Ir para conteúdo

Mais curtidos da Semana


Conteúdo Popular

Exibindo conteúdo com a maior reputação em 11-12-2018 em todas áreas

  1. 1 ponto
    Depois de pegar muitas informações aqui nesse forum resolvi dar minha contribuição. Decidi juntamente com duas amigas fazer uma viagem para a África do Sul. Alguns conhecidos indicaram esse destino e resolvemos arriscar. Nosso objetivo inicial era procurar um destino que não fosse tão caro, já que Europa está impraticável em razão do valor do Euro nesse momento. Dessa forma optamos África do Sul em razão da moeda rand que está em torno de R$ 0,28 (3 por 1). No entanto, se a ideia inicial era economizar não tardou muito para percebermos que o passeio não seria tão barato. Para início foram as passagens aéreas. Paguei R$ 2.300 somente SP - Joanesburgo (amiga do outro dia pagou R$ 1.900😩 ), R$ 500,00 (Goiânia - SP) e em um vôo interno entre Joanesburgo e Cidade do Cabo paguei R$ 600,00 (fly safair), ou seja, não peguei promoções e acabou ficando caro. Um breve resumo da viagem: 21/11 - Saída de Goiânia a São Paulo - São Paulo - Joanesburgo (11 horas de vôo) 22/11 - Chegada a Joanesburgo às 8 horas e seguida de carro para o Park Kruger 23/11 - Passeio pelo Kruger 24/11 - Passeio pelo Kruger pela manhã e seguida para o Aeroporto de Joanesburgo para pegar o vôo a Cidade do Cabo 25/11 - Passeio pela Cidade do Cabo - conhecendo a Table Montain, as praias e o pôr do sol em Signal Hill 26/11 - Passeio pela Cidade do Cabo - Waterfront e passeio de barco ( duas horas) para ver a fauna marinha 27/11 - Conhece a Robben Island (prisão do Nelson Mandela) e passeio de city tour 28/11 - Passeio pelo Cabo da Boa Esperança e a praia Boulders Beach (praia dos pinguins) 29/11 - Volta ao Brasil - Cidade do Cabo, Joanesburgo, São Paulo - Goiânia (15 horas ao todo) Os preparativos da viagem foram difíceis porque conciliar datas e gostos de três pessoas ao mesmo tempo não é fácil. Decidimos alugar um carro em Joanesburgo e dirigir até o Park Kruger (cerca de 450 km). Fizemos uma reserva de um carro sedan por meio da decolar, que indicou a empresa Sixty, onde pagamos o valor antecipado de R$ 410 por três dias. Também fizemos um seguro de saúde que custou por volta de R$ 120. Decidimos ficar hospedados dentro do Park Kruger, onde com indicações aqui no forum fizemos as reservas por meio do site oficial do park na internet https://www.sanparks.org/parks/kruger/. Em Capetown ficamos em um hotel simples porém bem localizado chamado Greenhouse (apartamento com sala e quarto). Passagens compradas, hotéis reservados, seguro pago e carro reservado partimos para a África. Vôo chegou exatamente no horário previsto, sem nenhum atraso. Desembarque, imigração tudo ocorreu de forma muito rápida e fomos direto à empresa Sixty buscar o carro que reservamos. Lá tivemos a nosso maior problema de viagem. Ao tentar passar o cartão de crédito para fazer a caução do valor o cartão apontava saldo insuficiente. Achei estranho porque apesar das compras de passagens e outras coisas meu cartão devia ter saldo suficiente para isso. Foi quando vi o valor que estavam tentando passar, cerca de R$ 7.000,00, (detalhe que a locação de três dias era R$ 400,00). A companheira de viagem minha tinha um cartão com limite suficiente, no entanto como a reserva estava no meu nome, somente poderia ser um cartão meu. Dessa forma enrolamos cerca de 3 horas tentando resolver a situação. Era impressionante a falta de interesse em ajudar. Até que desistimos e fomos a outra locadora de veículos, onde conseguimos um preço parecido e uma caução de R$ 1.800,00. O ruim é que não olhamos o carro e acabamos pegando um ford ka sedan, manual e sem GPS ( o que nos atrapalhou bastante). O maior erro da viagem foi não comprar um chip local para ter internet em todo lugar. Achávamos que teria GPS no carro ou que seria fácil encontrar wifi por onde passássemos. Não foi tão simples. Antes de sair do aeroporto ainda baixei o mapa até o kruger pelo google mapas para usar offline. No entanto ele não funciona indicando como funciona normalmente e sim um pontinho no mapa e ir seguindo. Me apeguei às placas e nome das rodovias para não errar o rumo, mas dirigindo na mão inglesa e ainda ficar olhando placas, confesso que não foi uma tarefa muito fácil. Como fez falta esse GPS no carro. O início era tenso mudar marcha com a mão esquerda, seta invertida e ainda tomar cuidado com o trânsito. Com o tempo fui me acostumando e deu para seguir. Objetivo era seguir até o portão Phalaborwa de entrada o Kruger, cerca de 500 km de Joanesburgo. Conseguimos sair do aeroporto às 11 da manhã e paramos em um posto de gasolina na estrada às 12h30min, em um rede de fast food Winky. Depois paramos somente para abastecer em outra cidade e dirigimos sem parar. Chegamos no Kruger às 18h40min, no entanto o Kruger fechou os portões às 18h30min. Ficamos de fora. Nossa hospedagem no primeiro dia seria em Letaba, mas tivemos que ficar ali na cidade de Phalaborwa mesmo, em um hotel muito bom e barato, diga-se de passagem. Realmente no primeiro dia as coisas não saíram como o combinado, mas viagem é assim mesmo e segue o barco. Logo posto mais
  2. 1 ponto
    @gabriel.santiago : Tenho uma Deuter e gosto muito dela. Mochila Cargueira Deuter Act Lite 50 + 10 Litros - Verde por R$950 na Netshoes: https://www.netshoes.com.br/mochila-cargueira-deuter-act-lite-50--10-litros-verde-536-8539-060 Segundo o site tá com 33% de desconto...
  3. 1 ponto
    Dois mirantes para o Rio das Antas, os dois em Flores da Cunha, mas ambos com uma distância por terra entre si considerável. São dois destinos interessantes para quem deseja ver a grandiosidade da nossa serra e os contornos do belíssimo rio, mas antes compare os detalhes entre os dois. Destacando que estes destinos são preferencialmente realizados com carro próprio ou moto. Não há maiores dificuldades para ir com carro de passeio comum. Mirante Gelain: O acesso que já era relativamente fácil ficou perfeito com o asfaltamento recente de todo o caminho. No local há um bar, plataforma de observação que além do rio proporciona vista de uma incrível cascata, estacionamento e entrada gratuita. O acesso é via Estrada de Nova Pádua, depois Travessão Alfredo Chaves. O local fica bastante movimentado nos finais de semana. Mirante Gaio: Proporciona lindíssima vista do rio e ainda da foz do Rio Tega, que após atravessar a cidade de Caxias do Sul não se parece em nada com o que atravessa a área urbana da mesma. Fica em uma propriedade particular mas possui acesso livre, não há qualquer infra-estrutura, apenas uma grade de proteção. O acesso é fácil e todo asfaltado até Mato Perso e próximo de São Vitor onde fica uma entrada para a estrada de terra que segue até o mirante por alguns quilômetros. Para chegar lá é ideal estudar primeiro o satélite do Google Maps. Praticamente não há ninguém no local nos finais de semana.
  4. 1 ponto
    Enviei um e-mail para a decolar contando o que ocorreu e eles devolvera o dinheiro de forma integral. Realmente exigir quase R$ 7 mil reais de caução é totalmente sem noção. Mas não teve argumento que fizessem mudar isso. Vou continuar com o relato falando sobre a Cidade do Cabo. Acho que nove dias (contando dois para viajar) foi bastante corrido. Gostaria de ter mais dias para conhecer mais a região da Cidade do Cabo e talvez fazer mais um dia de Safari e curtir mais o Kruger e tentar encontrar o leão rsrs.
  5. 1 ponto
    Salve galera... Alguém vai passar o reveillon na Isla del sol? To partindo de São Paulo de busão até Santa Cruz 36hrs, depois para La Paz e de lá para Copacabana pegando o barco para Isla del Sol e de la Luna... 11 977212645
  6. 1 ponto
    @FABIOLA ZUCKERT Opaaa... Interiorrrrr.... sao josé dos loucos 😂😂 oce é 012 tb ?? rs
  7. 1 ponto
    @Rose Tirole Creio que não precisa tanta antecedência, mas é sempre bom..rs. Nós não reservamos antecipado. Chegamos lá em Parnaíba e só na pousada pegamos alguns contatos. Ele foi o primeiro que retornou e demos muita sorte.
