Ir para conteúdo

jackelinemota

Membros
  • Total de itens

    65
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Bio

  • Ocupação
    Estudante de Arquitetura e Urbanismo
  1. jackelinemota

    Los Roques

    Oi Leo, qual foram as agencias que vc usou? Obrigada!
  2. jackelinemota

    Los Roques

    Oi pessoal, td bem? Estou com viagem marcada agora em fevereiro. Estou vendo uma pousada que não inclui os passeios, então queria saber se alguém poderia me dizer os preços dos passeios por dia e pessoa (estou indo com meu marido). Muito obrigada!
  3. jackelinemota

    Los Roques

    Olá pessoal, eu queria saber se alguém fez los roques + canaima com agencia, em uma única viagem, um seguido do outro. Obrigada! abs,
  4. Muita gente fica na dúvida se é possível comer bem e barato em Lima. A resposta é: sim! Chifas, a comida sino-peruana É impossível falar de Lima sem contar que comemos bem, muito bem na cidade. E o melhor é que não comemos bem apenas um tipo de prato ou tendo que gastar muito. Em Lima comemos pescado, carne, em restaurante de chef, de rede e no sujinho da esquina. Nos próximos posts vamos destacar o que provamos e aprovamos para clima, paladar e bolsos diferentes em Lima. Para começar nossa primeira indicação é para quem está com pressa, com poucos soles na carteira ou querendo con
  5. Onde ficar em Lima Como contei aqui optamos por ficar em Barranco. Nossa opção no bairro foi o Barranco B&B, excelente custo/benefício. Por US$ 50 tivemos um quarto muito confortável, todo equipado como um moderno hotel e uma atenção pessoal como só num bed and breakfast. Barranco ou Miraflores? Se alguém me pergunta qual o melhor lugar para ficar em Lima eu preciso dizer que para nós, é Barranco. Mas é claro, tudo depende do objetivo da sua viagem. A maior parte dos turistas fica em Miraflores (e também San Isidro) e é claro que eu não teria a pretensão de dizer que tenho
  6. Começando a falar de Lima: Não me canso de repetir o quanto é importante respeitar seu gosto e ritmo ao preparar uma viagem para transformar qualquer roteiro em um sucesso. Afinal, se muitas vezes viajar significa fugir de uma rotina onde não temos poder de escolha o tempo todo, por que ceder a imposições justo durante nossas escapadas? Pois bem, foi por nos conhecer bem, muito bem que tivemos um fim de semana maravilhoso em Lima e foi por nossa experiência ter sido ótima na cidade que nos apaixonamos por ela. Lima foi a parada número 10 de um mochilão que havia começado em La Paz e já
  7. Chegando e saindo de Paracas de ônibus Após Nazca, nossa próxima parada programada no Mochilão era Paracas. Mas nosso plano era ir de Nazca para Ica, passar o fim de tarde e noite por lá para ver a paisagem local e pela manha ir para Paracas, onde faríamos o passeio às Islas Ballestas e à Reserva de Paracas. À noite seguiríamos de Ica para Lima. Então, voltando do sobrevôo sobre as linhas de Nazca fomos em busca de um ônibus para Ica. Eram ainda cerca de 13h, mas não havia ônibus para lá naquele dia na pequena rodoviária de Nazca. E nem nos outros “pontos de ônibus” que fomos procurar pela
  8. E chegamos a Nazca finalmente! Quando começamos a programar o mochilão Bolívia-Peru decidimos logo que incluiríamos Nazca no roteiro. Como gostamos de ver canais de documentários já tínhamos assistido muito sobre as linhas de Nazca, linhas retas e figuras com formatos variados, como animais e outros desenhos, marcados no chão da região e sem origem certa. Mas, nem de perto imaginávamos algo tão grandioso. E nem tão radical como o sobrevôo: encarar aquele aviãozinho e suas acrobacias requer estômago. Chegamos a Nazca bem cedo e fomos recebidos pelo pessoal da agência Alegría, conforme
