Ir para conteúdo

Mais curtidos da Semana


Conteúdo Popular

Exibindo conteúdo com a maior reputação em 07-01-2019 em todas áreas

  1. 2 pontos
    Olá amigos da comunidade Mochileiros.com. Aqui é o Thiago e a Priscila. Nós moramos na cidade de Blumenau-SC. Em dezembro de 2018 fizemos nossa viagem de carro até San Pedro de Atacama no Chile. A comunidade mochileiros.com nos ajudou bastante, pois no site conseguimos várias dicas e conhecemos outras pessoas que também nos ajudaram com informações. Por esse motivo queremos compartilhar nossa experiência. E quem sabe poder ajudar ou até mesmo encorajar outras pessoas a saírem do sofá e encarar essa aventura. Para realizar esta viagem primeiro nós fizemos algumas pesquisas, como por exemplo: documentos necessários, seguros obrigatórios, melhor roteiro, condição das estradas, hotéis, pontos turísticos, custo com passeios, custo com alimentação, custo com gasolina, custo com pedágios, melhor câmbio, o que levar na bagagem, etc. Juntamos todas essas informações numa planilha e então começamos a trabalhar nela. Então no mês de Setembro/2018 começamos a fazer as contas e preparar tudo o que precisava para viajar. Nessa primeira parte vamos tentar abordar o máximo de informações com relação ao roteiro, situação das estradas, GPS, câmbio, aduanas, seguros, itens obrigatórios, pedágios e combustível. Na segunda parte vamos falar um pouco sobre San Pedro de Atacama e sobre os nossos passeios. Então vamos ao que interessa: Nessa viagem foram 04 pessoas: Eu (Thiago), minha esposa Priscila, meu Pai e a namorada do pai. Saída de Blumenau: 22/12/2018. Chegada em San Pedro de Atacama: 25/12/2018. Saída de San Pedro de Atacama: 31/12/2018. Chegada em Blumenau: 03/01/2019. Carro utilizado: Peugeot 207, ano 2012. Motor 1.4, c/ 04 portas. Roteiro/Condição das estradas/Pedágios: Dia 01 - Blumenau - SC x São Borja - RS. Total: 860 Km. Esse caminho é o mais curto, porém tem muitos trechos com pista ruim (buracos, desníveis, etc.), além disso tem muitos radares e lombadas eletrônicas. O motorista tem que ficar atento. Pedágios: Nenhum. Dia 02 - São Borja-RS x Presidência Roque Sáenz Peña - Argentina. Total: 620 Km. As estradas são boas, pelo menos são melhores que do que as do Brasil. Pedágio 01: logo que passa a Aduana, já tem um guichê de pedágio. Valor pago em moeda brasileira: R$ 50 para veículos de passeio. (na volta ao Brasil, o valor é R$ 65) Pedágio 02: RN-12 aprox. no Km 1262. Valor: 50 Pesos Argentinos. Pedágio 03: RN-16 aprox. no Km 05. Valor: 40 Pesos Argentinos. Pedágio 04: RN-16 aprox. no Km 60. Valor: 65 Pesos Argentinos. Dia 03 - Presidência Roque Sáenz Peña (Argentina) x Salta (Argentina). Total: 630 Km. As estradas também são muito boas. Observação: na RN-16, entre os KM 410 e 481 a estrada é "horrível". Tem muitos buracos. Buracos gigantes. Você vai perder tempo desviando deles. Pedágios: RN-09 chegando na cidade de Salta. Valor: 25 Pesos Argentinos. Dia 04 - Salta (Argentina) x San Pedro de Atacama (Chile). Total: 580 Km. As estradas também são muito boas. Observação: Nós usamos o caminho Paso de Jama, que é melhor, pois é todo asfaltado até San Pedro de Atacama. Pedágios: Nenhum. *Na volta pra casa fizemos o mesmo trajeto. Hospedagem: Dia 01 - Dormimos na casa de parentes. Não tivemos gastos com hospedagem nesse dia. Dia 02 - Ficamos hospedados no hotel de campo El Rebenque, que fica na cidade de Presidência Roque Sáenz Peña (Argentina). Dia 03 - Ficamos hospedados no hotel Pachá, que fica na cidade de Salta (Argentina). Dia 04 - Ficamos hospedados no hostal Casa Lascar, que fica em San Pedro de Atacama (Chile). Aqui dormimos dia 25, 26, 27, 28, 29 e 30 de dezembro/2018. *Na volta pra casa ficamos nos mesmos hotéis. Câmbio: Peso Argentino: nós trocamos todo o dinheiro brasileiro por Peso Argentino na aduana, que fica logo depois da Ponte internacional, saindo de São Borja-RS. Valeu muito a pena trocar o dinheiro na aduana, pois pagamos 0,10 por cada Peso Argentino. Já em Blumenau a melhor taxa que encontramos foi 0,15. Comparação de preços Blumenau x Aduana Argentina: R$ 1 Mil reais trocados em Blumenau valem: 6.666 Pesos Argentinos (sendo: 1000 / 0,15) R$ 1 Mil reais trocados na Aduana valem: 10.000 Pesos Argentinos (sendo: 1000 / 0,10) Peso Chileno: nós trocamos R$ 1 Mil (reais) em Pesos Chilenos aqui em Blumenau, para ter um pouco de dinheiro na chegada à San Pedro de Atacama. O restante do dinheiro brasileiro nós trocamos em San Pedro de Atacama. Trocar o dinheiro em San Pedro valeu muito a pena, pois recebemos 170 Pesos Chilenos por cada R$ 1,00 (Real). Já em Blumenau a melhor taxa que encontramos foi de 154 pesos Chilenos por cada R$ 1,00 (Real). Comparação de preços Blumenau x San Pedro de Atacama: R$ 1 Mil reais trocados em Blumenau valem: 154.000 Pesos Chilenos (sendo: 1000 x 154) R$ 1 Mil reais trocados em San Pedro de Atacama valem: 170.000 Pesos Chilenos (sendo: 1000 x 170) *Compare antes de trocar seu dinheiro. Combustível / Postos de abastecimento: Na Argentina tem dois tipos de gasolina: a Super (comum) e a Infinia (aditivada). Infinia: variava de 45 a 48 pesos. Super: variava de 41 a 44 pesos. *Abastecemos com gasolina Infinia nos Postos YPF. *No Chile não abastecemos, por isso não informamos os tipos e preços que existem. Na Argentina tem muitos postos de abastecimento durante o trajeto. O último posto fica bem próximo da Aduana, no Paso Jama (divisa entre Argentina e Chile). Depois da Aduana não tem mais posto durante o caminho. Vai ter um posto somente em San Pedro Atacama (distância entre Aduana e San Pedro Atacama: 160 KM aprox.) GPS: Nós utilizamos dois aplicativos de geolocalização: o Google Maps e o Maps.me. Levamos dois Smartphones, em um deles usamos o Maps.me e no outro com Google Maps. Antes de sair nós fazíamos os trajetos pela rede WiFi e depois saíamos para a estrada. Os dois aplicativos funcionaram muito bem no modo off-line. Dica: o aplicativo Maps.me funciona totalmente no modo off-line. Para isso é necessário baixar os mapas off-line da região que você vai passar. Exemplo: nós baixamos todos os mapas da Argentina, do Chile e também dos estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Seguros obrigatórios para seu carro: Na Argentina: seguro Carta Verde. Você pode fazer em qualquer corretora de seguros. Ele cobre danos a terceiros em caso de acidentes. Nós fizemos o seguro com a Porto Seguro, com a cobertura de até 15 dias. Custo: R$ 125. Débito em conta corrente. No Chile: seguro SOAPEX. Você pode fazer este seguro com a HDI do chile. Só digitar no Google "HDI Chile". Ele cobre danos a terceiros em caso de acidentes. Nós fizemos o seguro direto no site da HDI Chile, com a cobertura de até 10 dias. Custo: R$ 40. Pagamento somente no cartão de crédito. *Veja se o seu cartão está liberado para realizar esta compra. Observação: em nenhum momento a polícia ou aduana nos cobrou esses documentos. Seguros para você: Nós optamos por não fazer nenhum seguro de vida ou de acidente. Mas as empresas de seguro oferecem inúmeras modalidades. Avalie a que melhor se enquadra com seu bolso. Itens obrigatórios para o carro: Na Argentina: Vários blogs e pessoas nos disseram que teríamos que levar um monte de coisas no carro. Então nós entramos em contato com o departamento de trânsito da Argentina e também com o consulado Argentino no Brasil que fica em Florianópolis. Segundo eles, os itens obrigatórios são: - 01 Extintor de incêndio (exceto em motos); - 02 triângulos de segurança; - Além dos demais exigidos no Brasil (pneu estepe, chave de rodas e macaco). E tem também os itens recomendados: (notem que são recomendados, não obrigatórios) - Kit de primeiros socorros; Portanto, não é obrigatório levar o tal do "cambão", que muitos blogs informam ser obrigatórios. No Chile: Considerar todos os itens obrigatórios citados acima. E no Chile todos os motoristas são obrigados a ter no carro um "colete refletivo". Caso o motorista precise sair do carro para alguma manutenção ou emergência ele precisa estar vestindo o colete. Isso é LEI NACIONAL. Na dúvida leve um colete também. Observação: Na Argentina fomos parados diversas vezes pela polícia. Em quase todas as cidades que passamos ao longo do caminho a polícia nos parava para solicitar algum documento. Algumas vezes eles pediam os documentos de identidade e do carro. Em outras eles faziam o teste de bafômetro. Mas em nenhum momento a polícia precisou revistar o nosso carro. No Chile não fomos abordados. Aduana Brasil x Argentina: Muito tranquilo. O atendente solicita os documentos do carro e identidades. Preenche um formulário no computador. Por último entrega um recibo (parecido com um cupom fiscal de mercado). Este recibo precisa ser bem guardado, pois ele será útil na Aduana Argentina x Chile. Não tem custo. Aduana Argentina x Chile: chato/demorado (pode ter fila e os atendentes são malas) A Aduana que nós passamos foi no Paso Jama. Tem 06 guichês. É necessário preencher um formulário em espanhol. Nesse formulário tem uma parte que fala se você está levando algum alimento que é "proibido". Após passar em todos os guichês eles entregam um recibo (parecido com um cupom fiscal de mercado). Este recibo precisa ser bem guardado, pois ele será útil na Aduana Chile x Argentina. Comidas não podem passar. Exemplo: frutas, verduras, carnes, lanches, etc. Tudo que é animal ou vegetal fica na Aduana. Alimentos processados passam. Alegação deles é que pode haver alimentos contaminados ou pragas. Se no formulário estiver a opção NÃO, mas na hora de revistarem o carro eles encontrarem alguma coisa, você leva uma multa. Após sair dos guichês vem um fiscal da vigilância sanitária e inspeciona o carro. Só depois de inspecionar o carro você está livre para seguir viagem. Não tem custo. *Na volta pra casa é necessário fazer tudo de novo, porém a vigilância sanitária não revistou o carro dessa vez. Espero que tenham gostado dessa primeira parte. Se tiverem algum comentário ou dúvidas por favor nos retorne. Um abraço.
  2. 2 pontos
    Eu colocaria São Thomé das Letras sem dúvida, ainda mais que vc falou que gosta de atrações mais naturais....dificilmente vc se desapontaria dando um rolê por lá! Faça uma viagem de bus para três corações, se estiver por perto, depois para ST, suba a pirâmide, conheça umas cachoeiras/grutas/mirantes e seja feliz com um garraduende assombrado na mochila! Rs.
  3. 1 ponto
    Uma das coisas mais emocionantes sobre viagens é planejar o roteiro, imaginarmos o lugar, ansiar o dia da viagem, e outra mais ainda, é viajar, é vivenciar tudo que você colocou no roteiro, é se surpreender com costumes, se maravilhar com novos sabores, é ser livre! O Peru é o lugar mais versátil que já pesquisei para viajar, tem para todos os gostos, e para os mochileiros de plantão, a dificuldade está em encontrar mais dias para planejar um roteiro completo, que faça com que conhecemos tudo, além do usual. Foi bem trabalhoso planejar meu roteiro, tinha muitas hipóteses e variáveis. Mas saiba que é possível fazer uma viagem sem comprar pacotes moldados e com tempo limitado. Para isso você só precisa de Paciência e gostar de ler! Para começar: - Comecei a pesquisar tudo com 1 ano de antecedência(desde passagens, agências de Passeios, mal de altitude, pontos turísticos, etc.). - Com a pesquisa, percebi que embora trabalhoso, seria mais vantajoso comprar tudo lá (com algumas exceções que explicarei posteriormente), cotando do Brasil tudo fica mais caro. Eles tem o costume de receber muitos Americanos, Franceses, Russos, etc., qualquer estrangeiro que tem uma moeda mais forte que a nossa! Os poucos brasileiros que encontrei foi em Cusco. (Isso não quer dizer que não haja Brasileiros nos outros lugares, somente que é mais difícil encontrá-los), assim tudo fica mais caro para nós mesmo. Mas eles costumam oferecer maiores descontos para o MERCOSUL. Planejamento: Decidi comprar com antecedência: - As Passagens de Avião - Ingresso do Parque Machu Picchu (pois ia subir a Huayna Picchu) - As Passagens de Trem - Por consequência (como já tinha os dias que ia visitar o parque) já reservei o hotel também em Águas Calientes. - Como estava em promoção também já comprei as passagens de ônibus para Huaraz. - Seguro Viagem (preços no decorrer do relato) Altitude Cidade que necessitam de aclimatação 3 050 m (Com 6768 m huascaran) Huaraz 3 399 m Cusco 3 819 m Puno 3 825 m Juliaca 2 335 m Arequipa Não subestime a Altitude e os efeitos que ela pode trazer, seja você sedentário, atleta, fumante, homem ou mulher! Sou sedentária, e fico feliz em dizer que não sofri o mal de altitude nos dias em que estive lá. Nem quando andei umas 6 ou 7 horas para conhecer o Cânion de Colca! Pesquisei e li muito sobre o assunto (até artigos científicos), tem vários remédios que ajudam, mas decidi que seria arriscado, pois vários deles tem uma lista enorme de advertências, interações, reações adversas, etc. E não queria tomar um remédio que nunca havia tomado, estando em viagem. Segue link para quem quiser ler a bula do DIAMOX, por exemplo, http://http://www.medicinanet.com.br/bula/1880/diamox.htm O que eu decidi fazer foi: 15 dias antes da viagem: Tomar 1 comprimido de ferro (vitamina) por dia, até o dia da viagem 7 dias antes: Tomar 1 comprimido de vitamina C por dia até o dia da viagem. (esporadicamente em viagem continuei com a vitamina c, por causa da troca de clima e por causa da rinite. 