Ir para conteúdo

Mais curtidos da Semana


Conteúdo Popular

Exibindo conteúdo com a maior reputação em 07-04-2019 em todas áreas

  1. 2 pontos
    SAÍDA DE REC-SCL No começo de Maio, a empresa aérea GOL abriu promoções com destinos para a América do sul, então surgiu a ideia de conhecermos Santiago, vi que as passagens estavam por R$ 1.069 cada, comprei primeiro a do meu esposo e quando fui comprar a minha, do nada a empresa aumentou o preço da passagem para R$ 1.456. Então a minha dica é, quando for comprar, compre as duas ao mesmo tempo, para não correr o risco de acontecer o que aconteceu comigo. Comecei então a pesquisar e encontrei muitas dicas legais aqui no mochileiros.com, descreverei algumas delas com preços atualizados da minha viagem no decorrer do texto. A minha ideia era conhecer Santiago e uma cidade chamada de Pucón que fica situada no Sul do Chile, gosto de roteiros de aventura então eu tinha lido que em Pucón tinha o Vulcão Villarrica que é ativo e algumas agências faziam a ascensão a ele, fora as Termas Geométricas e Reserva Huilo Huilo, que me deixaram com muita vontade de conhecer este lugar. Então me empolguei, li e pesquisei muito! Fechei as pousadas todas pelo site da Booking.com daqui do Brasil mesmo. E os passeios deixei para fechar por lá, pois tinha lido que daqui do Brasil os preços eram bem maiores e lá conversando pessoalmente a gente poderia encontrar preços bem mais em conta. E era tudo verdade!😁 O único passeio que fechei daqui do Brasil foi para Embalse Y Yeso com a empresa Sousas Tour, o valor do passeio em reais foram R$ 557, 89 por pessoa (CLP$ 106.000) que por sinal foi a melhor escolha que fiz, são muito pontuais e honestos. Além de no final do passeio rolar um lanchinho com queijos e vinhos...Amazing!!!😍 Falarei um pouco mais ao descrever meus roteiros. Mas depois andando pelas ruas de Santiago, eu vi que há outras empresas que fazem esse passeio por valores mais em conta, basta negociar. Mas eu super recomendo o Sousas Tour!!! Saímos de Recife às 5hs da manhã fizemos o check in, despachamos as malas, passamos pela PRF e embarcamos. Fizemos uma escala no aeroporto de São Paulo-GRU, aguardamos mais ou menos uma hora e meia e pegamos o voo para Santiago. No avião indo para Santiago os comissários de bordo nos entregam um formulário para preencher que teremos que apresentar a PRF quando desembarcamos em Santiago. No avião eles dão duas opções de comida para você escolher, Pasta ou frango com arroz, mais uma sobremesa e algo para beber que pode ser suco, água ou refrigerante. Dica, peguem a pasta, pois o frango tem um aspecto de pálido, tipo cru. 🤮 Meu esposo escolheu na ida pasta e na volta o frango e se arrependeu! 😅 Levamos Reais escondidos na doleira, pois tínhamos visto muitos relatos que não era muita vantagem utilizar os cartões de créditos, pois o dólar além de estar a US$ 3,45 tinham as taxa de IOF, devido a isto levamos dinheiro vivo. 🤑 Chegando em Santiago, fizemos o câmbio de R$ 200,00 no aeroporto, a pior cotação R$ 1,00 era R$ 169 pesos chilenos, mas o grande problema fica na taxa de IOF que eles ainda descontam. Deveria ter trocado apenas R$ 100, 00 que era o suficiente, pois dava para pegarmos a Van (Transvip), o valor da van foi de R$ 42,00 por pessoa ( CLP$ 7.000), lá no aeroporto existe essa Van, você compra o ticket assim que você pega as malas, tem um loja da transvip que é show de bola 🤘. Você mostra ao atendente o endereço que quer ir e eles te deixam bem na porta. É superprático e muito mais barato do que pegar táxi que em todo lugar eles te enrolam e te cobram horrores. 1º Dia em Santiago Em Santiago ganhamos uma hora devido ao fuso horário e chegamos as 15:30hs, a Van nos deixou por volta das 16:30hs. Eu tinha Reservado uma diária para casal no Hostel Princess Insolente R$ 130 reais a diária, pagamos em dólar para não pagar o IOF. Fica próximo ao centro, mas durante à noite não tem nada para ir. Um outro detalhe é que na recepção te pedem um valor antecipado pelas chaves do quarto, dizem que é pra no caso de vc perder, já está pago o valor. Mas a verdade é que no Chile tudo eles pedem propina (gorjeta) e no final das contas, eles seguram seu dinheiro caso você não o peça de volta, como somos brasileiros e mais espertos, pedimos de volta é lógico...ahhahahah...😉 Abaixo tá a foto da área de lazer do hostel, é bem charmosinho. Ahhh, e esse é o gato do meu esposo. Assim que deixamos as bagagens no Hostel, fomos caminhando até o Centro de Santiago, Rua das Agustinas para fazermos câmbio. Achamos a casa de Câmbio Brollanos e conseguimos a melhor cotação, R$ 1,00 era 187 pesos chilenos. Na frente fica um monte de gente te oferecendo por uma cotação bem melhor, mas não arrisquei pra não correr o risco de pegar notas falsas😳. Voltamos para o Hostel, descansamos um pouco e saímos para comer alguma coisa. Escolhemos um cachorro quente, pois não tínhamos muita experiência em fazer os pedidos, pois o cardápio vem em espanhol e achamos melhor não arriscar, já que na rua estávamos sem internet para consultar. Cada cachorro quente saiu por 3.800 pesos! 😲 Caro pra caramba, e vinha com umas coisas bem ruins dentro tipo palta (abacate), e uma salada lá que parecia repolho só que bem azedinho. Enfim, não gostamos muito!🤢 Voltamos para o Hostel, descansamos e fomos dormir, estávamos exaustos e no dia seguinte as 4h da manhã a empresa Sousas Tour iríamos nos buscar para conhecermos o Embalse y Yesso. Passamos na recepção e perguntamos se era possível nos servirem o café da manhã mais cedo pois teríamos este passeio, sem problemas, ela nos disse. 2º Dia Passeio para Embalse Y Yesso Acordamos cedo, tomamos banho, detalhe, água gelada porque não conseguimos regular a temperatura do chuveiro 😢, nos arrumamos e fomos tomar o café. Nos serviram dois sanduiches de caixa que já estavam prontos e um suco. Assim como todo bom brasileiro, nos atrasamos e o Guilherme dono e guia da Sousas Tour chegou pontualmente no Hostel para nos buscar. Até nos deu uma bronquinha pelo atraso e ele estava coberto de razão😊, pois em cada Hostel que ele parava para pegar um turista que por sinal, era brasileiro, atrasava de 10 a 20 min e no final a gente acabou pegando um transitozinhoooo para sair da cidade😅, o que atrasa o nosso passeio. O Guilherme fez quatro paradas antes de chegarmos ao Embalse Y Yesso, a primeira foi para tomar café numa padaria já no final de Santiago, como nós dois já tínhamos tomado café, utilizamos o banheiro e compramos uma água grande 1.800 pesos. A água mineral é muito cara e a maioria das pessoas tomam água da torneira. Foi à única vez que compramos água no Chile!😏 Pegamos estrada, o Guilherme é super gente fina falou sobre os problemas no Chile, comentou que o sistema de saúde é péssimo, as Universidades são todas particulares, nos mostrou os bairros ricos e os pobres de Santiago, nos disse que o salário mínimo lá se equivale a R$ 1.500 no Brasil, mas o custo de vida em Santiago é alto. A segunda parada que ele fez, foi na ponte, depois uma numa loja, passou o caminho todo falando sobre o frio e que tínhamos que nos proteger e comprar gorros, luvas e etc. Mas na Verdade, a gente nem precisou. Comprei porque fiquei com medo, mas na vdd, nem utilizei quando cheguei lá. Abaixo tem fothênhas meu pouvooo! Foto da lojinha que paramos pra comprar os acessórios!!! 1 charme, não é? Achei o Chile tão PhoPho!!! A Segunda foto foi na Ponte, era bem estreita e só passava um carro de cada vez e detalhe, eles passavam numa carreira só! Vôuteeee! A ponte parecia que ia cair com todos nós! 😳 Aqui a foto do meu maridão, né?! Não podia faltar!!! Esse passeio é ôthemoo gentiii, e eu não poderia passar o caminho todo sem tirar fothênhassss, então, toxma foto pra cima!!!! O boy amaaaa essa touquinha da Alemanha e eu acho...hahahahhaha...🤣 Fothênhas juntos para registrar o time! Juro que é a última foto desse passeio, antes de chegar ao Embalse y elso...rsrsrsrsr Thanrammmm!!! Chegamos, deu pra sentir, né? Beachooo, esse lugar é muito topster! Foto de blogueirinho porque eu sou muito Phoda de fotógrafa...ahhahahahahaha... Tá, eu confesso que ele é mais fotogênico, mas eu sei encontrar os melhores ângulos...hahahhahaha...Nossas DR's de viagens é sempre por conta das fotos...hahahhahahahah🤣 Apachetas, bom!!! Esse é o meu novo vício! Aprendi que as apachetas eram feitas pelo povo andino para marcar o caminho por onde passavam, desta forma eles poderiam percorrer toda montanha atras de comidas e ervas e na volta, eles conseguiam achar o caminho por contas das apachetas que deixavam. Tem uma brincadeira legal que rola pela America do sul, por onde você for, você faz uma apacheta e pede algo que gostaria de alcançar, diz a lenda que quando a apacheta se desfazer, seus pedidos são realizados. Mas a verdade sobre elas é que quando você para pra empilhar pedras, requer atenção, paciência, calma, concentração e fé. Você acaba buscando o equilíbrio das pedras, quando você finaliza a apacheta, você tem paz! É uma sensação muito Phodaaa!!! Na volta do passeio, ficamos na rodoviaria do centro de Santiago por volta das 5hs. Pedimos ao guia que nos deixasse por lá. Compramos duas passagens para Pucón, o valor das passagens foi de R$150,00 por pessoa (CLP$ 28.050). O horário de saída do ônibus era umas 21hs, então fomos comer alguma coisa na lanchonete, jogar papo fora e esperar a hora de partida. Compramos cadeiras semi-cama, já que passaríamos à noite viajando que fosse no mínimo um pouco confortável. A viagem de Santiago para Pucon é aproximadamente 11 horas. Os ônibus são bem seguros, tem um sensor de velocidade, o motorista não pode ultrapassar de 100km que ele dispara e todo os passageiros ficam cientes. Ahhh, e no ônibus servem lanchinho!! Recebemos à janta e fomos dormir, quando já estávamos próximos a Pucon, recebemos o café da manhã. Bem Maraaaaaa, né gentxxx! Igualzinho ao Braselllll! 