de Santiago. Tem um pequeno santuário lá em cima, fica tocando música de igreja no alto falante, me lembrou o Convento da Penha no Espírito Santo. Provei lá o mote com huesillo, típico chileno, com trigo e pêssego. Achei muito doce pro meu gosto. A volta pelo teleférico termina a uns 10 minutos a pé do Sky Costanera, de lá pegamos o metrô na estação Tobalaba e voltamos pro hostel. Noite de pisco free no hostel, depois uma baladinha. Sexta, 23 de março de 2018 Juntei minhas tralhas e fui!!! Segui com o Vitor de novo e fomos pra Viña del Mar. Pegamos metrô até Pajaritos e de lá o ônibus pra Viña. Tem muitos onibus, são 3 empresas e vários horarios. Fomos com a empresa Romani que era a mais barata, 3mil pesos, as outras eram 3300 e até 3500 pesos. A diferença aparente era só porque os onibus eram de 2 andares ou talvez tivessem outros confortos, mas pra uma viagem de uma hora e meia basta o mais barato. Eu ia ficar em Viña e o Vitor ia voltar. Passei no hostel que tinha reservado, o Street Garden e deixei minhas coisas. Fomos pro relógio de flores pra clássica foto e depois pegamos o metrô pra Valparaíso. Subimos até a casa de Neruda mas como estavamos mais interessados em tirar fotos lá do alto do que pagar os 7mil pesos de entrada, não entramos. Descemos por outra rua onde tem o museu a céu aberto e uns grafites. Eu queria subir algum cerro mas o Vitor não animou, então fomos andando até a rodoviaria de Valparaíso de onde ele voltou pra Santiago. Não sei se fiz as coisas certas ou se foi do jeito errado, mas Valparaíso não me encantou. Cidade portuária, aspecto um pouco decadente, centro da cidade como de uma cidade qualquer, achei Viña bem melhor. Voltei pra Viña e fui pra orla pra pegar o tão esperado por do sol no Pacífico. Lindo No hostel, que por sinal tinha um staff muito bom, que me fez sentir em casa, tinham pulseiras pra uma festa num bar ali perto, Hollywood Bar. Fui com a turma lá, 5 israelenses, 2 alemãs e 2 inglesas. Interessante também q ao contrário de Santiago que tava tomado de brasileiros, tanto no hostel como pela cidade, em Viña não vi nenhum. Ficamos até umas 4 e pouco na balada Sábado, 24 de março de 2018 Já levantei tarde, mas peguei uma bike e fui até umas dunas em Viña. Botei os pés na água friazinha do Pacífico almocei um menu del dia com bife de frango perto do hostel por 3600 pesos, prato bem farto fiquei um pouco no hostel e umas 16:30 sai pro terminal de buses, voltei pra Santiago. Desde janeiro quando decidi ir pro Chile, falei com a Lore que queria ir no Cajón del Maipo e ela disse que me levaria no fim de semana, quando não trabalhava. Quando nos encontramos na terça, ela disse que faria uma festinha simples de aniversário pra filha dela e queria que eu fosse, ficasse na casa dela e domingo cedo íamos ao Cajón. Aceitei . Desci em Pajaritos, peguei o metrô e depois um onibus que ela me disse que ia até a casa dela. Ela mora em Lo Barnechea, é no fim de Santiago, já na saída pra Valle Nevado e Farellones. Um bairro muito tranquilo, gostoso de viver. É longe bati na casa dela já quase 8 da noite. De mala e cuia. Já estavam lá a sobrinha dela com o namorado, começamos a bater um papo, eles virão ao Brasil em maio, já enturmei depois foram chegando outros parentes, irmãos dela, cunhada, sogros, a mãe dela, outro casal de amigos, todos muito agradáveis, enturmando comigo. Olha onde eu fui parar!!! Numa típica festinha de aniversário de uma família chilena. Cervejinha, ou chela, chelita como eles falam, vinho, licores, salgadinhos, alguns bem diferentes pra mim. E as conversas entre eles cheio das gírias chilenas cachai (entendeu) era toda hora cachai cachai cachai caña (ressaca) carrete (festa) que fome (que chato) pololo (namorado) weon weona e por ai vai. É uma língua realmente a parte Lá pela meia noite a turma foi dissipando, a filha dela ia pra casa do namorado, o filho ia pra casa da avó então ficamos só ela o marido e eu, assim dormi no quarto do filho dela sem ter que incomodar ninguém, aí sim!!! Domingo, 25 de março de 2018 Antes de 9 da manhã saímos ao Cajón del Maipo, eu Lore e o marido dela Jonathan, cara calado, na dele, mas muito receptivo e gente boa. Meu receio era a recepção que eu teria na casa dela, mas a família dela foi toda muito incrível, são agora todos amigos que eu desejo sinceramente retribuir tudo algum dia aqui em Minas. Fomos no carro deles, foram me mostrando a cidade, as avenidas, os bairros, falando sobre as situações políticas deles e daqui. Depois de San José del Maipo paramos num túnel de trem abandonado onde há uns 20 anos um rapaz de 18 anos se enforcou por causa de uma depressão amorosa e dizem as lendas que sua alma vaga por ali o tunel é super escuro e um pouco comprido, friozinho, o lugar certo pra um ar de suspense Seguimos pra Embalse el Yeso, estrada bonita, represa fascinante, paramos pra fotos em uns 3 lugares e fomos até o final onde tem uma prainha e onde uma galera faz churrasco, pique nique ou simplesmente fica lá contemplando. Nao vi agencias de turismo naquele ponto, acho que fui num ponto acessível só de carros particulares, não sei se estou certo. Aquela represa é linda, era um ponto top da viagem e não me decepcionou. Voltando, paramos num lugar onde tem refúgios militares abandonados. São bem abandonados e com muito lixo dentro, mas o aspecto de fora com as montanhas de fundo dá uma impressão de lugar surreal, de outro mundo. Tirando aquele lixo de dentro dos refúgios já seria ótimo, já que o aspecto exterior de abandono é que dá o charme lá. Depois fomos pras termais. É longe fomos aos Baños Colina, encravado no meio das montanhas, acesso por terra, paga 8mil pesos por pessoa pra entrar e quem quiser pode acampar e dormir por ali. Chegamos quase 16h lá e saímos as 18h. São 5 piscinas de agua termal, as mais quentes acima, as mais frias abaixo. Se não me engano a primeira era água a 70 graus, não tinha ninguém nela a segunda 55º só 2 pessoas cozinhando lá, a terceira 45° onde deu pra ficar um bom tempinho, já que a sensação é q a água quente abaixa tua pressão e tu não tem nem animo pra sair dela a quarta a 35º era a mais gostosa e a ultima a 25º e que tinha mais barro pra galera se sujar toda. Todas elas tem gesso, então a água é meio esbranquiçada e tu fica meio engessado também a estrutura ali é bem mínima, a ducha do banheiro é fria então quem vai no inverno sai dali engessado mesmo alias como ventava um pouco tava daquele jeito entra na água cozinha, sai dela sente frio , mas é muito relaxante, gostei muito. Chegamos de volta na casa da Lore já passava de 22h. Peguei minhas coisas e não quis ficar lá mais uma noite porque os filhos dela já tinham voltado e eu ia me sentir incomodado se o garoto fosse dormir no quarto da irmã. Ainda mais queria comprar umas coisinhas finais e a localização do hostel era melhor pra isso. Queria voltar de onibus mas eles ainda me levaram de carro até o hostel Segunda, 26 de março de 2018 Resolvi passar essa ultima noite no hostel Providência também por causa da estrutura e localização. Depois do café peguei o metrô e voltei no centro de artesanato de Santa Lucia porque aí já tinha noção do dinheiro que me sobrou pra comprar bugigangas. Depois voltei pro hostel, juntei minhas tralhas e peguei o metrô até Pajaritos e de lá o onibus por 1800 pesos até o aeroporto. Esse foi meu rolê no Chile, dúvidas, sugestões, elogios e reclamações nos comentários abaixo Hasta luego!!
  29. 1 ponto
    Antes de começar o relato gostaria de dar algumas informações que vocês precisam saber do Egito antes de ir... a primeira e mais importante é que OS EGÍPICIOS SÃO AS PESSOAS MAIS CHATAS DO MUNDO....a população é invasiva,insistente.perguntam a todo momento de onde vc é ,por interesse para levar seu dinheiro e querem a todo custo oferecer produtos,vender coisas...e ficam falando na sua orelha...seguindo vc,tomam a maquina da sua mão querendo tirar fotos,se fingem de amigo para ganhar gorjetas enfim!!! Outa coisa é a respeito do trânsito que é um dos piores do mundo em Cairo, fazendo a cidade ter um barulho perturbador de buzinas a todo momento e os motoristas dirigem como loucos sem sinalizaçao nenhuma....Não tem farol fazendo com que o simples fato de atravessar a rua seja um perigo para os pedestres e ninguém dá passagem... Também é necessário saber que desde 2010 com a revolução os turistas sumiram do país e dá para entender o porquê já que o turismo está nas mão de vigaristas amadores que te seduzem e vêem vc como dólar ambulante...o governo já abandonou o páis e já foi trocado várias vezes...o país parece terra de ninguém....um país sem leis...a impressão que dá é que está abandonado...parece que nem o governo aguentou essa população chata... O WI Fi é MUITO RUIM MESMO!!! e em lugar nenhum funciona decentemente a internet também é muito atrasada e lerda... A energia acabou diversas vezes tanto em luxor quanto em cairo todos os dias e no calor que estava ficar sem ar condicionado foi um sofrimento...não sei o motivo disso... Toda vez que um egípcio chegar perto de vc oferencendo algo ou puxando conversa NÃO RESPONDA!!! Apenas fale VÁ A PUTA QUE PARIU!!! Em português mesmo... daí eles não entenderão e vc vai se sentir melhor....acredite...não vale a pena dar conversa para esse povo medíocre!!! Se vc for estudante leve a CARTERINHA INTERNACIONAL isso vai fazer vc economizar mais de 100 dolares pois em todos os museus estudante paga meia entrada e faz muita diferença no valor... No cairo vi tanques de guerra principalmente perto do museu do cairo... Resumindo... saiba que o país tem um monte de belezas naturais porém está UMA CAOS mas se mesmo assim quiser conhecer, aí segue o relato... Dia 1- Cairo Como eu já sabia da situação que se encontrava o país decidi não fazer viagens de ônibus mas sim de trem e avião...e não me arrependi...as únicas coisas que comprei antes foram as passagens de trem de Cairo a Luxor no site e7gezly.com/sleepingtrains/ por 105 dolares... foi excelente a escolha desse sleeping trem... valeu muito a pena...depois darei mais detalhes...comprei também as passagens de Luxor a Sharm el Sheik e de sharm el sheik para Cairo pela egiptair... foram bem caras dando um total de 316 dolares tudo, mas valeu a pena porque os ônibus são ruins... Cheguei no cairo vindo de istanbul na Turquia(outro relato) e o aeroporto me surpreendeu... é muito bonito e organizado...mas eu não esperava o que iria encontrar dali para frente...eu sabia que o egito não era um país desenvolvido mas não espreva que estava nas condições que vi com lixo na rua e prédios não acabados...arquitetura feia...transito caótico..isso foi uma surpresa tanto para mim quanto para meu amigo. No aeroporto já veio o primeiro egípcio chato perguntando where are you from???how long here???e etc e não saía do nosso pé...fingia ser amigo, queria apresentar a “âgencia”dele e queria nos levar do aeroporto ao hotel por 120 egiptians pounds( o cambio tanto no aeroporto quanto em todo país era igual 1 dólar=7.17 pounds egípcios)...despistei o chato e fui ao balcão de informaçoes e me informaram que eu podia pegar um ônibus de graça até a estacao de ônibus e de lá pegar um ônibus para downtown e foi o que fiz...paguei somente 1 pound egípcio(0,40 centavos de real muito barato) mas não recomendo porque eu não sabia que era tudo tão zoneado...achei q como estávamos com poucas malas não teria muitos problemas mas logo na estação de ônibus já tive problemas porque ninguém falava inglês e o cobrador não sabia direito onde era o hostel por não entender a escrita não árabe...mas ele informou um local mais ou menos perto e lá fomos nós com mala e tudo no meio daquela loucura tentar achar um taxi para nos levar ao hostel...o lugar que descemos era um viaduto cheio de carros buzinando..mal conseguíamos atravessar a rua..sujeira e muitas pessoas correndo para todo lado...25 de marco em sp não é nada perto daquilo!!! foi uma primeira má impressão horrível(ainda mais que estávamos na Turquia país civilizado completamante diferente)...mas enfim achamos um taxi que cobrou 20 pounds(preço alto se levarmos em conta que estávamos do lado) e enfim chegamos ao WAKE UP HOSTEL(reservado previamente pelo booking.com pelo preço de 9 dólares por pessoa por dia com café da manhã MUITO BARATO MESMO)...o hostel é bem localizado e ficamos em um quarto com banheiro privativo porém o prédio que se localiza o hostel é muito velho caindo aos pedaços mas tudo no Egito é assim (com exceção de sharm el sheik q vcs verão depois) então pelo preço pago estava de bom tamanho...além disso o staff é bom... ajudando em tudo... Logo na chegada já negociamos um passeio para o dia seguinte nas pirâmides de Sakara e Gize por 125 pound egípcios sem incluir os ingressos de entrada(foi somente transporte com guia...foi muito bom e vou explicar mais para frente...valeu muito a pena) Esse primeiro dia apenas saímos para dar uma volta e tentamos ir no museu do Cairo mas estava fechado porque havia protestos e um monte de tanque de guerra na rua impedindo a passagem...como mal conseguíamos atravessar a rua e aquele barulho de buzina BIBIBIBIBIBIBIBIIB na nossa orelha já estava enchendo o saco decidimos apenas tirar algumas fotos e tentar achar um restaurante para depois voltar pro hostel e foi aí que encontramos infelizmente o EGÍPCIO MAIS MALANDRO DE TODOS...futuramente descobriríamos que ali naquela praça onde estávamos era um point para pegar turistas e aplicar golpes e como não tem muitos turistas no cairo o povo fica doido quando vê um...esse cara chamava se ABDUL... não parava de falar e queria a todo custo que fossemos conhecer a loja dele(segundo o mesmo ele era um artista que produzia pinturas na folha de bananeira...isso é muito comum vender no Egito...MENTIRA!!! ele era um golpista mesmo...mas fomos até a loja dele e começou toda uma propaganda e apresentação...ele mostrou q mudava de cor a noite as pinturas e etc...eu gostei bastante e meu amigo também decidi comprar um tutankkamon grande e um pequeno por 315 pounds egípcios(50 dolares...depois descobri que foi absurdamente caro e que além de tudo era falso) Esse tal de Abdul segurou a gente de uma tal forma que começou a oferecer passeios e até nos convidou para jantar de graça tudo parte do golpe dele...falou q tinha um hotel e nos levou até lá e fez a gente comprar o passeio do deserto branco e negro por 75 dolares(fui seduzido pelo baixo preço...no nosso hostel era 90 dolares mas me arrependi amargamente de ter comprado desse golpista e não no hostel,depois vcs verão o porquê). Não bastava os golpes acima CAÍ NO PIOR...sim fomos burros mas tudo porque era o primeiro dia,.e olhe q eu sou acostumado a viaja,já fui para países difíceis como Libano,Angola mas nunca fui tão enganado por uma população assim como esse egipcios malditos que não param de falar e se fingem de amigos. O pior golpe foi ele nos convidar a andar de camelos a noite na pirâmide.Falou que por 40 pounds ida e 40 pounds volta nos levaria de taxi atá lá e lá pagaríamos algo como 120 pounds para andar de camelo...