15 dias antes da viagem: triturei alho, isso mesmo, ALHO e comi uma colher por dia (puro). Sem contar o que usamos na comida. Em viagem: Muita água, pouca comida, e excesso de respiração profunda, somente pelo nariz! Nota: Comprei o OXISHOT (oxigênio) por vias da dúvida, e quando usei fiquei um pouco ruim, dinheiro jogado fora. Mas para quem realmente precisa deve fazer um bom efeito. -Para quem tem interesse, também tem a Saúde do viajante, no Instituto Emilio Ribas. Qualquer pessoa pode utilizar esse serviço, não precisa ser paciente do hospital. http://http://www.emilioribas.sp.gov.br/pacientes-e-acompanhantes/medicina-do-viajante/ - Masque sempre folhas de coca durante as caminhadas Sintomas do mal de altitude: Leve: Dor de cabeça - Náuseas ou perda de apetite – Insônia -Vertigem Moderado: Cefaleia resistente a aspirina – Vômitos Grave: Falta de ar em repouso - Fadiga anormal - Oligúria (falta de urina) Clima Outra coisa que me preocupava era o clima, pois ia do inverno das Cordilheiras para o Deserto de Ica. Conseguimos levar uma mochila de 90 litros para duas pessoas e fomos usando as lavanderias pelo caminho. Foi maravilhoso levar pouca coisa, o que eu nunca imaginei, pois sempre levei muitas coisas em minhas viagens. Sabendo escolher bem os tecidos, não é necessário levar muitas blusas e calças. Os Lugares mais frios: Lagunas no parque em Huaraz (pode nevar), Puno (O lugar mais frioooo) e Cusco (menos frio que o restante, mas é frio também) O que levei e não deixaria faltar: 1. Blusa Segunda Pele (térmica que esquenta ainda mais) 2. Segunda camada (fleece e cacharrel) 3. Última camada (Jaqueta impermeável, corta vento, com forro de fleece e Balaclava acoplada, foi o que me salvou no vento gelado que doía o nariz) 4. Calça Segunda Pele ( meia calça, a mais grossa) 5. Calça (Fleece) 6. Meia (térmica e normal) 7. Luva (de lã e de Fleece touch) 8. Capa de chuva 9. Tênis impermeável e antiderrapante para trilhas 10. Bota impermeável com forro de lã acrílico, antiderrapante 11. Papel Higiênico e Lenços Umedecidos para usos diversos 12. remédios (diversos) 13. Protetor solar (Use e Abuse) 14. Hidratante corporal e labial ( O frio e a desidratação por conta da altitude judiam) 15. Óculos 16. Shampoo a seco( porque lavar os cabelos no frio do Brasil ninguém merece, imagina na cordilheiras !) e 17. Umidificador de nariz (no deserto o nariz fica muito seco, você respira poeira!) Nota: Não deixe de levar uma boa jaqueta impermeável e um bom calçado, é caro, mas invista, a falta de um desses itens podem te dar uma baita dor de cabeça, e não é de altitude! Em alguns passeios várias pessoas caíram ou escorregaram por não terem o calçado adequado, e outras tiveram que comprar aquela capa de chuva zuada por um preço abusivo, que nem duram. Como estava com a minha impermeável, nem sofri, as chuvas nesse período são passageiras, elas vão embora muito rápido, mas chega a molhar se não tiver com capa. E se nevar,o gelo escorrega que nem molha. *Esqueça roupas com tecido de algodão, no final você vai ficar molhado, porque esse tecido não exterioriza o suor. Prefira: lã, Fleece, Acrílico, veludo, etc. *Leve pouca roupa e lave numa lavanderia, em Arequipa pagamos 3 soles por kilo de roupa e em Cusco 2,50 soles! Link de lojas que vendem artigos diferenciados: http://http://www.arcoeflecha.com.br/meias-s10000226/ http://http://www.orientista.com.br/ http://http://lojasmundoterra.blogspot.com.br/2010/08/check-lists.html http://http://www.conquistamontanhismo.com.br/onde-comprar http://http://www.decathlon.com.br/ http://http://www.oficinadeinverno.com.br/ CÂMBIO Cada um tem sua preferência, assim não vou entrar no mérito da questão apenas vou falar o que eu preferi fazer de acordo com a realidade da minha viagem. Trocar aqui estava fora de cogitação, pois a cotação do novo sol estava ruim, assim como o dólar. Comprar aqui e vender mais barato lá não compensa. Mas precisava de algum dinheiro para sobreviver o primeiro dia em Lima, como ia chegar no domingo tudo estava fechado. Não queria ficar me preocupando com câmbio também e não queria andar com muita quantia no bolso. Assim troquei alguns dólares aqui, levei reais e cartões para emergência (lembre-se de desbloqueá-lo). E a maior parte enviei via Western Union. Para não ficar com muito dinheiro dividimos em duas partes. Abaixo demonstração de uma das transação que fizemos: http://economia.uol.com.br/cotacoes/">http://economia.uol.com.br/cotacoes/ Guia da Cotação http://www.guiadacotacao.com.br/ Cotação https://www.cotacao.com.br/ Melhor Cambio https://www.melhorcambio.com/ Western Union http://www.corretorawesternunion.com.br VET https://www.bcb.gov.br/rex/vet/index.asp Spmundi https://www.spmundi.com.br/ Treviso http://www.trevisocc.com.br/ SEGURANÇA Essa foi a questão que mais me preocupou, se eu ia voltar viva dessa viagem! Primeiro por causa das viagens de ônibus, as vias beiram o precipício, imaginem viajar a noite? Segundo por causa de roubo nas estradas e nas cidades em geral, porque né, não dá para esconder nossa cara de turista! Sempre procuro passar despercebida, mas é só hablar que ya, já sabem que somos Brasileiros. Li em algum lugar que os nativos de todo o mundo sabe quem é turista, fácil: são aqueles que estão de óculos ou com garrafa de água na mão. Prestei atenção, e não é que a pessoa tem razão! Fica a dica! Pesquisei sobre isso e não encontrei NADA. Realmente as estradas beiram o precipício, mas é mais tranquilo que andar de moto em SP, os motoristas andam devagar e tem um painel mostrando os KM/h. Os motoristas fazem teste de bafômetro, filmam as pessoas dentro do ônibus, não transportam pessoas embriagadas nem drogadas e em percursos longos há revezamento de motoristas. Há acidentes com turistas que alugam carros e não conhece os macetes para andar nas curvas e precipícios e ainda mais na altitude. E o transito é tão bagunçado lá que é melhor não arriscar. Ficamos com medo de andar com dinheiro, e eis que vimos muitas pessoas com bolos de dinheiro na rua do banco fazendo cambio, outras saiam do banco livremente contado o dinheiro que acabaram de sacar, enrolavam e colocavam no bolso e saiam livremente pela rua! Ri demais dessa cena, onde que podemos fazer isso aqui sem ficarmos desconfiados? As crianças brincando livremente na rua também, aqui se bobearmos roubam nossas crianças e vendem para outros Países... Somente duas cidades fiquei receosa, não aconteceu nada para isso, é só porque eram feinhas: ICA e PUNO. Parece que casas terminadas pagam mais impostos, por isso eles deixam inacabadas. Enfim, só posso dizer que me surpreendi com os peruanos, digo até que eles são mais evoluídos, dando mais valor a terra do que ao dinheiro (basicamente). SEGURO VIAGEM Contratei o da Porto Seguro, pois possuo o cartão e pagaria mais barato. Valor: 108,50 reais Abaixo o link para conhecer as avaliações dos seguros. Lembre-se que só tem avaliações de quem não ficou satisfeito com o atendimento, mas a resposta e a maneira que a empresa resolveu a questão é o que nos interessa. https://www.reclameaqui.com.br/categoria/seguro-de-viagens/ Nota: Verifique se o seu cartão já possui seguro viagem gratuito. ROTEIRO Idioma Espanhol Moeda Novo Sol Fuso horário Duas horas a menos que o horário de Brasília. Aeroporto mais próximo Aeroporto Internacional Jorge Chávez - Lima Voltagem 220 volts | Tomadas tipo A, B e C – 20 Amp. Vacina O Peru não exige Certificado Internacional de Vacinação Documentação Passaporte válido ou Carteira de Identidade original com foto recente que identifique o portador Consulado Avenida Jose Pardo, 850 | Miraflores Passagens de avião: Gosto de pesquisar em vários sites, mas basicamente, o que sempre dá certo é pesquisar na Decolar ( Clico em: ainda não defini datas, para ver o dia mais barato no mês que pretendo viajar, as vezes indo em um dia anterior ou posterior ao dia escolhido fica mais barato), e depois vejo no site da empresa correspondente, se está o mesmo preço ou ainda mais barato. Pretendia ir dia 13/05 mas o dia 14 estava muito mais barato e ainda era Avianca que eu gosto muito. O site Avianca internacional é um pouco confuso, mas se prestar atenção é possível comprar sem problemas. Assim comprei as passagens multidestino: SP>LIMA – CUSCO>SP (como ainda não tem aeroporto internacional em Cusco paramos novamente em Lima para vir a SP.) Valor da Passagem de avião por pessoa (Avianca): R$ 1157,40 NOTAS: Já há projetos para construção do Aeroporto internacional em Cusco (Chinchero), quando estávamos lá houve inclusive greve porque Lima é contra. Use uma aba anônima no seu navegador pressionando os comandos no seu teclado ctrl + shift + n para fazer pesquisas relacionadas a preço, às vezes fica mais barato! Abaixo disponibilizo os links de sites que uso normalmente para pesquisa e compra de passagens para qualquer destino: Nome Site Tipo Skyscanner https://www.skyscanner.com.br/ Comparar CVC http://www.cvc.com.br/index.aspx Comparar e comprar Decolar http://www.decolar.com/ Comparar e comprar Submarino http://www.submarinoviagens.com.br/index.aspx Comparar e comprar Tam/Latam https://www.latam.com/en_un/ Comprar Gol https://www.voegol.com.br/pt-br/paginas/default.aspx Comprar Azul http://www.voeazul.com.br/ Comprar Avianca Br http://www.avianca.com/pt-br/ Comprar Avianca In http://www.avianca.com.br/destinos/destinos_internacionais Comprar Copa https://www.copaair.com/pt/web/br Comprar Peruvian http://www.peruvian.pe/pe/ Comprar Viva Colombia https://www.vivacolombia.co/co Comprar Star Peru http://www.starperu.com/br/ Comprar Taca / Avianca http://brasil.taca.com/pt/ Comprar ViajaNet http://www.viajanet.com.br/ Comparar Tripadivisor https://www.tripadvisor.com.br/ Comparar Melhores Destinos http://www.melhoresdestinos.com.br/ Comparar Aerolineas Argentinas http://www.aerolineas.com.ar/pt-br Comprar Links para ajuda no roteiro: ROTEIRO Mochileiros http://www.mochileiros.com/ Informações sobre tudo Tripadivisor https://www.tripadvisor.com.br/ Informações e comparação Viaje aqui http://viajeaqui.abril.com.br/vt Informações sobre tudo Sunday Cooks http://sundaycooks.com/ Informações sobre tudo Viaje na Viagem http://www.viajenaviagem.com/ Informações sobre tudo Melhores destinos http://www.melhoresdestinos.com.br/ Informações sobre tudo O Melhor mês do ano http://www.omelhormesdoano.com/ Informações sobre tudo 4Pies http://www.4pies.com.br/ Informações sobre tudo Links para ajuda na escolha do hotel: HOTÉIS CVC http://www.cvc.com.br/index.aspx Comparar e comprar Decolar http://www.decolar.com/ Comparar e comprar Submarino http://www.submarinoviagens.com.br/index.aspx Comparar e comprar Skyscanner https://www.skyscanner.com.br/ Comparar Trivago http://www.trivago.com.br/ Comparar Rome2rio https://www.rome2rio.com/pt/ Comparar Hotéis.com https://www.hoteis.com/ Comprar Booking Booking.com - Hotéis no Brasil‎ Comprar Tripadivisor https://www.tripadvisor.com.br/ Comparar Melhores destinos http://www.melhoresdestinos.com.br/ Comparar 1. LIMA 14/05/17 ÀS 08:50 – Chegamos em Lima Lima é uma cidade (ponto), é interessante para quem viaja com foco em gastronomia, como em todo o Peru a comida é maravilhosa, bem pelo menos para quem gosta de tempero, batatas fritas e frango que tem em excesso, é o que eles mais comem (mas tem outras coisas, claro). Como o foco das minhas viagens é a natureza, planejei ficar só essas horas e deu para fazer tudo que planejei, assim, um dia foi mais que suficiente. Ao chegar na porta choveu taxistas, o que irrita bastante, conseguimos pagar em reais. Os táxis são baratos e o Uber funciona, para quem está sozinho, pode compensar pegar ônibus, achei bem organizado. Segue link: http://www.metropolitano.com.pe/ Fomos direto para Cruz del Sur, na Av. Javier Prado Este # 1109 Urb. El Pal. (guardar as mochilas, gratuitamente, pois iríamos para Huaraz á noite). Depois disso fomos ao Parque do Amor (Malecon de la Reserva | Miraflores, Lima 18, Peru ) e ao restaurante La mar (Av. Mariscal la mar, 770 – miraflores –lima), pois queria provar o verdadeiro Ceviche e Pisco Sour. Carooo ! Mas Valeu a Pena! Em seguida fomos a Huaca Puclana (Calle General Borgoño Cuadra, 8 | Miraflores, Lima, Peru) e ao Parque da Reserva (vale a pena conhecer e ver o Circuito mágico das Àguas na Madre de Dios, 15046) e partimos da Cruz del Sur para Huaraz. Outros lugares para Comer: Alfresco - Malecon Balta 790, Miraflores, Lima, Peru Costa zul Seafood - Jr. Berlin 899 | Miraflores, Lima Lima 18, Peru El mercado - Hipólito Unanue 203,Miraflores, Lima. Rafael - San Martín 300 Miraflores / Lima 18, Perú Tanta - Pancho Fierro 115 (próximo ao Parque El Olivar) Tanta Miraflores - Av. 28 de julio 888 Café - Enrique Palacios 329, Lima 15074, Peru Juan Valdez - Avenida Malecon de la Reserva, 610, Lima 15074, Peru Burguer king - Av Jose Larco 201, Miraflores - La Rambla, Av. Javier Prado Este 2050, San Borja Mc Donalds - Av. Javier Prado Este 130 Redes de supermercados Metro - Av. Benavides Nro. 620, Miraflores - Lunes a domingo de 7:00am - 11:30pm - Calle Shell Nro. 250, Miraflores - Lunes a domingos 24 Horas - Av. Canadá Nro. 654 (110) esq. con Av. Nicolás Arriola, La Victoria (perto da cruz del sur) Wong - Av. Santa Cruz 771 Urb. Los Sirius - Esq. Av. Benavides y Av. Republica de Panamá - Calle Arias schereiber 270 C.C. Aurora Ucello 162, San Borja 15036, Peru ( Perto da Cruz del Sur) Plaza Vea - Avenida Arequipa, Miraflores, Lima, Perú (perto de huaca puclana) Tottus - Calle Las Begonias 785, San Isidro 15046, Peru Links úteis: http://parquedelareserva.com.pe/ http://huacapucllanamiraflores.pe/horariosytarifas/ »Guia do bairro Miraflores em Lima http://www.tottus.com.pe/tottus/ (mercado) Gastos (para duas Pessoas): R$ 40,00 Taxi (até Javier Prado) S.16,00 Taxi (até parque do Amor) S/.12,00 Taxi S/. 220,00 Almoço na La Mar S/.16,00 Mercado (Água custa em torno de 3 soles) S/.8,00 Entrada do Parque S/.22,00 taxi S/. 16,00 Lanche 2. HUARAZ 15/05/17 ÀS 07:00 – Chegamos em Huaraz • As Passagens de Ônibus para Huaraz Comprei a Ida pela Cruz del Sur – Total por pessoa R$ 48,31 com IOF, pois comprei com antecedência do Brasil. Volta pela Oltursa – Total por pessoa R$31,08 com IOF. Abaixo disponibilizo os links de sites que uso normalmente para pesquisa e compra de passagens no Peru: (Alguns é possível comprar e ver horários) Empresas de Ônibus https://www.busbud.com/pt http://www.cruzdelsur.com.pe/ ormeno »Inka Express »Turismo Mer »Huayruro Tours »Soyuz »Civa http://www.oltursa.com.pe/ »Tepsa »Expresosocial »Linea »Emtrafesa »Moviltours »Chiclayo »Expreso Wari »Flores »Perubus »Transmar »Turdias http://www.4m-express.com/pasajes_es.htm Chegamos a Huaraz e fomos andando para o hotel, era perto da Plaza de Armas. (Em qualquer lugar que vá para o Peru, fique em hotéis próximo a Plaza de Armas, assim pode-se fazer tudo andando e encontrar tudo que precisa nos arredores: mercado, farmácia, etc.) A dona do Hotel nos ofereceu os passeios e acabei fazendo pelo intermédio dela mesmo. Resolvemos algumas coisas e ficamos aclimatando. 16/05/17 – Passeio ao Nevado Pastoruri a 5000m de altitude Todos os passeios são distantes de Huaraz, assim que demoram mais ou menos 2 horas só a ida. Para conhecer o Nevado você anda pouco, 45 minutos ida, o problema é a altitude e o frio, chegou a nevar um pouco quando fui, assim, vá preparado para o frio, leve e beba bastante água, não senti nada de dor, mas parecia que estava carregando um guindaste, chega até ser engraçado, você não conseguir correr, só andar e, lentamente.... também senti que respirei mais nesses 45 minutos do que meus 30 anos de vida! Sempre levei um rolo de papel higiênico, fiquei com coriza (rinite) por causa do vento gelado, só nos passeios. Dica: Quando pensar que não pode mais, beba água, e respire profundamente, somente pelo nariz! E ande um passo de cada vez, passos curtos e lentos, mas sem parar! E Não sente! 17/05/17 – Passeio a Laguna Llanguanuco e 69 Apesar de andar mais, muito mais, achei mais fácil que o Nevado, mas cansa muito e sou sedentária, as subidas são de matar, mas aqui consegui carregar meu peso mais fácil! E olha que era em torno de 4200m. Dica: A mesma de cima e vá com roupa de frio e impermeável, aqui neva mais e pode chover (quando fui não choveu, mas nevou na laguna) o percurso é mais longo, o sapato também (impermeável), além de ser antiderrapante. Não há banheiros! Antes, na ida, aproveite as paradas para usar, por que depois que começa a trilha só o matinho.... 