3° Dia - Pucón Chegamos em Pucón umas 8hs e tudo ainda tava puta escuroooooo, além de frio! Esperamos o céu clarear mais um pouco dentro da rodoviária e quando deu umas 9hs, saímos para procurar. a merda é que eu tinha me esquecido de ver no mapa a localização porque estávamos sem internet na rua. Passamos horassss procurando e nadaaa! 😢 Ninguém sabia nos informar! A dica é, se puder, compre um pacote de net daqui do Brasil mesmo, ou assim que chegar lá, providencie um chip. Nossa sorte é que encontramos um casal de Argentinos que estavam procurando o hostel deles com um GPS. Gentx, não sei vocês, mas o meu anjo da guarda é muito Phodaaaa e não dorme no ponto. O casal achou pra gente o Hotel Lounge Brasil, o valor da hospedagem foi de R$ 400,00 o casal durante três dias, eu já tinha reservado daqui do Brasil mesmo, utilizei o site da booking, aliás, adoro esse site! Chegamos no Hotel e a recepcionista Maria nos tratou super bem e até deixou a gente fazer o checkin antes da hora. Um beijo Maria, sua lindaaa! Ela aqueceu o nosso quarto, porque gente, Pucon é muitooooo frio e nós fomos no inverno! Chuva era bóiaaaa! Abaixo tem uma fothênha pra vocês verem que delícia de lugar. Bom, deixamos as malas no hotel e pernas pra quê te quero. Fomo comer alguma coisa e achamos uma subway, lá eles vendem uns sabores diferentes dos daqui do Brasil e tem a opção de guacamole (abacate). Pedimos dois subways e fomos numa agencia (Aguaventura) fechar o pacote das termas geométricas (R$ 120,00 por pessoa), pois eu estava super ansiosa para conhecer. E, que lugar é aquele Brasellll? Conseguimos por um precinho bem em conta, negociar pessoalmente é sempre a melhor opção. O passeio ficou marcado para as 15hs, fomos para o hotel e aguardamos eles irem nos buscar. Tava chovendo e eu fiquei preocupada de estragar o passeio, mas o guia nos informou que dia de chuva é o melhor dia para conhecer as termas 😳, só entendi quando cheguei lá...🤣 Gentxxx, tava um frio de lascar o quengo do ser humaninho ( 0ºC), mas a piscinas são muito quantes (45°C). Pra tirar a roupa foi toda uma oração e quando entramos na água parecia que iriam tirar o nosso couro...hahahha...Mas calmaaaa, isso é o choque térmico. Depois que você se acostuma, não quer mais sair de lá. Eu amei esse lugar, amei Pucon! Olha a chuva de fotos pra vocês sentirem a sensação! Toxmaaaa! Primeiro o boy magia, depois ME! Sai daí boy, que vem chuva de fotos minhas...ahahhahaha🤣🤣🤣🤣 Nessa, eu tou com friooo!!! A água tava uma delícia e o passeio foi adorável. Voltamos à Pucon e programamos o passeio do outro dia que seria escalar o Vulcão Villaricca, mas infelizmente como tava chovendo muito e tinha risco de ocorrer avalanches, não pudemos ir. 4° Dia - Pucón Marcamos apenas um dia de neve na base dele (R$ 120,00 por pessoa). Exploramos a sua base e conhecemos aos arredores. Abaixo tem fothênhaaasss! Conhecemos uma galera Brasileira, só pra variar...hahahhah...Que eram da Baêaahhh! Ôh povo Maraaaa! 😍 Oiiii, você quer brincar na neve? hahahahha...Brasileiros adoram uma neve, principalmente quando é a primeira vez!!! Meu melhor par! Na volta fomos explorar um pouco a cidade de Pucon, já que só teríamos mais um dia para regressar à Santiago. E gentx, pense numa cidade charmosinha, eu super me encantei, é bem seguro por lá, embora eu tenha sido furtada 🤬... Nunca vacilem com suas coisas, o meu celular estava no bolso do casaco. Fomos num supermercado Eltit que fica na Av. Libertador General Bernardo O' Higgins, próximo do hotel e num picar de olhos, perdi o meu celular. Na saída do supermercado haviam uns peruanos vendendo alfajor, vieram me abordar e eu não quis, quando cheguei no Hotel, fui procurar o meu celular e o canto mais limpo do mundo. Fiquei muitoooo 🤬! Mas voltando ao assunto da cidade, toxma foto pra tu sentir! Tem esse coração próximo da praça, você pode comprar um cadeado e gravar o seu nome e o nome do love, não é phopho! A areia da praia tem essa cor preta devido aos fragmentos vulcânicos de erupção que ocorrem neste lugar, pois a cidade é arrodeada de vulcão e tem o Villaricca que é um vulcão ativo. 5º Dia - Pucón Bom, chegamos no último dia em Pucon, seguimos para a Reserva Ecológica Huilo huilo, gentx que lugar linduuuu Brasel, e super fofo pra quem tem crianças, eu super indico. Como sou um pouco criança ainda...hahhahahah...adoro essas coisinhas de duendes e fadas. Saca só as fothênhas! Quando a bruxinha seduz o boy magia...hahhahahahah🤣 Tava chovendo muito e na foto não dá pra ver direitinho, mas a água é bem azul, segundo o guia é água de origem glacial, por isso tem essa cor! 😍 Fadinhasssssssss! Gentx, essa fadinha custou 80 pesos, lembro muito bem desse preço! Esta árvore enorme atrás de mim é um dos hotéis que tem na floresta encantada, por dentro é super lindo. Dica, se puderem, reservem pelo menos uma noite nesse lugar. Olhem como é aconchegante por dentro. Fim da nossa estadia em Pucón!!! Bora seguir o baile pra Santiago!!! huhuhuhuhuhu...Voltamos com o guia para Pucon, compramos nossas passagens de volta à Santiago, no mexmoo esqueminha. Jantamos no restaurante e seguimos viagem. No ônibus nos deram dois lanches! Um na janta e outro no café da manhã. A diferença é que esse ônibus não fez a mesma rota da ida a Santiago. Ficamos em outra rodoviária completamente diferente e detalhe, no mesmo dilema de sem internet pra descobrir o que fazer. 6° Dia - Santiago Chegamos por volta das 8hs da manhã em Santiago e tudo escuro ainda. Perguntamos a um guarda como faríamos para pegar o metrô. Ele nos explicou direitinho e fomos simbora por esse mundo de meu Deus, eu tava morrendo de medo, pois dizem que em Santiago é mais perigoso e como eu tinha sido furtada em Pucon, tava torando aço. Mas deu tudo certo!!! Ficamos em um hostel no bairro de Providência bem perto do Bela vista, que é um bairro bem badalado pros jovens, tem cerveja, paqueras e drogas...😳...Muitaaaa agitação! Chegamos no hostel Che lagarto, fizemos checkin, ele fica bem no centro, virando a esquina tem o Cerro de Santa Lúcia, muito bonito a vista de lá. Segue fothênhas porque eu sei que vocês já estavam com saudades delas...hahhaha Tem o funicular que você pega pra subir e ter uma vista maravilhosa das Cordilheiras dos Andes arrodeando Santiago. Dica, pegue só a opção de ida, é mais barato e você já desce bem próximo ao Costanera. Eu não fui ao Costanera,almoçamos no Restaurante Giratório, enquanto vc almoça, ele dá um giro de 360º graus, desta forma vc vê a cidade toda sem sair do lugar, é super charmosinho. Ah, tem que resevar por que é lotadooooo,o legal é que você almoça ao som do Tom Jobim, delícia, né??? Pegamos o bondinho pra descer! Nas ruas de Santiago! Hora do almoçooo! 8° Dia Santiago - Valparaíso e Vina del mar Segundo dia em Santiago, pegamos um metrô e fomos até a rodoviária para pegar um ônibus que nos levasse para conhecer Valparaíso e Vilna del Mar! Dica, evitem os horáriso de pico do metrô pois as passagens ficam mais caras. Fechamos um pacote turístico quando chegamos em Valparaíso, pois sozinhos nos perderíamos e lá é um pouco esquisito, mas a grande vantagem mesmo é que eles otimizaram o nosso tempo e conseguimos ver os dois lugares em um dia só. Pechinchei e consegui um precinho bem em conta dizendo que éramos estudantes...ahahahhah...Segue mais fothênhassss! Valparaíso é um charme gentx e super colorido, cada casa tem uma cor, e muito grafite nas paredes, dá pra tirar fotos bem legais. Eu super me apaixonei!!!! Depois do almoço fomos para Vina del mar, é uma cidade vizinha,ela é governada por uma prefeita mulher e ela faz questão de espalhar flores pela cidade. É muito phopha!!! Saca as Fothênhassss! Bom gentx, esse foi o meu roteiro no Chile, eu espero voltar, pois quero muito conhecer o deserto do Atacama e a Ilha de Páscoa. Eu vou dá uma procurada na minha agenda de viagens para disponibilizar alguns valores pra vocês, porque eu não lembro de cabeça. Xêru e segue o baile pra próxima viagem!!! 20170610_123029.mp4
  2. 1 ponto
    Olá. Estou pensando em sair de minha cidade, pois passei anos de minha vida em reclusão, estou disposta a conseguir um trabalho, perder minha timidez, ter novas experiências e fazer amizades, além do inimaginável que me espera, sabe-se lá onde. Entretanto, não tenho dinheiro algum, não desejo sair sozinha, busco por uma companhia e uma ajuda nesse início. Sei que não será fácil conseguir tudo isso de imediato, sequer estipulei o lugar em que desejo ir, apenas sei que se encontra no Sudeste. Caso tenha interesse, entre em contato comigo, inclusive posso ajudar, caso queira ficar por um período no interior do estado em que moro. Um abraço.
