Ir para conteúdo
Mochileiros.com

Dça

Membros
  • Total de itens

    10
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre Dça

  • Data de Nascimento 23-12-1986

Outras informações

  • Próximo Destino
    aonde o vento me levar...
  • Localização
  1. Cape Town - Perguntas e Respostas

    Galera, Vou pra Cidade do Cabo em maio e minha dúvida é sobre Meios de Transporte: Pretendo fazer a Rota Jardim e continuar até Joanesburgo para fazer o safári. 15 dias de viagem no total. O que vale mais a pena: Baz Bus, aluguel de carro ou contratar agência? Eu particularmente não sou muito fã de viagem com agência não...acho que fica meio corrido. Algum passeio obrigatoriamente tem que ser feito por agência?
  2. Pra quem quer saber quanto vai receber de volta, recomendo a calculadora disponível no site da Global Blue: www.globalblue.com/customer-services/ta ... alculator/
  3. 2º e 3º dias: La Paz Cheguei na rodoviária de La Paz por volta das 17h. Quando vi que faltava pouco pra chegar, detonei a garrafa de água toda em tempo recorde! Hahaha Comprei mais umas papas fritas (industrializadas, claro), parei no guichê de informações turísticas que tem na porta, peguei um mapa e algumas informações e fui andando em direção ao centro da cidade. É, eu não peguei táxi. São só 5 quadras pro centro, e eu estava com uma mochila leve...foi bem tranquilo. Tirando a altitude, claro...que me fez caminhar um trajeto de 5 minuto em 2 horas...rs. Mesmo com as soroche pills! Via a galera correndo na rua e me dava uma inveja...eu subia um morrinho e já colocava os bofes pra fora! Ninguém ali poderia ter a menor dúvida de que eu era turista! E, se quisessem me levar alguma coisa, eu certamente não seria capaz de oferecer nenhuma resistência! Mas assim como em todas as outras cidades que visite, não tive nenhum problema relacionado à segurança. O mesmo mapa que eu peguei na rodoviária vc pode visualizar aqui, ó: http://www.dayandnightmaps.com/citymap/5 E este é o site do Loki: http://www.lokihostel.com/en/la-paz A tempo, tenho que dizer uma coisa: andem sempre com água mineral de procedência confiável (comprem numa tienda direitinha ou em um mercado). As chances de vc pedir um suco na rua e passar mal com a água da bica são grandes. Não é porque os nativos estão acostumados que você deve tentar: lembre-se que uma infecção intestinal pode comprometer toda a sua viagem! Eu não arrisquei, mas soube de uma menina que passou mal tomando suco de frutas no mercado Lanza (outro ponto turístico pitoresco que vale uma passada). Caminhando pelas ruas no meu passinho de tartaruga manca, achei uma lan house e fui anotar os endereços das hostels que eu queria ficar (Loki ou WildRover), aproveitei pra dar notícias pra galera e parti pra luta. Dei sorte que na primeira opção (Loki) já consegui vaga numa habitación coletiva com baño privado. Esse baño privado no quarto foi a melhor escolha que eu fiz: como eu dividia o quarto com 9 gringos, o chuveiro era só meu durante os dias que eu fiquei lá. É, meu colega, não é mito: eles realmente não tomam banho! E isso não foi nenhuma novidade pra mim. Eu, pelo contrário, quando cheguei aproveitei pra tomar aquele banho de princesa! rs Água quentinha...perfeita! O hostel tem um café da manhã super pobrinho incluso no valor da diária (pão com manteiga e geléia, chá e café solúvel). Mas pelo preço, ninguém pode reclamar! Paguei B$54 por noite. Se vc quiser, no bar eles tem a opção de um café da manhã mais completo pago à parte, com boas opções. E TODA a noite tem festa. Verdade seja dita: sou uma festeira nata! Mas é claro que depois de todo o perrengue passado na primeira noite eu só queria tomar banho e dormir. Infelizmente a dor de cabeça que não passava (efeito do mal de altitude) e o barulho da festa ressoando no meu ouvido fizeram com que eu quisesse fuzilar todas as pessoas em volta até que o analgésico fizesse efeito. Não é um sentimento bonito, mas eu