Ir para conteúdo

xTiagox

Membros
  • Total de itens

    26
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre xTiagox

  • Data de Nascimento 18-12-1987

Bio

  • Ocupação
    Hoteleiro
  1. xTiagox

    Belo Horizonte

    Obrigado Fabiano... Esse ônibus que leva para a região da Pampulha é especial ou de linha? Grato
  2. xTiagox

    Belo Horizonte

    E ae galera blz? Terei uns dias de folga em julho e vou visitar uns parentes em Ipatinga. Ai resolvi ir de trem e para isso estarei um dia em BH, pensando em conhecer a capital mineira, me organizei para chegar bem cedo, por volta das 8h eu pouso lá. Gostaria de dicas para este único dia. Os principais pontos e encerrando a noite num barzinho. Chego dia 10/7, vou ficar em um hotel na região de Savassi. Agradecido porque sei que vão me ajudar. Abraços... Tiago
  3. Muito bom seu relato mochileiro. Acho que vou te copiar e fazer esta mesma viagem nas férias, porém com uma parada de Ipatinga para visitar uns amigos. So descobri que existe essa linha de trem há dois dias e estou mais do que empolgado para conhecer. Boas viagens. Abraços
  4. Estive em Manaus em dezembro (tem um baita relato aqui) e a cidade me desagradou bastante tbm, porém em apenas 3 dias, sem carro e ficando em albergue eu conheci muita coisa, e te digo uma coisa Carol vale a pena voltar e organizar um passeio maneiro, se quiser até te ajudo. Estão correndo para deixar td pronto até a Copa, Belém esta melhor preparada, mas certamente muita coisa será apenas maquiada. O turismo na Região Amazônica está voltado aos estrangeiros, é tudo muito caro e tudo para inglês ver. Se voltar não deixe de experimentar o Tacacá, Tucumã, Cupuaçu, Taperebá, vá a sorveteria Glacial e se acabe nos sorvetes de tapioca e açai. A Amazônia é nossa, nos pertence, mas infelizmente a estamos entregando de bandeja aos gringos. saudações.
  5. Muito bom seu relato... parabéns ...Tocantins está nos meus planos faz tempo... e agora fiquei mais curioso ainda... se tu gostas de praia de água doce um dia tem que conhecer a Ilha de Cotijuba em Belém-PA e Alter do Chão em Santarém-PA, realmente o restinho dos problemas vão embora. Ilha de Cotijuba em Belém-PA, praia Vai Quem Quer (volta quem pode, rs) Abraço e otimas viagens.
  6. Bom pessoal enfim a ultima etapa. Como dito, pontualmente às 8h , Leonardo Mendes da Amazing Tours me pegou no Hostel, cara fora de sério foi me pegar com seu carro particular, ficou comigo no Porto até inicio do passeio além de ter me dado muito assistência antes da viagem. Conversamos bastante sobre o desenvolvimento turístico no Amazonas, que na minha opinião está voltado para os turistas estrageiros, pois eles valorizam muito mais a selva doque nós, infelizmente. Recomento a todos que forem a Manaus que contatem o Leornardo, vale a pena os serviços prestados pela Amazing, os caras são profissionais no que fazem e fazem com muito gosto e dedicação, e cobram um preço justo, paguei R$ 120,00 pelo passeio ao encontro das águas, caminhada na selva e almoço em restaurante flutuante além do translado VIP, rs. Estão de parabéns e em especial ao Leonardo Mendes, se me permitam vou postar o telefone dele : 092 8165-1118. Voltando ao report, apesar de terem me dito que o porto ja fora melhor administrado, achei tudo muito diferente doque imaginava, fiquei surpreendido. Existem guichê de vendas de passagem, controle e embarque e desembarque, agências bancárias, serviço de apoio ao turista, bares e lanchonetes, lojas diversas, muito superior a rodoviária da cidade. Havia no píer um cruzeiro ancorado, gigante, segundo o guia ele vem todos anos da Florida - EUA. Às 9h horas o guia que nos acompanharia no barco chegou juntamente com outros turistas e fui chamado para embarcar. O barco se não engano chama-se Vale Verde, apesar de rústico e simples era bem conservado e seguro, com coletes salva-vidas por toda parte> Nosso guia (não me lembro o nome) era