Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

carladria

Membros
  • Total de itens

    52
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

21 Excelente

Outras informações

  • Lugares que já visitei
    recife, londres, paris, zurique, barcelona, tunisia.
  • Próximo Destino
    américa do sul ( brasil, argentina, chile e peru).
  • Ocupação
    arteterapia

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Venho contribuir com meu relato de como fiz para conhecer o Valle Sagrado indo na contra mãos dos tours de massa, encontrando templos praticamente vazios e assim aproveitei tudo o que a região tem a oferecer da melhor forma possível. Primeira Consideração: Altitude: Todos falam para primeiro " aclimar" em Cusco e depois subir para Machu Picchu. Na minha opinião essa dica é furadíssima e até perigosa, visto que Cusco está a 3500 m e Machu Picchu a 2400 m. Como alguém pode aclimatar em uma altitude elevada para depois ir para uma 1000 metros mais baixa?? Não faz o menor sentido. Sendo assim, resolvi que conheceria Machu Picchu antes do Vale Sagrado. Segunda consideração: Fugir da multidão de turistas e dos tours de agências Após muitas viagens pelo mundo, aprendi que os tours de agências ,daqueles que lotam um ônibus inteiro nunca é a melhor opção para explorar um local, normalmente o turista fica com o tempo controlado e depois o ônibus parte para o próximo local e não se aproveita nada ( sem contar as trocentas lojas de tranqueiras que geralmente param). Sabendo disso peguei a indicação de um taxista que tb é guia em um grupo do whatsapp e foi o dinheiro mais bem gasto nessa viagem, pois ele tem muito conhecimento cultural de todo valle sagrado, dando explicações valorosas e pude andar por todas as ruínas ( Ollantaytambo, Pisac, Maras,Moray, Chincheiro,Sacsayhuaman, Qenqo, Puca Pucara e Tambomachay) sem pressa. Meu guia/taxista montou um roteiro para visitarmos os lugares indo na contra mão das agências. Exemplo: Os tours do Valle Sagrado saem de Cusco e vão primeiro a Pisac que fica lotado na parte da manhã e depois seguem para Ollantaytambo que fica lotada à tarde. Nós fizemos Ollantaytambo na parte da manhã e Pisac à tarde, pegamos as ruínas vazias o que para mim foi muito bom. Terceira Consideração: Machu Picchu ao nascer do sol é bom mesmo?? Todos falam para madrugar e assim ver o nascer do sol em Machu Picchu, que é lindo, que tem uma magia,etc. Mas ao ler relatos e principalmente após ver videos e fotos da multidão que madruga na fila a partir das 4 horas da madrugada e da bagunça que é mesmo com horário marcado, decidi que essa não seria a melhor opção e optei pela tarde para ver o por do sol e foi a decisão mais acertada possível, pois conheci Machu Picchu relativamente vazia e isso no mês de Julho pegando o penúltimo horário de entrada ( 13 horas). Entrei em contato com o Sr Camilo via whatsapp, muito atencioso, falei que fui indicada por um ex cliente dele e desde o início da nossa conversa foi muito receptivo, combinamos valores, datas e ele foi me buscar no aeroporto de Cusco. Abaixo o Roteiro 1º Dia: Cheguei em Cusco por volta das 17:30, Camilo foi nos buscar no aeroporto , antes deu uma volta de carro pela plaza de armas e seguimos para nosso hotel. Descansamos, fomos jantar e compramos chocolates, sucos,bolachas e água e voltamos para o hotel para não abusar da altitude. 2º Dia: Tomamos café e fizemos check out e deixamos nossas malas guardadas no locker do hotel e fomos com uma mochila de 50 litros para 3 pessoas. Camilo veio nos buscar às 8 horas da manhã para um passeio por Chinchero, Maras e Moray e depois seguir para a estação de Ollantaytambo A primeira parada foi em Chinchero que estava completamente vazia ( o local fica lotado no fim da tarde), compramos nosso boleto turístico na entrada e exploramos todo o sítio arqueológico de Chinchero. Camilo explicou como o terreno era preparado para a produção agrícola, andamos por todo terraço inca , eleu nos mostrou a precisão que os incas tinham para aproveitamento da luz solar e como otimizavam a irrigação natural para o melhor aproveitamento da área de plantio. Depois fomos até a Igreja que foi erguida pelos espanhóis em cima de uma construção inca e vimos as maravilhosas pinturas que tem por dentro. Seguimos para o sítio arqueológico de Moray ,o caminho é um espetáculo e Camilo sempre parava o carro quando pedíamos para tirar fotos. Ao chegarmos ao local ficamos encantados com os terraços circulares e ouvimos a explicação da função do complexo que poderia tanto ser agrícola como poderia ser um anfiteatro ( pela acústica) ou até mesmo um centro de devoção . Andamos por todo o complexo por cerca de 2 horas e