  3. 1 ponto
    As principais companhias aéreas nacionais vão iniciar nos próximos dias uma ofensiva contra o embarque de bagagens fora das especificações regulamentares. A ação será conjunta e coordenada pela ABEAR (Associação Brasileira das Empresas Aéreas). Apuramos que a fiscalização começará no próximo dia 10 de abril e ficará a cargo de duas empresas terceirizadas. Veja em primeira mão como isso vai funcionar! http://www.melhoresdestinos.com.br/fiscalizacao-bagagens-de-mao-2019.html
  4. 1 ponto
    Alguém já ouvir dizer que é melhor visitar Cuba antes que o país mude? Concordo plenamente com isso! E posso garantir: Cuba já começou a mudar. Nos últimos anos o país vem passando por muitas mudanças, sendo hoje possível para os cubanos praticar o comércio de carros, propriedades, acessar a internet e até mesmo administrar empresas privadas. E muitos cubanos já pegaram o estilo empreendedor!! Foi possível ver isso naqueles que oferecem suas casas como forma de hospedagem, nos taxistas que aprendem falar inglês e nos muitos bons restaurantes modernos. É muito interessante sentir essa atmosfera, ver algo que para nós brasileiros já é tão normal acontecendo com um gosto real de vitória para eles! Ao mesmo tempo me bateu aquela preocupação de Cuba se tornar mais um país escravo da tecnologia excessiva, do consumismo desenfreado entre outras coisas do “mundo moderno”. Mas se eu puder dar apenas um conselho, eu diria “aproveite para se desconectar do mundo e acima de tudo curtir os momentos da viagem”. É bom demais lembrar como era viver sem tecnologia, quando o contato com as pessoas era real e não digital, onde você faz perguntas a pessoas e não simplesmente digita no Google. Então vamos lá, nesse artigo irei contar o que fiz em Havana nos três dias que estive por lá. E já adianto, aproveitei muito!! Chegando em Havana Voamos do Rio de Janeiro pela Copa Airlines com uma conexão curta na Cidade do Panamá, onde foi necessário mostrar o visto cubano (tarjeta turística) para embarcar no voo para Havana. Chegando em Havana no aeroporto José Martí a fila da imigração estava gigantesca e ficamos cerca de uma hora para passar. Eu tinha levado toda a documentação obrigatória (seguro de viagem, carteira de vacinação da febre amarela e a tarjeta turística), porém a única coisa solicitada foi a tarjeta e o passaporte! Sem perguntas, bem tranquilo! Depois de todo processo, fomos trocar umas moedas locais em uma Cadeca (cambio oficial do governo cubano) para então ter dinheiro em mãos visto que dificilmente outro tipo de pagamento é aceito em Cuba. Segundo pegamos um táxi em frente ao aeroporto por 35 CUC para Habana Vieja, onde ficamos hospedados em uma casa de cubanos. Li em outros blogs que o preço varia de 20 a 35 CUC. Pagamos caro… mas também geral estava oferecendo esse mesmo valor. Para ter um contato melhor com a cultura de Cuba optamos ficar hospedados em casas particulares (ou também chamadas de renta de habitacion) e em Havana reservamos diretamente pelo AirBnb. Nosso quarto Eu super indico a casa que fiquei! A casa La Madrina fica muito bem localizada na rua Teniente Rey pertinho do Capitólio. 1º Dia – Habana Vieja Assim que terminamos de nos alojar em nossa casa e bater um pouco de papo com La Madrina, finalmente era hora de iniciarmos nossos passeios por Habana Vieja (Havana Velha). A região de Habana Vieja é classificada como Patrimônio Mundial da UNESCO por ser considerada uma das mais belas cidades coloniais do mundo. E o que tem de mais gostoso para fazer em Habana Vieja é andar a pé pelas suas ruas apreciando a arquitetura, o cotidiano dos cubanos e ouvindo música por todos os lugares. Acho que nenhum lugar do mundo ouvi tanto música quanto em Cuba. Em Habana Vieja é onde está a maioria das atrações da cidade, então anotem pontos imperdíveis para conhecer nesse primeiro dia do roteiro: Plaza Vieja Essa antiga praça foi construída em 1559 para servir de espaço para celebrações públicas, além de mercado popular e vem sendo palco de diversos eventos através dos anos. Ao seu redor existem belos prédios coloniais datados dos séculos XVII, XVIII e XIX. A praça fica sempre movimentada. No entanto, é um ambiente bem agradável. Plaza de San Francisco de Asis Um dos lugares que mais gostei em Havana!! A praça fica em frente ao porto da cidade e é cheia de atrações interessantes como a Fuente de Los Leones um importante símbolo de Havana, o Terminal Sierra Maestra, a belíssima Igreja e Convento de San Francisco de Asís que hoje abriga o Museo de Arte Religioso (Museu de Arte Sacra). Sierra Maestra Fuente de Los Leones Também fica na praça o Museo del Ron. Imperdível né? Calle Obispo Certamente em algum, ou alguns momentos você vai passar por essa que é a rua mais famosa de Habana Vieja! Ela começa na Plaza de Armas e vai até o Museu Nacional de Bellas Artes. Na Calle Obispo fica a famosa Drogueria Johnson fundada em 1886. Vale dar uma passada e presenciar quase uma volta no tempo naqueles filmes antigos onde os remédios eram dispostos em grandes prateleiras, todos em potes de porcelana. Um fato sinistro foi que em 2006 o prédio pegou fogo. Consequentemente, foi tudo destruído e só após um longo tempo de restauração o lugar voltou a funcionar, mas agora como uma espécie de museu. A visita é gratuita! Plaza de Armas No período colonial, a praça era onde celebravam desfiles militares e concertos musicais, sendo considerada um centro político e administrativo de Havana. A praça é rodeada de edifícios históricos de pelo menos quatro séculos. Achei bem agradável o clima e um local bem bonito! Ela é toda arborizada o que a torna um convite para relaxar tomando um sorvete para se refrescar nos dias quentes de Havana! Castillo de la Real Fuerza Seguindo pela extremidade da Plaza de Armas, sentido Malecón, você chegará no forte construído para proteger a entrada da Baía de Havana nos tempos de pirataria. Atualmente o forte funciona apenas como um museu (Museu Marítimo). Além disso, o lugar é famoso por ser considerado o forte mais antigo das Américas. Não visitei o museu, mas vale a pena pelo menos dar uma passadinha para contemplar a arquitetura do lugar. Quem quiser fazer a visita, a entrada custa 3 CUC. O funcionamento é de terça a domingo das 9h30 às 17h. Plaza de la Catedral Catedral às 7h Para mim a mais mais linda da cidade!! Ela é rodeada de edifícios barrocos e com a belíssima Catedral de San Cristóbal de la Habana. A também chamada de Catedral de la Habana é a grande, literalmente, atração principal da praça! Catedral a tarde Além de linda, a arquitetura da Catedral é muito interessante e inspirou outras obras pela cidade. Notem que as duas torres têm diferentes tamanhos! Seu horário de funcionamento é das 10h30 às 15h de segunda a sexta e sábado até as 14h. La Bodeguita del Medio Quem ama Mojito levanta a mão! La Bodeguita é o restaurante onde é preparado o mojito mais famoso do mundo! Diz a lenda que foi onde a receita original surgiu. No restaurante é servido almoço, mas não acho que vale a pena comer por alí. O que vale mesmo é comprar um mojito e tomar na calçada ouvindo a música! Então depois de todo esse percurso voltamos para casa e apagamos!! Até tinha pensado em sair a noite, porém, o cansaço do voo e de um dia bem cheio venceu! Dormi 12 horas seguidas! Detalhes da arquitetura Por Habana Vieja 2º Dia – Vedado e as Fortalezas Como a noite de sono foi bem intensa, o resultado foi acordar super cedo! Portanto, antes de começar o roteiro programado do dia, fui dar uma passadinha na Plaza de la Catedral para tirar foto sem ninguém! Aquela foto que postei no primeiro dia às 7 da manhã. Nosso segundo dia se iniciaria conhecendo Vedado, que é a parte mais nova da cidade. Cheia de mansões e ruas largas, com uma atmosfera mais cosmopolita com um toque de século passado! Todavia, sendo andarilha como sou, decidi ir caminhando desde Habana Vieja até Vedado, visitando as atrações a seguir. Castillo de San Salvador de la Punta Não era programado, mas chegando pelo início do Malecón me deparei com um belo cenário! A fortaleza está numa localização estratégica ao lado do porto e fazia parte das construções que funcionavam como defesa de Havana nos tempos coloniais. Hoje o lugar funciona como um museu, que conta a história da fortaleza em si. Castillo del Morro ao fundo Cubanos pescando cedinho... Estive só de passagem mas, garanto que a vista do pátio é uma das mais bonitas que vi em Havana. El Malecón O famoso calçadão a beira-mar que segue por uma boa parte da costa de Havana. Ouvi dizer que a noite vira point dos cubanos que costumam ir para lá beber e conversar. Visto que, para eles os barzinhos e pubs saem muito caro. A vista é simplesmente incrível! Por todo o caçadão você vê a paisagem mudando em vários ângulos fotogênicos! Heladeria Coppelia A sorveteria mais famosa de Cuba! Com formas futuristas, ela virou sucesso quando inaugurada e se mantem sempre lotada! Eu achei a experiência um pouco estranha, uma vez que, quando chegamos, um guarda veio já perguntando se era pra tomar sorvete. E disso, fomos indicados para mais um guarda, depois outro que no indicou uma escada nos fundos para subirmos... Lá tinha uma portinha com um balcão e umas cadeiras com mesas. E foi ali que tomamos nosso sorvete, meio que escondidos. Porque no pátio oficial me pareceu ser apenas para cubanos. Sinceramente, não vale a pena na minha opinião! O sorvete tá longe de ser delicioso, não é barato e você ainda tem que ficar numa salinha trancado. Plaza de La Revolución Um dos principais cartões postais de Havana, além de ser um ponto chave da Revolução Cubana! Quem nunca viu uma fota da praça com a imagem estampada do Ernesto Che Guevara? A praça em si não tem nada além dos prédios do governo cubano.. Mas é um lugar emblemático que vale muito a pena ser visitado por toda sua história! Memorial José Martí Bem em frente à Plaza de La Revolución