Ir para conteúdo

MGazzoni

Membros de Honra
  • Total de itens

    67
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que MGazzoni postou

  1. Gente.... jan e fev é realmente complicado ir para lá...então, aos que puderem, programem para outra época, não adianta tentar o velho "jeitinho brasileiro" e tentar ir para lá agora (ou nos próximos 15...20 dias).. o melhor é reprogramar mesmo... lembramos também, as meia estações (primavera...outono) tudo por lá é mais tranquilo, chove bem menos, temperaturas mais agradáveis, e o principal....td mais barato...então, quem puder se programar para ABRIL..MAIO...e melhor ainda SET ou OUT...com certeza terá uma trip mais "aproveitável".... A aventura tá em dar td certo tb...
  2. Amigo As informações são somente que o pessoal (geral) está relativamente isolado, e o governo está com helicópteros e vários funcionários trabalhando tanto para liberar a estrada de ferro de Ollanta até Águas Calientes, como para atender os turistas (água, alimentos e retirada do local). Na verdade, essa preocupação de hoje será mais uma história para contar no futuro. Claro que assusta, mas acho que não há motivos para preocupações maiores, até pq realmente a comunicação lá não deve estar das melhores no momento. Abraço
  3. Reforçando, preços para casal 120 e triplo 155 pesos...(calculando rápido, em real a metade desse valor). Isso no Uruguay e no da frente, Gran Hotel España... Ali perto, a pé mesmo, se conseguem vários por preços equivalentes...tem o Turista, Alcazar... Fiquei uma noite no Hostel Portal del Sur desta vez...faltava ele, mas não sei se dei azar, cheguei cansado com o buquebus das 21:30 e...uma banda tocou no último andar (sim, tem um bar) até lá pelas 3 e meia da madruga...imagina a bateria na cabeça da gente que estava no andar de baixo... O milhouse como li nas conversas e já pude comprovar por outras 3 vezes é ótimo como Albergue, ou seja, vc solteiro e querendo agito... outro que NÂO recomendo, a não ser se vc pegar os quartos mais caros (260 pesos, mais que o Ibis) é o majestic.
  4. galera nesta última ida peguei cartão do alcazar..e de mais uns 10, visitei todos para ver...olhei quartos..vou ver e coloco aqui, mas se não me falha a memória não tem site nem mail não... o Hotel Uruguay eu gosto, fiquei 3 vezes..mas de certeza não tem contato por mail, tem que ser na hora mesmo...mas é um ótimo custo benefício como o amigo Adriano comentou.. inté
  5. gente... tem um hotel que fiquei 3 vezes já...não tem contato por mail, mas chegando sempre consegue... é o Hotel Uruguay, na Tacuari (pertinho do milhouse), na av de mayo, uma rua antes da 18 de julio a esquerda média de 15 dólares por pessoa...mas banheiro show, roupa de cama, tv a cabo, aquecedor/ar...sem bagunça... mas tem que ver na hora que chegar lá...e ha 15 dias atrás lá tava bem cheio... se nao tiver, na frente tem o Espanha se não me engano..tb dá pra arriscar, mas nunca fiquei nele...
  6. sempre fico no www.surhotel.com muito show, localização, é hotel mesmo mas não é caro, limpinho..roupas de cama sempre sendo trocadas....
  7. www.hosteriapajaroazul.com.ar muito show, no km 10,5 , café da manha feito por elas no dia..td quentinho, muito bom.
  8. blz...escreve aí mesmo o que acha... só para comparação para quem quiser, aqui tem um de Buenos Aires do ano passado...pra comparar preços abraçosViagem Buenos Aires 2007.pdf Relatório Final Bariloche.pdf Relatório Final Bariloche.pdf
  9. valeu léo tem o arquivo completo com as fotos para baixar no final também, em PDF..... quem quiser, se tiver na região de floripa, trouxe quilos de mapas, folders, etc....para emprestar para quem for para aquela área... abraço
  10. Amigos Segue em anexo relatório da última mochilada pela Argentina, específicamente Buenos Aires e Bariloche, com custos, fotos, passeios. Qualquer dúvida, estamos aí amigos... abraçosRelatório Final Bariloche.pdf Relatório Final Bariloche.pdf
  11. Tenho um trilhas 75 comprada em 98, costuras super inteiras...se não fosse o detalhe que a impermeabilização ta soltando toda, parece que a roupa fica cheia de caspa... fora isso, muito boa...dá até pena trocar, visto a história dela.....me acompanhou bastante...