  8. 1 ponto
    Você vai fazer um roteiro urbano, onde provavelmente o máximo que você vai fazer é andar uns 100 ou 200 metros da estação de trem/metrô até o seu hotel carregando mochila/mala. Veja se alguém da sua família já não tem mala comum pequena para lhe emprestar, assim você economiza uns R$ 300, suficiente para você pagar uns 3 ou 4 dias de hostel em Portugal. Atualmente você vê a maioria do pessoal nos hostels viajando com mala comum mesmo ao invés de mochila.
  9. 1 ponto
    Brasil: Parque Nacional Montanhas de Tumucumaque (Amapá) Exterior: Islândia e Equador
  10. 1 ponto
    Há 2 anos, insatisfeita com a vida já aos 24 anos, me via sendo engolida pelas responsabilidades, pelo trabalho, pela falta do inglês e pelos estudos que patinavam e não saiam do lugar. E mesmo começando a estudar, via um longo caminho desanimador pela frente. Via os dias, as semanas e os meses passando e não aprendia, não vivia, não conhecia lugares e pessoas novas. Foi quando me dei conta que ainda só tinha 24 anos e poderia traçar uma vida completamente diferente da que eu estava traçando. Percebi que toda aquela pressão de ter uma boa formação, uma boa carreira e até mesmo uma orientação sexual diferente do que eu realmente tinha, nada mais era do que a vontade das outras pessoas na minha vida. Senti então que eu precisava sair daquele ciclo vicioso pra poder ser eu mesma. Comecei a ler sobre mochilões, viagens low cost, histórias que me encantaram e realmente ganharam meu coração. Fiquei um ano pesquisando todas as possibilidades sobre esse tipo de vida e essa vontade crescia cada vez mais dentro de mim. Ao mesmo tempo, sentia um medo gigantesco de entrar em uma porta completamente escura. Em abril do ano passado, sai do trabalho que me engolia dia a dia e aí tive que decidir entre colocar em prática aquela loucura que vivia crescendo na minha cabeça e que ninguém botava fé que eu faria ou procurar um outro emprego pra viver naquele padrão que todo mundo estava acostumado. Deixei uns meses passar, por pura falta de coragem, mas eu sabia que não poderia mais viver daquele jeito. Foi quando, com um frio enorme na barriga e com as mãos suando, decidi dar o primeiro passo e comprar a passagem de avião só de ida pro Uruguay para o dia 29 de Julho de 2017, onde começaria minha nova vida, sozinha, livre de qualquer rótulo, pra eu crescer e amadurecer da forma que quisesse. Sai do Brasil com um medo que não tinha tamanho, com uma ansiedade maior ainda, mas uma sede de vida muito maior que qualquer coisa que pudesse me impedir. Hoje faz 7 meses que eu sai e quando olho pra tudo que vivi nesse tempo eu digo com toda a certeza desse mundo que foi a melhor escolha que fiz na vida, por todas as experiências e aprendizado que têm me proporcionado. Eu cruzei cidades e países sem precisar gastar com hospedagem e transporte durante toda a viagem, pedindo carona e usando o Couchsurfing. Muito mais que uma economia, o valor real dessas experiências é perceber o quanto as pessoas podem ser boas e gentis sem "ganhar nada em troca". O nada se transforma em tudo, quando percebemos que em cada "sim" para uma carona ou uma estadia ganhamos momentos e memórias de lugares e pessoas que vão marcando nossa vida, assim como deixamos um pouquinho de nós em cada uma delas. Assim, cruzei de carona a Patagônia Argentina, a Patagônia Chilena e subi até o Atacama, onde estou vivendo há alguns meses pra reabastecer as reservas. Neste tempo, tive experiências incríveis como dirigir pela primeira vez um caminhão (carregado) em plena estrada, acampar na beira da estrada, tomar banho em posto de gasolina, me hospedar em um veleiro de graça durante 4 dias na última cidade do mundo e pilotar o mesmo (pela primeira vez na vida) no canal mais austral do mundo. Conheci o parque nacional Torres del Paine, onde por falta de experiência não consegui completar o circuito W e tive inflamação nos dois joelhos e aprendi que nem tudo dá certo como planejamos ou queremos. Fiquei em casas de famílias, de casais, de amigos, de parentes e conheci pessoas de diferentes classes sociais, crenças e estilos. Conheci um casal que me acolheu em sua casa como uma filha em um povoado de 3 mil habitantes, tomei Mate com meus amigos de estrada, aprendi a fazer macarrão artesanal, alfajor caseiro, pizza e empanadas. Passei um dia com as crianças carentes de Bahia Blanca e vi o quanto temos a dar e a receber. Ajudei a levantar paredes de madeira em um hostal em El Bolson, aprendi a fazer Adobe e reformar um hostal no deserto e tenho coleção de pores do sol presenciados. Trabalhei e continuo trabalhando por mais algumas semanas em uma agência de turismo em San pedro de Atacama, conheço gente todos os dias, erro e aprendo todos os dias e daqui um mês sigo minha viagem. Parece muito tempo pra alguns e pouco tempo para outros, mas ainda é só o começo da minha vida. https://www.instagram.com/jevalcazara
  11. 1 ponto
  12. 1 ponto
    @Guardian voce tem preferencia sobre o que fazer (praias, parques,etc..)? Caso ainda nao tenha uma preferencia procure mais informaçoes sobre Caldas Novas, no sul de Goiás,á é uma cidade de agua termal e tem muitos clubes bons de agua quente. Do lado da cidade de Caldas tem o complexo do Hot Park onde vc pode ficar hospedado ou apenas passar o dia no clube que tem piscinas de agua quente, piscina de onda, muitos brinquedos e inúmeras coisas pra se fazer. Pra se chegar la voce pode pegar um voo até Goiânia e seguir de carro ou onibus (de carro +/- umas 2:30hs de viagem, de onibus umas 4hs), ou entao pegar um voo até Caldas Novas, a Azul faz esse trajeto até Caldas.
  13. 1 ponto
    3° dia - 24.07.2018 - Terça-feira Saída da pousada da dona Sônia e chegada a Inconfidentes - Mg +-24 Kms em aprox. 06 horas Acumulado: 84 kms Dona Sônia preparou ótimo café da manhã bem cedo. Saímos com o tempo frio e sem nuvens. Pouco tempo depois chegamos a Crisolia, paramos no bar da Zeti para tomar um cafezinho e prosear. Saímos logo, rapidamente chegamos a Ouro Fino, paramos no monumento do menino da porteira. Atravessamos a cidade e pegamos estrada de terra com pouco movimento de veículos até a cidade de Inconfidentes, nossa intenção era dormir em Borda da Mata, mas nosso filho não estava muito bem e decidimos dormir aqui. Trecho com algumas subidas e descidas médias. Comemos Self-service a $32,90 o quilo no restaurante do hotel. Inconfidentes: cidade pequena, com algumas pousadas (tem no centro e na zona rural(ao lado do caminho da fé)). Comércio bom. Hospedagem: Pousada Martinelli, centro, camas ótimas, tv aberta, wifi, ventilador, banheiro privado, limpo. Preço $60 por pessoa com café da manhã. RECOMENDO No 4° dia vimos várias pegadas na estrada de um grande felino com um ou dois filhotes, próximo a uma fazenda. Segundo um fazendeiro, nesta região têm aparecido onças. PORTANDO TODO CUIDADO É POUCO, principalmente para quem gosta de caminhar durante à noite (esses animais caçam à noite). 4° dia - 25.07.2018 - Quarta-feira Saída de Inconfidentes e chegada a Borda da Mata - Mg +- 21 kms em aprox. 04:30hrs Acumulado: 105 kms A pousada deixou nosso café da manhã pronto na noite anterior no nosso apartamento. Saímos cedo. Trecho com sudidas e descida médias. Comemos ótimo Self-service a $14 por pessoa à vontade no restaurante embaixo do hotel Borda da Mata: cidade pequena, bom comércio e boa estrutura para os peregrinos. Hospedagem: Pousada San Diego, camas ótimas, tv aberta, wifi, ventilador, banheiro privado, limpo. Preço $50 por pessoa com café da manhã. RECOMENDO Sol dando as caras Chegando a Ouro Fino Monumento Menino da porteira Trecho sombreado Lindo visual de montanha
  14. 1 ponto
