Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Mais curtidos da Semana


Conteúdo Popular

Exibindo conteúdo com a maior reputação em 13-03-2019 em todas áreas

  1. 5 pontos
    Não é questão de ficar limitado, cada um tem um gosto. Se a pessoa quer cozinhar no ap pra economizar 20/30 euros qual o problema? Não é pq esta na Europa que tem que sair gastando. A não ser que você tenha bastante grana, aí é outra coisa, a pessoa que tem dinheiro sobrando não vem no fórum perguntar quanto dinheiro levar para uma viagem, simples...
  2. 3 pontos
    É. Eu também, sempre que posso, costumo dar um "joinha" em relatos/posts que acho interessante.
  3. 3 pontos
    Vejo muitos tópicos aqui do tipo "viajar sem dinheiro", "viajar pegando carona pra economizar", "como conseguir tal coisa de graça". Acho válido buscar formas de economizar na viagem. Tento salvar uma graninha sempre que possível, admito. Mas também temos que pensar: "o que eu posso dar em troca?". Pq senão fica uma via de mão única: só eu serei o beneficiado. Da mesma forma que tem muita gente que fica pegando dicas/informações nesse fórum mas não colabora com absolutamente nada. Pior: lê informações que vc postou e sequer posta um "obrigado". Eu estou sempre buscando ajuda aqui, mas por outro lado procuro sempre escrever relatos das minhas viagens e responder perguntas para ajudar outros mochileiros. Uma mão lava a outra. No caso do americano citado na matéria, ele fez isso para alertar sobre o desperdício de comida e não só pra "se dar bem e economizar". Pensem nisso. Boa viagem.
  4. 2 pontos
    isso foi algo importante que voce falou SEGURANÇA. ir com grana contada, pouca, À Europa é arriscado, eu iria ano passado, mas vi que ia me privar de muita coisa E IRIA ARRISCAR. .. optei América do sul.. agr falar pra uma menina que não saiu do país, sozinha ir com 50 euros/DIA à França é dose kkkkkk melhor ser realista e duro, quer ser bonzinho e fantasioso .. lá ela se ferra.
  5. 2 pontos
    Penso que ao se fazer um planejamento de viagem a pessoa ja tenha em mente o que pretende fazer em cada lugar. Uma rapida googlada é possivel ter noçao dos valores das atraçoes pagas e com isso a pessoa consegue tranquilamente saber por alto quanto gastará com hospedagem, passeios, deslocamentos e o que vai faltar será alimentaçao, que nao da pra dizer quanto será o gasto pq depende da barriga de cada um. Independente da estimativa inicial é sempre recomendado ter uma margem de segurança para imprevistos e gastos adicionais. Nao tem coisa pior do que fazer um viagem, querer fazer algo e nao poder pois a grana está curta e poderá fazer falta la na frente. O que nao dá é fazer uma estimativa de x euros por dia e ja sair do Brasil com (x-30%) e achar que ao chegar lá a grana vai se multiplicar.
  6. 2 pontos
    É uma questão de conceito, prefiro ganhar um dias a mais na viagem do que comer em um restaurante em Paris.
  7. 2 pontos
    Tem gente que acha que viajar é esbanjar dinheiro, pegar uber/táxi toda hora, entrar em todas as atrações, ir em restaurantes sem pesquisar... essas pessoas não são mochileiras :DD fiz europa central e parte do leste europeu no ano passado e gastei desde 80 euros por dia em viena, 60 por dia em berlim, 40 em moscou e sao petesburgo e cheguei até a 30 euros em alguns dias em budapeste e cracóvia. tudo isso com café da manhã do hostel (ou comprando café da manhã no supermercado), almoçando algo na rua, em restaurantes baratos ou fast food e jantando em lugares mais legais. fiquei em hostels legais em todas as cidades (nem os mais caros e nem os mais baratos), andando a pé sempre que possível, metrô quase todos os dias (compre os passes de 3,4,5 dias) e de uber só quando não tinha opção. visitei as principais atrações, mesmo as mais caras (schonbrunn, museuinsel, auschwitz, peterhof, hermitage), mas sempre usando também free walking tours e ainda sobrou um dinheiro todo dia pra uma cervejinha ou uma vodka :DD recomendo o site priceoftravel.com pra ter uma noção de quanto gastar em cada cidade. a europa é grande, tem várias realidades. tendo aqueles valores do site como referência e um cartão de crédito internacional pra emergências (ou pra comprar algum souvenir, ou pra sair pra alguma balada quando der vontade), vai dar tudo certo!
