Ir para conteúdo

rodfduarte

Membros
  • Total de itens

    27
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. Infelizmente hoje já não estou mais casado. Mas na época, de fato, minha esposa gastava muito com essas tranqueiras. Depois dessa viagem eu fiz mais uma viagem pra Europa e 2 pros Estados Unidos, realmente estou precisando compartilhar elas. E agora em Janeiro estou indo à Argentina.
  2. Olha na verdade eu fiz duas viagens pra Itália né, esta foi a primeira e a segunda eu fiz no ano seguinte, em 2011. Então na primeira viagem, eu pedi para o carro ser a Diesel. Na segunda eu também pedi, mas só tinha à gasolina. Você reserva o seu carro normal e na hora você pede. Sobre transitar nas ZTL, sim tive dificuldades, principalmente em Firenze aquele centro é cheio delas, em Milão é mais sossegado. Em Roma tem muitas também, no resto das cidades é mais tranquilo. Na verdade, tem que ficar atento às placas tem os horários e etc. E normalmente essas zonas ficam mais perto dos centrinhos históricos. Procura ficar atento às placas, parar em estacionamentos e mesmo assim você corre riscos. Tomei algumas multas por conta disto, nas duas viagens ainda por cima rs
  3. Pode ir que você vai adorar a Itália e a Suíça é maravilhosa também, to devendo um relato aqui mas fiz Itália, França e Suíça em 2011. O ruim de viajar é que vicia e sempre que você volta, fica um gostinho de quero mais. Boa sorte e tenho certeza que você vai gostar. Mendoza não conheço, mas deve ser maravilhosa também.
  4. Não é muito diferente daqui na verdade. Se a cidade é pequena, você estaciona tranquilo muitas vezes na rua mesmo. Em grandes centros urbanos fica difícil, é melhor estacionar na rua mas quando não dá, você é obrigado a estacionar num estacionamento mesmo. Muitas vezes, você pode estacionar em um local e depois ir passeando de metrô em Milão, depois retornar pegar o carro e voltar pro Hotel. Se o seu hotel for próximo à uma estação, recomendo andar de metrô mesmo, o metrô em Milão e Roma são muito bons. Sobre valer a pena, é aquela coisa, é confortável né? Mas com certeza é mais caro do que andar de metrô, e os estacionamentos perto de algumas atrações como o Coliseu e o Vaticano são bem caros. Dependendo de quanto tempo ficar, você pode pagar até uns 20 ou 30 euros se ficar o dia inteiro com o carro no estacionamento. E nas ruas, eu achei vaga mas é difícil parar e fique atento que muitas vezes em alguns lugares só é permitido carros de moradores da cidade e outras vagas só com o Rotativo (Zona Azul aqui no Brasil). Mas eles indicam isso nas placas.
  5. Cara, o porta malas é pequeno. Cabe uma mala grande ou duas médias, é mais ou menos do tamanho do porta malas do novo Uno, aliás os dois carros são bem parecidos. Na verdade, se puder escolher, prefira o carro à diesel que é mais barato que Gasolina.
  6. Não é como no Brasil, as tomadas lá tem 3 pinos, todos os pinos são paralelos em uma linha reta. Mas é fácil encontrar adaptadores para vender. Se for ficar no Ibis por exemplo, o próprio hotel vende.
  7. Acho que o mais importante é ficar perto de uma estação de metrô. Como em qualquer uma dessas regiões você vai ficar perto de alguma estação, acho que qualquer uma dessas escolhas são válidas. Só uma observação, perto da estação Termini, à noite, é bom tomar um certo cuidado, fica um ambiente um tanto quanto pesado. Nada assustador, mas é bom tomar um pouco mais de cuidado só isso. Eu andei lá de noite, não aconteceu nada, o restaurante Pastorito é ótimo e barato. Só dando uma dica mesmo. Claro que vale muito a pena andar a pé, mas como em Roma você já vai caminhar muito, não economize dinheiro nem perca tempo andando pra um lugar que você possa ir de metrô. Sempre que possível, use o metrô para se deslocar. É fácil andar de metrô em Roma, bem fácil e prático. Apesar de estar de carro, usei bastante o metrô por lá porque realmente estacionar em Roma é difícil. Espero ter ajudado.
