Ir para conteúdo

Mais curtidos da Semana


Conteúdo Popular

Exibindo conteúdo com a maior reputação em 25-10-2018 em todas áreas

  1. 6 pontos
    Dia 1 - 05/09 - CGR x Santa Cruz x Sucre x Uyuni Finalmente o dia chegou, bate aquela ansiedade, mil coisas na cabeça, torcendo pra nao esquecer nada. acordei la pelas 4h e segui para o aeroporto. Meu voo saiu umas 6h da manhã, fez uma parada em Gurarulhos e depois seguimos para Santa Cruz. Eu não sei pq raios eu tinha pensado em ficar ficar em Santa Cruz e acabei comprando minha passagem para Sucre só para o dia 06, quando percebi que não seria tão interessante assim ficar em Santa Cruz resolvi tentar mudar minha passagem la no aeroporto para o mesmo dia. Para minha sorte deu tudo certo, paguei so uma diferença de uns 35 bolivianos e embarquei no aviao para Sucre algumas horas depois. Aeroporto de Santa Cruz E que visual essa viagem para Sucre, a paisagem é incrível, o aeroporto é pequeno, mas muito bonito, fica no meio de umas montanhas, tinha até uma pessoa para conferir as malas, achei bem organizado. Desembarquei la pelas 17h e precisava correr para pegar o busão para Uyuni a tempo, na verdade a minha preocupação era ainda ter vaga no ônibus para aquele dia. No aeroporto de Sucre tinha a opção de pegar um taxi, me ofereceram por 50 bolivianos, mas resolvi ir de van (microbus), por motivos de $$ .. acho que paguei uns 6 bol. O aeroporto é bem longinho, mas a paisagem é incrível. Quando chegamos na cidade o motorista fez uma parada e disse que todo mundo tinha que descer ali, eu não entendi muito bem, o lugar era meio estranho, percebi que tava um pouco perdida naquela hora rs. Vi que tinha um casal de bolivianos com malas e perguntei se eles estavam indo para o terminal de buses, eles disseram que sim.. daí acabamos rachando um taxi para o terminal. Eles iriam para Uyuni também e me ajudaram a comprar a passagem no terminal de Sucre, acho que paguei até mais barato por conta deles, foi 60 bolivianos e tinha só mais dois lugares para aquele dia. O ônibus sairia só as 20h entao resolvemos comer alguma coisa antes de embarcar, comi uma sopa de pollo por 10 bolivianos e ainda dividimos uma limonada por conta deles . Na hora de embarcar o ônibus não estava na plataforma, ele estava estacionado atras de outros ônibus, bem escondido..olha, ainda bem que não estava sozinha. O ônibus não era muito confortável, parou umas 307 vezes, mas ainda sim estava muito grata por tudo estar dando certo e eu finalmente iria conhecer o Salar de Uyuni. Dia 2 - 06/09 – Uyuni Chegamos em Uyuni umas 3h da manhã num frio do cão, lá não tem terminal, a parada é feita na rua mesmo. Assim que eu desci do ônibus uma moça veio me oferecer o tour, disse que iria me levar até a agencia dela, que eu poderia usar o banheiro e que lá era quentinho rs.. eu aceitei a mesma hora rs, mas calma, eu já tinha lido que eles fazem essa pratica, por isso aceitei, mas sempre de olho aberto claro. Essa era uma agencia familiar, a moça que falou comigo fazia as abordagens, o marido levava os turistas até a agencia e a filhinha deles dormia no carro, um trabalho puxado de domingo a domingo. Era um casal muito bacana, ligaram aquecedor, me deram a senha do wi-fi, tinha ate saco de dormir. Aproveitei pra ir no banheiro tomar um banho de gato com meus lencinhos, escovar os dentes, pq o dia iria ser longo. A agência se chama Cristal Tours, eu fui a primeira a chegar, mas logo depois chegou um casal de peruanos e tinha tbm mais um casal um alemão, Anton, e uma brasileira, Michele, que ja tinham fechado o tour no dia anterior. Assim que a agência abriu oficialmente perguntei sobre o tour e quanto era, já pronta pra pechinchar hahaha..mas quando me ofereceram o tour de 3 dias por 650 bol, fiquei tão emocionada que fechei na hora rsrs, agora só precisava pagar mesmo rs. Eu não consegui trocar dinheiro em Sucre, por conta do horario apertado, só tinha ainda alguns bolivianos que troquei no aeroporto. A casa de câmbio só abriu as 9h, troquei um pouco de grana pra pagar o tour e outras coisas até chegar em La Paz. Comprei água e uns salgadinhos para levar, comprei também uma touca e uma luva pra enfrentar aquele frio. No "centro de Uyuni" 😃 Voltei para a agência, paguei o tour e fiquei esperando o carro para irmos. Daí aconteceu algo que parece ser bem comum por lá a tal das trocas de agências, não iríamos com o carro da nossa agência, mas sim de outra, que no caso era a Quechua (maravilhosa por sinal). Antes de nos juntarmos com o restante do grupo, eles nos pediram para não comentar sobre valores, pq o valor que o pessoal tinha pago pelo tour da Quechua foi de 1300 bolivianos (sim, o dobro do preço). Depois dessa conversinha básica nos juntamos ao grupo, foram 2 carros, de um lado só os gringos e no outro só os Brazucas. Recomendo muito a Quechua, o tour foi sensacional, não tenho nada a reclamar pelo contrário, só tenho elogios, sem dúvidas foi um belo upgrade. Saímos de Uyuni por volta das 11h e a primeira parada foi no cemiterio de trens que é bem pertinho da cidade, a gente fica la um tempinho e depois passamos em Colchani uma cidadezinha onde vc pode comprar artesanato ou um pacotinho de sal extraído do Salar. Mais uns minutinhos e finalmente entramos no Salar, eu confesso que fiquei emocionada, não tem como descrever em palavras, esse lugar é único e realmente impressionante. Cementerio de trenes Seguimos naquela imensidão de sal e logo já temos uma nova parada, no primeiro hotel de sal que hoje está desativado. Ali pertinho tem o monumento Dakar e também a área que ficam as bandeiras, tínhamos um tempo pra tirar fotos e depois voltamos ao para o ponto de encontro para almoçar. Foi uma experiência incrível almoçar no meio do Salar, comemos carne de llama e ainda serviram uma torta de maçã maravilhosa pra gente. Monumento Dakar (ao fundo fica o Hotel de Sal) As bandeiras ficam ao lado do Hotel Pessoal almoçando dentro do Hotel de Sal Depois do almoço, tivemos outra surpresa bem legal que era andar de bike no salar, cada um pegou umaa bike e seguimos até o ponto de encontro, e foi demais viu, creio que só tinha nosso grupo fazendo isso, muita gente veio perguntar como fazia para alugar a bike, então foi um diferencial bem bacana no tour. Em seguida fizemos as famosas fotos de perspectiva, dá trabalho viu, tem toda uma ciência hahaha.. ficou irado! Olha, bike e altitude é foda viu hahaha mas recomendo! Pose de Yogi é a preferida rs A ideia aqui era parecer que eu estava fazendo uma cesta, mas essa mãozinha ficou esquisita rs Já quase no fim do dia, ainda conhecemos a Isla Incahuasi, a isla dos cactos gigantes. Eu já estava bem cansada e não tava a fim de subir, fiquei por la mesmo, tirei umas fotos e ficamos conversando até o pessoal voltar para vermos o sunset. Paramos em outro ponto para ver o por do sol, tiramos mais fotinhas e finalmente partimos para a nossa hospedagem. Só tinha nosso grupo nessa hospedagem e era muito boa, fiquei num quarto sozinha inclusive. Tínhamos que aproveitar para tomar banho e recarregar os celulares nesse dia, pois no outro não teríamos energia elétrica e nem banho 😃 Eu queria muito tomar um banho e descansar, mas antes disso ainda jantamos e fomos ver as estrelas. Nosso guia sabia muito de astronomia, foi muito legal ver a via láctea, os planetas e as contelações, parecia tudo tão perto, muito lindo mesmo. Sunset
  2. 3 pontos
    Entre Setembro e Outubro de 2018 viajei para a Turquia, Balcãs e Europa Central. Meu roteiro foi esse: Goreme - Istambul - Bucareste - Sófia - Belgrado - Budapeste - Varsóvia - Cracóvia - Praga. ***DICA IMPORTANTE: Levei o meu celular e usei MUITO o Google Maps. Mesmo sem um chip local, eu consegui internet em quase todos os lugares usando redes wifi abertas. Além dos bares, cafes e restaurantes, muitos transportes públicos também oferecem esse serviço. Uma vez que vc acessa o Google Maps estando online, ele carrega o mapa da região. Depois, mesmo OFFLINE, é possível ver sua localização no mapa e achar os lugares que procura. Farei o relato de toda viagem, mas em partes. Neste falarei de ISTANBUL. LEGENDA USD - Dólar Americano EUR - Euro BRL - Real Brasileiro TRY - Lira Turca Depois de 3 noites incríveis em Goreme, na região da Capadócia, segui minha viagem até Istanbul. Lá eu fiquei no esquema Couchsurfing então nesse relato não há nenhuma dica ou avaliação de hostel, hotel ou pousada. 4º dia de viagem: Goreme -> Kayseri -> Istanbul (11 de Setembro de 2018) Meu vôo chegou no aeroporto de Ataturk por volta das 13h30. Fiquei de enviar uma mensagem via WhatsApp para o Emre, meu anfitrião, assim que eu chegasse. É muito difícil achar um sinal de wi-fi aberto lá no aeroporto. Aliás, fui descobrir mais tarde que é bem difícil achar em qualquer lugar de Istanbul. Sem alternativa, tique comprar um café no Mado Café do aeroporto (13TRY por um espresso, um absurdo!) para poder usar o wifi deles. Na hora de pedir a senha ao garçom que me servia, ele pediu para ele mesmo digitá-la e eu não ver qual era a senha. Ok. Assim que tive acesso à internet enviei uma mensagem ao Emre avisando que estava a caminho. Existe um um ônibus, o HAVABUS, que vai até o centro da cidade, na TAKSIM SQUARE e tem um preço rasoável: 12TRY (mais barato que o café que havia tomado!). Comprei o ISTANBULKART que é o cartão de transporte. Com ele vc tem acesso ao metrô, ônibus e trams. Custa 6TRY e a máquina não volta troco. Ou seja: se vc colocar uma nota de 10TRY vai receber o cartão com 4TRY de crédito. Uma forte chuva caía e fomos sair as 14h30. Depois de 10min o ônibus parou. A rodovia estava interditada por conta de uma enchente na pista. Procurei algum sinal de wifi mas o único disponível pedia um número de celular para enviar um SMS com uma senha que liberaria o sinal. Perguntei para um rapaz turco que estava no ônibus se ele poderia receber esse SMS para mim e passar a senha. Ele disse que OK e consegui acesso à internet no ônibus. Avisei meu anfitrião que iria atrasar por conta da enchente. Depois de uns 15 minutos o ônibus deu meia volta e seguiu por um caminho alternativo. Fui chegar à Taksim Square por volta das 16h e pouco depois o Emre chegou para me buscar. Fiquei hospedado no bairro de Besiktas (15min da Taksim Square, de ônibus) numa área cheia de bares e restaurantes. Esse bairro não é tão radical com relação aos costumes muçulmanos então há uma grande concentração do pessoal mais jovem que se encontram lá pra beber, fumar narguilé e conversar. No caminho passamos num supermercado e compramos umas cervejas. Chegando na casa conheci uma amiga do Emre, a Gökçe. Ficamos conversando e bebendo as cervejas quando por volta das 20h o Emre precisou sair para um compromisso.Deixei a casa com ele e fui até o supermercado MIGROS pra comprar o café da manhã: 4 pães, “mortadela” turca, queijo e 1 suco de Laranja - 43TRY. Estava morrendo de fome e comi um KEBAB e tomei uma coca no MATRAK (18TRY). ***Dica: As comidas de rua (street food) são muito populares em Istanbul. E podem comer sem medo que tudo (ao menos o que eu experimentei) é muito bom! Fui para um pub chamado AYLAK e tomei 4 Carlsberg (chopp 500ml) por 17TRY cada. Voltei pra casa às 23h15, tomei banho e fui dormir 0h. Distância percorrida no dia: 7,5km🚶‍♂️ 5º dia de viagem: Istanbul (12 de Setembro de 2018) Acordei as 9h, tomei café e por volta das 9h30 estava saindo. Fui caminhando até a VODAFONE ARENA, estádio do time de futebol Besiktas. O próximo tour (40TRY) no estádio era as 10h30, mas o guia só falava turco. Paguei mais 25TRY e peguei um áudio-guia. Antes do tour começar vc tira uma foto na qual eles irão fazer uma montagem e te oferecer no final do passeio. O problema de fazer esse tour com o audio-guia é que as informações que vc escuta nele não são tão rápidas quanto o guia turco. Então, em certos momentos, vc ainda está escutando a explicação de um determinado lugar da arena e o guia segue em frente, te obrigando a ir com ele uma vez que vc não pode ficar sozinho lá. Depois de reclamar que eu estava deixando alguns setores do estádio sem ter terminado a explicação do áudio, deixaram uma guia comigo. Passamos pelas arquibancadas, vestiários, sala de coletiva de imprensa e bancos de reservas à beira do gramado. No final do tour vc ganha um certificado. Também te oferecem a montagem da foto que vc tirou no início do tour. Tem vc com jogadores, segurando uma taça, etc… mas por um preço absurdo. Não lembro o valor, mas não comprei. Para ter acesso ao MUSEU do BESIKTAS tem que pagar mais 15TRY. Vale a visita (assim como todo o estádio) apenas para os fanáticos por futebol. Deixei o museu e segui caminhando até a TAKSIM SQUARE (uma subida considerável). Lá peguei um metro e um bonde até SULTANAHMET e fui até a HAGIA SOPHIA. A Hagia Sofia já foi uma igreja, uma mesquita e hoje é um museu. A entrada custa 40TRY (aceita cartão) mas vale muito a pena. Ela é muito grande e imponente. Há vários símbolos muçulmanos, escritas em árabe antigo e, incrivelmente, há também uma imagem da Virgem Maria com o Menino Jesus em seu colo (lembra que ela já tinha sido uma igreja?). Lá dentro também se encontra a COLUNA DOS DESEJOS onde dizem que se vc passar a mão nela no sentido horário, seu pedido será realizado. Deixei o museu e vi que na lateral da direita há um acesso gratuito às tumbas dos imperadores. Quase em frente à mesquita há uma pequena lanchonete. Comi um KURUM TOAST (8TRY) e tomei uma coca (3,5TRY). Era um pão em forma de baguete, com uma carne não sei do quê, picles, maionese e ketchup. Claro que na foto o lanche estava BEM melhor, mas deu pra matar a fome. Comi o lanche num banco sob uma árvore, descansei um pouco e fui pra MESQUITA AZUL, que fica de frente com a HAGIA SOFIA. Na entrada vc tem que tirar o calçado e é dado uma sacola de plástico pra colocar eles. A mesquita estava sendo reformada então muita coisa estava coberta. Ela me pareceu bem menor que a Hagia Sofia. Sai da Mesquita Azul e fui para a CISTERNA DA BASÍLICA que fica ao lado esquerdo da Hagia Sofia. A entrada custa 20TRY e não aceitam cartão de crédito ou outra moeda que não seja Lira Turca. A cisterna da basílica consiste em 12 x 28 colunas de sustentação (fica debaixo de Sultanahmet) e foi um enorme reservatório de água que hj está vazio. Posteriormente fiquei sabendo que quando a cisterna estava ativa haviam peixes nela. Motivo: saber da qualidade da água. Se os peixes começassem a morrer é que tinha algo errado nela. Passei pela CRYING COLUMN e a MEDUSA’S HEAD que fica na base de uma das colunas. Por volta das 17h fui até o TOPKAPI PALACE (40TRY, aceita cartão). Lá dentro passei por uma coleção de relógios antigos, uma coleção de armas de guerra (armaduras, lanças, arcos, espadas, revólveres todos muito ornamentados, etc). O palácio tem um enorme jardim central. Ao fundo, alguns cômodos e um deles parecia uma biblioteca. Passei pela por um setor que tinha itens de cozinha: pratos, louças, porcelanas, panelas, etc. Deixei o local às 18h50 e voltei pra casa. Chegando lá tomei um banho e conversei um pouco com o Emre. Por volta das 21h fomos a o encontro semanal do Couchsurfing num bar chamado SYMBOL CAFE. Fica próximo a Taksim Square, em uma travessa da Istiklal Street que é cheia de lojas, bares e restaurantes. Conheci pessoas de vários países no encontro. Trocamos ideia até umas 23h30 e fomos para outro bar: JAMES JOYCE PUB. No terraço do bar havia uns turcos dançando umas músicas latinas. Mas o som estava muito ruim e decidimos ir embora. No caminho de volta compramos mais 2 cervejas EFES. Chegamos em casa, tomamos as cervejas e conversamos até 2h30 quando fui dormir. Distância percorrida no dia: 21km🚶‍♂️ VODAFONE ARENA HAGIA SOPHIA HAGIA SOPHIA MESQUITA AZUL MESQUITA AZUL CISTERNA DA BASÍLICA TOPKAPI PALACE 6º dia de viagem: Istanbul (13 de Setembro de 2018) Acordei às 9h25, tomei café e sai as 9h50. Voltei até SULTANAHMET e fui atrás do FREE WALKING TOUR, que começou às 11h. A guia falou sobre a MESQUITA AZUL, sobre os banhos turcos que alguns podem custar até 60EUR por hora. Passamos ao lado da HAGIA SOPHIA e paramos num jardim em frente ao TOPKAPI PALACE. A guia comentou que nos anos 30 foi costituída a REPÚBLICA DA TURQUIA e os sultões deixaram de existir. O Topkapi Palace hj pertence ao governo e há alguns anos uma tetraneta de um dos sultões tentou pegá-lo de volta na justiça mas não conseguiu. A guia também comentou que Istanbul tem cerca de 3000 mesquitas. Deixamos o palácio e fizemos um coffee break num café ali perto. Passamos pela entrada da CISTERNAS DA BASÍLICA e nos falaram que ela foi construída para que a cidade, que era murada, tivesse acesso à água caso estivesse sendo atacada e não podendo abrir seus portões. De lá passamos pelo HIPÓDROMO, que hoje é uma praça mas tinha corridas de cavalos e bigas na época que foi dominada pelos romanos. Lá perto tem um monumento trazido do Egito. Mas o obelisco era muito alto então tiveram que cortar ele pela metade e pegaram só a parte de cima. No final do tour paramos atrás da Mesquita Azul, num restaurante que tinha um “preço especial” para quem fez o tour: 8EUR por um almoço com sopa, salada e prato principal. Não tinha muita fome então não fui ao restaurante. Ali perto encontrei o ARASTA BAZAR que tem só uma rua de uns 200 metros. Voltei ao ponto e peguei um trama até o GRAND BAZAR. Esse sim é GIGANTESCO, com muitas lojas e muitas pessoas. Mas é o maior “tourist trap” de Istanbul, então apenas passei olhando as lojas e não comprei nada (até mesmo pq não cabia mais nada em minha mochila). Cheio de corredores e com lojas bem semelhantes uma das outras, não é difícil se perder nele. É praticamente impossível sair pela mesma porta que vc entrou. A fome bateu então resolvi comer alguma coisa ali mesmo. Comi um TABKTA KEBAB (26TRY) e tomei um suco de romã (8TRY). Deixei o Grand Bazar e caminhei por uns 10 minutos até chegar a MESQUITA SULEYMANIYE. Ela fica no alto de um morro e tem uma vista linda lá de cima. Por dentro ela é maravilhosa e, segundo um voluntário que trabalha nela, tem capacidade para 8000 pessoas. Esse voluntário me deu uns impressos em português, entre eles um alcorão. Sai da bela mesquita e caminhei mais uns 10 minutos até o SPICE BAZAR, que é o Bazar das Especiarias. Ele é bem menor que o Gran Bazar uma vez que é em forma de “L”, mas achei mais bonito e conservado. Algumas lojas dão amostras grátis de seus doces e o colorido e cheiro das especiarias fazem aquele lugar ainda mais peculiar. Em uma das saídas desse bazar está a NEW MOSQUE que também estava em reforma e não tinha muito o que ver nela. Ali perto está a GALATA BRIDGE que tem uma vista legal do ESTREITO DE BÓSFORO. De lá peguei um tram até KABATAS, um funicular subterrâneo até a Taksim Square e um ônibus até Besiktas. Passei num mercado, comprei umas cervejas e voltei pra casa. Cheguei em casa e o Emre fez um macarrão com atum pra gente. Tomamos as cervejas, jantamos e ficamos conversando até umas 23h quando fui dormir. Distância percorrida no dia: 14km 🚶‍♂️ GRAND BAZAR MESQUITA SULEYMANIYE SPICE BAZAR 7º dia de viagem: Istanbul (14 de Setembro de 2018) Acordei as 8h50, tomei café e as 9h30 estava saindo. Caminhei até o DOLMABAHÇE PALACE, que fica em frente à Arena Vodafone (estádio do Besiktas). A entrada no palácio + harem custa 90TRY. O palácio é muito bonito! Cheio de adornos, decorações e luminárias gigantescas. Também há algumas armas e utensílios de cozinha utilizados antigamente. O harém também é igualmente bonito e nele há um acesso a um dos banheiros. Uma pena não poder tirar foto em nenhum desses dois lugares. Do lado de fora tem uma galeria de pintura mas para entrar tem que pagar mais 20TRY. Deixei o palácio, passei pela DOLMABAHÇE MOSQUE, uma mesquita ali perto. Fui até o ponto de Kabatas e peguei o T1 (tram 1) até próximo a GALATA TOWER. Havia uma fila de 20 minutos pra subir na torre (35TRY). Enquanto esperava pra entrar, comi um SIMIT que é um pão com gergelim em forma de argola (1,50TRY). ***Dica: Há carrinhos de SIMIT espalhados por toda Istanbul. Bateu uma fominha? Simit! Melhor custo-benefício que vc vai encontrar nas ruas. A torre foi construída em 562 e lá de cima vc tem uma vista 360º da cidade. O tempo estava nublado então as fotos não ficaram muito boas, mas vale conhecer. De lá eu caminhei uns 10 minutos até TUNEL que é uma linha de metrô com apenas duas estações e é uma das mais antigas da Europa. A estação da outra ponta me deixou no começo da Istiklal Street e caminhei por ela toda até a Taksim Square. Lá eu acessei o wifi do Starbucks e vi como chegar no estádio do FENERBAHÇE. Era 16h e vi que o último tour seria às 17h30 Além dos ônibus, Istanbul também conta com um tipo de lotação chamada DOLMUSH e a tarifa varia de acordo com o ponto que vai descer: quanto mais distante, mais caro. O estádio fica do outro lado do estreito de Bósforo, no lado asiático da cidade. Levei 1 hora pra chegar lá. Entrei na loja do clube e perguntei a um vendedor sobre o tour. Ele foi muito grosso e ríspido dizendo “Não tem tour! Estádio fechado!”. Daí eu perguntei se havia ao menos um museu ou outra coisa que poderia visitar e ele: “Não! Tudo fechado!”. Então tá… Sai do estádio e não consegui nenhum sinal de wifi. Tive que achar meu caminho de volta da “forma antiga”: perguntando para as pessoas na rua. Primeiro pedi informação para um cara e ele pediu para eu seguir ele pq ia para a mesma direção. Pegamos o mesmo ônibus e ele me disse que ponto deveria descer pra pegar outro ônibus pra Besiktas. Desci num pequeno terminal com vários pontos, mas não achei informação de onde passaria o meu ônibus. Perguntei pra duas garotas e elas me mostraram onde era meu ponto. Chegando no ponto perguntei para um cara qual ônibus pra Besiktas e ele disse que estaria indo pra lá que poderia ir com ele. Descemos no mesmo ponto. Agradeci o rapaz e segui meu caminho ***Nota: Percebi uma coisa interessante sobre o povo de Instanbul: as pessoas que teoricamente deveriam ser educadas com vc (garçons, vendedores, etc) não são. Mas, por outro lado, as pessoas que não teriam obrigação nenhuma de ser educadas, são super legais! Praticamente todo mundo que pedi informação na rua foram extremamente educadas e solícitas. Passei no supermercado, comprei umas cervejas e voltei pra casa. Cheguei lá por volta das 19h e tomei umas cervejas com Emre e a Gökçe. Umas 20h saímos para uma ver uma exposição de arte de uma amiga do Emre. Passamos pela exposição e depois fomos comer num restaurante que servia só sopas. Tomei 2: uma de IOGURTE e outra de TOMATE. Estavam muito boas e paguei 14TRY em cada. Fomos a um apto de uma amiga da Gökçe, a Elif. No caminho compramos umas cervejas. Ficamos bebendo e conversando até umas 2h. Decidimos dormir por lá mesmo pq era muito tarde. Distância percorrida no dia: 17,5km 🚶‍♂️ DOLMABAHÇE PALACE GALATA TOWER VISTA DA GALATA TOWER 8º dia de viagem: Istanbul (15 de Setembro de 2018) Acordamos as 8h50 e deixamos a casa da Elif. Caminhamos até a Taksim Square e pegamos uma Dolmush de volta pra casa. Chegamos 9h30 e fui dormir mais um pouco. Acordei as 10h30, tomei café e fui para o centro. Através do Couchsurfing eu tinha combinado de encontrar outro couchsurfer local, o HAMZA. Por volta do meio dia encontrei com ele em Sultanahmet. Ele me apresentou um amigo (que tb é couchsurfer) chamado FATIH. Ambos são estudantes de Ciência Política e estavam muito curiosos pra saber qual era a situação política do Brasil naquele momento. Caminhamos pelo PARQUE GÜLHANE (ao lado do Topkapi Palace) e fui tentando explicar o turbulento período político que nosso país estava passando. Chegamos à beira do canal e lá decidimos fazer o BOSPHORUS TOUR (20TRY). Existem vários barcos que fazem esse tour e não deve ser muito diferente um do outro. Mas, definitivamente, foi o melhor custo-benefício de Istanbul. O passeio pelo Bósforo é muito lindo e dei sorte do tempo estar bom (fazia muito calor e sol) e ter 2 guias locais me explicando tudo desde onde ficava Sede Militar e Naval da Turquia até as escolas e universidades particulares, públicas e militares. Depois de mais ou menos 1h e meia de passeio deixamos o barco e caminhamos uns 20 minutos até um KAHVE DÜNYASI, que é uma rede de café local estilo “Starbucks”. Tomei um café turco que estava muito forte mas muito gostoso. Depois pedi 2 bolas de sorvete: 1 de nozes e 1 de damasco. ***Dica: Não deixem de provar esse sorvete de damasco da Kahve Dünyasi! Eu não gosto da fruta em si mas decidi experimentar por ser uma fruta tradicional local. E não me arrependi! É muito, mas MUITO bom! Conversamos muito sobre política, religião e futebol. Por volta das 17h decidimos ir embora. Fomos até uma estação de tram onde nos despedimos e voltei pra casa. No caminho encontrei vários torcedores do Besiktas indo ao estádio e fiquei sabendo que o jogo seria às 20h. Na EAGLE SQUARE (Praça da Águia) havia uma enorme aglomeração de torcedores. Passei no supermercado e comprei 4 cervejas BONMONTI (8,50TRY cada). Cheguei em casa, tomei as cervejas com o Emre e decidimos ir ver o jogo do Besiktas em algum bar ali perto. Todos os bares estavam lotados e depois de 10min procurando achamos umas cadeiras na calçada em frente a uma TV. Nos cobraram 15TRY para SENTAR NAS CADEIRAS e 18TRY por cerveja! Como não tínhamos escolha, aceitamos. Tomamos apenas 1 cerveja e no intervalo fui ao supermercado comprar mais pela metade do preço que estavam nos oferecendo lá. O jogo foi horroroso e terminou 2x1 para o Besiktas. Fomos comer um kebab no MATRAK e de lá fomos a um bar ali perto chamado ROCK N’ ROLLA. Tomei 1 Guinness e 1 Toubourg. No caminho de volta passamos no supermercado e compramos mais 4 cervejas. Chegamos em casa umas 1h e ficamos bebendo e conversando até umas 2h30 quando fui dormir. Distância percorrida no dia: 13,5km 🚶‍♂️ Fim do relato de Istanbul. Próximo relato: BUCARESTE. BOSPHORUS TOUR
  3. 3 pontos
    Eai pessoal?! Bom, meu nome é Amanda, tenho 27 anos e moro em Campo Grande -MS. Vou compartilhar com vcs como foi a minha viagem de 23 dias pela Bolivia e Peru. Eu sonhava com essa trip desde meus 18 anos, demorou um pouquinho, mas com certeza valeu a pena esperar, pois foi muito melhor do que eu imaginei. Assim como a maioria, li vários relatos, fiz milhares de planos, roteiros, e cálculo$$ e essa plataforma me ajudou muito, foi essencial para minha viagem. Eu não tinha pensado em escrever um relato, por isso não anotei meus gastos e provavelmente não lembrarei de tudo, mas essa experiência foi tão incrível que preciso compartilhar com vcs, afinal cada um tem uma visão diferente e uma maneira diferente de viajar. Já vou adiantando que não fiz tooodos os passeios pq eu estava de ferias e queria relaxar um pouco também. Meu roteiro foi um pouco diferente, por morar em Campo Grande a opção mais comum seria ir pra Corumbá, pegar o trem ou ônibus para Santa Cruz e fazer um roteiro mais "fechado" voltando pelo mesmo caminho. Massss percebi que seria bem cansativo, principalmente a volta. Comecei a procurar passagens e consegui um bom valor com milhas e me joguei...comprei a ida com destino a Santa Cruz e a volta saindo de Lima e com certeza foi a melhor coisa que fiz, talvez mudaria a ida para La Paz, pq iria direto para Uyuni e não precisaria passar em Sucre. Segue meu roteiro: 05/09 - CGR x Santa Cruz x Sucre x Uyuni 06/09 - Uyuni 07/09 - Uyuni 08/09 - Uyuni x La Paz 09/09 - La Paz 10/09 - La Paz 11/09 - La Paz x Copacabana 12/09 - Copacabana x Arequipa 13/09 - Arequipa 14/09 - Arequipa 15/09 - Arequipa 16/09 - Arequipa x Cusco 17/09 - Cusco 18/09 - Cusco x Aguas Calientes 19/09 - Águas Calientes x Machu Picchu x Cusco 20/09 - Cusco 21/09 - Cusco 22/09 - Cusco 23/09 - Cusco x Ica x Huacacchina 24/09 - Huacacchina 25/09 - Huacacchina (Paracas) 26/09 - Huacacchina x Ica x Lima 27/09 - Lima 28/09 - Lima x CGR
  4. 3 pontos
    Olá @Sozinho no mundo, vou responder a mensagem que vc me mandou por aqui: minha dica seria vc criar sua conta no couchsurfing (caso ainda nao tenha), e aproveitar esse tempo que vc vai estar trabalhando (economizando sua grana e planejando sua viagem etc) para receber pessoas ai onde vc mora. Não participo do couchsurfing mas já participei/participo de outras redes de hospitalidade. Ultimamente apenas como anfitriã. E a verdade é que sempre prefiro receber alguém que já participa da comunidade e recebeu pessoas na sua casa, do que aqueles viajantes que só lembraram de criar a conta 1 semana antes de embarcar na viagem. Minha dica então seria nas linhas de " seja generoso primeiro" (com seus recursos/seu tempo) antes de contar com a generosidade alheia, vai te abrir muitas portas. Que eu quero dizer com ser generoso com seu tempo: se vc não tem como receber ninguém (sei lá, talvez por dividir quarto com outras pessoas), vc pode se oferecer para mostrar sua região, ir em encontros locais, colocar um esforço para conhecer outros participantes na sua volta... foi o que eu fiz quando eu comecei, pra mim funcionou. Achei excelente a dica que vc recebeu de @lobo_solitário de fazer um esboço de roteiro etc.