    Oi Livia... hahaha é um crescimento e tanto. Você passa por situações que jamais passaria se estivesse em casa e isso é muito bom pra expandir seus horizontes. Mas pra isso você tem que estar preparada psicologicamente pra passar frio, fome, não ter um lugar bom pra dormir, “falsos amigos”, e situações de perigo também.. na Argentina e no Chile eu não tive problema, mas também estava viajando com um menino... já no Peru estava viajando com a minha namorada e teve uma situação sim... o camioneiro dizia que a gente ia dormir com ele e outras coisas.. mas Graças a Deus não aconteceu nada e decidimos continuar nossa viagem de ônibus até a Colômbia.. mas tenho amigas que viajam entre Argentina e Chile sozinhas e nunca aconteceu nada... tem que estar preparada pra tudo né... mas vale muito a pena.. você se fortalece. Vai na Fé que o tanto de gente do bem que você encontra, não tem recompensa melhor 🤗🤗🤗
  15. 1 ponto
    Oi gente! Estou aqui para agregar mais umas dicas sobre o Reino Unido. Fiz uma viagem entre Julho e Agosto desse ano e tenho uma dica ou outra para dividir. Em um mês eu consegui montar um roteiro que se mostrou bem completo para o que eu estava buscando. O que eu buscava? Lugares onde eu entrasse em contato com a cultura, povo e história. Mas também queria paisagens naturais de tirar o fôlego e animação. Depois de definir as cidades que eu gostaria de visitar, tentando uma mescla entre capitais e cidades menores, o meu roteiro foi esse: 5 dias em Dublin (Irlanda) 4 dias em Galway (Irlanda) 3 dias em Inverness (Escócia) 4 dias em Edinburgh (Escócia) 1 semana em Londres PS: Os dias nem sempre eram passados inteiros na cidades, considerando as viagens de trem e avião até cada uma das cidades. Depois de definidos os destinos o segundo passo é acomodação. Depois de uma pesquisa intensa decidi optar por albergues, pois vi que tinham alguns muito bem avaliados. No site http://www.hostelworld.com é possivel encontrar várias opções confiáveis e o site é bem fácil de navegar e concluir as reservas. Bem mesmo! DICA: Ler os comentários das pessoas que estiveram hospedadas no albergue! Eu devo ter lido uns 200 comentários e pude, assim, escolher com base no que eles são mesmo. Todos os albergues que eu fiquei eram bem fiéis aos seus respectivos comentários e para todos eu voltaria! Mas claro que reservar com antecedência é sempre bom, pois eles lotam rápido nessa época do ano. Eu reservei tudo com dois meses de antecedência. Depois de definidas as acomodações, transporte! Dublin-Galway:trem Galway-Edinburgh:avião Edinburgh-Inverness:trem Inverness-Edinburgh:trem Edinburgh-Londres:avião As passagnes de trem se compradas com antecedência são MUITO mais baratas! Uma diferença de mais de 50%! Cada país tem as suas principais companhias e elas são respectivos sites. Neles é bem simples reservar as passagens e com a vantagem de escolher os lugares, já que são com antecedência. Decidi viajar de trem pois eles passam por lugares lindos (principalmente na Escócia) e são super limpos e sem balanços...E realmente compensa mais do que onibus se você comprar antes. DICA: usar um cartão de crédito ou débito que você vá levar com você. Porque se as máquinas de tiraram as passagens estiverem com qualquer problema é preciso ter em mãos o cartão com que a compra foi efetivada para retirá-las na bilheteria. De preferência também é bom que ele esteja no seu nome caso peçam identificação... Entre os países viajei de avião, pois é bem mais rápido e barato se reservado com antecedência. Tão barato que você pode chegar a pagar apenas as taxas de embarque e da companhia...no site http://www.edreams.com encontrei uma grande variedade de preços e datas. DICA: as companhias mais baratas são a Ryanair e a Easyjet. Muito baratas mesmo, com preços menores que 5 pounds. Porém elas tem uma política de bagagem bem restrita e eles não abrem exceção! Exemplo: Só pode levar uma bagagem de mão e é só uma mesmo! Eles não deixam você embarcar se você não der um jeito de enfiar sua bolsa na mochila (meu caso..). Bom esses são os principais pontos e agora vou falar de forma bem resumida por que escolhi cada cidade. Dublin: Como capital ela representa. Seu povo é animado e super educado. A noite é agitada todos os dias da semana e por mais que tudo feche relativamente cedo para nós brasileiros, ela também começa mais cedo. Os pubs na região do centro são os melhores. A cada esquina você ouve o som ao vivo de clássicos do rock e da música irlandesa. A cerveja vem em pints e são deliciosas. O ambiente num pub é sempre o mesmo. Animado, cantoria, cerveja e a conversa existe mas não tira o foco da música. A cidade é linda com igrejas, catedrais, castelos e parques maravilhoso. Mas admito que a cultura e o povo foram o que me fizeram me apaixonar pelo lugar, mais do que sua arquitetura. E sim, pode se fazer TUDO a pé lá! Galway: Típica cidade irlandesa. Uma fiel representação do que é a Irlanda. Ou ao menos essas foram as descrições dos irlandeses com que eu conversei...Mas irlandeses à parte eu tenho de admitir que fui para lá porque ela é um ponto central para conhecer aquela região da Irlanda. Nela se encontram nada mais nada menos do que os Cliffs of Moher. Uma incrivel extensão de penhascos no litoral irlandês. A vista é algo de tirar o fôlego!! Lá também está Connemara, uma região linda e sim, aqui está um gostinho da Iralnda que vemos em filmes e lemos em livros. Campos verdes, castelos escondidos por montanhas e adornados por belos lagos. Mas claro que a cidade é também muito gostosa. Bem pequena, charmosa e cheia de pubs ela também é muito aconchegante e animada. Inverness: Ponto central das Highlands (região norte da Escócia). Excelente para quem quer visitar os arredores. A cidade em si é charmosissima! Ela se encontra no norte do Loch Ness. Ela é uma mistura do medieval com o gótico com o romântico. De lá você pode ir até a central de turismo e pegar uma excursão diária para os vários castelos famosos na região ou para a Isle of Skye, uma ilha de muitas belezas naturais e também, castelos. Eu escolhi passear com a excursão para a Isle os skye, pois com ela eu poderia ver tudo que queria. Desde os infinitos lagos entre montanhas com a incessante neblina que torna tudo ainda mais mágico à castelos super bem conservados. E para os fans de rock DICA: A Boleskine House, ex-casa de Aleister Crowley e Jimmy Page fica na beira do Loch Ness e faz parte da atração! Em Inverness também está um dos pubs que o Jimmy Page frequentava quando estava por lá...Chama Johnny Foxes. Edinburgh: Capital da Escócia e de uma beleza preciosa! Ao contrário de Dublin, pela qual me apaixonei pelo povo e atmosfera, em Edinburgh é possível se apaixonar só de andar pelas suas ruas. Tudo lá é grande, bem conservado e lindo, muito muito lindo. London: Bom para essa eu não tenho nem comentários. Sim, uma semana é o minimo para sequer começar a vê-la e senti-la. Ela é um antro de culturas do mundo todo mas que ao mesmo tempo conseguiu manter a sua própria identidade intacta. Ela guarda em suas paisagens sua trajetória pela história do mundo. Aqui estão alguns dos sites que eu usei. Qualquer dúvida mais detalhada é só perguntar, sei o quão dificil é escolher para onde ir diante de infindaveis opções e o quão bem vinda é uma ajudinha. Espero não ter tornado a leitura muito enfadonha. Boa viagem para todos! Transporte: http://www.scotrail.co.uk/ (trens na escocia) http://www.irishrail.ie/ (trens na Irlanda) http://www.edreams.com (vôos baratos) http://www.aerarann.com/ (companhia de aviação da Irlanda para destinos mais especificos entre os países que não são as capitais) Hospedagem: http://www.hostelworld.com
  16. 1 ponto
    Comprei as minhas em Setembro do ano passado. Na época já dava problemas, o site uruguaio não aceitava de forma alguma, no site argentino eu só consegui quando informei (se não me engano na parte do pagamento) um email diferente do que eu fiz o cadastro. Na época eu fiz o cadastro no site com um email brasileiro mesmo, e usei outro email meu , brasileiro tb, para ser informado no pagamento. Não sei se essa informação vai ser útil, pq eles mudam esse sistema direto, tanto que alguns conseguem e outros não. De qualquer forma vc pode comprar por lá mesmo sem problemas, na época eu comprei antecipado pq eu tinha pouco tempo na cidade e teria que atravessar no fim de semana, fiquei com medo de não ter vagas.