uma atração a parte, muito divertido fez uma demonstração do uso dos coletes e pelo que contei falava 4 idiomas. Fizemos primeiro uma passagem pela orla de Manaus, é um contraste muito grande, ao mesmo tempo que se vê um luxuoso transatlântico, vê-se também embarcações regionais bem simples e pequenas, algumas encalhadas na margem seca. O barco tinha capacidade para umas 100 pessoas, mas estavamos em uns 30 no maximo, na marioria brasileiros, de estrangeiros apenas um grupo de uns 6 chineses e dois europeus, mas nossa os chineses conversavam o tempo todo, não sei de onde arrumavam tanta energia na lingua. O passeio pela orla durou uns 40 min e depois seguimos em direção ao encontro das águas. Mais uma vez fiquei surpreendido com o transporte fluvial dessa região, chega-se e parte de tudo pelo rio... pessoas, gado, gás, alimentos, carros, ônibus... é surreal essa dinâmica. A Estação Hidroviária do Amazonas, por onde embarcamos, é apenas o mais organizado porto da cidade, por toda orla urbana do Rio Negro existem pontos de chegada e partida de barcos, balsas, graneleiros, petroleiros, de tudo! Área de embarque e desembarque da Estação. Guichês de passagens Medidor do nivel da água do Rio Negro, a maior cheia foi em 2009. barcos regionais contrastando com o cruzeiro. Porto Flutuante...este píer foi projetado para se adequar ao nivel do rio, por isso não sofre com o efeito das cheias. Palafitas... embarcação regional, segundo o guia, estava indo para Tabatinga, em uma viagem que dura 3 dias. Posto de gazolina flutuante. Existem muitos ao longo do rio. grandes cargueiros... Balsa vindo de Porto Velho - RO. Navegamos por mais uns 20 minutos e aproveitei para tomar um suco de taperebá, que mais tarde descobri que nada mais era que caja, comi um pedaço da polpa de tucumã, Deus ainda não sei como eles comem aquilo com tanto gosto, é horrivel. E há 22km de distância do porto, chegamos ao espetacular ENCONTRO DAS ÁGUAS! É indiscritivel a sensação de estar lá... é lindo, você vê o quão perfeita e perfeccionista é a natureza! Correm lado a lado por mais de 6 km e não se misturam, até se juntarem ao Grande Amazonas. "Esse fenômeno acontece em decorrência da diferença entre a temperatura e densidade das águas e, ainda, à velocidade de suas correntezas: o Rio Negro corre cerca de 2 km/h a uma temperatura de 22°C, enquanto que o Rio Solimões corre de 4 a 6 km/h a uma temperatura de 28°C." Fonte: Wikipédia, foi exatamente oque o guia nos falou, rs Após alguns minutos sobre o encontro subimos ou descemos, rsrs, o Rio Solimões para poder observar as "barrancas de terras caídas", outro fenômeno que acontence e que é o principal responsável pela coloração barrenta do Rio Solimões. Esse acidente natural ocorre em função da correnteza do rio em áreas de solo arenoso. Já a coloração do Rio Negro é devido as rochas existentes no fundo do rio e a decomposição de material orgânico, sobretudo algas. Voltando ao Negro, passamos proximo a uma comunidade flutuante, eles moram sobre o rio e vivem da pesca e do artesando que produzem. E mais alguns minutos navegando e chegamos ao Parque Ecológico do Lago Janauari, uma reserva florestal de terra firme no na outra margem do Rio Negro onde pode-se observar as maiores plantas aquáticas do mundo, as vitórias-régia. Na cheia do Rio, oque deveria estar acontecendo, a floresta fica imundada, com apenas as copas das maiores árvores aparecendo e o passeio é feito de barco pelo igapó. Welcome to Jungle! Para um turista das "selvas de pedra" aquela amostra de floresta é fenômenal, mas para mim que ja passei 15 dias em selva fechada (em São Gabriel da Cachoeira-AM) participando de um adestramento militar não foi nenhuma novidade, confesso que esperava mais, mas foi bem divertido caminhar pelas trilhas, ouvir a explicação do guia sobre as árvore, dar risada dos turistas chineses que sentavam em tudo oque era tronco para tirar foto e como eles não entendiam