  5. 2 pontos
  6. 1 ponto
    Olá, pessoal! Faz um tempinho que não deixo um relato por aki, mas gostaria de mais uma vez colaborar com vcs, desta vez falando sobre a minha primeira eurotrip!!! Isso aí, finalmente consegui conhecer a tão sonhada Europa e posso dizer que foi incrível demais!!! Quem já acompanhou alguns relatos meus por aki sabe que amo viajar mas sempre de forma super, mega, ultra econômica...rsrs... e desta vez não foi diferente Comecei a planejar minha viagem quase 1 ano antes e posso dizer sem sombra de dúvida que foi a melhor coisa que fiz na vida, pois viajar para o velho continente é caro, ao menos para nós pobres viajantes que não podemos estar sempre por lá, ainda mais com essa disparada do euro, né gente?! Eu escolhi muitas cidades e países para um tempo não muito longo, foram 28 dias, mas como eu disse anteriormente a gente tem que pensar que não é sempre que se vai a Europa...rsrs... sei que tem muita gente que adora criticar quem coloca várias cidades de uma vez em um roteiro, mas posso dizer que apesar de ser realmente cansativo eu não me arrependo de nada e digo, se vc acha que dá, se vc como eu não pode estar sempre viajando pra longe assim, vá... ouça seu coração, seu instinto e apenas vá! Daí tem aquela frase mas a Europa vai continuar lá, pra isso tudo assim? pq eu não tenho grana pra juntar o tempo todo né...rsrs...enfim, sem mais delongas vamos ao roteiro que ficou assim: Viajei no dia 30 de Maio e comprei minhas passagens 10 meses antes, exagero né? Que nada, sou dessas...rsrs! Paguei o valor de R$1.984,00 pela Tap com ida e volta por Salvador, apesar de morar no Rio, por lá saia mais barato e como eu tinha alguns pontos pela multiplus não gastei com valor da passagem interna Rio x Salvador. Então meu vôo foi Salvador x Paris x Salvador e o retorno foi no dia 27 de Junho! Também fiz um seguro viagem pela Allianz (30 dias) por R$245,34, pois consegui um desconto de 40% com um código do Melhores Destinos. Eu estava bem nervosa, pois sempre existe aquele frio na barriga devido a imigração, no caso seria por Lisboa, eu escolhi a Tap justamente por ter conexão la e como não falo inglês, somente o basicão...rsrs... achei melhor chegar por lá, mas foi bem tranquilo, muito mesmo! Eu viajei com mais 4 amigas que conheci aqui pelo mochileiros, eu coloquei aqui que iria viajar e gostaria de cia...então foi bem legal viajar com as meninas. Cheguei por lisboa com uma delas e o cara da imigração não perguntou nada, mas nada mesmo! Levamos uma pastinha com tudo caso ele pedisse e ele apenas pediu o passaporte e nos disse "podem entrar" eu nem acreditei...rsrs! Estava na Zoropa!!! Sobre os euros, bom eu coloquei uma média de 23€ para gastos com alimentação e lembrancinhas. Sei que muita gente vai falar, impossível, como assim só isso? Mas deu e até sobrou, acreditem! Claro que eu levei separado os valores para os transportes internos, ingressos e hospedagens que ainda faltavam pagar, mas a maioria das coisas eu já havia pago e isso me deu muita tranquilidade. Levei no total 1.050€ e também 100£ para 3 dias em Londres e também sobrou...rs! Uma dica sobre hospedagem é que pelo Booking vc consegue receber de volta R$50,00 no seu cartão após o check-out da hospedagem, basta que a reserva seja de no mínimo R$100,00. Não é desconto ou sorteio, é automático, vc realiza a reserva por este link e recebe o valor de volta no cartão que usou, eu recebi e deu tudo certo, fica como dica pra vcs, vale pra usar uma única vez ok! Clica neste link: https://www.booking.com/s/43_8/733e5f83 Meu roteiro completo foi: 31 a 04 Paris 05 a 07 Londres 08 Bruges e Bruxelas 09 Amsterdam 10 Fussen 11 Hallstatt 12 Veneza 13 Verona 14 Milão 15 a 16 Florença / Pisa / San Gigminano 17 a 18 Roma 19 a 21 Zakynthos 22 Atenas 23 Santorini 24 Roma (novamente) 25 Lugano 26 a 27 Lisboa e retorno ao Brasil Vou tentar passar pra vcs os valores e quanto custou este meu mochilão, falando nisso, eu viajei com uma mochila de 70l, que despachei, e uma mochila menor, essas pra note mesmo, pra levar no avião com minhas coisas pessoais e importantes. Os gastos são referentes ao dinheiro que levei, o que eu não incluir é pq já havia pago antecipadamente. Bom, como eu disse antes, fiz o planejamento bem antecipado e vcs verão que isso é muito importante pois me ajudou muito a não só economizar bastante, como também estudar as cidades e lugares que gostaria de conhecer e me sentir segura ao andar por lá. Dia 01 - Paris A imigração foi tranquila, os vôos não atrasaram e como eu tinha conexão de 3h em Lisboa, aproveitei para ir ao setor de desembarque para comprar um chip da Vodafone, pois havia lido sobre alguns e vi que este seria o melhor custo benefício e me atendeu super bem, não precisei gastar mais nada com internet e olha que eu usava muito o google maps!! O chip custou 10€ e possuia 3gb de intenet com rede sociais e whatsap ilimitados + 500min de ligações dentro da europa, mas não utilizei as ligações, aconselho vc a sair pra comprar se tiver um bom espaço de tempo, pois a fila na loja era bem grande!! Cheguei por volta das 18h em Paris, no aeroporto de Orly e encontrei as outras meninas no aeroporto e já aproveitamos para comprar Museum Pass de 4 dias, que custou 62€ e com ele poderíamos visitar todos os museus sem nos preocupar com filas ou em comprar outros ingressos, gostei muito e acho que vale demais pra economizar tempo e dinheiro. Do aeroporto pegamos o Orlybus, que custou 8,40€ e descemos no ponto final, na estação Defense Rousseau onde aproveitamos para fazer o cartão Navigo, para quem não sabe esse cartão vale muitooooo a pena e vou explicar como funciona: Ele vale de segunda a domingo e vc coloca uma carga de 22€ e gasta mais 5€ para pagar pelo cartão, vc pode utilizar no metrô, ônibus, tram e até no Orlybus, como no aeroporto de Orly não vende, pagamos pelo ônibus na nossa chegada, mas fizemos o cartão na primeira estação de metrô. Vc deve também levar uma foto para colar no cartão e escrever seu nome. Lembrando que vale de segunda a domingo e vc pode usar também para ir a Disney e ao palácio de Verssalles! Pra vc ter uma idéia, só o ticket de ida e volta pra Disney custa uns 15€ e pra Verssalles se não me engano uns 8€, então só de vc não se preocupar em pegar o metrô ou bus errado ou com o tempo de val do bilhete ou até a zona em que está, acho muito útil e econômico! Vc pode ficar com o cartão e pode recarregar em uma outra vez que estiver lá! Como era nosso primeiro dia nos enrolamos um pouco no metrô...kkk... mas chegamos no hostel!!! Fiz reserva pelo Airbnb e ele ficava uns 10min do metrô, mas tinha ponto de ônibus em frente que passava na porta do Louvre, por exemplo. Esse hostel foi muito barato, apenas 11,50€ a diária e era um apto com umas 14 camas, mas era espaçoso e limpo. Vc não podia ficar no quarto de 11h as 20h mas isso não foi problema pra gente, já que saíamos cedo e voltávamos tarde...rs! Lá perto tinha uma pizzaria onde comemos todos os dias, pois era barata e gostosa, tipo uma pizza grande custava uns 6€ e sempre comprávamos 2 ou 3 e rachávamos o valor, então por 5 pessoas saia bem em conta. No hostel não tinha café da manhã, e pra economizar comprávamos coisas no mercadinho pro dia seguinte e deu super certo! Neste primeiro dia não fizemos nada, tentamos ir a Torre, nos perdemos e voltamos pro hostel antes do metrô fechar....kkkk! Chegamos por volta de 01h da manhã e no dia seguinte tinhamos reservado pra ir a Disney!!! Gastos do dia: Chip Vodafone = 10€ Ônibus Orly = 8,30€ Museum Pass = 62€ Navigo Decouvert = 27,80€ Pizza + bebida / 4 = 3,90€ Água de 1,5L = 1€ Café da manhã / 4 = 1€ Total: 114€ Dia 02 - Paris Este dia reservamos para conhecer a Disneyland e já havíamos comprado nossos ingressos pelo site, custou 62€ 1 dia nos 2 Parques e valeu demais a pena!!! Aconselho a comprar antes, pois na hora é mais caro! Pra quem tem dúvidas, dá pra fazer 2 parques em 1 dia sim... é cansativo, mas dá!! E por favor, não deixem de ficar pra ver o show Illumination... é lindo demais! Dei uma passada na loja Disney e queria levar tudo...hahaha! Mas como eu tinha um orçamento a manter e ainda estava no início da viagem, comprei apenas 2 chaveiros e 1 Imã de geladeira...pois são coisas que gosto muito de colecionar! Esse dia foi mega cansativo, estávamos acabadas no final do dia e caiu uma chuva de nos deixar enxarcadas....rsrs... mas foi bem divertido e isso de maneira alguma nos desanimou. Na hora de ir embora acabamos seguindo a multidão errada e demoramos a encontrar o lugar pra pegar o trem de volta, quase perdemos o último, mas no final deu tudo certo e foi só risada depois dos perrengues...rs!! Na volta, já de madrugada passamos na nossa pizzaria e depois voltamos pro hostel mega cansadas, porém felizes! Gastos do dia: 2 Chaveiros Disney Paris = 11,98€ 1 Imã de geladeira = 5,99€ Pizza + bebida / 4 = 4,80€ Café da manhã / 4 = 1,30€ Total: 24,07€ Dia 03 - Paris Neste dia acordamos um pouco além do horário que gostaríamos, mas deu pra fazer muita coisa. Esse foi o dia reservado para conhecer alguns museus e pontos da cidade, além claro, da Torre Eiffel!!! Nossa primeira parada foi lá mesmo e foi bem emocionante vê-la de perto e a ficha finalmente cair...rs Bom, depois de tirar milhares de fotos da torre no trocádero, seguimos para conhecer o Museu Rodin, Museu d'Orsay, Museu dos Inválidos e Tumba de Napoleão (tudo usando o Museum Pass e sem fila), Ponte Alexandre III e também passamos em frente ao Petit Palais e Gran Palais. Depois seguimos em direção ao Arco do Triunfo, mas não subimos por estarmos extremamente cansadas...rs, mas ele é bem maior do que eu imaginava! Ficamos alí mesmo pela Champs Elysee e almoçamos no McDonald's, e foi bem baratinho... um trio por menos de 6€!! Depois voltamos pra Torre, pois haviamos comprado os ingressos pra subir perto do pôr do sol... e vale muito a pena comprar antecipado, pois as filas são enormes!! Ficamos até escurecer e no final do dia estávamos destruídas, mas contentes por ter feito muita coisa e o dia ter rendido bastante! Gastos do dia: 2 imãs de geladeira = 5€ 1 Trio McDonald's = 5,65€ Mercado = 6,15€ Café da manhã / 5 = 1,05€ Total: 17,80€ Dia 04 - Paris Acordamos cedo, pois este seria o dia de conhecer Verssalles!! Como estávamos lá no período de greve dos trens, esse foi o único dia q nos preocupamos mais, pois achamos q nem rodaria o RER mas ele estava passando, só que com intervalos maiores e esperamos uns 40min e isso nos atrasou um pouco, chegamos e a fila estava bem grande, mesmo com o ingresso vc pega fila pra revista e nós estávamos com o Museum Pass que também dá direito ao palácio!! Como eu havia dito, vale muitooo a pena! Para acesso aos Jardins, como era final de semana e estava no período de apresentação das Fontes, foi cobrado a parte e pagamos 9,50€ mas ainda bem q tinhamos comprado antecipadamente, pois estava com uma fila considerável e não precisamos passar por ela, apenas mostrar o ingresso (ufa!)! O Palácio estava entupido e foi impossível ver tudo com calma, a multidão ia nos levando, foi terrível e lá dentro é extremamente quente!! Não deu pra ver com calma, e acabou sendo bem desgastante... depois que passamos pelos jardins decidimos ir embora e na volta já tinha um trem na estação e não esperamos muito. É muito fácil ir e voltar por conta própria à Verssalles, bastar pegar o RER C e usamos em todos esses dias apenas nosso bilhete Navigo! Decidimos seguir para conhecer Momatre e foi uma escolha acertada, pois era domingo e o bairro estava lotado, animado e lá é bem diferente da outra Paris que tínhamos visto... eu amei esta parte boêmia da cidade, cada cantinho mais lindo do que outro!! Andamos pelas ruazinhas, compramos souvenirs (lá vc encontra os mais baratos) e subimos até a Sacre-Couer, ficamos um pouco na escadaria curtindo a vibe e as meninas compraram cervejas, estava bem quente...rs! Havíamos comprado um passeio de barco pelo Rio Sena, pagamos R$41,00 pela decolar e foi bem mais barato, pois lá estava custando 15€, e vc poderia agendar p dia e horário, então reservamos para o horário do pôr do sol e foi lindo, pois pudemos ver as luzes da Torre piscando mais uma vez, mas desta vez de outro ângulo. Esse é um passeio típico que vc deve fazer para ver paris de outra forma... Depois voltamos pro hostel mega cansadas, foi um dia bem cheio, assim como os outros! Gastos do dia: Lembrancinhas = 18€ Café da manhã 5 / = 1,60€ Água de 1,5L = 1€ Pizza + bebida / 3 = 2,10€ Total: 22,70€ Dia 05 - Paris Era nosso último dia na cidade, então acordamos um pouco mais tarde, arrumamos nossas coisas e deixamos guardadas no hostel pra depois só pegar tudo e seguir viagem! Neste dia já não poderíamos usar mais o Navigo, então compramos 3 bilhetes de metrô cada uma, pois precisariamos somente disto para o dia todo. Decidimos deixar esse dia pra conhecer o Louvre, não pegamos fila pra entrar pois já tinhamos o Museum Pass, mas pegamos uma fila na revista, mas foi rápida! Gente o Louvre é gigantesco, mas muitoooo mesmo e não dá pra ver quase nada, pq é muito lotado...rs! Consegui ver a Monalisa quase tendo que socar alguém e nunca vi lugar pra ter tanto oriental, é muitoooooo!!! Fui na ala egípcia, pois gosto muito e também na parte subterrânea do museu, mas estava já tão cansada q não demoramos muito por lá... almoçamos no McDonald's (sempre nos salvando...kkk) dentro do museu mesmo e depois seguimos, pois eu queria muito conhecer a Sainte-Chapelle, somente eu entrei pois as meninas estavam sem pique e me esperaram do lado de fora, a entrada também está inclusa no Museum Pass, mas não há fila especial para a revista, porém lá dentro vc entra direto! Os vitrais são muito bonitos, e vale a pena conhecer até pq ela é pequena... de lá fomos para a Notre-Dame e a fila estava pequena e era rápida, vc não paga pra entrar. Ficamos um tempo lá dentro só observando tudo... agradeci por estar lá e ter dado tudo certo! Ainda passamos em frente ao Panteon, depois voltamos pro hostel, tomamos banho, nos arrumamos e seguimos pra comer uma pizza antes de pegar o ônibus pra Londres! Deixamos 1h pra conseguir chegar na estação e chegamos lá faltando 15min pro ônibus sair... a estação ficava em um lugar muito estranho e deserto e chegamos já a noite, mas deu tudo certo! Seguimos viagem em um ônibus q não ia muito cheio e nos jogamos!! Hahaha! Gastos do dia: McDonald's = 5,95€ 3 Moedas comemorativas = 6€ 2 Tickets Metro = 2,80€ Sorvete = 2,50€ Total: 17,25€ Eu havia comprado a passagem de ônibus para Londres antecipadamente pela Ouibus e paguei 25€, tinha visto muitos comentários ruins sobre viajar de ônibus do pessoal dizendo que não valia a pena e tals, mas eu achei muito tranquilo, o ônibus não atrasou e chegou até antes na cidade. Como estava fazendo uma viagem mega econômica, decidi economizar na diária, pois dormiria no buzão e também no transporte, pois é bem mais barato do que trem e vc pode levar qualquer bagagem, diferente do avião que vc paga pra despachar. Fizemos a travessia pelo eurotunel e só descemos para fazer a imigração, que foi muito tranquila também, o fiscal da imigração era bem simpático, eu estava bem nervosa pois falaram que lá era muito chato, mas ele apenas perguntou quantos dias ficaria e se estava de férias e daí carimbou! Me apaixonei por Londres de cara!! Assim que amanheceu e chegamos na cidade, fiquei olhando admirada pela janela do ônibus... que cidade!! Parecia q eu estava em um filme...rs...foi mais impactante do que Paris, ao menos pra mim!! Dia 06 - Londres Assim que desembarcamos, na station bus próximo a estação Victoria, procuramos o local onde vendia o cartão Oyster Card! Na estação Victoria mesmo vc encontra um balcão com varios guichês e pode comprar por 5£ o cartão e inserir a quantidade de créditos. Funciona assim: com esse cartão vc terá um teto diário pra ser descontado, e quando chegar a esse teto ele para de descontar os valores mas vc continua utilizando pra ônibus, metrô etc. Se não me engano o valor do teto diário era 6,80£ e como só aceita múltiplos de 5£ gastamos 30£, pois ficaríamos apenas 3 dias na cidade e seria suficiente, 5 do cartão + 25 da recarga. Caso sobre algum valor vc pode pegar quando for embora e também pegar os 5£ de volta caso devolva o cartão. Valeeee muito a pena! Bom, feito isso seguimos para o hostel, ficamos no [email protected] The Green man, Paddington e o quarto misto com 9 camas sem café da manhã custou 12,80£ a diária! Eu, particulamente, gostei do hostel por ser barato, limpo, tranquilo e só não gostei por não ter cozinha, mas ficava ao lado de um mercado super barato e nos viramos muito bem por lá. Ele também fica ao lado de uma estação de metrô (literalmente) e a linha te leva pra todo lado, muito fácil! Esse hostel fica em cima de um Pub, mas é bem tranquilo! Chegamos no hostel muito cedo mas deixaram guardar as bagagens até dar o horário do checkin, e fomos logo ao mercado comprar coisas pois a fome estava tensa...rsrs! O mercado que tem do lado nos atendeu super bem, era tudo muito barato e aproveitamos pra comprar várias besteiras...kkkk!! Depois, tomamos banho, nos arrumamos e partimos pra desbravar a cidade, para este dia haviamos reservado a London Eye. Não havia fila, daria pra ter comprado na hora, mas pensando bem, eu só vi que não havia fila pra subir, para comprar não sei como estava, foi bem legal pois a cabine não foi muito cheia e deu pra cutir de vários ângulos bacanas. Muita gente tinha falado que não valeria a pena, mas eu achei o contrário, pois vc pode ter um visual muito lindo da cidade, ainda mais se estiver um dia de céu limpo! Valeu demais, amei! Neste dia também andamos pela cidade e passamos pelo Parlamento, Big Ben (que estava todo tapado com tapumes e foi frustrante...rsrs), esse dia foi mais dedicado a conhecer a cidade e andar sem muito rumo. Á noite seguimos para ver a Tower Bridge iluminada e ela é imensa e simplesmente linda e imponente! Depois seguimos para o hostel e capotamos!! Gastos do dia: Oyster Card (3 dias) = 30£ Mercado = 10,20£ Mercado / 5 = 1,50£ Total: 41,70£ Dia 07 - Londres Começamos cedo este dia, pois era dia de assistir a troca de guarda no palácio de Buckinham e era preciso chegar um pouco mais cedo. Amanheceu um dia lindo e eu que não esperava muito da Troca, achei muitoooo legal, até pq se vc está em Londres, melhor aproveitar tudo que tem por lá né gente? Fica muito cheio e pra pegar um bom lugar é bom ir ao menos 1h antes ou vc fica pra trás...rsrs! Achei lindo e diferente do que estamos acostumadas a ver em qualquer lugar, afinal é a guarda britânica...rs! A área em que o palácio fica também é muito bonita, cheia de flores e o clima estava bem agradável. De lá caminhamos até Tralfagar Square e pegamos o metrô para o museu de cera Madame Tussauds, pois já havíamos comprado os ingressos antecipadamente pelo site, ah, esse ingresso foi um combo junto com a London Eye e saiu bem mais barato comprando os dois juntos, valor de 40£, como estávamos com os ingressos não pegamos fila, entramos direto. Esse foi mais um lugar que muita gente falou que não valeria a pena, mas eu particulamente achei bem divertido e curti. Ficamos um bom tempo no museu de cera e depois seguimos em direção ao Rio Tâmisa para ver a Tower Bridge desta vem de dia e aproveitamos para andar pelos bairros próximos, foi bem bacana! Para este mesmo dia eu havia comprado ingresso para o musical O Fantasma da Ópera, pois eu achava que teria que assistir de qualquer jeito este musical, já que sou fã e foi espetacular assistir ao vivo, gente, sério, é incrível demais!! Senti uma grande emoção ao estar vivendo este momento... aconselho a quem quiser comprar ingressos para assistir a algum musical, ver com antecedência, pois a diferença de preço é enorme, por exemplo paguei apenas 26,80£ no ingressos que costumam ser 40£! Depois do espetáculo voltei pro hostel, comprei algumas coisa no mercado que ainda estava aberto e fui dormir, mas as meninas se animaram e sairam para conhecer a noite londrina, como não curto muito, fiquei pelo hostel, pois no dia seguinte seria o último nesta cidade que já havia me ganhado! Gastos do dia: Mercado 1,97£ Mercado 6£ Total: 7,97£ Dia 08 - Londres Era nosso último dia na cidade, mas confesso que poderia ficar muito, muitoooo mais! Acordamos cedo, arrumamos nossas coisas e deixamos guardadas no hostel, depois seguimos para conhecer alguns museus e outra parte da cidade, que também gostei bastante, aliás, não teve nada que não gostei por lá...rsrs... Bom, começamos pelo mercado pra tomar nosso café da manhã...hehe... depois partimos para o primeiro museu do dia e o que eu mais queria conhecer, o Museu de História Natural!!! Gente, em Londres não é preciso pagar para entrar nos museus, mas vc pode dar algum tipo de contribuição caso assim queira... claro que com a libra nas alturas eu não contribuímos nem com uma sequer...kkkkk!!! Mas voltando ao museu, ele é incrível, a própria arquitetura já impressiona do lado de fora, para um castelo ou algo assim tão imponente! Existem vários setores para conhecer, mas o de maior sucesso é dos nossos amigos Dinossauros, é muito legal!! Depois deste museu fomos ao Science Museum, ou Museu da Ciência que eu confesso esperava bem mais, me decepcionei um pouco, ele estava bem vazio mas valeu a pena conhecer de qualquer forma! Em seguida fomos em direção ao British Museum, que é o famoso Museu Britânico... ele é gigantescoooo e pra vc ver tudo com calma teria que passar muitas e muitas horas lá dentro! Passei pela ala egipcia, da qual gosto muito e outras, mas estava já meio cansada de museus, porém me surpreendi, pois quando vc olha por fora não dá muito por ele! Nossa saga dos museus acabaram e seguimos para o bairro de Camden Town, onde é tudo muito diferente e meio alternativo. Comprei todos os souvenirs lá, pois é a região mais barata para comprar e vc encontra de tudo, adorei a energia do lugar, foi um local que nos surpreendeu, passamos mais tempo lá do que imaginamos e acabou ficando muito tarde e acabou não dando pra conhecer Notting Hill, uma pena, mas ficará para uma próxima, pois Londres é uma cidade que desejo voltar com toda certeza! Quando decidimos voltar para o hostel acabamos pegando o metrô errado, em direção ao aeroporto e ainda bem que ficamos ligadas e deu tempo de voltar para o hostel. Tomamos banho, pegamos tudo e seguimos para o mercado para gastar nossas últimas libras, já que haviam sobrado e comprei mais besteiras e algumas coisas pra comer no ônibus que pegaríamos para Bruxelas, mas o perrengue veio depois... chegamos na estação no horário pretendido, mas foi uó pra encontrar a estação de ônibus certa, pois são várias, cada empresa de ônibus tem a sua estação e já estava quase dando o horário e nada de encontramos, teve uma hora que eu pensei em desistir pois estava com a mochila muito pesada e várias sacolas nas mãos. Faltavam 5 min pro ônibus sair quando finalmente encontramos e corremos como se não houvesse amanhã e minhas pernas já não me obedeciam mais, achei que já tínhamos perdido mas tinha uma fila ainda pra entrar, que sufoco!!! Uma coisa é certa, chegue no horário sempre, pois nenhum dos ônibus atrasaram e se vc demorar perde sim, pois eles não esperam! Olha gente, neste caso em especial, a viagem de ônibus foi péssima, e essa foi a única vez em que nem conseguimos descansar, pois além do ônibus estar cheio tinha um pessoal muito estranho bebendo, fumando e falando alto... o motorista teve que parar o ônibus várias vezes e reclamar com eles dizendo até que ia chamar a polícia e eles pouco ligavam, ficamos até meio assustadas, mas no final deu tudo certo e chegamos quebradas em Bruxelas...rsrs... o que seria de uma trip sem os perrengues né? Essa passagem de ônibus custou 17€ e também foi pela Ouibus! Optamos pelos ônibus tanto pela economia do valor da passagem, quanto economizar na diária em hostels, não precisar pagar para despachar bagagem além deles sempre te deixarem no centro da cidade e não distante como são os aeroportos. No próximo post falo sobre os outros destinos... Dia 09 - Bruges / Bruxelas Como eu havia dito antes, chegamos bem quebradas na cidade, pois a viagem de ônibus foi bem cansativa, mas posso afirmar que esta foi a única vez que nos sentimos assim, pois as outras viagens foram bem tranquilas e deu pra dormir no ônibus de boa. Mas isso pra quem não liga muito né, gente? O ônibus nos deixou na porta da estação Gare du Midi e chegamos bem cedo e como não teríamos hospedagem nesta cidade, decidimos deixar as bagagens guardadas na estação, mas antes esperamos o banheiro abrir para trocar de roupa, dar aquela melhorada no visú e poder realizar nosso roteiro no dia...rsrs... o engraçado que ficou todo mundo olhando pra gente, já que abrimos as bagagens e esparramos tudo por lá...rsrs!! Decidimos fazer um bate e volta à Bruges, pois mesmo sabendo que seria corrido, eu tinha muita vontade de conhecer esta cidade e não me arrependo, pois deu pra andar pela cidade, conhecer um pouco e na metade do dia seguir novamente para Bruxelas e conhecer um pouco da capital. Bruges é uma cidade fofa e encantadora, estava bem frio neste dia e sofremos um pouco, pois não imaginávamos que seria assim, mas isso foi só pela manhã, depois foi esquentando mais. Em Bruges, fomos caminhando da estação até o centrinho da cidade e na volta fizemos a mesma coisa, não gastamos com transporte por lá, pois é tudo muito perto. Também não entramos em nenhuma atração, pois nossa intenção era apenas andar pela cidade sem rumo e como chegamos bem cedinho, pegamos a cidade bem vazia e nos encantamos... achei os valores na cidade também bem baratos e aproveitamos para comprar os famosos chocolates belgas por lá, encontrei 6 caixas de trufas por 10€ e o problema foi que tinha que levá-los até o Brasil e já estava com vários chocolates que tinha comprado em Londres e minhas sacolas foram só aumentando e olha que era apenas o início da viagem....kkkkk!! Bom gente, o valor de ida e volta do trem de Bruxelas x Bruges foi 29,60€ pela Trainline, eu já havia comprado antecipadamente e foi só mostrar os bilhetes. Por volta de meio-dia voltamos para a estação e seguimos para Bruxelas. Gastos em Bruges: Chaveiro + imã = 6€ Armário p bagagem / 5 = 2,20€ Banheiro = 0,60€ Chocolates = 10€ Mercado = 2,68€ Total: 21,48€ Chegando em Bruxelas compramos 2 bilhetes de metrô e usamos 1 para ir e voltar ao Atomium, pois como o bilhete vale por um certo tempo deu pra usar o mesmo bilhete (tudo pela economia...hehe), lá só dá pra chegar de metrô e não é muito longe não, achei que fosse mais, olha que o negócio é grande mesmo gente, achei bem legal, mas não subimos, vimos apenas por fora. Na volta descemos na Grand Place, a famosa praça da cidade e ela realmente é muito bonita e estava bem cheia. Deu pra andar pela cidade com calma, parei pra experimentar a famosa batata frita belga, mas confesso que não gostei, só não sei se foi o lugar que comprei que era ruim mesmo...rsrs. Passamos em algumas lojas e comprei meus imãs e chaveiro, depois pegamos o metrô e seguimos para a estação pra pegar nossa bagagem e ainda ir para a outra estação da cidade, já que nosso ônibus para Amsterdam sairia da Gare de Bruxelles-Nord, mas como havia aquele limite de tempo deu pra usar o mesmo bilhete para ir até a outra estação. Por isso é sempre bom se informar sobre tudo, pois vc pode fazer pequenas economias que se tornarão grandes no final das contas... Gastos em Bruxelas: 2 Tickets Metrô = 4,20€ Batata + Coca = 7€ Água 1,5L = 0,65€ Chaveiro + imã = 4€ Total: 15,85€ Dia 10 - Amsterdam Chegamos em Amsterdam a noite, depois das 22h e o ônibus no deixou em uma estação de trem onde logo procuramos algum lugar para comprar o bilhete de metrô, mas vimos que lá o transporte é caro e valeria mais a pena comprar o bilhete de 24h, pois teríamos que utilizar também no dia seguinte para andar pela cidade e depois para ir embora e foi assim que fizemos, mas confesso que foi a máquina que mais tivemos dificuldade e só poderíamos comprar por ela, pois não havia bilheteria, apenas máquinas mas mesmo nos enrolando um pouco conseguimos...rsrs... Ficamos lá esperando o próximo trem com destino a Central Station e uma das meninas pediu para colocar minhas sacolas em cima da mala dela, pra eu não carregar peso e assim que o trem chegou corremos pra pegar e ela esqueceu as minhas sacolas na estação, assim que a porta fechou ela disse "Cris, suas sacolas ficaram lá..." quase chorei olhando pela janela as minhas sacolas...meus chocolates, minhas lembrancinhas de Paris e Londres, meu Deus, pensei já era... mas mesmo assim resolvi descer na próxima para e voltar pra tentar ver se ainda estariam lá.... o trem demorou a parar e quando vimos o próximo só viria em 10min, me pareceu uma eternidade!!!! Assim que o trem chegou olhei pro outro lado e as sacolas estavam lá...