Ir para conteúdo

Mais curtidos da Semana


Conteúdo Popular

Exibindo conteúdo com a maior reputação em 26-01-2020 em todas áreas

  1. 1 ponto
    Olá gente! Nem acredito que chegou a minha hora de deixar um relato de viagem haha eu pesquisei muito aqui nesse fórum e uma das grandes razões da viagem ter saído do papel e eu ter feito o meu primeiro mochilão sozinha foi as informações que encontrei por aqui. Primeiramente, a base da minha viagem foi o relato da @appriim que está completinho nesse link aqui. Encontrei ela aqui no Mochileiros e no fim somos da mesma cidade e temos vários amigos em comum (e em breve espero que saia o encontro pessoalmente né Ana? haha) Fiz algumas alterações porque eu tinha alguns dias a mais que ela, então segue abaixo uma visão geral do meu roteiro e depois nos comentários vou escrevendo dia a dia. 17/12/2019 - Florianópolis > Ushuaia 18/12/2019 - Ushuaia - Carimbei o passaporte, comprei o ônibus para Punta Arenas e fiquei andando na cidade sem rumo 19/12/2019 - Ushuaia - Passeio na Pinguinera + Canal Beagle e trilha no Glaciar Martial 20/12/2019 - Ushuaia - Laguna Esmeralda 21/12/2019 - Ushuaia - descanso e andei pela cidade sem rumo de novo 22/12/2019 - Ushuaia deslocamento > Punta Arenas - 12h de ônibus durante o dia 23/12/2019 - Punta Arenas - fiz o câmbio e andei pela cidade, pela orla, fui ao mirante e cemitério as 17h peguei o ônibus para > Puerto Natales - 3h 24/12/2019 - Puerto Natales - Aluguei um carro com o pessoal do hostel e fomos até o Parque Torres del Paine, fazendo o "Full Day" que vende em agências de forma privada 25/12/2019 - Puerto Natales - Descanso 26/12/2019 - Puerto Natales - Trilha Base de Torres del Paine 27/12/2019 - Puerto Natales deslocamento > El Calafate - 7h de ônibus durante o dia 28/12/2019 - El Calafate - Laguna Niemez, Lago Argentino e andei pela cidade 29/12/2019 - El Calafate - Mini Trekking no Glaciar Perito Moreno 30/12/2019 - El Calafate deslocamento > El Chalten - 3h de ônibus saindo as 8h 31/12/2019 - El Chalten - Laguna de los Três / Fitz Roy 01/01/2020 - El Chalten - Descanso 02/01/2020 - El Chalten - Chorrillo Del Salto 03/01/2020 - El Chalten - Mirador de Los Condores e Las Aguilas 04/01/2020 - El Chalten - Laguna Torres / Cerro Torre 05/01/2020 - El Chalten - Madre e Hija 06/01/2020 - El Chalten - Descanso 07/01/2020 - El Chalten deslocamento > El Calafate - 3h de ônibus, saindo as 8h, andei sem rumo pela cidade 08/01/2020 - El Calafate - Lago Argentino, andei pela cidade e meu voo saiu as 19:30h para Buenos Aires > Florianópolis 09/01/2020 - Chegada em Florianópolis Gastos aproximados: DESLOCAMENTO: R$ 3.000,00 R$ 2.139,00 passagem aérea Aerolíneas Argentinas | Ida: Floripa > Buenos Aires > Ushuaia | Volta: El Calafate > Buenos Aires > Floripa R$ 180,00 entre taxi, uber, transfer aos lugares R$ 530,00 deslocamentos de ônibus R$ 135,00 aluguel de carro por 1 dia em Puerto Natales (o carro foi dividido em 4 pessoas) HOSPEDAGEM: R$ 1.280,00 Ushuaia: ANTARCTICA HOSTEL Punta Arenas: HOSTEL ENTRE VIENTOS Puerto Natales: WE ARE PATAGONIA BACKPACKERS (pagamento em dólar estamos isentos de 19% do imposto) El Calafate: FOLK HOSTEL El Chalten: LO DE TRIVI El Calafate: FOLK SUITS Reservas feitas pelo Booking e HostelWorld PASSEIOS: R$ 1.650,00 Mini Trekking Perito Moreno - R$ 700,00 - comprado no Brasil valor com cartão de crédito e IOF Pinguinera + Canal Beagle - R$ 742,00 - pago no Brasil valor com cartão de crédito e IOF | observação importante: se fazer a caminhada com os Pinguins em Punta Arenas é metade do preço e rola reservar lá mesmo no próprio hostel pro dia seguinte. Entrada Parque Torres del Paine - R$ 185,00 (paguei o preço de 2019 ainda) ALIMENTAÇÃO: R$ 1.200,00 (tem mercado, cerveja, vinho e alfajor nessa conta haha) BAR: R$ 200,00 (isso são os extras dos dias que fui pro bar e só consumi álcool) SEGURO VIAGEM: R$ 215,00 TOTAL GASTO R$ 8.000,00 (contando souvenir, extras que eu possa ter esquecido de anotar e etc) Conversões realizadas: 