Ir para conteúdo

Mais curtidos da Semana


Conteúdo Popular

Exibindo conteúdo com a maior reputação em 19-01-2020 em

  1. 1 ponto
    Daleee galera, tudo certo? Estou indo pra Ilha Grande (rj) dia 21/02 e volto dia 25/02, saindo de SP (Capital), vou sozinho. Se alguém estiver indo pra lá nessa época ou queira ir, me mande uma msg e conversamos, sempre bom fazer novos amigos. Chama no whats 11 99264-9985 Um abraço a todos. 😃
  2. 1 ponto
    Fala galera! To indo passar o carnaval em Salvador 2020 sozinha. Bora montar um grupo com mais foliões solos e curtir juntos! Por enquanto minha programação está: sabádo pipoca do saulo / domingo a terça camarote planeta band. Bjs!
  3. 1 ponto
    Pra chegar em Ilha grande Fomos de Jundiaí pra SP (Rodoviaria do Tiete) 16,00 Depois de SP para Angra 112,00 (sem taxa de conveniência pq comprei na rodoviária) Da rodoviária pegamos uber (7,00) pro cais. (da pra ir andando, uns 20 min) No cais compramos a travessia de barco rápido (90,00 ida e volta ou 50 cada trecho se comprar separado). Tem a opção de balsa que é 17 reais por trecho mas os horários são mais limitados (Angra-Ilha as 15h e Ilha angra as 10:30 se não me engano). O barco rápido faz o trajeto em 30 min mais ou menos, a balsa faz em mais ou menos 1h. Na volta acho que não compensa (se bater os horários) pegar o barco rápido, pqe ele fez uma parada em outra praia pra depois ir pra Angra, então deu o msm tempo da balsa. Se comprar o Barco rápido antecipado vc precisa deixar agendado o trecho de volta mas da pra re-agendar facilmente com o número do bilhete ligando no numero descrito tb no bilhete. Hospedagem Ficamos no Hostel Beach House, café da manhã ok, tinha café, leite, um suco que acho que é natural (diluído), pão, presunto e queijo (teve um dia que não teve), melancia e bolo. Os quartos são limpos, tem onde trancar a mala, fiquei num quarto pra 9 com um banheiro dentro do quarto (no final ficamos só em 3 pessoas no quarto pqe era baixa temporada na ilha). Custo é de 30,00 reais em dias da semana e 35,00 em fds. Hostel fica bem localizado, perto de mercado, farmácia, restaurantes (se bem que a vila é pequena nada é mt longe). Embaixo do hostel tem uma agencia de turismo http://bit.ly/Hostel_Beach_House Passeios Dia 1 - Lopes Mendes Fomos andando e voltamos de barco (20,00 barco rápido 15,00 barco mais lento) Tem a opção de ir e voltar de barco ou ir e voltar de trilha. A trilha é cansativa pqe sobe mt, e é relativamente longa (umas 2h30). A trilha é de mata fechada e tem 1 mirante basicamente (logo depois que terminar de subir tem uma parte de barro a direita, é ali que tem que subir). A trilha é longa então é bom ir de tênis. Dia 2 - Abraãozinho (lado norte da ilha) Fomos andando até a praia do abraãzinho (passa por varias praias até la, que são mais bonitas que a abraãozinho inclusive). Essa caminhada é de boa, vai beirando as praias. Dia 3 - Passeio Praias paradisíacas 80,00 Melhor Passeio na minha opinião, é um passeio que passa em várias ilhas de Angra (botinas cataguases, praia do dentista, lagoa azul (acho que é isso e tem mais uma que não lembro). Passeio é bom para snorkel, o passeio inclui snorkel, agua e macarrão (boia). as praias e ilhas são mto bonitas msm. o passeio foi feito de lancha com capacidade para umas 12 pessoas. (o passeio foi mt animado pqe tinha um carioca engraçadíssimo e uma galera animada na frente. Na frente o barco bate mais se o mar estiver agitado e o visual é melhor. Atrás molha mais caso o mar esteja agitado. Faz frio na volta desse passeio) Dia 4 - Cachoeira da feiticeira e tentativa de praia da feiticeira (lado sul da ilha) A trilha passa pela praia preta, antigo hospital (hospital p pessoas com lepra se não me engano, parece um presídio, mas não confunda com o antigo presídio que existia em 2 rios) a trilha não é tãão fácil mas é mais tranquilo que a trilha pra lopes mendes. No meio do caminho tem um lugar que a sinalização é estranha, acabamos pegando o caminho errado e não saímos na praia da feiticeira, saímos em uma praia do lado. Voltamos de barco (20,00) Dia 5 - Passeio meia volta 100,00 Passeio para em algumas praias mas os principais são Lagoa verde e lagoa azul, tem também a praia do amor (que fica de frente p onde gravaram alguma coisa do filme crepúsculo) gostei bastante do passeio mas preferi o “praias paradisíacas”. Passeio é bom para snorkel, o passeio inclui snorkel, água e macarrão (bóia) assim como o “praias paradisíacas” DICAS: Leve tenis, muita coisa é feita de trilha e tênis vai tornar muito mais confortável as caminhadas Para os passeios de barco, de preferencia para os dias de sol, deixa o passeio/praias mt mais bonitos e a prática de snorkel ainda melhor. Lagoa azul e lagoa verde tem muita vida marinha, não deixe de praticar snorkel. Se sentir mt frio, leve blusa p os passeios de barco qnd estiver nublado (na volta pega mt vento) Existem diversos passeios, alguns feitos de escuna, que são mais baratos mas perde-se mt tempo navegando e passa em menos lugares. O Hostel “Aquário” (http://bit.ly/2ueaRPF) da uma festa td noite, é de graça e só paga o que consumir. Alimentação vc acha de td, comi pf por 23 reais e moqueca (no restaurante lua e mar) que ficou 90,00 por pessoa (a comida é deliciosa e o ambiente bem massa, pegamos um prato que teoricamente é pra 2 e comemos em 3. Estávamos famintos e deu de boa) Comer no “Coruja” é um lugar que vende uma empanada SENSACIONAL, 8,00 e tem opções vegetarianas. lá tb tem promoção de 3 caipirinhas por 25 reais (varios restaurantes do lado tb tem) La tem mto estrangeiro, fui em setembro e tinha mt frances e argentino. Me disseram que em alta temporada os preços sobem MUITO, tanto passeios qnt restaurantes, hostel TUDO. O clima da ilha é meio Roots, não tem carro, é mt bom pra relaxar e fazer amizade. Achei a galera mt gente boa no geral. Contatos Hostel beach house: http://bit.ly/Hostel_Beach_House Nativos turismo (onde fechei os passeios, fica logo em baixo do beach house) 24 99997 6382 Quem quiser ver fotos ou tirar duvidas, me chama no instagram @caioviniciusaleixo (lá eu fico mais atento as mensagens)
  4. 1 ponto
    Podexá! To aqui neste momento inclusive planejando umas trocentas viagens que estão na minha fila, haha!
  5. 1 ponto
    @Simone Leila, eu vou estar por lá no mesmo periodo!! Bora se encontrar 😬 Vou ficar no Villa Chic Hostel! E você!?
  6. 1 ponto
    @Ana Caroline Cunha Olá Ana! Obrigada!! Espero que sua viagem tenha sido um sucesso! Abração! ☺️
  7. 1 ponto
    @lobo_solitário algumas fotos da nossa viagem. abs
  8. 1 ponto
    @Juliana Champi Separe pelo menos 30 dias para conhecer bem o Peru, aquele pais eh extraordinario em tudo: atracoes turisticas(MP, huacachina, huaraz........), comidas, e o folclore, demais. Depois veja no Youtube videos sobre o cannyon del pato, no norte do peru, fizemos 2 vezes de carro!
  9. 1 ponto
    @Juliana Champi Oi Juliana Obrigado pela dica acabei não pesquisando sobre a temperatura rsrs. Agora irei rever um abraço!
