Ir para conteúdo

leoagostini

Membros
  • Total de itens

    83
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre leoagostini

  • Data de Nascimento 05-05-1985
  1. Com relação a repelentes, no terceiro dia de caminhada passamos por um bosque bem bonito mas que tinham muitos insetos. Dias antes da trilha, um dos agentes de turismo pela empresa que fechei o passeio foi comigo comprar alguns equipamentos e passamos numa farmácia onde ele me aconselhou a comprar um repelente forte de lá (É um tubo verde musgo do qual nao me lembro da marca). Eu usei e não tive qualquer problema com insetos, mesmo usando a calça parcialmente levantada (tipo bermuda).
  2. Excelentes dicas Marcelo. Eu passei por maus bocados quando fiz a trilha pois comprei parte do meu equipamento/roupa em Cuzco, quando fui experimentar a calça (excelente por sinal da Columbia) eu fui após o almoço. Ela serviu como uma luva e ficou muito bem ajustada. Durante a trilha porém como o corpo perde muita água ela acabou ficando um pouco folgada e precisei do uso do cinto (que eu não tinha). Como eu levava vários objetos nos bolsos e não tinha mochila eu tive que passar os 4 dias de caminhada segurando as calças!!! Imagine! Optei por fazer a trilha sem mochila pois tinhamos a opção de ter 1 mochila por pessoa sendo carregada com a equipe de cozinheiros/barracas. Vi ai uma oportunidade de não carregar peso, então deixava a maquina fotográfica e o cantil presos na cintura ou pescoço, dai o problema com as calças.
  3. Nem vou precisar trocar nada em Lima, pq o translado do aeroporto de Cusco até o hotel está incluído no pacote. Não sei onde você vai se hospedar em Cuzco, mas se for próximo a Plaza de Armas tem uma excelente casa de câmbio na Av el Sol chamada Lac Dólar. Lac Dólar. Av. El Sol, 150
  4. leoagostini

    Santiago

    Oi Gabriel, Sim, já ouvi relatos aqui que o trajeto no verão é de cerca de 1hora. Só que durante o inverno como neva, o trajeto pode ficar até mesmo bloqueado ou demorado. Queria saber se é isso mesmo, porque dai eu iria tentar aproveitar outro dia, ou tentar outro parque de esqui.
  5. leoagostini

    Santiago

    Pessoal, Estou planejando ir para Santiago com minha namorada na primeira semana de Julho pra aproveitar o inverno. Uma das atrações que com certeza vou querer fazer é a visita ao Valle Nevado. O problema é que uma amiga que já foi lá me disse que para ir ao Valle Nevado agora no inverno é um trajeto de quase 9 horas por causa da neve. Tinha planejado passar apenas 1 dia lá, me hospedando em Providencia. Alguma dica ou confirmação se essa informação procede?
  6. leoagostini