  8. Parabens pelo relato....vou fazer uma viagem bem parecida lua de mel em novembro...se vc puder me ajudar com restaurantes, passeios, gastos....tambem vou estar com carro alugado.....obrigadoo..abraco... Olá..estarei fazendo este percurso em julho de 2011...me dá dicas de como ir de trem...vou de Milão até Roma.. bjos e obrigada Não sei se sou a pessoa mais indicada para te ajudar nas viagens de trem pela Itália, afinal eu não peguei trem. Mas acredito que seja bem tranquilo, como em Milão tem metrô, de metrô mesmo você já consegue ir para uma estação central de Milão, onde você pode comprar seu passe de trem e pegar um trem para Roma. Mas é bom ver antes os horários de saída. Saindo de Milão, você deve se dirigir para a estação Termini de trem lá em Roma, que é a estação central de Roma. Você não deve ter dificuldades, mas qualquer dúvida que eu não pude esclarecer, por favor, pesquise mais no fórum, com certeza vai achar respostas melhores que essa.
  9. Rapaz, tem toda razão. E por mim, levaria muito menos, culpa da minha mulher. Mas essa foi nossa primeira viagem à Europa, quem sabe da próxima vez ela leva menos hehehe Abraços.
  10. No dia seguinte, passamos mal eu e minha mulher, muita coincidência. Acredito que foi um jantar que fizemos em um restaurante perto da Fontana di Trevi, quando estávamos nos despedindo da Fontana, que adoramos, e de Roma. Mesmo assim, gripados e passando mal, fomos para Napole, ou Nápoles. Ficamos em um hotel na cidade de Caserta, pois estava mais em conta. Aconteceu algo inusitado, resolvemos dar uma cochiladinha após chegarmos, pois não estávamos muito bem de saúde, e estávamos ao mesmo tempo muito cansados. Dormimos das 17 horas até ãs 09 horas da manhã do dia seguinte, ou seja, esse foi um dia praticamente todo perdido. Ao menos, estávamos mais dispostos para aproveitar nosso último dia na Itália. Fomos para Pompéia, não queria saber de aproveitar Nápoles, até queria, mas para mim Pompéia seria uma prioridade, sempre quis visitar aquela cidade destruída e, ao mesmo tempo, tão bem conservada pelas lavas do Vesúvio. Ao chegarmos em Pompéia, estacionamos o carro em um parque de diversões que tinha ali perto e fomos conhecer. Se me lembro bem, os preços estavam em torno de 12 euros por pessoa, o que não é tão caro, considerando a magnitude do local. Ficamos caminhando por Pompéia umas 4 horas, pode parecer pouco, tem gente que passa o dia inteiro caminhando por lá, e eu talvés faria o mesmo se estivesse em melhores condições físicas e de saúde. Mas foi um passeio muito proveitoso e muito gostoso, estava vislumbrado com tudo que presenciava, só indo mesmo para entender, Pompéia é demais, não tem como descrever a sensação de caminhar por ruas, calçadas e entrar em casas romanas, é uma cidade romana em muito bom estado. É o que sobrou de mais valioso de uma civilização que já se extinguiu. Depois de caminharmos bastante, comemos alguma coisa na rede Auto Grill e depois voltamos andando, até entrarmos para visitar o Anfiteatro de Pompéia, o último que veríamos em nossa viagem. Nos despedimos de Pompéia, já com saudades, e fomos tentar aproveitar pelo menos um pouquinho de Nápoles e Bosco Reale, a cidade onde meu bisavô nasceu, pertinho de Nápoles. Ainda deu