( as pirâmides ficam em Giza q é a cidade viznha distante 1hora do cairo...esse valor de 40 pounds estava até baixo pela corrida mas o golpe VIRIA DEPOIS)e lá fomos nós com o fdp do Abdul!!! Chegando em Giza já estava toda UMA GANG de vigaristas nos esperando...um deles começou a tomar nosso tempo novamente com apresentações de perfumes e fragrâncias(coisa muito comum q vendem lá) outro veio falando português disse q tinha namorada brasileira e lá começou a negociação para andar de camelo após muita perda de tempo não compramos o produto do outro...o golpe foi o seguinte... estávamos ENCURRALADOS em um local desconhecido e supostamente iríamos negociar camelos...as pirâmides já estavam fechadas e teoricamente andaríamos de camelos pela área externa...o custo certo que descobrimos depois era de aproximadamente 50 pounds(algo como 8 dolares por hora) mas eles nos forçaram a pagar 250 pounds por pessoa(40 dolares) porque segundo eles andaríamos 2 horas mentira também!!! Além de tudo eles queriam que pagássemos o camelo do guia...mas isso eu neguei...o guia inclusive pediu gorjeta a gente em cima do camelo(para encurralar mesmo)dei ainda 50 pounds prepresentando eu e meu amigo e ele ainda reclamou queria 100 pounds o fdp...disse q era 50 de cada um...neguei novamente Chegamos do passeio dos camelos e na hora de ir embora por não ter 40 pounds para o taxi dei 50 e o maldito Abdul não me deu troco...fiz um cara de quem já estava puto e fomos embora para NUNCA MAIS ver aquela praga na minha vida... Ele ainda tentou aplicar outros golpes dizendo que queria que comprássemos coisas no free shop para ele, mas isso ele não conseguiu... Fomos para o hostel dormir...chega de cairo e egipcios por hoje Dia 2-Cairo Esse dia por sorte como eu já havia dito compramos o passeio pelo hostel...as 8hs veio o guia https://www.facebook.com/akhamis81i?fref=ts Ahmed Phinx e partir daí td começou a melhorar...ele sim foi um guia honesto e nos deu todas as dicas...foi ele quem falou dos preços abusivos da noite anterior e tudo ele alertava quanto a golpes...recomendo ele.. o primeiro lugar que fomos foi as pirâmides de Sakara no valor de 80 pounds(40 para estudantes) e não tem muito o que ver lá...foi a mais cara e eram pirâmides baixas sem muito atrativo...nosso guia já tinha alertado quanto ao fato de chatos egípcios que ficam lá tentando tirar foto e depois cobrar caro por isso...como já estava esperto com os egicpios neguei a todo momento mas como eles são invasivos SEM EU PEDIR já foram me colocando roupa árabe e me subindo no burro...como eu queria mesmo algumas fotos deixei ver até onde eles iam daí eles me levaram para tirar fotos com as pirâmides atrás... eu perguntava quanto eles cobrariam e eles não me davam resposta apenas riam e iam tirando fotos e eu querendo descer já, eles Não deixavam...pensei”ah é!!! Deixa eles comigo...bando de folgados...vou dar tb quanto eu quiser” e FOI O QUE FIZ...ao descer peguei 20 pounds(3 dolares) e dei...eles reclamaram dizendo que queriam dólares ou euros eu apenas dei risada e saí falando ENTÃO VÃO FICAR SEM NADA...e saí sem dar nada... eles correram atrás de mim “espera então da 20 para mim e 20 para ele"...falei que não!!! Como não tinha pedido nada iria dar qt quisesse...e aí um deles pegou os 20 pounds puto e falou Have a nice day!!! Saí feliz porque não suporto esse tipo de turismo achando q o turista é ou rico ou TROUXA!!! No fim nessas pirâmides valeu a pena só pelas poucas fotos tiradas( que me custaram 3 dolares) Após o trauma com Abdul todos os egipcios iriam se ver comigo!!! Depois nosso guia nos levou para outras pirâmides...a da lua e a do sol...novamente mais 40 pounds a entrada(20 estudante) e ele nos deu a dica de entrar nelas de graça porque segundo ele em Gize(que seria a próxima parada cobrava para entrar) e foi o que fizemos...muito legal entrar dentro das pirâmides só tinha a gente lá pelo fato do turismo estar em baixa no Egito...na entrada das pirâmides já tinha um chato de um egípcio querendo cobrar a entrada mas como nosso guia Ahmed já tinha falado que era de graça ignoramos e entramos(dica...se vc quiser curtir o Egito...ESQUEÇA OS EGÍPCIOS...ignore mesmo!!! nem olhe para nem se estressar...não responda de onde vc é... eles perguntam de 2 em 2 minutos...eles te gritam a todo momento como se vc tivesse fazendo coisa errada mas é tudo para dar golpe e arrancar dinheiro depois...a toda hora eles gritam falando q o caminho é esse ou aquele como se vc estivesse indo em direção errada...passe reto sempre!!!mande a puta que pariu e finja q não fala inglês) Após sacar algumas fotos fomos enfim para Gize ver as três famosas pirâmides...paguei 60 pounds(meu amigo 30 de estudante)nosso guia perguntou se faríamos a pé ou de camelo...como já havíamos andado de camelo com Abdul no dia anterior fomos a pé e mesmo com calor insuportavel não foi tão ruim... Nosso guia já nos alertou q logo na entrada teria um golpista que SEGURARIA nosso ticket como se fosse oficial e nos levaria até uns caras de camelos e não pararia de falar no nosso ouvido...Dito e feito!!!foi exatamente o que aconteceu...mas como já sabíamos do golpe insistimos DEVOLVA NOSSO INGRESSO...eu falei um monte...briguei feio!!! Até q ele devolveu... mas não nos deixou em paz... queríamos já tirar fotos na entrada com a esfinge e ele ficou na nossa orelha pentelhando e assim foi todo o percurso em gize... a todo momento alguém vinha perturbar a gente e oferecer um milhão de coisas insistentemente...NAO TEM COMO RELAXAR lá dentro...um dos vendendores chegou a colocar um pano na minha mao e dizer q era brinde...isso porque todo valor q ele falava eu dizia que NÃO...não queria comprar aquilo...começou com 10pounds...depois 5...4...3...2...1 pound...até q ele disse BRINDE!!!pensei “ah é!!! É brinde!!! Ótimo!!! Guardei na mochila e saí andando...ele correu muito atrás de mim pedindo para devolver.... vá encher o saco de outro!!! E assim foi toda a caminhada pelas pirâmides...de 5 em 5 minutos em média um egípcio chato vinha falar com a gente...alguns deles chegavam a ousadia de tirar a maquina da mão das pessoas e tirar foto e depois pedir dinheiro...muito complicado assim!!! O governo ABANDONOU o páis de vez!!! A entrada das pirâmides é muito feia e precária...é tipo UMA PORTA com um bando de golpistas “pedindo o ticket”muito triste ver a que ponto chegou o turismo lá!!! Um lugar tão histórico e famoso largado lá...sem turismo oficial... Teve um cara que chegou ao ponto de me dar um empurrão porque eu ignorei ele...não revidei porque estava de férias e queria evitar problemas!!! Acho que o Egito era melhor na época de Tutankkamon 1300 antes de cristo...ou na época da Cleopatra 69 antes de cristo...porque atualmente aff!!! vimos tudo!!!chegamos no mirante e tiramos mts fotos... por 50 pounds até vale a pena andar de camelo e todos fazem isso...não fizemos pela raiva do dia anterior... Dia 3-Cairo/Deserto Branco e Negro Esse dia partiríamos para o deserto branco e negro...passeio comprado pelo vigarista Abdul e já estávamos com receio...o mesmo solicitou que fossemos no hotel dele(chama cairo inn...na verdade esse hotel faz parte da máfia dele e de companheiros vigaristas como ele...mas não que ele seja o dono) Fomos bem cedo as 7hs da manhã e chegando lá um menino nos esperava para levar até a estação pegar o ônibus para baharia que é a cidade principal do passeio do deserto...para nossa surpresa a PRIMEIRA PEGADINHA...o menino não falava inglês...pensamos”como assim??? Como vamos ficar dois dias com uma pessoa que não fala inglês???? Essse “guia” nos conduziu então de taxi(tudo pago...75 dolares) até a estacão e as 12hs chegamos em baharia onde nos encontramos com outro “guia” que já foi logo de cara pedindo mais 45 pounds que segundo ele era para a entrada no deserto...questionei o fato de ser td pago e ele falou q essa seria a única coisa que pagarimos...o resto,almoço jantar café da manha e almoço no dia seguinte estavam inclusos...esse já falava um pouco de inglês... Pegamos então o jeep e de lá eles nos levaram para uma terceira pessoa(também chamava Abdul para eu lembrar eternamente do dito cujo) esse Abdul simplesmente entrou no carro como motorista sem cumprimentar nem nada e foi já nos conduzindo ao deserto...eram 3 ‘guias”, eu e meu amigo...a maneira como estava sendo a viagem estava estranha...eles não falavam com a gente...eram amadores e não profissionais...além disso achávamos que teriam outro turistas mas o deserto todo vazio...só tinha nós dois memso fazendo o tal do passeio... Os 3 guias simplemsnte paravam do nada e falavam tirem fotos...sem explicação...estava bizarro o passeio!!! Sem sentido!!! Até um momento o Abdul motorista soltou um I’M sorry beacuse it’s Ramadã I dint talk with you(eles seguem extamante o ramadã só comendo das 19hs as 3hs e depois em jejum o dia inteiro fazendo eles ficarem ainda mais chatos devido ao mal humor pela falta de comida)...aí foi a partir desse momento que ele se tornou um pouco mais legal explicando algumas coisas...depois disso passamos a gostar um pouco mais dos 3 e vimos q eram pobres coitados que estavam ganhando o dinheirinho deles e quem ficou mesmo com nosso dinheiro foi o dono do hotel q vendeu o passeio... As 17 hs paramos o jeep e eles começaram armar o acampamento...vieram algumas raposas acompanhar rs e o Abdul começou a preparar o jantar que estava excelente(porém um pouco apimentado)...a noite inteira ficamos acordados observando as estrelas e nesse momento eles já conversavam um pouco mais com a gente...ali foi um dos primeiros momentos que senti que o egito vale muito a pena...igual aquele lugar não existe!!! Muito bonito mesmo e passeio 100 por cento recomendado... Dia - Deserto Branco e Negro No dia seguinte acordamos já com um sol muito forte e aí veio mais um perrengue...na saída do parque policiais e militares pararam os 3 guias e começou uma briga em árabe... não entendemos nada mas percebemos que eles não queriam nada com nós turistas...pelo visto eles não tinha permissão para fazer aquilo(mais um dos golpes daquele primeiro Abdul da loja de souvenir) ou o carro não estava em condições já que era velho...ficamos uma hora parados e estávamos achando que não saíriamos mais dali...Além disso perdemos o passeio todo do dia seguinte que incluiria mais paradas no deserto negro teria um almoço para só então voltarmos a baharia pegar o ônibus novamente para cairo...fato é que quando estávamos cansados de esperar aquela briga toda um dos guias(o primeiro que não falava nada de inglês) pegou o carro sem explicação nenhuma e nos levou de volta a baharia mas como o ônibus só sairia as 15hs ficamos esperando das 12hs até as 15hs na casa do motorista Abdul...foi bem ruim estava muito calor a casa era suja não tinha o que fazer...a família dele estava seguindo o ramadã mas fizeram o almoço...dormimos para passar o tempo e voltamos ao cairo(o ônibus quase capotou diversas vezes e algumas pessoas dormiram no chão pelo fato de ter mais pessoas que lugares...bizarro!!!)mesmo com o perrengue e golpes a parte gostamos do passeio de eu recomendo porém COM AGENCIAS CONFIAVEIS e não tanta aventura como eu fiz... Dia 5-Cairo partindo para Luxor Como eu disse a passagem de trem noturno as 20:15 hs já estava comprada por 105 dolares...do hostel até a estacão de trem era perto e pagamos apenas 10 pounds para chegar lá...por sorte estávamos com passagens em mãos porque lá não tem ninguém que fale inglês para te ajudar...pontualmente saímos para luxor e a viagem foi muito boa...com jantar e café da manhã...tudo muito bem feito e confortável....vale a pena!!! Pela manhã aproveitamos para conhecer o museu do cairo...bem legal já que todos os tesouros de tutankamon estão lá mas está bem abandonado....tinha uns 20 turistas só...e parece que não tem manutenção...ao redor está cheio de tanques de guerra... Dia 6-Luxor Chegamos umas 7:30hs em luxor e logo na chegada já veio um egípcio querendo oferecer taxi e bla bla bla...falei que queria ir para o New everest hotel(este hotel paguei somente 7 dolares por pessoa por dia com café da manhã)foi muito barato mesmo!!! E tinha uma boa pontuaçao no booking...o hotel logico não é tão bom... o ar condicionado é velho mas pelos padrões egípcios e pelo preço está ótimo...o café também foi muito bom... O taxista disse q era primo do dono do hotel(mentira) e que ele iria nos seguir até lá porque podia ir a pé...era perto!!! Chegamos e ele já foi oferecendo passeios para West bank e east bank...não aceitei porque ele queria 30 dolares por pessoa e depois me informei na central de turismo da cidade a maneira mais fácil de ir para os locais turísticos....foi então que partimos rumo ao vale dos reis que fica do outro lado do Nilo... Fomos a pé estava um calor muito intenso e muitos mas MUITOS egípcios mesmo nos paravam a todo momento não nos deixando seguir para pegar o barco para atravessar o Nilo por apenas 1 pound(para vcs terem uma ideia da amolação que é,o mesmo taxista que queria nos vender o passeio seguiu a gente de moto e nos abordou novamente no supermercado perguntando onde estávamos indo)...foi então que veio um egípcio insistentemente falando que por 80 pounds ele nos levaria ao vale dos reis...deir al bahri e colosso de memom que são atrações de West bank(mais longe,do outro lado do Nilo)...aceitamos pois foi barato... É tudo muito bonito e legal saber que tutankamon está lá no vale dos reis...paguei 100 pounds(50 estudante)e tínhamos direito a 3 tumbas... visitamos a de ramses VI e as tumbas 14 e 28...são bonitas mas achei que deveriam dar direito a visitar todas inclusive a de tutankamon(paga se 100 pound a parte)...Eu me arrependi de não ter ido na de tutankamon pois não sabia que a múmia estava lá dentro...achei q era só a tumba...mas pelo visto a múmia está lá...para quem não conhece a historia... TUTANKAMON... o faraó menino que com 9 anos já estava no poder e morreu com 19 anos em 1327 antes de cristo...Em 1922 o arqueólogo britânico Howard Carter encontra a tumba na cidade de Luxor no Egito e surpresa!!! INTACTA com a múmia lá dentro e todos os tesouros juntos que são exibidos hoje no museu do Cairo,fazendo ele ser a múmia mais famosa do mundo e atraindo milhões de curiosos ao país...Tutankamon ainda está entre nós graças ao processo de mumificação da época...Ele "vive"!!! A atração dei al bahri não é tão interessante quanto o vale dos reis e paga se 80 pounds(bem caro se levarmos em conta que não tem nada lá) Os colossos de memon são dois faraós...a atracao é gratuita... é apenas uma parada para tirar foto... Depois de tudo isso umas 15 horas pegamos o barco de volta para o outro lado... comi um mc arabia do mc donalds e fomos para o hotel...a população chata fazia a gente desanimar de sair nas ruas...a todo momento ofereciam charretes e um milhão de coisas perguntando de onde éramos...gritando EXCUSE ME caso ignorássemos...até desanimava andar nas ruas de luxor que também é bem bagunçado igual ao cairo(mas sem tantas buzinas e o transito um pouco melhor) Dia 7-Luxor Este dia tiramos para conhecer as atrações de east bank que é o templo de Karnak e o museu de Luxor...O templo de Karnak é muito bonito vale a pena dar uma olhada...o sol quente fazia a gente cansar rapidamente...o museu de Luxor diferente do museu do cairo é bem arrumado tem múmias lá dentro...achei interessante...deixamos para ir no templo de Luxor a noite e foi bem legal ver tudo iluminado...praticamente não tinha turistas na cidade... Fizemos todos esses passiois de charrete por 40 pounds o golpista da charrete ainda nos levou