Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Amanda Lucena

Membros
  • Total de itens

    36
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Outras informações

  • Próximo Destino
    América Central e México - Maio/2014

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. hahahaha foi engraçado, é um cabeçudo mesmo!!! rsrs Que bom que curtiu o relato =D 1. Não precisa de visto pra nenhum desses países, inclusive Belize que até uns tempos atrás precisava não precisa mais. Apesar de não terem me solicitado, é bom ter alguma passagem que comprove que você deixará o país. 2. Eu parti de Cancun pra Itza, mas como me confundi no tempo de percurso, desci em Valladolid e segui de lá pela manhã pra Itza, achei bom porque chegamos lá bem antes da maioria das agências de turismo, dando pra curtir melhor o lugar e tirar umas fotos sem sair aquela muvuca. Chegando em Itza comprei a passagem pra Mérida pro fim da tarde. 3. Depende do seu estilo de viagem, né. Se você é daqueles que prefere "passar por cima" dos lugares e conhecer o máximo de lugares que der, até dá pra conhecer a maioria dos lugares que passei, mas mesmo eu com 40 dias ainda achei corrido. O melhor mesmo é você escolher os lugares que mais te atraem e conhecer com um pouco mais de calma cada lugar e depois, quem sabe, conhecer numa próxima o que faltar. Essa parte de selecionar os destinos é a mais complicada, porque são tantos lugares tentadores que dá vontade de dar um jeitinho de conhecer tudo! hahahaha mas se segura rsrs. Sobre a lente... alcança uma distância razoável, mas essas super zoom fodona, são... fodonas rs. Comprei essa 250mm pelo preço pra quebrar um galho, mas o custo x benefício é positivo ;] Novamente, fique a vontade pra fazer quantas perguntas forem necessárias! Boa sorte no planejamento. Abraço
  2. Helder, tudo bem sim! Foi mal a demora, nunca mais tinha entrado aqui... Se não me engano te adicionei na época que estava planejando minha trip pra Bolívia-Chile-Peru, você me deu uns toques, hora deu retornar a ajuda rsrs. Esse valor foi por pessoa. Acredito que não compense levar real, mas dê uma pesquisada melhor com outros viajantes nessa parte porque não tenho certeza. Eu levei tudo em dólar (espécie e visa travel money), o único país que vi com certeza que trocava real foi o México. O trecho Costa Rica - Guatemala compensa ir de avião pra economizar os dias de viagem, gastamos mais de 2 dias nesse trecho. Foi tranquilo viajar em Junho, mas peguei alguns dias de chuva que me impediram de fazer alguns passeios. Mas no geral foi uma boa época. Escolhi principalmente essa época porque queria muito fazer o mergulho com os tubarões baleias no México, e a temporada começa mais pro final de Maio. Bons ventos pra você também, fique a vontade pra perguntar o que precisar Se eu demorar a responder me manda msg no face que venho aqui olhar.
  3. Chryca, pode "encher o saco" a vontade hahaha
  4. Valeu, Kdu! Espero que você consiga ir em breve. Tô ligada que você é louco pra conhecer a Costa Rica, o país me encantou! Lá é tudo pura vida hahaha Infelizmente não deu pra conhecer todos os lugares, mas quem sabe numa próxima? ^^ Ps. Essa sua foto do perfil tá super massa!