tempo de visitarmos o último ponto turístico da Itália, o Museo Archeologico Nazionale, que pelo meu guia é o que havia de mais interessante para se conhecer na cidade. De fato, é muito interessante, boa parte do que conseguiram resgatar das ruínas de Pompéia de mais valioso estava ali presente no museu. O melhor de tudo é que esse museu tem estacionamento gratuito, o que é uma dádiva na Itália. Algumas curiosidades de Nápoles, gostaria de relatar duas. Primeiro, o trânsito. Incrível, mas consegui pegar trânsito no domingo, muito trânsito, e quando tentava sair no dia seguinte pois tinha vôo marcado em Milão, demorei UMA HORA para conseguir sair da cidade e pegar a estrada. Impressionante, pior que São Paulo, apesar de ser uma cidade bem menor. Além de muitos carros, tem muitas motos, Lambrettas. Segundo ponto que gostaria de citar, ao passar por uma ruazinha, tinha um cachorro deitado no meio da rua, aparentemente dormindo ou descansando. Eu e minha mulher começamos a dar muita risada quando vimos um motoqueiro gritando e dando bronca no cachorro, não entendo nada de italiano mas provavelmente ele estaria falando:"SAI DAÍ, VAI DORMIR EM OUTRO LUGAR". Achei aquilo muito engraçado, mostra um pouco do espírito napolitano. No parque em que estacionamos o carro para irmos conhecer Pompéia (o parque ficava ao lado), vimos um italiano brigando com o filhinho de no máximo 3 anos: "ANDREA, TU TE PERDE, NAO SEJA STUPIDO". Mas Nápoles é linda e merece muito mais tempo do que eu me permiti, minha idéia inicial seria um dia para Nápoles e um dia para Pompéia, mas meus planos fracassaram e por força do destino, fui obrigado a dar prioridade a Pompéia. Outros lugares que gostaria de ter conhecido naquela região foram Sorrento e a Ilha de Capri, não consegui por simples falta de tempo, minha viagem havia chegado ao fim. Como já foi dito, no dia seguinte, voltamos para Milão, no aeroporto ainda bateu um saudosismo da Itália, tomamos uma Fanta de Aranciata. Aranciata é uma laranja que é facilmente encontrada na Itália, em qualquer supermercado ou barraquinha de frutas, onde a laranja por dentro é bem vermelha. Achamos aquela fruta deliciosa, e o suco igualmente. Outra coisa que achei bem barato por lá é o queijo Brie e o Presunto Parma, muzzarella de Búffala também. Quantas vezes parava em um supermercado qualquer antes de viajar, comprava essas coisas e ia comendo no carro, feliz da vida de pagar pouco por produtos tão caros aqui no Brasil. Fim, espero que tenham gostado, dúvidas, por favor perguntem. Vou tentar ajudar com muito prazer no que for preciso. Minha mulher caminhando em Pompéia. Cidade de Pompéia. Cozinha de uma casa em Pompéia. Homem petrificado pelas lavas do Vesúvio. Um legítimo romano, preservado até os dias de hoje. Não consegui convencer minha mulher a levar pouca coisa para a Europa. Mulheres... Paramos em um posto, quisemos nos despedir da Neve. Devíamos estar perto de Bologna. Pelo espelho, dá pra ver a neve derretendo já. O inverno estava no fim. Loja da Ferrari, já depois de efetuado o embarque do vôo de volta para São Paulo. No aeroporto de Malpensa, em Milão. E aqui nos despedimos da Itália, mas com certeza pretendemos voltar para o país que, para muitos, é o mais bonito do mundo.