para perder tempo em uma loja de souvenir(sem pedir)e no final mentiu querendo 60 pounds mas eu me lembrava muito bem que o acordo era 40 para levar e trazer do templo de karnak....ele saiu xingando mas eu realmente não me preocupei...odeio desonestidade....falou 40 é 40!!! chega de tanta enganaçao por parte desse povo!!! Dia 8- Sharm el sheik Chegou A MELHOR PARTE DO EGITO...após apreciar a historia do país que também é bem legal, chega a hora de ir para a região do mar vermelho que é BEM MAIS TRANQUILA e encontramos lá a PAZ necessária após o tumulto dos outros locais.... Comprei o voo da egiptair qu sai 6:30hs faz escala em cairo e chega 12hs em sharm el sheik...paguei 40 pound para o mesmo egicpico que nos levou a West bank...ele cobrou barato o trecho...o aeroporto fica a 15 minutos do hotel em Luxor Logo na chegada em Sharm el sheik veio um egípcio chato golpista querendo cobrar 200 pounds pela corrida até o resort(lá eu decidi pelo resort Dive inn excelente recomendado no booking por apenas 14 dolares a diária com café da manhã) Neguei o valor de 200 e ele baixou para 150 pounds...aceitei(na verdade nem sabia qual seria o valor justo mas neguei pq sei que eles sempre pedem mais)...no meio do caminho o fdp falou VAI SER 200 pounds mesmo ok????? Pensei “deixa esse fdp comigo”...já estava bem esperto com esse povo...falei ok...mas separei 150 e na chegada ao hotel dei para ele...o mesmo começou a gritar EXCUSE ME... dei as costas e saí andando ele me seguiu e ameaçou pedindo os 50 restante falei que NÃO...pode ser que ele quisesse me bater mas a essa altura já não teria problemas sei me defender fiz karate a minha vida inteira odeio brigas mas aquilo era um absurdo...mudar o valor no meio do caminho para me deixar sem ação...VAI A PQP!!! Discutimos um bom tempo e ele foi embora...vá com deus!!!ou melhor com Ala!!! Aí eu me pergunto,será que o islamismo ensina esse povo a ser desonesto também???não dando passagem para pedestres,se estressando no trânsito...falando alto brigando e etc???? Passado o stress com o fdp egípcio na recepção fui informado que havia vans para praias...de graça...o resort era longe de tudo mas eles disponilizavam vans para o centro saindo as 21 hs e retornado as 00:00hs e para as praias em diversos horários...a praia do hotel não era paga mas tinha outras como terrazina que era 25 pounds a entrada e também tinha transporte fornecido pelo hotel... Nessse dia chegamos 12hs e já parti para a praia e q QUE PRAIA!!! Muito verde e bem tranquila!!! Dia9-Sharm el Sheik Nesse dia paguei 150 pounds e fui fazer snorkel na ilha Tiran...recomendo mt esse passeio e o barco vai parando em vários lugares...as fotos falam tudo!!! A noite fui andar am Naama bay(centro) bem movimentado tem a balada pasha...hard rock café e tudo...OUTRO EGITO!!! Tem muitos russos lá...na verdade brasileiro não vi nenhum...só tem russos e ucranianos em Sharm... Dia 10 Sharm el Sheik Esse dia resolvi relaxar na praia Terrazina por 25 pounds egípcios e transporte gratuito do hotel...praia tranquila com atividades aquáticas...a noite novamente fui para Naama Bay Dia 11-Sahrm el Sheik Paguei 250 pounds pelo passeio no blue Hole...as 7hs da manhã saímos em direção a Dahab...o passeio incluiu andar de camelos... só paguei mais 80 pounds pelo equipamento de snorkel(não fiz mergulho porque não confio nos egípcios... não tem segurança nenhuma) eles cobram até pelo colete salva vidas o que deveria ser obrigação fornecer por barco...mas mesmo o snorkel já vale a pena...almoçamos e por último teve uma pegadinha de nos levar novamente a uma loja que vendia os papiros... Dia 12-Sharm el Sheik-cairo Esse dia peguei avião para o cairo paguei 9 dolares para ficar novamente no Wake up hostel e não fiz muita coisa...já estava cansado da loucura do cairo!!! Bom para quem ainda assim se interessar pelo Egito e quiser tirar duvidas meu facebook https://www.facebook.com/diego.costa.79?ref=tn_tnmn eu gostei do país sim...mas como puderam ver a minha dificuldade maior foi com a população...não sei se era melhor antes da revolução quando haviam turistas...talvez fosse um pouco melhor porque o assédio se dividia...
  30. 1 ponto
    Já era quase 13h nos despedimos do Sylvio e Jair e seguimos mais 80 km para Serra do Rastro. Deichamos para traz outros passeios mas sem importância que desse para se arrepender. Chegando ao Mirante da para ver o quanto é lindo o passeio, pegamos chuva no caminho e a visibilidade hora abria hora fechava com nevoeiro, mas tivemos sorte. Curtimos o necessário e começamos descer a Serra, fantástico. Mas nada que cause temor, a estrada é muito conservada e boa, tem transito de carros e caminhões.
  31. 1 ponto
  32. 1 ponto
    A trilha da Pedra da Gávea foi a minha melhor e mais dolorida experiência no Rio de Janeiro, com toda certeza foi a vista mais linda que meus olhos já tiveram até hoje. Nesse vídeo mostra como foi a trilha Pedra da Gávea que fiz no Rio de Janeiro: A trilha da Pedra da Gávea é cansativa e relativamente difícil, vai depender do seu condicionamento físico, mas acredite: quando você chegar lá em cima, todos os seus esforços físicos e mentais serão recompensados. A beleza é indescritível em 360 graus, não importa onde você olha, você terá a mais bela visão da natureza e todo o seu esplendor junto com a cidade maravilhosa. A trilha da Pedra da Gávea vai fazer valer cada gotinha de suor, cada tombo, cada arranhão, cada gole de água, a dor no dia seguinte, tudo vai valer a pena! Vamos ao relato de como sobreviver a Trilha da Pedra da Gávea? Prepare-se para fazer a trilha com o visual mais bonito do Rio de Janeiro. Fomos de carro até a estrada do Sorimã na Barra da Tijuca, ao final dessa entrada tem um condomínio que dá o acesso ao Parque Nacional da Tijuca, você pode entrar de carro que ao final da rua tem um estacionamento antes de entrar no parque, a trilha da Pedra da Gávea começa pelo Setor C, no lado direito de um portão verde. Meu amigo (que apesar de morar no Rio de Janeiro nunca tinha feito a trilha da Pedra da Gávea antes) e eu fomos quase os primeiros a chegar, tinha mais 4 pessoas esperando lá para entrar, pois o parque ainda estava fechado, e segundo o guarda só abriria as 8 da manhã. Fomos cedo, para não pegar o sol muito quente do meio dia, então o detalhe era que ainda faltava 5 minutos para as 7:00. Os primeiros 40 minutos na trilha da Pedra da Gávea foram os mais tranquilos e os mais cansativos, é uma subida íngreme que não dá trégua, quase que uma escadaria de troncos e raízes, muito cuidado com o joelho, principalmente na descida, força bastante. Em alguns pontos você tem que escalar pelas raízes das arvores. Depois vem uma pedra escorregadia que você também quem te escalar com a ajuda de alguns cabos de aço e correntes que foram colocados para ajudar na subida. Paramos algumas vezes para tomar água, lembre-se de se manter sempre hidratado. Logo 3 rapazes nos encontraram na trilha, era engraçado porque sempre que eles paravam para descansar a gente passava eles, e quando nós parávamos para tomar água e descansar eles nos passavam e foi assim a trilha toda. http://oquefazer.blog.br/wp-content/uploads/2016/10/pedra-da-gavea-rio-de-janeiro-12-768x576.jpg Alguns minutos depois chegamos a Pedra do Navio, onde forma uma gruta. Depois daqui a subida fica ainda mais íngreme, uns 10 minutos a frente terá outra escalada por pedras ainda mais escorregadias, as pedras estão molhadas porque no final delas tem uma bica, com água potável, muito útil na volta para reabastecer as garrafas! Aproveite para se refrescar que a aventura está apenas começando. Quando você chegar neste local, estará na metade do caminho da trilha da Pedra da Gávea. Na bica encontramos um senhor supersimpático, que trabalha a muitos anos na carrasqueira da trilha da Pedra da Gávea (continue lendo que te explico o que é a carrasqueira logo a frente), fomos conversando e subindo com esse senhor que estava indo trabalhar, desaceleramos um pouco o passo, o que ajudou a respirar melhor. Esse senhor trabalha resgatando pessoas que não conseguem passar pela carrasqueira, ele as ajuda subir e caso elas não consigam ele as resgata e cobra R$ 20,00 pelo serviço. Mais uns 30 minutos andando e chegamos a uma bela vista: a Cabeça do Imperador! Nessa hora você para e pensa “caralho, como vamos subir lá no topo?” Andamos por mais alguns metros com a trilha estreita e um precipício ao nosso lado até que chegamos a parte mais temida da trilha: a carrasqueira! A carrasqueira é um paredão de pedras de aproximadamente 30 metros, nela é preciso fazer uma escalada de primeiro grau. Essa é a parte mais perigosa da trilha da Pedra da Gávea, muitas pessoas já morreram no local e milhares desistem quando chegam lá. Eu não seria uma delas! A carrasqueira exige muito mais força mental do que física. Eu só tenho uma palavra para esse trecho da trilha da Pedra da Gávea: UAU!!! A adrenalina passa pelo teu corpo todo, fazendo o cérebro ficar 100% focado! Eu adoro essa sensação! Chegou a minha vez de subir... PARA CONTINUAR LENDO O RELATO COMPLETO ACESSE O LINK NO BLOG: http://oquefazer.blog.br/como-sobreviver-trilha-da-pedra-da-gavea-passo-passo/ Espero que gostem!
  33. 1 ponto
    Sexta, 10 de fevereiro de 2017 Levantei cedo pro café. O café do Bla é bom, tem algumas frutas, mas no geral esse hostel foi o piorzinho. Só um adendo qto ao meu tempo de estadia em El Calafate: Eu tinha vontade de fazer Torres del Paine, mas não ia ter tempo de viagem pra isso, nem sei acampar, poderia claro ficar nos refúgios, mas dessa vez isso não tava me atraindo. Ainda tenho vontade mas quem sabe um dia faço um mochilão pelo Chile e começo por lá né...Tem a opção de fazer um full day saindo de Calafate mas ia ser caro e muito tempo de transfer pra nem tanto no parque, então achei q não valesse tanto a pena. Conheci pessoas em Chalten dizendo que lá era mais bonito que Torres. Já outros dizendo que são belezas diferentes...Confesso que ainda estou confuso até hj se valeria ou não eu ter feito TDP...Mas enfim... As 8:30 o onibus da Hielo y Aventura passou pra me pegar. Vai pegando o povo nas pousadas e depois segue pro Perito Moreno. Um pouco antes de chegar, para na entrada do parque pra gente pagar a taxa de entrada. 200 pesos pra argentinos, 250 pra nós do Mercosul e 330 pro resto da gringaiada Chegamos em Puerto Bajo de las Sombras as 11 horas e aí pegamos o barco pra atravessar pro outro lado, enquanto vamos tirando altas fotos pertinho do glaciar Pra fazer o minitrekking é obrigatório ir de luvas. Não pelo frio, o dia tava até ameno e pouco vento, mas pq o gelo é duro e pode ter algumas pontinhas. As vezes vc precisa se apoiar no gelo ou até mesmo se acontecer de vc cair e bater a mão no chão(gelo) se estiver de luvas protege e não corre o risco de cortar a mão no gelo. É por segurança. Se vc não levar luvas, lá eles tem pra te emprestar. Durante a caminhada vc pode tirar pra bater foto e tal, mas enquanto estiver parado. Andando, sempre com luvas O minitrekking começou meio dia. Colocam os grampones no seu calçado e lá vamos. Primeiro, antes de entrar no gelo de fato, a gente passa por um trecho de terra e pedras e nesse trecho é bem ruim andar com os grampones. Quando entra no gelo aí fica mais fácil. Os grampones não são difíceis, na verdade eles são pesados, então incomoda um pouco pq pesa muito, não exatamente pela dificuldade em andar :'> É um passeio muito bom, outro ponto alto da viagem, fiquei 1h45min no minitrekking, com o clássico brinde de whisky com gelo do glaciar no final, paisagem surreal, perfeito. Tem a opção do Big Ice tb, que vai mais longe, deve ir pra uma região onde o gelo não tem tanta sujeira de terra como na área do minitrekking, é mais caro tb, mas pra mim o minitrekking já foi de bom tamanho. Apesar desse povo ae quase caindo...andar no gelo é tranks pode crer Um arzinho de sol dá um toque todo especial Voltando do minitrekking uma parada pra lanche no refúgio e umas 15h voltamos pro outro lado pra pegar o onibus de novo e ir pras passarelas. Na volta o barco passa bem pertinho do glaciar, esbarra nos gelos soltos no lago e qdo cai um pedaço do glaciar o barulho parece com o som de um galho quebrando e qdo cai tudo é barulho de trovão Chegamos nas passarelas as 15:50 e tinhamos 1 hora pra circular lá. Fui presenteado com essa gravação. Do nada, filmando, e começa a desprender esse colossal pedaço: Adorei Perito Moreno. Chegamos de volta em Calafate 18:30 O brasileiro q conheci em Ushuaia já tinha passado em Calafate e me disse q tinha comido um cordeiro patagonico por 230 pesos. Me animei pq Ushuaia isso é preço de hamburguesa e então Calafate deve ser mais econômico Encontrei um restaurante anunciando na porta o cordeiro por 198 pesos. show! entrei. Não sou muito de comer carne, mas tem coisas q a oportunidade não volta outras vezes. Assim como o cuy em Cusco, tem q ter cordeiro na Patagônia. Aqui não me cobraram o cubierto. Alguns restaurantes cobram, outros não. O serviço tb não é incluído na conta, fica a seu critério qto deixar de propina, mas é sempre de bom tom deixar uma. Avalio bem a carne, apesar de ter muito osso e um pouco de gordura. O restaurante chama San Pedro, fica na Av Libertador San Martin 997, centrinho mesmo, bem pertinho da galeria de artesanato dos gnomos. Achei bom e barato (padrão Patagônia) :'> Sábado, 11 de fevereiro de 2017 Amanheceu chovendo em Calafate, logo depois já tava solzão. 15 graus pela manhã Saí pra comprar umas lembrancinhas de Calafate e não tinha muito o que fazer. Fiquei morgando no hostel Saí 12:20 e fui pro terminal de buses. Pontual as 13h saiu o ônibus pra Chalten. Onibus 2 andares, mais ou menos 80% ocupado, não precisava ter comprado a passagem com antecedência, encontraria na hora. Mas nunca se sabe né... Viagem de 2h40m ate Chalten, cortando a imensa Patagônia, inclusive boa parte do trecho pela lendária Ruta 40. Chegando em Chaltén. Quem ae quer morar nessa fazendinha ai? Chegando em El Chaltén primeiro o ônibus para no guardaparque, todo mundo desce, turma do inglês vai prum lado e a do espanhol pro outro. O funcionário dá uma geral sobre o parque, trilhas, água potável nos riachos e tal Voltamos pro ônibus e mais 2 minutinhos até a rodoviária. Fui pro hostel, Condor de los Andes, só a 2 quadras da rodoviaria. Quarto de 6 camas, locker de tamanho suficiente pras minhas 2 mochilas, quarto e banheiro com tamanhos suficientes, colchão bom, café da manhã simples, hostel aprovado!! 2280 pesos pra 6 diárias :'> Na recepção, o Chino, cara gente boa, já te fala onde são os happy hour melhores nos bares de Chaltén, como tá a tendência do tempo nos próximos dias e o que ele sugere q vc faça. Ele me disse que se vc precisa sacar dinheiro vai no banco AGORA pq é sabado de tarde, a grana vai acabar e aí só vão trazer segunda. Não era o meu caso, mas fica a dica do Chino se vc chegar em Chalten no fds, segunda tava o maior filão da galera no banco Fui nos supermercados pra procurar lanche. Vi 3 supermercados em Chalten e, como o banco, sábado e domingo as coisas são meio racionadas em Chalten, as prateleiras tavam bem vazias e não tinha muita coisa. Comprei peras e biscoitos por 75 pesos. Acabei indo pra uma lanchonete comer um hamburguer de 125 pesos E o vento patagônico enfim apareceu na minha viagem...