(Ufaaaa) falei pra elas ficarem de olho e se alguém pegasse gritassem pra deixar lá...kkkkk... corri muito!!! Mas quando cheguei vi que tinham revirado a bolsa toda, mas não levaram nada... não sei se alguém da segurança mexeu pra ver o que era, enfim... o importante que minhas coisas estavam a salvo e as meninas até se aliviaram, pois viram como eu estava tensa...kkkkkk!!!! Bom, chegando na estação central deu pra ir andando até o hotel, pois era perto. Eu e uma das meninas ficamos em um hotel, pois sairia mais em conta do que hostel, ficamos no XO Hotels City Centre em quarto Duplo privativo s/café e nos custou 50€ (25€ pra cada). Apesar de ter visto muita gente reclamando do hotel, eu gostei e achei melhor do que pensava, inclusive. Chegamos tão cansadas no hotel que capotamos, nem saímos lá a noite. No dia seguinte tinhamos um dia cheio! Acordamos um pouco mais tarde e arrumamos a bagagem, pois teríamos que deixar guardadas no hotel já que a noite partiriamos para Munique. Comemos algo e seguimos até a Museumplein, onde ficam os museus e também o famoso letreiro da cidade, utilizando nosso passe de 24h. Amsterdam foi uma cidade que também me encantou bastante, pois os canais e sua arquitetura são incríveis e a cidade tem uma energia maravilhosa, porém foi a cidade mais cara de toda a viagem! Gente, uma garrafa de água custava uns 3€ e eu me recusei a pagar, comprei refrigerante....kkkkkk!! O transporte lá também é ótimo, vc pode andar super de boa, pois é bem fácil, mas também é caro, se não me engano um bilhete simples era 2,90€... A cidade também é megaaaaa lotadaaaaa e cada ruazinha esta entupida de gente, nossa, não achei que fosse assim! Muitos jovens, foi a cidade com mais jovens de toda a viagem e todos querendo a mesma coisa né, diversão e experimentar as tais ervas...rs! Mas Amsterdam é bem mais que isso! Caminhamos por essa região da cidade, admirando os canais, os prédios e as ruas tão diferentes... tiramos diversas fotos no letreiro! Depois seguimos a pé mesmo até a Heineken Experience, mas perguntamos se haveria possibilidade de ir apenas até a loja, pois as meninas queriam comprar umas tulipas com nome gravado e tinha uma fila considerável pra entrar, o segurança foi bem simpático e permitiu!! Depois fomos até a Casa de Anne Frank, e já havíamos comprado nossos ingressos pelo site, antecipadamente, e aconselho a fazer isso caso queira visitar, pois é uma das atrações mais concorridas da cidade e os ingressos ficam disponíveis com 2 meses de antecedência e o valor é 9,50€, vc escolhe o dia e horário melhor pra vc. Vale muito a pena visitar a casa, pois vc conhece um pouco da história e de tudo que os judeus passaram, é meio desconfortável e vc até sente um pouco de angústia, o bacana é que eles tem áudio-guias em português e está incluso no valor do ingresso. Final da tarde passamos por outras regiões e passamos pela praça Dam, a mais famosa de Amsterdam, depois nos separamos e cada uma foi conhecer um pouco mais da cidade, parei pra comer e escolhi desta vez experimentar as batatas holandesas, já que há uma rixa com a Bélgica de quem tem a melhor batata frita e olha, posso afirmar que as holandesas são infinitamente melhores...rsrs! Um cone gigante com uma coca custou 6€, consegui comer apenas a metade pois era muito grande, é praticamente um almoço!!! Comprei algumas coisas no mercado, pois como viajaríamos novamente de ônibus, resolvi levar algumas coisas pra comer. Passamos no hotel, pegamos nossas coisas e seguimos para a estação de ônibus, mas chegando na estação de trem descobrimos que nosso passe não valeria para o trem que levaria a esta estação, pois é diferente e tivemos que comprar um outro, mas tudo bem! Chegando lá nos confundimos um pouco, mas encontramos de onde sairia nosso ônibus, ele demorou um pouco mas nada demais. Nossa próxima parada seria Munique, na Alemanha, e essa viagem de ônibus foi bem tranquila, o ônibus não estava tão cheio e deu pra dormir tranquilamente. Essa passagem de Amsterdam para Munique custou 35,90€ pela Flixbus e compramos todas antecipadamente! Gastos do dia: Hotel = 25€ Ticket 24h = 7,50€ Ticket Trem = 3,30€ Batata + Coca = 6€ Chaveiro + imã = 5€ Mercado = 5€ Coca = 2,25€ Total: 54,05€ Dia 11 - Munique / Füssen Chegamos pela manhã em Munique e a rodoviária é pequena e ao lado da estação de trem, então pegamos um trem para a estação central da cidade, pois de lá que pegaríamos o trem para outra cidade que iríamos e também poderíamos deixar nossas bagagens. Usamos o banheiro pra dar um trato no visual e trocar de roupa, se acostumem, pois na Europa quase todo banheiro vc paga pra usar, então tenha sempre moedas...rs! Tínhamos comprado um passe de trem chamado Bavaria-Ticket que servia pra andar de transporte público pela cidade, mas na verdade o compramos para visitar a cidade de Füssen, pois eu queria muito conhecer o Castelo de Neuschwanstein, que inspirou Walt Disney a criar o castelo da Cinderela!! Desde que vi uma foto do castelo coloquei na cabeça que conheceria, assim como a cidade que visitaria depois. Bom, para conhecer o interior do castelo vc precisa comprar o ingresso que custa 13€ e aconselho a comprar antecipadamente, pois na alta temporada as filas são grandes e vc pode não conseguir horário para a visita, com a taxa o ingresso saí por 14,80€ e acho que vale a pena! Vc paga o ingresso na hora que pegar, e não antes. No valor está incluso o áudio-guia em português e vc pode acompanhar a visita, mas não pode fotografar no interior do castelo. Usamos nosso Bavaria-Ticket para grupos de até 5 pessoas e sai mais em conta do que o valor por pessoa, mas mesmo que vc vá só também vale a pena, pois custa 23€ e vc pode usar o trem de ida e volta para qualquer cidade da Bavaria e também para visitar Salzburgo, na Áustria! Vc pode pegar os trens de qualquer horário, contanto que não seja os de alta velocidade (Avi), é uma economia bem bacana!! Com esse ticket vc também usa pra entrar no ônibus que leva da estação de Füssen até a cidade onde fica o castelo, é uma viagem de uns 10min apenas. Mesmo que vc não queira visitar o castelo, vale conhecer essa cidade pois é linda, tem um lago incrível e eu fiquei encantada, uma cidade de conto de fadas mesmo!! Para subir até o Castelo vc pode ir a pé, de charrete ou de ônibus, o bilhete de ida e volta custou 3€ (ônibus). A viagem de trem entre Munique e Füssen demorou umas 2h e por isso acho que vale muito o bate e volta! Voltamos, depois da visita e só as paisagens que vc vê pelo caminho já valem a viagem, são lindas! Comi no McDonald's da estação de Munique, demos uma volta por Munique mas bem rápido mesmo, antes de seguir viagem para Salzburg, pois fizemos reserva em hostel lá, já que no dia seguinte iríamos para outra cidadezinha que eu era louca pra conhecer, só que desta vez, na Áustria! Gente, olha a economia que conseguimos com esse passe: viajamos ida e volta pra Füssen, utilizamos trem, ônibus e metrô em Munique e ainda seguimos para a Áustria com o mesmo passe! É ou não perfeito?! Caso vc vá passar uns dias em Munique utilize este passe e aproveite para conhecer estas cidades próximas, também compensa Salzburgo pois a viagem dura menos de 2h ;)!! Cada uma de nós gastou 13€ com ele e foi uma das melhores economias da viagem. Vc pode comprar nas máquinas ou pelo site da DBahn, vale das 09h a meia noite, então pode usar por todo o dia!! Chegando em Salzburg, seguimos para o hostel já bem cansadas e eu só sai pra comprar uma água...rs! Gastos do dia: Sanduiche + coca = 5,40€ Banheiro = 1€ Armário p bagagem = 3,60€ Castelo Fussen = 14,80€ Ônibus para Castelo = 3€ (ida e volta) Imã do castelo = 3,50€ Coca = 1,84€ McDonald's = 4,58€ Água = 1,30€ Taxa Hostel 1,55€ Total: 40,57€ Dia 12 - Hallstatt Na noite anterior havíamos chegado bem cansadas, já que estávamos vindo de uma noite dormida no ônibus e de um bate e volta de outra cidade só queríamos um banho e apagar, melhor ainda foi chegar no hostel e a atendente conseguir nos encaixar em um quarto só pra gente, já que havíamos feito a reserva para quarto compartilhado, mas como estávamos juntas ela fez esse favor gigante...kkkkk... nem arrumamos nada e foi ótimo ter o quarto só pra nós!! Ficamos no hostel A&O Salzburg Hauptbahnhof e o valor da diária foi de apenas 11,40€ em quarto de 6 camas sem café da manhã, o hostel é ótimo, parece até hotel e adoramos, sem falar que ele fica quase do lado da estação central e isso ajudou muito! Caso fiquem neste hostel aconselho a realizar a reserva pelo próprio site deles, pois é bem mais barato, eu teria pago uns 10€ a mais pelo booking e já deu pra dar uma economizada né...rsrs... Eu havia planejado passar por Salzburg apenas pra fazer um bate e volta até a cidade de Hallstatt, pois desde que ouvi falar sobre esta cidade, fiquei completamente encantada! Vi que a melhor forma seria uma bate e volta por lá, de início eu iria fazer o trajeto ônibus + trem + barco pois todos dizem ser o mais econômico, mas como encontrei passagens de trem em promoção acabei decidindo ir de trem, já que seria menos complicado e mais barato...rs... comprando com 6 meses de antecedência as passagens custaram 9€ ida e 9€ volta pela OBB, os trens são extremamente confortáveis e muito bonitos!! Vc faz uma baldeação no meio do caminho e chegando na estação de Hallstatt vc pega um barco que custa 5€ pela ida e volta, mas esse passeio já vale pois vc fica lá babando pelo lugar... Gente, a cidade é realmente linda! O lago, as montanhas em volta... as casinhas, parece até um lugar cenográfico de tão perfeitinho!! A cidade é bem pequena, mas dá pra passar um dia lá só admirando e conhecendo o lugar, tem alguns restaurantes e lojinhas com preços bem acessíveis!! Como chegamos lá quase 11h aproveitamos pra dar uma volta enquanto as outras meninas não chegavam, pois acabamos não indo juntas por algumas terem comprado passagem para horários diferentes. Depois que elas chegaram paramos pra comer uma pizza e ficar admirando a cidade...rs... Em seguida fomos curtir e decidimos subir o teleférico que leva até o topo da montanha, a vista é incrível e vale a pena, esse passeio custou 16€ e a paisagem compensa tudo! Tem passeios com barquinhos lá também, ou vc pode conhecer a Mina de Sal que fica nessa montanha que subimos. Compramos umas lembrancinhas, andamos pela cidade sem pressa e foi um dia bem bacana! Chegamos lá com sol e na hora de ir embora começou a chuviscar um pouco. Procure ir para o ponto de retorno do barco uns 30 min antes, pois enche e verifique o horário de saída deles assim que vc chegar, pra não ter problemas e vc correr risco de perder o trem...rs! Pegamos o trem de volta e a única coisa chata foi que na hora da troca de trens pegamos um errado, pois estava na mesma plataforma e só nos demos conta quando entramos, explicamos ao fiscal e sorte que ele não cobrou multa, pois lá são bem rígidos com isso, pagamos apenas o valor do bilhete que foi de 8,90€, pois era um trem de outra cia, mas fazer oq né? O erro foi nosso...rs Bom, quando saímos pela manhã do hostel havíamos deixado nossa bagagem guardada e lá eles cobram, mas não nos cobraram pois os armários estavam com defeito e eles deixaram na recepção...deixaram a gente ficar por lá até dar horário do nosso próximo trem, que seria pela madrugada. Eu tinha planejado andar um pouco por Salzburg, mas estava tão cansada que nem sai do hostel, comprei umas coisas e fiquei por lá mesmo pra descansar e as meninas também não quiseram sair... ficamos batendo papo e rindo dos nossos micos até aquele dia...kkkk!!! Por volta da 01h da manhã saimos do hostel, mas achei a cidade bem tranquila e era pertinho pra gente ir caminhando, chegamos na estação e estava deserta...rs...nossa próxima parada seria a cidade de Veneza, na Itália, e seria a primeira vez que pegaríamos um trem noturno e já ouvi tantas histórias...não sabíamos como era... mas conto depois! Gastos do dia: Teleférico = 16€ Barco = 5€ Pizza + bebida = 12€ Imã = 3,70€ Sorvete = 1,70€ Trem errado (DB) = 8,90€ Mercado = 8,89€ Mercado / 2 = 2,60€ Total: 58,79€ Dia 13 - Veneza Foi nossa primeira vez em trem noturno e quando fizemos a compra do bilhete, escolhemos o mais barato, ou seja, eram assentos mesmo e não couchettes como costuma ter e são bem mais caros, lembram que nossa prioridade era a economia? Pois é, e com isso vem sacrifícios né...rs... mas as vezes vc arrisca e dá sorte e foi oque aconteceu conosco (Amém)!! Na compra dos bilhetes, que foi pela OBB e custou 29€ comprando antecipadamente, não tinha como escolher o vagão ou assento, apenas dizer se vc queria janela ou corredor mas era aleatório o número do assento e com isso os nossos foram td em lugares separados, eu fiquei em uma cabine lotada e não dava nem pra esticar as pernas...rs... masssss por sorte as meninas encontraram cabines vazias e conseguimos ficar juntas, 3 em uma cabine e 2 em outra e como o assento vira uma cama conseguimos até dormir (foi maraaaaaa)!!! O fiscal disse que não tinha problema ficar por alí, que beleza! Como sou meio neurótica, não dormi muito a vontade pq toda hora acordava achando que ia perder a parada ou pra vigiar a bagagem...rs... toda hora passavam uns caras estranhos pelos corredores olhando pra dentro das cabines e como a nossa estava sem cortinas na porta eu fiquei cismada (sabem como são brasileiros, né...rs), mas é sério gente, teve um que parou e ficou olhando pra gente dormindo, mas eu estava com um olho aberto...kkk... deu medo, lembrei dos filmes tipo "O Albergue" kkkkk!!! No trem não havia nenhum sistema de som pra avisar qual estação estávamos na hora que o trem parava e eu tive medo de colocar o celular pra despertar e não ouvir pelo barulho do trem...enfim, dormi mas não como queria, mas mesmo assim valeu a experiência e apesar de me sentir cansada, depois que lavei o rosto me senti nova de novo, afinal, estava na Itália, um país que sempre desejei conhecer!! Chegamos em Veneza pela manhã, na estação principal, Santa Lúcia e como havíamos feito uma reserva pelo site da Bagbnb, que indico, pagamos apenas 5€ para deixar a bagagem guardada próximo a estação, pois vi que lá dentro da estação era cobrado por hora e sairia mais caro. Essa empresa que falei existe em várias cidades da Europa e custa 5€ por dia pra guardar sua bagagem, fica a dica ;)!! Fomos ao banheiro nos arrumar antes, como sempre...rs... e depois foi só atravessar o "canale" pois já estávamos em Veneza!!! Não usamos nenhum tipo de transporte na cidade, existem os vaporetos que são como ônibus aquáticos, mas o bilhete é mega salgado, 7,50€, e não é diário não gente, isso um único bilhete pra uma viagem (aff)!!! Mas Veneza não é grande, dá pra fazer tudo a pé, a não ser que vá conhecer outras ilhas como Murano, Burano etc... como não faríamos isso e foi pra passar apenas 1 dia deu super certo pra gente!! Mas olha, quando vc chega na Itália percebe a diferença do restante da Europa, os italianos são, digamos, mais rudes.... mas é o jeito deles mesmo... nós levamos tantos esporros que apenas riamos de tudo...kkkk!!! Tipo, qnd vc entra em uma lojinha ficam te cercando e vendo se vc não vai roubar nada, se vc senta em algum lugar só pra descansar as pernas, tipo uma mureta ou algo mandam vc sair...rsrs... mas levávamos na boa, só ríamos das situações... eles também não tem paciência pra responder muita coisa, enfim... diferente dos outros países que havíamos passado onde sempre eram muito simpáticos e gentis, mas é o jeito deles, vc acostuma... lembrando que foi essa a nossa impressão tá, gente?! Achei Veneza uma cidade bem diferente, bonita e não achei fedida como as pessoas as vezes dizem, mas não foi uma cidade que me encantou, não sei se voltaria, porém não me arrependo de ter conhecido, pois sempre quis muito, mas não me ganhou como outras!! Achei legal mas nada de tão incrível e não é o fato falarem que é pra casal, nem achei isso, pois ela nem me pareceu romântica...rs... é tanta gente passando, muvuca nas pontes, muvuca de gôndolas nos canais e não sei onde isso é romântico, mas cada um com sua impressão...rsrs... Bom, mas uma coisa posso afirmar, foi em Veneza que comi a melhor pizza e tomei o melhor Gellato.. mamma mia!!! De todas cidades da Itália e da viagem, foi a pizza mais gostosa e por incrível que pareça, a mais barata!!! Um pedaço gigante, mas enormeee mesmo custou apenas 2,50€ mas era quase metade de uma pizza familia...kkkk... as lembrancinhas também eram bem baratas. Eu achei Veneza uma cidade barata, pois falam que é cara e tals e não tive essa impressão, acho que hospedagem sim é cara, por isso resolvemos nem pernoitar por lá... Em Veneza existem diversas pontes, igrejas, becos e vc pode até se perder, mas não se preocupe pois todas as placas te guiam para a Piazza de San Marco e o legal é ir conhecendo cada pedacinho da cidade! A praça é super lotada, assim como a Ponte Rialto e todo o comércio próximo dela... tente comprar lembrancinhas ou presentes perto da ponte, são baratinhos!! Ah, foi perto dela também que tomei o melhor Gellato da vida...hehehe! A Praça de São Marcos é linda, a Basílica é rica em detalhes, assim como o museu que fica ao lado, tem também a Torre do Campanário, ou seja, todos pontos mais importantes estão nesta praça e depois de conhecê-la vc pode tentar andar pelos becos mais tranquilos e longe da muvuca pra sentir Veneza de forma mais íntima... Foi um dia proveitoso e não foi corrido, pra nós 1 dia foi suficiente, se alguém tem dúvidas, dá sim pra curtir um pouco da cidade até pra quem pensa em fazer um bate e volta, vale a pena!! No final da tarde seguimos de volta a estação, pois pegaríamos o trem para Verona e já tinhamos nossa passagem comprada antecipadamente, como não sabíamos se nos perderíamos resolvemos voltar 1h antes pra estação pra não correr riscos...rs e demoramos uns 30min andando calmamente pelos becos de Veneza... pegamos nossas bagagens que tinhamos guardado, nos despedimos de uma das meninas que só fez o roteiro com a gente até alí e seguimos pra pegar nosso trem. Nossa passagem de Veneza x Verona custou 9,90€ pela Trenitalia e da próxima vez vou contar como foi conhecer Verona! Gastos do dia: Banheiro = 1€ Armario = 2,50€ Coca + água = 3€ Pizza = 2,50€ Imã + Chaveiro = 3€ Gellato = 3€ Coca = 2€ Total:17€ Dia 14 - Verona Chegamos em Verona no final da tarde e como estávamos extremamente cansadas resolvemos pegar um táxi, essa foi a primeira vez que utilizamos táxi na viagem, até pq não sairia tão caro e tudo que eu queria era um banho e descansar!!! Essa foi uma das poucas vezes que nem todas conseguiram ficar na mesma hospedagem, apenas eu e uma das meninas conseguimos vaga neste hostel... as outras 2 ficaram em lugares diferentes, pois nem conseguiram vaga no mesmo hostel uma da outra... por isso é sempre bom antecipar tudo!! Escolhemos o Protezione della Giovane, um hostel exclusivamente feminino e muito agradável, mas pra quem pretende voltar de madrugada não vale a pena, pois lá existe toque de recolher e as 23h as portas são fechadas e nem adianta insistir...rs...eles já avisam isso na chegada. Lá todo o dinheiro arrecadado com as hospedagens são convertidos para ajudar mulheres que precisam, achei bem legal! O quarto compartilhado com 5 camas custou 22€ e não inclui café da manhã, lembrando que só hospedam mulheres!! Esse hostel fica pertinho de tudo, da Casa de Giulieta, Piazza Brá, Arena de Verona e tudo mais... além de ser super limpo e bem espaçoso, mas se prepare pra muitas escadas, se tiver malas grandes dá um trabalhinho hein! Neste dia de chegada nem fizemos nada, estávamos um bagaço então reservamos nossas energias pro dia seguinte...rs! No dia seguinte acordamos cedo, arrumamos nossas bagagens e deixamos guardadas no hostel. Depois fomos em busca de um mercadinho pra comer algo e me surpreendi, de lavada foi a cidade mais barata de todas, mas muito barato mesmo... fiquei louca....kkkk!! Feita as comprinhas pra comer durante o dia seguimos para o Castelvecchio, fomos caminhando mesmo... todo o roteiro na cidade fizemos caminhando e não foi uma cidade que me deixou cansada, pelo contrário, eu me surpreendi com Verona e me encantei com as pessoas, a cidade, o clima e tudo mais, bem diferente de Veneza e da primeira imagem que tive da Itália... A cidade é antiga, mas tudo é bem conservado, as ruas são agradáveis e as pessoas são gentis. Bom, eu havia comprado antecipadamente o Verona Card, que custou 18€ e vale por 24h, existe também o de 48h mas não lembro qnt custa. Mas olha gente, esse é um passe que vale demais a pena, pois além de vc poder entrar em todas atrações e museus da cidade vc também tem direito ao transporte público ilimitado, então se vc se hospedar um pouco mais longe do centrinho, poderá utilizá-lo pra pegar ônibus sem gastar nada mais. Eu usei ele pra ir ao Castelvecchio, a Casa de Giulieta, a Torre de Lamberti e na Arena de Verona mas existem muitas outras atrações na cidade que vc também entra com ele e tudo sem pegar filas... bem bacana né?! Verona é uma cidade super charmosa e eu confesso que foi uma das minhas preferidas da Itália, depois conto sobre as outras que me conquistaram...rs.. Bom, eu não sabia que iria gostar tanto mas o Castelvecchio me surpreendeu, pois é muito legal já que vc visita o museu e depois pode percorrer todo o castelo e a cada instante descobre uma vista mais incrível do que outra, andar sobre os muros do castelo é muito legal... é algo bem diferente! De lá caminhamos até a Arena di Verona e ela parece um mini Coliseu, mas está muito bem conservada e se não me engano é mais antigo do que o parente mais famoso...rs... a Praça que fica em frente também é bonita e ótima pra dar uma relaxada ou apenas olhar o povo passando...rs! De lá seguimos a piazza brá onde é o melhor lugar pra vc comprar lembrancinhas e outras coisas, pois existem diversas barracas e também onde está a Torre de Lamberti, na qual vc pode subir pra ter uma bela visão do alto da cidade (Vc não paga pra subir com o VeronaCard de escadas, mas pra subir de elevador custa apenas 1€, claroooo que economizei minhas pernocas né...kkkk)! Depois de um tempo por lá caminhamos até a Casa de Giulieta e estava lotada, todo mundo querendo pegar nas "peitcholas" da estátua famosa...kkkkkk!!! Muitos apaixonados deixam suas cartinhas, ou cadeados por lá... vc pode ir só até o pátio onde não paga ou entrar pra conhecer a casa que possui um pequeno museu (daí vc paga), como eu tinha o VeronaCard não paguei e entrei pra conhecer e tirar fotinha na famosa sacada...rsrs!! No final do dia, depois de ter feito o dia render bastante, pegamos nossas coisas no hostel e passamos no mercado de novo (sabe-se lá quando ia ver outro tão barato...rs), comprei muitas coisas já pra ficar abastecida até a noite seguinte, não sou besta né! Pegamos um busão até a estação de trem e encontramos o restante das meninas, de lá seguiríamos viagem até Milão, que na verdade só quis conhecer por estar no caminho e pra conhecer uma das obras mais importantes que lá se encontra e muita gente nem sabe...rs... mas isso é assunto para o próximo post! Gastos do dia: Mercado = 8,57€ Elevador Torre de Lamberti = 1€ Imã + chaveiro = 4,50€ Hospedagem Verona = 22€ Taxi / 2 = 5,50€ Total:41,57 Dia 15 - Milão Chegamos em Milão por volta das 19h da noite, mas ainda estava bem claro, então decidimos ir andando até o hotel, ficamos no Guest House Brianza Room e o quarto duplo c/ banheiro compartilhado saiu por R$165,66 que já havíamos pago, e a taxa de turismo de 3€ por pessoa que pagamos na hora, e incluía café da manhã, como foi dividido por 2 pessoas não saiu caro, fiz a reserva pelo site da Expedia! Este hotel ficava uns 10min andando da estação Central e isso claro já ajudou bastante! As outras 2 meninas preferiram ficar com a gente e conseguimos ficar todas no mesmo quarto, pois haviam 4 camas. As meninas queriam muito sair pra jantar e conhecer a noite da cidade, pois tinham ouvido falar bem mas eu resolvi ficar no quarto e dormir, nem vi quando elas voltaram mas depois me disseram que não acharam nada demais...rs Pela manhã tomamos café, arrumamos nossas coisas e seguimos em direção ao metrô, onde compramos apenas 2 bilhetes para utilizar pelo dia todo e foram suficientes. Começamos o dia indo até a igreja Santa Maria delle Grazie, onde se localiza a obra mais famosa de Leonardo da Vinci, depois da Monalisa, a pintura da Última Ceia!! Um dos ingressos mais concorridos para compra é este e vc não consegue comprar na hora mas sim com 3 meses de antecedência, assim que liberam as vendas as vezes acabam no mesmo dia e por isso se vc quiser visitar deve ver com bastante tempo. Ele é difícil pela visita ser controlada e só entram 15 pessoas por vez e só podem ficar lá admirando a obra por 15 minutos apenas, esta pintura se encontra na parede no Cenáculo Viciano, que fica ao lado da igreja e se vc passar por Milão acho que deve aproveitar a oportunidade de ver ao vivo uma das obras mais importantes do mundo! O ingresso com a taxa custa 12€, e como fizemos a reserva antes já estava pago. Depois passamos pela igreja pra conhecer e de lá seguimos caminhando para o Castelo Sforzesco, que fica bem pertinho, demos uma volta por ele mas não visitamos o museu, pois era pago e decidimos não entrar. Em seguida fomos também andando até a Piazza del Duomo para ver a Catedral e ela é realmente impressionante, simplesmente fantástica e giganteeee...rsrs... gigante também estava a fila da revista pra entrar e não tivemos coragem de enfrentá-la... também não teríamos muito tempo, pois tinhamos que voltar pro hotel pegar as coisas e seguir pra estação de trem, mas ainda deu tempo de entrar na Galleria Vittorio Emanuele II, que é um luxo e linda demais!! Nosso trem partiria as 14:50, então só passamos metade do dia em Milão e até que deu pra aproveitar bastante! Pegamos o metrô e seguimos para o hotel pra pegar as bagagens e depois fomos caminhando para a estação central, chegando lá passei no McDonald's (sempre ele pra ajudar...kkk) e "almocei" por lá! Nossa próxima cidade italiana seria Florença e eu estava bem animada pra conhecer, pois de lá ainda aproveitaríamos pra fazer 2 bate-volta! Nosso bilhete pela, Trenitalia, custou 9,90€ e também já havíamos comprado antecipadamente. Próximo post, a cidade que respira arte: Florença! Gastos do dia: Taxa de Hospedagem = 3€ 2 Tickets metrô = 3€ 1 Gellato = 2,50€ Imã + Chaveiro = 5,40€ McDonald's = 7,90€ Total: 21,80€ Dia 16 - Florença Chegamos em Florença no final do dia, e como não foi pela estação principal compramos um bilhete de trem e descemos na estação seguinte. Todas nós ficamos em hostels diferentes, mas 2 meninas ficaram em hostels na mesma rua e achei a localização ótima, praticamente ao lado da estação e pertinho de tudo! Fiquei no Hotel Paola e o quarto feminino compartilhado com 8 camas custou 12,50€ a diária, sem café da manhã! O hostel era bem simples, ficava no último andar de um prédio de 3 andares sem elevador...rs... mas achei o preço ótimo, era limpo, tranquilo