  8. 2 pontos
    PREPARAÇÃO: Passamos o natal com nossos filhos em São Paulo, capital, no dia 31.12.2018 partimos e ficamos em São José dos Campos-SP, descemos as 21 horas para ver a queima de fogos em Caraguatatuba, praia do litoral norte de São Paulo. Retornamos ao hotel em SJC e dormimos, no outro dia cedo rumamos para São Bento do Sapucaí-SP, e fizemos 2 roteiros (até a base da pedra do baú e pelo bairro do Quilombo subindo a serra e descemos até o distrito de Bocaina, retornando daí para SBS). Ficamos na Pousada Casabranca (ótimo custo/beneficio) $60 por pessoa com café da manhã (disponibilizou antes do horário) Recomendo. Foram +- 45 kms de caminhada nos dois dias. Queima de fogos em Caraguatatuba, 31.12.2019 Início da jornada de preparação Lindo amanhecer e visual pedra do baú Idem Começando caminho via bairro do Quilombo, pedra do baú por outro ângulo Terminando forte subida Mirante de São Bento do Sapucaí Outra subida forte em meio a muito verde Tínhamos dentista(o mesmo que nos atendeu no ano passado), marcado em Extrema-Mg, dia 09.01 em Extrema (um dente quebrou), ficamos lá fazendo os principais roteiros, (pedra do Lobo guara (como o sol estava muito forte só fomos até a última subida), rampa de asa delta, caminho das pedras......), foram cinco dias de caminhada +-100 kms. Como viajamos sem programação, depois que fomos atendidos pelo dentista, resolvemos nos preparar melhor na cidade de Munhoz (queríamos ficar em Pedra Bela-Sp, para subir até a rampa da tirolesa) mas na pousada não tinha ninguém e nem atendiam o telefone. Mirante rampa asa delta Extrema -mg
  9. 1 ponto
    Olá, pessoal!! Estou programando uma viagem para outubro de 2019 a principio serão 15 dias... Áustria, Hungria, Eslováquia, República Tcheca e Polónia... Mas estou flexível para alterações.... E companhia é sempre bem vinda!! Segue meu what's +351924281285. Não moro no Brasil por isso esse número hahaha...
  10. 1 ponto
  11. 1 ponto
    Fazer uma trip de motorhome por toda europa.
  12. 1 ponto
    Hola viajeros! Segue link dos meus gastos em minha última trip de 15 dias pelo Chile e Tour de 4 dias para o salar de Uyuni, na Bolívia Vi pela primeira vez este tipo de planilha através do blog http://www.mochilandonamaionese.com/ Achei muito útil e me ajudou bastante para planejar a viagem. Aviso de antemão que o Chile é um país caro, muito mais caro ainda na região do Atacama. Entretanto, consegui fazer a viagem com um valor razoável, não passei nenhuma vontade (exceto a de subir o Sky Costanera, por 15 mil chilenos não tem como) Valor total R$ 3.912,60 com passagens áreas Valor total R$ 2537,90 sem passagens áreas LINK https://docs.google.com/spreadsheets/d/1Mcpxep2e9QT1Mdua-hfBIzLwPs4QL8xW8pw52PVDakg/edit?usp=sharing Não recomendo ir no Inverno Altiplânico. Duas semanas antes de viajar para o Atacama a estrada de Calama para San Pedro chegou a ser fechada, mas como já tinha tudo pago não pude desistir. Por sorte, no dia da viagem o tempo começou a melhorar. Em San Pedro cheguei com todos os tours fechados, o que por um lado foi bom, pois fui fazer o tour do salar de uyuni que achei FANTÁSTICO. Ao voltar para San Pedro os passeios já estavam normalizados mas não fiz nenhum, apenas aluguei uma bike e fiz Valle de La Muerte - Mirador de Kari - Pukara de Quitor e Catarpe (que estava fechado). Acho que o tour de Uyuni engloba muitas coisas que são vistas em tours individuais em San Pedro. Acho um passeio mais alternativo, já que San Pedro está repleta de turistas tradicionais (o que não me agrada muito). Além do norte, conheci Santiago (3-4 dias) e Valparaíso (3 dias). Se tiverem alguma dúvida, estou disposto a ajudar! Abraços!
  13. 1 ponto
    Olá ! Gostaria de agradecer as dicas bem vindas e postar algumas vivenciadas....tudo deu certo e chegamos à Machu Pichu passamos pelo norte da Argentina (que amooo) e já conhecia de outros carnavais, 3 vezes ...só desta vez antes d arriscar a noite em Susques,como estávamos em 4 pessoas no carro , dormimos em Purnamarca (muuuito mais oferta e preço ótimo. ) Alimentação barata tb e noite tranquila!) super indico! Na manhã d domingo cruzamos Jama ( bem tranquilo! Passamos as Salinas ,a Cuesta de Lipan a altitude ..... e chegamos no Atacama!!! Pela terceira vez ! Resolvemos dormir lá antes de nos aventurar ao desconhecido... ficamos no hostel Altos d Quitor (um lugar ótimo) no deserto um pouco retirado ,mas com um céu !! Bem cedo seguindo Calama fomos ao Pacífico! Pela Costaneira primeira cidade Tcopilla caminho liiiiindo mas não recomendo pra volta. Fomos costeando o oceano até Iquique ,linda cidade. Na divisa com Peru (Arica) o estresse pegou. O Passaporte da minha filha venceria em 8/3 e isto era 25/2 ATENÇÃO as leis peruanas não permitem mais entrada com passaporte com data de validade com menos de seis meses!!!!!! #No Chile não teve problema algum. #Peru não entra. Somente com RG no nosso caso ,tínhamos junto (10 anos vale como sempre) atual. Na aduana precisa ter um papel que trazemos junto , bom se informar antes de chegar,pois precisa vir preenchido,com TODOS os integrantes.Na ida e na volta. Na cidade antes ,tem pra vender. SOAT:seguro pra circular no Peru :tb providenciar assim que entrar,nós fomos até à primeira cidade ,dormimos lá e pela manhã fomos na Mafre e fizemos por 30 soles( bem barato). Bem ....seguindo viagem:Peru tudo acessível,combustível barato ,alimentação razoável,trânsito infernal Credo. Passar por cidades é um inferno....tuqui,tuqui por tudo. Buzinam e vão. Mas tudo bem. Interior é assim. Frango é prato principal e único. Cuzco maravilhoso ,muitas opções. Fizemos pacote pra Machu Pichu na praça mesmo ,como indicado: valeu a pena( desconto pra estudantes com a carteira nacional) eNÃO é aquele absurdo) da pra escolher....no hotel oferecem um pacote sem cabimento,mas nós fizemos o q queríamos. Topic até hidrelétrica, caminhamos 4 horas até Aguas Calientes (amei o lugar) pousada incluída ( muito boa) bem melhor q no Uyuni ano passado beeeeeeem melhor!!! É uma janta ótima.... ônibus pra subir a montanha e entrada :90 dólares! Valeu muuuuito. Achei muito bom o Peru ,só que nossa volta pra ganhar tempo viemos pera RN 5 bem mais rápido até Calama. Aí sim conseguimos curtir uns dois dias ainda no deserto e partiu RS. Sempre viajamos de carro ,inverno com neve (este ano inclusive pela altitude pegamos muita neve na pista na volta saindo do Peru )4500 de altitude!! Dificilmente tivemos algum perrengue,super indico todos a irem com Fé e prudência, Tendo documentos OK e boa vontade. Valeu as dicas sempre.