oque falavamos tome zuação dos paulistas, "senta no cipó" "iiii voltou para sentar mais uma vez", rsrsrsrs. Andamos uns 40 minutos até chegar ao tal Lago Janauari, devido a seca o lago estava bem baixo e com apenas algumas vitórias-régia bem feinhas para vermos. A vitória-régia ou victória-régia (Victoria amazonica) é uma planta aquática da família das Nymphaeaceae, típica da região amazônica. Ela possui uma grande folha em forma de círculo, que fica sobre a superfície da água, e pode chegar a ter até 2,5 metros de diâmetro e suportar até 40 quilos se forem bem distruibuídos em sua superfície.Fonte: Wikipédiae foi exatamente oque o guia falou, rs Em seguida apanhamos um bom atalho e em menos de de 5 minutos chegamos ao leito do rio onde almoçaríamos no restaurante flutuante. Restaurante flutuante e loja de artesanato indígena. Eu estava faminto, pois devido a ressaca e por medo de "gorfar" no barco não havia tomado café , rsrsrs. O Buffet do restaurante é bem servido, várias opções de salada, guarnição, carne, frango e é claro peixe, provei Tucunaré, Tambaqui e Pirarucu estavam otimos, são bem saborosos e estavam bem preparados. Ah quando estavamos retornado da caminhada, cruzamos com um grupo de mais ou menos 100 turistas que adentravam a selva e assim que chegamos ao restaurante a chuva caiu forte, e ela nos acompanhou pelo resto do dia, so foi parar por volta de 19h. Imagino como esses turistas devem ter ficado, porque não existe nenhuma abrigo na selva e eles não retornaram para o restraurante. Abre parênteses : em duas semanas viajando essa era a primeira vez que comia comida de verdade, detonei o buffet , pensei até que fossem cobrar a mais, que o almoço estava incluso no pacote, mas a comida era muito boa.] Muito bem almoçado fui dar uma conferida nos artesanatos... olha se algum dia forem a esse passeio, levem dinheiro vivo, pois eu cai no conto do "eles estão aceitando cartão" so estava com R$20,00 e não comprei quase nada, tem muita coisa legal e barata. Almoçado, compras feitas voltei para o barco, enquanto aguardava o restante do grupo voltar tirei uma soneca, e a chuva caía forte... o pessoal voltou e iniciamos nossa volta ao continente, levaríamos mais de uma hora para voltar, pois navegaríamos contra a correnteza e o rio estava muito agitado, pensei comigo "enchi a pança e esse sacolejar, agora gorfo", mas foi tudo bem. Eu acho que teria outras atividades, mas devido a chuva forte foi cancelada e às 15h20 chegamos no porto. O passeio foi legal, indispensável para quem visita Manaus. O pessoal da Amazing é excepcional e achei o preço justo, pois em outras empresas que procurei eles cobravam em torno de R$ 150,00 sem o almoço. O barco é bem seguro e grande, recomendo. No porto, lotado com os turistas do cruzeiro, liguei em casa, pois passara o dia todo sem contato e depois fui a feira do índio comprar mais lembracinhas. Era feriado em Manaus, e acredito que em toda região Norte, dia de Nossa Senhora Senhora da Conceição as barraquinhas ja estavam fechando, mas ainda deu para comprar alguma coisa. Antes passei pelo prédio da Alfândega e pelo famoso relógio da cidade, que por sinal está meio largadinho. Alfândega, trata-se do primeiro prédio pré-fabricado do mundo foi tombado pelo Patrimônio Histórico Nacional, em 1987, junto com o Complexo Portuário O Relógio Municipal foi encomendado a uma relojoaria suíça, sendo montado e revisado por Pelosi e Roberti, antigos ourives de Manaus. A construção do seu pedestal foi concluída no final de 1927. Junto com o obelisco erguido em comemoração ao centenário da elevação de Manaus à categoria de cidade, o Relógio Municipal compõe a paisagem arquitetônica do largo da Matriz. Fonte: Ecoviagem Uol Aproveitei que estava proximo e fui conhecer a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição.] Primeira igreja erguida após a fundação de Manaus, a Matriz de N. S. da Conceição foi construída em 1695 por