Ir para conteúdo

Márcio M. Caye

Membros
  • Total de itens

    13
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. Olá amigos, seguimos com a história: RESUMO 12 - Retorno a La Paz OBS.: lamento por não estar conseguindo mais anexar imagens, assim que der postarei como nos relatos 01 a 10. Começamos a andar na lateral da extensa e movimentada avenida que serve de artéria para o escoamento da entrada e saída de veículos da cidade. Abordamos um táxi e pedimos quanto custaria até o centro. – “Trinta bolivianos!” Dispensamo-lo e abordamos outro. – “Vinte e cinco!” Continuamos a andar. Depois de uns dois ou três quilômetros, sinalizamos para uma lotação, a qual parou. Não iria até o centro, mas
  2. Olá amigos! Segue o 11º relato: RESUMO 11 – AS ILHAS FLUTUANTES DOS URUS - Conseguimos dormir razoavelmente bem no ônibus. Nosso destino era Puno e chegamos lá ainda de madrugada. Pairava uma fria neblina no ar. Logo que desembarcamos na rodoviária, nos informamos e fomos a pé até o porto para visitação das ilhas flutuantes. Era primeiro de fevereiro de 2007, quinta-feira. Nosso vigésimo dia de viagem. Nossa visitação a Puno restringiu-se apenas às ilhas do Titicaca, pois logo pretendíamos seguir viagem. Chegamos ao trapiche pelas seis horas da manhã. Há na sua entrada várias cas
  3. Olá amigos! RESUMO 10 – O RETORNO A CUSCO - Chovia forte na manhã de sábado, dia 27 de janeiro. Ainda estava escuro na rua e as trovoadas insistiam em fazer estardalhaços. Tivemos que acordar o dono do hostel para fazer os acertos. Logo o pessoal do outro quarto desceu. Assim que todos estavam prontos, dirigimo-nos ao local combinado. Os outros já estavam por lá, embaixo da marquise de um restaurante ao lado dos trilhos. Estávamos novamente todos os doze reunidos. O plano do Ray para voltarmos para Cusco era o seguinte: seguirmos a pé pelos trilhos até chegarmos em uma estrada
  4. Olá amigos! continuando... Resumo 09 - Machu Picchu - "Apesar do enorme esforço do dia anterior, acordei pelas nove e meia da manhã bem melhor do que imaginava. No entanto, ainda sentia dores nas pernas e fiquei deitado na cama até perto do meio dia. Apenas levantei-me para colocar nossos tênis ao sol no piso superior, pois ainda estavam molhados. Perto do meio-dia o Guilherme acordou. Arrumamo-nos e fomos ao quarto dos demais do grupo. Também estavam acordados, relaxando na cama. Esperamos se aprontarem para procurarmos algo para comer. Descemos as escadas. Assim que puse
  5. Olá amigos! RESUMO 08 – ATRILHA INCA – PARTE III - “Seguimos naquela direção bastante desanimados. Toda aquela volta que demos fora em vão. Foi muito azar termos encontrado com o guarda. Mas, inesperadamente, antes de alcançarmos a ferrovia, chega o Ray, com o rosto sorridente, contrastando com o nosso. Tranquilamente ele contou que o guarda queria propina, mas não queria realizar a operação na frente do grupo. Pediu trinta soles e Ray deu-lle uns três soles, o que tinha. Se levasse o pessoal para o posto, teria que preencher relatório, “trabalhar”, e por ali muitos aceitam “contrib
  6. Olá amigos! continuando... RESUMO 07 - A TRILHA INCA – PARTE II “Eram vinte para as seis da manhã do dia 24 de janeiro, quarta-feira, quando a dona Juana nos chamou. Enquanto eu e o Leonel nos aprontávamos, por várias vezes chamamos o Guilherme para levantar-se. Esse somente resmungava e virava-se de lado. Após certo tempo o Leonel deu-lhe uma bronca. Lentamente levanta-se e troca-se, guarda suas coisas na mochila e desce as escadas junto com a gente. Na recepção, encontramos o Ray com uma pequena mochila nas costas nos aguardando. Devolvemos a chave e acertamos a diária, mesm