  12. www.surhotel.com em mvd....achei bacana, pelo menos oquarto que pegamos bem limpo ebanheiro show... com net mas sem cafe em colonia (www.guiacolonia.com.uy/hotelciudadela / mail quarto triplo, com ar condicionado, tv a cabo e o melhor café da viagem, por U$D 10,00 por pessoa....30 doletas ...bem legal, barato e com um cafe show..foi o melhro da viagem..um baita descanso para a gente
  13. vc pode agendar td isso na rodoviaria mesmo... tipo um city tour (um dos unicos lugares do mundo que peguei)...pois assim eles levam vc la na hora do por do sol que é amais bacana... para a isla, vá para o porto..sempre tem uns barcos para ir, é só dar o numero de pessoas que eles vão...
  14. quem procurar no www.clarin.com.ar tb poderá ver a reportagem. Realmente SEMPRE falo para o pessoal nao ir de carro, só dá stress...
  15. ROTEIRO DE VIAGEM Argentina e Uruguai POR BUENOS AIRES – COLONIA DE SACRAMENTO MONTEVIDEO – PUNTA DEL ESTE - RIVERA Relatório da viagem realizada por Marcelo Gazzoni, Vera Galera Gazoni e Ani Gazoni Sexta feira, dia 01 de julho, saída de Pato Branco – PR com destino a Alegrete – RS, onde foi pego o ônibus para Buenos Aires com a Viação Pluma, as 23:05 com chegada prevista para as 12:00 do dia seguinte. Valor da passagem: R$ 76,00 Valor do combustível gasto: R$ 145,00 (custo por pessoa de R$ 48,35). Alimentação: R$ 18,00 (almoço, lanches e pizzaria em Alegrete). Buenos Aires - Milhouse Hostel, 20 reais a diária (ou 28 em quarto privado), localizado perto da Plaza de Mayo, Casa Rosada e Obelisco. Bem localizado, pode-se conhecer vários pontos turísticos caminhando. ([email protected]) ou www.albergues.com.br . Primeiro dia - Após instalações no albergue, seguimos para a Recoleta caminhando via Alvear para aproveitar a Feira, artesanatos, antiguidades, roupas. Buenos Aires – Recoleta Um dos bairros mais pitorescos, a Recoleta é imperdível, principalmente nos finais de semana devido a enorme feira de artesanatos, e por seus cafés e bares. Imitando Paris, possui grandes áreas verdes e fachadas em estilo francês. Apesar de ter perdido um pouco no setor de diversão para Porto Madero, o charmoso bairro ainda concentra algumas construções de época e uma das ruas mais caras do comércio portenho. A feira de antiguidades, localizada na praça da Recoleta, é ponto de parada obrigatória. E, mesmo que possa parecer mórbido, entrar no cemitério da Recoleta é uma atração, no mínimo, pitoresca. Lá estão enterradas as principais figuras da história Argentina, entre elas, a talvez mais famosa, Eva Perón. Outro detalhe “interessante” são os caixões que ficam expostos, e não enterrados ou colocados em gavetas. É lá que fica o Hard Rock Café argentino, com sua lojinha de camisetas, bonés e moletons famosos que circulam por aí, bem como um shopping de design e móveis. O bairro também abriga o Museu Nacional de Belas Artes, recheado de novidades e instalações em sua volta, prédios e monumentos e a embaixada do Brasil. Gastos do 1° dia: Passagem ALE-Buenos Air. 76,00 Albergue: 108,00 Pizzaria 2,80 (pizza grande de mussarela /3 + coca cola. Joguinho de lembrança 1,80 Relógio de parede 27,00 Imãs de geladeira 4,50 Táxi 1,50 TOTAL 221,60 Buenos Aires - San Telmo Segundo dia – Domingo, imperdível a feira de artesanatos e principalmente antiguidades em San Telmo. Marque na agenda portenha: domingo (e só) é dia de ir a San Telmo. A principal característica do bairro, é a concentração de antiquários e galerias de arte que deixam qualquer um com vontade de redecorar a casa. Apesar dos preços nem tão satisfatórios para o bolso brasileiro, San Telmo mantém o charme em mais de 30 antiquários, entre 200 pontos comerciais.Todo domingo, de manhã à tarde, a Plaza Dorrego de San Telmo é ponto obrigatório. Não precisa comprar nada, mas vá, dê uma volta entre as barracas, onde vendem-se talheres, bandejas de prata, mesas, cadeiras, luminárias, moedas, tudo de época. Por ser ponto de concentração turística, artistas se apresentam nas ruas de San Telmo, desde os dançarinos de tango até os que fazem performances de estátua viva, todos pintados de branco, prata ou dourado, em troca de uma moedinha em peso. Nunca, mais