1 real > 13,60 pesos argentinos (Aeroporto Ezeiza de Buenos Aires) 1 real > 185 pesos chilenos (Casa de Câmbio em Punta Arenas) 1 real > 16 pesos argentinos (Restaurante Casimiro em El Calafate) Fiz umas outras conversões zoadas porque tive perrengue de dinheiro que conto depois hahah mas essas três foram as principais que acho que vale citar. TOTAL QUE GASTEI EFETIVAMENTE: R$ 8.900,00 (perdi R$ 900,00 por um golpe na conversão do câmbio no Banco do Aeroporto Ezeiza, eu dei R$ 3.200,00 e eles me converteram como se eu tivesse trocando R$ 2.300,00, fui perceber só agora que já estava no Brasil, foi falta de atenção minha como recém mochileira que achava que tinha pensado em todos os detalhes, só que não... 💔💔) Aos poucos vou contando aqui sobre a viagem dia-a-dia, ah eu também fui postando tudo no meu Instagram (@anavoando), os stories estão salvos no destaques e fui escrevendo no feed também. Ah, leiam o post da Ana que citei lá no começo, eu li e reli um milhão de vezes e ela dá várias dias ótimas!! Espero que gostem! Continuarei aos poucos, Ana Caroline
  2. 1 ponto
  3. 1 ponto
    Essa foi minha primeira viagem sozinha no estilo mochilão, ficando em quarto coletivo e decidindo todos os passos do caminho, então a ansiedade estava grande. Mais algumas informações: - Não comprei chip de celular! Eu sou completamente viciada e quando vi já estava 4 dias sem internet no celular, ia entrar no Chile e parou de fazer sentido ter um. Foi libertador hahaha. Maaaas, eu tinha dois mapas offline baixados: Maps.me e Google Maps. De resto foi tudo no Wifi. - Eu sabia o que eu queria fazer pelo meu planejamento, mas as únicas coisas que tinham datas fixas e eu comprei no Brasil foi o Mini Trekking no Glaciar Perito Moreno e a caminhada com os Pinguins + navegação no Canal Beagle. Ah, os ônibus e todos os deslocamentos eu sabia as datas que precisavam acontecer, mas não tinha comprado nada ainda. - Como a grande maioria das recomendações na internet era fazer câmbio no Aeroporto Ezeiza, foi o que eu fiz. Quando retornei ao Brasil, percebi que fui enganada. Eu entreguei R$ 3.200 para conversão, mas na verdade o cara fez como se eu tivesse entregado R$ 2.300. Ganhei 31.280 pesos argentinos. Perdi R$ 900, foi falta de atenção porque eu estava muito preocupada em ficar em segurança com os R$ 4.500 que eu iria pagar as coisas durante a viagem, ainda mais estando sozinha e na área pública do aeroporto, saindo de uma casa de câmbio... minha cabeça estava em outro lugar e realmente achei que estava tudo correto. Enfim, aprendizados para uma próxima. - Foi uma viagem de bastante contato com a natureza e trilhas... porém sou uma pessoa praticamente sedentária haha. Comecei a fazer Yoga dois meses antes da viagem (que na verdade é muito mais alongamento e meditação), caminhei um pouco mais na rua mesmo, fiz uma trilha aqui onde eu moro e subi escadas antes de viajar, tudo isso testando a bota que comprei (tipo 15 andares uns 3 dias aleatórios). Antes disso, eu já havia feito trilhas na Escócia no passado e em junho fui para a Chapada dos Veadeiros. Acho que cada um conhece seu corpo e seus limites, sem dúvida na Patagônia superei vários físicos, mas nesses trekkings a parte mental/psicológico pega muito também! A minha mente, ainda bem, estava muito tranquila e ciente que se eu sentisse que não era possível, desistiria no meio das trilhas e tudo bem. No fim, completei tudo que eu queria e andei 250km. Se me falassem isso eu não ia acreditar que eu ia conseguir. Deixei bastante dias para descanso, respeitei meu corpo mas me saí muito bem! Sem bolhas, machucados, apenas cansada hahaha como eu falei, cada um sabe seus limites, para as próximas eu não farei mais assim sedentária, prefiro preparar o corpo para não correr riscos 18/12/2019 - CHEGADA EM USHUAIA Depois de passar praticamente a noite no Aeroporto de Buenos Aires, cheguei as 8h da manhã em Ushuaia. Todos os voos foram tranquilos, cheguei em uma quarta-feira chuvosa e nublada. Eu