  34. 1 ponto
    A Coreia do sul não é um país tão desejado por brasileiros o que é uma pena pois o país oferece de tudo e com uma facilidade incrível para o turismo.Diferente do que muitos pensam o país não se resume a Seoul que é o que muitos fazem,ficam 3 a 4 dias em Seoul correndo e já partem para outro país.Tem praias paradisíacas,templos,arquitetura moderna,parques e muitas outras coisas. Eu fiquei 15 dias e achei muito bom.Meu roteiro foi 3 dias em Seoul na chegada + 3 dias em Gyeongju+ 4 dias em Busan + 3 dias na ilha de Jeju+ 1,5 dias em Seoul no retorno. A moeda é o won que na época da minha viagem(julho 2016) valia a cada dólar em média 1125 a 1165 wons.Não compensa trocar no aeroporto nem em bancos mas sim logo na chegada em Seoul no bairro Myeong Dong(inclusive lá é o melhor câmbio do país então para quem quiser já trocar tudo lá se já tiver previsão de gastos é melhor.Eu troquei U$1 a 1165 wons lá e no restante do país eu mal achava casa de cambio,somente bancos com cotação ruim). O clima em julho não é dos melhores e resume se a chuva e calor mas ainda assim com sorte dá para aproveitar. Em tudo quanto é lugar te oferecem água de graça e tem bebedouros em vários estabelecimentos.Esse costume de servir água talvez seja pelo fato da comida ser muito apimentada.Eu não gostei muito da comida coreana exceto Bulgogi(churrasco coreano de beef ou pork) Kimchi que é o repolho com especiarias não curti porque é muito apimentado e nem outro pratos como Bibim bap que é arroz camarão,ovo e muita pimenta. O transporte público é excelente e rápido no país inteiro e de todos os aeroportos partem ou trem ou ônibus para o centro.Eu não usei taxi nenhum momento mas não é um serviço muito caro também.O metrô em Seoul tem a tarifa mínima de 1350 wons e toda viagem que você compra na maquina tem um deposito de 500 wons que depois é só pegar de volta(em outra maquina sempre ao lado da maquina de compra de ticket).É fácil insere o cartão e a maquina te dá uma moeda de 500 wons. Os coreanos assim como japoneses são muito simpáticos e prestativos,se você está perdido eles te levam até o local mesmo sem falar inglês. Dia 1-Seoul Na chegada ao aeroporto peguei trem por 3200 wons mas tive que pagar mais depois porque na seoul station teria que ter trocado o ticket e não fiz isso daí não conseguir passar o cartão na saída.Cheguei na sadang station que era a mais próxima do meu hotel e com google maps consegui me localizar(lá tem wifi em todos os lugares praticamente então usar o google maps não é um problema).Na rua sempre tem um wifi público. O aeroporto Incheon onde cheguei é bem longe do centro da cidade e demorou quase 2 horas.Desci na Seoul station e de lá peguei outra linha. Não recomendo muito a guesthouse que fiquei.Chama Residence near Gwanak Mt.Só foi bom pelo preço mas o quarto era apertado e um pouco afastado da estação e além disso o senhor que me atendeu não falava inglês. Na Coreia todo hotel que você chega tem que pagar na hora,eu não sabia disso e como tinha trocado pouco no aeroporto devido ao câmbio ruim tive que deixar U$100 de depósito e sair correndo para Myeong Dong trocar dinheiro lá. Nesse dia aproveitei para rodar bem por Myeong dong que é um bairro bem legal lembra o Japão,tudo muito iluminado e muitas lojas. Dia 2-Seoul Fiz TUDO de metrô em Seoul.Acordei e peguei metrô para o bairro Bukchon Hanok village com casas tradicionais.É só descer na estação Anguk e andando pouco já chega. Para ter acesso ao mapa das estaçoes baixei no meu celular o app Subway Korea que é uma mão na roda e muito útil. Ali perto da Bukchon hanok Village já tem o gyeongbok palace que é a principal atração da cidade pelo tripadvisor.Fui de metrô e desci na Gyeongbokbung station mas essa é a estação seguinte a Anguk,ou seja daria para ter ido a pé.O local é bem bonito eu tive sorte e não paguei nada para entrar porque era dia da cultura mas o preço é 3000 wons. Na saída do palácio já tem outras atrações como a estátua de Buda e do rei sejong.Após tirar algumas fotos peguei metrô de novo para estação Myeong Dong porque queria visitar a seoul tower. Chegando lá eu sabia que tinha um ônibus para seoul tower mas eu muito perdido não achei o local que pegava então resolvi ir a pé mesmo, seguindo o google maps.Achei tranquilo e em 20 minutos após subir ladeira cheguei na entrada do Namsam Park.O problema é que depois ainda tem mais e mais escadas.Preparem se porque seoul é uma cidade cansativa,anda muito dentro das estações de metrô e tudo é muito longe. Para subir de teleférico paga se 8500 wons pela round trip.É bem bacana a visão de lá de cima.Se quiser pode pagar mais para subir na torre,eu não paguei porque achei que não mudaria muito a visão de lá de cima. Saí de lá e já fui novamente em Myeong Dong para almoçar por lá.Paguei 6000 wons em um buffet de comida coreana apimentada.Saí até enjoado de lá kkkkkkk.Normalmente um prato de comida gira em torno de 6000 wons a 10.000 wons. A noite aproveitei para ir no famoso bairro do psy o Gangnam. Dia 3-Seoul Acordei cedo por causa do fuso de 12hs estava com jet lag ainda.Novamente girei tudo de metrô.Aproveitei para conhecer o Cheonggycheon,o rio revitalizado deles que antes era tão poluído quanto o rio tietê e também girei um pouco mais por Myeong Dong e Gangnam. Em seul tem o passeio da zona desmilitarizada mas custa caro normalmente 100 dólares.Eu achei besteira e não fiz!!!Fora isso todas as outras atrações dá para fazer por conta facilmente. Dia 4-Seoul para Gyeongju Comprei o ticket antecipadamente 1 mês antes no site http://info.korail.com/mbs/english/index.jsp que está em inglês.Paguei 49.300 wons pelo trecho.Saí 12:15hs e 14:21hs chegou.O trem é bem pontual e sai da Seoul satation chegando na Syeongju station(atenção essa é a maior estação de lá,tem uma outra chamada Gyeongju station,não confundir). Chegando na estação foi fácil abrir google maps e ver a rota para o hotel.Peguei o ônibus 50 por 1300 wons e desci na parada bus terminal.Em gyeongju não tem metrô mas dá pra ir em tudo com ônibus.Prestar atenção porque a parada bus terminal não é dentro do terminal,essa é uma das únicas paradas que a gravação repete em inglês dentro do ônibus “This stop is for the bus terminal”. Achei excelente o hotel que fiquei.Chama APPLE MOTEL e recomendo muito.O dono foi bem atencioso,falava inglês e me ajudou.Tudo muito limpo e organizado!!!Além disso por ter como referência a estação de ônibus fica fácil se localizar. Gyeongju é uma cidade cheia de tumbas espalhadas.Tem templos e é bem interiorana.No mês de julho chove muito mas ainda assim deu para aproveitar. Dia 5-Gyeongju Tomei café no 7 eleven.Assim como na Tailândia e Japão a Coreia tem 7 eleven e GS25 em todos os lugares.É uma loja de conveniência um pouco mais cara que grandes supermercados mas tem a praticidade de ser perto sempre.Inclusive lá dá para comprar um passe dos ônibus e de metrô para algumas cidades na Coreia,chama T Money,aí fica mais fácil não precisa ficar com moedas e pegando dinheiro toda hora nos transportes.Com ele o metrô de Seul fica 100 wons mais barato.Eu acabei enrolando para comprar e no fim desisti. Peguei o ônibus 10 por 1700 wons para Bulguksha temple.Curti lá dentro.Em 1 hora dá para rodar tudo.Na saída fui abordado por uma coreana oferecendo almoço com cardápio em inglês e resolvi ir no restaurante dela.Acabei pedindo um prato que veio um monte de coisas estranhas e apimentadas como sempre hahahahaha.Saiu 10.000 wons. Após o almoço,peguei o ônibus 12 por 1700 wons lá mesmo em frente ao Bulguksha temple que sai de 1 em 1 hora para a gruta de Seokguran que não tem nada demais.Andei um pouco lá e voltei com o mesmo ônibus 12. A noite fui ver as tumbas. Dia 6-Gyeongju Nesse dia fui andando do meu hotel até Cheonmachong tomb que é perto.Paguei 3000 wons para entrar e não tinha ninguém lá dentro.o lugar é bem legal, muito verde!!! Depois peguei o ônibus 700 por 1800 wons e fui até Anapji temple. Dia 7- Gyeongju para Busan Peguei o trem da estação Syeongju para Busan as 12:35hs e cheguei as 13:05hs.É bem perto! A chegada em busan foi bem tranquila e meu hotel era do lado da estação Nampo.Fiquei no grand motel e foi muito bem localizado tinha um café da manhã simples com pão e manteiga mas o preço que paguei foi bom. Dia 8,9 e 10-Busan Busan é uma metrópole com muitas praias de areia escura e muitas lojas.Dá para fazer tudo de metrô. As praias são bonitas nada tão espetacular mas é bem diferente.Os coreanos alugam boias e ficam brincando na água.Quando estão na areia eles gostam de brincar de se enterrar hahahah enfim cada país com sua cultura.As praias principais são a gwangalli beach e a haeundae beach. Busan é a cidade que tem “o fenômeno da neblina”.mesmo com sol as nuvens ficam baixa e invadem a praia e qualquer local. Dia 11-Saída de Busan a Jeju island Comprei o ticket de avião pela asiana Airlines,paguei somente 27 dólares já com taxas no trecho do voo.Saída as 15:10 de busan e Chegada as 16hs. Para sair de Busan até o aeroporto é simples e dá para ir de metrô apesar que as vezes pode ser que esteja cheio dependendo do horário.Deve se ir até a estação sasang linha verde e depois trocar e pagar outro ticket até a estação airport. Na chegada a jeju paguei 1200 wons e peguei o ônibus 100 até meu hostel.Foi bem rápido e fiquei acompanhando o trajeto do ônibus com google maps para saber onde descer que era na Tamla Welfare center.É 15 minutos o trajeto. Dia 12-Jeju Island Jeju é um dos lugares mais fascinantes do planeta tanto que foi considerado umas das 7 maravilhas da natureza.é de fato um dos lugares mais bonitos do planeta.Tem cavernas,tem praias paradisíacas,montanhas e etc. A Ilha é enorme não dá para conhecer tudo mas eu consegui fazer tudo de ônibus mesmo.fiquei em um hostel excelente e muito bem localizado em jeju city(mais perto do aeroporto,porque tem outra cidade Seogwipo mais longe).o nome é hostel lyndon e tem parada de ônibus bem na porta. Nesse primeiro dia gastei 1300 wons e peguei o ônibus 701 para Hamdeok beach fiquei um pouco lá,pria espetacular e depois peguei o mesmo ônibus 701 por 1800 wons para a caverna.É longe!!!Do ponto até a entrada são 2,5 km mas fiz ida e volta a pé mesmo.Tem uns taxis que ficam por lá para quem está com pressa.Saí da caverna almocei por 10.00 wons lá mesmo porque não teria tempo nem tinha outros restaurantes perto.Fui depois a pé até a Gimmyeong beach.ë bem longe també ir a pé hahahahaha mas estava disposto a andar.Passei parte da tarde lá. Depois de praia foi a vez de conhecer um dos pontos principais da ilha que é o Seongsam Park.Muito foda!!!Paguei 2000 wons para subir no topo e depois de apreciar tudo voltei com o mesmo ônibus 701 por 3300 wons para meu hostel.Cheguei já quase a noite. Vale a pena fazer td por conta como eu fiz porque os tours em Jeju são 70 dólares em média.Eu gastei 22.000 wons só com todo esse trajeto. Dia 13-Jeju Island Nesse dia decidi ir ver as cachoeiras.Peguei o ônibus 781 e desci em Jeongang waterfall.Paguei 2000 wons a entrada.De lá fui a pé e em 15 minutos andei 1.5 km chegando na Chenniyeon waterfall .Paguei 2000 wons a entrada também. Dia 14-Jeju Island Decidi ir na Jeju loveland que é um museu erótico a céu aberto bem engraçado.Peguei o ônibus 70 mas ele me deixou em um ponto antes e tive que andar bastante para chegar lá.Na volta esperei muito tempo até passar um ônibus mas consegui voltar.A entrada é 8000 wons, carinha se comparada a todas as outras atraçoes que são 2000 wons. Dia 15-Seoul e Retorno Para chegar no aeroporto de jeju peguei o ônibus 70 e foi bem tranquilo.Fui em um vôo da jeju air por 21 dólares somente até Seoul.Saída as 9:35hs e chegada as 10:45 hs. quem tiver dúvida e quiser ver mais fotos só me add facebook https://www.facebook.com/diego.costa.79
  35. 1 ponto
    Olá pessoal, busquei informações sobre este pequeno país que fica entre África do Sul e Moçambique e não encontrei. Alguém conhece? Já foi? Passei 2 dias lá no início de 2010, mas até hoje quando falo meus amigos se assustam, muitos nem ouviram falar! Colocando aqui algumas fotos: Feira de artesanato, fica próximo a uma famosa fábrica de velas que lá existe. Aí está a fábrica de velas. Na estrada até a capital encontramos um bom restaurante, tinha uma enorme área que as crianças adoraram. Hotel que fiquei hospedado, na capital Mbabane. Vista noturna de Mbabane. Entrada da reserva natural Mantenga. Animais são avistados com facilidade, boa parte do país é formado por reservas. Passando de carro pela estrada é fácil visualizar antílopes, zebras, girafas, etc. Apresentação folclórica bastante interessante. Mais um hotel, lugar bastante agradável. Quem vos fala, tinha acabado de acordar! Clima ameno na África.