nunca tente tirar fotos dos artistas sem deixar-lhes uma moeda, você pode ser ofendido por alguns, afinal, eles estão lá para ganhar a vida. Além dos bares, cafés e restaurantes, San Telmo abriga também uma das mais tradicionais casas de tango de Buenos Aires, a El Viejo Almacén, que oferece jantar e show. A tarde ainda fomos novamente a feira da Recoleta e ao bairro da Boca. E voltamos andando ao Centro Buenos Aires - Boca e Caminito Reduto de criminalidade, o bairro da Boca é, para todo o mundo, um exemplo de maquiagem (ou seria revitalização?!). Formado por imigrantes italianos, em maioria, o bairro tem como característica principal às casas construídas com lata. São cortiços, na verdade, feitos com pedaços de navios em que chegaram os italianos no passado, como reza a história. Revitalizadas (ou maquiadas?!) com ajuda do governo, algumas casas ganharam cores fortes e identificação em qualquer lugar do mundo. A sua rua mais famosa é a Caminito, que ganhou homenagens como nome de tango e é ponto turístico obrigatório. É um espaço turístico, e talvez a moeda de troca com a população local. Por estar na periferia de Buenos Aires, o bairro não é aconselhável à noite. Tem becos muito escuros e perigosos, uma linha de trem assustadora e uma comunidade nem tanto amigável, segundo o que dizem. No éden Caminito, no entanto, a arte é efervescente. Há artesanato, telas de artistas locais e que vendem, por 10 pesos ou 30 pesos, quadros originais que podem servir de lembrança local. Lá também há dançarinos de tango pelas ruas e performers que fazem estátua viva para divertir o público. Há músicos e uma espécie de display de madeira conhecidíssimo dos turistas, que podem simular que estão dançando tango na hora de fotografar. Nas redondezas da rua, onde também é permitido ser turista, tem lojas que vendem quinquilharias para turistas, como chaveirinhos e coisinhas para levar para casa, bares e cafés para sentar e conversar. Sede da Bombonera, o estádio do Boca Juniors, o bairro se transformou em palco da maior rivalidade no futebol argentino, contra o arquiinimigo River Plate. Ver a Bombonera de perto é quase impossível. Só abre em dia de jogo. Aconselha-se não ficar a noite, ou seja, vá de dia e quando pensar em começar a escurecer, adiós. Gastos do 2° dia: Moedas: 27,00 (antigas, compradas na feira). Táxi para a Boca 3,15 (fomos ao Bairro da Boca após a feira) Postais 4,50 Imã de geladeira 4,05 Empanadas de almoço + coca 6,75 Jantar 16,20 (jantamos em um rodízio, churrasco, pizzas, massas, quiches, coca cola e sobremesa livres. Muito bom e barato. TOTAL 61,65 Terceiro dia – Segunda, passeamos pelo centro até Palermo (parques), Jardim Japonês, Observatório, Puerto Madero, Plaza de Mayo e Shopping Abasto. Na segundo, saímos a pé em direção ao parque de Palermo, onde, no caminho, observamos muitos e muitos monumentos e atrações arquitetônicas de Buenos Aires, onde a cada esquina é uma surpresa. Saindo do albergue, passamos pelo Congresso, pelo Teatro Colon, pelo prédio da Águas Argentinas, muito interessante. Seguindo o passeio, passamos pela Faculdade de Medicina, outras pequenas praças (tudo a pé) até chegarmos a Recoleta. Tomamos um belo café com “medialunas” (croissant, brioches), e seguimos observando as construções. Almoço (empanadas) e entramos no Jardim Japonês, muito lindo e interessante. Entrada de menos de 3 reais. Seguimos após até o parque, observatório. Congresso de Tucuman, Águas Argentinas, Jardim Japonês Parque de Palermo e Observatório Após passearmos pela região, até a Plaza Itália, aproveitei também para comprar as passagens de buquebus para Colônia de Sacramento – UY, e caminhamos pela Plaza de Mayo e Puerto Madero. Após decidimos comprar a janta em um Mercado. Fomos então ao Shopping Abasto, de metrô, onde tem um mercado em frente. Passeamos pelo shopping, e compramos a janta composta de diversos produtos tipicamente argentinos. L´ocro (que eu havia comido em Salta, norte da Argentina) frutas secas, quiches, tortas salgadas, um suco de laranja e muitos doces (chocolates, alfajores). Jantamos no albergue e após, seguindo o ritmo dos colegas do albergue, compramos algumas