Ir para conteúdo

Caru Bastides

Membros
  • Total de itens

    34
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

1 Neutra

Sobre Caru Bastides

  • Data de Nascimento 20-03-1982

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Incrível relato rcrlacerda! Informações preciosas que estão me ajudando muito no planejamento pra visitar o parque. Para bangalos mais baratos e camping (tenho toda tralha, rs) também é preciso reservar com antecedência? Valeu!
  2. Outras viagens vieram (estou agora no Nepal, numa volta ao mundo) e o relato acabou ficando inacabado! Helen_p, a foto do perfil foi em Zakynthos, numa praia chamada Navaggio Beach ou Shipwreck Bay... e sim, é tão linda quanto parece na foto (a mais mais de toda minha vida). RubensFeijo juto que vou tentar achar um tempinho pra escrever sobre Zakynthos! Marlamello, eu pessoalmente odeio tour pq vc tem que fazer tudo no ritmo dos outros. Estava viajando sozinha e achei muito tranquilo fazer tudo independentemente. Os passeios eu fechava sim na hora, tem coisas que rola fazer sozinha e outr
  3. Ha, agora que vi que vc é o João, do Sabe do João! Te sigo no FB, mas este relato aqui foi precioso!
  4. Jaumz, relato ótimo, parabéns e obrigada por compartilhar a experiência! Estou tb numa volta ao mundo e planejando a viagem pela África, suas dicas foram fundamentais, pois antes disso pouca informação consegui encontrar sobre o Vale do Rio Omo. Valeu!
  5. Oswaldo, muito obrigado pelo relato! Ficou muito interessante e me ajudou a definir o roteiro no Nepal.
  6. Oi GGomez Concordo com o Marcos, apesar do seus desejo, vc não tem tempo pra fazer a travessia. Três dias é o mínimo do mínimo (sem contar os dias de ida e volta pra São Luís), pra curtir mesmo e não ficar cansativo eu diria que o ideal são 4 ou 5 dias na travessia. Isso não te impede de fazer os passeios e curtir bem estes 2 dias. Barreirinha é a melhor opção, porque é bem mais acessível e fácil de chegar do que Santo Amaro do Maranhão. Beijos
  7. Carol, tem algumas dunas altas sim, mas não lembro disso ser um grande obstáculo. Sei lá, a dificuldade maior foi a distância mesmo, pq meu pé começou a doer por dentro (nada de bolhas ou coisa do gênero) talvez porque eu tenha andado de chinelo um bom tempo. O que facilita é que a areia não é quente nem fofa, a maior parte é firme e com temperatura boa. Gosto de andar, mas não tenho um super preparo físico, de qualquer modo faria de novo, as paisagens são muito lindas. Isso que o Marcos falou eu já li tb, que este sentido favorece a caminhada. Beijos
  8. Oi Carolvleone, Fico feliz que o relato tenha ajudado. Na travessia, vc vai andar bastante durante a manhã e vai chegar nas vilas na hora do almoço. É legal levar lanches e snacks pra caminhada... frutas, uns sanduíches, bolachinhas, o que puder levar, só cuidado com o peso da mochila (cuidado mesmo, pq peso faz muita diferença numa caminhada como esta). Nas vilas, o valor da dormida é R$25, e o que consumir é pago à parte (café da manhã, refeições, água, refri, água de coco). Para ter uma idéia, em Baixa Grande eu paguei R$72 pela dormida + almoço + jantar + café da manhã + 2 garra
  9. Isabel D, que bom que gostou do relato! Vc vai para a Turquia, certo? Não há nenhum problema comprar as passagens de ônibus lá mesmo. O que eu fazia era comprar a passagem assim que eu chegava na cidade, pois assim já garantia. O avião Istambul-Kayseri eu comprei lá pq não consegui comprar do Brasil, mas mesmo assim foi bem tranquilo e não foi caro, diferente do Brasil que é o olho da cara se vc compra passagem com alguns dias de antecedência. Se eu puder ajudar em mais alguma coisa, é só perguntar... e boa viagem!
  10. Além de ser realmente Bonito, o lugar é conhecido como capital do ecoturismo, ou seja, uma delícia para se curtir a natureza, com rios, cachoeiras, grutas e a exuberância da fauna do Pantanal, tudo com aquele clima de interior. Por lá tudo é bem organizado, os passeios devem ser comprados com agências e ocorrem dentro de propriedades privadas, algumas delas dentro de APAs – Áreas de Proteção Ambiental. Diferente da preservação que pratica por lá, o caminho a partir de Campo Grande é feito por meio à paisagem de grandes fazendas, a maioria com criação de gado. Em cerca de 4h se faz o percurso
  11. Gente, valeu! As fotos tentaram expressar o tanto de beleza que tem naqueles lugares! E olha que é muita beleza! renatohimself, eu tenho uma câmera Sony NEX F-3... e adoro ela! É uma semi-profissional bem compacta e de muita qualidade! E pessoal, prometo chegar logo na Grécia, rsrs thais_valeska, não avexe não, abraça esse roteiro que tenho certeza que vai aproveita muito!
  12. ATENAS Ao passear pelas ruas da capital grega é impossível não notar todo o legado cultural presente em Atenas. Berço da civilização ocidental, Atenas foi a cidade mais próspera da Grécia Antiga, e tb com uma riqueza cultural sem tamanho. Pense em democracia, nos filósofos Aristóteles, Platão, Sócrates e Pitágoras, a Ilíada e a Odisséia de Homero, o Édipo Rei de Sófocles e outras peças de teatro memoráveis, que expunham as crenças baseadas na mitologia grega e os deuses do Olimpo, tb toda a rica arquitetura clássica, as olimpíadas... Pense que tudo isso aconteceu ali, naquela região. Foi a
  13. MYKONOS Agito, badalação, beach parties, gente bonita e descolada... junte a isso praias completamente paradisíacas, com águas claras e calmas. Assim é Mykonos, a ilha mais conhecida e visitada da Grécia. Mas se não gosta de tanta festa assim, tb vale a pena conhecer, pois além das belíssimas praias, tem Chora, a charmosa vila central da ilha, com suas casinhas brancas e azuis, varandas floridas, vielas estreitas de pedra, e incontáveis lojinhas, restaurantes, cafés e bares, tudo uma gracinha. Na vila rola até uma Pequena Veneza, com suas casas penduradas no mar e os moinhos que se tornara
  14. SANTORINI A ilha mais conhecida da Grécia tem formato de meia lua e formação vulcânica, sendo que no centro há a cratera submersa de um vulcão. Isso faz com que haja uma beleza natural incrível, aliada aquele charme arquitetônico grego. Um exemplo disso é a vila de Oía, com as clássicas casinhas brancas no alto do penhasco que beira a cratera. Na outra ponta da ilha, há a Red Beach, uma praia de águas verdes com a baía rodeada por uma imensa falésia vermelha e rochas vulcânicas, e Praia Vlichada, cercada por imensas falésias de pedra esculpidas pelo vento. Santorini não possui aquelas pr
×
×
  • Criar Novo...