completamente vazio ( os tours tinham acabado de ir embora quando chegamos). Em seguida fomos para as Salineiras de Maras, o caminho cheio de curvas é de dar medo e ao mesmo tempo um encanto ( Camilo disse que a estrada de acesso a Maras fica fechada no verão por causa das chuvas). Maras não tem nenhuma relação com a cultura inca, é um local usado pelos peruanos para obter sal de qualidade, é utilizado o sistema de terraços para amortecer a água da chuva que vem da montanha que fica alojada em tanques e após a evaporação da água é obtido o sal. Foi um dos lugares que mais gostei de conhecer, tanto pela técnica quanto pela paisagem,algo totalmente diferente do que já vi. Seguimos para a cidade de Ollantaytambo e embarcamos no trem da Inca Rail que partiria às 16:30 com destino a Águas Calientes . A paisagem é muito linda, de um lado o rio, do outro os picos nevados. Ao chegarmos a estação de Águas Calientes o funcionário do nosso hotel foi nos buscar na estação, nos acompanhou até o hotel. Ofereceram serviço de guia em grupo e recusamos ( mais a frente explico o motivo) e saímos para comprar nossos tickets de ônibus. A fila estava LOTADA, a perder de vista, ficamos cerca de 1:15 hs até conseguimos comprar nossos bilhetes. Saímos para jantar e achei o preço dos restaurantes absurdamente caros se comparados aos restaurantes de Cusco e de Ollantaytambo, mas enfim é a cidade base para Machu Picchu o que mais podemos querer? Voltamos para o hotel, estávamos muito cansados, foi um dia intenso cheio de passeios e viagens e não sofremos absolutamente nada com o mal de altitude, apesar de termos passado o dia em altitudes elevadas, Àguas calientes fica a 2040 metros. A regra para aclimatação é simples: passar o dia em altitude elevada e dormir em altitude baixa. Sendo assim apesar de cansados estávamos bem fisicamente. 3º dia: 5 horas da manhã e o nosso hotel está com um barulho ensurdecedor, todos loucos se dirigindo a fila do ônibus, da janela do nosso quarto avisto a fila do ônibus muito maior que a fila da compra do ticket do dia anterior. É muito perrengue!! Voltei para a cama e dormi tranquilamente até às 9 horas. Tomamos café, demos uma volta pela cidadezinha e fomos para a fila do ônibus às 12:15 ,tinha apenas 2 pessoas, entramos no primeiro ônibus e fomos para Machu, em 30 minutos chegamos. Comemos nosso lanche antes de entrar, fomos ao banheiro e partimos para explorar a cidade perdida dos incas. Antes recusamos todos os guias que nos abordaram na entrada do parque, queríamos aproveitar com calma e tranquilidade e um guia com um grupo de 10 pessoas não era o que desejávamos. Se fez falta? Nenhuma, mas antes fizemos a lição de casa, lemos muito sobre Machu Picchu antes de irmos para o Peru, assistimos vários documentários no Youtube e assim foi muito mais fácil entender cada construção ( sem isso vc vê somente um amontado de pedras sem sentido). Machu Picchu tinha gente mas não estava lotada e foi muito acertada a nossa decisão em deixar para conhecer à tarde, percorremos as ruínas tranquilamente ,agora preciso fazer uma observação: muitos turistas mal educados, não possuem nenhum respeito pelo local , jogam papéis e garrafas de água no chão, um absurdo total. Outra observação a fazer é sobre os guias, eles apressam a turma, repreendem quem se afasta do grupo para tirar fotos e ficam bravos quando alguém do grupo demorava para tirar fotos. Não gostei de ver isso e ao mesmo tempo demos graças a Deus em termos recusado todas as ofertas de guias. Quando foi 16 horas, os guardas começaram apressar os turistas para sair, nós querendo mais fotos com o templo vazio em vez de descermos nós subimos e encontramos um guarda que permitiu a nossa subida para tirar fotos, voltamos para o topo e ali fizemos lindas fotos, com um céu lindo e vimos o por do sol. Missão cumprida e andamos rápido pelo complexo até a saída. Foi um dia para a vida toda, inesquecível, fizemos tudo no nosso tempo, sem pressa e calmamente. Ao chegar em Águas Calientes estávamos mortos de fome e ali fomos a um dos restaurantes e depois fomos dormir. 4ª dia: Nosso trem saiu às 8:30 com destino a Ollantaytambo, ao chegarmos na estação Camilo estava nos esperando, deixamos nossa mochila no porta malas do carro e fomos explorar as ruínas de Ollantaytambo. Para mim só perdem em beleza para Machu Picchu, eu AMEI , uma visão linda do vale sagrado , subimos todas as escadarias, percorremos todos os setores e mais uma vez Camilo arrasava nas explicações, nem preciso dizer que estavam vazias e assim pudemos explorar sem pressa . Seguimos em direção a Pisac e no meio do caminho Camilo parou em um típico restaurante peruano (onde comemos Cuy a 20 soles), de barriga cheia fomos explorar as ruínas de Pisac, subimos toda escadaria e chegamos a 3500 metros de altitude onde tivemos uma visão panorâmica de todo vale sagrado, ficamos cerca de 2:40 explorando as ruínas e totalmente vazia !!! Voltamos para Cusco mortos de tanto subir e descer, fizemos nosso check in no hotel e depois de um banho fomos jantar. 