  17. 1 ponto
    7° dia - 20.06.2018 - Quarta-feira Saída de Jaraguá e chegada ao distrito de Palestina - GO +-32 kms em aprox. 07:15hrs Acumulado: 211 kms O hotel não fornece café da manhã antes das 06:30hrs, no dia anterior compramos o nosso. Acordamos bem cedo, saímos, atravessamos a cidade e pegamos estrada de terra bem larga, a mesma estrada que chegamos ao parque ontem. Passamos a ponte do rio e o viaduto da ferrovia Norte- Sul, uns metros depois viramos à esquerda e pegamos estrada de terra até entrocamento para Vila Aparecida (02:05 caminhada total). Depois de 30 minutos de caminhada chegamos numa porteira de madeira do lado esquerdo, entramos e começou outra estradinha de terra. Passamos por várias fazendas de criação de gado, plantação de eucaliptos, vimos alguns pés de Jatobá. Logo após os eucaliptos viramos à direita e mais um pouco chegamos numa estrada de terra larga e viramos à esquerda até chegar no distrito de Vila Aparecida em 03:55horas total. Trecho com muitos tucanos, pássaros preto, periquitos. ..vastas plantações de banana, alguns pés de jatobá (pena que estavam verdes). Chegamos ao distrito de Alvelandia depois de 06:10hrs de caminhada, paramos num armazém e comemos biscoitos. Partimos logo a seguir, chegamos na br-070 e atravessamos, pegamos estrada de terra até Palestina. total: 07:15 hrs Como tinha combinado com a Karina, ela estava nos esperando em frente à igreja. Ela nos levou até a fazenda dela para pernoite. Palestina: Pequeno distrito de Jaraguá, tem um armazém, estão construindo um hostel no local. Hospedagem: Fazenda da Karina (a mesma que está construindo o hostel em Palestina), fone: 62 99614-2270, lindo lugar, com belo lago, muitas frutas silvestres, camas ótimas, banheiro privado com banheira, limpissimo, ventilador, não tem wifi. Preço: $75 por pessoa com café da manhã e Jantar ou almoço. (Comida excelente no fogão à lenha, frango caipira, típica goiana). Obs.: o pernoite será no distrito de Palestina, quando o hostel que a Karina está construindo estiver pronto. Lindo amanhecer Distrito Pé de jatobá Forte calor Chegando ao distrito de Palestina
  18. 1 ponto
    6° dia - 18.06.2018 - Segunda-feira Saída de São Francisco de Goiás e chegada a Jaraguá - GO +-38 kms em aprox. 10:30hrs Acumulado: 179 kms Saímos antes das 04 da manhã, não estava me sentindo bem devido a um medicamento que tomei no dia anterior, foi complicado fazer esse trecho, pensei em desistir, mas a vontade de terminar foi maior. Pra atrapalhar um pouco mais o sol estava muito forte. A primeira parte foi tranquila, 6 kms em asfalto que fizemos em +- 01:15hrs. Obs.: siga sentido jesúpolis que verá uma casinha do lado direito(vire à direita) e a estrada ao lado. Mais alguns quilômetros e tem outra entra à direita(aqui passamos direto e mais à frente não vimos mais marcos, então retornamos, nisso tínhamos andado 1 km). Depois de uns 18 kms e 04:35hrs chegamos numa rodovia asfaltada. Atravessamos a rodovia e do outro lado começa outra estrada de terra, passamos por várias fazendas de criação de gado, algumas plantações de milho e Abacaxi. Atravessamos a ferrovia norte-sul e mais uns quilometros chegamos numa estrada larga de terra e viramos à direita sentido Jaragua, passamos por um viaduto da ferrovia norte--sul, e logo a seguir outra ponte de um rio. Mais à frente viramos à direita sentido parque, encontramos com um gentil funcionário que me autorizou a pegar água gelada no posto (o povo Goiano é demais). Começamos uma subida forte com lindo visual de montanha, chegamos ao posto do Parque Estadual da Serra de Jaraguá às 12:15hrs e 08:15 de caminhada total. Paramos ali uns 30 minutos para preparar para a grande subida que viria. Comemos castanhas e uva passa pra dar energia e fomos na fé. A subida tem uns 2,5 kms com lugares bem difíceis mas os visuais compensavam, lindo visual de toda região e no topo(antenas), maravilhoso visual da cidade de Jaraguá. Fizemos esse trecho em 00:55horas. Trilha com bastante sombra o que ameniza o sofrimento. A descida é por uma estrada de terra de uns 05 kms até a cidade de Jaraguá que fizemos em aprox. 01:15hrs. Fomos ao Hotel, tomamos um banho e saímos atrás de restaurante, ainda não estavam abertos para o jantar, então tomamos um açai duplo, e na praça do coreto descobrimos um lugar que vende "jantinha" por $10 comemos uma excelente costela de vaca com arroz. Jaraguá: a maior cidade até agora, boa estrutura para turista, ótimo comércio. Hospedagem: Boa Vista Park Hotel, fone: 62 3326-4646, centro, camas ótimas, ventilador, tv aberta, wifi, banheiro privado, piscina, sauna, limpissimo e confortável Preço: $60,50 por pessoa com ótimo café da manhã. RECOMENDO Ponte de madeira num lindo lugar Iríamos subir aquele pico à direita Chegando a polêmica ferrovia norte-sul Atravessando ponte estrada para Jaraguá Chegando ao posto parque esra dual do pico do Jaraguá Início subida fortíssima Quase chegando ao topo Chegando às antenas Linda vista da cidade de Jaraguá - Go Chegando em Jaraguá
  19. 1 ponto
    5° dia - 17.06.2018 - Domingo Saída do distrito de Jaranapolis e chegada a São Francisco de Goiás - GO +-30 kms em aprox. 06:40hrs Acumulado: 141 kms Acordamos antes das 04 da manhã, tomamos café da manhã. Entramos numa rodovia asfaltada sentido Radiolandia(distrito de Pirinópolis), andamos +- 5 kms até entrar numa estrada de terra à direita. Andamos vários quilômetros sempre reto(não entrar em nenhum lugar), depois de 03:30hrs de caminhada total chegamos num entrocamento e viramos à esquerda, logo a seguir tem umas casas do lado direito e mais à frente uma ponte sobre um riacho. Aqui a sinalização está perfeita. Passamos por várias porteiras, sempre seguindo os marcos. Muito gado de corte e vi uma criação de ovinos, poucas plantações de milho e mandioca. Chegamos na hora do almoço, como era a estréia do Brasil na copa, só tinha um restaurante funcionando. Fui no hospital consultar, é que desde ontem os insetos me picaram o corpo todo(esqueci de usar repelente e fiquei muito próximo de cachorros, tenho um imã pra pulgas..rs). Almoçamos Self-service à vontade por $15 por pessoa à vontade próximo a rodoviária. Dormi à tarde toda, depois que tomei medicação para as picadas. São Francisco de Goiás: cidade pequena, tem 3 pousadas (uma a 2 kms da cidade), tem boa estrutura de comércio. Hospedagem: Hotel Maria Rita fones: (62) 3305-7887 e 99235-5664, o mais próximo do início do próximo trecho. Camas boas, tv aberta bem pequena, banheiro privado, bem simples. Preço: $50 por pessoa com café da manhã. Muito quente, grandes criações de gado Verde exuberante Chegada a São Francisco de Goiás
  20. 1 ponto
    Aprecio muito hospedar em casa de família, ainda mais numa fazenda. Pois podemos interagir o dia inteiro com os anfitriões, ver a rotina diária deles. SENSACIONAL. Somos tratados como membros da família, isso não tem preço que paga. Só tenho a agradecer a Deus por esses momentos únicos na companhia de pessoas extraordinárias. 3° dia - 15.06.2108 - Sexta-feira Saída de Pirenópolis e chegada a Fazenda do Sr Kinzinho(4 kms antes de Caxambu (distrito de Pirenópolis - Go)). +- 26 kms em aprox. 