fica uma grande estátua de José Martí, criador do Partido Revolucionário Cubano e uma enorme estrutura com cerca de 130 metros de altura, sendo considerado o ponto mais alto da cidade. Quem quiser fazer uma visita ao memorial e subir no elevador do monumento para apreciar a vista lá do alto precisa pagar 5 CUC. Passeio de carro clássico Só em pensar na viagem para Cuba eu já sabia que em algum momento iria querer dar uma volta num belo carro clássico conversível!! Eles estão espalhados por todos os lados da cidade e são incríveis!! Alguns muito bem conservados, outros bem acabadinhos... No entorno da Plaza de La Revolución ficam vários motoristas oferecendo passeios. Os preços são variáveis e negociáveis. Em média custa 40 CUC por hora. Fechamos nosso caminho para o outro lado da ilha onde iremos visitar as fortalezas. Nosso motorista era super gente boa!! De cara já colocou para tocar Havana uh nana! Saímos da Plaza, passamos pelo centro e então chegamos no alto da colina! Foi incrível!! E esse tour custou 25 CUC. Castillo de los Tres Reyes Magos del Morro De vários pontos de Havana é possível avistar essa bela fortaleza, não é a toa que é a mais emblemática de Cuba. A fortaleza foi uma das principais defesas da cidade durante os conflitos entre outros países que desejavam dominar o país! O farol é lindo!! Mas infelizmente estava em reforma e não foi possível subir. Mas vale chegar até a parte mais alta para apreciar a vista de Havana e passear entre os canhões. Vista do lado de fora do Castillo Horário de funcionamento: 9h às 17h de segunda a sexta e das 8h às 16h aos sábados e domingos Entrada: 6 CUC + 2 CUC Farol. Fortaleza de San Carlos de La Cabaña Essa foto de Fortaleza de San Carlos de la Cabaña é cortesia do TripAdvisor Considerada a maior fortaleza de toda América Latina e um Patrimônio Mundial da Unesco. Antigamente serviu de escritório de Che Guevara, onde traçava os seus comandos de tropas cubanas. Acabei não fazendo a visita, mas acredito que vale a pena!! Ela fica próxima ao Castillo, então é uma boa combinar as duas atrações. Horário de funcionamento: 8h às 23h diariamente Entrada: 6 CUC Finalizando todos esses passeios, era hora de voltar para casa!! A essa altura estava pra lá de cansada de tanto andar!! 3º Dia - Centro Habana O último dia completo em Havana começou cedo novamente.. Confesso que adorei essa prática de acordar antes que o turismo aconteça!! Esse também foi praticamente um dia de book fotográfico! Passando por vários lugares imperdíveis! Capitólio Nacional Iniciei o dia, literalmente, no Capitólio! O prédio mais emblemático de Cuba lembra muito o Capitólio de Washington nos Estados Unidos, isso porque realmente foi construído sob influência americana em Cuba, antes da Revolução. Atualmente o Capitólio sedia a Biblioteca Nacional e Academia Cubana de Ciências, porém o local está fechado devido obras de restauração! Contudo, já faz muito tempo!! Paciência! Mas a verdade é que esse lugar não pode ficar de fora de nenhum roteiro por Havana, pois é uma construção belíssima e um ponto histórico. Gran Teatro de La Habana Bem do lado do Capitólio fica o belo Gran Teatro de La Habana!! Mais uma construção maravilhosa que vale muitas fotos!! O local hoje sedia o Ballet Nacional de Cuba, onde é possível assistir a espetáculos de dança. Vocês podem checar a programação no site oficial. El Asturianito Mais um local que não se pode perder para se ter uma bela foto é a fachada do restaurante que fica do lado oposto ao Capitólio, na mesma rua. Na verdade, os prédios ao lado do restaurante também são super fotogênicos, então não perdi tempo e tirei fotos de vários ângulos!! Plazuela del Angel Agora vai uma dica de rua linda para fotografar!! Ainda mais aproveitando por estar na rua cedo!! Na praça funciona um café, todo ligado em moda e modernidade! Além da igreja del Santo Angel Custodio. Vale a pena passar por lá! Endereço: Calle Compostela esquina com Calle Cuarteles Então, depois desse monte de foto! Voltamos para casa para tomar café da manhã! Uma dica para quem se hospedar em casa de família cubana é fechar o café com eles! Das vezes que tomei valeu muito a pena!! Sempre farto e saboroso!! Custa 5 CUC por pessoa, mostrei foto lá no começo do artigo quando mostrei a Casa de La Madrina. Paseo del Prado Com a barriguinha cheia, é hora de seguir nosso passeio!! O Paseo del Prado é considerado o mais elegante de Havana, inclusive já foi palco de desfile de moda!! O extenso calçadão arborizado que fica na Avenida Martí, que vai do Capitólio até o Malecón. É super agradável percorrer toda sua extensão. Além disso, é aquele lugar ideal para observar o cotidiano das pessoas, que estão indo e vindo. O Paseo é ponto de passagem de muitos cubanos que trabalham no centro. E a arquitetura no entorno é incrível. Claro que dali voltamos até o Capitólio para tirar mais um milhão de fotos! El Floridita O famoso bar onde o escritor americano Ernest Hemingway frequentava constantemente nas décadas de 1930 a 1950. O lugar homenageia o escritor com uma estátua em tamanho real e no menu o seu drink favorito o daiquiri "Papa Doble". Museu de La Revolución Quem se interessa pela história de Cuba não pode perder o museu! Um pouquinho de história: em 1959 Fidel Castro e Ernesto Che Guevara lideraram o movimento nomeado de Revolução Cubana, onde foi derrubado o governo ditatorial de Fulgêncio Batista e foi quando o país se tornou socialista. Antes da Revolução, Cuba era dominada pela influência dos Estados Unidos, sendo totalmente dependente deles, onde o governo favorecia somente as camadas mais ricas. Isso foi gerando muita revolta por parte dos cubanos e com isso, Fidel foi ganhando toda força que ganhou! Meu conselho é que façam o tour guiado (custa somente 2 CUC a mais), visto que o acervo do museu não é tão vasto e todos os objetos, documentos e fotos só farão sentido de verdade se você estiver sabendo muito da história ou se tiver com um guia! Janela emblemática Horário de funcionamento: 9h30 às 16h diariamente Entrada: 8 CUC + 2 CUC para tour guiado Callejon de Hammel Seguindo nosso roteiro, resolvemos ir andando pelo lado menos turístico da cidade. O Callejon fica no centro, mas é próximo de Vedado, sendo uma vila de total cultura africana! Cuba tem muita influência da cultura e religião africana. Tanto que a religião Santeria é a mais praticada em todo país. É uma religião que lembra muito o Candomblé do Brasil. Sinceramente, achei o lugar muito estranho! Acima de tudo o que valeu mesmo foi o percurso até lá, visto que pudemos sentir melhor a raiz do cotidiano cubano. Paladar la Guarida Não foi uma atração programada, mas por acaso voltando a pé do Callejon, passamos pelo La Guarida que é um dos restaurantes mais famosos de Havana. O restaurante fica nos andares superiores de um prédio colonial, portanto ai que está a pegada do lugar: a escadaria! Para jantar por lá é preciso fazer reserva e já adianto que pelo que li é um lugar caro, porém com uma bela vista da cidade! Então deixo como dica, se vocês forem depois me contem! Bem, essas foram todos os lugares e atrações que visitei em Havana!! Espero que tenham gostado e se empolguem para conhecer esse país tão interessante! Mapa do roteiro Havana Antes de finalizar, salvei para vocês todos os pontos que passamos! É só salvar o mapa e se inspirar!! Leia todos os artigos sobre Cuba no Blog Mochila, Câmera e Ação: Tudo que você precisa saber antes de viajar para Cuba: guia de viagem! Quanto custa viajar para Cuba? Guia de gastos! O que fazer em Havana: Roteiro de 3 dias O que fazer e como chegar em Cayo Guillermo e Cayo Coco O que fazer em Trinidad, Cuba: Roteiro de 2 dias
  5. 1 ponto
    Olá mochileiros, vim aqui compartilhar um pouco da minha experiência no Peru, lugar incrível e com uma cultura que vale muito a pena conhecer. Comecei a me programar uns três meses antes de viajar, fiquei de olho nas passagens e quando apareceu uma promoção boa pela Latam, não pensei duas vezes e comprei as passagens (minha e do meu esposo) por R$ 1.746 cada, ida e volta com destino saindo de Recife para Cusco. Pesquisei um pouco sobre como ir a Machu Picchu e perguntei também à dois amigos meus que já tinham ido e eles me deram algumas dicas. A primeira seria comprar as entradas de Machu Picchu e a do trem daqui mesmo do Brasil, o detalhe é que você tem que ter um cartão de crédito habilitado para realizar a compra em dóllar. E a segunda dica era que o trem só sai de Ollantaytambo e que eu teria que dormir em Águas Calientes para subir Machu Picchu bem cedinho. 