e muito bem localizado então valeu super a pena! Assim que chegamos saímos em busca de um mercado e compramos algumas coisas, levei tudo pro hostel e não saí mais neste dia, depois do banho capotei na cama e não vi mais nada... sempre dormia cedo pra tentar guardar energia, pois o cansaço estava batendo forte durante a viagem... No dia seguinte acordei cedo, pois havia agendado horário pra visitar alguns museus e seria um dia cheio, mas foi um dos melhores dias da viagem pois consegui fazer muita coisa e tudo no meu tempo, sem falar que amei Florença, é uma cidade realmente incrível e tem muita coisa pra ver e fazer!! Este foi um dia que fiz tudo sozinha, pois as meninas aproveitam pra fazer outras coisas e cada uma fez coisas diferentes... e elas não estavam afim de visitar museus ou igrejas...rs! Fui caminhando do hostel até a Galleria dell Accademia, onde se encontra o Davi, de Michelangelo, já que começaria por lá e olha aconselho fortemente a comprar o ingresso pelo site, pois as filas em todos os museus são bem grandes, mesmo que vc pague as taxas, vale a pena pois vc economiza muito tempo! O ingresso custou 12€ e vc agenda o dia e horário melhor pra vc, só trocar o voucher e entrar! Vale muito visitar o lugar, que é pequeno e a visita pode demorar no máximo 1h se vc quiser ver tudo, mas a grande estrela é o Davi!!! Gente, ele é imenso e cheio de detalhes que impressionam, fiquei um bom tempo admirando... como fui cedo não estava cheio e foi bom ter espaço. Ainda percorri outras salas do museu, depois de satisfeita fui em direção a igreja Santa Maria del Fiore também caminhando, pois é tudo bem pertinho!! Eu havia comprado o ingresso para subir a Duomo também pelo site, mas lembrando que para entrar na igreja não paga, porém caso vc queira subir até a Duomo pra ter uma vista 360° da cidade é preciso pagar, são mais de 460 degraus mas confesso que achei que seria pior, a subida cansa, mas não é nada assustador!!! Bom, esse ingresso dá direito a visitar outros lugares como o Museo dell'Opera del Duomo, Batistério de San Giovanni, Campanário de Giotto entre outros... o ingresso custou 18€ e vc pode usar por 3 dias (mas só entra uma vez em cada lugar). A vista que se tem do alto compensa toda a subida, pois é incrível ver toda a cidade! Depois ainda fui ao Batistério e também ao Museu do Duomo, este último confesso que me surpreendeu muito, é incrível e só ele já valeria o ingresso e nem é tão comentado o que é uma pena, mas talvez seja por ser novo... gente, não deixe de conhecer esse museu!! Lá estão as verdadeiras "portas do paraíso" e é tão rica em detalhes e confesso que fiquei perdida com tanta coisa fascinante... esse museu nem é muito cheio, dá pra ver tudo com calma e vc vai se surpreender, fica a dica!!! No meio da tarde eu havia marcado horário para a Galleria degli Uffizi, onde pelo site o ingresso custou 24€ e eu já tinha trocado o voucher antes quando fui no primeiro museu, ver o Davi... a Ufizzi estava lotada e algumas salas estavam entupidas de gente, como a sala do quadro Nascimento de Vênus, de Bocelli, que vale dizer que é fantástico né?! Além disso o bom que vc pode ver bem de pertinho e apreciar os detalhes... adorei também as pinturas de Michelangelo e Rafael!! A Galleria é enorme e possui diversas obras, dá pra ficar um bom tempo por lá!! Não deixe de conhecer também este que é um dos museus mais importantes do mundo!!! Depois do meu roteiro recheado de arte e cultura caminhei um pouco pela cidade, fui até a Ponte Vecchio e terminei o dia comprando alguns souvenirs e comendo um pedaço de pizza...rsrs... também passei no mercado pra comprar algumas coisas e segui pro hostel, pois estava cansada, porém muito feliz por ter conseguido fazer tanta coisa neste dia!!! No dia seguinte teria 2 bate e volta pra fazer então não dormi muito tarde, tomei banho e já deixei as coisas arrumadas, pois iria embora no dia seguinte, após os passeios! Gastos do dia: Ticket Trem = 1,20€ Mercado = 4,94€ Imãs + chaveiro = 3€ Mercado = 7,15€ Coca + Pedaço de pizza = 3,30€ Total: 19,59€ Dia 17 - San Gimignano / Pisa Neste dia eu e mais uma das meninas haviamos combinado de conhecer 2 cidades próximas. Meu hostel cobrava 10€ (absurdoooo) pra deixar a bagagem guardada mas como das meninas não cobrava nada, pedi que ela guardasse minha mochila lá e ela conseguiu...rs... passei em uma lachonete e comprei um pedaço de pizza pra comer no caminho até a estação... por volta das 08h já estávamos na estação rodoviária de Florença, que fica ao lado da estação central, parece mais uma garagem...rs.. A primeira cidade seria San Gimignano e eu já tinha comprado meu ticket, que custou 6,80€ pela empresa Tiemme Toscana, mas vc pode comprar na hora sem problemas. Não existe ônibus direto, vc precisa descer em Poggibonsi e lá fazer baldeação para outro ônibus, caso vc prefira também pode ir de trem e descer na estação de mesmo nome pra pegar esse ônibus, leva-se o mesmo tempo mas o trem é um pouco mais caro e vc precisa pagar pelo ônibus, sendo que indo de ônibus vc paga um único valor pelos 2!! Chegamos cedo, ainda não estava muito cheia e a cidade é linda! Típica cidadezinha medieval, um charme e é tudo encantador... a cidade é muito pequena e vc pode conhecer tudo em pouco mais de 1h! Ela é toda murada e a vista é para toda a Toscana e com visual incrível... Eu amei conhecer esse lugar, pois parece que voltamos no tempo! Lá vc também pode conhecer a sorveteria que já ganhou o prêmio de melhor sorvete do mundo, a Gelateria Dondoli, imperdível pra quem ama gellatos, como eu...hehehe Depois de andar, tomar sorvete e curtir o lugar, resolvemos seguir nosso roteiro e desta vez partir pra Pisa! Muita gente só faz o bate e volta pra Pisa, mas resolvi incluir esta cidade por ter lido sobre ela e me encantado. Pegamos o ônibus de volta pra estação e Poggibonsi e pegamos o trem pra Pisa, não há trem direto, tivemos q fazer uma baldeação e apesar de ter demorado um pouco deu tudo certo! Chegando em Pisa vc pode ir andando até a Torre ou pegar um ônibus, que custa 2€ ida e volta mas q vc precisa usar em até 1h e 30min, como estávamos cansadas resolvemos pegar o ônibus mesmo...kkkk... ele deixa em frente a entrada da cidade e vc já vê as barraquinhas, a muvuca e tudo mais... assim que vc atravessa a entrada vê a Torre ao longe, ela é maior do que eu pensava mas achei que seria mais inclinada....kkkkkkk! Ficamos lá fazendo mil poses para as fotos e depois paramos em uma sombra e tomamos sorvete, daí ficamos só observando o povo também pagando mico...rsrs... estava um dia muito, muito quente e ficamos um bom tempo lá a toa... depois fomos para segunda sessão de fotos....kkkk!!! Acabamos perdendo o prazo pra usar o bilhete do ônibus e tivemos que comprar outro na volta, mas antes dei uma passada no banheiro do McDonald's e até lá é cobrado pra entrar, é mole? Kkkkk!!! Nas barracas do lado de fora da cidade é tudo muito baratinho, se puder compre souvenirs por lá! Na estação comprei o bilhete de volta pra Florença, custou 8,40€, e chegando de volta a cidade passei no mercado pra comprar algumas coisas, pois chegaríamos umas 22h no nosso próximo destino e já seria um pouco tarde pra comprar algo. Eu adorei conhecer a Toscana, é um lugar que voltaria com toda certeza! Florença é uma cidade maravilhosa que vale muito a pena conhecer! Eu gostaria de ter feito mais coisas por lá, pois há muito oque ver, não deixem de reservar no mínimo 2 dias para Firenzi!!! Próximo post, a última cidade italiana!! Gastos do dia: Coca + Pedaço de pizza = 5,40€ 2 Sorvetes = 5,50€ Imã + Chaveiro = 5€ Sanduiche + Coca (máquina) = 3,60€ Sorvete = 2€ Banheiro = 0,50€ 2 Ticket Ônibus = 3,40€ Trem Trenitalia = 8,40€ Mercado 5,38€ Total: 39,18€ Dia 18 - Roma Chegamos em Roma já um pouco tarde, mas como sabíamos que os hostels eram perto, decidimos ir caminhando... Havíamos comprado nossas passagens pela Italo Treno e custou a bagatela de 9,90€ em trem rápido, a viagem durou um pouco mais de 1h30!!! Eu e mais uma das meninas ficamos no Locanda Hotello, e as outras em hostels diferentes por não ter mais vagas neste. Paguei 32€ para 3 diárias em quarto feminino com 5 camas e incluía um pequeno café da manhã na lanchonete que havia embaixo, que na verdade consistia em um croissant e um café ou suco, mas por ter pago bem barato achei ótimo, fiz a reserva pelo Hostelworld e já tinha pago uma parte! Em Roma também é necessário pagar uma taxa turística por noite em qualquer hospedagem e custava 3,50€ (carinho né?). Achei o prédio do hostel bem estranho, pois é muito antigo, mas o hostel era bem limpinho e arrumadinho, tinha uma pequena cozinha que vc podia utilizar e vários banheiros! Mas o melhor de tudo é que ficava em frente ao Termini, tanto que a vista da janela era pra ele...rs! Isso nos ajudou muito na hora de nos locomover, pois de lá tem transporte pra todo lado, gostei muito de me hospedar nesta região!!! No dia seguinte acordamos cedo e já tinhamos planejado começar o dia pelo Coliseu, compramos 2 bilhetes de metrô e confesso que achei o metrô de Roma muito simples por ter apenas 2 linhas, é muito fácil se locomover pela cidade! Esse bilhete vale por 100min e vc também pode utilizar para tram e ônibus, e usar a vontade por esse tempo, mas o metrô vc só pode utilizar por 1 vez! Bom, já tinhamos comprado nosso ingresso do Coliseu pela Internet e aconselho vc a fazer isso ou comprar o Romapass, só não achamos vantagem em comprá-lo pois sairia bem mais caro e não vi vantagem no transporte com ele já q vc faz muita coisa a pé na cidade, nosso ingresso custou 14€ pelo site e gastamos apenas 3€ com transporte, então faça as contas pra ver se vale a pena pra vc!! O Coliseu estava lotado e o dia estava muito quente, muito mesmo! Lembre-se de levar com vc uma garrafinha pra encher nas diversas fontes que há pela cidade, inclusive nas atrações turísticas! Mesmo com ingresso em mãos pegamos fila por causa da verificação de segurança e demorou um pouco, e como tem aqueles espertinhos cara de pau que adoram furar fila, demorava mais ainda... fiquem ligados!! Visitamos primeiro o andar de baixo e só depois subimos, mas é incrível estar alí dentro, vc sente algo diferente, ele é grandioso mesmo! Ficamos lá um bom tempo e resolvemos não entrar nos Fóruns, pois estava estupidamente lotado e acabamos indo almoçar em uma das ruas próximas, encontramos um restaurante muitooooo barato e que recomendo, chama-se Ciard e uma pizza grande + coca de 1L custava apenas 7€ e se vc quisesse só a pizza era 5,50€!! Pedimos 3 e rachamos o valor, então ficou super em conta!! Fica a dica De lá passamos em uma lojinha pra comprar souvenirs e depois seguimos caminhando até o Monumento Vittorio Emanuele, que realmente é imenso e me surpreendi! Na rua ao lado conseguimos ver os Fóruns e achei bem interessante, pois víamos de cima e deu pra ter uma ótima noção! Passamos em um mercadinho pra comprar algumas coisas e continuamos nosso passeio até a Piazza Navona, que achei linda e depois fomos até o Panteão, que é absurdamente imenso, aliás, tudo em Roma é muito grande e em cada esquina vc dá de cara com algo histórico... há muito o que ver por lá, é um museu a céu aberto e vc pode visitar muita coisa sem pagar nada! Bom, entramos no Panteão e depois de um tempo por alí seguimos para uma igreja que eu queria muito conhecer, pois ouvi falar muito bem, se chama San Inácio de Loyola, e olha é realmente maravilhosa, pois ela tem umas pinturas no teto em 3D incríveis e também o desenho que faz vc pensar que há uma cúpula e na verdade não é real... vale demais visitar essa igreja que fica bem pertinho do Panteão, confiram e não vão se arrepender!! Como era dia da estréia do Brasil na Copa, decidimos combinar todas de assistir em algum lugar e acabamos ficando em um Pub alí por perto mesmo e encontramos mais uma menina que conhecemos no hostel e outros brasileiros lá mesmo. O pessoal era bem animado e foi engraçado assistir ao jogo longe de casa...rs...no final foi 1x1 (aff!) E como estávamos com a camisa do Brasil ouvimos alguns zoarem e outros darem apoio....kkkkk!!! Depois seguimos para a Fontana de Trevi e ficamos por alí com o pessoal, umas meninas seguiram novamente pro barzinho e eu e outras voltamos pro hostel de metrô, foi um dia super cansativo mas bem divertido! Um pouco mais tarde bateu fome e descemos pra comer algo alí por perto, eu comi uma pizza e a minha amiga pediu macarrão, depois subimos e capotamos, pois o dia seguinte também seria cheio! Gastos do dia: 2 tickets do metrô = 3€ Pizza + Coca = 5,25€ Souvenirs = 5,25€ Sorvete = 2,50€ Mercado = 5,95€ Pub = 2€ Pizza = 6€ Hostel = 36€ Total: 79,20€ Dia 19 - Vaticano Neste dia fiz questão de acordar bem cedo, pois era o dia de conhecer o Vaticano e dizem que vc deve ir bem cedo pra não pegar a fila gigante que se forma pra entrar... compramos novamente apenas 2 bilhetes de metrô e por volta das 08h já estávamos no Vaticano! Assim que descemos na estação de metrô vimos uma banca com muitos souvenirs, terços e tudo com ótimo preço, é uma banca gigante e se puder compre lá, pois foi a mais barata que vi! Eu super aconselho vcs a irem o mais cedo possível, pois pegamos tudo vazio e foi ótimo visitar a Basílica sem tumulto, não pegar nenhuma fila pra entrar e aproveitar tudo com calma!! A Basílica é realmente enorme e rica em detalhes, impressiona bastante! Eu resolvi subir até a Cúpula, mas as meninas preferiram esperar... pra subir tudo de escada vc paga 8€ ou pode pagar 10€ e subir uma parte de elevador e depois mais de 300 degraus a pé, optei pela segunda opção...rs... afinal era uma diferença baixa, não havia fila pra comprar o ingresso, a subida vai acompanhando a cúpula e as paredes vão entortando, e quem sofre de claustrofobia não aconselho fazer essa subida, pois há janelas apenas em raros trechos e são minúsculas... a vista é para toda praça de São Pedro e vc consegue ver muita coisa lá de cima, acho que vale a pena ver a cidade do alto e ter essa visão fantástica!! Quando desci tinha uma fila já grande, então vá cedo!! Depois encontrei as meninas, tiramos algumas fotos da Praça e de lá seguimos a pé para o Museu do Vaticano, que fica pertinho! A fila estava imensa, muito surreal, mas ainda bem que tinhamos comprado nossos ingressos antecipadamente pelo site e custou 21€ (taxa de 4€ inclusa), esse ingresso inclui a Capela Sistina, tá gente? Olha, não sei explicar como estava o Museu, era algo insano de tão lotado... éramos levadas pelas pessoas, e olha que chegamos cedo, meu Deus! Todas nós nos sentimos muito mal, pois estava lotado e lá não tem ventilação direito, estava muito quente e era sufocante!! Não consegui ver nada direito, só queria sair de lá...rsrs! Infelizmente não pude aproveitar muito e fiquei bem chateada, deve ter sido azar de justo naquele dia estar tão lotado, acontece né?! Como estávamos nos sentindo péssimas, só queríamos logo chegar na Capela Sistina e parecia que nunca chegaria, sempre mais e mais corredores, escadas e salas... até que vimos a porta da capela (aleluia!!). Posso dizer a vcs que só esse lugar já vale o ingresso, é de cair o queixo mesmo... gente, é lindaaaa, maravilhosa, impressionante!!! Michelangelo estava realmente inspirado!!! Lá dentro não pode tirar fotos, mas tirei uma escondida...rsrs!! Se vc não é do tipo fã de museus, tudo bem, mas vá ao menos pra se deslumbrar com essa obra incrível, não deixe de conhecer a Capela Sistina!!! Saímos do museu e procuramos um lugar pra comer, decidimos por um restaurante em uma das ruas próximas e rachamos umas pizzas. Eu havia reservado horário para visitar a Necrópole do Vaticano, então me separei das meninas aqui e voltei para o Vaticano sozinha. Esse passeio é pouquíssimo divulgado e muito difícil de conseguir, mas se vc se antecipar muito conseguirá um encaixe! Ele consiste em poder conhecer a Necrópole que fica abaixo do Vaticano, e visitar o túmulo de São Pedro... é uma experiência muito incrível e mesmo que vc não seja católico ou religioso, é algo bem diferente, pois vc passa por lugares que pouquíssimas pessoas possuem acesso. Não é muito divulgado para continuar sendo algo mais restrito, a visita deve ser agendada com o envio de um email em italiano para o vaticano dizendo os dias que vc estará na cidade e que deseja realizá-lo, vc poderá informar também o idioma que prefere da visita guiada, escolhi português e consegui!! Dura umas 2h toda a visita e é muito interessante, caso tenha disponibilidade pra vc eles enviam um link pra que vc efetue o pagamento, que custa 13€! É proibido tirar fotos ou filmar lá embaixo.... Se alguém se interessar em fazer essa visita só me falar aki o email que envio mais detalhes de como fazer certinho e tudo mais ! Bom, depois dessa visita incrível, vc acaba encerrando o passeio no lugar onde existem os túmulos dos papas, que fica no andar abaixo da Basílica e pode entrar novamente na igreja, caso ainda não tenha ido. Quando terminei a visita, assim que sai mesmo começou a cair uma tempestade, era muita chuva mesmo!!! Parecia coisa de filme...rsrs... todo mundo correndo, ventania, trovões e todos entraram na Basílica pra se proteger, a chuva começou a entrar até lá e tinha muita gente apavorada e eu só admirando...sabia que estava segura...rs... foi algo bem surreal! Passada a tempestade o sol abriu novamente e resolvi voltar pro hostel, não queria arriscar de pegar outra chuva assim...rs! Antes dei uma passada no mercado e comprei algumas coisas pra jantar e fazer um lanche no aeroporto no dia seguinte! Depois arrumei tudo, pois sairia logo pela manhã e desta vez partiríamos para o lugar mais aguardado da nossa viagem, a Grécia!!! Gastos do dia: 2 tickets metrô = 3€ Coca = 2,50€ Souvenirs = 14€ Cúpula Basílica de São Pedro = 10€ Pizza + coca/3 = 6,66€ Mercado = 10,57€ Total: 46,73€ Dia 20 - Zakynthos Chegamos ao dia mais aguardado da viagem, finalmente conhecer as ilhas gregas...rs! Desculpa gente, mas quem não sonha em conhecer a Grécia? Eu nunca pensei que poderia ir, ainda mais em uma viagem que incluia várias outras cidades caras, como Paris, Londres e outras, mas com um bom planejamento tudo é possível sim! Bom, neste dia acordamos cedo pois agora não pegaríamos mais ônibus ou trens, onde as estações costumam ficar bem no centro e não há problemas pra chegar, aeroportos são sempre distantes e sendo assim, combinamos de nos encontrarmos na estação do Termini, pois nosso ônibus até o aeroporto sairia de lá! Antes, passamos em um hotel próximo pra deixar nossa bagagem guardada, foi a melhor coisa que fizemos pois viajamos super leves e sem as bagagens maiores, já que as meninas estavam com malas grandes e eu com uma mochila de 70l que já estava bem mais pesada, devido as comprinhas que vamos fazendo durante a viagem...rs! Usamos o serviço da Nannybag e super indico, 5 dias para guardarem a bagagem saiu por 24,70€ e com isso pudemos viajar tranquilas sem nos preocupar com os vôos lowcost, pois pra adicionar bagagem sai mais caro né?! Levei apenas a mochila básica com tudo que usaria na Grécia e foi ótimo! Nosso vôo sairia do aeroporto Fiumicino e compramos o bilhete pela Terravision que custou apenas 5€, pelo site! Recomendo demais, o ônibus foi pontual e chegamos tranquilamente no aeroporto, mas lembre-se de sempre sair com uma boa antecedência para o caso de ocorrer algum problema, né! Uma das meninas atrasou e não conseguiu pegar o mesmo bus que a gente, mas conseguiu pegar outro e chegar a tempo no aeroporto!!! Viajamos pela Vueling e a passagem Roma x Zakynthos custou 51€ com 8 meses de antecedência, isso mesmo, comprei 8 meses antes e foi um ótimo preço, além de o vôo ser direto e não precisar fazer conexão em Atenas!! Chegamos lá a tarde e já tinhamos reservado um carro pelo site da Greeka.com, que eu não conhecia mas que indico bastante por ter sido tudo super certo, o preço foi ótimo também, 51€ para 3 diárias (não por dia, mas o total das 3 diárias foi esse)!!! Como estávamos em 4 saiu super em conta rachar o valor, mesmo pagando mais 5€ cada uma pra adicionar o seguro do carro!! Gente, quem vai a Zakynthos super recomendo alugar carro, pois a ilha é muito grande e não dá pra fazer nada sem agência ou de táxi, pois tudo é longe e não há transporte público, somente no centrinho, na parte mais sul da ilha... Bom, chegando lá e pegando o carro resolvemos abastecer logo e depois seguimos para comprar algumas coisas no mercado, depois ligamos o gps do celular (bendito google maps!!), e seguimos em direção ao hotel, que ficava ao Norte da ilha! Nos hospedamos no Kozanos II, fiz a reserva pelo Hóteis.com e o preço total para 2 diárias foi de 66€ em quarto privativo para 3 pessoas, sem café da manhã, então a diária saiu a 11€ pra cada e já havíamos pago antecipadamente!!! O quarto era ótimo com tv, ar, frigobar, tudo novo e tinha uma mini cozinha, além do banheiro que era bem espaçoso e uma varandinha pra relaxar... o hotel possui piscina e fica a menos de 5min a pé da praia, sem falar de um mercadinho ótimo em frente! Gostamos de tudo e a moça que cuidava de tudo era um amor de pessoa!!! Uma das meninas não tinha conseguido fechar o mesmo quarto que nós, então reservou um só pra ela, mas acabamos ficando 2 em cada quarto, sem problemas!! Neste dia estávamos bem cansadas e acabamos apenas dando uma volta na praia pra conhecer e depois saímos pra comer, eu escolhi uma pizza e confesso que foi a pior pizza da vida...kkkk!!! Era muito estranho o sabor, nossa, me senti frustrada...rs.. mas a senhora do restaurante era tão boazinha que nem reclamei, falei q estava tudo muito gostoso....kkkkk!! Dormimos cedo neste dia e recarregamos as energias!! Gastos do dia: Taxa hotel = 0,50€ Gasolina / 4 = 2,50€ Aluguel carro = 8,25€ Mercado / 4 = 7,10€ Mercado = 8,47€ Pizza + coca = 5,50€ Total: 32,32€ Dia 21 - Zakynthos Acordamos cedo, preparamos uns sanduíches, água, bebidas, biscoitos e jogamos tudo no carro, pois passaríamos o dia conhecendo as praias e com gps ligado, seguimos em direção ao mirante da famosa praia do Naufrágio (Navagio Beach), estávamos mega empolgadas!!! Mas no meio da estrada percebemos que não havia nada...rs...só estrada mesmo e ficamos com medo do combustível não dar, então voltamos bastante pra procurar um posto e isso nos atrasou um pouco pela manhã, mas depois de abastecidas lá fomos nós de novo... aconselho bastante o uso do GPS, pois é tudo em grego nas placas e confunde um pouco...kkkk!!! Quando chegamos, noooossaaaa que visual, é realmente impressionante e muito alto também...kkkk! Estava com vários ônibus de passeios e tinha muita gente na plataforma tirando fotos e até com fila, mas não é alí que vc conseguirá o melhor ângulo, continue caminhando por uma trilha pela direita e tenha cuidado, pois tem muitas pedras e podem machucar os pés... lá na frente vc terá um visual incrível e de tirar o fôlego, e a cor do mar é surreal... um azul esplendoroso!!! Mas muito cuidado hein gente, pq é muito alto e confesso que eu fiquei apavorada, pois tenho medo de altura...rsrs... e não há nenhum tipo de corda, ou grade... nada, mas vale demais a pena, com toda certeza!!! Ficamos lá um bom tempo batendo muitas fotos, muitas messsmooo...hehehe...depois voltamos pro carro e seguimos em direção ao porto Vromi, o lugar mais perto até a praia de Navagio, pois a praia só é acessível através de barcos, mas a praia do porto é uma beleza a parte, confira na foto!!! Existem diversos barquinhos que fazem esse passeio, encontramos um que nos cobrou apenas 10€ por pessoa pelo passeio de 3h e não estava muito cheio, foi um excelente preço, já que costumam cobrar de 25 a 30€ por esse passeio, por isso aconselho a fazer o passeio saindo deste lugar, pois além de mais barato é mais rápido pra chegar na praia!!! Antes de chegar até Navagio, paramos nas Blues Caves e só de passar por lá já impressiona bastante a cor da água!!! Como o barco era pequeno ele conseguia entrar nas cavernas, diferente dos grandes que só conseguem te mostrar por fora... depois de um tempo por lá, seguimos para Navagio e ao nos aproximarmos já nos deslumbramos com a cor do mar... é lindo demais!!! A praia não estava muito cheia, ficamos por lá por 1h e deu pra aproveitar bastante! A água é gelada, igual as praias do Rio, então achei de boa, mas a maioria dos turistas não entravam na água, ficavam só tomando sol...rsrs... eu aproveitei bastante!! Fiz meu lanchinho na areia e foi perfeito, por isso aconselho a levar algo pra comer e beber, pois lá não tem nada!! Voltamos pro Porto e seguiríamos pra outra praia, mas nos perdemos, pois o gps nos levou pra uma estrada que nem tinha como o carro passar e nisso perdemos muito tempo e acabamos voltando pro hotel e passamos o resto do dia na piscina relaxando... Gastos do dia: Gasolina / 4 = 7,50€ Lembrancinhas = 3€ Mercado = 1,55€ Água = 0,50€ Passeio Navagio = 10€ Total: 22,55€ Dia 22 - Zakynthos Era nosso último dia na ilha, então fizemos o checkout e deixamos nossas coisas guardadas no hotel e como nosso vôo sairia somente a noite, decidimos conhecer as praias do sul da ilha... seguimos até a praia de Laganas, que estava bem cheia e é onde a maioria das pessoas se hospedam, pois há toda variedade de comércio, onde fica o agito e também de onde saem vários tipos de passeios, se vc não usar carro, aconselho a ficar nesta parte da ilha!! A praia não é bonita... a areia é escura e a praia é comum, mas alí vc encontra de tudo!!! Bom, pesquisamos muito pois os valores estavam bem altos para um passeio que consistia em visitar a ilha que ficava em frente a esta praia, a Marathonisi, mas finalmente encontramos um preço razoável e pagamos 12€ cada, todos estavam cobrando 20€ (absurdo)!!! O barco era com vidro embaixo e o condutor ainda conseguiu nos levar pra ver as tartarugas careta-careta que são gigantes e muito lindas!! Depois ele percorreu por algumas Caves parecidas com as que tem perto da Navagio e só depois desembarcamos na Marathonisi!!! Ficamos lá por umas 2h e a ilha é bem pequena, um lado estava lotado e o outro tinha bem menos pessoas... fiquei longe da muvuca, claro...rsrs!! Lá vc já encontra lugar pra comprar comida ou bebida, mas como levei minhas coisas não comprei nada e fiquei só curtindo o lugar, bem bonito também!!! Depois voltamos pra Laganas, mas ninguém quis ficar por lá e resolvemos voltar pro hotel pra descansar, como estávamos em final de viagem o cansaço pesava um pouco, pois era uma viagem bem intensa e sabe como é final de viagem, o corpo vai pedindo arrego...rs... chegando no hotel ficamos na piscina relaxando, tomando sorvete e comendo as coisas que sobraram do mercado...rs... A moça do hotel liberou um quarto pra gente usar pra tomar banho e nos arrumar antes de ir embora, isso ajudou muitooo!! Ela foi uma fofa!! Seguimos para o aeroporto, devolvemos o carro e aguardamos nosso vôo com destino a Atenas!!! O vôo Zakynthos x Atenas custou 41,47€ pela Olympic Air, e comprei com 6 meses de antecedência... vc também pode ir de balsa + ônibus e acho que custa uns 35€, se não me engano, como a diferença era mínima, optei pelo aéreo!! Chegando em Atenas, pegamos um ônibus que leva até o centro, pois pelo horário os táxis estavam bem salgados, esse ônibus custa 6€ e vale a pena, pois te deixa na praça syntagma que é o lugar mais central, de lá pegamos um táxi que cobrou 10€ pra nos levar até o hostel, então foi bem baratinho ;)!!! Gastos do dia: Cocas e água = 3,60€ Passeio Marathonisi = 12€ Mercado = 2,55€ Ônibus Aeroporto de Atenas = 6€ Táxi / 4 = 2,50€ Total: 26,65€ Dia 23 - Atenas Nos hospedamos no Sparta Team Hotel, o quarto duplo com banheiro compartilhado sem café da manhã custou 21€, então ficou 10,50€ pra cada uma, fiz a reserva pelo Hóteis.com e já havia pago antecipadamente. Mas não indico este lugar, pois fica em uma rua muito estranha, inclusive o taxista que nos levou disse pra tomarmos muito cuidado, pois alí era perigoso, de dia acho que não tinha problemas, mas a noite