Ir para conteúdo

Deny_

Membros
  • Total de itens

    20
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Bio

  • Ocupação
    Analista de Suporte
  1. André, comprei numa loja de uma galeria da 7 de Abril em São Paulo, número 125. Não lembro o nome da loja, acho que era Camera Photo ou algo assim, mas lembro o numero da loja: 3032 (sou bom em lembrar números, já nome é complicado). Paguei R$ 215 em 3x no cartão, meio caro, por um pouco mais dava pra pegar um Manfrotto 785B mas o Manfrotto só aguenta 1kg e o Zipshot aguenta 1,3kg; além disso o Manfrotto pesa 980g e o Zipshot pesa 312g. E outra, montagem e desmontagem em alguns segundos, sem exagero... é o fim da preguiça tanto de carregar qto de tirar da mochila e montar o tripé. Agora co
  2. Bom a máquina chegou e eu comprei o tripé ultra-portátil (Zipshot)... não é tão frágil quanto eu imaginava e a cabeça é bem legal, bem sólida. O tripé de fato não possui regulagem de altura, fica fixo em 1,12m e é preciso tomar o cuidado de abrir completamente as pernas pra que ele fique estável. Mas cumpre bem a função, dá até pra fazer bracketing pra composição HDR numa boa. Lembrando que ele ocupa quase zero de espaço e peso idem (312g). Algumas das fotos tiradas com os brinquedos novos: Fico devendo ainda uma boa paisagem diurna, postarei assim que meu polarizad
  3. Verdade, acabei de olhar melhor nas especificações e a cabeça me parece honesta... claro que não chega aos pés da Manfrotto hehehe Agora em relação a ancoragem, realmente eu estava pensando a respeito e elocubrando, tenho plena consciência da violência do vento no Aconcágua e imaginei uma solução relativamente simples e, acho, eficiente. Vou fazer três fitas elásticas com bainha pra encaixar os pés do tripé e velcro ajustável pra fazer ancoramento com pedras, que eu sei que por lá é que não falta. Que tal? Aliás, me parece uma idéia interessante pra qualquer tripé leve, porque não pesa nem
  4. É Adam, eu penso como vc, mas pra essa viagem realmente preciso de algo mais leve... Tenho certeza que vou acabar comprando o Manfrotto também, mas acho que vou começar por esse aqui, que pesa 312g (!!!) e aguenta até 1,3Kg: http://www.zipshottripod.com Já vi relatos de gente que usou com uma DSLR de pouco mais de 1Kg e ficou meio bambo, mas pra minha superzoom com menos de meio quilo acho que vai ser sussas. Duro é que a cabeça, apesar de ser de alumínio, é muito simples e o tripé custa quase o mesmo preço do Manfrotto que eu citei
  5. Eu acabei de comprar uma máquina que *pra mim* é um grande avanço (obviamente não chega aos pés de uma Nikon série "D"), mas no meu caso eu estou entre a cruz e a espada: por um lado tenho uma viagem importante pra fazer até o Aconcágua e que precisa ser bem documentada, e por outro justamente devido à dificuldade da montanha preciso reduzir o peso do equipamento fotográfico ao mínimo indispensável, e portanto uma DSLR estaria fora de cogitação não só pelo preço mas também pelo peso e volume. A câmera escolhida foi uma Panasonic Lumix DMC-FZ35K, que pesa pouco mais de 400g incluindo a bate
  6. Pra quem ainda se interessar pelos Quechua 500 Light, liguei lá na loja do Morumbi e fui informado que a liga de alumínio do bastão continua a mesma. Inclusive tive a impressão que nao fui o primeiro a perguntar, porque o vendedor nem estranhou a pergunta. Nesse final-de-semana devo dar uma passada por lá, já olhei os bastões de perto uma vez e me pareceram bastante sólidos, cheguei a apoiar o peso do corpo em apenas um e nem foi nada (peso 80Kg). Confesso que inicialmente fiquei meio desconfiado do mecanismo de trava só pelo fato de ser de rosca, mas não vi nada no acabamento que desmerecesse
  7. Bom eu fiz o que considero um "achado", ao menos pros padrões brasileiros, e queria compartilhar com vocês aqui do forum já que tirei tanta informação legal daqui. Estou comprando equipamento pra escalar o Aconcágua e faltava uma jaqueta quente pras paradas pra descanso e/ou almoço, e apesar de saber que o ideal seria duvet os preços por aqui não estavam ajudando... sem contar que não é o tipo de coisa fácil de se encontrar no Brasil. Ok eu poderia comprar fora mas tenho experiência ZERO em locais, disponibilidade e preços das coisas fora do Brasil, e um certo receio em acabar não encontra
  8. Deny_