1º Dia: Saída de Recife para Cusco. Saímos de Recife por volta das 5 hs da manhã, fizemos uma escala em Garulhos -SP e outra em Lima, em seguida pegamos o vôo para Cusco. Durante o vôo, na saída de Guarulhos os comissários de bordo te entregam um formulário que deve ser apresentado a imigração quando você chega ao destino final. Quando chegamos em Lima, eram umas 14hs da tarde e estávamos com bastante fome, trocamos um pouco do real que levamos no aeroporto e comemos, pegamos uma comida parecida com o risoto, era feita com arroz e frango e tinha um gosto meio adocicado com cítrico, uma delícia. já estava gostando do tempero peruano. Aguardamos o vôo e partimos para Cusco. Chegando em Cusco eu já tinha ouvido falar que os táxis cobravam muito caro e que do lado de fora a gente poderia conseguir um preço mais em conta. enquanto eu esperava as bagagens, o Bruno foi procurar um Táxi do lado de fora. Trocamos apenas R$ 100,00 e conseguimos o táxi por RS30,00,um pouco caro por que o centro é bem pertinho do aeroporto, mas como estávamos cansados e queríamos chegar logo no hostel para largar as embalagens e ir atrás dos passeios, aceitamos. O táxi nos deixou na rua do Hostel e acabamos nos perdendo um pouco...hahahah...Porque o hostel não tinha uma identificação muito boa na faixada e rodamos um pouco atrás dele. Ninguém sabia nos informar onde ficava e nem se quer conhecia pelo nome. Ficamos no Hostel Tukuna na Arequipa 250, no centro de Cusco, pagamos U$ 105, pegamos um quarto para casal, mas o banheiro era compartilhado, tudo era muito limpo e tinha recepção 24hs, passamos umas duas noites nesse local. Deixamos as coisas no quarto e fomos procurar um lugar para fazer cambio e fechar os passeios e depois comer. Achamos um lugar bacana para fazer o cambio, bem no final da rua principal, ficava ao lado de uma farmácia e fechamos um passeio para o dia seguinte para conhecermos (Sasaywaman, Q'enqo, Puca-Pucara e Tambomachay), pagamos 30 soles por pessoa. Escolhemos fazer o passeio pela manhã, desta forma teríamos a tarde livre para conhecer melhor. não fechamos mais nenhum passeio, pois eu queria saber se outra agência faria outro passeio por um preço mais em conta. Despois que trocamos os dólares e fechamos o passeio, fomos comer alguma coisa. Escolhemos um restaurante Tailandês, pois na frente tinha uma placa bem grande com vários tipos de sopa e eu sou louca por sopa e dizia que o preço era 9 soles a sopa. Entramos, sentamos e pedimos o cardápio, escolhi uma sopa de frango com cebola, gentix, eu juro que era muitaaaa sopa, dava para alimentar uma família, Bruno pediu um arroz com frango xadrez e também não aguentou comer, sobrou muitaaa comida. Eu particularmente não gostei muito do tempero e acabei deixando quase tudo, Bruno comeu bastante, mas também não aguentou e deixou acho que ele pagou uns 12 soles pelo frango xadrez que fica na rua por detrás do hostel. 2º Dia em Cusco. Acordamos e fomos conhecer o centro de Cusco, o dia tava lindo e eu vou postar muitas fotos para vocês ficarem loucos para conhecer esta cidade e a cultura dos peruanos. Tínhamos marcado de sair com a agência umas 9hs da manhã, eles acordam muito tarde e fecham as coisas muito cedo, umas 19hs às 20hs as agencias de turismo encerram o expediente. Então acordamos cedo para tirar fothênhas. A igreja católica chegou com tudo em Cusco durante a invasão dos espanhóis e obrigando os Incas a estudarem a "verdadeira" religião, têm várias igrejas no centro, tiramos fotos na Igreja central, mas tem várias mesmo. Não sou muito religiosa e não entrei em nenhuma delas para conhecer o interior, mas deve ser bonito. Fothênha do maridão... Agora são as minhas por que sou leonina e adoro aparecer...hahhaha Nesse ângulo, vocês já podem ver uma outra igreja. Os peruanos são pontuais, mas não são muito organizados. Marcamos o passeio e deduzimos que o carro sairia na frente da agência, só que não mesmo, os grupos saem dessa pracinha que mostra na foto acima, cada guia tem uma bandeirinha com um nome e uma cor diferente, fiquem atentos, pois as agências não abrem nem tão cedo e você pode perder seu passeio. Quando o nosso guia chegou e nos concentrou na praça, saímos atrás dele numa filinha e andamos mais de 200 metros para entrarmos num microônibus que sai na frente de um posto de gasolina, super complicado porque ele entrava e saí de ruas e a gente seguindo ele e ele andava super rápido. Finalmente chegamos no ponto de encontro e partimos para fazer o tour combinado. Abaixo está a foto do Bruno na Sasaywaman, que é uma fortaleza inca, hoje em ruínas, localizada dois quilômetros ao norte da cidade de Cusco, no Peru. Supõe-se que Sacsaihuaman foi construída originalmente com propósitos militares para defender-se de tribos invasoras que ameaçavam o Império Inca, já que lá de cima você consegue ter uma visão de toda Cusco. Essa foto abaixo está o Puka Pukara, que é um local de ruínas militares no Peru, situado na província de Cusco. Este forte é feito de grandes paredes, terraços e escadarias e fazia parte da defesa de Cusco em particular a do Império Inca em geral. Essa fot foi tirada em Puka Pukara, de lá de cima a gente tem uma visão linda da vegetação, no segundo dia eu já estava completamente apaixonada por Cusco. A foto abaixo foi tirada em Q'enqo, é um centro arqueológico localizado no Vale Sagrado dos Incas, a seis quilômetros a noroeste da cidade de Cusco, no Peru, a 3.580 metros de altitude. A foto mostra uma pedra onde na cultura Inca eram feitas sacrifícios de animais ou até mesmo de pessoas para adoração dos deuses. Já se passaram muitos anos, mas você consegue sentir a energia do lugar, é incrível. A foto abaixo mostra Tambomachay que está localizado próximo a Cusco, no Peru. É um sítio arqueológico que foi destinado ao culto à água e para que o chefe do Império Inca pudesse descansar. Este lugar também é denominado "Banhos do Inca" Fim do passeio, voltamos para o centro de Cusco, o microônibus te deixa no memso local que pegou, na frente do posto de gasolina e você tem que voltar andando e sem guia...hahhaha...Foi bom para conhecermos a cidade, tomei um sorvete de uma fruta típica de lá chamada de sauco, tem um gosto bom. e descobrimos vários restaurantes com o preço bem em conta. paramos em um e pedimos lasanha...hahhaha...pois não queríamos correr o risco de pedir uma comida e dar errado. A lasanha tava uma delícia e custou 10 soles por pessoa, já veio com o suco e uma entradinha de torradas. Depois fomos atrás das agências para fechar o passeio para o segundo dia o Maras e Moray. Não achei outro local em conta e acabamos fechando com a mesma agência. Voltamos para o hostel e fomos descansar, tirar um cochilo. Abaixo fotos do sorvete de sauco, o qual eu me apaixonei...hahah Gente, esqueci de citar à cima que para vocês entrarem nos locais à cima, vocês devem adquirir o boleto turístico, tem duas opções, a que vale para conhecer apenas alguns e spo tem validade de um dia e o que tem validade por 10 dias, eu aconselho que compre o que tem validade por 10 dias, porque vocês irão precisar para conhecer os outros locais. Abaixo, está a fotinha do boleto. 3° Dia Maras e Moray Acordamos cedo, tomamos café na pousada, nos organizamos e fomos para à pracinha onde foi o ponto de encontro com o guia. Moray fica a 50 km de Cusco, a aproximadamente 3500 metros de altitude (cerca de 100 metros acima de Cusco). Há várias teorias sobre o local, mas a principal diz que Moray foi um laboratório agrícola experimental Inca, onde eles conseguiam simular diferentes micro-climas e produzir uma variedade enorme de produtos. Com isso, os Incas desenvolveram novas variedades de alimentos, especialmente batatas e alguns tipos de milho. Abaixo estão algumas fotos de Moray. Maras é uma cidade no Vale Sagrado dos Incas, 40 quilômetros ao norte de Cusco. A cidade é conhecida por suas lagoas de evaporação de sal, localizadas em direção a Urubamba a partir do centro da cidade, que estão em uso desde os tempos incas. Abaixo tem uma foto desse lugar lindo. Durante o passeio nós visitamos também algumas comunidades, onde a gente pode tomar um pouco de chá de coca e admirar o artesanato local. É tão lindo a maneira que as chicas se vestem. Gente, o problema com o soroche (mal de altitude) é muitoooo sério, de verdade mesmo, eu passei super mal na descida de Machu Picchu e depois não consegui me recuperar mais e meu esposo também teve na descida da Montanha colorida. Tomem muito chá de coca, comprem uma erva que eles levam pra cheirar e comprem muita folha de coca pra mascarem porque estraga mesmo a viagem, eu ia fazer o passeio para o lago humantay e desisti porque eu tava muito mal mesmo e meu esposo também. Então a minha dica pra vocês que não querem perder o passeio é levem a sério todos os cuidados para não terem o soroche. Na volta do passeio, passamos na agência e fechamos o passeio para Pisac, Chinchero e Ollantaytambo sabendo que ficaríamos no último destino para pegarmos o trem para Águas Calientes. 4º Dia em Cusco Acordamos cedo, tomamos café, nos organizamos e fizemos o check out. Fomos para à praça para esperarmos o grupo, ficamos na praça por horas esperando o grupo com o guia e nada. Na agencia quando fechamos o pacote, eles esqueceram de nos dizer para esperarmos na frente da agencia, como eu já tinha falado, os peruanos são muitoooo pontuais, mas nada organizados e por pouco não perdemos o nosso passeio. Passaram-se horas e resolvemos pedir a ajuda de um rapazinho que estava nos oferecendo o passeio do City tour, perguntamos se ele tinha visto algum grupo ou se ele sabia a hora certa da agencia abrir. Como ele tinha o telefone local, ele pediu o número da agencia e ligou, por sorte o guia atendeu e disse que só estava esperando a gente pro microônibus sair, mandou que esperássemos na frente da agencia que ele iria nos pegar, corremos para lá e ele passou num táxi super apressado, nos pegou e levou até o microônibus que saia da frente do posto de gasolina e por pouco não perdemos esse passeio. Nosso anjo da guarda sempre atento! A primeira parada foi em Pisac, está localizado a 33 quilômetros da cidade de Cusco, no Peru. O seu local arqueológico é um dos mais importantes do Vale Sagrado dos Incas. Este povoado tem uma parte inca e outra colonial. Písac, e sua praça principal, é um lugar cheio de colorido e com diversos artigos artesanais à venda. Você pode tirar fotos com as artesãs e as lhamas e pagar o quanto você achar justo pela foto quando chegar no mercado de Pisaq, aproveitei para comprar um xadrez, porque sou super viciada nesse joguinho e o tabuleiro com os Incas são um charminho. Saindo de Pisac, fomos para Ollantaytambo é uma obra monumental da arquitetura incaica. É a única cidade da era inca no Peru ainda habitada. Em seus palácios vivem os descendentes das casas nobres cusquenhas. Os pátios mantêm sua arquitetura original. Gentixxx, que lugar lindo, que paz, que energia. Aproveitamos pra ficar horas relaxando nesse lugar, já que o nosso trem só sairia umas 17hs, conhecemos duas pessoas especiais nessa viagem, o Gonçalo que é Argentino e a Dai Bassi que é de Floripa, eu amo os amigos que as viagens me trazem. Marcamos de nos encontrar em Águas Calientes e experimentar