era assustador!! Apesar de ser perto da região central, o lugar era estranho mesmo e o hotel é muito ruim também! Vc pode encontrar lugares muito melhores na cidade, por pouca diferença de preço!! Pela manhã decidimos já levar nossas coisas pra não ter que voltar até o hotel, pois ficaríamos apenas 1 dia na cidade e a noite seguiríamos para o aeroporto novamente!!! Fomos caminhando do hotel até a Acrópole, era perto, o que matou foi a subida...rs...pois estava bem quente, mas ainda bem que pegamos o caminho mais curto, pois a subida pelo museu da Acrópole é mais puxada e é onde a maioria dos turistas sobem, foi oque disseram, e nós subimos pelo outro lado, fica a dica!!! Chegando lá não havia nenhuma fila para a compra de ingressos e pagamos 20€ para entrar, tente ir cedo pois a cidade é bem quente e não há sombra quando vc percorre as ruínas... Eu senti algo especial quando cheguei lá, pois é muita história alí, algo q não dá pra explicar... semprei sonhei em estar alí e demorou pra ficha cair...rsrs!! Eu estava pisando em um lugar emblemático, realmente algo que me fez acreditar que nossos sonhos podem sim se realizar!!! Caminhei sozinha e fiquei pensando em tudo, em como cheguei até lá... olhando aqueles monumentos fantásticos e só contemplando tudo aquilo... A Grécia, sem dúvidas, foi um país que me conquistou demais!!! Depois de percorrermos tudo e tirar muitas fotos, foi hora de descer pois neste dia seria o segundo jogo da seleção e queríamos assistir em algum lugar, então procuramos um restaurante legal e pedimos uma pizza e ficamos lá torcendo, foi bem legal e os gregos estavam torcendo com a gente...hehehe!!! No final do jogo pedimos a conta e vimos que estavam cobrando pela água, que eles haviam dito ser cortesia e questionamos, eles corrigiram e como desculpas ainda nos deram uma sobremesa!!! (Chato isso né?!) Kkkkk!!! Depois caminhamos pelas lojas e comprei várias lembrancinhas, vimos muita coisa e depois ficamos relaxando e fugindo do calor que estava insuportável!!! Acabamos desistindo de ir até o museu da Acrópole pq estávamos muito cansadas, mas teria dado tempo então se me perguntarem se 1 dia é suficiente para Atenas, eu digo que sim, pois não fizemos mais coisas por ter ficado assistindo jogo e ter passado tempo pelas lojas também!! Pegamos o metrô para ir até a praça syntagma e acabamos pegando a linha errada, vi que a direção era errada, descemos e perguntei a uma senhora q só falava grego, mas por incrível que pareça consegui entendê-la, até hj não sei como....kkkkkk.... entramos na linha certa e descemos na praça e estava lotada, pois rolava alguma manifestação pacífica, pegamos o ônibus até o aeroporto, onde ficamos fazendo hora... acabei "jantando" no McDonald's e depois pegamos nosso vôo. Paguei 35,57€ no vôo Atenas x Santorini pela Ryanair e comprei com 6 meses de antecedência, vc também tem a opção de ir de balsa, mas não sei o valor... chegamos depois da meia noite e por isso pegamos um táxi até o hotel, pagamos 25€, sendo que o hotel queria nos cobrar 40€ pelo transfer (É mole? aff!), ainda bem que não fechamos com eles!!! Gastos do dia: Acrópole = 20€ Pizza / 2 = 4,50€ Água = 0,50€ Coca = 1,40€ Lembrancinhas = 13€ Metrô = 1,40€ Ônibus para o Aeroporto = 6€ McDonald's = 6,80€ Total: 53,60€ Dia 24 - Santorini Nos hospedamos no Porto Castello, o quarto duplo sem café da manhã custou 41€ e como dividimos não ficou caro, fiz a reserva pelo Hóteis.com e paguei antecipadamente, haviam hosteis mais baratos na ilha, mas ficavam muito distantes e como só teríamos 1 dia na cidade, optamos pela localização pra ganhar tempo, sem falar que esse hotel tinha transfer gratuito para o centro e ficava ao lado da praia e também tinha piscina!! Por volta do meio-dia (ficamos até o limite do checkout...kkkk) pegamos o primeiro transfer para o centro já com nossas bagagens, pois não voltaríamos para o hotel e descemos próximo ao terminal de ônibus, de lá pegamos o ônibus até Oia, parte mais famosa da ilha e passamos todo o dia por lá, já chegamos procurando um lugar pra comer e decidimos por um restaurantezinho ao lado da estação de ônibus, optamos em experimentar o Pita Gyro e que negócio gostoso, nossa, muitoooo bom e super baratinho, pedi ainda uma porção de batata e um refri e tudo custou 6,80€ pra uma ilha como Santorini eu achei muito em conta!! Depois caminhamos pela cidade e seus becos, que lugar lindo!! Exatamente como eu imaginava, e a vista pra caldeira? Nossa, é uma pintura.... Santorini é de ficar babando!!! Sério, é muito linda!! E também muito cheia, um mar de gente passando o tempo todo!! Estava muito calor, sol a pino e muita gente procurando uma sombra. Ainda visitei a igreja da praça, minúscula, mas bem diferente!! Quando já estava entardecendo voltamos pro restaurante pra comer novamente, dessa vez eu quis só o Pita gyro, ainda tomamos um sorvete e pegamos o ônibus de volta para o centro da ilha, mas estávamos tristes pois não veríamos o pôr do sol, já que não daria tempo, pois tinhamos que pegar o vôo de volta pra Atenas, achávamos que só de Oia que era bonito, mas chegando no centro decidimos dar uma olhada subindo uma rua e pra nossa surpresa estava lindo demais!!! Tinham várias pessoas assistindo e rolava até uma comemoração com música e dança, foi bem legal, só depois que o sol se pôs que decidimos ir pro aeroporto! Quando chegamos na estação descobrimos que só teria ônibus pro aeroporto em 2h e não daria pra gente esperar, pois arriscaria perder o vôo, decidimos pegar um táxi, mas quem disse que passava algum? Nada, nenhum, zerooo!! Começamos a nos preocupar, a hora estava passando... até que resolvemos pedir informações e um português nos falou onde era o ponto de táxi e fomos pra lá, tinha um pessoal lá também esperando e nada de aparecer táxis... ficamos um bom tempo até aparecer um, mas havia se formado uma fila e depois de uns 3 táxis é que pudemos pegar o nosso, custou 20€ até o aeroporto. Chegamos no aeroporto e estava lotadooo, ele é minúsculo e as filas estavam dando voltas...surreal, uma bagunça!!! Vários vôos estavam atrasados e chegando cada vez mais pessoas, não tinha lugar pra todos sentarem, ficou todo mundo aglomerado, um calor danado, crianças chorando, pessoas reclamando... olha, foi horrível!!! Nosso vôo atrasou bastante e quando apareceu no portão de embarque foi um alívio, não aguentava mais... Comprei Santorini x Atenas pela Aegean Airlines e custou 19,55€ com 6 meses de antecedência!! Chegamos em Atenas apenas para passar a noite e depois pegaríamos um vôo pela manhã de volta a Roma. Nos hospedamos no Apartaments Tina, pagamos 21,25€ cada e incluía transfer de ida e volta para o aeroporto, além de um pequeno café da manhã, pequeno mesmo tá...kkkk... uma torrada, um café e um bolinho!! Acho que vale a pena para quem quer apenas dormir perto do aeroporto, era um quarto pra 4 pessoas confortável, com ar, tv, cozinha mas bem longe do centro... fiz a reserva pelo Booking.com!! Vale pra vc descansar e pq inclui transfer, assim economiza com transporte ! Chegamos super cansadas, então foi banho e capotar na cama, apaguei!!! Gastos do dia: Taxi / 4 = 6,25€ Água + coca = 2,50€ Ônibus ida e volta Oia = 3,60€ Souvenirs = 4€ Almoço = 6,80€ Sorvete = 5€ Táxi / 4 = 5€ Pita gyro + coca = 4€ Hospedagem em Atenas = 21,25€ Total: 58,40€ Dia 25 - Roma Acordamos cedo, pegamos o transfer do hotel, que já estava incluso, e seguimos para o aerorto de Atenas. Dessa vez chegaríamos pelo aeroporto de Ciampino, que fica mais próximo do centro de Roma! O vôo foi pela Ryanair e a passagem custou 29,50€ com 6 meses de antecedência. Chegando no aeroporto, mais uma vez usei o ônibus da Terravision que custou 5€ e eu já havia pago pelo site antecipadamente. Esse aeroporto é bem pequeno e muito fácil identificar onde ficam os ônibus. Estávamos de "pasagem" por Roma, já que a noite seguiríamos para Milão de trem, então aproveitamos para conhecer alguns lugares que ainda não havia passado. As meninas seguiram para ver lojas e eu aproveitei para ver alguns pontos e combinamos de nos encontrarmos no Termini no final do dia. Fui caminhando da estação até a Basílica de San Pietro In Vincoli, onde há o Moisés de Michelangelo e as Correntes de Pedro, essa igreja fica meio escondida, mas valeeee muito a pena conhecer, pois é uma das igrejas mais importantes de Roma!! Depois segui caminhando pela cidade e cheguei até a Fontana de Trevi, pois só tinha visto a noite, e ela estava lotada, mas deu pra tirar algumas fotos...rs... fiquei por lá um tempo!!! Continuei minha caminhada pela cidade e acabei parando na Basílica di Santa Maria degli Angeli e dei martiri, que me impressionou bastante, e até assisti a uma missa e uma apresentação de órgão, que é gigantesco!! Foi um momento de paz e reflexão... foi o momento de me despedir da cidade também, pois ela fica bem pertinho do Termini, na Piazza della Reppublica! Depois passei em um mercadinho, comprei algumas coisas e encontrei as meninas e fomos buscar nossa bagagem que havíamos deixado em um hotel antes de ir para Grécia, lá tinha banheiro e usamos para nos trocar e só então seguirmos para a estação onde pegaríamos o trem noturno para Milão!!! Nosso trem saiu de outra estação e não do Termini, foi o único momento que usei um bilhete de metrô neste dia, pois dá pra fazer muita coisa a pé na cidade, fica a dica!!! Gastos do dia: Mercado = 13,42€ Água = 1,50€ Total: 14,92€ Dia 26 - Lugano Muita gente deve estar perguntando, mas pra quê vc voltou pra Milão? Bom, na verdade, eu voltei pq tinha muita vontade de conhecer a cidade de Lugano, uma cidade Suíça que fica pertinho de Milão e o vôo de Milão para Paris estava bem mais em conta do que de outras cidades, já que eu voltaria por lá uni o útil ao agradável!!! Bom, paguei no trajeto Roma x Milão a bagatela de 7,90€ pela Trenitalia, e como o trem era noturno ainda economizei em hospedagem para este dia...rs... comprei essa passagem com 2 meses de antecedência pelo site! Já havia comprado a passagem de ônibus para Lugano e paguei 8€ pela Flixbus com 3 meses de antecedência, então foi bem vantajoso!! Chegamos em Milão totalmente quebradas e cansadas, pois além de estarmos no final da viagem, dormimos no trem, que não é a mesma coisa de dormir em uma cama confortavelmente...rs... as meninas pareciam bem desanimadas pra conhecer mais uma cidade e enfrentar mais 1h de ônibus e confesso que até eu estava...rs... pegamos o metrô até a estação que pegaríamos o ônibus e a viagem foi bem rápida mas chegando na cidade o ônibus nos deixou no meio do nada, no meio de uma estrada e nem tinhamos francos suíços pra pegar transporte, decidimos andar até um ponto de ônibus e tinha uma máquina pra comprar bilhetes que aceitava euros.... modernidade é outro nível né gente!!! Hahahaha!!! Estávamos na Suíça!!! Acabamos comprando o bilhete errado, mas o motorista viu que éramos brasileiras e viu que foi erro mesmo e não má vontade e ele era português e falou na nossa lingua que estava tudo bem, que era só pra prestarmos atenção na volta e até ficou batendo papo conosco e nos desejou um ótimo passeio pela cidade!! Descemos na estação central da cidade, trocamos alguns euros por francos suíços na casa de câmbio da estação e deixamos nossa bagagem nos armários de lá e fomos caminhando para o centro... Quando chegamos no centro todo o desânimo foi embora, ficamos de boca aberta com a cidade, com o clima, com as ruas, com o lago, com tudo! Ficamos completamente encantadas com Lugano, uma cidade linda e que impressiona... vale muito a pena fazer um bate-volta na cidade caso vc esteja por Milão, afinal, onde mais vc vai ver lindos cisnes nadando em um lago completamente cristalino? Sério, não deixem de conhecer!! Sem falar nos chocolates, nossa, comprei vários, já estava no final de viagem e foi perfeito....rsrs!!! As lojas aceitam euros, mas lhe devolvem o troco em francos, caso sobre... então veja se vale a pena, paguei algumas coisas em euros e utilizei o restante dos francos no mercadinho pra lanchar no caminho de volta... Ficamos sentadas comendo na beira do lago e foi uma paz tão grande, deu pra dar uma recarregada nas energias e foi uma cidade que nos surpreendeu muito, amamos Lugano!! A tarde voltamos para a estação pegar nossas coisas, e desta vez voltamos de trem, então foi bem mais fácil, porém o trem é bem mais caro que o ônibus, a passagem custou 24€ pela Trenitalia, ao qual eu já havia comprado pelo site, e nos deixou na milano central... ao lado desta estação ficam os ônibus para o aeroporto e vale a pena pelo valor, apenas 8€ pela Terravision, mas cuidado, pois existe mais de 1 aeroporto na cidade, então veja direitinho qual ônibus vc deve pegar, o nosso era o aeroporto de Malpensa e pegamos um bom transito devido a um acidente na estrada, ainda bem que saímos com bastante antecedência e deu tudo certo!!! Chegando no aeroporto pegamos o vôo de volta a Paris, o valor da passagem foi de 25,83€ pela Vueling, com 8 meses de antecedência e paguei mais 17€ para despachar minha bagagem, foi a única vez que paguei por bagagem em toda viagem, mas estava ok, pois estava indo para o último trecho da viagem e minha mochila estava bem grande e dobrou de peso desde o início da viagem...rsrss!!! Se vc voar de Milão a Paris não deixe de admirar o belo visual dos Alpes pela janela do avião.... é lindo demais!! Chegamos em Paris já bem tarde e como nosso vôo para Lisboa sairia bem cedinho, resolvemos não pagar hospedagem, pois gastaríamos com táxi também por ser muito cedo e decidimos passar a noite no aeroporto, nem sabiamos se poderia, pois o aeroporto de Orly fecha mas ficamos por lá e deu tudo certo, vimos muitas pessoas ficando por lá pra passar a noite também... tinha um mercadinho dentro do aeroporto e comprei algumas coisas pra passar a noite Gastos do dia: Metro = 1,50€ Ônibus = 1,80€ Chocolates e souvenirs Lugano = 30€ Armário = 4,50€ Mercado = 4€ Mercado aeroporto Orly = 7,92€ Total: 49,72€ Continua... Obs: Vou atualizando aos poucos, pois é muita informação, mas prometo tentar fazer isso semanalmente ou até menos. Não esqueçam da dica pelo Booking vc consegue receber de volta R$50,00 no seu cartão após o check-out da hospedagem, basta que a reserva seja de no mínimo R$100,00. Vc realiza a reserva por este link e recebe o valor de volta no cartão que usou, vale pra usar uma única vez ok! Clica neste link: https://www.booking.com/s/43_8/733e5f83 Postei um vídeo com algumas imagens dos locais que passei, então vcs podem ver o que vem por aí neste relato! Caso surjam dúvidas, podem me chamar no insta: @viajacris 😉
  7. 1 ponto
    A cidade luz foi uma escolha sem dúvidas, indo pra Europa não teria como não conhecer Paris.. Mas confesso que me decepcionei um pouco.. fui esperando muito e acabou sendo diferente do que eu sonhava ! Os principais pontos turísticos são realmente inesquecíveis, mas não consegui ver todo aquele brilho que eu imaginava na cidade.. Explico: vi muita sujeira pelas ruas, perto dos pontos turísticos inclusive, o transporte público também deixou muito a desejar no quesito limpeza, de um modo geral as pessoas não foram solicitas e nem educadas, e achei um pouco inseguro andar pelas ruas sozinha. Então vamos ao que mais valeu a pena na estadia em Paris: as coisas que conheci !! Basílica de Sacre Coeur No alto da colina de Montmartre fica a belíssima Sacré-Coeur, Sagrado Coração em nosso português. A basílica é com certeza uma das mais bonitas que já vi, de longe tem uma presença incrível e de perto se revela ainda mais nos detalhes ! Sem contar que de lá a vista da cidade é linda ! Para chegar até a igreja existem duas maneiras práticas, uma pelas escadas ou de funicular. Fica aberta diariamente das 6h às 22h30, sendo a última entrada para visitação às 22:15h. Endereço: 35 Rue du Chevalier de la Barre, 75018 Como chegar: Metrô: Jules Joffrin , Pigalle e Abesses (linha 12), Pigalle e Anvers (linha 2) Ônibus: linhas 30, 31, 80, 85 Para portadores de necessidades especiais, é disponibilizado um elevador na Rue du Chevalier de la Barre, 35. Torre Eiffel Uma as atrações mais esperadas da minha viagem.. A Dama de Ferro, símbolo do país e um dos cartões postais mais famosos do mundo ! Com aproximadamente 325 metros de altura, foi construída para comemorar os 100 anos da Revolução Francesa em 1889. Seria um monumento temporário, mas devido ao seu sucesso, ela continuou de pé e está ai até hoje pra nossa sorte ! Não tem como não amar.. A torre é linda de todos os ângulos e distancias! E a noite, a cada hora cheia, ela se torna toda luz ! Parece mágica de filme da Disney.. Quem quer subir a torre, pode agendar o passeio no site e evitar filas. Nesse passeio é possível curtir, além da vista da cidade, restaurantes, lojas de souvenires e galerias com histórias da torre. Eu não fiz porque a fila estava gigante e não me antecipei, mas acredito que seja um passeio que vale a pena. Principalmente se conseguir pegar o pôr do sol. Para mais informações visite o site oficial. Endereço: Champ de Mars, 75007. Como chegar: Metrô: Trocadéro (linhas 6 e 9) ou Ecole Militaire (linha 8 ). Ônibus: linhas 42, 69, 82 e 87 Trem: RER Linha C, descendo na estação Champ de Mars-Tour Eiffel. Campo de Marte (Champ de Mars) O jardim público é uma das maiores áreas verdes de Paris e fica localizado entre a Escola Militar e a Torre Eiffel, fazendo com que seja uma das áreas mais visitadas da cidade ! No seu espaço gramado é muito comum ver turistas e parisienses fazendo piquenique e bebendo champanhe, o local também é espaço certo para shows e eventos culturais. Quando eu fui estava montada toda uma estrutura para o pessoal assistir ao torneio de tênis Roland-Garros. Endereço: 2 Allée Adrienne Lecouvreur, 75007 Como chegar: Metrô: École Militaire (linha 8 ) Ônibus: linhas 69, 87, 82, 92, 28, 80 Trocadéro Um dos melhores e mais belos pontos de observação da Torre Eiffel, o jardim foi construído no pico da colina de Chaillot frente ao rio Sena. Suas fontes e estátuas douradas são inspiração para muitas fotos !! Em seu entorno existem diversos cafés e restaurantes típicos parisienses. Endereço: Place du Trocadéro et du 11 Novembre, 75016 Como chegar: metrô estação Trocadéro (linhas 6 e 9). Catedral de Notre-Dame Uma das catedrais mais linda que já vi !! Foi construída em homenagem a Maria, mãe de Jesus, por isso o nome Notre Dame (Nossa Senhora). O estilo da catedral é o gótico e é uma das construções mais antigas e tradicionais de Paris, além de ser uma das mais importantes da Europa. Além de ser palco de muitas celebrações desde os tempos primórdios da história francesa, a catedral guarda uma das mais importantes relíquias do cristianismo, partes da Coroa de espinhos com a qual Cristo crucificado. Ainda mais, Notre-Dame também abriga uma estátua de Joana d'Arc, que foi ícone da Guerra dos 100 Anos e é a padroeira da França. Já não bastando toda história e toda beleza, por dentro e por fora, você ainda tem opção de subir as torres, ver as famosas gárgulas de perto e ainda tem uma das vistas mais lindas da Capital ! Pra mim, esse passeio foi um dos melhor de Paris, eu realmente amei e valeu a pena subir cada um dos 422 degraus ! A entrada na catedral é de graça, mas você paga se quiser ver as gárgulas de perto ou fazer outras visitas especiais. O preço para subir nas torres é 8,50 € ou acesso com Museum Pass. A Catedral abre todos os dias, de 8h às 18h45, com encerramento às 17h15 aos sábados e domingos). Endereço: Fica localizada na praça Parvis, na pequena ilha Île de la Cité (situada no meio do Rio Sena). Como chegar: Metrô: Cité ou Saint-Michel (linha 4), Châtelet (linhas 7, 11, 14), Hotel de Ville (linhas 1 e 11), Maubert-Mutualité ou Cluny – La Sorbonne (linha 10). Ônibus: linhas 21, 38, 47, 58, 70, 72, 74, 81 e 82. Trem: RER Linha B ou C: estação Saint-Michel – Notre-Dame Pont des Arts A ponte era famosa pelos milhares de cadeados que os casais apaixonados colocam em suas grades, com a tradição de jogar a chave nas aguas do Rio Sena. Em junho desse ano a Prefeitura de Paris retirou definitivamente os cadeados da ponte e substituiu por painéis de vidro decorados por artistas franceses. Por sorte, eu pude ver ainda os cadeados, pouco antes de serem retirados ! Como chegar: metrô estação Pont Neuf (linha 7). Museu do Louvre Simplesmente incrível, é um dos maiores e mais famosos museus do mundo !! O lindíssimo pátio e o Palácio do Louvre já conquistam de cara.. As pirâmides tem uma presença muito mais incrível que em fotos ! No Museu, o acervo é gigantesco (me pareceu infinito) e é difícil você passar menos que metade de um dia lá ! É tanta coisa pra ver e se perder viajando pela história, que o tempo passa sem perceber.. O museu possui 5 níveis e 3 alas principais: Richelieu, Sunny e Denon, é super necessário que se use um mapa (recebe na entrada ou pode baixar pelo site oficial) para poder identificar as passagens entre as alas e os pontos importantes em cada uma delas. O que eu mais queria ver era a ala de antiguidades egípcias e foi lá que passei mais tempo ! Fica na Ala Denon, onde você viaja pelo Egito antigo.. É incrível a coleção de esfinges, sarcófagos, múmias, artefatos egípcios e objetos usados na mumificação. A ala de Arte grega, romana e etrusca é também muito interessante, com belas esculturas em mármore dos deuses como Afrodite e Eros ! Claro que entrar na saga de procurar a pintura da Mona Lisa de Leonardo da Vinci toma um tempo gostoso da visita. Eu aconselho comprar a entrada para o museu antecipadamente ou utilizar o Museum Pass, pois é certeza que irá encontrar filas gigantes ! O Louvre pode ser visitado diariamente, exceto nas terças-feiras e nos feriados de 01 de Janeiro, 01 de Maio e 25 de Dezembro. O horário de funcionamento de segunda-feira, quinta-feira, sábado e domingo é das 9h às 18h, quarta-feira e sexta-feira é das 9h às 19h45. Valor da entrada: 15€ Endereço: fica instalado no Palácio do Louvre, entre o Rio Sena e a Rue de Rivoli. Como chegar: Metrô: Palais Royal Musée du Louvre (linha 1). Ônibus: linhas 21, 24, 27, 39, 48, 68, 69, 72, 81, 95 Jardin des Tuileries Localizado entre o Museu do Louvre e a Praça da Concórdia, o Tuileries é um dos maiores e mais antigo jardim de Paris. Foi antigamente o jardim do Palácio de Tuileries, esse que não existe mais após ser queimado durante a guerra civil e posteriormente demolido. No jardim também está o importante e belo Arco do Triunfo do Carrousel, que foi construído para comemorar as vitorias de Napoleão. Endereço: Jardin des Tuileries, 113 rue de Rivoli, 75001 Como chegar: Concorde (linhas 1, 8 e 12) e Les Tuileries (linha 1). Moulin Rouge O histórico cabaré mais famoso do mundo ! Muito tradicional e luxuoso, é visita obrigatória para quem quer assistir a um espetáculo típico. Confesso que não me interessei muito e acabei passando só para tirar foto. Mas quem tem interesse, visite o site oficial para maiores informações. Endereço: 82 Boulevard de Clichy, 75018 - Montmartre Como chegar: metrô estação Blanche (linha 2) Le mur des “Je t’aime” Já que Paris é a terra do amor, é legal conhecer o muro dos Eu te amo, o Le mur des je t’aime, que é famoso por ter a frase “Te Amo” foi escrita em 300 idiomas !! Além de ser romântico, acredito que o intuito desse lugar é passar a mensagem que o amor pode unir o mundo ! Não é um passeio imperdível, mas se estiver passeando pelo bairro Montmartre, vale a pena passar por ele. Endereço: Place des Abbesses, 75018, Montmartre. Como chegar: metrô estação Abbesses (linha 12). Avenida Champs-Elysées Uma das mais famosas e movimentadas avenidas do mundo !!É bem bonita e arborizada, possui 2 quilômetros que ligam o Arco de Triunfo à Praça da Concórdia. Nela estão as principais lojas de grandes grifes, cafés e muitos restaurantes glamorosos. Como chegar: metrô estação Charles de Gaulle Etoile.(linha 1) ou Franklin D. Roosevelt (linhas 1 e 9) Arco do Triunfo Foi construído em homenagem às vitórias de Napoleão Bonaparte e contém o nome de inúmeros generais e suas batalhas vencidas. O arco fica bem no centro da praça Charles de Gaulle e dela iniciam doze das principais avenidas da cidade. Isso faz com que atravessar da rua para a praça ser praticamente impossível ! Eu atravessei correndo como louca e por sorte não me aconteceu nada.. não façam isso ! Atravesse com tranquilidade pelo subterrâneo das estações de metrô. O Arco é realmente lindo, mas pra mim o que mais valeu a pena foi subir nele ! A vista é fantástica !! Quem quiser fazer essa visita, está aberto diariamente de 10h às 22h30, fechado somente nos feriados de 1 de janeiro, 1 de maio, 14 de julho, 11 de novembro e 25 de dezembro. Custa: 9,50€, ou quem tiver Museum Pass está incluso. Endereço: Place Charles-de-Gaulle, 75008 Como chegar: Metrô: Charles-de-Gaulle-Etoile (linhas 1, 2 e 6) Ônibus: linhas 22, 30, 31, 52, 73, 92 Trem: RER A estação Charles-de-Gaulle-Etoile Panthéon Antiga igreja construída para homenagear à padroeira da cidade, hoje é um espaço reservado para realização de eventos. Mas ainda hoje abriga uma cripta onde estão os restos mortais de personalidades francesas como Voltaire, Rousseau e Victor Hugo. Endereço: Place du Panthéon 5e Como chegar: Cardinal Lemoine (linha 10) Jardim de Luxemburgo E o maior parque público de Paris, sendo ainda o jardim do Senado francês, localizado no Palácio de Luxemburgo. O parque é lindo e cheio de flores, árvores, lagos e esculturas ! Além de um ponto de passeio e descanso, o parque possui campos de tênis, espaço para basquete e concertos musicais, mesas de xadrez, espaços para exposições de artistas, atrações para a criançada e lanchonetes. Mas o que é mais típico é sentar nas cadeiras do parque e relaxar.. Endereço: Rue de Vaugirard, Boulevard St. Michel, Rue Auguste-Comte and Rue Guynemer Como chegar: Metrô: Odéon (linhas 4 e 10), Mabillon (linha 10), Saint-Germain-des-Prés (linha 4) Ônibus: linhas 21, 27, 38, 58, 82, 83, 84, 85, 89 Trem: RER B estação Luxembourg-Sénat Palácio dos Inválidos (Les Invalides) Antigo hotel e asilo construído para abrigar membros dos exércitos franceses que sofreram danos físicos durante a guerra. Hoje ainda acolhem deficientes, mas também se tornou o Museu do Exército da França. Fazendo a visita ao Palácio, você irá contemplar vários acervos da história da guerra, destaque para as lindas armaduras e trajes originais do século XIII ! Dentro de sua cúpula encontra-se a Catedral de Saint-Louis-des-Invalides, que é onde esta localizada a tumba do Imperador Napoleão Bonaparte. O belíssimo domo dourado feito com ouro pode ser visto de diversos pontos da cidade. O Palácio dos Inválidos abre todos os dias, exceto nos feriado de 01 de Janeiro, 01 de Maio e 25 de Dezembro, das 10h até as 17h ou 18h. Sempre com ultimo acesso 30 minutos antes do horário de fechamento. O ingresso custa €9,50 ou incluso no Museum Pass. Endereço: 129 Rue de Grenelle, 75007 Como chegar: Metrô: La Tour Maubourg ou Invalides (linha 8 ), Varennes ou Saint François-Xavier (linha 13). Ônibus: linhas 28, 63, 69, 82, 83, 92, 93. Trem: RER C estação Invalides. Place des Vosges Uma graça de praça que já foi residência real e abrigado o famoso escritor Victor Hugo. Pra mim, foi a praça mais interessante, ela é pequena e rodeada de prédios uniforme bem bonitos. Seu formato quadrado me deu uma sensação de acolhida e proteção. Esta aberta ao publico de terça a domingo, de 10h às 18h. Endereço: 6 Place des Vosges, 75004, Marais Como chegar: Metrô: Saint-Paul (linha 1), Chemin Vert (linha 8 ) ou Bastille (linhas 1, 5 e 8 ) Praça da Bastilha Sinceramente, achei muito sem graça. Sua historia é interessante e muito importante, pois foi onde se iniciou a Revolução Francesa. O obelisco no centro da praça foi construído para comemorar a derrubada da Monarquia. O bairro me pareceu legal, com bastante movimento e opções de restaurantes, bares e lojas. Endereço: Place de la Bastille, 75011 Como chegar: metrô estação Bastille (linhas 1, 5 e 8 ).
