Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

vilage

Membros
  • Total de itens

    11
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Outras informações

  • Lugares que já visitei
    Conceição do Ibitipoca, Caraivas, Mariana, Maceió, São tomé das Letras, Porto Seguro, Porto de Galinhas, entre outros mais
  1. A Iberia está bem derrubada, mas pelo preço ainda compensa. Dão um atendimento digno, ponto. Essa história de greve é recorrente, pode acontecer mesmo. Viajei várias vezes pela Iberia e uma vez atrasou uma conexao de Lisboa e Madrid. Perdi a volta para SP. O atendimento local foi bem ruim. Pode acontecer com qualquer cia. Em SP entrei com processo e ganhei. Tenho mais medo da Alitalia, essa eu não confio!
  2. Não tire Barcelona do roteiro, é uma cidade com atrações únicas (obras de Gaudi, por exemplo) fica à 6 horas de distância de ônibus de Madrid. De Barcelona dá para ir de trem noturno (tem o vagão cama que é bom) até Milão e de lá muitos trens para Veneza. Em Veneza recomendo o Hotel Santa Helena (não é barato), mas é excelente e longe (2 Km, dá para ir à pé) da confusão da Piazza San Marco. De Paris para Amsterdam dá para ir de trem, Bruxelas fica no meio. Conheço bem e não recomendo ficar 2 dias. Na realidade, meio dia,dando uma volta na Grand Place e seus arredores já é suficiente. Talvez se tirasse essa perna da viagem (Amsterdam e Bruxelas) vc ficaria mais tranquilo. Deixa para uma próxima. Essa região de Bruxelas tem outras cidades perto que merecem ser visitadas (Gent, Bruges). Aproveite esses dias para incluir Barcelona (2 dias) e distribuir pelos demais. Abraço.
  3. vilage

    MOCHILÃO EUROPA - ABRIL/2013

    Primeira coisa que é importante: tome sempre cuidado com os seus documentos e seu dinheiro, nunca se afaste deles! Compre uma daquelas bolsinhas tipo pochete que coloca por dentro da calça. Já tive algumas e a melhor é a da Primicia (dura bastante e não é volumosa, além de ser conforteavel). Recomendo que compre o Guia do Viajante Brasileiro na Europa. Tem dicas muito boas! Dá uma olhada m todos os tópicos que conseguir e vai anotando. Se ficar em hotel com cofre, pode deixar trancado nele, mas se não tiver cofre, nunca se afaste desses pertences, mesmo quando for ao banheiro. Para entrar na Europa, basta o passaporte e se pedirem, mostre as reservas e condiçoes financeiras de se manter no período. Pode andar sem medo por lá, mas sempre com as recomendações de segurança que os brasileiros sabem melhor do que ninguém. Em Madrid eu não lembro qual albergue fiquei, mas pesquisando nos sites fica fácil achar. Algum perto da Plaza Mayor é bem localizado. Para ir de Madrid para Barcelona pode ir de ônibus que compra na hora a passagem. A viagem dá umas 6 horas e é tranquila. Em Madrid o importante é visitar os Grandes museus (Prado, Thyssen-Bornemisza e Reina Sofia), são bem perto uns dos outros. Em Barcelona, fiquei no albergue Cabul, não sei como está, mas era considerado o mais agitado, não o melhor. A vantagem é que fica em Las Ramblas, centro e perto das atrações (Estádio Olímpico, Museu Miró), perto do Porto. Vale ver a Igreja da sagrada Família, Parque Guell e a Casa Batlló. De Barcelona para Paris é chão! se puder ir de avião é melhor. Em Paris, morei quase 1 ano e depois já fui 4 vezes. É minha cidade preferida! Conheço 2 albergues - D' Artagnan que é o mais famoso entre os brasileiros, mas tá bem derrubado, é meio fora de mão e tem um esquema de locker em que só pode abrir uma vez, depois tem que pagar novamente. O outro é mais bem localizado - Auberge Internationale des Jeunesse - é muito ruim! E olha que eu tenho muita rusticidade. Essa região é muito boa para ficar (Bastille, Ledru-Rollin). Perca-se pela ruas, não se preocupe, querendo voltar e não sabendo onde estea, pegue o primeiro metro e volte para a sua estação. Se puder, fica no Ibis local. De Paris para Amsterdam dá para ir tranquilo de trem. A linha é a mesma que passa por Bruxelas, por que vc não dá uma parada rápida e visita a Grand Place e seus arredores, dá para fazer em meio dia e depois segue a viagem? Em Amsterdam desci na estação e segui pela rua da estação perguntando de albergue em albergue se tinha vaga. No segundo consegui, não lembro o nome, mas foi muito bom. Visitei o Museu Van Gogh e o Rijksmuseum, além do Annie Frank. De Amsterdam para Roma também pegue avião. Em Roma fiquei no Hotel Re de Roma, na mesma estação de metrô, muito bom. Valência a Castelon não conheço. Abraço.
  4. vilage

    ROTEIRO EUROPA - MAIO 2012 (HELP!!!)