    Santiago

    Funcionam sim.. dica pra passar o tempo é mais complicado, nem dormir eu conseguí heheh.. Quando fui em 2009 o único estabelecimento aberto no aeroporto foi o Dunkin' Donuts. DICA: Leve uma blusa pra ficar no aerporto de madrugada! Eu não levei!
  7. Fala Vitor, Cara, quando fiz a trilha Salkantay eu senti a real necessidade de usar uma bota. Mas principalmente, de usar uma bota que meu pé já estava acostumado. Antes de comprar eu estava muito encanado com qualidade, marca, já que ia comprar, queria uma coisa muito boa. No final das contas, ter maciado ela antes e ter experimentado antes de comprar foram as dicas que colhi aqui que mais fizeram sentido durante a trilha. Essa bota é muito boa, todo mundo fala bem dela. Uso uma Asolo GTX. A dica que eu te dou é. Compre numa loja onde você possa ir fisicamente, experimentar, dar umas boas passadas, umas pisadas erradas e ver se ela se encaixa bem no pé. Depois disso, só amacia-la e será a melhor bota pra uma trilha que voce iria querer. Fuja das compras online. Pelo menos pra isso. É um jogo de sorte. A numeração muda de marca pra marca. Do mais, é uma boa compra.
  8. Helderzito, Uma das melhores experiencias que eu já tive foi essa viagem. Todo o pessoal que conheci durante a trilha Salkantay são contatos que tenho até hoje, alguns amigos. A cada pesar que você tem do esforço para fazer a trilha existe uma alegria na paisagem, na sensação de desafio sendo realizado e na compania de novos amigos. Vale muito a pena! Boa sorte na sua trilha. Tire bastante fotos, e poste aqui pra gente relembrar das nossas viagens!
  9. Fala Jose, Julho não chove muito não, chove mais entre Novembro e Março.
  10. Fala Léo (chará). Cara, com certeza eu acho que compensa comprar lá (pelo lado financeiro), com o mesmo dinheiro você compra um produto de qualidade maior. Como voce vai ficar um bom tempo lá, nos primeiros dias faça pequenas caminhadas, mas use-as bastante pra ir amaciando antes de fazer alguma aventura. Eu uso uma Asolo GTX que comprei aqui no Brasil mesmo a 3 anos. Uso-a sempre que vou fazer algum trekking em diferentes solos e climas e esta em perfeitas condições ainda. Produto bom que eu recomendo.
  11. Fala lupao, Aqui no forum tem bastante agencias, o pessoal nos relatos sempre comenta qual agencia usou e quais perrengues ou maravilhas teve. Eu fui com a Peruinfocusco que hoje se chama Machu Picchu Brasil. É de um brasileiro, vai pagar preço justo ($170 eu paguei) e ter muitas informações. De quebra ele te da dicas importantes de Cusco. Aconselho você a gastar um tempo aqui vendo o que o pessoal fala das outras. Principalmente a quantidade de bagagem que elas permitem levar! Varia! Boa viagem.
  12. Furada total esse preço. Próximo a Plaza de Armas você encontra facilmente muitas agencias. Preço varia de 160-190. Chore por ele! Não se esqueça de perguntar quantos quilos de bagagem você pode levar durante a trilha! Essa informação varia muito de agencia pra agencia. Quando fui eram até 20 quilos para serem levados pelo cavalo, mas parece que já ouvi falar de 5. De qualquer forma, tenha sempre uma mochila de ataque com você e uma outra com as roupas e itens de higiene que os cavalos levam.
  13. 14 Dia – Cusco Acordei as 8 como habitual, tomei o café da manha e caminhei até o final da Avenida do Sol. Lá existe um mercado grande de artesanato e roupas, comprei algumas lembranças para o pessoal de casa. Passei na PeruInfoCusco para agradecer e me despedir do pessoal, fui convidado a fazer um vídeo ali para ir ao site deles falando da minha experiencia aqui no Peru e aproveitei para falar do quanto eles me ajudaram ali. Passei o dia caminhando e foi muito legal. Cheguei no hotel cansado, pedi um taxi para amanhã cedo as 7h, pois tinha um voo de Cusco para Lima pela Taca as 8h15. 15 Dia – Cusco – Lima - Guarulhos Acordei no outro dia cedo, fiz meu check-out e o taxi logo chegou e me levou até o aeroporto. Fiz meu embarque e tive uma das melhores refeições de avião pela Taca. O voo leva apenas 1 hora, cheguei no aeroporto de Lima, fiz meu checkin, tive que abrir toda minha mochila e revirar as minhas coisas, mas deu tudo certo. Ainda tinha 3 horas para o embarque, aproveitei para almoçar ali, comi um MacDonalds, bem demorado o atendimento, mas o gosto é o mesmo. Fui até um guichê trocar o que me tinha sobrado de soles para real. Ainda tinha alguns dólares sobrando. Passei pelo free shop e comprei algumas coisas, nao queria ficar demorando lá no Brasil. Aproveitei e liguei para casa avisando que iria chegar determinada hora. De casa até o aeroporto eram aproximadamente 1h30. Embarquei no voo da TAM e cheguei em Guarulhos-SP após 4 horas de voo. Experiencia incrivel que quero levar para toda a vida e compartilhar com todos que quiserem ler ou ouvir.