  14. 1 ponto
    Olá pessoal, estou me preparando para o meu primeiro mochilão pela América do Sul, e pensei na seguinte rota: PERU > CHILE > BOLÍVIA, mas não sei por onde seria melhor começar e se consigo fazer essas escalas apenas com transportes terrestres. Podem me ajudar? Alguém anima ir???
  15. 1 ponto
    Hey mochileiros Tava querendo aproveitar o fim do verão no sul catarinense pra conhecer a serra e o canion. Se alguém tiver a mesma ideia de passar um fds por lá. Chega aê Tava querendo programar em meados de março. Ouvi dizer que no inverno rola neblina e queria evitar isso Até breve
  16. 1 ponto
    Na minha opinião, Berlim está um pouco fora de rota, mas como você tem uma grande quantidade de dias, até que daria pra estender até lá, vai depender da quantidade de dias em cada lugar.
  17. 1 ponto
    Tudo ótimo e você como tá? Muito obrigado pelas dicas irei amadurecer e detalhar ainda mais a viagem com os passeios que ja vi que quero fazer e junto a isso irei analisar e provavelmente colocar St. Petesburg no roteiro. Vou compartilhando aqui. abraço!
  18. 1 ponto
    Planejanto fazer toda a America do Sul, alguem mais com essa ideia ? bike, carona, onibus, avião....
  19. 1 ponto
    Infelizmente, só uns 10%. A maioria, se beneficia das postagens, lê e nem diz nada, muito obrigado, não faz parte do dicionário dessas pessoas.
  20. 1 ponto
    Aproveita que vai de carro e tenta colocar mais alguns dias, a viagem será mais prazerosa.
  21. 1 ponto
    Gostei dessa parte "Acho válido buscar formas de economizar na viagem. Tento salvar uma graninha sempre que possível, admito. Mas também temos que pensar: "o que eu posso dar em troca?". Pq senão fica uma via de mão única: só eu serei o beneficiado". Realmente isso conta muito. Vale até capinar a frente da casa ou o próprio terreno. É muito importante isso que você comentou. Uma recíproca dos favores, sempre será bem vida.
  22. 1 ponto
    o ponto alto... Colonia > montevideo > Polonio (são os extremos) se tiver de carro ainda fica apertado todos esses que citou.. passei 3 dias no uruguai, só deu p conhece a capital e colonia .. pq segui p outro país .. é cansativo , os trechos são longos. mas se voce acha q dá, vá na fé.. boa viagem brow
  23. 1 ponto
    https://www.airbnb.com.br/rooms/886792?eluid=1&euid=3b16f773-ad3f-92e5-0c05-fc853717f6e5&guests=1&adults=1&check_in=2019-03-22&check_out=2019-03-24
  24. 1 ponto
    Legal a Dica, sei que é apertado o roteiro, estou tentando citar todas as opções e depois vou selecionando. Pode passar ou link do airbn?
  25. 1 ponto
    @gialia o simples que me referi é quanto ao entendimento, e não sobre a viagem. obs. não viajei tanto assim, e o que escrevi foi experiência própria. De qualquer forma, boa viagem! vai dar tudo certo!
  26. 1 ponto
    Pico do Jaraguá - São Paulo
  27. 1 ponto
    então tu fica o dia todo em um restaurante ? kkkkk não entendi o conceito: fica andando o dia inteiro a fica dentro de um restaurante de LUXO o dia inteiro
  28. 1 ponto
    nenhum momento falei em fica luxando .. falei no quesito em ficar limitado, apenas!!!! galera não entendeu. Viajar zerado ?? contando ?? ok, vá falei na margem de segurança, 100 euros dia e pronto. quem quiser ir com 10 euros, 20 euros vá! porém o seguro morreu de velho. Tem pessoas que nem conseguir se virar com quase nada aqui, dirá fora ?? tudo mundo é mochileiro raíz fodão!