  36. 1 ponto
    Bom meu nome é Diego,sou médico e moro em São Paulo,estou sempre viajando e quem quiser programar viagens ou tirar dúvidas só me add no face https://www.facebook.com/diego.costa.79 ... Em junho de 2013 eu resolvi fazer uma viagem com minha mãe, primos e tias para os Emirados Arabes ficando 8 dias em Dubai.A moeda do país é o Dirham e na época que eu fui 1 dolar=3,50 dirhams em media...O fuso horário era 7 horas a mais em relação ao horário de Brasilia... 9 dias são suficientes porém saibam que Dubai tem tanta coisa pra se fazer que daria pra ficar mais tranquilamente sem enjoar de tão legal que é o lugar... Dia 1 Reservamos o hotel Eureka que fica no bairro Deira perto do relógio(clocktower deira) e fica na parte antiga de Dubai...o hotel tem café da manhã, é barato e fica bem localizado,porém fede a cigarro e as acomodações são um pouco antigas...do aeroporto para o hotel na noite anterior saiu 60 Dirhams dividido por 5 pessoas,ou seja taxi é barato em Dubai assim como alimentação e hospedagem também são,diferente do que muita gente pensa...Nesse primeiro dia tomamos café cedo e saímos para andar pelo bairro de Deira para conhecer o mercado(grand souk Deira ) e queríamos atravessar o canal através de Abras(que são barcos de madeira no estilo dos barcos de Veneza) porém sem saber acabamos comprando a travessia com o waterbus e saiu por 3 dirhams o trecho...Uma das coisas interessantes de se ver nas margens do Creek é a agitação do centro comercial de Dubai, onde estão os souks, conhecidos como souk do ouro,especiarias e tecidos .Em árabe, a palavra “Souk” significa mercado tradicional. A travessia separa os bairros históricos de Deira & Bur Dubai. Do outro lado do canal fizemos algumas compras e comemos,o calor era insuportável e sem perceber nos cansávamos mais do que o normal,sendo muito difícil caminhar pela cidade.A noite não fizemos nada de tão cansados dormimos para aproveitar o dia seguinte. Dia 2 Nosso hotel disponibilizava transfer gratuito para a praia(somente Al mamzar com no mínimo 4 pessoas interessadas) e então decidimos passar a manhã em Al mamzar beach Park Dubai que é literalmente um parque onde famílias vão fazer churrasco,tem piscinas, belas paisagens além de uma praia espetacular,muito limpa e mar de coloração clara...há toalhas,guarda sol e cadeiras para alugar por 20 dirhams...Paga se 5 dirhams para ter acesso a praia,ficamos 2 horas e meia e 11:30 hs voltamos para o hotel porque nesse mesmo dia compramos o passeio do deserto que vai nas dunas com um 4X4(passeio feito somente no período da tarde).reservamos todos os passeios com a agência do nosso próprio hotel e não tivemos grandes problemos,com exceção de ATRASO que ocorreu em TODOS os passeios...Ficávamos sempre esperando muito além do horário previsto de chegada da van. Este passeio é espetacular é com certeza imperdível,impossível ir para dubai sem fazê lo.Custa em média 75 dolares(sim os passeios eles cobram em dólares mesmo) e o carro chega por volta das 15:30 hs para te levar para as dunas e antes faz uma parada num local onde pessoas alugam quadriciclos.É tudo com fortes emoções porque as dunas são muito íngremes,pessoas idosas costumarm ter medo.Após todas as manobras chega-se ao local onde podemos andar nos camelos(passeio curto,somente uma voltinha hehehe) e depois saborear um jantar com comidas árabes excelentes além de vários shows artísticos como dança do ventre e etc...Chega se no hotel por volta das 21 hs. Dia 3 Este dia resolvemos ir para praia de manhã(fomos na praia que fica aos pés do BURJ AL ARAB...a jumeirah beach residence....muito bonita esta praia e bem tranquila,não tem guarda sol nem para alugar portanto para se proteger daqule sol de 50 graus é muito difícil... e a cor do mar sempre aquela cor clarinha) e a tarde andar pelo MAIOR shopping do mundo o DUBAI MALL e obviamente mesmo acordando cedo foi impossível conhecer o shopping inteiro...é muito interessante ver a cultura muçulmana e reparar que algumas mulheres se cobrem dos pés a cabeça deixando somente o olho para fora e outras já são um pouco mais “modernas”e usam burcas com o rosto aparecendo...no shopping é muito frequente mulheres andarem átras e homens na frente.Os preços em Dubai também são bons(não tanto quanto nos Eua) mas algumascoisas lá naquele shopping são baratas sim,meu primo por exemplo comprou uma maquina fotográfica por um preço bom e os celulares também estavam com ótimos preços.Nós almoçamos no shopping mesmo(várias opções) e de sobremesa comemos na COLD STONE que tem excelentes sorvetes e os atendentes da loja fazem arte de jogar para cima e amassar a bola do sorvete com vários toppings como chocolate,bolacha oreo,nozes,morangos e etc....fora o Milk shake fantástico que eles vendem também. Para chegar no Dubai Mall fomos de metrô mesmo e aí vem a GRANDE complicação de dubai que só fomos entender depois no final do porque alguns tickets eram mais caros e outros não.Para vocês terem uma idéia teve um dia que ficamos presos e não podíamos sair da estação porque não tínhamos comprado o ticket certo...foi uma confusão...e no final descobrimos que nem era tão confuso como imaginávamos...bastava saber a ZONA que iríamos...é os seguinte: o metrô de Dubai é dividido por ZONAS 1,2,3,4,5,6 e 7...Há bilhetes de 1 zone(que é para andar na mesma zona) 2 zones(para ir de uma zonoa a outra) e 3 zones(para atravessar mais de uma zona)...O nosso problema é que nem sempre usávamos uma única vez o metrô então descíamos na zona 2 por exemplo e depois queríamos ir para a zona 3 aí ficava a dúvida de qual bilhete comprar...para complicarainda mais, em Dubai vc passa o cartão do metrô tanto na entrada quanta na saída o que dificulta o raciocínio já que é computado que vc saiu de uma determinada zona,hahahahah enfim foi UMA ZONA e até hoje estamos um pouco confusos....então para quem for usar o metrô saiba que são limpíssimos e as estaçoes são perfeitas,além disso é a maneira mais prática e barata de conhecer a cidade,os atendentes falam inglês(um pouco difícil entender aquele inglês do oriente médio por isso sempre perguntem e detalhem bem o destino final para que eles possam vender o bilhete certo). Continuando no assunto DUBAI MALL eu já havia reservado a subida no topo do Burj KHALIFA(prédio mais alto do mundo com elvador mais alto do mundo) para as 17hs ao custo de 130 dirhams por pessoa(aproximadamente 37 dolares) este foi o único passeio reservado previamente pelo site(2 meses antes) http://www.burjkhalifa.ae/en/ para ver o pôr do sol mesmo vale a pena reservar as 17:30 ou 18hs.eu quando subi ainda estava claro mas já valeu a pena a visão e eu recomendo...No final após descermos assistimos o show das águas que é um espetáculo curto porém muito interessante aos pés do Burj khalifa Dia 4 Nesse dia compramos passeio full day com almoço não incluso para conhecer os 6 emirados em um único dia... Abu Dhabi, Sharjah, Ajman, Umm al-Quwain, Ras al-Khaimah e Fujairah...É um passeio bem interessante para se ter idéia que Dubai dentres os Emirados foi quem mais prosperou.Além disso as paisagens são diferentes também.Tem uma parada no Sharjah museam of islamic civilization e durante o passeio passa-se em várias mesquitas porém não entramos em nenhuma,foi só para tirar foto da parte externa mesmo. A noite nesse mesmo dia fomos a outro shopping no nosso bairro mesmo chamado Deira city center e bem em frente descobrimos uma loja que vendia várias perfumes originais a preço de banana...perfumes bons sendo vendidos a 30 dolares. Dia 5 Nesse dia decidimos não comprar nenhum passeio no hotel mas sim pegar um taxi até uma praia diferente,a princípio a Jumerah beach residence e alguma outra...descobrimos que algumas praias são fechadas só para mulheres na quarta feira,então voltamos novamente para Jumeirah beach residence aos pés do Burj al Arab e depois fomos na Jumeirha open beach que é outra praia gratuita e ao fundo bem de longe vemos o Burj Khalifa...Após um dia de praia a tarde fomos ao mal of Emirtaes que é outro shopping muito interessante com uma pista de ski lá dentro e depois resolvenos ir a Dubai Marina tirar belas fotos com aqueles prédios modernos...Fizemos tudo de metrô sendo que dubai Marina fica longe então dependendo tem que comprar o 3 zones... A noite pagamos 35 dolares e fizemos o passeio do jantar flutuante no Deira Creek que é um passeio excelente que vale muito a pena também até porque o jantar tem de tudo e o fato de estar no creek de Dubai já paga o passeio...Eles nos pegam no hotel as 19 hs e tem duração de 2 horas... Dia 6 Este dia decidimos ir ao ferrari world que fica na capital Abu Dhabi...pagamos 105 dolares o passeio la mesmo no hotel porém me arrependi um pouco, não porque o parque não seja legal mas PELO HORARIO QUE FORAM NOS PEGAR quase 11 hs perdemos o dia todo de parque já que Abu Dhabi fica A 2 HORAS DE Dubai e o parque fecha as 17 hs portanto quem for visitar o Ferrari world eu recomendo que vá por conta para ficar desde a hora que abre até a hora que fecha o parque....É muito grande lá dentro e tem a montanha russa mais rápida do mundo que vale muito a pena(eu andaria um milhão de vezes) tem vários simuladores legais e dá para tirar várias fotos... Dia 7 Este dia resolvemos comprar o tour para Abu Dhabi,pagamos 90 dolares com almoço não incluso e compramos novamente na agência do hotel...Chegando na capital eles nos levam para conhecer o hotel mais chique da cidade o EMIRATES PALACE ABU DHABI mas eu e meu primo desavisados fomos de bermuda por causa do calor insuportável e NÃO NOS DEIXARAM ENTRAR hahahahahah porque tem que estar de calça...logo ficamos esperando uns 30 minutos fritando do lado de fora até os outros turistas voltarem...então quem for fazer esse tour já sabe CALÇAS LONGAS....após passar essa parte o guia nos leva também para conhecer o circuito de fórmula 1 que é bem bacana também e mostra também algumas praias...fomos até a Sheik zayed grand mosque que é uma mesquita enorme porém não entramos foi só para sacar algumas fotos mesmo... A noite resolvemos pegar o metrô novamente e ir jantar em Dubai marina e a comida lá é bem barata se levarmos em conta a vista e a riqueza do local... Dia 8 Foi o dia que partimos para Luanda que é outra história e outra realidade e também tem outro relato breve aqui... Resumo: Dubai vale muito a pena e não é uma cidade cara como as pessoas imaginam...a língua é árabe mas em nenhum momento deixaram de falar inglês comigo...não precisa se preocupar tanto assim com a roupa que vc usa(eles estão acostumados com turistas ocidentais,exceto usar burca para entrar na mesquita e calça para entrar no hotel de Abu Dhabi)...Os passeios não incluem almoço e giram em torno de 70 a 100 dolares...A maioria das coisas pode ser feita de metrô exceto ir as praias porque o metrô não chega então obrigatoriamente tem que pegar taxi que não é caro...Andar a pé é uma missão quase impossível no verão de Dubai...De resto, ENJOY YOUR TRIP!!!
  37. 1 ponto
    Quando vi que a gol estava voando para Tobago resolvi comprar por 16.000 milhas mais 800 reais ida e volta...Não me arrependi! o país vale a pena pela beleza das praias e tive a sorte de ter uma hospitalidade boa na guesthouse que fiquei, apesar dos habitantes da ilha serem grossos principalmente as mulheres que costumam ser bem mal humoradas e chatas... A época da viagem foi setembro/outubro não é a mlhor época para ir mas eu peguei tempo bom todos os dias com muito calor e chuvas isoladas que não atrapalharam em nada A moeda é o TT dolar e cada dolar americano compra 6 TT dolares...Não fui em banco trocar pois praticamente todos davam troco em TT dolar e a conversão sempre essa de 1 para 6... A comida é excelente,é muito temperada então pessoas com estômago sensivel devem tomar cuidado...Há variedades de peixes e muito frango...o prato típico chama se palau crioulo(mistura de arroz,frango e muito tempero) que custa em media 8 dolares Dia 1-Tobago Primeiramente é necessário saber que Tobago não é uma ilha tão pequena assim e não é muito fácil a locomoção sendo que taxis não estão disponíveis a toda hora(há lugares que levam mais que 2 horas para chegar a partir de crown point (que é a região do aeroporto),então o melhor a fazer é alugar carro...Eu aluguei na Alamo pelo site no Brasil pagando 250 dolares por 5 diarias...A mão é inglesa no começo confunde um pouco mas depois acostuma...Logo no primeiro dia tive o azar de furar o pneu do carro e tive que andar o dia todo com step porque o dia seguinte era domingo e todas as borracharias estavam fechadas... Reservei pelo booking o sanctuary hotel e RECOMENDO MUITO...a hosptalidade do dono vish e sua esposa Patricia é fantastica,ele nos ajudou muito em tudo....Não tenho reclamação nenhuma...paguei 400 dolares em um apartamento com 2 quartos para 4 pessoas por 5 diarias...Encontrei brasileiros no aeroporto que ficaram em grandes resorts lá como o coco reef,Magdalena e Blue Divers e reclamaram muito do atendimento...já eu fiquei em um mais simples e mais barato e fui muito bem tratado...então a primeira grande dica é se hospedar nesse hotel que fica a 15 minutos do aeroporto de carro na região da bucco beach... Dia 2-Tobago Era domingo e como estava com step no carro alugado pela falta de borracharias abertas resolvi não ir muito longe...nesse dia já resolvi ir para pigeon point que é a melhor praia lá e coloracão mais clara...para entrar na praia paga se 20 TT dolares(3,5 US dolar) porém a praia tem muitas comodidades, restaurante,algumas mesas,aluguel de cadeira a 30 TT dolar e até música no domingo que é um dia festivo pra eles(inclusive é o dia da sunday school,uma festa que ocorre na bucco beach do lado do hotel que fiquei mas eu infelizmente não fui e me arrependo pois todos disseram que é legal) Passei o dia inteiro na pigeon point beach e lá eles oferecem muitos passeios de jet ski para quem quiser por U$40 dolares Dia 3-Tobago Esse dia decidimos ir fazer o passeio mais recomendado no tripadvisor que é o passeio de barco na Nylon pool...Ao acordarmos fomos na Alamo para resolver o problema do pneu do carro furado mas recebi a resposta que isso era um problema meu hahahah então com a ajuda do Vish novamente achei uma borracharia e por 25 TT dolares resolvi o problema... Às 11hs chegamos na praia Store bay para encontrar o rapaz que o vish tinha ligado e fez desconto pra gente,ficando 75 TT dolares por pessoa o passeio(normalmente é 100 TT dolares)... A praia store bay também é bonita tanto que depois do passeio ficamos por lá mesmo...o passeio foi das 11 as 14 hs e incluia algumas bebidas como água e refri...Primeiro ele para no bucco reef para vermos do barco mesmo os peixes lá em baixo pelo vidro( é um glass boat) depois quem quiser faz snorkel em outro ponto e por último a parada na nylon pool para nadar e relaxar...RECOMENDO MUITO esse passeio...muito lindo o lugar... Dia 4-Tobago Acordamos e já tínhamos decidido que iríamos conhecer a capital scarbourough e depois iríamos para as praias longe(Castara beach,Englishman's bay e Parlatuvier beach)... Em scarborough fomos no fort King estava vazio foi interessante a visita...giramos um pouco pela capital e depois já pegamos a estrada rumo a castara beach...a estrada é muito ruim,montanhosa e até um pouco perigosa....Muito estreita e é demoarado o percurso...Tanto a castara quanto a englishman's e a parlatuvier são prais bonitas porém SOMENTE PARA TIRAR FOTOS não são para relaxar, pelo menos na minha opinião...tanto que todas elas estavam vazias, dái almocamos por lá mesmo e voltamos A noite fomos na região mais agitada de Crown point perto do bar Jade monkey(as melhores praias e o agito está tudo cerca do aeroporto) Dia5-Tobago Tiramos o dia para voltar a pigeon point que é a melhor praia de lá mesmo... a noite fomos novamente para Crown point...Giramos muito de carro e para nossa surpresa a gasolina lá é baratissima pagamos U$15 dolares somente para encher o tanque e assim como os Eua não há frentistas... Dia 6-Ida a Trinidad Paguei somente U$24 dolares o trecho pela caribbean airlines para a outra ilha e como queria conhecer Port of spain fiquei hospedado na capital em um hotel simples chamado Melborne Inn muito bem localizado perto de todos os restaurantes e bares)...Ficou US215 dolares 2 diarias para 4 pessoas em um mesmo quarto Paguei US30 dolares do aeroporto para o hotel pois fica um pouco longe(o aeropoorto não é em Port of Spain) Esse dia fomos ao shopping Movie Towne e almoçamos por lá...a cidade é extremamente quente,mal aguentávamos andar então não dava pra fazer muita coisa apenas giramos por perto do hotel mas era feriado e estava tudo fechado Dia 7-Trinidad-Port of Spain Não tem muito o que fazer na cidade conhecemos o principal que é a red house o queen park e a independence square mas eu gostei do lugar,dizem que é pergigoso a ilha de Trinidad...bem mais que tobago...por isso nao fui a praia maracas bay que também é longe e caro para chegar até lá...além disso não é bonita comparada com as praias de tobago) Dia 8-Trinidad Esse dia saí de Port of spain e fui a santa lucia(outro relato) paguei US105 dolares o trecho pela caribbean airlines também...Depois volatmos para tobago e ficamos novamente no hotel sanctuary do vish porém sem carro e ele nos buscou e levou ao aeroporto e ainda nos levou na praia swallows que é do lado da pigeon point...cobrou US10 dolares por cada serviço muito barato(U$ 20 dolares para buscar e levar ao aeroporto e U$10 dolares para levar e buscar da praia e ainda fez um tour pelo resort magdalena) É um relato breve como todos os meus relatos... quem tiver outras dúvidas me add no facebook sem probelmas https://www.facebook.com/diego.costa.79
  38. 1 ponto
    Dia 07-04 terça feira EPECOT -A condução passa as 07.35 – 10.00 e 12,00 horas vai direto para Epecot. Chegamos lá as 0810 tivemos que esperar o parque abrir as 09 horas, só entra uma hora antes quem esta hospedado dentro e tem o fasst pass. Abriu a porteira é a correria geral. Fomos direto para a Soarim, a hora de espera já estava 80 minutos, seguimos para o Test Track, também 70 minutos de espera, saindo fomos ao Mission Space achei um dos melhores. Fomos a visitar o México demos uma olhada em outros mas o objetivo era Marrocos comer a comida de lá custou US 16,00 com coca, seguimos para a França vimos o filme, fomos para o Canadá também assistimos um filme demos mais uma girada e já era com o pé que parecia a pata de um elefante, resolvemos parar as 17.30 seguimos para o ponto do bus o mesmo chegou as 17.45 a programação 18 horas deu tudo certo, direto para o Hotel jantamos no quarto com umas cervejas e pronto para dormir. Para retorno tem bus as 18, 20 e 22h.