  14. 13 Dia – Cusco – City Tour Acordei no outro dia por volta das 8h da manha e calcei meu tenis que não estava completamente seco ainda do rafting! Desci para o restaurante do hotel tomar meu café da manha. Confesso que senti até falta de alguem me acordando com um copo de chá de coca quentinho, mas gostei de ter uma opção farta de frutas a disposição. Estava na meio da minha refeição quando um rapaz chegou chamando meu nome me apressando pois eu iria perder o onibus para o City Tour. Tinha esquecido que tinha comprado o passeio para depois do trekking com o Ricardo na Peruinfocusco. Pedi a ele 1 minuto e corri ate o quarto para pegar minha carteira, oculos escuros e água. Desci e fui até o rapaz, ele me mostrou uma mulher do outro lado da quadra com uma prancheta na mão, disse que era pra eu ir até ela e dizer meu nome. Fui até ela e percebi que diversas pessoas faziam também. Ela era a pessoa que organizava os onibus de escurssão, esses onibus eram da propria prefeitura de Cusco e, cada um deles tinha um guia que ia nos explicando os pontos turisticos, achei aquilo tudo muito organizado e pensei se um dia teria algo assim nas capitais do Brasil também. Durante o city tour almoçamos num restaurante que já estava incluso no pacote e passamos por diversas vendas de artesanatos e roupas, o engraçado é que todas as roupas as mulheres vendem sendo alpaca, mas de 60 soles elas baixam até 25. Fica muito dificil voce achar algo lá que realmente seja alpaca, não se iluda. O city tour foi bem interessante, passamos por vários fortes de guerra e tudo tem sua historia bem contada. Tirei muitas fotos e acabei tendo que comprar uma blusa pra mim quase no final do dia porque já não aguentava mais passar frio. Na correria de sair do hotel acabei esquecendo de pegar uma blusa. Até parece que tinha aprendido a lição depois do acontecido no aeroporto de Santiago! Comprei uma blusa muito bonita de “alpaca“ (na verdade lã de lhama, mas vendida como alpaca pelas vendedoras) por 35 soles que ainda a uso as vezes. Voltei para o hotel e arrumei minhas coisas, todas as noites eu ia até uma venda na praça de armas ligar para casa, era bem barato, pagava cerca de 5 soles para ligar para casa e falar com todos, a noite eu ficava nas baladinhas da praça de armas. Fui dormir pois amanha seria o ultimo dia da viagem.
  15. 12 Dia – Aguas Calientes – 5 Dia Trilha Salkantay – Macchu Picchu Pensem num cara desesperado! Num pulo peguei minhas coisas e desci correndo para ver se tinha alguem na rua. A porta do hotel estava fechada, acordei o rapaz da recepçao que abriu a porta pra mim, sai na rua e não tinha ninguem do grupo. Comecei a ficar preocupado, porque tinha em mãos o ticket de entrada porém apenas no dia seguinte iriamos receber a passagem de trem pra voltar para Cusco. Comecei a ficar preocupado e pensando mil coisas. Vi uma fila enorme se formando e vi que os onibus que sobem para a entrada do parque de Machu Picchu iria começar a subir. Comprei minha passagem por 7 dolares e aguardei na fila. Já embarquei logo e quando chegou o topo eu avistei um dos guias esperando ao lado de fora. Fiquei feliz e aliviado ao ve-lo e ele disse que estava esperando mais uma pessoa. Nao deu 2 minutos a outra mulher apareceu e entramos no parque. Foto: Entrada do parque Machu Picchu. Logo que entramos fiquei tao feliz de avistar o grupo e ir em direção deles que nem percebi na vista que tinha passado pelos meus olhos. Cheguei ao grupo e o guia principal estava contando a historia de Machu Picchu. Acabei nao conseguindo pegar a entrada para Wayna Picchu, mas nao me fez falta. Depois das historia e de nos mostrar várias pontos de Machu Picchu, ficamos apreciando a paisagem, tiramos algumas fotos. Nos despedimos no guia e do grupo e pegamos nossa passagem de trem de volta. Ficamos mais algumas horas ali contemplando o lugar e descemos de onibus para Aguas calientes, basicamente tem onibus de 15 em 15 minutos subindo e descendo de águas calientes para machu picchu. Também é impressionante a quantidade de brasileiros que tem ali. Foto: Nosso guia explicando aquele monumento. Foto: Classica paisagem de Machu Picchu, com a montanha Wayna Picchu ao fundo. Descemos e estavamos num grupo de 5 brasileiros, logo que chamos em Aguas Calientes começamos a procurar por um lugar pra tomar uma cerveja, petiscar alguma coisa e ficar batendo papo. Chegamos perto de um restaurante com um funcionario na porta nos mostrando o cardápio e fazendo uma proposta de refeição, o funcionario do restaurante da frente já gritou uma contra proposta e em seguida um terceiro de outro restaurante, dissemos para todos que iriamos no que oferecesse a Cusqueña no melhor preço. Fechamos um que fazia ela a 8 soles e tinhamos uma porçao de brinde. Ficamos ali conversando e tomando cerveja até a hora de pegar o trem. Eram eu e mais 2 casais, um dos casais tinha um ticket de passagem para as 16h40, pois eles haviam comprado as passagens com antecedencia devido ao voo de volta para Lima ser no mesmo dia. O meu e o outro casal era para o último trem, das 20h. Ficamos ali e pegamos o trem com várias pessoas do nosso grupo do trekking. No trem era servido um lanche rapido e muito organizado. O pessoal que administra o Perurail é uma empresa inglesa, a organização, limpeza e atendimento era de primeira. No meio do caminho, em Ollaytatambo, tivemos que descer do trem e pegar vans até Cusco, devido a enchente que deu o rio Urubamba parte da rodovia ainda estava em manutenção. Pegamos as vans e chegamos até a Plaza de Armas por volta das 23h. Me despedi do pessoal e fui até o hotel que era apenas alguns metros ali, recuperei minha mochila e subi até o quanto onde pude tirar uma excelente noite de sono naquela maravilhosa cama.
×
×
  • Criar Novo...