algumas cusquenhas...hahahhahah...Abaixo estão as fotos de Ollantaytambo. Enquanto esperávamos o horário do trem, eu aproveitei para fazer uma apacheta, são altares em honra aos deuses incas. Utilizando pedras encontradas pelo caminho ou nos espaços em que vivem, as pessoas vão empilhando uma em cima da outra, em formato cônico, para pedir e agradecer principalmente a Pachamama (Madre Tierra) e aos Apus (deuses das montanhas). Pedir para que tenham proteção, para que tenham uma bela colheita, um bom ano, agradecer pela saúde, pela chuva, pela fartura, pelas estrelas, pelo sol, pelas riquezas da natureza. Serve também para meditação, pois encontrar o equilíbrio das pedras requer muita paciência, dedicação e sabedoria, a gente precisa esvaziar a mente e se concentrar apenas em equilibrar as pedras. Foi ótimo essa foto nessa posição só pra mostrar que consegui fazer...hahahha...Esse meu marido...hahhaha A gente, uma dica é não esqueçam de passar o protetor para pele e o labial, Cusco é super frio, mas o sol é intenso e os raios solares estão fazendo efeito o tempo todo, eu só vim sentir os efeitos nesse dia, se vocês perceberem, estou super vermelha e depois eu despelei todinha, por isso lembrei dessa dica. Depois que relaxamos bastante, fomos para o ponto de onde sai o trem, é um pouco distante e é bom vocês não se atrasarem. O trem é super confortável, tem gente que prefere economizar, paga uma Van que leva até uma usina hidroelétrica que fica próxima a Águas Calientes e o restante do percurso, faz a pé. Dizem que o caminho é uma delícia de se ver. Eu preferi ir de trem, até mesmo pelo horário. A baixo estão as fotos do trem, que por sinal é super confortável e ainda te dão um lanchinho. Chegamos em Águas Calientes e ficamos no Hostel que depois eu coloco o nome porque agora eu não me lembro, sei que ele tinha uma vista linda virada para as montanhas e um riacho que passa pela cidade, a recepcionista checou o meu nome, pediu a papelada da imigração que por sinal, não nos forneceram quando chegamos em Cusco e ainda bem que ela não implicou com isso porque tinha um outro casal que tava com o mesmo probleminha. Ela nos entregou as chaves e nos mostrou o quarto, mas esqueceu de nos avisar que a recepção não era 24hs. Deixamos as malas e fomos correndo comprar as passagens do micrôonibus para subir Machu Picchu, chegando lá a Dai já estava a nossa espera, o microônibus custou 18 dóllares por pessoa, esperamos o Gonçalo e fomos tomar nossas cusquenhas e experimentar a pizza de alpacha que por sinal, é uma delíciaaaaa. Experimentamos os três tipos de cusquenha, praticamente fechamos a pizzaria, os trabalhadores estavam loucos pra nos expulsar, saímos eram umas 23hs por aí de lá e a cidade estava super deserta, fomos para o nosso hostel e thanrânnn, surpresa,tudo fechado e só tínhamos as chaves do quarto. Batemos na porta, gritamos, fizemos um escândalo, até que uns trabalhadores de um restaurante ao lado que já estava fechando foi ver quem eram as pessoas que naquela hora da noite estavam na rua aos berros e éis que éramos nós, brasileiros...hahhahah...O bom é que tinha um cozinheiro que tava pegando a amiga da recepcionista do nosso hostel, então, ele ligou para ela que por sinal tava dormindo, e ela ligou para a nossa recepcionista que por sinal também estava dormindo, mas que graças à Deus acordou e veio nos abrir o portal...Uffa, salvos novamente pelo nosso anjo da guarda, porque gente, Águas calientes é puta frio e acho que não aguentaríamos passar à noite na rua... Entramos no quarto, tomamos banho e fomos dormir, nessa hora, bateu um enjoou, a cerveja preta não me fez bem, ou será que foi a de soja, ou a de trigo, em fim, na bôaaa, não aconselho que vocês façam isso um dia antes de subir Machu Picchu. 5º Dia Águas Calientes No dia seguinte o Bruno e eu acordamos de ressaca e super atrasados e lá fora, caía uma chuvinha fina e ainda tava super escuro, eram 4hs da manhã. Tomamos café no hostel, pois eles servem cedo já sabendo que temos que acordar cedo para subir Machu Pichu. Tomamos café nas pressas, deixamos nossas coisas na recepção e fomos para à fila do micro ônibus, Gentix, tava caindo uma chuvinha e nós compramos umas capinhas de chuva que o pessoal vende na fila, até então, não tínhamos guia, pois eu tinha lido que lá você consegue um por um preço mais em conta. Nesse momento, surgiu um rapaz querendo formar um pequeno grupo de seis pessoas para guiar, fiquei um pouco desconfiada, ele pedia cerca de 30 soles por pessoa, achei super caro, choramos um pouco e ficou por 50 soles o casal, ele marcou de nos encontrarmos na portaria quando chegássemos lá e aceitamos. Enquanto eu estava na fila, vi que numa lojinha bem em frente a mim, vendia moedas para colecionadores, aproveitei para comprar uma pra mim e pra um amigo querido de infância que tenho no Brasil, Pytter. Fica aí mais uma dica pra quem gosta de colecionar moedas. A subida à Machu Picchu pelo micro ônibus é encantadora e eu me senti a pessoa mais feliz do mundo, filmei tudo e postei no meu instagram @aurea.freire.7. O nosso guia foi um presente dos deuses, ele contou várias histórias e a cultura Inca é muito linda, tirou fotos lindas e super valeu a pena o investimento, em Machu Picchu você só pode passar por um caminho uma vez e o seu ingresso é válido para você entrar duas vezes ao parque. no primeiro momento apenas escutamos o guia e tiramos fotos em casal e no segundo momento, entramos e ficamos lá por horas descansando e recebendo a energia daquele local. Bom, pra subir Machu Picchu nós subimos de micro ônibus e pra descer, pra descer qualquer santo ajuda e nós descemos à pé, foi super divertido, o caminho é longo, não vou mentir, mas pra quem é acostumado a mochilar, a gente tira de letra. Ficamos em Machu Picchu até 12hs e depois descemos porque lá pras 16hs nosso trem de volta à Cusco já saia, fomos andando até o centro de Água Calientes, chegando lá, o Bruno estava com fome e pediu um sanduiche, eu já estava com o Soroche e não quis comer nada, o Soroche causa falta de apetite e enjoos. Voltamos para o hostel, pegamos as malas e fomos para a estação ferroviária. Eu tava tonta e fiquei sentada o tempo todo, bruno ficou super preocupado, mas eu consegui segurar a onda, na volta no trem eu só tinha vontade de vomitar e nem sei como não vomitei, por isso que eu digo, muito cuidado com o soroche. Chegando em Ollantaytambo, a gente desce e pega um micro ônibus que eu já tinha comprado junto com a passagem de trem para nos levar de volta a Cusco, chegando em Cusco pegamos um táxi até o hostel que tínhamos reservado desde o Brasil, o Gringo Bill's Hostel, ficava mais afastado do centro, mas foi o lugar com o melhor café da manhã que conseguimos, reservamos duas noites nesse lugar. Eu tava muito mal, mas mesmo assim, deixamos as malas no hostel e fomos para a rua, Bruno queria comer e reservar o passeio do dia seguinte para Winicunca (Montanhas das sete cores). Conseguimos reservar com uma outra agência, em frente à praça da igreja central, trocamos mais alguns dóllares e eu não quis comer nada. 6° Dia em Cusco Acordamos cedo e a Van foi nos buscar no hostel, de fato, os Peruanos são muitooooo pontuais, esse passeio estava incluso o café da manhã e o almoço, pois a gente saía muito cedo. Acordei mal e com dor de barriga, uma diarréia muito forte, mas como sou brasileira e não desisto nunca, tomei um remédio para ajudar na reconstrução da flora bacteriana do intestino e fui na fé. E aindabem, porque se eu não fosse iria me arrepender pro resto da vida. Pegamos um cavalo para subir os primeirs 5.200 metros de altitude, a cada não sei quantos metros tem um banheiro pra você dar uma aliviada se quiser e foi exatamente o que eu fiz, beachooo, eu tava muitooo desidratada, mas como eu disse, fui na fé. Chega um momento em que os cavalos não podem mais subir, fiz amixade com um rapaz no Micro ônibus e ele me deu uma substância para eu cheirar, não sei o que tinha direito eu sei que me ajudou a chegar no topo. E finalmente chegamos aos 5.800 metros de altitude. Gente,na foto eu pareço estar bem, mas a verdade é que quase que desmaio quando cheguei ao topo, o soroche é terrível, só não desmaiei por que lá em cima tinha uns guias com aquele negocinho milagroso pra você cheirar e na descida tinha um chico subindo com uma sacola cheia de folhas de coca e nós pedimos um pouco para mascar, nessa hora eu fiquei bem e o bruno é quem tava começando a ficar com o Soroche. Na volta para o hostel, o cozinheiro sentou na nossa frente e o cheiro de fritura estava tão forte que misturado com o soroche quase fez o Bruno vomitar, eu também não estava nada bem e foi por isso que desistimos de fazer a laguna humantay, fato que eu me arrependo até hoje. 7° Dia em Cusco No dia seguinte, seria o nosso último dia em Cusco e já votaríamos ao Brasil, então tiramos o dia para relaxar e fazer uma massagem, no centro tem muitas mulheres oferecendo massagens, fomos no mercado que tem próximo e compramos lembrancinhas para os amigos e familiares, aproveitamos para comer bem. A comida em Cusco não é caro e geralmente um prato executivo dá pra dividir pra dois se os dois comerem pouco, porque tem entradinhas, prato principal, bebida e sobremesa, tudo isso custando 20 soles, comemos uma parrilhada e bebemos um pisco sour. À noite fomos a uma pastelaria que tem no centro, super top, lá tem uma árvore de recadinhos, foi a dica que a Dai me passou e eu não poderia deixar de passar para deixar o meu. Fim de viagem, no dia seguinte voltamos ao Brasil, espero que tenham gostado. Eu ainda vou colocar preço de algumas coisas, fiz um texto mais corrido para aproveitar as lembranças, mas quando eu for fazer a segunda leitura, vou adicionando os valores. Pra quem vai para santiago, eu tenho um outro post aqui nos mochileiros falando sobre a minha experiência no Chile. Abraço e até o próximo relato!!!