estava bem cansada, então fui direto para o hostel de taxi, que custou ARS 400. Consegui deixar minha mochila, mas o check in era só as 13h. Ah, começaram algumas dificuldades com o espanhol... eu não entendi que o cara da recepção disse que eu podia tomar o café da manhã de graça, então saí para procurar comida hahaha. Comi em um lugar chamado Quinquela, achei beeem gostoso e veio muita comida. Andei um pouco pela rua principal de Ushuaia e achei tudo lindo. Carimbei meu passaporte no centro de visitantes, comprei meu ônibus para Punta Arenas (ARS 2.500), fui no mercado e comprei coisas para fazer meus lanches e jantei empanadas deliciosas no Dona Lupita (dica do vazaonde). De resto foi me recuperar da noite que praticamente não dormi e me adaptar a vida em quarto e banheiros coletivos. Foi tudo mais ou menos como eu esperava, conversei com uma ou outra pessoa mas eu precisava descansar mesmo. O quarto era de 6 pessoas e bem espaçoso, grande dica é levar um tapa olho e um tampão para ouvido. 19/12/2019 - USHUAIA O segundo dia começou cedinho, as 6 da manhã. Na noite anterior eu já tinha deixado tudo organizado, então acordei, tomei café e encontrei o primeiro brasileiro da minha viagem, mas que já estava indo embora. Trocamos contato (fiz isso a viagem inteira, saia pedindo o Whats das pessoas para marcar coisas no futuro kkkkk). Quando acordei o dia estava incrível, o céu limpo e vi pela primeira vez as montanhas com neve. Quase chorei de emoção (canceriana kkkk), mas é que no dia anterior eu não tinha visto absolutamente nada, estava muito nublado. Foi uma surpresa linda. Peguei o ônibus as 7:30 para fazer o passeio da Pinguinera + Canal Beagle, passeio que comprei ainda no Brasil direto com a Piratur (USD 162). O caminho todo é lindo, vamos rodeando as montanhas. A primeira parada foi para bater foto com as árvores que são tortas por causa do vento da região. Depois o grande grupo é separado em dois menores para o passeio dos pinguins. Eu fiquei no grupo que primeiro foi em um museu que tem lá. É bem pequeno mas achei legal e cheio de informações. Eu sinceramente gosto de aprender nas minhas viagens, pra mim é praticamente uma escola. Quem tiver interesse, em pouco tempo começa a tour guiada. Depois que termina a visita dos pinguins do primeiro grupo, chegou a minha vez. Eles são fofos, tem muuuitos que vão cruzando o caminho demarcado e acho que 1h é tempo suficiente. Vimos 3 espécies (disseram que é raro, geralmente são só duas e essa outra se instalou faz pouco tempo, não sabem dizer porquê). Quando terminou a 1h, pegamos o barco de volta a Ushuaia, que é o passeio no Canal Beagle. Eu e todo mundo cochilamos, achei sem graça. É só quase chegando em Ushuaia vemos o Farol do Fim do Mundo, os lobos marinhos e as aves. Nesse passeio, conheci um casal e almoçamos juntos. A história deles é linda: ele brasileiro, ela chinesa, oito anos juntos. As orações da minha mãe foram atendidas porque eles cuidaram muito bem de mim kkkkk Como o passeio acabou por volta das 14h, decidimos fazer juntos o Glaciar Martial. O taxi para ir e voltar foi ARS 392 cada trecho. Acho que as fotos traduzem o lugar melhor. Incrível, surreal, a natureza é demais. Foi a minha primeira trilha da viagem, tem bastante subida mas achei tranquilo. De lá tem vista para Ushuaia, tem neve. Brinquei bastante na neve com eles, não chegamos a fazer toda a trilha porque o dia tinha sido bem cheio e o que vimos já nos deixou satisfeitos. Terminei o dia achando que o dia já compensou e pagou toda a viagem, mal sabia o que estava por vir hahahaha. Voltei pro hostel no fim do dia morta de cansada, tomei um banho, comi e deitei meia noite, extremamente feliz e grata por estar vivendo tudo isso. Total que andei no dia: 11km. 20/12/2019 - USHUAIA No terceiro dia eu planejei ir até a Laguna Esmeralda. O transfer contratei no próprio hostel e custou 600 pesos ida e volta. Eles tem horários definidos e pedi para as 11h. Eu já desconfiava que o cara da recepção não me