  29. 1 ponto
    Também achei muito apertado para o roteiro em questão. Vai praticamente passar pelos lugares sem aproveitar. Piriapolis iria só de passagem mesmo, Punta del Este é bem legal, mas muito caro. Em Punta Ballena não deixaria de ir na Casa Pueblo, o pôr do sol é espetacular. Montevideo tem o mercado do porto, a Plaza Independencia, cidade velha. A viagem de Montevideo para Colonia é mais que isso, se não me engano 3h só ida. Colonia eu realmente fiquei bem pouco, menos de uma hora pois meu propósito era pagar a balsa para BA, iria ficar mais tempo na volta, mas tive que voltar de ônibus de BA direto para Montevideo, em todo caso merece um tempo maior para conhecer melhor. Fiquei em Punta de Este num hotel mesmo pois lá queria aproveitar mais sem perrengue e de la fui de ônibus para piriapolis e punta ballena. Em Monteideo fiquei em um quarto na casa de um casal pelo Airbnb, casal super gente boa e o bairro pocitos muito bem localizado. Colonia e BA foi apenas bate e volta e deu para aproveitar bem.
  30. 1 ponto
    4 dias no Uruguai, só seria viável da seguinte forma, mesmo assim não é meu tipo de viagem que eu faria. 2 dias em Montevidéu 1 dia Colonia ( bate e volta ) 1 dia em Punta ( bate e volta ) Isso tudo considerando se você tivesse um voo que chegasse em Montevidéu as 6 da manhã, para chegar as 9 na hospedagem no centro e de lá já sair para conhecer a cidade e o voo de volta na noite do quarto dia. Isso que você pretende fazer não dá nem tempo de tirar fotos, é muito rápido, tem os deslocamentos, podem ocorrer atrasos, revise suas intenções desta viagem.
  31. 1 ponto
    muita coisa p pouco tempo? cansativo demais e deslocamento bruto. só ida e volta pra cabo coloca ai 6h30h, duas horas em colonia é pouco, muitas pessoas vão e só conhece uma pequena parte e não toda. Cabo polonio, alem do buzão, tem a jardineira .. ta muito apertado ai, só se alugar carro pra tudo isso
  32. 1 ponto
    com 50 euros dia, dá pra fazer outras coisas alem de ficar vagando e tirando foto. Ex: Louvre 17€ ,Torre (subir) 25€, passagem metro 1,5€... Por ai vai... Sem mais também.
  33. 1 ponto
    nunca que com 40/50 Euros no Airbnb em Paris cozinhando em hostel ou apt voce não fica limitado. viajar pra fica só vagando e tirando foto e comendo pouco não é uma viagem boa! Portugal e Espanha até vai 50 Eurocas, mas Paris, Itália, Alemanha entre outros destino 50 euro por dia é fica limitado sim, ainda por cima esse ano de 2019 que nossa moeda esta quase igual a boliviana. Com essa grana q voce citou, melhor ir para o Leste Europeu, tirando Tcheca e Croacia! sem mais!
  34. 1 ponto
    @RodrigoDigão @Davi Leichsenring obrigado pelas dicas, já me clareou bastante as ideias!
  35. 1 ponto
    Bem legal essa foto da estradinha em meio à Grama verde e flores. Vc citou o vento e me lembrei qdo estive as margens do Lago Grey .... aterrorizante imagina fazendo essa trilha, vc não teve medo de se deparar com algum Puma?
  36. 1 ponto
    Oláá ! Tô ficando sem criatividade para escrever esses relatos, mas vou terminar, prometo! 29/12 – PUERTO NATALES – TREKKING TORRES DEL PAINE Finalmente chegou o dia de conhecer as Torres del Paine. O dia amanheceu bem melhor, já fiquei feliz e muito grata pelo app Windy Optei por fazer esse trekking por conta. Comprei a passagem de ônibus por CLP 15.000, se você optar de fazer por empresas com guia vai sair em torno de CLP 40.000. O ônibus saiu às 7h da rodoviária, peguei um taxi até lá que custou CLP 1.500. A viagem até a entrada do parque (Laguna Amarga) dura umas 2 horas e ali todo mundo desce. Como tinha comprado o ingresso no dia anterior, passei na recepção para validar o mesmo. Nesse momento você tem 2 opções: 1 – Pegar um transfer até o inicio da trilha. O custo dele é de CLP 3.000 ida e volta. 2 – Ou ir andando. Não vi nada de interessante nesse caminho, vi poucas pessoas andando, acho que só vai comer poeira mesmo hahaha O transfer te deixa no inicio da trilha, onde tem uma recepção, lanchonete e banheiros. Se você estiver de carro, tem um estacionamento nessa área. Ali você precisa preencher um formulário, inclusive contato de emergência. Você entrega para a pessoa da recepção, que te dá algumas instruções básicas sobre água, protetor solar e afins. Então é só começar a caminhada. A subida até as torres se divide em 3 partes: 1º é uma subida que não tem muita inclinação, mas ela é longa. Terreno é irregular com pedras. 