5º dia: Dia livre em Cusco, fomos conhecer a cidade e fizemos o free walk tour do José Martinez. Gostamos muito, pq tivemos uma visão geral da cidade. O free walk tour passou pelo Qoricancha( templo do sol), Catedral, pedra dos 12 ângulos, Casa das Virgens do Sol e termina no bairro de San Blas, andamos por lugares que eu jamais teria descoberto sozinha. No final demos uma gorjeta decente. Cusco é uma cidade delícia de caminhar, se for bom observador vc consegue identificar as construções espanholas construídas na base das antigas construções incas, comemos muito bem em Cusco e barato. Nos perdemos pelas ruas e a cada perdida uma descoberta diferente, fomos ao museu Inka e ao Museu de História Regional. Foi um dia para relaxar depois de tantos dias intensos. 6º dia: Camilo nos levou para fazer o City tour por Cusco que na verdade é um passeio aos arredores de Cusco para conhecer os sítios arqueológicos de Sacsayhuaman, Qenqo, PukaPukara e Tambomachay. Saimos às 8:30 h de Cusco e mais uma vez na contramão dos tours que lotam o local na parte da tarde, pegamos esses lugares quase vazios, nosso passeio terminou por volta das 15 horas e Camilo nos deixou no centro da cidade e fomos almoçar, depois seguimos ao Museu do sítio Qorikancha e ao Museu da Coca. O dia terminou com um jantar delicioso e regado a Pisco. 7º dia: Dia de deixar Cusco e pegar nosso voo de volta para o Brasil. Camilo nos buscou em nosso hotel e nos levou para o aeroporto, ali me despedi não de um guia mas sim de um grande amigo que fizemos em Cusco, com ele nossa viagem foi rica em detalhes que provavelmente com as pressas dos tours de agências não teríamos a oportunidade de conhecer. Considerações: Foi uma viagem incrível no tempo, Machu Picchu foi um sonho e a experiência de ver o local sem muito tumulto foi o ponto alto da viagem, o free wak tour do José Martinez é maravilhoso para vc explorar a cidade e o nosso guia Camilo, virou "meu amigo de Cusco", se vc assim como nós quer fugir do cartel das agências com programação apressada e pouco conteúdo ou conteúdo corrido, indico fazer os passeios pelo Vale Sagrado com o Camilo. O Vale sagrado vale muito mais que fotos batidas para postar nas redes sociais, o Vale Sagrado requer conteúdo e conhecimento para entender. Quanto gastei ? O Free wak tour cada uma de nós deixamos 30 soles de gorjeta, o serviço é bom e acho que valeu o valor. O Camilo trabalha pelo valor do carro de acordo com o Km corrido, no carro cabe até 4 pessoas, então o valor da corrida pode ser dividido pelo número de ocupantes do veículo, assim ficou: Transfer do aeroporto até o hotel e do hotel para o Aeroporto: 40 soles Tour por Chincero,Maras,Moray e levar até a estação de trem de de Ollantaytambo: 220 soles Tour por Ollantaytambo,Pisac e volta para Cusco: 200 soles City tour por Sacsayhuaman, Qenqo, Puca Pucara e Tambomachay: 100 soles Total :560 soles, como eramos 3 ficou 186 soles por pessoa, não achei caro levando em conta todo o conhecimento que obtivemos e por ser privado. Para quem tiver interesse em contratar os serviços do Camilo deixo o whatsapp dele, pode falar que foi indicado pela Carla de São Paulo : Camilo: +51984338602 https://www.freewalkingtourcusco.com/
  2. Oi pessoal, meu ônibus de Puerto Natales para El calafate sai às 14 hs, para sair de Punta Arenas para Puerto Natales há um ônibus que sai às 7 h e chega às 10:15 h e outro que sai às 8:30 e chega às 11:45 h. É arriscado ir no ônibus das 8:30? Não posso perder o ônibus das 14 horas que sai para Calafate. Será que em dezembro perto do Natal os ônibus costumam atrasar?
  3. Mas antes era assim, dividido por países e tb tinha o companhia para viajar por mês. Era muito bom e organizado.
  4. O companhia para viajar está muito ruim, antes era dividido por países, agora está uma verdadeira bagunça tem que catar milho, procuro um destino no meio de zilhões. Também tinha o companhia para viajar por mês que era muito bom e foi excluído. Sugiro voltar a ser dividido por países, não faz sentindo procurar por exemplo uma viagem para a Patagonia no meio de posts do Peru, Chile, Colombia etc etc.
  5. Pessoal, nunca estive em Ilha Grande e gostaria de conhecer no feriado de Tiradentes. Procuro cia para dividir o hotel e as aventuras. Quem tiver interesse, entrar em contato comigo. via whatsapp 11 973473304.
  6. carladria