missionários carmelitas. suas belas escadarias que sugerem o desenho de uma lira e estão decorados com pinturas sobre azuleijo retratando a via-sacra. Era está minha última atração em Manaus, em seguido rumei para o Hostel pois mais tarde voaria para Belém. No caminho para o Hostel cruzei com a procisão em homenagem a Santa, so achei estranho que não a vi. Cheguei no Hostel, peguei minhas coisas e fui tomar um banho, depois de toda chuva ainda tive que tomar banho frio. Tudo certo me despedi dos amigos que fiz por la e ja saido encontrei com Leyde Kelly que chegava da rua, muito solicita me acompanhou até o ponto de onde eu tomaria o ônibus para o Aeroporto, fomos conversando durante o trajeto. Leyde é uma garota fantástica, conhece mais de 14 países e quase todos os estados do brasileiros, mas não so pela viagens que fez ela também é uma pessoa linda. Logo o ônibus chegou e parti, com muita vontade de ficar. Sou um pouco emotivo e depois que entrei no ônibus chorei um pouquinho, porque em Manaus conheci pessoas que jamais esquecerei na vida, pessoas que por algum tempo foram meus melhores amigos e talvez nunca mais o reencontre e isso me faz muito mal, eu odeio despedida! Considerações finais: Caros amigos espero que tenham gostado deste relato gigante, rs, é porque ele vai virar uma matéria, e que tenham viajado comigo... Sobre Manaus... em aspectos culturais a cidade é maravilhosa, o povo Amazonense é maravilhoso, mas urbanamente falando Manaus precisa de um up urgente, afinal daqui a 3 anos ela irá sediar uma copa e embora muita coisa esteja sendo feita ela precisa de mais a começar pelo transporte público, limpeza urbana e comunicações, pois não existem "orelhões" que funcionem nessa cidade. Mas apesar de tudo isso, Manaus está tomada pelos turistas, em suma por estrageiros das mais diversas nacionalidades que chegam e alguns ficam, os que estão de passagem tem como único foco a selva e antes ou depois de conhece-la passam o restante tempo nos Hostel/Hotel usando a internet, tomando cervaja e comendo batata frita, e infelizmente o turismo na cidade está voltado para eles. Diferente dos turistas brasileiros que exploram a cidade e gastam muito. Se meus planejamentos derem certo so terei férias agora em Junho de 2012, pretendo voltar a Manaus,ir a Parintins para o Festival do Boi e depois seguir de barco a Belém. Meus queridos patricios, incluam o Norte do Brasil em suas proximas viagens, pois a Amazônia nos pertence e infelizmente a estamos perdendo! Boa viagem! Forte abraço. Tiago Cursino. PS: relato sobre Belém em construção...
  7. Segundo dia da viagem a Manaus, tentarei ser mais breve, rs. Acordei por volta de 7 da manhã, tomei o café do Hostel, que por sinal é bem reforçado, peguei informação de como chegar ao Bosque sa Ciência e parti. Desci pela Lauro Cavalcanti e cheguei ao Igarapê de Manaus, lugar lindo. Onde antes era uma enorme favela, hoje é um espaço para o lazer e a pratica de esportes. Saindo do Igarapê ja dei de encontro com o Palácio Rio Negro, hoje um Centro de Cultura. Mas ainda não estava aberto e so pude observa-lo por fora. O Palacete Scholz foi construído em estilo eclético em 1903... ...para ser residência particular de um abastado comerciante da borracha. Um tempinho fotografando por la de resolvi tomar o ônibus para o Bosque da Ciência, eram 8 da manhã e o sol ja queimava em Manaus, rs, Tomei o onibus indicado pelo Hostel e no caminho fui observando Manaus, as pessoas são simpticas, quando você diz que é turista todos te dão atenção, são muito prestativos, porém não podemos confiar nas informações, rsrsrs, são sempre desencontradas. A cobradora muito simpatica disse que o onibus não passaria pelo Bosque, pois a rua estava interditada, mas me explicou como chegar, dessa vez a informação valeu. Bosque fica bem afastado, em um bairro bem simples, subi algumas ladeiras e desci outras para chegar, mas o encontrei sem erro. Quando cheguei