  10. 1 ponto
    Oi pessoal, aqui estou eu novamente contando mais uma trip . Depois do deserto do Atacama e Salar Uyuni, chegou a vez de irmos ao fim do mundo - Ushuaia. Foi uma experiência incrível, porque a natureza esteve do nosso lado todos os 10 dias que ficamos lá. Fizemos todos os passeios da região sem guias, então fica a dica: não precisa de guia para nada, pode fazer tudo sem orientação de ninguém, e isso trará uma economia significante no bolso. Estadia: reservamos um quanto duplo através do AirBnB. Aconselho a todos se cadastrarem lá, porque verão que poderão economizar muito em hospedagem, mesmo em relação a hostel. Além disso, para quem curte, vc poderá (se quiser) ficar em uma casa tipicamente local, com seus hábitos, suas dicas e isso é vivência pura. Mas se preferir ficar sozinho, também há aluguem de apartamentos e casas. Vai do gosto do freguês. Só digo que financeiramente vale a pena. Estadia: ficamos na casa da Mônica Arguello (Magallanes 1856). Família receptiva, te deixa à vontade, vc se sente em casa e com a tua família. Limpeza nota 10. Próximo ao centro, dá pra ir à pé em 10 minutos. Excelente escolha no AirBnB e o preço bastante interessante também. Adorei a família toda, recomendo. Onde comer: bom, a comida é cara em Ushuaia. Não vou falar daquilo que todos falam, dos restaurantes com as comidas t[ipicas de lá. Isso não precisa de dicas, é só andar pela rua principal do centro (San Martin) que verão as opções. Vou dar uma dica nuuuito melhor logo abaixo, nas dicas, ok? Agora vem a melhor parte: o que fazer em Ushuaia: :'> 1. ir à Ushuaia sem fazer o passeio no Canal de Beagle e ver suas aves e animais da região é o mesmo que ir à Paris e não ir à Torre Eifel. Não fizemos a pinguinera (ver os pinguins de perto) porque já conhecemos pinguins e o preço sobe tremendamente para vermos os animais um pouco mais de perto. 2. Parque Nacional: nós gostamos de fazer trilhas, portanto aquele passeio de um dia com guia não nos interessou. Resolvemos fazer em 3 dias (alguns poderão fazer em menos tempo), afinal não sou novinha né e tenho minhas limitações. Um dia foi Rio pipo e Baía Ensenada e nesse vai e vem de trilhas foram quase 20 km andando. Outro dia voltamos à baía Ensenada, mas desta vez para fazer a trilha de 8 km até Lapataia. Foi um dos melhores dias ... cada visual que não conseguirei descrever e nem as fotos são justas para com o lugar. Neste dia foram 23 km. O terceiro dia era para fazer a última parte lago La Roca e subir o cerro Guanaco, porém choveu e nevou e não fizemos, porém mais adiante conto porque foi melhor assim. 3. subir Glaciar Martial até o fim ... são 825 m acima do nível do mar e encontraremos neve na parte mais alta mesmo no verão fueguino. É muito lindo tudo até chegar lá e tem outras trilhas a fazer. Subida cansativa, mas vale a pena fazer. :'> 4. Museus: penitenciária e marítmo é obrigatório mesmo sendo mais cansativo que subir qualuqer cerro ... rsrsrsrs ... é coisa pra ver e ler sobre a história de Ushuaia, mas se estiver a fim de conhecer a história local de uma forma mais divertida e bonita, vá no centro, na San Martin no museu temático. Sensacional tudo, muito bem apresentado, os personagens são de resina, mas perfeitos, parece de cera. Simplesmente lindo conhecer a história local por esse museu. Recomendo. :'> 5. Dica boa: alugue um carro por um dia e vá aos lagos (Fagnano, Escondido) e faça a trilha para a Laguna Esmeralda. Todos ficam no mesmo caminho: Ruta 3. Um passeio de 4X4 (off-road) para os lagos (sem fazer a trilha da Laguna esmeralda) com almoço vc pagará o dobro do valor do aluguel do carro. É muito fácil andar de carro para esse lugares. Uma estrada que vai e é a mesma que volta . Sem erro, economizou uma grana e fez mais do que o passeio do off-road. Dizem que é com emoção, mas já vi relatos de que quem fica atrás no jeep, não vê nada e só tira fotos quando sai do carro. 6. Um tópico à parte sobre a Laguna Esmeralda: é um lugar esplendido, lindo e todos os adjetivos positivos que conheçam. De uma beleza sem descrição. A trilha é de dificuldade média (achei fácil), com marcações que não te deixam se perder. Um rio que nos acompanha até a laguna lindíssimo e a chegada é espetacular. Andar à sua volta e fazer suas trilhas, super-recomendo. :'> 7. Passeio de Trem até o parque: não fizemos esse passeio por acharmos que seria dispendioso e monótono, segundo a maioria dos relatos daqui. Mas, aí vai de gosto de cada um. 8. Há diversos outros locais para fazer, mas muitos só estão abertos ou são melhores para ir no inverno. Nós preferimos o verão para podermos fazer mais coisas que não seja apenas esportes de inverno Dicas : 1. alugar carro e fazer os lagos Fagnano e Escondido + trilha para a Laguna esmeralda 2. Ir de táxi ao parque e (se não tiver problemas em acordar cedo) chegar antes das 8 horas, assim não paga a entrada do parque. Chegávamos às 7 horas lá e começávamos a caminhar. Claro que para fazer a última parte (terceiro dia que acabamos não fazendo) não tínhamos opção, teríamos que ir até o fim do parque de bus (ou van, ou kombi como eles chamam as vans) e aí teríamos que pagar a entrada do parque. Senão andaríamos em torno de 12 km até chegar ao ponto inicial do nosso objetivo. No táxi pagamos 180$ os dois. De Van pagaríamos 150$ por pessoa para ir até lá e outros 150$ por pessoa para voltar. Na volta usávamos as vans, que percorrem o parque todo, tendo paradas em todos os locais. A entrada do parque (se não gosta de acordar cedo) para quem é de países do Mercosul é mais barato: 100$. O normla são 170$. 3. Local melhor para câmbio: Hotel Atlantida - é no centro, não me lembro o endereço, mas perguntando acha, é bem fácil. 4. Cerro Martial: são uns 7 km do centro. Poderiam subir à pé, mas acho que seria gasto de energia desnecessário, já que lá em cima vai precisar de toda tua energia para subir. Para descer é tranquilo se quiser, pode ser a pé até o centro. É um passeio e tem muitos visuais legais. Mas há táxi o tempo todo. Os táxis que sobem, ficam por lá esperando quem desce. Tranquilo. 5. Roupas: levem roupas para muito frio mesmo . Fomos no verão fueguino. Teve apena um dia quente de 17º a máxima (tava quente mesmo). Porém os demais dias em torno de 12º a máxima e 2º a mínima, porém a sensação térmica é mais baixa do que isso, porque venta muito e congela bem os nossos narizes, que é o único que fica de fora .... kkkkkk. No dia que nevou, a previsão estava em 5º a máxima e -2º a mínima e a sensação .... bem, nem sei .... Como o clima lá muda o tempo todo e faz sol, nuvens e chove no mesmo dia, vc tem que estar preparado pra tudo. Não leve guarda-chuva, não será necessário porque o vento não permite que vc os use. Leve roupas impermeáveis e botas impermeáveis mesmo. É caro, mas é um ótimo investimento. Se levar roupas quentes comuns, não farão alguns passeios e muito menos andarão na neve se der a sorte dela cair durante a tua visita. Vimos algumas pessoas desistirem de passeio (principalmente no Martial) por causa do frio de lá por não estar com a roupa apropriada. Um amigo foi no inverno e não viu a neve cair ... tivemos muita sorte e a mãe natureza nos presenteou. 