  5. Luana, gastei em torno de R$6500 fora as passagens aéreas. Valeu a pena cada centavo investido nessa viagem, amei todos os lugares que passei! =)
  6. Dias 37, 38, 39, 40 e 41 Palenque e Cidade do México Chegamos na cidade de Palenque no outro dia bem cedo e fomos direto pro Hostel Yax Kin, segundo recomendações aqui do site, a recepção do hostel é muito bonita, tão bonita que assim que entramos pensamos que seria bem caro a diária ali, porém, de bonito só tinha a recepção mesmo. Deixamos o quarto reservado mas só poderíamos entrar lá pro meio dia, então fomos tomar café da manhã e depois fomos as ruínas de Palenque. Nos informamos no hostel onde pegar o coletivo e fomos. A zona arqueológica está há uma meia hora do hostel, a passagem custa 20 pesos, chegando na entrada paga-se 28 pesos de uma taxa de preservação da selva, se não me engano, e 59 pesos na entrada das ruínas. Palenque é incrível! A gente pode subir nos templos e alguns é permitido até mesmo entrar, tem várias inscrições maias, e a história do lugar é muito interessante. Depois de horas andando pela zona arqueológica decidimos sair pelo caminho que passava pelo museu de Palenque, quase chegando no museu tem um rio com umas quedas d’água, suados e mortos de calor tudo o que queríamos era se jogar naquelas águas massss era proibido =( mesmo assim a gente deu uma entrada escondido só pra molhar os pés e tirar uma foto rsrs. Não precisa pagar nada pra entrar no museu, é só apresentar o bilhete de entrada nas ruínas. Vale a pena dar uma entrada lá, tem cada coisa impressionante! Voltamos pra Palenque, almoçamos e fomos pro hostel. Chegando no hostel teve uma confusão porque eu tinha reservado um quarto e nos colocaram em outro do outro lado da rua, o banheiro de lá era um nojo e o quarto super zuado, e pra usar internet ou cozinha tinha que atravessar a rua. Quando fui reclamar na recepção simplesmente nos pediram desculpas e que não podiam fazer nada. Mesmo assim ficamos lá e no outro dia mudamos pro quarto que eu tinha feito a reserva anteriormente, ainda assim o quarto não era tão bom mas era bem melhor do que o outro. Nesse ponto da viagem a gente já estava bem cansado, pode parecer frescura, mas viajar cansa rsrs. Ainda mais assim nesse corre corre, tudo o que a gente queria era ficar ao menos uns três dias sem fazer nada e basicamente foi o que fizemos, meio que neste dia decretamos "o fim do nosso mochilão". Estávamos muito contentes que tudo tinha dado certo, felizes por ter conhecido tantos lugares lindos, por ter vivido tantas experiências incríveis, felizes por tudo! =D No outro dia passamos o dia inteiro sem fazer nada e foi tão bom hahaha. Como decidimos meio que terminar ali a viagem, deixamos de conhecer Oaxaca e San Cristobal de Las Casas, dois lugares que eu queria conhecer mas que ficaram pra uma próxima, porque de todos os países que conheci o México é o que eu mais tenho certeza que um dia voltarei. Fomos no terminal ADO e compramos nossa passagem pra cidade do México pro outro dia lá pras 18h. No dia seguinte acordamos cedo e pegamos uma van pra conhecer um lugar chamado Águas Azuis, muito lindo o lugar! Quando voltamos pro hostel já era quase hora de ir pro terminal, tomamos um banho e fomos pra lá. Mais uma vez passamos a noite na estrada e chegamos na cidade do México no outro dia umas 10h. Ao chegar na cidade fomos surpreendidos com um clima frio, ficamos nos tremendo até entrar no metrô onde a temperatura estava agradável (calor humano né rs). Andar de metrô na cidade do México é tão fácil quanto em São Paulo, só que é mais barato (5 pesos a passagem). Descemos na estação Zócalo e ficamos no hostel de mesmo nome. Aquela área da cidade é um encanto! Gostamos bastante de ficar ali, tanto pelo hostel quanto pela localização. Na cidade do México fomos ao museu Frida Kahlo e em Teotihuacan. Os dois lugares valem a visita! Desses últimos dias os únicos gastos que anotei foram: P$500 2 Diárias Hostel Yax Kin privado (÷2) P$55 Café da manhã em Palenque P$40 Van Palenque – Ruínas ida e volta P$28 Taxa de preservação P$59 Entrada zona arqueológica P$150 Almoço P$60 Coisas pra fazer a janta (÷2) P$1028 Passagem Palenque – Cidade do México GASTO TOTAL DOS 41 DIAS: Gastei em torno de R$6500,00 fora as passagens aéreas. Na maioria dos lugares achei os preços bem parecidos com os de lugares turísticos do Brasil, ou seja, caro em minha opinião. Mas não me arrependo nem um pouco por cada centavo gasto, aliás, investido, porque pra mim viajar é o melhor investimento que podemos fazer, é a única coisa que você compra que te deixa mais rico, é uma das pelo menos. Bom, é isso galera. Espero que tenham gostado do relato e que ele possa ajudar na viagem de outras pessoas. Qualquer dúvida podem me perguntar, ficarei feliz se puder ajudar. Abraços e bons ventos!!!
  7. Obrigada! É, eu acabei pagando bem caro na passagem, apesar de ter ficado meses de olho nos preços na expectativa de uma promo, só tinha saindo de SP ou Rio, nada de Recife boa sorte pra você!