    Ilhabela

    Pousada Recanto da Villa Fiquei hospedada na Páscoa, em uma promoção do Groupon. Recomendo, fica atrás da Vila, ou seja, atrás da Igreja da Vila, não precisa de carro para sair à noite. Olha no Groupon que eles fazem promoções, a diária normal é 250, mas eu consegui por R$ 170, 2 noites com café para 2 pessoas em uma promoção na black friday. meninos, obrigada pela resposta. a ideia é caminhar, curtir visuais, tirar foto. visitei uma cachoeira no sul da ilha, mas nao sei dizer qual era. A trilha começa perto da praia da feiticeira, acho q era a Três Tombos. Alguém recomenda uma pousada simples (mas ajeitadinha para casal) na Vila? pesquisei algumas opções, mas achei mto caras. Sei q na ilha, nao vou achar nada barato, mas queria ficar num local q pudesse sair a noite na vila, a pé e q nao fosse tao cara assim. É possivel? Relatos 2014: 21 dias na BA - fev/2014 - Parte 1: Arraial d'Ajuda | Parte 2: Caraíva | Parte 3: Trancoso | Parte 4: Porto Seguro Relatos 2013: 11 dias na BA - dez/2013 - Parte 1 e 3: Salvador | Parte 2: Costa do Dendê - Ilha de Boipeba e Morro de São Paulo 21 dias em SE e AL - fev-mar/2013 - Parte 1: Aracaju | Parte 2: Maceió | Parte 3: Maragogi
  7. carladria