  8. 1 ponto
    Entre Setembro e Outubro de 2018 viajei para a Turquia, Balcãs e Europa Central. Meu roteiro foi esse: Goreme - Istambul - Bucareste - Sófia - Belgrado - Budapeste - Varsóvia - Cracóvia - Praga. Farei o relato de toda viagem, mas em partes. Neste falarei de GOREME/CAPADÓCIA. LEGENDA USD - Dólar Americano EUR - Euro BRL - Real Brasileiro TRY - Lira Turca Goreme é uma linda e simpática cidade localizada na região da Capadócia, Turquia. Muito viajantes usam essa cidade como ponto de apoio para realizar seus passeios na região. A cidade possui uma boa infra estrutura: vasta rede de hotéis e pousadas, restaurantes, bares, casas de câmbio e agências de turismo. Contratei a empresa Happy Capadócia que fez tudo pra mim: dos transfers, passeios às pernoites num Cave Hotel. A Roseli (brasileira que vive lá há 5 anos) foi quem me atendeu e ela foi super legal e atenciosa. Quem for pra lá, recomendo entrar em contato com eles e pedir um orçamento. Fechei tudo por 320EUR 1º Dia de Viagem: SP -> Istanbul -> Goreme (7 a 8 de Setembro de 2018) Meu vôo saiu de SP e fiz uma escala em Roma antes de chegar no aeroporto de Ataturk, em Istanbul. Goreme fica à 750km de Istanbul. Até dá pra ir de ônibus, mas é melhor pegar um vôo até a cidade de Kayseri, que fica à 70km de Goreme. Eu paguei 694TRY nos vôos de ida e volta (Ataturk - Kayseri) pela Turkish Airways. Fui chegar em Kayseri às 23h do dia 8 de Setembro. Havia uma van me esperando que também levou outros passageiros Me deixaram no Eliseé Cave Hotel era mais de 1h da manhã. Tomei banho e dormi. 2º dia de viagem: Goreme (9 de Setembro de 2018) Acordei às 4h45 da manhã e às 5h10 a van da agência Urgup já estava na porta do meu hotel para fazer o passeio de balão. Nos levaram até um lugar que os grupos que iam em cada balão e nos serviram um café da manhã café, chá, fatias de bolo pronto e pão. Simples mas muito gostoso. Deixamos a agência às 5h45 e fomos até o local da decolagem dos balões. Decolamos às 6h éramos em 17 pessoas: 16 passageiros e o piloto. Foi sem dúvida um dos passeios mais incríveis que eu já fiz em toda a minha vida. É impressionante ver toda aquela quantidade de balões decolando ao mesmo tempo, subindo devagar de forma organizada. A vista fica ainda mais linda quando o sol nasce e ilumina as montanhas e os outros balões que nos acompanhavam. Depois de 1h10 aterrizamos e nos serviram um champagne pra brindar o final do passeio. PASSEIO DE BALÃO Por volta das 8h me deixaram de volta em meu hotel. Fui tomar um café da manhã mais “reforçado”: queijos, salsicha, um tipo de “mortadela” que eu não sei o nome mas é muito boa, ovos, pães, coalhada… Tb tinha cereais, frutas e até salada de pepino e tomate. Tomei tb um café com creme e suco de laranja. Por volta das 9h30 passaram pra me levar ao GREEN TOUR. Éramos em umas 10 pessoas em uma van. Fizemos a primeira parada num mirante com um vale e várias lojas de artesanato local. Por volta das 10h30 seguimos para a CIDADE SUBTERRÂNEA. MIRANTE DO VALE A Cidade Subterrânea foi encontrada por acidente pelos fazendeiros da região nos anos 60. Ela tem vários túneis, salas, quartos e até estábulos debaixo da terra e 10% está aberto ao público. Descemos por mais de 100 degraus e 40 metros. Havia lugares que mal passava uma pessoa. CIDADE SUBTERRÂNEA ***Dica: se vc tem claustrofobia ou qualquer tipo de incômodo de lugares fechados NÃO FAÇA esse passeio. Também não aconselho pessoas que têm qualquer tipo de dificuldade ao se movimentar a fazer uma vez que há muitas escadas.😵 Deixamos a Cidade Subterrânea e passamos pelo MONASTÉRIO, que são salas construídas em uma montanha. Na verdade a gente não ia passar lá, mas um italiano do nosso grupo disse que no programa do passeio mencionava esse monastério. Então a nossa guia resolveu nos levar lá. Mas pelo jeito ela não sabia muito sobre o lugar pq não houve explicação alguma… Depois caminhamos por uns 15 minutos numa trilha. Passamos por pontes, riachos e um pouco de mata. Ao final da trilha estava nosso restaurante. O almoço (que já estava pago) foi: sopa de lentilha, salada e prato principal (almôndega, frango ou peixe). As bebidas não estavam inclusas e eu paguei 6TRY numa coca-cola. Depois do almoço passamos por um lago e pelo mirante do PIGEON VALLEY. Depois o tour nos levou a uma loja de doces e artesanatos locais. Houve uma degustação dos doces mas eu não gostei muito (não sou muito fã de doces). Por fim passamos numa joalheria que faz o beneficiamento da pedra ONYX. Além da pedra onyx, havia também jóias de pedra turquesa. Mas era tudo muito caro. Voltei ao meu hotel as 17h30 e descansei até as 20h, quando fui encontrar com a Roseli (da agência Happy Capadócia) e uma amiga dela inglesa que era professora lá. Fomos ao restaurante FAT BOY onde comemos porções de batata, nachos e bebemos a cerveja turca EFES. Fomos muito bem atendidos pelo Nuri, simpatico garçom do restaurante. Fiquei lá até 1h quando voltei para dormir. Distância caminhada no dia: 5km 🚶‍♂️ 3º dia de viagem: Goreme (10 de Setembro de 2018) Acordei as 8h30 e fui tomar café. Às 9h20 vieram me buscar para o RED TOUR. Primeiro passamos no OPEN AIR MUSEUM que é um conjunto de cavernas onde pessoas moravam. Estimam que cerca de 300 pessoas viviam naquele lugar. Esse cálculo foi feito pelos lugares nas mesas de jantar. Há também igrejas e capelas, todas elas com referências à Jesus e seus apóstolos. Uma dessas igrejas, a DARK CHURCH, tem que pagar 10TRY para entrar. OPEN AIR MUSEUM De lá nos levaram a uma loja de cerâmica onde nos mostraram o processo de fazer os potes, vasos, etc. Deixamos a loja e fomos a um restaurante almoçar, que também já estava incluso no tour. O restaurante era bem melhor que o anterior e era buffet: havia muitas opções de pratos quentes, saladas e doces. Paguei a bebida à parte: 7TRY a pepsi lata. Do lado de fora do restaurante tomamos um chá turco (2,50TRY). Seguimos para o IMAGINATION VALLEY que tem esse vale pq vc precisa usar a sua imaginação para ver alguns formatos nas formações rochosas. Tem “camelo”, “chapéu do Napoleão”, etc… IMAGINATION VALLEY Depois fomos ao FAIRY CHIMNEY que são formações rochosas tão peculiares que os antigos achavam que foram feitas por fadas. FAIRY CHIMNEY ***DICA: Não esqueça de passar protetor solar! Esses passeios são todos ao ar livre e o sol lá é muito forte!🌞 Por fim passamos no CASTLE que são mais moradias esculpidas nas montanhas e seu formato lembra um castelo. Voltamos as 15h45 pra Goreme. Me deixaram no centro da cidade e passei num mercado pra comprar uma cerveja EFES (lata 500ml) por 9TRY.🍻 Voltei ao meu hotel e descansei até as 17h30, quando passaram pra me levar ao ATV TOUR, ou “passeio de quadriciclo”. Nos levaram até a saída da cidade, onde estavam os quadriciclos. ATV - ALL TERRAIN VEHICLE Haviam vários grupos, cada um com seu guia. Alguns tinham 10 ou 15 pessoas. Mas no meu só tinha eu e um casal de italianos. Cheguei a pegar 60km/h e fomos seguindo um guia que pilotava uma moto tradicional. Primeiro paramos no SWORD VALLEY, que leva esse nome pq lá os soldados treinavam lutas com espadas. Depois seguimos para o ROSE VALLEY onde havia um belo mirante e uma loja de comida, bebida e artesanatos. ROSE VALLEY Por fim fomos até outro mirante onde haviam muitos turistas, todos se “acotovelando” para ver o pôr do sol. Por volta das 19h seguimos de volta à cidade. Chegando lá passei novamente no mercado e comprei 2 cervejas: 1 Bomonti (7TRY) e 1 Efes Malte (8TRY). Cheguei ao meu quarto, tomei as cervejas e comi um salgadinho que tinha comprado no aeroporto. Descansei até umas 21h e fui para o bar ONE WAY. Lá encontrei novamente a Roseli e tomei 3 cervejas TOUBORG (22TRY cada). A Zoey (inglesa amiga da Roseli) chegou mais tarde e vimos na TV a seleção de futebol da Turquia vencer a Suécia por 3x2 de virada. Fechamos o bar as 1h e no caminho de volta ao hotel passei novamente no mercado pra comprar as “últimas” da noite: 1 EFES EXTRA e 1 EFES FIÇI (10TRY cada). Tomei as 2 cervejas e fui dormir as 2h. Distância caminhada no dia: 7,5km 🚶‍♂️ 4º dia de viagem: Goreme -> Kayseri -> Istanbul (11 de Setembro de 2018) Acordei com batidas na porta do quarto. Tinha esquecido de colocar meu relógio pra despertar e era o pessoal do transfer que ia me levar ao aeroporto! Era 9h e meu vôo saía as 11h30. Arrumei minhas coisas VOANDO e em 5min já estava dentro da VAN. Gostei muito do Eliseé Cave Hotel. Fica a menos de 10min caminhando do centro da cidade. Os quartos estavam bem limpos e o staff era muito simpático. Altamente recomendado! Já na estrada, no caminho para o aeroporto, o motorista foi informado que 2 passageiros ficaram para trás. Paramos no acostamento e depois de uns 10 minutos alguém apareceu trazendo eles. Chegamos ao aeroporto as 10h35 e fiz o check-in. Às 11h30 estava decolando e 13h30 estava chegando em Istambul. FIM DA CAPADÓCIA. Próximo relato: Istanbul
  9. 1 ponto
    Sempre que viajo posto histórias no Instagram, caso alguém queira acompanhar: rsartorelli Já tinha um tempo que queria conhecer a região, e finalmente arrumei tempo... Tinha conversado com amigos que já foram e fui bolando as ideias, de certeza a única era que eu queria ir na cachoeira do tabuleiro, terceira maior do Brasil, que é "perto". Terceira viagem sozinho, bolei minha mochila, saco de dormir, isolante, comida e tralhas e fui de ônibus, dia 25 segunda de natal, peguei um ônibus da viação Serro saindo de Belo Horizonte perto de 13h. Primeiro dia: O ônibus parou quase em frente ao camping umas 15:30h, e desceram duas meninas no mesmo ponto que iam ficar em uma pousada perto do meu camping, fomos conversando e animamos arrumar as coisas e procurar uma cachoeira mais tarde no dia. Cheguei no camping Grande Pedreira (20,00 reais/dia), só tinha um casal lá, solzão tenso, montei a barraca suando pra caramba, quando terminei dou de cara com o campista me oferecendo um latão de Brahma gelada e uma tábua com carne que ele tava fazendo churrasco, cara, que início, sentei com eles e trocamos ideia, eles são de Aiuruoca que foi minha primeira viagem, prosa bateu bastante, eles trabalham em uma oficina e resolveram pegar a moto e ir pra estrada... Encontrei as meninas na porta do camping, e fomos na cachoeira que fica quase em frente, Cachoeira Véu da Noiva, 11 reais pra ficar por uma hora e 30 reais pra passar o dia, complicado... Pagamos a hora e entramos 17h, cachoeira bonita mas com fácil acesso ela fica meio farofada, então achei mais ou menos... Saindo bateu um chuvão do nada por uns 20minutos, ja preocupei com a barraca. Chegando no camping o estrago foi pequeno, só o saco de dormiu molhou um pouco. Arrumei meu fogareiro fiz meu miojo e fui dormir. Segundo dia: Combinei com as meninas de ir ver o sol nascer na parte alta do véu da noiva, trilha dos escravos... Acordei 5 da manhã, tomei meu café e comecei a arrumar, só que o tempo não tava ajudando, então falei que não ia rolar... Acabei ficando deitado na rede e umas 6h o tempo melhorou, então fui sozinho fazer a trilha, bem tranquila e legalzinha. Voltei umas 7:30, e iríamos pegar o ônibus 8:30 pra ir até o parque, na cachoeira da farofa. Paramos o mais perto na estrada, e fomos andando até a entrada, uns 2km. Chegamos na portaria 9:30, falaram que podia fazer a trilha de bike ou a cavalo, 40,00 reais pra alugar a bike, mas animamos ir a pé mesmo, Cachoeira da Farofa são 6km da entrada, e o Canyon das Bandeirinhas 11km, osso. Acho que éramos os únicos a pé. Foi tenso, tudo plano, mas mesmo assim bem cansativo, chegamos na farofa meio cansados já, cachoeira bonita demaaaaaaaais, fizemos uma horinha e saímos pro canyon, chegamos lá eram umas 3:30h, coincidência topamos com uns dinamarqueses que pegaram o mesmo busão nosso, trocamos ideia e eles seguiram rumo, de bike. Canyon bonito pra caramba, mas não chegamos até o final porque tinha que nadar e já estávamos cansados e pensando na volta... Chegamos mortos na portaria eram 18h, conseguimos uma carona com um cara do parque 19h. Esse rolê com certeza rola fazer de Bike, economiza muito tempo e aproveita bem mais. Conversamos e uma amiga das meninas chegaria no outro dia, e então elas animaram ir na cachoeira do tabuleiro comigo no próximo dia. Saindo 5:30h da manhã. Cachoeira da Farofa Canyon das Bandeirinhas Terceiro dia: Acordei 4:30h, tomei café arrumei e mandei mensagem... Nada delas... Deu 6h eu fui sozinho pra estrada pegar carona pra tentar chegar lá, meia hora de dedão consegui uma pra Conceição do mato dentro, cheguei umas 7:30h na rodoviária. Sabia que tinha ônibus pro distrito de Tabuleiro(onde fica o parque do Tabuleiro) as 15:00h, e demora por volta de 1:30h de viagem... O que nao daria certo pra mim porque ainda tinha que voltar pra Serra do cipó. Perguntei os taxistas e cobrariam 80,00 reais pela viagem, não rolava. Consegui um número de moto táxi, chorei o preço e ele fez por 40,00 reais até a entrada do parque, top demais. O cara foi falando e resmungando algo a viagem inteira e eu não ouvia nada, só sorria acenava e fala "é foda mesmo". Cheguei e tinha a trilha parte alta e baixa, que a moça disse que não rola fazer no mesmo dia. Parte baixa 2,5km, parte alta 6km. Objetivo era a parte baixa então fui, metade do caminho trilha e metade seguir o rio pelas pedras, pra mim é bom demais porque acho mais "divertido" andar nas pedras. Cheguei nela e já apaixonei de cara, uma baita cachoeira, 273m, terceira maior do Brasil, um piscinão com uma pedra no meio que da pra ficar de boa, e lugar pra ficar quase em baixo da queda, demais. Acho que nunca vou ver uma igual, a cachoeira fica num vale bonito demais, cercada de paredões, e como a água dispersa bastante na sua longa queda, quando bate um vento ela muda o curso e acaba "dançando" para os lados, parece mágico, as gotas de água começam a circular o vale, formando umas nuvens de água que as vezes dá até pra ver umas imagens... Cara, que cachoeira, me seguro pra não usar palavrões pra descrever com exatidão meu sentimento. Fiquei um bom tempo lá e já pensei em voltar porque ainda tinha que voltar pro meu camping e não tinha como voltar. Voltei e fiquei na entrada do parque, esperando alguém pra pedir carona. Primeiro rapaz que tava saindo, com a namorada, pedi carona e me ajudaram, me deixaram de novo na rodoviária de Conceição do Mato dentro, aí já estava quase em casa. Pedi carona por um tempo até o horário do ônibus mas não consegui, então peguei o ônibus de 16h. Cheguei no camping quase 18h, então foi um dia foda, curti bastante. Fiquei conversando com o Roberto, que toma conta do camping, me ofereceu cerveja e ficamos lá prozeando até mais tarde, e pedimos um lanche pra dar uma variada. Quarto dia: Último dia e tinha mais uma entrada do parque pra ir, acordei 6h, a distância total(ida e volta) do camping até a Cachoeira do Tombadouro(última cachoeira da trilha) eram 26km, metade fora do parque, então era bom ir preparado. Tomei café e saí 7h, fui andando e pedindo carona, bem cedo consegui uma que me cortou uns 3km, e daí fui andando até o parque, cheguei exatamente 8h, o primeiro a entrar no parque. E fui, primeira cachoeira bem bonita, Cachoeira das Andorinhas, grande parte andando nas pedras, duas quedas, dei uma nadada e fui pra próxima, cachoeira do gavião, bonita pra caramba, bem tranquila, que é possível escalar bastante até seu topo que encontra uma outra queda do outro lado, mas acabei fazendo só ate a metade, que minhas coisas tinham ficado tudo lá em baixo... Dei uma aproveitada e fui pra cachoeira do Tombador, cara essas trilhas são lindas, dão tudo uma visão do vale inteiro, você nem lembra que tá andando e nem das dores e bolhas no pé. Cheguei nela, absurda, muito massa, duas piscinas uma em cima da outra, duas quedas, fiquei lá por um bom tempo, todas eu sempre tava sozinho, mas nessa chegou um casal uma hora depois de mim, bom demais que me ajudou a tirar uma foto. Fiquei até 13h, que ainda tinha que desmontar minha barraca e ir embora. Muito mal pensado, trilha longa na volta e o sol TRINCANDO, foi sofrido mas foi, cheguei na entrada um pouco antes de 15:30h, consegui logo uma carona na saída e me deixaram no mesmo lugar do cara que me deixou na ida. Ainda longe do camping pedi carona por uns 20min e consegui. Achei que já tava perto do camping e pedi pra ele me deixar, que eu iria comer algo. Comi um PF 18 reais e um suco de incríveis 6 reais. Terminei e percebi que tava ainda um pouco longe, e tava muito cansado, então fui andando devagar e pedindo carona, consegui outra e me deixou na porta do meu camping. Cachoeira das Andorinhas Cachoeira do GaviãoCachoeira do TombadouroCachoeira do Tombadouro Tomei banho, arrumei as coisas, despedi dos amigos do camping e fui na estrada pra ir embora. O ônibus só passava as 19:25h, e ainda eram 18h, então pedi carona denovo... Deu meia hora e consegui uma, que iriam para venda nova mas podiam me deixar dentro de BH, bom demais! Parei perto da UFMG e peguei um busão para perto da rodoviária. Cheguei por volta de 20h, fui no guichê e unha ônibus as 20:15h pra Itaúna. Bom demaaaais fechando o rolê. Gastos: Ônibus ida: 33,00$ Camping Grande pedreira: 20,00$ diária, total 60,00$ Cachoeira véu da noiva: 11,00$/hora , 30,00$/dia Comida (4xCupNoodles, 2xBolacha, 4x pacotes barra de cereal, Pao de forma, leite em pó): ~~60,00$ Entrada parque tabuleiro: 10,00$ Ônibus porta do camping -> algum lugar mais pra frente na estrada: 3,00$ MotoTaxi Conceição do Mato dentro -> Portaria tabuleiro: 40,00$ Ônibus volta Conceição Mato dentro -> Serra do Cipó: 22,00$ Lanche camping: 18,00$ Almoço PF+Suco: 24,00$ Ônibus UFMG -> Rodoviária: 4,05$ Ônibus BH -> Itaúna: ~~ 25,00$
  10. 1 ponto
    Tenho 18 anos e queria em junho de 2019 fazer meu primeiro mochilão passando pelo Brasil inteiro, levando apenas 2000 reais, pegando caronas e dormindo em casas pelo couchsurfing, vocês acham que seria possível?
  11. 1 ponto
    Olá Galera! Esse é meu primeiro relato aqui, vou tentar falar de forma enxuta e objetiva, mas se tiverem duvida podem falar comigo. O mochilao foi feito com mais 3 grandes amigos, abrangendo 9 países e 12 cidades, desde o dia 02/01 a 02/02. O planejamento foi feito com mais ou menos 1 ano de antecedencia. Procurei tudo que podia sobre cada lugar que iria. Nossa prioridade, no geral, era conhecer e vivenciar a cultura de cada cidade, incluindo visita a museus e palácios. As refeições no geral eram comidas de mercados na rua, de supermercado e algumas vezes em restaurantes. Procuramos sempre experimentar as comidas tipicas de cada lugar. O passeio no geral era feito basicamente a pé e transporte publico (metro e onibus). Pegamos nenhuma vez Uber ou taxi. A média andada era 10 km por dia. ORÇAMENTO: Fui planejado de gastar em média 50 euros/libras por dia! Nesse valor incluia gastos diarios, como comer, transporte interno, ingresso da grande maioria das atrações (algumas poucas comprei ainda no Brasil) e mais o que quer que fosse. Não conta as diárias das hospedagens e transporte entre cidades/países, que foi um orçamento a parte. O transporte entre cidades foi feito basicamente por trem. Tive 2 voos internos apenas (Praga - Roma / Veneza - Madri) Ida: 02/01/2018 Volta: 02/02/2018 PAÍSES E CIDADES: Inglaterra (Londres) - 5 noites Bélgica (Bruxelas) - Stopover França (Paris) - 5 noites Alemanha (Berlim) - 3 noites Rep. Tcheca (Praga) - 2 noites Itália (Roma) - 5 noites + Incluindo Vaticano (Lembrem que também é um país 😁) Itália (Florença) - 3 noites Itália (Pisa e Veneza) - 2 noites Espanha (Madri) - 2 noites Portugal (Lisboa) - 3 noites HOSPEDAGEM: Todas as hospedagens foram em albergues. Fizemos boas escolhas quanto a isso, nada a reclamar de nenhum, apenas ressalvas pontuais. Procuramos sempre optar por hospedagens centrais, que pudesse chegar aos lugares a pé ou entao aquelas que tivessem transporte publico perto, como estação de metro e ponto de onibus. Todas as reservas foram feitas pelo Booking.com. LONDRES: Strand Continental Hostel - 460 reais PARIS: Generator Hostel - 486 reais BERLIM: Heart of Gold Hostel - 98 reais PRAGA: Safestay Hostel - 87 reais ROMA: Legends Hostel - 256 reais FLORENÇA: Plus Florence Hostel - 116 reais VENEZA: Ai Boteri Hostel - 173 reais MADRI: Living Mad Hostel - 108 reais LISBOA: Travellers House Hostel - 116 reais ITINERÁRIO INICIAL: Eu e meus amigos partimos de voos distintos e cada um chegou em horarios distintos em Londres. Tanto minha ida quanto a volta foi pela TAP PORTUGAL. Para todos os trechos, paguei a bagatela de 5 mil reais. Foi caro! Mas foi o que achei. - A ida foi no trecho Aeroporto Galeao - London Gatwick com escala no aeroporto do Porto. - A volta foi Aeroporto de Lisboa - Aeroporto de Recife. Quanto ao voo, no 1 trecho, fui sentando na ultima poltrona do lado da janela. Voce imagina a situação quando quis ir ao banheiro. E tambem pra comer, no espaço apertado que era. No mais, além de não conseguir dormir (apenas cochilar), o voo foi muito tranquilo. Não fiz imigração em Portugal, fui direto pra conexão. O 2 trecho foi tranquilo na maior parte do tempo, exceção quando chegava em Gatwick que teve uma turbulencia grande. Fiz a imigração em Gatwick. Não foi rápido nem simples. Tive uma verdadeira conversa com a agente de imigração. Tive que mostrar quase tudo e explicar tudo que ela pedia. Penso que quem tivesse dificuldade maior em inglês travaria na hora. No entanto passei sem problema algum. Cheguei em Londres pelo Gatwick express na estação Victoria. Paguei algo em torno de 18 libras. SEGUE ALGUMAS FOTOS DESSE PRIMEIRO MOMENTO: AVIAO DO 1 TRECHO: GALEÃO - CIDADE DO PORTO. Um A330. BEM CONSERVADO, NADA A RECLAMAR! A TIPICA FOTO DE VIAJANTE 🤣 FOTO DURANTE A VIAGEM RUMO A CIDADE DO PORTO. DEVIA SER EM TORNO DE 5H DA MANHÃ. DORMI NADA! NA CONEXÃO NO AEROPORTO DO PORTO. LEMBRANDO, NAO TEVE IMIGRAÇÃO, FUI DIRETO PRA AI. AVIAO DO 2 TRECHO RUMO A GATWICK. UM A319. AVIAO MUUITO BEM CONSERVADO. DENTRO DO GATWICK EXPRESS RUMO A LONDRES, DEPOIS DE PASSAR PELA SABATINA NA IMIGRAÇÃO. ESTAÇÃO VICTORIA LOGO APÓS CHEGAR EM LONDRES. ESTAVA ENCANTADO MAIS UMA VEZ COM A CIDADE! SENTADO, OBSERVANDO O LONDON EYE. ESPERANDO MEUS AMIGOS CHEGAREM EM LONDRES NA COMPANHIA DE 1 AMIGO QUE JA HAVIA CHEGADO! FAZIA EM TORNO DE 3 GRAUS AI. GRUPO REUNIDO!!!🙌 Se quiserem me seguir no Instagram, tem mais fotos e destaques la: @matheusviana (https://www.instagram.com/matheusviana/?hl=pt-br) (CONTINUA...)
  12. 1 ponto
    Fala pessoal!! Estou planejando uma viagem de 21 dias para o Sudeste Asiático (Tailândia, Malásia e Singapura), se puderem dar uma "mãozinha" com o meu roteiro. Estou viajando para conhecer os templos e as cidades, mas não vou deixar de curtir as praias da Tailândia. Olha o roteiro aí: 1º Dia) Viagem Brasil --> Bangkok 2º - 5º Dia) Bangkok: vou ficar 03 dias na cidade e 01 dia vou até Ayutthaya; 6º Dia) Viagem Bangkok --> Krabi: avião + 3h, chego em Krabi e conheço o local; 7º Dia) Krabi ---> Koh Hong: bate volta; 8º Dia) Krabi --> Koh Phi Phi: Sleep May Bay (durmo no barco e não gasto hostel) 9º Dia) Koh Phi Phi: ficar em um resort e relaxar (só uma noite, a noite do luxo) 10º Dia) Koh Phi Phi: conhecer praias 11º Dia) Phi Phi --> Langkwai (Malásia): + 8 horas de balsa 12º Dia) Langkwai 13º Dia) Langkwai --> Kuala Lumpur: 8 horas (balsa e trem) 14º - 15º Dia) Kuala Lumpur 15º Dia noite) Kuala Lumpur --> Singapura: trem noturno 16º - 19º) Singapura 20º Dia) Singapura --> Brasil Eai, o que acham??
  13. 1 ponto
    @Isabela Roberta Vou pesquisar bastante, espero que dê tudo certo na sua viagem também, quem sabe não nos encontramos quando eu estiver fazendo meu mochilão kk.
  14. 1 ponto
    Sim, pesquisa, tem bastante artigo sobre isso, e joga no you tube que o pessoal explica bem, nos comentários há bastante informações... O que eu posso te adiantar é que é um processo meio complicado para tirar a Id pois você tem estar com Nis atualizado, se não tiver tem que ir no Cras atualizar, a id é pelo aplicativo mas até ativar leva em torno de 45 dias. É bom lembrar que só vale nas linhas convencionais e em viagens interestaduais, de um estado para o outro Tem que ficar atento com o prazo de valide também que dura 6 meses, depois tem que atualizar os dados novamente e refazer o processo, tem que calcular isso também Boa sorte na sua caminhada, enquanto lia seu post tive algumas ideias para o meu mochilão que ainda não havia pensando também
  15. 1 ponto
    Funciona, pois esse benefício é uma lei de 2013
  16. 1 ponto
    @Isabela Roberta estava vendo esse id jovem, será que em ele funciona em todos estados do Brasil?
  17. 1 ponto
    Oi, estou planejando fazer meu primeiro mochilão entre janeiro e fevereiro com um orçamento menor, só que para menos lugares, uma opção que achei e é bem útil é o Id jovem, é para jovens de 15 a 29 anos viajarem de ônibus em linhas convencionais e interestaduais de graça.