2º Momento para descansar para as perninhas 3º Hora de malhar os cambitos. Não pensa muito e só sobe kkkkkkkkkkkk Comecei a caminhada às 9h40 e já consegui ver as Torres de longe. No dia anterior não tinha conseguido vê-las em nenhum momento. Só de olhar para elas já animei, não acreditava que estava ali. Alguns minutos depois já estava tirando a calça corta vento, tirei meu bastão de trekking da mochila e segui. Começou a subir e fiz mais uma parada para tirar os casacos, já vestia só legging e regata Havia muitas pessoas iniciando a trilha de manhã, pessoas de todas as idades, famílias, grupos, etc. Como estava sozinha, subi no meu ritmo. Fui devagar, mas constante. Neste primeiro trecho só fiz paradas rápidas para tomar água, tirar algumas fotos e olhar ao redor. Dentro do Parque, tudo é carregado por cavalos, encontrei vários pelo caminho. Inclusive, se você se machucar, vai ser levado por um. Tome bastante cuidado por onde pisa para não virar o pé e correr o risco de estragar a sua viagem. Subi, subi, subi, até chegar ao vale dos ventos, parte em que a subida dá uma trégua. E UAU! Que lugar era aquele? Umas das paisagens mais bonitas da viagem. Apesar do nome, nesse dia não tinha vento nenhum kkk dizem que quando há muito vento, é preciso esperar para atravessar aquele pedaço. Você percorre uma trilha cheia de curvas, algumas descidas na beira de um abismo. Fiquei alguns instantes admirando aquele lugar maravilhoso e continuei. Toda essa parte da trilha é aberta, sol bate direto em você o tempo inteiro, então passe protetor solar, porque o sol da patagônia queima sim HAHAHA mais tarde conto pra vocês. Minha primeira parada foi no camping chileno, aproveitei pra ir ao banheiro (é pago, acho que algo em torno de CLP 500/1000). Depois procurei uma mesa para sentar, pedi licença para uma moça, perguntei se podia me sentar ali e ela disse que sim. Conversamos um pouquinho, quando chegou o marido dela, falando no maior carioquês, eu ri e perguntei se ela era brasileira. Sempre digo que brasileiro é que nem imã. Peguei água no rio que passa na frente do camping e coloquei meu pré-treino. Eu não gosto muito de comer sólido durante a subida, mas sabia que precisaria de energia para o ultimo trecho. Me despedi de Sara e Junior e segui meu caminho. Nesse momento você volta a subir, mas no meio de uma floresta, o cenário muda completamente. Boa parte deste trajeto tem um pequeno rio que te acompanha com água fresquinha e gelada. Que saudade de beber aquela água pura. Quando você sai da floresta, dá de cara com o enorme paredão cheio de pedras que está prestes a subir. Ali têm algumas placas informativas sobre o lugar e também plaquinhas indicando os banheiros naturais e quanto tempo você deve caminhar até chegar neles. Nesse momento só dá pra ver as pontinhas das torres. É só pedra, pedra, morro e mais morro. Kkkkkk então você respira fundo, busca coragem e vai na fé. Um passo de cada vez e bora lá. Esse último trecho é com muitas pedras soltas e areia, atenção redobrada para não se machucar. E apesar de todas as dificuldades é um trecho gostoso de fazer. Nessa hora todo mundo é amigo, incentiva, ajuda, dá a mão para auxiliar o próximo. Todos ali têm o mesmo objetivo. Quando eu achava que estava quase chegando, comecei a descer, depois subi novamente e ai, finalmente cheguei e PÁ! Depois de 3h20min subindo, dei de cara com aquelas três torres imensas, a laguna com um tom que nunca vi igual. Lembrei dos documentários que já tinha visto, das fotos do Instagran, de revistas. E eu estava bem ali, encarando esse cenário que parecia de mentira, abestada com o que estava vendo. Eu olhava o tamanho das pessoas para conseguir assimilar a imensidão desse lugar. É inacreditável! Fazia muito vento lá em cima. Já tinha colocado todas as minhas camadas de roupa e sentado para apreciar a vista, quando vi a Sarah e o Junior chegarem. Me juntei a eles, conversamos e comemos. Junior é da Marinha, estava de férias do trabalho na Base brasileira na Antártida. Achei o máximo! Fiz milhões de perguntas, ele me mostrou fotos, contou como é o caminho até lá e várias coisas. Meu fiel companheiro durante a viagem Depois de 1h30 lá na base, decidi descer na companhia da Sara e do Junior. Paramos novamente no camping chileno para descansar os pés e seguimos caminho. Descemos com bastante calma e conversando, levei mais tempo pra fazer o caminho inverso kkkkk Desci com muito cuidado. É bem fácil escorregar ou pisar em falso e acabar machucando o pé ou o joelho. Terminamos a trilha umas 17h30, fomos até a lanchonete e eu só queria tomar um chope para comemorar aquele dia. E assim paguei o caneco de chope mais caro da minha vida, CLP 5.000 (uns R$ 30,00). A Sara pegou um café expresso por CLP 2.500. Sentiram o drama dos preços dentro do parque né? Sara e Junior me ofereceram uma carona até Puerto Natales, já que meu ônibus sairia só 19h ou 20h. Eu estava morta e aquele chope só ajudou a dar uma amolecida, mas vim conversando o caminho todo com os dois. Foi 1h30 de muita conversa boa e leve. Cheguei mais cedo no hostel, ainda era dia. Arrumei minha mala já que no outro dia iria embora de manhã. Depois fui pra área comum fazer algo para comer. A Gabi que