08:00hrs Acumulado: 89 kms Gentilmente a pousada preparou café da manhã às 04:30hrs. Saímos às 05 horas em ponto, começamos pela matriz de Pirenópolis e seguimos até rodovia asfaltada Go-431, subida forte no início, depois subidas e descidas leves, caminhamos nela por uns 6 kms em aprox 01:20hrs, entramos à esquerda e atravessamos porteira, e pegamos estrada de terra. Logo depois tem uma bifurcação, entramos à direita, no início desse trecho praticamente reto, chegamos noutra bifurcação e entramos à direita numa p orteira de madeira, num trecho com muita sombra, logo a seguir chegamos numa casa branca do lado esquerdo e viramos à esquerda e atravessamos colchete e continuamos na estrada sem inclinação, logo chegamos numa entrada do lado esquerdo atravessamos colchete e entramos numa área sombreada, pouco tempo depois chegamos noutra estrada de terra e viramos à esquerda. Mais à frente depois de uma descida forte num entrocamento e viramos à direita. Mais alguns tempo noutra bifurcação viramos à esquerda logo a seguir atravessamos um rio e viramos à direita após uma porteira, chegamos numa fazenda atravessamos outra porteira . Mais à frente tem um curral a direta, aqui ficar atendo, tem que virar à esquerda um pouco mais à frente pois o marco fica na curva. Atravessamos 2 colchetes mais a frente, conserve sempre à direita numa estrada de capim. Chegamos na beira dum rio, atravessamos cerca de arame farpado e atravessamos uma pequena barragem(a melhor forma de passar é de lado com passos curtos, pq tem correnteza, em época de chuva deve ser bem complicado passar por aqui), depois começa trilha subindo até uma cerca,atravessamos e viramos à esquerda numa estrada de terra e mais uns metros viramos à direita depois de uma porteira. Um pouco à frente vira à esquerda num mata burro . Mais à frente tem uma plantação de banana do lado esquerdo e embaixo tem uma represa, no topo vira à direita(MAIS NA FRENTE NUMA ÁRVORE TEM UMA MARCA, MAS ESTÁ APAGADA). Seguimos até uma barragem, na bifurcação viramos à direita(o marco está quase apagado, quase não dá para ver), sempre subindo a estrada de terra, no início da mata tem um marco. Atravessamos duas porteiras e chegamos numa chacara com uma casa à esquerda, continuamos subido uns 200 metros vimos o marco numa porteira à esquerda acima, não entre no mata burro, entre na porteira de ferro. Chegando numa fazenda vire a esquerda e passe dentro dum curral(porteira) segue reto até cerca de arame e vire a direita e siga essa cerca até um colchete, atravessamos ele é viramos à direita subindo. Paramos no pé da montanha para comer um doce e descansar um pouco. A subida foi forte mas não muito longa. Depois descemos um pouco e andamos em diagonal num pasto até um colchete, atravessamos e começou uma subida leve. No topo começa descida fortíssima com lindos mirantes para as montanhas. Lindíssimo. Trecho de descida com muita sombra. O lugar de hospedagem fica no pé da serra. Hospedagem: Fazenda do Sr Kinzinho, fone: 62 99490-0609 e 99276-4509 (renata filha sr Kinzinho) , pode receber no máximo 8 pessoas(2 colchões no chão), simples, atendimento nota 10, sensacional. Dona Cleusa prepara uma ótima comida no fogão à lenha(frango caipira +carne de porco). Tem tv na sala, banho quente, banheiro compartilhado simples com latrina. Preço $75 por pessoa com café da manhã e Jantar ou almoço. RECOMENDO Lindo amanhecer, e uma reflexão Atravessando pequeno riacho Atravessando barragem. Lindo lago. Algumas subidas Mais reflexão e lindo visual de montanha Chegando à fazenda do sr Kinzinho Fui tomar água e gritei para dona Cleusa que o pato estava com um troço na boca e estava sofrendo. ..ela largou as panelas correndo e veio ver o que estava acontecendo. .... que vergonha a minha. ....ela riu e disse: eles estão namorando..kkkk se observarem bem verão uma pata embaixo dele.kkkk É o famoso: AFOGAR O GANSO.
  21. 1 ponto
    @Antonio Veras Segundo os administradores do caminho, nós fomos os primeiros a fazer todo o caminho de Cora Coralina à pé. Obs.: o trecho que fizemos de carona entre Posto do parque da serra dos Pirineus e Cocalzinho NÃO faz parte do caminho de Cora coralina. No outro dia fizemos Cocalzinho x Pirenopolis à pé, portanto fizemos mais 10 kms no total.
  22. 1 ponto
    Depois de rever alguns amigos em Brasília, pegamos a via estrutural e chegamos em Cocalzinho de Goiás, estrada pista simples sem pedágio. Fomos no hotel fazer a reserva para o outro dia (cocalzinho não está no caminho, mas preferimos pq no Salto Corumbá a hospedagem estava muito cara). Depois pegamos estrada novamente e chegamos ao nosso destino: Corumbá de Goiás (início do caminho), cidade pequena, com povo hospitaleiro e gentil. Aqui está a primeira igreja construída em Goiás, centro histórico bem conservado, tem o lindo Salto do Corumbá, linda cachoeira entre a cidade e Cocalzinho. A cidade tem um bom comércio, algumas pousadas no centro, zona rural e no Salto do Corumbá. Hospedagem: Pousada Gaucho's, próxima a rodoviária e ao portal do caminho, fone: 62 3338-1459, camas ótimas, tv aberta, wifi, ventilador, banheiro privado, tudo muito limpo. Preço $45 por pessoa SEM café da manhã (eles não fornecem). RECOMENDO. Gentilmente cederam a garagem para deixar meu carro neste período de conclusão do caminho. 1° dia - 13.06.2018 - Quarta-feira Saída de Corumbá de Goiás-Go e chegada ao Pico dos Pireneus - Go +- 28 kms em 06:30hrs Saímos 05 da manhã, com o tempo fresco e sem previsão de chuva. O portal do início do caminho fica bem próximo a rodoviária e do hotel que ficamos. 1° trecho: Portal x Salto do Corumbá: +-14,50 kms em aprox. 03:05hrs Pegamos rua embaixo da rodoviária e logo a seguir chegamos no portal do caminho e entramos numa trilha com muita sombra no início. Logo a seguir chega num bairro, siga sempre reto. Chegando numa rodovia asfaltada vire à esquerda e a primeira à direita numa rua asfaltada sempre subindo reto, Chegando numa estrada de terra, não entre em nenhuma fazenda, siga sempre em frente.. Depois de 01:10 de caminhada total chegamos num entrocamento, viramos à direita, mais uns 15 minutos viramos à esquerda numa outra estrada de terra, tem uma seta na pedra. Depois de algumas subidas/descidas médias chegamos a rodovia asfaltada e viramos à esquerda (02:20hrs total). Resumo: trecho muito bem sinalizado. Somente em estrada vicinais, não entra em nenhuma fazenda. Estrada asfaltada com subidas e descidas leves. Depois de 03:05 hrs chegamos ao mirante do salto do Corumbá. 2° trecho: Salto do Corumbá x parque estadual Pico dos Pireneus: +- 13 kms em aprox. 03:25hrs Depois do salto do Corumbá começa uma forte subida, sempre com a Cachoeira do lado direito. A uns 2 kms chegamos na entrada para missão vida, viramos à esquerda. Um tempo depois chegamos na porta da mansão vida, atravessamos um colchete do lado direito e começa caminho, um tempo depois viramos à esquerda no primeiro entrocamento. Após uns 20 minutos chegamos noutro entrocamento com um X e uma seta no chão indicando seguir reto(deve ser alguma sinalização de alguma corrida e com o tempo deve apagar). Observando melhor, vimos um marco listrado do caminho e viramos à esquerda subindo. Obs.: pouco depois verá mais à frente umas antenas, sinal que está no caminho certo, passará ao lado delas, siga em frente na estrada de terra, lindo visual de montanha. Continuamos reto até estrada de terra, e do outro lado tem um posto de fiscalização do parque e, atrás deste fica o pico do Pireneus. Obs.: o ponto final deste trecho é na capela no topo do pico. Seguimos até a entrada do pico dos pireneus e subimos por um caminho cheio de pedra até o topo. Esse pico é a maior altitude de todo caminho, cerca de 1340 msnm. Retornamos até o posto e pegamos carona até a cidade de Cocalzinho. Obs.: dentro do parque não tem hospedagem, ou você segue até Pirenopolis (25kms) ou Cocalzinho de Goiás (11kms). Estão tentando conseguir hospedagem próximo ao parque. Comemos Self-service à vontade por $15 por pessoa em Cocalzinho. Hospedagem: Hotel Pireneus, centro Cocalzinho de Goiás, 62 3339-1891, camas boas, tv aberta, wifi, ar condicionado, banheiro privado, limpo. Preço $60 por pessoa com café da manhã (não fornecem café antes das 06:30horas) Portal de início do caminho, com todas informações necessárias Lindo amanhecer Chegando ao salto do Corumbá Estrada asfaltada e à direita o Salto de Corumbá, lindo visual Início trilha depois da Missão Vida Chegando ao pico dos pireneus Subida pelas pedras Em todos os trechos têm essas placas com a poesia de Cora Coralina
  23. 1 ponto
  24. 1 ponto
    Muuuuito legal Jéssica... É de se admirar toda essa coragem e determinação. Esse mundão é lindo demais. Vá em busca de seu sonho e seja feliz à sua maneira. Ah, e continue contando aqui, pq queremos saber (e conhecer um pouco) sobre seus caminhos, lugares por onde passou, como faz para angariar fundos, etc. Parabéns!