assumo...rs No dia seguinte pela manhã fui conhecer o Mercado de Heticeria (o famoso mercado das bruxas) e caçar a tal loja Tatoo para comprar mochilas, roupas térmicas, etc. Site da Tatoo: http://bo.tatoo.ws/ Fiquei horas intermináveis andando pra lá e pra cá, comprando "casacos de alpaca" (até o final do relato eu explico o porquê das aspas), coca stuff e tirando muitas fotos.Lá é coca e feto de lhama pra tudo que é lado! Me diverti sozinha! Claro que achei meio macabras as lhaminhas penduradas pelos cantos. Mas quem tem um cara pregado na cruz em casa não pode reclamar de nada... De uma forma estranha é até bonito de ver como eles têm uma herança histórico-cultural tão forte. Admirável, no mínimo. Vale uma conversada com as chollas (essas mulheres das 10 camadas de saia e chapéuzinhos). Só acho que uns banhinhos a mais não fariam mal...hehe Passei o dia todo pra lá e pra cá, parando apenas para um almoço receoso no café do Hotel Torino (http://www.hoteltorino.com.bo/). Provei uma bebida esquisita lá que eu não me recordo o nome, mas a comida é boa: vale a pena! Aproveitei para comprar a passagem do ônibus turístico para Copacabana para o dia seguinte pela Diana Tours (http://www.diana-tours.com/). A noite chegou, eu comprei um monte de coisa, mas os equipamentos que eu tinha que comprar na Tatoo mesmo eu não comprei: a cabecinha de vento aqui esqueceu o cartão de crédito no hostel, e não deu tempo de voltar pra pegar antes que a loja fechasse...então iria eu cheia de sacolas, com saco de dormir pendurado e uma mochilinha nas costas pra Copacabana no dia seguinte...rs. Disso eu tive que tirar foto...eu tava uma graça! rs 4º dia: Copacabana e Isla del Sol Antes das 08h da manhã estava lá o meu ônibus sentido Copacabana me esperando na porta do Loki: Há duas principais maneiras de chegar em Copacabana: pegando uma van que sai da região do cemitério, ou através do tal ônibus turístico que eu peguei. Escolhi este último por questões de conforto e comodidade: além de eu não ter que me deslocar pra lugar nenhum, não iria apertada numa vanzinha pequena. E nem é caro: paguei BR25 ou 30, e é uma viagem de cerca de 04h! Antes de chegar à Copacabana passamos por um povoadinho chamado San Pedro de Tiquina. Lá descemos do ônibus e tomamos uma barquinho (não está incluso no preço, mas é barato, algo como B$2, se não me engano). E a travessia dura no máximo uns 10min. É bonitinho, mas não são necessários mais de 15min para conhecer o lugar e tirar fotos. De lá o ônibus segue finalmente para Copacabana, deixando próximo de onde se pegam os barcos para a Isla del Sol. Nesse momento você tem duas opções: ou fica em Copacabana para chegar na Isla cedo no dia seguinte ou vai direto pra Ilha na saída de 13:30h. A minha opção foi a segunda. Não vi nada que justificasse passar muito tempo em Copacabana. Já a Ilha é outra história: dá pra passar uma semana tranquilamente lá! Simplesmente fenomenal o lugar! Mas para quem quiser se hospedar por lá para pegar a lancha cedo (08h30min) no dia seguinte, ouvi bons comentários sobre os hostels La Cúpula (http://www.hotelcupula.com/) e Las Olas (http://www.hostallasolas.com/) . Segue o link para um mapa de Copacabana: http://www.dayandnightmaps.com/citymap/753 Chegando na orla, há dois quiosques onde se pode comprar tickets para a Isla del Sol parte sul ou norte (ou um passeio rápido de um dia para os dois) e/ou para a Isla de La Luna. Descendo em qualquer um destes lugares há uma taxa de entrada na ilha que deve ser paga. Coisa de B$5~10. Este ticket que você recebe deve ser guardado, pois há postos de verificação no meio da trilha norte/sul. A trilha é bem demarcada, e dá tranquilamente para fazer sozinho(a). Dura cerca de 3~4h (cada trecho), e é necessário um condicionamento físico moderado. Para os sedentários, recomenda-se fazer o passeio de 01 dia que passa nos dois lados da ilha. Não é nada impossível: o desafio maior é a altitude. Como