18/05/17 – Passeio a Laguna Querococha e Chavin de Huantar Esse passeio é bem tranquilo, não há caminhada, tudo feito no ônibus. Mas é bem longe, e tem muita história, para quem não gosta de museu, esse pode ficar de fora. ÀS 22 voltamos para Lima Huaraz tem muito a oferecer para quem tem tempo. Eu gostaria de ter feito Parón e Churup, entre outras coisas.... Acredito que 5 dias, são suficientes para conhecer o básico.... Nota: comprei um chip da Claro, para usar internet durante a viagem pois ia fazer reservas e comprar passagens pelo celular, a internet é ótima, 4G. Gastos (para duas Pessoas): S/ 54,00 Mercado S.34,00 Jantar S/.44,00 Almoço S/. 33,00 Mercado S/.5,00 Balas de Coca/folhas de coca,etc S/.20,00 Entrada do Parque S/.70,00 Passeio Pastoruri S/. 37,00 Farmácia (oxi Shot) S/.30,00 Chip claro +crédito S/.37,00 Mercado S/. 100,00 Entrada parque e passeio 69 S/.72,00 Jantar S/.10,00 mercado S/.80,00 Passeio Chavin S/. 53,00 Almoço S/. 240,00 Hotel S/. 6,00 Taxi até a rodoviária 19/05/17 – Lima- Ica Chegamos em Lima cedo, íamos descer na Javier Prado para pegar o ônibus com destino a Ica mas não sabíamos se ia dar tempo. Então descemos na Plaza norte para Seguir a Ica. Como o Plaza norte é terminal do governo tivemos que pagar uma taxa de embarque que não possui na Cruz del Sur da Javier Prado, visto que o terminal é próprio da Empresa. Chegamos em Ica, e já reservamos o Passeio de Buggy, enquanto esperávamos passeamos pelo Oasis de Huacachina. À tarde fizemos o Passeio de Buggy e vimos o por do sol das Dunas, lindíssimo, e ainda fizemos o Sandboard, incluso no passeio. 20/05/10 Ica- Paracas Reservamos com a mesma agencia o passeio a Reserva Nacional de Paracas, não foi possível ir as Islas Ballestas, estava fechado há dias por causa da instabilidade do Mar. Venta muito na Reserva.... Gastos (para duas Pessoas): s/. 7,00 Táxi até o hotel s/. 4,00 àgua s/. 46,00 Almoço s/. 88,00 Passagem de ônibus s/. 90,00 Passagem de ônibus Nasca s/. 7,20 Entrada para Dunas s/. 218,00 Passeio Buggy e Reserva Paracas s/.20,00 Entrada Paracas s/. 25,00 Doces s/. 36,00 Café da Manhã s/. 63,00 Almoço s/. 59,00 Diária no Hotel 21/05/2017 – Ica – Nasca Chegamos á noite em Nasca e já reservamos via Whats o Sobrevoo as linhas de Nasca. Fantástico, super recomendo! Os horários dos ônibus são ruins para Arequipa,(cruz del Sur) assim, ficamos esperando até de noite para seguirmos para lá. Dica: Tome remédio para Enjoo se for fazer o Sobrevoo Empresas que fazem o Passeio: Linhas de Nazca »AeroParacas »Alas Peruanas »Aerodiana Gastos (para duas Pessoas): s/. 5,00 Táxi até o hotel s/. 3,00 àgua s/. 10,00 Camiseta de Nasca s/. 460 Passeio as linhas de Nasca (Voo) (com taxa de embarque) s/. 130,00 Passagem de ônibus Arequipa s/. 32,50 Lanche s/.39,30 Almoço ? Diária no Hotel 22/05/2017 – Arequipa Muitas opções de passeio para quem tem tempo, no nosso caso só estávamos interessados em conhecer o Cânion que parte de Arequipa e vai até Chivay. Não recomendo bate e volta! Escolhemos o Passeio de 2D1N com caminhada de 6 a 7 horas para descida do Cânion!!!! 23/05/17 – Chivay A van nos leva para tomamos café depois O primeiro ponto do tour é o Mirador Cruz de los Condores, depois começamos a caminhada. 97% descida,2% plano,1 %subida, há muito degraus, pedras, precipício e terras pelo caminho. Como tem muita descida o joelho e os dedos dos pés pode doer. Após 2:30 a 3 horas chegamos na parada para almoço, descansamos uns 40 minutos (aqui que é o problema, pois o corpo esfria e aí já sabe, a coragem vai embora e as dores começam a aparecer Junto com o cansaço) e seguimos caminhando.... Depois de muita descida, chegamos no final. Não espere muito conforto nos quartos, mas dão para o gasto... 24/05/17 – Chivay- Arequipa Acordamos de madrugada para começar a caminhada que começaria á noite, tivemos que levar lanternas (já levei do Brasil), foram 3 horas só subindo “degraus”, parecia que não acabava mais, algumas pessoas desistiram e contrataram mula, eu prefiro morrer de caminhar do que cair de cima de um desses. O caminho beira o precipício o que já dá medo de caminhar imagine em cima de um bicho desses. Há casos de pessoas que caíram do cavalo, literalmente. Cuidado! https://oglobo.globo.com/brasil/-5567253 Eu fiz muito esforço e consegui!!!! Um passo de cada vez, bem devagar e cheguei... E eu nem fui a última! Assim, tomamos café e seguimos para conhecer o Valle del Colca. Dica: Casaco corta vento, bota ou tênis para Trekking, Papel, muita água, protetor solar, manteiga de cacau,não fez muito frio, ainda mais porque caminhamos... Gastos (para duas Pessoas): s/. 10,00 Táxi até o hotel s/. 8,00 àgua s/. 26,50 Lavanderia s/. 46,88 Mercado s/. 7,50 pilha s/. 10,00 Crédito claro s/.45,20 Almoço Burguer King s/. 70,00 Diária no Hotel s/.200,00 Passeio ao Cânion (comida inclusa: 2 café,2 almoços e 1 janta para cada) s/. 80,00 Entrada parque para sudamericano s/.60,00 Passagem Puno s/.16,00 café s/.60,00 Almoço s/.20,00 Propina s/.6,00 Bastão de caminhada (cabo) s/. 20,00 Banho extra s/. 3,00 Toalha extra 25/05/17 – Arequipa- Puno Fizemos a besteira de viajar com a Econociva, não recomendo! Algumas pessoas vão para Puno de Chivay com a empresa 4M, 50 dólares a passagem, uma extorsão, preferi voltar para Arequipa e seguir para Puno. (também não tive que me preocupar, pois as malas tinha deixado em Arequipa. Com a empresa 4m, parece que você despacha sua bagagem em Arequipa, vai para o Cânion e depois pega o ônibus em chivay seguindo para Puno. Chegamos em Puno de Madrugada, e já tinha um monte de taxistas te oferecendo passeios e corridas. Fomos conhecer Uros e Taquile (Taquile não compensa, não tem nada de mais) e no mesmo dia seguimos para Cusco. Gastos (para duas Pessoas): s/. 6,00 Táxi até o hotel s/. 14,00 Café da manhã s/. 35,00 Móbile feito de Totora s/. 100,00 Passeio Uros e Taquile s/.140,00 Passagem Cusco s/.1,50 banheiro s/.40,00 Almoço s/.3,00 Embarque s/.5,00 Táxi 26/05/17 – Cusco Chegamos em Cusco muito em cima da hora e quase que não conseguimos fazer o passeio que tinha no roteiro, entrei em contato com uma agência mas já tinha completado a quantidade de pessoas no passeio, mas o rapaz foi legal e arrumou uma outra em cima da hora, e conseguimos fazer! Fizemos Maras e Moray e depois fomos na agencia do rapaz que nos arrumou o passeio para reservar o vale sagrado, claro que enfiou a faca! Nota: Precisa de um boleto turístico que dá direito a entrada, maiores informações em: »Bilhete Turistico Geral em Cusco 27/05/17 – Ollantaytambo e Aguas calientes Fizemos todo o passeio. Depois conhecemos ollanta, e assim nos deixaram na estação de trem rumo a Aguas calientes. • Ingressos Machu Picchu: Fiquei acompanhando a quantidade de ingressos que havia disponível no site, de repente tinha só 17! Para subir a Huayna, assim tive que comprar. - Comprei com cartão VISA International - Optei pelo horário das 10, pois teria menos risco de ter névoa (segundo relatos) e deu certo! http://www.machupicchu.gob.pe/ Valor do ingresso por pessoa: R$228,40 já com IOF 6,38% e taxa da Visa 8,06 soles Notas: Agora o parque não pode ser visitado o dia inteiro, eles dividiram em 2 turnos de 4 horas cada. Informações no próprio site. Se quer subir a Huayna, compre com meses de antecedência!!! • As Passagens de Trem Como já tinha comprado os ingressos comprei também as passagens de trem, para não correr o risco de não ter o horário que eu queria. Abaixo disponibilizo os links para pesquisa e compra das passagens de trem: Trens »PeruRail »IncaRail Valor das passagens de trem por pessoa: R$391,76 + IOF de 23,66 Notas: tem a opção de ir de van e caminhando, mas como iria perder muito tempo, preferi o trem. Chegamos em Águas Calientes (Machu Picchu Pueblo) e depois de nos instalarmos no hotel, fomos comprar a passagem(outra) até o parque de Machu. (compre no dia que antecede sua visita), pois a bilheteria só abre as 5 e as 3:30 já tem gente fazendo fila para pegar as vans que começam a rodar acho que 5 também. A fila é imensa e você acha que não vai conseguir entrar no parque de tão grande, segue praticamente o povoado inteiro (ele é pequeno), então: Acorde Cedo! Tem pessoas que vão caminhando. Como ia fazer todas as trilhas que desse no parque, preferi ir de van. Dica: Leve casaco impermeável, use repelente e protetor solar. Não pode comer dentro do parque. Pode sair e entrar (3x contando com a primeira ida) depois. 28/05/17 – Machu Picchu Finalmente!!! Bom, não vou falar muito sobre como é Machu Picchu pois já tem milhares de relatos por aí. Mas sigam essa dica: deixem Machu Picchu pro final! Porque se não os outros lugares perderão a graça. Verdade! Como quase em todos lugares no Peru, aqui também paga-se para utilizar o banheiro (1 sol), a cada entrada carimbam seu ingresso, o limite são 3. Nota: Perto do banheiro você pode carimbar seu passaporte! Huaynna Picchu Estava com muito medo de subir, por causa dos relatos dizendo que é perigoso. Bom, se você tomar cuidado e usar o calçado adequado, é difícil acontecer alguma coisa, algumas partes beiram mesmo o precipício, portanto toda atenção é pouca! Cuidado com as Selfies! Dica: compre lembranças em Cusco, em Aguas Calientes é o dobro ou triplo, fique de olho.... As comidas também, peça desconto.... 29/05/17 – Ollantaytambo Pegamos o trem de volta até ollantaytambo, e pegamos uma van pública, no final da rua ao invés de pagar o transfer, até Urumbamba e mais outra (pega no mesmo local que desce) para Cusco.(muito mais barato) 30/05/17 – Humantay Façam esse passeio, apesar da altitude, vale o esforço, a lagoa é lindíssima. Dica: Faz muito frio nessa época, chegou a nevar, se protejam. 31/05/2017 – Montanha Colorida Quando estava pesquisando esse passeio, vi que é amado por uns e odiado por outros, de minha parte só saberia se ia valer a pena se eu fosse, e não me arrependi, a paisagem é incrível, neve por toda parte (nessa época), isso é claro, aumentou a experiência, mas ia gostar mesmo se não tivesse, pois é diferente do que eu já tinha visto. È muito mais frio que os outros lugares, a caminhada é longa, você fica com calor, mas se tira a blusa percebe que começa a congelar, então mesmo que sinta calor, não tire a blusa. È preciso tomar muito mais água e não se pode ficar muito tempo lá em cima, muitas pessoas passam mal e não é por menos, estamos a 5000m de altitude! ãã2::'> Há mulas para serem alugadas e banheiro químico ou um buraco no chão cercado por madeira para necessidades fisiológicas. Dica: Deixe esse passeio para o último dia, quando já estará totalmente aclimatado. 01/06/2017 – Cusco Não poderia ir embora sem antes, visitar um único museu: Machu Picchu – Casa Concha Recomendo mesmo para quem não gosta de museu, e foi no Parque Machu Picchu. Para completar Machu Picchu “The Experience”, veja as 360 peças que foram devolvidas pela Universidade de Yale. http://www.museomachupicchu.com/ E assim voltamos para SP... Dica: não leve, caso compre, o oxigênio na sua bagagem, nem folhas de coca. Lembrando que Lima via SP não pode embarcar com liquido também (nem água), apesar de deixarem em Cusco via Lima. Gastos (para duas Pessoas): Cusco s/. 8,00 Taxi s/. 66,00 Starbucks s/.90,00 Maras y Moray s/.20,00 Entrada s/. 140,00 Boletos Turísticos s/.47,00 Mc Donalds s/.120,00 Passeio Vale Sagrado s/.78,00 Almoço s/. 11,80 Mercado s/. 70,00 Gargantilha de prata Tumi s/. 200,00 hotel Machu Picchu s/.158,00 Van de águas calientes até parque Machu s/.8,00 Água s/.35,00 Lanche s/.85,00 Lembrancinhas s/.15,00 Van pública de ollanta até Cusco s/.5,00 água s/.380,00 hotel Cusco s/.90,00 Almoço s/. 300,60 Hotel s/.360,00 Passeio a humantay e Montanha Colorida (com refeições inclusas) s/. 20,00 Entrada montanha s/.50,00 Pizza s/.6,00 Água s/.40,00 Entrada museu s/.1,00 banheiro s/. 5,00 Aluguel bastão para caminhada (recomendo) s/.8,00 Agua s/. 54,00 Mc Donalds s/.36,00 Starbucks s/.47,50 Lembrancinhas s/.63,00 presentes s/. 35,00 Mc Donalds s/. 60,00 2 sueteres s/. 47,00 Mercado s/. 55,00 Presente s/. 15,00 taxi s/. 10,90 Mc Donalds s/. 3,50 Chicha Morada   Links de Agências/roteiros: http://www.go2peru.travel/spa/guia_turismo_peru.htm http://www.inkalandtreks.com/joing-a-group.html http://www.oscacadoresdecachoeiras.com.br/2012/11/cordillera-blanca-ancash-peru-huaraz.html http://turismoi.pe/ http://www.fabulousperutours.com/ http://www.colcaperu.gob.pe/ http://www.colcatrek.com.pe/ http://www.pacotesperu.com/pacote14.php Agência Madre Tierra – Whats 51 997 871 713 (Passeios Cusco) Alas peruanas – 51 956 640 619 (Nasca) First Class Huaraz – 51 945 337 550 (Huaraz) Scheler – 51 943 397 706 (Huaraz) Viajes Ica/Paracas – 51 994 307 771
  4. 1 ponto