  25. 1 ponto
    Keep shinning crazy diamond!!! Seu exemplo é muito importante!!
  26. 1 ponto
    Que motivação! Estou com a mesma necessidade. Obrigado pelas palavras!
  27. 1 ponto
  28. 1 ponto
    Que História linda ❤️ ameiiii ..... uma coragem imensa deixar amigos e familiares. Desejo toda energia para vc continuar seu mochilao e mostra lugares maravilhosos para nós
  29. 1 ponto
    Tenho vontade de fazer o mesmo. Mas me falta coragem devido às pressões que sofro. Mas que história. Parabéns
  30. 1 ponto
    De volta às minhas memórias depois de um tempo, agora relembro de Óbidos. Linda cidade murada, considerada uma das maravilhas de Portugal, no interior, muitas casinhas brancas no melhor estilo do mediterrâneo. Abaixo o Castelo de Óbidos, hoje um excelente hospedagem que faz parte da rede Pousadas de Portugal (a mesma do Hotel Pestana). Dá para andar sobre a muralha. Óbidos é conhecida pelo festival do chocolate (não me lembro em que mês acontece) e pela ginjinha, uma bebida deliciosa feito com uma fruta parecida com a cereja. Infelizmente não tirei uma foto apreciando... A cidade fica a uns 100 km de Lisboa e a melhor forma de chegar lá é de ônibus, mas o "sabidão" aqui resolveu ir de comboio... resultado, demora, a estação é quase fantasma e por sorte encontrei um táxi passando numa rua próxima, senão teria que subir à pé!
  31. 1 ponto
    Uma das cidades que mais gostei de visitar em Portugal foi Tomar. Peguei o comboio bem cedo em Lisboa e passei o dia por lá, conhecendo um pouco da cidade. É um cidade pequena, mas muito acolhedora, abaixo o Rio Nabão. O ponto alto é o Castelo, avistado ao fundo. O castelo em questão é o Castelo dos Templários, que abriga o Convento de Cristo. Sua construção foi iniciada em 1160 ! Ou seja, é do início da história de Portugal como nação. Resolvi subir a colina à pé, para apreciar a caminhada. Entrada do Castelo. E seu interior. "Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal, doou aos Cavaleiros do Templo de Jerusalém, uma vasta região entre o Mondego e o Tejo. Conta a lenda que, em 1160, os cavaleiros chegados à região escolheram um monte para estabelecer um castelo e o nome que lhe iriam dar: Tomar. Em 1314, a Ordem do Templo foi extinta devido às perseguições do rei de França, Filipe - o Belo. Graças à vontade de D. Dinis, as pessoas, os bens e os privilégios foram totalmente integrados, em 1319, numa nova ordem - a Milícia dos Cavaleiros de Cristo que iria, com o Infante D. Henrique, apoiar a nação portuguesa na empresa das descobertas marítimas dos séculos XV e XVI. O Castelo de Tomar é então Convento e sede da Ordem e o Infante Navegador seu Governador e Administrador perpétuo." Quando eu fui tinha escavações sendo feitas dentro do castelo. Pátio interno. Sem dúvidas um ótimo lugar para visitar.
  32. 1 ponto
    Outro bom passeio na cidade de Lisboa começa na praça Marquês de Pombal (uma das extremidades da Av. da Liberdade). Dali sobe-se o Parque Eduardo VII, tem um clip de Shakira gravado lá. Têm-se esta bela vista da cidade com o Tejo ao fundo. Próximo dali fica a famosa loja de departamentos "El Corte Inglés". Na região também uma boa visita é Fundação Calouste Gulbenkian. Outra visita interessante é o zoológico de Lisboa: O show aquático é espetacular! Para finalizar esta pequena "volta" por Lisboa, para quem gosta de futebol eu aconselho uma visita ao Estádio da Luz, casa do Benfica. Ao lado do Centro Comercial Colombo é de fácil acesso. Como já citei, o Casino Lisboa também é muito legal. Está aí a foto: Lisboa é interessantíssima. Faltou um monte de locais, alguns porque não conheci mesmo e outros por não ter fotos. Logo mais sigo para uma visita rápida à Queluz.
  33. 1 ponto
    Vamos agora relembrar um pouco da região de Belém. Lá se encontra o Padrão do Descobrimento, a Torre de Belém, o Mosteiro dos Jerônimos, etc. Construído para relembrar as glórias e conquistas marítimas de Portugal é um belo monumento. Pode-se subir ao topo, mas não foi o meu caso. Mesmo do chão vale a visita. Bem em frente fica o famoso Mosteiro dos Jerônimos. Onde estão as pessoas na foto abaixo existe um mapa-múndi mostrando as "descobertas" portuguesas. A alguns metros dali fica o maior cartão postal de Lisboa, a Torre de Belém que data de 1519 ! Atravessando a rua, a uma curta caminha chega-se ao Mosteiro: O interior é muito bonito e lá ficam os túmulos de Camões e Vasco da Gama.
  34. 1 ponto
    O Oceanário é um lugar espetacular, tem um dos maiores aquários do mundo e é uma visita imperdível. Um pouco mais do Parque das Nações: Tem ótimos restaurantes por lá, além do shopping Vasco da Gama e do Casino Lisboa, que não tem a fama do Estoril porém é muito bom.
  35. 1 ponto
    Ahh, que legal estas fotos, rever paisagens que eu tanto adorei tb!! Minha história de amor com Portugal é bem parecida com a sua. Eu quero viajar boa parte do mundo, mas Portugal a princípio não era prioridade... acabei indo, e acabei adorando! Nas minhas viagens eu tento aproveitar o lugar como um teste pra morar nele, isso tira o foco do turismo apenas e me ajuda a viver cada lugar... no fim faço a pergunta: "eu moraria aqui?" Tem lugares que a gente acha lindo, o máximo (como Istambul), mas eu só respondi sim pra três cidades até hoje, e duas são em Portugal! (Lisboa e Porto) A comida, a paisagem, a cultura, a história, tudo isso me pegou forte... tb quero fazer como vc e voltar, nem que seja esticando conexão! Vc já foi pro sul? Algarve? É outra vibe, mas é lindo demais!!! Pra mim ainda falta muita coisa (só conheci Porto, Lisboa, Sintra e o Algarve)... mas um dia eu volto.
  36. 1 ponto
    Vamos continuar pelo centro de Lisboa... O Rossio é "coração" da cidade. É possível conhecer numa passagem rápida, ou, se você é como eu, ficar um bom tempo observando a arquitetura, os passantes, as lojas... Lá é possível ver o Teatro Nacional e a Estátua de D. Pedro IV de Portugal (nosso D. Pedro I). Na subida para os Castelo de São Jorge da para visitar a Catedral da Sé e alguns mirantes.
  37. 1 ponto
    Thiago Gentil , Com relação a Nepal " aguentar o tranco " não posso te confirmar com certeza absoluta ..pois dpende do tranco ( neve ..ventos , etc ) . Fiz a escolha pela Nepal baseado em alguns pontos . Uma barraca para 3 estações , resistente a chuva ( sobreteto 3000 e piso 6000 ) , relativamente leve ( menos de 2 kg ) , com espaço interno que comporte duas pessoas de 1,80 m ( eu e meu irmão ) com duas portas , boa area de ventilação e avanço adequado para manter equipos . Sabedor de seus pontos negativos ( apenas uma vareta e não ser autoportante ) , não pensei em utilizá-la em climas extremos - pois aí , caberia uma de 4 estações cujo custo elevaria . Acredito ter feito a escolha certa . Em el Chalten , os camps estão em uma área relativamente protegida de ventos fortes ( saber escolher o bom local para armá-la ) e o solo não ser rochoso - facilita a fixação com os espeques de alumínio . Um ponto que acho importante foi a condensação que aconteceu numa noite muito fria ( negativa ) . Acredito que geramos muito calor e com pouca ventilação ( a "saia " presa por pedras cria-se um efeito estufa ) . Fica a dica ...prender a saia da Nepal e usar um bom saco de dormir . Não pegamos chuva e nem vento forte . Outros detalhes ....te informo . abraço !