curtia muito, nesse dia confirmou kkkkk ele esqueceu de reservar, então acabei esperando até as 12h, que era o próximo horário. Pelo menos no hostel consegui pegar emprestado os bastões de caminhada porque não achei para comprar em Ushuaia. O transfer vai pegando outras pessoas no caminho, alguns atrasaram, pediram para parar no mercado e eu comecei efetivamente a trilha as 13h. Cheguei na Laguna Esmeralda exatamente 2h depois. Fiz a trilha “sozinha”. Entre aspas porque é cheio de gente indo e vindo e tinham as outras pessoas do meu transfer, mas eu que escolhi meu tempo. Foi bem legal, a paisagem é linda. Eu fiquei impressionada e rindo sozinha o tempo todo, é MUITO MUITO MUITO LINDO. As fotos não chegam aos pés da realidade. Só estando lá para sentir. Tem uma parte com muita lama e eu passei ilesa, sem me sujar, me achei praticamente uma profissional (os bastões ajudaram MUITO) kkkkkkkk ainda na Laguna, encontrei mais brasileiros. Conversamos um pouco e dois deles entraram na água que, vale lembrar, é gelo derretido e devia estar congelando. O transfer de volta tinha dois horários: as 17h ou 19h. Decidi pegar o das 19h e ia passar um tempo na Laguna. Começou a chover e ficar frio, todos começaram a ir embora, eu não quis ficar lá sozinha e acabei indo logo em seguida. O único problema é que terminei a trilha as 17:30h então fiquei até as 19h esperando na chuva e no frio... Não tem nenhum lugar coberto para esperar. Fiquei com medo do transfer não vir, afinal só restava eu. Além disso eu não tinha o chip de celular para fazer uma ligação ou usar a internet para confirmar se ele viria... Mas ele veio, ufa! Nesse meio tempo, fiquei vendo série no Netflix que tinha baixado no celular e comi as últimas coisas que eu tinha. Cheguei no hostel, tomei banho e sai pra jantar sozinha. Na volta encontrei uma chilena que estava no meu hostel e conversamos, decidimos tomar uma cerveja juntas. Engraçado o mix do Portunhol, mas conseguimos comunicar. Voltamos depois de uma cerveja e uns meninos de Israel puxaram assunto. Vão para o Brasil no Carnaval e me pediram dicas de onde passar, questionaram se Florianópolis era uma boa opção. Que mundo pequeno hahah nos despedimos porque já era quase 2 da manhã e estávamos conversando no corredor, uma menina reclamou do barulho (com razão 😬) e assim terminou mais um dia. Total que andei: 12 km. 21/12/2019 - USHUAIA Depois da trilha, acordei um pouco mais tarde, tomei café com a Chilena. Me senti um pouco mal, parecia uma gripe se formando, então já fui na farmácia e comprei um remédio. Era meu último dia, então arrumei todas as minhas coisas. Sai do hostel umas 12h, comprei um souvenir e andei pela beira do Canal Beagle até a placa de Ushuaia, parei para almoçar no El Turco. Fiz tudo isso sozinha e fiquei bem reflexiva sobre a vida e como isso tudo é uma reconexão comigo mesma, adorava estar ali decidindo cada passo do meu dia. Decidi não fazer muita coisa, então o dia foi bem tranquilo. No fim do dia, os meninos de Israel chegaram e me ofereceram pra experimentar o café deles. Eu e a Chilena já havíamos combinado de sair, convidei eles para se juntarem. Ela encontrou uma menina da Costa Rica e convidou para ir com a gente também. Eu já a conhecia do café da manhã, falava português. Saímos as meninas, dividimos batata frita e bebemos, mais tarde os meninos de Israel chegaram. Que loucura que é esses encontros na vida de hostel né? Amei muito a experiência. Fiquei com os meninos até umas 3h porque o dia seguinte seria todo no ônibus e eu queria ficar cansada (dica que a Ana dá no relato dela kkkk). Eles encontraram umas outras meninas de Israel também, o fim da noite foi eu e 4 israelenses que me encheram de perguntas sobre o Brasil. E eu sobre o país deles. Todos vão ao Brasil em breve. Essa troca de cultura é incrível, aprendi um monte de coisas. Foi o dia que andei sem rumo por Ushuaia e me despedi já com saudades mas feliz por todas as surpresas que apareceram no meu caminho em poucos dias!