    Muito se discute qual a diferença entre uma viagem comum e um mochilão. Opiniões a parte, vou detalhar aqui como eu planejo minhas viagens e mochilões. Lembrando que este é meu modo, e que obviamente varia de pessoa para pessoa. DESTINO Os destinos das minhas viagens aparecem em minha vida das mais diversas formas: vejo fotos ou vídeos na internet, leio sobre iniciativas locais, e assim vai. Geralmente eu escolho um ponto turístico que quero muito ir, então pesquiso sobre a cidade/estado/país, vejo outros pontos turísticos próximos, cidades próximas, e então monto uma lista de lugares a visitar que julgo os com melhor custo benefício. Exemplo: Se meu sonho é conhecer o Cristo Redentor no Rio de Janeiro, ele pode ser meu ponto de partida. Então vejo outros pontos turísticos de lá, como o Pão de Açúcar, Pedra do Telégrafo, Parque da Laje, Museu do Futuro, Mirante Dona Marta, e assim vai. De um ponto de interesse, eu pesquisei coisas próximas, e montei a base do que vou visitar. PASSAGEM Sabendo para onde quero ir, pesquiso sobre como vou para o destino. Caso tenha possibilidade e disponibilidade (tempo), eu pesquiso primeiro passagens de ônibus, e verifico se a economia é suficiente para justificar o tempo que iria gastar na viagem. Por exemplo: ir de ônibus para a Bahia leva tanto tempo, que compensa mais ir de avião. Sem contar que o ônibus para lá nem é tão barato assim, e é possível encontrar boas promoções de passagens aéreas. E as vezes nossas folgas são tão curtas, que perder um dia e meio em um ônibus, pode sacrificar vários passeios no local. Eu pesquiso primeiro em algum site que compara preços, como o Decolar. Achando a passagem que quero, vou diretamente no site da companhia e compro lá mesmo. Assim, evito as taxas que esse site de site cobra. Caso eu tenha disponibilidade de dias, sempre verifico se não fica mais barata ir um dia antes do planejado, ou voltar um dia depois. As vezes essa mudança gera uma economia de centenas de reais. Nessa tabela podemos ver um exemplo do que falei. Indo sábado, dia 02 de março de 2019, e voltando na terça, dia 05, você pagaria 1567 reais. Já indo dia 4 e voltando dia 8, o valor cai para 812 reais! Em 2017 fui para uma comunidade alternativa na Bahia chamada Piracanga, e com essa técnica paguei 400 reais na passagem de ida e volta! HOSPEDAGEM Com o destino escolhido, e a passagem comprada, agora vou atrás de um lugar para ficar, de acordo com a grana que tenho, e com a experiência que desejo ter. Eu gosto muito de natureza, e tento integrar minha hospedagem com ela. Pesquiso no AirBnb cabanas de madeira, casas em meio a floresta, casas na árvore, etc. Também me agrada muito ficar em Hostels (albergues), pois a integração com outras pessoas é enorme! Você conhece outras realidade, países, pessoas, culturas, além de treinar sua inglês, espanhol... E os preços dos hostels costumam ser bem atrativos, deixando a viagem mais barata, podendo-se até fazer passeios a mais, pois você gastou menos com hospedagem. Recentemente fiquei nesta casa na árvore, pelo AirBnb. Ela tinha café da manhã, uma vista linda, e dividi a casa com os moradores. Conversamos sobre vários assuntos, conheci a vida deles, eles a minha, e tive uma interação maior com pessoas e com o local, pois os locais sempre dão dicas do que visitar da região. Em hostels eu costumo ligar ou mandar e-mail diretamente para eles, pois qualquer taxa que eles paguem para o site de reserva pode virar uma economia. Quando fui para o Chile, pesquisei um hostel que era uma casa de madeira em meio a uma vegetação, e fiquei encantado. Liguei para lá sem falar nada de espanhol, e depois de alguns minutos, já estava com a reserva feita. As pessoas são bem solícitas, e tentam de toda forma ajudar quem precisa. Exemplo do Booking, site onde você pode pesquisar pela data e destino, e receber indicações de hospedagem: Uma experiência no AirBnb: COMPILANDO AS INFORMAÇÕES Agora você já tem um destino, um local para dormir, e sabe como vai chegar até lá, mas ainda falta muita coisa! Chegando no aeroporto, como você vai até o local de hospedagem? Alguns hostels, pousadas, ou hotéis, possuem convênio com serviços de transfer, que te buscam no aeroporto ou rodoviária. Caso você queira um serviço desse (mais caro que um ônibus ou metrô), deve conversar com o estabelecimento, e contratá-lo. Eu busco sempre uma alternativa mais barata, já peguei carona, fui de taxi, uber, ônibus comum, fui a pé, mas em uma determinada situação, eu precisava estar no aeroporto 6 da manhã. Contratei então o transfer, uma van que passou em diversos hotéis e pousadas, pegando as pessoas para deixá-las no aeroporto. O próximo passo é separar as atividade por dia! Essa ordem de atividades deve ser feita com um critério muito simples: distâncias. Se na parte da manhã você vai em uma praia, que ao lado dela exista um lugar que você quer almoçar, marque para a tarde algo próximo. E deixe para o próximo dia algo que fique mais distante de lá. Assim você economiza o tempo e dinheiro do deslocamento. No próximo dia faça o mesmo, em outra região. Tudo pode ser consultado pelo Google Maps, assim você mede as distâncias, e faz mais por menos. Exemplo de roteiro em São Paulo: Dia 1 - Café de manhã no Hostel, caminhada no Parque Trianon e avenida Paulista, almoço na Rua Augusta, a tarde vai até o Beco do Batman, suco em algum local próximo, e depois Praça do por do Sol. Dia 2 - Café da manhã no Hostel, museu da imigração na parte da manhã, almoço do Mercado Municipal, e depois atravessar a rua para visitar o Museu Catavento. E assim vai o restante dos dias. Atrações próximas criam a possibilidade de ver mais coisas em sua viagem! ECONOMIA Algumas formas de economia nas viagens: No caso de AirBnb e Hostel, pelo menos algumas vezes durante a viagem, eu cozinho minha própria comida. Isso gera uma economia de dinheiro, e depois posso gastá-lo com outros passeios, comer em algum lugar mais caro, ou mesmo viabilizar a própria viagem, pois em alguns casos eu já fui planejando cozinhar, ou então eu não poderia ter viajado. Compre os ingredientes no mercado e use a cozinha comunitária. Geralmente eles já possuem sal, óleo, e outras coisas básicas. TRANSPORTE DURANTE A VIAGEM Para ir de uma atração a outra, caso não seja possível ir a pé, você terá que pegar um transporte. Em alguns países existem cartões que você pode recarregar e pegar ônibus e metrô. Em cidades maiores o Uber está presente, e se torna uma opção barata, mas atenção para as cidades que o serviço é proibido, e pegá-lo mesmo assim pode complicar sua viagem, caso seja pego. Cartão de Santiago - Chile. PREVISÃO DO TEMPO Embora seja algo que não podemos planejar, podemos usá-la a nosso favor para minimizar os transtornos que uma chuva pode causar. Por exemplo: No dia 1 você vai a um museu, e nesse dia a previsão é de Sol. No dia 4 você vai fazer uma trilha, mas a previsão é de chuva. Você pode inverter os passeios, e assim aproveitar os dois! Exemplo de roteiro visual: Dicas gerais: Verificar feriados locais, pois pode ter muita coisa fechadas nessas datas. Buscar cardápios de restaurantes na internet, isso pode poupar tempo e dinheiro, pois se for mais caro do que você deseja, você nem vai. Baixar aplicativos que podem ajudar a sua viagem: previsão do tempo, uber, bla bla car, app da companhia aérea (fazer checkin antecipado), etc. Caso seja um país de outra religião diferente da sua, verificar se você não vai desrespeitar costumes. Por exemplo, na Tailândia você não pode ter uma tatuagem de uma cabeça de Buda. Verifique se a cotação para trocar o dinheiro é melhor no destino. Trocar no Brasil quase sempre não é vantajoso. Verifique sem o país pede alguma vacina, como febre amarela. A maioria das vacinas precisa ser tomada alguns dias antes da viagem, e se você esquecer e tomá-la no dia anterior, ainda assim não poderá embarcar. Para países do Mercosul você pode viajar somente com RG recente. Não vale CNH, somente o RG. Agora é hora de fazer se roteiro e viajar! Good trip! *Eu fiz esse post originalmente para o meu blog de viagens, mas postei aqui porque ele pode ajudar muito mais pessoas do que o meu blog consegue alcançar*
  5. 1 ponto
    Depois de 5 meses de planejamento, no primeiro dia do ano peguei um avião rumo à Patagônia! Eu deveria estar super feliz, mas ao invés disso eu estava triste e com um nó enorme na garganta. Foi minha primeira viagem sozinha. Desejei tanto essa viagem e no meu ímpeto de conhecer o mundo me esqueci que, na verdade, eu sou uma pessoa tímida. É uma luta brava ter que interagir com desconhecidos. Mas não tinha mais jeito. Bastaram 5 minutos de coragem insana. Fui. Ainda bem. A viagem durou 17 dias, que dividi - não proporcionalmente - entre a Patagônia Argentina e a Patagônia Chilena. Fiz o roteiro da seguinte forma: São Paulo ⇒ El Calafate ⇒ El Chaltén ⇒ Puerto Natales ⇒ Torres del Paine ⇒ Punta Arenas ⇒ Ushuaia ⇒ São Paulo. Cheguei em El Calafate pela manhã, peguei um transfer no aeroporto - que custou 180 pesos - deixei minha bagagem no hostel e fui conhecer a cidade. A cidade é pequena, a rua principal me lembrou Campos do Jordão, só que mais simples. Apesar disso, os preços são bem salgados por lá. Os mercados não tem tantas opções e os restaurantes, em grande variedade, também não tem preços muito convidativos. Li muito sobre cada um dos destinos e fui distribuindo os dias de acordo com os meus objetivos em cada um desses lugares. Na volta, almocei num restaurante chamado Rutini: sopa de abóbora, um filé a milanesa napolitano com fritas e uma Quilmes. Paguei 430 pesos. Algo em torno de 60 reais.Caminhei por aquelas ruas tranquilas até o Lago Argentino. Fiquei um bom tempo lá fotografando e sentindo o vento bater no rosto. Vi alguns flamingos de longe e também vi alguns canos de origem duvidosa desembocando no lago. Uma pena. Gastei mais 300 pesos no mercado comprando frutas, amendoim, suco, água, um pacote de pão, um pote de doce de leite e uma peça pequena de mortadela. Isso foi meu almoço, janta e lanche para os próximos dias. Em El Calafate meu principal - para não dizer único - objetivo era conhecer o Glaciar Perito Moreno, uma das maiores geleiras do mundo. Então comprei um passeio na própria recepção do hostel: Tour Alternativo Al Glaciar Perito Moreno. Esse passeio, além de levar ao parque, passa por um caminho "alternativo", vai por dentro da Estância Anita, atravessada pelo rio Mitre, a maior e mais importante da região. O tour é muito atrativo porque o ônibus vai parando na estrada, os turistas descem e tiram fotos à vontade e os guias vão contando histórias - muito interessantes, sobre a colonização da província - que você não saberia de outro modo. O tour custou 800 pesos e o ingresso do parque - pago somente em dinheiro, na entrada do parque - saiu por 500 pesos. Foi barato? Não. Valeu a pena? Muito! Esses passeios, e qualquer outro, são fáceis de encontrar. Há muitas opções de agências no centro da cidade. Se você for mais ansioso (a), também tem a opção de comprar antecipadamente, pela internet.Chegando no parque, a estrutura surpreende. São quilômetros de passarela, nos mais diferentes ângulos, para você apreciar o Glaciar Perito Moreno e toda a natureza daquele lugar fantástico. Foi uma das coisas mais incríveis que eu já vi na vida. Me faltam palavras para descrever. É majestoso. A natureza é maravilhosa. Fiz o passeio mais simples do parque: a pé, através das passarelas. Mas vale lembrar que existem passeios de barco e caminhadas em cima da geleira também. O que eu te digo sobre esse lugar: você precisa ver de perto. Não há foto ou vídeo capaz de reproduzir toda a sua grandiosidade. Os sons do gelo caindo, o sol refletindo naquela imensidão branca, os inúmeros tons de azul, os pássaros, o vento. Tudo. A natureza é perfeita. Cada pedacinho dela. Espero que esse relato tenha te deixado, no mínimo, curioso para ver com seus próprios olhos. Fico por aqui, mas logo eu volto para continuar contando a minha aventura pela Patagônia. O melhor ainda está por vir! Ah! E o que eu aprendi até aqui: encare seu medo. Até logo, aventureiro!
  6. 1 ponto
    @Marcos.Filipe Obrigada ^_^
  7. 1 ponto
    @Jonatha Cássio Jonatha, decidimos que estaremos em Cusco no dia 24 de julho (uma garota já chegará lá no dia 23), e ficaremos até o dia 02 de agosto (outra garota irá embora antes pois ela é professora e dia 01 já tem trabalho). Até o momento a certeza é que faremos Machu Picchu nos dias 29 e 30 de julho (segunda e terça-feira). Se quiser mais informações, entra em contato pelo e-mail: [email protected] O grupo até agora é formado por 7 pessoas, todos brasileiros.
  8. 1 ponto
    @Rodrigues Franciele São Thomé das Letras, Airuoca, Serra da Canastra, são boas pedidas tbm!! Aí oh, vc já tem uma lista de lugares haha
  9. 1 ponto
    @_jut Esse deve ser o mais atual relato da situação da Venezuela. Atente para a situação do dinheiro por lá.
  10. 1 ponto
    Com certeza, eu podendo ajudar é na hora!
  11. 1 ponto
    Comprando coisas fora do Brasil ao retornar o procedimento é o mesmo pra qualquer país. Pra evitar pagar taxas ao chegar aqui o ideal é retirar os produtos da caixa para subentender que já é do seu uso pessoal caso vc seja contemplado na vistoria. Se vc ja tem planos de comprar um cel lá, deixe o seu aqui ou entao abra mao do seu quando estiver lá, chegar de uma viagem no exterior com dois celulares a policia nao vai acreditar muito se vc disser que ja possuia os dois antes de sair do Brasil, a nao ser que vc aprsente as notas fiscais.. Eu comprei câmera, acessórios, caixinha de som e nunca me perguntaram nada em nenhum aeroporto durante toda minha rtw, acho que é uma questao de sorte tambem rs, mas de toda forma se puder jogue as embalagens fora.
  12. 1 ponto
    @lobo_solitário Show! Muito obrigado. Tem alguma dica que você ache imprescindível pra não errar lá? Tipo costumes ou algo do tipo? hahahaha
  13. 1 ponto
    tenho idéia de ir a India fazer um mochilão, não sei como e por onde começar rsss, vou sozinho de mochila ficar em hostel e gastar pouco. Pode me dar um rumo, já que tem conhecimento da região. Desde já agradecido.
  14. 1 ponto
    Até agora eu só tinha visto e ouvido falar dos lugares mais populares de capitólio! Por isso eu não era muito chegada nessa opção, gosto de lugares bem calmos poucos visitados kkk mas muito obrigada pela dica vou pesquisar mais a fundo essa cidade tbm! 😀😉😁
  15. 1 ponto
    Sim, o meu banco também é Itau. No proprio site tem como vc fazer a liberaçao para uso internacional, lá vc informa o periodo que pretende ficar fora. Qualquer coisa liguei no cartao que eles providenciam a liberaçao tambem. Sobre o cambio real - dolar neozanlandez vc precisa fazer aqui no brasil. Ligue nas casas de cambio e veja a melhor cotaçao. Como nao é uma moeda que tem tanta saída talvez precise encomendar e pegar depois de um dia ou dois. Na NZ o Real nao é aceito. Raramente eu comia na rua, eu sempre fazia minha propria comida no hostel, fica bem mais em conta do que comer na rua. Em locais com cozinha compartilhada normalmente as pessoas sempre deixam alguma coisa pra tras que nao vai mais usar que pode ser utilizado por outro viajante. Caso opte em fazer sua comida dê uma olhada pra ver se ja nao tem oleo, sal, arroz, etc.. daí sua compra no supermercado ficará mais em conta. Fazendo compras proximo ao horario de fechamento do supermercado as vezes tem várias promoçoes, principalmente de coisas que tem o prazo de validade mais curto como produtos de panificaçao, verduras, frutas,etc.
  16. 1 ponto
    Eu tbm tô de férias pretendo ir pro sul tbm
  17. 1 ponto
    @lobo_solitário Muito obrigada! É realmente foi o que eu imaginei e prefiro não arriscar hahaha. Quem sabe final desse ano eu finalmente consiga ir! Vou para o próximo plano então rs. Vlw mesmo
  18. 1 ponto
    @Elisa Villela de um modo geral o período das chuvas inicia-se em abril e pode ir até por volta de outubro. Se fosse eu, nao arriscaria ir nessa época pois corre o risco de vc pegar vários dias de chuvas pesadas, ou quando nao, dias nublados nos quais nem da pra aproveitar a praia. Já peguei um dia de chuva na Tailândia que foi apenas uma amostra do quanto as chuvas podem ser pesadíssimas e olha que eu estava lá no mês de dezembro. A melhor época pra vc aproveitar aquela região seria de novembro até em meados de março, nessa época faz bastante sol e as chuvas são bem raras. De toda forma se vc só tem essa época citada pra viajar pra lá e ainda sim quer arriscar, boa sorte, nao faça um roteiro cronometrado pois poderá pegar vários dias de chuva sem conseguir fazer nada, mas quem sabe o fator sorte também ajuda, porque se tratando do clima nao tem como afirmarmos com 100% de certeza que irá fazer sol ou chuva.