o Bosque ainda estava fechado e aguardei por uns 20 minutos sua abertura, logo chegaram algumas crianças e em minutos ja fazia parte da turminha, rs. Fundado em 1995, o Bosque é um pedaço preservado da floresta dentro da cidade. Às 9 em ponto entramos, um grupo da Petrobras fazia uma visita guiada, com pinta de turista e me fazendo de desentendido me juntei a eles, e pude absorver tudo oque era dito pelos guias, rsrsrs. Ja fui logo para o tanque dos peixes-boi, criaturinhas lindas, não sei como tem gente que ainda faz mal a eles. Proximo dali fica o viveiro das Ariranhas, de longe ja se ouvia a bagunça que elas faziam. Notei uma movimentação e soube que haveria a inauguração de um espaço no INPA e que o Exmo Sr Ministro de Ciência e Tecnologia Sergio Resende estava no Bosque. Coisa de 2 min após receber essa informação e cruzei com o Ministro em pessoa, muito simpatico me cumprimentou sem milindre. Mas eu não estava la pra ver o Ministro né e fui conhecer os outros espaços do parque. Casa da Ciência. ] Maior folha do mundo... é da Amazônia... é do Brasil... é nossa! Couro do Jacaré-Açu, o crocodilo brasileiro. Sai da Casa da Ciência e resolvi procurar a tal inauguração, tratava-se do Auditório da Ciência, la dentro jornalistas de várias emissoras aguardavam o descerramento da placa. Todo mundo bem vestido, afinal o Ministro estava ali, e so eu de Crocs, chapéu, shorts e câmera no pescoço rsrsr, cara de turista gritando! Inaugurado o espaço, assisti a apresentação de um coral, o discurso do Ministro e fui andar mais pelo Bosque. Encontrei de tudo por lá, sobretudo muitas cotias, rs. Poraquê, o peixe elétrico, sua descarga elétrica pode matar um cavalo Passei bem quase 1 hora e meia andando, antes de ir embora dei uma última passada pelo tanque dos peixes-boi, duas senhoras também estavam por lá. pedi para que elas tirassem algumas fotos de mim e trocamos algumas palavras, logo juntou-se a nós uma outra mulher, Derzeli. Derzeli, moradora de Barueri SP, é uma aventureira, estava conhecendo Manaus assim como eu, fora acompanhando seu marido que estava a trabalho, conversamos uns 5 minutos, falei a ela da minha intenção de ir até o zoológico do CIGS e a Praia de Ponta Negra e de imediato ela topou. Saimos a procura de um ônibus que nos levasse direto, mas após muitas informações desencontradas, como sempre, tivemos que ir para o centro e de la tomar a linha 120, que vai para a Ponta Negra passando pelo CIGS. Tomamos o tal 120, nunca mais me esquecerei dessa linha, e quase 40min depois chegamos ao Zoo. Não tem como errar, pegando o 120 se chega ao CIGS e a Ponta Negra. O CIGS (Centro de Instrução de Guerra na Selva), é um organização militar do exército responsável pela formação dos guerreiros de selva, considerados os melhores combatentes do mundo. O zoológico foi criado para que os estagiários conheçam com a fauna amazônica, e com o tempo foi aberto ao público, eles combram uma taxa de R$ 3,00 para a visitação, mas não paguei, pois militares da forças armadas estão isentos. Passamos umas 2 horas andando pelo Zoo, antes de ir embora tomamos um bom guaraná Baré e seguimos para a Praia de Ponta Negra, vou ficar devendo fotos da praia pois a bateria de minha câmera acabou e Derzeli ainda não me mandou as fotos que tiramos. Fotos do CIGS: Falando com a mamãe de uma capivara, rsrs. Na Ponta Negra, a parte nobre está interditada para uma reforma, tivemos que descer umas escadinhas ruins e passar por uns bares quem não aconselho ninguém a ir, os vendedores nos puxavam para sentar-nos ali, muito desagradavel, enfim chegamos a beira da praia e não resisti cai logo na água, parece mar, mas é rio, Rio Negro, a água é quente e pelo que soube limpa. Caminhamos até o final da praia e tivemos que fazer um rappel para chegar a avenida, o ponto positivo é que apesar do ambiente feio dos bares dessa parte da praia, a praia em si estava limpa, com um ou outro lixo e notei não