  18. 1 ponto
    Olá Galera! Vou relatar minha viagem pra Santiago em forma de retribuição a este site que me ajudou muito. Viajei entre os dias 02/10/18 e 09/10/18. Passagens: R$ 750,00 (com cupom de desconto de R$ 50,00) pela Avianca, voo sem atrasos e a refeição foi nota 10! Hospedagem: Hostel La Chimba R$ 350,00 pelo site booking (pagos no check-in), Hostel fica no bairro Bella Vista, os quartos são bem simples e o café da manhã também, ponto positivo para localização e para o clima do Hostel que é super animado. Seguro-viagem: R$ 75,00 escolhi no site comparaonline Refeições A maioria dos dias almocei empanadas aprox. 1500 pesos (que são maravilhosas), nos outros dias almocei nos restaurantes: Centurion Resto-bar, endereço: Ernesto Pinto Lagarrigue 257, em frente ao La Chimba Restaurante simples com comida boa, paguei no menu do dia 4.000 pesos, entrada, prato principal e um suco (tang) La Picolla Italia, endereço: Hermanos Amunátegui 371 Restaurante de massas com preços acessíveis e comida excelente, aproximadamente 5.000 pesos no prato e eles ainda servem uns pãezinhos de entrada na faixa. Passeios Vou destacar os que mais me marcaram: Sky Constanera 15000 pesos Ver o pôr-do-sol do Sky é imperdível, fiquei encantada com a beleza da cidade e com as cores do céu. Pode ver o pôr-do-sol do Cerro de San Cristobal também, mas do Sky foi melhor 😊 Embalse El Yeso com piquenique Agência Morande 25000 pesos O melhor passeio sem dúvida, nenhuma foto faz jus a este lugar. Valle Nevado Agência Morande 15000 pesos Locação de roupas 10000 pesos Dei muita sorte de ter neve ainda em outubro e foi incrível ver neve pela primeira vez, a roupa aluguei em uma loja em Santiago, bem mais barato que alugar no local que a agência nos leva. Val Paraíso e Vina Del Mar Guia de Turismo na estação Pajaritos 15000 pesos (bate e volta) As duas cidades merecem mais que um bate e volta, são cheias de histórias e cada rua de Val Paraíso é de encher os olhos. Museu da Memória e dos Direitos Humanos Gratuito nos domingos Museu sobre a ditadura no Chile, incrível a quantidade de monumentos e memorias sobre a ditadura que existe pelo Chile inteiro, lá da pra sentir um pouco o que eles sentem sobre essa época do país. Vida noturna Pubclawl 10000 pesos Rolê com 1 hora de cerveja e entrada com shots em três baladas no bairro Bella Vista, foi muito animado e fizemos vários amigos. O bairro Bella Vista tem inúmeros barzinhos e baladas, tem pra todos os gostos e preços. Dicas: experimento a bebida Terremoto, o Pisco, o Mote, as empanadas, visite o bairro Paris-Londres, ande de teleférico no Cerro de San Cristóbal e compre muitos chocolates e vinhos no Mercado Jumbo. Se precisarem de qualquer dica é só mandar mensagem
  19. 1 ponto
    Oi, tudo bem? De fato, seu roteiro está bastante ambicioso... Estou morando em Cracóvia, então posso ajudar um pouco mais sobre a cidade, mas ainda não tive a oportunidade de ir à Varsóvia. Partindo do que eu sempre leio e converso com outros brasileiros que estão aqui a mais tempo, entre as duas cidades sua prioridade deve ser Cracóvia. De verdade, acho que faz mais sentido você passar os 4 dias em Cracóvia e conhecer melhor a cidade (levando em conta passeios bate-e-volta do que ir para Varsóvia (que não é uma cidade tão encantadora e com tanta variedade turística). Varsóvia é uma cidade maior, mais modernizada.. Além disso, como ela foi COMPLETAMENTE destruída pela Segunda Guerra, tudo que verá lá será reconstruções (e não restaurações, pois a cidade virou realmente um estacionamento, de tão detonada). Pelo que pesquisei, o que vale a pena lá é o Warsaw Uprising Museum (museu que conta a história da resistência polonesa frente aos nazistas) e a casa de Marie Curie (antes dela mudar para Paris para estudar) que hoje é um museu em homenagem a ela. Já Cracóvia é completamente encantadora e em Abril ela está deslumbrante! A probabilidade de neve é bem pequena nessa época do ano. Para você ter uma ideia, eu cheguei aqui dia 2 de Abril e estava fazendo cerca de 17 graus. Na segunda semana já estava na casa dos 20 e poucos... (Essa foi uma primavera mais quente do que o normal, mas mesmo assim...). Nessa época os parques já estão enchendo de flor! As árvores verdinhas! (E a cidade é super arborizada! Tenho algumas fotos em um post que escrevi esse mês para o meu blog, em comemoração aos 6 meses morando aqui. Se quiser dar uma olhada: https://batendoasa.com/polonia/curiosidades-sobre-a-polonia-em-6-meses/) Diferente de Varsóvia, a Cracóvia ficou completamente em pé durante a guerra, pois os alemães fizeram dela sua base. Com isso, você consegue ver prédios dos mais diversos estilos arquitetônicos todos juntos. (Tem isso lá no blog tbm!) A praça central da cidade é considerada a maior praça medieval da Europa e é linda de morrer! O que acho que vale MUITO a pena fazer na cidade: Free walking tour para dar uma geral nos principais pontos turísticos da cidade (cerca de 2h30) Basílica de Santa Maria - lindíssima por fora e absurda por dentro! Toda colorida! Castelo Wawel - o complexo é incrível, tem uma catedral super importante para a cidade (com cúpula de ouro!) e várias lendas! Gastar um tempo por perto do rio Vistula e também um tempo pelo parque Planti, que circunda a Cidade Velha. (👆 Isso tudo aí dá um dia!) Se você gosta da história da Segunda Guerra, também vale muito fazer o Free walking tour de Kazimierz, o bairro judeu. Dá até para ver alguns lugares que foram locação do filme "A Lista de Schindler" (inclusive amanhã eu vou publicar um post exatamente sobre as locações do filme! rs). Você perguntou sobre A Fábrica de Schindler e eu acho absolutamente relevante a visita. O museu não é focado na história de Schindler, mas sim na ocupação alemã no país. (Informações que você veria no Warsaw Upspring Museum você encontra na Fábrica, e mais!) Ah, o antigo bairro judeu é hoje o bairro boêmio da cidade, então você encontra vários restaurantes legais para comer e tomar uma cerveja. A ida a Auschwitz leva, na minha opinião, um dia inteiro. É muito intenso emocionalmente, e cansativo fisicamente. São dois campos. Em Auschwitz I você tem muuuuuita informação para absorver. Praticamente todos os antigos blocos do campo possuem exposições. Em Auschwitz II - Birkenau a quantidade de informação é menor, porém o campo é absurdamente maior. É gigantesco! Você anda muito lá dentro para percorrer tudo. É uma visita muito densa e bem reflexiva. A ida lá me inspirou esse texto: Um conto de empatia sob a ótica do Holocausto 🥀 A viagem para Oświęcim (cidade onde ficam os campos) leva cerca de 1h30 de ônibus para ir, e mais 1h30 para voltar à Cracóvia. O tour guiado com essas agencias de viagem que vendem passeios leva cerca de 4h. Mas são 4h praticamente correndo. Se você ficar os 4 dias aqui, ainda teria mais um dia com muitas opções: Pode ficar pela cidade e visitar parques lindos que tem por aqui, como o Parque Jordana, ou se estiver mais quentinho, os lugares que os poloneses usam como o Bagry (que é tipo uma "praia artificial"). Mas minha recomendação real é o meu lugar favorito na cidade: o lago Zakzówek: o oásis escondido de Cracóvia. 👈 Clica para ver as fotos! É um lugar sen-sa-cio-nal! Pode ir conhecer a Mina de Sal Wieliczka, que é de deixar qualquer um boquiaberto!!! Ou mesmo fazer um bate e volta para a cidade de Zakopane, considerada a capital de inverno da Polônia, onde os poloneses vão esquiar. Nessa época eu acho que não rola mais esquiar, mas dá para fazer uma trilha até o lago Morkie Oko. Espero que tenha sido útil!! 😉 Se quiser, pode acompanhar nosso Instagram @batendoasa 👈 A gente está sempre contando nos stories sobre a vida aqui, dando dicas de passeios, restaurantes etc! Se precisar de algo, é só chamar.
  20. 1 ponto
    Nunca precisei usar literalmente nessa função, mas já experimentei e na minha de 50l deu e sobrou, ela é funda. Já cheguei a colocar duas mochilas de 50 litros (não lotadas) dentro dela para não pegar poeira por exemplo. Nas especificações técnicas ela é indicada para cargueiras até 60l, creio que funcione perfeitamente na questão de tamanho, só não posso dizer sobre a questão de proteção real contra chuva nessa função. Já peguei chuva com ela mas com a bolsa fechada, e funcionou muito bem.
  21. 1 ponto
    Estou em dúvida sobre qual dessas mochilas comprar.. Alguma opinião ou comentário sobre elas?
  22. 1 ponto
    No dia 01/07/2017 conseguir realizar um dos meus objetivos como montanhista: A escalada do Elbrus. Foram sete horas de ataque ao cume partindo às 2h30 de um refúgio a 4.100m e atingindo o cume, a 5.642m, às 9h30 sem o uso de qualquer ajuda. A Descida foi realizada em mais ou menos 3 horas, totalizando 10 horas entre ataque e retorno. A escalada foi realizada de forma totalmente independente e econômica. Começou em Moscou no dia 27/06/2017, de onde parti em um voo da Aeroflot em direção ao aeroporto de Mineralnye Vody, que é o mais acessível à região do Elbrus. Os dias 27, 28 e 29 foram de aclimatação; o dia 30/06 de descanso, e na madrugada do dia 01/07 realizei o ataque ao cume. A programação foi a seguinte: 27/06 – Voo de Moscou para Mineralnye Vody, transfer até a vila de Terskol (2.100m), check in no hotel e subida a 3.000m para iniciar aclimatação. 28/06 – Subida de teleférico a 3.780m e trekking na neve até 4.000 m, para aclimatação. 29/06 – Subida de teleférico a 3.780m e trekking na neve até 4.800 m, para aclimatação. 30/06 – Descanso no hotel pela manhã e subida de teleférico a 3.780m na parte da tarde, trekking na neve até o refúgio localizado a 4.100 m levando todo o equipamento de escalada, mais ou menos uns 15 kg. 01/07- Ataque ao cume a partir das 2h30, alcançado o pico em torno de 9h30 e chegando ao refúgio às 12h30. 02/07 – Saída do refúgio às 9h30 para descida de teleférico até Azau e retorno ao hotel, para descanso e organização da bagagem para volta ao Brasil. 03/07 – Transfer para o aeroporto de Mineralnye Vody e voo para o Moscou. 04/07 – Voo ao Brasil, via Madri. Excluindo o voo internacional, cuja emissão foi feita com milhas, o gasto total foi de aproximadamente 500 USD: Passagem aérea interna desde Moscou, ida e volta (Aeroflot): 100 USD Transfer aeroporto x hotel, ida e volta (3 horas de taxi particular cada trecho): 100 USD Hotel em Terskol (4 noites): 70 USD Refúgio a 4.100 m (2 noites): 34 USD Teleférico até 3.780m (3 subidas e 3 descidas): 73 USD Aluguel de botas duplas por 2 dias (restante do equipamento próprio): 30 USD Alimentação e diversos: 90 USD As únicas reservas prévias que tinha eram as passagens de avião ida e volta, desde Moscou, e a primeira noite em hotel, na vila de Terskol. Link com o trajeto da escalda, gravado no Wikiloc: https://pt.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=18537751 Vídeo resumo do ataque ao cume: https://goo.gl/photos/ubnrdk4LEvBq4dBf8 Compartilho algumas informações práticas com o objetivo de ajudar os colegas montanhistas que quiserem escalar o Elbrus de forma independente e econômica: •Passagens internas a partir de Moscou: A melhor opção é a Aeroflot, principalmente para quem vai levar equipamento, pois permite despacho de bagagem sem cobrança de taxa extra, além de possuir voos diretos em vários horários. A dificuldade da reserva no site está relacionada ao pagamento, cujo processo é muito complicado, pelo menos para mim foi. Para contornar a dificuldade, realizei a reserva pela Travelgenio (http://br.travelgenio.com/), cujo valor dos bilhetes ficou até mais barato que diretamente no site da Aeroflot. •Transfer a partir do aeroporto de Mineralnye Vody: Não existe transporte público direto a partir do aeroporto até a região do Elbrus. Para usar o transporte público, há necessidade de fazer baldeação em várias cidades, o que consome praticamente um dia de deslocamento e encarece bastante. A forma de transporte mais rápida é o taxi privado, cuja contratação se realiza no próprio aeroporto, o deslocamento dura aproximadamente 3 horas, por trecho. Na sala de desembarque, a esquerda de quem sai, há dois guichês de taxi. O valor é tabelado em mais ou menos 50 USD cada trecho, para até 03 pessoas. Em menos de 10 minutos já estava dentro do taxi a caminho de Terskol. Na internet há agências oferecendo a reserva prévia do transfer por um valor muito mais alto, entre 80 e 100 USD. Portanto, bem mais econômico deixar para contratar na chegada. •Hotel: Os dois teleféricos que dão acesso à montanha ficam localizados na Vila de Azau. Optei em ficar na vila de Terskol, pois os hotéis são mais baratos. Assim, tinha que caminhar mais ou menos 2,5 km até Azau ou pegar taxi, cujo valor é tabelado e custa em torno de 4USD a ida ou volta. O hotel era familiar e muito bom, limpeza impecável, quartos confortáveis e restaurante com comida bem caseira, preparada na hora pela proprietária e sua filha. Foi reservado pelo Booking. As outras noites negociei direto com o hotel, por um valor um pouco menor. •Teleférico: Na vila de Azau existem dois teleféricos, um mais antigo e outro mais novo. No mais antigo, o último trecho é realizado em cadeirinhas. No mais novo, todo o percurso é realizado em carrinhos fechados, mas o preço é um pouco mais caro que o mais antigo. A minha opção pelo mais novo é que o percurso final dele leva a uma cota maior que o mais antigo. •Refúgio de Montanha: Existem vários refúgios que podem ser utilizados para aclimatação e/ou ataque ao cume, localizados a partir dos 3.600 m até 4.100m. O mais famoso e procurado talvez seja os Barrrel Huts, que fica mais ou menos a 3.800m. Como não iria utilizar o snowcat, preferi ficar em um refúgio em uma cota maior. O refúgio que fiquei é esse da foto aí. Para escolher, nas subidas de aclimatação visitei alguns e fechei duas diárias nesse aí (um dia curinga), simplesmente porque era o localizado na cota mais alta que encontrei, aos 4.100m. Pelo que entendi, até a primeira quinzena de julho não há dificuldade em conseguir vaga em refúgios. Depois fica um pouco mais complicado, pois aumenta muito o número de visitantes. •Aclimatação: Obviamente que uma aclimatação perfeita requer uma quantidade de dias maior. No meu caso, tenho utilizado o Diamox para auxiliar na aclimatação. Optei por ficar hospedado em hotel em vez do refúgio de montanha, pois seria mais confortável e poderia descansar e dormir melhor. Dormia em torno de 8 e 9 horas por noite, levantava, tomava café e partia para o teleférico que começava a funcionar às 9h30. Subia até a cota planejada, permanecia algum tempo e descia para pegar o teleférico, cujo funcionamento encerra-se em torno de 15h30. Outra alternativa de aclimatação seria permanecer hospedado no refúgio, o que seria mais eficiente e econômico, pois não gastaria com as subidas e descidas do teleférico. Entretanto, tem o inconveniente do desconforto e barulho dos refúgios, o que pode prejudicar o descanso. •Equipamento: Existe em Azau uma loja que aluga praticamente todo o equipamento para a escalada, localizada junto ao teleférico. No meu caso, como já possuo o equipamento, com exceção das botas duplas, aluguei nessa loja somente para o ataque. Na aclimatação, utilizei as minhas botas semirrígidas com grampos, que funcionam bem até os 5.000m. •Ataque ao cume: Pode ser realizado com ou sem o auxílio mecânico. Pelo que vi, há dois tipos de auxílio: os snowcats para os grupos maiores e snowmobile para os escaladores em dupla ou individual, que deixam o escalador entre 4.700m e 5.000m. Não tenho ideia dos valores, mas me pareceu fácil fazer a contratação dos serviços, pois ficam estacionados bem próximos à saída do teleférico. No meu caso, iniciei o ataque às 2h30, sem nenhum tipo de auxílio, saindo do refúgio em direção à trilha que leva à parte mais alta da montanha, que é bem demarcada pelo trajeto dos snowcat e por bandeirinhas vermelhas. Nesse horário, vários grupos estão subindo, não havendo dificuldade de encontrar o caminho. O percurso, embora não exija uma técnica apurada de escalada, é importante que o escalador tenha um conhecimento básico de deslocamento em gelo com grampons, uso dos bastões e piqueta, uso de arnês e cordas de apoio, etc. Além disso, exige um preparo físico muito bom, no caso da opção de não utilizar o auxílio de transporte. Conclusão: Para quem possui experiência com montanhismo no gelo, é uma escalada que dá para fazer de forma independente sem problema, ficando o custo muito acessível. Para quem não tem experiência, a melhor alternativa (mais econômica) é contratar uma agência diretamente na Rússia. Existem várias na internet, devendo pesquisar aquela que tem os melhores comentários. Pelo que vi, contratar a agência na Rússia sai em torno de 800 a 1.000 euros. A aclimatação e a escalada são fantásticas. A visão da cadeia de montanhas do Cáucaso é algo impressionante. Vale a pena conhecer a região, mesmo que não seja para fazer a escalada. As pessoas são solicitas e tentam ajudar de alguma forma, embora é muito difícil encontrar alguma que consiga se comunicar em inglês ou outro idioma além do russo.
  23. 1 ponto
    Oi, Rômulo. Desconheço isso de que curso de inglês só aceita até 30 anos. De onde veio essa informação? 🤔 Para turismo, brasileiro não necessita de visto para permanência de até 3 meses. Se o seu desejo é tentar imigrar futuramente, vale pesquisar se sua área de atuação está na lista de habilidades de interesse para a NZ, o que te abre algumas opções. Morei 6 meses lá enquanto meu marido fazia uma pós graduação e ambos tínhamos visto de trabalho (ele part-time e eu full-time). A faculdade em que estudávamos faz parte de um programa especial do governo (com objetivo de atrair pessoas à região de Southland) e há uma série de benefícios de acordo com requisitos e interesses como, por exemplo, a possibilidade de um visto pós-estudos para cursos acima de 1 ano. Tudo isso varia de acordo com a região que você pretende e, principalmente, de acordo com o nível de curso que você vai fazer (geralmente deve ser curso a nível de especialização). Você pode se informar no site oficial do Dpto de Imigração da NZ, mas sugiro que converse com um Immigration Advisor - somente esse profissional terá autorização legal para te orientar em relação à melhor forma de proceder. Também pode conversar em uma agência de intercâmbio, pois eles têm as parcerias com as instituições de ensino e os departamentos responsáveis pela mediação com a imigração. Nós tivemos a acessoria da IE de Jundiaí na época. Boa sorte!
  24. 1 ponto
    Concordo plenamente na parte de trabalhar e juntar uma grana para entao pegar a estrada. Apenas faça um esboço de um roteiro só pra voce ter ideia de onde quer chegar e ter noçao se os 10k serão suficientes ou nao. Antes de pegar a estrada pra fazer minha volta ao mundo tive que juntar grana por longos 3 anos, vender meu carro e abrir mao de tantas outras coisas, mas foi a melhor coisa que fiz!
  25. 1 ponto
    ILHA DO BANANAL A ilha do Bananal é uma imensa ilha fluvial, no rio Javaés. Nela, vivem algumas comunidades indígenas, e eu visitei a comunidade Boto Velho, dos índios javaés, onde vivem cerca de 30 famílias. Foi interessante esse contato bem real com os índios, e também encontrei o pessoal da FUNAI no local. Na sequência, almoço e retorno a Palmas.
  26. 1 ponto
    Não.. a regra não é essa... se procurar encontra links para elas... já exaustivamente discutidas neste site. Só respondi neste tópico porque a 2a parte da 1a resposta que te deram está errada. E ele adora responder errado sobre imigração na europa... toda vez! Se vc ficar menos de 90 dias a cada 180 dias, não tem que se preocupar. Pode entrar e sair quantas vezes quiser. Só tem que ter dinheiro e motivo (e passagem e seguro e hospedagem).. O que tentei te explicar é como vc vai ter ficado mais de 90 dias fora quando entrar em dezembro, não tem que se preocupar em fazer contas. Pode ficar até 90 dias.
  27. 1 ponto
    1... errado, ficou 19. O dia de chegada conta (não é diferença entre dias) 2... errado, 25jan. Eles consideram 1 mes = 30 dias. 3... sim. quando entrar dia 29/12, com as informações acima, pode ser autorizada até "Possible stay until 28/03/19" 4... para nós, sim, zera (mas não podemos ficar mais de 90 dias em uma mesma viagem... tem que sair). Na dúvida use esta calculadora do site oficial (brasileiros possuem outra regra, que em algumas situações permite ficar mais tempo): https://ec.europa.eu/home-affairs/content/visa-calculator_en Obviamente, se for ficar muito tempo tem que ter dinheiro e bons motivos, para não ser mandada de volta logo na chegada.
  28. 1 ponto
    @111111 Sr. 111111 e contas numéricas repetidas, vc tem que parar de falar asneira sobre este assunto. Já cansei de ficar te corrigindo... aprenda as regras antes de ficar "dando aula" com resposta errada e criando dúvidas neste site ou frustrando planos de usuarios, sem motivo algum! Se quer ficar respondendo sobre imigração na europa, vc não tem que aprender tudo... aprende só o basico do basico do básico: Para a grande maioria das pessoas, a regra é muito simples: Se ficar mais de 90 dias fora, pode ficar até 90 dias quando voltar. Simples assim. Não tem que se preocupar quando os 180 dias terminam se estiver dentro desta regra muito simples. Se é dificil, redireciona elas para calculadora oficial, que para brasileiros responde menos do que podemos (em alguns casos podemos ficar mais tempo do que ela diz). https://ec.europa.eu/home-affairs/content/visa-calculator_en
  29. 1 ponto
    Dia 02/09/2018 (Domingo): Hout Bay, Chapman’s Peak Drive, Boulders Beach, Cape Point e Cabo da Boa Esperança O tempo amanheceu mega bosta, e pra hoje tínhamos programado um dia que precisava muito ser limpo! Mas vamos lá, o tempo muda a cada 5 minutos mesmo! Pegamos o caminho para Hout Bay, que é continuando o caminho dia anterior que chegou até Camps Bay. Estacionamos perto do porto e fomos lá dar uma andada. A região é bonita, tem muitas focas por perto... e dali oferecem passeios pra vê-las em seu habitat, aos montes, mas não ficamos afim não, já pudemos ver algumas por perto, onde os pescadores jogavam restos de peixes. FOTOS 84-86 FOTOS 84: Porto de Hout Bay FOTO 85: foquinha fofa em Hout Bay FOTO 86: foca posando pra minha foto! Fiquei com MUITO ÓDIO de um cara que ficava arrastando uma foca para a calçada e incentivando que as pessoas passassem a mão nela e tirassem fotos, cobrando por isso claro. E quando ninguém queria, ele chutava a foca de volta pra água, queria bater nele! Turismo predatório NÃO! Passado o ódio deste cara (outras pessoas por perto tb ficaram indignadas), seguimos nosso caminho rumo a Boulders Beach. O caminho para se chegar lá é pela estrada chamada Chapman’s Peak Drive! E o tempo já estava lindo e maravilhoso com céu azul! Esta estrada panorâmica linda circunda a montanha de mesmo nome, ao sair de Hout Bay, se colocar Bolders Beach no maps ele já vai indicar o caminho pela montanha. Paramos em um pedágio apenas (47 Rands), e eles dão um papel que é tipo o “vale-a-volta” rs, mas como não voltamos pela mesma estrada nem precisamos usar. A estrada é maravilhosa e tem vários pontos de observação! Vale muito a pena! FOTOS 87-90 FOTO 87: vista de um dos mirantes da estrada FOTO 88: Chapman's Peak Drive FOTO 89: Chapman's Peak Drive FOTO 90: por baixo da pedra! Boulders Beach pertence a cidade de Simon’s Town, e é uma reserva natural para proteção da reprodução de pinguins. Chegando lá tem um estacionamento, e bem perto tem uma feira de artesanato. Caminhando pelo deck se chega próximo à pedras onde podem estar os pinguins, isolados por cercas, mas não tinha muitos por perto. Pagamos 76 Rands cada um pra entrar na praia e vê-los de muito perto, por toda parte. A praia é bem bonita! Tem um trecho que dá pra entrar na água, em outros a gente não chega na areia, só vê por passarelas. FOTOS 91-94 FOTO 91: Vista de Boulders Beach FOTO 92: águas clarinhas de Boulders Beach FOTOS 93 e 94: Pinguins! Já estava perto da hora do almoço e já estávamos com uma fominha, então resolvemos comer por ali mesmo, no “Café Penguino”, gastamos 150 Rands e compramos umas baboseiras na feira! Seguimos então pra nossa última atração do dia, o Cabo da Boa Esperança! Quem se lembra das aulas de história sabe o quanto este lugar é icônico. Chegamos facilmente na entrada do Parque e pagamos 292 Rands por casal pra entrar... carinho né? Se quiser dá pra se hospedar lá dentro, no esquema do Kruger. Você entra com o carro mesmo e dirige até os pontos de interesse. Tem muitas coisas, nós fomos nos dois faróis (“cape point”, farol antigo e novo) e no Cabo da Boa Esperança em si, que são os que achamos que valia a pena! Nos faróis dá pra subir de furnicular (seria mais 70 rands por pessoa), mas preferimos a pé. Dá uma cansadinha daquele monte de escada sem fim mas vale a pena, as vistas são incríveis! Os faróis em si não tem nada de espetacular, um se vê de longe e o outro é uma muvuca, o que vale mesmo é o caminho! E lá de cima se avista os oceanos Atlântico de um lado e Índico do outro, mas ao contrário do que se pensa, ali não é o encontro entre eles. O marco do encontro é no Parque das Agulhas Negras, há muitos km dali. FOTOS 95-100 FOTO 95: subindo no farol com o Cabo da Boa Esperança ali atrás! FOTO 96: sobe sobe sobe! FOTO 97: o farol, rs! FOTO 98: sem proteção, o abismo é logo ali! FOTO 99: o outro farol! FOTO 100: olhar pra baixo pode ser um desafio! Estava ventando muito e o sol já estava ameaçando nos deixar... por algum motivo tínhamos que sair pela portaria do parque até às 18h14... não sei pq da hora quebrada, rs, mas parecia mudar dia após dia pq era daqueles painéis que se altera os números. E a gente tava meio confuso sobre se dava mesmo pra ir no Cabo da Boa Esperança, pois a gente via ele do alto do farol, via gente por lá, mas aparentemente elas tinham ido por trilha, o que não dava tempo da gente ir. Mas no caminho achamos a entrada pra lá, um dos lugares mais cênicos que já visitei! LIN-DO! Quanto mais a gente subia, mas lindo tudo ficava! Cansou, mas valeu muito! FOTOS 101-104 FOTO 101: a estrada pro Cabo da Boa Esperança FOTO 103: uma avestruz de boas andando na estrada! FOTO 103: chegamos lá! FOTO 104: dá um uta aqui mundão! Saímos de lá faltando tipo 2 minutos pro portão fechar, kkkkkk, e seguimos pro nosso ritual mercado > casa... estávamos quebrados! Mas que dia! Gastos totais: 1165 Rands CONTINUA...