    Aconcágua

    Valeu pelas repostas! Dúvidas que ainda persistem: 1. Aluguel de equipamentos em geral - Alguém faz idéia de valor de aluguel dos equipamentos (barraca, botas duplas, crampons, MULAS) e por quanto tempo se aluga? - Os preços são fixos ou é possível negociar? Variam conforme a temporada? - Que tipo de garantia eu tenho que deixar ao alugar equipamentos? - Os equipamentos para aluguel costumam ser de boa qualidade? Em bom estado ou detonados? 1. Botas duplas - Qual a marca e modelo que se encontra pra aluguel? - Só consigo alugar em Mendoza ou no alojamento do
  9. Cara eu concordo. Tenho um par dessas forclaz 500, é absurdamente leve e confortável, esquenta muito bem, e é 100% impermeável e respirável. Pode comprar sem medo, inclusive outros membros aqui já atestaram a durabilidade. Meias eu recomendo o pacote de forclaz 400 (vem com dois pares) e um de diosaz 100 pra usar por baixo (tb vem dois pares).
  10. Deny_

    Aconcágua

    Opa, obrigado pelas respostas Paulo! Realmente outubro está fora, desculpem a nossa falha. Mas fevereiro (e até uns dias de março) é dentro da baixa temporada: Fonte: http://altamontanha.com/colunas.asp?NewsID=1839 Agora é um pouco preocupante essa história de músculos causarem sofrimento porque sou magro e tenho uma quantidade razoável de massa magra. Entretanto esse livreto de uma fundação médica especializada em alta montanha não menciona nada a respeito, será que não foram uma ou outra coincidências? Eu sempre achei que força física fosse um fator facilitador, não debilita
  11. Deny_

    Aconcágua

    Paulo, eu tenho plena consciência das dificuldades, e como já disse antes, estou totalmente preparado pra voltar sem chegar ao cume ou nem voltar se for o caso. Lembrando que eu disse BAIXA temporada, e não FORA de temporada - há uma grande diferença. A baixa temporada no Aconcágua ainda é dentro ou próxima do verão no hemisfério sul. Outra coisa, minha mochila vai subir até Plaza de Mulas de... mula. Não vou dar chance pro azar no que diz respeito a equipamento, preparo físico e aclimatação, portanto no meu caso as variáveis serão nevasca e mal de altitude. Em caso de azar eu dou meia vol
  12. Deny_

    Aconcágua

    Grande Wéll! Eu já tinha lido o relato do Renato e considerei como um excelente aprendizado. De fato minha maior preocupação é e aclimatação, que pretendo seguir à risca, mas mesmo assim tenho consciência que a adaptação varia de organismo para organismo e existe uma possibilidade real de que eu seja obrigado a voltar como ele, porém pretendo ter condições pra maximizar meu aproveitamento, o que significa contratar as mulas sempre que possível. Não tiro o mérito do Renato mas como meu objetivo é o cume, pra mim faz sentido conservar o máximo de energias pra atingí-lo. E não descarto a poss
  13. Deny_

    Aconcágua

    Pessoal, eu estou pensando em fazer o cume do Aconcágua lá pra fevereiro do ano que vem, se der tempo de me preparar. Interessante é que sou 100% mochileiro de primeira viagem, e pra mim a graça está justamente nesse detalhe. A empreitada não me parece um grande desafio pra quem já tem muita experiência em escalada, mas pra mim com certeza é, e desafios me agradam. Li e reli este tópico e muitos outros textos espalhados pela net mas algumas dúvidas ainda permanecem: 1. Tenho 41 anos de idade, 1,84m de altura, 81Kg e aproximadamente 17% de gordura corporal (IMC = 24). Pratico academia r
  14. Deny_

    Fleece

    Uma curiosidade, como saber se o tamanho do fleece está certo? Ele tem que ficar justo como o base layer, um pouco mais largo ou bem mais largo? Comprei uma jaqueta Nordic da Solo com Polartec, peguei a tamanho M e tenho 1,84m de altura (sou magro), será que é isso mesmo? Ainda não tirei a etiqueta, dá pra trocar... Não ficou muito justo, e cabe certinho dentro do Anorak. Pode parecer encanação boba mas fico meio assim de gastar 300 reais num fleece e depois alguem me dizer "po cara, esse seu fleece tá grande hein, devia ter comprado um número menor!"
  15. Deny_

    Anorak

    Fala Edy, Quem me atendeu na TNF foi a Samira, muito simpática e atenciosa (e muito gata por sinal, mestiça como eu), achei o pessoal lá em geral bem bacana e a loja é uma perdição, dá vontade de levar um monte de coisa mas tudo lá é muito caro, tem que se segurar... Se um dia eu for fazer algo mais sério talvez volte lá e pegue uma Heathen, mas por enquanto acho que essas últimas aquisições estão de bom tamanho. Uma curiosidade, a Resolve e a Venture podem ser chamadas de anorak? Ou são consideradas apenas corta-vento impermeáveis? eu achava que essas eram anoraks e a Lightspeed e Hea
×
×
  • Criar Novo...