Ir para conteúdo

Ajtoco

Membros
  • Total de itens

    5
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. Muito obrigado! boa viagem e divirta-se! se quiser mais dicas, e se eu souber, te ajudarei.
  2. Olá Priscila! ...uma dica bacana é conhecer a Serra da Caraça. Fica em Barão de Cocais.
  3. Fiz esta viagem no Carnaval deste ano (19/Fev/2012). O trem partiu pontualmente às 7h30m. A chegada ocorreu às 21h27m, na estação de Pedro Nolasco (Cariacica-ES), com uma hora de atraso. A composição do trem é formada dentre os vagões de passageiros, por um vagão restaurante, um lanchonete e um reservado para leitura. Este último dispõe de tomadas para utilização do usuário (nota: todas as tomadas são de 3 pinos). O almoço é servido até às 13h30m, porém a lanchonete funciona direto até às 19h30m, horário de encerramento de todos os serviços a bordo. O preço do marmitex (comercial) é de R$ 8. São servidos também outros pratos, como por exemplo, strogonoff e lasanha ao preço de R$ 13. Estas opções podem ser alteradas dependendo do dia. Uma coisa interessante durante a viagem é que os comissários passam de hora em hora, além de checar sua passagem, varrendo os corredores dos vagões e também checando o travamento das portas das “sacadas” (áreas livres entre um vagão e outro). Em todas as pesquisas que fiz pela internet, a estação de General Carneiro (Sabará-MG), faz parte do trajeto (informação desatualizada). Porém a estação foi desativada. Com isso, a primeira parada é a de Dois Irmãos, na cidade de Barão Cocais; onde está localizado o Santuário da Caraça, ponto turístico da região. Caso tenha disponibilidade, comece sua viagem desta cidade, aproveitando alguns dias para curtir a região. Durante este trajeto, o trem passa por um túnel de aproximadamente 8km (estou chutando esta informação...mas é uma longa distância), sob a cidade de Sabará. Na seqüência, você passará por uma mina de minério gigante. Prepare sua máquina! É uma paisagem impressionante! Outro fato interessante, é que dentro dos vagões existem mapas com todas as estações. Dentre elas está Itabira. Ela faz parte de uma linha secundária que parte diariamente de Itapira às 9h30m e chega em Desembargador Drumond às 10h26m. , 20 minutos antes da linha principal chegar em D.Drumond. Outra estação desativada é Itueta, que foi inutilizada por conta da construção da barragem da represa. Aliás, parte da cidade ficou submersa por conta da usina hidrelétrica de Aimorés, sendo construída uma “nova” cidade na região. É possível ver a barragem durante o trajeto entre Resplendor e Aimorés (final do dia). Usinas e trens de carga carregando minério vão deixá-lo “banhado a ferro”, caso opte por viajar nas varandas dos vagões. Portanto, esteja preparado. O restante da viagem são belas paisagens e muito bate-papo. Chegando a Pedro Nolasco, atenção para o serviço de transporte até Vitória. O percurso é curto, porém arriscado para ir a pé, principalmente por ter que passar pela ponte que liga os municípios. Os taxistas cobram de R$ 20 a R$ 40 até o centro de Vitória. Atravessando a avenida há um ponto de ônibus com várias linhas que passam por Vitória. Não é lugar muito “amigável” para se andar à noite, mas logo na chegada do trem, há muita gente circulando por esta região. Então, é bem provável que o ponto de ônibus esteja lotado. Peça ajuda sobre as linhas que passam em Vitória. Outra opção são as vans que ficam, assim como os táxis, na porta da estação. O trajeto custa entre R$ 50 e R$ 75 até Vila Velha. Para aqueles que desejam fazer esta viagem, o primeiro passo é adquirir a passagem através do site http://www.vale.com ou https://tremdepassageiros.vale.com/sgpw ... incipal.do Preço da passagem: R$ 82 / 1ª classe (trajeto completo BH-Vitória) R$ 54 / classe econômica (trajeto completo BH-Vitória) É interessante adquirir a passagem com antecedência, uma vez que é um meio de transporte disputado na região, principalmente em épocas de feriados ou temporadas. No dia da viagem, você pode trocar seu voucher (caso tenha comprado pela internet) nas bilheterias da estação. Para tanto, é importante chegar com pelo menos 30 minutos de antecedência ao embarque, para não correr o risco de “perder o trem”. Caso não queira deixar para a última hora, pode-se trocar o voucher dias antes de sua viagem, também nas bilheterias. O horário de funcionamento é de segunda à sexta das 6h às 17h30m, sábados das 6h às 15h30m e Domingos das 6h às 12h. Telefones úteis: Alô Ferrovia : 0800 285 7000 Estação Ferroviária de Belo Horizonte: (031) 3279-4366 / (031) 3279-4389 Estação Ferroviária de Cariacica: (027) 3333-2444 / (031) 3333-2468 Site da Vale: http://www.vale.com Segue abaixo, um quadro contendo as informações de distância entre uma estação e outra, horário de partida e chegada (conforme cia Vale) e meus apontamentos da minha viagem.