6. Onde comer: comer 2 B´s: bom e barato. Só não digo bonito (apesar que o local é de muito bom gosto), porque não é para comer lá e sim levar como quentinha. Fica próximo à casa da Mônica onde nos hospedamos. Sem noção a quantidade. Vc paga para uma poção e comem dois de não aguentar. Se pedir por exemplo: milanesas (vem 3 bifes enoooormes) com um monte de (batatas fritas, purês ou maionese). Há muitas outras opções (frango -pollho - recheado, carne recheada, etc). Passo o endereço, garanto que farão uma economia absurda e comerão extremamente bem (quem fala aqui é alguém que come muito e gosta de sentir sabor na comida): Lo de Quique, Magallanes 2310, tel: 424200 (pode pedir por telefone também, mas recomendo ir lá, o pessoal é super gente fina) Agora vamos aos nossos últimos dias: choveu muito e não fizemos o terceiro dia do Parque, porém nevou nas montanhas e assim que parou a chuva corremos para o Cerro Martial que estava completamente branco. Para nós que nunca vimos tanta neve assim, ficamos maravilhados. Flocos de neve caindo. Subimos tudo novamente, mas desta vez com outro tipo de natureza à vista: a neve. Ao voltar, vale tomar um chocolate quente, café com conhaque e bolos dos mais variados, na casa de chocolate que tem na base do Cerro Martial. É um lugar acolhedor, encantador e gostosooooooo. Dia sensacional. No dia de irmos ao aeroporto, vimos um dia clássico do Ushuaia: nevou na cidade com direito a casas com telhas bem brancas, muita neve caindo. O avião subiu com suas janelas brancas de tanta neve que caiu. Acho que e isso. Quem quiser ver fotos me solicita amizade no facebook (Gleydy Fioranelli), enviando uma mensagem que é através dos Mochileiros ou por e-mail: [email protected] PS: os valores que informei variam constantemente, portanto para daqui a alguns dias já podem não corresponder à realidade, ok? é só para terem uma visão de valores. Vale ir ao Fim do mundo galera, só não acho legal ir até lá pra ficar 2 dias ou 3 ... tem muitas coisas a se ver e vc depende muito do tempo, podendo ter dia que não fará nada. Claro que isso dependerá do tempo disponível e do roteiros que pretende fazer. Eu faço uma coisa de cada vez, para poder dizer que conheci um pouco do lugar. Beijão a todos e BOA VIAGEM, seja ela qual for, sempre valerá! Gleydy
  11. 1 ponto
    Olá amigos viageiros! Aqui vai o relato de minha visita à Chernobyl! Mais detalhes lá no: www.profissaoviageiro.com Para me seguir lá no Insta… Instagram: @profissaoviageiro Só um aviso, se apagar a luz você vai perceber que esse relato brilha no escuro!!! Visitar Chernobyl foi algo sensacional! Um passeio único com muitas experiências diferentes e histórias da União Soviética que são incríveis! O que me levou a visitar um lugar desse? Aquilo é uma amostra do que aconteceria com a Terra se do dia para a noite os humanos simplesmente fossem embora daqui. A natureza voltaria a tomar conta do que é dela, engolindo a bagunça que deixamos para trás. Impressionante ver um lugar daqueles e ouvir tantas e tantas histórias do que rolou naquele lugar. Essa visita foi feita em 23/11/2017 Esse tour só é permitido com uma agência de turismo regulamentada. Existem algumas que oferecem o passeio. Não tem tanta diferença de uma para outra e a maioria delas oferece a opção também de passar a noite dentro da zona de exclusão. Bom, vamos lá… Para quem não sabe, em 26 de Abril de 1986 o reator 4 da Usina Nuclear de Chernobyl explodiu e causou o pior acidente nuclear do mundo até hoje. O governo soviético tentou esconder o ocorrido até que outros países da Europa, como a Suécia (beeeem longe de lá), por exemplo, perceberam que algo estava bem errado. Só aí eles admitiram o acidente. Tinha muita coisa acontecendo completamente fora do controle deles. Após alguns dias eles evacuaram as cidades vizinhas à usina e posteriormente criaram 2 áreas de exclusão. Em um raio de 30km da usina inicia a primeira área de exclusão. A segunda a 10km da usina, com uma contaminação bem pior. São tantas histórias insanas que escutamos lá que nem sei se consigo reproduzir todas aqui… Mas o negócio foi bem tenso. A usina ficava a menos de 3km da cidade de Pripyat, uma cidade modelo que a União Soviética usava como exemplo de como o patético regime socialista “funcionava muito bem”. O Governo sempre levava delegações de outros países para se hospedarem lá, tentando impressionar com a estrutura da cidade. Morar em Pripyat era muito bom mesmo. Segundo a nossa guia, lá surgiu o primeiro supermercado da União Soviética inteira e era o único lugar que o governo sempre abastecia para não deixar faltar alimentos e outros itens. Inclusive isso estava causando algum desconforto para os moradores de Pripyat, pois pessoas de outras cidades da União Soviética viajavam centenas de quilômetros para fazer compras lá, o que gerava filas intermináveis nesse mercado que se alongavam pelo meio da cidade! Como em todo bom regime socialista/comunista as pessoas não tinham nada em suas cidades e preferiam isso a passar fome ou necessidade de itens básicos. O governo demorou mais de 24 horas para iniciar a evacuação de Pripyat, e só fez isso quando a radiação já estava em níveis absurdos. O governo preferiu não falar a verdade para a população. Os moradores foram informados que a evacuação era temporária e por isso alguns não levaram muito mais do que a roupa do corpo… Nunca mais voltaram para casa. Por isso que ainda se vê muitos itens pessoais nas casas do jeito que foram deixados a mais de 30 anos atrás. As histórias do que se refere ao controle do acidente, como conter as chamas do reator e isolar a radiação, são bizarras. As pessoas ainda não entendiam muito bem os efeitos da radiação. Esse trabalho foi feito por voluntários e membros do exército (que não tinham muita escolha). Impossível imaginar que algum deles saiu sem sequelas desse trabalho. As pessoas responsáveis por esse trabalho receberam o nome de Liquidadores. Diziam que a radiação era tão forte que até a cor dos olhos mudava nos trabalhadores que ficavam dentro da usina depois de algumas horas de trabalho. Máquinas chegavam a quebrar devido a exposição da radiação. Foi algo absurdo! Bom, vamos à visita… O Tour começa em Kiev logo cedo. Pegamos uma van e vamos em direção norte. O primeiro check point é para entrada na zona de exclusão do raio de 30 Km. Temos que parar, descer e sermos identificados pelos membros do exército que ficam lá. Dentro dessa parte da zona de exclusão a radiação ainda não muda muito no ar. O principal problema está no solo. Durante todo o tour não podemos apoiar nossas coisas no chão, encostar em plantas ou qualquer outra coisa. Vamos então parando em alguns vilarejos no caminho para ver o que sobrou deles. Basicamente todas as casas que eram feitas de madeira foram demolidas e enterradas. Não é possível descontaminar madeira, então o jeito foi demolir e enterrar. As de alvenaria ainda estão de pé. Existem alguns cachorros soltos dentro da zona de exclusão que são alimentados basicamente pelos turistas e trabalhadores de lá. Também existem muitos outros animais soltos, inclusive se não me engano lá é um dos poucos lugares do mundo que existem cavalos selvagens. Eu não vi nada além de cachorros e pássaros. Aqui as tábuas de madeira foram arrancadas. Aparentemente até boas tábuas de madeira não era fácil de conseguir, então elas podem ter sido tiradas para serem reutilizadas em outro lugar. Outra explicação é que as pessoas na época não colocavam seu dinheiro no banco, pois o justíssimo sistema socialista poderia confisca-lo sem grandes explicações. Então as pessoas escondiam o seu dinheiro em baixo do piso de suas casas. Como durante a evacuação muitos saíram correndo e nem levaram seus pertences, algumas pessoas voltaram paras as casas abandonadas e tentavam achar dinheiro em baixo dos pisos para roubá-lo. Paramos em umas 2 ou 3 vilas antes de chegar na cidade de Chernobyl. Lá até que está conservada, porque as pessoas que trabalham dentro da zona de exclusão usam Chernobyl como base, além do hotel que se pode passar a noite também ficar lá. Então é um visual um pouco diferente do que se vê no resto do passeio. Chernobyl até que está “arrumadinha”. A foto está péssima, mas esse é um monumento onde cada uma das vilas dentro