  9. Mais dois relatos sobre Arequipa: passeio pelo Centro e hostel Saímos da Praça de Armas pela Calle Santa Catalina, já que nosso destino final seria o Monastério de Santa Catalina. Nesta rua há muitas lojas turísticas, de souvenirs e também agências de viagem (onde compramos o pacote pra Nazca, mas conto isso depois). Tanto essa como as ruas ao redor são ótimas para se bater perna sem horário, sem pressa. E é esse clima que me fez apontar "andar pelas ruas de mãos dadas olhando o passado e planejando o futuro" como "o que há de melhor para se fazer em Arequipa", apesar da cidade ter uma
  10. Mais uma postagem sobre Arequipa: Depois de termos conseguido reencontrar nosso hostel fomos conhecer o centro de Arequipa. No nosso planejamento original só conheceríamos mesmo o Centro, então já estávamos com um bônus por termos feito o tour pela manhã. Corremos, claro, para a Praça de Armas, que, sabíamos, havia sido declarada Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO no ano de 2000, devido a suas características arquitetônicas e culturais típicas. Consta lá no site da Unesco que uma das razões para a concessão do título à Praça é por ela ser uma obra-prima da integração criati
  11. Relato sobre a Isla del Sol, que eu não tinha postado: Isla del Sol - não roube, não minta, não seja preguiçoso Enfim, no meio da tarde, estávamos na Isla del Sol, bem no meio do Lago Titicaca. Aquele lago que sabíamos desde a 5ª série ser o lago navegável mais alto do mundo, na fronteira entre Bolívia e Peru. De fato podíamos sentir a altitude de mais de 3,8 mil metros nos afetando. Mas nossos espíritos também estavam afetados, não apenas pelo cansaço da viagem, mas também pela expectativa para conhecer de perto o berço da civilização inca. Poderíamos dizer também que estávamo
  12. Oi Aletucs, obrigada pelos elogios e pela informação sobre o burguer king, vou vorrigir no meu blog também. Não postei aqui sobre a isla del sol? achei que tivesse, vou colocar, pois já postei no blog. Agora, como asim pediu em casamento lá? meu deus, que sonho! eu amei demais o lugar, quero tm voltar. e eu tenho um blog sobre casamento também, então achei sua história o máximo. Escuta, nao quer mandar a história desse pedido pra mim? Eu ia adorar publicar no blog. Os meus blogs são viajesim.com e a apalavraesim.com e meu email [email protected] Espeor que vc tope contar sua história pr
  13. Continuando sobre Arequipa.... E lá estávamos nós sãos e salvos em Arequipa. Acordamos cedo, tomamos café e antes de dar tempo do Rômulo me perguntar "e aí, o que vamos fazer?" fico para morrer que ele não lê o roteiro , a recepcionista já tinha nos sugerido um city tour que saía naquele momento a duas quadras dali. Não curtimos muito city tours, preferimos fazer nosso próprio roteiro, mas às vezes é legal para dar uma idéia da cidade ou aproveitar o transporte entre pontos distantes. Como ela disse que não levaria o dia todo, fomos, pois teríamos o resto do dia para explorar Arequipa sozi
  14. concordo totalmente com vc, Aletucs. É um lugar unico, e embora tenha sim sofrido mt influencia do turismo, ainda acho que vale muitissimo a pena ser cohecido. infelizmente nao sei dizer de que forma poderia ser visitado por um monte de gente do mudo td e nao sofrer influencia. a questão das mudanças trazidas pelo turismo a comunidades tradicionais é mt complicada. Abs,
  15. Depois de um longo inverno, escrevi mais um pouco, começando a falar de Arequipa: Quando estava fazendo o roteiro do mochilão sempre lia ótimas opiniões sobre Arequipa. As pessoas voltavam apaixonadas pela cidade branca. Então, fiz questão de incluí-la no roteiro. Nós também voltamos de lá encantados, passamos um dia super agradável e ficamos pensando que a cidade seria perfeita para uma lua de mel. Mas, antes de contar a história do passeio em Arequipa, temos outra história para contar. É a história da noite em fizemos tudo aquilo que a gente sempre diz que um turista não deve fazer para
×
×
  • Criar Novo...