haviam saídas de esgoto para a praia. Ja eram quase 6 da tarde haviamos passado o dia todo fora, Derzeli resolveu voltar para seu Hotel e eu fiquei para apreciar o espetacular pôr-do-sol em Ponta Negra, pena que não tive como registrar, pois foi lindo! Voltei para o Hostel e logo sai novamente para caminhar com minha mais nova amiga Leydi Kelly, fomos até a praça do índio para ver se comprava algum artesanato mas ja estava tudo fechado, voltamos para o Hostel e ja fui chamado novamente para sair, dessa vez com Fábio, outro amigo que fiz por lá. Fábio ja havia morado em Manaus e conhecia bem a noite manauara, como era véspera de feriado alguma coisa deveria estar rolando na cidade. Tomamos um taxi e fomos para a Praça do Carangueijo, no bairro Eldorado, lugar agradavel com vários bares, tomamos uns chopps e fomos para o forró do Emporio, bom pra quem gosta de forró é o prato cheio, o lugar estava lotado mal se andava la dentro, pagamos R$ 20,00 para entrar e não ficamos nem meia hora, saimos e fomos para um clube noturno no centro bem mais tranquilo, mas não recordo o nome pois a essa altura os chopps que tomamos ja faziam efeito, rsrsrs. Lembro-me de chegar no Hostel por volta de 5 da manhã e pedi para o recepcionista me acordar ás 6 pois precisava ir a algum banco antes de fazer o checkout. Uma hora depois ele me acordou e sai em busca de um banco, a chuva caia forte sobre Manaus mas como ainda estava meio alto, nem me importei, rs. Achei o banco, voltei para o Hostel, fiz o checkout e fiquei aguardando o guia da Amazing Tours, pois havia reservado um passeio pelo rio com eles. Pontualmente às 8h, Leonardo Mendes da empresa de turismo, me pegou no Hostel e levou para o porto. Bom pessoal espero que estejam gostando e desculpem por me alongar tanto, mas é que não consigo deixar os detalhes escaparem... ainda tem a última parte, o passeio pelo rio, até mais.
  8. xTiagox

    Manaus de 06 a 08/12

    Bom pessoal lanço-me a sorte do meu primeiro relato, sai de férias dia 06/12 e ja no dia 03 estava pegando a estrada, férias mais que planejadas, em julho as passagens ja estavam compradas ai foi so organizar o roteiro e nisso a galera do Mochileiros ajudou em muito, muito obrigado pessoal! Às 23h34min do dia 05 de dezembro eu embarcava para a Manaus, no voo 1250 da GOL com destino a Boa Vista e escala em Manaus. Um pouco antes no ônibus que me levara ao aeroporto, conheci o Sr José Freire, morador de Boa Vista - RR, Seu José é como eu, um apaixonado pela aviação e enquanto observavamos as operações do terraço ele me contou sua história de vida, trabalhador da construção civil, era um candango, pois trabalhou na construção de Brasília, hoje presta serviços para a Camargo Correia, e depois de 2 meses em Brasilia voltava para casa, durante a conversa me contou que sua irmã foi umas das vítimas do acidente do voo RG 254, da VARIG, em 1989. Conversamos até o limite máximo para o meu embarque, era uma pena que ele não viajara no mesmo voo que eu, ele iria voar com a TAM. Embarquei e duas horas e meia depois, às 00h30min, graças ao fuso-horário, eu cheguei em Manaus, de imediato percebi a diferença na temperatura que deveria estar na casa dos 26º e uma estranha nebilna cobria toda a região do aeroporto. Como pretendia ir a Novo Airão nessa mesma manhã resolvi aguardar no aeroporto até que o primeiro ônibus para a rodoviária passasse, todos a quem perguntei me garantiram que o primeiro ônibus passava às 5 da manhã, porém isso não aconteceu, o onibus so foi passar por volta de 05h40min, sem tempo para chegar a rodoviária e pegar o primeiro ônibus para Novo Airão que saia às 6 da manhã, eu desisti de conhecer a " cidade dos botos" Aeroporto Internacional Eduardo Gomes Durante essas quase 6 horas em que fiquei no aeroporto, conheci Néia, funcionária de uma das lojas do acanhando terminal, sempre que podia conversava comigo, me passou muita informação sobre Manaus, me deu