  6. 1 ponto
    @joshilton Fico muito feliz em poder ajudar com dicas. Vá mesmo, você não vai se arrepender. O sul do Chile é lindo!!!
  7. 1 ponto
    A minha é da Quechua tb, a Forclaz 50l, nunca tive problemas ou pediram pra medir com o gabarito.
  8. 1 ponto
    Esse teu relato, salvei todo, as dicas são excelente. Em 2020, irei a Europa, porém em 2021, irei dar um rolé pelo Chile, de ponta a ponta. Provavelmente 60 dias.
  9. 1 ponto
    @tsop enloma, é do mapa que você precisa ?
  10. 1 ponto
    Tenho mais de 500 fotos só do Vale Sagrado, só de Machu Pichhu, devo ter umas 200.
  11. 1 ponto
    @Emiceh, a empresa que eu fiz o Winicunca foi a Atractivo Turísmo fica numa galeria em frente à praça que tem a igreja. Eles me cobraram 10.000 soles. Minha dica é que você pegue o cavalinho pra dar uma economizada na energia. Esse passeio requer muito esforço físico, vá por mim. E boa viagem!
  12. 1 ponto
  13. 1 ponto
    @Áurea Freire, eu já fui. Comprei tudo lá mesmo, não tive problemas.
  14. 1 ponto
    @joshilton Oi, os passeios eu fechei lá. Agora a entrada de Machu Picchu eu comprei daqui do Brasil, pois a entrada é bem limitada e não quis correr o risco de deixar pra última hora. Mas comprando lá, sai bem em conta. É um risco, eu não quis correr. E outra, no trem, vão moradores e se você não comprar com antecedência, ele pode lotar e você perde a vaga. Se você quiser, eu te mando o link do site que comprei daqui do Brasil, mas tem que ter o cartão habilitado para compras internacionais, pois a compra é em dólar.
  15. 1 ponto
    Você verificou que comprando os pacotes em Cusco, sai mais barato ? Tanto para o Vale Sagrado como para Machu Picchu ? Vi uma grande diferença de valores em comprar on line e comprar na própria cidade, isso também vale para a Bolívia e Chile.
  16. 1 ponto
    Bem vinda. Região de Atacama e Uyuni acredito não ser ideal para levar bebês, muito frio, no tour de 3 dias até Uyuni os recursos são um pouco escassos, é um deserto literalmente, locais para banho nem sempre tem água quente em abundancia.Se seu bebê tiver algum probleminha por lá, pode ser fatal. Agora em Santiago, La Paz e Cusco da para leva-lo sim.
  17. 1 ponto
    @Felipe Rozante Fiz um roteiro parecido no ano passado,troque o dia de Guimarães pelo de Braga.O ônibus passa por Braga, lá tem um hotel Ibis barato,ou se quiser,pode seguir para Compostela na mesma tarde,pois Braga tem muito pouco para conhecer. O ônibus para Batalha sai as 13h e volta as 17h,se estou bem lembrado. É o tempo necessário para conhecer o mosteiro, mas a cidade tem também um museu da batalha que livrou Portugal da Espanha há quase 1000 anos.Tem que escolher, a visita é imperdível.É muito barato,Batalha nem rodoviária tem,compra se na hora. Lisboa Card só serve se for a muitos lugares em pouco tempo,para mim,não serve,pois ando com calma.
  18. 1 ponto
    Cara, Se me permitir, queria te fazer outra sugestão. Em Praga fiquei no Hostel Downtown. Super recomendo. Muito organizado. Quarto espaçoso e muito limpo. Fica próximo à maioria dos pontos turísticos. Porém oq mais me chamou a atenção foram as atividades que a equipe do Hostel promove pra integrar a galera. Talvez não seja o mais barato, mas super vale preço/benefício. https://www.hostel-downtown.cz/en/ Dá uma olhada ai. Boa viagem.
  19. 1 ponto
    Oii , viajar sem dinheiro é um desafio , porém tem os hostels onde vc troca moradia por trabalho, já é um bom começo , mas vc tem que ter pelo menos um pouquinho pra dar início :)) eu tb to meio ruim financeiramente mas to vendendo umas coisas e juntando . Vai vendo os lugares que vc gosta de ir , praia , fazenda , ar livre , e asssim vc vai ter noção de um dos primeiros lugares que vc vai querer ir
  20. 1 ponto
    Estarei saindo de moto dia 18 de maio com a esposa na Garupa. Roteiro incluindo, Cusco, Machu Pichu, Arequipa, Ilo e Puno.
  21. 1 ponto
    Cara o Plus fica bem longe das atrações. Fui em uma boate perto dele,a Crossclub e mesmo voltando de carro era meio distante. Como sugestão deixo esse aqui para você https://www.booking.com/hotel/cz/mosaic-house.xb.html?aid=1728923&no_rooms=1&group_adults=1&room1=A, . Tem uma baita estrutura pq funciona como hotel e hostel ... você fará tudo andando.
  22. 1 ponto
    Olá. Sou novo por aqui e recém terminei de montar minha CamperVan, artesanalmente. Uma Renault Master. Gostaria de saber se temos grupos de CamperVans, Kombis ou Motorhomes no RS que se reunem para viajar fins de semanas, feriados, etc. Abraços, Ivo Kohek - Porto Alegre, RS
  23. 1 ponto
    [RELATO - TRILHAS NO PANAMA] Fiz essa viagem durante os dias 6/02 ao 14/02. No instagram @onetrekking tem mais coisas sobre minha viagem no Panama. Segue o relato... Dia 1 Foram 3 voos para chegar no Panama 🇵🇦, com isso consegui economizar mais de 800, assim deu pra estender a viagem e conhecer mais lugares. Dia 2 Indo para o Kalu Yala Para chegar lá saindo do Aeroporto Tocumen você precisa pegar um táxi para o Terminal La Doña, de lá pegar um “Diablo Rojo” para San Miguel e de San Miguel fazer a trilha “Suicide Hill” até o Kalu Yala . Diablo rojo são esses ônibus da foto e pra quem quiser fazer a trilha, ela está na minha conta do WikiLoc, é só fazer a trilha ao contrario, acabei gravando só a volta Dia 3 - Trilha 1 Honey Creeper foi a primeira trilha que fiz no Kalu Yala. Ela é muito bonita, pois você tem uma maior proximidade da fauna local pelo trajeto ser em mata fechada. Com apenas 1,6 kms, duração de 1 hora e ganho de 200m, ela tem dificuldade moderada por causa da falta de sinalização e ter horas que a trilha se desfaz no meio da mata Dia 3 - trilha 2 Ramon’s Pool, uma trilha bem bonita que vai para uma piscina natural, apesar de que o pessoal do kalu yala fale que ela precisa de guia não vejo a necessidade para isso. Sua distância é de 2,79 kms, dificuldade fácil e não apresenta mudança de altitude considerável (60m). Dia 3 - trilha 3 Mermaid’s Hole, trilha bem fácil que acaba numa linda piscina natural. São apenas 1k e nenhuma variação de atitude, apenas uma parte aonde você tem que atravessar o rio. Dia 4 Nesse dia me despedi do Kalu Yala, e iria chegar em El Valle Anton no fim do dia. Pra quem não conhece: Kalu Yala é uma comunidade sustentável no meio da floresta do Panama, o forte deles é o intercâmbio que dura 10 semanas e tem varias temas que são bem únicos e voltados a uma vida sustentável. O instagram deles é @kaluyala Dia 5 Acordei as 3:30 da manhã para fazer a trilha sentido Loma Grande, saimos do @bodhihostel e o @jerryfit foi o guia, nessa trilha eu vi a real necessidade de ter equipamentos para fazer trilha. Nunca tinha andando mais que 10k numa trilha, e essa foram 24k. Saimos do hostel as 4:45, e o tempo clareou aproximadamente as 7:30 porem como estava em El Valle que fica no meio da montanhas, o sol só foi aparecer e ficar forte umas 10:30, com isso ele só atrapalhou a nossa volta e não ajudou a esquentar a água que parecia gelo. Foram 24k de trilhas feitas em 9 horas, sendo que o trajeto é cheio de subidas e descidas muito íngremes, então não é recomendável ir sozinho e para quem não tem um certo preparo, pois você vai usar muito joelho. Dia 6 “Cerro Cara Iguana”, essa foi a minha sexta trilha da viagem. Esta montanha é uma reserva hídrica, a maior parte da trilha é formada por uma estrada de terra, somente no fim que você entra na mata para chegar no topo das montanhas. Estava fazendo muito vento no topo e como estava sozinho, acabei não indo no topo da última montanha. Foram 9 km de trilha, sendo que a elevação ganha foi de 368 metros e o topo chega a 923 metros. Dia 7 “La India Dormida”, essa foi a última trilha da viagem. Ela fica dentro de um reserva particular, a entrada custa 3 dólares e não recomendam fazer a trilha sozinho. Por sorte encontrei um casal de franceses que foram comigo até o topo da montanha. A trilha é um caminho de terra com parte bem íngrimes, aonde algumas pessoas escalam. Foi 8,5 km de trilha com 400 metros de altitude ganha e o topo não chega a 900 metros. Dia 8 Logo de manhã, antes do café, arrumei minhas coisa na cargueira para voltar para a Cidade do Panama. Meu destino era o Bodhi Hostel Panama City no Cerro Ancon, paguei 4,25 dólares no ônibus (mesmo valor que na ida) para o Albrook Mall e da lá peguei um metro bus para uma parada perto do hostel e fui andando até o hostel, cheguei as 14:30 no hostel, sendo que parei para almoçar no Allbrook Mall. Depois disso fui para o Multiplaza Panama, andei metade do caminho de uber e metade a pé para ter uma ideia de como é a cidade. Com isso acabo meu oitavo dia no país. Dia 9 Meu voo era as 14 horas, com isso tinha que chegar no aeroporto as 11 horas. Deu tempo para ir conhecer as ruinas da antiga cidade do Panamá, elas formam um Patrimônio Mundial da Unesco. A cidade recebeu título de Cidade em 1521 por Carlos V da Espanha, e começou a ser o ponto de partida para a exploração do Peru e ponto de trânsito para carregamentos de ouro que iam para a Espanha. E assim encerro a minha viajem pelo Panamá.