  8. Dias 32, 33, 34, 35 e 36 Playa, Cancun, Valladolid, Chichen Itza e Mérida (Homun). É de Playa que sai os ferrys pra ilha de Cozumel, não fomos desta vez, mas está nos meus planos voltar um dia pra ficar ao menos três dias fazendo mergulhos por lá. Acordamos no dia seguinte, compramos umas besteiras pra tomar café e fomos dar umas voltas na cidadezinha. O lugar é bem agitado, muita gente e muitas lojas. Fomos até a praia e vou ser bem sincera, mas é somente minha opinião, não achei tão bonita assim, preferi Tulum. Tipo, o mar é lindo! Aquele azul intenso e encantador, mas a orla da praia já é bastante urbanizada e tinha umas bóias no mar demarcando a área de banhistas que quebrava a beleza do lugar. Mas enfim, só indo pra tirar suas próprias conclusões Lá pras 13h partimos pra Cancun. Chegando em Cancun tivemos que pegar outro ônibus pro hostel, pedi pro motorista avisar onde tínhamos que descer, ele não disse e ainda falou que teríamos que pagar outra vez pra voltar. Depois de discutir com o motorista acabamos descendo e pegando outro ônibus. Chegamos em Cancun morrendo de fome e almoçamos no primeiro restaurante que vimos, pagamos tão caro comparado com os preços que estávamos acostumados a pagar que ficamos meio desanimados. Ficamos no Hostel Mayapan na zona hoteleira por U$19,50 cada em quarto compartilhado. O hostel fica perto de todas as casas noturnas, é uma loucura aquele lugar a noite! Pra quem curte balada vai amar ficar ali, mas tudo por ali é bem caro, tem que ir preparado pra gastar. Fomos pra Cancun porque queríamos fazer o nado com o tubarão baleia, na verdade escolhemos viajar nessa época justamente por causa deles. E foi os melhores U$130 gastos da minha vida! Foi SENSACIONAL!!! Foi lindo nadar ao lado daquele ser enorme cheio de pintinhas brancas, foi uma experiência pra não esquecer nunca mais. *Depois eu posto o vídeo* A gente fechou o passeio com o Álvaro Tour, um mexicano super gente boa que adora brasileiros, até aprendeu português pra atender melhor os clientes. Achei legal que quando a gente chegou na agência dele ele estava ensinando os funcionários a falar português também. A agência fica pertinho do hostel. Primeiro a gente vai de carro até um porto e pegamos um barco, depois de mais de uma hora chegamos em alto mar onde estão as baleias, tinha mais de trinta barcos lá. O primeiro mergulho foi bem rápido, mas já nos deixou encantados, assim que a gente pulou do barco deu de cara com o tubarão com aquela bocona aberta hahaha e se não bastasse havia várias arraias jamantas, que também são bem grandes e lindas. Tinha mais 4 duplas no barco e ficávamos revezando os mergulhos, pulamos umas 7 vezes pra nadar ao lado do tubarão, foi massa! Na volta paramos na Isla Mujeres enquanto o pessoal do barco preparava um ceviche pra gente. Que mar lindo, meu deus, a água super cristalina e muito azul. Voltamos pro hostel com um sorrisão estampado na cara depois de um dia repleto de experiências boas. No outro dia pretendíamos ir a Isla Mujeres passar o dia lá, porém, a grana estava apertando e não rola ficar em Cancun sem dinheiro pra gastar hahaha Dormimos até um pouco mais tarde, tomamos café e fomos pro terminal ADO pegar o ônibus pra Chichen Itza. As 10h40 mais ou menos subimos no bus e ao perguntar o tempo de viagem tive uma surpresa, 4h30! Bem mais do que eu imaginava, íamos acabar chegando lá tão tarde que nem teria muito tempo pra conhecer o lugar. Quando o bus parou em Valladolid, cidadezinha próxima de Chichen Itza, decidimos descer, passar a noite ali e seguir no dia seguinte pela manhã. Foi uma ótima escolha porque no outro dia chegamos em Chichen Itza bem antes de praticamente todas as agências. Nos hospedamos num hotel bem simples em frente ao terminal, fomos almoçar porque já tinha passado da hora do almoço e depois pegamos um táxi até o Cenote Xkeken. O cenote é um pouco escuro porque só