  38. 1 ponto
    Nepal aguenta TDP fácil... Usei a minha lá e em lugares muito piores... O único lugar que não arrisquei foi os Dientes de Navarino, onde usei a minha Manaslu Discovery (modificadas segundo as dicas do forum mochileiros), e te digo que me arrependi! A Nepal teria aguentado sim, a minha impressão da Manaslu foi a pior possível (Usei 6 dias e vou vender). Já dei varias dicas de montagem da NEPAL (vide posts antigos, para não repetir informações), e o importante é vc montar na aerodinâmica correta da barraca com o vento. Não é necessário pontos adicionais de suportação, o máximo que fiz foi comprar uns 4 "specs" adicionais para terrenos "fofos" ou para ventos fortes. Já peguei ventos fortes, neve, chuva, calor e tempestade de areia com ela, e tudo tranquilo. Ótimo espaço para 2 com material, e sim tem o inconveniente de não ser autoportante (é fato vc montar e descobrir que 2 ou 3 "specs" não entram, então ou desmonta tudo e muda ou faz adaptações como o uso de "9", já explicado anteriormente). A Nepal sempre chama atenção por onde passei (Principalmente EUA e Chile) pelo peso e rapidez de montagem quando a dupla já está craque (Hoje eu e minha esposa já a dobramos de forma mais compacta que a nova na embalagem!!!). A minha Nepal é de 2004, sem saias. Voltei da ultima viagem de 15 dias (GR-20 - Córsega), onde se comportou muito bem após a minha revisão de muitos kms (Reforcei o piso com uretano, selei novamente as costuras, lubrifiquei zíperes com silicone spray e dei banho impermeabilizante na cobertura). Na Europa um barraca da Quechua (T2 Ultralight Pro) me chamou muita atenção por ser bem parecida com a NEPAL (Formato, não ser autoportante, mas com 1 porta apenas), mas com uma possibilidade boa para aumentar a ventilação em dias quentes muito interessante (é uma rabetinha que pode ficar aberta com um pedaço de vareta ou fechada em clima ruim - veja o video de montagem). Vide site: http://tente.quechua.com/en/tent/r-11,a-35,tente-t2-ultralight-pro.html
  39. 1 ponto
    Acho uma boa Gabriel. Nada é tão bom que não possa ser melhorado. :'> Eu faria mais dois pontos de fixação, a +/- 1m de altura nas extremidades da barraca, em cima da vareta. E por dentro, no mesmo lugar, um velcro ou cordinha pra amarrar na vareta. Assim o cordelete não estaria fixado apenas no sobreteto, mas também na vareta. Não esqueça de costurar um pedaço de nylon p/ dar mais resistência, e impermeabilizar as costuras.
  40. 1 ponto
    Camila... É uma boa Pedida... A minha Já Rodou Peru, Torres Del Paine, Fitz roy, Canyon Lands.... Peguei desde Neve a Deserto...Peguei Vento e Muita Chuva e não tem o que reclamar... Depois de quase 7 anos eu fiz uma manutenção, preventiva diga-se de passagem... Basicamente reforcei o piso com impermebilizante, Re-seleia as costuras (A azteq já vem com costura selada e até que duram bem mas como tendemos a estica-la pode ser necessário um reparo, o primeiro foi feito agora) e dei um banho de NIKWAX. Barraca ótima para 2 pessoas e mochilas grandes. Os "avances" são ótimos para deixar o material e botas, principalmente quando molhados. Eu uso um Footprint dobrado para auxiliar a montagem e forrar os "avances". Para dias quentes e sem risco de chuva eu usava sem o teto... Voltei dos Dientes de Navarino, onde levei uma Manaslu Discovery...e para ser sincero senti muita falta da minhas AZTEQ fosse em espaço ou em impermeabilização...só foi útil mesmo em ser auto-portante...mas este será outro "post"...
  41. 1 ponto
    Ra_, Essa é uma barraca uma pouco difícil de montar nas primeiras vezes...ou após muito tempo... assim com dobras de forma compacta novamente (Ela é toda Assimétrica!!!) Quanto a montagem da Vareta como a barraca esta nova ainda é meio difícil... Eu monto da seguinte Forma: - Fixo pela metade os A frente da barraca. Os espeques formando um ângulo reto em relação a parte frontal ( |_____|) e não abertos ( \_____/ ); - Depois abra a barraca onde será montada (Portas Fechadas); - Passar a ferragem já montada pelo passador superior fixando uma das extremidades no olhal. Para facilitar na primeira montagem ponha o ajuste da fita do olhal no máximo. E não fixe o gancho intermediários entre o olhal e o passador; - Após a primeira fixação de olhal centralize o passador superior aproximadamente na posição final e fixe a outra extremidade no olhal. Essa fixação deve ser feita flexionando a vareta suavemente (Não force apenas a extremidade para não causar deformação). Se tiver difícil pede para alguém suportar o outro lado e ajudar flexionado ambos ao mesmo tempo; - Em seguida ponha os ganhos intermediários para aliviar as tensões. Só depois prossiga para ajustes finos nas fitas dos olhais. As faces das extremidades da vareta de ficar reta com o piso (Nesse formato |_____| e não \____/ ou /____\). É comum a barraca ficar com as laterais não tocando no piso sem peso (Maior intensidade nos início), esse ajustes devem minimizar isso, caso apenas uma faixa fique muito tencionada na área abaixo da vareta, isso significa erro no ajuste; - Na seqüencia fixo os espeques traseiros observando sempre o piso para que não fique muito tencionado de forma irregular. O ajuste desses deve garanti a posição final da barraca; - Fixo então os Espeques laterais da fita do olhal da vareta; - Em seguida ajusto os da parte frontal de forma definitiva, soltando um de cada vez e ajustando o melhor ângulo e tensão do fundo da barraca; - Em seguida fixa-se o sobre-teto com as fivelas sem tencionar em demasia para não danificar as costuras. Verificar se a costura central está sobre a vareta, caso contrario há exagero de tencionamento em algum ponto; - Fixa-se os espeques centrais da parte frontal e traseira do sobre-teto e por último os laterais. Esses laterais apesar de ajustar a vareta têm de ser tencionado sem exagero para não danificar as costuras. Prestar atenção para fixar o espeque na alça onde não há a porta para não perder tempo; - A fixação extra (alça np meio da face frontal), só é necessária em situação de vento forte ou se o sobre-teto ficar tocando na barraca, pois caso isso aconteças a condensação interna pode migrar por capilaridade para a parte interior; - As saias de neve, recomendo prende-las para circular ar na barraca. Só deve usar em caso de frio intenso ou se houver vento entrando e com risco de deslocar a barraca. Lembre de montar a barraca com a frente voltada para o vento para aproveitar a aerodinâmica da mesma. - Por fim fixe o bolso de teto. Atentar que os espeques são em alumínio, evita fixa-los pisando para não fazer alavanca e amassa-los. Prefira inserir batendo e cuidado para não amassar caso ache um pedra no caminho. Os de fabrica são ótimos para quase todas as ocasiões, menos praias. Espero ter ajudado. Como moro em AP nem tenho como montar e fotografar. Abraço.
  42. 1 ponto
    Outra coisa para fixar a barraca em outros pontos e fazer ancoragens...são os jacarés... http://www.toolking.com/jobsite-equip-storage/tarps/foremost-tarp-70001-heavy-duty-tarp-clips-4-pack ou http://www.scotty.com/boating-supplies-equipment/tarp-clips.htm ou http://shop.jordoncooper.com/2010/02/01/coghlans-tarp-clips/
  43. 1 ponto
    De dica de acessórios uso... - Cordetes com Noves (http://www.rei.com/product/765518); - Specs Multi...em Aluminio...Bom Peso e ainda serve de ancoragem...e não amassa fácil... http://www.rei.com/product/358111 - Reparos Em Ripstop oi Similar e Silver Tape; Manutenção: - Pisos uso http://www.rei.com/product/780757 - Selar costuras http://www.americanas.com.br/produto/302925/esporteelazer/camping/acessoriosparacamping/selador-de-costuras--nautika
  44. 1 ponto
    grato pelas informacoes estou postando algumas informacoes sobre a barraca azteq ( mini pack ) sao informacoes direta da parte tecnica da azteq, pois foram respondidas algumas perguntas feitas por mim. a barraca e projetada para suportar rajadas de vento de acordo com informação do site, mas quanto de vento ela suporta? ( km/ h ) NÃO TEMOS ESTA INFORMAÇÃO, MAS AGUENTA OS VENTOS EXISTENTES NA AMÉRICA DO SUL caso ela seja montada na direção contraria do vento ( vento batendo na porta) o quanto ela suportara ? ELE NÃO DEVE SER MONTADA CONTRA O VENTO qual o desempenho da barraca em temperaturas negativas ? ELA TEM UM BOM NÍVEL DE PROTEÇÃO MAS O MAIS IMPORTANTE E A QUALIDADE DA ROUPA E DO SACO DE DORMIR como a barraca se comporta em ambiente que esteja nevando ? ESTÁVEL, DESDE QUE MONTADA CORRETAMENTE O que vc precisa saber é que é uma barraca 3 estações, ou seja, perfeita para as condições extremas encontradas no Brasil. Não é uma barraca que vá aturar uma (ex) tempestade de vento e neve, pois não é desenhada para isso. Para as condições encontradas aqui, sua barraca está mais do que preparada... apenas tome o cuidado de armar de forma que “fure” o vento que estiver enfrentando.