garrafas de vinho, pegamos a mesa de sinuca e ficamos até tarde se divertindo no ambiente “internacional” do albergue. Shopping Abasto e Noite no albergue. Casa Rosada, Puerto Madero. Buenos Aires - Puerto Madero Aqui sim temos um exemplo de recuperação/revitalização. Às margens do rio de la Plata, Porto Madero é um conjunto arquitetônico de galpões que já serviram, no passado, para armazenagem de produtos e alimentos que chegavam pelo mar. Revitalizados há cerca de dez ou 12 anos, eles abrigam atualmente o maior pólo de diversão portenha, que, para alguns, já tira o posto da Recoleta. Há 43 restaurantes, oito cinemas, uma casa noturna, 11 lanchonetes e cafés, passeios, um museu, o Iate Clube, hotéis e uma bela vista do rio e de novos pólos financeiros e residenciais de Buenos Aires. Tem até cassino, apesar de eles serem proibidos na província de Buenos Aires. A história do cassino é pitoresca: para driblar a lei, seus donos o instalaram dentro de um navio em Porto Madero. Lá, ele não fica sediado no território de Buenos Aires, e, assim, responde às leis marítimas, que permitem o jogo. Interessante é você observar (a sua sorte) as pontes que, para dar passagem aos barcos, giram e encaixam-se nas laterais, ao contrario da grande maioria que conhecemos que se ergue. A crise econômica obrigou muitos restaurantes e casas noturnas que haviam se instalado no local a fecharem suas portas. Um projeto de Planet Hollywood argentino, construído em Porto Madero, nem chegou a estrear. O prédio foi ocupado por outra boate, mas também está fechado. Entre os restaurantes, há opções de massas, carnes (inclusive um brasileiro), peixes e buffets. Os cardápios ficam visíveis na frente dos estabelecimentos para consulta de preços e opções. Encontrar um lugar, no entanto, pode ser motivo de estresse. Tente reservar antes. O povo argentino costuma sair para jantar a partir das 22h, especialmente as sextas e sábados. Em Buenos Aires, uma cidade que praticamente não dorme, a lógica da diversão funciona assim: aproveite o dia para visitar museus, parques, praças, bairros, prédios históricos e monumentos; tempo para tomar banho e relaxar, ver algumas das besteiras que eles têm na TV ou encontrar preciosidades como “Tumberos”, um seriado sobre a vida na prisão; saia para jantar entre 21h e 22h; por volta de 1h ou 2h, é hora de ir a uma (ou várias, em “peregrinação”) boate. Gastos do 3° dia: Café: 4,05 (café, medialunas, suco de laranja). Empanadas 4,59 Entrada Jardim Japones 2,70 Metro 1,89 Passagem à Colônia (Buquebus) 45,90 Jantar 8,20 Vinho/Sinuca 14,40 TOTAL 81,73 Quarto dia – Terça-feira, fizemos o passeio pelo Delta do Tigre, local onde deságuam os rios Paraná (já tendo recebido o Paraguai) e Uruguai, formando o Rio da Prata. Fizemos o passeio, que as agências cobram em torno de R$ 80,00 para fazer, gastando somente R$ 13,00 (pelo passeio idêntico), única diferença é que não tínhamos a van pegando na porta de casa, e sim, tivemos que pegar um metro (0,70) até a estação retiro. Após pegamos o trem até Tigre (0,75) 40 minutos depois chegamos. Cidade simpática, procuramos logo um tour, infelizmente, chegamos 5 minutos atrasados e não pudemos pegar o passeio em Catamarã. Mas o infelizmente deu sorte, pois logo após saia uma lancha rápida, que recomendo, e que fazia o mesmo passeio. Ainda deram café e alfajores. Muito interessante, passamos por vários canais, pequenas “avenidas” de água (como Venezia), onde existem muitas casas de veraneio e outras construções interessantes. Na volta ainda paramos em San Isidro para dar uma caminhada no local. Gastos do 4° dia: Trem 2,40 Lanche 1,80 Passeio no Tigre 9,00 Metro 1,26 Globos (luminárias) 27,00 Jantar 7,65 TOTAL 49,11 Quinto dia – Quarta-feira livre para compras e passeios pelas lojas. Gastos do 5° dia: Bijouterias 36,00 Perfumes 27,00 Pizza de almoço 1,50 Pasta de sapato verde (Jeep) 18,00 Presentes 45,00 Presente 3,15 Kebabi (janta) 3,15 Telefone 18,00 TOTAL 151,80 07/07 Quinta saída para Colônia de Sacramento as 09:00 da manha de buquebus.O Eladia Isabel é um barco relativamente grande, tem restaurante, free shop... Preço 490 pesos (R$ 50,00). Chegada ao Meio dia.