já estava hospedada no hostel me fez companhia e ficamos conversando. Mais tarde algumas pessoas fizeram check-in, outros chegaram de passeios e foram se juntando com nós. Ali juntou um monte de brasileiro que até hoje não sei da onde veio. Acho que deveria ter uns 8, a maioria estava viajando sozinho. Ficamos trocando experiencias, bebendo e rindo até tarde. Foi uma das melhores noites da viagem. Trocamos contatos, mais tarde alguns também iriam para El Chaltén. Sobre escolher o passeio guiado ou fazer por conta, vou falar de dois pontos que acho importante analisar para você tomar essa escolha: - Se o seu medo é se perder, pode ficar tranquilo! Tudo é muito bem sinalizado, não tive duvidas em nenhum momento. Como fui na alta temporada o fluxo de pessoas lá era maior. - Tempo total para realizar o trekking: o ônibus não espera ninguém, se você não costuma fazer esse tipo de caminhada e tem medo de demorar muito, é interessante pensar na possibilidade de fazer com guia, pois ele espera até a última pessoa terminar. Conversei com algumas pessoas que fizeram em grupo e parece que vão 2 guias, você fica “solto” para fazer no seu ritmo, mas fica um guia no começo e um no final. Hospedagem em Puerto Nateles: We Are Patagonia. Melhor cama da viagem, acho que era até melhor que a minha. O Hostel é menorzinho, tem 4 banheiros “privados” com secador. Café da manhã gostoso, com frutas, geleias, pães e cereis. Quando você chega para tomar café da manhã, eles perguntam se você quer ovo e eles trazem bem quentinhos pra você. Os Staff’s são gente boas demais. 30/12 – PUERTO NATALES – EL CALAFATE – EL CHALTÉN (ÔNIBUS) Chegou o dia de voltar para El Calafate e depois ir para a última cidade da viagem: El Chaltén. Acordei cedinho e fui para a rodoviária. Dentro do ônibus tinha um funcionário que não falava nada, nem espanhol, muito menos inglês. Só sabia apontar, ninguém entendia nada e ficávamos nos olhando, tentando descobrir o que ele estava tentando dizer. Ele estava pedindo aquele bilhete que falei para guardar no relato anterior. Não lembrava desse papel e por sorte ele estava na minha pastinha de documentos. Ufa, alívio! A fila da imigração chilena estava grande e ficamos ali por um bom tempo. Cachorros ficam soltos ali dentro só farejando a gente. Próxima parada foi para registrar a entrada na argentina, essa parte não ocupou muito tempo. Seguimos caminho até El Calafate. No caminho paramos em um posto de gasolina, comprei algo para beliscar, o pagamento era somente em pesos argentinos ou dólares, não aceitam cartão. Cheguei em El Calafate era inicio da tarde, meu ônibus para El Chaltén sairia apenas às 18h. Então fui até o Folk Hostel e pedi se poderia deixar as minhas coisas ali e matar um tempo no centro. Deixei a minha cargueira em um quartinho e fui almoçar. Comprei alguns imãs de geladeira, fui no mercado comprar comida, pois havia lido que a oferta em El Chaltén era menor e os preços um pouco mais altos. Foi uma boa escolha. Voltei pro hostel, peguei minhas coisas e fui até a rodoviária. A ida até El Chaltén foi um pouco conturbada. Ventava demais, acordei algumas vezes durante o caminho achando que o ônibus iria virar (JURO). Depois o pneu resolveu furar (SIM!!) em uma reta e óbvio que no meio DO NADA Todo mundo precisou descer do ônibus, quase peguei voo de tanto vento e podia ver a chuva nos morros distantes, pelo menos ainda estava dia. Finalmente cheguei em El Chaltén! Estava chovendo, ventando e escuro. O terminal estava uma confusão. Só queria pegar um táxi e ir para o hostel. Pedi informação e a moça falou que eu precisaria esperar o táxi na parte de fora. Fui até lá e estava lotado de gente, sem nenhuma organização. Até que eu ouvi duas meninas falando que iriam para o mesmo hostel que eu. Elas não tinham reserva e iam tentar a sorte. Perguntei se poderia dividir o valor do táxi e ir com elas, não foram das mais simpáticas, mas aceitaram. Fiz meu check-in, comi algo, tomei um banho e desmaiei.
  37. 1 ponto
    Colocando a diaria do dia, refeições, passeios ( mesmo que seja para lugares gratuito e aberto) transporte, um cafezinho na tarde, uma cervejinha ... coloque ai 100 euro .. O cara investi pacas só em aéreo, documentações, seguro pra fica limitado na EUROPA ???? já não basta ficarmos aqui nesse país. 80 a 100 na média, se quiser fica bem a vontade.. agr com menos q isso, ganhe peso aqui pra perder lá hahahahahahahaha .. Maioria do mochileiro n está preparado p EUROPA $$ e conscientemente.
  38. 1 ponto
    @gialia Depende dos seus gostos, se for pra cozinhar em airbnb você consegue fazer com 40/50 euros o dia. Agora, se for comer fora, entrar em todas as atrações pagas, vai nos 100 euros dia mesmo, ou mais. Eu por exemplo não sou fã de museu, vou nos obrigatórios só. As atrações básicas variam de 10 a 20 euros a entrada.