  30. 1 ponto
    Dia 31/08/2018 (Sexta-feira): Robben Island e V&A Waterfont Os barcos para Robben Island saem em 3 horários (9h, 11h e 13h) diariamente do porto de V&A Waterfont, complexo moderno, com aquário e roda gigante tipo London Eye, e muitas lojas e restaurantes. Daquelas revitalizações de regiões portuárias que deram certo! Decidimos pegar o primeiro horário pq este passeio é longo, de 4h (1h pra ir, 2h na ilha e 1h pra voltar), aí chegaríamos na hora do almoço e teríamos a tarde toda pra curtir a região. Estacionamos no lugar errado (estacionem no Victoria Wharf Shopping) e tivemos que dar uma corridinha pra não perder o nosso barco, rs, mostramos os vouchers no celular mesmo e embarcamos. O mar estava bem agitado e eu cheguei a dar uma mareadinha. O tempo estava horrendo, cinza e ventando. Chegamos na ilha e logo fomos pra um ônibus, onde se faz um circuito sem descidas com um guia que vai contando histórias. FOTO 61 No fim deste caminho a gente desce onde o Mandela ficou preso de fato, e a partir daí quem nos guia é um ex-prisioneiro, no nosso caso, um senhorzinho chamado Jama! FOTO 62 FOTO 61: Entrada de Robben Islanda FOTO 62: Jama, ex-prisioneiro e nosso guia! Ele conta mais muitas histórias e nos mostra vários lugares, não vou ficar me alongando, mas é bem legal conhecer tudo isso em detalhes, pela voz de quem esteve lá! FOTO 63 FOTO 63: a cela do Mandela! De volta ao V&A Waterfont fomos atrás de um lugar pra comer, são muitas opções, e todas caras! Optamos pelo “Life Grand Café” onde comemos comida boa com uma vista incrível por 400 Rands cada casal. Depois de comer ficamos perambulando pelas lojinhas... bem na frente deste restaurante que almoçamos tem uma loja beeem grande, African Tradind Port, que tem preços bons pra presentinhos! Fez sol e até a Table Montain deu as caras! A região do porto é bem bonita, vale uma tarde por lá! FOTOS 64-66 FOTO 64: V&A Waterfront com Table Montain ao fundo FOTO 65: V&A Waterfront FOTO 66: foto turista, quem nunca? rs De lá, no fim da tarde, fomos pra região da “Long Street”, que como o nome já diz, é uma longa rua com muitas lojas e restaurantes. Quando chegamos o comércio já estava fechando, demos uma andada rápida pq a noite vai enchendo de mendigos e ficando meio esquisito. Quando voltamos pra pegar o carro, estacionado na rua, umas três pessoas começaram a falar com a gente meio apavorados. Depois de alguns minutos entendemos: uma mulher que ainda estava dentro da loja (eles apontavam muito) tinha batido no nosso carro quando estava estacionando e tinha afundado a frente do nosso carro. Ela mesma tinha puxado a parte afundada de volta mas o trinco era visível. Que grande merda! Não rolava ir atrás da mulher e bater boca né? Pra acionar o seguro teríamos que fazer boletim de ocorrência... depois de pensar uns minutinhos deixamos pra lá. Até pq o carro já tava bem zuadinho e cheio de batidinhas quando pegamos, talvez mais uma passasse despercebido, e se fosse o caso, eles iam trocar a gradinha da frente e cobrar, não seria nenhum fim de mundo tb. Voltamos pra casa e como era sexta-feira, fomos jantar num bar perto de casa, muito legal! FOTO 67 Gastamos 350 Rands a noite e no total 1100 Rands! Os 720 Rands da entrada da Robben Island, não inclusos neste total de 1100, ficaram no cartão de crédito da Thais. FOTO 67: depois de muita cerveja e vinho, o último goró da noite! E não cobraram mais nada no cartão! Ufa! Dia 01/09/2018 (Sábado): Camps Bay e Table Montain Tomamos nosso café da manhã em casa e partimos para Camps Bay, conforme combinado na noite anterior! O tempo estava meio nublado, mas todo dia era assim. O caminho que vai pra Camps Bay é o início do caminho de quem vai ao Cabo da Boa Esperança, na mesma direção, a estrada é bem bonita. Demos umas voltas de carro pela região das praias que é lindaaaaa, não só Camps Bay, mas todas que tem por ali! E paramos na praia de Camps Bay mesmo pra caminhar! Imagino como deve ser no verão, pq no inverno foi sensacional! Que praia mais linda! Vou colocar uma foto só pq é difícil escolher entre tantas lindas! FOTO 68 FOTO 68: amore! Camps Bay! Nesta altura o sol já estava a pino e o tempo aberto com céu azul, um dia perfeito! Caminhando pela praia as duas biólogas de plantão iam se apaixonando pelas plantinhas e bichinhos... foi a primeira vez que eu vi uma esponja (morta, mas ok) em seu ambiente natural. Esse é um dos bichos mais primitivos do mundo! FOTO 69 FOTO 69: Esponjas... (lembra dos poríferos?) Camps Bay Outra coisa que chama atenção é uma alga imeeeensa que tem muito em toda parte, tanto encalhadas na areia quanto no mar boiando, víamos grandes manchas delas no mar. Gente, vamos parar de procurar ET no espaço, eles já estão aqui... se trombo com um troço desse dentro d’água infarto, muito bizarro! Elas tinham folhas enormes e estruturas parecidas com caules tb imensas... além de outras estruturas, provavelmente reprodutivas, encapsuladas! Não era nojenta ao toque, mas era estranhíssima! FOTOS 70-73 FOTO 70: Olha o tamanho da alga ET FOTO 71: uma pequena parte dela com meu pé de escala! FOTO 72: Fala se não é um ET? FOTO 73: capsulas da alga ET em Camps Bay Depois desta manhã espetacular nesta praia divina fomos almoçar em um restaurante recomendado na Orla, o Ocean Blue! Ali na orla só tem coisa meio chique e meio cara, este era mais humilde mas muito bom. Gastamos 350 Rands por casal e a comida estava excelente. Depois tomamos um sorvete carésimo ao lado (70 Rands) que não valeu o que custou. Demos mais umas voltas por ali e resolvemos tentar a sorte na Table Montain! Eu já devo ter dito aqui, mas é bem complicado pegar a bendita descoberta... as vezes o céu da cidade inteira está azul, mas tem uma nuvem que parece MORAR bem no trecho da montanha em que chegam os bondinhos. E era este o cenário, céu todo azul e um pedacinho, justo o que a gente chega, encoberto na montanha. Mas vamos lá. A medida que se sobe pelo caminho que dá acesso aos bondinhos vc vai vendo carros estacionados na estrada mesmo. Dá pra tentar a sorte e pegar uma vaga na estrada OU, o que achamos melhor, deixar o carro em um estacionamento gratuito na base da montanha e subir até o acesso com um ônibus gratuito que passa de 10 em 10 minutos, ou de 5 em 5 não me lembro. Bem mais sussa e sem ter que pagar flanelinha! Próximo a bilheteria tem várias lojinhas com coisas legais que só se encontra aqui, além de banheiros e quiosques de comida. Compramos umas bugigangas! Com pouquíssima fila, compramos os tickets no cartão de crédito (2x 277 rands, 554 por casal, caaaro) e fomos subir a montanha! O bondinho é imenso, cabe acho que 60 pessoas, e é circular e giratório, então vc vai ver todos os lados da subida e da descida, que já é lindo! Foto 74 FOTO 74: Subindo a Table Montain! A medida que fomos subindo (é rápido, menos de 3-4 min) fomos mergulhando nas nuvens... e quando chegamos lá em cima era tudo branco! Me senti nas Brumas de Avalon! Em raros lugar conseguíamos ver “pra baixo”, mas de forma alguma isso tornou o passeio chato. Lá em cima é MUITO lindo, ficamos muitas horas, na verdade até o parque fechar, caminhando! Foi lá que vimos pela primeira vez o simpático “dassie” ou em português, Damão do Cabo. É um bichinho super fofo, herbívoro, endêmico do continente africano e um tanto primitivo, o parente mais próximo dele que ainda está vivo é o elefante. Muita gente acha que são roedores, mas não são, é uma ordem que só tem 3 espécies, todas ocorrendo só na África! Muito amor! FOTO 75-76 FOTO 75: Dassie! Fofinho! FOTO 76: apaixonada nesse bicho! Lá em cima tem uma trilha “turística”, mais curta, e trilhas alternativas! Pegamos as alternativas e andamos MUITO, tiramos todas as blusas e molhamos as camisetas! Mas tudo no caminho compensou! FOTOS 77-83 FOTO 77: pelos caminhos da nevoa! FOTO 78: sobe e desce... na névoa! FOTO 79: além de névoa tb é úmido! FOTO 80: clareoooou, corre tirar uma fotinha! FOTO 81: algumas das lindas plantas do caminho! FOTO 82: reina na névoa! kkkkk FOTO 83: descendo! Partimos no último bondinho lotadésimo, imaginando como aquilo deve ser mais espetacular ainda com a vista completa! Não é à toa que é patrimônio mundial e uma das sete maravilhas da natureza! Dá pra subir e descer a pé... fiquei com vontade! Mas não tivemos tempo de voltar! Rumo ao mercado, nosso Pick and Pay de cada dia, compramos comidinhas pra fazer em casa (nachos, guacamole e mais), bebidas e partiu descansar! Gastos do dia: 1386 Rands! CONTINUA...
  31. 1 ponto
    @Guilherme Périco sim, fiz o circuito `O` em 2013, cheguei no parque dia 13 de novembro acho. o W vc faz em 3,4 dias se quiser. o TNF e leve sim, melhor custo beneficio. Veja outras opcoes da Deuter, Mountain Hardware, Cumulus(marca polonesa), Procure o Massdrop tbm,site de descontos em massa que tem uma secao ultalight, sempre tem promocao
  32. 1 ponto
    @Guilherme Périco Quando fui a tdp, fui bem no começo da temporada tbm, levei um deuter orbit 1100 se n me engano era assim, -1, -4 , -24 extrema,1.9kg, n passei frio mas o peso foi foda. Eu pessoalmente iria com o mais leve. Pela faixa de temperatura estaria tranquilo. Procure pesquisar no topico de tdp ler os relatos do pessoal q ajuda bastante. Pense em alugar tbm em punta arenas ou puerto natales.
  33. 1 ponto
    Alguns vídeos da minha coleção de Sacos de dormir. Plumas de Ganso e Sintéticos. Saco de dormir The North Face Green Kazoo ProDown Saco de Dormir The North Face Dark Star -18ºC Regular Review Saco de dormir Dark Star -40ºC - The North Face Review 2 - Saco de dormir The North Face Inferno Minha Coleção de Sacos de dormir Plumas e Sintéticos
  34. 1 ponto
    O vento em torres del paine é assustador, um dos piores ventos que já peguei... chega a te jogar para trás tamanha violência. O Corta vento é indispensável e você tem que se preocupar muito com o local aonde vai acampar e também com a resistência da barraca ao vento
  35. 1 ponto
    Cusco a Ollantaytambo 97 Km No caminho do vale sagrado a estrada é simples, um pouco estreita e cheia de lombadas por todos os lados. Passa por dezenas de cidadezinhas e atrações históricas das mais diversas. Fomos as ruínas de Pisac e a minha recomendação é de uma tarde toda no lugar pois as atrações são extensas e ainda tem a feira da cidade que dizem ser enorme e que não deu tempo para ir. Até Ollantaytambo a estrada é boa, mas muito travada com inúmeras curvas e cidades, deve-se ter muito cuidado nesta região e é difícil você conseguir passar de 60 Km/h. Na cidade tem as outras ruinas que eu acho que devem ser exploradas com uma tarde toda, pois alem da grande área ao fundo da cidade, nos arredores dos morros tem outra construções que parecem ser dignas de visitação. Nós só ficamos na principal pois choveu no dia. Gasto com combustível em torno de R$ 36,00 e não tem pedágios. O custo de uma entrada para dois dias de Pisac, Ollantaytambo, Chincheros e Moray é de 70 soles. Desse fomos nos 3 primeiros e recomendo. Gostaria de ter ido nas salinas de Maras, mas o tempo estava curto.
  36. 1 ponto
  37. 1 ponto
    Bom dia pessoal... Segue um relato da minha viagem pra Torres del Paine agora em Novembro/2015... Aconselho bastante fazer a viagem neste período... Por ainda ser considerado “baixa” temporada, o parque não se encontra tão cheio, então você consegue encontrar bons pontos de camping nos principais abrigos, pagando mais barato... Apenas uma consideração: reservem a hospedagem em Puerto Natales com antecedência, mesmo nesse período há bastante ocupação na cidade. EQUPAMENTOS: Estou anexando um arquivo ao Post, onde informo tudo que levei para a viagem, entre equipamentos, roupas, alimentação e diversos. A única coisa que eu não aprovei, para esta viagem, foi o saco de dormir (passei um pouco de frio... ), mas já sabia que isso poderia acontecer, pois o meu saco de dormir é para verão...então, aconselho comprar / alugar em P. Natales, um saco de dormir mais funcional para baixas temperaturas. Levei também um GPS, que é totalmente dispensável para este Circuito que eu realizei. A trilha é toda muito bem sinalizada. Outro adendo importante: foi a primeira vez que utilizei minha barraca Eureka Solitaire. Encontrei pouco material sobre ela na internet, mas li alguns reviews que falavam da fragilidade da barraca, principalmente das varetas... Fui com ela com um grande receio...Mas posso dizer que ela me atendeu perfeitamente, inclusive ficando mais de 48 horas armada direto no Camp. Paine Grande, sob a forte incidência de ventos patagônicos... A barraca realmente foi muito aprovada!!! PREPARATIVOS: Consegui minha passagem em uma promoção no site Melhores Destinos, apenas 20 dias antes da viagem, saindo de SP (eu sou do RJ), por aproximadamente Mil reais (já com as taxas), para Punta Arenas. Achei um ótimo valor, e minha viagem foi no modo econômico total... Antes de iniciar a viagem, reservei minha hospedagem em Punta Arenas (Hostel Entre Vientos) e Puerto Natales (Hostel Cuatro Estaciones) pelo Booking e o Camping em Paine Grande no site da Vertice Patagonia. Não efetuei a reserva do Hostel para o retorno do Trekking porque ainda não sabia se iria pernoitar em P. Natales ou retornaria direto para P. Arenas. - Hostel Entre Vientos: Belíssimo Hostel, todo novo e bem cuidado, com o melhor banho da viagem. Fica a 1500 mt do centro da cidade. Reserva efetuada pelo Booking, com pagamento efetuado no momento do check-in (Aceita cartão de crédito – US$ 18 ou CHP 12000). - Hostel Cuatro Estaciones: Hostel familiar, bem próximo ao centro da cidade, com ótimo atendimento e possibilidade de deixar bagagens sem custo, para pegar no trekking. Melhor café da manhã da trip. Reserva efetuada pelo Booking, com pagamento efetuado no momento do check-in (Não aceita cartão de crédito – US$ 15 ou CHP 10000). - Camping Paine Grande: Melhor estrutura de camping durante o trekking. Reserva antecipada garante desconto, por isso efetuei pelo site. Cabe salientar que o processo de compra é um pouco demorado, e deu alguns erros com o cartão até eu conseguir finalizar a compra. No momento de acampar apenas apresentei o email recebido para comprovar a minha reserva. A VIAGEM: 17/11: teve início a aventura... Peguei um vôo noturno do RJ para SP (comprado com milhas), e aguardei no aeroporto mesmo pelo vôo para Punta Arenas. 18/11: o dia foi praticamente inteiro dentro do avião, chegando em Punta Arenas às 18:40hs. OBS: Durante minha conexão no aeroporto de Santiago, aproveitei para sacar Pesos Chilenos. Efetuei o saque pelo Banco do Brasil, conseguindo uma cotação, após a inclusão de todas as taxas, de R$ 1 = CHP 159. Acotação foi muuuuuiiiito ruim, tendo em vista que no próprio aeroporto, as casas de câmbio praticavam a cotação de R$ 1 = CHP 182. Peguei um ônibus para o Hostel Entre Vientos (CHP 3000), e desci praticamente na porta do Hostel. Você pode optar também por pegar um táxi (CHP 9000). Caso você vá no mesmo dia para P. Natales, você pode entrar em contato via email com as principais viações que fazem o trajeto para que você pegue o ônibus para Puerto Natales direto no aeroporto (os ônibus saem do centro da cidade mas sempre passam pelo aeroporto). 19/11: Após o café e check out, saí do Hostel e fui conhecer um pouco do centro de P. Arenas, e tentar aclimatar um pouco. Comprei minha passagem para P. Natales na Buses Pacheco (CHP 5000 – Ida ou CHP 9000 – Ida e Volta). Peguei o ônibus às 11:00hs, chegando em P. Natales às 14:00hs. Na rodoviária aproveitei pra comprar as passagens para TDP, no dia seguinte. Você escolhe o dia e horário apenas da ida, a passagem de volta fica em aberto para você pegar o ônibus de volta conforme sua programação (mas você deve voltar na mesma empresa que vai)... Comprei com a empresa Bus Sur (CHP 15000 – Ida e Volta). Me programei para chegar esse horário em P. Natales para assistir a palestra sobre TDP no Base Camp (todos os dias, às 15:00hs). Conseguir chegar a tempo, a palestra é bem legal e fica lotada!!! Após a palestra fiz algumas compras e fui para o Hostel Cuatro Estaciones descansar para o dia seguinte, quando enfim a aventura começaria... 20/11: Acordei bem cedo, para tomar café e pegar o ônibus para TDP (os ônibus da manhã saem todos no mesmo horário, às 07:30hs). Fui andando do Hostel até a rodoviária para aquecer, entre 15 – 20 minutos de caminhada, com a mochila. A rodoviária já estava lotada quando cheguei, o parque é muito procurado por pessoas de todas as partes do mundo, principalmente da Europa... E o idioma “oficial” de lá é o inglês...até os atendentes dos campings e refúgios já te cumprimentam inicialmente em inglês....rs O trajeto de ônibus ocorreu sem problemas (achei o ônibus da Bus Sur mais aconchegante que o da Pacheco...). O ônibus para na Portaria Laguna Amarga, onde você irá pagar a taxa do parque (CHP 18000) e assistir um vídeo sobre o parque. O que eles repetem, como um mantra, é: NÃO FAÇAM FOGUEIRAS NO PARQUE!!! Infelizmente, à poucos dias saiu uma notícia que um brasileiro foi expulso do parque por causa disso... simplesmente lamentável!!! Como eu tinha um dia além do necessário para o circuito W, resolvi iniciar o trekking por um ponto bem menos usual, saindo da Administração (último ponto de parada do ônibus). Caso opte por iniciar a trilha de lá, você pode incluir mais um dia de caminhada no seu roteiro...mas eu digo que compensa muito!!! Compensa no visual, você tem uma vista de todo o maciço Paine Grande que você não terá no Circuito W ou O, e compensa financeiramente, pois você não precisará pegar o Catamarã, o que irá proporcionar uma boa economia.... Cabe ressaltar que esse trecho é muito menos frequentado que os Circuitos... você deve seguir por uma estrada de carros até encontrar a placa onde a trilha se inicia...Depois ela segue toda muito bem sinalizada e delimitada, não tem erro... Iniciei a caminhada por volta de meio dia, com o tempo um pouco fechado, tendo como companhia apenas uma alemã que vivia no Uruguai...rs... A Katja iria fazer todo o circuito Q sozinha (o Circuito Q é composto do Circuito O + esse primeiro dia de caminhada)... Fui eu tentar desenferrujar meu inglês e meu espanhol (não sei qual anda pior....rs)com a Katja (que fala 4 idiomas!!! ), mas conseguimos nos entender bem... A Katja tinha planejado acampar no camping Las Carretas (gratuito), onde chegamos após 2 hs de trilha. Nos despedimos ali, e eu continuei minha caminhada por mais 3 hs até o Camping Paine Grande, onde encontrei apenas mais uma pessoa na trilha... dia de reflexão e gratidão por estar tendo a oportunidade de conhecer aquele lugar belíssimo!!! 21/11: A noite até que foi bem dormida, apesar do frio nos pés o do vento fortíssimo desta parte do parque... Neste dia acordei cedo, pois teria um percurso longo pela frente. Foram 30km de caminhada, um bate e volta até o antigo Campamento Los Guardas. (resolvi seguir até o Los Guardas para ter um visual melhor do Glaciar Grey, em comparação com o visual do Mirante do Refúgio Grey). Neste dia a caminhada foi bem mais tranquila e relaxante, pois foi feita somente com uma mochila de ataque bem leve, o que ajudou bastante... Retornei novamente para o Campamento Paine Grande, onde mais uma vez pernoitei. 22/11: Acordei cedo, pois esse dia também é bem puxado. O dia se iniciou com uma caminhada até o Campamento Italiano (gratuito), onde é possível deixar a mochila cargueira e seguir apenas com uma mochila de ataque até o Vale do Francês. OBS: Nós, brasileiros, podemos estranhar um pouco na hora de deixar nossas mochilas com todos os nossos pertences “abandonadas” por horas, do lado de fora da casa do Guarda Parque, no momento do ataque ao Vale... Porém, posso te garantir que a prática é mais do que normal no exterior, realmente há esse respeito (coisas que o Brasil ainda precisa aprender...). Após o ataque ao Vale Francês, cheguei a um momento de decisão no meu planejamento: Eu tinha a opção de pernoitar no Campamento Italiano (gratuito) que era meu planejamento original, ou seguir até o Campamento Los Cuernos (pago) distante mais 5,5 km. Após ponderam um pouco, resolvi seguir para o Los Cuernos (e foi a melhor decisão que poderia tomar, já que o trekking no dia seguinte se mostrou muito desgastante). O Los Cuernos é outro Camping pago do parque, mas administrado por outra empresa (Fantastico Sur). O valor do Camping é de CHP 7500, mas o controle é muito ineficiente (a Katja, que eu havia reencontrado no dia anterior, saiu do camping sem pagar... e eu, mesmo pagando, não coloquei a etiqueta de comprovação na minha barraca). Neste camping as barracas ficam bem distantes umas das outras, e em muitos pontos há opção de montar a barraca sobre tablados... é bom aprender essa técnica antes de sair do Brasil!!! 23/11: Esse dia foi bem puxado, pois a trilha foi longa e bastante cansativa, com os fortes ventos patagônicos voltando com tudo, principalmente no Vale do rio Ascencio... Após a longa e desgastante caminhada, cheguei ao Campamento Torres (gratuito), novamente na companhia da Katja... Montamos nossas barracas e subimos juntos para enfim chegar a basse das Torres... Esse trecho é de subida íngreme, com um trecho final de pedras soltas, então bastante atenção!!! Mas, a recompensa.... não tem preço!!! Mais um momento de gratidão por aquela oportunidade, planejada em cima da hora, apesar do desejo de tantos anos... O sentimento de olhar aquelas Torres de perto é ímpar, passando na cabeça um filme de todos aqueles dias de frio e contemplação... com um pequeno lamento de não poder seguir caminhando e completar o “Q” (promessa que será realizada em um futuro próximo). 24/11: Último dia... A grande maioria das pessoas que pernoita no Campamento Torres acorda cedo para contemplar o nascer do Sol junto as Torres, mas confesso que fui vencido pelo cansaço (e também pela sensação de que o dia iria amanhecer encoberto, pois já dava sinais disso na noite anterior). Bom, dito e feito... Levantei mais tarde e a Katja me contou que realmente o dia amanheceu muito encoberto, e ela não teve visão nenhuma das Torres... E passou um frio desgraçado....rs Tomei café da manhã, me despedi da Katja, trilheira solitária como eu, que me acompanhou por bons momentos durante a trilha, e desci até a Hosteria Las Torres para finalizar minha viagem... Cheguei na Hosteria muito antes do horário da Van que leva até a Portaria Laguna Amarga... Devido a isso, ao frio cortante que fazia na Hosteria, e ao desejo de economizar, resolvi fazer esse trajeto andando... CONSELHO: Não faça isso!!! Rs... O trajeto não tem nenhum atrativo e, o cansaço somado ao clima de “fim de festa”, fazem esse trecho não acabar nunca!!! Após pegar o ônibus resolvi pernoitar em P. Natales mesmo (sem reserva). Segui até o Hostel Cuatro Estaciones e... estava lotado!!! Andei por quase uma hora, com frio e com a mochila que agora pesava uns 1000 quilos nas costas até encontrar outro Hostel com vaga e um preço acessível...rs... Me hospedei no W Circuit Hostel, por CHP 10000. 25/11: Dia de seguir para P. Arenas e retornar ao Brasil. GASTOS: - Passagem aérea: R$ 1050,00 + 65,00 (taxa RJ – SP)+ 10000 pontos Azul - Ônibus P. Arenas – P. Natales (Ida e volta): CHP 10000 - Ônibus P. Natales – TDP (Ida e Volta): CHP 15000 - Entrada TDP: CHP 18000 - Hostel P. Arenas: CHP 12000 - Hostel P. Natales: CHP 10000 (x2) - Camp. Paine Grande: CHP 5500 (x2) - Camp Los Cuernos: CHP 7500 E foi isso!!! Mais uma trip sensacional concluída... mais um sonho realizado!!! Gostaria de mais uma vez agradecer ao site Mochileiros.com, pois grande parte das informações que eu precisei para o meu planejamento eu encontrei aqui... A cada um dos anônimos que separa parte do seu tempo na correria do dia-a-dia para escrever relatos e responder a perguntas de pessoas que ele nunca viu.... Isso me faz ainda ter fé... Gratidão!!! Nos vemos pelas montanhas!!! CHECK LIST.doc
  38. 1 ponto
    Hoje em dia está mais complicado comprar ingresso mas bilheterias. só estão vendendo para sócios. caso contrário, tem que ser na mão de cambista ou pacote de hotel. uma pena. abç.
  39. 1 ponto
    Oi Pessoal, Estive em Buenos Aires em Setembro de 2007 e como gosto muito de futebol também não pude deixar de assisitir ao jogo do Boca x Olimpia. Dei muita sorte porque no mesmo dia que cheguei em Buenos AIres iria ter um jogo do Boca no Bambonera. Meu voo chegou as 15:00 e o jogo era as 17:00, deixei as malas no hotel e fui correndo de táxi para o jogo. Consegui comprar ingresso tranquilamente, se não me engano o ingresso foi entre 15 e 20 pesos e assisti o jogo na arquibancada atrás do gol. Minhas considerações : 1 - Realmente o estádio tem sua magia indescritível, e para quem curte futebol como eu foi um momento que não esquecerei, principalmente quando entrei na arquibancada e vi galera cantando. 2 - Mesmo com toda essa magia, achei o estádio muito sujo e mal conservado, nosso Maracanã da de 1000 a zero no Bambonera em relação a higiene e conservação. 3 - Quase fui assaltado na saída do estádio, estava certo que pegaria um Taxi para voltar, porém quando sai do estádio não passava táxi algum e resolvi caminhar até encontrar um táxi. Chegando no final de uma rua, tinham alguns malandros em uma esquina e começaram a me olhar e caminhar na minha direção, a minha sorte foi que estava na frente de uma padaria e o dono me chamou para entrar e disse que certamente eu seria assaltado. Ele já estava fechando a padaria e pediu para eu acompanhar ele até o ponto de onibus que nada iria acontecer se estivéssemos com ele. Esperamos mais de meia hora por um onibus e nada de passar. Por sorte passou um taxi e consegui voltar até o hotel. Foi um sufoco na hora e olha que eu sou carioca e ando na rua sempre ligado. Mas não me arrependo de nada, talvez tenha me planejado mal para ir ao jogo. Depois soube que em dia de jogos poucos taxis circulam pelo bairro La Boca. Acho que se eu voltasse hoje pagaria os 200,00 pesos pelos pacotes oferecidos nos hotéis, principalmente pelo conforto de ir e voltar com segurança. Sabe lá quando teremos outra chance de assistir um jogo no Bambonera. Então é isso. Abraços Alex Santos
  40. 1 ponto
    Olá, tb peço desculpas pela demora pelo mesmo motivo acima mencionado. vamos lá. 1 - olha, fui em 5 estádios, e peguei 4 clássicos. nao tive problema em nenhum. achei todos tranquilos e olhei que peguei umas bombas, hehehee. apesar de ter ido, nao recomendo ir no estádio do san lorenzo. fica do lado de uma favela e é bem difícil conseguir táxi pra ir embora, principalmente se sair um pouco antes do fim do jogo. mais ainda se estiver com sua namorada, como eu, hehehehe. loucura demais, nao recomendo fazer, heheehe. tirando esse, todos os outros estádios sao super tranquilos. o que eu mais recomendo é o do VELEZ. clima super tranquilo, várias famílias, mulheres e até um casal de vovos que xingavam um monte o juiz, hehehe. o do river tb é bem tranquilo. 2 - os valores mínimos sao uns 30 pesos pra ir de arquibancada. como fui com minha namorada em todos esses 5 jogos (acredite, tem mulher que ama o namorado a esse ponto, hehehhee) fui nas cadeiras em todos. a cadeira mais barata foi a do river, 50 pesos e a mais cara foi a do velez, 150 pesos. mas vale a pena a tranquilidade. em todos os jogos filmei, tirei fotos, sem nenhum perigo de roubo. o que eu já nao garanto numa arquibancada normal. para comprar ingressos, tirando o jogo do lanus, sempre comprei antecipado. quando escolher o jogo, procure o site oficial do time mandante. ali vc verá os locais onde vendem ingressos. geralmente na sede do clube e no estádio, mas as vezes vendem em lojas do PAGO FÁCIL espalhadas pela cidade, uma na avenida florida, paraíso dos brasileiros. 3 - sempre tem lugar pra torcida visitante. e diferente do Brasil, a torcida visitante lá comparece em número bem considerável, apesar da severa restrição que a AFA impôs. antes as torcidas visitantes eram bem maiores, mas por motivo de segurança, limitaram esse número. mesmo assim, é um belo espetáculo, com as 2 torcidas disputando para ver quem apóia mais o time. sobre violência, em nenhum dos jogos vi qualquer problema. até porque os jogos sao muito bem policiados e as torcidas nao se encontram fora do estádio. varias quadras ao redor do estadio sao isoladas para evitar qualquer contato entre elas. coloco-me a disposição para ajudar no que puder. abaraços!
  41. 1 ponto
    Olá, desculpa a demora em responder! é pq ninguém se interessou e por isso, qdo voltei ao mochileiros, vi q tinham 2 perguntas, hehehe. bom, vamos lá. olha, vi uma tabela do campeonato argentino e no final de semana em que vc estará lá terá boca x gimnasia. nessa temporada, tá bem complicado comprar ingresso pra jogo na bombonera, pq devido a um problema de briga interna na torcida, eles nao estao vendendo para nao sócios, como uma forma de punição. entao vc tem 3 possibilidades: 1 - comprar na mao de cambista ingresso pra sócio. vao ver q vc é turista e vao te meter a mao. um ingresso pra popular (a nossa arquibancada) é em torno de 30 pesos e a platea (cadeira), é em torno de uns 140 pesos num dos melhores lugares do estádio. aí vc tem que ver qto o cambista vai querer te cobrar e ver se vale a pena pra vc. ah, cuidado com ingresso falso; 2 - ir em excursões promovidas para turistas estrangeiros. tb vao te meter a faca, mais até do que cambista, e vão te cobrar uns 200 a 300 pesos pra te levar num lugar nao muito concorrido do estádio, longe da torcida principal do boca, a la 12. vc comentou de ligar pro hotel. olha, acho q eles vao tentar te colocar num pacote assim. nao custa nada tentar, dá uma ligada pra eles; 3 - deixar la bombonera pra lá, ou no máximo fazer uma visita turística. o boca tá mal no campeonato e apesar do estádio encher mesmo assim, a torcida nao vai estar tao empolgada. pode aproveitar pra ver algum outro jogo. se tiver disposição no final de semana em que estará lá, sugiro 1 dos 2 jogos: huracan x arsenal, o huracan é como se fosse um atlético/mg (só ganhou alguma coisa há uns 30 anos e tem torcida) e está em 3º a 2 pontos do líder. vai lotar. a outra opção é ver o jogão entre lanus x velez, líder e vice-líder do campeonato, praticamente uma final a 2 rodadas do fim. essa é a boa notícia. a ruim é q o jogo é no bairro de lanus, na área metropolitana de Buenos Aires, a uns 20 minutos do centro. vai ter q pegar um táxi na cidade e voltar de REMIS (como se fosse um táxi). é tranquilo, eu fiz isso com minha namorada na cara e na coragem sem nunca ter ido lá e pior, sem ingresso no maior clássico dos caras (contra o banfield). ALTAMENTE RECOMENDADO se vc for doido por futebol, como eu. bom, espero ter ajudado. se decidir por alguma dessas opções e precisar de ajuda, estou a disposição. abç, Bruno
  42. 1 ponto
    Olá, Sem dúvida dá pra fazer as trilhas sozinha, mas uma dica muito boa é não se assustar se algum guia por lá ficar falando "Num aconselho fazer essa trilha sozinho, é muito perigoso" , " Vc pode ser arrastada por uma tromba d'água" e assim por diante. Até dá pra entender tal atitude, pois o único trabalho para a maioria da população daquela região é o turismo... Mas as trilhas mais conhecidas são muito fáceis e vc não encontrará problemas. Agora em relação à encontrar um grupo por lá, fique tranquila. Lençóis é muito badalada durante todo o dia e noite tbm... é só fazer amizades com outros turistas... Para visitar outros pontos mais distantes como: Poço Encantado, Poço Azul, E as grutas na região de Iraquara, num tem jeito mesmo, vc vai ter q contratar alguém pra fazer o transporte. Por exemplo, pra fazer o Poço Encantado e o Azul, as agências queriam cobrar 55 reais por pessoa. Consegui um contato muito bom por lá e contratei um senhor q tem um jeep JPX que cabe até 9 pessoas e saiu 28 reais... ae foi só encontrar uma galera q quisesse ir e pronto... o q num foi difícil hehehehe... e pra ir para as Grutas ficou em 20 reais p/ pessoa. Não deixe de procurar pelo Sr. Victor quando for fazer o Poço Encantado e Azul ou as grutas em Iraquara, realmente sai muito mais em conta. Diga à ele q foi o Marcel de São Paulo - o cara q formou um grupo de Israelenses para fazer os passeios com ele... Realmente não deixe de visitar esses lugares... são fantásticos.. Victor Perdigão (075) 33341226 (075) 99660155 Abraço e boa viagem...
Líderes está configurado para São Paulo/GMT-03:00


×
×
  • Criar Novo...