  7. Olá amigos! RESUMO 06 – A TRILHA INCA (PREPARATIVOS) – PARTE I “Há várias formas de a trilha inca ser realizada. Nas mais baratas, guiavam por uma trilha rápida de dois ou três dias, com ponto fixo para acampar com barracas cedidas e carregadas pelo pessoal da agência ou não. Faziam a alimentação e entrariam pela Porta do Sol em Machu Picchu. Já as mais caras poderiam levar até cinco dias e haviam pessoas para carregar todas as bagagens, inclusive as mochilas dos turistas, armarem acampamento e prepararem as alimentações. Certamente não era o que queríamos. Enquanto o Leonel e o Gu
  8. Olá amigos! RESUMO 05 – CHEGADA A CUSCO “Foi nessa viagem para Cusco que conhecemos um típico peruano cusquenho chamado Ray Nuñes del Prado. Estava sentado no acento à frente do Felipe e da Tatiana e começou a conversar com eles. Conversaram certo tempo até que passamos a fazer parte do diálogo. Um rapaz de seus 24 anos e de feições indígenas, se mostrou muito simpático com a gente falando de assuntos diversos, tirando principalmente nossas dúvidas e contando histórias sobre o Peru. Falava um português aceitável, pois morara uns tempos no Brasil, dos quais quatro meses na favela da R
  9. RESUMO 04 - DE LA PAZ à COPACABANA “Chegamos à rodoviária e constatamos que não havia nenhum ônibus para Copacabana. Buscamos descobrir se havia outra forma de irmos para lá. Diante da nossa angustia, a funcionária de uma empresa nos informou que na parte alta da cidade, já na periferia de La Paz, havia um outro terminal menor de autobuses que realizava viagem para Copacabana e às nove horas partiria um ônibus para a cidade. Isso nos reanimou. Agradecemos e saímos da rodoviária a procura de um táxi. “ “O local era plano, já fora da cratera. As casas, bem mais simples. Era perceptível q
  10. RESUMO 03 - TIAHUANACO Tiahuanaco fica a cerca de setenta e dois quilômetros de La Paz. Depois que saímos da cidade, chegamos em uma hora ao nosso destino. Desembarcamos próximo a um grande pavilhão contemporâneo que servia de Museu. Todo o local é chamado de Centro Espiritual e Político da Cultura Tiahuanaco. Na bilheteria, uma surpresa: o valor do ingresso era US$ 10,00. Ficamos indignados, principalmente por o local ser considerado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO e administrado pelo governo boliviano. Mesmo assim resolvemos visitá-lo. Muito contrariados, pagamos os oitenta bol
  11. RESUMO 02 - LA PAZ RESUMO 02 “Percorremos por certo tempo uma planície verdejante, mas com apenas alguns arbustos. Após deparamo-nos novamente com terra árida. Ouvimos murmúrios comentando que estávamos chegando em La Paz. Um avião passou perto da gente e pousou a alguns quilômetros adiante. Mais para frente víamos o aeroporto, mas nada da cidade de La Paz. O lugar é um município chamado El Alto, localizado a 4.100 metros de altitude. Na verdade, a cidade é a continuação de La Paz, pois devido à geografia desta, alguns serviço tinham que ser realizados ali, como o aeroporto. O trâ
  12. Olá amigos! editado Em janeiro de 2007, eu e um camarada zarpamos do Rio Grande do Sul - Lajeado- para o que seria a maior aventura de nossas vidas até então. Passamos um mês viajando pela Bolívia e Peru até Machu Picchu com todos os meios de transportes possíveis, com direito a trilha inca "alternativa" e tudo. Foi tanta coisa que vimos e vivenciamos que resolvi escrever um livro, entitulado - Rumo a Machu Picchu, 250 pág., ed. Nova Letra, 2009. Para tal, gostaria de compartilhar breves resumos no que consta neste material: MÁRCIO MARQUETTO CAYE RESUMO 01: SUMÁRIO: SUMÁRIO -
×
×
  • Criar Novo...