Ir para conteúdo

Líderes

Conteúdo Popular

Exibindo conteúdo com a maior reputação em 10-02-2019 em todas áreas

  1. Ressalto que; esse texto à seguir foi publicado por mim mesmo no grupo do Mochileiros.com no Facebook. E segue o baile; Para Vocês que buscam aplicativos úteis para sua viagem/mochilão roots, segue a lista; Worldpackers - App para encontrar o seu work exchange(trabalho voluntário) em hostels, guesthouse's, ong's, ecovilas(e muito mais) e em troca recebe acomodação, um lanche, lavanderia e as vezes até almoço, super indico! E aproveita que o Mochileiros.com tem um código de desconto super bacana, basta inserir a palavra mochileiros no campo Código Promocional. Couch
    1 ponto
  2. Esse é um relato de uma volta quase completa por Ilha Grande. Primeiramente, queria agradecer o @Augusto por fazer o guia definitivo das trilhas de Ilha Grande (https://www.mochileiros.com/topic/1171-volta-completa-de-ilha-granderj-uma-caminhada-inesquec%C3%ADvel/). Salvei o relato e não tivemos problemas em realizar as trilhas. Então, esse relato não tem nenhuma pretensão em ser mais preciso ou descrever minuciosamente as trilhas, isso já foi muito bem feito pelo @Augusto . A ideia aqui é tentar transmitir as sensações que tive ao realizar a minha volta por Ilha Grande e tentar acrescentar al
    1 ponto
  3. 1 ponto
  4. São mais de 8 horas de viagem entre as duas cidades via Copacabana. Caso queira conhecer a cidade e suas atrações você terá que se hospedar lá.
    1 ponto
  5. Show de bola a viagem! Mais um pra lista de Peugeots estradeiros!
    1 ponto
  6. @Estradasporaí pior que esse pedágio, é o trecho de SP até Foz do Iguaçu que foram quase 200 reais!
    1 ponto
  7. Muito show o relato. Pretendo, em breve, fazer a mesma viagem, saindo do RJ. Esse pedagio em fray bentos acaba com qualquer um mesmo.
    1 ponto
  8. Entendi. Então farei desta maneira. Muito ruim essa "fama" que tem a imigração em Madrid. Imagina você com toda a viagem pagar, meses de programação, hotéis separados, translados, dinheiro trocado e um fiscal não autorizar sua entrada... Penso que os que são barrados realmente não possuem todos os comprovantes necessários para entrada. Me recuso a acreditar em algum tipo de má fé ou de "o fiscal não foi com minha cara"....rs Mas nunca se sabe. Obrigado pelas informaçõ[email protected]
    1 ponto
  9. Esse é o relato da viagem que eu e meu marido fizemos pela Península Ibérica, entre janeiro e fevereiro deste ano, durante 22 dias - 8 em Portugal e 14 na Espanha. Tínhamos bastante vontade de conhecer a Espanha, e Portugal era meio que um "já que é ali do ladinho mesmo"... Mas conforme fomos lendo a respeito para planejar a viagem, fomos nos encantando pelo país! Muitos lugares lindos, diferentes opções para todos os gostos: lugares históricos, castelos, praias, turismo religioso, serra com neve, e por aí vai. Foi realmente difícil escolher o que entraria no nosso roteiro, e com certeza muit
    1 ponto
  10. Belo relato, me senti viajando com vocês! Obrigado por compartilhar, esperando ansiosa as próximas postagens.
    1 ponto
  11. @MARCELO.RV Pois é, terão próximas oportunidades! heheheh. Valeu! E obrigado a todos que compartilham informações e dicas para que uma viagem dessa se torne possível!