eu queria fazer a bendita trilha, tinha que me hospedar pelo menos um dia na ilha. A hospedagem escolhida foi o Palla Khasa Ecological Lodge, que não possui site na internet mas pode ser reservado pelos e-mails: [email protected]; [email protected] Fica próximo à comunidade sul (Challapampa), no início da trilha que vai para o norte (Yumani). É bem acima dos padrões da ilha, mas é bem confortável e a comida é maravilhosa! Para chegar lá você deve vencer a Escalera del Inca, com toda a tralha nas costas. Eu fui uma das últimas claro, no limite de passar mal e sair rolando lá de cima. A dica é fazer uma cara feliz e fingir que você tá tirando umas fotos no meio do caminho pra não ficar tão feio enquanto você pega fôlego...HAHAHAHA Já deu pra ver que eu perco fácil para os velhinhos asmáticos na escalada, né?!. Nesse dia, como não ia dar tempo de ir e voltar antes de anoitecer resolvi fazer uma caminhada somente até o mirante. Lá relaxei esperando o pôr do sol mais lindo de toda a viagem. À noite provei o menu de cena (sopa de quinoa+trucha a la plancha+ensalada de frutas), tomei um chazinho e...cama! Dia perfeito!
  4. Os relatos que li aqui no site foram fundamentais para as tomadas de decisão antes e depois da minha viagem. É por isso que eu podia estar roubando, podia estar matando...mas estou aqui fazendo o meu relato para vocês Foram 3 países em 3 semanas: BOLÍVIA, PERU e CHILE, segundo o seguinte roteiro: PREPARAÇÃO PARA A VIAGEM Se você for um(a) ansioso(a) marinheiro de primeira viagem como eu, vai passar meses pilhado (a) lendo os relatos de outros viajantes, para montar a sua trip direitinha. O problema é que eu li tanta coisa que quando chegou a hora de montar tudo acabei me enrolando e perdendo um monte de informações. Por isso, não seja um (a) jumento(a) completo(a) como a criatura que vos escreve: crie um arquivo e vá salvando as informações e os links dos relatos que te interessam, pra você se organizar! Outra dica que eu dou é: deixe de ser medroso(a) e tome a porcaria da vacina contra febre amarela, pelo menos 10 dias antes de viajar. É de graça, o certificado internacional de vacinação (CIV) sai na hora e você evita possíveis dores de cabeça. Para agilizar o atendimento, é aconselhável se cadastrar no site http://www.anvisa.gov.br/viajante No link http://www.who.int/ith/countries/en você pode conferir a listagem com os países que exigem a CIV. Outras informações estão disponíveis em: http://www.anvisa.gov.br/sispaf/pdf/Guia_de_Saude_do_viajante.pdf Durante as três semanas de viagem ninguém me pediu, mas vai que... Para os estudantes, tirar a carteirinha internacional ISIC é uma boa. Eu pude usá-la em vários lugares durante a trip, e economizar um dinheirinho que foi todo convertido em cerveja. Não acho vantagem, mas você pode pedir a sua pela internet, que eles entregam em casa, pelo seguinte endereço: http://www.carteiradoestudante.com.br/. Demora cerca de 20 dias pra chegar. Pra quem tem pressa, dá pra fazer nas lojas físicas da STB http://www.stb.com.br/atendimento/lojas-stb.aspx : custa R$40 e sai na hora. Isto posto, vamos ao relato: 1º dia: Rumo a Bolívia! No dia anterior à viagem eu, como boa parte dos mortais, não dormi direito. Isto quer dizer.....isso mesmo: correria no dia seguinte para chegar ao aeroporto, claro! O que implicou no esquecimento de várias coisas, inclusive dos meus guias de viagem com os apontamentos que eu julgava importantes. No fim isso acabou sendo bom, pq só ia ser peso desnecessário na mochila: eu havia sonhado tanto com a viagem que acabei decorando basicamente tudo, e o roteiro eu já tinha disponibilizado na internet pros amigos saberem onde eu estou. Afinal, estava todo mundo preocupado com a amiga mochileira solítária! rs Como no Rio só existem duas estações no ano (verão e inferno), não tem muita necessidade de roupa de frio. Logo, a minha mochila foi uma de ataque pequena, com o essencial apenas: a idéia