  11. No dia seguinte (Já me perdi em que dia estou hehehe) fomos ao Vaticano. Para mim, de tudo que Roma oferece, essa é a melhor parte. Apesar de no Vaticano não aproveitarmos a CIDADE DE ROMA, mas o Vaticano é muito legal, foi muito legal para mim. Gosto é gosto. Não importa se as pessoas são católicas, espíritas, umbandistas, candonblistas, budistas. A visita ao Vaticano deveria ser obrigatória na vida de todos, vale cada centavo gasto para se chegar até lá. Fomos de carro, mas tem metrô que chega até lá. Chegando lá, incrível, não encontrei vaga nem em estacionamentos pagos, muito menos na rua. Cheguei um pouco tarde ao Vaticano, umas 10 horas da manhã. Mas deu tempo de aproveitar bem, saí de lá umas 18 horas. Acho que tive um pouco de sorte quando entrei por engano num estacionamento de um prédio, somente para os moradores. O porteiro, ou funcionário do prédio, me explicou que aquele estacionamento não era usado para outros fins, somente para moradores do prédio, mas que se eu desse uma contribuição à ele, ele podia me ajudar. Ou seja, paguei 15 euros e deixei meu carro no estacionamento do prédio hahahaha Acho que os italianos estão começando a ter aquele jeitinho brasileiro. E eu aproveitei, já estava procurando vaga a uma meia hora, fui a uns 3 estacionamentos lotados que estavam todos lotados. Em seguida, fui ao Museu do Vaticano. Após me perder um pouco, perguntar, achei a porta, que já é muito bonita. Entrando lá, você passa num daqueles detectores de metais, bem ao estilo dos que encontramos no aeroporto, e paga a quantia de 15 euros por pessoa para entrar, mas pelo que você vai encontrar lá, está baratinho. Chegando lá, descobri que tinha uns 7 ou 8 museus lá dentro, cada um com um tema definido. Por exemplo, tem o museu da Grécia Antiga, tem o museu do Egito antigo, tem o museu com objetos do papa, e tem o museu principal do Vaticano, que me esqueci o nome, mas é ele que te leva à Capela Sistina. Para conhecer tudo que se tem para ver lá dentro, seria necessário talvés uns 2 dias inteiros, e muita caminhada. Mas acho um desperdício visitar 2 dias inteiros somente um lugar, então mesmo que não dê tempo de ver tudo, priorize o que você mais gosta, além da Capela Sistina, que é imperdível, e assim você sairá satisfeito de lá. Na Capela Sistina, acho que fiquei babando por uma hora, sem parar de olhar cada detalhe, esse Michelângelo era do ca***** mesmo. O cara era bom demais, caprichou na obra. Acho que fiquei até com dor de pescoço. O detalhe é que não pode tirar foto nem filmar, apesar da insistência de alguns espertinhos que, eventualmente, foram expulsos da capela pelos seguranças. A Basília de São Pedro é linda. A praça já é linda, a basílica mais linda ainda. Mas pra chegar lá, tem que sair dos museus do vaticano, caminhar pela calçada descendo a rua e entrar lá na fila. Chegando lá, você fica meio tonto com tanta beleza que se vê, esculturas, o túmulo de São Pedro, várias esculturas lindas. Após admirarmos tudo isso, compramos algumas águas benta (ou águas bentas, sei lá) do Vaticano (achei caro, 3 euros cada potinho de água benta, mas minha mulher quis levar umas 4) e fomos subir na cúpula. Olha eu to gordinho, então sofri pra subir aquilo, mas acredito que mesmo para quem esteja em boa forma física vai ter dificuldade, afinal são mais de 300 degraus se você for até um ponto de elevador. Se decidir subir sem elevador, acho que são uns 800 degraus, o que para mim seria uma missão impossível, e não compensa a economia. De elevador, são 7 euros, sem elevador, 5 euros por pessoa. Após subir os benditos 300 degraus, estava morto de cansado, mas a vista vale a pena. Depois de uma visita ao Vaticano e à Basílica de São Pedro, com certeza qualquer um tem uma excelente noite de sono. E muita felicidade no coração, afinal, não nos esqueçamos que se trata do local mais importante para a religião católica, junto com Jerusalém eu arriscaria dizer. Após isso, querendo aproveitar nosso último dia em Roma, voltamos à Fontana di Trevi para ver como seria ela à noite, e não nos decepcionou, é muito linda.