da zona de exclusão está representada por esses círculos. Na verdade o resto do monumento está atrás de mim. Aqui estão os nomes de todos os moradores de Chernobyl que tiveram que deixar a cidade durante a evacuação. Nosso almoço foi servido aqui, no refeitório de uma “pousada”. Não se pode comer nada ao ar livre aqui. Toda a comida que é servida tem que vir de fora da zona de exclusão. Só por garantia deixei meu medidor de radiação (Contador Geiger) ligado do lado das coisas que estava comendo! Depois do almoço fomos tirar umas fotos com os uniformes e equipamentos do pessoal da nossa agência. No meu tour também estava incluído dirigir o carro deles, um Lada top de linha que um Ucraniano que estava no passeio contou que um modelo daquele na época da União Soviética tinha fila de espera de até 20 anos!!! Viva o socialismo!!!! Bom, pisaram na bola e não teve o rolê no Lada. No final do tour eu reclamei formalmente sobre isso. Mas pelo menos tirei umas fotos no carro! Bom, depois disso que começa a parte mais tensa do passeio. Entrando dentro da zona de exclusão do raio de 10Km. Mais um lugar que temos que sair do veículo e o pessoal do exército de novo confere um por um. Desse ponto para frente a radiação no ar já aumenta, e sobe muito em determinados lugares. Muito mesmo! Vamos em direção a Pripyat, fazendo algumas paradas no caminho. Esse é um lugar bem famoso, onde sempre vemos fotos sobre Chernobyl. Aqui era uma escola primária. É um dos lugares mais tristes de se visitar. Depois paramos em um lugar já pertinho de Pripyat onde conseguimos ver os reatores da usina que estavam em funcionamento e também do outro lado os 2 outros reatores que estavam sendo construídos. Essa imensa estrutura metálica é o sarcófago novinho em folha que serve para conter a radiação do reator 4. Ele foi construído para substituir o primeiro sarcófago que havia sido construído para durar 30 anos. Esse novo sarcófago foi criado para durar 100 anos e o que eles esperam é que até lá já se tenha descoberto novas formas de conter essa radiação de uma forma mais eficaz e definitiva. Com o conhecimento e tecnologia de hoje, acho que isso era o melhor que dava para fazer! Aqui dá para ver as chaminés dos outros reatores… O 1 e o 2, da direita para a esquerda, são essas chaminezinhas lado a lado com uma chaminé grande entre eles. O 3 está dentro dessa casinha e o 4 dentro do sarcófago. Aqui as obras nunca terminadas dos reatores 5 e 6. Chegamos então na entrada de Pripyat! A cidade foi inaugurada em 1970 e evacuada em 1986. Tinha aproximadamente 48.000 habitantes na época. Quando entramos na cidade é algo realmente muito louco. A guia ia mostrando as fotos de como era a cidade e nós vamos vendo como está agora… É impressionante! Esse que é o primeiro supermercado da União Soviética! Vamos entrando em diversos prédios com muito cuidado para não cair em um buraco ou o piso ceder com a gente em cima. Aqui material político dos soviéticos!!!! Imagina entrar em um lugar desses de noite!!!!!!! Esse era o ginásio de esportes da cidade! Fomos então para o famoso parque de diversões. Essa é a roda gigante que nunca foi utilizada. Sua inauguração estava marcada para alguns dias após o acidente nuclear. Hoje ela é um dos grandes símbolos de Pripyat e ninguém nunca deu uma volta nela! Essa aqui é a avenida principal da cidade… Assistimos um vídeo dentro da van de como era isso aqui antes… Não dá para acreditar que estamos no mesmo lugar! Aqui era um outro complexo esportivo. Depois disso fomos para o ponto mais próximo do reator. Ficamos a 300 metros de distância da usina que causou o maior acidente nuclear da história!!!!!! Isso é muito louco!!!! Quando saímos de lá passamos pela área mais contaminada por radiação do planeta terra: A Red Forest. Eu realmente não queria que nossa van quebrasse alí! Quando estamos chegando perto, a nossa guia sem falar nada só liga o medidor de radiação dela e fica mostrando para nós. Meio que sem entender muito todo mundo deixa o próprio medidor ligado… De repente ela começa a fazer a leitura e todos os alarmes dos nossos medidores começam a apitar… E ela vai lendo… Dois ponto três… Cinco……. Doze……… Quatorze………. Dezessete…….. Dezoito……… Vinte e dois……….. E o negócio não parava de subir… Isso tudo no meio daqueles alarmes tocando sem parar. Foi insano! Só como referência, uma radiação considerada “normal” é de 0,1 nessa unidade que nossos aparelhos mediam. Mas foi tudo muito rápido. De repente já tínhamos passado a Floresta Vermelha e tudo voltou ao normal! Pena que ela não avisou antes e preferiu fazer o mistério, se não teria filmado isso! Sério, foi bem louco! Mas foi bacana também o suspense!!!!! Isso porque estávamos dentro da van. O veículo protege muito da radiação. As diferenças que eu media de dentro para fora da van eram imensas nos lugares que descíamos. Mesmo dentro das casas o nível de radiação já caía bastante. Eu fico imaginando a radiação desse lugar, mesmo mais de 30 anos depois do acidente….. De lá partimos para a última grande parada do tour… Uma antena! Mas não era qualquer antena… Era a DUGA, ou DUGA 3! Essa anteninha foi construída com propósitos militares em um esquema ultra secreto do governo soviético. O local nem endereço tinha e na estrada que levava até o local da antena eles tentaram dar a impressão que se tratava de um local de acampamento estudantil. É como se aqueles filmes de espionagem começassem a ganhar vida! Para eles aquela história toda era muito real… Realmente se alguém descobrisse aquilo, ia ser difícil de convencer que era só uma anteninha tentando captar uma rádio de sertanejo universitário aqui no Brasil, por exemplo!!!! Olha o ponto de ônibus perto de lá com um ursinho desenhado! A entrada era só esse portão, para não chamar muito a atenção. Essa antena também ficou conhecida como o pica-pau russo, pois causava interferência de rádio em ondas curtas com um som parecido de um pica-pau por todo o hemisfério norte! Algumas teorias de conspiração achavam que eram os russos tentando entrar na mente das pessoas!!! Na verdade ela servia (ou deveria servir) para identificar lançamentos de mísseis de países inimigos a uma longa distancia, dando tempo de se prepararem para sua defesa. Aparentemente ela não funcionava muito bem, dando alarmes falsos, por exemplo, o que não deixou o pessoal de lá nada satisfeito, uma vez que o custo para construir aquilo foi algo estratosférico! Eu é que não queria ser o responsável pelo projeto em uma hora dessas !!!!! No final das contas o que eles deixaram foi uma estrutura bem bonita e imponente, ainda mais em um dia ensolarado de outono!!! Essa placa de radiação é só enfeite… O local não possui contaminação especialmente significativa! Aqui a nossa guia e o atual guardião da antena! Mesmo sendo Outono estava muito frio e já nevava bastante por lá. Após as instalações ultra secretas do governo soviético, foram só mais duas paradas rápidas…. Uma para ver algumas máquinas utilizadas no trabalho de isolamento do reator na época da explosão: E um monumento em homenagem aos liquidadores e bombeiros que foram responsáveis por todo o trabalho de combater o incêndio e conter a propagação da radiação: Depois disso só paramos nos check points para medição de radiação em nosso corpo e roupas… Eram máquinas muito velhas! Espero que estivessem funcionando bem e não deixaram eu voltar para casa com um tênis cheio de radiação! E foi isso! Foi assim meu dia em Chernobyl. Um dia cheio de experiências, histórias e aprendizado! Valeu demais o passeio!!!!!! Nota 10!!! Se alguém tiver alguma dúvida ou quiser alguma dica, é só falar! Abraço!!!!! Felipe www.profissaoviageiro.com Instagram: @profissaoviageiro Enjoy Chernobyl… … Die Later!