  16. BOm, sou fanático por Julio Verne.. todos seus livros contam sobre viagens, aventuras, desde a América do Sul, Nova Zelândia..até a Lua e o centro da terra... são todos shows.. recomendo todos mesmo.. Ah..e também as aventuras de Tintim.. de Hergé.. o reporter que inspirou as os filmes de Indiana Jones.. 20 mil léguas submarinas... (Capitão Nemo) e após ler a Ilha Misteriosa.. Viagem ao centro da Terra A Volta ao mundo em 80 dias Os filhos do capitão Grant Tres russos e tres ingleses Cinco semanas em Balão Da terra a LUa (muito loco..os caras vão pra lua em uma espécie de bala de canhao).. Norte contra o Sul (inclui uma baita aula de história).. e assim por diante...
  17. Aproveita e vai pelo Atacama.. com certeza não irá se arrepender. Fique ao menos uns dois dias, vá para os geysers.. vale de la luna, lagunas altiplanicas.. com certeza é uma experiência impar
  18. Gente.. alguem tem info de como ir de DIonisio Cerqueira de busao até Posadas - Corrientes de preferência? Aqui na net nao to conseguindo achar isso..
  19. e volta lá pelas 5 e pouco da madruga..nao lembro certinho..mas é bem cedo chegando em Ollanta já tem um monte de bus que levam o pessoal até Cusco...chega lá la pelas 09 e pouco
  20. ai Tomita e Magno.....valeu das dicas atuais..é bom saber essas mudanças... abraços e boas viagens.. MGaZzOni
  21. Poxa gente, primeiramente este tópico é de DICAS e se possível não perguntas..para consultas, deixar o mais limpo possível..mas vamos lá né... Domingo até um mês atrás tinha o trem, provavelmente tenha ainda. Quase 100% de chance. De Nasca a Cusco tem direto (sai as 16 horas e chega na manha seguinte em Cusco) ou ainda tem via Arequipa..beeeem mais longe. O trem de Ollanta a MP é isso ali mesmo, mas assim mesmo é a metade do preço normal e vc ainda conhece coisas legais e fica mais tempo em MP. De Arequipa deve ter sim algum ônibus a Santiago, já li alguma coisa mas não to lembrado, se não me engano é uma linha Lima-Buenos Aires... MGaZzOnI
  22. Atualizado em março/2010 [info]Este tópico é um Guia de Buenos Aires que está sendo construído com informações de viagens realizadas pela equipe do site e, principalmente, com informações de usuários que foram postadas nos fóruns relacionados ao tema aqui no Mochileiros.com. Este guia é atualizado periodicamente. O Mochileiros.com é uma fonte gratuita de informações para viajantes de língua portuguesa e a contribuição de todos os membros é muito importante. Veja como contribuir com o Guia de Buenos Aires: 1- Faça perguntas ou deixe suas dicas no Tópico: Buenos Aires - Perguntas e respostas 2- Deixe sua dica sobre onde se hospedar no Tópico: Buenos Aires - Hospedagem 3- Deixe sua dica sobre onde comer no Tópico: Buenos Aires - Alimentação 4- Deixe sua dica sobre para onde sair no Tópico: Buenos Aires - Baladas e Noitadas 5- Escreva um relato sobre sua viagem por Buenos Aires[/info] [t1]Buenos Aires - Guia de Informações[/t1] Capital federal da República Argentina e segunda maior aglomeração urbana da América do Sul. [align=justify]A cidade, chamada pelos locais de Capital Federal, é um dos centros culturais de maior importância da América Latina com uma grande oferta cultural de museus, teatros e bibliotecas. Buenos Aires, ainda, foi eleita pela UNESCO como Cidade do Design e foi a primeira na América Latina a oficializar uniões homossexuais, em 2003. Sua economia é baseada em serviços, com 70% do PIB. Buenos Aires foi fundada em 3 de fevereiro de 1536 por Dom Pedro de Mendoza, colonizador espanhol, com o nome de Nuestra Señora del Buen Ayre. A cidade foi abandonada, arrasada pelos índios e refundada em 11 de junho de 1580 por Juan de Garay com o nome de Ciudad de la Santísima Trinidad y Puerto de Nuestra Señora del Buen Ayre. A cidade acabou por adotar Buenos Aires, através