  12. Marcia, eu sei como é difícil programar uma viagem, às vezes temos que abrir mão de certas coisas. Infelizmente, o mundo nos oferece muitos lugares, mas não podemos abraçar o mundo. O que posso te falar é: Em Roma, o Vaticano é imperdível, tem que ir de qualquer jeito, mesmo para quem não é cristão. Recomendo que se chegue bem cedo ao Vaticano, vá primeiro nos museus do Vaticano, depois vá pra Basílica de São Pedro. A Basílica fecha umas 18 horas eu acho, então pense antes se vai querer subir na cúpula ou não, é muito cansativo subir lá, e perde-se muito tempo, mas a vista é linda. Tem que ver o que você tá afim na hora. Outra coisa, tem que ver como é seu ritmo de viagem. Por exemplo, para conhecer o Coliseu e o Fórum, demorei o dia inteiro. mas tem gente que demora 3 horas, 2 horas. O Coliseu eu realmente apreciei devagar, dei a volta nele por fora, depois entrei, fiquei andando, vendo, admirando. No Fórum, mesma coisa, parece que foi um alívio pra mim, pois Roma é uma cidade muito barulhenta, com muito trânsito, muito agitada. Quando entrei no Fórum, encontrei a paz que queria, e fiquei por lá a tarde inteirinha, até quase escurecer, conhecendo tudo que tinha lá. Mas claro que dá pra fazer mais coisas. Não sei se deixou 6 dias inteiros, ou se são 6 dias incluíndo o dia que você vai chegar e o dia que você vai sair. Roma precisa de no mínimo 3 dias inteiros, e Veneza, 2 dias inteiros. Eu me arrependi de passar só um dia em Veneza, mas cada um tem seu jeito de pensar, às vezes, pra outra pessoa, passar 1 dia em Veneza já está bom. Pra Florença, recomendo no mínimo 2 dias inteiros. Não acho que você está errada no seu pensamento. Roma não é mais bonita que Florença, mas tem mais pontos turísticos interessantes e de valor, na minha opinião. Florença é linda, muito mais calma que Roma. Mas o valor histórico de Roma, pra quem gosta de história, é inestimável. Espero ter ajudado Marcia.
  13. Roma 3º dia Continuando de onde parei, neste dia já estávamos um pouco cansados de Museu Museu Museu, Igreja Igreja Igreja. Resolvemos ficar passeando em Roma. Pegamos o carro e fomos até um estacionamento perto da Fontana di Trevi. Ficamos passenado por ali, pela Fontana, por várias lojinhas ali perto. Aproveitamos para comprar uma mala nova (compramos tanta coisa que não estava cabendo nas malas), tomamos sorvete numa sorveteria legal ali perto. Aliás, o sorvete italiano é impressionante, não importa onde você tomar sorvete, você sempre vai achar muito gostoso, muito saboroso. Enfim, tiramos o dia pra passear em Roma, olhar lojas, as ruas, tomar sorvete, minha mulher comprou um perfume. Ah, perto da Fontana di Trevi tem também uma Galeria, com bem menor expressão que a Vitorio Emanuele claro, mas é uma galeria italiana, gostoso de passear por lá também. E também visitei uma praça famosa em Roma, acho que foi a Piazza Bologna. Quer dizer, não sei se é famosa, mas deve ser um pouco, bem menos que a Spagna com certeza. Tiramos o dia pra passear, olhar, caminhar. À noite, uma dica, quem quiser ligar para o Brasil e pagar MUITO barato na ligação, vale a pena descer na Estação Termini e, ao lado do Pastorito, que já dei o endereço aqui, tem umas cabines telefônicas, saindo do Pastorito e caminhando em direção à Estação, você vai ver umas cabines. Pra quem quiser usar telefone ou internet, é quase de graça. Exemplo, se me lembro bem, dá pra falar com o Brasil uma meia hora e pagar uns 4, 5 euros. E ali tem várias lojinhas com preços em conta, lojas de 1,99; essas coisas. Dá pra comprar umas lembrancinhas sem gastar muito, pra quem gosta disso né. É isso, tiramos o dia inteiro pra passear, não fomos em nenhum ponto turístico esse dia. Foto da Fontana di Trevi, que é muito mais linda pessoalmente. Essa vaca, ao lado da minha mulher, estava dentro da Estação Termini.