dicas de tudo que se pode imaginar, de onde comer, que ônibus pegar, de onde não ir, doque não deixar de ver, Néia deveria trabalhar na Secretária de Turismo, pois é muito prestativa e atenciosa, trocamos e-mail e espero um dia reve-la. Ela foi a primeira impressão positiva de Manaus, ser recebido por ela, fez toda a diferença, so errou em me dizer que ônibus passava às 5 da manhã, rs. Querida Néia, espero um dia reencontra-la. Frustrado por saber que não conseguiria ir a Novo Airão a unica coisa a se fazer era ir para o Hostel, tentei negociar com algum taxista e o mais barato queria me cobrar R$ 50,00, inviável, para me levar, resolvi esperar o ônibus e somente às 07 da manhã eu consegui pegar um, o tal de executivo, na verdade um micro-ônibus com ar condicionado, sem conforto nenhum e pra ajudar estava lotado! Desci na muvuca do centro de Manaus em uma segunda-feira, ai começam as más impressões. O centro de Manaus não tem calçada, estão todas tomandas por "camelos", pilhas de lixo por toda a parte, telefone público não existe e os que por la estão não funcionam, o transporte público é caótico e ninguém sabia onde ficava a Lauro Cavalcanti! Cansado, com sono e frustado, fui andando até o Teatro Amazonas, resovi enfim tomar um taxi. Parei o primeiro que vi passando e pedi para que me levasse, para variar o motorista não sabia onde ficava a Lauro Cavalcante, ai minha maior decepção, enquanto buscava no IPhone a localização do Hostel, ele encontrou a rua, nessa hora minha mãe resolveu me ligar no meu outro celular, ai tinha que pagar o taxi, pegar minhas coisas e falar com minha mãe tudo ao mesmo tempo, moral da história... esqueci meu IPhone no taxi! ãã2::'> E o motorista não devolveu. O problema não foi perder o aparelho, mas nele estavam todas as fotos que tirei de Brasília, todos os comprovantes de pagamentos da viagem, todos os localizadores dos voos, enfim, minha vida! Cheguei ao HI Hostel Manaus, como dito em outro relato, muito bom, ambiente agradavél e straff de primeira, não lembro o nome do rapaz que me recebeu, mas foi muito atencioso, eu cansado so queria uma cama, preenchi minha fica e fui para o quarto, la ja estavam alojados um casal britanico, um francês com dengue, rs, e um rapaz que ate hoje não sei a nacionalidade, era o unico brasileiro no quarto, alias o hostel estava cheio de estrangeiros, 90% dos hóspedes eram de fora. Cai na cama e so acordei 5 horas depois quase 2 da tarde. Foi ai que dei conta da perda do IPhone. Fiquei muito desanimado, pensei até em desistir de tudo e voltar pra casa, mas logo passou e a fome falou mais alto, pedi informações de onde comer, me indicaram um restaurante peruano "muito bom" que fica proximo ao Hostel. Chegando la mais uma decepção, não era bem um restaurante, era uma garagem com mesas, meio desorganizado e sujo, ja não havia mais muita opção o preço era bem salgado, pedi uma sopa de carne e me foi oferecido um tal de Cebiche, um prato peruano. A sopa de carne nada mais era que um caldo ralo com um osso bovino e o cebiche uma salada de peixe cru e alface com muita cebola e coentro, paguei R$ 20,00 por tudo e não comi quase nada. Voltei para o hostel e a chuva dasabou sobre Manaus, resolvi usar o computador e acabei conhecendo uma senhora de Varginha MG, não me recordo o nome, muito simpatica ficamos conversando por um bom tempo, logo sua filha Leyde Kelly se juntou a nós e a conversa rendeu, Leyde Kelly, funcionária dos Correios havia sido transferida para Manaus e levou sua mãe e avó para conhecer a cidade enquanto ela se ambientava. A chuva passou e resolvi andar, fui em direção ao centro e ja na Avenida Vargas me deparei com uma apresentação do Boi Bumbá Caprichoso na inauguração de uma ótica, enquanto saboreava um sorvete de Cupuaçu com Tucumã da sorveteria Glacial assisti a apresentação. Legal, mas prefiro o Garantido! rs Sai andando sem direção e encontrei a Praça Heliodoro Balbi, Praça da Polícia, em