  12. 1 ponto
    EXPERIÊNCIA EM JERICOACOARA Vou fazer aqui um resumão da viagem😉. Começando pelo transfer. Existem duas formas de chegar até Jeri, uma é saindo de Fortaleza e a outra é saindo de Cruz, uma cidade que fica bem mais próxima de Jeri. Saindo de Fortaleza o translado dura em torno de 6 horas, são 5 horas de Fortaleza até Jijoca e mais uma hora de Jijoca até a Vila de Jeri. Saindo de Cruz o translado até a Vila de Jeri dura em torno de uma hora e meia. Só lembrando que Jericoacoara não tem aeroporto, é em Cruz o aeroporto mais próximo de Jeri. Chegando em Jijoca é cobrada uma taxa de turismo, o valor é de 5 reais por cada dia que você vai ficar na cidade. Bom, tem 3 opções de Passeios em Jeri, são os seguintes: Passeio do Lado Leste, Passeio do Lado Oeste e o Passeio de Barrinha. Esses passeios são feitos de buggy ou de Jardineira(Hilux). O Passeio do Lado Oeste inclui: Mangue Seco, Cavalo Marinho, Tirolesa, Tobogã e Lagoa da Tatajuba. O passeio do Lado Leste inclui: Pedra Furada, Árvore da Preguiça, Praia do Preá, Lagoa Azul e Lagoa do Paraíso. Vou agora um falar um pouco de cada um dos passeio👇👇👇. O Mangue Seco tem um cenário incrível, bem diferente, você não encontra um cenário como esse em nenhum outro lugar, dá pra colocar a criatividade pra funcionar e tirar várias fotos perfeitas📸. Pena que a parada é rápida de apenas 20 minutos, por isso tem que correr pra poder aproveitar bem. O passeio do cavalo marinho optamos por não fazer, pra fazer o passeio você tem que pagar R$ 15, além disso não é certeza encontrar os cavalos marinhos, tem a possibilidade de fazer o percurso sem encontrar nada. Pra quem gosta de aventura tem a tirolesa e o tobogã, os dois fazem parte do passeio do Lado Oeste. Pra você participar dessa brincadeira tem que pagar R$ 15. Pagando esse valor você tem direito a descer duas vezes na tirolesa ou duas descidas no tobogã. A última parada do passeio do Lado Oeste é na Lagoa da Tatajuba, lá você pode tirar aquela tradicional foto na rede📸. Além disso, em Tatajuba também tem passeio de canoa e de standup, quem optar por fazer esses passeios tem que pagar R$ 30 por 30 minutos. Na Tatajuba é o ponto de parada para o almoço. Sinceramente, não gostamos da comida, além de muito cara não tem qualidade nenhuma. O peixe mais barato lá é R$ 120, tem porções minúsculas de camarão ou de lagostas por R$ 100, tudo um absurdo. A dica é levar alguma coisa pra comer por lá e deixar pra almoçar quando voltar para Vila, é bem melhor. A Pedra Furada é o cartão postal de Jeri, o passeio até a Pedra pode ser feito de duas formas, uma delas é caminhando da Vila até o local que fica a Pedra, normalmente essa caminhada está inclusa no transfer das agências de turismo. A outra forma de ir até a Pedra Furada é no passeio do Lado Leste, onde o bugueiro deixa você em um ponto mais próximo da Pedra, o restante do trajeto tem que fazer caminhando, são mais ou menos uns 20 minutos de caminhada pra ir e mais 20 pra voltar, todo esse trajeto é feito pela praia. No trajeto da Pedra Furada que sai caminhando da Vila, o percurso é bem mais longo, são mais ou menos uns 40 minutos pra ir e mais 40 pra voltar. A caminha até a Pedra Furada é bem longa e cansativa, por isso é bom ir preparado e bem hidratado. Lá na Pedra você vai poder usar a criatividade para tirar fotos nas mais diversas poses📸, dá pra fazer muitas fotos legais. Na Árvore da Preguiça é feita uma paradinha rápida para poder tirar fotos. A árvore fica no meio do nada, é bem interessante. Dá pra tirar muitas fotos bacanas também📸. Outro ponto do passeio é a praia do Preá, nessa praia também a parada é rápida, apenas para algumas fotos📸. O Preá tem uma estrutura muito boa de restaurantes, por isso optamos por almoçar lá, pois os preços são bem mais em conta que na Lagoa do Paraíso. No período que fomos (no final de maio agora), as lagoas estavam muito cheias, devido as fortes chuvas do primeiro semestre, por isso não deu pra aproveitar muito, principalmente a Lagoa Azul, pois a água estava muito turva, não estava legal nem pra tomar banho e nem pra tirar fotos. Na Lagoa do Paraíso fomos no Alchymist. O Alchymist é o local mais badalado e mais procurado de Jeri, as pessoas costumam ir lá pra tirar aquela foto que vai arrasar no insta📸. A barraca tem uma estrutura extraordinária, coisa de outro mundo, é tudo muito lindo lá, parece coisa de cinema. Pena que dessa vez a Lagoa estava muito cheia, por causa das fortes chuvas que aconteceram no primeiro semestre, isso acabou comprometendo um pouco a beleza do lugar. Mas a vibe da Alchymist é surreal, é um ambiente muito agradável, com um dj tocando músicas bem animadas. A barraca fica na Lagoa do Paraíso, além dessa barraca tem várias outras opções, por isso, se você não quiser ir na Alchymist, é só pedir ao bugueiro para lhe levar em outra barraca. Os preços da barraca são bem elevados, por isso vá com seu bolso preparado💸💸💸. A Lagoa do Amâncio é um dos pontos em Jeri onde você pode encontrar água bemmmmm cristalina. Por incrível que pareça, essa Lagoa é formada por água das chuvas, e com o passar do tempo, conforme o período de chuvas vai passando a Lagoa vai sumindo. Atualmente a Lagoa do Amâncio é um dos poucos locais onde você pode encontrar água cristalina. Devido às chuvas intensas do primeiro semestre, as demais Lagoas estão muito cheias e com a água turva, por isso, na hora do passeio vale a pena priorizar e reservar mais tempo para Lagoa do Amâncio. Nós fomos na Lagoa do Amâncio quando fizemos o passeio do Lado Leste. Essa Lagoa não está inclusa no passeio do Lado Leste, mas pedimos o bugueiro para nos levar até lá, pois é caminho dos demais passeios. O guia gentilmente nos levou sem cobrar nenhum custo adicional. Tomem cuidado pois alguns bugueiros querem cobrar para fazer apenas o passeio da Lagoa do Amâncio. Em Jeri também a duna do pôr do sol, que é onde as pessoas se reúnem no final da tarde para apreciar um belo pôr do sol. Como tudo que é bom dura pouco😁😁😁, é bom chegar cedo na duna, por volta das 17 horas, pois o sol se põe muito rápido. Você não vai querer perder uma belezura dessas né?! Apesar da duna ficar lotada, não se preocupe, tem espaço pra todo mundo tirar aquela fotinha especia 📸. Esse é um cenário que vale a pena apreciar todos os dias que você estiver por lá, cada dia é um espetáculo diferente da natureza😉 Um ponto de destaque de Jeri é a segurança, você pode andar a qualquer hora do dia ou da noite, é tudo muito seguro por lá. A Vila é bem pequena, os hotéis e pousadas que ficam dentro da Vila são todos bem localizados, não precisa se preocupar. A gastronomia de Jeri também é maravilhosa, tem opções para todos os gostos e bolsos, desde os tradicionais frutos do mar até massas, pizzas e tudo mais que você imaginar. Os restaurantes que mais gostamos foram o Na Casa Dela e o Dona Amélia, nos dois a experiência foi incrível. Resumindo, Jeri é uma cidade incrível, tem uma energia muito boa, vale muita a pena conhecer😍😍😍. Quem tiver alguma dúvida é só deixar aqui nos comentários.😉 No meu instagram tem dicas, fotos, vídeos e os preços dos principais passeios e restaurantes de Jeri. Quem quiser pode conferir minha viagem completa lá: www.instagram.com/turistainiciante
  13. 1 ponto
    Além das pousadas, campings e esportes radicais que também vos "rezenharei" neste post, o que Brotas tem mais a oferecer? O famoso Lado B que tanto amo explanar em minhas "rezenhas" está aqui, passeamos pelo Parque dos Saltos (um lindo lugar, todo verde com cachoeiras e uma natureza exuberante, e sabe o que é o melhor? Tudo gratuito!!!), pelo centro de Brotas com escala na Casa da Cachaça (não se engane pelo nome, lá tem de tudo o que você ama ou poderá amar!) e um merecido descanso, unido de uma supimpa diversão no Hotel Fazenda Areia que Canta, com direito a conhecer as tais areias, praticar tirolesa, comer uma abençoada e estupenda refeição e apreciar o que Deus nos concedeu de melhor, a natureza!