  24. 1 ponto
    Olá a todos! Tenho a intenção de deixar aqui o meu relato da viagem de férias da qual acabo de retornar. Apesar de ser o segundo mochilão que faço (o primeiro foi em 2013 na Bolívia, Peru e Chile), este é o meu primeiro relato. Primeiramente o faço pela carência de relatos atualizados sobre Guatemala, Honduras e El Salvador, atualizar os valores e dar algumas dicas e advertências, segundo como forma de agradecer aos demais mochileiros pelos conteúdos que tenho visto aqui e os utilizado no planejamento das viagens, e terceiro, para que fique registrado e eu possa curtir no futuro ao relembrar o que foi essa viagem! Como dessa vez meu irmão não teria disponibilidade para ir junto, tal como no primeiro mochilão, acabei por ir sozinho. Seria para mim a minha festa de formatura, a qual não participei em detrimento de preferir viajar do que passar uma noite enchendo a barriga e dançando. Roteiro Apesar de ter visitado três países, foi apenas uma cidade em Honduras e outra em El Salvador, sendo a Guatemala meu foco principal da viagem. Na verdade eu tinha intenção de conhecer a Península de Yucatán e descer até a Guatemala, mas surgiu uma promoção da Avianca em abril que a passagem Rio de Janeiro-Cidade da Guatemala-Rio de Janeiro saía a R$1500,00 para pagar em cinco suaves prestações. E como não sou muito fã de pegar ônibus por 10 horas ou mais, reduzi meu roteiro para locais menos longe entre si, por isso fui a Copan Ruínas em Honduras e não a Tikal, apesar de ter aquela pontinha de arrependimento. Agora posso dizer que fui ao Peru e não fui a Machu Picchu e fui à Guatemala e não conheci Tikal. Assim meu roteiro ficou o seguinte: Cidade da Guatemala Coban Semuc Champey Río Dulce Copán Ruínas, Honduras Santa Ana, El Salvador Antígua Lago Atitlan Comprei a ida para o dia 04/08/2016 e a volta em 24/08/2016, ou seja, teria 21 dias para cumprir o roteiro, que, após planejado em forma corrida, considerando que não há transporte à noite na Guatemala (até há, mas apenas entre Antigua e Flores), eu gastaria cerca de 15 dias até chegar ao Lago Atitlan e aí ficaria relaxando até a volta. Além de, assim, poder ficar mais tempo onde mais gostasse ou até mesmo por qualquer imprevisto. Ledo engano! Para cada cidade que eu passaria, inclusive as que não estavam programadas dormir nelas, pesquisei duas ou três opções de hospedagem. Fiz a reserva apenas pra primeira noite no Hostel Theatre International, na Cidade da Guatemala. Durante a viagem fiz apenas mais uma reserva, na véspera, visto a imprevisibilidade de qual dia passaria em qual lugar. Gastos: Fiz uma base meio por cima que precisaria de U$50 por dia mas deixaria algum no banco para sacar em caso de emergência ou gastos acima do previsto. Levei U$1000 em espécie todo na moneybelt. Acabei comprando quando a moeda tava R$3,60, um baita prejuízo frente ao que custa hoje. Dica: Compre os dólares aos poucos. Se aumentar você não terá tanto prejuízo porque já comprou uma parte, se baixar aproveite e compre o resto. Como não bebo, salvo raras exceções, e nem frequentei festas, o dinheiro foi suficiente. Ainda gastei mais de U$100 só em presentes e sobraram alguns dólares. Em alguns lugares você pode pagar em dólar, em outros é mais vantajoso pagar na moeda local, e em El Salvador o próprio dólar é a moeda local. Ou seja: Passagens: R$1500,00 (RJ-Guatemala-RJ, Avianca) Gastos na viagem: R$3600,00 (U$1000,00 comprados a R$3,60) Ah, mas ali no meu profile diz que eu moro em Crato e a saída é do RJ. Vi com minha mãe a possibilidade de ela usar umas milhas do cartão e deu certo. Dia 02/08 partir pro Rio de Janeiro, e no dia seguinte ainda fui ao Engenhão ver o primeiro evento das Olimpíadas: Futebol Feminino, Suécia vs África do Sul e Brasil vs China. Chegou o dia 04/08 e agora é só preparar pra responder pros gringos o que diabos eu estaria fazendo na Guatemala ao invés de estar nos Jogos Olímpicos! Guatemaltecos são muito loucos por Olimpíadas, imagino o dia em que eles ganharem a segunda medalha da história a festa que farão! Dia 1 - Quinta-feira, 04/08/2016 Madruguei na casa de um tio e ele foi me deixar no Aeroporto. O voo sairia as 8:00, e haviam recomendações de chegar 3 horas antes devido operação padrão da Polícia Federal. Cheguei as 5:20 e peguei uma fila de pouco mais de 1 hora só para despachar a mochila. O voo só partiu as 9:20 e isso modificou toda minha programação! A escala em Bogotá seria de apenas 1:07, ou seja, foi meu voo chegando e o voo para Guatemala decolando, sem mim e sem minha mochila. Me realocaram num voo que sairia dali a pouco para San José, na Costa Rica, e de lá num outro para Cidade da Guatemala. Chegando em San José chovia muito, o avião arremeteu e ficou por uma hora sobrevoando a cidade antes de pousar sob aplausos faltando apenas 20 minutos para o voo seguinte partir. Mas o voo seguinte atrasou e deu tudo certo, enfim, Guatemala! Com o perdão do trocadilho a Guatemala fez jus ao apelido de "Guate", pois a "mala" não chegou, no caso minha mochila. Muito triste ver aquela esteira passando e sobrar só você e nada mais. Fiz a notificação com a companhia aérea e fiquei na expectativa da chegada da mochila para o dia seguinte. Dica: Sei que já é batida, mas leve consigo na bagagem de mão roupas para, no mínimo, os próximos dois dias. Fiz um cambio de 80 dólares com a péssima cotação de 6,23, recebendo 498 quetzales, a moeda guatemalteca que leva o nome de um pássaro endêmico de lá. Pra ter ideia, no dia seguinte fiz câmbio a 7,44 no Banrural. O desembarque é interessante no Aeroporto Internacional La Aurora, pois as pessoas que aguardam os amigos no desembarque ficam na rua, sujeitas a Sol e chuva. Tomei um taxi pro Hostel Theatre International (dormitório compartilhado por 63 quetzales ou 8 dólares), e o taxista cobra 80 quetzales ou 11 dólares. Aí você faz uma conta rápida (80/11=7,27) e vê que é mais vantajoso pagar em dólares, pois você estaria gastando, conforme o câmbio realizado, apenas 68,53 quetzales (11x6,23). Muito importante ter em mente essa observação para efetuar pagamentos na Guatemala. Aliás, por falta de troco, o taxista deixou pelos 10 dólares. No Hostel conheci um peruano, que depois descobrimos ter chegado no mesmo voo que eu, Omar, e saímos à procura do Taco Bell nas ruas sinistras da Cidade da Guatemala, nas quais as farmácias tem grades desde o balcão, os comércios tem seguranças armados com armas calibre 12 e os ônibus tem avisos advertindo ser proibido entrar armado (uma boa ideia para usar nos ônibus brasileiros). Devido ao sumiço da minha bagagem adiei a ida a Cobán em um dia, já que iria no dia seguinte, mas deixei informado na Avianca que me hospedaria no Hostel Theatre International. Bora dormir que o sono chega cedo com esse fuso de 3 horas a menos que no Brasil, o frio tava pegando e o único casaco tava na mochila extraviada.
  25. 1 ponto
    Estranho, visitei a Bolivia a 3 anos, conheci Santa Cruz, Sucre, Potosí, Uyuni, La Paz e Copacabana, não tive nenhum problema com a policia, locais, outros turistas, comida, hospedagens. Tudo 100%. Mas eu pesquisei antes da viagem e sabia muito bem o que encontraria pelo caminho. Na minha opinião a Bolívia é demais ! Diferenças de cultura e modo de vida amigo, apenas isso, aprender respeitar as diferenças é maravilhoso. Na próxima, vá para Europa ou para Disney.
Líderes está configurado para São Paulo/GMT-03:00


×
×
  • Criar Novo...