  39. 1 ponto
    Quando fui minha média foi essa: 80 a 90 euros para cidades caras (Paris, Amsterdam, Luxemburgo, etc.) 50 a 60 euros para cidades médias (Berlim, Lisboa, etc.) 30 a 40 euros para cidades baratas (Praga, Cracóvia, Budapeste, etc.) Então depende muito de onde você vai.
  40. 1 ponto
    Continuando DIA 2 CAMPAMENTO SERÓN – REFÚGIO DICKSON Dificuldade: ALTA. (Exige do seu psicológico) Distância: 19 km No segundo dia de trilha, acordei mais tranquila. Planejei acordar bem cedo, antes das 7h, para desarmar a barraca, tomar meu café da manhã e organizar minha mochila com tranquilidade, e mesmo assim sair cedo, porque o dia seria longo, 18km de caminhada. Nos relatos que vi, diziam que era o dia mais puxado, por ter muito sobe e desce, e ser um percurso extenso. Realmente é cansativo, exige muito do psicológico, porém não tem tanta subida como me fizeram acreditar. Café da manhã tomado, mochila nas costas, saí antes de todo mundo do Serón, em direção ao Dickson. O plano era sair bem cedo, assim não terminaria o dia sozinha e por último na trilha, por questão de segurança mesmo, mas o plano falhou um pouco, porque mesmo saindo antes dos outros, no fim do dia eu estava sozinha e um pouco desesperada para chegar no acampamento. (Na verdade depois descobri que tinham ainda duas brasileiras (UNS AMORES) que chegaram depois de mim, que estavam caminhando de boa e apreciando a vista). Começando a trilha saindo do Serón, a paisagem é maravilhosa, ali começam os lagos e as caminhadas ao longo de vários deles. Tem algumas subidas leves, e um campo de verde extenso, você consegue ver a trilha até onde os olhos enxergam. Saí muito animada do Seron, sem pensamentos pessimistas como do dia anterior, eu estava no gás. Tirei muitas fotos, parei sempre que me sentia cansada, fiz vídeos divertidos, apreciei a paisagem, conversei com os lagos e com as flores. Até que BOOM, a primeira subida real, olha não vou adoçar a pílula, é pesada. Quando cheguei na metade da subida, um casal passou por mim, eu estava sentada na minha décima pausa, uma pedra que encontrei para descansar, a mulher estava usando um GPS de mapeamento do trajeto, e me falou “uau, andamos esse tanto, e só deu 4km” QUATRO QUILÔMETROS, DE 18! Meu coração chegou a pular uma batida, eu não queria nem acreditar. Mas continuei subindo, subida também até onde os olhos enxergavam, olhando parecia que não tinha nada depois da subida, só céu. Demorei 2 horas para terminar essa subida, que não tinha 1km de extensão, eu acho. Mas quando cheguei lá em cima, que vista, que paisagem, o vento te pega ali, quase me tacou de volta tudo o que eu tinha subido, mas é deslumbrante. Depois a gente desce praticamente tudo o que subiu, por uma trilha na encosta, um escorregão feio e é possível cair em um lago, mas não dá tanto medo, já que o vento te empurra em direção ao morro, não ao contrário. Depois disso tem um pequeno sobe e desce, mas bem suave se comparado a primeira subida do dia. Até chegar na Guarderia Coiron, onde demarca metade do percurso entre Serón e Dickson. Na guarderia tive que me registrar, e foi onde fiz meu almoço, já eram 14h quando cheguei, as 15h a passagem fecha e eles não deixam passar para o Dickson mais naquele dia. Comi um purê de batatas em pó com uma água morna, que a Guarda Parque gentilmente me deu. Não pode usar fogo no Coiron, mas como os guardas moram lá, eles têm um fogão. Fiquei com ranço do purê de batatas e calabresa depois desse dia, porque não deu muito certo no meu estomago e o resto do dia apesar de lindo, foi um pouco puxado e traumático. Sai da guarderia perto das 15h, e faltava ainda metade do caminho pela frente, 9km. Ponto positivo: as subidas tinham acabado, com exceção da subida da chegada, mas se está chegando tá tudo bem, certo? O caminho é muito bem demarcado, uma grande maioria entre um campo de flores, é magnifico. Tem muitos lagos, pontes pequenas e rios correntes no caminho. Não estava um sol terrível, nem chovendo, o tempo estava muito agradável. O vento, constante, mas nada que atrapalhasse o progresso da caminhada. Meu psicológico pesou muito depois do Coirón, só conseguia imaginar que chegaria tarde demais no acampamento, e talvez até no escuro, mais pro final do dia fui ficando sozinha na trilha, e bateu um pequeno desespero e medo. Nessas horas eu me questionava sobre a sanidade de estar fazendo aquele circuito sozinha, ou de estar fazendo o circuito, ponto. Se tem uma coisa que aprendi com Torres Del Paine, é que trilhas em lugares remotos existem sim, para testar nossa mente, nosso psicológico, por isso tantas pessoas com problemas na saúde mental procuram algo assim para fazer, por isso EU procurei algo tão extremo para fazer, não é um clichê, é saudável, te ajuda. Você coloca em perspectiva sua vida no cotidiano, algumas dificuldades que antes pareciam uma montanha no seu caminho, passa a ser um