  14. 1 ponto
    Olá Pessoal tudo bem? O post de hoje será pra falar dessa maravilha localizada no interior de São Paulo. Brotas. Brotas é um município brasileiro localizado no interior do Estado de São Paulo. É o 28º maior município paulista em extensão territorial e 1.312º do Brasil com 1.101,468 km². (wikipedia). Além de tudo, com seus aproximados 30.000 mil habitantes Brotas é uma linda cidade, com casarões e arquitetura colonial (lindo). Antes de partirmos já havíamos fechado um pacote super em conta com a empresa Ecoação da qual eu super recomendo!! (Os caras são feras, e muito atenciosos) vou deixar o link da empresa aqui para quem quiser conferir! Como iriamos ficar só 4 dias para aproveitar o feriado prolongado de outubro, o nosso pacote constava de Rafting, Canyoning, e day use no parque Aventurah. Além de 3 noites na Pousada do Sol, lugar muito limpo e organizado, staffs atenciosos e prestativos além de um maravilhoso café da manhã! (Gulosos). O link da pousada vocês encontram aqui! Tudo em 5x de 137,00 reais. (Pra ninguém reclamar não é?) Além disso visitamos por conta o Ecoparque Cassorova e o Hotel Fazenda Areia que Canta onde detalharei mais pra frente. A alimentação em Brotas não é das mais caras, sendo que num almoço self service pagamos 35,00 reais para comer à vontade. (Em conta se levar em consideração que é uma cidade turística). A noite você encontra várias pizzarias com preços que variam de 30,00 a 70,00 reais além de esfirrarias, espetos e restaurantes. Nosso primeiro dia foi uma quinta feira, fomos a pousada deixamos nossas coisas e seguimos para a Ecoação para pegar nossos vouchers das atividades que estavam programadas para os próximos 2 dias. Após pegarmos algumas informações na agência seguimos para o Ecoparque Cassorova. Esse parque contém além de restaurante, lanchonete, piscina, possui duas belíssimas cachoeiras. Fica a aproximadamente 30 km do centro da cidade e o day use para acesso ao parque foi no valor de 60,00 reais. A cachoeira Cassorova com uma queda de 60 metros de altura e uma deliciosa piscina natural considerada umas das 8 cachoeiras mais bonitas do Brasil, e a cachoeira dos Quatis ao final de uma trilha de 30 minutos no meio da mata preservada com uma queda livre de 46 metros. Passamos a tarde toda no Ecoparque e saímos de lá bem cansados após as trilhas. Vale muito a pena! Voltamos a pousada para nos arrumar e sair para comer, mas não demoramos a voltar pois o outro dia seria de pura adrenalina. No outro dia. chegamos as 7:20 da manhã na agencia para receber as instruções do rafting, explicando como deveríamos sentar, nos portar e utilizar o remo. Equipe muito boa e competente. Logo após as fotos, saímos em 2 ônibus em direção ao rio Jacaré-Pepira e em cerca de 30 minutos aproximadamente já estávamos na beira do rio fazendo um alongamento enquanto os guias ajeitavam os botes. Após isso foram aproximadamente 1:30 de pura adrenalina e diversão. Ao final ainda recebemos água, suco e uma deliciosa pinga com mel. A parte da tarde ficou reservada para utilizarmos o day use do parque Aventurah, com direito a tirolesa, é um parque ótimo para quem vai com crianças. Vou deixar o link aquipara os curiosos! O terceiro dia foi destinado ao Canyoning, ou Cachoeirismo, que é a descida de rapel na cachoeira, (e confesso que foi a coisa mais foda que já fiz!!). Localizado no Sitio Cachoeira 3 Quedas localizado à 23 km do centro, pudemos descer as duas maiores cachoeiras do local com direito a muito medo, superação, adrenalina e um mergulho no final. Foi simplesmente sensacional. Primeiramente fomos encaminhados a uma estrutura de madeira de aproximadamente 3 metros para fazer o treinamento e receber as orientações o que foi muito importante para aprendermos como iriamos fazer a descida. Logo após fomos para a primeira cachoeira, a Cachoeira das Andorinhas com uma descida de 22 metros e em seguida para a Cachoeira da Figueira com uma descida de 47 metros debaixo da queda d’água (espetacular!). Tudo durou aproximadamente 3 horas e almoçamos maravilhosamente bem por lá mesmo. Com pratos comerciais a partir de 30,00 reais. A parte da tarde ficou por conta do Museu do Calhambeque e do Parque dos Saltos um parque lindo bem no meio da cidade totalmente de graça onde tem várias quedas d’agua e os locais e turistas podem se banhar, mergulhar ou receber uma hidromassagem natural. Vale a Pena! No último dia tomamos aquele café da manhã maravilhoso da pousada fizemos o checkout e fomos direto para o Hotel Fazenda Areia que Canta (detalhe aqui é fazer a reserva antecipada!) Em aproximadamente 3 horas de passeio pudemos conhecer uma grande parte da fazenda além da nascente totalmente preservada da Areia que Canta onde é possível fazer flutuação e fazer literalmente a areia cantar! Logo após somos encaminhados a uma trilha que nos leva a uma pequena praia natural e mais duas quedas d’agua belíssimas dentro do próprio local. O valor para acesso à fazenda foi de 90,00 reais no domingo. Mas durante a semana esse valor é bem menor, entretanto vale muito a pena conferir esse belíssimo lugar! Hora de voltar pra casa mas com aquele sentimento de dever cumprido. Foram 4 dias intensos e muito proveitosos, esperando a próxima oportunidade de voltar a Brotas novamente. É isso aí galera, qualquer dúvida é só deixar aí nos comentários que respondo!! Não deixe de dar uma curtida lá no blog https://aos30resolvimudar.wordpress.com/blog/ Até a próxima! =P
  15. 1 ponto
    Sem terra não. Piratas do Caribe !
  16. 1 ponto
    Boa noite Mochileiros. No dia 06 de dezembro deste ano, fiz um poste em Companhia para Viajar - "Trilha/acampamento (15 e 16/12) - Canyon Itaimbezinho - RS/SC", e acabei fazendo duas trilhas e acampei, e vou contar um pouco da experiência, e tentar incentivar todos a fazerem, pois vale muito a pena. - Primeiramente, assim como todos fazem um planejamento do passeio, fiz o meu. Utilizei vários sites, conversei com bastante gente a respeito da cidade e sobre tudo o que ela poderia proporcionar. Fiz um mapa, e fui marcando tudo que tinha na cidade (Supermercados, farmácias, lanchonetes, pizzaria, barzinhos kk e entre outros), e garanto que foi um grande auxílio pra se virar na cidade. Na busca fiquei um pouco preocupado, pois a internet me mostrava uma cidadezinha muito pequena e distante de tudo, não que fosse fazer diferença, mas sair de longe pra fazer apenas uma trilha as vezes desanima. - Fiz orçamentos referente as trilhas e passeios possíveis de se fazer, com uma empresa XX: > Trilha do Rio do Boi: R$ 160,00/pessoa. > Trilha Malacara: R$ 70,00/pessoa. > Passeio de Balão: R$ 500,00/pessoa. - Durante uma conversa com a empresa XX, questionei sobre Camping, e me indicaram o Camping Malacara. Entrei em contato e me surpreendi com os valores passados: > Trilha do Rio do Boi: R$ 75,00/pessoa (se tivesse 4 pessoas), R$ 90,00/pessoa (se tivesse até 3 pessoas), e R$ 70,00/pessoa (se fosse um grupo acima de 5). > Trilha Malacara: R$ 40,00/pessoa. > Camping Malacara (diária): R$ 20,00/pessoa. Falando um pouco sobre a cidade - Praia Grande/SC: > Do Portal de Turismo de Praia Grande: Reconhecida como a "Capital Catarinense dos Canyons", localiza-se na divisa entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul, à 280 km de Florianópolis. A cidade foi povoada a partir de 1917, por descendentes de açorianos, portugueses e italianos. O nome Praia Grande é derivado dos grandes despraiados do Rio Mampituba, formado por seixos rolados. > Achei que a internet mostra uma cidade diferente do que realmente ela é, no sentido de estrutura das casas. A cidade é pequena SIM, porém percebi que as pessoas são muito receptivas e educadas, da para ver nos olhos delas, o amor e orgulho que as tem em morar ali. A cidade é bem cuidada e limpa. E no centro da cidade tem uma igrejinha muito bonita. - Camping Malacara: fica localizado aos pés dos Canyons malacara. Possui uma guia credenciada. O camping é bem pequeno, condiz com as pesquisas, possui uma cozinha pequena com uma geladeira e um fogão. Tem uma vista maravilhosa dos Canyons, possui uma piscina natural logo atrás do camping (foto abaixo). - Trilha do Rio do Boi: Saímos do camping por volta das 09 hrs, e encontramos nossa guia num posto de gasolina, seguimos com o carro dela (pagamos R$ 40,00 - dividido para os três), e foi mais um casal de gaúchos em outro carro. Fomos instruídos a respeito de tudo que poderia acontecer, sobre a história dos canyons itaimbezinho e ganhamos uma aula sobre a biodiversidade local. A trilha é bem difícil de se fazer, porém a natureza te recompensa, levamos umas 3 hrs até chegar no ponto. Passamos por algumas cachoeiras de tirar o folego, e algumas piscinas naturais. É Impossível descrever as sensações. Algumas fotos abaixo: - Trilha Malacara: o nome Malacara vem de uma espécie de cavalo que tinham uma macha branca em sua cara, que caracterizava uma raça selvagem, onde nos Canyons, se prestar bem a atenção possui uma mancha, e acreditasse que pelo formato, conseguimos ver um cavalo nas paredes do Canyon. A Trilha bem fácil de se fazer, leva aproximadamente 1 hra pra chegar ao final. Possui uma piscina natural maravilhosa. Algumas fotos abaixo: Fiquei encantado com toda a beleza natural e com a experiência que tive nessa pequena cidade. Acredito que consegui passar um pouco do que eu queria. OBRIGADO DEUS, OBRIGADO PRAIA GRANDE E OBRIGADO MINHA SANTA CATARINA. Precisando de mais detalhes, só chamar no whats: (48) 999660-9049.