    1 ponto
  12. 21º dia 11/01 – El Chaltén X El Calafate – 223km – Começo com um comentário sobre El Chaltén de um sentimento compartilhado por mim e minha esposa, claro que pessoas são diferentes e outros podem ter opiniões diferentes, mas El Chaltén deixou saudades, o lugar é mágico, o clima do lugar(não quis dizer no sentido meteorológico), as pessoas, os locais, extremamente acolhedor, simplesmente tudo, ficaríamos lá fácil por mais uns 5 dias, mas infelizmente tivemos que seguir. Por uma coincidência trágica poucos dias depois que saímos tivemos a notícia de que 2 brasileiros morreram tentando escalar o
    1 ponto
  13. Conclusão Foi a melhor aventura que já fiz na minha vida. Sempre gostei de viajar de carro, pois dá uma sensação de liberdade de você ir para os lugares que você quiser, a hora que você quiser. E nessa ainda tive a sensação de chegar no Ushuaia, literalmente Fim do Mundo! A pergunta que eu mais ouvia: "você vai com um Peugeot? tá maluco...", pois bem, cheguei lá e voltei! hahahaha. Como vocês puderam ver, não tive problema nenhum com o carro, exceto um amassado no escapamento e um rolamento ruim (que na verdade foi por tempo de uso mesmo). Mas tenho que fazer alguns adendos. Com
    1 ponto
  14. 20/11 - Tapes/RS - Barra Velha/SC Mais estrada, dessa vez com destino a Santa Catarina. A ideia inicial era ficar em Florianópolis e curtir mais uma praia, mas como eu teria que estar em São Paulo no dia seguinte, resolvi dar uma esticada a mais para não ficar tão pesado no último dia. Encontrei um camping em Barra Velha. Um camping à beira da praia, com piscina, área para motorhomes e barracas, uma área comum/cozinha coletiva bem grande e os melhores banheiros que vi nessa viagem. KM rodados: 663 Duração da viagem: 07:00 Combustível: R$ 202 (R$ 4.89/L) Hospedagem: R$ 60 (Ca
    1 ponto
  15. 19/11 - Punta del Este - Tapes / RS Saímos do camping direto pra estrada, dia da última fronteira da viagem. No caminho, passamos em frente ao Forte de Santa Tereza e entrei pra tentar visitar, mas nada feito. Já é a segunda vez que passo por lá e está fechado. Só dei uma volta de carro por fora e prossegui viagem. Dei aquela parada básica no Chuí pra ver se tinha alguma coisa que valia a pena e segui viagem. Quando chegamos na fronteira, não há barreira nenhuma na pista e a casa onde se faz todo o processo de imigração é do lado esquerdo da pista. Na minha cabeça eu pensei que aqu
    1 ponto
  16. 17/11 - Colonia del Sacramento - Punta del Este Acordamos, tomamos café com calma, desmontamos a barraca e pegamos a estrada. O tempo amanheceu nublado e começou a chover durante a viagem. O Google Maps me jogou por umas rotas que deram muitas voltas e paguei vários pedágios desnecessários. Pelo menos não lembro de ter pagado tudo isso dá outra vez que estive aqui. Paguei tudo em reais e pesos argentinos que tinham sobrado. Fora que vim direto e demorei muito pra chegar, apesar das rodovias do Uruguai serem mais lentas que as Argentinas. Cheguei no camping, bem estruturado, aceitava até cart
    1 ponto
  17. 16/11 - Buenos Aires - Colonia del Sacramento Tomamos café da manhã no hotel, tomamos um banho (já pra garantir, pois a noite seria acampando) e partimos. Como os preços da Argentina eram bem chamativos, resolvi parar num Carrefour bem na entrada de Gualeguaychu, que paramos quando acampamos por lá, para abastecer de comida e bebida para o restante da viagem. Além de abastecer o tanque do carro também, pra aproveitar o preço da gasolina que é bem mais em conta que o Uruguai. Feito isso, partiu fronteira. Seguimos rumo a Fray Bentos. Depois da ponte, se paga um pedágio bem caro (des
    1 ponto
  18. 12/11 - Rada Tilly - Puerto Madryn Saímos por volta do meio-dia do camping rumo à Puerto Madryn. A viagem foi tranquila e "curta". Ficamos no camping ACA. Um camping bem grande e bem estruturado também. Foi o camping com mais pessoas que encontramos na viagem toda. Decidimos ficar 2 dias, pois iríamos no dia seguinte para a Península Valdes. Montamos nossa barraca onde já tinham uma turma de pessoas acampadas. Foi um "erro" na verdade. As pessoas não calavam a boca e dormiram muito tarde. Na barraca do lado, tinham dois que beberam todas, tavam gritando até que resolveram deitar.