tinha uma abertura em cima, mas até que é bonito. A noite rolou um showzinho com música e dança mexicana no pueblo, foi legal ver os casais dançando. No outro dia chegamos cedo em Chichen Itza e ficamos o dia inteiro andando por lá. O lugar é show! É uma das 7 maravilhas do mundo! Tem várias inscrições maias, a pirâmide mais famosa é linda! E eu pensando que não iria me impressionar depois de ter conhecido Tikal... hum, ainda bem que me enganei =D =D =D O lugar é bem grande, no final do dia eu tava só o pó de tanto que andei. Lá tem várias pessoas vendendo artesanatos, até hoje me arrependo de não ter comprado uma máscara de madeira que vi lá e não encontrei em lugar nenhum depois. Umas 17h pegamos o bus pra Mérida, onde ficamos hospedados no Hostel Zócalo, como não tinha quarto compartilhado disponível ficamos num quarto só pra gente, o café da manhã estava incluso na diária e foi o melhor da viagem, bem completo: frutas, pães, omelete, café, leite, tudo! Nesse dia acordamos meio quebrados devido a longa caminhada que demos ontem, tanto em Chichén Itza quanto na chegada em Mérida. Saímos meio desnorteados e sem saber sequer o nome dos cenotes onde haviamos planejado ir. No meio de ruas, trafego intenso de pessoas e carros, que me lembrou bastante o centro da cidade de Recife... em um portunhol embaçado perguntávamos onde pegar o busão para - para onde mesmo? Subimos na primeira van que o motorista gritou "cenotes" e fomos com a vida e a sorte. Ao chegar em Homun descobrimos que o lugar que pretendíamos conhecer era outro. Porém, Homun nos mostrou sua beleza e nos encantou. O buzão errado nos levou pro lugar certo! Pra conhecer esses lugares subimos em uma espécie de primo primitivo do Tuk-Tuk, que se resumia a uma moto com um banco na frente e um sombreiro, o condutor super simpático nos distraia durante o trajeto com suas histórias Maias e nos ensinava algumas palavras de sua linguagem. Que bom que fomos parar em Homun,nos perdemos mas encontramos lugares lindos! =) Voltamos pra Mérida depois de almoçar e ficamos no hostel esperando ficar mais perto da hora de pegar o bus pra Palenque. As dez da noite nosso ônibus saiu e passamos a noite na estrada. GASTOS DIÁRIOS: Dia 32. P$80 Besteiras pra tomar café (÷2) P$40 Van Playa – Cancun P$9,50 Bus pro hostel P$9,50 Bus pro hostel P$210 Almoço U$39 2D Hostel Mayapan U$130 Nado com tubarão baleia P$84 Jantar (tacos) P$130 Outros (cervejas, água, etc) Dia 33. P$5 Taxa embarcação P$150 Almoço P$115 Jantar P$30 Águas Dia 34. P$9,5 Bus pro terminal ADO P$242 Bus de Cancun – Chichen Itza P$350 1D Hotel Valladolid (÷2) P$108 Almoço P$40 Táxi Valladolid – Cenote (÷2) P$30 Táxi Cenote – Valladolid (÷2) P$59 Entrada Cenote Xkeken P$26 Bus Valladolid – Chichen Itza P$118 Jantar P$24 Outros Dia 35. P$145 Entrada Chichen Itza P$140 Almoço Bus Chichen Itza – Mérida (ñ anotei o preço) P$340 1D Hostel Zócalo privado com café (÷2) P$120 Jantar P$45 Outros Dia 36. P$48 Van Mérida – Homun ida e volta P$80 Entrada em 4 cenotes-grutas P$150 + U$10 Pgto guia + transp. (÷2) Valor livre, aconselho combinar antes. P$528 Passagem Mérida – Palenque P$114 Jantar pizza (÷2) P$30 Outros TOTAL: U$425,00
  9. Oi, Rhayana! Morando na Colômbia, que massa! Então, não tenho câmera a prova d'água não, aluguei uma em Akumal por U$28 porque estava doida pra tirar fotos das tartarugas, mas eles tem tantas regras que nem compensou por esse preço. E depois compramos uma capinha a prova d'água pro celular, que quebrou mó galho pra fazer vídeos embaixo d'água mas que não era bom pra tirar fotos porque não conseguia focar. Antes de fazer a viagem eu pretendia comprar uma Lumix a prova d'água no Panamá, encontrei por U$120, mas mudamos de ideia e acabamos comprando um celular. Mas meo, fez uma falta danada uma câmera dessas! Se você tiver como leve sem pensar duas vezes