  17. 1 ponto
    Recife - Fortaleza - Jericoacoara Saída de Recife: 02/11/2017 Chegada em Recife: 06/11/2017 Valor gastado com TUDO: R$2500,00 / 2 O meu relato vem desmentindo o que várias pessoas falam, que, não da para chegar em Jericoacoara (literalmente) de carro pequeno. O meu carro é um Gol 2016 1.0, então, daí você tira! Irei passar rapidamente pelo trajeto entre Recife-Fortaleza, pois a ideia é mostrar como chegar de carro pequeno até Jeri e algumas dicas de lá. Recife - Fortaleza Saímos de Recife às 03:00 da manhã do dia 02/11/2017 (quinta-feira). Viajamos por mais ou menos por 3 horas na BR-101 sentido Natal/João Pessoa sem ter medo de andar a noite pois a estrada é muito boa e só precisa ser cauteloso com o transito e não com os buracos [bem diferente das estradas Pernambuco, rsrs], só é necessário ter bons faróis e não estar com sono. Chega o momento que temos que escolher entre Natal (esquerda) ou João Pessoa (direita), claro, escolhemos Natal pois subimos em direção a Natal - Fortaleza. Na BR-101 ainda, andamos mais umas 3 horas até chegarmos a outra divisão, mais uma vez escolhemos a esquerda, mas agora pegamos a BR-304, que em vários momentos não é duplicada mas está em bom estado de conservação e não tem buracos, então, da pra ir tranquilo. Chegamos em fortaleza às 15:30, pois paramos para tomar café. Passamos a noite em Fortaleza na casa de parentes e seguimos viagem pela manhã do outro dia (03/11/2017). Fortaleza - Jericoacoara Saímos um pouco mais tarde dessa vez, pegamos a estrada às 6:30 da manhã e seguimos viagem para Jeri. A estrada que pegamos é a CE-085 uma rodovia estadual com cara de rodovia americana, muito bem construída e sinalizada. Obs.: Vale lembrar que o povo de Fortaleza é bem educado e sabe das regras de transito, então: ficar na faixa da direita e usar a da esquerda para ultrapassagens é regra, se descumprir vai levar xingamento e buzinada, fora claro, que isso está no código de transito brasileiro. Até um certo ponto a CE-085 é duplicada, após isso é mão dupla, mas continua sendo bem sinalizada e sem buracos. Ficamos nessa estrada até uma pequena cidade chamada: Acaraú, onde parece que estamos na Índia. Tudo super apertado e o transito louco! Lá, da para você parar e comprar algo, como: roupa de banho, cintos, comida, óculos (não é original) ou algo que tenha esquecido [tipo, eu, que comprei tudo isso aí]. TUDO É BARATO LÁ, ENTÃO... APROVEITEM! A cidadezinha é cortada pela CE-085 e pela BR-403, na realidade ela está na BR-403, o que não parece pois é um caos. Seguimos caminho pela BR-403 (estamos em Acaraú ainda) e pegamos a direita pra voltar para CE-085. Acho que dá no máximo uns 3km na BR-403, que é dentro da cidade, até pegarmos a CE-085 novamente. Obs2.: Todo esse trajeto da CE-085 até Jeri, da pra tirar várias fotos, pois a região é muito bela e normalmente não tem muitos veículos na estrada. Então quem ama registrar os momentos, sempre tem lugar para parar e eternizar aquilo. A partir de agora vá na calma, andando numa velocidade boa, pois essa parte da CE-085 não é igual as outras, ela é mais remota e um pouco "esquecida". A estrada ainda continua sem buracos mas com muitas ondulações no piche. Só que tem um problema! Em vários trechos antes de chegar a Jeri o piche da rodovia é cortado por paralelepípedo. Como assim?????? Vou explicar: você vem em uma velocidade de 80km/h e de repente um aparece um trecho de uns 500 metros de paralelepípedo, que a velocidade ideal é de 30km/h, então, todo cuidado é pouco. Acho que o risco de causar acidente não é tão grande, mas de de furar um pneu ou danificar a suspensão do carro é enorme! Depois de andar mais ou menos uns 40min~1h, você vê outdoors dizendo que "Jeri o paraíso é aqui", então você sabe que tá perto, UHUUUUUUUUUL! Não, você não está! Calma aí... Vai ter uma placa informando que a Jeri fica a direita e outra informando que Jijoca de Jericoacoara é mais a frente. Você tem que ir para Jijoca, já que lá você guarda o carro em um estacionamento que cobra 20 reais a diária e vai de pau de arara* até a vila de Jericoacoara, que cobra 35 por pessoa. *Pau de arara nada mais é do que uma Hilux, S10 ou qualquer 4x4 com vários bancos na traseira. Com certeza você sabe o que é! Só que tem um problema aí... Eu disse que dava pra ir de carro até Jeri. E por que fomos de pau de arara??? Vou explicar mais uma vez: Lembra que falei que tinha uma placa a direta indicando o caminho para Jeri?? Pois é, lá tem uns guias que lhe deixam na vila de Jeri. [aí sem tem meu valor!] Vamos falar do que eu tinha comentado no inicio do relato, que tínhamos feito o caminho todo de carro! Ao invés de ir para Jijoca pegamos a direta onde tinha a placa e logo na esquina fica os guias que me referi, ficam lá de boas embaixo de um pé de caju, cheio de caju! Eles cobram 50 reais por trecho**, independente de quantas pessoas estiver no carro, aliais, quanto mais pessoas melhor, porque isso faz com o que o carro não atole na areia fofa da praia. **trecho que me refiro é a ida ou a volta de Jeri. O guia vai de moto até Preá, uma praia antes de Jeri e lá ele para e pede para baixar a pressão dos pneus do carro, ISSO É MUITO IMPORTANTE, PARA O CARRO TER MAIS CONTATO COM A AREIA FOFA E NÃO ATOLAR. O guia que estávamos andava com um medidor de pressão. Ele diminuiu a pressão para 15psi na frente e 17psi atrás. Na volta tem alguns postos de gasolina em preá e você calibra novamente os pneus e tá tudo certo! A partir daí começa a coisa linda! Você está no seu carro, no ar condicionado andando pela areia fofa a 10km/h, 20km/h, ou até 80km/h se você quiser. O caminho pela praia até Jeri é todo demarcado como se fosse uma estrada de Rally. Existem várias madeiras que vão mostrando o caminho, então, não tem perigo de ficar atolado. Só se você for astucioso e ficar andando o tempo todo junto a água do mar. Lá tem uma faixa de areia enorme, muito grande mesmo. Dessa maneira não é tão grande o risco como dizem! O guia vai mostrando o caminho pois a cada temporada do ano a "estrada" vai mudando e isso pode dificultar a chegada até Jeri. Chega um momento na praia que tem que ir pegando a esquerda pois a direita vai para o caminho de Pedra Furada e não para Jeri. Depois de uns 15 minutos andando na areia você chega até Jeri (UHUUUUUUUL). Valores em Jeri Diária em Jeri: R$5 por pessoa/dia Estacionamento: R$20 por carro/dia Ao estacionar o carro a própria prefeitura tem pau de arara que deixa você e quem você na pousada em Jeri, já que lá tudo é a pé e os carros são proibidos de ficar dentro da vila. Existem 3 estacionamentos: Os dos moradores, os do visitantes úteis [trabalhadores e etc] e os turistas que é o que guardamos o carro. Passeio para o lado das lagoas: R$250 o dia todo. + R$50 (irei explicar) Esse passeio para as lagoas é bem interessante! Nesse passeio você vai pra Pedra Furada, Lagoa Azul e Lagoa do Paraíso, lá é onde tira as fotos na redinha. As duas lagoas são maravilhosas e principalmente a do Paraíso, pois parece que você está numa pra gigante de água doce. Muito bom! A lagoa do paraíso fica dentro de um Club e o Club oferece almoço aos guias que levam a gente. Dica super importante: O passeio das lagoas termina na lagoa do paraíso, só que se você combinar com o bugueiro antes de sair, ele leva você a outra praia mais distante, a praia de Barreirinhas, lá é ideal para almoçar! Lá tem dois lugares para almoçar e são bem distintos, um bar bem organizado e caro $$$ e um bar muito humilde e caro $ [hahahaha], a diferença é simples: A comida! Pegamos essa dica na noite anterior com uma pessoa lá na vila, ela disse que nesse bar mais humilde tinha uma lagosta maravilhosa e pouca gente sabe disso, todos que vão pra Barreirinhas prefere ir no outro bar que não chega aos pés do mais humilde. Além de ter uma comida melhor ainda oferece almoço para o bugueiro. Todos se ajudam e com total certeza você ficará deliciado com a lagosta de lá! Almoço: de R$15 ~ R$100 - Depende de você! Todos os pratos lá sempre são ou pra casal ou metade [individual]. A noite: R$30 ~ R$150+ A noite tente andar por todas as ruas e ver todos os pratos, pois tem comida de todos os gostos: Italiana, Francesa, Brasileira, Japonesa e etc. Só depende de você se quer comer bem e beber muito! Lá as bebidas não são baratas, as comidas são bem parecidas com os valores aqui de Pernambuco, já a bebida não! Conclusão Resumindo galera. Não gasta muito para ir e fizemos uma distância razoável para chegar lá. Se você quiser ir literalmente na mochila e for sozinho, Você gasta no MÁXIMO uns R$800 reais com tudo! Vale super a pena e iremos voltar com total certeza! Não vou postar fotos pois o bom é você ir e sentir! Também não alonguei muito as explicações pois tem várias outras aqui, e eu quis só mostrar o caminho e um pouco dos valores.