    1 ponto
  19. Parte 9 - Cruzando o Estreito de Magalhães com San Martin "Sim, às vezes o pensamento mais louco, o mais impossível na aparência, implanta-se com tal força em nossa mente que acabamos acreditando em sua realidade… Mais ainda: se essa idéia está ligada a um desejo forte, apaixonado, acabamos acolhendo-a como algo fatal, necessário, predestinado, como algo que não pode deixar de ser nem de acontecer! Talvez ainda haja mais: uma combinação de pressentimentos, um extraordinário esforço de vontade, uma autodireção da própria fantasia, ou lá o que seja – não sei." O Jogador, Fiódor Dostoiévski
    1 ponto
  20. @Rachelcx maio é um período que antecede o inverno neozelandês entao vá preparada para pegar dias frios. Quando estive lá foi na primavera (final de Outubro) e passei frio igual nunca tinha passado na vida rs, e olha que gosto de frio. Sobre a dúvida se vale a pena ou nao viajar pra lá nessa época pode ter certeza que vale sim, o país é muito bonito e creio que em todas as épocas do ano há suas belezas e particularidades. Eu sempre priorizava fazer os deslocamentos durante o dia para poder ficar olhando as paisagens. Se voce fosse viajar no período de inverno rigoroso iria sugerir p
    1 ponto
  21. Sempre uso o Praiômetro para pesquisar praias. https://www.viajenaviagem.com/2012/10/praiometro-nordeste-caribe/
    1 ponto
  22. Junho é uma época complicada. O ponto forte da ilha são as praias e baladas... e tudo morre nessa época.
    1 ponto
  23. Procura o Charruá Sport & Adventure, mais especificamente o Pablo, que gerencia. Ele vende a Katmandu (embora não saiba te dizer se ele a tem no momento). Mas veja o preço primeiro, e tenta chorar um pouquinho, pq barraca geralmente é mais cara no norte. Quanto às duas que vc perguntou, creio que ambas estão num patamar bem parecido, mas a katmandu tem o avanço que a Arpenaz não tem, então ponto pra katmandu. Mas se vc não puder gastar muito, vai de quechua.
    1 ponto
  24. RESUMO KRUGER De manhã era bem frio, de dia muito calor e de noite agradável! Foi uma das experiências mais lindas da vida, de verdade! Me lembro quando mergulhei pela primeira vez e me senti no Procurando Nemo... aqui me senti no Rei Leão, inclusive botamos a música no carro, kkkkkk!!! Ficar dentro do parque não é baratinho, mas vale muito a pena. Não tem essa de que ficar fora é a mesma coisa... só quem está dentro do parque tem estas experiências antes das 6h da manhã e depois das 18h... e tudo de mais legal ocorreu nestes horários restritos! Quem está fora só pode fazer os games
    1 ponto
  25. Ícone em preservação das florestas, Chico Mendes, lutou e pagou com a vida para que hoje, após quase 30 anos de sua morte a floresta siga em pé, e foi atrás de mais sobre essa história e das vivencias das pessoas dessa região que seguimos viagem. Colhi o máximo de informação de quem já havia ido até essa região, botei no bisaco junto com mais umas tralharias e fomos, Eliézio e Úrsula (um casal de amigos), minha esposa Ana e Eu. 1° Dia, Sexta Feira 13/07/2018 Saímos os quatro de Rio Branco de carro as 14:00 com destino a estrada de Assis Brasil (Estrada do Pacífi
    1 ponto
  26. Frank, muito bem relatado e fotografado. De todas as fotos, destaco a foto entre as sapopemas (raízes da árvore) e de tudo que você escreveu destaco este trecho que indica uma enorme sensibilidade de sua parte "Por onde passamos ninguém se falava em dinheiro nem valores, era como se fossemos da família, mas claro que tudo tem custos e não fomos pra explorar ninguém,..." . O espírito é esse mesmo, parabéns! Minhas saudações também para Thalita Figueiredo que fez o primeiro comentário, ela e sua turma foram brilhantes companhias na Serra do Divisor há dois anos em que produzimos dois bons e saud
    1 ponto
  27. Que viagem maravilhosa! Nossa primeira vez na Europa e nas terras do nosso colonizador rsrs! Dia 01 a 16/01/18. Acompanhe tbm nossas viagens pelo Insta e Face @polymsousa. Obs: os valores são relativos a 1 pessoa. Câmbio: cambiamos no Brasil a R$4,00/euro. Roteiro: 01 a 08 – Lisboa 08 a 09 – Sintra (Lisboa-Sintra de comboio €2,25) 09 a 14 – Porto (Lisboa-Porto de comboio €15) 14 –Braga (Porto-Braga-Porto de comboio €6,40) 15 – Coimbra (Porto-Coimbra de comboio €13,40) 16 – Retorno (Coimbra-Lisboa de comboio €14) Avião: Campinas-Lisboa-Campinas com program