  19. 1 ponto
    Olá, Já tinha ouvido relatos sobre a antiga estrada que ligava Mendoza(Argentina) ao Chile. Hoje a travessia é realizada pela Ruta 7. Eu, minha esposa e nossa filha embarcamos nessa aventura, partimos de Blumenau-SC até Mendoza-Argentina, foram percorridos no total 5490km (ida e volta). Partimos dia 23/12/18 pela manhã e chegamos a Mendoza dia 25/12/18 fim da tarde. Pesquisei bastante sobre procedimentos para este tipo de viagem, como kit primeiros socorros, cambão, carta verde, e outros mais. Primeira parte da viagem foi de Blumenau até São Borja (ficamos na hospedagem dos imigrantes) no outro dia fomos até a pequena cidade de Saturnino m Laspiur(ficamos na hospedaje Quique) e no terceiro dia chegamos a Mendoza. No dia 26 largamos o carro no estacionamento e caminhamos o dia todo pela cidade, que é bem movimentada mas tranquilo de caminhar, principalmente na Peatonal Sarmiento, um calçadão bem movimentado e com muitos restaurantes e cervejarias ótimas...e claro ótimas sorveterias. No dia 27 fomos de carro pela ruta 52 até a reserva natural Villavicencio, e dessa parte em diante fui de bike, minha esposa e filha acompanharam no carro. Foram 27km de subida, chegando a 3.000metros do nível do mar, e o pedal continuou até a cidade de Uspallata, totalizando 57km. O percurso é maravilhoso, paisagens fantásticas, muitos Guanacos...e não vimos o tal temido Puma. Não senti diferença de altitude, mas minha filha e esposa sentiram um pouco de tontura, e claro uma diferença de temperatura. O lugar é "hermoso" sem palavras para descrever tamanha beleza. De Uspallata fomos de carro até Las Cuevas, cidade fronteira com o Chile, o caminho é ótimo e sempre subindo. Um visual lindo demais, cercado de montanhas que ainda tinha muito gelo no topo. Ficamos no hostel Portezuelo Del Viento, um lugar muito aconchegante e um atendimento primoroso pelo (Juan Pablo). A noite faz muito frio, mesmo em pleno verão(deve ter chegado bem próximo de 0 graus) mas o hostel tem ótimos aquecedores. Pela manhã seguinte fizemos a épica subida ao Cristo Redentor de Los Andes, a 4.000 de altitude, fazendo divisa com o Chile. Subimos primeiro de carro, passando por várias encostas com gelo. Após voltar ao hostel, peguei a bike(mtb) e subi o morro, um sonho de muito tempo, são 9,5km de subida ingrime, com direito a muito vento e claro um pouco de dificuldade de respirar. Voltamos pela ruta 7 até Mendoza, a paisagem é magnifica! Paramos rapidamente em Potrerillos, um dique artificial com águas das geleiras. Ficamos mais 03 dias em Mendoza, conhecendo as lindas praças, mercado público, restaurantes, sorveterias, bodega Renacer... Ainda fiz mais um pedal para o cerro Arco, que é aos redores de Mendoza. Tem um mirante maravilhoso no alto dessa montanha. Fiquei impressionado com a quantidade de pessoas que vão fazer caminha e treino nesse local. Os argentinos fazem muito treeking, aproveitando as montanhas ao redor. Foi uma viagem muito louca, ousada e tremendamente divertida e prazerosa.
  20. 1 ponto
    @Rodrigues Franciele vcs iriam amar Capitólio, se pudessem ir fora de feriado nacional, iriam amar mais ainda.. eu indico ficar 5 dias por lá pra conhecer muito bem, existem muitas cachoeiras maravilhosas pouco conhecidas, que vão muito além das populares, acho elas muito mais majestosas!! Se vcs vão de mochilão, indico ficar no camping Canarinho, a estrutura deles é excelente, tem piscina, cozinha comunitário, banheiros muito bons e o lugar é lindo!! Fora o passeio de lancha pelas cachoeiras da respresa que é delicioso, e as cachoeiras mais famosinhas, eu fiquei apaixonada pela cachoeira Fecho da Serra e o circuito de cachoeiras dos Vikings, a cachoeira Boca do Lobo também é sensacional. Outro roteiro que vcs iriam gostar muito também é Ibitipoca, trilhas longas, lugar lindo..
  21. 1 ponto
    Entre Setembro e Outubro de 2018 viajei para a Turquia, Balcãs e Europa Central. Meu roteiro foi esse: Goreme - Istambul - Bucareste - Sófia - Belgrado - Budapeste - Varsóvia - Cracóvia - Praga. ***DICA IMPORTANTE: Levei o meu celular e usei MUITO o Google Maps. Mesmo sem um chip local, eu consegui internet em quase todos os lugares usando redes wifi abertas. Além dos bares, cafes e restaurantes, muitos transportes públicos também oferecem esse serviço. Uma vez que vc acessa o Google Maps estando online, ele carrega o mapa da região. Depois, mesmo OFFLINE, é possível ver sua localização no mapa e achar os lugares que procura. Farei o relato de toda viagem, mas em partes. Neste falarei de ISTANBUL. LEGENDA USD - Dólar Americano EUR - Euro BRL - Real Brasileiro TRY - Lira Turca Depois de 3 noites incríveis em Goreme, na região da Capadócia, segui minha viagem até Istanbul. Lá eu fiquei no esquema Couchsurfing então nesse relato não há nenhuma dica ou avaliação de hostel, hotel ou pousada. 4º dia de viagem: Goreme -> Kayseri -> Istanbul (11 de Setembro de 2018) Meu vôo chegou no aeroporto de Ataturk por volta das 13h30. Fiquei de enviar uma mensagem via WhatsApp para o Emre, meu anfitrião, assim que eu chegasse. É muito difícil achar um sinal de wi-fi aberto lá no aeroporto. Aliás, fui descobrir mais tarde que é bem difícil achar em qualquer lugar de Istanbul. Sem alternativa, tique comprar um café no Mado Café do aeroporto (13TRY por um espresso, um absurdo!) para poder usar o wifi deles. Na hora de pedir a senha ao garçom que me servia, ele pediu para ele mesmo digitá-la e eu não ver qual era a senha. Ok. Assim que tive acesso à internet enviei uma mensagem ao Emre avisando que estava a caminho. Existe um um ônibus, o HAVABUS, que vai até o centro da cidade, na TAKSIM SQUARE e tem um preço rasoável: 12TRY (mais barato que o café que havia tomado!). Comprei o ISTANBULKART que é o cartão de transporte. Com ele vc tem acesso ao metrô, ônibus e trams. Custa 6TRY e a máquina não volta troco. Ou seja: se vc colocar uma nota de 10TRY vai receber o cartão com 4TRY de crédito. Uma forte chuva caía e fomos sair as 14h30. Depois de 10min o ônibus parou. A rodovia estava interditada por conta de uma enchente na pista. Procurei algum sinal de wifi mas o único disponível pedia um número de celular para enviar um SMS com uma senha que liberaria o sinal. Perguntei para um rapaz turco que estava no ônibus se ele poderia receber esse SMS para mim e passar a senha. Ele disse que OK e consegui acesso à internet no ônibus. Avisei meu anfitrião que iria atrasar por conta da enchente. Depois de uns 15 minutos o ônibus deu meia volta e seguiu por um caminho alternativo. Fui chegar à Taksim Square por volta das 16h e pouco depois o Emre chegou para me buscar. Fiquei hospedado no bairro de Besiktas (15min da Taksim Square, de ônibus) numa área cheia de bares e restaurantes. Esse bairro não é tão radical com relação aos costumes muçulmanos então há uma grande concentração do pessoal mais jovem que se encontram lá pra beber, fumar narguilé e conversar. No caminho passamos num supermercado e compramos umas cervejas. Chegando na casa conheci uma amiga do Emre, a Gökçe. Ficamos conversando e bebendo as cervejas quando por volta das 20h o Emre precisou sair para um compromisso.Deixei a casa com ele e fui até o supermercado MIGROS pra comprar o café da manhã: 4 pães, “mortadela” turca, queijo e 1 suco de Laranja - 43TRY. Estava morrendo de fome e comi um KEBAB e tomei uma coca no MATRAK (18TRY). ***Dica: As comidas de rua (street food) são muito populares em Istanbul. E podem comer sem medo que tudo (ao menos o que eu experimentei) é muito bom! Fui para um pub chamado AYLAK e tomei 4 Carlsberg (chopp 500ml) por 17TRY cada. Voltei pra casa às 23h15, tomei banho e fui dormir 0h. Distância percorrida no dia: 7,5km🚶‍♂️ 5º dia de viagem: Istanbul (12 de Setembro de 2018) Acordei as 9h, tomei café e por volta das 9h30 estava saindo. Fui caminhando até a VODAFONE ARENA, estádio do time de futebol Besiktas. O próximo tour (40TRY) no estádio era as 10h30, mas o guia só falava turco. Paguei mais 25TRY e peguei um áudio-guia. Antes do tour começar vc tira uma foto na qual eles irão fazer uma montagem e te oferecer no final do passeio. O problema de fazer esse tour com o audio-guia é que as informações que vc escuta nele não são tão rápidas quanto o guia turco. Então, em certos momentos, vc ainda está escutando a explicação de um determinado lugar da arena e o guia segue em frente, te obrigando a ir com ele uma vez que vc não pode ficar sozinho lá. Depois de reclamar que eu estava deixando alguns setores do estádio sem ter terminado a explicação do áudio, deixaram uma guia comigo. Passamos pelas arquibancadas, vestiários, sala de coletiva de imprensa e bancos de reservas à beira do gramado. No final do tour vc ganha um certificado. Também te oferecem a montagem da foto que vc tirou no início do tour. Tem vc com jogadores, segurando uma taça, etc… mas por um preço absurdo. Não lembro o valor, mas não comprei. Para ter acesso ao MUSEU do BESIKTAS tem que pagar mais 15TRY. Vale a visita (assim como todo o estádio) apenas para os fanáticos por futebol. Deixei o museu e segui caminhando até a TAKSIM SQUARE (uma subida considerável). Lá peguei um metro e um bonde até SULTANAHMET e fui até a HAGIA SOPHIA. A Hagia Sofia já foi uma igreja, uma mesquita e hoje é um museu. A entrada custa 40TRY (aceita cartão) mas vale muito a pena. Ela é muito grande e imponente. Há vários símbolos muçulmanos, escritas em árabe antigo e, incrivelmente, há também uma imagem da Virgem Maria com o Menino Jesus em seu colo (lembra que ela já tinha sido uma igreja?). Lá dentro também se encontra a COLUNA DOS DESEJOS onde dizem que se vc passar a mão nela no sentido horário, seu pedido será realizado. Deixei o museu e vi que na lateral da direita há um acesso gratuito às tumbas dos imperadores. Quase em frente à mesquita há uma pequena lanchonete. Comi um KURUM TOAST (8TRY) e tomei uma coca (3,5TRY). Era um pão em forma de baguete, com uma carne não sei do quê, picles, maionese e ketchup. Claro que na foto o lanche estava BEM melhor, mas deu pra matar a fome. Comi o lanche num banco sob uma árvore, descansei um pouco e fui pra MESQUITA AZUL, que fica de frente com a HAGIA SOFIA. Na entrada vc tem que tirar o calçado e é dado uma sacola de plástico pra colocar eles. A mesquita estava sendo reformada então muita coisa estava coberta. Ela me pareceu bem menor que a Hagia Sofia. Sai da Mesquita Azul e fui para a CISTERNA DA BASÍLICA que fica ao lado esquerdo da Hagia Sofia. A entrada custa 20TRY e não aceitam cartão de crédito ou outra moeda que não seja Lira Turca. A cisterna da basílica consiste em 12 x 28 colunas de sustentação (fica debaixo de Sultanahmet) e foi um enorme reservatório de água que hj está vazio. Posteriormente fiquei sabendo que quando a cisterna estava ativa haviam peixes nela. Motivo: saber da qualidade da água. Se os peixes começassem a morrer é que tinha algo errado nela. Passei pela CRYING COLUMN e a MEDUSA’S HEAD que fica na base de uma das colunas. Por volta das 17h fui até o TOPKAPI PALACE (40TRY, aceita cartão). Lá dentro passei por uma coleção de relógios antigos, uma coleção de armas de guerra (armaduras, lanças, arcos, espadas, revólveres todos muito ornamentados, etc). O palácio tem um enorme jardim central. Ao fundo, alguns cômodos e um deles parecia uma biblioteca. Passei pela por um setor que tinha itens de cozinha: pratos, louças, porcelanas, panelas, etc. Deixei o local às 18h50 e voltei pra casa. Chegando lá tomei um banho e conversei um pouco com o Emre. Por volta das 21h fomos a o encontro semanal do Couchsurfing num bar chamado SYMBOL CAFE. Fica próximo a Taksim Square, em uma travessa da Istiklal Street que é cheia de lojas, bares e restaurantes. Conheci pessoas de vários países no encontro. Trocamos ideia até umas 23h30 e fomos para outro bar: JAMES JOYCE PUB. No terraço do bar havia uns turcos dançando umas músicas latinas. Mas o som estava muito ruim e decidimos ir embora. No caminho de volta compramos mais 2 cervejas EFES. Chegamos em casa, tomamos as cervejas e conversamos até 2h30 quando fui dormir. Distância percorrida no dia: 21km🚶‍♂️ VODAFONE ARENA HAGIA SOPHIA HAGIA SOPHIA MESQUITA AZUL MESQUITA AZUL CISTERNA DA BASÍLICA TOPKAPI PALACE 6º dia de viagem: Istanbul (13 de Setembro de 2018) Acordei às 9h25, tomei café e sai as 9h50. Voltei até SULTANAHMET e fui atrás do FREE WALKING TOUR, que começou às 11h. A guia falou sobre a MESQUITA AZUL, sobre os banhos turcos que alguns podem custar até 60EUR por hora. Passamos ao lado da HAGIA SOPHIA e paramos num jardim em frente ao TOPKAPI PALACE. A guia comentou que nos anos 30 foi costituída a REPÚBLICA DA TURQUIA e os sultões deixaram de existir. O Topkapi Palace hj pertence ao governo e há alguns anos uma tetraneta de um dos sultões tentou pegá-lo de volta na justiça mas não conseguiu. A guia também comentou que Istanbul tem cerca de 3000 mesquitas. Deixamos o palácio e fizemos um coffee break num café ali perto. Passamos pela entrada da CISTERNAS DA BASÍLICA e nos falaram que ela foi construída para que a cidade, que era murada, tivesse acesso à água caso estivesse sendo atacada e não podendo abrir seus portões. De lá passamos pelo HIPÓDROMO, que hoje é uma praça mas tinha corridas de cavalos e bigas na época que foi dominada pelos romanos. Lá perto tem um monumento trazido do Egito. Mas o obelisco era muito alto então tiveram que cortar ele pela metade e pegaram só a parte de cima. No final do tour paramos atrás da Mesquita Azul, num restaurante que tinha um “preço especial” para quem fez o tour: 8EUR por um almoço com sopa, salada e prato principal. Não tinha muita fome então não fui ao restaurante. Ali perto encontrei o ARASTA BAZAR que tem só uma rua de uns 200 metros. Voltei ao ponto e peguei um trama até o GRAND BAZAR. Esse sim é GIGANTESCO, com muitas lojas e muitas pessoas. Mas é o maior “tourist trap” de Istanbul, então apenas passei olhando as lojas e não comprei nada (até mesmo pq não cabia mais nada em minha mochila). Cheio de corredores e com lojas bem semelhantes uma das outras, não é difícil se perder nele. É praticamente impossível sair pela mesma porta que vc entrou. A fome bateu então resolvi comer alguma coisa ali mesmo. Comi um TABKTA KEBAB (26TRY) e tomei um suco de romã (8TRY). Deixei o Grand Bazar e caminhei por uns 10 minutos até chegar a MESQUITA SULEYMANIYE. Ela fica no alto de um morro e tem uma vista linda lá de cima. Por dentro ela é maravilhosa e, segundo um voluntário que trabalha nela, tem capacidade para 8000 pessoas. Esse voluntário me