  18. 1 ponto
    Para ver o texto original e com fotos, clique aqui: http://www.theworldbyfon.blogspot.com.br/2014/05/egito-dicas-rapidas.html Bem, o Egito é um tema mais que conhecido pela maioria dos viajantes. Obviamente todos sabem onde ir e o que ver por lá: as Pirâmides de Gizá são destino obrigatório e outras cidades como Luxor e Alexandria também merecem uma atenção especial. Além de eu não ser um historiador, com capacidade intelectual e conhecimento suficientes para descrever o Egito, e pelo fato de eu achar que as informações que vou expor aqui também podem ser úteis, resolvi escrever de acordo com o meu ponto de vista de viajante. A ideia é chamar atenção, facilitar e avisar àqueles que se interessem por esse magnífico tesouro, para que a sua chegada nesse país seja menos impactante. Peço que não interpretem meu texto como uma crítica ou como uma visão pessimista, mas sim como uma mostra da realidade que o Egito vive hoje. Finalizo esta introdução, afirmando que mesmo com tudo isso que você está prestes a ler, ainda mantenho o Egito no meu Top 5 de viagens! 1. O comercio de rua é o que predomina no Egito, e portanto aconselho que faça trocas em espécie ao invés de usar cartões de crédito. Muitos lugares não aceitam cartão e ás vezes é complicado encontrar um caixa eletrônico. 2. Tudo no Egito é na base da gorjeta. A frase principal que vão te dizer é "se eu te deixo feliz, você me deixa feliz". Diferentemente de outros países, o motivo de uma gorjeta não é a boa qualidade de um serviço, mas sim o simples fato de ele ter sido executado. Então, prepare-se para isso! 3. Por algum motivo que não sei dizer, existe uma escacasses de moedas em circulação. A maioria dos taxistas e comerciantes alegam não ter troco. Portanto, recomendo que tente usar notas "grandes" sempre que puder, e assim prefira ficar com os bolsos cheios de moedas. 4. Certamente será um dos países mais quentes que você visitará, e você verá algumas torneiras nas ruas com água grátis. Não beba água de torneira! Quem me conhece, sabe que não sou fresco, e não tenho problemas deste tipo. Sem frescuras e sendo realista, a água em muitos lugares do país não recebe o tratamento adequado e pode arruinar parte da sua viagem. A água de garrafa é barata e pode ser comprada com facilidade praticamente em qualquer lugar! O risco não vale à pena! 5. Evite caminhar pelas ruas com a câmera fotográfica e outras coisas de turista, como mapas ou aquela camiseta "I LOVE EGYPT". Após a revolução de 2011, a quantidade de turistas reduziu drasticamente, e os que se aventuram por lá são muito assediados. Muitas pessoas vão se oferecer para te guiar pelas ruas da cidade, para te mostrar onde está uma parada de metrô ou uma mesquita famosa. Evite a todos! Negue! Existem relatos, em páginas e guias de viagem, como o Trip Advisor e Lonely Planet, de pessoas que foram levados por caminhos sinuosos e difíceis de memorizar, para que se confundissem e tivessem que pagar para que o "guia" os levasse de volta. 6. Se você viaja por conta própria, um guia de viagens (escrito) pode fazer toda a diferença no Egito. Cairo não é Paris ou Londres onde as paradas de metrô tem os nomes dos pontos turísticos! 7. A vestimenta, principalmente para as mulheres, deve ser de acordo com os costumes do Islã. Portando evite de usar shorts, mini saias e se possível tente cobrir os braços. Nas mesquitas, todos devemos retirar os sapatos e as mulheres devem cobrir o cabelo. 8. Ao meu ver, para mover-se dentro do Cairo a melhor forma é usar o metrô até a estação mais próxima de onde desejas ir, e depois usar um táxi até o ponto final. Infelizmente, existem muitas atrações que não estão perto do sistema metroviário. Isso te ajudará a poupar tempo e dinheiro, pois o trânsito no Cairo não flui tão bem. 9. O metrô possui vagões específicos para mulheres, mas se você estiver acompanhada de uma amigo, irmão, namorado aconselho que ambos entrem no vagão "misto" para que não se percam no caos do metrô do Cairo. 10. Em hipótese alguma faça fotos dentro do metrô; do exército nas ruas ou de mulheres. Aliás, se você não estiver em um ponto turístico evite fotografar ou fotografe discretamente. 11. A melhor forma de movimentar-se dentro do Egito é o cruzeiro do Nilo. É uma forma lenta, porém a mais confortável e quem sabe menos cansativa. Se não tiver tanto tempo, pode optar pela Egypt Air e voar entre as principais cidades, mas tenha em conta que os aeroportos normalmente não estão comunicados com as cidades, o que te obriga a usar um taxi para isso. Uma terceira opção podem ser os trens, que para trajetos curtos, como Cairo - Alexandria, podem ser a melhor opção. 12. Exceto o "Watania Sleeping Trains", os trens no Egito costuma ser super baratos, e recomendo que comprem assentos na primeira classe. Eu costumo viajar em segunda classe, mas quando vi a segunda e a terceira classe da companhia nacional de trens do Egito, dei gracas a Deus que havia comprado na primeira. São tensas, à ponto de não existirem vidros nas janelas e alguns vagões não serem iluminados. A diferença de preços será irrisória. 13. Dentro da maioria das atrações não é permitido fotografar, mas na maioria dos casos, se você fizer isso ninguém dirá nada enquanto você estiver dentro mas na saída... Gorjeta! 14. Nas pirâmides, à todo instante vão tentar te vender algo. Sejam camelos, papiros ou garrafas de água, nunca compre do primeiro e muito menos sem negar várias vezes antes. Até parece que "Não" é igual a "Me dá um desconto?"! 15. Em volta das pirâmides existem muitos malandros que se passam por fiscais e pedem para ver seus bilhetes. Nunca entregue seu bilhete nas mãos de alguém. Sempre mostre a validade, o selo, o carimbo, mas na sua mão! Estes caras costumam extorquir ou tentar vender seus serviços antes de devolver o bilhete. 16. Vá para o Egito com toda àquela imaginação que você sempre teve, desde as aulas de História no primário. Deixe-se surpreender com cada lugar, aprecie cada fim de tarde e aproveite cada instante que estiver lá! Não leve meu texto como uma má impressão, pois diante da grandeza do Egito, estas minhas recomendações aí em cima são apenas detalhes!
Líderes está configurado para São Paulo/GMT-03:00


×
×
  • Criar Novo...