  4. 1 ponto
    No dia 10 de Setembro de 2020 minha esposa e eu, pretendemos fazer um mochilão programado saindo de Florianópolis percorrendo cidade a cidade até Barra Velha, serão cerca de 160 km percorrido ao todo e não sei quantos a mais depois que tudo acabar. A todos os mochileiros de plantão, de profissão ou esporádicos, aos esportivos ou mais clássicos, o que puderem ajudar de informação será muito util. A ideia é utilizarmos transporte publico (ônibus) e quando não for possível utilizarmos aplicativos (uber, 99taxi, blablacar etc). A maior dificuldade que estou encontrando em montar o roteiro (preciso disso pois eu já tenho experiência, mas, é o primeiro mochilão que minha esposa faz) é hospedagem e translado das cidades para as praias, e é ai que preciso de ajuda de todos. Caso alguém saiba ou conheça em uma das cidade especificadas dentro do trajeto, por favor nos informem, será de grande valia, qualquer informação é importante. Gostaria também de informação de bike mob (Yellow, Grin, Itau etc) sei que em Floripa; nesta data a empresa que gerencia as duas marcas yellow e grin encerrou os trabalhos mas que a prefeitura já abiu edital, então avisem por favor quem souber como está isso; e nas demais cidades também se tiver esse serviço ou algo similar. Nosso suposto roteiro seria o seguinte: Uberlândia/MG - Florianópolis/SC Florianópolis - Biguaçu Biguaçu - Tijucas Tijucas - Bombinhas Bombinhas - Porto Belo Porto Belo - Itapema Itapema - Balneário Camboriú Então em breve faremos postagens aqui e no Youtube para registrar nossa jornada e quem sabe ajudar aos próximos “andarilhos” do mochileiros. Abraços e até mais.
  5. 1 ponto
    Estou me (re)preparando novamente, porque no dia 09/01/2020 meu notbook ficou exposto na chuva e queimou, perdi todo meu projeto e tudo o que tinha preparado para viajar: roteiros, rotas mapeadas, contatos. Mas já estou fazendo tudo novamente. Até alterei alguns caminhos mas a viajem vai rolar em Maio/2020. Em fevereiro eu devo retornar aqui com o progresso da preparação. abraço.
  6. 1 ponto
    Oh coisa boa viajar! Auxilia na auto-realização da construção da nossa identidade, no desenvolvimento do "eu", além de deixar marcado diversos momentos especiais na biografia pessoal do turista. Mas nem tudo são flores... sem dúvida alguma, o maior percalço nosso foi com relação ao planejamento da viagem. Tomar notas de guias, buscar informações em blogs/sites e tentar estabelecer um itinerário foram situações sensíveis e incomodativas, porém de extrema valia para resultar em uma melhor experiência da viagem. Apesar de programarmos os roteiros, também houve o cuidado de ele não ficar de certa forma "engessado", porém com o cuidado de não ir viajar de forma despreparada ou relapsa. Muitos aventureiros têm, por preferência não tomar de seu tempo, investindo na criação de roteiros gostando mesmo é do improviso e do calor do momento, na famosa tentativa acerto/erro. Crêem, na maioria das ocasiões, que a forma de planejamento de datas e horário de um determinado roteiro, a chateação da mão de obra de confeccioná-la e da impressão de não estar de férias, mas sim "cumprindo metas". Nossa intenção aqui no site é disponibilizar o roteiro/guia turístico construído para essa fantástica viagem que ocorreu no mês de outubro de 2019, com o intuito de ajudar outros viajantes nas suas futuras jornadas. __________________________________________________ → San Francisco (CA); → Silicon Valley (CA); → Monterey (CA); → Carmel (CA) e Big Sur (CA); → San Luis Obispo de Tolosa (CA) e Santa Barbara (CA); → Los Angeles (CA); → Anaheim (CA); → San Diego (CA); → Las Vegas (NV), Vale da Morte (Death Valley) e Grand Canyon (AZ).