da mutação do nome do porto e primeiro nome da cidade. Nuestra Señora del Buen Ayre era uma homenagem à Virgem da cidade italiana de Cagliari que protegia os navegantes. O leque cultural amplo da cidade se deve à diversidade de quem a habitou ao longo de sua história, como italianos, franceses, portugueses, negros e crioulos. Um exemplo disso é o lunfardo, dialeto que se desenvolveu a partir de meados do século XIX nas zonas pobres de Buenos Aires, Rosário e Montevidéu. O lunfardo ficou imortalizado em letras de música popular, como o tango, que se desenvolveu em cafés e bares tradicionais principalmente na Avenida Corrientes e desde então é onde se encontram alguns de seus teatros de maior importância. A gastronomia portenha também se destaca por sua diversidade. Buenos Aires é ainda conhecida como a Paris da América do Sul, pois é uma cidade única no continente, com variada arquitetura, cultura, onde se destaca a música e a arte, e uma vida noturna agitada. Com mais de 13 milhões de habitantes, é considerada a segunda maior metrópole da América do Sul em termos populacionais. A cidade está no mesmo fuso horário de Brasília e só possui uma hora a menos quando o horário de verão é aplicado em algumas regiões do Brasil. A tensão elétrica é de 220V, o código internacional telefônico da Argentina é 54 e o da cidade de Buenos Aires é 11. Bancos e agências de câmbio funcionam de segunda a sexta de 10h às 15h. O comércio funciona de 9h às 20h. Em alguns bairros é costume fechar ao meio-dia, prolongando-se o horário da tarde até às 22h. Aos sábados o horário é de 9h às 13h. Os Shopping Centers abrem às 10h e fecham às 22h todos os dias da semana, inclusive domingos depois das 12h. Durante os fins de semana as praças de alimentação ficam abertas até a 1h da manhã e os cinemas têm sessões que começam a essa hora. Os supermercados ficam abertos de 9h às 22h. As principais redes abrem também aos domingos, geralmente a partir das 12h. A moeda nacional é o peso. As cédulas em circulação são de 2, 5, 10, 20, 50 e 100 pesos e as moedas são de 1 peso e 1, 5, 10, 25 e 50 centavos. Todas as bandeiras de cartões de crédito são aceitas. Para brasileiros, não é necessário visto de entrada no país nem de nenhuma vacina para a cidade. Os visitantes brasileiros devem preencher uma cartela de turismo a ser apresentada na entrada juntamente com o passaporte ou carteira de identidade, com até de 10 anos de expedição. A permanência autorizada, em princípio, é de 90 dias. Os empresários ou viajantes de negócios devem solicitar, nos consulados argentinos, visto específico que autoriza estadas inferiores ou iguais a 90 dias, prorrogáveis uma vez por igual período. Para permanência no país por prazos superiores ou com outros objetivos, deve ser solicitado previamente o visto correspondente nos consulados argentinos no Brasil.[/align]
  23. É a localidade que melhor conserva o passado português. Suas estreitas ruas, seus faróis e seus muros conferem-lhe um ar particular. Entre seus numerosos locais tem destacado Portón de Campo, o Bastión de São Miguel, o Convento de São Francisco Xavier ou da Casa del Virrey. Para ter uma idéia do conjunto tem que passar pelo farol da cidade (do século XIX). Em Sacramento encontra-se a igreja mais antiga do país, a Igreja Matriz do ano de. Passeamos por todos os locais, fomos também a uma antiga construção onde eram realizadas Touradas (Plaza de los Toros). Hotel Ciudadela é um bom local para se hospedar. Quarto triplo, com ar condicionado, tv a cabo e o melhor café da viagem.
  24. Oi romil... o surhotel é muito bom, pegamos um quarto triplo bom mesmo, banheiro ótimo, ar condicionado e tv a cabo... o único detalhe lá é o barulho do transito na rua......mas nada que atrapalhe.. e a net grátis ajuda tb.. até
×
×
  • Criar Novo...