deu uns impressos em português, entre eles um alcorão. Sai da bela mesquita e caminhei mais uns 10 minutos até o SPICE BAZAR, que é o Bazar das Especiarias. Ele é bem menor que o Gran Bazar uma vez que é em forma de “L”, mas achei mais bonito e conservado. Algumas lojas dão amostras grátis de seus doces e o colorido e cheiro das especiarias fazem aquele lugar ainda mais peculiar. Em uma das saídas desse bazar está a NEW MOSQUE que também estava em reforma e não tinha muito o que ver nela. Ali perto está a GALATA BRIDGE que tem uma vista legal do ESTREITO DE BÓSFORO. De lá peguei um tram até KABATAS, um funicular subterrâneo até a Taksim Square e um ônibus até Besiktas. Passei num mercado, comprei umas cervejas e voltei pra casa. Cheguei em casa e o Emre fez um macarrão com atum pra gente. Tomamos as cervejas, jantamos e ficamos conversando até umas 23h quando fui dormir. Distância percorrida no dia: 14km 🚶‍♂️ GRAND BAZAR MESQUITA SULEYMANIYE SPICE BAZAR 7º dia de viagem: Istanbul (14 de Setembro de 2018) Acordei as 8h50, tomei café e as 9h30 estava saindo. Caminhei até o DOLMABAHÇE PALACE, que fica em frente à Arena Vodafone (estádio do Besiktas). A entrada no palácio + harem custa 90TRY. O palácio é muito bonito! Cheio de adornos, decorações e luminárias gigantescas. Também há algumas armas e utensílios de cozinha utilizados antigamente. O harém também é igualmente bonito e nele há um acesso a um dos banheiros. Uma pena não poder tirar foto em nenhum desses dois lugares. Do lado de fora tem uma galeria de pintura mas para entrar tem que pagar mais 20TRY. Deixei o palácio, passei pela DOLMABAHÇE MOSQUE, uma mesquita ali perto. Fui até o ponto de Kabatas e peguei o T1 (tram 1) até próximo a GALATA TOWER. Havia uma fila de 20 minutos pra subir na torre (35TRY). Enquanto esperava pra entrar, comi um SIMIT que é um pão com gergelim em forma de argola (1,50TRY). ***Dica: Há carrinhos de SIMIT espalhados por toda Istanbul. Bateu uma fominha? Simit! Melhor custo-benefício que vc vai encontrar nas ruas. A torre foi construída em 562 e lá de cima vc tem uma vista 360º da cidade. O tempo estava nublado então as fotos não ficaram muito boas, mas vale conhecer. De lá eu caminhei uns 10 minutos até TUNEL que é uma linha de metrô com apenas duas estações e é uma das mais antigas da Europa. A estação da outra ponta me deixou no começo da Istiklal Street e caminhei por ela toda até a Taksim Square. Lá eu acessei o wifi do Starbucks e vi como chegar no estádio do FENERBAHÇE. Era 16h e vi que o último tour seria às 17h30 Além dos ônibus, Istanbul também conta com um tipo de lotação chamada DOLMUSH e a tarifa varia de acordo com o ponto que vai descer: quanto mais distante, mais caro. O estádio fica do outro lado do estreito de Bósforo, no lado asiático da cidade. Levei 1 hora pra chegar lá. Entrei na loja do clube e perguntei a um vendedor sobre o tour. Ele foi muito grosso e ríspido dizendo “Não tem tour! Estádio fechado!”. Daí eu perguntei se havia ao menos um museu ou outra coisa que poderia visitar e ele: “Não! Tudo fechado!”. Então tá… Sai do estádio e não consegui nenhum sinal de wifi. Tive que achar meu caminho de volta da “forma antiga”: perguntando para as pessoas na rua. Primeiro pedi informação para um cara e ele pediu para eu seguir ele pq ia para a mesma direção. Pegamos o mesmo ônibus e ele me disse que ponto deveria descer pra pegar outro ônibus pra Besiktas. Desci num pequeno terminal com vários pontos, mas não achei informação de onde passaria o meu ônibus. Perguntei pra duas garotas e elas me mostraram onde era meu ponto. Chegando no ponto perguntei para um cara qual ônibus pra Besiktas e ele disse que estaria indo pra lá que poderia ir com ele. Descemos no mesmo ponto. Agradeci o rapaz e segui meu caminho ***Nota: Percebi uma coisa interessante sobre o povo de Instanbul: as pessoas que teoricamente deveriam ser educadas com vc (garçons, vendedores, etc) não são. Mas, por outro lado, as pessoas que não teriam obrigação nenhuma de ser educadas, são super legais! Praticamente todo mundo que pedi informação na rua foram extremamente educadas e solícitas. Passei no supermercado, comprei umas cervejas e voltei pra casa. Cheguei lá por volta das 19h e tomei umas cervejas com Emre e a Gökçe. Umas 20h saímos para uma ver uma exposição de arte de uma amiga do Emre. Passamos pela exposição e depois fomos comer num restaurante que servia só sopas. Tomei 2: uma de IOGURTE e outra de TOMATE. Estavam muito boas e paguei 14TRY em cada. Fomos a um apto de uma amiga da Gökçe, a Elif. No caminho compramos umas cervejas. Ficamos bebendo e conversando até umas 2h. Decidimos dormir por lá mesmo pq era muito tarde. Distância percorrida no dia: 17,5km 🚶‍♂️ DOLMABAHÇE PALACE GALATA TOWER VISTA DA GALATA TOWER 8º dia de viagem: Istanbul (15 de Setembro de 2018) Acordamos as 8h50 e deixamos a casa da Elif. Caminhamos até a Taksim Square e pegamos uma Dolmush de volta pra casa. Chegamos 9h30 e fui dormir mais um pouco. Acordei as 10h30, tomei café e fui para o centro. Através do Couchsurfing eu tinha combinado de encontrar outro couchsurfer local, o HAMZA. Por volta do meio dia encontrei com ele em Sultanahmet. Ele me apresentou um amigo (que tb é couchsurfer) chamado FATIH. Ambos são estudantes de Ciência Política e estavam muito curiosos pra saber qual era a situação política do Brasil naquele momento. Caminhamos pelo PARQUE GÜLHANE (ao lado do Topkapi Palace) e fui tentando explicar o turbulento período político que nosso país estava passando. Chegamos à beira do canal e lá decidimos fazer o BOSPHORUS TOUR (20TRY). Existem vários barcos que fazem esse tour e não deve ser muito diferente um do outro. Mas, definitivamente, foi o melhor custo-benefício de Istanbul. O passeio pelo Bósforo é muito lindo e dei sorte do tempo estar bom (fazia muito calor e sol) e ter 2 guias locais me explicando tudo desde onde ficava Sede Militar e Naval da Turquia até as escolas e universidades particulares, públicas e militares. Depois de mais ou menos 1h e meia de passeio deixamos o barco e caminhamos uns 20 minutos até um KAHVE DÜNYASI, que é uma rede de café local estilo “Starbucks”. Tomei um café turco que estava muito forte mas muito gostoso. Depois pedi 2 bolas de sorvete: 1 de nozes e 1 de damasco. ***Dica: Não deixem de provar esse sorvete de damasco da Kahve Dünyasi! Eu não gosto da fruta em si mas decidi experimentar por ser uma fruta tradicional local. E não me arrependi! É muito, mas MUITO bom! Conversamos muito sobre política, religião e futebol. Por volta das 17h decidimos ir embora. Fomos até uma estação de tram onde nos despedimos e voltei pra casa. No caminho encontrei vários torcedores do Besiktas indo ao estádio e fiquei sabendo que o jogo seria às 20h. Na EAGLE SQUARE (Praça da Águia) havia uma enorme aglomeração de torcedores. Passei no supermercado e comprei 4 cervejas BONMONTI (8,50TRY cada). Cheguei em casa, tomei as cervejas com o Emre e decidimos ir ver o jogo do Besiktas em algum bar ali perto. Todos os bares estavam lotados e depois de 10min procurando achamos umas cadeiras na calçada em frente a uma TV. Nos cobraram 15TRY para SENTAR NAS CADEIRAS e 18TRY por cerveja! Como não tínhamos escolha, aceitamos. Tomamos apenas 1 cerveja e no intervalo fui ao supermercado comprar mais pela metade do preço que estavam nos oferecendo lá. O jogo foi horroroso e terminou 2x1 para o Besiktas. Fomos comer um kebab no MATRAK e de lá fomos a um bar ali perto chamado ROCK N’ ROLLA. Tomei 1 Guinness e 1 Toubourg. No caminho de volta passamos no supermercado e compramos mais 4 cervejas. Chegamos em casa umas 1h e ficamos bebendo e conversando até umas 2h30 quando fui dormir. Distância percorrida no dia: 13,5km 🚶‍♂️ Fim do relato de Istanbul. Próximo relato: BUCARESTE. BOSPHORUS TOUR
  22. 1 ponto
  23. 1 ponto
    @Luuk Brasileiros nao precisam de visto prévio para entrar na NZ. Com o visto de turista voce pode permanecer por até 90 dias. Sobre a passagem de volta voce vai precisar de mostra-la aqui no Brasil ao fazer o checkin, sem uma passagem de volta o pessoal ti impede de embarcar. Ao chegar lá podem ti solicitar essa passagem de volta, ou seguro de viagem, ou comprovante que vc tem meios pra se manter lá, etc.. Tudo isso poooode ser solicitado, eu mesmo qdo cheguei lá o oficial só me disse bom dia, carimbou o passaporte e boa viagem, nao demorou 2 min. Como vc vai ficar pouco tempo nao levaria muita grana em cartao pois custo da conversao + taxas é bem maior do que se levasse em especie. Quando fui pra lá fiquei quase vinte dias e já sai do Brasil com uma certa quantidade de dolar neozalandez, quando acabou eu fiz um cambio com o dolar americano (eu estava fazendo uma rtw entao ja tinha esses dolares), fiz algumas compras tambem; e vc tem a opçao de usar seu cartao de debito internacional e ja sacar na moeda local ou usar o cartao de credito. O país é extremamente seguro e em nenhum momento senti ou passei por qualquer situaçao de perigo. Entao se vc preferir levar sua grana em especie pra amenizar com possiveis taxas nao vejo problema. Apenas tenha um cartao de credito para algum imprevisto e atente-se para nao perder o dinheiro. Sobre o aluguel de carro é meio que padrao como em qualquer lugar, vc tem que ter um cartao de credito, provavelmente vao fazer um calçao no seu limite e nao sendo necessario será feito o estorno posteriormente. Mas claro que pode variar de empresa pra empresa. Lá voce tem a opçao de alugar o carro numa ilha e devolver em outra, mas isso é muito mais caro do que se vc alugasse um carro em cada ilha, sem falar que tem a taxa da atravessia tambem. Existe algumas empresas que precisam levar o carro de volta para a cidade de origem quando uma pessoa aluga o carro numa cidade e devolve em outra, caso voce consiga ser essa pessoa que vai levar o carro de volta, o aluguel cobrado é mixaria, porem é complicado dar a sorte de estar na cidade certa, no dia certo e querer ir para a cidade onde deve-se devolver o carro. Mas de toda forma dê uma pesquisada pra saber a respeito. Caso alugar carro fique inviável, ja se planeje pra comprar seus deslocamentos de onibus antecipadamente, tem empresas que vendem o primeiro bilhete do trecho a partir de $NZD 1.00, e vai aumentando o preço conforme as vendas vao sendo feitas, com isso se vc planeja certinho e antecipado, pode comprar pagando bem em conta. Sobre a quantidade de dolares suficientes para a sua estadia nao da pra afirmar porque tudo depende do que vc vai fazer. Lá é um país caro, tem uma infra local voltada para o turismo onde quase tudo é possivel tirar uma grana do turista. Se vc pretende fazer alguma esporte radical separe uns bons dolares pra isso, é caro mais vale a pena.
  24. 1 ponto
    @cohelio El Bolson não é um destino muito procurado, por isso tem poucos relatos dessa região. Dica: Como ainda falta um tempo para sua viagem, procure no site viajeros que deve ter alguns relatos. Se não conseguir informações mais detalhadas e mesmo assim for pra lá, procure reservar um ou dois dias de hospedagem, se por acaso a cidade não for de seu agrado, vc pega um ônibus e faz outro roteiro. Neste período, se nada mudou, hospedagem é bem tranquilo na Argentina.
  25. 1 ponto
    @carolina L. cadaval Foi em 2011,fiz até queixa no info Peru. Há milhões de agências, sobretudo na Plaza de Armas e no seu entorno, o nome não lembro mais,porém Peru é muito pobre,por isso...
  26. 1 ponto
    Wikiloc para fazer trilhas, se for sua intenção, é extremamente útil. Você pode salvar suas trilhas com antecedência e segui-las offline.
  27. 1 ponto
    @Sozinho no mundo hostelworld, booking- hospedagem / maps - mapas ja sao de grande ajuda.
  28. 1 ponto
    Sim, notei que o material dela favorece a corrosão, mas por incrível que pareça a minha está intacta (tirando a tinta que naturalmente desbotou na parte que queima), e olha que moro numa área com umidade alta o ano inteiro. Mas concordo com a possibilidade de vivência em maresia estragar a espiriteira. Aí vai do uso de cada um. Acho muito válidos os modelos da azteq e naturehike, dou meu voto positivo também, principalmente pelo tamanho diminuto (comparado com o meu modelo). São marcas de excelência. Eu evito fogareiro também por causa disso mesmo, a qualidade do combustível específico para o uso. São muitos contras (não que torne o bicho uma péssima opção). Eu ri oh sobre o lance da contaminação, ainda fico com meu desconfiômetro ligado (uma vez que gasolina fica "impregnada" que uma beleza em várias superfícies, mas deve ser dos aditivos e só sabe Deus o que mais botam na nossa gasolina). Ótimas informações, como sempre, amigo!
  29. 1 ponto
    @D FABIANO Olha, nenhuma pessoa que eu conheci lá tratava o Ceaucescu como "tirano". Eles o chamam de "megalomaníaco", pelo fato das suas obras faraônicas: o parlamento Romeno é o segundo maior prédio do mundo e a mansão que ele vivia era muito, mas muito suntuosa. Na verdade ouvi dizer que o povo ficou chateado por conta da execução dele ter ocorrido bem no dia de Natal. As pessoas que conversei não faziam nenhuma reclamação do regime comunista. Na verdade, elas até lembravam com certa nostalgia.
  30. 1 ponto
    @D FABIANO Dá pra se virar no inglês tranquilo lá, mas eles usam o alfabeto cirílico.
  31. 1 ponto
    @carolina L. cadaval Não é só por dinheiro, é golpe mesmo,prometem isso é aquilo é na hora ou não aparecem ou você é surpreendido que não é nada daquilo que pensava.
  32. 1 ponto
    Olá a todos, sempre tive vontade de sair mundo afora, mas são tantos os riscos e dificuldades que se for analisar tudo friamente nunca vai acontecer, pensando nisso estou convocando a quem tem esse espirito livre e não quer viver toda sua vida controlado por regras, para se juntar comigo para formar um grupo de discussão a fim de criar regras para a formação de um grupo de viajantes permanentes. A ideia inicial resumidamente seria formar um grupo de ate 50 pessoas com seus meios próprios de locomoção e autossuficientes em ganhar a vida na estrada, ou seja, em cada parada conseguir dinheiro para bancar as despesas e seguir em frente, sem tempo predeterminado de viagem, ou seja se a ideia da auto suficiência der certo esse grupo sera permanente. Então as primeiras 10 pessoas que manifestarem interesse de participar, farão parte de uma especie de conselho permanente, que escolherão as regras de como vai funcionar tudo, fico no aguardo do seu contato, mochileiros, viajantes, aventureiros, andarilhos, enfim qualquer tipo de pessoa será bem vindo.