morrinho, quando você compara com o fato de ter ficado sozinha no meio de uma trilha de 19km no meio do nada, só com o destino de chegada como referência. Me ajudou demais, eu sou grata até pelo medo que passei. Enfim, por fim cheguei finalmente na subida, que eu sabia por relatos que li, que significava que estava praticamente chegando ao acampamento dickson, que felicidade. Quando subi tudo aquilo, e lá de cima avistei o dickson próximo a um lago, com icebergs e as montanhas ao fundo, com verde e topo branco de neve. Eu chorei. De alegria, eu estava chegando, terminando o dia que mais tinha me aterrorizado em todos os relatos. Desci, ali é bem perigoso, então vá devagar, é escorregadio e tem uma ladeira complicadinha. Por fim cheguei ao dickson antes do que imaginei, eram apenas 18h, o dia estava claro o sol no céu. O Dickson é um acampamento lindo, maravilhoso mesmo, todo lugar que você olha tem montanhas cobertas em neve, e tem a vegetação toda verde ao redor. E andando menos de 10 passos, você se vê em uma praia de pedras para um lago com ICEBERGS. Indescritível a sensação de terminar mais um dia, estar mais próxima do destino. Ter conseguido! Dicas uteis: No Dickson tem um lugar para cozinhar, fechado, bem quentinho. Quando estive lá, estava em reforma, imagino que estejam melhorando ainda mais; Tem banho quente, quente MESMO! Uma delícia depois de um dia sofrido na trilha, o corpo agradece. As duchas ficam dentro do refúgio, você passa pela cantina dele para chegar, dá uma fome e uma vontade de ter compro o pacote com comida inclusa (risos); O banheiro é descente. O acampamento é lindo, de verdade, um dos mais lindos do circuito, sem dúvidas; Com relação ao vento, que era uma dúvida que eu tinha e ninguém realmente falava sobre isso. Eu fui com uma Naturehike cloud up, 1 pessoa, e ela resistiu maravilhosamente bem, no Dickson venta um pouco, mas nada exagerado, pelo menos não onde eu coloquei a minha barraca; NÃO TEM Wi-Fi, cuidado, eu fui acreditando que talvez tivesse, e não tinha. Minha família quase enlouqueceu, porque só volta a ter internet no Grey, e eles ficaram preocupados por eu ter falado que talvez TERIA internet, um GRANDE erro; NÃO ACREDITEM NAS PLACAS “USTED ESTÁ AQUI”, ELAS MENTEM! Relatos muito extensos, eu sei. Mas, vou contando tudo o que lembro, e espero ajudar.
  41. 1 ponto
  42. 1 ponto
    Cara, eu fiz o caminho até Aparecida, saindo de São Carlos, fui na cara e coragem com um casal, porém eles estavam bem lentos e eu queria ir mais rápido, só esqueci de uma única coisa, minha grana era bem pouca. Porém eu não sabia, que o brasileiro é muito hospitaleiro, e eu recebia alimentação em todas as paradas, até onde dormir, eu consegui, sem muito esforço, onde chegava, já dizia que eu estava sem dinheiro e queria chegar até Aparecida. Conseguir ir e voltar sem muito dinheiro. Te garanto que iria sem nada no bolso. Não sei em outros lugares no Brasil, porém essa peregrinação, eu aprendi a amar muito mais o nosso povo. Tenta essa rota até Aparecida, aí você terá uma ideia se podes ir a outros locais. Vai na fé.
  43. 1 ponto
    Hahahahaha cê eh loko, imagina só dar de cara com um puma? Aquelas vacas selvagens pareceram deboas, mas a placa falando delas dá uma assustada até
  44. 1 ponto
    Olá Camila, Ano passado fui para o Uruguai sozinha e foi muito tranquilo. Senti uma certa dificuldade pq utilizei ônibus para Colônia - Montevideo e depois voltei para Montevideo para então ir até Punta, entre a Colônia e Punta não há transporte direto então perdi certo tempo nesse período. Fiquei apenas 6 dias e é um país muito, muito tranquilo. Eu pequei em um momento: a cada esquina que eu andava perguntava aos nativos se estava perto de tal lugar que eu desejava ir, com isso atrai "uma atenção" desagradável, que na minha percepção me senti seguida por um rapaz bem aleatório. Mas consegui desviar desse momento , curtir a viagem e levar como aprendizado meu comportamento tão perceptível de turista.
  45. 1 ponto
    Olá! Adorei seu roteiro, copiando várias coisas, hehehe! Eu também vou em abril, no início, mas fiquei com receio pelo tempo começando a esfriar - aí dançou praia, né. Já olhou hospedagens? Beijo, Cássia/BH
  46. 1 ponto
    meias de merino na decathon !
  47. 1 ponto
    Aproveitando esse forum, alguem tem planilha para compartilhar. Estou querendo ir no final de Agosto comeco de Setembro. Obrigada
  48. 1 ponto
    É sim, aguenta bem qualquer parada no BR. A não ser que você seja pouco acostumado com frio e vá para um ponto muito alto ou pro Sul no inverno.
  49. 1 ponto
    Tenho interesse! https://www.facebook.com/marcosfilipe.lopescarrijo.5
  50. 1 ponto
    Olá Amigo Minhas férias começam em 20/02 e vão até 05/03. Tenho em mente ir para a ilha. Me chama no whatsapp e falamos sobre a trip 21 969005557
Líderes está configurado para São Paulo/GMT-03:00
×
×
  • Criar Novo...