  39. 1 ponto
    Dia 6-04 segunda feira A condução free chegou no hotel exatamente as 09.20 (com reserva antecipada) seguimos para o Sea World. Levou uns 20 minutos. Iniciamos o passeio indo direto para a montanha russa Manta, show de bola, muito boa vai numa posição pendurado, não da para curtir a paisagem só adrenalina. Seguimos para Antartida etc. Vimos o show golfinhos e baleia, para ambos tem que chegar uma hora antes se quiser pegar lugar bom. A Montanha Russa Krakem foi uma das melhores. A programação era a condução nos pegar as 18 horas chegamos lá 17 h, Tem a opção de pegar o trole mas tem que se informar. Passamos no mercado, abastecendo mais uma caixa de cerveja uns espaguete com frango, direto para o hotel. A cerveja no parque custou US9,00 e o almoço com coca custou US 16,00
  40. 1 ponto
    Dia 5/4 domingo; acordando as 06.30 para pegar o bus para Buch Garden, tem que ir até o CSI nº 72.20 na Internacional Drive, é um local onde o bus da schuttle, recolhe os passageiros, o local é atrás deste prédio e leva free para quem vai ao parque tem que reservar lugar um dia antes fone 407.5952291 normalmente os hotéis fazem a reserva ou fornecem o número 222 8002211339 e voce faz a reserva. Conforme a região que esta ospedado eles informam onde é a parada do bus, são sete pontos que eles pegam. O parque fica em Tampa, a maioria é Montanha Russa uma melhor que outra. A Mantu muito boa e a Scheihra alucinante, tem que relachar e seguir como estivesse numa moto ou acompanhando o trilho não olhando para os lados, para curtir o percurso. Tem umas duas de barco com água bom para sair molhado mas faz parte. O bus estava marcado retorno as 18.30 fomos lá as 18,00 é o mesmo já estava lá pegando o pessoal, olho vivo para não perder o trem. Comida fica em torno de US 16,00, sorvete US 5,00 cerveja 9,00. Eu estava fazendo as contas, nem sempre almoçando e jantando no quarto do hotel, minha média de gasto diário estava em torno de US 30,00 com cerveja etc. Não estava fazendo economia mas a gente chega tão cansado que é melhor comer no hotel . É complicado comer nos restaurantes só no úlimo dias descobrimos a camila, mas é sempre assim.
  41. 1 ponto
    Sábado dia 4/4 Animal Kingdom estava mos programado para ir para a Disney mas esqueci de salvar o despertador para as 6.30 para pegar o bus free as 07.30 h. Acordamos as h 0715 só tinha bus as h 10.20 aguardamos para a Disney, chegando na Epecot. Optamos ir para Animal Kingdom devido horário, já era quase 11.20 , no bus de retorno seria as 20,00h o parque achei um pouco fraco o passeio de trem para ver animais. Seguimos para a montanha russa da Ázia, ótima, seguimos para o park Dinossauros acho que foi o melhor. Para criança tem ótimas atrações. Para adulto acho dispensável, eu não voltaria. O Sea Word é melhor. Dia de regime ou de economia. O café da manhã super reforçado, no parque só um sorvete, a janta foi no quarto do hotel.
  42. 1 ponto
    Sexta feira 03-04.ISLANDS OF ADVENTURE Pegamos o bus free do hotel retornamos para a Universal fomos visitar ISLANDS OF ADVENTURE, o parque é ótimo. Estava lotado por ser feriado nos EUA. Sempre em algum estado tem uma semana de férias o que ajudou para o movimento em Orlando. Brasileiro a gente encontra a cada momento. Para falar aqui falando um pouco de Espanhol não tem problema de comunicação. Eu destaco a Montanha Russa do Huck, River Adventure, Jurassic Park e o Harry Portter. Descobrimos que entrando sempre na fila de uma pessoa é mais rápido. Em todas atrações a espera normalmente era 60 minutos. Há, a achei péssimo para adultos o The Lost Continent. Muito fraco. Chegamos no park tipo 10.00 horas e as 15.30 já tínhamos visitado as principais atrações, resolvemos ir embora, Seguimos para pegar o bus e na passagem do taxi perguntei o preço custava US15 vejam do parque para o Hotel dava umas 3 milhas, caríssimo mas pagamos em dois em cinco minutos estávamos no hotel. Fomos a um supermercado comprei um cartão de telefone para o Brasil US5,00 para falar cinco horas, comprei duas embalagens de macarrão, tipo miojo mas é uma embalagem com molho, é diferente ainda não tem no Brasil, US 3.39 cada uma, caixa de cerveja com seis US 9.99, fomos para o hotel onde almocei. A noite um lanche com pão queijo presunto e queijo que estava na geladeira. O macarrão é feito em um minuto no micro.
  43. 1 ponto
    Eu saí de Canela (em carro próprio) e fui visitar o Itaimbizinho, fiz as duas trilhas. Na saída perguntei na portaria como estava a visibilidade no Fortaleza, zero... acabei voltando pra Canela sem conhecer o Fortaleza. E os canions ficam cada um em uma direção, por estradas de chão. Tem que ter paciência. De Canela a Cambará são 116km, aprox. 1:30 hs de viagem.
  44. 1 ponto
    Quarta Feira 26/11 Ouro Preto e Belo Horizonte. Ouro Preto a cidade inteira é linda, não é fácil parece que só só tem subida. Fomos ao museu e seguimos o roteiro as Igrejas, a visita ao Museu e a Matriz são compulssórias. É muito importante pegar um guiapara visitar a Matriz , existem detalhes no teto e nas salas que passam despercebidos se não forem mostrados. No final do dia retornamos a Belo Horizonte.
  45. 1 ponto
    No outro dia seguimos para Betesda era um centro de peregrinação onde existia um tanque com água com poderes curativos. Onde Cristo também realizou um milagre. Na estrada paramos pra ver um os restos de um carro de combate Sírio destruído na guerra dos seis dias. Fomos ao Rio Jordão já na Alta Galileia onde Jesus se Batizou, ali foram construídas varias Igrejas e cada um pactua um ponto. O rio é estreito e do outro lado já é a Jordânia. Neste setor é policiado pelos soldados de Israel e do outro lado pelos da Jordânia o rio é super estreito Seguimos para ver a fonte de Eliseu onde a água foi purificada. Seguimos para conhecer as muralhas do antigo Jericó em frente você a vista o monte da tentação. Seguimos para Jerusalém, mas não paramos fomos para o Hotel que ficava na Palestina.
  46. 1 ponto
    Outro passeio foi a Canaã da Galiléia onde Jesus numa festa de Casamento, realizou seu primeiro milagre transformando numa talha água em vinho. Outro dia começamos conhecendo as ruínas de Korazim uma cidade que foi amaldiçoada, na realidade ela sofreu um terremoto, este passeio não estava no roteiro assim como teve outros passeios. Seguimos para o Rio Jordão na baixa Galiléia, Um dos pontos altos foi o Batismo do grupo no Rio Jordão, eu não me batizei por que me considero batizado, mas foi emocionante a todos que receberam o Batismo quase todo grupo se Batizou, seguiu para o Hotel para curtir um fim de tarde na piscina.
  47. 1 ponto
    Foi uma viagem totalmente diferente. Chegando a Israel, fomos direto para Tiberíades. Ficamos num hotel super confortável em frente ao Mar da Galiléia. Quem viaja independente sem carro fica desconfortável se hospedar devido à distância e localização. king Salomon Hotels 04-6700500 Teberias E-mail [email protected]
  48. 1 ponto
    25/01/2010 – USHUAIA [align=justify]Madrugada. Estrada de Río Grande pra Ushuaia. Chegamos 3:30h em Ushuaia. Procuramos vários albergues, quase todos lotados. Havia vaga no Los Lupinos e no Cruz del Sur. Os brasileiros (loucos*) e um casal francês ficaram logo no segundo. Fui até o credenciado HI. Longe pra porra e sem nenhuma vaga. Voltei no 1º por causa da suposta promoção, quando já estava preenchendo a ficha descobri que cobrariam pela noite, sendo que no Cruz del Sur não. Voltei no Cruz del Sur, o atendente já tinha voltado a dormir e só tinha uns hóspedes bêbados, pedi que o chamassem e depois de uma pequena confusão, chamaram. O cara é gente boa, nem fez cara feia com a segunda acordada . O ambiente no albergue é massa. O dono já viajou o mundo todo, tem fotos, postais e mapas de todas as partes do mundo nas paredes. Também tem fotos de Pablo, o atendente gente boa. Não dormi, pois, não queria perder a manhã. Desayuno e informações sobre os passeios de barco. Estava com problema na conta bancária, esperava uma transferência que nunca chegava. Tinha dinheiro para o início, mas queria fazer apenas um saque. Dei sorte, fui a LADE, reservei um vôo para Río Gallegos. De ônibus passaria o dia todo viajando, e talvez a noite se demorar a atravessar o estreito de Magal rs. Ganhei mais um dia. Além disso, Luka (o dono do albergue) fez o passeio de barco por $185 (na agência era $200) e ainda para pagar depois. O barco sai 15:30h para um passeio de 4:30h de duração. Uma sueca e uma norueguesa também iriam nesse passeio. Tinha que fazer uns contatos por emeio e disse que as encontraria na embarcação. No guichê da empresa, a (ir)responsável me deu o cartão para o passeio curto quando deveria ser do longo - até a pinguinera. O problema é que só o pessoal da empresa sabe a diferença. Só percebi porque não encontrei as meninas na parte de baixo e fui à cobertura procurá-las. Elas estavam na parte de cima, só que no barco ao lado. Até esse momento eu nem sabia que os barcos fariam passeios diferentes, só queria ir com as gatinhas que já conhecia. Aí corri pra explicar tudo, ligaram pra central até que vasculharam e confirmaram a embarcação certa. Incrível, passa por dentro do barco que eu estava para chegar ao correto. Em 5 minutos começa a navegação pelo canal de Beagle. Foi por pouco. Expliquei a situação às meninas, que ficaram com peninha de mim . Enfim a navegação. Na ida, um cruzeiro gigantesco (redundância) passa por nós em direção a Ushuaia. Gostei do passeio, achei massa. Brisa no rosto. O dia estava semi-nublado, clima agradável. Chega-se perto da ilha dos lobos-marinhos, do farol do fim do mundo e da ilha dos pingüins. Os lobos-marinhos são desinibidos, fazem sexo na frente de qualquer um rs. 20h voltamos ao porto. O cruzeiro é tão grande que o telão é maior que a minha casa rsrsrs. 1ª vez que vi de perto. Eita vida ruim que eu acho boa! * Brasileiros loucos: merecem um capítulo a parte. Conheci os dois paulistas na viagem para Ushuaia, enquanto esperávamos para atravessar o estreito de Magal. Contaram que estavam numa viagem para conhecer o máximo de lugares em pouco tempo. Já tinham passado por vários lugares da Argentina e do Chile, sempre “voando”. Inclusive, foram totalmente despreparados ao Torres del Paine, no refúgio não tinha mais vaga nem barraca para alugar. Acabaram apelando com os guardaparques e dormiram no depósito de equipamentos. Chegaram de madrugada, dormiram a manhã toda, acordaram e reservaram o vôo pra 21h. Falei para deixar Buenos Aires e Montevidéu pra outra viagem e aproveitar Ushuaia, já que é muito mais longe. Não adiantou. Quando voltei do passeio já tinham ido embora. Até Luka ficou dizendo que eram doidos, chegar aqui num dia e ir no mesmo. Quando perguntei o que fizeram de tarde, disse brincando que foram ao aeroporto pagar as passagens . Vôo para Río Gallegos: $210 (ônibus: $200) Albergue Cruz del Sur: U$32 (2 noites) 26/01/2010 – USHUAIA Problema financeiro resolvido. Paguei o passeio de barco, o albergue e a passagem da LADE. Visita ao Glaciar Martial que na verdade não é glaciar. Caminhando ora pela floresta, ora pela estrada até um ponto que descobri a verdadeira trilha. Estava meio perdido no início ãã2::'> . Dia quase todo de sol. Subi, tirei várias fotos e vários filmes para registrar tudo. Lá de cima tem uma vista massa do canal de Beagle e da cidade. Coloquei quase 1 kg de algodão no calcanhar para amenizar a dor. Durante a subida até que deu resultado. Na volta, nas primeiras ruas a dor estava insuportável. Voltaria caminhando e estava escurecendo. Parei num parquinho, tirei as botas, as meias e voltei descalço . 