  7. 1 ponto
    Oii @Carol Martinez estamos com um grupo no whats de pessoas que vão para o Peru em Junho/2020 para troca de dicas, se tiver interesse em participar me avisa
  8. 1 ponto
    estou indo para ARGENTINA em MARÇO de 2020, fazendo o roteiro, talvez uns 20 dias. mas quero ir além de BUENOS AIRES TAMBÉM 31 992020208
  9. 1 ponto
    @debalves Vamos convencer o marido... Minha primeira vez no México foi em 2015 e passei 20 dias sozinha, completamente sozinha... nessa viagem fiquei 6 dias na Cidade do México, não me senti insegura, mas sou do Rio de Janeiro e quem vive aqui tira de letra qualquer lugar. Essa última vez fiquei só dois dias. O bairro que fiquei na primeira vez foi mais seguro (agora fiquei no Centro) e pra turistar optei pelos ônibus de turismo que lá tem 4 linhas interligadas e são baratos. Uma das linhas leva ao circuito Frida (bairro lindo, tranquilo), outra ao luxo (onde fica o Museu MARAVILHOSO Soumaya) e tem a linha do Centro que talvez seja o lugar mais inseguro, mas ainda assim imperdível, porque o trio Zócalo + Catedral + Palacio do Governo é algo impressionante. A última linha faz a parte do Museu de Antropologia (também imperdível). Também andei muito a pé e recorri aos tours para conhecer as cidades de bate e volta e para ir às pirâmides (dessa vez fui por conta própria e gostei mais). Quando saí de vez da CDMX, fiz vários trechos entre cidades de busão e não tive medo nenhuma vez. Como toda cidade grande, tomei alguns cuidados: passaporte e grana na doleira, trocado e orçamento do dia na carteira. Levo sempre dois cartões: um fica na doleira. Uso equipamento fotográfico profissional, mas em mochila comum. Celular na mochila ou nos peitos, nunca no bolso de trás. Sou das antigas e uso mapa impresso quando sinto que não posso pegar no celular. Em todas as viagens que fiz só tive duas vezes que saí no prejuízo: levaram um all star do hostel que fiquei no Chile e tomei uma volta do uber no México (andar com pesos trocados sempre). No meu site tem um relato completo dessa primeira viagem. https://www.flaviamoreirafotografia.com/mexico Todos os cenotes têm coletes e também cordas que passam de um lado para o outro para se segurar quando cansamos de nadar. Alguns tem um plataforma para segurar e todos têm escada para subir e descer (mas eu jogava). Eu aprendi a nadar com 30 anos (nao sabia nem boiar) depois de voltar de uma viagem à Chapada Diamantina,. Fazer Yucatan sem os cenotes seria um desperdício total. Encare o colete! Beijos... à disposição se precisar de mais informações.