  10. Dias 28, 29, 30 e 31 Tulum, Akumal, Cenotes... Foram horas, muitas horas de viagem até chegar em Tulum no México. A van nos buscou no hostel umas 7h da manhã e somente 23h30 chegamos em Tulum. Pra sair da Guatemala tem que pagar Q.20 de taxa, um pouco antes da fronteira subiu um cara na van oferecendo câmbio, pensei que o motorista não deixaria qualquer um entrar e que o cara fosse honesto, perguntei pra ele se tinha que pagar algo pra sair da Guatemala e ele disse que não, troquei então meus 40 Quetzales por 50 pesos mexicanos e ainda fiquei com algumas notas da Guatemala de lembrança. Na hora de carimbar a saída descubro que eu precisaria pagar uma taxa. Que raiva eu fiquei daquele senhor! Só de pensar que eu tinha os Q.40 certinho pra pagar a minha saída e do meu esposo! E depois não queriam me dar nem 25 quetzales pela nota de 50 pesos mexicanos, acabei tendo que trocar mais dólares e usar as notas que eu ia guardar de recordação. Aff! Foi a primeira coisa chata que aconteceu durante a viagem até ali, mas logo a raiva passou. A van deu uma parada em Belize City pra quem fosse ficar lá e logo seguiu viagem, nem deu tempo da gente almoçar. Pra entrar no México também foi tranquilo, não fizeram perguntas e nem tivemos que apresentar passagem de saída do país. Chegamos no terminal de Chetumal às 17h50 e às 18h tinha um ônibus pra Tulum, mas morrendo de fome como estávamos preferimos pegar o bus das 19h. Comemos e ficamos aguardando dar hora de pegar a estrada novamente. Quatro horas e meia depois chegamos em Tulum, acabados! No hostel em Flores conheci uns brasileiros que tinham acabado de vir de Tulum e recomendaram ficar no Hostel Lobo que ficava perto das ruínas, mas o ônibus nos deixou no terminal do centrinho de Tulum e de lá pras ruínas tinha que pegar um coletivo, um rapaz do terminal nos apontou o ponto e disse que era uns cinco minutos até lá. Entramos na van e ela foi indo e indo, os cinco minutos passaram e só víamos placas de Playa e Cancun, quando eu comecei a ficar cismada o motorista do nada fez o retorno e nos deixou no lugar certo, fiquei sem entender porque ele foi tão longe pra depois voltar. Descemos num lugar bem escuro e àquela hora não tinha ninguém na rua, andamos um pouco em busca do hostel ou de alguém pra pedir informação e de repente surge um cara estranho numa casinha bem esquisita e nos chama: Chicos! Chicos! ¿Que buscan¿ Fomos lá perguntar onde era o Hostel Lobo e pra nossa surpresa ele disse que era ali, mas o nome na parede dizia outra coisa: Hotel Crucero. Fiquei confusa e ele disse que o nome do hostel tinha mudado e enquanto ele dava explicações uma ratazana passava nas madeiras do telhado, bem estranho, fiquei segurando o riso porque parecia que a gente estava numa cena de filme de terror rsrs. Já passava da meia noite e a gente estava só o pó, mesmo sabendo que o cara estava mentindo entramos, enquanto ele nos mostrava a cozinha uma barata passava em cima da pia, grrrrrrr. Fomos pro quarto e tinha outro casal dormindo. As beliches balançavam bastante, até parecia que ia cair e o banheiro era um nojo, mais baratas, muito calor, estava doida por um banho mas me recusei a tomar banho ali. Acordamos no outro dia dando risada por ter sobrevivido à noite naquele lugar. O bom do hostel é que ele emprestava bicicletas sem cobrar a mais por isso, pegamos as bikes e fomos conhecer as ruínas de Tulum. As ruínas não são tão interessantes, mas vale a pena conhecer e a praia dali U-A-U, mar azulzinho! Uma lindeza! Depois de conhecer as ruínas fomos procurar o tal Hostel Lobo ou qualquer lugar melhor do que onde estávamos, quando viramos a esquina damos de frente com o tal hostel, do outro lado da avenida, e o cara ainda teve a cara de pau de mentir dizendo que o hotel dele tinha mudado de nome, só rindo hahaha. Agora sim o hostel era decente, tinha até ar condicionado e piscina! O que é um diferencial muito bom porque faz um calor lascado