27/01/2010 – USHUAIA Das principais coisas a fazer em Ushuaia só faltava visitar o parque. Indecisão se dormia lá ou voltava pro albergue. Queria conhecê-lo que nem fiz com o Torres del Paine, mas os equipamentos estavam já bem guardados, além disso, estava cansado de acampar. Mesmo assim levei barraca, saco de dormir, isolante, pão e biscoito. Tudo que precisava para acampar. Transporte passa a cada hora pelo albergue. A princípio achei caro, depois nem tanto. É a cidade mais cara da Argentina, não tem outro transporte mais barato nessa rota e cada vez que a van entra no parque paga $14. Entrada regularizada. Desci no início, perto da estação do trem do fim do mundo. Lá vem o trem, pequeno e com quantidade de passageiros reduzida. Vamos começar a andar. Fiz praticamente todo o parque. Fui a uma pequena cascata (pequena mesmo). Sendero a “pampa alta”, aqui teria uma boa vista da região se não fosse quase por completo tomada pela vegetação. Bahía Enseñada com um mini porto e uma agência dos correios. Muito legal, tem uma vista do canal de Beagle que não se vê de Ushuaia. Dá pra deitar e ficar viajando . A trilha beira o canal em alguns trechos. Dei uma errada da porra, não vi uma marcação que estava atrás do arbusto, caminhei por uma praia de pedras até um ponto que só passa pro outro lado se tiver disposto a se molhar até a cintura. Voltei e achei a trilha certa, inclusive coloquei a marcação em uma posição mais fácil de ver. A essa altura já tava cansado das botas e continuei de sandálias. Imagine, na trilha com sandálias! Não vou dizer que é inédito, mas com certeza é inusitado. Além disso, uma das recomendações do parque é usar calçado reforçado. Às vezes eu corria para recuperar o tempo perdido. Queria fazer o trecho até o Chile (Hito XXIV) ainda nesse dia. Cheguei ao lago Roca 20h, atendimento péssimo. Só aqui descobri que tinha refúgio, senão nem teria levado nada. Banho quente só de 18h às 21h. Precisava de um, desisti do Chile para tomar um demorado e regenerador banho quente. Com essa troca, ficaram 2 trechos ao invés de 1 para o dia seguinte. Tentei dormir cedo, mas 1 hora depois acordo. Optei por dormir sem saco de dormir e o frio “esquentou” rs. Perguntei ao “simpático” atendente se iria acender o aquecedor a lenha. Ele disse que era pra ter pedido mais cedo, que já tava escuro e ficou resmungando. Como se precisasse pedir. Nem lanterna o cara tinha, tive que improvisar com a câmera. Voltei a dormir, mas acordei algumas vezes preocupado com a correria do próximo dia. Traslado: $50 (<-->) Entrada no parque: $50 Passeio no trem: $95 (não fiz) Refúgio: $40 (Acampamento: $18) 28/01/2010 – USHUAIA Último dia. Amanheceu chovendo. Que merda! Imaginem se tivesse acampado. Atrasei minha saída por causa da chuva. Mas não dava pra reclamar, de 4 dias em Ushuaia, apenas esse ficou com clima ruim. Comi pão e fui em direção ao Chile pela 3ª vez na viagem. Comecei com as botas porque pensei que a trilha estaria encharcada. Minutos depois troquei os calçados. Já estava experiente em fazer trilhas com sandálias, um calçado bem reforçado. Saí correndo muito, queria fazer a Bahia de Lapataia e voltar cedo por causa do avião. Essa trilha também vai beirando a água em alguns trechos. Cheguei ao Chile, no meio da floresta e da praia tem um marco no limite dos países. Cruzei a fronteira e cogitei adentrar mais na floresta, mas desisti quando me lembrei das horas perdidas nas migrações hehehe. Em duas horas estava de volta ao lago Roca, passei direto para Lapataia. Tudo correndo e de sandálias. Fiz todas as trilhas dessa região do parque. As castoreiras ativas pareciam estar de vacaciones. Não consegui ver nenhum castor, só a destruição deles. Os bichos fazem uma destruição da porra para sobreviver. Se o Greenpeace descobrir isso, estarão perdidos rsrs. Voltei correndo MUITO para o acampamento Lago Roca, parecia Usain Bolt das trilhas. O carro sairia 15h. Era o último que chegaria a tempo de pegar o avião. Peguei a mochila no refúgio e em 10 minutos saímos pra cidade. No albergue, arrumei as 2 mochilas fazendo compensação pra não pagar excesso de peso. Por fim, despedida do pessoal do albergue (Pablo e Leandro), táxi pro aeroporto ($19) e vôo pra Río Gallegos. Passei a noite no aeroporto com mais alguns mochileiros que chegaram depois. 29/01/2010 – BUENOS AIRES Vôo para Buenos Aires 3h da madrugada. Desci de manhãnzinha, pedi informações, guardei a mochila grande no guarda volume e fui ao centro. Informações turísticas, uma correria desgraçada por vários pontos turísticos principais e secundários. Andei que só a porra, as botas deram trégua (os pés já estavam anestesiados) e não precisei colocar as reforçadas sandálias. Almocei no restaurante La Vaca, passei mal e acabei perdendo o vôo pra Porto Alegre. Cheguei no aeroporto, o avião já estava chequeado, ainda conversei com o pessoal e disseram que se não tivesse mala para despachar poderia ir. Mas quando viram minha “mochilinha” gigantesca... Resultado: paguei a multa e peguei outro vôo, mas só tinha uma nova conexão em Montevidéu no domingo. Foi o jeito. Passei em Porto Alegre para rever amizades e em São Paulo para rever minha irmã. Cheguei de volta em casa no dia 03 de fevereiro. VIAGEM EXCELENTE!!! Qualquer é só mandar aqui no tópico que responderei com prazer. Abraços ( para as meninas) e vão viajar! Para terminar... BORA BAHÊA MINHA PORRA!!! [/align]
  49. 1 ponto
    [t3]PARQUE TORRES DEL PAINE[/t3] 1º DIA: 10/01/2010 [align=justify]Ônibus na porta às 7:30h, passa em cada hospedagem para pegar todos, um tempão rodando a cidade. Estrada e parada “técnica” num povoado pro povo gastar dinheiro, 3 vezes mais caro que em Puerto Natales. Aproveitei para fazer novas amizades: Pode comprar a passagem pro povoado ($800) e tentar carona para o parque. Entrada $15.000. Mapa, informação, conversa e alongamento. Iniciamos a longa caminhada. Pouco depois da entrada pro lago Dickson começaram as despedidas. Um rápido, um normal e um devagar. Tácio saiu literalmente correndo na tentativa de terminar antes de começar. Depois me despedi de Cristiano porque tinha planos de chegar ao 2º acampamento ainda "hoje". Cheguei no Seron, reencontrei uma alemão que tava no mesmo albergue em Salta. Aproveitei para descansar. O "devagar" chegou. Adiantei e acampei no Acampamento Taciano, que fica um pouquinho antes do famoso acampamento Dickson. Já estava quase escuro e tinha 1 bilhão (sério!) de mosquito azucrinando, tive que colocar luvas, gorro e óculos escuros para me proteger. Imagine! Acredite se quiser! Montanhas, vocês nunca mais vão fugir! 2º DIA: 11/01/2010 5 minutos de caminhada e recebo uma reclamação por acampar fora dos acampamentos oficiais. O cara tava fumaçando . Tentei adiantar para chegar ao Paso. Entrei por um caminho errado (que vocação), acabei encontrando Tácio voltando da “caverna” de gelo. Combinamos que eu continuaria e ele voltaria para pegar a mochila e seguiríamos ao acampamento Paso. Começou a chover forte, esperava e nada do cara aparecer. Achei que deixaram seguir por ser um trecho perigoso com chuva. Estava perdido, voltei para tentar encontrar o caminho. Parou de chover e parecia que o tempo ia abrir. Fui seguindo uns sinais nas pedras e cheguei até a “caverna” de gelo. A partir daqui não tinha mais sinais e o tempo fechou completamente. Se fosse São Paulo teria inundado rs. Decidi voltar ao acampamento e só então descobri que estava no caminho errado. Além disso, o cara disse que Tácio tinha ido tentar me acompanhar. Eram 18:30h, estava todo ensopado e a travessia pelo paso Gardner é de umas 6 horas. Dormir era o melhor a fazer. Acampamento Taciano Meu vizinho - Acampamento Dickson A "caverna" 3º DIA: 12/01/2010 Acordei tarde. Não havia mais ninguém acampado. Em certo momento, percebi que a capa da mochila tinha se desprendido. Puta que pariu! O pior era que não sabia quando. Mesmo assim, deixei a mochila encostada e voltei para procurá-la... por sorte, estava presa numa pedra. Depois a máquina fotográfica parou de funcionar, talvez por causa do frio. Puta que pariu de novo! A travessia pelo paso John Gardner é foda. Tive medo pra porra. Lá em cima tem uma espécie de espantalho cheio de roupas e equipamentos. Gelei, imaginei que fossem objetos de pessoas que morreram tentando atravessar e fiquei pensando o que eles iriam escolher para colocar se eu morresse ali. Depois soube que são apenas objetos perdidos . Peguei uma tempestade de neve. Cheguei ao acampamento Paso com os dedos dos pés quase congelando. INFELIZMENTE NÃO PUDE TIRAR NENHUMA FOTO DO PASO JOHN GARDNER! 4º DIA: 13/08/2010 Acordei tarde de novo. Preocupado porque os dedos continuavam mal. Dormi e acordei com medo de perder algum dedo congelado. Quando tava perto de sair, chega o devagar Cristiano (lembram?). Mais um pouco e fomos ao “los guardas”. Bom lugar. Tomei um excelente mini banho num cano furado rs. Que água fria da porra . Tem um mirador massa do Glaciar Grey a 3 minutos. Vale a pena conferir. Jantamos e ficamos conversando com os outros caminhantes. Coloquei as roupas pra secar ao vento e fui dormir. Esse foi o menor trecho que fiz em um dia. Que porra é essa? É de comer? Glaciar Grey 5º DIA: 14/01/2010 Dia chuvoso. Muita estrada pela frente, de “los guardas” para “las carretas”. Já comecei me perdendo (de novo) na saída do acampamento ãã2::'> rs. Tem que prestar atenção porque parece mesmo ter outro caminho, talvez um antigo. Voltei para achar o correto. Encontrei umas chilenas e caminhamos até o “grey” onde ficaram. Segui até “Pehoé” sob uma chuva chata. Lá parei para descansar e comer. Conversei com o guardaparque e peguei o beco para o “las carretas”. Muito pasto no caminho. Se gostasse tava feito rs. Achei que não tivesse ninguém por ser fora de rota, mas tava cheio porque quem entra pela portaria da administração passa por aqui. Ninguém tira foto de mim Discos voadores 6º DIA: 15/01/2010 Do “las Carretas” tentaria chegar ao acampamento totalmente fora de rota Zapata, saí 12:15h e cheguei 21:45h. Isso porque ainda contei com uma carona de 20 minutos até a guarderia Lago Grey. O que me fez escapar de uma longa caminhada contra o vento. Passei por uma prainha pra conferir um mirador. Não é dos melhores, vê-se bem longe o glaciar Grey. É mais visitado por pessoas com mais idade e por quem faz o passeio de um dia. Continuei em direção ao Zapata sem encontrar ninguém. Por fim, veio um casal na direção oposta. Disseram que eu era o 1º que encontravam, que não havia “nadie” acampado e não tinha água, mas que era bonito. Qualquer pessoa normal pensaria 3 vezes antes de continuar. Fiz isso. Como já tava no meio do caminho, fui até o fim. Cheguei no acampamento, montei a barraca e ainda tive força para ir correndo (e andando) ao mirador. Ida e volta em 1:15h. Fui voando. Voltei já escurecendo, mais de 23h, ouvi um barulho estranho que saia do mato . Corri mais ainda segurando o gorro numa mão e uma pedra na outra . Dormi sozinho, a 4 horas da pessoa mais próxima. De madrugada ainda apareceu um bicho para mexer na barraca. Imagine! Talvez algum pequeno pássaro noturno, pelo barulho não parecia ser grande. Ainda bem. Vai que aparece um puma lá hehehe. O Zapata é abandonado. O mato já tomou conta, só tem dois locais com mato baixo. Deve ser onde os poucos que vão lá colocam a barraca. Acampamento Zapata superlotado! 7º DIA: 16/01/2010 Acordei relativamente cedo, dia ensolarado. Olhei no mapa e pensei que tivesse perdido a visão do glaciar Zapata. Decidi voltar correndo ao mirador. Pausa no riacho para a higiene matinal e passar protetor. Tava enganado, mas a visão é melhor no início do que no fim do dia. Saí do Zapata às 12:30h com um objetivo audacioso: chegar ao Italiano. Quando comecei a andar mudei de idéia, chegar ao las Carretas. Já cansado e ainda no meio da floresta comecei a pensar que se conseguisse sair dessa trilha já estaria bom demais rs. Um riacho! Puta que pariu! Que alegria da porra. 1º banho 100% da missão Torres del Paine. Banho excelente - congelante. Muito relaxante . 5 horas após, consegui chegar a guarderia. O tempo estava querendo fechar. Botei as impermeáveis e fui andando sob forte vento. No 1º pedido de carona um casal de Córdoba ajudou. Alguns quilômetros e algumas horas economizadas. Por volta de 1:30h com um vento desgraçado na cara... mi querido “las carretas”, ufa! Barraca, rango, água, caderno e lona. Armei a barraca num lugar plano, esqueci do quesito proteção contra o vento. Mas ela aguentou firme mesmo com o vento forte. Era cada rajada. 8º DIA: 17/01/2010 De “las carretas” até o Italiano. Dia nublado com chuviscos esporádicos e vento médio de frente. O sol conseguiu aparecer também. Um pequeno descanso na guarderia Lago Pehoé e direto ao destino. Armei a barraca mais uma vez, já tava cansado de fazer isso. Os pés machucados pelas inimigas botas. Eram 18:30h, dei uma olhada no mapa e num surto de loucura tentei chegar ao mirador do francês. Fiz uns cálculos doidos de tempo/distância. Achei que se fosse muito rápido, retornaria antes de meia-noite. Comecei a subir. Fiquei meio atrapalhado com as marcações de pedras, a todo momento tinha que procurar a próxima indicação da trilha. Resultado: 30 ou 40 minutos e a sensação que não tinha saído do lugar. O melhor era voltar e dormir para subir no outro dia com calma. 9º DIA: 18/01/2010 Descansado e com calma, mas com os pés muito doloridos, subi até o mirador. Na verdade, subi muito mais. Não havia ninguém quando cheguei (incrível, 13:30h e o povo já tava voltando). Cada vez que eu olhava tinha umas pedras amontoadas indicando o caminho. Mesmo com medo de morrer, fui subindo como se o vale ficasse do outro lado da montanha. Vê se pode. Cansado e calculando o tempo de volta, como nunca chegava do outro lado, pensei que talvez fosse uma rota para escaladores. Estava começando a esfriar. Tirei fotos e voltei. Encontrei 3 chilenas e 1 francês que estavam no verdadeiro mirador. Descemos juntos. Os pés foram massacrados, as botas não perdoaram. Deixei tudo pronto para sair assim que acordasse, pois, tinha um grande objetivo: encerrar o percurso pelo parque e o final fica bem distante de onde eu estava. Vale do francês do outro lado? Só se for da Guyana Francesa. Perdido, perdido Agora sim 10º DIA: 19/01/2010 Acordei cedo, aliás, dormi muito mal. As 2 noites no acampamento Italiano foram as piores. A barraca ficou inclinada, o que fez o saco ficar deslizando. Saí 7:45h, pra variar, as botas continuavam inimigas dos pés. Mancava que só a porra, pensei até que não conseguiria chegar ao fim. O que seria um problemão. A comida racionada não resistiria a mais um dia. Felizmente parece que os pés reclamam muito no início, mas depois se acostuma rs. Chuva desgraçada! Não era forte, era incessante. Contava cada passo e cada placa a menos. Muito cansado, cheguei ao acampamento Chileno. Péssima notícia, todos que voltavam diziam que não dava pra ver nada. Descansei 30 minutos. Subi devagar e sempre até o acampamento Torres. Barraca armada debaixo da chata e desgraçada chuva. Objetivo final: Mirador. O sol duelava com o chuvisco e sempre perdia. Máquina que não funcionava. QUE MERDA! No mirador, sentei, admirei a paisagem e tentei fazer a máquina funcionar. Não é que em 10 minutos o tempo abriu parcialmente e a máquina funcionou. QUE SORTE! Tirei logo várias fotos pra aproveitar. Acabou a bateria, deixei ligada com medo que parasse de novo. Agora não podia fazer mais nada, ainda bem que consegui aproveitar. Sentei novamente e contemplei a paisagem que milhares de pessoas vêem todos os anos. Durante uns 30 minutos. Retornei ao acampamento, meus pés estavam molhados e congelando e por mais tempo que passasse lá, as torres não iriam se mexer. Portanto, tem limite para admirá-las rs. O trecho até o mirador está bem deteriorado pela erosão humana. Depois do mirador, pode-se caminhar mais, mas com cuidado porque algumas pedras não estão firmes. Última noite como acampado. 