  10. 1 ponto
    Olá pessoal, tudo bem? Tirando um seleto e sortudo grupo de nômades digitais, a maioria de nós sofre litros quando volta de um período de férias já em depressão à espera do próximo! Uma boa pedida para aguentar o sofrimento da espera, hahaha, é encaixar mini aventuras nos fds ou pequenos feriados. Eu já escrevi dois outros tópicos sobre estas pequenas aventuras de fins de semana pelo estado do Paraná (Pico Agudo e Morro do Gavião), e vou deixar mais duas registradas aqui hoje. Também pretendo utilizar este mesmo tópico para relatar outras ao invés de ficar criando tópicos novos! Bora lá! MORRO DA PEDRA BRANCA Este passeio é bem light, pode ser feito em esquema bate-e-volta de alguma cidade próxima ou mesmo se vc estiver passando pela estrada e tiver um tempinho sobrando. O acesso ao Morro da Pedra Branca se dá pela PR 376, (Rodovia do Café, liga o norte do estado à capital) entre Mauá da Serra e Ortigueira. Não tem placa nem indicação nenhuma do morro. No sentido Londrina > Curitiba lá pelo km 308 já dá pra avistar o morro, que tb é conhecido como “morro das antenas” por abrigar ali antenas de telefonia da Oi. Depois do km 310 vá reparando bem, à esquerda vai ter um comércio chamado “Restaurante e Lanchonete da Bica”. A entrada para o morro é cerca de 1km depois (dá pra ver melhor no print abaixo). Um portão tb à esquerda dá acesso à estrada que leva até o topo do morro. Este portão poderá estar fechado, mas é só bater palma que sai um senhorzinho que fica numa casinha ali na entrada cuidando. Foi cobrado 10 reais para cada um, João (filho, 11 anos) não pagou. Localização do Morro da Pedra Branca Dali daquele ponto começa uma estrada de terra. O senhorzinho indicou que a gente poderia subir de carro ou a pé. Optamos por ir a pé, afinal essa era a ideia. Quando fomos a estradinha estava bem boa, dava pra subir com qualquer tipo de carro, inclusive tem gente que vai lá tirar aquelas fotos pré-casamento... mas parece que tem ocasiões em que carro baixo não sobe. São 3km de estradinha numa subida bem tranquila, em que a gente vai observando bichinhos e plantinhas! Fomos bem cedo pq queríamos ver a neblina baixa, no vale abaixo de nós. As 8h30 estávamos no “cume”, mas a neblina estava em toda parte, hahahahauah! A gente não via nada, e tava bem frio (9 graus) pra pouca roupa que a gente tava usando. Mesmo assim ficamos perambulando pelas formações rochosas lá de cima e a espera valeu a pena, o tempo abriu uns 30 minutos depois da nossa chegada! Caminho pela estrada! Era tudo névoa! Minhas amadas plantas! Tem tanta beleza, tanta foto, mas prometo me conter! Só mais essa linda, rs! A torre de telefonia perdida na névoa! A imensidão verde ainda tímida! Abrindo! Descortinando!! Vento e descabelo! Vista bem bonita! Meu mini trilheiro! Fotinha da vista! Parece mais perigoso do que era ok? rs Céu azul! Depois de mais andar e admirar, descemos e ainda fomos uns 2km pra frente na estrada espiar uma linha férrea que passa por ali. Bonitinha. Linha férrea estilosa! Não é nada mega exuberante, mas vale a caminhadinha num fds que podia ter sido só de netflix, rs! Chegamos de volta em casa pouco depois das 14h. FIM
  11. 1 ponto
    Guatemala País barato e com lugares muito diferentes. Recomendo demais conhecer este país lindo Antígua: Cidade colonial (lembra um pouco Cartagena) e possui um centro histórico bem preservado. Vale um dia todo ou pelo menos meio período. Outro passeio obrigatório é a subida do vulcão Pacaya (tivemos muita sorte e conseguimos ver a lava do vulcão escorrendo), este passeio leva cerca de 6 horas para ser realizado. Subida do vulcão Acatenango: em Antígua há diversas agências que realizam a subida do vulcão Acatenango para poder observar o vulcão Fuego em atividade. Realizamos a subida pela agência Wicho & Charlie que cobrou 400 Qs (aprox. 