  45. 1 ponto
    Bem Pessoal... Estava lendo o forum e vendo as vantagens e desvantagens... Eu tenho uma Nepal...Sem as Saias de Fabrica...Comprada na Arco e Flecha pela Internet em 2004/2005... Ela já Passou de Ilha Grande a Guaramiranga aqui no Brasil... E Já passou 10 dias em Torres Del Paine e rodou muito até The Needles em Utah... Peguei Calor, Muita Chuva, Neve e Muito Vento... Em Torres Del Paine fomos os 2 últimos a passar e depois o Parque Fechou o Passo por alguns dias devido Ventos e Neve... E a avaliação é ótima... Muito impermeável e leve... Depois de 6 anos eu preventivamente reforcei todas as costuras com selador (por entro e por fora) e reforcei o impermeabilizante do fundo... Hj uso um Footprint, que ajuda tb para por equipamentos nas orelhas da barraca (as varandinhas). Dicas: - Não estique demais. Por não ser auto-portante temos a tendência de tencionar demais, mas isso só estraga a costura; - O ter ou ão ter as abas, ajuda e atrapalha...Pessoalmente queria ter as Saias... Pois Já peguei situação de ventos muito fortes, e ajustei a barraca alinhada de forma aerodinâmica (para não voar...hahahah)...Mas acabava que tinha um Fluxo mais forte de correntes de ar...resultado troquei a fixação central e frontal por pedras em cima do forro... Dormi muito bem...; - Outra dica é ao iniciar a montagem fixa a frente primeiro e não abrir muito as fixaçòes dos dois vértices... Tentar iniciar de forma paralela (No fim faz ajuste fino)...caso contrario o piso se eleva em demasia; - Ideal Montar e dobrar com 2 pessoas; - Os specs são de alumínio, logo cuidado se quiser fixar com um Pisão. Levo sempre um conjunto Specs de reforçados para multiplos ajustes (Areia ou piso Duro); - Para Fixação sempre tenho Um Jacaré, Specs Muilti uso, Noves e Cordão. Atentar apenas para o Peso. Outros pontos: - Colchão inflável não dá. Já testei inflando no interior; - O espaço é ótimo para o casal! A Manaslu já fica muito restritiva; Na seqüencia adicionarei Fotos!!!
  46. 1 ponto
    Oi pessoal! Mari, ja vou providenciar meu guarda-chuva... rsrsrsr essas dicas que seu amigo deu sao otimas mesmo. Confirmam o que eu ja tinha pesquisado: - que é melhor comprar o ticket do metro do que pagar por utilização. Eu pretendo comprar o oyster pra 7 dias. - que pra economizar devemos comer na rua, fazer uns lanches rapidos, mas q tb existem restaurantes baratos. Eu tenho uma relacao que pode servir pra voceê tb, eu particularmente ainda nao pesquisei todas: Pret a Manger: Uma rede que tem sanduíches naturais baratos. Stock Pot; Hot: Rest. Japonês perto do metrô de Holborn mark and spencer food: la vc acha varios sucos naturais e sanduiches baratos Nando´s (veja o site, vale a pena, é tipo o Galeto´s e os preços sao bons); JD Wetherspoon – para café http://www.jdwetherspoon.co.uk/ Incognico: A melhor relação custo-benefício da cidade é o almoço do Incognico (117 Shaftsbury Avenue, tel. 020-7312-2490), em que você experimenta a comida do badalado chef Nico Landenis por inacreditáveis US$ 18. Belgo: O ambiente mais divertido de Londres é o da rede moderninha Belgo, especializada no trio mexilhões-batata frita-cerveja belga; no Belgo Centraal (50 Earlham St., tel. 020-7813-2233), você pode almoçar a US$ 8 e jantar a US$ 22. Fish! Borough Mkt. Outra rede de restaurantes "pop", a Fish! (um dos endereços: Cathedral St., Borough Market, tel. 020-7836-3236) prepara o peixe que você escolher com o molho e os acompanhamentos que você preferir, a partir de US$ 15 Wasabi: eh uma rede de comida japonesa,uma delicia.Com £4 vc faz uma refeicao bacana. - que nao podemos esquecer de levar nossos remedios, especialmente: pra dor de cabeça, resfriado, dor na coluna, enjoo, antialergico. - ahhhhh descobri uma loja maravilhosa com preços excelentes! http://www.newlook.com/. Fica na oxford circus e é uma das lojas que pretendo visitar pra comprar roupa de frio qdo estiver por la. Tem tb a Sports Direct e a Lilly Whites que vendem roupas esportivas a preços baixos. Vc ja sabe em que hotel vai ficar? Este fim de semana reservei o hotel q vou ficar em Dublin. Falta ainda reservar o que vou ficar em londres na volta de dublin. Alguma dica? Agora falta pouco mais de um mês pra ir...
  47. 1 ponto
    Adorei o roteiro! hehe Então eu fiz de avião esse trajeto, porque queria o maximo de tempo possivel em Londres. Essa era minha meta. Mas fiquei com um pesinho por nao ter ido de trem. Acho que deve valer super a pena ir de trem, ainda mais que vc já vai ter estado em Londres...Eu amei as viagens de trem que eu fiz. Dentro dos paises só andei de trem e as paisagens, principalmente na escócia eram LINDAS! bati papo com estranhos, li meu livro, o trem é super confortavel e se vce reservar agora consegue SUPER barato! eu paguei 12 pounds num bilhete que comprado na hora custa 50 pounds...compensa. é se vce fosse iria de trem com certeza... : ) Ela com certezaaa vai deixar saudade, mas se vce aproveitar la ao maximo vai dormir de consciencia limpa! haha pelo menos esse é o meu conforto... : /
  48. 1 ponto
    Olá pessoal. Se problema fosse lugar sem possibilidade de fincar os espeques tenho resposta. Usar os anzois de pesca. Corte o pontinho de anzol e prense a farfa com o alicate e faça pequena argola com corda ou arame no anzol. Tá pronto o gancho que esfinca qualquer coisa, pontinha de pedra ,um buraquinho de pedra que cabe ponta de azol ,raiz de planta ou até folha de capins. É experiencia de pescador de costão do mar que sempre armar barraca em cima de pedra. E pra perfeiçoar mais coloque um pouco de elastico que use no cueca na cordinha pra amarrar barraca por razão de sempre ter tensão na corda.
  49. 1 ponto
    Então tenho uma barraca AZTEQ NEPAL, até agora tem aguentado o tranco. Mas o bixo pegou de verdade quando fui acampar no Torres del Paine, tive alguns problemas para fixar as estacas em solos difícies de penetrar, pois elas acabam entortanto e passei um sufoco porque já estava escurecendo e uma friaca absurda. Seria bom comprar um outro jogo de estacas mais resistentes, na Decathlon vende. Agora, quanto suportar ventos, a barraca se mostrou eficiente! Tem uma parte do percurso que ventava muito, (o vento era tão forte que ficava difícil de caminhar contra), tinha uma casinha de guardaparques que dizia o vento esta por volta de uns 30 ou 40 km/h. Acampei nessa região do Refúgio Pehoe e a barraca gemeu, estremeceu, mais não saiu voando !! Mas foi foda de dormir dentro, porque a vareta envergava absurdamente e parecia que a qualquer momento tudo iria pelos ares ! Mas depois peguei confiança e ai foi que foi! um abração, Alexandre
  50. 1 ponto
    Sobre não pode usar estaca tenho solução. Como eu era pescador de costão do mar sempre montava a barraca em cima de pedra. Ai em vez de a estaca ou pedra por peso ,usei o ganchinho que foi feito com anzol de pesca. Corta a ponta de anzol e prensa a farpa com alicate e amarra uma corda no argola de anzol fica prontinho um gancho que engancha qualquer coisa como uma pontinha de pedra, um galho de alvore, raiz de planta até folha de capim. Por esse razão quando pesquisei de barraca pra trekking de Pico dos Marins eu nem pensei 2 vezes minha escolha era Azteq Nepal. E muito satisfeito de minha escolha porque Nepal é leve e tamanho suficiente pra nosso casal e 2 mochilas de 65 e 42 lt.
Líderes está configurado para São Paulo/GMT-03:00


×
×
  • Criar Novo...