    Acabei de voltar da Itália. Eu sugeriria como hotéis na Itália: Veneza - Hotel Sant`Helena excelente! Roma - Hotel Re di Roma - muito bom. Firenze - Hotel Palazzo Ognissanti da rede best western - bom, limpinho, bom café da manhã. Tinha reservado outro - Hotel Giglio, mas era péssimo. Dei uma investigada e achei esse. Não é fácil achar bons hotéis em Firenze. Visite os sites e tire suas conclusões. Boa viagem.
  5. Acho q os dias destinados a essas cidades esta bom. Esqueça a ideia de guia especial, compre guias no Brasil e começe a estuda-los que é melhor loguinho vc já estará mais interada. Quanto a lingua dá para se virar bem em roma e barcelona só com o portugues. Terá com certeza mais dificuldade em Parismas nada que impeça a viagem. Se precisar de mais informacoes é so escrever, inté.
  6. Não lembro quanto custou o ferry, mas com a carteirinha de estudante paguei metade.
  7. vilage

    Croácia - Perguntas e Respostas

    Uma boa dica para quem pega o ferry de Split para a Itália é apresentar a carteirinha de estudante (aquelas da ISIC) que paga metade do preço natravessia, abraços.
  8. Esqueci de dizer, mas no Porto vc vai visitar as adegas de vinho em Gaia, passear pelo centro. Uma boa dica para compras fica em um outlet razoavelmente perto (10km) do aeroporto em Vila do Conde, os preços são realmente muito bons, não raro 50% menores e das grandes marcas.
  9. Fiz tudo de trem! De Split à Dubrovnik que foi de onibus. Hoje estou no Porto na casa de meus primos, mas na época eu fiquei no centro em uma pensão que encontrei na hora. Engraçado que tive a impressão de o Porto ser mais legal do que Lisboa, mas agora que fiquei 4 dias em Lisboa, mudei de ideia, realmente por lá as opções de passeio, compras e facilidade de transporte são maiores e melhores. Existem muitas opções, uma que não tem erro são os hotéis IBIS que vc pode reservar pelo site com antecedencia se quiser, as passagens de trem eu comprei tudo a hora, mesmo porque se eu gostasse de uma cidade eu ficava mais tempo sem ter muito compromisso com a passagem já comprada, mas acho que para dezembro os preços não vão mudar muito. Acho que em 2 semanas vc vai aproveitar bastante, boa viagem e se tiver outras duvidas é só perguntar.
  10. Boa noite, na realidade eu fiquei 2 meses viajando e essa parte do leste europeu eu fiz mais rápido, deixei mais tempo para a Suiça, Itália e Portugal. Fiquei em média 2 dias em cada cidade e dá para aproveitar bastante. Ficava mais é andando mesmo pela cidade para ver coisas novas. Essa parte do leste europeu é muito barata, e acredite a Europa está muito barata. Estou nesse momento em Lisboa e tudo é mais barato do que o Brasil. Eu não lembro direito quanto custou as passagens, mas não são caras - para ter um ideia, o trecho Lisboa-Porto custa 20euros (3 horas). Quanto a lingua, quem fala ingles se vira muito bem, procure sempre os jovens para falar, os mais velhos ou falam russo ou alemao, dificilmente ingles. Em Budapeste é que tive mais dificuldade, por duas vezes o que me ajudou foi o francês. Na Croacia visitei Zagreb, Split e Dubrovnik. As duas ultimas sao cidades historicas muito bonitas. Zagreb fiquei pois era ponto de passagem quando vim da Hungria, foi uma grata surpresa, nem tanto pelas belezas, mas pela curiosidade de conhecer uma nação nova, com um povo jovem e muito tranquila. Split eu não dormi, cheguei pela manha passei bastante pelo que foi o palacio de Deocleciano e me mandei (tudo de onibus) para Dubrovnik- no sul da Croacia. Vc passa por uma faixa de 20km que é a saida da Bosnia-Herzegovina para o mar. Era mês de outubro e a agua estava bem gelada, mas o clima nem tanto. De Dubrovnik peguei um ferry para Ancona - estudante paga metade! Eu aproveitei para conhecer o leste europeu pois dificilmente voltarei, enquanto que outros paises como a França e Portugal eu já voltei duas vezes. Se puder compre um bom guia - o que eu falei é voltado para os brasileiros, eu tinha também um para turistas americanos que tem um outro perfil, mas complementam as informações. Uma coisa legal que vi aqui em Portugal são as blusas de frio. Tem muita coisa nova e com preço muito bom, vale a pena ter um bom casaco para o frio. Precisando é só escrever, inté.
  11. Eu fiz um roteiro parecido, mas invertido começando em Varsóvia. Estava em Paris e comprei pela Easyjet uma passagem até Varsóvia muito baratinho (por isso comecei por lá). Em outubro já estava zero grau (13 em Paris). Com um casaco bom e roupas por baixo dá para encarar, mas em dezembro a temperatura chega fácil abaixo de zero - prestem atenção! Varsóvia é uma cidade estilão comunista, vale para saber como era o estilo, apenas dormi num albergue - não lembro o nome, mas era o mais conhecido, pela internet dá pra ver e tem a opção de te pegarem no aeroporto o que é bom pois não dá pra enterder nada de polonês. Cheguei de noite e fui direto para o albergue. No dia seguinte acordei cedo e dei uma boa volta pelo centro. Na estação de trem, comprei na hora passagem para Cracóvia - a atendente, apesar de não ser tão nova, entendeu o inglês. Destino: Cracóvia. Essa vale a pena, ponto de partida para se visitar os campos de concentrações de Auchwitz e Birkenau e a mina de sal de Wielichka. A Polônia talvez seja um dos paises mais baratos do leste europeu. De lá fui a Praga - Viena - Budapeste com passagem obrigatória pelas piscinas termais, tudo de trem. De Budapeste para a Croácia (Zagreb, Split e Dubrovnik) essas foram gratas surpresas. De Split peguei um ferryboat noturno atravessando o mar Adriático para a Itália. Uma boa dica é ter o Guia do viajante independente na Europa - a última edição parece ser de 2008, mas as dicas e os locais facilitam muito. Vale sempre a dica de pegar mapas nos centros de turismo, perguntar aos mais jovens, que falam inglês e se tiver disposição, dá para andar tudo nas cidades à pé, sem correr o risco de pegar condução errada, abraços.
×