    1 ponto
  28. Dia 04/01 – Ida para Granada Acompanhamos o site da Renfe por muito tempo para comprar as passagens Madri-Granada com antecedência e conseguir um bom preço, mas nunca abria a venda para a data que queríamos. Acabamos comprando na estação Atocha, no dia em que chegamos em Madri, e pagamos €49,60 cada. Pegamos o trem das 09h05, a viagem durou 4h40min. A estação de trens fica a uns 25 minutos de caminhada do centro histórico, onde fica o Hostal Mesones. Fizemos o check-in, a proprietária nos recebeu e foi super atenciosa, nos deu um mapa e explicou todo o necessário. Nesta hospedagem tivemos
    1 ponto
  29. Dia 31/01 – Alguns pontos turísticos de Madri e... futebol! Desde que colocamos o pé para fora do hostal, vimos uma movimentação de pessoas que pareciam estar se dirigindo a alguma passeata ou algo do tipo, todas com camisetas ou portando uma bandeira roxa. Ficamos curiosos. Caminhamos até a Plaza de Cibeles, e dali fomos até a Puerta de Alcalá. Voltamos, e demos uma olhada no valor da entrada para o prédio do Palacio de Comunicaciones, mas resolvemos andar mais pela cidade. Fomos até a Puerta del Sol, a movimentação de pessoas envolvidas com aquela manifestação só aumentava. Vo
    1 ponto
  30. Dia 27/01 – Barcelona de Gaudí Tínhamos comprado com antecedência as entradas para a Sagrada Família (http://visit.sagradafamilia.cat/?lang=en#tickets), €19,50 cada entrada incluindo subida a uma das torres. Fomos caminhando desde o Hostal, no caminho paramos para tomar café-da-manhã. A empolgação vai aumentando quando as torres começam a aparecer por trás dos prédios e de repente... uau! Ali está ela, gigantesca e maravilhosa! Aquela sensação incrível de estar vendo pessoalmente algo tantas vezes visto em filmes e fotos! Já havia uma fila para entrar, nosso horário era o primeiro do
    1 ponto
  31. 25/01 – Curtindo a cidade do Porto Encontramos uma boa opção para tomar café-da-manhã na Avenida dos Aliados: Low-Cost.come. Fica perto do prédio da Câmara Municipal. Várias opções de café, salgados, sanduíches, doces etc, a ótimos preços. Depois, passamos no posto de informações turísticas, bem pertinho dali, e compramos o Porto Card com validade para 24h (€5 euros, sem incluir transporte). Demos início ao uso do cartão na Torre dos Clérigos (€1,5 com cartão). Muitas escadas para subir, e uma vista recompensadora de 360º da cidade. Descemos em direção ao rio, por ruas estreitas e sem
    1 ponto
  32. Dia 22/01 – Bate-volta Évora Pegamos o metrô usando os últimos momentos de validade do LC, para ir até a estação de trens Entrecampos. Já havíamos consultado no site que saía o trem para Évora às 8h59, e a passagem de ida+volta custou €22 por pessoa. Em uma hora e meia chegamos. Uma pequena caminhada saindo da estação de trens e entramos na muralha da cidade. Seguimos reto até a Praça do Giraldo, onde há um Posto de Informações Turísticas, peguei um mapa e uma tabela de horários e preços das atrações. Visitamos primeiro a Catedral. Queríamos subir na sua torre, mas para isso tivemos que
    1 ponto
  33. DIA 20/01 – SINTRA Pegamos o trem das 8h53 para Sintra, grátis com o LC. É só consultar os horários dos trens, de ida e de volta, no site http://www.cp.pt/passageiros/pt, chegar na Estação do Rossio uns minutos antes, passar o LC no leitor da catraca e embarcar. Em 39 minutos de viagem se está lá. Descendo na Estação Sintra (não desça na estação “Portela de Sintra”, que é mais longe), já há uma parada do ônibus hop on/ hop off logo em frente. Esse ônibus passa pelas principais atrações da cidade, e custa €5 por pessoa para o dia todo. Deixamos o ônibus para mais tarde. Caminhamos em dire
    1 ponto
  34. Vamos ao relato. DIA 18/01 – CHEGADA EM LISBOA O voo Porto Alegre – Lisboa saiu com cerca de duas horas de atraso. Então, a chegada prevista para onze da manhã se transformou em uma da tarde, e para completar, mais uns 45 minutos esperando que as malas fossem disponibilizadas na esteira. Saímos do aeroporto quase duas da tarde. Logo na saída do Aeroporto há o ponto de ônibus do Aerobus (sai de 20 em 20 minutos, deixa em diversos pontos de Lisboa e custa 3,50). Descemos na Praça Restauradores, e caminhamos não mais do que 300 metros para chegar no nosso hotel. Foi só o tempo de fazer
    1 ponto
Líderes está configurado para São Paulo/GMT-03:00
×
×
  • Criar Novo...