  33. 1 ponto
    A gasolina não chega a contaminar o alimento somente com sua queima não, especialmente se for a retificada (branca = benzina). O único risco é o vivente ficar cheirando e ficar doidão, ou derrubar gasolina na comida.. Daí lascou. Risco maior é, no bombear para dar pressão no sistema, tornar o troço um lança-chamas, como já vi muitos fazerem, e tocar fogo em tudo à sua volta na hora de acender. Cuidado redobrado. Mas como já mencionei, acho muito trambolho, especialmente pelo cuidado de manutenção que necessita. Para uso intensivo, em alta montanha ou regiões com pouco acesso a comércio, são muito bons, pois te permitem autonomia longa no suprimento de combustível (as suas costas são o limite). Para uso esporádico, como me parece ser o caso do Bruno, outro risco, grande, é na hora de viajar descobrir que o fogareiro emperrou (seus mecanismos de bombeamento precisam de lubrificação frequente) e não funciona. Sds,
  34. 1 ponto
    Então.. minhas considerações. No que toca ao primeiro item, kit de panela, frigideira e espiriteira com aparador de vento: excelente para uso individual. Tenho um bem parecido e posso dizer que para uso minimalista é ótimo, mas muito pequeno já para cozinhar uma refeição decente em duas pessoas. Lembrando ainda que espiriteira demora um pouco para aquecer o sistema e fazer pressão, não permitindo também a regulagem da potência da chama.. Quanto ao segundo item (igual ao terceiro link), fogareiro a gás e gasolina: atente que na descrição do produto o combustível líquido indicado é a gasolina branca (benzina), provavelmente não funcionará bem com a nossa gasolina chechelenta mistureba de álcool e água (vai corroer o sistema). Provavelmente será fonte de dores de cabeça a médio prazo, pois este tipo de fogareiro para funcionar bem depende muito da qualidade do combustível. Além disso, sua manutenção costuma incomodar (pequenas peças, especialmente da bomba de pressurização do líquido combustível que quebram), te deixa na mão de uma hora para outra, além de ser de manuseio um pouco mais complicado com gasolina, além de achá-lo pesado e volumoso como opção para uso em trekking nas nossas condições de clima com este combustível. A opção de ter uso duplo - gás (cartucho padrão Tekgás, de rosca) e gasolina, ainda o torna desengonçado para uso com cartucho de gás, apesar de oferecer uma base mais estável para cozinhar. Saudações montanheiras!
  35. 1 ponto
    Salve! Tenho uma espiriteira igual a esta, que usava bastante em camping estruturado. Ótima para cozinhar em panelas grandes - para 4 pessoas, por exemplo. Mas como ponto negativo dele, a corrosão, já que é fabricado em chapa metálica e apenas pintado. Em uso próximo ao mar (maresia) não dura muito. Também acho este modelo um pouco grande para trekkings mais minimalistas. Em compensação essas duas que vou indicar abaixo considero mais práticas para utilização em trekking. Tenho a da Azteq (aço inox) e recomendo fortemente. A outra, da Nature Hike (ambas são chinesas) também é excelente, e tem como vantagem (na minha opinião) o fato de poder levar algum combustível dentro dela (tampa rosqueável. Ambas possuem como vantagem o seu pequeno volume, permitindo serem guardadas, por exemplo, dentro da própria panela utilizada para acampamento, mesmo panelas de pequenas dimensões. Seu gasto de álcool - proporcionalmente, também é menor. Seguem algumas imagens. Saudações montanheiras!
  36. 1 ponto
    A cidade base é Chichiriviche (esse trava-língua mesmo kkkk). Quando chegar em Santa Elena você se informa sobre os horários, mas você vai pegar ônibus para Valência, se tiver direto, ou para Ciudad Guayana e de lá para Valência e depois pra Chichiriviche.
  37. 1 ponto
    @Amra2018 passa seu número para que eu entre em contato.
  38. 1 ponto
    Em Berlin você encontra Zloty com certa facilidade, alguma casa de câmbio eventualmente pode não ter, mas indo em 2 ou 3, com certeza você acha. A cotação do Zloty nunca é muito boa fora da Polônia, então eu trocaria o mínimo possível na Alemanha, e deixaria para trocar o grosso mesmo já lá na Polônia.
  39. 1 ponto
  40. 1 ponto
    Boa tarde. Deixando o meu relato. Comprei uma Titã há algum tempo, depois de conversar bastante com o Fábio. Bastante satisfeito com a bota, resistente, confortável, impermeável, o solado não escorrega. Não tem preço, chegar no final da trilha que costumo fazer na serra catarinense, frio e com muito charcos, com os pés sequinhos. Único problema pra mim foi que, depois de algum tempo de trilha acaba machucando o dedo mindinho e principalmente a volta da trilha acaba sendo um sofrimento.😞 Pensando em vender ela pra um amigo e talvez comprar uma um número maior pra ver se resolve, talvez até a Finisterre.
  41. 1 ponto
    @_Umpdy Olá amigo! 😄 Muito obrigada por ler meu relato!! Fico realmente feliz quando o que escrevo ajuda alguém! 💗 "economizar ou só se vive uma vez" hahahaha, eu entendo 100%! Vou te falar o que minha mãe sempre me diz nesses casos: "Bruna, você tá deixando de comprar fralda pros seus filhos? Você nem tem filho! Então se joga e vai viver, minha filha!" 😂 Mas então, eu ainda quero voltar pro Chile, porque tem parques espetaculares mesmo! Eu acho que vale MUITO a pena você passar por El Calafate e El Chaltén, principalmente El Chaltén, porque lá é o "paraíso de trekking". Talvez então seja interessante você começar a sua jornada por Puerto Natales e ir subindo (as estradas são maravilhosas e viajar de ônibus por elas faz parte da experiência).... Em Torres del Paine tem dois trekkings principais que o pessoal faz bate e volta: um deles é para o Glaciar Grey. E o outro, como você mesmo mencionou, é para as Torres. Na verdade, se você pegar o mapa de Torres del Paine, você consegue escolher os lugares, porque no mapa tem as distâncias e os tempos que geralmente o pessoal percorre cada trilha. Um lugar que eu fiquei apaixonada foi o Lago Nordernskjöld. Não sei se você leu todo o relato, mas falei sobre uma espécie de "prainha" formada por ele, entre o camping Francés e o camping Cuernos, mas acho que fica puxado pra ir e voltar em um dia. Aqui tem o mapa, com as distâncias: https://www.fantasticosur.com/trekking-in-torres-del-paine/map/ Outros pontos que você pode tentar visitar são o Mirador Francés e o Mirador Britânico. Mas novamente, a questão é o tempo... Agora vou te falar uma coisa, usando o coração: se eu fosse você, iniciaria sua subida por Ushuaia (aquele lugar, pra mim, é encantado, de verdade 💗). De qualquer modo, pesquise pelas passagens de avião e de ônibus, e veja de que forma sai mais em conta. Se tiver tudo o mesmo preço (e você realmente não for para Ushuaia 😍 - hahaha - então eu iniciaria por Puerto Natales e subiria, ao infinito e além! 😂). Espero ter ajudado! Precisando, estou por aqui e vai ser um prazer ajudar! Um abração, um 2019 cheio de aventuras e uma viagem maravilhosamente inesquecível pra você! 😊
  42. 1 ponto
    Linda história. Parabéns!
  43. 1 ponto
    Eu achei da hora o primeiro modelo, bem completinho mesmo. Eu investiria sem dó nem piedade!!! O segundo item não estou abriu aqui, mas pelo que vc falou é a gasolina. Não sei como ele funciona (uma vez que gasolina produz resíduo que poderia contaminar o alimento/água), mas pessoalmente recomendo os que usam álcool/etanol. O etanol é mais barato, tem um risco baixíssimo de contaminação, e é ecologicamente correto. O terceiro é fogareiro mesmo ne. Eu recomendo que vc se atente ao detalhe que certos fogareiros a gás só aceitam tipo X de botijão de gás, podendo ficar entupidos ou mesmo quebrarem se vc não usar o tipo certo. Esse é um problema de alguns fogareiros a gás, que vc deve se atentar (principalmente se tratando de importado).
  44. 1 ponto
    @Henrique Alexsander Vaz Solon Não existe ônibus a Cabo Polonio,tem que tomar um caminhão e ir de 4x4 pela areia.
  45. 1 ponto
    Oi, tudo bem? De fato, seu roteiro está bastante ambicioso... Estou morando em Cracóvia, então posso ajudar um pouco mais sobre a cidade, mas ainda não tive a oportunidade de ir à Varsóvia. Partindo do que eu sempre leio e converso com outros brasileiros que estão aqui a mais tempo, entre as duas cidades sua prioridade deve ser Cracóvia. De verdade, acho que faz mais sentido você passar os 4 dias em Cracóvia e conhecer melhor a cidade (levando em conta passeios bate-e-volta do que ir para Varsóvia (que não é uma cidade tão encantadora e com tanta variedade turística). Varsóvia é uma cidade maior, mais modernizada.. Além disso, como ela foi COMPLETAMENTE destruída pela Segunda Guerra, tudo que verá lá será reconstruções (e não restaurações, pois a cidade virou realmente um estacionamento, de tão detonada). Pelo que pesquisei, o que vale a pena lá é o Warsaw Uprising Museum (museu que conta a história da resistência polonesa frente aos nazistas) e a casa de Marie Curie (antes dela mudar para Paris para estudar) que hoje é um museu em homenagem a ela. Já Cracóvia é completamente encantadora e em Abril ela está deslumbrante! A probabilidade de neve é bem pequena nessa época do ano. Para você ter uma ideia, eu cheguei aqui dia 2 de Abril e estava fazendo cerca de 17 graus. Na segunda semana já estava na casa dos 20 e poucos... (Essa foi uma primavera mais quente do que o normal, mas mesmo assim...). Nessa época os parques já estão enchendo de flor! As árvores verdinhas! (E a cidade é super arborizada! Tenho algumas fotos em um post que escrevi esse mês para o meu blog, em comemoração aos 6 meses morando aqui. Se quiser dar uma olhada: https://batendoasa.com/polonia/curiosidades-sobre-a-polonia-em-6-meses/) Diferente de Varsóvia, a Cracóvia ficou completamente em pé durante a guerra, pois os alemães fizeram dela sua base. Com isso, você consegue ver prédios dos mais diversos estilos arquitetônicos todos juntos. (Tem isso lá no blog tbm!) A praça central da cidade é considerada a maior praça medieval da Europa e é linda de morrer! O que acho que vale MUITO a pena fazer na cidade: Free walking tour para dar uma geral nos principais pontos turísticos da cidade (cerca de 2h30) Basílica de Santa Maria - lindíssima por fora e absurda por dentro! Toda colorida! Castelo Wawel - o complexo é incrível, tem uma catedral super importante para a cidade (com cúpula de ouro!) e várias lendas! Gastar um tempo por perto do rio Vistula e também um tempo pelo parque Planti, que circunda a Cidade Velha. (👆 Isso tudo aí dá um dia!) Se você gosta da história da Segunda Guerra, também vale muito fazer o Free walking tour de Kazimierz, o bairro judeu. Dá até para ver alguns lugares que foram locação do filme "A Lista de Schindler" (inclusive amanhã eu vou publicar um post exatamente sobre as locações do filme! rs). Você perguntou sobre A Fábrica de Schindler e eu acho absolutamente relevante a visita. O museu não é focado na história de Schindler, mas sim na ocupação alemã no país. (Informações que você veria no Warsaw Upspring Museum você encontra na Fábrica, e mais!) Ah, o antigo bairro judeu é hoje o bairro boêmio da cidade, então você encontra vários restaurantes legais para comer e tomar uma cerveja. A ida a Auschwitz leva, na minha opinião, um dia inteiro. É muito intenso emocionalmente, e cansativo fisicamente. São dois campos. Em Auschwitz I você tem muuuuuita informação para absorver. Praticamente todos os antigos blocos do campo possuem exposições. Em Auschwitz II - Birkenau a quantidade de informação é menor, porém o campo é absurdamente maior. É gigantesco! Você anda muito lá dentro para percorrer tudo. É uma visita muito densa e bem reflexiva. A ida lá me inspirou esse texto: Um conto de empatia sob a ótica do Holocausto 🥀 A viagem para Oświęcim (cidade onde ficam os campos) leva cerca de 1h30 de ônibus para ir, e mais 1h30 para voltar à Cracóvia. O tour guiado com essas agencias de viagem que vendem passeios leva cerca de 4h. Mas são 4h praticamente correndo. Se você ficar os 4 dias aqui, ainda teria mais um dia com muitas opções: Pode ficar pela cidade e visitar parques lindos que tem por aqui, como o Parque Jordana, ou se estiver mais quentinho, os lugares que os poloneses usam como o Bagry (que é tipo uma "praia artificial"). Mas minha recomendação real é o meu lugar favorito na cidade: o lago Zakzówek: o oásis escondido de Cracóvia. 👈 Clica para ver as fotos! É um lugar sen-sa-cio-nal! Pode ir conhecer a Mina de Sal Wieliczka, que é de deixar qualquer um boquiaberto!!! Ou mesmo fazer um bate e volta para a cidade de Zakopane, considerada a capital de inverno da Polônia, onde os poloneses vão esquiar. Nessa época eu acho que não rola mais esquiar, mas dá para fazer uma trilha até o lago Morkie Oko. Espero que tenha sido útil!! 😉 Se quiser, pode acompanhar nosso Instagram @batendoasa 👈 A gente está sempre contando nos stories sobre a vida aqui, dando dicas de passeios, restaurantes etc! Se precisar de algo, é só chamar.
  46. 1 ponto
    Amei seu relato! Que pena que perdeu suas fotos, mas o mais importante, com certeza é a lembrança de todos os momentos. Beijos.
  47. 1 ponto
    @FranciscoJR Eu comecei a escrever aqui nos mochileiros, mas acabei me ocupando com outras coisas e parei. Mas tenho minhas planilhas de planejamento. Se quiser eu mando para você. Qual seu email?