  4. Trajeto Belo Horizonte/MG – Vitória/ES Data 19/Fev/2012 (Domingo) Hora de partida : 7h30m (pontual) Hora de chegada: 21h27m Meus apontamentos estão no quadro em destaque. Informações importantes: Para aqueles que desejam fazer esta viagem, o primeiro passo é adquirir a passagem através do site http://www.vale.com ou https://tremdepassageiros.vale.com/sgpw ... incipal.do Preço da passagem: R$ 82 / 1ª classe (trajeto completo BH-Vitória) R$ 54 / classe econômica (trajeto completo BH-Vitória) É interessante adquirir a passagem com antecedência, uma vez que é um meio de transporte disputado na região, principalmente em épocas de feriados ou temporadas. Outra coisa importante ao se programar, é decidir se irá diretamente para a estação ferroviária assim que chegar ao aeroporto de Confins. Caso opte por esta alternativa, muito cuidado com o horário do avião. Na minha opinião, acredito que não haja vôo que chegue tão cedo em Confins. Sugiro que se informe melhor. Para chegar até a estação ferroviária, a partir do aeroporto de Confins, é necessário pegar o ônibus da empresa Conexão Aeroporto (R$ 19,25) até o ponto final (não faz paradas intermediárias), na Avenida Álvares Cabral. De lá, pode-se pegar um táxi ou outro ônibus até a estação. Neste ponto existem vários taxistas aguardando “ansiosamente” pelos passageiros. Existe outra linha que sai do aeroporto até a Rodoviária (R$ 8,70). De lá, você deverá pegar outro ônibus até a estação ferroviária. O melhor mesmo é reservar um vôo com pelo menos um dia de antecedência à sua viagem de trem e pernoitar na capital mineira. Há várias opções de hospedagem, principalmente os hostels. (ver http://www.hostel.com ou pesquisar no Google). A estação ferroviária de Belo Horizonte fica situada na Praça da Estação, onde está localizado também o Museu de Artes e Ofícios. Um lugar muito interessante para se visitar. No dia da viagem, você pode trocar seu voucher (caso tenha comprado pela internet) nas bilheterias da estação. Para tanto, é importante chegar com pelo menos 30 minutos de antecedência ao embarque, para não correr o risco de “perder o trem”. Caso não queira deixar para a última hora, pode-se trocar o voucher dias antes de sua viagem, também nas bilheterias. O horário de funcionamento é de segunda à sexta das 6h às 17h30m, sábados das 6h às 15h30m e Domingos das 6h às 12h. A composição do trem é formada dentre os vagões de passageiros, por um vagão restaurante, um lanchonete e um reservado para leitura. Este último dispõe de tomadas para utilização do usuário (nota: todas as tomadas são de 3 pinos). O almoço é servido até às 13h30m, porém a lanchonete funciona direto até às 19h30m, horário de encerramento de todos os serviços a bordo. O preço do marmitex (comercial) é de R$ 8. São servidos também outros pratos, como por exemplo, strogonoff e lasanha ao preço de R$ 13. Os comissários passam de hora em hora checando sua passagem e em outros momentos, varrem os vagões e checam o travamento das portas das “sacadas” (áreas livres entre um vagão e outro). Chegando a Pedro Nolasco, atenção para o serviço de transporte até Vitória. O percurso é curto, porém arriscado para ir a pé, principalmente por ter que passar pela ponte que liga os municípios. Os taxistas cobram de R$ 20 a R$ 40 até o centro de Vitória. Atravessando a avenida há um ponto de ônibus com várias linhas que passam por Vitória. Não é lugar muito “amigável” para se andar à noite, mas logo na chegada do trem, há muita gente circulando por esta região. Então, é bem provável que o ponto de ônibus esteja lotado. Peça ajuda sobre as linhas que passam em Vitória. Outra opção são as vans que ficam, assim como os táxis, na porta da estação. O trajeto custa entre R$ 50 e R$ 75 até Vila Velha. A viagem: Antigamente a primeira parada era General Carneiro, em Sabará, porém a estação foi desativada. Com isso, a primeira parada é Dois Irmãos, na cidade de Barão Cocais; onde está localizado o Santuário da Caraça, ponto turístico da região. Caso tenha disponibilidade, comece sua viagem desta cidade, aproveitando alguns dias para curtir a região. Durante este trajeto, o trem passa por um túnel de aproximadamente 8km (estou chutando esta informação...mas é uma longa distância), sob a cidade de Sabará. Na seqüência, você passará por uma mina de minério gigante. Prepare sua máquina! É uma paisagem impressionante! Em todas as pesquisas que fiz pela internet, a estação de General Carneiro, faz parte do trajeto (informação desatualizada). Outro fato interessante, é que dentro dos vagões