    Ilhabela

    Pessoa, estive em Ilhabela no feriado da Páscoa. Foi a minha terceira vez na Ilha e farei um resumo do que eu vi e gostei. Passeios: 1)Indico o passeio até Castellanos indo por mar e voltando por terra e não o contrário. E vou explicar o motivo, na ida as empresas de Flex Boat param na Praia da Fome ( lindíssima), no Saco do Eustáquio ( mais linda ainda) e ficam cerca de 40 minutos nessas praias e depois seguem para Castellanos. Na volta, o pessoal está com pressa, ou o tempo fecha e se ficarem 10 minutos nessas praias é muito pouco. Particularmente, não gostei muito de Castellanos, é bonita, mas não fiquei encantada. Gostei muito mais do Saco do Eustáquio e da Fome. 2) Passeio de Flex Boat até a praia do Bonete. Para mim foi o melhor passeio, quando fui ao Bonete foi em Novembro do ano passado em um sábado normal, sem feriado, a praia estava praticamente vazia, adorei o Bonete, acho a praia do Bonete muito mais bonita do que Castellanos. Parece que tem uma empresa, acho que é a Maremar que além do Bonete vai para a praia do Indaiauba no mesmo passeio ( não tenho certea, fui só ao Bonete) 3) Passeio de escuna até o Jabaquara e Fome. Também fiz esse passeio, mas pode ir até o Jabaquara de carro sem grandes problemas, apesar da estrada de terra. Já a praia da Fome só em escuna ou flex boat. PRAIAS Julião: foi a que mais gostei, dá para praticar snorkeling, andar de canoa, stand , praia tanquila, bem localizada. Pedra Miúdas: paguei 25 reais em uma agência de mergulho em frente da Ilha das Cabras para fazer snorkeling, com direito a snorkel, nadadeiras,colete e o transporte até a ilha. Gostei bastante Portinho: tem que chegar cedo para conseguir parar o carro, pois tem poucas vagas, praia boa para snorkeling, vista muito bonita, recomendo ! Curral: Odiei, pra mim não vale a pena. Feiticiera: Só fui uma vez, lembro que gostei, tem bom acesso. Pedra do Sino: Ótima praia para passar o dia. Borrifos: fui até o extremo sul da Ilha, até um restaurante chamado Nova York pois queria praticar snorkeling em Borrifos, pura decepção, não tem como acessar a praia, tem que fazer uma trilha de morro, com ladeira, descendo costão, não tive coragem. O Restaurante tem acesso a praia, mas fecharam. COMIDA Dessa última vez fui sozinha para Ilhabela e não estava afim de ir para restaurantes sozinha. Fui até o Supermercado Frade no centro de Ilhabela, lá eles possuem um setor de comida por Kilo para levar para casa. Escolhi, pesaram, passei no caixa. Comida normal com preço justo (largarto,peixe, filé de frango), até garfo e faca dão, não gastei mais do que 10 por refeição.
  8. carladria

    Ilhabela 23 a 25 de Março

    Sou de São Paulo capital e estarei indo para Ilhabela dia 23/03 de manhã e volto dia 25/03 no final da tarde, podendo prorrogar a estadia até o dia 26. Já tenho Hotel reservado e pago para duas diárias, quem tiver interesse em ir comigo só me chamar no whatsapp 11 973473304.
×
×
  • Criar Novo...