  48. 1 ponto
    Depois de dois dias em El Calafate, tomei um ônibus rumo à El Chaltén: o paraíso do trekking! El Chaltén está dentro da reserva do Parque Nacional Los Glaciares. Em alta temporada é bem fácil ir de El Calafate à El Chaltén, e vice-versa. Há ônibus saindo de ambas rodoviárias todos os dias e em diferentes horários. Ainda assim, durante o planejamento, li em vários lugares que as passagens são bem concorridas, se deixadas para última hora. Comprei antecipadamente pela internet. Toda a minha viagem pela Patagônia, entre Chile e Argentina, foi feita de ônibus, e comprei todas as passagens antecipadamente. Não tive qualquer problema, mas atenção: leve o ticket impresso. (E claro, lembre-se: para entrar no Chile, é preciso passaporte). Ao final desse post, deixo o link para compra. Em algumas rodoviárias foi cobrada uma "taxa de embarque", na hora de embarcar. Eu não me recordo o valor exato, mas era irrisório. Chegando em El Chaltén, o ônibus pára obrigatoriamente no centro de visitantes. Funciona como um pequeno museu, um local de boas vindas e, o mais importante: um ponto de orientação. Os guias dão uma breve palestra, falam sobre as trilhas, a previsão do tempo, os melhores dias para visitar cada ponto e claro, a importância do turismo sustentável. São duas salas, além da recepção, uma para para cada idioma: inglês e espanhol. A cidade tem duas ruas. Sério. Mas isso não faz a menor diferença, afinal você está indo lá para fazer trilhas e ficar no meio da natureza, certo? Assim como El Calafate, em El Chaltén existe várias opções de hostel. Eu pesquisei bastante e optei por ficar numa Estância. E eu faço questão de falar dela aqui, porque eu fui muitíssimo bem acolhida naquele lugar. Fiquei na Estância La Quinta. O sr. Fred, umas das pessoas incríveis que conheci por lá, cuida da Estância e de seus hóspedes com a maior alegria. A hospedagem fica bem na entrada de El Chaltén, e se você tiver pique, você pode sim ir de um lado para o outro andando. A pé, dá uma meia hora caminhando, sem pressa. Mas, para todos os efeitos, eles tem serviço de transfer. Dentro da Estância você pode acessar algumas trilhas. A principal delas é uma trilha para o Lago Viedma. Foi nessa trilha que eu vi e comi o calafate - a fruta que dá nome à cidade vizinha - pela primeira vez. Acho que nunca dormi tão bem na minha vida. O silêncio só era interrompido pelo vento. O guia lá do centro de visitantes havia dito que seria perfeito para ir até o Fitz Roy no dia seguinte. E segundo ele, não é sempre que isso acontece. Fitz Roy é o ponto mais buscado em El Chaltén. E graças ao tempo firme, ensolarado e com poucas nuvens, no dia seguinte eu iria até lá descobrir o porquê. A trilha começa no fim da rua principal. Não tem como não encontrar. A partir da rodoviária você caminha uns 15 minutos, em linha reta, e encontra a sinalização do início da trilha. Sei que muitas pessoas talvez tenham receio de fazer trilhas sozinho. Aqui isso não é problema. Não tem como se perder, é muito bem sinalizado e na alta temporada você acaba encontrando pessoas pelo caminho na maior parte do tempo. Ainda assim, se você se sentir inseguro em algum trecho, pare por 5 minutos e aguarde alguém passar por você. Siga naquela direção (hahaha). Vai com fé! Alguns lembretes importantes: leve água. Existem pontos, durante a trilha, em que você pode abastecer sua garrafinha, mas no início da trilha água é escassa. Leve também um lanche. Ou dois (tudo depende da sua fome haha). Mas falando sério: leve alimentos de alto teor energético. Não leve peso desnecessário, se você não vai acampar em um dos campings de lá, não leve nada além do estritamente necessário para passar o dia bem. Filtro solar! Passe filtro solar! E o mais importante, não cometa o mesmo erro que eu cometi: nunca, JAMAIS, deixe para amaciar suas botas lá. Me dá até vergonha de admitir, mas eu ainda sou um ser humano sedentário. Nos meses anteriores à viagem, eu ia casualmente correr no parque, principalmente porque a cereja do meu bolo nessa viagem seria o Circuito W, em Torres del Paine, que vou relatar mais para frente. Nesse tipo de viagem eu deveria, no mínimo, ser o tipo de pessoa que faz caminhadas diárias. Mas não, eu não me preparei como deveria, nesse sentido. Isso não foi impeditivo, eu fui e fiz tudo o que eu queria, mas foi extenuante e esse sofrimento é completamente dispensável. Eu iniciei a trilha às 09:30h da manhã. A trilha para chegar à Laguna de Los Três, base do Fitz Roy, tem 10 km - há marcações ao longo da trilha - eu fui pelo caminho do mirante (Mirador Fitz Roy) e retornei pela Laguna Capri. O último quilômetro de trilha é uma subida totalmente íngreme, que eu apelidei carinhosamente de "meldelsquequeeutofazendoaqui!" (agora eu dou risada, mas na hora não foi tão engraçado hahaha), com vários pontos onde você escala pedras. Se você tiver aqueles bastões de trekking, leve com você. Não suba, em hipótese alguma, se o tempo tiver ruim. Primeiro porque você não verá nada, literalmente. E segundo: se você cair e morrer, essa viagem acaba. E nós não queremos isso, não é mesmo? Eu não queria te contar, mas depois de você escalar as pedras, você ainda tem um curto trecho a percorrer, para chegar à Laguna de Los Três. É importante para o seu psicológico, enquanto você se pendura nas pedras, pensar que já já você chega e o trecho vai ser reto e lisinho (hahaha). Mas enfim, tem mais um pedacinho e uma "subidinha", é um pouco escorregadio - terra solta, parece areia - e você precisa se apoiar para não cair. Um senhorzinho que viu que eu estava parada, pensando em como eu ia fazer para o tombo doer menos, parou e me estendeu a mão. Depois um outro rapaz fez o mesmo. Como eu amo a gentileza das pessoas! 💗 São 9 km para chegar aos pés dessa subida (eu cheguei aqui às 13h). A subida em si tem 1 km apenas e eu levei 1:40h para concluí-la e chegar à Laguna de Los Três e ver o Fitz Roy de pertinho. Pra descer todo santo ajuda e eu levei 1:15h. Fiz a trilha de volta, e cheguei à cidade às 19hs. O céu ainda estava azul. Eu cheguei na hospedagem um farrapo humano. Um farrapo humano feliz e orgulhoso. Dicas valiosas: ➼ Não deixe de passar pela Laguna Capri, é maravilhosa e vale totalmente a pena. ➼ Mesmo que o dia esteja ensolarado, lindo, quentinho e feliz, vá agasalhado. Eu li muito sobre isso e - graças a Deus - segui à risca. Caminhei um tempinho sem blusa, porque o tempo esquentou, mas logo precisava vestir novamente, porque o vento era super gelado. ➼ Leve luvas, touca e cachecol. Vá com uma camiseta de rápida absorção de suor e uma jaqueta corta vento (de preferência, daquelas forradas com fleece). Lá em cima, nos momentos que precisei tirar as luvas para fotografar, as mãos congelavam. A touca é importante por causa do vento. Se você não cuidar das suas orelhinhas, você vai ter dor de ouvido. Vai por mim. ➼ Passe filtro solar e não vire o camarão na neve. ➼ A idade não te impede de nada aqui. O que te impede de fazer coisas assim é o condicionamento físico. Então se prepare. Não precisa ser o frequentador mais assíduo da academia, mas faça caminhadas regulares, pelo menos (e não evite as subidas 😉). ➼ Carregue todo o seu lixo com você e obedeça a sinalização. Existem áreas em recuperação e estão sinalizadas. Não caminhe nessas áreas. ➼ Não faça barulho, não grite, se for ouvir música, coloque fones de ouvido. Você está de passagem, mas animais vivem ali. Não seja o sem noção da trilha. ➼ Se você precisar sair da trilha para coletar água, seja cuidadoso com o ambiente. ➼ Existe um banheiro no km 9 da trilha. Eu não sei qual é a condição lá dentro, mas.... Enfim, se não puder aguentar, faça as suas necessidades a pelo menos 200 passos da água. Jamais na água ou próximo a ela. ➼ E essa eu vou escrever por último pra você não esquecer: jamais deixe para amaciar suas botinhas (assassinas) em situações como essa. Seja - bem - mais esperto (a) que eu! No mais, divirta-se, você merece! Onde comprei minhas passagens no trecho El Calafate/El Chaltén: Link para acessar a Chaltén Travel. Link para acessar o Plataforma 10. O que eu levei de El Chaltén: a gentileza. Na rodoviária, na hospedaria, na trilha. O que eu aprendi aqui: leve o tempo que precisar levar. Pare quantas vezes for necessário. Mas não desista! Até logo, aventureiro!
  49. 1 ponto
    Fala pessoal!!! No dia 05 de outubro de 2013 realizei um sonho que venho alimentando desde meus 17 anos: Ir para Machu Picchu! Comecei a trabalhar, as coisas ficaram mais viáveis e conhecendo uma amiga do meu amigo de trabalho PALOMA, OBRIGADO!!! .Fui incentivado e vi que a hora era agora. Agilizei as coisas, consegui tirar 30 dias de férias e então comecei a pesquisar neste forum dicas e roteiros para agregar no meu e ver alguns passeios interessantes. NENHUM amigo meu animou de tirar 20 dias viajando, então eu fui sozinho mesmo! Então chega de bla bla bla e vamos lá!!! Li bastante na internet sobre o trem da morte, porém fui padrinho de casamento de um amigo no dia 26/10 e precisava voltar pro Brasil antes da data, totalizando minha viagem durou 20 dias. Desta forma, optei por comprar uma passagem de avião até Sta Cruz de La Sierra, o que me economizaria cerca de 2 dias caso fosse de onibus até Corumba-MS e Pegasse o trem da morte até Sta Cruz de La Sierra. Conversei com algumas pessoas na viagem, eles não viram nada de interessante em viagem pelo trem da morte, então não aconselho fazer isso! Pegue os 2 dias que perderia e fique em La Paz, Cuzco ou outra cidade! Cronograma Resumido BOLIVIA 05/10: Voo para Sta Cruz de La Sierra / Embarque para La Paz 06/10 - LA PAZ: Chegada a La Paz / Conhecer a cidade e agendar passeios 07/10 - LA PAZ: Conhecer a cidade 08/10 - LA PAZ: Downhill Coroico 09/10 - LA PAZ: Chacaltaya / Embarque para Copacabana / Chegada a Copacabana 10/10 - COPACABANA: Isla del Sol / Embarque para Cuzco PERU 11/10 - CUZCO: Chegada a Cuzco / Conhecer a cidade e agendar passeios 12/10 - CUZCO: Valle Sagrado / Aguas Calientes 13/10 - CUZCO: Machu Picchu 14/10 - CUZCO: Conhecer a cidade / Embarque para Copacabana BOLIVIA 15/10 - COPACABANA: Chegada a Copacabana / Role de moto pela cidade, Serra del Calvario 16/10 - COPACABANA: Embarque para La Paz / Agendar Salar Uyuni 17/10 - COPACABANA: Passeio pela cidade / Embarque para Uyuni 18 a 20/10 - UYUNI: Salar Uyuni 20/10 - UYUNI: Embarque para Sucre 21/10 - SUCRE: Chegada a Sucre / Passeio pela cidade 22/10 - SUCRE: Passeio pela cidade de Sucre 23/10 - SUCRE: Parque dos dinossauros /Embarque para STA CRUZ DE LA SIERRA 24/10 - STA CRUZ DE LA SIERRA - Chegada a Sta Cruz / Passeio pela cidade 25/10 - STA CRUZ DE LA SIERRA - Embarque para o Brasil Estimativa de gastos US$1300,00 ~ A cotação do dolar estava R$2,42, então na moeda brasileira: R$3146,00 Com relação a tomar cuidado com as notas de série CD, que não são aceitas na Bolivia e Peru, é muito azar você se deparar com alguma no momento em que for na casa de Câmbio, porém todo cuidado é pouco! Levei US$1200,00 em cédulas de US$100 e o resto em cédulas de US$20,00 Levando sua grana em cédulas de US$100,00, no momento de cambiar você pode conseguir um valor um pouco acima do que eles estão impondo, vale a pena! DICA: Me arrependi muito de não ter feito o VISA TRAVEL MONEY, na Bolivia e Peru qualquer caixa que tenha a bandeira VISA você consegue realizar saque facilmente. Então façam este cartão, só tomem cuidado que a cada saque há uma taxa de conversão Equipamentos recomendáveis Caneta, papel higienico, remedios (dor de cabeça, estomago, bandaids, dramin...), desodorante, perfume (aquele cuba bem simples), fone de ouvido, protetor solar, repelente Documentação necessária - Passaporte ou RG: NÃO é necessário tirar o PASSAPORTE para viajar pela Bolivia e Peru, porém eu recomendo porque as coisas ficam muito mais simples, além de você poder carimbar seu passaporte com o carimbo de Machu Picchu - Carteirinha internacional contra febre amarela: não foi solicitado em NENHUM momento, porém todo cuidado é pouco! - Cartão de credito: para uma urgência e caso decida extrapolar seus gastos - Carteirinha de estudante internacional: é possivel obter desconto em alguns passeios como City Tour e Valle Sagrado, pagando-se meia. Demais acessórios 5 cuecas, 5 meias, 5 camisetas, 1 tenis velho, 1 chinelo, 1 toalha de banho, 1 fronha de travesseiro, 1 blusa velha, Barrinhas de cereal Conversão de moedas (valor médio) US$1,00 = 6,9 Bol (BOLIVIA) US$1,00 = 2,7 Novo Sol (PERU) Dicas Iniciais 1. Ficar com o dinheiro o tempo todo, inclusive no momento em que for tomar banho - Usar a Doleira; 2. Em alguns lugares os hostels fecham as 22h. TOME CUIDADO! 3. Folha e balas de coca ou use um remedio chamado Soroche Pills para não sentir tanto a altitude - principalmente na Bolivia 4. PECHINCHAR sempre, principalmente no PERU, seja nas agências ou outro lugar. Os vendedores já contam com esse desconto que tem que dar, então FUNCIONA!!! 5. Os taxis não possuem taximetro, SEMPRE pergunte quanto ficará a corrida antes de entrar no taxi 6. Tome cuidado com cedulas de doláres má conservadas, eles não aceitam ou fazem o cambio por um preço menor 7. Ande com dinheiro trocado no PERU e BOLIVIA, principalmente no PERU 8. Se for viajar de avião, compre com muita antecedencia. Ah, até Sta Cruz de La Sierra é mais barato, para La Paz é mais caro...ou costuma ser.. Tudo pronto, agora vamos ao relato! Vou colocando aos poucos, vou dar as dicas mais quentes que me lembrar! Com relação aos preços, comecei a anotar no começo da viagem porém depois desanimei, de cabeça tenho um valor aproximado de tudo (eu acho) 05 de outubro de 2013 - Saída de São Paulo com destino a Sta Cruz de La Sierra (Bolivia) Meu voo era as 11:05h, por isso acordei aproximadamente as 8 e meu amigo me levou de SP para o Aeroporto de Guarulhos. O voo durou aproximadamente 2:30h, durante o percurso é necessário preencher um papel de migração para apresentá-lo às autoridades Bolivianas. Chegando no aeroporto Viru-viru em Sta Cruz de La Sierra, fui até a casa de cambio que fica localizada dentro do aeroporto mesmo para cambiar alguns dolares e fui até o local de onde sai as vans (6 Bolivianos) que vão até o centro da cidade Sta Cruz, há a opção de ir de táxi porém é muito mais caro (60 Bolivianos). Perguntei a algumas pessoas qual seria um bom lugar para descer da van que ficasse próximo a rodoviaria, se não me engano desci no "Anilho 6" mas sugiro que perguntem ao motorista ou aos outros passageiros. Desci da van e peguei um taxi até a rodoviaria Bimodal, onde após ver vários relatos, procurei a agência de ônibus Trans Copacabana M.E.M. com destino à La Paz. O onibus é bus-cama, muito confortavel!! A viagem de Sta Cruz de La Sierra até La Paz é muito cansativa! Abaixo, algumas fotos: GASTOS Van do aeroporto viru viru até o centro de Sta Cruz: 6 Bol Taxi até a rodoviaria: 10 Bol Agua rodoviaria: 3 Bol Banheiro rodoviaria: 1 Bol Passagem de Sta Cruz de La Sierra até La Paz: 150 Bol Taxa de embarque: 3 Bol Soroche Pills: 25 Bol Total: 198 Bol 06 de outubro de 2013 - Chegada a La Paz (Bolivia) A viagem durou aproximadamente 19h, muito cansativo!!!Algumas horas a pista é asfalto outra terra além dos motoristas serem todos malucos e adorarem andar na contra-mão kkkkkkkkkk Mas até aí tudo bem, cheguei na rodoviária e logo peguei um táxi para ir ao hostel Loki. Recomendo pegar algum hostel localizado no centro de la paz, como por exemplo: Loki, Wild Rover, Copacabana. Chegando lá fiz o check-in e subi ao restaurante para tomar meu desayuno. Chegando lá, vi três malucos (Suado, Geléia e Avatar) com o cabelo tudo de pé falando portugues , sentei na mesa e ja fiz amizade e peguei algumas dicas com eles. No proprio Hostel, tem uma agência chamada Barracuda que faz alguns passeios como o "Downhill Coroico". Por estar sozinho, resolvi fechar ali mesmo o passeio para o dia 07/10 ao invés de pechinchar em outros lugares, até porque o equipamento era muito bom apesar do preço ser um pouco caro. Indico fortemente essa agencia (apesar da mulher ser uma chata) porém há outras no centro de La Paz que são mais baratas como a "Madness" e "Xtreme". Após agendar o passeio, saímos pra almoçar e posteriormente pegamos um táxi e pedimos que nos levasse aos principais pontos turisticos de La Paz. Valeu a pena, alguns lugares é complicado e outros realmente são perto do hostel, mas foi muito tranquilo porque o taxista nos contou varias curiosidades sobre a cidade e fazia as paradas para tirarmos fotos: Após o passeio, caminhamos pela famosa Calle Illampu e por lá comprei uma Bota da Timberland por um preço bom (eu achei). Dei uma olhada na Tatoo , porém nada me atraiu, muito caro e não consegui encontrar uma bota da Nomade A noite, tomar alguns jagger bombs e cervejas pacenas com a galera!! GASTOS Diaria Hostel: 30Bol Almoço: 15 Bol Jagger Bombs (5): 150 Bol Jantar: 20 Bol Downhill Coroico: 450Bol Cervejas ~ 45 Bol Blusa de alpaca: 80 Bol Tchula: 15Bol Taxi para tour pela cidade: 15Bol Bota timberland: 580 Bol Total: 1400 Bol Bom pessoal, logo mais continuo as postagens! Vlw
  50. 1 ponto
    Os gastos são referentes a viagem que realizei com minha esposa entre 23/12/2009 e 07/01/2010. O roteiro foi o seguinte: 23/12 - Joinville / Curitiba 24/12 - Curitiba / Guarulhos / Lima 25/12 - Lima / Cusco 26/12 - Vale Sagrado 27/12 - Cusco / La Paz / Copacabana 28/12 - Isla del Sol 29/12 - Copacabana / La Paz 30/12 - Tiwanaku 31/12 - La Paz / Cusco 01/01 - Machu Picchu 02/01 - Cusco / Lima 03/01 - Lima 04/01 - Lima 05/01 - Lima 06/01 - Lima / Guarulhos 07/01 - São Paulo / Joinville Para melhor visualização, clicar sobre as planilhas e em seguida no símbolo de maximizar no canto inferior direito. Abraço a todos Paulinho
Líderes está configurado para São Paulo/GMT-03:00


×
×
  • Criar Novo...