frente fica o Palacete Provincial, muito bonito e pelo que soube recentemente restaurado. Vou deixar as imagens falarem: Depois de andar pelas ruas do centro de Manaus cheguei ao grande Teatro Amazonas. Lindo! Mas infelizmente colocaram um "anjo" enorme na frente do Teatro, oque na minha opinião "enfeiou" o teatro, achei fora do padrão, alias o IPHAN deveria tomar alguma providência pois está muito feio, está descaracterizando a fachada do teatro. Ao lado do Teatro fica a Igreja de São Sebastião, so a vi por fora, embora mereça uma visita interna, pois dizem ser linda! Dei mais uma andanda pelo centro que está lindo, pelo menos a praça do teatro, todo enfeitado para o natal, alias por toda Manaus se vê enfeites natalinos, enfeites faraônicos, a prefeitura realmente investiu. Voltei para o Hostel e acabei conhecendo Hortensia, uma espanhola de 71 anos que há 7 meses saiu de Madrid e está a andar pelo mundo, muito receptiva, conversamos muito, ainda era cedo e resolvi chama-la para dar uma volta, fomos a praça da polícia pois queria provar o tal Tacacá, e diziam que ali tinha o melhor Tacacá de Manaus, feito pela dona Adalgiza. Confesso que não gostei, assim como também não gostei do Tucumã, mas como estava afim de conhecer tudo, valeu a experiêcia. Voltamos para o Hostel e ainda fui dar uma sapiada na internet para depois ir dormir, queria acordar cedo para aproveitar bem dia. O exotico Tacacá (imagem da internet)
  9. Poww show de bola seu relato. Estavamos no mesmo Hostel e no mesmo período e nem nos conhecemos... cheguei no dia 06 bem cedo, fiquei ate o dia 08, ia para Novo Airão logo que chegasse a Manaus , mas meu voo atrasou, perdi meu IPhone e fiquei desanimando pakas... so sai do hostel na segunda a tarde, bom eu estava sempre conversando com a Hostensia, uma senhora espanhola, também tive as mesmas impressões da cidade, muito lixo e rodoviária feia pra burro, apesar do povo ser bastante acolhedor To terminando meu relato sobre Manaus... Ah tbm perdi algum tempo conversando com esses dois, rsrs, o ambiente de Hostel de maravilhoso, tu conhece gente do mundo todo em poucas palavras... Manaus foi um sonho realizadom mas Belém, acompanhe o relato, é massa! Abraxx e quem sabe da proxima trocamos ideia.
  10. wgmoreira, Muito obrigado pela informação... ajudou muito... quanto menos grana poupar com essas coisas, sobra mais pra cachaça, rs. Valew! Abraxx
  11. Companheiro viajante, blz? To indo pra Manaus dia 06/12/10 fico por 3 dias lá... cara é realmente é dificil decidir onde ficar, recebi varias dicas, mas até agora não me decidi, mas sei que ficarei em algum albergue, existem vários em Manaus, ai vai o link do que mais me agradou e talvez fique neste: http://www.hostelamazonas.com.br/ Hostel Amazonas, os preços são bastante interessantes e as indicações foram as mais positivas, Seguem outros linkes: http://www.hostelmanaus.com/ http://himanaushostel.com/ http://www.manaushostel.com.br/albergue.php Esses ai são os mais indicados, mas existem outros, tbm é so jogar no Google que aparecerá uns 20 Albergues em Manaus. Qdo é a sua viagem? To com um roteiro mais ou menos formado, se tiver não tiver problema pra ti e as datas coincidirem podemos marcar junto, sei lá. Se quizer me add no msn ai a gente conversa melhor: [email protected] Abraxx te mais
  12. Sabem dizer se esses taxis rodam 24h por dia? Pq eu chegarei a Brasilia por volta de meia noite... Esse desconto é opcional, ou seja, o taxista dá se quizer, ou é politica da empresa? Grato. Tiago
  13. E aew galera blz? To desembarcando em BSB em dezembro (dia 03), chego perto da meia noite, sabem ai me dizer se é seguro ir até a Rodoviaria do plano piloto neste horário, e se tem onibus para a Asa norte (SRPN) neste horário? Taxi até lá fica muito caro? Outra coisa, alguém conhece o Albergue da Juventude ou algum outro Albergue por lá? Qualquer informação ajuda muito! Grato, Tiago
×
×
  • Criar Novo...