naquela região. Fora que o hostel também emprestava bicicletas, os donos eram super gente boas e o café da manhã era uma delícia! Mudança feita, atravessamos a avenida e pegamos um coletivo pra Akumal. A praia de Akumal é linda! Areia branca de doer os olhos e mar com todos os tons de azul, lá nadamos ao lado de tartarugas marinhas grandonas e vimos também uma arraia, foi lindo nadar ao lado desses seres! Nesse dia estava rolando o jogo do Brasil contra o México, a gente ainda viu algumas partes do jogo mas logo voltou pra praia. Demos umas voltas nas lojas de artesanatos e ficamos encantados com todos aqueles enfeites muito bem feitos, doidos pra comprar tudo rs! Quando voltamos de Akumal passamos no hostel e pegamos as bikes pra ir numa praia perto dali, nos disseram pra ir na Praia Paraíso que é bom pra banho, pedalamos uns 2-3km e chegamos lá. Só foi esticar a canga na areia que começou uma ventania e o céu ficou cinza, o jeito foi ir embora. Na volta caiu uma tempestade que nos deixou ensopados, pelo menos conseguimos o que queríamos, nos refrescar rsrs. Tomamos um banho no hostel e depois fomos jantar no centrinho e dar uma volta por lá, fomos dormir lá pras 22h mortos de cansados depois do dia agitado. No outro dia decidimos ir pedalando até o Cenote dos Ojos, mesmo com os donos do hostel dizendo que era muito longe (14 km +/- Só pra ir!!!) e a gente não ia agüentar. Foi cansativo chegar lá principalmente por conta daquele sol quente (muuuito quente), mas depois de tanto esforço ser recompensados com aquele cenote linnnndo valeu super a pena. A água do cenote é bem gelada porque ele fica numa caverna semi aberta e é tão transparente que parece que a gente está voando. Levem snorkel, é outra coisa embaixo d’água! Ficamos um tempão por lá e só não ficamos mais tempo porque a fome bateu e ainda pretendíamos ir no Gran Cenote. Almoçamos num restaurante na beira da pista ao lado da entrada do cenote, nos surpreendemos com a comida dali, mais barata do que no centrinho e muito gostosa! A pedalada na volta foi ainda mais cansativa porque o sol estava bem em cima da nossa cabeça, mas foi super divertido, foi a melhor parte do dia. Já eram quase 16h quando chegamos no hostel, desistimos de conhecer o Gran Cenote porque já era tarde. Depois descobrimos um cenote a caminho do Cenote dos Ojos que parece ser lindo, Ik-kil o nome, se soubéssemos antes teríamos aproveitado pra conhecer na volta. Chegamos no hostel morrendo de calor depois de tanto sol na cuca, logo caímos na piscina e ficamos brincando com os filhos do dono. Quando eu cansei falei pra eles que iria sair pra tomar banho e descansar, dei risada quando o mais novo disse: Aqui não é um hotel, é um parque de diversões, tem que continuar brincando!!! Hahahaha que bonitinho <3 Ficamos na dúvida se iríamos no dia seguinte pro Parque Xel Há, mas acabamos deixando pra uma próxima porque o dinheiro tava começando a apertar e a entrada no parque é bem cara (U$89 all inclusive), seguimos o conselho da dona do hostel (não me lembro o nome dela) e fomos conhecer Yal Ku, segundo ela é uma área parecida com o Xel Há, mas sem a mesma estrutura. Pra chegar lá tivemos que pegar uma van pra Akumal e caminhar mais uma meia hora. A entrada custa 180 pesos, o lugar é bacana pra fazer snorkel, vários peixinhos e uns buracos entre as pedras que dava pra nadar por baixo, valeu a pena conhecer já que não fomos pro Xel Há. Depois de almoçar voltamos pro hostel e pegamos a van pra Playa. Antes de ir pra Yal Ku tínhamos pedalado até o Gran Cenote, dá uns 4km do hostel pra lá, rapidinho chegamos, a água do cenote é super azul e transparente, até parece água de piscina. Leva em torno de 1h de Tulum a Playa Del Carmen, ficamos num hostel qualquer lá porque os que eu tinha anotado achei meio caro, o nome do Hostel é Chi-ma, foi horrível a noite ali! Fiquei acordada até as três e pouco da madrugada por causa da barulheira do lado de fora e o calor infernal que fazia no quarto. Acordei no outro dia arrependida de não ter me juntado a barulheira e virado a noite em algum lugar rsrs. GASTOS DIÁRIOS: COTAÇÃO – U$1 = Aprox. 