  14. Cadu, não tenho tudo anotado, porque às vezes você está andando, ve um lugar e para pra comer. Mas muitas coisas ainda estão frescas na minha memória. Como eu estava com uma boa grana, não economizei muito nesta viagem, mas dá pra passear com menos do que gastei, então vamos lá. Eu gastei em média uns 200, 200 e poucos euros por dia. Entre 200 e 250 euros por dia. Se gastava mais, tentava economizar no dia seguinte, de forma a tentar manter a média, e consegui fazer isso bem. Dá pra se gastar menos com certeza, mas nós comprávamos muitas tranqueiras, souveniers, cachecol, algumas roupas, óculos de sol, essas coisas. Vou te dar meu ponto de vista sobre gastos em cada cidade que visitei ok? Milão é uma cidade cara, mas não é impossível de se visitar. Os estacionamentos são bem carinhos, do tipo 5 euros por hora, 6 euros por hora. Alguns cobram um fixo, tipo 20 euros por 12 horas, 30 euros por 12 horas. Às vezes, dá pra parar na rua, o que é um pouco difícil. Mas se achar vaga, se as placas permitirem, pare. Compre um daqueles Zona Azul (não sei como se chama lá) que vale por umas 2 horas e custa uns 2 euros. Ou então vai na raça e torce pra não levar uma multa hehehe Os pedágios são caros, mas são justos. Funciona assim, você só paga o trecho da estrada que percorrer. Ao sair de uma cidade, você vai pegar um cartãozinho com o nome de Telepass. Ao sair da estrada e entrar em outra cidade, ele vai saber de onde você veio, quantos km percorreu, e vai cobrar o pedágio proporcionalmente ao que você percorreu. Se você for nas cabines escrito "Carté" (acho que se escreve assim) quer dizer que quer pagar com cartão. Em outras placas, você vai ver desenhos de dinheiro e moeda, nessas, você paga em dinheiro. É só inserir a cédula na máquina, depois de inserir o cartão claro, e ele devolverá o troco. Vamos lá, em média, você vai gastar de pedágio uns 10 centavos Euro / km rodado nas estradas principais. Existem estradas secundárias que não cobram pedágio, e são um tapete, muito bem conservadas, mas como elas passam por cidadezinhas, muitas vezes com rotatórias e lombadas, perde-se muito tempo. Mas não deixa de ser um passeio legal, se estiver sem pressa. Em relação a gastos de passeios e restaurantes, vou dividir por cidades aqui. Em Milão, tem muito lugar legal para comer. Na Corso Buenos Aires inteira tem restaurantes, barzinhos, mini pizzarias, que você come muito bem por uns 15 ou 20 euros por pessoa. Perto do Duomo, na Via Larga, do outro lado da American Express, tem um restaurante legal também que você vai gastar uns 15 euros por pessoa. Em Veneza, tem que ficar um pouco esperto. O que não falta lá são restaurantes caros. Tem que procurar os mais escondidinhos. Por exemplo, em Veneza, almocei ali do lado da Basílica de São Marco, mas do lado mesmo, numa daquelas ruazinhas à esquerda da Basílica. E em Veneza, nas ruazinhas, sempre você vai encontrar um restaurantezinho ou um barzinho mais em conta. Em Verona, na própria praça da Arena tem umas lanchonetes legais que você vai gastar no máximo 10 euros por pessoa. Eu fui num restaurante em Verona que foi um dos meus favoritos, ficava um pouco afastado, mas vou ver se arrumo o endereço pra você. Em Pisa, deixei o nome e endereço do restaurante que eu fui, paguei uns 50, 60 euros pra 2 pessoas, mas eu tomei vinho. Sem o vinho, a conta viria por uns 45 euros pra duas pessoas. Em Florença, me deu branco. Em Roma, jantei dois dias no Pastorito, que