era comprar praticamente tudo em La Paz, já que é bem mais barato que por aqui. Depois de uma escala em Guarulhos, desembarquei em Santa Cruz de La Sierra por volta das 13h. Descendo lá todos passam por uma revista de malas que confere filas intermináveis ao lugar. Terminada a minha revista, aproveitei para tirar dinheiro no caixa eletrônico do aeroporto (fica no 2º piso do Viru-Viru). No avião conheci um paulista muito simpático que trabalhava em Sta Cruz, que me deu uma carona para o Terminal Bimodal. Chegando lá, fui logo comprando as passagens para La Paz no primeiro ônibus que saísse. No caso, pela Transcopacabana M.E.M., por B$140 ás 16:30h. Isso me dava tempo de sobra para almoçar. Com esse intuito, fui procurar um lugar. Primeiro no segundo piso do bimodal, depois no entorno....até que eu desisti. Durante a seleção, o pensamento surgiu na minha cabeça: "é, acho que vou ter que viver de biscoitos por aqui". Comprei um pacote de batata frita, 2 litros de água e voltei pro terminal para esperar a hora do ônibus. É claro que o ônibus não chegou na hora. E ninguém vem te dar explicação nenhuma; pelo que eu vi na Bolívia eles não se ligam muito nessa coisa de compromisso com horários. Depois de mais de uma hora de atraso, começa o último trecho de deslocamento antes de começar a viagem propriamente dita. Lá fui eu, com meus 2litros de água intactos durante várias e várias horas de viagem (é, eu estava evitando utilizar o banheiro nojento do bus. Acordei no meio da noite com chuva e uma estrada interditada. Pronto: a minha viagem que devia durar 15h, durou 25! Me desculpem aqueles que gostam de viajar de bus, mas...pqp...foi um inferno passar tanto tempo dentro de um ônibus! A idéia era dormir e só ver no máximo umas 4 ou 5h do total da viagem....mas enfim, não rolou. Acabei perdendo o primeiro dia em La Paz. Para evitar esse perrengue, consulte a previsão meteorológica e as condições das estradas na Bolívia, sempre! E além de ir de ônibus, há a opção de ir direto para La Paz de avião. Compare a relação custo/benefício. Seguem as principais cias aéreas bolivianas: Aerocon: http://www.aerocon.bo BOA (Boliviana de Aviación): http://www.boa.bo TAM (Transportes Aéreos Militares): http://www.tam.bo
  5. Ahhhh, olha quem chegou aí!!! Bacana, Andressa! Eu que agradeço também por emprestar sua câmera tirar fotos quando a minha havia resolvido dormir um pouco (bateria) e pela ótima cia que tive. Certo de combinar outros mochilões pelo mundo aí! Gracias! Demorou!!
  6. Ahhh...vc já tinha dito que foi difícil me acordar!!! Mas depois que te disse o macete, ficou mais fácil, né?! hehehe Eu sei qe sou uma dorminhoca nata, não precisa se desculpar! Você foi meu despertador atacameño e fotógrafo principal!! HAHAHAHA te perturbei MUITOOO! Mas adorei a cia! Muito obrigada por tudo! E ah...já mandei as fotos pro seu e-mail!
  7. Galera do RJ - Vamos nos conhecer.

    Podem criar o grupo, e postar o link aqui! Sai ou n sai esse encontro?
  8. Galera do RJ - Vamos nos conhecer.

    Aeee! Tijucana aki tb! Se vcs marcarem algo, me avisem! Semana q vem tô partindo para um mochilão peru+bolivia+chile. Se tiver alguém indo pra lá por esses dias tb podemos marcar um encontro!
  9. Guia e Dicas sobre Moedas, Cartões e Gastos no Chile

    Uma coisa que tenho que dizer aqui é que pra quem mora no Rio trocar pesos no Brasil é muito melhor do que deixar pra trocar lá em Santiago. Acredito que não seja válido pra todos os estados, pois conheci um casal de pernambucanos que disse que pra eles não valia a pena trocar em recife. Aqui no Rio no começo de fevereiro consegui pegar 396 pesos chilenos se não me engano pra cada real. Em Santiago está uma média de 300 o real...e 475 o dólar. Nas outras cidades no Chile nem se fala!
  10. Galera, Alguém aí sabe algum manual de conversaçao/dicionário bom de espanhol pra viagens? Não sei se não procurei direito, mas não vi nenhuma dica disso por aqui!
×