existem mapas com todas as estações. Dentre elas está Itabira. Itabira é uma conexão para pegar o trem a partir da estação Desembargador Drumond. O trem sai de Itabira diariamente, às 9h30m e chega em Desembargador Drumond às 10h26m. , 20 minutos antes da linha principal chegar na estação. Outra estação desativada é Itueta, que foi inutilizada por conta da construção da barragem da represa. Aliás, parte da cidade ficou submersa por conta da usina hidrelétrica de Aimorés, sendo construída uma “nova” cidade na região. É possível ver a barragem durante o trajeto entre Resplendor e Aimorés (final do dia). Usinas e trens de carga carregando minério vão deixá-lo “banhado a ferro”, caso opte por viajar nas varandas dos vagões. Portanto, esteja preparado. O restante da viagem são belas paisagens e muito bate-papo. Telefones úteis: Alô Ferrovia : 0800 285 7000 Estação Ferroviária de Belo Horizonte: (031) 3279-4366 / (031) 3279-4389 Estação Ferroviária de Cariacica: (027) 3333-2444 / (031) 3333-2468 Site da Vale: http://www.vale.com
  5. Na última semana tive a oportunidade de fazer um passeio que muito queria fazer. Viajar com o trem da Vale na estrada ferroviária dos Carajás, que liga Parauapebas-PA a São Luis-MA. Fazia tempo que estava tentando coletar informações sobre o trajeto, porém há pouca coisa na internet. no site da Vale tem informações sobre horário, estações e preços das passagens, porém os detalhes, só é possível conhecê-los quando se faz o trajeto. É uma experiência muito interessante além de divertida. Minhas dicas: 1) Classe econômica ou executiva ? a tabela de preços completa está disponível no site da Vale. De Açailândia até São Luis (trajeto que percorri), a passagem executiva custa R$ 59 e R$ 25 a econômica. A diferença está no ar condicionado. A classe econômica não tem ar condicionado, porém, é possível admirar a paisagem de sua poltrona. Na executiva, apesar do ar condicionado, não é possível "ver" a paisagem por conta dos vidros opacos dos vagões (pelo menos não percebi nenhuma poltrona com visibilidade para o exterior da cabine). Porém, existe uma área aberta entre cada vagão que é possível permanecer durante todo o trajeto, onde se pode tirar fotografias, além de "papear" com os outros passageiros. 2) Refeições Existe um vagão lanchonete onde é possível fazer suas refeições (lanche, almoço ou jantar), ou se preferir, existe um serviço de bordo que leva a refeição até você. São refeições simples, os tradicionais PF's (pratos feitos), onde se paga R$ 9,00. Há salgados e lanches também. Se você preferir, pode optar pelo comércio paralelo em cada parada. Nelas você pode comprar do próprio trem (só terá que esticar um pouco os braços....rs) um "bandeco", espécie de PF por R$ 4,00 (média). Além de frutas, milho, castanha e água, que são vendidas em garrafas pet reutilizadas. 3) Paisagem Há muito verde para fotografar, porém o cenário não foi o principal do passeio, pelo menos para mim. Conhecer outras, principalmente da região foi algo divertido e interessantíssimo. Trabalhadores rurais, prestadores de serviço da Vale, pessoas viajando em caráter profissional, outras em caráter turístico, contam histórias e se divertem durante o trajeto. 4) Horário e tempo Das anotações que fiz pude me certificar de que se pode "confiar" nos horários disponíveis no site da ANTT (http://www.antt.gov.br) O trem chega e parte das estações no horário informado. Foram praticamente 10 horas de viagem, conforme planejado. Apenas como registro, seguem os horários de partida de Açailândia e chegada nas estações: Estação meus apontamentos Açailândia 12h20m (saída) Nova Vida 14h (chegada) Presa de Porco 15h10m (chegada) Altamira 15h45m (chegada) Auzilândia 16h (chegada) Mineirinho 16h20m (chegada) Alto Alegre(Pindaré) (chegada) Santa Inês 17h50m (chegada) Vitória do Mearim 19h10m (chegada) Arari 19h40m (chegada) São Luis 21h55m (chegada) 5) Diversos Os banheiros, pelo menos da classe executiva, são relativamente limpos, com papel toalha e sabão para as mãos, itens básicos que em muitas ocasiões o "empresário" brasileiro ou órgãos públicos dispensa como forma de economia ou desculpa como falta de verba. Qualquer dúvida é só procurar pelos comissários do trem, muito prestativos e solícitos. Ao chegar no destino final, de quem faz o trajeto do Pará para o Maranhão, a estação de São Luis dispõe de taxis ou se você preferir pode utilizar a linha de ônibus municipal, que confesso não ter utilizado pelo horário de chegada (22h), pela região e por estar sozinho.
×
×
  • Criar Novo...