10 noites socado num saco de dormir e dentro de uma barraca. Depois de um dia com uma gigantesca caminhada e ter visto uma das partes principais do parque (que dá o nome), só restava dormir. 11º DIA: 20/01/2010 Acordei 7:30h. Dia bonito, sem chuva. Na verdade, só deu tempo de desarmar a barraca rs. Deixei o acampamento às 9:15h em direção a Laguna Amarga, enquanto muita gente desarmava suas barracas e comiam. Todos acabaram passando por mim. Os pés não melhoram em uma noite, principalmente se continuar as mesmas botas assassinas. Passo a passo, descendo com cuidado. Uma manhã de caminhada. A última dentro do parque, estava triste e alegre ao mesmo tempo. Não parei pra descansar. Laguna Amarga, 13:30h. Por favor, onde começa o sendero interpretativo de avifauna? “Por trás da guarderia” respondeu o guardaparque. Calma pessoal, foi só uma pergunta. Sem comida, sem tempo e principalmente sem pés. Impossível caminhar mais 5 minutos. Ônibus de volta. A família da casa-albergue em Puerto Natales estava preocupada (pelo menos disseram isso rs). Não é comum passar 10 noites acampado. COMIDA, CAMA E BANHO DE VERDADE. Para ter idéia de tempo e distância: Laguna Amarga Acamp. Seron: 3:45H Acamp. Seron Refúgio Dickson: 5h Dickson (acamp. Taciano) Los Perros: 3:30h Acamp. Los Perros Acamp. Paso: 5:45h Acamp. Paso Acamp. Los Guardas: 2:10h Acampamento Los Guardas Refúgio Grey: 2h Refúgio Grey Refúgio Pehoé: 3h Refúgio Pehoé Las Carretas: 2:20h Las Carretas Acampamento Zapata: 8:30h Acampamento Zapata Mirador (<-->): 1:15h Acampamento Zapata Las Carretas: 7:15h Las Carretas Refúgio Pehoé: 2:30h Refúgio Pehoé Acampamento Italiano: 2:15h Acamp. Italiano Acampamento Britânico: 2:45h Acampamento Italiano Los Cuernos: 1:45h Los Cuernos Acampamento Chileno: 4:35h Acamp. Chileno Acampamento Torres: 1:20h Acamp. Torres Hostería Las Torres: 2:45h Hostería Las Torres Laguna Amarga: 1:30h Relatório animal: 1 raposa 3 veados 2 papagaios Poucas aves de rapina 1 escorpião 1 baleia 1 bilhão de mosquitos 1 coelho Muitos passarinhos Condores - fizeram até dança do acasalamento em laguna amarga. Vários pardais. É foda! Andar 600 mil quilômetros pra ver pardal. Torres del Paine é bem globalizado. Tem acampamento chileno, italiano, britânico, japonês, tem vale do francês. Tinha até um acampamento brasileiro. Mas o tráfico de drogas, milhares de ladrões e a fundação de uma sede do PT fizeram a administração do parque acabar com tudo. [/align]
  50. 1 ponto
    07/12/2009 - S. S. DE JUJUY - PURMAMARCA [align=justify]De manhã, quando acabei de comer, lá vem o cara com o lanche matinal. Guardei pro futuro rs. Chegamos em Güemes 10:30h. Quase 12 horas de estrada. Saída para Jujuy às 12:30h. Aproveitei para revisar sobre a quebrada de Humahuaca. Como muitos haviam dito que não tem nada em Jujuy, procurei logo o balcão de informações turísticas e comprei a passagem para Purmamarca para 14:45h. Já estava em cima da hora, deixei a mochila no guarda volume e peguei o beco. Na viagem, conheci um casal francês. Nos bateríamos por toda a quebrada e no albergue em Salta. Estava nublado, mas melhorou muito em Purmamarca. Albergue confirmado. Fui dar uma volta, voltei na estrada para apreciar o visual do cerro de siete colores. O sol não estava 100%, mas no dia seguinte poderia piorar. Dei um rolê pela cidade e fiz o passeio colorado que dá a volta por trás da montanha. Escureceu, comi uma pizza sozinho e dormi. Purmamarca é sem dúvida uma cidadezinha encravada nas montanhas. Güemes – Jujuy: $13 Flecha bus. Jujuy - Purmamarca: $8,5 Hotel Makacha: $25 Pizza: $17 08/12/2009 – PURMAMARCA - MAIMARÁ - TILCARA - HUMAHUACA “Amanheceu, peguei a viola e fui viajar”. Não exatamente... parecido. Como sempre, uma preguiça pra levantar. Cerca de 7h, 95% de sol. Resolvi dar mais uma volta pelos “miradores”, inclusive o da estrada. Já tinha passado do horário de saída do ônibus para Tilcara, voltei no hotel (Makacha), peguei minhas coisas e fui viajar. Primeiro uma caminhada de 3 km até a estrada principal, uns 40 minutos. Pelas informações do escritório de turismo, só teria ônibus às 11:20 h. Quando caminhava na estrada, o ônibus de 9:30h passa em direção a Purmamarca. Decidi esperá-lo no contorno. Apareceu um carro e o motorista oferece “carona”. Tinha um casal também. Descobri que era um remís. Queria cobrar A$4 até Maimará, pago A$2, feito. O balcão de turismo estava fechado, fui ao guichê de ônibus e a moça deu todas as informações e até um mapa da cidade. Não tem nada distante, fui caminhando para tirar fotos da paleta del pintor (pintor não muito talentoso). Volta pela cidade, depois subi no monolito que dá uma visão do alto. Atrações terminadas, desci do monolito, passei protetor e fui em direção à Tilcara. Caminhando claro. No guia do viajante são 4 km de distância, para o motorista do remís é algo como: “são 7 km, mas pode ser 9. É 7 e 9” . Ainda poderia ser 8 km rsrs. Fui mesmo assim, 55 minutos e avisto o que poderia ser o pucara, umas pedras no alto do monte. Atravessei o rio, saltei uma cerca, desviei de uns 500 cactos, escalei uma parte do monte. Estava me sentindo uma mistura de Rambo, Bradock e Chapolin . Consegui chegar arriba, tinha poucos turistas. Ao final, sai pela entrada do pucara para pessoas normais rs (onde fica o jardim botânico). Mais 10 minutos e entro de fato na cidade. Quando me dirigia para o albergue, lembrei que já tinha visto a maior atração da cidade e retornei à praça, ainda era 13:30h. A oficina de turismo também estava fechada. No museu perguntei se havia mais alguma coisa interessante. A funcionária disse que o pucara, o jardim botânico e o museu são os mais famosos e tinha uma tal de garganta do diablo (mais uma!) a 2 horas de caminhada. Desisti na hora, depois de 3 km de Purmamarca e mais "7 km e 9 km" até Tilcara, não tava disposto a andar. Peguei o ônibus de 14:45h para Humahuaca. Procurei o HI da cidade, fica numa entoca da porra, 1 km do centro. Como quase tudo, parecia deserto. O pior é que existe um hostal em frente pra concorrer. Perguntei o que tinha para compensar a distância – “Tranquilidade”. Porra nenhuma! Voltei pro centro. Bati em vários locais, muitos fechados. Achei o Samay que fica atrás da rodoviária. Perto de tudo. Bem cuidado, duas camas por quarto. Informações turísticas mais uma vez fechada. Só então descobri que era feriado na Argentina por causa de uma tal virgem não sei das quantas. Visitei as atrações da cidade. Hotel Samay: $20 Passagem para Humahuaca: $5 09/12/2009 – HUMAHUACA - IRUYA - COCTACA Viagem para Iruya 10:30h. Um trajeto altamente cansativo, uma poeira miserável. Várias fotos. Chegamos um pouco antes do previsto, passei 20 minutos na cidade e voltei no ônibus de 13:45h. Estava doido para voltar porque queria visitar as ruínas de Coctaca. Mais uma vez uma controvérsia na distância. Na placa são 9 km, no mapa de turismo, são 12 km. Após 1 hora de pevete, o tempo começou a fechar. E agora? Continuei. Na última bifurcação, todo perdido , por sorte encontrei uma senhora que ensinou o caminho: “segue por aquela estrada, passa na frente da igreja e anda mais um pouco”. Fácil, né? Isso se eu não tivesse pegado um atalho e entrado por um “bairro” sem saída. Que merda! O pior é que não existe ninguém naquele lugar. Apenas dois cachorros, um velho e bravo e outro jovem e gente boa. Se fosse o contrário eu tinha tomado no "cachorro-quente" e não estaria contando essa estória . Voltei à estradinha, quase desisti de tanta raiva . Já nas ditas ruínas, não dava pra saber o que tava mais abandonado, se as ruínas ou o povoado. Só vi um pastor de ovelhas. De repente, um pingo. Agora tenho que correr, coloquei a roupa impermeável e comecei a andar. Andava e corria um pouco porque tava escurecendo. Passou um carro, mas não pedi carona. Cheguei em Humahuaca já pelas luzes da cidade às 20:45h, 4 horas após sair. Ainda bem que não choveu, não queria testar a roupa rs. Passagem para Jujuy $13. (Direto para Salta $50. Sai mais barato quebrar o trecho.) Passagem para Iruya: $25 (ida e volta). Se informar com a empresa Panamericano, mais confortável. Pevete para Coctaca: DE GRAÇA! 10/12/2009 – RODOVIÁRIA DE JUJUY - SALTA Madrugada em Jujuy, coçada de ovo para esperar o ônibus. Salta começou bem . A rodoviária parece um aeroporto, diferente da nojeira de Jujuy. Fui caminhando para o centro. Outra boa impressão, a avenida San Martín é cheia de praças bem arborizadas e no momento não havia muito trânsito. Perguntei o preço em alguns lugares, andei que só a porra até o Backpackers da rua Buenos Aires. Estava lotado (ainda bem). Fui ao Backpackers City que fica no centro, perto de tudo. Ainda peguei o desayuno. Pretendia deixar as coisas e dar uma volta. Fui pro quarto, deitei para uma breve soneca. Acordava e dormia – dormia e acordava, só de tardezinha saí para pegar informações e talvez contratar passeios. Na rua Buenos Aires tem uma agência a cada passo. Vi alguns pacotes para Cachi e Cafayate. O melhor foi na La Posada Turismo, os dois por $190 (na agência do alberque uma pechincha de $255). Tudo acertado, achei um centro cultural que passaria o filme Decameron . Além de bom filme, completaria o tempo até a janta. Guarda volume: $12 por 3 dias Albergue Backpackers City: $32 sócio HI ($37 não sócio) Passagem para Salta: $23 Passeios para Cafayate e Cachi: $190 11/12/2009 – CAFAYATE Bem cedo, sai o passeio para para Cafayate. Passa por várias formações interessantes nas montanhas. Em Cafayate, visita-se uma bodega para o povo compar vinho e depois um restaurante. Aí dão 2 horas para você ficar coçando pela cidade, com museus fechados. Aliás, tem um museu que supostamente funciona no horário de almoço. Porta fechada, um aviso diz para tocar a campinha. Toquei. Lá dentro tinha uns 15 cachorros latindo, torcendo que abrissem a porta para devorarem o visitante. Uma voz pergunta: “o que quer?”. Toco para entrar no museu e não sei o que quero, talvez cinco pães e um litro de suco. É demais! Fui embora antes que os dóceis cachorros pudessem me alcançar. No regresso, pára na “garganta do diabo”... ô povo pra gostar de diabo. Retornamos a Salta por volta de 20 h. Cheguei no quarto e descobri o primeiro brasileiro da viagem, aquela conversa em espanhol até perguntar de que país é. Rudá de S. Catarina, além de um japonês engraçado. Conversamos um pouco e fomos rangar. Estava tendo um festival de música. Vimos uma grande apresentação no teatro. Mais uma "garganta do diabo" ! 12/12/2009 – CACHI Antes de sair, outro brasileiro – Breno. O passeio para Cachi começou com muita chuva, mas, como as atrações ficam distantes de Salta, o tempo melhorou. Atrações pelo caminho também. Antes de chegar em Cachi, param num restaurante no meio da estrada com preços bem mais caros que Salta. E não poderá escolher, não têm nada perto. Passeio de natureza, com condores distantes. Voltamos 19h, fui fazer as tranças que não fiz em Salvador. Cheguei 20:40h no alberque e adivinhem... mais um brasileiro. Para quem não encontrava nenhum, coincidiu de quatro estarem no mesmo lugar. Após o jantar fomos a uma boate com Fernando, o “gerente” do departamento de festa do alberque que faz umas ligações e coloca todo mundo de graça. Boate massa. Festa massa. 13/12/2009 – SALTA Dormi às 6h. Talvez fosse embora nesse dia, mas resolvi ficar mais um dia. Salta tem isso mesmo, muitos que conheci saíram depois do planejado. Levantei tarde e perdi o café-da-manhã, sem problemas. Fui subir no cerro, teleférico $10 para subir e $10 para descer. Só subida. Algumas fotos depois, sentei num banco à beira de umas cascatas e fiquei relaxando. Aí aparece uma mulher do nada dizendo que me conhecia, peguntando se estava na boate, sobe e desce para fazer execícios (hum), etc. Minutos depois... estavamos nos “apretando” . Horas depois... . Parece coisa de filme pornô. Descemos pelas escadarias. Disse que havia comprado a descida mas fazia questão de acompanhá-la . Corri para colocar meu nome na lista do jantar. Um dos brasileiros, cansado de viajar, já havia pegado o beco. Breno e Rudá, multi-instrumentistas, estavam empolgados tocando. Rango de novo e nada de festa (coletiva), encontro marcado. O cerro é massa. Apesar de muita gente, é tranquilo e bem cuidado. 14/12/2009 – SALTA Acordei pensando em visitar os museus. A “banda” estava inspirada e acabou me contagiando. Demos uma rodada, fizemos câmbio e fomos almoçar. Parrilla. Estávamos em 4 e pedimos duas. É MUITA carne. Dois cansaram de comer. Pedi para embalar o que sobrou, seria minha bóia-fria para jantar rs. Deixamos Ferran (espanhol) na rodoviária e comprei minha passagem para Patquía. Voltei com Breno para o comércio e o monumento Güemes. Não visitei nenhum museu, o das múmias estava fechado segunda. Despedi-me dos brasileiros e fui caminhando até a rodoviária. Cheguei às 20:25h, 5 minutos depois chega o ônibus. Quando estava saindo, perguntei ao motorista se não havia mais passageiros. Fui sozinho. Na verdade, é como se fosse uma carona até um posto na estrada para fazer conexão.[/align] Albergue: $128 (4 noites) Passagem para Patquía: $128
Líderes está configurado para São Paulo/GMT-03:00


×
×
  • Criar Novo...