50 usd por pessoa) incluindo traslado até o ponto de início, guias, lanche, jantar preparado pelos guias, acampamento no alto do vulcão com barraca, cama e saco de dormir, empréstimo de agasalhos (luva, jaqueta, gorro, cachecol) e aluguel de mochila e demais itens. A subida leva em torno de 5 horas e é bem cansativa, mas todo o esforçado é recompensado com as explosões de lava que você poderá visualizar a olho nu, mas em distância segura, Foi uma das experiências mais incríveis que já vivi. A descida leva em torno de 2 horas. Lago Atitlán; Lago lindo cercado por três vulcões e que possui diversos vilarejos ao seu redor. O vilarejo mais estruturado e mais próximo de Antígua é Panajachel. Usamos ele como base e utilizávamos barco para nos deslocar para os demais povoados. Visitamos os povoados de San Marcos, San Juan, San Pedro e Santiago. Cada um tem seu charme, mas os meus preferidos foram San Marcos e San Juan. Lanquín: Cidade base para visitar Semuc Champey é bem simples e tem pouca estrtura. Optamos por nos hospedar no Portal El Champey que fica a 5 minutos a pé do parque. O local fica bem isolado (não tem água quente, nem internet e energia elétrica só das 18 às 23), mas vale super a pena essa experiência. E Semuc Champey é um dos lugares mais bonitos que já estive!. O acesso custa 50 Qs (aprox 25 reais) Flores: Cidade bem charmosa que na verdade é uma ilha do Lago Petén. Possui diversas pousadas e restaurantes e um pôr do sol lindo com vista do lago. É a cidade base para visitar as ruínas maias de Tikal. Recomendo realizar o passeio que sai às 4h30 para evitar o calor forte (lá é muito quente) e para não estar lotado de turistas (a maioria sai de Flores por volta de 8:00 da manhã). Existe a possibilidade de assistir o sunrise ou o sunset em Tikal, porém é preciso pagar um valor maior. O acesso custa 150 Qs (aprox. 75 reais) e o transfer com guia custa 80 Qs
  12. 1 ponto
    Costa Rica Um país bem americanizado que aceita dólar em quase todos os estabelecimentos e seu lema é Pura Vida. O prato típico é chamado ‘casado’ e é muito parecido com o nosso PF haha (arroz, feijão, carne ou frango, salada, mandioquinha e banana assada) A Costa Rica é um dos países mais caros da América e isso é muito perceptível quando se realiza uma viagem pela América Central. O valor para acessar qualquer parque nacional está na faixa de 15 dólares (aprox. 60 reais) e os custos com alimentação são relativamente altos (principalmente em Tamarindo). A nossa road trip pelo país foi realizada principalmente no centro e no norte do país. Seguem dias do que fazer e quanto tempo ficar em cada local: Pq Manuel Antonio: Custa 15 dólares para acessar e possui diversa flora e fauna, além de praias lindas (lembram as praias de Ilha Grande RJ). É relativamente próxima de San José, mas não vale a pena fazer um bate-volta. Tempo recomendado: 1 ou 2 noites Vulcão Irazú: Custa 15 dólares por pessoa + 2 dólares por veículo. Vale a pena fazer um passeio de bate-volta saindo de San José ou fazer em um dia de trânsito entre San José e La Fortuna. Recomendo ir bem cedo pois costuma formar uma neblina sobre a cratera na parte da tarde Vulcão Poás: Custa 15 dólares por pessoa. Vale a pena fazer um passeio de bate-volta saindo de San José ou fazer em um dia de trânsito entre San José e La Fortuna. Verificar se houve alguma erupção recente e se o lago formado em sua cratera está visível para poder valer a pena a visita. La Fortuna: Cidade que tem o Vulcão Arenal como cartão postal (que pode ser acessado por 15 dólares). Nós optamos por não entrar no parque, mas procurar algum ponto para observá-lo. Sugiro um passeio de barco pelo lago Arenal. Nas proximidades da cidade está a Cachoeira La Fortuna (com seu poço esverdeado) custa 18 dólares por pessoa e é possível se banhar. O ponto alto da região é o parque Tenório (que fica cerca de 1 hora de carro ao norte) e abriga o famoso Rio Celeste (o lugar mais bonito da Costa Rica em minha opinião). Custou 12 dólares por pessoa, mas não é possível se banhar no rio. Tamarindo: Cidade muito badalada com muitos bares e restaurantes e que possui um pôr do sol sensacional (principalmente nas praias Avellana, Langosta e Tamarindo). Outras atrações famosas são Playa Conchal (30 min de ditância) e Playa Hermosa (1h15 de distânica). Os pontos altos da viagem foram o Rio Celeste e a Playa Conchal.
  13. 1 ponto
    Frida, você chegou a subir o Morrão? Da última vez que fui, fiz essa trilha, mas o grupo preferiu ficar em Águas Claras, em função do horário. Me disseram até que por Conceição dos Gatos é melhor para quem vai subir.
Líderes está configurado para São Paulo/GMT-03:00


×
×
  • Criar Novo...