já deixei o endereço, e no outro dia jantei num restaurante perto da Fontana di Trevi, tem vários restaurantes ali e não são tão caros, em média uns 50 euros pra 2 pessoas. Em Nápole, não lembro o endereço de onde comi. Em Pompéia, dentro de Pompéia tem uma lanchonete lá de nome "Autogrill", você não vai gastar mais que 20 euros lá para 2 pessoas. E assim já garante o almoço. Em relação às estradas, tem várias lanchonetes dessa rede Autogrill. É como se fosse uma espécie de Frango Assado aqui do Brasil, ou de Graal. Eventualmente, você pode ir no Mcdonald´s ou Burger King, eu mesmo comi um dia no Burger King lá de Milão, na própria Piazza Duomo mesmo. Em relação a passeios, museus, o que eu fiz de mais caro na viagem inteira foi passear de gôndola (100 euros) e alugar uma Ferrari para guiar por 15 minutos (50 euros). No fim, o cara me deixou guiar 20 minutos. No caso da gôndola, em horários de pouco interesse, alguns gondoleiros se oferecem para fazer o passeio por 50 euros, por exemplo, meio dia, uma hora. Se não fizer questão de ir no horário de pico, à tardezinha, perto do pôr do sol, você consegue andar de gondola por 50 euros, no caso, para 2 pessoas. Acho que o passeio dura em torno de meia hora pra esse preço. Acho que já falei do Vaporetto aqui, paguei 16 euros por pessoa para andar à vontade por um dia. Mas depois, pode-se pensar se realmente valeu a pena, se estiver disposto a andar bastante a pé, talvés não seja bom comprar esse passe. Uma dica, o estacionamento em Veneza é CARÍSSIMO. Se ficar em Mestre, como eu, não vá pra Veneza de carro. Paguei no estacionamento para deixar o carro lá, de manhã até de noite, 30 euros, é um absurdo isso. Vai de trem, não sei quanto é o trem, mas deve ser mais barato que isso, se informe. Ah, e cuidado com as multas, tomei 4 multas na Itália, uma em Napole, duas em Verona e uma em Veneza. Por incrível que pareça, na estrada não tomei nenhuma multa, e por várias vezes ultrapassei o limite de velocidade da estrada (a maioria dos italianos fazem isso). Portanto, MUITO cuidado nas cidades, e na estrada é mais tranquilo. Sobre os museus, passeios em geral, você normalmente vai pagar para entrar em Museus uns 6 euros por pessoa, até uns 15 euros por pessoa no máximo. Mas dificilmente chega a isso, e se você tiver carteirinha de estudante, paga meia. Por exemplo, para entrar no Coliseu, se não me engano, gastei 8 euros por pessoa. Na Arena de Verona, 6 euros por pessoa. No Palácio Ducale, em Veneza, paguei se não estou enganado 12 euros por pessoa (é bem caro lá). Igrejas são de graça, então aproveite, pois elas são bem lindas também. No Museu do Vaticano, paguei 15 euros por pessoa, mas vale muito a pena. O que você vai ver lá dentro paga os 15 euros fácil. A maioria você vai pagar entre 4 e 15 euros por pessoa, mas a maioria não passa de 10 euros. Ah, e eu aluguei um carro a Óleo Diesel, que se não me engano em italiano eles chamam de "Gasoil". É mais barato que a gasolina, e rende bem. Pagava no litro 1,20 euros, 1,10 euros o litro, dependendo do posto. E lá você muitas vezes tem que abastacer o carro sozinho, principalmente à noite. Mas não tem segredo, é só inserir a nota ao valor correspondente que você quer por de litros no tanque, identificar na máquina sua bomba de combustível que ele destrava e você consegue por o óleo no tanque. Não é difícil. Espero ter ajudado, se tiver alguma dúvida a mais, só perguntar.
×
×
  • Criar Novo...