12,50 pesos (Em Tulum encontramos as melhores cotações, até 12,80 pesos cada dólar, mesma cotação do aeroporto da Cidade do México) Dia 28. Q.20 Taxa pra sair da Guatemala U$15 Taxa pra sair de Belize U$17 Passagem Chetumal – Tulum ADO P$54 Almoço P$20 Van Tulum – ruínas P$150 1D Hotel Crucero com café U$10 Outros (Lanches, água, etc) Dia 29. P$59 Entrada nas ruínas de Tulum P$300 2D Hostal Lobo com café P$60 Van Tulum – Akumal ida e volta P$350 Aluguel de câmera subaquática (÷2) P$90 Almoço P$100 Jantar P$30 2 águas Dia 30. P$150 Entrada Cenote dos ojos P$80 Almoço P$100 Jantar P$15 1 água Dia 31. P$120 Entrada Gran Cenote P$60 Van Tulum – Akumal ida e volta P$75 Almoço P$180 Entrada Yal Ku P$39 Locker (÷2) P$50 Quesadillas P$40 Van Tulum – Playa U$10 1D Hostel Chi-ma P$130 Jantar TOTAL: U$216,00
  11. Que ótimo que pude ajudar! Cheguei a ver umas lojas de jade em Antigua mas não vi os preços, só fiquei babando do lado de fora da loja hahaha
  12. Adriano, no El Portal a reserva foi feita durante o trajeto pra Lanquin, porque o motorista ofereceu de boa vontade, mas acho uma boa reservar pelo menos um dia antes pra quando você chegar lá já ter o transporte do hostel te esperando. Nos outros lugares não fiz nenhuma reserva antecipada, chegava na hora e se tivesse vaga a gente ficava. Qualquer informação que precisar é só perguntar ;] Abraço e bons ventos!
  13. Dias 24 e 25 Semuc Champey Depois de mais de 7 horas espremidos numa van chegamos em Lanquin e chegando lá já tinha uma van pra nos levar pro El Portal, um hostel que fica praticamente na entrada de Semuc Champey. Quando chegamos no hostel já estava começando a escurecer, ficamos num quarto (cabana) por Q.100 o casal, mas o rapaz disse que sairia no mesmo se ficasse em quarto compartilhado. Bom, as anotações que eu tinha dizia que a diária era um pouco mais barata, talvez se eu tivesse pechinchado eles tivessem dado desconto, agora já foi rs. O hostel fica do lado de um rio, no meio da mata, banho de água fria e pra carregar eletrônicos deixava na recepção. Não tem nada por perto, mas gostei de ficar lá, gosto de lugares sossegados. Jantamos no restaurante de lá, até mesmo porque era a única opção rsrs, mas a comida estava boa. As agências fazem o trajeto de Antígua – Lanquin em dois horários, às 8h e às 14h, eu queria ter vindo no segundo horário pra ter passado mais uma noite na região do Lago Atitlan, mas a única agência que encontrei com o melhor preço só fazia pela manhã. Acordamos bem cedo no dia seguinte pra curtir ao máximo Semuc Champey, tomamos café no restaurante do hostel e fomos. A entrada no parque custa Q.50 chegando lá tem a trilha que leva ao mirante e a que leva as piscinas naturais, fomos primeiro no mirante. Caminha-se em torno de 40 minutos pela mata até chegar lá em cima, a subida é um pouco íngreme mas é tranquilo, as trilhas no parque são bem sinalizadas dispensando assim a necessidade de contratar um guia. Quando se chega ao mirante e vê aquele cenário absurdamente lindo, a gente até perde as palavras, entra num estado de contemplação e somente depois volta a realidade, sério, é muito lindo! Era uma dos lugares que eu estava mais ansiosa pra conhecer e apesar de tantas expectativas ainda assim fui surpreendida, pessoalmente o lugar é ainda mais incrível! Depois do momento de contemplação e das fotinhas, já estávamos doidos pra ver tudo aquilo bem de perto e se jogar naquelas piscinas belíssimas. Depois de descer a trilha chegamos na parte onde o Rio Cahábon entra numa caverna e desaparece, voltando a aparecer somente 300 metros depois, acima dele formou-se algo como uma ponte de pedra que cobre o leito do rio, e as águas que escorrem deste formaram piscinas naturais com pequenas cascatas entre elas. Ao final, as águas tranqüilas das piscinas juntam-se as águas agitadas do rio que corria por baixo delas, lá do mirante da pra ver tudo isso, e o rio ainda fica num vale fechado por mata, é uma obra prima da natureza esse lugar! Passamos o dia inteiro no parque, curtindo aquelas piscinas naturais de águas claras com pequenos peixes, daqueles que ficam beliscando a gente (de uma maneira agradável). Só saímos do parque pra almoçar e depois voltamos pra curtir mais um pouco, ficamos lá até umas 16h ou mais. Voltei pro hostel feliz e realizada, tinha acabado de riscar mais um lugar da minha lista de lugares pra conhecer antes de morrer GASTOS DIÁRIOS: Dia 24. Q.35 Almoço Q.15 Outros (Água, etc.) Dia 25. Q.50 Entrada Semuc Champey Q.135 Passagem Semuc – Flores Q.100 2D Hostel El Portal Q.195 Refeições dos dois dias TOTAL: U$69,00 Dias 26 e 27 Flores - Tikal Fechamos no próprio hostel o transfer pra Flores, às 7h nos levaram até Lanquin e de lá pegamos a van pra Flores, novamente uma van apertada, foram 8 horas bem desconfortáveis. Chegamos em Flores por volta das 16h, a cidade é bem bonitinha. Nosso objetivo lá era pra conhecer Tikal, mas ao chegar na cidade descobrimos que existem muitos tours interessantes pra fazer, como a caminhada de 5 dias até uns templos mayas, mas como nosso tempo era curto só fomos pra Tikal. Um dia pretendo voltar pra conhecer melhor a Guatemala. Tikal foi uma das cidades mayas mais importantes de sua época, acredita-se que chegou a viver 200 mil pessoas lá, me impressionou saber isso! Na verdade, o lugar É impressionante! Mesmo depois de tanto tempo as construções continuam preservadas. A cidade fica bem no meio da floresta, fiquei me perguntando por que escolheram aquele lugar, por que ali e não próximo de uma fonte fixa de água, um rio ou lago? Eles dependiam da água da chuva e criaram métodos para prever as estações do ano. Criaram um calendário solar e outro lunar usando as construções, uma coisa realmente admirável. Fomos de madrugada para ver o sol nascer em cima de um templo bem alto. Apesar do tempo estar nublado foi um momento especial estar sentada ali, naquele lugar construído por pessoas de anos atrás, com outras crenças, cultura tão diferente da nossa, naquele lugar cercado pela mata com animais silvestres, foi fantástico! Tirando o mico do meu esposo que foi pegar o celular pra tirar foto e sem querer clicou no jogo do Angry Birds e começou a tocar a musiquinha do jogo enquanto todo mundo estava em clima de meditação kkkkkk fingi que nem conhecia Depois do tour guiado ficamos andando pelo lugar. Fora os pássaros que avistamos, também encontramos macacos, uma pequena serpente, uma tarântula e vimos placas de que ali pode aparecer pumas e num lago tinha crocodilos. Tipo assim, ó onde a galera escolheu morar! hahaha Em Flores ficamos hospedados no Hostel Los Amigos, o hostel é bem badalado, foi divertido ficar lá. No próprio hostel tem uma agência, fechamos o tour pra Tikal com eles, mas o transfer pra Chetumal (no México) fechamos com uma agência ao lado porque era mais barato, e no fim, fomos juntos com o pessoal do hostel que pagou mais caro. Este foi o último lugar que conhecemos na Guatemala. Fomos embora com vontade de ficar mais tempo. Com certeza teremos que voltar um dia pra conhecer o que faltou e conhecer com mais calma os lugares por onde passamos. Maaaas, o próximo destino seria o México!!! GASTOS DIÁRIOS: Dia 26. Q.35 Almoço Q.120 2D Hostel los amigos Q.100 Van + guia pra Tikal Q.50 Jantar Dia 27. Q.250 Entrada Tikal Sun rise Q.50 Almoço Q.80 Lanche, cervejas, etc. Q.225 Transp. Flores – Chetumal TOTAL: U$118,00
  14. Nossa! Valeu pelo comentário hehe Então, eu uso a Canon T3i + lentes 18-55mm e 55-250mm. Claro que o que vale mais é o olhar fotográfico, mas essa câmera é ótima!!!
×